Você está na página 1de 472

10

.000
perguntas e respostas comentadas em
Ortopedia e
TraumatoIogia
2ª edição

00-Iniciais-2ªp.indd 1 10/31/11 11:37:20 AM


00-Iniciais-2ªp.indd 2 10/31/11 11:37:20 AM
1.000
perguntas e respostas comentadas em
Ortopedia e
TraumatoIogia
2ª edição

Editores:

Osvandré Luiz Canfield Lech


Presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) – 2011
Chefe da Residência Médica e do Treinamento Pós-Residência do Instituto de Ortopedia e Traumato-
logia (IOT) no Hospital-Escola São Vicente de Paulo de Passo Fundo (RS)

Alexandre Fogaça Cristante


Docente da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e médico assistente do grupo de colu-
na cervical e trauma raquimedular do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas
da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (IOT-HC-FMUSP).

João Baptista Gomes dos Santos


Professor Adjunto e Chefe da disciplina de Cirurgia da Mão e Membro Superior do Departamento de
Ortopedia e Traumatologia da Escola Paulista de Medicina – UNIFESP

00-Iniciais-2ªp.indd 3 10/31/11 11:37:22 AM


Copyright © Editora Manole Ltda., 2011, por meio de contrato com a Sociedade Brasileira de Ortope-
dia e Traumatologia.

Logotipo: Copyright © Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT)

Este livro contempla as regras do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990,


que entrou en vigor no Brasil.

Capa: Hélio de Almeida


Projeto gráfico: JLG Editoração Gráfica S/C Ltda.
Editoração eletrônica: Luargraf Serviços Gráficos Ltda.-ME

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Todos os direitos reservados.


Nenhuma parte deste livro poderá ser reproduzida,
por qualquer processo, sem a permissão expressa dos editores.
É proibida a reprodução por xerox.

A Editora Manole é filiada à ABDR – Associação Brasileira


de Direitos Reprográficos

2ª edição – 2012

Direitos adquiridos pela:


Editora Manole Ltda.
Av. Ceci, 672 – Tamboré
06460-120 – Barueri – SP – Brasil
Tel.: (11) 4196-6000 – Fax: (11) 4196-6021
www.manole.com.br
info@manole.com.br

Impresso no Brasil
Printed in Brazil

00-Iniciais-2ªp.indd 4 10/31/11 11:37:22 AM


Diretorias e Comissões – SBOT

DIRETORIA – GESTÃO 2011 DIRETORIA DA SBOT –


GESTÃO 2013
Presidente: Osvandré Lech
1º Vice Presidente: Geraldo Motta Presidente: Flávio Faloppa

2º Vice Presidente: Flávio Faloppa Secretário Geral: M


 arcelo Tomanik
Secretário Geral: Jorge dos Santos Silva Mercadante

1º Secretário: Marcelo Mercadante 1º Secretario: Glaydson Gomes Godinho


2º Secretário: Ney Pecegueiro 2º Secretário: F ernando A. M. Façanha
Filho
1º Tesoureiro: Adalberto Visco
1º Tesoureiro: Itiro Suzuki
2º Tesoureiro: Reynaldo Jesus Garcia Filho
2º Tesoureiro: João Maurício Barretto

DIRETORIA DA SBOT –
GESTÃO 2012 COMISSÕES PERMANENTES
GESTÃO 2011
Presidente: D
 r. Geraldo da Rocha Motta
Filho Congressos
1º Vice-Presidente: Flávio Faloppa Osvandré Lech
Reynaldo Jesus Garcia Filho
Secretário Geral: P
 atricia M. De Moraes Paulo Lobo Junior
Barros Fucs Osmar Avanzi
1º Secretário: Arnaldo Amado Ferreira Neto Adalberto Visco

2º Secretário: L uiz Antonio Munhoz da Controle de material ortopédico


Cunha Sergio Y. Okane – Presidente
Edison Noboru Fujiki
1º Tesoureiro: Fernando Baldy dos Reis
Tito Henrique de N. Rocha
2º Tesoureiro: M
 arco Antonio Percope de Luis E. Munhoz da Rocha
Andrade Julio RufinoTorres

00-Iniciais-2ªp.indd 5 10/31/11 11:37:22 AM


vi Diretorias e Comissões – SBOT

Dignidade e defesa profissional Maurício Kfuri Secretário – Adjunto


Robson de Azevedo – Presidente Miguel Akkari – Criança
Kodi Kojima – Adultos 3ª Idade
Defesa Profissional Fábio Krebs – Ativ. Esportivas
Leonardo Eulálio de A. Lima Mauro Gracitelli – Portal, Orkut, etc
Eduardo Luis Cruells Vieira Edílson Forlin – Camp. Públicas
Alexandre Guedes Marcolla Leandro Reckers – Divulg. Científica

Ética Nacional de benefícios e


Lauro Cosme dos Reis Filho previdência social
Renato de Brito A. Graça Ricardo Esperidião – Presid.
Fabio dos Santos Magalhães Pedro Péricles R. Baptista
Salvador Luiggi Oliveira
Honorários Médicos e CBHPM Itiro Suzuki
Luiz Egidio Costi Giana Giostri
Fábio Dal Molin Cássio Telles
Joel Brito Coelho
Publicação e divulgação
Educação continuada Osvandré Lech
Alexandre Fogaça – Presidente Jorge dos Santos Silva
Múcio Brandão Vaz de Almeida Adalberto Visco
Maria Isabel Pozzi Guerra Wilson Mello Alves Jr.
Marco Antonio Percope Gilberto Luís Camanho
Sandro da Silva Reginaldo
Rogerio Fuchs Tecnologia da informação
João Maurício Barretto Eduardo Sadao – Presidente
Henrique Ayzemberg Leonardo Cortes Antunes
Robert Meves Marcelo C. Krause Gonçalves
Gilberto Camanho – Editor RBO Luis Marcelo de Azevedo Malta
João Baptista dos Santos – CET Ingo Schneider
Roberto Santin – 43º CBOT Fernando Baldy dos Reis
Paulo Colavolpe
Ensino e treinamento
João B. G. dos Santos – Presidente Conselho editorial do jornal
Vincenzo Giordano Neto Wilson de Mello – Editor Chefe
Jamil Faissal Soni Rene Jorge Abdalla
Andre Pedrinelli Pedro Doneux Santos
Wagner Nogueira da Silva Rodrigo Galinari
Fernando A. M. Façanha Filho Narcisio S. do Nascimento
João Antonio Matheus Guimarães Antonio Marcos Ferracini
Roberto Yukio Ikemoto
Aloisio Bonavides Jr. Conselho editorial da RBO
Gilberto Luís Camanho – Editor Chefe
Estatuto e regimentos José Sérgio Franco
Jaime Wageck – Presidente Akira Ishida
Karlos Celso Mesquita Helton Luiz A. Defino
William Belangero Sérgio Luiz Checchia
Nelson Elias Marco Antonio Percope
Glauco Manso Sérgio Zylbersztejn
Arlindo Gomes Pardini
Conselho fiscal 2011
Interatividade social Moisés Cohen
(Campanhas Públicas, Responsabilidade Arlindo Gomes Pardini
Social e Marketing) Luiz A. Munhoz da Cunha
Paulo Lobo Jr. – Coord. Ações Inst. Romeu Krause

00-Iniciais-2ªp.indd 6 10/31/11 11:37:22 AM


Diretorias e Comissões – SBOT vii

Caio Fernando Luiz Fernando de Vincenzi


Kleber Oliveira Rubens Fichelli Jr.
Ricardo de Paula Leite Cury

COMISSÕES ESPECIAIS – GESTÃO 2011 Integração das regionais


João E. Simionatto – Presidente
Assuntos AMB / CFM José Wilson Serbino Jr.
Akira Ishida – Presidente Cláudio Mancini Jr.
Afonso Henrique Fernandes Carlos Alfredo Lobo Jasmin
Hélio Barroso dos Reis Hermann Costa Gomes

Assuntos internacionais Interinstitucional


Sérgio Checchia – Presidente Rogério T. da Silva – Indústria
Paulo Roberto Barbosa Michel Simoni – Indústria
Patricia M. de M. Barros Fucs Marcelo Abagge – Indústria
José Sérgio Franco Marcos Musafir – Selo
Valdir Steglich – Comércio
Ensino e graduação em ortopedia
e traumatologia Nova sede
Rames Mattar Jr. – Presidente Moisés Cohen – Presidente
Augusto Braga dos Santos Tarcisio Eloy P. Barros
Luiz Roberto Stigler Marczyk Cláudio Santili
José Batista Volpon Geraldo Motta
Osmar Pedro A. de Camargo
Osvandré Lech
Estudos epidemiológicos em
Políticas públicas
ortopedia e traumatologia e censo
Eriko Filgueira – Presidente
do exercício da ortopedia
Ronaldo Ramos Caiado
Helio Jorge A. Fernandes – Presidente
Jean Valber
Adriano Marchetto
Luiz H. Mandetta
José Edilberto Ramalho
Isaias Levy
José Olavo M. de Castro
Leandro Spinelli
Preceptores
Ex-presidentes Roberto Luiz Sobânia – Presidente
José Sergio Franco Paulo Cesar F. Piluski
Neylor Pace Lasmar Chang Chia Po
Walter Manna Albertoni Romeu Krause Gonçalves
Arlindo Gomes Pardini Flávio Kuroki Borges
Marcos Esner Musafir
Tarcisio E. P. Barros Filho Registro nacional de artroplastias
Romeu Krause Gonçalves Luiz Carlos Sobânia – Presidente
Cláudio Santili Roberto S. de Tavares Canto
Luiz Sérgio Marcelino Gomes
História da ortopedia Ary Ungareti Neto
Samuel Ribak – Presidente Silvio Neupert Maschke
Marcio Ibrahim Marcus Vinicius G. Amaral
Manlio Napoli
José Carlos A. Ferreira
Edison José Antunes PRESIDENTES DOS COMITÊS 2011
Artroscopia e Traumatologia do Esporte
Integração dos comitês
André Pedrinelli
Arnaldo José Hernandez – Presidente
Nelson Ravaglia de Oliveira ASAMI-Reconstrução e Along. Ósseo
Rui Maciel de Godoy Jr. Rubens Antonio Fichelli Junior

00-Iniciais-2ªp.indd 7 10/31/11 11:37:22 AM


viii Diretorias e Comissões – SBOT

Cirurgia do Joelho Goiás – GO


Ricardo de Paula Leite Cury Paulo Silva
Cirurgia da Mão Maranhão – MA
Paulo Randal Pires Sebastião Vieira De Moraes
Cirurgia de Ombro e Cotovelo Mato Grosso – MT
Nelson Ravaglia de Oliveira Jose Milton Pelloso Junior
Coluna Mato Grosso Do Sul – MS
Luis Eduardo Munhoz da Rocha Andre Luis De Souza Grava
Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé Minas Gerais – MG
Augusto Cesar Monteiro Francisco Carlos S. Nogueira
Oncologia Ortopédica Pará – PA
Luiz Fernando de Vincenzi Fernando Brasil Do Couto Filho
Osteoporose e Doenças Osteometabólicas Paraíba – PB
Márcio Passini Gonçalves de Souza Janio Dantas Gualberto
Ortopedia Pediátrica Paraná – PR
Rui Maciel de Godoy Junior Marcelo Abagge
Quadril Pernambuco – PE
Luis Sérgio Marcelino Gomes Giovani Serrano Machado
Trauma Ortopédico Piauí – PI
Maurício Kfuri Junior Orlando Amorim Leite
Rio De Janeiro – RJ
PRESIDENTES DAS REGIONAIS 2011 Carlos Alfredo Lobo Jasmin

Acre – AC Rio Grande Do Norte-RN


Rodrigo Vick Fernandes Gomes Julimar Nogueira De Queiroz

Alagoas – AL Rio Grande Do Sul – RS


Gilvado Trindade Rios Paulo Ricardo Piccoli Rocha
Amazonas – AM Rondônia – RO
Vanderson Antonio B. De Araújo Elifaz De Freitas Cabral
Amapá – AP Roraima – RR
Joel Brito Coelho Carlos Alberto F. Neves
Bahia – BA Santa Catarina – SC
Luis Wolfovitch André Luis Fernandes Andújar
Ceará – CE São Paulo – SP
Ronaldo Silva De Oliveira José Octavio Soares Hungria
Distrito Federal – DF Sergipe – SE
Walter Rodrigo Daher Alex Naudson De O. Menezes
Espírito Santo – ES Tocantins – TO
Adelmo Rezende F. Da Costa Edgar Toledo De Aguiar Junior

00-Iniciais-2ªp.indd 8 10/31/11 11:37:22 AM


Editores

Osvandré Luiz Canfield Lech – Presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e


Traumatologia (SBOT) – 2011
Chefe da Residência Médica e do Treinamento Pós-Residência do Instituto de Or-
topedia e Traumatologia (IOT) no Hospital-Escola São Vicente de Paulo de Passo
Fundo (RS)

Alexandre Fogaça Cristante – Docente da Faculdade de Medicina da Universidade


de São Paulo e médico assistente do grupo de coluna cervical e trauma raquimedular
do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de
Medicina da Universidade de São Paulo (IOT-HC-FMUSP).

João Baptista Gomes dos Santos – Professor Adjunto e Chefe da disciplina de


Cirurgia da Mão e Membro Superior do Departamento de Ortopedia e Traumato-
logia da Escola Paulista de Medicina – UNIFESP

00-Iniciais-2ªp.indd 9 10/31/11 11:37:22 AM


Coordenadores de seção

Mão
Paulo Randal Pires – Ortopedista e Cirurgião da Mão do Hospital Madre Teresa
Belo Horizonte/MG. Coordenador da residência em Cirurgia da Mão do Hospital
Maria Amélia Lins da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais e Hosp. Ma-
dre Teresa de Belo Horizonte/MG. Atual Presidente da Sociedade Brasileira de Ci-
rurgia da Mão.

Quadril
Luiz Sérgio Marcelino Gomes – Mestre e Doutor em Ortopedia pela Fac. Medicina
de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Chefe do Grupo de Quadril do Hos-
pital Celso Pierro da PUC-Campinas. Chefe do CE-SECROT. Batatais. SP

Ombro e Cotovelo
Nelson Ravaglia de Oliveira – Médico do grupo de Ombro e Cotovelo do Hospital
de Clínicas da UFPR. Membro titular da SBOT, Membro titular da Sociedade Brasi-
leira de Cirurgia de Ombro e Cotovelo.

Artroscopia e Medicina Esportiva


André Pedrinelli – Mestre e doutor em ortopedia pela FMUSP. Prof Colaborador da
FMUSP. Presidente da Soc. Bras. de Artroscopia e Traumatologia do Esporte.
Secretário da CET. Diretor do Centro Médico de Excelência FIFA-IOT

Joelho
Ricardo de Paula Leite Cury – Professor Assistente do Grupo de Cirurgia do Joelho
da Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo. Mestre em Ortopedia pela
Faculdade de Medicina da Santa Casa de SP.

00-Iniciais-2ªp.indd 10 10/31/11 11:37:22 AM


Coordenadores de seção xi

Oncologia
Luiz Fernando de Vincenzi – Presidente da Associação Brasileira de Oncologia Or-
topédica.

Osteometabólicas
Márcio Passini Gonçalves de Souza – Professor Doutor, do Grupo de Doenças Os-
teometabólicas do IOT do HC da FMUSP. Presidente da Associação Brasileria Orto-
pédica de Osteometabolismo (ABOOM).

Pediátrica
Rui Maciel de Godoy Junior – Mestre e Doutor em Ortopedia e Traumatologia pela
FMUSP. Professor Colaborador da Faculdade de Medicina da USP. Médico Assis-
tente da Disciplina de Ortopedia Pediátrica do Departamento de Ortopedia da USP.
Presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia Pediátrica (gestão 2011-2012).

Tornozelo e Pé
Augusto Cesar Monteiro – Mestre em Ortopedia e Traumatologia pela UNIFESP
(Universidade Federal de São Paulo). Chefe do Grupo do Pé – Hospital do Servidor
Público Municipal (HSPM).

Trauma Ortopédico 
Maurício Kfuri Junior – Professor Associado de Ortopedia e Traumatologia FMRP-
USP (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/ Universidade de São Paulo).

Coluna
Luiz Eduardo Munhoz da Rocha – Especialista em Ortopedia Pediátrica e Cirurgia
da Coluna.
Presidente da Sociedade Brasileira da Coluna.
Ortopedista Pediátrico do
Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR).
Médico ortopedista
pediátrico e cirurgião de coluna do Hospital Pequeno Príncipe.

Asami
Rubens Antonio Fichelli Jr – Presidente do Comitê ASAMI de Reconstrução e alon-
gamento Ósseo. Presidente do Departamento de Ortopedia da Sociedade de Medi-
cina e Cirurgia de Campinas.

00-Iniciais-2ªp.indd 11 10/31/11 11:37:22 AM


Prefácio

Caros Colegas Ortopedistas e Residentes,

esta obra nasceu da integração das Comissões de Educação Continuada – CEC;


e de Ensino e Treinamento – CET e dos Comitês de Especialidade de nossa Socieda-
de Brasileira de Ortopedia - SBOT.
Demonstra que a integração é possível, mais que necessária, e sempre renderá
bons frutos.
Tem por finalidade ajudar nossos residentes e ortopedistas a desafiar seus co-
nhecimentos e oferecer sugestões de leitura para áreas de nosso interesse dentro de
nossa tão vasta especialidade médica.
Esperamos que possa ser usada na enorme responsabilidade que é formar e
atualizar nossos ortopedistas, razão maior de nossa sociedade, gerando como conse-
quência uma melhor assistência aos nosso pacientes, razão maior de ser médico.

Alexandre Fogaça Cristante e João Baptista

00-Iniciais-2ªp.indd 12 10/31/11 11:37:22 AM


Sumário

Apresentação....................................................................................... XIV
Col- 27
Perguntas
Seção 1 Ciências básicas........................................................... 1 J- 51
Seção 2 Coluna......................................................................... 11
Seção 3 Joelho.......................................................................... 35
Mao- 65
Seção 4 Mão............................................................................. 49
O/C-
Seção 5 Medicina esportiva e artroscopia................................. 67
Seção 6 Ombro e cotovelo....................................................... 79 95
Seção 7 Oncologia.................................................................... 93 Inf-125
Seção 8 Osteometabólicas........................................................ 103
Seção 9 Pediátricas................................................................... 109
Pé:
Seção 10 Quadril........................................................................ 131 157
Seção 11 Tornozelo e pé............................................................. 141 Tr- 175
Seção 12 Trauma........................................................................ 159
Seção 13 ASAMI (Fixadores externos)......................................... 211 Q: 147
Respostas comentadas
Seção 1 Ciências básicas........................................................... 219 J- 273
Seção 2 Coluna......................................................................... 231
Seção 3 Joelho.......................................................................... 257
Col- 247
Seção 4 Mão............................................................................. 269
Seção 5 Medicina esportiva e artroscopia................................. 292 Mao- 285
Seção 6 Ombro e cotovelo....................................................... 305
Seção 7 Oncologia.................................................................... 320
Seção 8 Osteometabólicas........................................................ 332 O/C- 321
Seção 9 Pediátricas................................................................... 337
Seção 10 Quadril........................................................................ 361 Inf-353
Seção 11 Tornozelo e pé............................................................. 371
Seção 12 Trauma........................................................................ 393 Tr- 409
Seção 13 ASAMI (Fixadores externos)......................................... 448

00-Iniciais-2ªp.indd 13 10/31/11 11:37:23 AM


Apresentação

Não são as respostas que movem o mundo... são as perguntas !


Conhecida mensagem do Canal de televisão Futura

Perguntar é Ensinar
Xenofonte, historiador francês

O formato é simples e conhecido há longo tempo – pergunta acompanhada de


resposta comentada. Provavelmente pela simplicidade e alta eficácia para o aprendizado,
este tipo de publicação se mantém tão atual. Na prática, este livro sintetiza mil informa-
ções úteis, dicas, orientações previamente pesquisadas em livros-textos e artigos atuali-
zados e revisados por especialistas de primeira linhagem da ortopedia brasileira.
A leitura deste livro é adequada ao R3, que se prepara para o TEOT; para o R1,
que busca uma primeira leitura no “novo mundo” da ortopedia e traumatologia; para
o R4, já focado na especialização ortopédica; para o ortopedista já estabelecido, que
busca a informação condensada ao invés do texto amplo; e para profissionais de
várias áreas, que desejam aprender ou revisar o assunto.
A SBOT lança esta segunda edição baseada no sucesso da primeira, de 2007,
coordenada por Marcos Musafir e Marco Antônio Percope.
Este projeto é mais um exemplo da “horizontalização”( integração de diversos
setores) da Gestão 2011 da SBOT. De forma inédita, este livro conta com a partici-
pação ativa da CEC, da CET, e dos doze comitês de especialidade, com quem tenho
a honra de dividir a co-autoria.
Pessoas fazem uma sociedade. Não o contrário.

00-Iniciais-2ªp.indd 14 10/31/11 11:37:23 AM


Apresentação xv

Agradeço pois, a Alexandre Fogaça Cristante (CEC), a João Baptista dos San-
tos (CET), a cada presidente de comitê de especialidade e à Editora Manole, pela
excelência editorial.
Boa leitura e bom aprendizado !

Osvandré Lech
Presidente da SBOT
Passo Fundo, Outubro de 2011

00-Iniciais-2ªp.indd 15 10/31/11 11:37:23 AM


00-Iniciais-2ªp.indd 16 10/31/11 11:37:23 AM
SEÇÃO 1
Ciências básicas

1. Na lesão do LCM, o local mais frequente de ruptura é a


a) região femoral
b) região tibial
c) região femoral + tibial (combinada)
d) linha articular

2. Na fratura do acetábulo, a corona mortis significa uma anastomose


entre a
a) veia obturatória e a veia femoral
b) veia ilíaca interna e a veia femoral
c) artéria ilíaca interna e a artéria femoral
d) artéria obturatória e a artéria femoral

3. Na luxação posterior do quadril, a manobra semiológica de redu-


ção é o teste de
a) Godfrey
b) Thompson
c) Braun
d) Allis

4. Na fratura do colo do fêmur, a manobra de Leadbetter é realizada


pela
a) flexão do quadril em 90°, tração, rotação interna, extensão até 10°
b) flexão do quadril em 90°, tração, rotação interna, extensão completa

Book-Perguntas.indb 1 10/31/11 3:17:45 PM


2 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) flexão do quadril em 90°, tração, rotação externa, extensão até 10°


d) flexão do quadril em 90°, tração, rotação externa, extensão completa

5. Na fratura do colo do fêmur, o alinhamento normal das trabéculas


pelo índice de Garden é de
a) 120° no AP e 100° no perfil
b) 100° no AP e 120° no perfil
c) 160° no AP e 180° no perfil
d) 180° no AP e 160° no perfil

6. Na fratura do colo do fêmur da criança após os 8 anos de idade, a


artéria do ligamento redondo é responsável por
a) 10% da irrigação da cabeça
b) 20% da irrigação da cabeça
c) 30% da irrigação da cabeça
d) 40% da irrigação da cabeça

7. Na lesão do ligamento cruzado anterior, o sexo e a faixa etária


mais acometida são, respectivamente,
a) masculino e segunda e terceira décadas
b) feminino e segunda e terceira décadas
c) masculino e terceira e quarta décadas
d) feminino e terceira e quarta décadas

8. Nas fraturas do fêmur, a região distal é delimitada da articulação


do joelho até
a) 3 cm do fêmur distal
b) 5 cm do fêmur distal
c) 7 cm do fêmur distal
d) 9 cm do fêmur distal

9. Na síndrome do estresse tibial medial ou shin splint, a dor localiza-


se na região
a) do terço proximal na face lateral da tíbia
b) do terço proximal na face medial da tíbia
c) do terço distal na face lateral da tíbia
d) do terço distal na face medial da tíbia

10. Nas lesões musculares, o termo concêntrico é definido como


a) ação dinâmica, produzindo movimentação articular

Book-Perguntas.indb 2 10/31/11 3:17:45 PM


Seção 1 – Ciências básicas 3

b) sem movimento, gerando força sem alterar seu comprimento


c) ação dinâmica, provocando alongamento muscular
d) sem movimento, gerando força que altera seu comprimento

11. Na tendinopatia lateral do cotovelo, a faixa etária e o músculo mais


acometido são, respectivamente,
a) 20 anos e extensor radial curto do carpo
b) 30 anos e extensor radial curto do carpo
c) 30 anos e extensor radial longo do carpo
d) 40 anos e extensor radial longo do carpo

12. Na doença de Freiberg a cabeça do metatarsiano mais acometido


éa
a) primeira
b) segunda
c) quarta
d) quinta

13. Na metatarsalgia de Morton, uma manobra semiológica que utili-


zamos é o teste de
a) McBride
b) Jack
c) Cotton
d) Mulder

14. Na anatomia do pé, é considerado músculo extrínseco o


a) flexor curto dos dedos
b) flexor curto do hálux
c) flexor longo do hálux
d) abdutor do quinto dedo

15. Na biomecânica da mão, o desvio radial ocorre em cerca de 60° a


65° na articulação
a) radiocarpiana
b) ulnocarpiana
c) mediocarpiana
d) metacarpofalangeana

Book-Perguntas.indb 3 10/31/11 3:17:45 PM


4 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

16. Na disfunção do tendão do tibial posterior, o teste clínico que pode


ser observado é o
a) sinal dos muitos dedos
b) ponta dos pés
c) Coleman
d) Chopart

17. Na sensibilidade cutânea do pé, a região do hálux corresponde ao


nervo
a) sural
b) safeno
c) fibular superficial
d) fibular profundo

18. Na biomecânica do pé, o dedo em taco de golfe corresponde a


a) hiperflexão da IFD
b) hiperflexão da IFP
c) hiperextensão da IFD
d) hiperextensão da IFP

19. Na anatomia do pé, é considerado músculo extrínseco do compar-


timento anterior o
a) fibular terceiro
b) fibular longo
c) fibular curto
d) extensor curto dos dedos

20. Na lesão do LCA, o sexo feminino, praticando a mesma modalida-


de esportiva que o sexo masculino, tem um risco de ruptura
a) 1 a 2 vezes maior
b) 2 a 4 vezes maior
c) 3 a 6 vezes maior
d) 6 a 8 vezes maior

21. Entende-se por consolidação primária a


a) que ocorre naturalmente, sem intervenção
b) obtida sob condições de estabilidade absoluta
c) obtida sob condições de estabilidade relativa
d) obtida com fixação de placas

