Você está na página 1de 20

O que esperar de 2019?

Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019 • •1

O que podemos esperar (e devemos recear) de 2019? O INTERIOR voltou a desafiar


personalidades, autarcas, políticos e jornalistas a partilhar a sua opinião sobre o
novo ano, bem como as suas aspirações, preocupações e anseios. Nesta edição
publicamos os primeiros contributos, mas há mais para ler nas próximas semanas.
PUB

991
03 janeiro 2019
Ano 19
quinta-feira
 0.70 iva incluído
Diretor: Luís Baptista-Martins
semanário

Projeto do Natalidade
novo Hotel aumenta na Guarda A maternidade do Hospital Sousa Martins registou 584 nascimentos no ano passado,
mais 27 que em 2017. Só nos últimos quatro dias de 2018 nasceram oito bebés.

Turismo vai
Mas é Gabriel (na foto), filho de um casal residente no concelho de Seia, quem fica
para a história. O menino nasceu de parto normal às 21 horas de 1 de janeiro Pág.7

ser revelado
na FIT
A empreitada e futura gestão da unidade hoteleira foi
concessionada por 50 anos ao consórcio formado pelas
empresas MRG Property SA e MRG Construction SA Pág.4

Covilhã Saúde
Integração de ULS da Guarda
precários motiva sem vagas para
queixa do PSD especialidades
contra Câmara carenciadas
Sociais-democratas duvidam da lega- Ordem dos Médicos acusa ministra da
lidade do processo de integração de Saúde de querer contribuir para o en-
trabalhadores precários nos quadros da cerramento do Hospital Sousa Martins
autarquia e já acionaram as entidades e pede «medidas urgentes para travar o
judiciais competentes ______________ 6 colapso» da unidade _________________ 5

Mêda
Câmara ainda sem orçamento
para 2019
É a única autarquia da região que não aprovou os documentos previsionais até ao
final do ano, pelo que o presidente Anselmo Sousa (PS) vai ter que gerir o município
no início de 2019 com o orçamento de 2018________________________________ 10

PUB

Novas Instalações
Rua Marquês de Pombal, nº 45 Rch Também nas

GUARDA Passamos atestados para carta de condução


Tel. 969 431 832 • Tel. 271 227 360
(ao lado da Papelaria Véritas)
Galerias do Intermarché (Guarda)
www.ergovisaoguarda.com Tel. 924 290 689 • Tel. 271 225 114
2• • Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019

Cara
Entrevista
no  fio  da  navalha

a P e r f i l
cara

«As receitas
Bruno J. Navarro
Passagens de ano na Presidente da Fundação Côa Parque
Idade: 41 anos

Guarda e Trancoso
próprias já são o
Naturalidade: Coimbra
Profissão: Historiador/ Professor do ensino
As festas de fim de ano na Guarda e superior
Trancoso atraíram milhares de pessoas.

segundo maior
Currículo: Doutorado em História, Filosofia e Pat-
Na sede de distrito há muito que não se rimónio da Ciência e da Tecnologia pela Faculdade
registava uma enchente como a de 31 de de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova
dezembro. O modelo é um sucesso e tem de Lisboa; mestre em História Contemporânea
contado com a ajuda de São Pedro – este pela Faculdade de Letras da Universidade de

financiador da
Lisboa, licenciado em História, pela Faculdade
ano até as temperaturas foram amenas. Mas
de Letras da Universidade de Lisboa; autor de
os custos continuam demasiado elevados. vários estudos publicados em monografias, di-
Contratar João Pedro Pais e os DAMA custou cionários e revistas especializadas; professor no

Côa Parque»
aos cofres do município da Guarda 75 mil Instituto Superior de Ciências Educativas (ISCE),
euros, a que acrescem 80 mil euros para alu- integrando ainda o corpo docente de cursos pós-
graduados da Faculdade de Ciências e Tecnologia
guer de palco, luz e som. Falta saber o preço
da Universidade Nova de Lisboa.
do DJ, do fogo de artifício e da promoção
Livros preferidos: “O Retrato de Dorian Grey”,
do evento. Além da diversão e notoriedade
P – Vinte anos depois, o que mudou de Oscar Wilde; “A Insustentável Leveza do Ser”,
da cidade, era importante perceber qual o no Vale do Côa? E o que representa hoje a de Milan Kundera
retorno do investimento. descoberta das gravuras no Vale do Côa? Filme preferido: “La Meglio Gioventù”, de Marco
R – A descoberta das gravuras rupestres Tullio Giordana
do Vale do Côa e, sobretudo, o reconheci- Hobbies: Cinema, literatura
mento nacional e internacional deste que é
o mais importante conjunto de figurações P – Recentemente foram descobertas
Natalidade paleolíticas de ar livre até hoje conhecido, teve novas gravuras rupestres? O que é que
uma repercussão muito significativa na estru- isso pode representar para o Vale do Côa?
A natalidade continua a subir na região,
tura económica e social da região. Temos hoje R – Significa que o Vale do Côa continua a
mas a um ritmo lento em consequência da
um forte movimento turístico, alavancado ser um grande laboratório científico que tem
desertificação e do envelhecimento popu- por este património, que era impensável ainda muito por descobrir. Há um trabalho
lacional. O ano de 2018 terminou com 584 há vinte anos. Há negócios nas áreas da permanente, sistemático e exaustivo de pros-
bebés na maternidade do Hospital Sousa hotelaria, comércio e operação turística peção, levantamento, inventariação e análise
Martins, na Guarda, registo que faz deste que muito provavelmente não existiriam crítica que deve continuar a envolver uma
um dos melhores anos da última década. nesta região se não tivessem sido salva- comunidade científica cada vez mais alargada.
Mas não basta, são precisos mais bebés guardadas as gravuras rupestres do Vale do Como se viu nas descobertas mais recentes,
e medidas concretas, do Estado e dos Côa. Do ponto de vista histórico, a decisão até nos sítios mais conhecidos e explorados
poderes locais, para fomentar a natalidade política de preservação do património, em do Parque Arqueológico é possível serem
e contrariar o ciclo descendente que é uma detrimento de um investimento económico reveladas mais manifestações artísticas de
realidade na região. na energia hidroelétrica, é ainda hoje apon- um arco temporal que compreende os últimos
tado como um exemplo que o país deu ao 30 mil anos da Humanidade.
mundo. Por isso mesmo, o novo filme do
realizador francês Jean Luc Bouvret tem, P – O que falta fazer para o Museu do
muito apropriadamente, o título “A Lição do Côa e o Parque Arqueológico terem mais
Côa”. Mas hoje temos os olhos colocados no notoriedade em termos nacionais ou
futuro, porque a história deste projeto tem de P – Com que orçamento conta? É sufi- mesmo internacionais?
continuar a fazer-se. ciente ou curto para ter um ano tranquilo? R - O Museu do Côa e o Parque Arque-
Câmara da Mêda R - O orçamento da Fundação Côa Parque ológico têm de ser mais conhecidos e recon-
P - Quais as novidades que a Fundação para 2019 foi reforçado, o que é bem revelador hecidos. Têm de consolidar a sua imagem
É a única autarquia da região que Côa Parque tem reservadas para 2019? da aposta estratégica que o Governo está a fazer de instituições de referência e excelência no
entra em 2019 sem aprovar o orçamento. R. Há vários projetos que contamos ini- neste projeto. Mas não queremos cingir-nos às panorama cultural nacional e internacional.
Em negociações há várias semanas, as ciar em 2019. Vamos melhorar as condições transferências da administração central. Esta- Vamos continuar a reforçar a nossa presença
três forças que compõem o executivo da de acessibilidade do Museu do Côa para incre- mos neste momento a aguardar o resultado nas principais redes internacionais de Arte
Câmara da Mêda não conseguem chegar mentar a sua potencialidade turística. Vamos de três candidaturas a fundos comunitários. Rupestre, como o itinerário cultural do Con-
a um entendimento e embora todas digam construir o passadiço, em parceria com o Vamos avançar, já em 2019, com um conjunto de selho da Europa, Prehistoric Rock Art Trails e
que querem «o melhor para o concelho», o município de Vila Nova de Foz Côa; vamos parcerias estratégicas, com empresas privadas, o Ice Age Europe. Em 2019 vamos criar a Rede
município vai ser governado no novo ano definitivamente abrir a porta Sul do Parque no contexto do mecenato cultural. E queremos Nacional de Arte Rupestre, que pretende ser
com o orçamento de 2018, sem que uma Arqueológico do Vale do Côa, em Cidadelhe, continuar a impulsionar a nossa capacidade uma plataforma de partilha de conhecimento
nova estratégia esteja definida. em estreita cooperação com o município de para gerarmos receitas próprias. Fechamos o e experiências, que sirva simultaneamente
Pinhel; vamos integrar o Museu do Côa na ano de 2018 com cerca de 300 mil euros de para delimitar uma rota turística bem estru-
rede de centros Ciência Viva, com uma voca- receitas próprias. Significa que, neste momento, turada e que consiga ser eficaz do ponto de
ção territorial para envolver outras entidades o resultado da nossa operação comercial, de vista da criação e comunicação do produto.
e equipamentos na região, como a reserva bilheteiras, loja, concessões e consignações, é E participaremos ativamente, enquanto
Covilhã natural da Faia Brava, a Aldeia Histórica de
Castelo Rodrigo e a Plataforma Ciência Aberta,
o segundo maior financiador desta instituição
e, sobretudo, que conseguimos em dois anos
membros da comissão de acompanhamento,
na Rede do Património Mundial de Portugal.
Enquanto se discute o projeto do Ver- de Figueira de Castelo Rodrigo, e as aldeias de duplicar as nossas receitas próprias. É um Continuaremos a investir nas exposições
dinho, localizado na Praça do Município Marialva e Longroiva, no concelho de Meda. resultado notável. Mas ainda distante do ob- fora de portas. No plano nacional contamos
da Covilhã, parece ficar esquecida toda Vamos dinamizar a investigação científica, valo- jetivo estratégico que definimos para o nosso levar a arte do Côa à Reitoria da Universidade
e envolvência daquela zona. Aquele que rizando o trabalho que é diariamente feito pelos mandato que termina em 2022. do Minho, ao Convento de Cristo (Tomar)
deveria ser o espaço mais nobre da cida- nossos técnicos, mas abrindo todo o território à e à Assembleia da República. No plano in-
de está descaracterizado, a começar por comunidade académica, nacional e internacio- P – Terminou o ano de 2018, qual é o ternacional, teremos novas exposições em
aquela rotunda com pilares em mármore, nal, nas áreas da arqueologia, biologia, geologia balanço em termos de visitantes este ano? Espanha, França, Croácia, Rússia e Azerbaijão.
totalmente descontextualizada. Aprovei- e ambiente. Vamos aprofundar a nossa relação R - Ainda não temos os números finais Faremos também uma aposta muito séria na
tando que há já alguns espaços em obras transfronteiriça com a Junta de Castilla y León, apurados, mas fecharemos o ano com cerca de divulgação e promoção. Depois de em 2018
com a execução de dois projetos que visam cinquenta mil visitantes ao Museu e ao Parque termos iniciado a atualização de produtos de
na Praça do Município seria o momento
reforçar a notoriedade internacional do pat- Arqueológico. Seriam mais uns milhares se merchandising, em 2019 vamos implementar
de repensar todo o centro da cidade, e em
rimónio do Vale do Côa e Siega Verde, estimular contabilizássemos as pessoas que visitaram um projeto de marketing digital e realizar
especial o largo que é, ou deveria ser, o
a cooperação científica e a criação de um plano as nossas exposições temporárias que, em um conjunto de ações junto da comunicação
ex-líbris e sala de visitas da cidade. de gestão de riscos, que nos permita monitori- 2018, estiveram patentes na Secretaria Geral social e da comunidade de influenciadores. E
zar o território de uma forma integrada. E vamos da Presidência do Conselho de Ministros, na estaremos presentes, com o apoio constante
continuar a apostar numa programação cul- Alfândega do Porto, no Centro Cultural de e inestimável do Turismo de Portugal, nas
tural de referência, articulada com as grandes Belém, no Museu Municipal de Penafiel e no principais feiras nacionais e internacionais
instituições culturais portuguesas. Museu Arqueológico de Zagreb (Croácia). de Turismo.
Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019 • •3

editorial Luís Baptista-Martins


baptista-martins@ointerior.pt

Novas vontades
para 2019
1
Com a chegada de um novo ano, chegam novas expetativas
e novo alento para os próximos 365 dias. E ouvimos sempre
mensagens de otimismo.
O Presidente da República foi um pouco para além das habi-
tuais mensagens presidenciais e, em ano de eleições, defendeu a
participação mais ativa dos portugueses na vida democrática. «O
que vos quero pedir, hoje, é simples, mas exigente. Votem», disse
Marcelo Rebelo de Sousa, para acrescentar a mais importante das
justificações: «Não se demitam de um direito que é vosso, dando
mais poder a outros do que aquele que devem ter. Pensem em
vós, mas também nos vossos filhos e netos, olhem para amanhã e
depois de amanhã e não só para hoje», defendeu o chefe de Estado.
Mais de metade dos portugueses abstém-se de votar. E por
isso é urgente não apenas defender a maior participação cívica dos
cidadãos, mas também promover novas formas de participação e
apelar ao voto. A vida democrática não confere apenas direitos, mas
também deveres, e nomeadamente o dever de votar. A desconfiança
que muitos cidadãos têm em relação aos partidos e aos políticos
leva-os a escolher não votar, mas a abstenção não muda nada. E a
mensagem do presidente é para os portugueses, mas é essencial-
mente para os políticos. Porque se mais de metade dos portugueses
não vota, não participa na vida política, é porque a “partidocracia”
se esgotou; é porque as pessoas olham para os partidos e veem
uma sociedade clientelar, de interesses, jogos e corrupção. Por
isso, quando Marcelo apela ao voto deixa também um recado aos
políticos: sejam melhores e «sejam confiáveis».
Este ano vai haver duas eleições da maior relevância. Já em
opinião maio, para o Parlamento Europeu, em que os portugueses, maio-
António Ferreira
antonio.ferreira.adv@netvisao.pt
Uma questão de justiça ritariamente, consideram distantes e não valorizam, mas onde se
joga muito, onde se joga o futuro da Europa, da democracia liberal
O Sindicato dos Professores ameaça bloquear o ano (Boletim de Trabalho e Emprego nº 35, de 22 de setem- e da vida dos europeus – da Europa das liberdades, do Estado social
letivo se não houver recuperação integral das carreiras. bro de 2018, disponível em http://bte.gep.msess.gov. e do bem-estar. E depois as legislativas para o novo governo de
Os enfermeiros querem o mesmo, como em geral toda pt), a retribuição do diretor de serviços, mesmo que Portugal – estas mais próximas, mais diretamente associadas ao
a função pública. No sector privado mandam os que tenha 30 anos de antiguidade, é de 1.201,00 euros. “nosso” futuro, e onde se exige o melhor desempenho dos candi-
têm músculo reivindicativo, como os estivadores. Os Note-se que terá obrigatoriamente de ser licenciado. Um datos, os melhores programas dos partidos, mas também a maior
outros calam-se e contentam-se com a sopa fria que lhes psicólogo nessa instituição, com a mesma antiguidade, participação eleitoral dos cidadãos. Não basta mostrar desilusão ou
calha na gamela, como se achassem natural uns terem recebe apenas 1.120,00 euros. Já o auxiliar de ação descontentamento com o sistema político ou com os partidos, é
direitos e eles não. Não se ouve falar em greves das direta tem direito a apenas 602,00 euros. No entanto, preciso participar e votar. Como apelou o Presidente da República,
auxiliares de ação direta dos lares de terceira idade, ou um professor licenciado da mesma instituição, com a só dessa forma podemos olhar para amanhã e depois de amanhã.
dos empregados de balcão, nem se ouvem aos operários mesma antiguidade que o diretor de serviços, já tem

2
têxteis ou aos pedreiros ameaças de bloquear seja o que direito a 3.043,00 euros (tabela de 2017, já que em 2018 Depois de um ano em que o Movimento pelo Interior
for. Será porque ganham bem? Porque as suas carreiras não houve aumentos para os professores das IPSS). capitalizou algumas dinâmicas e defender nova energia
estão garantidas? Perguntarão: porque tem um professor de uma IPSS pela coesão territorial, esperemos que este seja “o Ano”
Não me incomoda que se reclamem melhores condi- de ganhar mais do dobro que o diretor de serviços, seu em que mais do que discursos, a correção das assimetrias seja
ções. Faz parte da natureza das coisas querer o progresso superior hierárquico, licenciado como ele mas com muito uma realidade. Como mote para as eleições legislativas exige-se
e estaríamos muito mal se a resignação fosse a regra. O mais responsabilidades? Não sei. Ou sei, e sei também não apenas a defesa do interior num contexto de agenda medi-
que incomoda é ver alguns reclamarem para si a parte outra coisa, esta evidente. É que se a massa salarial ática e de discurso político, mas também da implementação de
de leão do que deveria ser melhor distribuído. Sabemos dessa instituição fosse melhor distribuída, a auxiliar de medidas de efetiva mudança de paradigma. Não basta definir
que os recursos são escassos, que é necessário fazer ação direta não receberia apenas aqueles 602,00 euros. algumas medidas contra a interioridade, é preciso um “Plano
escolhas, que é impossível dar a todos tudo o que que- É verdade que todos ganham mal, mesmo os pro- Marshall” que urgentemente mude o caminho de desertificação
rem. Todos sabem isto e quando reclamam mais para si fessores. Pior do que isso é ver-se que o pouco que há e despovoamento do interior. E sendo certo que há alguns sinais
também sabem que sobra menos para os outros. A forma para distribuir vai invariavelmente para os que reclamam de mudança política, nada de estruturante foi feito. Não há uma
como as reivindicações têm sido satisfeitas, como uns mais, mesmo que seja necessário condenar os outros política fiscal verdadeiramente motivadora da mudança; não há
têm sido tratados em detrimento ou pelo esquecimento a ganhar menos, ou a indiferença em relação ao finan- um programa ambicioso; não há investimento público qualificado
de outros, tem levado a distorções graves. ciamento dessas reivindicações, que vêm sobretudo de que preconize um novo caminho; não há transferência de e mu-
Um exemplo. O cargo mais importante numa duas fontes: de impostos ou de endividamento do Estado danças de rumo relevantes que possam alterar o esvaziamento
instituição particular de solidariedade social (IPSS) é (depois pago com recurso a mais impostos). Há que do interior (o flop da transferência do Infarmed de Lisboa para
o do diretor de serviços, ou diretor técnico, com poder pensar estes problemas com razoabilidade e justiça, o o Porto confirmaram a incapacidade de mudar e o centralismo
disciplinar e de coordenação sobre todos os restantes que é evidente, mas que esta justiça seja para todos, o ancestral de Lisboa).
trabalhadores. De acordo com a tabela salarial vigente que parece mais difícil de entender.

