Você está na página 1de 59

Estratégia Empresarial

25

NOV

2016

Crescimento empresarial – Expandindo os negócios com solidez

Tratar
sobre crescimento empresarial é lidar com a busca diária de todas as empresas, independente
do seu porte ou mercado de atuação.

As empresas buscam e necessitam crescer, em primeiro lugar, por uma questão de


sobrevivência. Sendo o mercado competitivo muito dinâmico, aquele que não evolui e cresce
tende a ser derrotado e diminuído por aqueles que estão se destacando.
Já tratamos sobre este assunto da competitividade em diversos artigos do blog da Intelliplan
Consultoria Empresarial. Trata-se de uma temática que deve estar sempre em discussão entre
os empreendedores e gestores. Confira alguns desses artigos:

 Competitividade empresarial – Como alavancar os negócios

 Como analisar o mercado para ser mais competitivo

Lançamos ainda um e-book que trata justamente da competitividade empresarial em


pequenas empresas. Você pode baixar gratuitamente: Dicas para uma pequena empresa ser
mais competitiva.

Vamos neste artigo tratar sobre a busca pelo crescimento empresarial e os seus aspectos
principais.

A busca pelo crescimento empresarial

Sua empresa está buscando crescer? Caso esteja – e esperamos sinceramente que sua
resposta tenha sido positiva – sabe que não é uma tarefa fácil. E são 2 os principais motivos
para essa dificuldade:

1. Sua empresa não é a única que deseja crescer e que trabalha diariamente para isso. As
demais empresas estão na mesma busca e isso cria um ambiente competitivo. Na
prática, isso significa que sua empresa tem que realizar um excelente trabalho de
forma a se diferenciar e encontrar oportunidades para se destacar e crescer.

2. O crescimento não depende somente do desempenho da sua empresa. E as crises


econômicas e políticas demonstram isso. Por mais que sua empresa esteja realizando
um trabalho excepcional e consiga crescer em meio à crise, de certo esse crescimento
poderia ser ainda maior com o mesmo trabalho e sem a crise. Vale ainda lembrar que
o crescimento está relacionado à demanda dos consumidores, às inovações que se
apresentam e renovam o mercado, e tantos outros aspectos.

Tudo isso, na prática, significa que buscar o crescimento empresarial não é apenas uma tarefa
essencial, mas também constante.

No que diz respeito ao ambiente interno da empresa, é preciso que as melhores práticas
gerenciais, os sistemas e ferramentas utilizados, os profissionais envolvidos e tudo o que diz
respeito à sua estrutura esteja muito adequado; e no que se refere ao mercado, é preciso que
a empresa tenha um conhecimento profundo sobre o mercado e possua uma boa estratégia
de crescimento, tudo sendo bem executado.

Sem esquecer, é claro, que para uma empresa crescer ela precisa vender e vender bem. Quer
melhorar as vendas? Conheça a Trilha de Sucesso – Aumentar as Vendas.

A realidade das micro, pequenas e médias empresas

Se toda empresa busca crescer e sendo esse um desafio presente em todos os mercados, não
seria diferente no que diz respeito às micro, pequenas e médias empresas. Porém, surge aqui
um agravante: essas empresas, em geral, possuem uma capacidade de investimento menor.
É sabido que para crescer é preciso investir. Não há mágica.

Por isso é necessário, também por parte dos negócios de menor porte, a disposição para
investir e proporcionar esse crescimento. Obviamente, este deve ser um investimento
estudado e preparado, não colocando o negócio em risco.

O risco maior, porém, é não realizar investimento algum ou pequenas apostas que não trazem
um retorno compensador, e ter a esperança de que obterá um grande crescimento.

Por um lado, portanto, é preciso investir para crescer, e por outro, é preciso realizar
investimentos na medida correta.

Quer descobrir quando é melhor realizar todas essas ações internamente (isto é, com os
recursos e competências que a empresa já possui) ou com a ajuda de uma consultoria
empresarial? Leia o artigo: Contratar uma consultoria empresarial ou realizar o trabalho
internamente?

Gestão empresarial com qualidade

Outro fator, como já mencionado, que impacta diretamente no crescimento empresarial é a


qualidade da gestão empresarial.

Nós tratamos mais profundamente sobre esse assunto no artigo: Gestão de pequenas
empresas.

Trata-se de um movimento duplo:

 Sem uma gestão empresarial realizada com qualidade, aplicando as melhores práticas,
o crescimento fica limitado;

 Uma empresa que consegue crescer sem uma boa estrutura de gestão, logo
enfrentará problemas pois o crescimento não foi compatível com sua capacidade de
gerenciamento.

É por isso que aqui na Intelliplan atuamos fortemente com a gestão empresarial em nossa área
de Estruturação e Organização.
Uma empresa que deseja crescer ou que esteja em crescimento deve dedicar uma atenção
especial ao seu ambiente interno. Do contrário, o crescimento pode atrapalhar o seu
desenvolvimento e o seu resultado financeiro.

Atenção ao mercado para crescer

Se você é empresário ou atua na gestão de uma empresa, responda com o máximo de


profundidade possível às perguntas abaixo:

 Quem são os seus concorrentes?

 O que eles apresentaram de novidade de no mercado nos últimos 12 meses?

 Quais são os planos deles para os próximos 5 anos?

 Quais são os gargalos apresentados por eles e onde eles estão mais fortes do que a sua
empresa?

 Quem são os seus consumidores?

 Quais são as suas principais características comportamentais e demográficas?

 Como a demanda deles mudará nos próximos 5 anos?

 Quais são as tendências do seu mercado de atuação?

 Quais tecnologias irão impactar o seu negócio em breve?

 Essas são apenas algumas perguntas que podem revelar o quanto sua empresa está
com relação ao conhecimento sobre o mercado.

E não se trata aqui de respostas rápidas e superficiais. Tudo pode ser muito mais explorado e
analisado, e é justamente essa análise detalhada que são reveladas as principais ameaças e
oportunidades para o seu negócio.

Infelizmente muitos empresários e gestores adquiriram ou formaram um conhecimento e


visão sobre o mercado há alguns anos, assumiram como sendo uma verdade imutável, e já não
mais questionam ou verificam se continuam sendo válidos.

Quer entender a importância de análise mercadológica para o crescimento empresarial?


Acesse o e-book: Impulsionando negócios – Análise e gestão comercial e mercadológica.

Também aqui no blog da Intelliplan Consultoria Empresarial você encontrará diversos artigos e
materiais sobre essa temática. Aproveite para navegar e atualizar o seu conhecimento.

Impulsionando o crescimento empresarial com a ajuda de uma consultoria

Consultoria para pequena empresa pode trazer benefícios interessantes? E quanto ao


investimento necessário, é realmente viável?

Para responder estas e outras dúvidas, a Intelliplan Consultoria Empresarial lançou o Kit –
Compreendo a Consultoria Empresarial.
Acesse esse material completo, leia os artigos e entenda como uma consultoria pode auxiliar o
crescimento da sua empresa.

Posted by CONSULTOR INTELLIPLAN in ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

25

OUT

2016

Estratégia organizacional – Planejando e estruturando o crescimento


Possuir
uma estratégia organizacional, mantê-la atualizada e revisada e vivê-la no dia-a-dia deveriam
estar no topo da lista de ações de uma empresa. Na verdade, deveria ser a estratégia
organizacionalaquela que definiria o que deve e o que não deve ser feito, quando deve ser
realizado e de que forma.

Portanto, estamos falando aqui daquela estratégia maior que contém os estudos realizados
pela empresa, os objetivos claramente definidos e os caminhos que devem ser seguidos para
alcançar aquilo que é almejado. Obviamente, não se trata de algo estático, como um
documento escrito em algum momento da história e que mesmo diante das mudanças não
sofreu qualquer revisão ou releitura.

São 3 perguntas que norteiam toda essa questão:

1. Quais são os objetivos que sua empresa pretende alcançar?

2. Como esses objetivos serão alcançados?

3. Como sua empresa está executando o planejado e quais têm sido os resultados
obtidos?

Ter essas respostas e mantê-las atualizadas é fundamental para o sucesso de toda empresa.

Vamos nesse artigo tratar sobre a importância da estratégia organizacional e como extrair
benefícios dela.

Você ainda pode conferir outros artigos no blog da Intelliplan Consultoria Empresarial que
abordam a mesma temática:

 Estratégia de mercado – Caminho para o crescimento

 Estratégia empresarial – Como conseguir melhores resultados

 Qual a estratégia da sua empresa para crescer?


 A importância da estratégia para a pequena empresa?

Estratégia organizacional

Enxergar a empresa e o mercado como um todo. Eis o requisito básico para elaborar
uma estratégia empresarial. Não basta olhar apenas para dentro da empresa, tampouco olhar
somente para fora dela. Também não é interessante olhar apenas para uma parte da empresa
ou uma parte do mercado, é preciso enxergá-los e analisá-los por inteiro.

Por outro lado, essa visão do todo não pode ser ampla demais a ponto de não perceber os
detalhes, os gargalos, os riscos e as oportunidades que estão presentes nas pequenas
situações.

Daí a importância da estratégia organizacional: ela permite à empresa, em primeiro lugar,


formar um conhecimento aprofundado e amplo sobre o seu próprio negócio e sobre o
mercado; a partir desse conhecimento e tendo em vista aquilo que se espera alcançar (ou seja,
os objetivos organizacionais), elabora-se uma estratégia, um meio, um caminho para alcançá-
los.

Uma empresa que caminha sem uma estratégia é como alguém que caminha sem rumo. Ainda
que esse alguém deseje sempre estar seguro, ter como se sustentar e continuamente
aprender e crescer, ele não sabe bem o que deve fazer para isso acontecer e muito menos se,
de fato, terá tudo o que deseja.

Falamos aqui da estratégia maior, que contempla o todo da empresa, que a guia na direção
correta. Dentro dela – ou a partir dela – estarão as estratégias mais específicas (e estas estão
sempre mais sujeitas à mudanças e adaptações).

Cabe então começar a perguntar: qual a estratégia da sua empresa? Segui-la levará ao objetivo
desejado?

Os objetivos organizacionais

Saber onde e como a empresa quer estar nos próximos anos é a questão fundamental. Sem
isso não há como planejar. Porém, muitos derrapam quando o assunto é definir os objetivos e,
por isso, a estratégia acaba por não ser bem elaborada.

Apenas afirmar que a empresa quer crescer não é definir um objetivo. Também não vale dizer
que a empresa quer ser a maior ou a melhor em determinadas condições, pois é muito vago.

De maneira geral, todo objetivo organizacional deve ser:

1. Realista: definir um objetivo que não pode ser alcançado, seja por exagero ou
impossibilidade, não pode ser considerado um bom objetivo.

2. Mensurável: todo objetivo deve ter condições de ser medido e acompanhado. Do


contrário, como saber se ele está sendo alcançado (e não apenas se já o foi)?

3. Motivador: não basta ser realista e mensurável, é preciso motivar aqueles que
trabalharão. Definir que uma empresa deve crescer 0,1% em faturamento de um ano
para o outro pode ser realista e mensurável, mas não é nem um pouco motivador, pois
não há desafios, não há grandes conquistas, não há necessidade de esforço maior.

Além disso, é importante notar que os objetivos não devem ser definidos apenas com base na
opinião ou desejo. É preciso analisar o mercado, conhecer a fundo a sua empresa (conheça
o Guia Rápido para Diagnóstico Empresarial) e com base em análises e números, traçar
objetivos que coerentes.

É preciso, portanto, todo cuidado na definição dos objetivos. Como se pode perceber, o erro
de muitas estratégias não está na estratégia em si (ou seja, no “como será alcançado”), mas no
objetivo mal definido (“aquilo que se espera alcançar”).

A importância de possuir uma estratégia fundamentada e revisada

Da mesma forma como falamos sobre os objetivos, podemos dizer quanto à estratégia em si:
esta precisa ser fruto de estudos, análises e decisões bem fundamentadas, e não de opiniões
baseadas em conhecimentos desatualizados.