Book-Perguntas.indb 4 10/31/11 3:17:46 PM


Seção 1 – Ciências básicas 5

22. Síndrome compartimental na perna, com diminuição da sensibili-


dade na região dorsolateral do pé, indica envolvimento do com-
partimento
a) anterior
b) lateral
c) posterior superficial
d) posterior profundo

23. A curvatura anterior do fêmur de um adulto é menor em


a) brancos
b) negros
c) asiáticos
d) índios

24. Na fratura distal do fêmur do tipo C2 da classificação AO, os prin-


cípios a serem obedecidos na escolha do tratamento são de esta-
bilidade
a) relativa na fratura articular e absoluta na fratura metafisária
b) absoluta na fratura articular e relativa na fratura metafisária
c) relativa em ambas as fraturas
d) absoluta em ambas as fraturas

25. O último centro de ossificação secundário da epífise distal do úme-


ro a se fundir com a metáfise é o
a) do capítulo
b) da tróclea
c) do epicôndilo lateral
d) do epicôndilo medial

26. Os dois planos internervosos dorsais do antebraço estão localiza-


dos entre os músculos
a) extensor radial curto do carpo e extensor dos dedos/extensor ulnar
do carpo e anconeu
b) extensor próprio do indicador e abdutor longo do polegar/extensor
ulnar do carpo e anconeu
c) extensor radial curto do carpo e extensor dos dedos/braquiorradial
e extensor radial longo do carpo
d) extensor próprio do indicador e abdutor longo do polegar/braquior-
radial e extensor radial longo do carpo

Book-Perguntas.indb 5 10/31/11 3:17:46 PM


6 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

27. Na fase lítica da doença de Paget


a) existe hiperatividade osteoclástica
b) a cavitação óssea ocorre por ação de enzimas betalactâmicas
c) os osteoblastos estão com sua atividade suprimida
d) o processo de remodelação óssea atinge seu ápice

28. Na artrite séptica hematogênica


a) o infiltrado inflamatório inicial é pobre em leucócitos mononu-
cleares
b) a degradação da cartilagem não tem relação com a concentração
de linfócitos T
c) sua fisiopatologia está relacionada à ausência de membrana basal
nos capilares
d) a fagocitose da bactéria é estimulada pela presença de fibroblastos
sinoviais

29. No mieloma múltiplo, a radiografia e a cintilografia apresentam,


respectivamente,
a) lesão lítica com borda esclerótica e hipercaptação
b) lesão lítica sem borda esclerótica e hipercaptação
c) lesão lítica com borda esclerótica e normocaptação
d) lesão lítica sem borda esclerótica e normocaptação

30. Durante a marcha, os abdutores do quadril atuam principalmente


no
a) início da fase de apoio
b) início da fase de oscilação
c) final da fase de apoio
d) final da fase de oscilação

31. A mielomeningocele é geralmente associada a


a) atraso da puberdade
b) inteligência normal
c) espasticidade dos membros superiores
d) hipertonia dos membros inferiores

32. Na osteoporose primária, a fosfatase alcalina e o cálcio sérico es-


tão, respectivamente
a) normal e aumentado
b) normal e normal

Book-Perguntas.indb 6 10/31/11 3:17:46 PM


Seção 1 – Ciências básicas 7

c) aumentada e normal
d) aumentada e aumentado

33. Na doença de Paget, o achado histológico é de padrão


a) em mosaico
b) metaplásico
c) epitelioide
d) cavitário

34. O anel pericondral de Lacroix é responsável


a) pela nutrição metafisária
b) pelo crescimento periférico da placa fisária
c) pela estabilização mecânica da placa fisária
d) pela nutrição da cartilagem hialina articular

35. A artéria de Adamkiewicz é localizada, em 80% dos indivíduos,


entre os níveis
a) T7 e T9 à direita
b) T7 e T9 à esquerda
c) T9 e T11 à direita
d) T9 e T11 à esquerda

36. O reflexo cremastérico está relacionado com as raízes


a) T10 e T11
b) T12 e L1
c) L2 e L3
d) L4 e L5

37. No mal de Pott, a região da coluna mais comumente acometida é a


a) cervical
b) torácica alta
c) transição toracolombar
d) transição lombossacral

38. Na pseudartrose congênita da tíbia, segundo Boyd, o tipo III apre-


senta
a) fratura ao nascimento
b) constrição em ampulheta da tíbia
c) neurofibroma intraósseo
d) cistos ósseos

Book-Perguntas.indb 7 10/31/11 3:17:46 PM


8 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

39. Na paralisia cerebral, o quadril luxado apresenta


a) o trocânter menor aumentado
b) diminuição do índice acetabular
c) menos dor que o quadril subluxado
d) retroversão femoral

40. Na osteomielite hematogênica aguda, a velocidade de hemossedi-


mentação, em comparação com a proteína C reativa
a) é mais específica
b) é menos sensível
c) normaliza-se mais precocemente com o tratamento
d) tem os seus valores elevados mais precocemente

41. A mielomeningocele
a) tem sua incidência reduzida pela ingestão diária de ácido fólico por
gestantes, a partir do terceiro mês
b) apresenta lesão neurológica de caráter não progressivo
c) apresenta maior incidência de medula presa, quando é torácica
d) está associada à reação alérgica ao látex

42. No raquitismo
a) por osteodistrofia renal, os níveis de fosfatase alcalina no sangue
estão normais
b) por osteodistrofia renal, os níveis de cálcio na urina estão ele-
vados
c) por deficiência de vitamina D, os níveis de cálcio e fósforo no sangue
estão diminuídos
d) por deficiência de vitamina D, a reabsorção tubular de fosfatos está
aumentada

43. No teste de Trendelenburg em um quadril normal, a força exercida


pela musculatura abdutora do membro apoiado é
a) igual ao peso corporal
b) duas vezes o peso corporal
c) três vezes o peso corporal
d) quatro vezes o peso corporal

Book-Perguntas.indb 8 10/31/11 3:17:46 PM


Seção 1 – Ciências básicas 9

44. A principal fonte de suprimento sanguíneo da cabeça do fêmur é


a artéria
a) circunflexa lateral
b) do ligamento redondo
c) glútea inferior
d) circunflexa medial

45. Na infecção pós-osteossíntese, o biofilme é mais bem descrito


como
a) comunidade de bactérias sésseis com glicocálix
b) colônia de estafilococos meticilina-resistentes
c) corrosão induzida por liberação de debris
d) metalose: imunológica do hospedeiro

46. A estabilidade em varo e valgo do cotovelo deve ser testada com


flexão de
a) 0°
b) 15°
c) 45°
d) 60°

47. Na tíbia vara de Blount do tipo infantil, a incidência radiográfica


anteroposterior mostra
a) subluxação medial da tíbia
b) irregularidade lateral da placa fisária
c) “bico” ósseo na epífise medial da tíbia
d) ossificação assimétrica da epífise proximal da tíbia

48. Na fratura exposta, o gás no subcutâneo pode ser produzido por


Clostridium perfringens ou
a) Pseudomonas aeruginosa
b) Azotobacter vinelandii
c) Bacillus anthracis
d) Escherichia coli

49. A posição ideal para a artrodese do tornozelo, segundo Mann, é


a) flexoplantar de 5º/varo-valgo neutro
b) flexoextensão neutra/varo-valgo neutro
c) flexão plantar de 5º/valgo de 5º
d) flexoextensão neutra/valgo de 5º

Book-Perguntas.indb 9 10/31/11 3:17:46 PM


10 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

50. A doença de Köenig acomete mais comumente a região


a) lateral do côndilo medial
b) lateral do côndilo lateral
c) medial do côndilo medial
d) medial do côndilo lateral

51. O osteoblasto é uma célula


a) ovalada, mononucleada e com múltiplos longos processos citoplas-
máticos
b) cuboide, mononucleada e com grande volume de membrana de
Golgi
c) de forma irregular, multinucleada e com pregueamento da mem-
brana citoplasmática
d) esférica, multinucleada e com granulações negras de mineral no
interior do citoplasma

52. Na osteossíntese intramedular das fraturas diafisárias, o material


de síntese com maior possibilidade de infecção é a haste
a) sólida em aço
b) canulada em aço
c) sólida em titânio
d) canulada em titânio

Book-Perguntas.indb 10 10/31/11 3:17:46 PM


SEÇÃO 2
Coluna
Coordenador: Luiz Eduardo Munhoz da Rocha

53. Na enfermidade de Scheuermann, o tratamento com artrodese


está indicado quando
a) a cifose é difusa
b) o ápice da curva é inferior a T9
c) a deformidade é progressiva
d) a deformidade tem menos de 70°

54. Na escoliose congênita, as anormalidades mais severas estão loca-


lizadas na
a) torácica alta
b) junção toracolombar
c) lombar
d) junção lombossacra

55. Na estenose do canal lombar, a síndrome do recesso lateral é pro-


duzida, na maioria dos casos, por
a) hipertrofia do processo articular inferior
b) hipertrofia do ligamento amarelo
c) protrusão discal posterolateral
d) espondilolistese

56. O acesso cirúrgico recomendado para remoção do disco torácico


com hérnia central é
a) por laminectomia simples

Book-Perguntas.indb 1 10/31/11 3:17:46 PM


12 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

b) o transpedicular
c) por costotransversectomia
d) o transtorácico

57. Na síndrome medular posterior, o déficit neurológico característico


é a perda
a) da motricidade e das sensibilidades térmica e dolorosa
b) da motricidade e das sensibilidades térmica e vibratória
c) da propriocepção e da sensibilidade vibratória
d) das sensibilidades térmica, dolorosa e vibratória

58. Nas fraturas do processo odontoide, tipo II de Anderson e D’Alonzo,


o aumento da incidência de pseudoartrose está relacionada a
a) menos de 5 mm de desvio
b) angulação maior que 10°
c) idade menor que 40 anos
d) deslocamento anterior

59. Sobre a fratura toracolombar do tipo Chance, é correto afirmar


a) não há envolvimento da coluna posterior
b) a fratura se dá por compressão axial
c) a principal falha é da coluna anterior
d) há instabilidade ligamentar

60. Sobre o cisto ósseo aneurismático na coluna, é correto afirmar


a) é uma afecção comum na coluna
b) pode acometer qualquer nível
c) não costuma acometer os elementos posteriores
d) ocorre principalmente em idosos

61. No XLIF, o músculo por meio do qual a técnica é realizada é o:


a) multifidus
b) longuíssimo
c) psoas
d) glúteo máximo

62. Assinale a alternativa incorreta


a) o plexo vascular periférico do ânulo fibroso, os vasos adjacentes e
a cartilagem hialina na interface osso-disco são responsáveis pela
difusão de metabólitos para dentro do disco

Book-Perguntas.indb 2 10/31/11 3:17:46 PM


Seção 2 – Coluna 13

b) o disco vertebral normal no adulto é avascular


c) a permeabilidade no centro do disco é de 80% e, em sua periferia,
40%.
d) o efeito de bombeamento de fluido que ocorre quando o disco
vertebral sofre compressão axial desempenha papel fundamental
no transporte de nutrientes e solutos pequenos para o interior do
disco.

63. Assinale a alternativa incorreta


a) a notocorda dará origem ao núcleo pulposo do disco intervertebral
durante a embriogênese
b) células remanescentes da notocorda são frequentemente isoladas
em estudos histológicos de discos vertebrais em adultos
c) cordomas têm origem em células remanescentes da notocorda em
discos intervetebrais
d) os locais mais comuns de aparecimentos de cordomas são o sacro
e a base do crânio.

64. Assinale a associação incorreta


a) sinal de Bragard – no paciente em DDH, promove-se elevação
do membro com o joelho estendido até o ponto em que se re-
produz a queixa, em seguida, abaixa-se um pouco o membro
até aliviar sintomas, nessa posição, flete-se dorsal e passivamen-
te o pé do paciente, resultando novamente em reprodução da
queixa do paciente.
b) sinal de Waddel – quando 3 ou mais presentes, sugere componen-
te não orgânico para queixa de dor em questão.
c) sinal de Lhermitte – irradiação de sensação de choque para mem-
bros quando se faz flexão cervical.
d) sinal de Gillet – perda de equilíbrio ao fechamento dos olhos du-
rante extensão cervical.

65. Assinale a alternativa correta


a) astrocitoma é a neoplasia intramedular mais comum no adulto
b) epidimoma frequentemente envolve o cone medular e o filum ter-
minale
c) pacientes com epidimoma costumam se apresentar ao médico na
segunda ou terceira década de vida com queixa de dor
d) NDA

Book-Perguntas.indb 3 10/31/11 3:17:46 PM


14 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

66. Assinale a alternativa correta


a) cisto sinovial na articulação facetária da coluna vertebal é facilmen-
te identificado em imagens de ressonância magnética em T1
b) hemorragia vertebral aguda pode não se apresentar com caracte-
rística de sangramento na ressonância magnética
c) ressonância magnética é o exame de escolha para a avaliação de
fragmento ósseo intracanal e para a avaliação de fraturas dos ele-
mentos posteriores
d) imagens de ressonância magnética em T1 com supressão de gor-
dura são pouco úteis para o diagnóstico precoce de espondilodis-
cite aguda.

67. Quanto à espondilite anquilosante, é correto afirmar


a) prevalência de 1 a 2% entre brancos, sendo equivalente à encon-
trada na artrite reumatoide
b) associação grande entre HLA-27 e espondilite anquilosante estando
presente em até 90% dos pacientes
c) a proporção entre homens e mulheres acometidos por espondilite
anquilosante é de 3:1, respectivamente; mulheres tendem a ser
menos sintomáticas e desenvolvem doenças menos graves
d) todas as anteriores são corretas

68. Assinale a alternative correta:


a) na escoliose idiopática, a prevalência de curvas maiores que 10° é
maior entre as mulheres, com proporção entre os sexos feminino e
masculino de 4:1, respectivamente
b) a escoliose idiopática infantil corresponde a menos de 1% das es-
colioses e tende a comprometer mais o sexo masculino, apresen-
tando-se com curvas torácicas esquerdas
c) na escoliose idiopática, a taxa de incidência entre parentes de pri-
meiro grau é de 11%, entre parentes de segundo grau é de 2,4%,
e entre parentes de terceiro grau é de 1,4%
d) todas as anteriores estão corretas

69. Sobre a doença de Scheuermann, assinale a alternativa incorreta


a) é a causa mais comum de cifose torácica grave em adolescentes
b) a prevalência em adolescentes é de 1 a 8%
c) acomete 4 vezes mais o sexo masculino que o feminino.
d) aproximadamente um terço dos pacientes apresentam escoliose
concomitante

Book-Perguntas.indb 4 10/31/11 3:17:46 PM


Seção 2 – Coluna 15

70. Assinale a alternativa correta quanto aos critérios de Sorensen para


o diagnóstico de doença de Scheuermann
a) encunhamento vertebral anterior maior que 5° em 2 vértebras con-
secutivas no ápice da curva
b) encunhamento vertebral anterior maior que 5° em 3 ou mais vér-
tebras consecutivas no ápice da curva
c) encunhamento vertebral anterior maior que 10° em 2 vértebras
consecutivas no ápice da curva
d) encunhamento vertebral anterior maior que 5° em 2 vértebras não
obrigatoriamente consecutivas e no ápice da curva

71. Assinale a alternativa incorreta


a) a linha de McGregor é obtida a partir da radiografia simples de
coluna cervical em perfil e se estende da superfície superior da
borda posterior do palato duro até o ponto mais caudal da curva
occipital do crânio
b) a linha de Chamberlain é obtida a partir da radiografia simples de
coluna cervical em perfil e se estende da margem dorsal do palato
duro até o lábio posterior do forame magno
c) a linha de Fischgold-Metzger é obtida a partir da radiografia simples
de coluna cervical em perfil e se estende da superfície posterior do
odontoide até o lábio posterior do forame magno
d) a linha de MacRae é obtida a partir da radiografia simples de colu-
na cervical em perfil e é um guia preciso na avaliação clinicorradio-
lógica dos pacientes com impressão basilar

72. Marque a alternativa correta


a) a síndrome de Brown-Séquard corresponde à hemissecção da me-
dula e ocasiona perda das funções motora e proprioceptiva do lado
oposto ao da lesão e perda da sensibilidade à dor e temperatura do
mesmo lado
b) na síndrome da medula anterior existe preservação da propriocep-
ção e perda variável da função motora e da sensibilidade à dor
c) na síndrome da medula central ocorre comprometimento dos mem-
bros inferiores mais acentuado que dos membros superiores
d) a síndrome da medula central ocorre principalmente na região to-
rácica, onde o canal medular apresenta dimensões reduzidas

Book-Perguntas.indb 5 10/31/11 3:17:46 PM


16 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

73. A necessidade de reconstrução da coluna anterior nas fraturas da


coluna torácica ou lombar não apresenta limites bem definidos até
o momento. Com o objetivo de estabelecer esses limites, Gaines e
Karaikovic propuseram critérios para sua indicação, utilizando
como parâmetros
a) déficit neurológico, desvio do segmento vertebral e grau de corre-
ção da cifose
b) tamanho do fragmento intracanal, cominuição do corpo vertebral
e déficit neurológico
c) tamanho do fragmento intracanal, cominuição do corpo vertebral
e grau de correção da cifose
d) cominuição do corpo vertebral fraturado, desvio do segmento ver-
tebral e grau de correção da cifose.

74. Uma hérnia de disco foraminal L4-L5 afeta a raiz


a) L3
b) L4
c) L5
d) S1

75. A taxa de recorrência de hérnia de disco varia em torno de


a) 7%
b) 18%
c) 30%
d) 43%

76. O colete de Milwaukee é utilizado em curvas escolióticas idiopáti-


cas com ápice acima de T6 em pacientes esqueleticamente imatu-
ros com Risser ____ e ângulo de Cobb ___, respectivamente
a) ≤ 3 e 25° a 50°
b) 4 e 25° a 40°
c) ≤ 2 e 25° a 40°
d) 1 e 15° a 25°

77. Em relação à tuberculose vertebral, é verdadeiro afirmar


a) a incidência de tuberculose vertebral ocorre em cerca de 15% dos
pacientes portadores de tuberculose
b) déficit neurológico se desenvolve em cerca de 5% dos pacientes
c) déficit neurológico não é indicação absoluta de cirurgia
d) antibioticoterapia por, no mínimo, 12 meses, é o tratamento não
cirúrgico preconizado.

Book-Perguntas.indb 6 10/31/11 3:17:47 PM


Seção 2 – Coluna 17

78. Assinale a alternativa correta sobre o tumor de células gigantes


a) ocorre preferencialmente em pacientes entre a primeira e segunda
décadas de vida
b) ocorre preferencialmente no corpo celular
c) possui melhor prognóstico que os localizados em extremidades
d) tratamento com irradiação adjuvante melhora as chances de cura

79. Sobre a espondilolistese degenerativa, é correto afirmar


a) é mais comum em homens e envolve os níveis L4-L5
b) é mais comum em mulheres e envolve os níveis L4-L5
c) é mais comum em homens e envolve os níveis L5-S1
d) é mais comum em mulheres e envolve os níveis L5-S1

80. O National Acute Spinal Cord Injury Study (NASCIS) III propõe
para pacientes portadores de trauma raquimedular há 10 horas
a) metilprednisolona 30 mg/kg de peso administrada em bolus em 15
minutos, seguido por uma dose de manutenção de 5,4 mg/kg/h
nas 23 horas consecutivas, iniciada após 45 minutos da dose de
ataque
b) metilprednisolona 30 mg/kg de peso administrada em bolus em 15
minutos, seguido por uma dose de manutenção de 5,4 mg/kg/r nas
48 horas consecutivas, iniciada após 45 minutos da dose de ataque
c) não está indicado o tratamento com corticosteroide
d) metilprednisolona 30 mg/kg de peso administrado em bolus em 15
minutos, sem dose de manutenção

81. São indicações de radiografia em lombalgias agudas, exceto


a) déficit neuromuscular
b) uso de corticosteroide
c) dor intensa
d) idade superior a que 50 anos

82. Os fatores abaixo podem indicar acometimento mais grave na co-


luna em um paciente com artrite reumatoide, exceto
a) sexo feminino
b) uso de corticosteroide
c) doença de longa duração
d) fator reumatoide positivo

Book-Perguntas.indb 7 10/31/11 3:17:47 PM


18 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

83. O acometimento dos elementos posteriores da coluna vertebral


indica o diagnóstico dos seguintes tumores
a) cisto ósseo aneurismático, cordoma, osteocondroma
b) osteoma osteoide, osteocondroma, mieloma múltiplo
c) cordoma, tumor de células gigantes, hemangioma
d) osteoblastoma, osteoma osteoide, osteocondroma

84. Sobre a tuberculose na coluna vertebral, é incorreto afirmar


a) o teste cutâneo deve ser realizado em pacientes com infecção tu-
berculosa prévia
b) a coluna toracolombar é a área mais comum
c) diagnóstico definitivo é obtido com a cultura, por meio da biópsia
da lesão
d) 60 a 90% dos pacientes com paraplegia de Pott se recuperam

85. O critério diagnóstico da doença de Scheuermann típica é


a) mais de 5º de encunhamento de pelo menos 5 vértebras adjacentes
b) mais de 3º de encunhamento de pelo menos 5 vértebras adjacentes
c) mais de 5º de encunhamento de pelo menos 3 vértebras adjacentes
d) mais de 3º de encunhamento de pelo menos 3 vértebras adjacentes

86. O tratamento com órtese na escoliose idiopática do adolescente é


indicado em
a) curva flexível de 20º a 30º com progressão menor que 5º em fase
de crescimento
b) curva de 30º a 40º em fase de crescimento, na avaliação inicial
c) curva principal dupla cosmeticamente inaceitável de 40º a 45º
d) curva maior que 50º

87. O quadro clínico da síndrome de Brown-Séquard é


a) fraqueza motora do lado da lesão, perda das sensibilidades térmica
e proprioceptiva contralateral
b) fraqueza motora do lado da lesão, perda das sensibilidades térmica
e dolorosa contralateral
c) perda das sensibilidades térmica e dolorosa do lado da lesão, fra-
queza motora contralateral
d) perda da sensibilidade dolorosa e fraqueza motora do lado da lesão,
perda da sensibilidade térmica contralateral

Book-Perguntas.indb 8 10/31/11 3:17:47 PM


Seção 2 – Coluna 19

88. Assinale a alternativa correta sobre a classificação de Fielding e


Hawkins das luxações rotatórias C1-C2
a) tipo I – luxação rotatória com deslocamento posterior
b) tipo II – luxação rotatória com deslocamento anterior menor que 3
mm
c) tipo III – luxação rotatória com deslocamento anterior maior que 5
mm
d) tipo IV – luxação rotatória com deslocamento anterior

89. A artéria de Adamkiewicz normalmente fica localizada


a) entre T7-T9 do lado direito
b) entre T7-T9 do lado esquerdo
c) entre T9-T11 do lado direito
d) entre T9-T11 do lado esquerdo

90. Qual é a anomalia ortopédica associada mais comum na síndrome


de Klippel-Feil
a) deformidade de Sprengel
b) escoliose
c) costelas cervicais
d) impressão basilar

91. Os achados radiológicos citados abaixo são sinais sugestivos de


provável lesão do complexo ligamentar posterior em uma fratura
da coluna toracolombar em osso não osteoporótico, exceto
a) perda de altura anterior da vértebra maior que 50% da altura inicial,
na imagem em perfil
b) aumento da distância entre os processos espinhosos da vértebra
lesada e da vértebra imediatamente acima, na imagem em perfil e/
ou na imagem anteroposterior
c) aumento da distância entre os pedículos na imagem anteroposterior
d) cifose maior que 25º a 30º entre as vértebras superior e inferior à
vértebra lesada (cifose de Cobb), na imagem em perfil.

92. Sobre as lesões por projétil de arma de fogo na coluna cervical, é


correto afirmar, exceto
a) descompressão e remoção do projétil provavelmente não são úteis
na melhora do prognóstico de recuperação neurológica
b) extensão da antibioticoprofilaxia é indicada em casos de lesões das
vias aéreas, hipofaringe ou faringe

Book-Perguntas.indb 9 10/31/11 3:17:47 PM


20 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) se a laminectomia for realizada, ela deve ser frequentemente acom-


panhada de instrumentação e fusão
d) o prognóstico do déficit neurológico motor, mesmo estático, e a
dor neuropática são melhorados com a retirada do projétil nos ca-
sos em que estiver alojado intracanal vertebral

93. Sobre as fraturas do sacro, assinale a correta


a) na zona II de Denis, o traço de fratura é na região alar
b) o índice de déficit neurológico na zona I é de 28,4%
c) a zona III de Denis tem 56% de risco de lesão neurológica com alto
risco de incontinência
d) na zona III de Denis pode ocorrer a síndrome extremolateral

94. Sobre a doença de Scheuermann, assinale a alternativa incorreta


a) há um leve predomínio no sexo masculino
b) a maioria dos pacientes tem déficit neurológico
c) há presença de irregularidades na placa terminal
d) o colete de Milwakee é a órtese de escolha

95. Em relação ao osteoma osteoide, assinale a alternativa incorreta


a) é mais comum na segunda década de vida
b) existe predomínio nos elementos posteriores da coluna
c) o exame neurológico geralmente é normal
d) quando escoliose está presente, a lesão é localizada no lado conve-
xo, na área da vértebra apical.