3
Agora que 2018 acabou; agora que entrámos em 2019; agora
PUB
que repetimos, como todos os anos, que este será um ano
muito importante; agora… Votos de um grande ano para
todos, em especial para os nossos colaboradores, para os nossos
amigos, para os nossos clientes e para os nossos leitores: Próspero
Ano Novo!
4• • Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019

“Verdinho” gera
AEI

polémica
Ana Eugénia Inácio incumprimento das condições regionais e de merchandising
contratuais». Os comerciantes turístico, que é claramente um
consideram ainda que, dada a uso de Comércio». Situação que
O famoso café «proximidade à Igreja da Mi- o comerciante considera ser
“Verdinho” instalado sericórdia», a obra «carece de «muito diferente da utilização
no centro da Covilhã parecer por parte da Direção que o quiosque teve nos últimos
está a gerar polémica. Regional de Cultura do Centro». anos como “snack-bar”».
Em causa estão as Na mesma carta pode ler-se Caso esta alteração se ve-
obras de remodelação também que a autarquia deve rifique, está sujeita a parecer
iniciadas em «rescindir de imediato o con- favorável da Direção Regional
dezembro, depois trato com o locatário» caso se de Cultura do Centro e da Au-
do espaço ter sido confirmem os incumprimentos. toridade Regional de Saúde.
concessionado Já no passado dia 21 de de- O empresário diz por isso que
pela Câmara à Casa zembro, o empresário José Ma- «estão a ser violadas as condi-
Quintela – Produtora nuel Correia tinha manifestado ções contratuais» e que cabe à
de Presuntos e em reunião pública do executivo autarquia «fiscalizar», no entan-
Enchidos da Cova da a sua insatisfação relativamen- to, denuncia, «a obra continua a
Beira. te aos trabalhos a decorrer, avançar, com o conhecimento e
alertando que os mesmos não com a conivência do município
A contestação chegou por correspondem aos anunciados da Covilhã». Na última reunião Obras no emblemático espaço localizado na Praça do Município da Covilhã
parte de um grupo de empre- no aviso do concurso de con- do executivo, o presidente da levantam dúvidas
sários do concelho que fala em cessão. A José Manuel Correia Câmara, Vítor Pereira, explicou do município «foram contraditó- gastronomia e à venda de pro-
«incongruências do processo de foi explicado que a autorização que «não se trata de nenhum rias e inconclusivas». dutos tradicionais endógenos.
locação do estabelecimento “O de utilização para o quiosque supermercado, de nenhuma Encerrado há vários meses, A nova concessão do “Verdinho”
Verdinho”, assim como das obras “O Verdinho” é de Restauração grande superfície, nem de ne- o emblemático espaço loca- tem a duração de cinco anos,
em curso». Numa carta enviada e Bebidas, no entanto, o em- nhum restaurante. É apenas um lizado na Praça do Município renováveis por igual período,
às redações os contestatários presário lembra que na minuta conceito novo e que está dentro deverá reabrir no início deste sendo que as obras, que podem
questionam a «autorização de das Condições Gerais de loca- dos parâmetros do concurso e ano com nova gerência e re- chegar aos 120 mil euros, fica-
utilização do quiosque, ou seja, ção é referido que o espaço se daquilo que foi legalmente de- novado. Segundo explicou o ram a cargo da empresa à qual
ao uso que se pretende exercer destina «desde Comércio de liberado». O autarca prometeu autarca covilhanense aquando foi entregue a exploração (Casa
naquele espaço», bem como a Bebidas, sem lugar a preparação «uma lufada de ar fresco para do início das obras, a esplanada Quintela, da Atalaia do Campo,
«volumetria da obra, que ultra- de refeições –   contrariamente o centro histórico da cidade», vai ser fechada e, para além no Fundão), que terá ainda de
passa a prevista no concurso ao referido na reunião como mas José Manuel Correia alega de café e pastelaria, o espaço pagar uma renda mensal que
e que aponta por isso para um Restauração –, até a produtos que as respostas dadas por parte ganhará uma área dedicada à ronda 500 euros.

Guarda

MRG vai desvendar novo Hotel Turismo


da Guarda na FIT
Começaram a ser colocados
LM
uma consultora especializada
os tapumes que vão vedar o esta- os trabalhos relativos ao estudo
leiro das obras de requalificação de mercado, plano de negócios e
do Hotel Turismo da Guarda, cujo plano de marketing, instrumentos
projeto foi recentemente decla- que «são essenciais para a defini-
rado de interesse municipal pela ção do conceito daquele que será
Câmara da cidade mais alta. o requalificado Hotel Turismo
A empreitada e futura gestão da Guarda, os quais contamos
da unidade hoteleira foi conces- estarem finalizados a curto pra-
sionada por 50 anos ao consórcio zo», adiantou a O INTERIOR o
formado pelas empresas MRG presidente do conselho de admi-
Property SA e MRG Construction nistração da MRG Construction.
SA. O respetivo contrato foi assi- «Logo depois serão inicia-
nado no dia 4 de maio entre o Tu- dos os trabalhos de arquitetura,
rismo de Portugal, dono do imó- sendo que é nossa intenção
vel, e o grupo MRG, estimando-se apresentar publicamente o
um investimento total de cerca de projeto no âmbito da próxima
sete milhões de euros. O consór- FIT – Feira Ibérica de Turismo,
cio vai apresentar brevemente os que decorrerá entre 2 e 5 de
estudos prévios da intervenção e maio», acrescentou Rodolfo
iniciar os primeiros trabalhos. O Oliveira Gouveia. Por tudo isto, o
edifício será reabilitado no âmbito responsável não se compromete
do programa Revive, sendo que o com datas para o início dos traba-
consórcio está obrigado a cons- da autoria do arquiteto guardense valências como spa (que estará 1940 pelo arquiteto Vasco Rega- lhos, mas garante que «estamos
truir um hotel de quatro estrelas António Saraiva. acessível igualmente aos residen- leira e concluído em 1958, sendo conscientes, e iremos cumprir
que ocupe «no mínimo 55 por O conceito a aplicar é o de tes no município) e restaurante. O um dos edifícios mais emblemá- totalmente, os prazos acordados e
cento da área bruta de constru- “boutique hotel” ligado ao tema Hotel Turismo, que está devoluto ticos da cidade da Guarda. Entre- estabelecidos entre o Grupo MRG
ção». O projeto de requalificação é da neve, com 50 quartos e outras desde 2012, foi projetado em tanto, o grupo MRG adjudicou a e o Turismo de Portugal».
Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019 • •5

Portagens
Tarifas aumentam 25 cêntimos na A25
Viajar na A25, entre Aveiro do valor do Índice de Preços
ULS da Guarda
sem vagas para
e Vilar Formoso, está 25 cênti- ao Consumidor sem Habitação
mos mais caro para as classes (IPC), nas autoestradas cujo
1 e 4, de acordo com as novas valor de portagem constitui
tarifas de portagem divulgadas receita da IP, em apenas 111

especialidades
na sexta-feira pela Infraestru- tarifas praticadas (22 por
turas de Portugal (IP). cento de um total de 500)
A concessão das Beiras haverá uma variação das taxas
Litoral e Alta terá o maior cobradas aos utilizadores, que
aumento da rede da empresa vigorará a partir do próximo dia

carenciadas
pública. Nas classes 2 e 3 a 1 de janeiro de 2019», justificou
subida é de 15 cêntimos. A IP a empresa em comunicado. A
aumentou as portagens em 22 IP salienta que, na Classe 1 de
por cento da sua rede em 2019 veículos, há várias concessões
e os valores oscilam entre os 5 que mantêm os valores das por-
e os 25 cêntimos. «Em conse- tagens, nomeadamente na A23, Ordem dos Médicos acusa ministra da Saúde de querer
quência da evolução positiva entre Torres Novas e Abrantes.
contribuir para o encerramento do Hospital Sousa Martins e pede
Fundão
«medidas urgentes para travar o colapso» da unidade
AR

Município integra Rede Nacional de Arte


Rupestre
O Fundão é um dos mu- As gravuras rupestres do Poço
nicípios fundadores da Rede do Caldeirão, na Barroca, são
Nacional de Arte Pré-Histórica, únicas no seu enquadramento
promovida pelo Museu do ambiental. É um sítio cheio
Côa para integrar e promover de possibilidades ainda por
diversos sítios possuidores explorar, da arqueologia ao
destas ancestrais manifesta- turismo rural». A responsável
ções patrimoniais. anunciou a intenção de «re-
Para Bruno Navarro, pre- formular e atualizar» o centro
sidente da Fundação Côa Par- de interpretação existente no
que, «esta rede vai otimizar local. Também as prospeções
recursos e integrar projetos arqueológicas vão regressar às
de investigação científica, em margens do rio Zêzere, revelou
paralelo com a defesa am- o diretor do Museu Arqueoló-
biental e afirmação identitária gico do Fundão, Pedro Salvado,
dos territórios. O Fundão é que esteve ligado à primeira
uma peça fundamental nesse fase de estudo do conjunto de
mosaico de cooperação de gravuras, descoberto em 2003
complementaridades». Já a por Diamantino Gonçalves e
vereadora Alcina Cerdeira, Belarmino Lopes. «Há que voltar
com o pelouro da Cultura na a religar este fantástico lugar
Câmara do Fundão, justificou gráfico à história da paisagem «É urgente autorizar a contratação de médicos para estas áreas carenciadas», alerta a Secção Regional do Centro
da Ordem dos Médicos
que «a arte pré-histórica é e partilhar a salvaguarda deste
parte integrante e ímpar da património com a comunidade», Luis Martins de recursos humanos no Hospital A Distrital do CDS-PP já re-
nossa rica carta patrimonial. disse o responsável. Sousa Martins pode, a curto pra- agiu a este alerta ao considerar
zo, colocar em causa a qualidade que as vagas atribuídas «não são
A Secção Regional do Centro dos serviços de saúde prestados, suficientes para cobrir as necessi-
Serra da Estrela da Ordem dos Médicos considera bem como a resposta nalgumas dades em Cardiologia, Ortopedia
Associação Geopark quer valorizar uma «irresponsabilidade reitera- valências fundamentais», alerta e Cirurgia e deixam de fora outras
e preservar rios e ribeiras da» do Ministério da Saúde a não
atribuição de qualquer vaga nas
o dirigente.
A Ordem lembra que no mais
especialidades deficitárias, caso
de Oftalmologia, Gastroentero-
A Associação Geopark território nacional - Zêzere e especialidades mais carenciadas recente procedimento concursal logia e Radiologia, para além de
Estrela está a desenvolver um Mondego, de onde brota tam- da Unidade Local de Saúde (ULS) para médicos recém-especialis- impedir que os médicos que ter-
projeto de valorização, preser- bém o Alva», recorda a Geopark da Guarda no mais recente con- tas, das 57 vagas para a região minaram aqui a sua especialidade
vação e reinterpretação dos Estrela em comunicado. curso para assistente hospitalar. Centro apenas seis são atribuídas em Medicina Interna e Psiquiatria
rios e ribeiras existentes no Denominado “Valorização «É incompreensível o atual à ULS da Guarda em Cardiologia continuem no Hospital Sousa
território da Serra da Estrela. do Património Hidrológico do mapa de vagas para o Hospital (1), Cirurgia Geral (1), Ginecolo- Martins, como era sua vontade».
A iniciativa, orçada em cer- Território Geopark Estrela”, Sousa Martins, na Guarda, pois gia/Obstetrícia (1), Ortopedia (1), Em comunicado, os centristas
ca de 50 mil euros, foi aprovada o projeto também pretende estamos perante áreas hospitala- Pediatria (1), Saúde Pública (1). receiam que, perante o «mani-
no âmbito de uma candidatura «proteger o ambiente aquático res já bastante penalizadas nesta «Afinal, o que quer a ministra da festo desinteresse» do Governo
ao aviso Educação Ambiental contra os danos causados pelas região do interior», lamenta o Saúde para o Hospital da Guarda? por quem vive no distrito, «não
+ Sustentável: Repensar Rios emissões poluentes, restaurar presidente da secção regional em Quer continuar a manter em fun- haja futuro para o Hospital
e Ribeiras. A associação será o funcionamento dos sistemas comunicado divulgado na sexta- cionamento esta indispensável Sousa Martins e que esteja em
desenvolvida em parceria com o naturais e combater a perda feira. Para Carlos Cortes, esta instituição ou contribuir para o curso o seu esvaziamento em
Instituto Politécnico da Guarda, de biodiversidade e, ao mesmo unidade de saúde e a região «en- seu encerramento?», interpela nome de interesses que não são
a Universidade da Beira Interior tempo, assegurar o forneci- frentam dificuldades com especial Carlos Cortes. O responsável os legítimos interesses dos uten-
(Covilhã) e a Universidade Nova mento de água de qualidade complexidade, pelo que é urgente acusa a tutela de estar «a con- tes». A estrutura liderada por
de Lisboa. «Falar da Serra da às populações e às atividades autorizar a contratação de médi- tribuir para a agonia do Serviço Henrique Monteiro considera
Estrela e não referir o seu pa- económicas, protegendo-as dos cos para estas áreas carenciadas». Nacional de Saúde no interior do «urgente» a vinda da ministra
trimónio hidrológico seria algo fenómenos hidrológicos extre- As especialidades em causa são país e a condicionar a assistência Marta Temido à Guarda para
impensável, uma vez que a sua mos, como as cheias e as secas». Anestesiologia, Anatomia Pato- aos utentes», pelo que reclama conhecer os problemas da ULS e
paisagem é também moldada A Associação Geopark Estrela, lógica, Gastrenterologia, Medicina «medidas urgentes» para solucio- anuncia que o grupo parlamen-
pelos seus cursos de água e sediada na Guarda, entregou Interna, Neurologia, Oftalmologia, nar as necessidades de recursos tar na Assembleia da República
é constituída por 25 lagoas e em novembro de 2017 a can- Otorrinolaringologia, Patologia humanos e meios financeiros da irá questionar o Ministério da
quatro rios, dois dos quais são didatura da Serra da Estrela a Clínica, Pneumologia, Psiquiatria ULS da Guarda e «travar o colapso Saúde sobre «mais esta afronta
os maiores rios nascidos em Geopark Mundial da UNESCO. e Radiologia. «A grave carência desta unidade». ao distrito da Guarda».
6• • Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019

PSD apresenta queixa


S contra a Câmara da
Sociedade Covilhã
Ana Eugénia Inácio
DR

Sociais-democratas
duvidam da legalidade
Guarda do processo de
integração de
Coletividades trabalhadores
precários nos quadros
cantam as da autarquia e já
acionaram as entidades
Janeiras no judiciais competentes.
TMG O anúncio foi feito na última
Cerca de 320 elementos sessão da Assembleia Munici-
das coletividades da Guarda pal (AM), onde a bancada dos
vão cantar as Janeiras no deputados social-democratas
domingo (18 horas), Dia de levantou «fundadas dúvidas so-
Reis, no TMG. bre a veracidade dos factos, in-
O espetáculo comunitá- compatibilidades nas votações e
rio que encerra o programa adulteração da ata» da sessão de
de animação natalícia da março daquele órgão autárquico.
autarquia é dirigido por Le- Na altura, Hugo Lopes de-
onor Narciso e Tiago Pereira. nunciou que «o programa de reg- «A integração de dezenas de militantes e familiares socialistas comporta mais 1,4 milhões de custos aos munícipes
A entrada custa um euro e o (só) em 2019», denunciou Hugo Lopes
ularização de vínculos precários
valor total angariado rever- (PREVPAP) na Covilhã encontra- cento de reposições salariais por ainda desmentido pela maioria. do PSD e CDS (“5 votos contra”),
terá, como em edições ante- se repleto de ilegalidades e menti- executar e o aumento do salário É que na AM de março o PSD e o a bancada do Movimento Inde-
riores, para uma instituição ras». O também líder da Juventude mínimo nacional, a integração de PCP pediram que na referida ata pendente (“4 abstenções”), mas
de solidariedade social do Social Democrata local rejeitou o dezenas de militantes e familiares constasse «quem votou o quê», não refere o número de votos
concelho. Participam grupos argumento da maioria socialista, socialistas comporta mais 1,4 o que não terá sido cumprido, favoráveis das bancadas do PS e
de cantares, de concertinas, segundo a qual tratou-se de «um milhões de custos aos munícipes denunciando que o documento PCP – pior, nem sequer menciona
de cavaquinhos e ranchos processo transparente», por não (só) em 2019». O PSD acusa agora foi «mal redigido para proteger o sentido de voto dos presidentes
folclóricos da ADC Alfarazes, ter sido criada uma Comissão de a Câmara liderada por Vítor Pereira a inexistência de quórum: a ata das Juntas de Freguesia», criticam
Associação da Sequeira, Cen- Avaliação Bipartida «que ouvisse, de «nem sequer se informar sobre refere como votaram as bancadas os sociais-democratas.
tro Cultural Guarda, Centro por exemplo, os sindicatos sobre a legislação e os pareceres da
Cultural Marmeleiro, Grupo
de Candeias do Vale da Tei-
a real “precariedade” dos quadros
que integraram». O deputado re-
Direção-Geral das Autarquias Lo-
cais, considerando “precário”, por Bloco de Esquerda também
xeira, ACD Rapoula, Grupo
Coral Pedras Vivas, Grupo
cordou ainda que o PS alegou que
57 por cento dos trabalhadores
exemplo, o gerente de uma socie-
dade unipessoal com uma avença levanta dúvidas
de Cantares da Arrifana e da em causa estavam na Câmara há municipal de 90 mil euros, o que
ADC S. Pedro Jarmelo. O Cen- vários mandatos, e constatou que é ilegal e não pode ser abrangido Também o Núcleo Concelhio da Covilhã do Bloco de Esquerda
tro Social da Póvoa do Mileu, nos documentos enviados pelo pelo Programa de Regularização (BE) pediu informações sobre o assunto à autarquia, solicitando
Grupo Social Desportivo da executivo à AM o «que é claro e Extraordinária dos Vínculos». concretamente «o levantamento de informação relativa ao núme-
Qta. Gonçalo Martins, NDS, está escrito, pela Câmara, é que 58 Na AM de dezembro, o eleito ro de precários que concorreram ao Programa de Regularização
Centro Cultural de Famalicão dos 76 “precários” entraram na social-democrata questionou ai- Extraordinária dos Vínculos Precários da Administração Pública
da Serra, Casa de Saúde Bento Câmara no pós-2013 – altura em nda o presidente da autarquia «se (PREVPAP), o número de precários atualmente existente e ainda
Menni, Rancho Folclórico de que o PS ganhou as eleições – e, considera ético e legal forjar uma o número de excluídos e quais os motivos para a sua exclusão».
Videmonte, Grupo de Canta- nos restantes, não vem qualquer ata para fugir às incompatibili- O requerimento surge «de denúncias recebidas» pelo BE local
res das Lameirinhas, da Faia e data de admissão mencionada». dades que estas pessoas tinham», relativas ao processo de regularização de precários. Além deste
de Vila Fernando, bem como A documentação fazia ainda isto a propósito de vereadores pedido, foi ainda requerido o acesso aos processos de seleção dos
o Grupo Coral de Maçainhas, referência à despesa, que teve um que, alegadamente, terão votado vários trabalhadores precários que não foram integrados ao abrigo
são outros dos protagonistas «aumento de quase 80 mil euros na contratação de familiares. E do PREVPAP. Isto porque das 60 auxiliares de ação educativa que até
do espetáculo. mensais, o que se traduz em 1,2 insinua mesmo que a ata foi «ale- ao ano passado trabalhavam nas escolas do 1º ciclo do ensino básico
milhões de euros anuais». Mas, gadamente forjada para proteger do concelho «somente 31 foram integradas» ao abrigo do programa.
pelas contas de Hugo Lopes, se votações e eleitos que incorreram Os bloquistas adiantam que o município propôs «novamente trab-
forem tidos em conta os «50 por em ilegalidades», não tendo sido alho a recibos verdes» a algumas auxiliares que não foram integradas.