Uma estratégia precisa ter fundamento, e um fundamento baseado em dados, em


informações úteis e atuais. Também precisa ser continuamente revisada: se há o trabalho
inicial de desenvolver a estratégia organizacional, também deve existir, em vista dos
benefícios que serão obtidos, a revisão contínua da estratégia para garantir que ela será
sempre uma boa guia.

Essas revisões demandam, por vezes, novos estudos do mercado e uma nova análise da
situação da empresa. Daí surge a oportunidade de ir além: realizar um monitoramento do
mercado, e não apenas estudos pontuais.

Ajuda com a estratégia organizacional

No artigo Consultoria de planejamento estratégico – Ajuda precisa nós tratamos sobre 2


aspectos relacionados à estratégia:

1. A importância que tem para uma empresa;

2. O esforço necessário para desenvolvê-la.


Ou seja, se por lado é fundamental para uma empresa que possua uma boa estratégia
desenvolvida e executada, por outro o desenvolvimento de uma estratégia de qualidade
demanda esforço, conhecimento e experiência.

Por isso, recorrer ao auxílio de consultores especializados e com experiência no


desenvolvimento de estratégias pode ser o caminho mais rápido e barato para ter uma
estratégia de qualidade.

Aqui na Intelliplan Consultoria Empresarial mantemos uma área de Estratégia


Empresarial focada no desenvolvimento de estratégias para micro, pequenas e médias
empresas. Acesse e conheça!

Compreendendo a consultoria empresarial

Caso deseje compreender melhor como uma consultoria empresarial pode ajudar uma
empresa e o que deve ser considerado e analisado antes de contratá-la, recomendamos que
acesse o Kit: Compreendendo a consultoria empresarial.

O material é gratuito e completo e pode ser acessado clicando na imagem acima.

Aproveite para conhecer mais sobre a Intelliplan Consultoria Empresarial. Somos especialistas
em melhorar os resultados de micro, pequenas e médias empresas.

Posted by CONSULTOR INTELLIPLAN in ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

18

OUT

2016
Qualidade na prestação de serviços – Cuidados e oportunidades

O cuidado com
a qualidade na prestação de serviços pode ser determinante para o sucesso de uma empresa.
Isso porque falar de prestação de serviços é falar de resultados: aquilo que é prometido será
avaliado pelo consumidor junto com a sua experiência vivida com a empresa, e definirá se o
serviço é de qualidade e se a empresa merece ser recomendada.
É importante notar que cada vez mais há um misto na oferta de produtos e serviços. Se antes
havia uma separação mais clara entre as empresas que só produziam e vendiam produtos
daquelas que prestavam apenas serviços, agora é comum encontrar empresas que oferecem
ambos. Em muitos casos, por exemplo, a empresa que vendia um produto não era a mesma
que realizava a manutenção; hoje é fácil encontrar empresas que lidam tanto com o produto
tangível quanto com o serviço intangível.

Vamos nesse artigo explorar os cuidados necessários na prestação de serviços e as


oportunidades existentes para as empresas que oferecem soluções de qualidade.

A questão da qualidade

A preocupação com a qualidade não é nova. Com o decorrer dos anos, tanto as empresas
passaram se preocupar mais com a qualidade para se diferenciar (também por exigência do
mercado) como os consumidores começaram a dar mais atenção a esse fator. E com isso o que
se considera como “qualidade” foi evoluindo com o tempo.

Atualmente compreende-se “qualidade” de uma forma mais ampla, e não apenas relacionado
ao produto ou serviço em si. Na prática, isso significa que não basta uma empresa ofertar um
serviço de qualidade – isto é, que atinge com satisfação aquilo que foi prometido e que era
esperado pelo consumidor – se a experiência do cliente como um todo não for satisfatória
(para saber mais sobre esse assunto, acesse o artigo: Clientes satisfeitos – A importância e
como garantir a satisfação).

Assim, a qualidade foi ganhando espaço e se expandindo para o conjunto da empresa como
um todo: atendimento, vendas, pós-vendas, suporte, organização, e tudo o mais que a
constitui e com a qual o consumidor tem contato, ainda que indiretamente.

A questão da qualidade ganha (e assim deve ser) uma importância estratégica, e não apenas
operacional. Empresas que proporcionam ao consumir uma boa experiência tanto no que diz
respeito ao serviço prestado quanto ao relacionamento empresa-consumidor tendem a ter
resultados melhores.

Por isso cabe perguntar: qual a importância que sua empresa dá para a qualidade? Ela é vista
apenas do ponto de vista do produto ou serviço ou vai além e integra todo o negócio?

Qualidade na prestação de serviços

Diante desse contexto mais amplo, é preciso enxergar a qualidade na prestação de


serviços além do serviço propriamente dito.

Todo serviço prestado (e, por isso, adquirido pelo consumidor) tem origem e finalidade na
demanda do consumidor. Dito de outra forma, um consumidor, seja ela uma pessoa física ou
jurídica, contrata a prestação de serviços pois está enfrentando alguma dificuldade e/ou
deseja alcançar algum objetivo, e o prestador de serviço entrega, portanto, uma solução. Essa
solução se caracteriza por um serviço, que é intangível.
Pensar na qualidade na prestação de serviços é pensar em como a demanda do consumidor
está sendo atendida. E isso, com certeza, pode representar um diferencial competitivo para a
empresa prestadora de serviços.

É importante notar que a eficiência de um serviço está diretamente ligada à qualidade pessoal
daquele que o oferece. Se podemos afirmar, sem dúvidas, que as pessoas são o grande motor
de uma organização e que toda empresa demanda profissionais competentes e qualificados,
independente do porte, setor de atuação, tipo de produto ou serviço oferecido, podemos
também afirmar que a prestação de serviço se caracteriza ainda mais pela ação direta dos
profissionais na execução do serviço em si. Isso significa que a qualidade na prestação de
serviços está diretamente ligada à competência das profissionais envolvidos.

A qualidade relacionada à gestão

É importante notar, portanto, que a qualidade está diretamente relacionada à gestão da


empresa. Um negócio bem gerenciado, com processos definidos, com uma boa gestão de
pessoas, e com uma estrutura adequada, alcança um nível de qualidade superior.

Muitas empresas oferecem um serviço de qualidade inferior não devido ao serviço


propriamente dito, mas por falhas na gestão empresarial. Como exemplo poderíamos citar um
profissional muito competente tecnicamente no serviço que realiza, mas que encontra
dificuldades em administrar; com o aumento do volume de trabalho, por exemplo, o seu nível
de qualidade na prestação do serviço pode diminuir por não conseguir conciliar todas as
atividades e se ver envolvido demais em questões administrativas.

Como está a gestão do seu negócio? Para ajudar empresários, empreendedores e gestores a
compreender melhor a situação da própria empresa, a Intelliplan Consultoria Empresarial
lançou o e-book: Guia Rápido para Diagnóstico Empresarial. O material é gratuito e completo.
Com essa visão, podemos afirmar que é possível melhorar a qualidade de um serviço
administrando melhor.

Alguns artigos no blog da Intelliplan podem ajudar a aprofundar essa questão:

 Como administrar uma pequena empresa – Passos fundamentais

 6 motivos para analisar a sua empresa

 Como analisar a gestão de uma empresa

A qualidade e o desempenho no mercado

O fator mais nítido para todos, quando se fala na qualidade na prestação de serviços, é o
desempenho no mercado. Uma empresa que possui qualidade tende a se destacar
positivamente no mercado. É justamente por isso que muitas empresas se preocupam com a
qualidade apenas quando percebem que não estão alcançando o resultado almejado na sua
atuação mercadológica.

Em resumo, podemos dizer que estamos tratando aqui sobre a competitividade empresarial.

Seja um prestador de serviços individual ou uma empresa com muitos funcionários, sempre
haverá a concorrência. E se existem os concorrentes, é porque disputam o mesmo espaço e
consumidores. E se há essa disputa, é motivado pela busca dos consumidores por soluções.

Assim, o fator qualidade será avaliado não somente considerando a sua empresa e o seu
serviço, mas em comparação às outras empresas, aos outros serviços e às outras experiências
vivencias por tantos consumidores.

Daí a importância de conhecer profundamente os concorrentes e os consumidores. A


qualidade na oferta do seu serviço pode dar um salto quando as falhas dos concorrentes são
conhecidas e quando as necessidades e características dos consumidores são do seu
conhecimento. Além, claro, de possuir uma boa estratégia de mercado.

Para aprofundar nesse assunto, confira estes artigos:

 Inteligência Competitiva – 4 motivos para investir

 Como conhecer o mercado pode aumentar as vendas?

 Como analisar o mercado para ser mais competitivo

Como uma consultoria empresarial pode ajudar a melhorar a qualidade

Sabendo, portanto, que a qualidade não está relacionada apenas ao serviço em si, mas
também à gestão empresarial e à atuação mercadológica, como cuidar dessas questões? Um
bom caminho pode ser recorrer a uma consultoria empresarial.

Se você desejar compreender melhor como se dá o trabalho de uma consultoria empresarial e


como ela pode ajudar a sua empresa, acesse o Kit: Compreendendo a Consultoria
Empresarial.
Posted by CONSULTOR INTELLIPLAN in ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

27

SET

2016

Como estruturar uma empresa – Preparando o sucesso


Saber como
estruturar uma empresa e realizar as ações necessárias é, de fato, um caminho para o
sucesso. E isso é válido tanto para novas empresas como para empresas que já foram
constituídas que sentem a necessidade de reestruturar o seu negócio.

Não se trata, porém, de um caminho simples ou rápido. Como todo empreendedor deseja que
sua empresa gere excelentes resultados e faça isso de uma maneira eficiente, é preciso gastar
tempo e investir recursos para possuir uma boa estrutura de gestão e de atuação no mercado.

Nesse artigo não tratamos de algo “mágico” ou de passos fáceis para estruturar uma empresa.
Mas queremos abordar a essência dessa questão: o que deve ser objeto de atenção e cuidado
dos empreendedores e gestores para que uma empresa seja bem estruturada e alcance o
sucesso.

Aqui no blog da Intelliplan Consultoria Empresarial você pode encontrar outros artigos que
tratam dessa temática e que dão dicas para seguir o caminho de uma empresa bem
estruturada e gerenciada. Veja alguns deles:

 Consultoria organizacional para pequenas empresas

 Como analisar o mercado para ser mais competitivo

 6 motivos para analisar a sua empresa

 A importância de medir o desempenho da empresa

E caso você deseje estruturar a sua empresa, não deixe de conhecer a Intelliplan.

Como estruturar uma empresa

Para um novo negócio, é fundamental uma estruturação inicial que permita à empresa, ao
mesmo tempo, ter a flexibilidade necessária para responder às demandas do mercado e à
realidade de uma empresa em seu estágio inicial, mas também ter uma estrutura que permita
crescer de maneira sólida e segura.
Estruturar uma empresa não diz respeito apenas a ações rápidas que podem ser realizadas,
mas principalmente à essência do negócio: o que se pretende? Aonde a empresa quer chegar?
O que é esperado a nível mercadológico?

Ou seja, realizar uma boa estruturação está, em primeiro lugar, relacionado ao negócio que
está sendo empreendido.

Ainda que existam semelhanças entre todos os tipos de empresas (toda empresa demanda
pagar contas, emitir cobranças, gerenciar os funcionários, captar novos clientes, entre outras
atividades comuns), há também aquilo que é próprio de cada negócio, e este último é o
principal.

Há negócios que demandam uma flexibilidade maior, enquanto há outros que demandam um
maior controle. Há empresas que oferecem soluções inovadoras, outras que atuam em
mercados já bem estabelecidos. E tudo isso interfere na forma de estruturar uma empresa.

Portanto, o primeiro passo para uma boa estruturação está muito mais relacionado às
questões estratégicas, e não estruturais. É a sua estratégia e os seus objetivos que
determinarão como a empresa deve ser estruturada.