96. Sobre a epidemiologia da espondilolistese degenerativa, assinale


a alternativa incorreta
a) 4 a 5 vezes mais comum em mulheres
b) mais comum entre L4-L5
c) mais comum entre L5-S1
d) mais comum em mulheres de raça negra

97. Sobre as fraturas do odontoide, assinale a correta


a) correspondem a 50% das fraturas da coluna cervical
b) têm maior incidência no sexo feminino
c) o desvio anterior do fragmento é o mais frequente
d) maior frequência em idosos entre 70 e 80 anos

Book-Perguntas.indb 10 10/31/11 3:17:47 PM


Seção 2 – Coluna 21

98. Sobre as fraturas do tipo B, assinale a incorreta


a) a frequência de lesão neurológica nas fraturas do tipo B é superior
à observada no tipo A
b) cirurgia é o tratamento de escolha nas fraturas B2.1
c) a abordagem anterior combinada está indicada quando há com-
pressão do canal acima de 40 a 50%
d) nas fraturas B2, a lesão predominante é óssea

99. Na síndrome de Brown-Séquard, assinale a incorreta


a) o déficit motor é ipsilateral
b) há perda ipsilateral de sensibilidade dolorosa e temperatura
c) há perda da propriocepção ipsilateral
d) há perda contralateral de sensibilidade dolorosa e temperatura

100. São características da escoliose neuromuscular, exceto


a) curvas grandes precocemente
b) curvas rígidas
c) curva lombar com extensão ao sacro
d) obliquidade pélvica

101. Sobre a síndrome de Klippel-Feil, assinale a incorreta


a) a tríade pescoço curto, implantação baixa do cabelo e limitação à
movimentação
b) escoliose é a anomalia mais comum associada
c) surdez é a anomalia mais comum associada
d) há falha de segmentação de mais de 2 vértebras cervicais

102. São sinais radiográficos de instabilidade cervical, exceto:


a) angulação > 11º entre os corpos vertebrais
b) translação > 3,5 mm
c) rotação das facetas articulares no perfil
d) fratura do processo espinhoso

103. Os reflexos biciptal, patelar e aquileu correspondem, respectiva-


mente, às raízes
a) C6, L4 e L5
b) C6, L3 e S1
c) C5, L4 e S1
d) C5, L3 e L5

Book-Perguntas.indb 11 10/31/11 3:17:47 PM


22 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

104. Qual destes sintomas não pode ser encontrado em um paciente


com radiculopatia de C6
a) diminuição do reflexo braquiestilorradial
b) diminuição sutil do reflexo biciptal
c) diminuição de força de extensão do punho
d) dor ou parestesia irradiada na face dorsal do antebraço e do tercei-
ro dedo

105. Segundo a classificação de Levine e Edwards, modificada por Effen-


di para espondilolistese traumática do áxis, o mecanismo de com-
pressão axial e hiperextensão seguidas de flexão origina as lesões
do tipo:
a) I
b) II
c) IIa
d) III

106. Segundo a classificação de Anderson e Montesano para fraturas


do côndilo occipital, as fraturas cominutas e impactadas corres-
pondem ao tipo
a) I
b) II
c) III
d) IV

107. Sobre as discites, assinale a alternativa incorreta


a) preconiza-se a introdução inicial de antibióticos endovenosos, re-
servando a abordagem cirúrgica para casos específicos
b) o agente mais comum é o Staphylococcus aureus
c) alterações à radiografia podem demorar de 2 a 4 semanas para
surgir
d) as causas mais comuns de discite são bacteremias causadas por
infecções de vias aéreas superiores

108. Sobre a discografia, pode-se afirmar:


a) pode ser usada como rastreamento nos casos de doença degene-
rativa discal
b) é um teste não invasivo
c) é um teste subjetivo e depende da resposta do paciente à dor
d) não acelera o processo de degeneração discal

Book-Perguntas.indb 12 10/31/11 3:17:47 PM


Seção 2 – Coluna 23

109. O descrição correta do teste de Bragard é:


a) inicie pela elevação do membro inferior; quando o paciente sentir
dor, abaixe o membro até cessá-la; mantenha a perna nessa po-
sição e realize dorsiflexão do tornozelo. O teste é positivo para
dor
b) inicie pela elevação do membro inferior; quando o paciente sentir
dor, abaixe o membro até cessá-la; mantenha a perna nessa posição
e realize flexão do pescoço. O teste é positivo para dor
c) inicie pela elevação do membro inferior; quando o paciente sentir
dor, abaixe o membro até cessá-la; mantenha a perna nessa posição
e peça ao paciente que faça a manobra de Valsalva. O teste é posi-
tivo para dor
d) inicie pela elevação do membro inferior; quando o paciente sentir
dor, abaixe o membro até cessá-la; mantenha a perna nessa posição
e rode internamente. O teste é positivo para dor

110. Na fratura da coluna toracolombar causada por flexão-distração,


o fulcro da flexão está situado
a) anteriormente ao ligamento longitudinal anterior
b) no ligamento longitudinal anterior
c) posteriormente ao ligamento longitudinal anterior
d) no ligamento longitudinal posterior

111. Na hérnia de disco lombar, o bom resultado após infiltração epi-


dural de corticosteroide está relacionado à presença prévia de
a) dor ciática subaguda ou crônica
b) alterações motoras
c) alterações de reflexos
d) mielografia positiva

112. A espondilite anquilosante


a) em geral afeta as mulheres, com mais frequência nas segunda e
terceira décadas de vida
b) progride atingindo vértebras de situação mais cefálica, em direção
às vértebras caudais
c) está associada com o antígeno HLA-B27, na grande maioria dos
casos
d) provoca deposição óssea no corpo vertebral.

Book-Perguntas.indb 13 10/31/11 3:17:47 PM


24 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

113. Na escoliose idiopática, a órtese está indicada


a) somente durante o dia
b) em curva de 45º
c) se o sinal de Risser for de, no máximo, 3
d) se a cartilagem trirradiada estiver fechada

114. A mielomeningocele
a) tem sua incidência reduzida pela ingestão diária de ácido fólico por
gestantes, a partir do terceiro mês
b) apresenta lesão neurológica de caráter não progressivo
c) apresenta maior incidência de medula presa, quando é torácica
d) está associada à reação alérgica ao látex

115. Na síndrome de Grisel,


a) a criança frequentemente está afebril
b) não existe espasmo muscular
c) a subluxação ocorre entre a segunda e a terceira vértebras cervicais
d) a redução espontânea ocorre na maioria das vezes

116. Na doença de Scheuermann, a escoliose associada geralmente


apresenta curva de
a) 10º a 20º, que progride rapidamente
b) 10º a 20º, que raramente progride
c) 20º a 40º, que progride rapidamente
d) 20º a 40º, que raramente progride

117. Na espondilolistese, segundo Boxall, o fator preditivo de progres-


são do escorregamento mais significativo é o ângulo de desliza-
mento maior que
a) 25º
b) 35º
c) 45º
d) 55º

118. No tratamento cirúrgico da hérnia de disco cervical, a via de aces-


so anterior deve ser feita à
a) esquerda, para evitar a lesão do nervo vago
b) direita, para evitar a lesão do nervo vago
c) esquerda, para evitar a lesão do nervo laríngeo recorrente
d) direita, para evitar a lesão do nervo laríngeo recorrente

Book-Perguntas.indb 14 10/31/11 3:17:47 PM


Seção 2 – Coluna 25

119. Na fratura de Jefferson, a estabilidade da lesão é dependente da


integridade do ligamento
a) alar
b) apical
c) transverso
d) nucal

120. A instabilidade traumática da coluna cervical, segundo White e


Panjabi, tem como critério de gravidade a translação relativa no
plano sagital maior que
a) 2 mm
b) 3,5 mm
c) 5 mm
d) 7 mm

121. São fatores preditivos de progressão para escoliose idiopática do


adolescente (EIA), antes de atingir a maturidade esquelética
a) lordose torácica, desequilíbrio do tronco e magnitude da curva
b) hipercifose torácica, potencial de crescimento e hipolordose lom-
bar
c) anomalias da transição lombossacra, história familiar e hipocifose
torácica
d) sexo, magnitude da curva e padrão de curva

122. Paciente com escoliose idiopática do adolescente (EIA), 12 anos,


menarca há 1 mês, Risser 1, curva toracolombar à direita entre T10
e L3 de 33º. Qual é a melhor indicação de tratamento
a) observação
b) colete
c) tratamento cirúrgico
d) alta

123. As deformidades congênitas da coluna vertebral podem causar


graves deformidades. O prognóstico varia de acordo com o tipo
de malformação presente. Assinale a opção que enumera, em or-
dem decrescente, as malformações com pior prognóstico
a) barra unilateral, múltiplas hemivértebras totalmente segmentadas
ipsilaterais, única hemivértebra totalmente segmentada, vértebra
em bloco

Book-Perguntas.indb 15 10/31/11 3:17:47 PM


26 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

b) vértebra em bloco, múltiplas hemivértebras totalmente segmenta-


das ipsilaterais, única hemivértebra totalmente segmentada, barra
unilateral
c) barra unilateral, vértebra em bloco, múltiplas hemivértebras total-
mente segmentadas ipsilaterais, única hemivértebra totalmente
segmentada
d) múltiplas hemivértebras totalmente segmentadas ipsilaterais, única
hemivértebra totalmente segmentada, barra unilateral, vértebra em
bloco

124. Paciente vítima de fratura de T12 tipo explosão há 2 horas, com


diminuição de força muscular em membros inferiores. Assinale a
alternativa correta:
a) deve ser iniciado protocolo de corticosteroide após 8 horas do aci-
dente para evitar a diminuição da produção de aminas vasopresso-
ras importantes para a resposta do indivíduo ao trauma
b) a dose inicial do corticosteroide em um paciente com 70 kg é de
2100 mg, e deve ser feita em 15 minutos; depois, administrar nas
próximas 24 horas a dose de manutenção, que deve ser de 5,4 mg/
kg/hora
c) o reflexo bulbocavernoso, estando ausente, denota que a lesão é
completa
d) lesão incompleta é aquela em que o paciente tem capacidade de
deambular

125. Paciente com história de queda de altura, com dor em região de


transição toracolombar. Apresenta fratura tipo explosão de T12,
sem déficit neurológico. São indicações cirúrgicas desse tipo de
fratura, exceto
a) acunhamento anterior maior do que 50%
b) compressão do canal vertebral maior do que 40-50%
c) fratura que acomete a coluna média de Denis
d) cifose maior do que 25°

126. Marque a alternativa correta sobre as fraturas do processo odon-


toide
a) são raras em idosos e crianças
b) são classificadas por Anderson e D’Alonso em três tipos, sendo o
tipo I o mais benigno e o tipo III o mais grave

Book-Perguntas.indb 16 10/31/11 3:17:47 PM


Seção 2 – Coluna 27

c) as fraturas do tipo I são as mais comuns


d) as fraturas do tipo II são suscetíveis à fixação anterior com parafuso
de tração desde que apresente o traço favorável (de anterossuperior
para posteroinferior ou transverso), e não seja cominuta.

127. É sinal radiográfico de instabilidade nas radiografias da coluna


cervical
a) angulação superior a 11° entre os corpos vertebrais
b) translação superior a 5 mm entre as vértebras
c) diminuição da distância entre os processos espinhosos
d) desalinhamento entre C2-C3 nas radiografias em crianças

128. Quanto à lombalgia é correto afirmar


a) é uma queixa comum no atendimento em pronto-socorro, com
diagnóstico etiológico sendo esclarecido na maioria dos casos (hér-
nia discal, estenose etc.)
b) a maioria dos casos são lombalgias agudas
c) é uma causa importante de dor crônica e não deve ser tratada com
repouso absoluto
d) o tratamento inicial de um paciente com hérnia discal L4-L5, com
compressão nervosa importante à RM, é o tratamento cirúrgico,
independentemente da clínica do paciente

129. Sobre as deformidades vertebrais no plano sagital, assinale a alter-


nativa a correta
a) a cifose de Scheuermann apresenta alguns sinais radiográficos (al-
terações da placa vertebral, acunhamento maior de 5 graus e au-
mento da cifose) de início precoce
b) o principal diagnóstico diferencial da doença de Scheuermann é o
dorso curvo postural, que também se caracteriza por uma hiperci-
fose rígida, porém sem as alterações radiográficas de Scheuer-
mann
c) os pacientes com cifose de Scheuermann apresentam encurtamen-
to da musculatura isquiotibial, que deve ser alongada durante o
tratamento
d) a coluna torácica normal apresenta-se em cifose de aproximada-
mente 40° a 60°

Book-Perguntas.indb 17 10/31/11 3:17:47 PM


28 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

130. Paciente com lombociatalgia à direita até a sola do pé, com


formigamento na face plantar do pé e, ao exame físico, diminui-
ção do reflexo aquileu a D. Sobre o caso, assinale a alternativa
correta
a) durante o exame físico, é importante avaliar a força muscular. O
músculo testado, que corresponde a esse dermátomo e reflexo,
seria o tibial anterior (dorsiflexão do tornozelo)
b) a raiz provavelmente acometida nesse caso seria a raiz de L4
c) uma importante hipótese diagnóstica é a hérnia discal. Uma loca-
lização provável dessa hérnia seria centrolateral no nível L5-S1
d) o tratamento inicial é cirúrgico, pois o paciente apresenta déficit
neurológico (alteração de reflexo e parestesia)

131. Sobre as escolioses, assinale a alternativa correta


a) a escoliose idiopática do adolescente acomete principalmente ho-
mens, em geral nas curvas de alto valor angular
b) a escoliose idiopática infantil apresenta algumas características di-
ferentes da escoliose do adolescente, entre elas o padrão de curva
para a direita e acometer mais mulheres
c) as curvas com mais de 20° e Risser IV são tratadas com colete para
tentar evitar a progressão da curva
d) hoje sabemos que alguns pacientes apresentarão progressão da
curva mesmo após a maturidade, principalmente os com curvas de
alto valor angular

132. Uma criança com 5 anos de idade referindo dor no joelho e clau-
dicando. Das doenças abaixo, qual a mais provável
a) doença de Perthes
b) pioartrite de quadril
c) epifisiólise da cabeça do fêmur
d) luxação congênita do quadril

133. Uma criança obesa de 10 anos, claudicando, refere dor em quadril.


Das doenças abaixo, qual a mais provável
a) doença de Perthes
b) pioartrite de quadril
c) epifisiólise da cabeça do fêmur
d) luxação congênita do quadril

Book-Perguntas.indb 18 10/31/11 3:17:47 PM


Seção 2 – Coluna 29

134. A remoção de qual das seguintes estruturas ocasiona maior risco


de cifose pós-laminectomia entre C3-C7?
a) ligamento interespinhoso
b) ligamento amarelo
c) cápsula da faceta articular
d) mais de que 50% de cada faceta articular

135. Durante a realização de artrodese posterior em um paciente com


escoliose idiopática do adolescente, qual região da curva torácica
é mais perigosa para a inserção de um parafuso pedicular?
a) junção toracolombar
b) lado côncavo na vértebra estável
c) lado côncavo no ápice da curva
d) lado convexo da vértebra estável

136. Na doença de Scheuermann:


a) escoliose leve a moderada está presente em dois terços dos pa-
cientes
b) a escoliose geralmente é progressiva e deve ser tratada agressiva-
mente
c) a deformidade cifótica geralmente é flexível
d) espondilólise está presente em metade dos pacientes

137. A marcha de Trendelenburg é mais associada com:


a) hérnia discal central L3-L4
b) hérnia discal centrolateral ipsilateral L3-L4
c) hérnia discal centrolateral ipsilateral L4-L5
d) hérnia discal centrolateral ipsilateral L5-S1

138. No acesso retroperitoneal à coluna lombar, qual estrutura acom-


panha a borda medial do psoas e a borda lateral da coluna?
a) nervo ilioinguinal
b) nervo genitofemoral
c) tronco simpático
d) ureter

139. Qual o fator de risco mais associado com a progressão da escoliose


idiopática para uma curva que necessite de tratamento cirúrgico?
a) curva de valor angular maior do que 20° na menarca

Book-Perguntas.indb 19 10/31/11 3:17:48 PM


30 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

b) curva de valor angular maior do que 30° graus no pico da veloci-


dade de crescimento
c) curva de valor angular maior do que 30° graus com idade esquelé-
tica de 12 anos
d) curva de valor angular maior do que 30° com Risser grau 2

140. Criança de 9 anos de idade, com fratura-luxação crônica de C5-C6


e lesão completa da medula espinhal. Qual a probabilidade de
desenvolver escoliose durante o crescimento?
a) 10%
b) 20%
c) 50%
d) 100%

141. A cifose de Scheuermann é acompanhada de


a) retificação da lordose cervical
b) retropulsão dos ombros
c) retificação da lordose lombar
d) contratura dos isquiotibiais

142. A escoliose distrófica secundária à neurofibromatose do tipo I se


caracteriza por curva
a) cervicotorácica de raio curto
b) cervicotorácica de raio longo
c) toracolombar de raio curto
d) toracolombar de raio longo

143. O quadro clínico da espondilolistese degenerativa caracteriza-se por


a) acometer principalmente o sexo masculino
b) apresentar claudicação neurogênica em mais da metade dos pa-
cientes
c) apresentar envolvimento esfincteriano precoce
d) apresentar alívio da dor com a hiperextensão do tronco

144. O paciente portador de hérnia de disco lombar com compressão


da raiz S1 apresenta
a) alteração sensitiva na borda medial da perna
b) reflexo patelar diminuído ou abolido
c) alteração motora do tríceps sural
d) marcha escarvante e pé caído

Book-Perguntas.indb 20 10/31/11 3:17:48 PM


Seção 2 – Coluna 31

145. A fratura do tipo explosão do corpo vertebral é caracterizada por


a) comprometer a metade anterior do corpo vertebral
b) apresentar extensa lesão do complexo ligamentar posterior
c) não apresentar translação anterior do corpo vertebral
d) apresentar lesão do ligamento longitudinal posterior em todos os
pacientes

146. Na escoliose idiopática infantil, é frequente


a) o acometimento do sexo feminino
b) a curva torácica direita
c) a progressão da deformidade
d) a associação com malformações cardíacas

147. Com relação à doença discal degenerativa (DDD) é correto afirmar


a) O processo degenerativo pode ser dividido em 3 estágios, sendo o
primeiro de Disfunção, e costuma ocorrer após os 30-35 anos de
idade.
b) As mulheres são mais acometidas que os homens.
c) A história natural da discopatia é de episódios de dor recorrente
seguidos por alívio muitas vezes completo dos sintomas.
d) HDL são mais comuns no terceiro estágio, o de Estabilização.

148. Na doença de Scheuermann, a escoliose associada geralmente


apresenta curva de
a) 10 a 20°, que progride rapidamente
b) 10 a 20°, que progride raramente
c) 20 a 40°, que progride rapidamente
d) 20 a 40°, que progride raramente

149. Na escoliose idiopática do adolescente, o sinal radiográfico que


melhor traduz o pico de progressão da curva é o fechamento
a) da cartilagem trirradiada
b) do anel apofisário da vértebra
c) da apófise do grande trocânter
d) da apófise do osso ilíaco

150. Na fratura de Jefferson em crianças, ocorre instabilidade C1-C2


quando há lesão do ligamento
a) amarelo

Book-Perguntas.indb 21 10/31/11 3:17:48 PM


32 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

b) transverso
c) interespinhoso
d) longitudinal posterior

151. Na fratura por osteoporose da coluna torácica, a maior intensida-


de de dor ocorre na posição
a) supina
b) sentada
c) ortostática
d) prona

152. A pouca resistência do disco intervertebral às forças de cisalhamen-


to horizontal é decorrente de
a) má ancoragem das fibrilas colágenas nos 2/3 externos do anel fi-
broso
b) composição do núcleo pulposo prevalentemente de fibrilas coláge-
nas frouxas
c) composição do anel fibroso de glicosaminoglicanos não agregados
d) falta de conexão fibrilar do colágeno ósseo subcondral com a car-
tilagem discal

153. A fratura de Jefferson acomete ambos os arcos do atlas com traço


a) duplo no posterior e único no anterior
b) único no posterior e único no anterior
c) duplo no posterior e duplo no anterior
d) único no posterior e duplo no anterior

154. Com relação à “Fratura de Jefferson” do atlas, no exame radiográ-


fico, pode-se presumir a insuficiência total do ligamento transver-
so quando a aferição das massas laterais do atlas em relação as
paredes laterais de C2 excedem:
a) 5,0 mm
b) 5,9 mm
c) 6,5 mm
d) 6,9 mm

155. Com relação a as fraturas cervicais subaxiais é correto afirmar, ex-


ceto:
a) A série de três radiografias ântero-posterior, lateral e do odontóide
revela 83 a 99% das lesões da coluna cervical.

Book-Perguntas.indb 22 10/31/11 3:17:48 PM


Seção 2 – Coluna 33

b) Fraturas de C7 totalizam cerca de 10% de todas as fraturas cervicais,


sendo obrigatória a perfeita visualização da transição cérvico-torácica.
c) Quando não é possível visualizar a transição C7-T1, a incidência do
“nadador” é uma boa opção.
d) Se o edema de partes mole ultrapassar mais de 7 mm ao nível de
C2-C3 e 21 mm em C6-C7, poderão ser necessários outros exames
complementares para descartar lesões ligamentares discais, ósseas
ou ocultas.

156. Com relação a espondilolistese ístmica podemos afirmar, exceto:


a) Lombalgia e radiculopatia são queixas comuns dos pacientes, e na
grande maioria dos casos ocorre em L5.
b) Os homens são afetados 2 vezes mais que as mulheres, e parece
ocorrer transmissão genética.
c) Em adultos normalmente é progressiva e deslizamentos maiores
que 50% são comuns.
d) É uma das causas de degeneração discal precoce em adultos.

157. Com relação a escoliose idiopática podemos afirmar:


a) O ângulo de Mehta é importante para avaliar a progressão nas
escolioses juvenis.
b) Avaliações pelos métodos de Risser e das cartilagens trirradiadas
atualmente estão em desuso.
c) O efeito virabrequim ocorre após finalização do crescimeto.
d) Naqueles pacientes com alterações no exame neurológico, sugere-
se complementação com IRM de toda coluna.

158. Com relação à síndrome de Klippel-Feil:


a) É a fusão congênita das vértebras de um segmento da coluna ver-
tebral, seja cervical, torácica ou lombar, sendo que a imensa maio-
ria dos casos ocorre na região cervical
b) É o resultado de uma falha na diferenciação vertebral intraútero
c) Costuma ocorrer como anormalidade isolada
d) Rotação e inclinação lateral são mais afetadas que a flexoextensão

159. Com relação à espondilodiscite, é correto afirmar


a) É comum o envolvimento isolado do disco intervertebral em infec-
ções bacterianas
b) A infecção é mais comumente causada com germes gram-negativos
do trato urinário

Book-Perguntas.indb 23 10/31/11 3:17:48 PM


34 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) O tratamento de escolha para a maioria dos casos é cirúrgico, para


desbridamento e remoção de tecidos desvitalizados. A necessidade
de estabilização e/ou de fusão é decidida individualmente.
d) Apesar dos avanços nas técnicas de imagem, principalmente com
a disponibilidade da ressonância magnética, a biópsia continua sen-
do o melhor método para determinar infecção.

160. Sobre estenose de canal vertebral, pode-se afirmar


a) O local mais afetado é a transição tóraco-lombar, devido à maior
mobilidade e consequente maior incidência de artrose nesta loca-
lização
b) Existe boa correlação entre a gravidade da estenose e a intensidade
dos sintomas apresentados pelo paciente
c) Infiltrações epidurais de corticosteróides apresentam eficácia com-
provada no alívio dos sintomas
d) A descompressão por laminectomia é o tratamento de escolha para
a estenose lombar

161. Sobre os tumores benignos da coluna vertebral, assinale a alterna-


tiva correta
a) Tipicamente, apresentam localização anterior (corpo vertebral).
b) Pela classificação de Eneking, as lesões estágio 3 são ativas, tornam-
se sintomáticas e geralmente exigem excisão em bloco.
c) O osteoma osteóide acomete principalmente homens na segunda
década de vida, sendo a coluna lombar a localização mais comum.
d) Os hemangiomas costumam ocorrer no corpo vertebral e a maioria
exige tratamento, sendo a radioterapia eficaz em até 80% dos casos.

Book-Perguntas.indb 24 10/31/11 3:17:48 PM


SEÇÃO 3
Joelho
Coordenador: Ricardo de Paula Leite Cury

162. Sobre o tratamento medicamentoso da artrose do joelho, é corre-


to afirmar
a) os condroprotetores possuem muitos efeitos colaterais
b) a glicosamina aumenta a produção do tecido cartilaginoso
c) a triancinolona é o corticosteroide que possui o maior tempo de
ação, quando administrado por via intra-articular
d) o ácido hialurônico não tem efeito sobre o metabolismo da cartila-
gem articular

163. Sobre os testes ligamentares para o ligamento cruzado anterior


(LCA) do joelho, assinale a alternativa correta
a) no teste da gaveta anterior, o joelho é posicionado com 60º de flexão
b) o teste de Lachman é realizado com o joelho em extensão completa
c) o teste de pivot-shift demonstra a redução da subluxação causada
pela insuficiência do LCA
d) exame complemetar diagnóstico é indispensável em todos os casos
de suspeita de lesão do LCA

164. No joelho, as lesões meniscais radiais localizadas na área vermelha


cicatrizam em torno de
a) 3 semanas
b) 5 semanas
c) 7 semanas
d) 10 semanas

Book-Perguntas.indb 1 10/31/11 3:17:48 PM


36 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

165. Quanto às meniscectomias, podemos afirmar que


a) as alterações degenerativas são diretamente proporcionais à quan-
tidade de menisco removido
b) a meniscectomia total é considerada um procedimento benigno
c) não se observam modificações radiológicas importantes após 10
anos de meniscectomias totais
d) a remoção de até 1/3 do menisco aumenta as forças de contato
articular em até 33%

166. Quanto à função dos meniscos, é incorreto afirmar que


a) funcionam como “preenchedores da articulação”, compensando a
visível incongruência entre as superfícies articulares do fêmur e da
tíbia
b) impedem colisões capsulares e sinoviais durante os movimentos de
flexoextensão
c) ajudam a distribuir o líquido sinovial por toda a articulação, contri-
buindo para a nutrição da cartilagem articular
d) são, sobretudo, estabilizadores da flexoextensão.

167. A indicação ideal para o reparo de um menisco é


a) lesão radial de corno posterior, em indivíduo jovem
b) lesão degenerativa de qualquer porção do menisco, em indivíduo
jovem
c) lesão periférica longitudinal aguda, medindo 1 a 2 cm, que é repa-
rada com a reconstrução do ligamento cruzado anterior, em indi-
víduo jovem
d) lesão do tipo “alça de balde” aguda, que é reparada separadamen-
te da lesão do ligamento cruzado anterior, em indivíduo jovem.