Guarda
Rotary Club homenageia Carvalho Rodrigues
O Rotary Club da Guarda vai excelência profissional». Janeiro e assim promover a prática de tegrará uma comunicação do
homenagear no próximo dia 19 é habitualmente assinalado pelo «comportamentos éticos e o homenageado subordinada
o professor e cientista Fernando Rotary Internacional como mês ideal de “dar de Si antes de pen- ao tema “A ingratidão”. As ins-
Carvalho Rodrigues pelo seu em que dá enfase à “Avenida dos sar em Si”», refere a associação crições são limitadas e podem
«mérito profissional». Serviços Profissionais”, sendo em comunicado. O evento está ser feitas na receção do hotel,
Aquela entidade pretende que esse conceito «está vincu- agendado para as 12h30, no através do telefone 271 208
também «dar exemplo vivo de lado ao objetivo do Rotary, de Hotel Vanguarda, na Guarda, 390 ou do email  rotary.club.
uma distinta forma de estar e de “Servir Através da Profissão”» e incluirá um almoço que in- guarda@gmail.com.
Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019 • •7

Natalidade voltou Guarda


Mostra de produtos regionais
na Benespera
a subir no distrito O projeto “Sabores e Tra-
dições do Vale da Teixeira”
prossegue no fim de semana
ancestrais do azeite: o sagrado
e profano”. Na semana seguinte
haverá diversas iniciativas em

da Guarda
para promover o azeite produ- João Antão relacionadas com
zido nas freguesias de Benes- a confeção do pão tradicional
pera, João Antão e Ramela, no e nos dias 13 e 20 de janeiro
concelho da Guarda. o projeto regressa à Ramela
Trata-se de uma ação co- para uma tradicional lagarada.
A maternidade do Hospital Sousa Martins teve 584 nascimentos munitária de base territorial “Sabores e Tradições do Vale
no ano passado, mais 27 que em 2017, mas o desnível face ao que inclui várias atividades da Teixeira” é promovido pelo
até dia 20 para dinamizar o IPG, município da Guarda, Jun-
litoral continua a acentuar-se território abrangido e divulgar tas de Freguesia de Benespera,
DR
as suas potencialidades. Este João Antão e Ramela, Centro
fim de semana realiza-se na Cultural, Social e Desportivo da
Benespera uma mostra e feira Ramela, Associação Cultural e
de produtos regionais, uma ex- Recreativa e a Associação para
posição fotográfica e uma mesa o Desenvolvimento Integrado
redonda sobre “As utilizações da Benespera.

Argemela
População contesta novo
pedido de exploração mineira
Foi submetido em no- contra a estrutura arqueológi-
vembro último, por parte da ca do Castro da Argemela (em
PANNN – Consultores de Geo- vias de classificação), contra
ciências, Lda., um novo pedido todas as valências da Serra
de exploração experimental da Argemela e da região nas
de minerais de lítio, estanho quais o impacto negativo é
e volfrâmio, entre outros, na constantemente sonegado».
Serra da Argemela (Covilhã). Os vários alertas lançados
A intenção já foi contes- pelos defensores da Argemela
tada pelo Grupo Pela Preser- mereceram recomendação no
vação da Serra da Argemela parecer da comissão de ava-
Gabriel é o primeiro bebé de 2019 na Guarda, tendo nascido na noite de terça-feira (GPSA) por alegadamente se liação da Agência Portuguesa
Luis Martins mos dados conhecidos –, o que dos distritos que se destacam tratar de uma exploração a do Ambiente (APA), publicado
significa mais 1.107 do que em com 584 nascimentos, estando céu aberto e por «as popu- em fevereiro de 2018, tendo
igual período de 2017. Estes mesmo assim abaixo dos mais lações afetadas e os seus re- sido solicitado à empresa que
O primeiro bebé de 2019 na dados resultam dos “testes do de 640 nados-vivos registados presentantes, nomeadamente «o Estudo de Impacto Ambiental
maternidade do Hospital Sousa pezinho” entre o terceiro e o em Portalegre. as Juntas de Freguesia, não contemplasse os nossos alertas
Martins, na Guarda, nasceu às sexto dia de vida, uma recolha Até à hora de fecho desta terem tido qualquer conheci- e receios legítimos». Contudo,
21 horas da passada terça-feira, de sangue para rastrear doen- edição não foi possível conhe- mento do pedido», referem em «inesperadamente, a empresa
pouco mais de 24 horas depois ças metabólicas realizada no cer os dados oficiais do Centro comunicado. O GPSA diz que opta agora por este pedido de
do último bebé de 2018, que Instituto Nacional de Saúde Hospitalar Universitário da Cova «tudo fará para garantir que exploração experimental», la-
veio ao mundo ao final da tarde Doutor Ricardo Jorge. Segundo da Beira e da ULS de Castelo nenhum dos pedidos avance», menta o GPSA, que alerta para o
de 31 de dezembro. esta informação, até ao final de Branco. afirmando que se trata de «um facto da cota «a que se pretende
Nos últimos quatro dias do novembro tinham nascido em Os dados do “teste do pe- atentado contra as populações fazer a exploração ser superior
ano velho nasceram oito bebés, média 7.300 crianças por mês, zinho” são coordenados pelo dos concelhos da Covilhã e do à generalidade das povoações
o que confirma que 2018 foi com outubro (8.300) e agosto Instituto Nacional de Saúde Fundão, contra o rio Zêzere, afetadas nos dois concelhos».
um bom ano de nascimentos na (8.044) a registarem o maior Doutor Ricardo Jorge, através
Unidade Local de Saúde (ULS), número de nascimentos. Já fe- da sua Unidade de Rastreio Ne-
Covilhã
que registou um crescimento vereiro (6.199) e março (6.376) onatal, Metabolismo e Genética,
de 5 por cento de nascimentos
relativamente a 2017. Segundo
foram os meses que menos
contaram para o aumento da
do Departamento de Genética
Humana, Não é um teste obriga-
Obras do hostel da Mutualista
dados da ULS, no ano passado natalidade. tório – pode sempre haver mais arrancam no primeiro trimestre
nasceram 584 crianças, mais Como seria de esperar, e nascimentos do que testes – mas
Os associados da Mutua- iniciativa. As obras arrancam
27 que no ano anterior, quando mantendo a tendência das últi- tem uma taxa de cobertura de
lista Covilhanense aprovaram no primeiro trimestre de 2019.
nasceram 557. Mas é Gabriel, mas décadas, o distrito de Lis- 100 por cento e, por isso, é o
a contratação de financiamen- «É uma operação financeira
filho de um casal residente no boa (23.803) tinha praticamente principal indicador da natalida-
to de 500 mil euros para a com condições excecionais, uma
concelho de Seia, quem fica para um quarto dos nados-vivos, o de em Portugal.
requalificação do imóvel que a oportunidade única para a Mu-
a história. O menino nasceu de que é bem exemplificativo da Foi em 2011 que nunca
associação possui no centro da tualista Covilhanense reabilitar
parto normal e pesava 2,610 concentração demográfica no mais se recuperou a meta dos
cidade em hostel social. um imóvel degradado localizado
quilos. «Mãe e filho encontram- país. Em segundo lugar surge o 100 mil nascimentos por ano.
A decisão foi aprovada por num bairro histórico da cidade,
se bem», adianta a ULS a O Porto, mas com quase metade Nesse ano nasceram 96.856
unanimidade na assembleia- na Avenida de Santarém, trans-
INTERIOR, acrescentando que dos nascimentos da capital bebés e em 2012 baixou dos 90
geral extraordinária realizada formando-o num equipamento
por ter sido o primeiro a nascer (14.491). Seguem-se dois dis- mil para nunca mais recuperar.
a 20 de dezembro, tendo já sido com fins turísticos sociais, di-
na Guarda em 2019, o menino tritos em terceiro lugar: Braga Daí que esta variação de mil
garantidos 400 mil euros atra- ferenciador em relação ao que
receberá lembranças de boas (6.172) e Setúbal (6.027). Aveiro nascimentos, apesar de ser uma
vés da iniciativa “Jessica”, da existe na região», justificou o
vindas oferecidas pela ULS e é o distrito com a quarta maior boa notícia, é praticamente irre-
Comissão Europeia, e desen- presidente da direção, Nelson
pelo município da Guarda. taxa de natalidade (4.097) e levante em termos estatísticos.
volvida pelo Banco Europeu Silva. O futuro hostel terá capa-
Em termos nacionais, em Faro o quinto, com 4.016 na- Ou seja, é impossível dizer que
de Investimento. O restante é cidade para 38 camas, distribu-
2018 houve mais bebés, tendo dos-vivos. No interior, a Guar- há uma recuperação da natali-
financiado por uma instituição ídas por 14 quartos: 7 de casal,
nascido 80.484 crianças nos da – já com números fechados dade, há na verdade apenas uma
bancária nacional ligada a esta 2 suites e 5 dormitórios.
primeiros onze meses – os últi- para o ano de 2018 –, é um variação positiva.
8• • Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019

O que esperar de 2019?


Um olhar sobre 2019 Um 2019 pequenino
Na numerologia a 2019 corresponde o número 3, o que Tenho para mim que o otimismo é panaceia que medo de juntar as vozes para impor respeito ao Estado
aponta para um ano de grandes acontecimentos, em especial nos impele nas alvoradas do ano novo, o ano bom, central que tudo gasta em abono das suas freguesias
na comunicação. «Todos querem mostrar e ver. Os media e a mas por via do que vejo, pressinto um 2019 pequenino. e que nos vai retirando deputados, e vozes, conforme
publicidade serão setores de grande crescimento e importân- Olhemos à nossa volta, preocupados com a quinta. mingua a população. Olhamos às nossas capelanias,
cia», segundo os entendidos e, sendo assim, faço votos para Gerindo táticas, ignorando estratégias. O país esta carpimos invejas e se o concelho vizinho tem uma
que estas previsões se concretizem no jornal O INTERIOR. tomado pelo funcionalismo político, néscio e incapaz piscina, pois que a nossa seja olímpica. Esta fraca
A limitação de carateres conduziu-me a abordar os assuntos de lobrigar caminho, numa postura que contamina capacidade de união, este crescer comendo os mais
que se seguem, quiçá na expetativa de antecipar sucessos e o interior mais profundo, este que pequenos, conduziu-nos até aqui, a
desejar a não repetição dos insucessos. nos preocupa. A urgência imposta este deserto, de ideias, de iniciativas,
Em 2019 teremos as eleições para o Parlamento Europeu pelos fogos de 2017 trouxe-nos uma de rumos que imponham mudança
e, mais do que nunca, precisaríamos de ter uma União Euro- secretaria de Estado, um diagnóstico precisa a um território com as nossas
peia com capacidade de decisão, mais coesa e integrada, com e pouca feitoria. As infraestruturas potencialidades. E quando mudamos,
harmonia fiscal, que possa garantir aos cidadãos e empresas degradam-se, as acessibilidades vejam o desastre na cultura, é para
equidade na repartição mitigam-se, vejam a eternidade para por os nossos a fazer pior.
dos esforços. Injustiça colocar nos carris a via férrea que A Beira Interior é um poderoso
e desigualdade minam leva a Guarda à Covilhã e que podia naco deste Portugal e o turismo,
a confiança nas institui- fazer desta região um pêndulo capaz os programas para que as pessoas
ções, nos governantes e de carrear desenvolvimento. Olhem ficassem na Covilhã, mas abalassem
nos partidos políticos. aos tapumes do Hotel Turismo e es- Amadeu Araújo* a Almeida, dormissem em Pinhel e
Já Anthony Atkinson, cancarem o espanto pelo pasmo que passeassem no Sabugal, compras-
economista inglês que foi começar uma obra imperiosa. Exemplos, poucos sem em Celorico mas fossem a Seia… Tudo isso
dedicou a sua vida ao para não desesperar, do atavismo do poder central precisa de estratégia, união de esforços e intermu-
estudo da desigualdade, em governar um Portugal inteiro, estejam no poder nicipalismo. Menos partidarite e mais região. Vejam
avisava que a desigual- “as esquerdas encostadas” ou as “direitas grisalhas”. o ensino superior, Castelo Branco no agroalimentar
Natália Rodrigues* dade extrema é incompa- A alternância do nosso poder é geradora de vícios e e música; Covilhã na medicina e aeronáutica; Guarda
tível com a democracia. prebendas e todos vituperam, mas ninguém morde a na robótica, automóvel e renováveis. Será assim tão
Sobre o flagelo da corrupção em Portugal, o seu combate mão que atira o pão. difícil postergar a divisão e cuidar da união? Prefe-
deveria ser uma prioridade nacional. São sobejamente conhe- Sobramos nós e a nossa condição e unindo es- rimos as capelanias às vigarias. Isso e o despeito
cidas por todos as várias formas em que se têm materializado forços poderíamos, e deveríamos fazer muito mais. do Terreiro do Paço atiram-nos ao ostracismo e à
estes atos. A enorme opacidade que a tem caracterizado e a Na natureza, no património, no vinho e na carne, nas autofagia. Bem sei que há sinais que ditam uma
enorme delicadeza com que o poder político a tem encarado ligações entre concelhos, entre tantos predicados que esperança, mas de tão ténues e tísicos que antevejo
ao longo da nossa recente democracia, revelam bem a sua sozinhos não valem pataco, mas que no conjunto se um 2019 pequenino, à dimensão do que nos querem
real expressão. tornam geradores de riqueza, atraidores de visitantes, fazer crer. Mas nós somos mais. E melhores. Assim
Gostaria ainda que o próximo ano trouxesse novidades chamadouro de investidores, criadores de emprego, queiramos fazer.
quanto à ineficiência do Estado. Um Estado que mostrou que é o que nos falta. Emprego digno e com futuro,
falhar demasiadas vezes aos portugueses, a níveis quase procurando caminho como o faz o Fundão. Mas temos * Jornalista
inimagináveis, nomeadamente na proteção dos cidadãos. Por
outro lado, a ideologia política de taxar fortemente empresas
e cidadãos para poder atribuir alguns benefícios a quem luta
nas ruas, embora popular, produz reflexos a outros níveis
que urge repensar.
Gostaria que no Serviço Nacional de Saúde (SNS) a
prioridade fossem os utentes e não que fizessem dele um
mero projeto ideológico, como um propósito em si mesmo,
independentemente de correr bem ou mal. Senão, como se
Cheira a mofo!
compreende, por exemplo, que se possa “encher a boca” com Entrámos no novo ano. Nada vai mudar em Adicionalmente, existem benefícios fiscais para
ele e ao mesmo tempo ver recentemente o Infarmed recusar, 2019: não dececionará nem surpreenderá. esses povos migrarem para o nosso país, o que en-
a centenas de doentes oncológicos, o acesso a terapêuticas Portugal continuará sem estratégia para o seu cerra um pacote bastante atrativo para famílias com
inovadoras, cuja utilização seria a diferença entre a vida e a desenvolvimento. Vamos continuar a impressionar- maiores rendimentos. No ano passado, a Finlândia
morte? nos com os eventos do regime, que nos convencem suspendeu esses benefícios. Qual a reação de Por-
Para a região, desejaria que as medidas sugeridas pelo que sabemos para onde ir. tugal? A mesma de sempre: rabinho entre as pernas.
Movimento para o Interior relativas às áreas de política A população rural continuará atenta às opor- Fracos com os fortes e forte com os fracos, tal
fiscal, educação, ensino superior e ciência e ocupação do tunidades de outras regiões, e a como no tempo da ditadura salaza-
território pelo Estado, bem como a criação do POPI (Pro- migrar sempre que o benefício se rista. O crime compensa, desde que
grama Operacional para o Interior), venham a ser realidades revela evidente. seja em grande.
que permitam ir diluindo as vincadas assimetrias do nosso Quando pensamos em investi- A falta de rumo retira às pes-
pequeno Portugal. Para os alunos do IPG, gostaria de lhes mento, quase sempre o associamos soas o melhor da sua existência:
sugerir uma “tarefa” de final de semestre, que seria ver pelo a pacotes europeus para a coesão, a capacidade de sonhar. Sem ela,
menos um de entre uma dezena de imperdíveis filmes sobre que o mesmo é dizer “esmola para agarramos a liana que nos chega,
a matemática, como por exemplo, “A prova” (2005), baseado enganar os tolos”. sem hesitar. Esse fator transforma
no livro de mesmo nome, de David Auburn, vencedor do Tal como vaticinou um ex-mi- Portugal permeável ao populismo.
prémio Pullitzer, “O homem que mudou o jogo” (2011), de nistro da Economia, Portugal pode Quem aparecer a defender polí-
Michael Lewis, ou “O jogo da imitação” (2015), baseado na ser a Flórida da Europa. ticas restritivas para os migrantes,
história real do génio da matemática e pai da computação Os povos nórdicos têm me- apoios para indústria poluidora,
Alan Turing, entre muitos outros. Mas mais importante que lhores condições económicas que mas criadora de postos de trabalho,
tudo, aquilo que verdadeiramente vos desejo é que tenham os portugueses, mas condições Frederico Lucas entraves à chegada de produtos
um 2019 com saúde e que possam comprazer-se junto das climatéricas bastante agrestes. estrangeiros, obterá expressivas vitórias eleitorais.
pessoas de quem mais gostam. Afinal, é este o olhar que Veem Portugal como um excelente país para a Não vê quem não quer.
mais importa ter. Feliz 2019! sua reforma, o que dinamizaria a nossa economia Sem estratégia não há valor, sem Justiça não
de serviços, nomeadamente na restauração e saúde, há decência.
* Docente da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do bem como a indústria da construção. Existem em Pede-se ao leitor que aperte o cinto, porque a
IPG Portugal 500.000 casas em estado de ruína. turbulência e a pouca vergonha vão continuar.
Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019 • •9

?
O que podemos esperar (e devemos recear) de 2019? O INTERIOR voltou a desafiar personalidades,
autarcas, políticos e jornalistas a partilhar a sua opinião sobre o novo ano, bem como as suas aspirações,
preocupações e anseios. Nesta edição publicamos os primeiros contributos, mas há mais para ler nas
próximas semanas.

