Você está na página 1de 10

O QUE É SOCIOLOGIA

 De olho no enem
 conhecimento científico sobre o mundo social é distinto do
conhecimento espontâneo (ou senso comum); unidade analítica da
Sociologia – homo sociologicus (não apenas o indivíduo ou a
sociedade, mas o coletivo que há nos indivíduos; A relação
indivíduo-sociedade); o sentido da expressão “imaginação
sociológica” e a importância dessa habilidade.
 A promessa

Capítulo 1: A chegada dos “tempos modernos”


as transformações sociais na transição do feudalismo para o capitalismo e construir uma visão geral da consolidação
das sociedades modernas; os fundamentos da ciência moderna e o sentido cultural da ruptura entre ciência e religião
(dogma); os contextos político, cultural e econômico entre si, que propiciaram o nascimento das ciências da
sociedade: Sociologia, Antropologia e Ciência Política.

Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão de 1789


Monitorando a aprendizagem

Capítulo 2: Saber sobre o que está perto


conhecimentos sobre o mundo social baseados em opiniões, tradições, costumes e religião daqueles disponibilizados
pela Sociologia – disciplina científica; Sociologia é um campo de conhecimento que depende da liberdade de
pensamento, do exercício da razão, da controvérsia (debate), da possibilidade de manifestação pública de ideias
distintas e muitas vezes opostas; a Sociologia nasceu com o desafio de perceber as profundas transformações
nas diversas dimensões da vida em sociedade que ocorreram na chegada dos tempos modernos e refletir sobre como
homens e mulheres reagiram a elas;dominar noções fundamentais das Ciências Sociais: contexto social;
temporalidade; relação indivíduo-sociedade; conceitos sociológicos

Monitorando a aprendizagem

Capítulo 3: Saber sobre o


que está distante
o contexto cultural que criou as condições para o nascimento da Antropologia; analisar e avaliar as consequências
sociais das teorias evolucionistas e racialistas que vigoraram de meados do século XIX até meados do século XX;
argumentos fundamentados no etnocentrismo e no relativismo cultural; a importância das pesquisas antropológicas
e dos estudos culturais para a promoção de uma melhor convivência social em sociedades multiculturais, como a
brasileira.

Monitorando a aprendizagem
Capítulo 4: Saber sobre a astúcia e as manhas
da política
os fundamentos do pensamento político moderno; questões que mobilizam os cientistas políticos e que são
pesquisadas pelas Ciências Sociais no Brasil; cidadania e democracia na organização das sociedades;
diferentes pontos de vista, presentes em textos analíticos e interpretativos, sobre fatos políticos; estratégias que
promovam formas de inclusão social.

Legislação racial sempre tem frutos funestos

A Sociologia vai ao cinema


Introdução: Sociologia
e cinema
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• compreender que a Sociologia oferece uma
pluralidade de formas de ver o mundo e de
responder à pergunta “O que é sociedade?”;
• compreender o papel cultural da Sociologia:
desnaturalizar os fenômenos sociais (percebendo
que nem sempre foram do modo como
se apresentam em dado momento) e estranhar
o que parece óbvio, corriqueiro ou que se julga
não merecer explicação;
• posicionar-se, de forma crítica, diante da relação
entre imagens, representações e realidades
sociais usando o conhecimento sociológico em
suas argumentações.

Capítulo 5: O apito da fábrica


Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• compreender a análise de Durkheim sobre as
sociedades e sua contribuição para o desenvolvimento
do pensamento sociológico;
• entender e empregar adequadamente o conceito
de divisão social do trabalho;
• analisar as mudanças na estrutura social que
levaram à formação das sociedades individualistas
e ao intenso processo de diferenciação
social;
• analisar as questões centrais que afetaram a
organização do trabalho no contexto moderno
e contemporâneo;
• elaborar propostas de intervenção na realidade
a fim de superar problemas relacionados
ao mundo do trabalho.

Capítulo 6: Tempo é dinheiro!


Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• compreender, com base na Sociologia de Max
Weber, que as transformações de ordem social
e econômica não ocorrem à margem das transformações
culturais (mentalidades, costumes,
ideias e valores) e que isso frequentemente
gera conflitos de valores (não apenas conflitos
de interesses materiais);
• compreender que a Sociologia comparativa
de Max Weber buscava apreender a experiência
sociocultural do Ocidente com base no estudo de outras sociedades (do Oriente e sociedades
do passado); entender que o conhecimento
da alteridade auxilia a compreensão
do próprio contexto;
• compreender e empregar adequadamente o
conceito-chave da teoria social de Max Weber:
racionalização/racionalidade;
• identificar nos processos históricos os fatores
que contribuíram para a racionalização no
mundo moderno;
• reconhecer o papel das técnicas e tecnologias
na organização do trabalho e/ou da vida social;
• analisar como as inovações tecnológicas produziram
impactos sobre as relações sociais e
conflitos de diferentes ordens;
• construir argumentos favoráveis ou contrários
às modificações impostas pelas novas tecnologias
à vida social e ao mundo do trabalho.

Capítulo 7: A metrópole
acelerada
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• compreender os princípios centrais da sociabilidade
urbana abordados na sociologia de
Georg Simmel;
• compreender os conceitos de cultura subjetiva
e cultura objetiva definidos por Georg Simmel
e relacioná-los a situações concretas;
• posicionar-se criticamente em relação às grandes
questões urbanas contemporâneas e propor
intervenções na realidade;
• relacionar as transformações no mundo do
trabalho no contexto capitalista moderno e
contemporâneo à saúde física e psíquica dos
trabalhadores.

Capítulo 8: Trabalhadores,
uni-vos!
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• compreender o conhecimento produzido pelas
Ciências Sociais como uma forma de explicação
da vida em sociedade que, ao mesmo tempo,
pode contribuir para a transformação da
experiência social;
• entender os fundamentos da teoria social de
Karl Marx e Friedrich Engels e suas contribuições
para as Ciências Sociais;
• avaliar criticamente conflitos sociais ao longo
da história;
• reconhecer a dinâmica dos movimentos sociais
e a importância da coletividade na transformação
da realidade;
• analisar a atuação dos movimentos sociais que
contribuíram para mudanças ou rupturas em
processos de disputa pelo poder;
• identificar estratégias que promovam formas
de inclusão social.

Capítulo 9: Liberdade
ou segurança?
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• relacionar cidadania e democracia na organização
das sociedades;
• compreender que a combinação dos ideais democráticos
com os costumes, as tradições e a
cultura gera regimes democráticos singulares;
• entender o que ficou conhecido como “dilema
tocquevilleano” – a difícil combinação, nos
regimes democráticos, da liberdade com a
igualdade; • perceber as características centrais dos regimes
democráticos;
• interpretar diferentes representações gráficas
e cartográficas dos espaços geográficos;
• reconhecer a dinâmica da organização dos
movimentos sociais e a importância da participação
da coletividade na transformação da
realidade;
• analisar a atuação dos movimentos sociais que
contribuíram para mudanças ou rupturas em
processos de disputa pelo poder;
• identificar o papel dos meios de comunicação
na construção da vida social.

Capítulo 10: As muitas


faces do poder
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• compreender a concepção de poder de Foucault:
o poder circula nas redes sociais e existe como prática, como sujeições contínuas e multiplicadas;
• analisar os processos históricos que geraram
as novas instituições de controle modernas e
a formação das sociedades disciplinares;
• relacionar o saber especializado, a autoridade,
a verdade e o poder;
• identificar situações concretas relacionadas
ao poder e biopoder, de acordo com Michel
Foucault;
• entender as relações de poder no cotidiano –
entre o controle e a resistência;
• analisar a atuação dos movimentos sociais nos
processos de disputa ou enfrentamento do
poder;
• propor intervenções na realidade;
• recorrer aos conhecimentos desenvolvidos
para elaborar propostas de intervenção na realidade
respeitando os valores humanos e considerando
a diversidade sociocultural.

Capítulo 11: Sonhos


de civilização
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os estudantes deverão:
• relacionar manifestações culturais do presente
a seus processos históricos;
• compreender as relações entre cultura e natureza;
• relacionar identidade cultural a alteridade;
• compreender o conceito de etnocentrismo,
identificar situações concretas e analisar as
relações de poder nele implicadas;
• compreender o conceito de processo civilizador
e associar aprendizagem da civilidade à
formação dos Estados Nacionais e pacificação
interna das sociedades plurais;
• relacionar tecnicização a processo civilizador e
analisar os desafios que o uso das novas tecnologias
traz para a convivência social, implicando
a criação de novos códigos e regulamentações.