168. Qual o tipo mais comum de rotura meniscal quando associada a


um cisto de menisco?
a) lesão radial
b) lesão horizontal
c) lesão longitudinal
d) lesão do tipo “alça de balde”

169. Na artroplastia total do joelho, para o alinhamento do membro


pelo método clássico, o corte distal do fêmur deve
a) ser sempre paralelo ao solo

Book-Perguntas.indb 2 10/31/11 3:17:48 PM


Seção 3 – Joelho 37

b) corrigir a diferença entre o eixo anatômico do fêmur e o eixo me-


cânico
c) ter 9º a 10º de valgo
d) variar de acordo com o corte tibial

170. Na artroplastia total do joelho, o alinhamento rotacional do com-


ponente tibial
a) tolera melhor a rotação interna excessiva do componente tibial que
do lateral
b) tem como parâmetro o centro do tornozelo
c) deve projetar-se em um ponto na porção medial da tuberosidade
anterior da tíbia
d) a rotação externa excessiva do componente tibial favorece a luxação
da patela

171. O componente patelar da artroplastia total do joelho


a) deve estar lateralizado em relação ao centro da patela
b) deve estar centralizado em relação ao centro da patela
c) deve estar medializado em relação ao centro da patela
e) deve ocupar cerca de 0,4 mm a menos da espessura de osso resse-
cada para diminuir a pressão femoropatelar

172. Em relação a osteotomia valgizante da tíbia, é correto afirmar que


a) os resultados obtidos na cirurgia se mantêm ao longo do tempo
b) não há risco de alteração do slope tibial
c) a osteotomia com abertura de cunha medial tende a aumentar o
slope posterior da tíbia
d) a osteotomia com fechamento de cunha lateral tende a aumentar
o slope posterior da tíbia

173. Na realização de uma artroplastia total do joelho, o release lateral


da patela
a) deve ser realizado de rotina para diminuir a pressão femoropatelar
e deve incluir as fibras inferiores do vasto lateral
b) quando necessário, deve ser feito de maneira oblíqua no retináculo
lateral da patela para preservar a artéria geniculada distal
c) apesar de comprometer a artéria geniculada proximal, não há risco
de evolução com necrose da patela
d) raramente é necessário ser realizado, mas é mais comum nos desvios
em varo que nos desvios em valgo

Book-Perguntas.indb 3 10/31/11 3:17:48 PM


38 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

174. Com relação à anatomia e à função do LCP, assinale a alternativa


correta
a) é considerado estabilizador primário do joelho, com força e resis-
tência equivalentes às do ligamento cruzado anterior
b) é considerado estabilizador primário do joelho, com força duas ve-
zes superior à do ligamento cruzado anterior, respondendo por
aproximadamente 70% da resistência contra a translação posterior
da tíbia em relação ao fêmur
c) é considerado estabilizador primário do joelho, com força duas ve-
zes superior à do ligamento cruzado anterior, respondendo por
aproximadamente 95% da resistência contra a translação posterior
da tíbia em relação ao fêmur
d) é considerado estabilizador secundário do joelho, sendo auxiliado
na estabilização articular pelos ligamentos cruzado anterior, colate-
ral medial e colateral

175. Com relação ao tratamento cirúrgico das lesões do LCP, assinale a


alternativa correta
a) existem evidências biomecânicas que mostram que o LCP se com-
porta como banda única; sendo assim, a reconstrução com apenas
um feixe é preferida e com melhores resultados
b) existem evidências biomecânicas que mostram que o LCP se com-
porta como duas bandas, sendo as principais a anterolateral, que
deve ser tensionada em extensão, e a posteromedial, que deve ser
tensionada em flexão
c) existem evidências biomecânicas que mostram que o LCP se com-
porta como duas bandas, sendo as principais a anterolateral, que
deve ser tensionada em flexão, e a posteromedial, que deve ser
tensionada em extensão
d) acometimento substancial dos compartimentos femorotibial medial
e patelofemoral não é contraindicação relativa à reconstrução do
LCP

176. Com relação ao tratamento cirúrgico das lesões do LCP, assinale a


alternativa correta
a) a complicação menos frequente, tanto nas lesões isoladas como
combinadas, é a instabilidade residual
b) é rara, nos casos com instabilidade residual após a reconstrução do
LCP, a associação com lesões não diagnosticadas, como as do can-
to posterolateral

Book-Perguntas.indb 4 10/31/11 3:17:48 PM


Seção 3 – Joelho 39

c) é frequente, nos casos com instabilidade residual após a reconstru-


ção do LCP, a associação com lesões não diagnosticadas, como as
do canto posterolateral
d) dificilmente ocorre perda do arco de movimento após a reconstru-
ção do LCP; geralmente, quando ocorre, a perda é da extensão

177. Com relação ao canto posterolateral, assinale a correta


a) a lesão das estruturas do canto posterolateral e do ligamento cola-
teral lateral levam à subluxação do platô tibial lateral, associado à
rotação interna
b) as estruturas posterolaterais são restritores primários da rotação ex-
terna em pequenos ângulos de flexão do joelho, juntamente com
o LCP
c) as estruturas posterolaterais são restritores primários contra a ro-
tação externa em pequenos ângulos de flexão do joelho, enquan-
to o LCP tem ação semelhante em maiores ângulos de flexão do
joelho
d) a transecção das estruturas posterolaterais não aumenta a subluxa-
ção posterior do platô tibial lateral a 30° de flexão.

178. No tratamento cirúrgico do canto posterolateral, assinale a alter-


nativa correta
a) o avanço das estruturas posterolaterais é indicado na instabilidade
crônica lateral e posterolateral, com estruturas de espessura e inte-
gridade preservadas, apesar de frouxas
b) o avanço das estruturas posterolaterais é indicado na instabilidade
crônica lateral e posterolateral, com estruturas frouxas de espessu-
ra e integridade não preservadas
c) o avanço das estruturas posterolaterais geralmente é em direção
anterior e distal
d) o avanço das estruturas posterolaterais geralmente é em direção
posterior e distal

179. Com relação à perda óssea na artroplastia total do joelho, pode-se


afirmar que o padrão mais frequentemente encontrado é
a) uma perda óssea anterolateral no fêmur mais deformidade em varo
do membro inferior
b) uma perda óssea posteromedial no fêmur mais uma deformidade
em valgo do membro inferior

Book-Perguntas.indb 5 10/31/11 3:17:48 PM


40 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) uma perda óssea posteromedial na tíbia mais deformidade angular


em varo do membro inferior
d) uma perda óssea anterolateral na tíbia mais deformidade em valgo
do membro inferior

180. Podem ser preenchidos com cimento os defeitos ósseos com pro-
fundidade de até
a) 5 mm
b) 10 mm
c) 15 mm
d) 20 mm

181. Os defeitos ósseos que são melhores para ser preenchidos com
osso autógeno são
a) menores que 5 mm
b) maiores que 5 mm e menores que 1 cm
c) maiores que 15 mm
d) maiores que 20 mm

182. Nas revisões de prótese, os aumentos com metal trabeculado de


tântalo são mais indicados em
a) defeitos menores que 5 mm
b) defeitos maiores que 5 mm e menores que 1 cm
c) grandes defeitos cavitários tibial e femoral
d) apenas em grandes defeitos infectados

183. As maiores causas de revisão pós-artroplastia primária, segundo a


literatura, são, respectivamente
a) infecção, soltura asséptica e instabilidade
b) instabilidade, soltura asséptica e infecção
e) infecção, instabilidade e soltura asséptica
d) instabilidade, infecção e soltura asséptica

184. Com relação à osteocondrite dissecante do joelho, comumente a


lesão se localiza
a) na face lateral do côndilo femoral lateral
b) na face medial do côndilo femoral lateral
c) no côndilo femoral medial, próximo à inserção do ligamento cru-
zado posterior
d) no quadrante inferomedial da patela

Book-Perguntas.indb 6 10/31/11 3:17:48 PM


Seção 3 – Joelho 41

185. Assinale a alternativa correta com relação à classificação de Berndt


e Harty para fratura osteocondral do tálus
a) estágio III – pequena área de compressão de osso subcondral
b) estágio III – fragmento osteocondral parcialmente destacado
c) estágio IV – fragmento osteocondral deslocado
d) estágio V – fragmento osteocondral fragmentado e necrosado

186. Assinale a alternativa correta com relação à cartilagem articular e


à orientação de suas fibras colágenas
a) zona I, as fibras colágenas apresentam orientação tangencial
b) zona II, as fibras colágenas apresentam orientação vertical
c) zona III, as fibras colágenas apresentam orientação oblíqua
d) zona IV, as fibras colágenas apresentam orientação tangencial

187. Na composição da cartilagem articular, o principal tipo de coláge-


no existente e seu mecanismo nutricional são, respectivamente,
a) tipo I, nutrição avascular pelo fluido sinovial
b) tipo II, nutrição avascular pelo fluido sinovial
c) tipo III, vascular e pelo fluido sinovial
d) tipo IV, apenas pelo fluido sinovial

188. Assinale a alternativa incorreta com relação às contraindicações para


o tratamento com microfraturas na lesão da cartilagem articular
a) doença induzida por artrite
b) pacientes com menos de 65 anos, mas que não apresentam equi-
líbrio para andar com apoio monopodal mesmo com o auxílio de
muletas
c) pacientes com lesões menores que 4 cm²
d) osteoartrose generalizada

189. O ligamento patelofemoral medial


a) é encontrado em 80% das dissecções anatômicas
b) é mais frequente que o ligamento patelofemoral lateral
c) é o principal restritor medial contra o deslocamento lateral da patela
d) é o único restritor medial contra o deslocamento lateral

190. O contato da articulação patelofemoral


a) inicia aos 10° de flexão do joelho
b) aumenta no sentido distal da patela, com o aumento da flexão do
joelho

Book-Perguntas.indb 7 10/31/11 3:17:49 PM


42 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) é maior entre 60° e 90° de flexão do joelho


d) é maior entre 90° e 120° de flexão do joelho

191. A medida da TA-GT


a) geralmente está acima de 13 mm nos casos de instabilidade rotu-
liana
b) geralmente está acima de 20 mm nos casos de instabilidade rotu-
liana
c) geralmente está abaixo de 20 mm nos casos de instabilidade rotu-
liana
d) de 16 mm é considerada anormal

192. O tratamento cirúrgico no primeiro episódio de luxação aguda da


patela está indicado
a) em pacientes abaixo dos 20 anos de idade com fatores predispo-
nentes
b) em nenhuma hipótese
c) em pacientes atletas e em pacientes com avulsões ósseas deslocadas
na superfície medial da patela, associadas a fatores predisponentes
d) em todos os pacientes com fatores predisponentes de luxação re-
corrente

193. No tratamento cirúrgico da luxação recidivante de patela


a) há correlação direta entre diminuição da TA-GT e melhora dos re-
sultados clínicos subjetivos
b) a medialização da TA-GT deve ser indicada nos casos em que TA-GT
> 15 mm
c) a cirurgia de Elmslie-Trillat se caracteriza pela anteromedialização
da TAT, release lateral e realinhamento do VMO
d) a cirurgia de Elmslie-Trillat se caracteriza pela medialização da TAT,
release lateral e realinhamento do VMO

194. Sobre a ruptura do tendão patelar, é correto afirmar que


a) a ruptura do tendão patelar geralmente ocorre junto às inserções
ósseas, tanto proximal quanto distal
b) doenças inflamatórias e metabólicas são fatores predisponentes para
as rupturas do tendão do quadríceps e para as rupturas do tendão
patelar
c) a maioria das rupturas ocorre na extremidade proximal do tendão
patelar e na substância do tendão

Book-Perguntas.indb 8 10/31/11 3:17:49 PM


Seção 3 – Joelho 43

d) a ruptura do tendão patelar é mais frequente que a ruptura do


tendão quadríceps

195. Na osteonecrose da cabeça do fêmur, o sinal radiográfico patog-


nomônico é o
a) da linha simples
b) da linha dupla
c) da esclerose
d) do crescente

196. A fratura por insuficiência do osso subcondral no joelho tem maior


possibilidade de ocorrer após
a) osteotomia
b) meniscectomia
c) condrectomia
d) sinovectomia

197. No tratamento da ruptura do tendão do quadríceps, a técnica de


Scuderi utiliza
a) reforço com tendão do semitendíneo
b) reforço com tendão do grácil
c) retalho proximal invertido do tendão do quadríceps
d) alongamento em “Z” do tendão do quadríceps

198. Na instabilidade femoropatelar com índice de Insall inferior a 1,2,


a transferência da tuberosidade da tíbia, quando indicada, é feita
no sentido
a) somente medial
b) medial e distal
c) medial e proximal
d) somente distal

199. Na lesão do ligamento cruzado posterior, segundo Torg, o mais


importante fator preditivo de mau resultado funcional é
a) o desvio do eixo anatômico
b) a presença de lesões meniscais
c) a presença de lesões ligamentares associadas
d) o tempo de evolução da lesão

Book-Perguntas.indb 9 10/31/11 3:17:49 PM


44 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

200. O joelho valgo infantil patológico está mais frequentemente asso-


ciado com
a) raquitismo
b) neurofibromatose
c) hipofosfatemia
d) osteodistrofia renal

201. No tratamento cirúrgico da instabilidade patelar, indica-se a téc-


nica de Elmslie-Trillat quando o índice de Insall-Salvati estiver es-
pecificamente inferior a
a) 1,5
b) 1,2
c) 1,0
d) 0,8

202. Na fratura do planalto tibial, a lesão associada mais frequente é a


a) dos meniscos
b) do ligamento colateral medial
c) do ligamento colateral lateral
d) do ligamento cruzado anterior

203. Na artroplastia total primária do joelho, a paralisia do nervo fibu-


lar é mais comum na correção da deformidade em
a) valgo e flexão
b) varo e flexão
c) valgo isolada
d) varo isolada

204. Na gonartrose com desvio em varo, a osteotomia tibial alta deve


corrigir o eixo anatômico do joelho, segundo Coventry, para valgo
de pelo menos
a) 5º
b) 6º
c) 7º
d) 8º

205. Na instabilidade posterolateral do joelho, as estruturas mais im-


portantes a serem reconstruídas são, segundo Warren et al
a) o tendão do poplíteo e os ligamentos popliteofibular e colateral
lateral

Book-Perguntas.indb 10 10/31/11 3:17:49 PM


Seção 3 – Joelho 45

b) os ligamentos popliteofibular, colateral lateral e arqueado


c) o tendão do poplíteo e os ligamentos colateral lateral e arqueado
d) o tendão do poplíteo e os ligamentos popliteofibular e arqueado

206. No exame físico do joelho agudamente traumatizado, o efeito de


“trava de porta” na posição de flexão é causado pelo
a) tendão do poplíteo
b) corno posterior dos meniscos
c) corno anterior do menisco lateral
d) coto do ligamento cruzado anterior

207. A ruptura do ligamento patelar é mais frequentemente localizada


na sua porção
a) proximal, como desinserção
b) proximal, com avulsão óssea
c) distal, como desinserção
d) distal, com avulsão óssea

208. Na artroplastia total do joelho, para centralização do trilhamento


patelar, o componente
a) patelar deve estar posicionado mais lateralmente
b) tibial deve estar posicionado em rotação lateral
c) femoral deve estar posicionado mais medialmente
d) femoral deve estar posicionado em rotação medial

209. A lesão traumática mais frequente do menisco lateral do joelho é


a
a) transversa incompleta
b) transversa completa
c) longitudinal incompleta
d) longitudinal completa

210. Na artroplastia total do joelho em valgo, o posicionamento rota-


cional do componente femoral deve ter como parâmetro
a) a linha de Insall
b) o eixo epicondilar
c) a cortical anterior do fêmur
d) as faces posteriores dos côndilos femorais

Book-Perguntas.indb 11 10/31/11 3:17:49 PM


46 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

211. Na reconstrução do ligamento cruzado anterior com dupla banda,


os componentes anteromedial e posterolateral são tensionados,
respectivamente, em
a) extensão e extensão
b) flexão e flexão
c) flexão e extensão
d) extensão e flexão

212. A lesão do ligamento cruzado posterior acontece mais frequente-


mente com o joelho em
a) varo
b) valgo
c) flexão
d) extensão

213. Na lesão do ligamento patelar, o mecanismo de trauma mais co-


mum é dado por uma contração muscular
a) excêntrica com o joelho estendido
b) excêntrica com o joelho fletido
c) isométrica com o joelho estendido
d) isométrica com o joelho fletido

214. A osteonecrose do côndilo do fêmur caracteriza-se pela presença


de dor
a) aguda em pacientes jovens
b) crônica em pacientes jovens
c) aguda em pacientes idosos
d) crônica em pacientes idosos

215. Na fratura proximal da tíbia na criança, o mecanismo mais comum


é trauma
a) lateral, com o joelho em flexão
b) lateral, com o joelho em extensão
c) medial, com o joelho em flexão
d) medial, com o joelho em extensão

216. As fibras colágenas que mais contribuem para a resistência à com-


pressão do menisco são as
a) radiais
b) circunferenciais

Book-Perguntas.indb 12 10/31/11 3:17:49 PM


Seção 3 – Joelho 47

c) perfurantes
d) oblíquas

217. A osteonecrose iatrogênica no joelho está relacionada com o uso


de
a) radiofrequência ou laser
b) radiofrequência ou ultrassom
c) shaver ou ultrassom
d) shaver ou laser

218. Na artroplastia total do joelho valgo, o balanceamento de partes


moles é obtido com
a) retensionamento do trato iliotibial, do tendão do poplíteo e do li-
gamento colateral lateral
b) retensionamento do ligamento colateral medial
c) liberação do trato iliotibial, do tendão do poplíteo e do ligamento
colateral lateral
d) liberação subperiostal do ligamento colateral medial

Book-Perguntas.indb 13 10/31/11 3:17:49 PM


Book-Perguntas.indb 14 10/31/11 3:17:49 PM
SEÇÃO 4
Mão
Coordenador: Paulo Randal Pires

219. Sobre o tratamento da síndrome da banda de constrição congêni-


ta, podemos afirmar
a) a simples correção da pele é suficiente para a correção do anel de
constrição
b) a ressecção elíptica do anel pode ser feita sem zetaplastias
c) a excisão circunferencial completa pode ser feita de forma segura
no caso de anéis isolados
d) a excisão circunferencial completa pode ser feita de forma segura
mesmo no caso de anéis próximos e paralelos

220. A lesão do complexo da fibrocartilagem triangular classificada por


Palmer como classe 2A corresponde a
a) perfuração central
b) avulsão radial
c) avulsão distal
d) desgaste do complexo

221. Na rizartrose, é correto afirmar


a) a classificação de Eaton e Littler descreve 5 estágios
b) no estágio II, encontra-se diminuição do espaço articular da tra-
pézio-metacarpiana e osteófitos maiores que 2 mm
c) no estágio IV, há envolvimento também da articulação trapézio-
trapezoide
d) no estágio V, encontra-se uma artrose pantrapezial

Book-Perguntas.indb 1 10/31/11 3:17:49 PM


50 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

222. A mão torta ulnar


a) é mais comum que a mão torta radial
b) possui cotovelo normal, na maioria dos casos
c) está associada à agenesia dos dedos em 90% dos casos
d) não apresenta alteração do polegar, na maioria dos casos

223. A deformidade de Madelung


a) é uma falha na formação
b) é um defeito da fise ulnar e dorsal da extremidade distal do rádio
c) manifesta-se antes do terceiro ano de vida
d) é bilateral na maioria dos casos

224. Em relação à camptodactilia, é correto afirmar


a) a maioria dos casos é unilateral
b) deformidades de até 30º a 40º não interferem nas atividades e são
de tratamento clínico
c) manifesta-se somente na adolescência
d) não está associada a síndromes

225. No tratamento cirúrgico da dinostose radioulnar proximal, o posi-


cionamento do antebraço após a osteotomia derrotatória é
a) dominante: 10º a 20º de pronação; não dominante: rotação neutra
b) dominante: rotação neutra; não dominante: 10º a 20º pronação
c) dominante: 60º a 80º de pronação; não dominante: 30º de supinação
d) dominante: 30º de pronação; não dominante: 60º a 80º de supinação

226. A luxação congênita da cabeça do rádio


a) ocorre na maioria dos casos de luxações laterais
b) não apresenta alteração no capítulo do úmero
c) ocorre na redução aberta e na reconstrução do ligamento anular à
cirurgia de escolha
d) é a anomalia congênita mais comum do cotovelo, e é mais comu-
mente bilateral

227. Os níveis mais comuns de falha na formação transversa do membro


superior são
a) os antebraços distal e proximal
b) o antebraço proximal e o úmero proximal
c) o antebraço distal e o úmero distal
d) o antebraço proximal e o úmero distal

Book-Perguntas.indb 2 10/31/11 3:17:49 PM


Seção 4 – Mão 51

228. Na sequela de lesão do plexo braquial, com indicação para artrode-


se do ombro, a articulação glenoumeral deve ser posicionada em
a) 60º de abdução e flexão e 30º de rotação interna
b) 30º de abdução e flexão e 30º de rotação interna
c) 30º de abdução e flexão e 30º de rotação externa
d) 60º de abdução e flexão e 30º de rotação externa

229. A síndrome compartimental pode se desenvolver quando os níveis


pressóricos teciduais se elevam a partir de
a) 10 a 20 mmHg
b) 20 a 30 mmHg
c) 30 a 40 mmHg
d) 40 a 50 mmHg

230. Na síndrome dolorosa complexa regional, o tipo 2 corresponde à


a) distrofia simpaticorreflexa
b) causalgia
c) dor miofascial
d) síndrome ombro-mão

231. Sobre as classificações de lesões nervosas


a) segundo Suderland, dividem-se em 3 tipos: neuropraxia, axoniot-
mese, neurotmese
b) na tipo I de Suderland, ocorre lesão completa do axônio
c) na tipo IV de Suderland, ocorre lesão do perineuro e o retorno da
função não é possível sem reparo
d) na lesão tipo II de Suderland, ocorre axoniotmese com retorno da
função completa de 1 mm/dia, mesmo se não for feito o reparo

232. O uso de corticosteroide no tratamento da síndrome dolorosa re-


gional tem como efeito colateral
a) supressão da neuro-hipófise
b) diminuição da gordura abdominal
c) hirsutismo
d) hipogonadismo

233. Na artrite psoriática as lesões de pele geralmente


a) precedem as alterações articulares
b) ocorrem após as alterações articulares
c) aparecem junto com as alterações articulares
d) não aparecem quando temos alterações articulares

Book-Perguntas.indb 3 10/31/11 3:17:49 PM


52 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

234. Na esclerodermia, a deformidade mais frequente na articulação


interfalangeana proximal é a
a) luxação dorsal da falange média
b) luxação volar da falange média
c) contratura em extensão da interfalangeana proximal
d) contratura em flexão da interfalangeana proximal

235. Na artrite reumatoide, na ressecção da ulna distal, realiza-se


a) a osteotomia com 3 cm ou menos
b) a reconstrução da cápsula volar e o reposicionamento do tendão
flexor ulnar do carpo
c) a interposição do pronador quadrado
d) a correção da supinação do carpo com a sutura do remanescente
da fibrocartilagem triangular no canto dorsal e ulnar do rádio

236. Na doença de de Quervain


a) o sexo masculino é o mais acometido
b) a dor não é agravada por movimentos do polegar
c) a infiltração com corticosteroides tem como complicação o risco de
necrose e descolorimento da pele
d) o pico de ocorrência é entre 20 e 40 anos de idade.

237. Na doença de intersecção, ocorre atrito


a) do extensor longo do polegar com o extensor radial curto do carpo
b) do extensor próprio do indicador com o extensor comum dos dedos
c) entre tendões do primeiro e do segundo túneis extensores
d) entre o extensor longo do polegar e o abdutor longo do polegar

238. A realização de reimplante é contraindicada na amputação


a) de pacientes com aterosclerose severa
b) do polegar
c) de pacientes com diabetes tipo 2
d) do punho

239. Na realização de um reimplante de dedo, a sequência ideal de


procedimentos é o encurtamento e a fixação óssea, seguidos de
a) reparo do tendão extensor, reparo do tendão flexor, anastomose
arterial, reparo dos nervos, anastomose venosa
b) reparo do tendão flexor, anastomose arterial, reparo dos nervos,
reparo do tendão extensor, anastomose venosa

Book-Perguntas.indb 4 10/31/11 3:17:49 PM


Seção 4 – Mão 53

c) reparo do tendão extensor, reparo do tendão flexor, anastomose


venosa, reparo dos nervos, anastomose arterial
d) reparo do tendão flexor, reparo do tendão extensor, anastomose
arterial, anastomose venosa, reparo dos nervos

240. Em um reimplante, deve-se realizar a anastomose de


a) 2 artérias para cada veia
b) 1 artéria para cada veia
c) 2 veias para cada artéria
d) 3 veias para cada artéria

241. No reimplante de polegar por ferimento cortante, a média espe-


rada para recuperação da sensibilidade, no teste de discriminação
entre 2 pontos, é de
a) 4 mm
b) 6 mm
c) 11 mm
d) 14 mm

242. Na amputação proximal do cotovelo, sem resfriamento da parte


amputada, é contraindicada a realização do reimplante com tem-
po de isquemia maior que
a) 4h
b) 6h
c) 8h
d) 10 h

243. No processo de cicatrização de uma ferida de pele, os fibroblastos


migram para a base da ferida e diferenciam-se em
a) tecido colágeno
b) neurofibroblastos
c) miofibroblastos
d) granulócitos

244. O enxerto de pele total tem como vantagem em relação ao parcial


a) o menor número de apêndices epidérmicos
b) a maior retração
c) a melhor sensibilidade
d) a pouca proteção de estruturas abaixo do enxerto

Book-Perguntas.indb 5 10/31/11 3:17:50 PM


54 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

245. No retalho de pele que tem suprimento sanguíneo aleatório, a


relação de segurança entre o comprimento e a largura é de
a) ½:1
b) 1:1
c) 2:1
d) 3:1

246. O músculo serrátil anterior


a) tem sua origem nos 10 primeiros arcos costais, lateral à linha axilar
anterior
b) tem sua porção inferior nutrida por ramos da artéria toracodorsal
c) tem sua porção superior nutrida por ramos da artéria circunflexa da
escápula
d) tem sua inserção na margem lateral e no ângulo inferior da escápula

247. O enxerto vascularizado de fíbula


a) é indicado em perdas ósseas a partir de 4 cm
b) é nutrido por ramo proveniente da artéria genicular medial
c) tem seu pedículo com comprimento variando entre 6 e 8 cm
d) tem seu pedículo penetrando na fíbula no terço proximal do osso

248. O enxerto ósseo do rádio distal baseado na artéria suprarretinacu-


lar intercompartimental 1,2:
a) não pode ser usado para pseudoartrose do polo distal do escafoide
b) pode ser usado na doença de Kienböck
c) é considerado de circulação retrógrada
d) não pode ser usado em 30% dos casos pela ausência dessa artéria

249. O tratamento de escolha em uma ruptura de tendão extensor lon-


go do polegar, em paciente com artrite reumatoide, com 3 meses
de evolução, é:
a) sutura dos cotos proximais e distais do tendão
b) ponte de enxerto entre dois cotos do tendão
c) transferência do extensor próprio do dedo mínimo
d) transferência do extensor próprio do indicador

250. Uma queimadura de pele com lesão irreversível dos elementos


germinativos da epiderme é classificada como sendo de
a) primeiro grau
b) segundo grau

Book-Perguntas.indb 6 10/31/11 3:17:50 PM


Seção 4 – Mão 55

c) terceiro grau
d) quarto grau

251. A forma mais comum de neoplasia de pele é o


a) carcinoma basocelular
b) melanoma
c) carcinoma de células escamosas
d) queratoacantoma