Um elogio à Imprensa Um olhar para 2019


Já a terminar o ano de 2018, mesmo no final Nesta altura do ano é frequente renovarem-se os o funcionamento de todas as especialidades, com a sub-
do mês de dezembro, ainda tive oportunidade de votos de bom ano, os desejos de um novo ano melhor jacente capacidade de os cidadãos se sentirem seguros e
realizar uma reportagem na maravilhosa vila de que o anterior, na perspetiva de olhar para a possibilidade acompanhados nesta área tão importante;
Manteigas, onde tenho ligações familiares, mas de construir oportunidades e de fazer evoluir de forma - Concretização plena do funcionamento da teoria da
cuja proximidade nunca me tinha permitido antes positiva as situações com que todos, como coletivo, nos triple hélice na região e mais especificamente na Guarda,
conhecer o Sr. José Manuel Direito, de 68 anos. deparamos. através da aliança efetiva e intensa entre os poderes da so-
O Sr. José é o proprietário e único funcionário Assim dentro do espírito da época, o meu desejo é ciedade civil (empresas e outras entidades), da governação
de uma tipografia que é um autêntico museu. que o ano de 2019 traga a possibilidade e do ensino superior; neste ponto seria
Bom, museu era o que o Sr. José pretendia que de uma efetiva mudança, de construção essencial que as soluções considerassem
Manteigas ou outra localidade fizesse, até porque de oportunidades que assumam impacto a via da competência e a existência de
foram muitas as tipografias a fechar na região, no positivo sobre a Guarda e a Região. massa crítica que possuem, não optando
século passado, uma delas em Gouveia, a tipo- Mudança que se consubstancie por soluções de via única, desadequada e
grafia Motta & Irmão, pertencente ao “Notícias de em alguns temas muito relevantes, tais anacrónica;
Gouveia” e cujo como: - Inversão da tendência da tão pro-
espólio se en- - Apoio efetivo da administração palada desertificação do interior, a qual
contra na ago- central às regiões do interior, através de parece vir a permitir a diminuição do
ra denominada medidas como a diminuição das porta- número dos participantes na represen-
José Direito gens; o incentivo à criação e manutenção tação da Região nos órgãos nacionais
Unipessoal, de empresas, recorrendo à dotação de de decisão política – a questão da di-
Lda., anterior- benefícios fiscais relevantes e substan- minuição do número de representantes
mente Tipogra- ciais e a diminuição e racionalização dos Helena Saraiva* do distrito na Assembleia da República
f i a C o m e rc i a l processos burocráticos administrativos parece continuar a persistir;
do Zêzere, Lda., que tanto dificultam a localização de novas entidades que - Finalmente e acabando com uma nota positiva, que
com sede em criem valor; a Guarda continue o seu processo transformação numa
Manteigas. Liliana Carona* - Possibilidade da Guarda poder contar com o seu cidade vibrante, em que existe vida e intervenção cívica.
Não raras Hospital, de forma a que esse constituísse um fator de Acabo este olhar, desejando aos leitores de O INTE-
vezes, e apesar de toda a mais-valia que repre- atração de população – um hospital dotado não só de RIOR: Bom ano!
senta um museu, seja qual for a temática a que condições físicas condignas em todas as valências, mas
se dedica, reparo que muito do nosso património também, e essencialmente, dotado dos recursos humanos * Professora na Escola Superior de Tecnologia e
regional não se encontra musealizado. Dizia o Sr. necessários, onde o número de profissionais permitisse Gestão do IPG
José e passo a citar: «Pena é que ninguém, em
Manteigas ou na região, se interesse por fazer
um museu. Aconteceu o mesmo com os têxteis:
fecharam as fábricas e ninguém se interessa
pelo espólio que ainda existe por aí perdido. Eu
tenho lutado para que houvesse várias salas de
exposição ou museu. Guardei isto para memória.
Está aqui uma máquina de impressão Astra, do
final do séc. XIX, inícios do séc. XX, que veio
do “Notícias de Gouveia”. É pena isto ir para
Olhar para 2019, desde a mais alta de Portugal
a sucata. É preferível ficar em exposição. Ao O ano 2019 não se afigura, à partida, fácil. Será paulatinamente esmorecendo. Não se trata da anatomia
menos que estas máquinas pudessem ficar para um ano de campanhas eleitorais, de abrandamento da de um pacote de expectativas malogradas. Não! Para
memória futura». economia, e de confronto e debate (nem sempre cons- 2019, trata-se antes sim de mais um teste à resistência
É necessária visão e sensibilidade no que diz trutivo). Indubitavelmente, será um ano de desafios dos portugueses e das portuguesas, cuja condição de
respeito à musealização da “herança” existente. O e decisivo para a nossa região, para o país e para a vulnerabilidade que nos assiste nos abre o caminho para
distrito da Guarda tem dois jornais centenários: Europa. Este será também um ano que clama por um uma injeção de doses redobradas de fé e esperança.
o “Notícias de Gouveia” (1914) e “A Guarda” impulso de verdade e clarividência, que não pode abrir Então, apagam-se as luzes de 2018, que deu o seu
(1904). O Sr. José, diria eu, numa primeira e espaço de manobra às “fake news” e ao último suspiro, e dá-se início a um 2019,
única observação, tem milhares de zincogra- marasmo na intervenção e no exercício num primeiro e inspirador fôlego, na
vuras e carateres antigos, várias máquinas de do dever de cidadania, que nos alheie expectativa de que traga respostas, a
impressão alemãs que ainda funcionam, provas de intervir em prol de um país em risco sempre renovada esperança, a neces-
vivas da vitalidade do distrito no que toca a de colapsar e de uma Europa, que o sária solidariedade e que esta possa
um dos valores essenciais da democracia: a ampara, na eminência desse colapso. ser repartida na vida pessoal; na vida
liberdade de escrever, ainda que diversas vezes Este 2019 exigirá de todos nós um profissional; na gestão dos territórios,
censurada. humanismo revolucionário, capaz de das associações, das empresas e em
A imprensa regional não está a definhar abafar os riscos que o assombram! qualquer que seja a comunidade.
nem nunca definhará. É preciso acreditar nela No país, entre desaires e desvarios Bem-vindo seja 2019 – encarado
e recordar diariamente a sua importância. Per- que têm vindo a contrariar o discurso com otimismo, força e determinação.
gunto: o que seria dos telejornais em horário ilusionista de que “está tudo bem!”, eis Enfim, bem-vindo seja mais um ano,
nobre se não fosse o contributo valioso dos seus que a austeridade não se finou, que o desde a mais alta de Portugal, onde,
correspondentes regionais? O que seria se não interior continua à espera que lhe seja Dulcineia Catarina Moura* nos últimos tempos, temos assistido
houvesse jornalistas, aqui, a viver e a trabalhar reposta a justiça por via de políticas à devolução de uma justa capitalidade,
no Interior profundo? Não se lembrem de Santa “radicais”, que se firmem pela ousadia da coragem merecida centralidade regional e naquele que é o eixo de
Bárbara só quando troveja, nem da imprensa em contrariar um país a duas velocidades (como pre- ligação à Europa, a par dos preciosos contributos que
regional, só quando dela precisamos. Um Feliz sente de fim de ano, temos o anúncio do aumento das têm vindo a ser dados ao nível da autoestima coletiva
Ano Novo, especialmente aos meus camaradas malfadadas portagens, entre outros “brindes”); que da população guardense.
do jornalismo, que em contexto de precariedade, o desgaste e o colapso dos serviços dão notas de se São os votos que me invadem na partilha, e comigo
não desistem de continuar a escrever as histórias perpetuarem, lesando o dia-a-dia dos portugueses; convivem na cadência do tempo com os momentos de
do nosso dia-a-dia. a crispação entre sindicatos e Governo continuará a alegria e felicidade – naqueles que dão alento a um brinde
dar prova de que não estamos nem bem nem melhor entre família e amigos.
*Correspondente da Rádio Renascença (veja-se o caso das greves que se anunciam continuar).
Diretora do “Notícias de Gouveia” Afinal, as expectativas de mais um ano que findou foram * Economista
10 • • Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019

Mêda entra em 2019


Presidente Anselmo Sousa
está a «dialogar com
calma» com a oposição,

sem novo orçamento


mas por enquanto vai ter
que gerir o município com
o orçamento de 2018
AR
Ana Eugénia Inácio trabalho sem orçamento». A isso César Figueiredo refere-
manter-se a situação, Anselmo se «à incapacidade socialista
Sousa adianta que algumas das para pôr um travão na perda
Ainda não há orçamento obras previstas para o novo ano de serviços importantes para a
para 2019 na Câmara da Mêda, «têm já rúbricas abertas» e no população nas áreas da justiça,
a única autarquia da região que caso de novos investimentos saúde e educação».
não aprovou os documentos que possam surgir bastará fa- Também o investimento
previsionais até ao final do ano. zer «uma alteração em sede de privado é colocado como prio-
Depois do chumbo regis- revisão do orçamento». Na sua ridade, sendo que para isso «é
tado no início de novembro, o opinião, «se for de interesse preciso uma zona industrial
presidente do município não para o concelho os restantes capaz de albergar firmas e em-
apresentou nova proposta ao vereadores não se irão opor», presas e ciar emprego». Para
executivo, onde os socialistas es- mas refere que este não é um o vereador centrista, só assim
tão em minoria, mas adiantou a cenário que quer. «conseguimos fixar população».
O INTERIOR que «o documento Mais do que viabilizar o César Figueiredo avisa ainda
pode ser aprovado a qualquer orçamento, o vereador do CDS que não é tempo de «gastar
momento». Anselmo Sousa diz espera que as «conversações dinheiro em situações que não
estar a «dialogar com calma» sirvam para encontrar os pilares têm retorno» e que é preciso «ir
com a oposição, tendo em conta dos próximos três anos». Apesar ao encontro das necessidades
que os dois eleitos do CDS-PP e o de continuar aberto ao diálogo, do concelho» elencando ainda
vereador do PSD votaram contra César Figueiredo avisa que no o turismo e uma agricultura
a primeira versão dos documen- início do novo ano «será tomada «forte». O INTERIOR contactou
tos previsionais para o próximo uma posição definitiva», pois também o único eleito do PSD,
CDS pede «linhas mestras» para os próximos três anos
ano, com uma dotação de cerca «se não houver um encontro de Aires Amaral, que voltou a reme-
de 12 milhões de euros. O edil com o novo ano a arrancar, o «Se não aprovarmos o orça- ideias entre o PS e as forças da ter qualquer comentário sobre o
deixa a garantia de que «todos município vai funcionar com o mento não vem mal nenhum ao oposição o orçamento não será impasse para mais tarde. «Estou
os elementos querem o melhor orçamento de 2018 e Anselmo mundo», acrescenta o autarca aprovado», colocando tudo «nas a aguardar, pois por enquanto
para o concelho» e que por isso Sousa desvaloriza o impasse: do PS, que cumpre o segun- mãos do presidente». O CDS não está prevista uma data para
está aberto a «ouvir e aceitar as «Não vale a pena fazer grande do mandato, sublinhando que pede, por isso, «linhas mestras a discussão do orçamento da Câ-
melhores propostas». Por agora, alarido», afirma. «pode-se fazer um excelente para o futuro da Mêda» e com mara», disse o social-democrata.

ADEGA COOPERATIVA DE PINHEL CRL.


PUB

Largo Combatentes da Grande Guerra • Apartado – 5 • 6400-348 Pinhel • PORTUGAL • Tel: +351271413352 / Fax: +351271413371
www.acpinhel.com • adega-pinhel@mail.telepac.pt • geral@acpinhel.com
Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019 • • 11

Trancoso Sabugal

Governo apoia centro Ainda pode ver maior presépio


natural até domingo
de recolha de animais O Natal já lá vai, mas no
Sabugal ainda pode apreciar o
das 8h30 às 23 horas. Foram
usados troncos de castanhei-

no município
maior presépio natural do país ros (mais de 500 toneladas),
até domingo, Dia de Reis. heras e musgos, entre ou-
Com 1.100 metros quadra- tros elementos recolhidos
DR dos, a estrutura montada todos na natureza. Como sempre, a
Trancoso é o único municí- os anos pelos funcionários da construção foi efetuada a uma
pio da região contemplado com Câmara local é um ex-libris das escala em que os visitantes têm
apoios estatais para a constru- atividades natalícias da região a perceção de fazer parte do
ção ou modernização de centros e está no Largo da Fonte, onde presépio de Belém. A entrada
de recolha oficial de animais de pode ser visitada diariamente é livre.
companhia.
A lista de 17 autarquias e
Comunidades Intermunicipais CIMBSE
foi divulgada recentemente pelo
Ministério da Administração
Brigada de Sapadores Florestais
Interna (MAI), que vai disponi-
bilizar perto de um milhão de
já tem viaturas
A Comunidade Intermu- emergência», recorda a CIM-
euros para o efeito. Segundo a
nicipal das Beiras e Serra da BSE. A equipa de sapadores
tutela, o total do investimento
Estrela (CIMBSE) recebeu re- florestais é constituída por 15
elegível ascende a 3,9 milhões
centemente três viaturas des- elementos e deverá começar a
de euros, sendo a comparti-
tinadas à operacionalização trabalhar no início deste ano.
cipação de 975.318,91 euros criação de uma rede de centros teve um período transitório de
da sua Brigada de Sapadores Ficarão ainda responsáveis
para estes 17 projetos, tendo de recolha oficial de animais de dois anos, prevê ainda medidas
Florestais. pela realização de ações de
em conta os valores máximos companhia. para a criação de uma rede de
«Os futuros elementos silvicultura de caráter geral e
de apoio financeiro previstos. A partir de 23 de setembro centros de recolha oficial de
da brigada, após formação, de silvicultura preventiva no
No caso de Trancoso, o centro de 2018 passou a ser proibido animais. Os animais acolhidos
irão ter a responsabilidade âmbito dos incêndios flores-
tem um investimento elegível o «abate de animais em centros que não sejam reclamados pelos
na instalação e manutenção tais. Trata-se de uma candida-
de 170.045 euros, compar- de recolha oficial de animais por seus donos no prazo de 15 dias,
da rede primária de defesa tura no âmbito do Programa
ticipados com 50 mil euros. motivos de sobrepopulação, de a contar da data da sua recolha,
da floresta contra incêndios, de Sapadores Florestais que
O Orçamento do Estado para sobrelotação, de incapacidade são «considerados abandonados
nas ações de consolidação foi feita ao Instituto da Con-
2019 prevê a transferência económica ou outra que impe- e são obrigatoriamente esteri-
e pós-fogo, bem como nas servação da Natureza e das
para a administração local de ça a normal detenção pelo seu lizados e encaminhados para
ações de estabilização de Florestas (ICNF).
1,5 milhões de euros para a detentor». A legislação, que adoção».

PUB PUB
12 • • Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019

Seia
“Aldeia Natal” fecha no Dia de Reis
em Cabeça
“Magusto da
Cabeça (Seia) deixa de ser
“Aldeia Natal” no domingo. Há
seis anos que a localidade ser-
candelabros, grinaldas natu-
rais e corações que cobrem
as fachadas do casario típico Velha” cumpriu-se
em Aldeia Viçosa
rana se tem notabilizado com em xisto da localidade, que
uma festa genuína e sustentável, por esta altura do ano atrai
«inspirada nos valores e simpli- «milhares de pessoas», adianta
cidade do Natal na montanha». o município de Seia. Além do
Giestas, videiras, pinhei- cenário pitoresco, o visitante
ros (resultante de limpezas e encontra tasquinhas de produ-
desbastes florestais no Parque tos regionais, artesanato, ani- Junta de Freguesia precisa de apoios financeiros para avançar
Natural da Serra da Estrela) e mação de rua e experiências com candidatura desta tradição secular a Património Imaterial
lã das ovelhas bordaleiras da inspiradas na história, saberes LM
Serra da Estrela foram os ma- e sabores da Serra da Estrela,
teriais usados para as estrelas, entre outras atividades.

Fornos de Algodres
Plástico descartável proibido
nos equipamentos municipais AR

No dia a seguir ao Natal houve enchente no Largo da Igreja para apanhar as castanhas e rebuçados lançados da torre
da Igreja
Já está em vigor a proibi- ou de outras bebidas, bem como Luis Martins Dom Sancho II, e do testamento cada vez mais gente para a festa.
ção de utilização de plástico talheres e garrafas descartáveis, estabelecido pela benemérita «Temos recebido gente de Aveiro,
descartável nos equipamentos nas infraestruturas e eventos de com o povo pelo grupo Hereditas. Coimbra e este ano de Setúbal, e
municipais e eventos organiza- responsabilidade do municí- Várias centenas de populares Tal como antanho, os descenden- o “feedback” tem sido positivo. O
dos pela autarquia de Fornos pio», refere a edilidade fornense. comeram castanhas e beberam tes das famílias Antunes, Cabral, que prometemos é que este acon-
de Algodres. Já no âmbito da campanha vinho no dia a seguir ao Natal para Coutinho, Fonseca e Osório, entre tecimento seja cada vez maior ano
A decisão decorre da cam- “A Água Não Dura Sempre. cumprir a tradição do “Magusto outras, assinaram o documento e após ano», garante o presidente
panha de sensibilização levada POUPE-A” foram disponibili- da Velha”, em Aldeia Viçosa. comprometeram-se a não deixar da Junta de Freguesia.
a cabo pelo município intitu- zados dispensadores de água É assim há 320 anos naquela cair no esquecimento esta tradi- Para já, esta tradição secular
lada “STOP ao Uso de Plástico. (pontos de enchimento) para freguesia do concelho da Guarda ção. Para isso, anualmente são está a ser trabalhada para ser
Seja consciente, pense no Am- todos os utilizadores terem e acontece em homenagem a uma comprados 150 quilos de casta- candidatada a Património Ima-
biente” e também da resolução possibilidade de encherem benemérita rica da localidade nhas que são lançadas da torre da terial, um processo liderado pela
do Conselho de Ministros nº as suas garrafas reutilizáveis. que, nos séculos XVI ou XVII, dei- igreja, enquanto no adro cumpre- Junta e que envolve historiadores.
141/2018, publicada em “Di- Com estas medidas, o municí- xou um testamento em que pedia se outra tradição, a das cavaladas, «Estamos a dar passos sérios
ário da República”, de 26 de pio sublinha que «segue local- que rezassem uma missa em sua que é quando um homem se baixa para concretizar esse objetivo e
outubro de 2018. Segundo a mente as políticas de âmbito memória e mandava, como con- para apanhar uma castanha e fica a mais-valia é que há documen-
Câmara presidida pelo socialis- nacional» na promoção do uso trapartida, distribuir castanhas sujeito a que lhe saltem para as tação, há factos concretos, como
ta Manuel Fonseca, além da total eficiente de recursos, de proce- e vinho pelos mais pobres. O costas. Eduardo e Isabel Costa a renda anual de 12 cêntimos
proibição de plástico descar- dimentos e comportamentos ritual cumpre-se ininterrupta- vieram de Setúbal para vivenciar que nos é atribuída pela Fazenda
tável, será levada a cabo «uma assentes na «desmateriali- mente desde então para gáudio o “Magusto da Velha”, que já co- Pública e decorre do testamento
otimização de processos» para zação, na reciclagem, na reu- de graúdos e mais pequenos, que nheciam da televisão, e estavam da “velha”», refere Luís Prata. O
reduzir o consumo de papel e de tilização e na valorização de também se acotovelam no adro deliciados. «Ouvimos falar desta problema é que os promotores
consumíveis de impressão. «As- materiais, de forma a extrair o da igreja para apanhar os rebu- tradição pela RTP e desta vez não têm fundos para avançar
sim, ficam proibidos a aquisição máximo de utilidade dos bens çados lançados da torre sineira. tivemos que vir pessoalmente e com o projeto e estão à procura
ou utilização, por exemplo, de e equipamentos, contribuindo Tal como nos últimos anos, o estamos a gostar. Fomos muito de parceiros. «O Orçamento ain-
copos de plástico descartáveis assim para uma eficaz redução vinho veio da Quinta do Ministro, bem recebidos, está a ser fantásti- da não está feito, mas penso que
para consumo de café, de água na produção de resíduos». produtor do Vale do Mondego, e co», disse Eduardo Costa, segundo não será preciso muito dinheiro»,
houve tibórnias (pão torrado e o qual esta é «uma tradição que adianta o responsável, que espera
molhado em azeite) para acom- tem que se manter». ter elementos e mais dados sobre
Celorico da Beira panhar. A tarde começou com a Já o presidente da Junta con- o “Magusto da Velha” «dentro de
Concerto de Reis no domingo missa evocativa da “velha”, que sidera o “Magusto da Velha” como dois anos». «O trabalho de desco-
este ano também foi dita em o «dia de Aldeia Viçosa». Luís dificação daquela caligrafia antiga
O Centro Cultural de Ce- Figo Maduro. Segundo a orga-
memória de António Martins, o Prata acrescenta que é também leva tempo», justifica Luís Prata.
lorico da Beira recebe, no do- nização, participam ainda os
único soldado nascido em Porco um ritual que «celebra a solida- Quanto aos 12 cêntimos entregues
mingo, um concerto de reis grupos Forno Musical, O Sal-
(antigo nome de Aldeia Viçosa) e riedade» dessa velha muito rica pela Fazenda Pública, «nunca che-
cujas receitas irão reverter para gueirinho, Os Fidalguinhos, Os
morto na Iª Guerra Mundial, a 16 porque há mais de 400 anos deu gamos a ver esse dinheiro, é patri-
instituições particulares de soli- Feiticeiros de Hórus, Os Bazó-
de junho de 1917. de comer aos pobres da aldeia. monial, é mais um argumento que
dariedade social do concelho. fias, o Grupo Coral da Igreja de
Houve ainda uma dramati- «Numa altura em que se perdem vai ajudar à nossa candidatura, que
O espetáculo começa pelas Santa Maria, o Grupo Coral da
zação da atribuição da Carta de os valores, achamos importante será anexada à da Guarda, Capital
15 horas e tem como cabeça Igreja de São Pedro e o Grupo
Foro à Villa de Santa Maria de recordar este gesto», afirmou Europeia da Cultura 2027», refere
de cartaz o grupo musical Coral da Universidade Sénior.
Porco, em 1238, no reinado de o autarca, cujo objetivo é atrair o autarca de Aldeia Viçosa.
Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019 • • 13