Capítulo 12: Sonhos


de consumo
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• identificar as contribuições de Walter Benjamin
no que tange à incorporação de novos
temas ao trabalho dos sociólogos;
• compreender um dos paradoxos da vida moderna
– a força da ideologia do consumo e as
possibilidades de liberdade individual;
• compreender que os recursos tecnológicos
contribuem para a praticidade da vida e, ao
lado disso, podem alterar a forma de as pessoas
perceberem o mundo;
• compreender o fenômeno das mídias no mundo
contemporâneo;
• construir uma visão crítica da indústria cultural
e dos meios de comunicação, particularmente
das Novas Tecnologias de Informação
e Comunicação (NTIC).
Capítulo 13: Caminhos
abertos pela Sociologia
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• identificar os pontos principais de cada autor
estudado e comparar suas análises;
• compreender que o conhecimento sociológico
não pretende abarcar a totalidade da experiência
social. Ele é parcial em função do ponto
de vista de quem observa e porque a sociedade
está em transformação permanente; • compreender duas orientações metodológicas
presentes na Sociologia: as pesquisas macrossociológicas
e as pesquisas microssociológicas;
• aprofundar a compreensão da sociologia como
um campo científico distinto de outras formas
de saber sobre o mundo social

Parte III:
A Sociologia
vem ao Brasil
Introdução: Que país é este?
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• entender que, para apreender a complexidade
social brasileira (estrutura social e diversidade
cultural), são necessários estudos com
abordagens diferentes e investigações permanentes;
• identificar manifestações e representações da
diversidade do patrimônio cultural e artístico
brasileiro;
• relacionar manifestações culturais do presente
a seus processos históricos.

Capítulo 14: Brasil,


mostra a tua cara!
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• entender que, apesar da unidade territorial e
linguística, o Brasil apresenta muitas realidades
distintas: de desenvolvimento; de qualidade
de vida; de oferta de serviços; de manifestações
culturais etc.;
• entender que dois dos indicadores que compõem
o IDH brasileiro, educação e saúde,
apresentam quadros desiguais no território
nacional e como isso interfere na qualidade
de vida e nas oportunidades dos cidadãos
brasileiros;
• compreender como o processo de urbanização
brasileiro, desencadeado na década de 1950,
contribuiu para modificar costumes e aspectos
da estrutura da sociedade e que a vida nos
grandes centros urbanos é permeada por inúmeros
paradoxos;
• compreender algumas alterações na vida privada
dos brasileiros (arranjos familiares) relacionadas
com a urbanização e a modernização
da sociedade;
• reconhecer a presença dos povos indígenas e
seus descendentes na formação social brasileira
do século XXI, bem como identificar direitos
desse segmento da população brasileira

Capítulo 15: Quem faz


e como se faz o Brasil?
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• entender o processo histórico de mudança do
sistema de trabalho compulsório para o de
trabalho livre no Brasil;
• perceber o processo de conquista de direitos
trabalhistas e a construção de categorias
como trabalhadores formais, informais e desempregados;
• compreender o impacto da urbanização brasileira
sobre o mundo do trabalho;
• identificar e analisar os principais dilemas da organização
do trabalho no Brasil contemporâneo:
dinâmica do mercado de trabalho; desigualdades;
formas de trabalhos ilegais (escravo e infantil);
• avaliar argumentos favoráveis ou contrários
às modificações impostas pelas novas tecnologias
à vida social e ao mundo do trabalho e
posicionar-se diante de tais argumentos;
• analisar criticamente conflitos sociais, políticos
e econômicos ao longo da história do trabalho
no Brasil.

Capítulo 16: O Brasil


ainda é um país católico?
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• associar as manifestações religiosas do presente
a seus processos históricos; • entender as mudanças no campo religioso brasileiro
e suas implicações no fortalecimento
da cidadania: de uma religião oficial para a
liberdade de culto e crença;
• entender o sentido de modernização e individualização
presente na diversidade religiosa
brasileira da atualidade;
• compreender que o fenômeno religioso brasileiro
admite múltiplas interpretações considerando
os mesmos dados e que as perspectivas
adotadas pelos pesquisadores revelam diferentes
facetas da mesma dimensão do social;
• identificar as manifestações ou representações
da diversidade religiosa da sociedade
brasileira.