A necessidade de reestruturar uma empresa

Há ainda outro cenário: uma empresa já estabelecida no mercado, ao fazer uma análise do seu
negócio, percebe que este precisa ser reestruturado, a fim de obter resultados mais
satisfatórios. Assim, a pergunta poderia ser: como reestruturar uma empresa?

Também nesse caso continua sendo importante conhecer e determinar os objetivos e


a estratégia de atuação, mas aqui se torna fundamental realizar um profundo diagnóstico de
como está a empresa atualmente.

Para ajudar, faça o download gratuito do Guia Rápido para Diagnóstico Empresarial.
Reestruturar uma empresa demanda um cuidado ainda maior pois trata-se de um negócio que
já está em operação. Isso significa que as mudanças que serão realizadas ocorrerão ao mesmo
tempo em que o trabalho cotidiano acontece.

É preciso identificar o que, de fato, está abaixo das expectativas, realizar uma boa análise das
causas e desenvolver um planejamento apurado para solucionar essa situação, a fim de que a
implantação das mudanças ocorra de maneira tranquila.

É importante perceber, portanto, que estruturar (ou reestruturar) uma empresa está muito
mais relacionado à capacidade de identificar o problema, analisá-lo e gerar as soluções do que
com algumas ações práticas (as quais são fundamentais, mas possuem um efeito mais
concreto quando bem preparadas).

A atenção para a gestão

No que diz respeito à gestão, é fundamental, ao estruturar uma empresa, ter em vista as boas
práticas gerenciais e adotar posturas, procedimentos e políticas que estejam adequadas aos
objetivos e ao tipo de negócio.

Confira alguns artigos aqui no blog que aprofundam esta questão:

 Como analisar a gestão de uma empresa

 Diagnóstico empresarial para pequena empresa

 Melhoria de processos – Uma ajuda importante

Uma empresa é um organismo vivo onde tudo está interligado. Cada departamento e
atividade que ela realiza estão vinculados a outro departamento ou atividade. Além disso, uma
empresa é formada por pessoas, sendo que essas utilizam sistemas, ferramentas,
equipamentos e demandam uma estrutura para o seu trabalho. E tudo isso precisa ser
gerenciado.

Também o que ocorre fora da empresa e que de alguma forma afeta os negócios precisa ser
gerenciado.

Saber como estruturar uma empresa está relacionado a conseguir gerenciar diversas
atividades, pessoas, situações e recursos para que tudo caminhe na direção dos objetivos
almejados.

A dificuldade maior, portanto, para estruturar uma empresa gerencialmente não está nas
ações para estruturar, mas sim em enxergar toda essa teia de relações que perpassa a
empresa e conseguir sincronizar da melhor forma tudo isso.

Vale ainda lembrar que tudo isso está em contínua mudança. Isso significa que, ainda que
existam momentos (eventos isolados) em que uma empresa necessite ser estruturada ou
reestruturada gerencialmente, na verdade continuamente ela precisa se adaptar para
continuar competitiva no mercado.

O cuidado com os aspectos do mercado


Outro fator de extrema importância no momento de estruturar uma empresa é o mercado.

Há um engano muitas vezes cometido que, ao pensar sobre como estruturar uma empresa,
são levadas em consideração apenas as questões internas e gerenciais, não dando a devida
importância sobre como o mercado pode impactar.

Vale aqui lembrar que uma empresa não existe para si e não está isolada no mundo. Toda
empresa está inserida em um ambiente competitivo e continuamente é influenciado e
influencia esse ambiente.

Isso significa que é preciso levar em consideração como as características do mercado exigem
ou trazem oportunidades no que diz respeito à estruturação empresarial.

Sua empresa realmente conhece os concorrentes? Conhece a fundo os consumidores e


clientes? Sabe dizer quais são as tendências de consumo? E em meio a tudo isso, qual
a estratégia da sua empresa para crescer?

Ter clareza e profundidade sobre essas questões influencia diretamente na maneira como uma
empresa deve ser estruturada.

Se quiser compreender melhor a importância de conhecer e monitorar o mercado, faça o


download do e-book: Razões para monitorar o mercado.

A importância do planejamento

Como dito anteriormente, em meio a tudo isso, o fundamental é estabelecer um bom


planejamento. De nada adiantará iniciar uma estruturação e perceber, ao longo do caminho,
que sequer a ação de estruturar estava estruturada.

É importante gastar tempo estudando, analisando e planejando toda mudança que será
necessário realizar. Há muitos empreendedores que tendem a acreditar que planejar não é
agir. Porém, percebemos continuamente aqui na Intelliplan que toda ação bem planejada
alcança melhores resultados ao final do que tudo o que foi feito por impulso ou sem o devido
preparo.

Buscando ajuda para estruturar uma empresa


Tudo isso demonstrar que estruturar ou reestruturar uma empresa não é uma tarefa fácil.
Exige conhecimento, experiência e dedicação.

Vale ainda considerar que, principalmente em empresas já atuantes no mercado, a


estruturação (ou reestruturação) ocorre em meio às demais atividades da empresa, o que
dificulta o alcance dos resultados esperados.

Por isso, um bom caminho é contar com o auxílio de uma consultoria empresarial.

Quer compreender melhor como uma consultoria empresarial pode ajudar nessa atividade?
Faça o download do Kit: Compreendendo a Consultoria Empresarial.

Posted by CONSULTOR INTELLIPLAN in ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

06

SET

2016
Competitividade empresarial – Como alavancar o negócio

A competitividade
empresarialé, ao mesmo tempo, a grande motivadora para a geração de negócios e para a
inovação e também o grande desafio enfrentado diariamente pelas empresas de todos os
portes.

A questão que surge é: como alavancar um negócio em meio a tanta disputa?

Sabemos que uma série de fatores influencia e determina o grau de competitividade de uma
empresa. Por isso, não há mágica. É necessário muito trabalho diário para que uma empresa
se mantenha viva e com forte atuação no mercado.

Porém, algumas ações e cuidados são sempre necessários para que um negócio não deixe de
competir e seja deixado de lado pelos consumidores.
Vamos nesse artigo explorar o tema da competitividade empresarial e a importância de
continuamente estudar e definir meios de melhorá-la.

Recomendamos alguns artigos para aprofundar no assunto:

 Estratégia de mercado – Caminho para o crescimento

 Tendências de consumo – 3 motivos para acompanhar

 Estratégia empresarial – Como conseguir melhores resultados

 Analisar o mercado – Qual a importância?

A competitividade empresarial

Uma empresa não é uma ilha distante de tudo. Ao contrário, toda empresa está inserida em
um ambiente que influencia nas suas ações (e inações) e que também é influenciado por
aquilo que a empresa realiza.

O que ocorre é que esse ambiente não é ilimitado ou infinito. Muitas empresas disputam os
mesmos consumidores, oferecem produtos e serviços semelhantes e desejam crescer e se
destacar. E daí nasce a competição.

O desafio de toda empresa, portanto, é possuir uma gestão adequada, produtos e serviços de
qualidade e uma boa estratégia de atuação que permita à empresa competir e aproveitar bem
as oportunidades que o seu mercado oferece.

Infelizmente, é grande o número de empresas – principalmente as organizações de menor


porte – que não dão a devida atenção à sua capacidade de competição. Acreditam que basta
estar no mercado e ter um produto para oferecer e tudo acontecerá.

Há também empresas que apenas se preocupam em cuidar da sua competitividade quando o


mercado se torna mais exigente. Ou seja, enquanto as vendas e os negócios vão bem, não há
um momento em que a empresa analisa o mercado e identifica as oportunidades e ameaças;
isso somente acontece quando a situação começa a se mostrar negativa.

Vale ainda lembrar que o mercado está em contínua mudança, e uma empresa que
atualmente está em boas condições de disputa, em pouco tempo pode ser deixada para trás.

Investir para aumentar a competitividade

Assim, fica claro que para uma empresa se manter competitiva no mercado é preciso cuidar e
agir. E isso, sem dúvida, demanda investimentos.

Não se trata aqui de considerar apenas os grandes investimentos, mas principalmente de


investir da maneira certa.

São diversos os fatores que influenciam no nível de competitividade empresarial de um


negócio:

 Capacidade de inovação;
 Produtos e serviços de qualidade;

 Diferenciais comerciais;

 Capacidade de produção e entrega;

 Alcance geográfico;

 Ações de marketing;

 Entre outros.

Uma empresa que conhece bem o seu mercado, os concorrentes e os consumidores saberá
perceber qual o melhor investimento para se diferenciar e se destacar. Por vezes, um
investimento pequeno na situação correta pode abrir mais portas do que um grande
investimento sem planejamento e estudo.

Para entender ainda melhor como identificar novas oportunidades de negócios para realizar os
investimentos corretos, acesse o e-book: Como identificar oportunidades de negócios.

Conhecer o mercado é fundamental

Uma empresa que não conhece profundamente o seu mercado já comprometeu seriamente a
sua competitividade empresarial.

Se estamos nos referindo aqui a uma competição de empresas, é fundamental conhecer com
quem estamos competindo – isto é, os concorrentes. Mais do que isso: a concorrência existe
pois há uma oferta e um público semelhante, e também é fundamental conhecer esses
consumidores e suas necessidades. Mais ainda: se tudo isso está em contínua mutação, é
preciso estudar para entender para onde o mercado está caminhando e o que se espera dele
no futuro, a fim de não ser surpreendido e ter o seu negócio comprometido.

Esse conhecimento sobre o mercado precisa ser atualizado e realista, e não baseado em
conceitos e verdades que foram assumidos no passado e que já não vigoram mais.

Para entender mais sobre o monitoramento do mercado, acesse o e-book Razões para
monitorar o mercado e conheça o ADI-Mercado:

Quer compreender melhor a importância de conhecer o mercado e como isso afeta


a competitividade empresarial? Confira os seguintes artigos do blog da Intelliplan Consultoria
Empresarial:

 Inteligência Competitiva – 4 motivos para investir: a Inteligência Competitiva pode


representar um diferencial para uma empresa – mesmo para micro e pequenas
empresas. E isso se deve à sua grande capacidade de acompanhar o mercado e gerar
negócios.

 Como conhecer o mercado pode aumentar as vendas?: entenda qual a relação entre
conhecimento do mercado e vendas e como usar a informação a favor da geração de
negócios.
 As informações para tomada de decisão: possuir as informações corretas e
atualizadas e saber utilizá-las pode fazer toda diferença ao tomar uma decisão que
tenha impacto na competitividade da empresa.

Estabelecer parcerias para ganhar força e alcance

Outro ponto essencial quando tratamos de competitividade é a importância de unir forças


para dar passos mais largos e firmes. É um engano acreditar que sozinha uma empresa chegará
longe.

Quando falamos de parcerias, nos referimos tanto em parceiros que serão uma ajuda precisa
para assuntos internos como parceiros que ajudarão na atuação mercadológica. Contar com o
auxílio de uma consultoria de gestão, por exemplo, pode ser um parceiro incrível para ajudar a
empresa a ser melhor gerenciada e a obter melhores resultados com os recursos disponíveis e,
com isso, melhorar a sua capacidade de oferecer produtos e serviços de qualidade. Ou ainda
contar com a parceria de uma agência de marketing ou de uma empresa que oferece uma
solução complementar àquela que sua empresa oferece, pode ser uma força a mais para
alcançar novos mercados.

Obviamente, toda parceria precisa ser muito bem estudada e planejada antes de ser praticada.
Trata-se de uma ajuda mútua, onde ambas as partes devem ter interesse e devem se
beneficiar.

Gerar novos negócios para se manter competitivo

Outro risco para a capacidade de competição de uma empresa é acomodar-se na maneira e


nos negócios que já realizou.