Opinião Música

Concerto de Peter Hook no TMG


Ovo de Colombo

O Barulho das Coisas ao Cair


Melanie Alves*
DR

quase esgotado DR

A memória é trapaceira,
turva e inquieta. A memória res-
gata grandes fatias de sonhos e
embacia a realidade. Eu estava
no avião quando comecei a ler
“O Barulho das Coisas ao Cair”.
Não estava na sua Colômbia,
mas cruzei-me com a vida de
personagens que, por força do
destino ou da Divina Providência,
também se encontravam ligadas
a esse aparelho, que ora nos dá
asas para voar, ora nos dá asas
para cair. A queda, desta vez, se
acontecesse, seria catastrófica,
mas li, algures, que a melhor minha vida. E separámo-nos,
forma de começar a conhecer não queríamos separar-nos, mas
uma cidade é vê-la do alto. separámo-nos. A vida separou-
Colômbia é, para a maior nos, a vida tem dessas coisas.
parte das pessoas, o país do Fiz merda. Fiz merda e separámo-
ouro, do café, da aguardente nos. Mas o que importa não é
e do Gabo; para outros, uma fazer merda, Yammara, ouça-me
massa de sonhadores fascinados com atenção, o que importa não O ano só agora começou, Division e dos New Order, com singles, como o imortal “Love
pelos aviões; e, para alguns, é fazer merda, mas saber reme- mas já há um concerto da nova um estilo de tocar baixo muito will tear us apart”, bastaram
uma morada contaminada pelo diar a merda. Ainda que o tempo programação no Teatro Mu- original e distintivo (o chamado para solidificar um percurso
narcotraficante mais famoso do tenha passado, sejam lá os anos nicipal da Guarda (TMG) pra- “kooky style”). Em 2010, o mú- musical criativo e original, e
mundo e o seu paraíso pessoal: que forem, nunca é tarde para ticamente esgotado. Trata-se sico formou os The Light e com após o suicídio do carismático
la Hacienda Nápoles. A bonança consertar o que estragámos». do espetáculo de Peter Hook, esta banda tem corrido mundo Ian Curtis, os Joy Division de-
não andou perto deste território Aqui, as avarias provocam baixista dos míticos Joy Division a tocar o seminal repertório pressa se transformaram num
durante muito tempo e, no livro, demasiado ruído, as memórias e New Order, agendado para 13 daqueles grupos icónicos da mito e numa das grandes bandas
podemos sentir esse corpo es- desafiam a gravidade e, no trân- de abril. música independente britânica. de culto das últimas décadas.
tranho, ainda por cuidar, ora por sito dos pensamentos, assiste-se A mais de quatro meses de O concerto na Guarda intitula- Depois da morte prematura do
culpa de um passado mal amado, a várias tombos. Primeiro, ao de distância só restam 46 dos mais se. Os Joy Division são a mais vocalista e letrista Ian Curtis,
ora por inflamar uma geração, Laverde; depois, ao do avião; e, de 600 lugares do grande audi- importante e influente banda os restantes membros originais
demasiado exposta à guerra e mais tarde, a queda do próprio tório para uma das poucas apre- pós-punk da história. Entre formaram os não menos influen-
aos seus focos de tráfico. país: «Nos meus anos de vida sentações do músico britânico 1976 e 1980, a banda de Ian tes New Order, com uma direção
Antonio Yammara é a perso- ninguém soube explicar-me de em Portugal. Peter Hook, hoje Curtis revolucionou o rock com musical diferente e mais ligada
nagem que nos ajuda a percorrer forma convincente, para lá de com 62 anos, é considerado um apenas dois álbuns: “Unknown à pop eletrónica, abrindo novas
parte desse lugar mitológico, banais causas históricas, o por- dos músicos centrais na estética Pleasures” (1979) e “Closer” portas estéticas no seio deste
mas, a par disso, existe Ricardo quê de um país escolher como e composição musical dos Joy (1980). Estes discos e alguns género musical.
Laverde, que, logo no início, se capital a sua cidade mais remota
apresenta como uma incógnita: e escondida. Nós, os naturais Almeida
«O bilhar não era para ele um de Bogotá, não temos a culpa Pintura
passatempo, nem sequer um de sermos fechados e frios e
A arte de António Carmo Biblioteca municipal cede
concurso, mas a única forma que
Laverde tinha naquele momento
distantes, pois assim é a nossa
cidade (…) Gostaria de saber continua na Tinturaria e-books
A Biblioteca Municipal Maria Natércia Ruivo,
de estar em sociedade: o barulho isso, quantos saíram da minha Continua patente na galeria Tinturaria, na Co-
em Almeida, volta a inovar em 2019 no domínio
das bolas ao chocar, das contas cidade a sentir que de uma vilhã, a exposição “Memórias”, de António Carmo.
da promoção da leitura.
de madeira nos cabos, dos gizes forma ou de outra se estavam Trata-se de uma mostra de pintura e desenho
Depois do projeto “Bibliocafé”, que desde
azuis ao esfregarem-se contra as a salvar, e quantos sentiram ao do artista que a crítica especializada apelida de
2013 coloca livros à disposição de cafés e snack-
pontas de couro velho, tudo isso salvar-se que traíam alguma «grande mestre da cor». A obra deste pintor, que
bares do concelho raiano, e do “Bibliosaúde”,
constituía a sua vida pública. Fora coisa, que se convertiam nas celebra 50 anos de carreira, diferencia-se pela
direcionado para o centro de saúde de Almeida e
daqueles corredores, sem um ratazanas do proverbial barco utilização de cores fortes e brilhantes e por uma
extensão de saúde de Vilar Formoso, a instituição
taco de bilhar na mão, Laverde pelo facto de fugirem de uma figuração algo exagerada das formas. António
vai disponibilizar a partir deste mês a todos os
era incapaz de ter uma conversa cidade incendiada». O narrador Carmo (1949) estudou na Escola de Artes De-
utilizadores o empréstimo de livros digitais (e-
corrente, para não falar de uma conhece os motivos da sua corativas António Arroio, tendo participado em
books) e respetivos (e-readers). No total, há 67
relação”. Quem seria, então, este escrita; o autor fala, bem alto, exposições no estrangeiro. O seu trabalho está
títulos disponíveis para leitura, desde literatura
novo amigo de Yammara? Um sobre os medos humanos, sem representado em inúmeros museus e coleções
portuguesa a estrangeira, infantil e juvenil. Segun-
fantasma? Um nómada? Ou, ape- por isso simplificar a comple- em Portugal e no estrangeiro, nomeadamente em
do a Biblioteca Municipal Maria Natércia Ruivo, o
nas, alguém que morreu como as xidade dos acontecimentos; e museus de Itália, Cuba, Bulgária, Angola e Polónia.
objetivo desta iniciativa é «estimular o acesso aos
asas queimadas de Ícaro?». o leitor apenas terá de fazer a A exposição pode ser visitada até 8 de março, de
serviços e favorecer a promoção de atividades de
Inicialmente, sabemos da descolagem para aterrar sobre terça a domingo.
leitura e da escrita».
sua prisão, mas ignoramos a Ciudad de Sueño, de Aurelio
a causa; conhecemos o seu Arturo: «Yo os contaré que un día
convívio predilecto, mas, em vi arder entre la noche/ una loca Guitarra
ciudad soberbia y populosa,/ yo,
muitos aspectos, a sua vida
estancou; espreitamos parte de sin mover los párpados, la miré
João Rocha premiado no concurso internacional de Guimarães
uma sombra secreta, mas não desplomarse,/ caer, cual bajo un João Rocha, do Conserva- respetivo concurso internacio- dos seus professores e dos seus
reconhecemos o corpo. E como casco un pétalo de rosa». tório de Música da Covilhã, nal daquele evento. Para Carlos alunos». João Rocha é aluno do
uma súplica à espera de abrigo, obteve o segundo prémio do Salazar, diretor pedagógico do ensino articulado do Conser-
Laverde tenta voltar a voar, *A autora escreve de acordo Festival de Guitarra de Gui- Conservatório, «este prémio vatório de Música da Covilhã
mas, desta vez, sem o conforto com a antiga ortografia marães. é mais uma importante prova e frequenta atualmente o 7º
dos aviões, que sempre soube **Pode visitar: www. O guitarrista da classe do do crescimento sustentado nos ano de escolaridade, sendo já o
pilotar: «A Elena era o amor da aosomdapele.wordpress.com professor Francisco Franco últimos anos do Conservatório, segundo prémio que arrecada
distinguiu-se na categoria C do da qualidade do seu ensino, em concursos internacionais.
14 • • Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019 Publicidade

Prof. Doutor
PUB
Médico
Diogo Cabrita
Cirurgião geral L. Taborda Barata
tratamento de varizes
e suas complicações, Imunoalergologista
pequenas cirurgias,
hérnias, hidrocelos,
vesícula Litiásica.
Asma e Doenças Alérgicas
Marcações : (Clínica
Cembi) Rua Comendador Campos Melo, nº 29 – 1º Esq, Covilhã;
Tel: 275334876
Telef.: 271213445
Cliniform, Rua Mouzinho da Silveira nº 15 R/C, Guarda;
Protocolo com a Médis Tel: 271211905

Contacte-nos!
Tel: 271212153
Tlm: 964246413

Dr. José João Dra Assunção Vaz Patto J. Alexandre Marques


Garcia Pires Neurologista ORTOPEDISTA
Especialista pelos Hospitais da Universidade de Coimbra Médico Especialista pelo H.U.Coimbra
Consultas de Neurologia

ORTOPEDIA Exames: Electromiografia


e Potenciais Evocados
271 211 368
968 731 860
Consultas: CLIFIG – Clínica Fisiátrica da Guarda
CLIFIG - Rua Pedro Álvares Cabral -
Rua Pedro Álvares Cabral, Edíficio Gulbenkian GUARDA - Rua Batalha Reis, 2B, 1º
Edifício Gulbenkian, s/n
Telef.: 271 231 397 6300-745 Guarda ( Edifício da Farmácia da Sé )

Prof. Celso Pereira ADVOGADOS


Imuno-Alergologia António Ferreira, Paula Camilo
(Doenças Alérgicas) & Associados
Sociedade de Advogados, RL
Ass Graduado HU Coimbra /
Fac Medicina UC Telefone: 271 213 346 • Fax: 271 082 765
e_mails:
Covilhã: Clínica Médica Serra da Estrela antonio.ferreira.adv@gmail.com • paula.m.camilo@gmail.com
Galerias de S. Silvestre - Piso 3 Telf: 960023455
Guarda: Clínica de Fisioterapia da Guarda
Rua Alves Roçadas, nº 27 A, 1º CM2
Av. Rainha D. Amélia, nº 6 - 271238581/96 (ao lado da loja MANGO)
Coimbra: 239802700; 968574777 e 918731560 6300-663 Guarda

António Gil Advogado


Tel. / Fax 271 238 344
R. Dr. Lopo de Carvalho, 30-2º • 6300-700 Guarda

antonio.gil-5388C@adv.oa.pt
Filipe Pinto

Vende-se
Fotojornalista

Quinta com Casa, cerca de 12 ha


à beira do rio Mondego, perto das rotundas
Escadas do Quebra Costas, Nº 2 • 6200-170 COVILHÃ
da A25 e IP2 • Lageosa do Mondego Telef. 275 336 805 • Telem. 919 487 978 • Telem. 964 196 950
Contactos: 966473371 • 271926638 E-mail: filipepintofoto@sapo.pt • fotoacademica@hotmail.com

Diretor e Editor: Luís Baptista-Martins • Rua da Corredoura, 80 - R/C Dto - C • 6300-825 Guarda •
Redação: Luis Martins (Chefe de Redacção) e Ana Eugénia Inácio. • Conselho Editorial: António Ferreira, Nuno Amaral Jerónimo, Cláudia Quelhas, João Canavilhas, José Carlos Alexandre, Diogo Cabrita e Maurício Vieira.
Colunistas e Colaboradores: Acácio Pereira, Albino Bárbara, Ângela Guerra, António Costa, António Ferreira, António Godinho, Cláudia Quelhas, David Santiago, Diogo Cabrita, Eduardo Lourenço, Fernando Pereira, Fidélia Pissarra, Frederico Lucas, Hélder Sequeira, Honorato Robalo, João Canavilhas, Joana C. Pereira,
Joana Dente, João Mendes Rosa, João Morgado, João Santiago Correia, Joaquim Igreja, Jorge Noutel, José Carlos Alexandre, José Carlos Breia Lopes, José Pires Manso, Júlio Sarmento, Melanie Alves, Miguel Castelo Branco, Miguel Moreira, Miguel Sousa Tavares, Norberto Gonçalves, Nuno Jerónimo, Telma Madaleno e
Víctor Afonso. Desporto: António Silva, Arlindo Marques, Cristina Sofia, Daniel Soares, José Luís Costa, Miguel Machado e Rui Geraldes. • Cartoon: Maurício Vieira. • Paginação: Jorge Coragem • Projeto Gráfico: Maurício Vieira. • Departamento Comercial: Natalina Martins • Impressão:
FIG-Indústrias Gráficas, S.A. • Rua Adriano Lucas – 3020-265 Coimbra • Telefone 239 499 922 • Fax 239 499 981 • e-mail: fig@fig.pt • Sede, Redação e Publicidade: Rua da Corredoura, 80 - R/C Dto - C • 6300-825 Guarda N.I.P.C. – P-504847422. • Nº de registo na ERC: 123436 • Depósito
Legal:146398/00 • Tiragem desta edição: 7.200 exemplares • Periodicidade: Semanário • Edição Internet: O Interior • Propriedade: JORINTERIOR - Jornal • O Interior, Ldª. Detentores de mais de 10% do capital da empresa: José Luís Carrilho Agostinho de Almeida e Luís Baptista-Martins.
Estatuto Editorial: https://www.ointerior.pt/ficha-tecnica/ • Guarda - Redacção/Publicidade: 271212153 • www.ointerior.pt • publicidade@ointerior.pt

Classificados
Imobiliário Vende-se/Arrenda-se/Diversos Emprego Diversos
Férias. Praia da Oura - Albu- Sta Cruz, Guarda: 5,69 ha - Cul- Senhora desempregada, soz- Explicações Bio/Geo, ensino Banda Mega Star - Grandes Se tem problemas com o divórcio,
feira. T2. A 200 metros da praia. tura - Água - Lameiro - Pastagem. inha, séria e competente, procura personalizado - 1 ou 2 alunos (max). Músicas - João Marques Almeida. nós apoiamos-te. Acolher. Con-
Telef.289367024 Vendo. Tlm. 964278087 trabalho, nem que seja umas horas Prof. com 20 anos de experiência. Tlm. 914889442/919546447 (24h) tacto: 919568551
de limpeza. Tlm. 968339121 Guarda-Gare. T. 914617113
Vende-se Casa c/ terreno, água Arrendamento parcial, Executam-se trabalhos de con- Cavalheiro reformado com
e árvores de fruto. Mizarela. Bons Apartamento Mobilado na Guar- Procuro trabalho como Oferece-se Senhora desem- strução civil, pinturas, aplicação boa situação e casa própria,
acessos. Tlm. 965199646 da-Gare. Tlm.: 968362728 limpezas, passar a ferro, con- pregada cuida de senhora idosa de pladur, azulejos/mosaicos, en- assunto muito sério, procura
domínios, umas horas na res- e trabalhos domésticos. Zona da tre outros. Contacto: 960136446 senhora ate aos 70 anos. Informa
Vende-se Apart. Duplex c/ cobe- Trespassa-se loja de roupa tauração, cuidar de idosos ou Guarda ou Covilhã. Tlm. 911996779 telemóvel 911017067
rtura, 4 quartos, 3 WC, terraço, de criança, no centro da cidade crianças, etc. Contacto móvel: Senhora procura cavalheiro,
garagem, 230m2, acab. de luxo. (Guarda). Tel: 967871449 969497622 Cavalheiro solteiro, reformado, dos 50 aos 50 anos. Assunto Cavalheiro viúvo, com boa
Centro de Viseu. Telm. 910491439 sem filhos, deseja encontrar compa- sério. Tlm.: 965210062 situação, procura senhora até aos
nheira dos 50 aos 55 anos. Escrever 65 anos. Assunto sério e respeito.
para Luís Duarte Rato, Travessa das Informa tlm: 916497810
Moitinhas nº8, 6200-684 Teixoso
Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019 • • 15

Futsal Futebol

Sub-17 da AF Guarda com Tiago é o primeiro reforço do Sp. Covilhã


Tiago Moreira é o primeiro jogadores e vai inscrever o

boa prestação em torneio


reforço de Inverno do Sp. Co- defesa central Joel, que está
vilhã. O defesa direito de 30 anos a recuperar de lesão. Atual-
regressa ao clube que represen- mente, o Sp. Covilhã ocupa o

interassociações
tou entre 2014 e 2016. último lugar da IIª Liga com
O atleta alinhou no União 10 pontos, contabilizando
da Madeira e esta época esteve oito derrotas, quatro empates
DR vinculado ao Leixões, onde e duas vitórias. Ontem, após o
disputou apenas quatro jogos. fecho desta edição, os serranos
A direção do emblema serrano defrontaram o Sp. Braga B, 15º
prevê contratar mais quatro classificado.