252. O osteoma osteoide na mão acomete com maior frequência


a) a falange distal
b) a falange média
c) a falange proximal
d) o metacarpo

253. Na fratura transversa da diáfise da falange proximal, o desvio ge-


ralmente é
a) dorsal, pela ação do flexor superficial
b) volar, pela ação do flexor superficial
c) dorsal, pela ação do interósseo
d) volar, pela ação do interósseo

254. O espaço de Parona é a região


a) entre o músculo pronador quadrado e a superfície volar do rádio
b) virtual da mebrana interóssea imediatamente proximal à articulação
radioulnar distal
c) entre a articulação radiocárpica e o músculo pronador quadrado
d) entre o músculo pronador quadrado e os tendões dos flexores pro-
fundos

255. O fragmento do primeiro metacarpo, na fratura de Bennett, loca-


liza-se na região
a) radial e anterior
b) radial e dorsal
c) ulnar e anterior
d) ulnar e dorsal

256. A lesão de Stenner é a interposição da aponeurose do músculo


a) abdutor curto do polegar, entre o ligamento colateral ulnar lesado
e a base da falange proximal

Book-Perguntas.indb 7 10/31/11 3:17:50 PM


56 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

b) abdutor curto do polegar, entre o ligamento colateral ulnar lesado


e a cabeça do metacarpo
c) adutor do polegar, entre o ligamento colateral ulnar lesado e a base
da falange proximal
d) adutor do polegar, entre o ligamento colateral ulnar lesado e a
cabeça do metacarpo

257. O corpúsculo que origina o tumor glômico participa da regulação


da temperatura e
a) do fluxo sanguíneo
b) da vibração profunda
c) da sensibilidade tátil
d) da propriocepção

258. A anastomose de Martin-Gruber ocorre


a) na mão, entre os nervos mediano e ulnar
b) na mão, entre os nervos mediano e radial
c) no antebraço proximal, entre os nervos mediano e ulnar
d) no antebraço proximal, entre os nervos mediano e radial

259. Nas fraturas da falange média, proximal à inserção do tendão fle-


xor superficial, o desvio e a angulação serão, respectivamente
a) desvio volar, angulação dorsal
b) desvio dorsal, angulação volar
c) desvio volar, angulação volar
d) desvio dorsal, angulação dorsal

260. O mecanismo do trauma nas fraturas do escafoide é


a) queda com desvio ulnar, apoio no lado radial da mão e pronação
de antebraço
b) desvio dorsal do punho em torno de 40° a 90°, sem desvio radial
ou ulnar
c) extensão do punho em torno de 95° a 100° e desvio radial em
torno de 10°
d) flexão do punho e desvio ulnar

261. Com relação à síndrome do túnel radial, assinale a alternativa cor-


reta
a) com pouca frequência o paciente é diagnosticado como portador
de epicondilite lateral do úmero

Book-Perguntas.indb 8 10/31/11 3:17:50 PM


Seção 4 – Mão 57

b) a extensão contra resistência, em especial no dedo médio, não re-


produz os sintomas
c) acomete principalmente o membro dominante entre a quarta e a
sexta décadas de vida
d) geralmente existe alteração motora e não sensitiva em relação ao
membro normal

262. Com relação à síndrome do interósseo posterior, é correto afir-


mar:
a) é descrita como paralisia da musculatura extensora dos dedos, com
punho fletido em desvio radial
b) nos casos de paralisia antiga, as transposições musculares estão
indicadas
c) o tratamento da síndrome do nervo interósseo posterior confirma-
da com paralisia instalada é conservador
d) existe alteração sensitiva associada na síndrome do interósseo pos-
terior

263. Com relação à luxação complexa da articulação metacarpofalan-


geana, é correto afirmar que:
a) é considerada uma lesão extremamente rara
b) um achado constante é o pregueamento da pele volar
c) a presença de um sesamoide dentro do espaço articular alargado
não é sinal patognomônico
d) a redução incruenta não está indicada

264. Com relação às fraturas da base volar da falange média, é corre-


to
a) as fraturas com menos de 40% de envolvimento da superfície arti-
cular são consideradas instáveis
b) o tratamento cirúrgico sempre é indicado, independentemente da
porcentagem do envolvimento articular
c) o tratamento com órteses de bloqueio dorsal é indicado nas fratu-
ras com menos de 40% de envolvimento da superfície articular
d) a complicação que menos ocorre é flexo de dedo

265. Com relação às fraturas dos metacarpianos, assinale a alternativa


correta:
a) nas fraturas ocultas da base dos metacarpianos, a incidência de
Brewerton está indicada

Book-Perguntas.indb 9 10/31/11 3:17:50 PM


58 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

b) angulações acentuadas no nível das fraturas do colo não provocam


pseudogarra ulnar
c) as fraturas do colo do quinto metacarpiano geralmente são está-
veis
d) o método de redução 90-90 (método de Jahss) poderá ser utilizado
também para imobilizar a fratura

266. Com relação às fraturas do carpo, pode-se afirmar que:


a) após as fraturas do escafoide, o semilunar é o osso mais comumen-
te fraturado
b) as fraturas do hâmulo do hamato são de fácil diagnóstico
c) a circulação do osso escafoide é dada somente por uma única arté-
ria volar
d) após as fraturas do escafoide, o osso mais comumente fraturado é
o piramidal

267. Com relação à moléstia de Dupuytren, é correto afirmar que:


a) é uma alteração fibroproliferativa de causa conhecida
b) quando acomete a fáscia plantar, é chamada de enfermidade de
Peyronie
c) o ligamento de Cleland é volar ao feixe vasculonervoso e está en-
volvido na doença
d) quanto mais tardiamente tiverem início os sintomas, mais benigno
será o curso da doença

268. Com relação às infecções no nível da mão, é correto afirmar que:


a) a tenossinovite infecciosa dos flexores e suas bainhas não tem ori-
gem hematogênica
b) a bursa radial é a extensão proximal da bainha tendinosa do flexor
longo do polegar
c) todos os dedos possuem bursas que conectam-se com o carpo e a
extremidade distal do antebraço
d) a bursa ulnar é a extensão da bainha do flexor superficial do dedo
mínimo, que se estende através do carpo até a extremidade distal
do antebraço

269. São sinais clássicos de tenossinovite infecciosa, exceto


a) posição fletida do dedo
b) edema uniforme de todo o dedo

Book-Perguntas.indb 10 10/31/11 3:17:50 PM


Seção 4 – Mão 59

c) hipersensibilidade limitada na região da bainha tendinosa


d) dor intensa à extensão passiva do dedo, sendo que esse sintoma
não está presente na fase inicial

270. As alternativas abaixo são as indicações mais frequentes para ar-


trodese da articulação interfalangeana distal, exceto:
a) contratura fixa após queimadura
b) sequela de dedo em martelo
c) sequela de fraturas e paralisias
d) gota tofácea

271. Com relação à síndrome dolorosa regional complexa, também co-


nhecida como distrofia simpaticorreflexa, é correto afirmar que:
a) as mulheres são acometidas 3 a 4 vezes mais que os homens
b) o tabagismo não está estatisticamente relacionado com o risco de
desenvolver SDRC
c) não está relacionada a fatores como instabilidade emocional, de-
pressão, mania e insegurança
d) quando ocorre lesão nervosa, é classificada como SDRC tipo I

272. Com relação ao dedo em gatilho, é correto afirmar que


a) o dedo em gatilho secundário é a forma mais comum de apresen-
tação
b) acomete mais o sexo masculino, em uma proporção de 6:1 com
relação ao sexo feminino
c) é mais comum entre a segunda e a terceira décadas de vida
d) o dedo mais acometido é o polegar, seguido do anular, do indica-
dor, do médio e do mínimo

273. Com relação à artrite reumatoide no nível das mãos, é correto


afirmar que:
a) os tendões extensores que se rompem com mais frequência são os
dos dedos mínimo, anular e médio
b) frequentemente se indica sinovectomia no nível da articulação in-
terfalangeana distal
c) a artrodese de punho não está indicada quando o colapso carpal
está muito avançado
d) a sinovectomia do dorso do punho é uma das cirurgias menos
frequentes nos pacientes com artrite reumatoide

Book-Perguntas.indb 11 10/31/11 3:17:50 PM


60 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

274. Na doença de Kienböck, a associação correta entre o estágio de


Lichtman e o tratamento mais adequado é:
a) estágio I – osteotomia de encurtamento do rádio
b) estágio II – prótese de silicone
c) estágio III – ressecção do semilunar
d) estágio IV – artrodese triescafoide

275. Na doença de Dupuytren, são estruturas que formam a corda es-


piral:
a) banda pré-tendinosa, bainha digital lateral e ligamento de Grayson
b) ligamento transverso superficial, banda pré-tendinosa e bainha di-
gital lateral
c) banda pré-tendinosa, ligamento transverso superficial e ligamento
de Grayson
d) ligamento de Grayson, bainha digital lateral e ligamento transverso
superficial

276. Na mão reumatoide com deformidade em “pescoço de cisne” do


tipo IV de Nalebuff, está indicada a:
a) liberação dos músculos intrínsecos
b) tenodese flexora da articulação interfalângica proximal
c) reconstrução do ligamento retinacular
d) artrodese interfalângica proximal

277. A compressão do nervo radial, na bifurcação em ramos superficial


e profundo, poupa o músculo:
a) supinador
b) extensor ulnar do carpo
c) extensor radial longo do carpo
d) extensor dos dedos

278. A síndrome da intersecção corresponde ao atrito


a) do ramo superficial do nervo radial na saída do tendão do braquior-
radial
b) do ramo cutâneo dorsal do nervo ulnar com o tendão do extensor
ulnar do carpo
c) dos tendões do primeiro com os tendões do segundo comparti-
mento extensor do punho
d) do tendão do extensor longo do polegar com o tendão do extensor
radial curto do carpo

Book-Perguntas.indb 12 10/31/11 3:17:50 PM


Seção 4 – Mão 61

279. Na lesão do ramo profundo do nervo radial, no nível do músculo


supinador, o músculo preservado é o extensor:
a) dos dedos
b) do dedo mínimo
c) ulnar do carpo
d) radial curto do carpo

280. Na mão torta radial, o nervo que apresenta maior risco de lesão
durante a correção cirúrgica é o
a) mediano
b) radial
c) interósseo posterior
d) musculocutâneo

281. Na mão, são músculos bipenados:


a) os lumbricais 1 e 2
b) os lumbricais 3 e 4
c) os interósseos palmares 1 e 2
d) os interósseos palmares 3 e 4

282. Na doença de Dupuytren, na presença de fatores de prognóstico


ruim, o tratamento com menor recorrência é a:
a) fasciotomia percutânea
b) fasciectomia parcial
c) fasciectomia total
d) fasciectomia com enxerto de pele

283. Na síndrome compressiva do nervo mediano, na região do coto-


velo, os sítios de compressão mais frequentes são:
a) lacertus fibrosus, músculo pronador redondo e arcada do músculo
flexor superficial dos dedos
b) lacertus fibrosus, músculo pronador redondo e arcada de Struthers
c) lacertus fibrosus, arcada do músculo flexor superficial dos dedos e
arcada de Struthers
d) músculo pronador redondo, arcada do músculo flexor superficial
dos dedos e arcada de Struthers

284. A lesão aguda do ligamento escafossemilunar geralmente ocorre


a) por desinserção no escafoide
b) por desinserção no semilunar

Book-Perguntas.indb 13 10/31/11 3:17:50 PM


62 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) por arrancamento ósseo


d) no corpo do ligamento

285. Na síndrome do túnel do carpo, o achado clínico mais frequente é a


a) dor
b) perda da sensibilidade
c) parestesia
d) atrofia muscular

286. Na sindactilia da síndrome de Apert, o primeiro procedimento in-


dicado é a:
a) abertura da primeira comissura
b) policização do indicador
c) amputação do terceiro dedo
d) ressecção do dedo medial

287. Na doença de Dupuytren, a fasciotomia subcutânea apresenta me-


lhor resultado quando indicada na fase:
a) hiperplásica
b) proliferativa
c) involutiva
d) residual

288. A técnica de Brunelli para o tratamento da lesão escafossemilunar


utiliza como enxerto o tendão do:
a) extensor radial curto do carpo
b) extensor radial longo do carpo
c) flexor radial do carpo
d) abdutor longo do polegar

289. Erosões das tuberosidades das falanges distais da mão (acrosteó-


lise) são achados radiográficos sugestivos de artrite
a) reumatoide
b) psoriática
c) lúpica
d) gotosa

290. O tratamento recomendado para a lesão aguda da fibrocartilagem


triangular da classe 1B de Palmer é:
a) imobilização gessada

Book-Perguntas.indb 14 10/31/11 3:17:50 PM


Seção 4 – Mão 63

b) desbridamento
c) reparo
d) reconstrução

291. A deformidade do antebraço associada à osteocondromatose múl-


tipla geralmente ocorre por
a) parada do crescimento proximal do rádio
b) translocação radial do carpo
c) encurtamento da ulna
d) subluxação umeroulnar

292. A lesão do nervo interósseo anterior é caracterizada por paralisia


dos músculos:
a) flexor radial do carpo e flexor superficial dos dedos indicador e
médio
b) flexor radial do carpo e flexor profundo dos dedos indicador e médio
c) flexor longo do polegar e flexor superficial dos dedos indicador e
médio
d) flexor longo do polegar e flexor profundo dos dedos indicador e
médio

293. Na doença de Kienböck, a alteração radiográfica que caracteriza o


estágio IIIB de Lichtman é a
a) fragmentação do semilunar
b) esclerose do semilunar
c) rotação do escafoide
d) artrose escafolunar

294. A tenossinovite, como complicação da fratura da extremidade dis-


tal do rádio, ocorre com maior incidência no túnel extensor:
a) I
b) II
c) III
d) IV

295. Na síndrome do pronador, o local possível de compressão é a


a) cabeça umeral do músculo flexor ulnar do carpo
b) arcada aponeurótica do músculo flexor superficial dos dedos
c) arcada de Struthers, no septo intermuscular medial
d) cabeça medial do músculo bíceps braquial

Book-Perguntas.indb 15 10/31/11 3:17:50 PM


64 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

296. A anastomose de Martin-Gruber ocorre entre os nervos


a) mediano e radial
b) ulnar e radial
c) mediano e ulnar
d) radial e musculocutâneo

297. Na fratura dos ossos do antebraço, a fixação intramedular apre-


senta:
a) baixo índice de pseudoartrose
b) fácil controle de redução anatômica
c) dificuldade na exploração neurovascular
d) alto índice de resultados satisfatórios

298. Na lesão de Monteggia, o nervo mais comumente comprometido


é o:
a) ulnar
b) mediano
c) interósseo anterior
d) interósseo posterior

299. Na fratura-luxação de Galeazzi, o mecanismo de trauma ocorre


com o antebraço
a) pronado e punho fletido
b) supinado e punho fletido
c) pronado e punho estendido
d) supinado e punho estendido

300. Na rizartrose, segundo Eaton e Littler, destruição articular, cistos


e esclerose subcondrais, e osteófito maior que 2 mm são sinais
indicativos do estágio:
a) I
b) II
c) III
d) IV

301. Na fratura distal do rádio, a ruptura do tendão extensor longo do


polegar ocorre mais frequentemente no tratamento:
a) não cirúrgico
b) por pinagem percutânea
c) com fixador externo
d) com placa bloqueada

Book-Perguntas.indb 16 10/31/11 3:17:50 PM


Seção 4 – Mão 65

302. Na lesão de Monteggia, o mecanismo do trauma no tipo 1 de Bado


é predominantemente em
a) pronação
b) supinação
c) extensão
d) flexão

303. O dedo em martelo que evolui com flexão da articulação inter-


falângica distal maior que 30º se deve à lesão:
a) do ligamento triangular
b) da cápsula articular da interfalângica distal
c) do ligamento retinacular de Landsmeer
d) do tendão extensor na zona I

304. A instabilidade escafolunar está confirmada se, ao exame radiográ-


fico, o ângulo:
a) capitatolunar for maior que 20º
b) capitatolunar for maior que 10º
c) escafolunar for maior que 45º
d) escafolunar for maior que 60º

305. A bossa carpometacarpal está relacionada à inserção do tendão


do:
a) abdutor longo do polegar
b) extensor radial curto do carpo
c) extensor ulnar do carpo
d) flexor ulnar do carpo

306. Na sinostose radiulnar proximal congênita tratada por osteotomia


há maior risco de síndrome compartimental quando:
a) a osteotomia for distal ao sítio da sinostose
b) houver derrotação acima de 60°
c) a osteotomia for fixada com placa e parafusos
d) for utilizada imobilização gessada

307. Na mão torta radial, o tipo II de Bayne e Klug corresponde à:


a) ausência completa do rádio
b) ausência parcial do rádio
c) hipoplasia da epífise distal do rádio
d) hipoplasia total do rádio

Book-Perguntas.indb 17 10/31/11 3:17:50 PM


66 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

308. Na fratura de Bennett, o desvio típico do primeiro metacarpal ocorre


em
a) adução e supinação
b) abdução e supinação
c) adução e pronação
d) abdução e pronação

Book-Perguntas.indb 18 10/31/11 3:17:51 PM


SEÇÃO 5
Medicina esportiva e artroscopia
Coordenador: André Pedrinelli

309. Quando um atleta sofre um estiramento muscular, o tratamento


imediato deve ser
a) colocar gelo no local
b) usar calor local
c) realizar o alongamento da região onde ocorreu o estiramento
d) há mais de uma resposta correta

310. O melhor exame subsidiário para avaliação da lesão muscular é


a) ultrassonografia
b) ressonância magnética
c) não costumamos utilizar exames para o diagnóstico da lesão mus-
cular, o diagnóstico é puramente clínico
d) podemos usar tanto a ressonância magnética quanto a ultrassono-
grafia

311. Das alternativas a seguir, a que não pode ser considerada uma
vantagem da ressonância magnética com relação ao ultrassom
para o tratamento das lesões musculotendíneas é:
a) a possibilidade de realização do exame para alta do paciente para a
prática esportiva
b) a informação sobre a extensão da lesão e os danos associados
c) a ressonância magnética, um exame importante quando se pensa
em operar uma lesão muscular (por exemplo, desinserção do reto
anterior aguda)
d) o melhor entendimento por parte do paciente sobre a lesão

Book-Perguntas.indb 1 10/31/11 3:17:51 PM


68 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

312. A principal causa da epicondilite lateral no tenista é


a) jogar com tensões muito baixas no encordoamento, o que faz a
raquete vibrar muito
b) jogar com raquetes muito pesadas
c) jogar de forma inadequada, principalmente nos movimentos de
esquerda (backhand)
d) jogar mais em quadras duras que em quadras lentas

313. Das fraturas por estresse descritas a seguir, é considerada de alto


risco
a) tíbia – região proximal/anterior
b) tíbia – região do terço médio para distal
c) colo femoral – cortical inferior
d) sacro

314. A diferença entre a síndrome do estresse tibial medial e a fratura


por estresse da tíbia é que
a) a fratura por estresse da tíbia acontece em pacientes mais idosos
b) a síndrome do estresse tibial medial tem um melhor prognóstico
em termos de retorno ao esporte
c) os pacientes com fratura por estresse tem maior incidência de pé
plano valgo que pacientes com síndrome do estresse tibial medial
d) a fratura por estresse da tíbia em atletas profissionais é de tratamen-
to cirúrgico, ao passo que a síndrome do estresse tibial medial não

315. As lesões meniscais são frequentes em atletas. Todas devem ser


tratadas cirurgicamente?
a) Sim. No esportista, elas são eminentemente cirúrgicas
b) Sim, desde que o esportista pratique futebol, em cujo esporte as
rotações do joelho são vistas muito frequentemente
c) Não, pois existem lesões que podem ser tratadas de forma conser-
vadora (fisioterapia)
d) Não. O atleta tem uma boa vascularização meniscal, e pode ser que
a lesão cicatrize

316. Com relação à sinfisite púbica em atletas de futebol, assinale a al-


ternativa correta
a) as dores iniciais são de leve intensidade, e normalmente o atleta
consegue jogar nessa fase com um discreto desconforto na região
púbica

Book-Perguntas.indb 2 10/31/11 3:17:51 PM


Seção 5 – Medicina esportiva e artroscopia 69

b) pode ser confundida com hérnias inguinais/abdominais em até 50%


dos casos
c) quando é de tratamento cirúrgico, deve-se fazer a curetagem da
sínfise púbica associada à liberação (parcial) da inserção do reto
abdominal e/ou adutores
d) todas as alternativas estão corretas

317. Sobre o movimento de arremesso no esporte, com relação à arti-


culação do ombro, é correto afirmar que
a) a discinesia escapular não tem muita importância na fase de acele-
ração do arremesso
b) o ombro na região glenoumeral chega a atingir até 7 mil graus por
segundo de velocidade angular na fase de aceleração
c) a fase de complemento do golpe é pouco importante, pois a maior
força é gerada na fase de preparação do arremesso
d) o principal músculo que gera potência no movimento de rotação
é o supraespinal, por isso ele é o mais frequentemente lesado

318. Com relação à tendinopatia patelar no esporte, é correto afirmar


que
a) é mais frequente em homens acima de 25 anos de idade
b) pode estar associada a uma maior incidência de joelho varo
c) em 80% das vezes apresenta-se como um quadro inflamatório
agudo
d) pode ser tratada de forma cirúrgica por meio da remoção de parte
do tecido degenerado (cirurgia de Blazina)

319. Com relação à tendinopatia do tendão de aquiles do corredor, é


incorreto afirmar que
a) acomete aproximadamente 60 a 75% dos atletas de corrida profis-
sionais
b) no tratamento cirúrgico da lesão insercional, a técnica de Mafulli
é realizada inciando-se a desinserção tendinosa no calcâneo de
medial para lateral, reinserindo-se, depois, com âncoras ósseas (de
preferência)
c) a fisioterapia deve priorizar os exercícios excêntricos
d) pode se manifestar por dores crônicas de diferentes intensidades
no corredor de rua e, clinicamente, com espessamento tendíneo

Book-Perguntas.indb 3 10/31/11 3:17:51 PM


70 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

320. Das patologias a seguir, é de tratamento eminentemente cirúrgico


no atleta
a) síndrome do atrito da banda iliotibial (lesão crônica)
b) síndrome compartimental crônica do compartimento lateral da perna
c) lesão meniscal medial
d) lesão do ligamento cruzado anterior do joelho

321. Em pacientes com diagnóstico de luxação recidivante anterior do


ombro associada à lesão do manguito rotador, é correto afirmar
que
a) não há necessidade de reparo da lesão do manguito rotador, abor-
da-se apenas a lesão de Bankart
b) é mais comum em pacientes jovens que praticam esportes de arre-
messo
c) a via de acesso cirúrgico preferida é a mini-open
d) sempre que possível devem ser corrigidas ambas as lesões, mangui-
to rotador e Bankart

322. As incidências radiográficas para avaliar a articulação acromiocla-


vicular e a lesão de Hill-Sachs são, respectivamente
a) Zanca e Stryker
b) AP verdadeiro e axilar
c) oblíqua-apical e West Point
d) Stryker e oblíqua-apical

323. Em relação às fraturas do terço proximal do úmero, assinale a al-


ternativa incorreta
a) o principal suprimento sanguíneo para a cabeça do úmero é a par-
tir da artéria circunflexa umeral anterior
b) o nervo mais comumente atingido é o axilar
c) a osteoporose não tem importância, pois mesmo em idosos a fra-
tura é resultante de um trauma de alta energia
d) a maioria das fraturas é minimamente deslocada

324. A melhor incidência radiográfica para diagnosticar a presença de


os acromiale é
a) axilar
b) AP verdadeiro
c) oblíqua-apical
d) Stryker

Book-Perguntas.indb 4 10/31/11 3:17:51 PM


Seção 5 – Medicina esportiva e artroscopia 71

325. Alguns fatores que influenciam um maior índice de recidiva pós-


artroscopia de ombro para tratamento da instabilidade anterior
traumática do ombro, exceto
a) convulsões no pós-operatório
b) prática de esportes de contato
c) lesão óssea menor que 25%
d) não reparo da lesão SLAP

326. Em relação às lesões parciais do manguito rotador, assinale a alter-


nativa correta
a) a maioria tem resolução espontânea, não necessitando de trata-
mento específico
b) são mais frequentes na superfície articular
c) as rupturas da superfície articular estão geralmente envolvidas com
fatores extrínsecos
d) quando indicado o tratamento cirúrgico, a acromioplastia sempre
deve ser feita

327. Em relação à capsulite adesiva do ombro, é correto afirmar que


a) é mais comum em adultos jovens
b) não tem relação com diabetes melito
c) apresenta três fases: dolorosa, congelamento e descongelamento
d) a radiografia não tem importância

328. Em relação à lesão SLAP do ombro, pode-se afirmar que


a) a tipo 1 apresenta um fragmento tipo “alça de balde”
b) a tipo 2 é mais bem tratada por meio da reinserção do labrum com
âncoras e fios inabsorvíveis
c) a tipo 3 apresenta uma ruptura em “alça de balde” que se estende
até o tendão do bíceps
d) a tipo 4 é a mais comum

329. A utilização cada vez mais frequente da ressonância magnética


para avaliar lesões do ombro levou a um maior reconhecimento e
compreensão dos cistos sinoviais nessa região. Assinale a alterna-
tiva incorreta em relação aos cistos sinoviais do ombro
a) uma hipótese de sua patogênese é o escape de líquido articular
através de uma área frágil da cápsula em um mecanismo valvular
de mão única

Book-Perguntas.indb 5 10/31/11 3:17:51 PM


72 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

b) geralmente estão associados a rupturas posteriores do labrum da


glenoide
c) os sintomas iniciais são semelhantes aos da lesão SLAP
d) ao ser diagnosticado, o cisto deve sempre ser ressecado por via
aberta ou artroscópica

330. Um ósteon primário é


a) a célula que compõe o tecido ósseo
b) a margem periférica da placa de crescimento
c) o túnel orientado longitudinalmente, envolvido por osteócitos, que
dá origem ao osso diafisário nos recém-nascidos
d) a célula formadora de osso derivada da célula mesenquimatosa
indiferenciada

331. Em relação às vias de acesso para tratamento das fraturas do úme-


ro, é correto afirmar que
a) na via posterior à diáfise, o nervo em “risco” é o ulnar
b) na deltopeitoral, a veia cefálica deve ser afastada mediatamente
c) a introdução anterógrada de uma haste intramedular no úmero é
através do tendão da infraespinhal
d) a posterior à extremidade proximal do úmero é limitada pela pre-
sença do nervo axilar e dos vasos circunflexos posteriores