Uma empresa para se manter sadia deve continuamente buscar e gerar novos negócios. E
novos negócios não significam necessariamente o aumento das vendas. Nós tratamos
profundamente desse assunto no e-book: Gerando negócios com inteligência digital e
competitiva.
É primordial que toda empresa garanta no presente que ela esteja com condições de
sobreviver, competir e crescer. Mas essa não pode ser uma situação limitada ao presente. Não
basta que uma empresa “exista”, é preciso que ela “continue existindo”. Dito de outra forma:
as empresas realizam suas ações no hoje, mas essas ações devem levar em consideração a
necessidade e a importância de garantir a sobrevivência e o crescimento da empresa, para que
também no amanhã ela possa se destacar no mercado. E daí a importância de continuamente
gerar novos negócios.

Como uma consultoria empresarial pode ajudar?

O trabalho de uma consultoria empresarial é ajudar as empresas a melhorar os seus resultados


e alcançar os objetivos definidos.

Esse trabalho, seja ele focado em gestão, estratégia ou mercado, faz com que a
competitividade de uma empresa aumente em virtude das diversas melhorias que são
desenvolvidas e implantadas.

Quer conhecer melhor o trabalho de uma consultoria empresarial? Veja esses artigos:

 5 motivos para contratar uma consultoria empresarial

 Como funciona uma consultoria empresarial

 Contratar uma consultoria empresarial ou realizar o trabalho internamente?

Conheça como funciona uma consultoria empresarial

Para aprofundar o seu conhecimento sobre consultoria empresarial e entender como ela pode
ajudar a sua empresa a ser mais competitiva, faça o download do e-book: Por que contratar
uma consultoria empresarial?
Para conhecer mais sobre a Intelliplan Consultoria Empresarial, acesse o nosso site.

Posted by CONSULTOR INTELLIPLAN in ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

12

AGO

2016

Estratégia de mercado – Caminho para o crescimento

Desenvolver
uma estratégia de mercado é peça-chave para o sucesso de uma empresa. Em meio à
competição acirrada imposta pelo mercado, é essa estratégia que guiará a empresa rumo ao
sucesso.

De fato, possuir produtos e serviços de qualidade, uma equipe de profissionais de alto nível e
uma estrutura física, gerencial e tecnológica é fundamental para conquistar os objetivos
almejados. Porém, tudo isso será em vão se uma estratégia não conciliar todas essas coisas e
conduzir a empresa na direção certa.

O papel da estratégia de mercado, portanto, é apontar a direção, a forma e os meios que


serão utilizados para que a empresa supere todos os desafios.

Você pode aprofundar ainda mais sobre esse assunto através dos seguintes artigos:

 Estratégia empresarial – Como conseguir melhores resultados

 Qual a estratégia da sua empresa para crescer?

 A importância da estratégia para a pequena empresa

A importância da estratégia de mercado

Toda empresa deseja crescer e trabalha diariamente e arduamente para isso. Esse crescimento
pode se dar das mais variadas formas (ou de um conjunto delas):

 Crescimento de faturamento;

 Crescimento da qualidade dos produtos e serviços;

 Crescimento da estrutura física;

 Crescimento dos investimentos;

 Entre outros;

É sabido, contudo, que uma empresa não é uma ilha; uma empresa não estará isolada do
mundo, mas compete com outras organizações para conquistar consumidores,
reconhecimento e espaço.

E uma vez que toda empresa está em um ambiente de competição que sofre mudanças
contínuas, o qual chamamos de mercado, é necessário que se tenha uma estratégia de
atuação, ou seja, uma estratégia de mercado.

A estratégia de mercado está relacionada ao mercado competitivo em que a empresa se


insere e tem o dever de compreender esse ambiente e apontar os melhores caminhos a seguir,
nos mais variados cenários.

Possuir uma estratégia, portanto, não é apenas uma boa prática de administração
recomendada em livros e cursos. Trata-se de algo totalmente necessário para enfrentar com
sucesso os desafios que o ambiente externo impõe.

Podemos, de maneira simplificada e prática, ter em mente 4 perguntas essenciais:


1. Quais são os objetivos da minha empresa?

2. Quem são os meus concorrentes e como eles atuam?

3. Quem são os meus consumidores e quais são as suas demandas?

4. Quais são os produtos e serviços que minha empresa oferece e quais problemas e
demandas eles resolvem?

Essas 4 perguntas podem ser desdobradas em outras mais específicas, mas elas já apontam a
importância e o caminho para o desenvolvimento de uma estratégia mercadológica: antes de
decidir como o caminho será percorrido, é preciso ter clareza sobre onde se quer chegar e ter
um conhecimento profundo e atualizado sobre tudo o que compõe e influencia esse ambiente.

Para entender melhor como a compreensão do mercado é fundamental para elaborar uma
estratégia, faça o download do e-book Gerando negócios com Inteligência Digital e
Competitiva.

Estratégia de mercado como caminho para o crescimento

Quando falamos de estratégia de mercado, portanto, é preciso ter em mente que se trata de
uma ferramenta que aponta continuamente o caminho para o crescimento empresarial.

O problema na maioria das empresas (principalmente nas empresas de micro, pequeno e


médio portes) é que apesar de quererem crescer, não possuem uma estratégia definida para
isso (tratamos desse assunto no artigo Qual a estratégia da sua empresa para crescer?). E
aquelas que possuem alguma estratégia acabam por não formalizá-la ou deixam sem revisão
por um longo período.

O simples fato de iniciar (e concluir) o desenvolvimento de uma estratégia mercadológica –


desde que seja realizado um bom trabalho de elaboração – já coloca a empresa no caminho
certo. Isso porque elaborar uma estratégia implica em analisar o passado e o presente,
planejar o futuro e preparar e realizações ações para que os objetivos sejam alcançados.
Entretanto, a dificuldade de muitas empresas está justamente em encontrar tempo e
disposição para desenvolver uma estratégia. Envolvidos pela operação do negócio e ocupados
com problemas do dia-a-dia, os sócios, diretores, gestores e líderes não encontram tempo
para planejar. Ou ainda, no pior dos casos, consideram desnecessário ou pouco relevante
parar para realizar análises, estudos e decisões quando há tanta coisa para resolver.

Quando uma empresa toma a iniciativa e dedica tempo e recursos para se atualizar sobre o
mercado, conhecer os concorrentes, informar-se sobre os seus clientes e elaborar formas
de melhorar o seu desempenho, ela realizar um investimento valioso e de extrema
importância para o sucesso da sua empresa.

Com nossa experiência no atendimento a micro, pequenas e médias empresas (Conheça


melhor a Intelliplan Consultoria Empresarial) podemos afirmar que muitos dos problemas
enfrentados por essas empresas se deve ao fato de não possuírem uma estratégia de
mercado, e por isso vivem realizando tentativas infinitas e frustrantes e a cada momento
seguem um caminho diferente, sem o mínimo de certeza de que alcançarão os seus objetivos.

Portanto, se sua empresa deseja ir para uma situação em que nunca esteve antes, faça antes
um bom estudo e planejamento, e com certeza suas chances de sucesso aumentarão. E se
necessário, peça ajuda para elaborar sua estratégia de mercado.

Conhecer os concorrentes

Um ponto fundamental quando falamos de estratégia de mercado é conhecer os


concorrentes. Se já está claro que estamos falando de uma estratégia para ajudar a competir
no mercado, então também deve ficar claro que precisamos conhecer com quem estamos
competindo. Do contrário, como desenvolver uma estratégia?

Aqui surge um detalhe importante: aquilo que pode parecer mais óbvio é onde muitos
descuidam.

Há empresas que afirmam que conhecem os seus concorrentes. Mas quando questionadas
sobre eles, o que sabem afirmar com certeza à respeito é o nome da empresa, algumas
pessoas que lá trabalham, os produtos e serviços que oferecem, alguns diferenciais
competitivos e os principais clientes.

No entanto, basta ir um pouco mais fundo para descobrir que:

 Trata-se de um conhecimento superficial;

 Muitas informações estão desatualizadas, pois foram adquiridas em algum momento


distante do passado e erroneamente assumidas como sendo eternas;

 São informações subjetivas e muitas vezes relacionadas apenas ao passado do


concorrente, e não ao presente e tampouco relacionadas ao futuro (isto é, aquilo que
os concorrentes estão fazendo a partir do hoje e o que esperam com isso).

Nós já escrevemos alguns artigos aqui no blog da Intelliplan sobre a importância de conhecer a
concorrência. Veja alguns deles:
 5 motivos para analisar a concorrência

 O mínimo que se deve conhecer sobre os concorrentes

 Analisar a concorrência – Por que é importante?

Além disso, quando falamos do desenvolvimento de uma estratégia de mercado, o mais


importante é conhecer os concorrentes estrategicamente.

Isso significa que as informações mais valiosas que devem ser coletadas e analisadas sobre os
concorrentes não são aquelas que todo mundo já sabe. O importante é realizar uma análise
que permita descobrir as escolhas e decisões que os concorrentes estão realizando, o que eles
esperam com isso e quais as ações que mostram a maneira estratégica dessas empresas
agirem.

Estudar os consumidores e clientes

Se, por um lado, o mercado é competitivo devido à concorrência, por outro lado podemos
afirmar que lutar contra outras empresas não é o objetivo final.

Quando uma empresa desloca quase toda a sua atenção para os concorrentes, acompanhando
e respondendo aos seus movimentos, ela corre o sério risco de tirar o foco do que é essencial:
os consumidores e clientes.

Também aqui no blog da Intelliplan já publicamos diversos artigos que tratam sobre esse tema.
Aproveite e aprofunde os seus conhecimentos:

 Problemas para atrair clientes para pequena empresa?

 Como descobrir novos clientes

 5 dicas para conhecer os clientes do seu negócio

 7 dicas para conhecer melhor o cliente

Uma dica importante: deixe de lado os conceitos e verdades assumidos no passado sobre os
consumidores e clientes e que não foram testados atualmente e que não tem indicação de que
permanecerão no futuro.

Para elaborar a sua estratégia de atuação no mercado, tenha consciência da importância de


conhecer profundamente – e para isso é preciso estudar – os seus consumidores e clientes.
Tenha convicção de que ainda há muito para ser aprendido além daquilo que sua empresa já
tem conhecimento.

Ao conhecer mais detalhadamente os consumidores e clientes, sua empresa ganha a


oportunidade de abordar e atendê-los de maneira mais eficaz e de oferecer soluções mais
adequadas.

Vale lembrar que assim como os concorrentes – e o mercado em geral – estão em contínua
mudança e evolução, o mesmo diz respeito aos consumidores. Daí a importância de realizar
um verdadeiro acompanhamento dos seus clientes e potenciais clientes.
Realizar um monitoramento do mercado

Outro fator fundamental que deve ser considerado em uma estratégia de mercado diz
respeito à capacidade da empresa de acompanhar as mudanças e novidades que surgem.
Afinal, estamos falando do mercado e nele há movimentos contínuos que afetam todos
aqueles que dele participam.

Cada vez mais ganha importância a necessidade de monitorar o mercado e conseguir extrair
desse acompanhamento as oportunidades e ameaças.

Para entender ainda melhor essa questão, faça o download do e-book: Razões para monitorar
o mercado.

Dentre os motivos para monitorar o mercado e utilizar das informações para desenvolver e
manter a estratégia mercadológica ou de marketing atualizada, podemos citar:

 As mudanças estão ocorrendo muito rapidamente;

 Oportunidades podem ser descobertas;

 Os riscos precisam ser identificados o quanto antes;

 Decisão errada custa caro;

 Há muita informação disponível e pouco tempo para analisá-las somente


periodicamente.

A importância da revisão da estratégia de mercado

Por fim, é importante dizer: não basta elaborar a estratégia de mercado. É preciso revisá-la
constantemente.

Aqui é importante esclarecer essa revisão. Não estamos nos referindo a jogar a estratégia no
lixo quando algo sair dos planos, tampouco de abandonar a sua essência quando alguma
decisão não foi acertada. Se assim fosse, não faria sentido elaborar uma estratégia e na
primeira dificuldade abandoná-la.