Capítulo 17: Qual é sua tribo?


Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• compreender os processos envolvidos na formação
das tribos urbanas: a dinâmica entre
singularização e pertencimento a um grupo
maior; a diferenciação social;
• entender as relações entre as tribos e a sociedade
de consumo;
• identificar manifestações ou representações
da diversidade do patrimônio cultural e artístico
brasileiro;
• analisar criticamente relações de poder no cotidiano
– bullying, rotulações, estigmas e preconceitos.

Capítulo 18: Desigualdades


de várias ordens
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• entender a centralidade do tema desigualdade
para as Ciências Sociais;
• compreender a noção de desigualdade, sua
presença em diversos campos e o fato de que
as diferentes desigualdades muitas vezes se
reforçam;
• entender as influências das desigualdades de
gênero e de cor na educação e no mundo do
trabalho;
• conhecer interpretações a respeito das desigualdades
étnicas no Brasil – Gilberto Freyre,
Florestan Fernandes e Oracy Nogueira;
• inteirar-se do tratamento dado ao racismo
pelas leis brasileiras;
• analisar a segregação urbana e identificar estratégias
que promovam formas de inclusão
social.

Capítulo 19: Participação


política, direitos e democracia
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• relacionar cidadania e democracia na organização
da sociedade brasileira;
• compreender os conceitos de Estado e de regime
político com base no estudo do caso
brasileiro;
• analisar a atuação dos movimentos sociais que
contribuíram para mudanças no campo político identificando seu poder de intervenção
nas estruturas;
• avaliar criticamente os principais conflitos políticos
que ocorreram nos últimos 50 anos da
história brasileira;
• analisar o papel dos meios de comunicação na
construção da vida social;
• analisar as lutas sociais e conquistas obtidas
no que se refere às mudanças nas legislações;
• valorizar o exercício da cidadania (direitos, deveres
e participação) e da democracia.

Capítulo 20: Violência, crime


e justiça no Brasil
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• comparar diferentes pontos de vista, presentes
em textos analíticos e interpretativos, sobre o
fenômeno da violência;
• conhecer abordagens contemporâneas que
centram as explicações para a violência na
questão institucional: a impunidade, e não a
pobreza, como fator explicativo para o crescimento
da violência;
• conhecer a abordagem que analisa o fenômeno
da violência na perspectiva da socialização
– “sociabilidade violenta”;
• analisar o papel da justiça como instituição na
organização da sociedade;
• analisar as lutas sociais e conquistas obtidas
no que se refere às mudanças nas legislações
ou nas políticas públicas.

Capítulo 21: O que


consomem os brasileiros?
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• identificar contribuições das Ciências Sociais
para a compreensão do fenômeno do consumo;
• compreender como os padrões de consumo se
relacionam com as posições sociais dos indivíduos;
• relacionar consumo e inclusão/exclusão social;
• relacionar padrões de consumo e os valores
culturais dos brasileiros;
• compreender o papel da publicidade na formação
de padrões de consumo e na elaboração
cultural de imagens sobre os consumidores;
• entender as relações entre consumo e cidadania
– os direitos e deveres dos consumidores
– e algumas questões éticas envolvidas no ato
de consumir;
• relacionar consumo e sustentabilidade.

Capítulo 22: Interpretando


o Brasil
Orientações gerais
Objetivos
Ao longo das aulas, os alunos deverão:
• compreender que os hábitos mais comuns dos
indivíduos nos ajudam a entender como uma
sociedade concebe a si mesma e como é percebida
por integrantes de outras sociedades;
• conhecer as interpretações feitas por dois intelectuais
da sociedade brasileira – o “homem cordial”, de Sérgio Buarque de Holanda, e o
“jeitinho brasileiro”, de Roberto DaMatta;
• entender como os brasileiros se relacionam
com as dimensões pública e privada com base
nas duas interpretações apresentadas;
• relacionar as manifestações culturais do mundo
rural e a construção de uma “nova ruralidade”
na contemporaneidade a seus processos
históricos;
• identificar as manifestações ou representações
da diversidade do patrimônio cultural e artístico
brasileiro.

Você também pode gostar