Atletismo
Cristiana Valente e Davide Silva no pódio
da São Silvestre de Pinhel
Já é tradição e na “cidade pleto com Vítor Oliveira (Maia
falcão” voltou a correr-se no Atlético Clube), que correu os
último dia do ano a São Sil- 10 quilómetros em 28m30s e
vestre, que contou com 155 ficou em segundo lugar, tendo
participantes. sido terceiro Ricardo Figueiredo
Cristiana Valente (Recreio (Centro de Atletismo de Seia),
Três vitórias e uma derrota regressou às vitórias ao derrotar Carlos Franco), Marco Lopes (CDC
Desportivo de Águeda) foi a com 29m20s. Os atletas fizeram-
foi o saldo da participação da a seleção de Portalegre por 2-1 Pinheiro), Francisco Lourenço,
mais rápida na prova de absolu- se à estrada a partir das 16 horas
seleção distrital da Associação e no último dia voltou a vencer Nuno Aires, Miguel Antunes e An-
tos e correu os 10 quilómetros num percurso urbano. A São
de Futebol da Guarda (AFG) no frente à AF Madeira por 5-2. dré Neves (todos do CF Sabugal).
em 33m09s. Atrás ficaram Eli- Silvestre da Pinhel é a prova com
Torneio Interassociações de fut- Estes resultados garantiram A prova organizada pela Federa-
sabete Pereira (Recreio Despor- os maiores prémios monetários
sal masculino sub-17, que termi- à seleção da AF Guarda a in- ção Portuguesa de Futebol, com o
tivo de Águeda) com 33m45s e para os vencedores: 350 euros
nou no domingo em Vila Real. tegração no grupo dos quartos apoio da AF Vila Real, contou com
Ana Lourenço (Núcleo Despor- para os primeiros classificados
Na quinta-feira, os guar- classificados. Foram convocados a participação das 22 associações
tivo e Cultural de Odemira), com em masculinos e femininos. A
denses treinados por Marco para este torneio Rodrigo Penedo, distritais e regionais. Ao todo, fo-
35m52s. Em masculinos, Davide corrida foi organizada pelo
Santos venceram a formação João Cardoso, Simão Pissarra, ram disputados 44 jogos nos qua-
Silva (Sporting Clube Braga), município, com o apoio da
de Angra do Heroísmo por 7-4 Bernardo Lopes, Rodrigo Ribeiro tro dias da competição que se re-
com 28m28s, foi o primeiro Associação de Atletismo da
e no dia seguinte perderam 3-0 e Lucas Menegatti (todos do GDR alizou em Vila Real, Vila Pouca de
classificado. O pódio ficou com- Guarda.
com Évora. No sábado a Guarda Lameirinhas), David Pereira (ED Aguiar, Pedras Salgadas e Murça.
Publicidade
Todo o terreno PUB

Mário Patrão confiante num bom resultado


no Rali Dakar DR

Mário Patrão já está no Peru


para a sua sexta participação
no Rali Dakar, que começa na
segunda-feira e termina dia 17,
e desta vez vai correr com o es-
tatuto de piloto oficial da KTM, a
marca que venceu a competição
rainha de todo o terreno nas
últimas 17 edições.
Na semana passada, na
apresentação da equipa na sede
do Crédito Agrícola, em Lisboa,
o piloto de Paranhos da Beira
(Seia) afirmou que terminar «no
top 10 seria um bom resultado,
mas atendendo ao perfil da pro- 17 pilotos portugueses que vão
va será difícil, pelo que um lugar alinhar à partida do Rali Dakar
entre os vinte primeiros é possí- 2019, que será «uma das mais
vel e entre os 15 primeiros será duras de sempre», anteciparam
muito bom». Em declarações os organizadores na cerimónia
aos jornalistas, Mário Patrão de apresentação da prova no
acrescentou que a sua «missão é final de novembro, em Paris. Até
ajudar a KTM a ganhar o Dakar» dia 17, a caravana enfrenta cerca
e confessou que está a viver «um de 5.000 quilómetros, dos quais
sonho» que custa «cerca de 300 3.000 cronometrados, sempre
mil euros» por ano. «Estou com no Peru. A partida será dada
condições que são muito boas e em Lima, capital do país andino
que seriam difíceis de obter so- onde terminará a prova. Estão
zinho», disse o piloto, que falhou inscritos 534 participantes em
a última edição do Dakar devido motos, carros e camiões, entre
a uma apendicite. eles 17 portugueses. Em 2017,
Quanto à prova, o piloto da o piloto da KTM, pluricampeão
KTM conta com muitas dificul- nacional de todo-o-terreno,
dades, uma vez que «quase 70 terminou na 20ª posição. No ano
por cento das etapas» serão em anterior, Mário Patrão conquis-
trilhos de areia e dunas, mas tou a classe maratona num Rali
está confiante num bom resul- Dakar que completou no 13º
tado. Mário Patrão é um dos lugar absoluto.
16 • • Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019 Publicidade

VIDENTE
Com longos anos de experiência
RuadodoCampo,
Campo,55––1º1ºDto
Dto- -6300-672
6300-672Guarda
Guarda Lic.NºNº2890
2890––AMI
AMI
Rua Lic. CARTÓRIO NOTARIAL EM GOUVEIA
Telefone: 271211730-- 967543140
Telefone:271211730 964126775 www.predialdaguarda.pt
www.predialdaguarda.pt Trata inveja, mau olhado, espiritual, estudos, negócios, NOTÁRIA
ANA CRISTINA RIBEIRO CRUZ GOMES
VENDE empresas, amor, problemas familiares, saúde, etc.
V3 Guarda Vivenda isolada, no centro de aldeia, arrumos…. ...27.000€
ID:1220
ID:0000 T3 CentroCozinha c/ marquise,sala,1 quarto c/roupeiro,2wc´s. 39.000€
Sempre pronto a dar resposta aos seus problemas. ALTERAÇÃO DE ESTATUTOS
No dia vinte e oito de dezembro do ano dois mil e dezoito, no Cartório Notarial em
D:1003 T2 Guarda Bem localizado,1 wc, sala e um grande terraço……45.000€ Saiba tudo sobre o seu futuro e o porquê que tudo Gouveia, sito na Avenida 25 de Abril, perante mim, Licenciada Ana Cristina Ribeiro
ID:1235 V2 Centro Sala e coz. comum,2 quartos, anexos, logradouro.. 50.000€
ID:1158BT4 Centro Bem localizado, necessitar obras de remodelação..50.000€ corre mal em sua vida? Cruz Gomes, respetiva notária, compareceram como outorgantes:
- FERNANDO ANTÓNIO DE ALMEIDA RODRlGUES, casado, natural da freguesia e
ID:1231 T3 Guarda Lareira e despensa na cozinha, 2 wc´s, sótão…….53.900€ Não hesite, fale com quem sabe. Tenha FÉ: concelho de Fomos de Algodres, residente na Quinta das Ginjeiras, fração A, freguesia
ID:1234 T3 Guarda Coz. c/ despensa,1wc´s,sótão,lugar de garagem.. ..65.000€
ID:1243 Prédio C/ possibilidade de fazer 3 frações,anexos,logradouro..70.000€ 271238451 ou 969012923 de Infias, concelho de Fomos de Algodres, portador do Cartão de Cidadão n.º 08595639
ID:0577 V3Guarda C/3,em fase de acabamentos,quintal.Oportunidade 75.000€ 2ZZ0 válido até 19/12/2021, emitido pela República Portuguesa; e,
ID:0000 T3 Guarda Coz. mobilada, recuperador de calor, 2wc, sótão …85.000€ - JOAQUIM FERNANDO DA COSTA MOREIRA, casado, natural da referida freguesia
ID:0829 T3 Duplex Com lareira, 3quartos, 2wc´s, lugar de garagem… ..95.000€ de Infias, aí residente na Rua da Esgalhada, n.º 4, portador do Cartão de Cidadão n.o
ID:1105 Casas Rústicas Em pedra c/ 710m de terreno envolvente….100.000€
2
08252364 9ZZ4 válido até 12/0512019, emitido pela República Portuguesa, os quais
ID:1246 T2 Centro Completamente mobilado e equipado, wc, sótão…110.000€ outorgam neste ato na qualidade, respetivamente, de Presidente e Primeiro Tesoureiro
ID:1239 T3 Guarda Aquec. central a lenha e a gás, sótão, garagem …125.000€ da Direção da associação denominada:
ID:0956B V4 Guarda C/4 quartos, sótão habitável, garagem, quintal.. .150.000€ - “ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DE BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE FORNOS
ID:0220 Vivenda Isolada Dividida em três fracções T2, logradouro…. 160.000€ DE ALGODRES”, com o cartão de identificação de pessoa coletiva número 501 229
ID:0837 V4 Guarda C/ 2 pisos para habitação independentes, sótão...165.000€ 051, com sede em Fornos de Algodres.
ID:1235 V5 Guarda Sala e coz. comum c/ lareira,garagem p/2 carros. 185.000€ - Verifiquei a identidade dos outorgantes pela exibição dos retro mencionados Cartões
ID:1233 V4 Guarda C/4 quartos, escritório, sótão, garagem, quintal… 200.000€ de Cidadão; a qualidade e suficiência de poderes para este ato pelos estatutos da
ID:1230 V4 Guarda Painéis solares,3wc´s, garagem,sótão,logradouro240.000€ referida associação, aprovados em quinze de março de dois mil e dezoito, conforme
verifiquei pela escritura de Alteração de Estatutos da Associação, lavrada nessa data
ARRENDA no Cartório Notarial de Fornos de Algodres, exarada com início a folhas cento e vinte
ID:0972C Escritório Guarda Centro Com 30m² e óptimas vistas………….150€ e quatro do Livro de Notas Para Escrituras Diversas número “Cinquenta - C”, de que
ID:0834 T1 Centro Coz. mobilada, sala, 1 quarto, 1 wc, boa localização….175€
me foi exibida uma certidão passada na mesma data pelo referido Cartório; pela ata de
ID:1069 T2 Centro Coz .mobilada, despensa, sala, 2 quartos,1 wc……. ….250€
Tomada de Posse, datada de vinte e dois de janeiro de dois mil e dezassete, e pela ata
ID:0789 T1 Centro Coz. mobilada, sala, 1 quarto c/roupeiro, 1 wc, sótão. ..250€
número quarenta e oito da Assembleia Geral da referida Associação, datada de trinta
ID:1081B T3 Guarda Cozinha c/lareira,3 quartos,1wc´s,arrecadação……. ..260€
de novembro de dois mil e dezoito, de que arquivo públicas-formas.
ID:0344B T1 Centro Coz.mobilada, quarto c/roupeiro, 1 wc, arrecadação.. .300€
E POR ELES, na referida qualidade, FOI DITO:
ID:0979 T3 Guarda Todo mobilado, equipado,marquise,2 wc´s,despensa. .275€
ID:1042 T3 Guarda Próximo do Forninho,3 quartos, roupeiros,2wc´s…......330€
- Que, pela presente escritura, em execução da deliberação tomada por unanimidade
ID:1203 T1 Guarda Cozinha. Mobilada, aquec.central, roupeiro, 1 wc…. …250€
na referida Assembleia Geral, convocada e realizada com observância dos termos
IID:0000 Loja Centro Com boa área,c/ licença p/ comércio e serviços..… ..750€
legais e estatutários, vem formalizar a alteração do artigo terceiro, número três, o qual
passa a ter a seguinte redação:
Predial da Guarda, VENDE, ARRENDA E ADMINISTRA IMÓVEIS
desde 1998 – IMOBILIÁRIA DE CONFIANÇA -
Tribunal Judicial da Comarca da Guarda ” Artigo 3º.
3 - De entre as atividades previstas no número anterior, fica desde já consignado
Juízo de Competência Genérica de Celorico da Beira que, entre elas, inclui -se a gestão e exploração de atividades de caráter cinegético
Palácio da Justiça - Praça da República e piscícola, nomeadamente, a associação tem como objetivo, gerir zonas de caça de
Empresa de transportes admite: 6360-306 Celorico da Beira interesse associativo e/ou municipal, gerir zonas de pesca lúdica, participar na gestão
Telef.: 271747490 • Fax: 271090249 • Mail: cbeira.judicial@tribunais.org.pt de zonas de caça de interesse nacional ou municipal e zona de pesca lúdica em águas
COMERCIAL interiores com os seguintes fins:
Procuramos profissional com o seguinte perfil:
• Fluente na língua francesa (imprescindível);
ANÚNCIO a) Ter finalidade recreativa e formativa dos caçadores e pescadores, contribuindo para
o fomento dos recursos cinegéticos e piscícolas e para a prática ordenada e melhoria
• Conhecimentos de língua inglesa; do exercício da caça e da pesca em águas interiores;
Processo: 171/18.0T8CMB Referência: 26599117 b) Fomentar e zelar pelo cumprimento das normas legais sobre a caça e a pesca;
• Informática na ótica do utilizador; Interdição / Inabilitação Data: 21-12-2018 c) Promover ou apoiar cursos ou outras ações de formação, tendentes à apresentação
• Valorizam-se conhecimentos e relações comerciais dos candidatos associados aos exames para a obtenção de carta de caçador;
no setor de transportes; Requerente: Ministério Público d) Promover ou apoiar cursos ou outras ações de formação ou reciclagem sobre gestão
Requerido: Maria Emília Silva Martins de zonas de caça e de pesca lúdica e conservação da fauna e dos seus habitats;
Oferecemos:
e) Procurar harmonizar os interesses dos caçadores e pescadores com os proprietários,
• Formação; agricultores, produtores florestais ou outros cidadãos interessados na conservação da
• Disponibilização de computador portátil; Faz-se saber que foi distribuída neste tribunal, a ação de Interdição/ fauna preconizando as ações que para o efeito tenham por convenientes;
• Trabalho a partir de casa; Inabilitação em que é requerida Maria Emília Silva Martins, solteira, filha f) Promover a prática da caça e da pesca lúdica e tiro, bem como, tudo o que se
de José Martins e de Maria de Lourdes Ferreira da Silva, nascida em 07-08- relacione com interesses da natureza;
Enviar Curriculum Vitae para Apartado 196, 6300-909 GUARDA
1936, residente em Linhares da Baira com o NIF - 158511115, actualmente g) Sem fins lucrativos.”
residente no Lar de Santa Rita - Vila Boa do Mondego - Celorico da Beira, - Em virtude destas alterações, a redação atualizada dos referidos estatutos é a
PUB
para efeito de ser decretada a sua interdiçao por anomalia psíquica. constante do documento complementar que arquivo, elaborado de harmonia com o
disposto no n.º 2 do art. 64º do Código do Notariado.
ASSIM O DISSERAM E OUTORGARAM.
A Juiz de Direito, - Esta escritura foi lida e feita a explicação do seu conteúdo aos outorgantes, tudo em
voz alta, na presença simultânea de ambos.
Dra. Maria Beatriz de Castro Tavares Monteiro Pacheco

O Oficial de Justiça,

Carlos Lopes
O Interior, nº 991 de 03/01/2019 O Interior, nº 991 de 03/01/2019

Vende-se
Apartamento T1 - NOVO
nos Castelos Velhos (Guarda) Contacte-nos!
Tel: 271212153 • Tlm: 964246491
Contacto: 919800065
Cupão de Anúncios Classificados
Envie o seu anúncio classificado para Jornal O Interior, Rua da Corredoura, 80 R/C Dto C • 6300-825 Guarda
Condições gerais dos classificados
Localização Identificação
do anúncio
1. Preencha o cupão com texto em maiúsculas,
deixando um espaço entre cada palavra. Nome: __________________________________________________________________
Grátis

2. O preço é acrescido de IVA à taxa legal em vigor. Imobiliário


*

3. É obrigatório o envio do número de contribuinte (NIF).


4. A identificação é um campo de preenchimento
Vende-se Aluga-se Morada: ________________________________________________________________
obrigatório. A falta de elementos pode implicar a não Trespassa-se Diversos
publicação do anúncio.
5. A “O Interior” reserva-se o direito de rejeitar a
Emprego Código Postal: ________ - _____ Localidade: ___________________________
Euros
2,50

publicidade que não esteja de acordo com a sua Oferece-se Precisa-se


orientação editorial.
6. A recepção de anúncios para cada edição Veículos Contribuinte nº: _________________ Contacto: ______________________
termina 72 horas antes da data da publicação. Vende-se Procura-se
7. Não se aceitam cópias, faxes ou emails deste cupão. Assinatura ________________________________ Data ___/___/______
Euros
4,00

Diversos
* Grátis até à 2ª publicação, a partir
da qual acresce um custo de 2 euros. Para esclarecimentos pode contactar-nos através do telefone 271212153 ou para ointerior@ointerior.pt

Modo de Pagamento: O recibo ser-lhe-á enviado posteriormente


Transferência Bancária (forma mais rápida e vantajosa) Transferência Avulsa Transfira o valor em questão para o NIB indicado e junte
Autorização de pagamento: Exmos Senhores, por crédito na conta abaixo indicada, queiram proceder,
até nova comunicação aos pagamentos das subscrições que vos forem apresentadas pelo Jornal O Interior. IBAN: PT50 001000002256785000177 a este cupão o talão comprovativo da transferência.

Banco _____________ Balcão _____________ NIB _________________________ Data ___/___/______ Assinatura ________________________________________
Nome do Titular _______________________________________________________ Cheque / Vale Postal nº _____________________ Banco _________________
Data ___/___/______ Assinatura ________________________________________ Numerário
Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019 • • 17

Atletismo Atletismo
António Silva e Tânia Pereira venceram Alexandre Venâncio e Beatriz Rebelo
dominam São Silvestre da Covilhã
São Silvestre da Serra da Estrela DR
Alexandre Venâncio (CA mente, de Carlos Sanches (Casa
António Silva (Sporting) e Seia) ganhou no domingo a do Benfica Castelo Branco),
Tânia Pereira (ACR de Cambra) 40ª Corrida de São Silvestre da em 27m29s, e de Bruno Reis
venceram no domingo a 32ª ed- Covilhã, organizada pelo CCD (Estrela CF), em 28m49s. Nas
ição da Corrida de São Silvestre “Leões da Floresta”. senhoras ganhou Leonilde An-
da Serra da Estrela, realizada em O atleta natural do Alcaide tunes (CCD Leões da Floresta),
Loriga (Seia). (Fundão) tinha ganho a São com a marca de 36m26s. O
O atleta leonino correu os Silvestre de Castelo Branco pódio ficou completo com Sara
5.600 metros do percurso urb- dois dias antes e voltou a Meirinho (Estrela CF), segundo
ano em 19m01s, com o segundo bater a concorrência num com 39m19s, e Daniela Mar-
classificado, Abílio Gonçalves exigente percurso de 7.800 tins (Casa do Benfica Castelo
(ACR Senhora do Desterro), a metros pelas ruas da “cidade Branco), terceira com 39m24s.
terminar 51 segundos depois. O neve”. Alexandre Venâncio A São Silvestre da Covilhã
colega de equipa Marco Marques cortou a meta com o tempo de contou com a participação de
completou o pódio com a marca 26m44s, seguido, respetiva- cerca de 180 atletas.
de 20m05s. Em femininos a
corrida foi mais discutida, já
Judo
que onze segundos separaram
a primeira da segunda clas- Emanuel Martins convocado
sificada. Tânia Pereira venceu
em 26m53s, à frente da colega para o Europeu DR
de equipa Tatiana Silva, ainda Guarda, contou com a partici- em infantis; Rute Rocha e Vasco
júnior, que concluiu os 5.600 pação de 55 atletas de diferentes Silva (ambos da ACR Cambra)
metros em 27m04s. Célia Matias escalões etários. Helena Silva foram os primeiros em iniciados;
(CP Mangualde) foi terceira com (ACR Cambra) e Samuel Almeida e Beatriz Rodrigues e Miguel
o tempo de 27m20s. A prova or- (Maratona Clube Vila Chã) gan- Damião (ambos da ACR Cambra)
ganizada pelo Grupo Desportivo haram em benjamins; Carolina ganharam em juvenis. Por úl-
Loriguense, com a colaboração Carvalho e Ricardo Gomes (am- timo, Sérgio Santos (GCA Donas)
da Associação de Atletismo da bos da CP Mangualde) venceram venceu a corrida dos veteranos.