É importante aqui ficarmos com o simples e mais claro: quando falamos de “revisar”, estamos
falando de “rever”, ou seja, “ver novamente”.
Tão primordial quanto possuir uma estratégia é constantemente olhá-la e ir realizando
pequenos ajustes. Quando um planejamento é continuamente analisado e utilizado ele não
precisa de grandes mudanças, mas apenas de pequenos ajustes.

Ainda que as mudanças no mundo estejam acontecendo em ritmo intenso, elas não
acontecem da noite para o dia, isto é, de repente. Trata-se de um processo que tem um início,
que vai se desenvolvendo e alcança o seu ápice em algum momento. Daí, mais uma vez, a
importância de monitorar o mercado.

Como uma consultoria de mercado pode ajudar

Diante de tanto trabalho a ser feito e compreendendo melhor a importância de dedicar tempo
e recursos para desenvolver uma estratégia concisa e de qualidade, muitas empresas ficam
paralisadas. É aí que uma consultoria de mercado pode ajudar.

Conheça mais sobre esse trabalho no artigo que escrevemos: Consultoria de mercado – Como
ela pode ajudar.

Você também pode conhecer melhor o trabalho da área de Estratégia Empresarial e


de Inteligência de Mercado da Intelliplan Consultoria Empresarial.

Conheça o trabalho de uma consultoria empresarial

Para ajudar os empresários, diretores e gestores a compreender melhor o trabalho de uma


consultoria empresarial, nós desenvolvemos o e-book: Por que contratar uma consultoria
empresarial?

Conclusão

Com o mercado cada vez mais competitivo, com consumidores cada vez mais exigentes e com
novidades que surgem a cada momento, é simplesmente fundamental possuir uma estratégia
de atuação para alcançar o sucesso. Do contrário, são os movimentos do mercado que levarão
a empresa, e nem sempre será para o lugar desejado.

Posted by CONSULTOR INTELLIPLAN in ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

10

JUN

2016

Estratégia empresarial – Como conseguir melhores resultados

A busca por
resultados cada vez melhores é incessante em todas as empresas. Porém, muitas são aquelas
que não possuem uma estratégia empresarial que conduza para continuamente vencer as
barreiras e melhorar os resultados. Há, portanto, muitas empresas que querem crescer, mas
não se preparam para isso.

Esse preparo e definição de como a empresa atuará no mercado e internamente é realizado


através da estratégia empresarial. É nela que a empresa deve condensar as informações e as
definições sobre os objetivos que deseja alcançar e o caminho que irá trilhar. Mais do que isso:
a estratégia não deve ser apenas um guia, mas uma ferramenta continuamente utilizada pela
empresa para tomar decisões e acompanhar o desempenho.

A importância da estratégia empresarial

Peter Drucker afirma que “quando a empresa traça objetivos e metas, e busca alcançá-los, ela
tem claramente definido o porque ela existe, o que e como faz, e onde quer chegar“.

Quando falamos de estratégia empresarial, portanto, não nos referimos apenas a uma boa
prática de gestão. Trata-se de algo fundamental para a existência e condução de toda
empresa: a estratégia não é apenas um mapa, mas ela define as características da empresa e
do negócio, a maneira como ele é conduzido e onde ele deve chegar. A estratégia trata
diretamente da essência da empresa.
É justamente por falta de uma estratégia sólida que muitas empresas ficam pelo caminho ou
mudam com uma frequência desnecessária: são empresas que ainda não definiram
claramente quem são, para onde estão indo e de que forma farão isso.

Obviamente, a estratégia empresarial não é o único fator que determina quem a empresa é e
se alcançará o sucesso almejado. Contudo, o desenvolvimento e a execução de uma estratégia
adequada aos objetivos podem impulsionar os resultados.

Se você quiser saber como uma consultoria empresarial pode auxiliar na elaboração de uma
estratégia, veja neste link.

Como a estratégia empresarial pode impulsionar os resultados

Uma analogia simples pode ajudar a compreender como a estratégia empresarial impacta nos
resultados. Você sabe como construir um armário desde o início? Sabe quais são as
ferramentas e os materiais necessários? Sabe quanto tempo durará esse trabalho? Sabe quais
são os contratempos mais comuns de acontecerem? De certo, um especialista em construção
e montagem de móveis responderá a essas perguntas e executará o trabalho com muito mais
eficiência e eficácia do que um leigo no assunto, pois ele possui o conhecimento, o preparo e a
experiência.

A estratégia empresarial é essa preparação, é traçar o caminho antes de percorrê-lo, é se


preparar para os contratempos, é reunir as ferramentas, pessoas e informações necessárias. E
com certeza, as empresas que fazem isso, alcançarão os seus objetivos com muito mais
eficiência e eficácia do que aquelas empresas que não tiveram o mesmo cuidado.

A estratégia impulsiona os resultados pois torna a empresa menos frágil aos desafios do
mercado e é sempre um guia seguro para seguir adiante e não mudar os planos a cada
pequena novidade que surge.

É preciso, portanto, possuir uma estratégia bem elaborada, baseada em dados e informações
cuidadosamente coletados e analisados, e totalmente orientada para o alcance dos objetivos
definidos.

O acompanhamento do mercado
Outro fator determinante é possuir uma estratégia atualizada e adequada. Há empresas que
investiram tempo e recursos na elaboração de uma estratégia, mas o tempo passou, o
mercado mudou e a estratégia não foi revista. Apenas ter uma estratégia não é o suficiente.

É fundamental que a empresa acompanhe o mercado e identifique movimentos que podem


impactar o seu negócio. E se for necessário, revise a sua estratégia.

Para compreender melhor a importância de acompanhar o mercado, acesse o e-book: Razões


para monitorar o mercado.

Posted by CONSULTOR INTELLIPLAN in ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

01

JUN

2016

Como enfrentar a crise: 5 razões para escolher o e-commerce


Basta abrir as
páginas dos portais de notícias que fica cada vez mais nítida a grande instabilidade política e
econômica vivida pelo Brasil, impactando consideravelmente o mercado de vários segmentos.
No entanto existem alguns setores que continuam faturando e um dele é o e-commerce.

De acordo com o WebShoppers, relatório anual divulgado pelo E-Bit, o faturamento do setor
em 2015 chegou a R$ 41,3 bilhões e sua média de crescimento anual desde 2011 é
aproximadamente de 20%, um número otimista que ilustra claramente a boa sucessão do
setor.

Independente de crise, é sempre indispensável entender as novas tendências do mercado e os


resultados apresentados para que você possa tomar decisões de forma assertiva em seu
negócio. Mas o que isso quer dizer? Isso quer dizer que agora você já sabe como enfrentar a
crise, adotando o e-commerce em seu negócio. Para ficar mais claro separamos algumas
razões pelas quais você deveria seguir este caminho:

1 – Ter uma loja virtual é fácil e acessível

A implantação de uma loja virtual há alguns anos atrás era um grande desafio para as
empresas. Porém as coisas mudaram! Atualmente existem diversas empresas que prestam
serviços de criação de loja virtual e algumas delas se preocupam um pouco mais com o
processo, cuidando da implantação até o suporte e manutenção. Como enfrentar a crise:
devido à grande concorrência, os valores praticados para estes serviços se tornaram mais
acessíveis e demanda uma curva de aprendizagem cada vez menor. Mas antes de tudo
saiba como escolher a plataforma de e-commerce, pois isso pode ser determinante para o
sucesso da sua operação.

2 – Otimização de produtividade

Em tempos de mercado aquecido e boas vendas é comum não haver grande preocupação em
relação à otimização de processos, embora este desleixo custe dinheiro. Em tempos de crise,
essa falta pode representar um agravante para a longevidade do negócio. Como enfrentar a
crise: neste caso, o e-commerce entra como uma forma de aumentar a produtividade. É como
se sua empresa estivesse abrindo uma filial com funcionamento 24/7 e sem a necessidade de
contratar vendedores. Aliás, inicialmente você vai precisar pelo menos de um gerente para
cuidar dos pedidos e da logística, para que nada aconteça fora do planejado.

3 – Chega de cliente chato! Chega de vendedor chato!

Essa polêmica é bem antiga! O consumidor normalmente quer ver os produtos com calma,
tirar dúvidas, pensar, analisar, experimentar, pensar mais um pouco para só então finalizar a
compra. Entretanto, alguns perfis de consumidores sentem-se inibidos pela atuação de
vendedores que podem deixá-los não muito à vontade e consequentemente o processo de
consideração da compra pode ser prejudicado. Por isso é tão importante entender
o comportamento do consumidor e como isso impacta nas suas vendas. Como enfrentar a
crise: ao comprar pela internet, o consumidor tem todo o tempo do mundo para se decidir e
ainda consegue fazer comparações entre produtos para ter uma melhor noção de custo-
benefício.

4 – Marketing digital mais efetivo

Estratégias de marketing bem realizadas geram bons resultados. Entender as necessidades do


seu público-alvo e trabalhar em função delas é determinante para se ter um negócio de
sucesso. Como enfrentar a crise: quando o negócio é digital, algumas estratégias de marketing
são melhores aplicadas e apresentam grande efetividade pois a loja virtual pode ser acessada
de qualquer lugar, por qualquer pessoa e a compra pode ser realizada a qualquer momento.
Toda esta flexibilidade torna o processo de aquisição mais rápido. Mas lembre-se que antes de
qualquer coisa, seu negócio precisa ter uma estratégia de vendas bem planejada.

5 – Fidelização potencializada

Os consumidores que gostam de um produto ou serviço prestado tendem a repetir a


experiência de compra. Para isso é importante entender bem o comportamento do
consumidor e ter um cuidado especial com ele com o seu cliente, afinal você quer (e precisa)
que ele volte e compre outras vezes. Melhor que isso, você quer que ele indique sua empresa
a todos os amigos e familiares. Como enfrentar a crise: saiba que na internet esse cenário é
ainda mais propício, pois para voltar à loja é fácil, basta acessar um link e para indicar bastam
alguns cliques e sua empresa estará espalhada pelas redes sociais.

Enfim, seja criativo para identificar como enfrentar a crise

Pense fora da caixa. Aliás, aumente a caixa! Aumente os canais. Se você tem um negócio físico
que tem capacidade para atender 100 clientes por dia, com o e-commerce você pode elevar
esse número ao infinito, pois não há limitação de atendimento nem horário de funcionamento.
Além disso você terá a flexibilidade de criar diversos tipos de campanhas promocionais, como
“pague dois e leve três”, cupons de desconto, sorteios, frete grátis. Mas não se esqueça de
fazer com que as ofertas cheguem aos ouvidos da massa.

Agora que você já sabe quais são as grandes vantagens de ter uma loja virtual, não tem porque
ter medo. Se você está trabalhando para encontrar maneiras de como enfrentar a crise, o e-
commerce é, sem dúvidas, umas das melhores alternativas da atualidade!
Sobre o autor

A JN2 e-commerce expert, com mais de 10 anos de experiência em e-commerce Magento, tem
a missão de ajudar empreendedores a ter um negócio online, oferecendo não só a criação da
loja virtual, mas também Suporte Técnico, atendimento de Sucesso do Cliente e consultoria
para Otimização de Vendas.

Posted by CONSULTOR INTELLIPLAN in ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

31

MAIO

2016

7 motivos para ter um e-commerce


Em tempos de crise
sempre pensamos duas vezes se devemos ou não abrir um negócio. Administrar uma empresa
não é tarefa fácil, isso é de comum conhecimento, mas o e-commerce tem se mostrado há
muito tempo uma ótima opção para quem quer investir.
Lojas virtuais possuem várias vantagens que uma loja física não tem. Esse estilo de negócio só
tem se fortalecido com a evolução da internet e você pode, e deve, se aproveitar desse
cenário. Abaixo listamos 7 motivos para você investir em um e-commerce e colocar nos trilhos
a criação de sua loja virtual.