332. Em relação à biomecânica da cintura escapular e ombro, é correto


afirmar que
a) a ruptura completa do músculo supraespinhal implica a incapaci-
dade da completa elevação do membro superior
b) a principal função do tendão da longa porção do bíceps é promo-
ver a estabilidade anterior do ombro
c) o efeito de compressão da cabeça umeral em relação à glenoide é
dado pelo manguito rotador
d) a estabilidade anterior do ombro é responsabilidade dos ligamentos
glenoumerais médio e superior

333. Em relação à artroplastia do ombro, é correto afirmar que


a) a indicação de artroplastia total não depende da integridade do
manguito rotador
b) a integridade do ligamento coreoacromial não influencia na decisão
de substituição da glenoide

Book-Perguntas.indb 6 10/31/11 3:17:51 PM


Seção 5 – Medicina esportiva e artroscopia 73

c) a consolidação das tuberosidades é de fundamental importância


para o resultado funcional da artroplastia parcial do ombro
d) a erosão da borda posterior da glenoide no paciente portador de
osteoartrite não determina mudança na versão da prótese

334. A respeito das fraturas do fêmur proximal em crianças, é correto


afirmar que
a) as fraturas transepifisárias (tipo I de Salter-Harris) são as de melhor
prognóstico
b) em crianças menores de seis anos, podem-se tolerar desvios porque
há bom potencial de remodelação
c) as basocervicais não deslocadas e as intertrocantéricas são as únicas
que podem ser tratadas de modo conservador
d) nenhuma das alternativas está correta

335. Em relação ao uso de fixação externa, é correto afirmar que


a) a distância barra-osso, quando reduzida, aumenta a rigidez do sis-
tema
b) a dinamização reduz a incidência de afrouxamento dos pinos
c) para funcionar, necessita da máxima rigidez do sistema
d) o diâmetro dos pinos não influencia a rigidez, o número deles sim

336. Com relação à síndrome do túnel do carpo (STC), é correto afirmar


que
a) os sintomas tipicamente são piores durante o dia e melhoram du-
rante a noite
b) alterações metabólicas são frequentes causas de STC unilateral
c) o uso de muletas por deficientes físicos predispõe à STC
d) o tratamento conservador preconiza o uso de órteses que mante-
nham o punho em discreta flexão de 20°

337. Com relação à tenossinovite De Quervain, é correto afirmar que


a) faz diagnóstico diferencial com a síndrome de intersecção entre o
1º e o 2º compartimentos extensores
b) o tendão do extensor curto do polegar geralmente possui 2 ou 3
fitas tendíneas
c) tanto o tratamento conservador como o cirúrgico têm os mesmos
resultados a longo prazo
d) o diagnóstico é obtido exclusivamente por meio da ultrassonografia

Book-Perguntas.indb 7 10/31/11 3:17:51 PM


74 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

338. Em relação ao raquitismo, pode-se afirmar que


a) a biópsia óssea não é um exame importante para o diagnóstico
b) as osteotomias de correção das deformidades devem ser realizadas
precocemente
c) a dentição é retardada, com cáries importantes e defeito da den-
tina
d) na acidose tubular renal, os rins secretam pequenas quantidades de
cálcio

339. Paciente submetido à artroscopia do tornozelo retorna para revi-


são pós-operatória queixando-se de hipoestesia no dorso do pé e
dorso do III e IV dedos. A hipótese mais provável é
a) lesão do nervo safeno no portal anteromedial
b) lesão do nervo sural no portal anterolateral
c) lesão do nervo fibular superficial no portal anterolateral
d) distrofia de Sudeck

340. Com relação aos métodos para prever a dismetria de comprimen-


to dos membros inferiores na maturidade, pode-se afirmar que
a) o método de Green-Andreson tem sua base na determinação do
percentual de inibição do crescimento do membro mais curto
b) o método de White-Menelaus é conhecido como “gráfico de linhas
retas”
c) o método de Moseley é conhecido como método aritmético; utili-
za um gráfico de linhas retas e valores da diferença de comprimen-
to e a idade cronológica
d) o método multiplicador de Paley utiliza valores de multiplicadores
determinados de acordo com a idade óssea

341. Com relação às complicações dos escorregamentos epifisários da


cabeça femoral, é correto afirmar que
a) a condrólise ocorre em 20 a 30% dos casos
b) a incidência de necrose da cabeça do fêmur não está relacionada à
estabilidade do escorregamento
c) existem relatos de necrose da cabeça do fêmur após tração longi-
tudinal em escorregamentos instáveis
d) a osteotomia subcapital do colo do fêmur diminui a incidência de
necrose quando é realizada em escorregamentos instáveis

Book-Perguntas.indb 8 10/31/11 3:17:51 PM


Seção 5 – Medicina esportiva e artroscopia 75

342. Nas fraturas do tálus


a) o sinal de Hawkins é a esclerose do tálus indicando necrose avas-
cular
b) o sinal de Hawkins é o aumento da radioluscência da cúpula do
tálus e indica necrose avascular
c) o sinal de Hawkins indica que existe circulação no tálus e é visto na
cabeça do osso, no raio X em perfil
d) o sinal de Hawkins é a radioluscência aumentada vista na cúpula do
tálus e indica presença de circulação

343. Em relação às fraturas do colo femoral, assinale a alternativa cor-


reta
a) fraturas impactadas em valgo não sofrem necrose
b) a redução deferida não altera o prognóstico quanto à necrose avas-
cular
c) o raio X em AP basta para avaliar o grau de estabilidade
d) todas as alternativas estão incorretas

344. Em relação a osteocondroma e osteocondromatose, não é correto


afirmar que
a) são indicações de resseção cirúrgica: bloqueio articular, malignida-
de da lesão, compressão vascular e nervosa e dor não tratável
b) osteocondroma tem caráter familiar com característica autossômica
dominante
c) menos de 1% dos osteocondromas sofre malignização; na suspeita,
a biópsia é imprescindível
d) após o fechamento da cartilagem epifisial, se houver aumento da
capa de cartilagem, deve-se suspeitar de malignização

345. Em relação ao osteossarcoma, não é correto afirmar que


a) se trata de tumor maligno formador de tecido ósseo que atinge
principalmente a região metafisária dos ossos longos
b) exames normais de fosfatase alcalina, cálcio e fósforo descartam a
possibilidade desse diagnóstico
c) com o diagnóstico realizado, parte-se para o tratamento quimiote-
rápico
d) a incidência ocorre principalmente na 1a e 2a décadas, com pico
entre 10 e 15 anos

Book-Perguntas.indb 9 10/31/11 3:17:51 PM


76 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

346. Em relação a lesões ósseas por metástase, não é correto afirmar


que
a) no homem, são mais frequentes as lesões por metástase de prósta-
ta e, na mulher, por metástase de mama
b) metástases renais e da tireoide geralmente apresentam-se de forma
insuflativa
c) lesões nos membros inferiores na região trocantérica e subtrocanté-
rica devem ser submetidas a tratamento cirúrgico antes da fratura
d) as reconstruções nos membros inferiores fraturados em virtude de
metástases são reservadas a pacientes que deambulavam previa-
mente à fratura

347. São considerados diagnósticos diferenciais da fratura por estresse


da perna no esportista
a) síndrome compartimental crônica
b) lesão muscular
c) tumor ósseo
d) todas as alternativas anteriores

348. O melhor exame para a avaliação inicial de um atleta com suspeita


de fratura por estresse é
a) ressonância magnética
b) cintilografia óssea com tecnécio
c) radiografia simples digitalizada
d) tomografia computadorizada

349. O diagnóstico que pode ser uma variação normal do ombro en-
contrada em atletas juvenis de tênis é
a) contratura da cápsula anterior
b) contratura da cápsula posterior
c) instabilidade multidirecional assintomática
d) escápula alada

350. Com relação à dor lombar no esporte, assinale a alternativa falsa


a) na maior parte dos casos é de causa muscular
b) pode ser causada por uma espondilolistese, que nem sempre é in-
compatível com a prática esportiva profissional
c) quando é decorrente de degeneração discal, a melhor solução é a
realização de cirurgia para colocação de prótese de disco, o que

Book-Perguntas.indb 10 10/31/11 3:17:51 PM


Seção 5 – Medicina esportiva e artroscopia 77

deixa o atleta mais bem preparado para a grande carga de exercí-


cios que será demandada
d) pode estar associada a patologias de quadril

351. As rupturas do tendão do calcâneo


a) têm uma incidência anual de aproximadamente 18 para 100.000
habitantes
b) podem ser tratadas de forma conservadora ou cirúrgica
c) quando imobilizadas, podem causar atrofia da musculatura da pan-
turrilha, o que pode levar a graves sequelas no atleta
d) a demora na reabilitação pode propiciar uma cicatrização inade-
quada, por isso, atualmente, em atletas, recomenda-se mobilização
precoce após a realização da cirurgia

352. Com relação à síndrome do atrito iliotibial em corredores, é corre-


to afirmar que
a) apresenta-se clinicamente como uma dor medial no joelho
b) a lesão crônica deve ser tratada de forma cirúrgica, pois a maioria
dos sintomas dos casos agudos não é resolvida com tratamento
fisioterápico
c) é causa de dor lateral do joelho mais frequente em corredores
d) fraqueza da musculatura adutora do quadril está frequentemente
associada ao quadro clínico

353. Com relação à etiopatogenia das lesões esportivas, assinale a al-


ternativa incorreta
a) arremesso no beisebol – fase de rotação externa máxima – conflito
interno do ombro com pinçamento do manguito superior
b) voleibol – aterrisagem do salto – momento de rotação externa da
perna aumentado – tendinopatia patelar do joelho
c) corrida – pé cavo – fratura por estresse da tíbia distal
d) tênis – golpe de esquerda – epicondilite medial

354. Assinale a alternativa incorreta


a) o entorse de tornozelo é uma lesão frequente no atleta
b) degenerações de disco vertebral são raras em atletas
c) fraturas por estresse podem ser tratadas na sua forma crônica com
fixação interna por meio de hastes intramedulares
d) espondilólises bilaterais podem evoluir para listeses vertebrias em
esportistas de salto

Book-Perguntas.indb 11 10/31/11 3:17:51 PM


78 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

355. Com relação às enfermidades do punho, sabe-se que DISI significa


a) doença infecciosa semi-invasiva.
b) dorsal instability scaphoid improvement
c) dissociation intra-scaphoid instability
d) dorsal intercalated segmental instability

356. Sobre a epicondilite lateral do cotovelo, é correto afirmar


a) é predominante nos esportistas
b) os músculos extensores radial curto e extensor radial longo do carpo
são acometidos
c) ocorre com maior frequência em adultos jovens
d) o principal diagnóstico diferencial é com a síndrome do supinador

Book-Perguntas.indb 12 10/31/11 3:17:51 PM


SEÇÃO 6
Ombro e cotovelo
Coordenador: Nelson Ravaglia de Oliveira

357. Em relação às fraturas do terço lateral da clavícula, assinale a alter-


nativa incorreta
a) no tipo I, o desvio é mínimo
b) no tipo II, o tratamento é incruento na maioria dos casos
c) o tipo III apresenta traço intra-articular
d) o tipo IV ocorre em crianças

358. Das alternativas abaixo, a melhor opção de tratamento para as


fraturas do terço lateral da clavícula do tipo II é
a) redução incruenta e imobilização em forma de 8
b) mobilização precoce, sem necessidade de imobilização
c) tratamento cirúrgico com redução e fixação por meio de placa e
parafusos
d) tratamento cirúrgico com redução e fixação por meio de amarrilho
duplo coracoclavicular com fios inabsorvíveis

359. A complicação tardia mais comum nas fraturas supracondilianas


do úmero distal em crianças é a
a) consolidação viciosa
b) lesão do nervo ulnar
c) lesão do nervo radial
d) lesão da artéria radial

Book-Perguntas.indb 1 10/31/11 3:17:52 PM


80 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

360. Em relação às fraturas da cabeça do rádio e com base na classifica-


ção de Mason, pode-se afirmar que
a) as fraturas do tipo I são tratadas preferencialmente de modo cirúrgico
b) a substituição protética é mais indicada em casos de fraturas do
tipo II
c) as fraturas do tipo II são a melhor indicação para a redução aberta
e a fixação interna
d) a presença de instabilidade do cotovelo associada à fratura não
interfere na decisão do tratamento

361. Na síndrome do nervo interósseo posterior, pode-se afirmar que


a) o principal diagnóstico diferencial é com a epicondilite medial
b) o quadro clínico é de dor na face medial do cotovelo
c) trata-se de um ramo do nervo mediano
d) a compressão geralmente ocorre no nível do músculo supinador

362. Nas luxações de cotovelo da criança, a principal indicação de tra-


tamento cirúrgico é
a) lesão ligamentar associada
b) fragmento ósseo intra-articular
c) fratura da cabeça do rádio associada
d) interposição de partes moles

363. Fazem parte da tríade terrível do cotovelo, descrita por Hotchkiss


a) luxação do cotovelo, lesão ligamentar medial e lesão do nervo
ulnar
b) luxação do cotovelo, lesão ligamentar lateral e lesão do nervo
radial
c) luxação do cotovelo, fratura da cabeça do rádio e fratura do pro-
cesso coronoide
d) fratura da cabeça do rádio, lesão ligamentar medial e síndrome
compartimental

364. É considerada uma contraindicação para artroscopia do cotovelo a


a) remoção de corpos livres
b) excisão de osteófitos do olécrano
c) liberação capsular
d) transposição prévia do nervo ulnar

Book-Perguntas.indb 2 10/31/11 3:17:52 PM


Seção 6 – Ombro e cotovelo 81

365. Em relação às fraturas do processo coronoide, assinale a alternati-


va incorreta
a) a avaliação radiográfica é difícil e o fragmento do coronoide pode
ser confundido com um fragmento da cabeça do rádio
b) a tomografia computadorizada pouco contribui para o diagnós-
tico
c) presença de subluxação da articulação ulnoumeral associada a um
grande fragmento do coronoide é indicação de tratamento cirúr-
gico
d) em fraturas isoladas, o acesso cirúrgico medial é o preferido

366. Em relação à deformidade de Sprengel (escápula alta congênita),


assinale a alternativa incorreta
a) ocorre em decorrência de uma interrupção anormal da descida da
escápula entre a 9ª e a 12ª semanas de gestação
b) no quadro clínico, observa-se uma escápula hipoplásica e mais ele-
vada que sua posição normal
c) em deformidades leves, o tratamento clínico é o mais indicado
d) a técnica cirúrgica de Green não envolve o rebaixamento da es-
cápula, apenas a ressecção de sua porção superior

367. Assinale a alternativa correta a respeito dos testes clínicos de om-


bro
a) teste de Jobe – subescapular
b) teste de Patte – supraespinal
c) teste de Speed – cabeça longa do bíceps
d) teste de Gerber – redondo menor

368. Em pacientes com diagnóstico de luxação recidivante anterior do


ombro associada a lesão do manguito rotador é correto afirmar
que
a) não há necessidade de reparo da lesão do manguito rotador; abor-
da-se apenas a lesão de Bankart
b) é mais comum em pacientes jovens que praticam esportes de arre-
messo
c) a via de acesso cirúrgico preferida é a mini-open
d) sempre que possível, devem ser corrigidas ambas as lesões, man-
guito rotador e Bankart

Book-Perguntas.indb 3 10/31/11 3:17:52 PM


82 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

369. As incidências radiográficas para avaliar a articulação acromiocla-


vicular e a lesão de Hill-Sachs são, respectivamente
a) Zanca e Stryker
b) AP verdadeiro e axilar
c) oblíqua-apical e west point
d) Stryker e oblíqua-apical

370. A melhor incidência radiográfica para diagnosticar a presença de


os acromiale é
a) axilar
b) AP verdadeiro
c) oblíqua-apical
d) Stryker

371. Alguns fatores influenciam um maior índice de recidiva pós-artros-


copia de ombro para tratamento da instabilidade anterior traumá-
tica do ombro, exceto
a) convulsões no pós-operatório
b) prática de esportes de contato
c) lesão óssea menor que 25%
d) não reparo da lesão SLAP

372. Em relação às lesões parciais do manguito rotador, assinale a alter-


nativa correta
a) a maioria tem resolução espontânea, não necessitando de trata-
mento específico
b) são mais frequentes na superfície articular
c) as rupturas da superfície articular estão geralmente envolvidas com
fatores extrínsecos
d) quando indicado o tratamento cirúrgico, a acromioplastia sempre
deve ser feita

373. São condições associadas à capsulite adesiva, exceto:


a) tabagismo
b) diabetes melito
c) trauma
d) hipertireoidismo

374. A artroplastia total de ombro leva a melhores resultados quando há


a) sequela de fratura
b) osteoartrose primária

Book-Perguntas.indb 4 10/31/11 3:17:52 PM


Seção 6 – Ombro e cotovelo 83

c) osteoartrose por instabilidade


d) artropatia do manguito rotador com integridade do músculo del-
toide

375. Sobre a classificação de Goutallier, um músculo que apresenta 60%


de degeneração gordurosa é classificado como de grau
a) II
b) III
c) IV
d) V

376. Sobre lesões distais do bíceps braquial, assinale a alternativa incor-


reta
a) ocorre exclusivamente em homens
b) ocorre mais frequentemente no membro dominante
c) geralmente ocorre evento traumático isolado, com força de flexão
inesperada e forçada em cotovelo parcialmente fletido
d) ocorre com idade média de 50 anos

377. Segundo a classificação de Hasting/Graham para ossificação hete-


rotópica no cotovelo, um cotovelo com limitação da pronossupi-
nação é classificado como do tipo
a) 2A
b) 2B
c) 3A
d) 3B

378. Segundo a classificação de O’Driscoll para instabilidade rotatória


posterolateral do cotovelo, o estágio em que, das estruturas liga-
mentares, apenas a banda anterior do LCM está integra é o
a) IIIB
b) II
c) IIIA
d) IIIC

379. O procedimento de Almquist para tratamento da epicondilite la-


teral consiste em
a) ressecção do epicôndilo lateral e transferência do ancôneo
b) ressecção do epicôndilo lateral e transferência do extensor ulnar do
carpo para origem do extensor radial curto do carpo

Book-Perguntas.indb 5 10/31/11 3:17:52 PM


84 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) ressecção do epicôndilo lateral e transferência do extensor comum


dos dedos
d) ressecção do epicôndilo lateral e transferência da cabeça lateral do
tríceps

380. Sobre as fraturas supraintercondilianas do úmero distal, é correto


afirmar
a) o cotovelo do adulto tolera longo tempo de imobilização; assim, o
tratamento conservador é o tratamento de eleição
b) a neuropraxia do ulnar é a complicação nervosa mais comum na
cirurgia para fixação da fratura e muitas vezes é permanente
c) a transposição profilática do nervo ulnar não é mais recomendada,
pois causa um período maior de neuropraxia inicial
d) no adulto, a fixação percutânea é uma boa opção, pois lesa menos
as partes moles

381. Sobre as fraturas do olécrano, é correto afirmar que


a) o uso de banda de tensão é ideal para fraturas cominutivas
b) quando utilizada a fixação com banda de tensão, deve-se manter
o cotovelo imobilizado por, no mínimo, 3 semanas
c) a placa e os parafusos, na síntese do olécrano, podem atuar como
banda de tensão
d) a técnica de banda de tensão agride pouco as partes moles, e são
muito raras as complicações com o material de síntese

382. Sobre as fraturas da cabeça do rádio, é correto afirmar que


a) a ausência da cabeça do rádio não causa instabilidade se o ligamen-
to colateral ulnar e a articulação radioulnar distal estão intactas
b) o mecanismo clássico para fraturas da cabeça do rádio é carga axial
com membro superior em supinação
c) são muito raras as lesões ligamentares associadas a fraturas da ca-
beça do rádio
d) no tratamento conservador para fraturas minimamente desviadas,
a complicação mais frequente é a pseudartrose

383. Sobre as luxações do cotovelo, é correto afirmar que


a) o mecanismo clássico de lesão de partes moles se dá de medial para
lateral
b) o teste de pivô shift para instabilidade crônica é feito com compres-
são axial em varo e supinação

Book-Perguntas.indb 6 10/31/11 3:17:52 PM


Seção 6 – Ombro e cotovelo 85

c) o nervo mais frequentemente acometido é o nervo ulnar


d) lesões associadas, como fraturas, são raras

384. Sobre a luxação acromioclavicular, é correto afirmar que


a) a lesão se dá apenas nos ligamentos conoide e trapezoide
b) no tipo V de Rockwood, o principal desvio é a ascensão da clavícu-
la em relação ao acrômio
c) no tipo II de Rockwood, o tratamento de eleição é cirúrgico
d) no tipo IV de Rockwood, o principal desvio da clavícula é posterior

385. A respeito das luxações recidivantes, é correto afirmar que


a) o teste da apreensão é feito com o membro superior com 90º de
abdução e rotação externa
b) a lesão de Hill-Sachs se localiza na porção anterior da cabeça do
úmero
c) a luxação recidivante é mais frequente em indivíduos a partir dos
40 anos
d) a lesão do manguito não é causa de luxação recidivante

386. Com relação às incidências radiológicas para instabilidade, é cor-


reto afirmar que
a) a incidência apical oblíqua (GARTH) é realizada em 45° em relação
ao plano do tórax e inclinação caudal de 45° e rotação interna (mão
alcançando o topo do ombro contralateral)
b) a incidência de West Point é realizada com o paciente em posição
supina, e o raio é inclinado 40° em relação ao tórax e 40° em rela-
ção à mesa
c) a incidência de Stryker Notch é realizada com o paciente com o
membro superior em abdução máxima
d) a incidência West Point é ideal para avaliar a lesão de Hill-Sachs.

387. Sobre as fraturas do úmero proximal, é correto afirmar que


a) a maioria das fraturas apresenta grandes desvios e é de tratamento
cirúrgico
b) fraturas do tubérculo com mais de 5 mm de ascensão devem ser
tratadas cirurgicamente
c) a fratura em 4 partes impactada em valgo tem pior prognóstico que
as fraturas em 4 partes com desvio dos fragmentos, como descrito
por Neer
d) a circulação da cabeça do úmero se dá pela artéria ascendente, que
é um ramo da circunflexa posterior

Book-Perguntas.indb 7 10/31/11 3:17:52 PM


86 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

388. A causa primária da instabilidade multidirecional do ombro é a


a) luxação em mais de uma direção no ombro
b) subluxação em várias direções no ombro
c) presença de cápsula redundante na articulação glenoumeral
d) lesão de Bankart isolada em indivíduos jovens

389. O tratamento das lesões SLAP tipo II consiste em


a) simples desbridamento da lesão
b) reinserção do lábio superior da cavidade glenoidal na glenoide
c) ressecção da “alça de balde”
d) ressecção de “alça de balde” e tenodese do cabo longo do biceps

390. A redução aberta das fraturas do corpo da escápula deve ser rea-
lizada quando houver
a) deslocamento maior que 1 cm entre os fragmentos
b) instabilidade dos fragmentos fraturados
c) fragmentos cavalgados
d) lesão neurovascular

391. Pacientes com fratura da cabeça do rádio tratados por excisão da


cabeça radial estão sob risco de
a) instabilidade rotatória posterolateral
b) instabilidade rotatória posteromedial
c) instabilidade rotatória lateral
d) instabilidade rotatória medial e lateral

392. A indicação para o tratamento cirúrgico das fraturas agudas do


terço médio da clavícula são as
a) fraturas oblíquas
b) fraturas com encurtamento de 0,5 cm
c) fraturas transversas
d) fraturas com lesão neurovascular, fraturas expostas e fraturas fecha-
das com fragmento ósseo com potencial risco de perfuração da
pele

393. Pacientes portadores de lesão parcial na face bursal do manguito


rotador (tendão do supraespinal), envolvendo aproximadamente
50% da espessura do tendão com sintomatologia dolorosa, ativi-
dade esportiva e relativamente jovens, devem ser tratados com
a) anti-inflamatórios não hormonais e fisioterapia analgésica

Book-Perguntas.indb 8 10/31/11 3:17:52 PM


Seção 6 – Ombro e cotovelo 87

b) injeção de esteroides na região subacromial (máximo de 3 injeções)


c) reparo cirúrgico primário
d) apenas desbridamento e acromioplastia

394. De acordo com a classificação de Ellman para as rupturas parciais


dos tendões do manguito rotador, o grau II corresponde a
a) rupturas menores que 3 mm (< 25% da espessura do tendão)
b) rupturas de 3 mm a 6 mm (entre 25 e 50% da espessura do ten-
dão)
c) rupturas entre 6 e 10 mm
d) rupturas > 10 mm

395. O diagnóstico de tendinite calcária no ombro é realizado por meio


de
a) estudos de imagem
b) história clínica do paciente
c ) determinação da calcemia
d) anamnese, exame físico e estudos de imagem

396. Na capsulite adesiva do ombro, a perda de movimento inicia-se


comumente pela
a) flexão
b) extensão
c) rotação medial
d) rotação lateral

397. Na fratura do olécrano do adulto do tipo 2B da classificação de


Mayo, o tratamento de escolha é
a) a fixação por banda de tensão
b) a excisão da ponta do olécrano
c) o uso de parafuso de tração
d) o uso de placa e parafusos

398. Na paralisia braquial obstétrica, evidencia-se


a) presença do reflexo de Moro no lado envolvido
b) ausência de movimento do membro e deformidade em flexão do
cotovelo
c) síndrome de Horner pelo comprometimento de T2, no tipo Klumpke
d) comprometimento dos músculos deltoide, bíceps braquial e supi-
nador no tipo ERB-Duchenne

Book-Perguntas.indb 9 10/31/11 3:17:52 PM


88 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

399. Na deformidade de Sprengel


a) o acometimento é mais frequentemente bilateral
b) o osso omovertebral está sempre presente
c) o sexo masculino é o mais acometido
d) o trapézio é o músculo mais frequentemente comprometido

400. Na luxação congênita do quadril diagnosticada aos seis meses de


idade, o sinal clínico mais importante é
a) a limitação da abdução do quadril
b) o sinal de Ortolani positivo
c) a assimetria de pregas glúteas
d) a hiperlordose lombar

401. Na doença de Legg-Calvé-Perthes, o fator de pior prognóstico é a


a) deformidade residual da cabeça femoral
b) horizontalização da placa epifisária
c) idade de início da doença
d) extensão do envolvimento epifisário

402. Com o ombro em posição neutra, o ligamento glenoumeral supe-


rior é o restritor primário da subluxação
a) posterior
b) anterior
c) superior
d) inferior

403. Na fratura 13-C1, segundo a classificação AO, a fixação com duas


placas promove maior estabilidade quando os planos entre elas
estiverem com ângulo de
a) 0º
b) 30º
c) 60º
d) 90º

404. Na fratura do terço médio da clavícula, há indicação absoluta do


tratamento cirúrgico
a) na associação com lesão nervosa
b) no ombro flutuante
c) na dissociação escapulotorácica
d) na fratura bilateral