Futebol
AF Guarda organiza torneio interassociações
feminino de sub-17 Emanuel Martins, judoca e mundiais do judo. Emanuel
A Associação de Futebol da Os jogos vão ter lugar no horas) as anfitriãs jogam com formado no Sabugal e a es- Martins é o atual vice-campeão
Guarda organiza a partir desta Estádio Dr. Fernando Lopes Coimbra em Vila Franca das tudar atualmente na Univer- nacional de sub-23 e aproveitou
sexta-feira o Torneio Interasso- (Trancoso) e no Estádio do Naves. A competição termina no sidade de Aveiro, foi convo- as férias natalícias para partici-
ciações de futebol feminino sub- Picoto (Vila Franca das Naves). domingo (10h30) com a partida cado pela terceira vez para a par nos treinos de preparação
17, que será disputado pelas Amanhã (19 horas), a Guarda Aveiro-Coimbra. A seleção da AF seleção nacional de judo que dos judocas cadetes (na foto) da
seleções de Aveiro, Coimbra e defronta Aveiro na “cidade de Guarda é treinada por Rita Al- vai competir no Europeu da Associação de Modalidades De-
Guarda. Bandarra” e no sábado (15 meida, que se estreia no banco. modalidade, que terá lugar em sportivas Amadoras (AMDA) do
Odivelas no início de fevereiro. Sabugal que este sábado e no dia
A prova conta para a classi- 19 vão disputar o apuramento
Orientação ficação olímpica e vai reunir as para o campeonato nacional do
Taça de Portugal arranca em Aguiar da Beira grandes delegações europeias escalão.
Aguiar da Beira vai abrir a tem como objetivo o desenvolvi- tugal e no mundo». Será a quarta
época da Taça de Portugal de mento da Orientação naquele vez que o município acolhe Corta-mato
Orientação pedestre nos dias 25
a 27 de janeiro.
concelho do distrito da Guarda.
O financiamento vem do pro-
uma prova desta importância e
será mais um teste com vista à GD Trancoso organiza corrida
Duas das três provas da
competição organizada pela
grama de valorização do interior
do Turismo de Portugal. Para
organização do Campeonato do
Mundo de Juniores de Orientação
no sábado
O recinto da Escola da pelo Grupo Desportivo de
Federação Portuguesa da mo- Joaquim Bonifácio, presidente Pedestre, que terá lugar em 2021.
Secundária com 3º Ciclo Gon- Trancoso e terá corridas para
dalidade, em parceria com o da Câmara de Aguiar da Beira, Em termos competitivos, no dia
çalves Anes Bandarra, em todos os escalões etários, com
Clube de Orientação de Estar- a prova «constitui mais um im- 25 terá lugar a prova de sprint
Trancoso, acolhe no sábado a percursos que vão dos 600 aos
reja e a autarquia local, contam portante passo na afirmação do (WRE), realizando-se a prova de
corrida de corta-mato “Terras 6.250 metros. A atividade con-
para o ranking mundial da Fed- concelho como um território de distância longa no dia seguinte.
de Bandarra”. ta com o apoio do município
eração Internacional (WRE). A excelência para a prática desta O último dia está reservado à
Com início agendado para local e da Secundária Gonçalo
atividade está incluída num pro- modalidade que atrai cada vez prova de distância média (tam-
as 15 horas, a prova é organiza- Anes Bandarra.
jeto pioneiro em Portugal e que mais atletas e adeptos em Por- bém WRE).

Cupão de Assinatura
Identificação: Nacional_ ____ Semestral.. (12,5€) Anual.. (25e)
Nome: _________________________________________________________________________________________________________
Estrangeiro_ Semestral.....(15€) Anual.. (30e)

Morada: ________________________________________________________________________________ Código Postal: _________ - ______ Localidade: _____________________________________________

NIF: ________________________ Telefone/Telemóvel: __________________________________________________ Email: ________________________________________________________________

Modo de Pagamento:
Enviar para: Rua da Corredoura 80, R/C Dto C • 6300-825 Guarda
Transferência Avulsa
IBAN: PT50 001000002256785000177
Data ___/___/______ Assinatura ________________________________________ Assinatura __________________________________________________ Data _____/_____/________
Transfira o valor da Assinatura para o NIB indicado e junte a este cupão o talão comprovativo da transferência.
O Jornal O Interior compromete-se a adoptar as medidas de segurança necessárias para garantir a salvaguarda dos dados
Cheque / Vale Postal nº _____________________ Banco _________________ pessoais / empresas dos assinantes contra a sua eventual utilização abusiva ou contra o acesso não autorizado.
O contrato de assinatura renovar-se-á por iguais e sucessivos períodos de tempo (seis/12 meses), até que qualquer das partes
Numerário denuncie a desistência por meio de comunicação escrita com antecedência mínima de 30 (trinta) dias.
18 • • Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019

TresLer
opinião opinião
Joaquim Igreja António Godinho Gil
www.bocadeincendio.blogspot.com
joaquim.igreja@gmail.com

Uma cebola crua e um saco cheio Nivoso


1. Ler um livro numa viagem de transparência, da capacidade de viver 1. Após o dia de Natal, fui levar um mostra lutar pela empatia contra a vaidade
comboio de 4 horas e pouco não é sem tanto Estado. Vaidoso, o livro familiar à estação da CP da Guarda, a fim é encarado como um bizarro...
coisa impossível mesmo se o livro tem vai apresentando as vitórias sobre os de viajar no IC das 7 horas para Lisboa. 3. À frente dos destinos da nação, um
350 páginas. A escrita das memórias poderes, a resistência à integração nos Fomos logo informados que nesse dia não governo de perdedores. Preocupados em
é leve. É assim que acontece com partidos, o combate contra os projetos era previsível que houvesse comboios. restabelecer os privilégios dos “seus” e
“Cebola crua com sal e broa”, tenta- autárquicos destruidores do sentido da Motivo: greve. Tal como em anos anterio- navegar à vista de terra. Sem ambição, sem
tiva memorialística de Miguel Sousa cidade (ex. o Terminal de Contentores res, em 2018 não passou um mês em que uma ideia de reforma. Sacar ao máximo,
Tavares (MST). Não consegui acabá- de Alcântara). Aqui e ali, no meio da não houvesse uma greve sectorial na CP. penalizar o património, impor rendas ao
lo na viagem mas cheguei aos dois sua autoglorificação de jornalista, uma Desta vez, foi dos revisores. E o Governo sector produtivo e desmantelar a tradição,
terços. O que diz também algo sobre pequena amargura de ter perdido a só assegurou os serviços mínimos nas a cultura popular, a família, as crenças,
a maior capacidade que temos numa carreira de advogado ou de diplomata, linhas urbanas. As circulações de longo através da engenharia social fracturante.
viagem de comboio de nos alhearmos mas sempre por iniciativa própria. curso foram as mais afectadas. A greve Eis o seu portfólio. Depois de Pedrogão,
da agitação da casa e de arranjar uma Isto é: só não foi mais porque não terminaria supostamente às 00h00. No dos incêndios de Outubro, de Tancos, de
parcela de silêncio favorável à leitura. quis. Acaba por revelar uma pequena entanto, misteriosamente, nesse dia não Borba, do helicóptero perdido, o manto
A solidão necessária, boa. “cunha” para entrar no “República” houve comboios. Porquê? Ninguém sabe. E da impunidade continua a reinar. Mas
Quanto ao livro, quem viveu o mas isso «não é nada». No resto da os milhares de cidadãos que foram passar quem pretende manter alguma sanidade
25 de abril e a transição para a de- atividade de jornalista, sempre deixou o Natal com a família vêem-se assim obri- e algum respeito por si próprio não pode
mocracia reconhece facilmente todas lições a quem ficou. E o próprio título gados a improvisar, para não dizer outra compactuar com este carrocel de corruptos
as temáticas: os dias da alegria reen- da obra dá a entender mais sacrifício coisa. Como se vivêssemos num cenário de e gente pouco recomendável. Não respirar
contrada em 1974; a tentação comu- na vida do que realmente um filho de guerra. Ou num país do terceiro mundo. As o mesmo ar pestilento. Não os poupar ao
nista da hegemonia por via da rua, da classes médias suportou. Tiveste boa greves são um instrumento reivindicativo sarcasmo. Deixar-lhes o destino da go-
”reforma agrária” e da ação sindical; vida, Miguel. que deve ser usado com parcimónia. A vernação, mas tomar em mãos o nosso.
a resistência do PS e de Soares; o 2. Quando um admirador de Eça excepção e não a regra. Na CP, tal como Ignorá-los, se estivermos ocupados com
verão quente; o movimento europeu depara com um jovem que acaba de noutras empresas públicas de transpor- coisas importantes. Afugentá-los ao zaga-
de apoio aos partidos democráticos e à “recusar” a leitura de “Os Maias”, tes, as greves são uma forma corrente de lote, se importunarem. Desobediência civil.
“normalização”; a aparente indiferença dando como desculpa a extensão da chantagem. Usadas precisamente porque é 4. No Netflix está disponível uma
e “bom-senso” da União Soviética ao obra ou as longas descrições, a res- sabido que lesam directamente os utentes. excelente série biográfica sobre Trotsky,
não embarcar na ideia de uma “ilha posta só pode ser a liberdade de ler e Muitos deles sem alternativas. Houvesse com produção russa. Focado sobretudo
soviética” no extremo ocidental da a reprimenda da preguiça em nome um Governo com coragem para privatizar no período anterior à Revolução de Ou-
Europa. Finalmente a crítica contínua de que “o que é bom não é dado”. o sector público dos transportes e este tubro e no seu exílio mexicano, antes de
ao Estado que temos, empregador, Na verdade, em tempos de rejeição regabofe acabaria de imediato. Veja-se o ser assassinado a mando de Estaline. No
mole e permissivo aos interesses e do livro, é preciso orientar a leitura exemplo da Fertagus. Uma empresa que primeiro caso, os anos de formação política
corporações. Mesmo nos tempos de do que não é imediato e apresentar apresenta resultados líquidos largamente e as origens do percurso revolucionário
Soares, que MST admirou. caminhos para aquilo que não parece positivos. Que oferece um serviço de qua- do homem que, curiosamente, adoptou o
Um livro de memórias é sempre tão atrativo, atacando as desculpas. lidade e sem falhas. E onde a negociação nome do seu carismático carcereiro quan-
em metade um livro sobre a realidade Eça não pode ser objeto de unanimi- colectiva funciona. Sem greves. Todavia, a do esteve preso. E que, depois de fugir ao
e na outra metade sobre quem viveu dades, como no seu tempo o não foi qualidade de um serviço público não é, ou degredo siberiano, se instalou nas capitais
a realidade. Miguel Sousa Tavares também, mas este escritor tem ainda não devia ser, aferida por quem o presta: europeias. Em grande medida subsidiado
concentra-se pouco na infância e ju- tanto para nos dizer... entidade pública ou privada. Na perspectiva por magnatas germânicos que patrocina-
ventude, de que refere apenas breves Numa exposição sobre um escri- do utente, é indiferente. O que está em vam as vozes da revolução mais capazes de
passagens: o “desterro” numa escola tor deste calibre aprende-se sempre causa é a eficácia e a acessibilidade. Já desestabilizar a Rússia. Incluindo Lenine.
primária no Norte; o ensino liceal no mais qualquer coisa. É o caso de para o cidadão comum interessa é a relação Nesse período há dois momentos fascinan-
Colégio São João de Brito (Lisboa), “Tudo o que tenho no saco – Eça e custo-benefício e as boas práticas de ges- tes. O primeiro, quando o seu sponsor o
de que diz horrores; a normalização Os Maias”, até 18 de fevereiro na tão, caso se trate de serviços financiados avisou dos perigos de um revolucionário
no Liceu Gil Vicente. Depois destaca a Fundação Gulbenkian. Para além pelos impostos. Mas se forem praticados com um bom discurso não se apresentar
vivência de recusa do regime dos anos de se tomar contacto com a “banda por privados, em regime de concessão ou bem vestido. Pois que o discurso, só por
60-70 na Faculdade de Direito, entre sonora” das peças musicais referidas contratualizados caso a caso, os critérios si, apenas conseguiria atrair os proscritos.
a extrema-esquerda e os “gorilas”. na sua obra e com alguns objetos que apontados, aglutinados numa constante O segundo é o seu encontro com Freud,
MST diz ter herdado esta capacidade a Fundação Eça de Queirós apresenta, a que poderíamos chamar racionalidade em Viena, em 1908. O fundador da psi-
de dizer “não” do seu pai, Francisco a exposição vai alinhando também os económica, são, em si mesmo, condição canálise acentuava o facto de a vontade
Sousa Tavares, fraco “gestor da casa” objetos modernos em que a sua obra de sobrevivência. Porque a margem de de enriquecer ser a forma mais básica e
mas forte opositor tanto do regime se transformou (filmes, séries e os manobra é mais reduzida. Mas uma gestão avassaladora de manifestação do desejo
de Salazar-Caetano como da deriva quadros de Paula Rego a propósito de eficaz está longe de ser apanágio do sector sexual. E a revolução ser semelhante a
revolucionária de 1974-75, reconhe- “O Crime do Padre Amaro”). Ao longo privado. Portanto, em resumo: nem a pri- uma conquista erótica. Trotsky argumen-
cendo-lhe a «repulsa pela autoridade das seis secções irrompem, repetidos, vatização ou a nacionalização garantem um tou, tentando minar as suas teses, mas
estabelecida» e uma «coragem intele- o desejo de intervir no país, a recusa melhor serviço público. Tendencialmente, sem resultado. Talvez por suspeitar que o
tual, pessoal e física» incomparável. do romantismo, a atração pelo realis- uma gestão privada é capaz de evitar es- poder só faz sentido se modificar quem o
Da sua mãe (Sophia de Mello Breyner) mo, a fantasia sempre à espreita, a banjamento de recursos e irracionalidade exerce, para depois se retirar, mas nunca
recorda a presença segura de timonei- ironia como pedra de toque, o conflito económica. Até prova em contrário... para assim se tornar quem sempre desejou
ra da casa, a ternura e a calma, apesar entre a moral estabelecida e a vontade 2. Como eu percebo o Pessoa do ser. Fascinante.
dos balanços contínuos. Quando num de infringir, os lugares percorridos “Poema em linha recta”!... A fragilidade 5. Fixar-me em perda. Seguir essa li-
poema a mãe refere «Porque os outros por Eça no mundo. Em todos estes escondida dos super-heróis com que nos nha. Devagar. Enlouquecer só depois. Num
caminham à sombra dos abrigos / e tu tópicos a evidência de Eça de que é deparamos no quotidiano é tão real como épico de reprise. Sem receio do sangue que
vais de mãos dadas com os perigos», preciso mostrar esta «vasta máquina» a fragilidade que se mostra, sem máscaras nos deixa e da flecha que nos persegue. Em
MST garante que é ao pai que se refere. do mundo e que tem o “saco cheio” e sem medo. O problema está em que a perda. Na linha que me segura e faz perder.
O menos bom deste livro é o para contar. força da que está à vista põe a nu aquela Umas vezes, levado pelos mistérios que ela
tom sempre um pouco arrogante, Feliz ano 2019! que se varre cuidadosamente para debaixo percorre. Outras, tropeçando para chegar
autoencomiástico e justificativo de (“Cebola crua com sal e broa”, do tapete. E quanto mais se tapa, mais se mais depressa. Cair muitas vezes sem tocar
MST, que continuamos a reconhecer de Miguel Sousa Tavares; Exposição odeia quem expõe essa fraude à luz do dia. no chão. Em estado geral de perda.
em cada semana no “Expresso”. “Tudo o que tenho no saco – Eça e os Sem perceberem a dimensão da dádiva
Para si próprio, MST é o cúmulo da Maias”, na Fund. Gulbenkian, até 18 que esses anjos delicados lhes sussurram. * O autor escreve de acordo com a
coerência, da seriedade, da lisura, da de fevereiro) Tempos complicados os nossos. Quem antiga ortografia
Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019 • • 19

mitocôndrias e quasares
opinião
Os Deuses e as
opinião
João Mendes Rosa
António Costa
antoniomanuelcosta@gmail.com
rochas
Alguns povos antigos viam nas formas das rochas de Campos de Ursos”. Dizem que a forma de estrias