1 – Mercado em expansão

O comércio eletrônico tem se expandido no mundo e no Brasil a cada ano. Apesar do cenário
econômico e político do nosso país, é esperado um crescimento de 8% nos e-commerces em
2016, atingindo uma marca de R$ 44,6 bilhões.
O E-bit, empresa que monitora toda a movimentação de lojas virtuais no Brasil, diz que
podemos esperar um tíquete médio maior do que ano passado. Se em 2015 tivemos R$
388,00, esse ano é possível que esse número suba para R$ 419,00.

2 – Investimento menor

Uma loja virtual exige investimento, mas ele é menor do que aquele que você teria com uma
loja física. Na internet você não precisa se preocupar com tantos fatores físicos e recursos
humanos. Tenha em mente que será necessário encontrar um domínio (um endereço virtual)
para seu negócio, uma plataforma para a loja (essa é uma parte que merece atenção, pesquise
sobre as diversas plataformas, como o Magento), criá-la, definir como serão os pagamentos e
cadastrar os produtos. Os passos podem aumentar, mas seu custo não se comparará ao de
uma loja física.

3 – Funcionamento 24 horas

Sua loja vai funcionar a todo momento e não somente em horário comercial. Isso é uma
facilidade incrível para os clientes e também para você, que não deixa de vender e aumenta
seu volume. O horário de envio de produtos, recebimento de pedidos e tudo o mais é feito
somente nos horários estabelecidos por você, mas as vendas acontecem a qualquer instante.

4 – Custo de manutenção

Uma loja virtual não tem gastos com água, energia, equipe, segurança, ou seja, tudo aquilo
que uma loja física tem. Além disso, alugar um local não é barato e é um gasto que você
precisa colocar na sua planilha mensalmente. Em um e-commerce, por exemplo, seu
investimento em um plano de negócios não se compara com o valor de uma locação. Para que
esse custo continue menor, você precisa saber muito bem sobre a empresa que cuidará de
sua loja virtual.

5 – Vendas para todo o Brasil

Sua loja virtual pode atender qualquer região que você desejar. Você pode escolher por vender
apenas em seu estado e nos estados vizinhos ou comercializar para o Brasil inteiro. É
necessário pensar na logística, mas após resolvido isso, sua marca chega em todos os cantos.
Isso permite um fortalecimento do seu negócio.

6 – Acompanhamento otimizado

Quando você escolhe um bom sistema para sua loja virtual, muitas informações chegam em
suas mãos. Você consegue acompanhar com facilidade como está o seu estoque, o
faturamento do seu e-commerce, gerar os mais diversos relatórios (volume de vendas,
satisfação dos clientes, visitas do seu site, eficiência no trabalho dos fornecedores). Tudo isso
de uma forma mais fácil, rápida e prática, sem tantos papéis espalhados na mesa.

7 – Canal democrático

O e-commerce é um canal democrático para você inserir o seu negócio. A internet permite que
pequenas ou médias empresas tenham um grande número de oportunidades, algo que seria
limado em um ponto físico extremamente concorrido. Você deve entender bem seu produto,
divulgá-lo de maneira inteligente e aproveitar as oportunidades que o espaço virtual te
oferece.

Vá além

Ficou mais confiante em tirar do papel seu projeto de montar uma loja virtual? Aprofunde-se
mais no assunto e baixe o e-book 7 passos para abrir uma loja virtual. Ele traz informações
vitais para seu e-commerce ser implementado. Qualquer dúvida é só encontrar em contato
com a Multiweb.

Sobre a Multiweb

A Multiweb Digital foi criada em 2003 e se tornou uma agência digital em 2006. Trabalhamos
com a plataforma Magento desde suas primeiras versões e fomos responsáveis pelo primeiro
projeto de loja virtual dessa plataforma em Minas Gerais. Nosso trabalho também inclui
consultoria para o desenvolvimento de novos negócios digitais. Nossos projetos visam a
conversão de vendas.
Posted by CONSULTOR INTELLIPLAN in ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

20

MAIO

2016

A importância de medir o desempenho da empresa

Medir o
desempenho da empresa é fundamental para o sucesso e a boa gestão. Não se trata apenas
de uma boa prática gerencial, mas de uma ação necessária para saber se a empresa está
trilhando o caminho desejado, quanto ainda falta para alcançar os objetivos e para realizar os
ajustes necessários.
E na maioria das situações, sem muito esforço, é possível começar a medir o desempenho a
partir das informações e ferramentas que já estão disponíveis na empresa. É importante,
porém, criar uma cultura que priorize a avaliação do desempenho organizacional.

Vamos nesse artigo entender a necessidade (por que?), o objetivo (para quê?) e os meios
(como?) para medir o desempenho da empresa.

Por que medir o desempenho da empresa

Toda empresa tem (ou deveria ter) uma estratégia de crescimento formulada e
documentada. Essa estratégia define não somente aonde a empresa quer chegar, mas
também os meios que serão utilizados e o caminho que será percorrido para alcançar os
objetivos. Sabendo, portanto, onde a empresa está (o hoje) e onde ela deseja está (o futuro), é
preciso que continuamente ela verifique o quanto já está mais próxima do objetivo. Do
contrário, não haverá clareza e segurança quanto aos rumos da empresa, e tampouco os
ajustes necessários poderão ser realizados.

É necessário medir o desempenho da empresa pois é dessa forma que os sócios, diretores e
todos os gestores saberão se o trabalho que está sendo executado está, de fato, conduzindo a
empresa para o objetivo definido.

Para que medir o desempenho

O desempenho medido não serve apenas como mera informação (muitas empresas até
medem o seu desempenho e sabem dizer como estão se saindo mês a mês, mas nenhuma ou
pouca ação de melhoria é tomada). A partir das informações obtidas deve ter início um
processo contínuo de melhoria: quais resultados não foram satisfatórios e devem ser
melhorados? Como fazer isso? Quais resultados estão satisfatórios mas que podem ser
impulsionados ainda mais? Houve oscilação do decorrer do tempo? As análises que podem ser
feitas, seguidas da ação de correção ou melhoria, são inúmeras.

Portanto, tão importante quanto ter o desempenho medido é fazer uso dessas medições. São
informações que, quando exploradas, revelam muito sobre a situação da empresa.

Como medir o desempenho organizacional

O primeiro passo para uma empresa medir o seu desempenho é saber, ao certo, o que quer
medir. Geralmente, as empresas fazem a sua avaliação de desempenho a partir dos números
financeiros e contábeis. Isso é bom e necessário. Porém, há muito mais que pode ser avaliado.

Além de todos os indicadores financeiro-contábeis, é possível medir, por exemplo, o


desempenho das ações de marketing (como a geração de leads), a eficácia do departamento
comercial (visitas, propostas comerciais e vendas), os ganhos do departamento de compras
(como as reduções de preço alcançadas), entre outros. De maneira objetiva, tudo aquilo que
pode ser mensurado poderá então ser medido e acompanhado. É fundamental, portanto, que
a empresa registre as informações e tenha facilidade em acessá-las.

Para analisar o desempenho organizacional, uma vez que se têm as informações necessárias,
uma planilha eletrônica já é o suficiente. Organizando os dados coletados por mês, por
exemplo, é possível visualizar o desempenho da empresa no decorrer do tempo e, a partir
desses dados, realizar análises mais profundas.
Contudo, isso se torna ainda mais fácil se a empresa faz o uso de sistemas de gestão, como os
ERP, CRM e outros. Normalmente esses softwares – inclusive aqueles que operam na nuvem –
geram relatórios interessantes que permitem avaliar o desempenho da empresa.

Realizando uma avaliação da situação da empresa

O ponto de partida de tudo isso pode ser realizar uma análise da situação de toda empresa.
Esse diagnóstico empresarial ajudará a identificar gargalos, os indicadores já existentes e
aqueles que seriam interessantes criar, além de definir as informações que precisam e podem
ser coletadas para medir o desempenho.

Para realizar essa avaliação, faça o download do e-book desenvolvido pela Intelliplan
Consultoria Empresarial: Guia Rápido para Diagnóstico Empresarial.

Pequenas empresas – O que fazer na crise

Estamos em um
ano de crise. E o que a sua empresa está fazendo em relação a isso?

Estamos em um momento de crise no país. Isso não é novidade para ninguém. De acordo com
o Fundo Monetário Internacional o Brasil deve sofrer uma retração de 3.5% no PIB em 2016. É
uma realidade que provavelmente sua empresa está enfrentando, como a minha também
está. E a verdade é que como brasileiros estamos todos no mesmo barco.

E o que você faz para contornar esta situação? Corta custos, claro! Elimina tudo que pode ser
considerado supérfluo. Talvez chegue até a demitir uma parte da equipe. É uma fase, você diz,
logo logo tudo vai se normalizar. Mas será que você está realmente atacando a origem do
problema?

E por que algumas empresas brasileiras continuam crescendo em duplo dígito/ano (ou até
por mês como é o caso da Nubank), apesar do cenário doméstico indicar que deveria
acontecer o oposto?

Um funcionário americano produz o equivalente a quatro brasileiros.

De acordo com o Conference Board são necessários quatro trabalhadores brasileiros para
alcançar o mesmo nível de produtividade de um norte americano. A produtividade do
trabalhador é uma relação entre o PIB do país e o total de empregados.

É claro que a infraestrutura do país, a alta carga tributária, a crise de governabilidade e todo o
cenário macroeconômico impactam neste resultado. Mas sabe qual é um dos principais vilões?
O nível educacional do brasileiro. E seguido pelo treinamento e qualificação dos empregados.

E o que você está fazendo para aumentar a produtividade da sua empresa?

O brasileiro recebe em média 30 horas de capacitação por ano, versus 120 – 140 de um norte-
americano. Em paralelo: um brasileiro estuda em média sete anos, em muitos casos nem
completa o ensino fundamental.

E o que você está fazendo para melhorar estes índices? Talvez a origem do problema da sua
empresa seja a falta de treinamento, que reverbera em retrabalho, processos pouco
articulados e operacionais, etc.

Uma boa opção para resolver este problema é contratar uma consultoria para mapeamento de
processos, identificação de gargalos e treinamento de equipe.

Uma outra boa opção, que envolve poucos custos, é apostar na automatização de processos,
que pode custar muito menos do que você imagina. E o melhor, sem precisar de uma super
equipe de desenvolvimento. Na verdade, sem precisar escrever uma única linha de código.

Automatização de processos para não-técnicos

Existe um mundo a parte de empresas que possuem infraestrutura de servidores própria,


custos altos de configuração de sistemas, custos de treinamento em SAP ou Oracle. Um mundo
de sistemas complexos e customizados. Esse é o mundo das grandes empresas. Um mundo
que demora mais a se habituar a inovação, que transpira burocracia e processos inchados.

E existe o mundo das pequenas empresas, em que a inovação faz parte do próprio DNA.
Inovação que pressupõe novidade, que naturalmente pressupõe agilidade. As startups que
mais crescem no Brasil entenderam isso e focam todo o esforço no que realmente importa.
Elas automatizam os processos operacionais e desenvolvem apenas o que é de interesse do
foco do negócio.

E aí surgiram as ferramentas integradoras, como o caso da Pluga e o IFTTT. Estas ferramentas


permitem ao usuário comum fazer uma série de integrações sem saber programar ou mexer
em APIs. De uma forma bastante intuitiva, é possível fazer diversas dessas ferramentas
comunicarem entre si, tais como Google Drive, Slack, Typeform, MailChimp, Trello, RD
Station e diversos CRMs. Imagine o seguinte: ao integrar o seu meio de pagamento online com
o NFe.io, você pode automatizar o processo de emissão de Nota Fiscal Eletrônica de Serviço.
Ou para cada formulário preenchido no Typeform já cadastrar o usuário direto em uma lista do
MailChimp.

Ferramentas de conectividade já fazem parte do dia-a-dia das startups mais produtivas do


Brasil como Nibo, Get Ninjas e MacMagazine. E a sua empresa, vai ficar fora dessa?