Book-Perguntas.indb 10 10/31/11 3:17:52 PM


Seção 6 – Ombro e cotovelo 89

405. O cisto ósseo unicameral apresenta em seu interior altos níveis de


a) PGE (prostaglandina E)
b) BMP (bone morphogenetic protein)
c) IGF (insulin-like growth factor)
d) TGF (tissue growth factor)

406. A ruptura do tendão do bíceps braquial, em sua inserção distal,


ocorre predominantemente em homens
a) de meia idade, com o cotovelo em flexão de 90º
b) de meia idade, com o cotovelo em extensão
c) jovens, com o cotovelo em flexão de 90º
d) jovens, com o cotovelo em extensão

407. Na fratura supracondiliana do úmero em flexão, o nervo mais co-


mumente lesado é o
a) interósseo anterior
b) radial
c) ulnar
d) mediano

408. A síndrome de Wartenberg é a compressão do ramo sensitivo do


nervo radial entre os músculos
a) extensor longo do polegar e extensor radial longo do carpo
b) braquiorradial e extensor radial longo do carpo
c) braquiorradial e abdutor longo do polegar
d) extensor longo do polegar e abdutor longo do polegar

409. Na luxação posterior do ombro, a lesão anteromedial da cabeça


do úmero é conhecida como
a) Bankart
b) Hill-Sachs
c) McLaughlin
d) Neer

410. A artroplastia total do ombro leva a melhores resultados nos casos


de
a) sequela de fratura
b) sequela de artrite séptica
c) osteoartrose primária
d) osteoartrose por instabilidade

Book-Perguntas.indb 11 10/31/11 3:17:52 PM


90 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

411. Na síndrome compartimental do antebraço, os músculos mais aco-


metidos são os flexores
a) superficial dos dedos e radial do carpo
b) superficial dos dedos e longo do polegar
c) profundo dos dedos e longo do polegar
d) profundo dos dedos e radial do carpo

412. Na fratura em galho verde no antebraço, a refratura


a) ocorre em média três meses após a fratura inicial
b) é mais comum em crianças acima de 12 anos de idade
c) é mais comum na extremidade distal do que na diáfise
d) ocorre com maior frequência na junção do calo ósseo com o osso
normal

413. Na fratura de Monteggia em criança, a técnica de Bell-Towse para


reconstrução do ligamento anular utiliza
a) o enxerto do tendão do palmar longo
b) a porção medial do tendão do tríceps
c) a porção central do tendão do tríceps
d) o enxerto da fáscia lata

414. Na fratura do capítulo do úmero, a complicação mais frequente


éa
a) pseudartrose
b) limitação do movimento articular
c) consolidação viciosa
d) osteonecrose

415. Nas fraturas cominutivas da cabeça do rádio no adulto, a ressecção


isolada da cabeça está contraindicada na presença de ruptura
a) da cápsula anterior
b) do ligamento colateral lateral radial
c) do ligamento colateral lateral ulnar
d) do ligamento colateral medial

416. A estrutura que atravessa o espaço quadrangular do ombro é


a) o nervo radial
b) o nervo musculocutâneo
c) a artéria circunflexa anterior do úmero
d) a artéria circunflexa posterior do úmero

Book-Perguntas.indb 12 10/31/11 3:17:52 PM


Seção 6 – Ombro e cotovelo 91

417. Na osteocondrite dissecante do capítulo do úmero, a principal in-


dicação do tratamento cirúrgico é a
a) limitação da amplitude de movimento
b) instabilidade em valgo do cotovelo
c) hipertrofia da cabeça do rádio
d) presença de corpo livre

418. Na tendinite calcária do ombro, a persistência de dor após o tra-


tamento cirúrgico comumente é devida à
a) infecção
b) capsulite adesiva
c) osteonecrose
d) tendinite do supraespinal

419. Na luxação medial do tendão da cabeça longa do bíceps braquial,


é comum a associação de rotura do tendão do
a) supraespinal
b) infraespinal
c) subescapular
d) redondo menor

420. A fratura proximal do úmero que apresenta menor incidência de


osteonecrose é a fratura
a) em quatro partes de NEER
b) da cabeça
c) impactada em valgo
d) desviada do colo anatômico

421. Em relação à força de pronação do antebraço, a força de supinação


é aproximadamente
a) 15% maior
b) 15% menor
c) 50% maior
d) 50% menor

422. A artroplastia reversa do ombro é contraindicada na


a) ausência do manguito rotador
b) ausência do músculo deltoide
c) artrose excêntrica
d) artrose concêntrica

Book-Perguntas.indb 13 10/31/11 3:17:52 PM


92 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

423. Na luxação posterior inveterada do cotovelo, a limitação da pro-


nação do antebraço está relacionada principalmente à tensão do
músculo
a) supinador
b) braquiorradial
c) bíceps braquial
d) extensor radial longo do carpo

424. No tratamento cirúrgico da rotura extensa do tendão do supraes-


pinal, a mobilização excessiva do mesmo pode provocar lesão
a) da artéria axilar
b) da artéria toracoacromial
c) do nervo supraescapular
d) do nervo subescapular

425. A fratura do capítulo do úmero corresponde, na classificação AO,


ao tipo
a) C1
b) B1
c) B2
d) B3

Book-Perguntas.indb 14 10/31/11 3:17:53 PM


SEÇÃO 7
Oncologia
Coordenador: Luiz Fernando de Vincenzi

426. Lesão lítica na metáfise distal do fêmur, insuflativa, excêntrica, de


crescimento rápido, com aspecto radiográfico tipo “favo de mel”,
em paciente jovem, é mais sugestiva de
a) tumor de células gigantes
b) fibroma condromixoide
c) cisto ósseo aneurismático
d) condroblastoma

427. Na metástase óssea de origem desconhecida, os tumores primários


mais prováveis são os de
a) mama e próstata
b) tireoide e estômago
c) intestino e pâncreas
d) pulmão e rim

428. Gamaglobulinopatia com pico monoclonal na imunoeletroforese


está presente
a) no linfoma
b) no hiperparatireoidismo
c) na osteomielite
d) no mieloma

Book-Perguntas.indb 1 10/31/11 3:17:53 PM


94 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

429. A incidência de condrossarcoma secundário é mais frequente


a) na doença de Ollier
b) na síndrome de Maffucci
c) na osteocondromatose múltipla
d) no condroblastoma

430. O condroma periostal ocorre mais frequentemente na região


a) proximal da tíbia
b) distal do rádio
c) distal do fêmur
d) proximal do úmero

431. O acesso cirúrgico recomendado para a remoção do disco torácico


com hérnia central é
a) por laminectomia simples
b) o transpedicular
c) por costotransversectomia
d) o transtorácico

432. A lesão neoplásica na criança que mais frequentemente acomete


o centro de ossificação secundário de osso longo é o
a) osteocondroma
b) fibroma condromixoide
c) condroblastoma
d) encondroma

433. No condrossarcoma, a presença de calcificações nos tumores de


baixo grau de diferenciação são de padrão
a) anelar
b) sombreado
c) amorfo
d) salpicado

434. O diagnóstico mais provável da lesão tumoral epifisária no esque-


leto maduro é
a) cisto ósseo aneurismático
b) encondroma
c) condroblastoma
d) tumor de células gigantes

Book-Perguntas.indb 2 10/31/11 3:17:53 PM


Seção 7 – Oncologia 95

435. O tumor ósseo que usualmente não apresenta hipercaptação na


cintilografia é o
a) condrossarcoma
b) sarcoma de Ewing
c) mieloma múltiplo
d) osteossarcoma de baixo grau

436. A célula característica do tumor de células gigantes tem aspecto


semelhante ao
a) plasmócito
b) osteoclasto
c) macrófago
d) linfócito

437. O prognóstico do sarcoma de Ewing é pior


a) na raça negra
b) no sexo feminino
c) caso haja translocação entre os cromossomos 11 e 22
d) se houver baixa resposta à quimioterapia neoadjuvante

438. No osteossarcoma, a sequência correta de tratamento é


a) cirurgia / quimioterapia / radioterapia
b) cirurgia / radioterapia / quimioterapia
c) quimioterapia / cirurgia / quimioterapia
d) quimioterapia / cirurgia / radioterapia

439. Na fratura do processo coronoide da ulna, o grupo 3 – subtipo 2


– da classificação de O’Driscoll, corresponde à fratura na base as-
sociada à
a) fratura da cabeça do rádio
b) fratura do olécrano
c) lesão do ligamento colateral lateral
d) luxação do cotovelo

440. Na fratura do acetábulo do tipo coluna anterior com hemitrans-


versa posterior, a melhor via de acesso para o tratamento cirúrgi-
co é a
a) de Kocher-Langenbeck
b) ilioinguinal

Book-Perguntas.indb 3 10/31/11 3:17:53 PM


96 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) de Smith-Petersen
d) de Hueter

441. Na doença de Von Recklinghausen, a presença do neurilemoma e


do neurofibroma é, respectivamente
a) rara e frequente
b) frequente e rara
c) rara e rara
d) frequente e frequente

442. No osteossarcoma, o comprometimento ósseo e a metástase pul-


monar são mais bem avaliados, respectivamente, por
a) tomografia computadorizada e ressonância magnética
b) tomografia computadorizada e tomografia computadorizada
c) ressonância magnética e tomografia computadorizada
d) ressonância magnética e ressonância magnética

443. Qual o local mais comum onde ocorrem metástases dos sarcomas
ósseos
a) suprarrenal
b) pulmão
c) rim
d) outro osso

444. O tumor que Dahlin, chamado de “osteoma osteoide gigante”, é o


a) condroblastoma
b) osteoblastoma
c) hemangioma intraósseo
d) TGC

445. Abaixo são características do osteossarcoma, exceto


a) reação periostal
b) acometimento metafisário
c) aspecto blástico
d) esclerose reacional ao redor da lesão

446. Após a ressecção de um osteossarcoma, segundo classificação de


Huvos-Ayala, que paciente terá o melhor prognóstico?
a) Huvos 4
b) Huvos 3

Book-Perguntas.indb 4 10/31/11 3:17:53 PM


Seção 7 – Oncologia 97

c) Huvos 2
d) Huvos 1

447. Considerando o padrão histológico e o grau de malignidade do


osteossarcoma parosteal, é correto afirmar, respectivamente
a) tecido ósseo e alto grau
b) tecido ósseo mais fibroso e baixo grau
c) tecido fibroso e baixo grau
d) tecido ósseo mais fibroso e alto grau

448. Dentre os osteossarcomas, qual não se inclui nos de superfície?


a) telangiectásico
b) parosteal
c) periosteal
d) alto grau

449. Sobre a ocorrência de malignização em um osteocondroma solitá-


rio, podemos dizer que é
a) rara e para osteossarcoma
b) comum e para osteossarcoma
c) comum e para condrossarcoma
d) rara e para condrossarcoma

450. São fatores prognósticos para o condrossarcoma, exceto


a) grau histológico do tumor
b) localização
c) realização de procedimento cirúrgico adequado
d) resposta à quimioterapia

451. A incidência de condrossarcoma secundário é mais frequente


a) na doença de Ollier
b) na síndrome de Maffucci
c) na osteocondromatose múltipla
d) na condromatose sinovial

452. Em relação ao condroblastoma, é correto afirmar que


a) não causa derrame articular
b) não afeta o osso subcondral
c) acomete o núcleo de ossificação secundário
d) seu diagnóstico diferencial é com cisto ósseo simples

Book-Perguntas.indb 5 10/31/11 3:17:53 PM


98 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

453. O tumor ósseo cuja biópsia pode ser confundida pelo patologista
com a do TGC é
a) condrossarcoma de células claras
b) osteossarcoma telangectásico
c) fibro-histiocitoma benigno
d) tumor marrom do hiperparatireoidismo

454. Sobre o TGC , é correto afirmar que ele é um tumor


a) benigno e que não metastatiza
b) maligno, mas que não metastatiza
c) benigno, mas que metastatiza
d) maligno e que metastatiza

455. No mieloma múltiplo, na radiografia e na cintilografia temos, res-


pectivamente
a) lesões líticas com bordas escleróticas e hipercaptação
b) lesões líticas sem bordas escleróticas e hipercaptação
c) lesões líticas com bordas escleróticas e normocaptação
d) lesões líticas sem bordas escleróticas e normocaptação

456. O sarcoma de Ewing apresenta translocação cromossômica 11 e


22. Qual dos tumores abaixo apresenta a mesma translocação
a) sarcoma pleomórfico
b) tumores da glia
c) osteossarcoma
d) tumores neuroectodérmicos (PNET)

457. Mieloma múltiplo causa


a) lesões líticas e hipocalcemia
b) lesões líticas e hipercalcemia
c) lesões blásticas e hipercalcemia
d) lesões blásticas e cálico sérico normal

458. Sobre o fibrossarcoma intraósseo, assinale a alternativa correta


a) é mais comum no homem
b) é mais comum em caucasianos
c) é mais comum no terço distal do fêmur e terço proximal da tíbia
d) acomete apenas crianças

Book-Perguntas.indb 6 10/31/11 3:17:53 PM


Seção 7 – Oncologia 99

459. Sobre o lipossarcoma, é correto afirmar que


a) é mais frequente nas partes moles
b) é um tumor maligno caracterizado por proliferação de lipoblastos
sem atipia
c) localizam-se predominantemente nos membros superiores
d) quando intraósseo, ocorre predominantemente em crianças

460. Na ressonância nuclear magnética o hemangioma se apresenta


com
a) hipersinal em T1 e intermediário em T2
b) hipossinal em T1 e hipossinal em T2
c) intermediário em T1 e hipersinal em T2
d) intermediário em T1 e intermediário em T2

461. Sobre o adamantinoma, assinale a alternativa incorreta


a) é mais comum na tíbia
b) se parece histologicamente com o ameloblastoma
c) tem crescimento rápido
d) sua localização é, na maioria das vezes, diafisária

462. O cordoma é um tumor maligno que ocorre


a) no sacro
b) na clavícula
c) na bacia
d) em qualquer local da coluna

463. Qual o principal diagnóstico diferencial da metástase óssea?


a) condrossarcoma
b) TGC
c) mieloma múltiplo
d) cisto ósseo simples

464. A definição correta de fratura patológica é


a) fratura em um osso com metástase
b) fratura em osso longo de paciente acamado
c) fratura com grande desvio
d) fratura em osso acometido por doença metabólica, infecciosa ou
tumoral

Book-Perguntas.indb 7 10/31/11 3:17:53 PM


100 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

465. Quando uma metástase óssea ocorre nos ossos longos, distalmen-
te ao joelho e ao cotovelo, o tumor primário provavelmente é o de
a) próstata
b) mama
c) rim
d) pulmão

466. Qual das alternativas abaixo NÃO representa um dos possíveis tra-
tamentos para o cisto ósseo simples?
a) observação
b) ressecção com margem oncológica
c) aspiração e injeção de metilprednisolona
d) parafuso canulado para drenagem contínua

467. Em relação à doença de Paget, é correto afirmar que


a) possui etiologia bem determinada
b) a cintilografia, em geral, é não captante
c) caracteriza-se por alteração no turnover ósseo
d) as radiografias aparecem como esclerose óssea

468. A imagem radiográfica em “vela derretida” é típica de


a) osteopetrose
b) displasia fibrosa
c) tumor marrom
d) melorreostose

469. Em relação ao sinoviossarcoma, é correto afirmar que


a) é o tipo histológico mais comum de partes moles
b) é mais comum no sexo feminino
c) acomete preferencialmente adultos jovens
d) perfaz aproximadamente 30% dos sarcomas de partes moles

470. Na miosite ossificante, além do osso neoformado, podemos encon-


trar também
a) células gigantes multinucleadas atípicas
b) células da glia
c) PNET
d) cartilagem

Book-Perguntas.indb 8 10/31/11 3:17:53 PM


Seção 7 – Oncologia 101

471. Para o patologista, é difícil diferenciar o linfoma ósseo e o sarcoma


de Ewing porque as duas neoplasias são constituídas por células
pequenas redondas e azuis. Sendo assim, é realizado o estudo
imuno-histoquímico para se conseguir o diagnóstico definitivo. Os
dois anticorpos mais importantes para estes diagnósticos são
a) EMA e CD 99
b) LCA (antígeno-leucocitario comum) e CD 99
c) vimentina e CD99
d) vimentina e LCA (antígeno-leucocitário comum)

472. Uma lesão óssea que se apresente ao RX como bem delimitada,


grande, com diagnóstico histopatológico e tecido ósseo maduro,
tem como possibilidade
a) condroma
b) fibroma condromixoide
c) osteoma puro (exostose óssea)
d) osteoma osteoide

473. A lesão de células gigantes corresponde às lesões abaixo, exceto


a) sarcoma de Ewing
b) cisto ósseo aneurismático
c) tumor de células gigantes do osso
d) tumor marrom do hiperparatireoidismo

474. O tumor ósseo mais comum entre os benignos é


a) condroma
b) osteocondroma
c) osteossarcoma
d) encondroma

Book-Perguntas.indb 9 10/31/11 3:17:53 PM


Book-Perguntas.indb 10 10/31/11 3:17:53 PM
SEÇÃO 8
Osteometabólicas
Coordenador: Márcio Passini Gonçalves de Souza

475. O exame padrão-ouro para o diagnóstico da osteoporose é a


a) ultrassonografia quantitativa (QUS)
b) radiografia simples (RX)
c) densitometria óssea (DXA)
d) ressonância nuclear magnética (RM)

476. Com base no relatório de 1994 da OMS (Organização Mundial da


Saúde), a osteoporose é definida com DMO de
a) T-score abaixo de -1
b) T-score abaixo de -2,5
c) T-score abaixo de -1 e maior que -2,5
d) T-score abaixo de -1,5

477. Entre os tratamentos para a osteoporose, os fármacos abaixo são


reabsortivos, exceto
a) ibandronato
b) ácido zoledrônico
c) teriparatida
d) risedronato

478. A margem de segurança (dose em unidade internacional) para que


não ocorra um quadro de intoxicação por vitamina D é de
a) acima de 7.000 UI/dia
b) acima de 8.000 UI/dia

Book-Perguntas.indb 1 10/31/11 3:17:53 PM


104 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) acima de 3.000 UI/dia


d) acima de 10.000 UI/dia

479. O sítio (local) de escolha no exame de densitometria óssea nos


casos em que a coluna ou o quadril não podem ser avaliados é o
a) corpo total
b) rádio esquerdo
c) calcâneo
d) rádio direito

480. Não constitui (em) contraindicação para realizar uma densitome-


tria óssea
a) crianças
b) grávidas
c) uso recente de contrastes radiopacos, de forma oral ou venosa
d) uso recente de contrastes radioativos

481. O exame de densitometria pode ser empregado na prática clínica


diária para
a) avaliar grau de soltura de uma prótese de quadril
b) avaliar com precisão uma lesão osteolítica
c) avaliar osteonecrose da cabeça do fêmur
d) avaliar osteonecrose do côndilo femoral medial

482. A tríade da atleta feminina é a associação de


a) desordem alimentar, irregularidade menstrual ou amenorreia e os-
teoporose
b) balanço adequado alimentar, ciclo menstrual normal e atividade
óssea normal
c) balanço alimentar inadequado, ciclo menstrual normal e atividade
óssea normal
d) balanço adequado alimentar, amenorreia e osteoporose

483. Em média, a necessidade diária de cálcio para homens e mulheres


após os 50 anos de idade é de
a) 500 a 850 mg/dia
b) 550 a 850 mg/dia
c) 650 a 850 mg/dia
d) 1.000 a 1.500 mg/dia.

Book-Perguntas.indb 2 10/31/11 3:17:53 PM


Seção 8 – Osteometabólicas 105

484. Nos homens, cerca de 50% dos casos de osteoporose são de causas
a) primárias e etiologia única
b) secundárias e etiologia tanto única como múltipla
c) homens não apresentam osteoporose
d) primárias e etiologias diversas

485. Os fármacos abaixo são indicados para tratar a osteoporose no


homem, exceto
a) raloxifeno
b) alendronato
c) risedronato
d) ácido zoledrônico

486. Os fatores de riscos para osteoporose são intrínsecos ou imutáveis,


exceto
a) idade
b) sexo
c) propriedades físicas do osso
d) sedentarismo

487. A finalidade dos exames laboratoriais em osteoporose é


a) avaliar o grau de osteoporose e de fraturas
b) avaliar o risco de fraturas e o status nutricional
c) avaliar o status nutricional, o metabolismo e a terapêutica adequada
d) avaliar o grau de osteoporose e o metabolismo ósseo

488. Os marcadores biológicos, tanto de formação quanto de reabsor-


ção óssea,
a) auxiliam o diagnóstico e o tratamento da osteoporose em conjun-
to com a densitometria
b) não fazem parte da pesquisa para osteoporose
c) não apresentam vantagens significativas para o tratamento da os-
teoporose
d) são úteis apenas no diagnóstico da osteoporose

489. Em relação à classificação da osteoporose, ela se divide em


a) primária e secundária
b) pós-menopausa e senil
c) nenhuma classificação
d) pós-menopausa e idiopática

Book-Perguntas.indb 3 10/31/11 3:17:53 PM


106 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

490. Existem vários medicamentos que causam o aparecimento da per-


da de massa óssea e consequentemente a osteoporose. Dos fárma-
cos abaixo, não apresenta(m) tal característica
a) os corticoides
b) a heparina
c) os anticonvulsivantes, lítio
d) os anticoagulantes

491. Os principais efeitos diretos no osso quando a vitamina A está em


excesso são
a) estimulação do osteoblasto, aumento da formação e hipocalcemia
b) estimulação do osteoblasto, aumento da reabsorção e hipercalcemia
c) estimulação do osteoclasto, aumento da reabsorção e hipercalcemia
d) nulos, a vitamina A não apresenta nenhuma influência sobre o me-
tabolismo ósseo

492. A dose de vitamina D3 adequada para o controle da osteoporose


não deve ser menor que
a) 700 a 800 UI/dia
b) 200 a 400 UI/dia
c) 400 a 600 UI/dia
d) 200 UI/dia

493. Os estudos que analisam a relação entre saúde óssea e vitamina D


estimam que a concentração desejável de 25(OH)D é de, no mínimo
a) 10 ng/mL
b) 30 ng/mL
c) 20 ng/mL
d) 15 ng/mL

494. A hipovitaminose D é mais comumente encontrada nos idosos. Na


maioria das vezes essa diminuição ocorre de forma assintomática,
porém o paciente pode apresentar fraqueza muscular, com risco
de quedas e fraturas. Na deficiência severa, o paciente poderá
apresentar dor óssea difusa acompanhada de
a) hipocalcemia e osteomalácia
b) hipercalcemia e osteomalácia
c) hipercalcemia e fosfatemia
d) hipocalcemia e fosfatemia

Book-Perguntas.indb 4 10/31/11 3:17:54 PM


Seção 8 – Osteometabólicas 107

495. A ação antirreabsortiva dos bisfosfonatos ocorre em decorrência


a) da inibição de uma enzima (FPP sintase), ocasionando a apoptose
osteoclástica
b) da inibição de uma proteína que atua na osteoclastogênese
c) da inibição de uma proteína que atua no osteoblasto
d) da estimulação da ação dos osteoblastos

496. As seguintes complicações fazem parte do mieloma múltiplo, ex-


ceto
a) fraturas vertebrais
b) anemia
c) hipocalcemia
d) insuficiência renal e infecções bacterianas

497. O exame de ultrassonografia do calcâneo apresenta como finali-


dade
a) diagnóstico de osteoporose
b) diagnóstico de osteoporose localizada
c) triagem, título de saúde pública
d) não apresenta nenhuma finalidade para a osteoporose

498. A homeostase do cálcio é assegurada pelos seguintes órgãos e


sistemas orgânicos
a) intestinos, paratireoides e rins
b) paratireoides, rins e tireoide
c) esqueleto, tireoide e rins
d) intestinos, esqueleto e rins

499. As seguintes doenças são mediadas pelos osteoclastos, exceto


a) doença de Paget
b) osteoporose
c) osteoartrose
d) osteomalácia

500. Os mecanismos abaixo estão relacionados à explicação do aumen-


to da DMO pelo estímulo mecânico, exceto
a) diminuição do fluxo sanguíneo do osso
b) liberação de prostaglandinas
c) liberação de hormônios
d) formação em resposta a microtraumas

Book-Perguntas.indb 5 10/31/11 3:17:54 PM


Book-Perguntas.indb 6 10/31/11 3:17:54 PM
SEÇÃO 9
Pediátricas
Coordenador: Rui Maciel de Godoy Junior

501. Durante o processo de deslizamento do colo em relação à cabeça


femoral na imagem radiológica em AP, uma linha reta traçada ao
longo da margem basal superior do colo deixa de cruzar a epífise
femoral. Essa é a linha de
a) Perkins
b) Klein
c) Hilgenreiner
d) Shenton

502. As duas principais complicações da evolução e do tratamento da


epifisiólise proximal do fêmur são, respectivamente,
a) infecção e osteonecrose
b) condrólise e infecção
c) condrólise e osteonecrose
d) condrólise e fratura

503. A osteotomia que fornece contenção por meio do redirecionamen-


to do acetábulo, fornecendo cobertura para a porção anterolateral
da cabeça femoral, é a
a) osteotomia varizante
b) osteotomia de Salter
c) artroplastia em prateleira
d) queilectomia

Book-Perguntas.indb 1 10/31/11 3:17:54 PM


110 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

504. Sobre a epidemiologia do deslizamento da epífise femoral capital,


é incorreto afirmar que
a) o deslizamento da epífise femoral capital está relacionado à puber-
dade
b) é mais frequente em meninos e atinge a idade média de 13 anos,
sendo o quadril esquerdo o mais afetado
c) a obesidade está associada, assim como atraso no desenvolvimento
esquelético e sexual (biótipo adiposo-genital)
d) raramente é bilateral (menos de 5%)

505. Na epifisiólise proximal do fêmur, observa-se ruptura de uma ca-


mada da cartilagem de crescimento fisário. Essa camada é a
a) germinativa
b) proliferativa
c) hipertrófica
d) de calcificação

506. São fatores etiológicos da ocorrência de epifisiólise proximal do


fêmur, exceto:
a) terapia com hormônio do crescimento
b) ooforectomia
c) níveis baixos de testosterona
d) trauma de grande energia

507. A apresentação da dor referida em região medial da coxa e do


joelho decorrente de epifisiólise proximal do fêmur se dá pela iner-
vação do nervo
a) ciático
b) glúteo inferior
c) obturador
d) femoral profundo