A prática revigorante a obra dos deuses. Estrias poligonais, torres perfeitas,


cores uniformes e outras surpreendentes figuras na-
verticais da torre foi provocada pelos arranhões de um
urso gigante. A estrutura emergiu na mesma época
turais eram tão bonitas, e às vezes tão perfeitas, que da Calçada dos Gigantes com a sua forma atual e as
de ler não pareciam obra da natureza, mas sim de poderes
“superiores”.
estrias poligonais foram modeladas pela erosão durante
milhões de anos.
“Leer, leer, leer; ¿seré lectura mais recônditos e despertar a A formação das 40 mil colunas basálticas (colunas A epopeia de Gilgamesh é outro exemplo de como
mañana también yo? capacidade de nos comovermos prismáticas de material vulcânico), denominada de os antigos incorporaram eventos naturais nos seus mitos
¿Seré mi creador, mi criatura, ou deslumbrarmos com situa- Calçada dos Gigantes, na Irlanda do Norte (na foto), para explicar a Terra e os seus mistérios. A narrativa
seré lo que pasó?” ções que a celeridade da vida é uma destas formas que incentivaram a imaginação das aventuras de Gilgamesh foi registada em placas de
Miguel de Unamuno nos quer vedar: a revelação de dos homens. Trata-se de uma verdadeira maravilha da argila e escrita cuneiforme, de origem babilónica, que
um mundo que os nossos pés natureza que inspirou, no ser humano, a ideia do divino. foram encontradas em Nippur, perto da atual Bagdade
“Ingrediente fundamental reprimiram, apenas porque, sem Conta a lenda que dois gigantes estavam em confronto (Iraque). É considerada a referência escrita mais antiga
do bem-estar” lhe chamou C. nos darmos conta, nos fomos e viviam um na Irlanda e o outro na Escócia. Um deles da história. Um dos relatos é o do grande dilúvio, ao
S. Lewis em “An Experiment in tornando demasiado pesados… construiu uma ponte com as rochas existentes no local qual escapou um escolhido pelos deuses, antecedente
Criticism” (“A experiência de ler”, Há dias, no metropolitano, para enfrentar o seu arqui-inimigo, mas a mulher do gi- claro da história da Arca de Noé, que aparece na Bíblia.
1961); as endorfinas que muitos deparei-me com um jovem a ler gante ameaçado disfarçou-o de bebé. Por prudência (se Na Grécia e na Roma antigas muito dos deuses
buscam – e bem – no ginásio, há e a fazer anotações numa velha o bebé era desse tamanho, o pai deverá ter pelo menos eram identificados com processo geológicos, caso
quem porfie em encontrá-las no obra de Hipólito Raposo – que, o triplo), o primeiro decidiu voltar para trás, destruindo das erupções vulcânicas da Sicília, atribuídas ao deus
momento solitário e sublime da por sinal, estudara no Seminário a calçada que tinha construído. A formação destas Vulcano.
leitura. É certo que são cada vez da Guarda e do qual fora expulso estruturas remonta há mais de 60 milhões de anos, O Bosque de Pedras de Huayllay, em Pasco (Peru),
menos as pessoas dotadas de por questões ridículas. O jovem quando a América e a Europa começavam a distanciar- é outra das maravilhas geológicas que alimentou mitos.
sensibilidade literária: o vulgo, leitor deglutia sofregamente “Ana se, provocando uma fratura entre o oeste da Escócia e Foram escritos milhares de relatos sobre este lugar que
desfortunadamente, nega-se a a Kalunga”: uma obra de arqueo- o nordeste da Irlanda. O movimento de placas gerou inspira pensamentos fantásticos. Ali, a mais de 4.300
reconhecer nela uma atividade logia literária, que já ninguém lê – uma erupção vulcânica cuja lava arrefeceu lentamente, metros de altitude, existem mais de 4.000 formações
humana como qualquer outra, mas uma lição vera de boa prosa. formando poliedros iguais justapostos. rochosas, com figuras humanas e animais, como aves,
daquelas que têm consequências Tentado a abordá-lo, sustive o A Torre do Diabo, no Wyoming (Estados Unidos), elefantes ou tartarugas. As “wankas”, ou pedras paradas,
visíveis e materializáveis como ímpeto. Quem sabe se não o iria possui também a sua lenda. Para os índios kiowas e estão sempre nos relatos sobre a petrificação de heróis
a jardinagem e o “jogging”, por arrebatar a um sonho profundo e dakotas da zona, o verdadeiro nome da torre é “A Casa e também como pedras que se animam e ceifam vidas.
exemplo. Para essa maioria, “ler” lindo, interromper a sensação da
equivale apenas a uma neces- descoberta, essa música interior
sidade sucedânea de qualquer
obrigação prática ou utilitária
– como o folheto de instruções
que as páginas exalam – Para
usar uma expressão de Luís Ra-
cionero do seu belíssimo ensaio
Espaço
Público do Leitor
de um eletrodoméstico -, não
a um ato espontâneo, libertário
“El arte de escribir”. Encontrar
prazer na leitura, folhear um livro O interior de Portugal e a sua extinção
e convicto. E essa ideia vinga, como quem acaricia cada página,
Falar do interior, hoje, é falar da desertificação huma- Ora, 90% das explorações, são de reduzida dimensão
sobretudo, porque a opinião pú- é atingir um estado quase iniciá-
na, do abandono, da perda de rendimentos, do desem- não atingindo a dimensão mínima para uma jovem família
blica desconhece que ler é mais tico de sensações. E há autores prego, do fecho dos tribunais, das escolas, dos hospitais, cultivar a terra e receber um salário mínimo de rendimento!
do que um exercício imediato de que escrevem precisamente das Juntas de Freguesia e demais serviços públicos, do Por outro lado, se as explorações tiverem dimen-
entretenimento pessoal – ler é para transmitir o belo literário fecho do comércio, da indústria, da agricultura pobre e, são, existem dificuldades acrescidas com o custo das
visitar outros universos para nos e não tanto as ideias: Poe, Gau- consequentemente, da sua extinção a prazo… portagens, por se situarem longe dos mercados, com os
superarmos a nós mesmos (C.S. thier e Baudellaire, por exemplo, Todos os anos os concelhos do interior perdem transportes, porque as empresas distribuidoras, trans-
Lewis dixit) e buscarmos a nossa preocupam-se acima de tudo em população, consequentemente eleitores, quer pela morte formadoras e o público consumidor fica a centenas de
sempre inalcançável plenitude, escrever belamente mais do que de idosos, quer pelos nascimentos que não surgem quilómetros de distância, acrescentando ainda a ausência
uma prática humana inconclusa transfundir para o papel ideias devido a escassez e pobreza da população jovem, quer de infraestruturas no mundo rural porque os municípios
e sem paralelo. sábias e úteis. Neste particular pela emigração e migração dos jovens desencantados por não têm estradas de acesso e pontes para que um camião
Numa altura em que o lixo a poesia tem, aparentemente, falta de trabalho e um rendimento mínimo que sustente de 26 toneladas e 14 metros de comprimento venha car-
livresco nos bombardeia e o pou- uma vantagem: cadência, ritmo, a sua família… regar às explorações.
co que se lê nada tem de literário fonética: o bailado musicado das O único setor de atividade económica é agricultura Os municípios são os donos das estradas municipais,
– mercê da compleição meretrícia palavras cumpliciadas. Mas há pobre, com explorações de reduzida dimensão, com solos mas, tal como o Governo, na sua maioria não querem saber
das políticas editoriais (já para muito que Rimbaud ou Mallarmé extremamente pouco produtivos, com pouca ou nenhuma dos pedidos dos empresários para resolver estes proble-
não falar das abstrusas expres- se encarregaram da fusão subli- água, onde sobrevivem espécies indígenas com dificuldade mas porque os empresários não têm votos para lhes dar,
sões escritas virtuais) – para me dos géneros, com a criação em subsistir nas temperaturas elevadas do Verão e negativas e uma simples festa de fim de semana rende mais votos…
quem escreve, ler corresponde da prosa poética, para nosso do Inverno, quanto mais produzir frutos para o seu proprietário Acresce ainda que a legislação publicada pelo Gover-
a um profundo aprendizado, um deleite e volúpia de espírito. se alimentar e ou poder vender para o seu sustento! no é nacional, não exceciona o interior nos mais amplos
encontro substancial connosco Conta Fernando Pessoa que O que é mais irritante, como diz o nosso Presidente da aspetos, pelo que o interior, hoje, não tem condições de
mesmos, que nos tonifica o chorou a primeira vez que leu República, é que os poderes públicos que administram o competitividade…
espírito e aproxima à noção Chateaubriand. E chorou, porque Estado assobiam para o lado, fazem que não veem porque O interior paga, genericamente, as mesmas taxas do
totalizante da humanidade. Ler nunca mais poderia ler Chate- não querem ver e nada fazem para enfrentar este desafio litoral, os mesmos impostos, tem de cumprir com todos
pressupõe um encontro com o aubriand pela primeira vez… E de forma a inverter esta trajetória suicida desta parte do os custos da burocracia, agravados pela falta de infraes-
belo, com o harmonioso, e, por quantos de nós não deixámos nosso território. truturas e acessibilidades, sem médicos, enfermeiros,
exclusão de partes, distancia-nos guardado um livro, para o lermos O interior não tem votos suficientes para inverter hospitais, professores, técnicos, mão-de obra qualificada,
do vulgar, do impuro, do malicio- apenas numa ocasião especial? o resultado das eleições, logo, é esquecido, humilhado, com os funcionários públicos e policiais a espreita duma
so; é incrementar o melhor de desconsiderado, ostensivamente abandonado, dando contraordenação para satisfazer a avidez dos chefes que
lugar aos designados incêndios florestais que matam as querem mostrar serviço, em nome do Orçamento do
nós, explorarmos os sentimentos * Escritor
pessoas, a fauna e flora ainda existentes, como aconteceu Estado e dos orçamentos municipais…
PUB
nos dois últimos anos. Assim, é praticamente impossível trabalhar nas terras
Em mais de 40 anos de democracia foram dezenas os do interior do pais… Pelo que se os Governos e municípios,
ministros empossados no Ministério da Agricultura, porém, sejam eles quais forem, não facilitarem o trabalho dos
a agricultura está pior hoje na sua rentabilidade e porquê? agentes económicos e reduzirem os respetivos custos,
No interior, a maioria dos terrenos são de sequeiro, impostos e taxas o interior resumir-se-á futuramente e
pobres, pelo que, na nossa modesta opinião, as explora- tendencialmente a uma terra de ninguém… Uma terra de
ções deviam ter, pelo menos, uma dimensão mínima de giestas e floresta, espontânea, desordenada, para arder de
50 hectares de solo agrícola, classe C (porque o A e B é cinco em cinco anos na melhor das hipóteses!!
raro), para sustentar uma família, o que pressupõe uma
estruturação fundiária da terra, por ser um bem económico; Teodoro Farias, carta recebida por email
opinião
20 • • Quinta-feira • 03 de janeiro de 2019

rua da corredoura, 80 - R/C Dto - C 6300-825 Guarda


bilhete postal
Redacção/Publicidade: 271212153 • www.ointerior.pt • publicidade@ointerior.pt • ointerior@ointerior.pt

O Tetris
Ano novo, novos preços
dcabrita@iol.pt
Diogo Cabrita
Tenta mudar as coisas, desarrumar a sala, fazer com os móveis um
tetris. Experimentas remodelar a distribuição, tentas colocar o aparador
As rendas, portagens e trans- informação publicada no site da Auto- alimentação para os animais poder e a estante no espaço onde estava o bar. Se és capaz de alterar todo
portes estão entre os bens e serviços ridade Metropolitana de Transportes. ter alguma influência a longo prazo. o espaço talvez sejas capaz de reposicionar o pensamento, ler outras
cujo preço aumentou em 2019, mas Esta taxa tem como valor máximo a taxa
há uma descida da eletricidade de de variação média do Índice de Preços Pão
soluções para o mesmo problema. Um tipo que caminha sempre o
3,5 por cento no mercado regulado no Consumidor, exceto habitação, nos 12 O preço do pão vai subir em 2019, mesmo trajeto, que invariavelmente se senta na mesma cadeira, que
e decréscimos ainda maiores no meses que decorrem entre outubro do acompanhando o aumento do salário responde quase sempre de modo igual pode estar bloqueado por si
liberalizado. 2017 e setembro de 2018, nos termos mínimo e do valor da matéria-prima, mesmo. A maior barreira à interpretação da realidade, às verdades
As bebidas não alcoólicas com dos dados publicitados pelo Instituto anunciou a Associação dos Industriais possíveis num facto apenas, à visão, está no facto de não ser capaz da
mais açúcar irão também ser pena- Nacional de Estatística. da Panificação, Pastelaria e Similares
recolocação. Abrir outra porta, franquear nova janela, tentar perceber
lizadas em 2019, com o Orçamento Perante as acusações de que estava do Norte.
do Estado (OE) a colocar mais taxas apenas a privilegiar os grandes centros as coisas por outro prisma, implica uma flexibilidade que o fanatismo
nestes produtos, de acordo com o urbanos, o Governo garantiu que a me- Gás não deixa. Por isso seria bom dormir noutro quarto, passar a cama
teor de açúcar que contêm. O tabaco dida é para generalizar ao resto do país As tarifas transitórias do gás na- para a cozinha, meter os livros na sala de jantar. Por um dia que
também sobe e pode chegar a custar e reforçou a transferência do Orçamento tural não sofrem quaisquer alterações, fosse já despertava fantasias, novas visões. O tetris da casa é um
mais 10 cêntimos por maço. Já o do Estado de 83 para 104 milhões de uma vez que atualização tarifária só
pouco como dormir em hotéis diferentes constantemente. Também
preço do leite deverá manter-se e o euros. O financiamento do Programa acontece a 1 de julho para os consu-
pão poderá subir. de Apoio à Redução Tarifária (PART) midores que se mantêm no mercado podemos mudar os horários da comida. Avançar para o jantar ao
nos transportes públicos para o ano de regulado. pequeno almoço. A quebra de uma rotina é essencial à compreensão
As atualizações de preços previstas 2019 vai ficar disponível a partir de 1 da avaliação, do desenho de linhas condutoras. Um curso de liderança
para 2019 são as seguintes: de abril, sendo a fixação dos tarifários Educação e de juiz devia obrigar a mudar as rotinas todas uma vez por mês. Ao
da competência das autoridades de Quem tem filhos a estudar no mudar as circunstâncias mudamos o pensamento e o eu dentro delas.
Rendas transportes de cada área metropolitana secundário (no ensino público ou em
e comunidade intermunicipal. escolas com contratos de associação
Como somos a soma do eu e a envolvência, assim radicalizamos a
O valor das rendas vai aumentar
1,15 por cento em 2019, um novo máxi- As áreas metropolitanas e autar- com o Estado) passará a ter direito a transformação. Podemos observar mais longe, mais completamente.
mo desde 2013, segundo os números da quias que integram as comunidades manuais escolares de graça a partir do Hoje sou a empregada, amanhã a patroa. Hoje sou o doente, amanhã
inflação dos últimos 12 meses até agosto intermunicipais serão as responsáveis próximo ano letivo (cerca de 1,2 milhões sou o médico.
divulgados pelo Instituto Nacional de pela gestão das verbas, sendo que, pelo de alunos), e quem os tem no ensino
Estatística (INE). menos 60 por cento da verba atribuída, superior verá a propina máxima baixar.
PUB
Nos últimos 12 meses até agosto deve ser utilizada para a redução do
a variação do índice de preços excluin- tarifário, podendo mesmo ir aos 100 por Pensões
do a habitação foi de 1,15 por cento, cento para esse fim, explicou o ministro Em 2019 repete-se a receita dos
valor que serve de base ao coeficiente do Ambiente. últimos dois anos e garante-se que quem
utilizado para a atualização anual das tem pensões até sensivelmente 654 eu-
rendas, ao abrigo do Novo Regime do Automóvel ros terá pelo menos um aumento de 10
Arrendamento Urbano (NRAU), e que As taxas de Imposto sobre Veículos euros, a começar já em janeiro.
representa mais 1,15 euros por cada (ISV) e do Imposto Único Circulação A partir deste mês, quem tiver
100 euros de renda. (IUC) vão subir em média 1,3 por cento pelo menos 63 anos de idade e 43 de
em 2019, mas descem nos automóveis descontos pode reformar-se antes da
Eletricidade menos poluentes, segundo simulações idade legal, sem ser penalizado pelo
As tarifas de eletricidade no mer- da Deloitte, com base no OE. chamado fator de sustentabilidade (que
cado regulado descem 3,5 por cento O Governo propôs um regime representa um corte superior a 14 por
para os consumidores domésticos, o transitório, a vigorar durante o próximo cento). Em outubro, o alívio estende-se
que representa uma diminuição de ano, face à nova metodologia de cálculo a quem, aos 60 anos de idade, tenha pelo
1,58 euros para uma fatura mensal de das emissões de CO2 (com base no novo menos 40 de descontos (em ambos os
45,1 euros. Nas regiões autónomas dos ciclo Worldwide Harmonized Light Vehi- casos, só fica o corte por antecipação, Boas
de 6 por cento por cada ano que falte
Açores e Madeira a redução é de 0,6
por cento.
cle Test Procedure -- WLTP), e que teria
como consequência um agravamento até chegar à idade legal). Quem não Festas
Após a divulgação das tarifas pelo destes impostos. cumpra estas condições continua a
regulador, a EDP Comercial, que opera poder reformar-se antes do tempo, mas
no mercado livre, anunciou também Tabaco enfrentando o duplo corte. As regras
que iria descer o preço da eletricidade, O aumento do Imposto sobre o Ta- estão previstas para quem descontou
em média, em 3,5 por cento. Na Endesa baco (IT) previsto no OE pode significar para a Segurança Social, mas o Governo
a redução média é de 6,3 por cento e na uma subida de cerca de 10 cêntimos no compromete-se, ao longo de 2019, a
Goldenergy será de 4 por cento. maço de cigarros, segundo simulações estendê-las à Função Pública.
feitas pela consultora Deloitte. No caso
Portagens de um maço de tabaco que custe hoje Benefícios fiscais aplicáveis aos terri-
Os preços das portagens nas auto- 4,90 euros, estima-se que o imposto tórios do interior
estradas aumentaram 0,88 por cento a adicional não ultrapasse os 5 cêntimos. O novo ano traz mudanças e am-
1 de janeiro, tendo em conta a taxa de pliação dos benefícios fiscais aplicáveis
inflação homóloga, sem habitação, de Refrigerantes aos territórios do interior. É aplicada
outubro, divulgada pelo INE. A subida de tributação sobre as uma majoração de 20 por cento à de-
A empresa pública Infraestruturas bebidas não alcoólicas com mais açú- dução máxima da Dedução dos Lucros
de Portugal (IP) anunciou que irá au- car vai fazer aumentar uma garrafa de Retidos e Reinvestidos, quando estejam
mentar as portagens em 22 por cento da um litro de Coca-Cola com 106 gramas em causa investimentos elegíveis rea-
sua rede, em valores que oscilam entre de açúcar por litro em cerca de 3,65 lizados em territórios do interior. Este
os 5 e os 25 cêntimos. Além disso, carros por cento. benefício fiscal está sujeito às limitações
mais altos, como SUV (ligeiros de passa- Atualmente, o código dos Impostos das regras de auxílios de minimis.
geiros com características desportivas) Especiais sobre o Consumo (IEC) prevê Há também um aumento da de-
e monovolumes, vão pagar menos com que as bebidas cujo teor de açúcar seja dução à coleta de IRS referente a des-
a entrada em vigor de um novo quadro inferior a 80 gramas por litro ficam pesas de educação para os agregados
legal. Estes veículos ligeiros compactos e sujeitas a um imposto de 8,22 euros por familiares que tenham estudantes que
mistos com uma altura entre 1,10 e 1,30 cada 100 litros. Já aquelas em que o teor frequentem estabelecimentos de ensino
metros integram a classe 1, a que paga de açúcar ultrapassa os 80 gramas por situados em território do interior. O
menos, nas portagens. litro são tributadas em 16,69 euros por aumento corresponde a uma majora-
As viaturas devem ainda pesar cada 100 litros. ção de 10 pontos percentuais ao valor
entre 2.300 quilogramas (kg) e 3.500 suportado das despesas, sendo o limite
kg, utilizar o sistema de pagamento Telecomunicações global estabelecido elevado para 1.000
automático e cumprir a norma do A Nos e a Meo anunciaram que euros, quando a diferença seja relativa
regulamento europeu sobre limitação os preços das telecomunicações vão a estas despesas.
de emissões poluentes. Até agora, os aumentar em 2019, para acompanhar E aumento da dedução à coleta de
veículos com altura superior a 1,10 a atualização da inflação. A Vodafone IRS referente a encargos com o arrenda-
metros no eixo dianteiro eram taxados ainda não decidiu. mento urbano de imóvel para habitação
como classe 2, mesmo com um peso permanente, passando para um limite
inferior a 2.300 kg. Leite de 1.000 euros, aplicável durante três
O secretário-geral da Fenalac, anos, começando no ano da celebração
Transportes públicos Fernando Cardoso, disse à Lusa que do contrato, para contribuintes que
Os transportes públicos deverão o preço do leite deverá manter-se transferirem a sua residência para um
aumentar 1,14 por cento segundo uma em 2019, apesar de a escassez de território do interior.