Sobre o autor

Marcus Ribeiro é entusiasta de novas tecnologias, empreendedor e CEO


da Pluga.

Posted by CONSULTOR INTELLIPLAN in ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

29

ABR

2016

5 dicas para uma pequena empresa ser mais competitiva


A disputa por fatias
do mercado e pelos consumidores está cada dia mais acirrada. E é um desafio ainda maior
para uma pequena empresa (que possui menos recursos) ser mais competitiva. O fato é que
não fazer nada para ser mais competitivo já é retroceder; se muitas empresas estão
aprimorando o seu negócio, aquelas que não estão fazendo-o logo ficarão para trás. Não é
preciso cometer um grande erro para deixar de ser competitivo, basta não agir em prol do
crescimento da empresa.

Vamos nesse artigo expor 5 dicas para tornar uma pequena empresa mais competitiva. Você
pode ainda saber mais sobre o assunto através do material: Como aumentar as vendas com
consultoria de mercado.

Dica #1 – Conheça os seus clientes e concorrentes para ser mais competitiva

Cada vez mais o atendimento e a oferta de produtos e serviços se tornam personalizados. Os


consumidores querem receber algo feito para eles, de acordo com as suas necessidades, e não
algo feito para todos. Por isso, uma empresa para ser mais competitiva precisa conhecer a
fundo os seus clientes.

E o mesmo se pode dizer sobre os concorrentes: competir sem conhecer quem está buscando
os mesmos objetivos que você é um risco enorme. Quando uma empresa conhece os seus
concorrentes e mantém esse conhecimento atualizado, ela se torna mais competitiva pois
possui informações que a ajudarão a tomar decisões no tempo correto para não ser
surpreendida. Afinal, com o aumento dos concorrentes, os consumidores passam a ter mais
opções de escolha antes de contratar um serviço ou comprar um produto, e daí a importância
de concorrer as ofertas que seus concorrentes fazem.

Dica #2 – Se adapte à realidade

Muitas empresas querem sobreviver e crescer hoje agindo da mesma forma que agiam no
passado. O mercado evoluiu, as pessoas mudaram, as tecnologias proporcionam agora novas
possibilidades. Se quer ser mais competitivo, esteja de acordo com o que a realidade atual
pede.

Não se trata aqui de ser a empresa mais moderna do seu segmento, mas sim de deixar para
traz tecnologias, práticas de gestão e de estratégia, formas de atuação comercial e de
atendimento ao cliente, entre outras ações, que não são mais condizentes com o mundo atual.
E se o seu concorrente também sobrevive preso ao passado, pode ser um bom momento para
a sua empresa sair na frente e dar um salto na competitividade.

Dica #3 – Se prepare para as tendências

Atualmente já existem soluções para monitorar o mercado e acompanhar tudo o que está
acontecendo e o que está por vir. Uma pequena empresa com alta competitividade é aquela
que também se prepara para as novidades que estão surgindo (ou, quem sabe, é aquele que
propõe novidades para o seu mercado).

É preciso que o pequeno empresário e todos os gestores da empresa estejam atualizados


sobre o que está previsto para o seu segmento, como ele pode impactar o mercado e a sua
empresa, e comece a se preparar para isso. Com isso a sua empresa se torna mais ativa e
menos reativa.

Dica #4 – Revise o seu modelo de negócios

Talvez a forma como você busca, propõe, constrói e mantém negócios já não seja tão
adequado. Muitas pequenas empresas possuem um produto ou serviço de qualidade e atual,
profissionais competentes e boa estrutura, mas querem vender e tratar o mercado da mesma
forma que há 30 anos.

Obviamente, não é fácil deixar um modelo de negócio que a empresa utiliza há anos (e nem
sempre ele precisa ser totalmente renovado). Mas é necessário revisá-lo para saber até que
ponto ele continua atual e coerente.

Dica #5 – Invista em inovação

Se queres ser competitivo, inove. E inovar não significa inventar algo totalmente novo ou
mudar totalmente um conceito: a inovação por ser com pequenas mudanças. As empresas
mais competitivas são aquelas que estão continuamente buscando novas oportunidades e
identificando como os produtos, serviços e negócios podem ser melhorados.

É preciso sair da zona de conforto, quebrar paradigmas e enxergar além da realidade vivida
pela empresa. A criatividade está envolvida nesse processo, mas se trata muito mais de
pesquisar, analisar, descobrir o que está acontecendo e o que o mercado está demandando.

Revisando o plano de negócios

Em resumo, para uma empresa ser mais competitiva é preciso, por vezes, revisar o plano de
negócios. Isso porque o engano de muitos empresários é pensar que um plano de negócio
deve ser utilizado apenas na construção de novas empresas, e não serve para empresas que já
estão em funcionamento.
Ao contrário, o plano de negócio é uma excelente ferramenta para repensar um negócio já
existente, tornando-o mais coerente com a realidade atual e preparando-o para lidar com o
que está por vir.

Por isso, a Intelliplan Consultoria Empresarial desenvolveu o e-book: Como elaborar um


plano de negócio. Basta acessar e fazer o download!

O importante é buscar continuamente o crescimento e o aumento da competitividade. Parar


de lutar é um risco muito grande para uma pequena empresa.

Posted by CONSULTOR INTELLIPLAN in ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

20

ABR

2016
Qual a estratégia da sua empresa para crescer?

Toda empresa
deseja crescer. Mas nem toda empresa sabe como tornar isso uma realidade. E aqui não
estamos falando de falta de recursos, limitação de investimentos ou mercado desfavorável. A
grande consideração é que muitas empresas querem crescer mas não possuem uma estratégia
para isso, não planejaram o seu crescimento.

Vamos explorar nesse artigo a importância de uma estratégia empresarial para o crescimento
saudável e vertiginoso.

A busca contínua pelo crescimento

Na maioria das vezes, o crescimento está diretamente relacionado com a sobrevivência da


empresa. Como as empresas não vivem de forma isolada e as demais empresas estão
buscando ser competitivas, além das mudanças no mercado, não crescer pode significar ser
engolido ou ficar pelo caminho.
Ainda que o mercado não esteja em um momento fácil para o crescimento das empresas, a
busca do empresário deve ser o crescimento, e não apenas como se manter. Responder a
pergunta “como crescer?” é diferente de responder sobre “como manter?”. Porém, aquele
que está crescendo, está mantendo a sua existência; mas nem todos os que se mantém estão
crescendo, e aí existe o risco para o negócio.

Ao buscar continuamente formas de crescer, ainda que o resultado concreto leve algum
tempo para aparecer, a empresa concentra os seus recursos no “mais“: mais negócios, mais
oportunidades, mais clientes, mais análises, mais buscas, mais tentativas. Quando as pessoas
dentro de uma empresa entram na zona de conforto e deixam de buscar esse “mais” perde-se
o potencial que há em cada um de criatividade e construção de novas soluções. E o que uma
empresa precisa para crescer é justamente dessa criatividade e capacidade de inovação.

Daí a importância dessa pergunta: sua empresa está buscando crescer ou apenas se
esforçando para manter-se?

Crescer sem estratégia?

À medida que uma empresa assume essa postura de crescimento contínuo – independente do
quanto o mercado apenas mostra cenários negativos – outra pergunta deve ser respondida:
qual a estratégia da empresa para crescer?

É grande o número de empresas que não possuem uma estratégia formal para impulsionar o
crescimento. Muitos empresários acabam por confundir o desejo de crescer e os palpites de
possíveis soluções com uma estratégia.

Não deixe de conferir o artigo: A importância da estratégia para a pequena empresa.

Para crescer de maneira consistente, sólida e segura é preciso uma estratégia empresarial bem
elaborada. Uma estratégia que tenha analisado os dados de mercado, as tendências, levantado
as possibilidades e considerado os riscos e oportunidades de cada uma delas, e diversas outras
ações, todas de acordo com os objetivos que a empresa quer alcançar no curto, médio e longo
prazos.

Cada vez mais o mercado se torna competitivo e novos concorrentes surgem. Também os
consumidores parecem mudar o seu comportamento com uma frequência maior do que há
poucos anos. E essas mudanças constantes exigem uma estratégia sólida. Do contrário, a
empresa será levada conforme os ventos soprarem, e nem sempre os ventos sopram na
direção desejada pelos empresários.

Uma estratégia de crescimento atual e revisada

Algumas empresas, ao contrário, possuem uma estratégia. Foi elaborada com qualidade e vem
orientando os negócios. Porém, está desatualizada, não foi revisada recentemente.

Toda estratégia necessita de revisão periódica. As pessoas, as empresas, o mercado e as


situações mudam e aquilo que foi definido pode não surtir mais o efeito desejado.
Supondo que você queira ir de carro de São Paulo até Campinas. Você então elabora a sua
estratégia: avalia todas as rotas possíveis, os custos, o tempo, e escolhe aquela que é mais
adequada. Na data programada, você começa o seu trajeto. Na metade do caminho, porém,
você descobre que uma das rodovias está interditada, e terá que tomar um caminho até então
não previsto. Será preciso revisar a sua estratégia, pois um caminho novo significa uma nova
duração de viagem, alteração nos custos, e muitos outros fatores.

Da mesma forma com a estratégia empresarial: se uma estratégia foi elaborada em 2014 para
o período de 5 anos, é bem provável que até o ano de 2019 aconteçam situações não
previstas. Isso pode até não mudar o objetivo final, mas pode exigir revisar o caminho a ser
percorrido.

Vale a pena pedir ajuda?

Possuir e executar uma estratégia empresarial traz muitos benefícios para as empresas.
Justamente por isso deve haver o cuidado no desenvolvimento da estratégia.

Se, por um lado, cada empresa é inteiramente responsável por sua estratégia (não é algo que
possa ser terceirizado, pois faz parte da essência de todo negócio), por outro, ela pode contar
com a ajuda de profissionais experiências nesse tipo de atividade. E uma das opções
é contratar uma consultoria empresarial.

A Intelliplan Consultoria Empresarial atua diretamente com micro, pequenas e médias


empresas ajudando-as a desenvolver suas estratégias de crescimento, através da área
de Estratégia Empresarial. Aproveite para conhecer!

Posted by CONSULTOR INTELLIPLAN in ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

18

ABR
2016

A importância da estratégia para a pequena empresa

A pequena
empresa, tal como as empresas de qualquer porte, deseja consolidar o seu negócio e crescer.
A pergunta a se fazer é: qual a estratégia que está sendo seguida para alcançar esse objetivo?
Existe essa estratégia?

A realidade vivida pela pequena empresa envolve muito dinamismo e poucos recursos, e
justamente por isso é necessário um plano orientador para alcançar os objetivos. Infelizmente,
muitas pequenas empresas negligenciam essa atividade e tornam-se puramente operacionais,
permitindo que as ações sem planejamento as levem para algum lugar, e não que um
planejamento prévio oriente as ações para que elas conduzam a empresa a um lugar
determinado.

Vamos explorar nesse artigo a importância da estratégia empresarial para a pequena


empresa, e como ela pode iniciar ou aprimorar a sua estratégia.

As diversas situações vividas pela pequena empresa

Se observarmos com atenção, constataremos que no dia-a-dia de uma pequena empresa uma
série de atividades são realizadas e decisões são tomadas e, muitas vezes, sem ter uma direção
comum para onde tudo aponta. Em outras palavras, muitas situações são vividas tendo em
vista apenas o presente, o momento atual, e não o futuro e como aquela ação pode impactar
positivamente ou negativamente nos negócios da empresa.
Isso é observado tanto no ambiente interno, em tudo o que deve ser administrado e
executado, como também na atuação externa, na maneira como a empresa se relaciona com
os clientes, concorrentes e com o mercado em geral. A falta de um plano orientador gera
ações desvinculadas e, por vezes, maléficas para o futuro da empresa, e se que só serão
percebidas com o passar do tempo.

Uma compra maior pode ser interessante no momento, mas causar impacto negativo no
futuro da empresa; uma ação de marketing pode ser muito atraente no hoje, mas corre o risco
de encaminhar a empresa para uma direção que ela não gostaria e que só perceberá no futuro
(pela ausência da estratégia); a contratação ou demissão de funcionários pode ser uma medida
para a solução de problemas pontuais, mas que pode gerar problemas ainda maiores no
futuro. E assim poderíamos discorrer por todos os departamentos da empresa.

Em meio às muitas mudanças que o mercado e a pequena empresa sofrem em um curto


espaço de tempo, ter um plano que dita os objetivos e os meios de alcançá-los pode fazer toda
a diferença para o sucesso e segurança da empresa.

Por que é importante uma estratégia?

A estratégia empresarial surge então como a ferramenta, a base, o fundamento para o


crescimento da pequena empresa. A estratégia não é importante somente para cumprir boas
práticas de administração, mas é de fato algo bom para a empresa: durante o
desenvolvimento da estratégia, a empresa amplia o seu conhecimento sobre o mercado e
toma decisões mais coerentes, e durante a execução, a empresa sabe que estará pisando em
um solo firme e toda a empresa pode caminhar em uma mesma direção.

Se o seu sonho pessoal é ir para a Disney, é preciso então planejar como e quando isso
acontecerá e trabalhar para que o sonho se torne realidade.

Da mesma forma, se sua empresa pretende crescer 50% nos próximos 3 anos, é preciso
planejar como isso acontecerá. E esse planejamento não deve ser superficial; mas, ao
contrário, deve coletar e analisar informações para que o caminho escolhido e as decisões
tomadas sejam realistas e sejam, de fato, a melhor escolha.

Ter uma estratégia empresarial não é um luxo apenas para as grandes empresas, mas deve ser
uma prioridade para todas as empresas.

Como iniciar o desenvolvimento de uma estratégia?

A primeira questão a ser analisada e respondida é se sua empresa está em condições de


elaborar essa estratégia com os recursos que já possui (pessoas, experiências, conhecimentos,
tempo, etc.). Para ajudar, veja este artigo: Contratar uma consultoria ou realizar o trabalho
internamente?

Por vezes, desenvolver uma estratégia é um processo denso e que envolve muita pesquisa,
análise e tomada de decisões. Não é algo que se realiza em poucos dias e não deve ser
superficial. Não basta ter uma estratégia apenas para dizer que tem, mas é importante ter uma
estratégia que realmente colabore para o desenvolvimento do negócio.
Em uma estratégia uma série de fatores deve ser considerada:

 O negócio da empresa e sua composição;

 Os produtos e serviços oferecidos;

 Os concorrentes diretos e indiretos;

 Os clientes, potenciais clientes e os não-clientes;

 Os fornecedores e parceiros;

 As ações de marketing e comerciais;

 As pessoas envolvidas;

 O planejamento financeiro e de captação de recursos;

 Os riscos e as oportunidades envolvidas no negócio;

 O cronograma de implantação;

 Entre outros.

O principal ponto de partida para iniciar uma estratégia é os sócios, administradores e gestores
da empresa se convencerem da necessidade e da importância desse trabalho. Do contrário,
ainda que uma estratégia seja desenvolvida, depois ela ficará na gaveta, pois a consciência e a
cultura da empresa não favorecem a presença e a execução da estratégia.

O auxílio de uma consultoria empresarial

Sabendo da importância de possuir uma estratégia empresarial bem elaborada, muitas


empresas (inclusive pequenas empresas) recorrem ao auxílio de uma consultoria empresarial.

Veja o material: Por que contratar uma consultoria empresarial?


Há empresas de consultorias especializadas em pequenas empresas e que oferecem o serviço
de desenvolvimento de estratégias. Uma dessas empresas é a Intelliplan Consultoria
Empresarial, através da sua área de Estratégia Empresarial.

O importante é o pequeno empresário não deixar que a sua empresa seja levada pelos ventos,
mas que assuma o controle da empresa e dite o caminho que ela deve seguir. E esse caminho
e a forma de percorrê-lo são determinados e instruídos através da estratégia empresarial.

Posted by CONSULTOR INTELLIPLAN in ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

13

ABR

2016

Outbound ou inbound marketing? Qual o ideal para uma pequena empresa?


Outbound ou
inbound marketing? Qual a melhor opção? Primeiramente devemos levar em consideração
que o marketing envolve mais do que simples estratégias. Ele está relacionado com percepção
de valores, relações e conteúdos de qualidade. Não basta ter clientes, é necessário atrair fãs,
que sigam e acreditem em seu negócio.

Para desenvolvermos uma estratégia digital que atenda ao interesse das pessoas como um
todo é necessário considerarmos todas as alternativas disponíveis no mercado e decidir qual
ou quais atingirão o seu público de forma eficiente (e vale lembrar que a estratégia digital deve
estar vinculada à estratégia empresarial).

Por isso, neste post faremos uma comparação direta entre o outbound e o inbound marketing
e esperamos que no final você possa ter uma visão mais clara sobre qual será o melhor para o
seu modelo de negócio.

O que é outbound e inbound marketing?

Quando se trata de gastos em marketing, existem duas formas de considerar o outbound e o


inbound marketing. Embora as empresas possam utilizar as duas estratégias, é sempre bom
levar em consideração os prós e contras de cada uma.

O outbound marketing é aquele que estamos mais acostumados. É o tipo de marketing


tradicional em que o cliente é abordado diretamente pelo vendedor. É quando a empresa
utiliza certos meios de comunicação como TV, rádio, outdoors, telemarketing e outras mídias
pagas para tentar convencer o cliente.

O custo desse tipo de marketing pode ser bem mais caro do que o inbound marketing. Além de
o processo ser bem mais longo, pois esse tipo de marketing envolve desde pesquisas,
prospecção de clientes, apresentação do produto ou serviço, ele ainda pode passar por um
longo período de negociação até se chegar à efetivação da venda.

Já o inbound marketing pode ser qualquer estratégia de marketing digital utilizada para ganhar
a atenção das pessoas de forma espontânea e sem pressão. Você faz sua parte, que é estar
presente no lugar certo e na hora certa, e o cliente o encontra.

Ele se baseia na produção de conteúdos de qualidade que atraiam a pessoa para seu negócio.
Ou seja, há um alinhamento entre o conteúdo que você publica com o interesse do cliente.
Você consegue atrair tráfego naturalmente e a partir daí pode haver a conversão desses leads
em clientes potenciais.

Quais as principais diferenças de estratégias do inbound e outbound marketing?

O outbound marketing utiliza estratégias de interrupção, e-mail direto, cold call, contato
direto, enfim, estratégias sem muita preocupação se o cliente está ou não disposto a receber o
que você tem a oferecer.

O inbound marketing traz características como estratégias de SEO ou SEM, marketing de


permissão, relacionamento iniciado espontaneamente através de vários canais como blogs e
consumo de conteúdos relevantes.

Qual é então a melhor estratégia de marketing para minha empresa?

A melhor estratégia para a sua empresa dependeria de uma análise (e até uma consultoria)
mais aprofundada. Mas o que podemos dizer é que o inbound marketing vem mudando a
mentalidade de muitas empresas em relação à forma de divulgação da sua marca.

Essa mudança de paradigma tem sido bastante positiva, principalmente para as pequenas e
médias empresas que não possuem um grande orçamento para ser utilizado em marketing
tradicional, devido ao custo.

Além do mais, o inbound marketing possibilita uma análise digital bastante mensurável e
orientada para resultados (o que exige bastante atenção por parte da empresa, pois esta
estratégia demanda monitoramento constante para que seja de fato mais eficaz). O custo-
benefício é bastante significativo quando feito corretamente.

Devemos pensar que o comportamento do consumidor mudou. Hoje ele prefere a


comodidade e a facilidade que a internet oferece para fazer pesquisas e escolher a empresa e
o produto que deseja adquirir.

O inbound ajuda agregar valor à marca e intensifica o relacionamento com o cliente. Com ele o
cliente se sente mais à vontade, pois é como se você tivesse pedindo permissão para
apresentar seu produto ou serviço.

Enfim, cabe uma análise mais focada nos interesses de cada empresa para avaliar qual
estratégia de marketing seria melhor, mas uma coisa nós podemos afirmar: seja com inbound
marketing ou não, o importante é construir confiança com o cliente e isso só é possível
trabalhando com transparência e qualidade.

Gostou do artigo? Não dei de ler o nosso artigo: Marketing: como produzir conteúdos para a
internet?

Quer compreender melhor o mercado para definir qual estratégia utilizar?

A Intelliplan Consultoria Empresarial oferece soluções para micro, pequenas e médias


empresas que querem conhecer mais a fundo os seus concorrentes, clientes, tendências,
oportunidades e ameaças.
Conheça o ADI-Mercado, uma solução para quem deseja monitorar o mercado e ainda contar
com o auxílio de um consultor para tomar decisões.

Sobre o autor

A Agência FIRMA é especialista em Soluções de Marketing para pequenas e


médias empresas. Parceiro certificado Google e RD Station.
Conheça mais aqui: www.agenciafirma.com.br

Posted by CONSULTOR INTELLIPLAN in ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

06

ABR

2015

4 livros sobre estratégia que você deveria ler

Se por um lado a necessidade de elaborar estratégias sempre existiu, por outro o mercado, as
pessoas e as exigências mudam constantemente, e isso exige um contínuo aprendizado. Nessa
era em que a informação está muito facilmente acessível e ao mesmo tempo o volume de
informações é enorme e crescente, é preciso saber filtrar todo o conteúdo.

Por isso, selecionamos 4 livros sobre estratégia para que você posso aprofundar seus
conhecimentos nessa arte:

A Cauda Longa – Do mercado de massa para o mercado de nicho

A Cauda Longa

Neste livro, Chris Anderson, editor-chefe da revista Wired, faz toda uma reflexão e análise
sobre o fato de cada vez mais as informações, produtos e serviços estarem disponíveis para
todos, especialmente quando tratamos da Internet. Em A Cauda Longa, Chris revela as
oportunidades desse novo efeito chamado cauda longa e cita exemplos de sua aplicação em
diferentes segmentos do mercado e da indústria. Ao invés dos mercados de massa, cada vez
mais surgem nichos de mercado.

A Estratégia do Oceano Azul – Como criar novos mercados e tornar a concorrência


irrelevante

A Estratégia do Oceano Azul

Tido como uma revolução no modo de pensar a estratégia, o livro A Estratégia do Oceano Azul
veio para questionar e quebrar paradigmas e para propor um novo modelo de olhar para o
mercado e elaborar estratégias, onde o foco não está em disputar com os atuais
competidores, mas em criar novos mercados e com isso aproveitar melhor das oportunidades.
O livro é recheado de exemplos de empresas que adotaram a Estratégia do Oceano Azul e traz,
de maneira clara e objetiva, a maneira de implantar esse tipo de estratégia.
Marketing 3.0 – As forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano

Marketing 3.0

De autoria de um dos mais influentes pensador e estrategistas de marketing, Philip Kotler, o


livro Marketing 3.0 apresenta a evolução do marketing e como já estamos vivendo uma nova
era, apesar de umas empresas atuarem como se vivessem em décadas atrás. O livro – e o novo
marketing – é sustentado pelo conceito de que os clientes são seres complexos e
multifacetados, isto, verdadeiramente seres humanos, e com isso os produtos e serviços
devem ser oferecidos de acordo com essa realidade.

Estratégias 2.0 para a Mídia Digital – Internet, informação e comunicação

Estratégias 2.0 para a Mídia Digital

A mídia digital deixou de ser apenas uma opção e tornou-se exigência de presença para todas
as empresas que querem se destacar e crescer. Nesse livro, Beth Saad discute casos
significativos das grandes empresas internacionais e nacionais que atuam nas áreas da
informação e da comunicação. Tanto para quem já possui conhecimentos em mídia digital
como para quem deseja conhecer melhor esse mercado, o livro Estratégias 2.0 para a Mídia
Digital é uma ótima indicação.