508. A classificação cronológica da epifisiólise proximal do fêmur é di-


vidida em quatro fases: pré-deslizamento, aguda, crônica e crôni-
ca agudizada. A fase crônica caracteriza-se por dor
a) há menos de 3 semanas
b) há mais de 3 semanas
c) há mais de 3 meses
d) há menos de 3 meses

Book-Perguntas.indb 2 10/31/11 3:17:54 PM


Seção 9 – Pediátricas 111

509. No diagnóstico radiológico da epifisiólise proximal da cabeça do


fêmur, uma área em forma de crescente e de densidade aumenta-
da frequentemente pode ser identificada na porção proximal do
colo femoral. Essa área é conhecida como
a) sinal de Gage
b) sinal branco de Steel
c) sinal de Trethovan
d) sinal de Klein

510. Sabendo que a maioria dos casos de epifisiólise proximal do fêmur


é diagnosticada na fase crônica, o tratamento mais indicado e que
leva ao menor índice de complicações é a
a) imobilização com aparelho gessado
b) redução aberta e fixação com parafuso canulado
c) fixação in situ com parafuso canulado percutaneamente
d) redução fechada e fixação com 3 parafusos canulados

511. No tratamento da epifisiólise, as osteotomias de realinhamento


são procedimentos realizados para restaurar a relação entre a ca-
beça femoral, o colo, a diáfise e o acetábulo. A osteotomia mais
utilizada para tal restauração é a
a) osteotomia em cunha do colo (Fish)
b) osteotomia de base do colo
c) osteotomia transtrocantérica rotacional de Sugioka
d) osteotomia intertrocantérica de Southwick

512. A doença de Legg-Calvé-Perthes é uma osteocondrose da cabeça


femoral. Os estágios radiográficos dessa patologia seguem a ordem
a) fragmentação, necrose, reossificação, residual
b) inicial ou necrose, residual, fragmentação, reossificação
c) inicial ou necrose, fragmentação, reossificação, residual
d) residual, fragmentação, necrose, reossificação

513. Cronologicamente, o terceiro sinal radiológico de aparecimento


na DLCP é conhecido como
a) sinal de Waldenstron
b) sinal de Gage
c) sinal do crescente
d) sinal de Steel

Book-Perguntas.indb 3 10/31/11 3:17:54 PM


112 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

514. Radiologicamente, são sinais da cabeça em risco, identificados por


Catterral na doença de Perthes, exceto
a) subluxação lateral
b) cistos metafisários
c) horizontalização da fise
d) perda da congruência articular

515. A classificação de Laredo para doença de Perthes pode ser repro-


duzida por meio da artrografia e da ressonância magnética do
quadril em abdução e rotação interna e baseia-se na forma e no
tamanho da cabeça, bem como na horizontalização do labrum,
servindo como orientação de tratamento e prognóstico da pato-
logia. O tipo III de Laredo é o quadril com
a) cabeça aumentada de tamanho, labrum horizontalizado, porém
centra com abdução de 30° e rotação interna
b) cabeça aumentada de tamanho, porém labrum não horizontali-
zado
c) cabeça esférica e sem aumento de tamanho, labrum verticalizado
d) subluxação, horizontalização da fise e cabeça não centra com ab-
dução e rotação interna

516. De acordo com a classificação de Catterral, é correto afirmar que


a) no tipo 2, há acometimento do pilar lateral
b) no tipo 3, há acometimento de toda a cabeça femoral
c) no tipo 1, há acometimento anterior da cabeça femoral
d) o tipo 3 preserva todo o pilar lateral

517. Sobre a epidemiologia da doença de Legg-Calvé-Perthes, é incor-


reto afirmar que
a) ocorre mais comumente na faixa etária de 4 aos 8 anos de idade
b) é mais comum em meninos, com uma proporção de 4 ou 5 para 1
c) é mais comum nas áreas urbanas em vez das rurais
d) a desnutrição não aumenta a incidência de doença de Perthes

518. A osteotomia que oferece uma vantagem teórica de assentamento


profundo da cabeça femoral e reposicionamento da porção vulne-
rável anterolateral da cabeça longe das influências deformantes da
borda acetabular é a
a) osteotomia varizante, com ou sem desrotação associada

Book-Perguntas.indb 4 10/31/11 3:17:54 PM


Seção 9 – Pediátricas 113

b) osteotomia inominada de Salter


c) artroplastia em prateleira
d) osteotomia de Chiari

519. Quais movimentos do quadril são perdidos primeiramente na do-


ença de Perthes?
a) adução e rotação interna
b) adução e rotação externa
c) abdução e rotação interna
d) abdução e rotação externa

520. O fator prognóstico mais importante no resultado da doença de


Legg-Calvé-Perthes é
a) a idade do aparecimento dos sintomas
b) a deformidade residual da cabeça femoral junto à incongruência da
articulação do quadril
c) a extensão do acometimento
d) o tempo para o início da reossificação

521. A curvatura congênita posteromedial dos ossos da perna é asso-


ciada à
a) pseudartrose
b) platispondilia
c) neurofibromatose
d) deformidade em calcâneo valgo

522. No pé cavo do adolescente, a deformidade mais frequente do re-


tropé é o
a) valgo rígido
b) varo rígido
c) varo flexível
d) valgo flexível

523. A doença de Freiberg acomete mais frequentemente o núcleo de


ossificação do
a) terceiro osso metatarsal nas meninas
b) segundo osso metatarsal nas meninas
c) segundo osso metatarsal nos meninos
d) terceiro osso metatarsal nos meninos

Book-Perguntas.indb 5 10/31/11 3:17:54 PM


114 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

524. Na fratura do colo do rádio em criança, a redução pela técnica de


Patterson consiste na aplicação de força em
a) varo com antebraço em supinação
b) valgo com antebraço em supinação
c) varo com antebraço em pronação
d) valgo com antebraço em pronação

525. O tumor maligno primário de partes moles mais comum em pa-


cientes com idade abaixo de 15 anos é
a) neurofibrossarcoma
b) Ewing extraesquelético
c) sinoviossarcoma
d) rabdomiossarcoma

526. Na sindactilia da mão, a comissura mais frequentemente envolvida


éa
a) 1ª
b) 2ª
c) 3ª
d) 4ª

527. Na paralisia cerebral, as convulsões são mais frequentes no tipo


a) monoplégico
b) paraplégico
c) hemiplégico
d) diplégico

528. Na síndrome de Down, a associação com epifisiólise proximal do


fêmur está relacionada ao
a) pan-hipopituitarismo
b) hipotireoidismo
c) hipogonadismo
d) hipoparatireoidismo

529. Na espondilolistese assintomática, grau III de Meyerding, em crian-


ça com dez anos de idade, a conduta mais adequada é a
a) observação
b) fisioterapia
c) órtese TLS
d) artrodese

Book-Perguntas.indb 6 10/31/11 3:17:54 PM


Seção 9 – Pediátricas 115

530. Na fratura em “galho-verde” do antebraço, com desvio dorsal, a


cortical anterior do rádio foi submetida a uma força de
a) tensão
b) compressão
c) cisalhamento
d) rotação

531. O fêmur curto congênito, sem ossificação entre a diáfise e a cabe-


ça do fêmur após a maturidade óssea, é classificado por Aitken como
do tipo
a) A
b) B
c) C
d) D

532. Segundo Jones, as manifestações maiores para o diagnóstico de


febre reumática aguda são
a) artralgia, endocardite e nódulos subcutâneos
b) artralgia, nódulos subcutâneos e coreia
c) artralgia, endocardite e coreia
d) endocardite, nódulos subcutâneos e coreia

533. Segundo Kleinman, as fraturas de alta especificidade de maus-


tratos na criança são as
a) da escápula, do esterno ou metafisárias
b) da escápula, do esterno ou diafisárias
c) da clavícula, do corpo vertebral ou metafisárias
d) da clavícula, do corpo vertebral ou diafisárias

534. No polegar em gatilho da criança, deve-se realizar a abertura da


polia
a) A1, até os seis meses de idade
b) A2, até os seis meses de idade
c) A1, após um ano de idade
d) A2, após um ano de idade

535. Na osteocondrite dissecante do joelho, o sinal de Wilson é obser-


vado com o joelho em flexão de
a) 90º e rotação interna da perna
b) 30º e rotação interna da perna

Book-Perguntas.indb 7 10/31/11 3:17:54 PM


116 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) 90º e rotação externa da perna


d) 30º e rotação externa da perna

536. Na fratura diafisária do fêmur em adolescente, a fixação intrame-


dular por hastes flexíveis de titânio, comparada à haste rígida,
a) tem maior resistência à flexão
b) causa mais dor
c) predispõe a menor deformidade axial
d) gera menos espasmo muscular

537. Na mucopolissacaridose, o aspecto típico de platispondilia grave


é característico na síndrome de
a) Hurler
b) Hunter
c) Sanfilippo
d) Morquio

538. A osteogênese imperfeita, de acordo com Sillence, apresenta


a) herança autossômica recessiva nos tipos IVA e IVB
b) prognóstico favorável no tipo II
c) esclera normal nos tipos IVA e IVB
d) escoliose em mais de 40% dos casos nos tipos IA e IB

539. Na fratura supracondiliana do úmero em criança, do tipo III de


Gartland, com ausência de pulso distal, a primeira medida a ser
tomada é a
a) imobilização do cotovelo em posição neutra
b) arteriografia de urgência
c) redução fechada imediata e fixação
d) redução aberta por acesso anterior

540. O retardo de consolidação da fratura do côndilo lateral do úmero


na criança
a) é provocado pela tração dos músculos flexores do antebraço
b) ocorre com maior frequência nos casos tratados cirurgicamente
c) geralmente é devido à interposição da cápsula articular
d) tem relação com a presença do líquido sinovial que inibe a formação
de fibrina

Book-Perguntas.indb 8 10/31/11 3:17:54 PM


Seção 9 – Pediátricas 117

541. Na displasia do desenvolvimento do quadril na criança com seis


meses de idade, o achado clínico mais confiável é a
a) assimetria de pregas glúteas
b) limitação da abdução do quadril
c) manobra de Ortolani positiva
d) manobra de Barlow positiva

542. A doença de Blount infantil tem pior prognóstico no sexo


a) masculino, na raça branca
b) masculino, na raça negra
c) feminino, na raça branca
d) feminino, na raça negra

543. A hemimelia fibular congênita geralmente é associada a


a) varo do joelho
b) angulação posterolateral da tíbia
c) equinovaro do pé
d) coalizão tarsal

544. A etiologia mais provável do pé torto congênito é


a) o desequilíbrio neuromuscular
b) o defeito do plasma germinativo
c) a herança multifatorial
d) a interrupção do desenvolvimento fetal

545. A história natural do osteoma osteoide envolve


a) o risco de fratura patológica
b) a possibilidade de malignização da lesão
c) a formação de matriz óssea não calcificada
d) a remissão dos sintomas após um período de três a quatro anos

546. No osteossarcoma, a metástase considerada como de pior prog-


nóstico é a
a) pulmonar
b) óssea
c) renal
d) cerebral

Book-Perguntas.indb 9 10/31/11 3:17:54 PM


118 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

547. No escorbuto, a complicação musculoesquelética mais frequente é


a) a pseudoparalisia
b) o varismo dos joelhos
c) o alargamento do crânio
d) a hipercifose toracolombar

548. O condrossarcoma de alto grau, quando diagnosticado na infância,


tem como principal diagnóstico diferencial o
a) osteossarcoma condroblástico
b) condroblastoma maligno
c) fibrossarcoma congênito
d) rabdomiossarcoma

549. Avaliando a classificação de Aitken (DFFP), podemos afirmar que


no tipo
a) A, a cabeça femoral está ausente
b) A, não há pseudoartrose
c) C, o acetábulo é muito displásico
d) B, a cabeça femoral está ausente

550. Uma criança prematura, afebril, não aceita bem a alimentação e


apresenta pseudoparalisia do MID. A contagem de leucócitos é de
8.400 com 40% de neutrófilos, 45% de linfócitos e 5% de monóci-
tos. Exames radiográficos da pelve e MID são normais. A criança
reage e chora ao se testar a mobilidade do quadril D. Recomenda-se:
a) hemocultura
b) cintilografia com Ga67
c) cintilografia com Tc99m
d) punção do quadril

551. É achado laboratorial na síndrome de Morquio:


a) aumento do sulfato de heparina urinário
b) deficiência do sistema adenilciclase
c) deficiência na hidroxilase de lisina
d) aumento do sulfato de queratina urinário

552. Relacionado à mielomeningocele, assinale a alternativa correta


a) ocorre por não fechamento do arco neural anterior
b) sua incidência cresce quando existe história familiar entre irmãos
c) os nervos periféricos são acometidos, tanto dentro como fora da
dura-máter

Book-Perguntas.indb 10 10/31/11 3:17:54 PM


Seção 9 – Pediátricas 119

d) o ultrassom e a amniocentese, raramente, estabelecem o diagnós-


tico pré-natal

553. Com relação ao quadril, na PC, podemos afirmar que


a) na presença de obliquidade pélvica fixa, esta deve ser tratada logo
após a correção do quadril luxado
b) a luxação paralítica raramente pode ser prevenida
c) a presença de displasia acetabular, na criança mais jovem, sugere
subluxação congênita
d) a luxação anterior é rara e frequentemente devida à presença de
coxa vara

554. Com relação à marcha, é correto afirmar que


a) o período de desprendimento (saída do calcâneo) faz parte da fase
de apoio
b) independentemente da velocidade da marcha, a fase de duplo
apoio não se altera
c) a inclinação da pelve não existe na marcha normal, apenas na de
Trendelemburg
d) o músculo tibial anterior tem seu pico máximo de contração excên-
trica na fase de balanço

555. Com relação à OAH (osteomielite aguda hematogênica), é correto


afirmar que
a) a dor decorre da necrose tecidual
b) a cintilografia normal exclui o diagnóstico
c) na criança, o periósteo é pouco aderente ao osso, favorecendo seu
deslocamento
d) a infecção tem início na porção arterial dos sinusoides metafisários

556. Com relação à artrogripose múltipla, é correto afirmar que


a) as deformidades, uma vez corrigidas, não recidivam
b) a obstrução ao movimento é intra-articular
c) no tipo distal, com a mão acometida, o polegar encontra-se abdu-
zido
d) a deformidade mais frequente é o pé equino varo

557. Relacionado à OI (osteogênese imperfecta), é correto afirmar que:


a) as fraturas localizam-se de preferência na parte convexa do osso
b) o tempo de consolidação das fraturas é mais longo que o normal

Book-Perguntas.indb 11 10/31/11 3:17:54 PM


120 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) o defeito principal é a diminuição da quantidade total do colágeno


d) o tipo IA de Sillence e Danks apresenta dentinogênese imperfeita

558. Com relação às osteomielites específicas, é correto afirmar que:


a) a dactilite tuberculosa comete crianças maiores de 10 anos
b) acometimento unifocal é característica da salmonelósica
c) acometimento simétrico é característica da sifilítica
d) a brucelósica acomete preferencialmente ossos longos

559. Com relação às distrofias musculares, é correto afirmar que:


a) a do tipo Becker manifesta-se antes dos 7 anos de idade
b) a creatinofosfoquinase sérica elevada é mais frequente no estágio
inicial da doença
c) na “miastenia gravis” a excreção urinária de creatinina é de 14 mg/
kg/dia
d) a Duchenne, tipo grave, afeta igualmente ambos os sexos

560. Analisando as sentenças abaixo:


I – no paciente com mielomeningocele, o diagnóstico diferencial
das fraturas é com a OHA
II – na mielomeningocele com nível de comprometimento L3-L4
é rara a luxação do quadril
III – pacientes com mielomeningocele apresentam maior incidência
de infecções pós-operatórias, alergia ao látex e fraturas, em
relação à população geral
Marque a alternativa correta:
a) V F V
b) V V F
c) V V V
d) F V V

561. Nas fraturas do colo do rádio em crianças, com desvio de 40°, está
correto recomendar
a) imobilização
b) ressecção da cabeça do rádio e sutura do ligamento anular
c) redução cirúrgica e fixação
d) redução incruenta

562. Relacionado à síndrome de Grisel, é incorreto afirmar que


a) normalmente associa-se à infecção respiratória alta

Book-Perguntas.indb 12 10/31/11 3:17:54 PM


Seção 9 – Pediátricas 121

b) deve ser diferenciada das subluxações rotatórias pós-traumáticas


C1-C2
c) é um torcicolo adquirido não traumático
d) o tratamento deve ser, de preferência, cirúrgico, para evitar-se com-
plicação neurológica

563. Com relação às fraturas supracondilianas do úmero em crianças, é


correto afirmar que
a) a deformidade em varo do cotovelo ocorre, na maioria das vezes,
por lesão da linha epifisária
b) as lesões da artéria braquial são mais frequentes naquelas com des-
vio posterolateral
c) naquelas em extensão, que evoluem com diminuição do pulso ra-
dial, após manobra de redução, deve-se aumentar o grau de flexão
do cotovelo
d) o nervo mediano é o mais frequentemente lesado nas fraturas com
desvio posteromedial

564. Qual dos seguintes tipos de abaulamento tibial está mais comu-
mente associado à neurofibromatose?
a) anteromedial
b) anterolateral
c) posterolateral
d) posteromedial

565. Em criança do sexo masculino, 10 anos, após redução incruenta


para correção angular da fratura distal do rádio, é aceitável angu-
lação residual de
a) 15° no plano sagital e 5° no plano frontal
b) 20° no plano sagital e 10° no plano frontal
c) 15° no plano sagital e 10° no plano frontal
d) 20° no plano sagital e 5° no plano frontal

566. Uma menina de 5 anos apresenta-se para acompanhamento orto-


pédico de rotina 3 meses após diagnóstico de ARJ pauciarticular.
Seu joelho direito é sua única articulação sintomática. Exame clíni-
co revela leve derrame do joelho e contratura em flexão de 5°. O
componente mais importante do tratamento neste momento é
a) aspiração do joelho
b) radiografias simples da coluna cervical

Book-Perguntas.indb 13 10/31/11 3:17:55 PM


122 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) fisioterapia para exercícios ativos assistidos para ADM


d) encaminhamento ao oftalmologista

567. O seguinte tipo de escoliose congênita está associado ao pior prog-


nóstico
a) uma hemivértebra unilateral totalmente segmentada com uma bar-
ra contralateral
b) duas hemivértebras convexas consecutivas
c) uma vértebra em bloco
d) uma hemivértebra encarcerada totalmente segmentada

568. Assinale a fratura fisária mais comum em bebês


a) tipo I de Salter Harris
b) tipo II de Salter Harris
c) tipo III de Salter Harris
d) tipo IV de Salter Harris

569. A fratura de Toddler acomete crianças por volta do segundo e quin-


to ano de vida. Assinale o osso acometido nesse tipo de fratura
a) clavícula
b) radio distal
c) tíbia
d) fêmur

570. Assinale o nome da lesão por impacção própria da infância e que


afeta o osso metafisário em desenvolvimento
a) galho verde
b) Toro
c) Borden
d) deformidade plástica

571. O autor da demonstração que a placa de crescimento é excentri-


camente reativa a alterações de pressão, e irá, através do cresci-
mento seletivo em diferentes regiões, reorientar-se perpendicular-
mente às principais forças de reação através da fise é
a) Pauwels
b) Wolf
c) Harris-Park
d) Shapiro

Book-Perguntas.indb 14 10/31/11 3:17:55 PM


Seção 9 – Pediátricas 123

572. Na classificação de Letts para fratura de Monteggia em crianças, a


luxação anterior da cabeça do rádio com fratura em galho verde
da ulna corresponde ao
a) tipo A
b) tipo B
c) tipo C
d) tipo D

573. Assinale a alternativa que consiste em uma das formas mais fre-
quentes de displasia óssea e é caracterizada por um crescimento
epifisário irregular e comprometimento vertebral mínimo ou au-
sente, com moderado déficit de estatura
a) displasia epifisária múltipla
b) condrodisplasia puntacta
c) displasia epifisária hemimélica
d) pseudoacondroplasia

574. Assinale a alternativa correta que se caracteriza radiologicamen-


te por uma acentuada opacidade dos ossos, dando a esses um
aspecto marmóreo e a presença da imagem de “osso dentro do
osso”
a) osteogênese imperfecta
b) acondroplasia
c) picnodisostose
d) osteopetrose

575. O teste no qual o polegar protrui além da borda ulnar do punho


fechado e que frequentemente é usado para triagem para a sín-
drome de Marfan recebe o nome de
a) sinal de Erdheim
b) sinal de Achard
c) sinal de Steinberg
d) sinal de Stickler

576. Considere uma criança que nasceu aparentemente normal e ao


redor de seis meses de idade começou a apresentar falha no de-
senvolvimento, perda de apetite, vômito, poliúria, desidratação
e febre alta. Apresentava fotofobia. Foram demonstrados cristais
insolúveis de cistina em vários tecidos, como na córnea, medula

Book-Perguntas.indb 15 10/31/11 3:17:55 PM


124 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

esternal e linfonodos. Os glomérulos renais foram afetados, de-


senvolvendo uremia. Morreu com 9 anos. Assinale o diagnóstico
correto
a) escorbuto
b) hipervitaminose A
c) raquitismo por deficiência de vitamina D
d) síndrome de Fanconi

577. Assinale a alternativa caracterizada por uma proliferação anormal


e assimétrica de cartilagem, e da ossificação endocondral associa-
da em uma epífise ou num osso tarsal, carpal ou chato; está limi-
tada à metade medial ou lateral de um único membro
a) displasia epifisária hemimélica
b) displasia condroectodérmica
c) doença de Conradi-Hunermann
d) doença de Newington

578. Na doença de Kohler I, assinale a alternativa que apresenta o ten-


dão acometido por inflamação, próximo à sua inserção óssea
a) tendão patelar
b) tendão de Aquiles
c) tendão do tibial posterior
d) tendão do bíceps braquial

579. Assinale a principal causa de fratura diafisária do fêmur em crian-


ças menores de 1 ano
a) maus-tratos
b) queda
c) acidente automobilístico
d) trauma esportivo

580. A presença de osso acessório justacalcaneano ou de um calcâneo


bífido é um achado radiológico característico da
a) síndrome de Marfan
b) síndrome de Larsen
c) síndrome de Ehlers-Danlos
d) onico-osteodisplasia hereditária

581. O provável diagnóstico de uma radiografia que apresenta uma


radiopacidade em estrias longitudinais através dos eixos dos ossos

Book-Perguntas.indb 16 10/31/11 3:17:55 PM


Seção 9 – Pediátricas 125

longos, com um limite distinto entre o osso patológico e normal,


e estrias lineares esclerosadas que têm um aspecto de cera é
a) displasia diafisária progressiva
b) hiperrostose cortical infantil
c) melorreostose
d) onico-osteodisplasia hereditária

582. Um menino de 12 anos de idade é trazido à consulta por fraque-


za muscular e quedas frequentes. Ao exame clínico nota-se ligei-
ro equinismo bilateral, discreta hipertrofia das panturrilhas e, ao
levantar-se, o faz apoiando-se sobre as coxas. O diagnóstico pro-
vável é
a) doença de Charcot-Marie-Tooth
b) forma frustra de paralisia cerebral
c) miodisplasia ossificante progressiva
d) distrofia muscular progressiva

583. Assinale a alternativa em que a classificação de paralisia cerebral


está baseada na funcionalidade e não na incapacidade
a) Ashworth
b) função motora grossa
c) discinética
d) Bobath

584. Com relação à doença de Legg–Calvé–Perthes, assinale a classi-


ficação que se baseia na altura do pilar ou da coluna lateral da
epífise
a) Catterall
b) Salter e Thompson
c) Herring
d) Caffey

585. Assinale o sinal radiográfico que não indica mau prognóstico na


doença de Legg-Calvé-Perthes
a) placa epifisária verticalizada
b) subluxação lateral da epífise
c) sinal de Gage
d) calcificação lateral da epífise

Book-Perguntas.indb 17 10/31/11 3:17:55 PM


126 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

586. No tratamento de sinovite transitória do quadril não deve ser


utilizado(a)
a) anti-inflamatório
b) internação hospitalar
c) antibiótico
d) tração

587. A fratura de Tillaux está classificada por Salter-Harris em


a) tipo I
b) tipo II
c) tipo III
d) tipo IV

588. Na doença de Sprengel, a classificação de Cavendish baseia-se na


a) rotação da escápula
b) forma da escápula
c) altura da escápula
d) mobilidade da escápula

589. Na paralisia obstétrica, o tipo II da classificação de Narakas apre-


senta lesão
a) completa do plexo braquial
b) das raízes C5 e C6
c) das raízes C5, C6 e C7
d) das raízes inferiores do plexo braquial

590. No torcicolo congênito tratado cirurgicamente com acesso supe-


rior (mastóideo), pode ocorrer lesão do nervo
a) hipoglosso
b) facial
c) acessório
d) laríngeo recorrente

591. No reflexo de Galant normal, a posição do recém-nascido e o des-


vio do tronco são respectivamente
a) prona e ipsilateral ao estímulo
b) prona e contralateral ao estímulo
c) supina e ipsilateral ao estímulo
d) supina e contralateral ao estímulo

Book-Perguntas.indb 18 10/31/11 3:17:55 PM


Seção 9 – Pediátricas 127

592. Na displasia do desenvolvimento do quadril com índice acetabular


de 40º, o valor do ângulo centro-borda de Weiberg esperado é de
a) 20º
b) 30º
c) 40º
d) 50º

593. Os valores aproximados do ângulo de anteversão do colo do fêmur,


ao nascimento e aos 16 anos de idade, são, respectivamente,
a) 30º e 60º
b) 16º e 40º
c) 60º e 30º
d) 40º e 16º

594. Na coalizão tarsal, a imagem radiográfica conhecida como “nariz


de tamanduá” é característica da barra
a) talocalcaneana, na incidência de perfil
b) talocalcaneana, na incidência oblíqua
c) calcaneonavicular, na incidência de perfil
d) calcaneonavicular, na incidência oblíqua

595. O valor do ângulo de anteversão do colo do fêmur e o da amplitude


de rotação lateral do quadril, do nascimento aos dez anos de idade,
respectivamente,
a) aumenta e aumenta
b) aumenta e diminui
c) diminui e aumenta
d) diminui e diminui

596. A paralisia cerebral do tipo hemiplégico que tem maior benefício


com cirurgia no membro superior é a do padrão
a) atetoide
b) atáxico
c) espástico
d) hipotônico

597. A classificação de Loder para a epifisiólise proximal do fêmur é


relacionada
a) à porcentagem do desvio
b) ao tempo do início dos sintomas

Book-Perguntas.indb 19 10/31/11 3:17:55 PM


128 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) ao ângulo do escorregamento
d) à capacidade de apoio do membro

598. Na displasia do desenvolvimento do quadril, a avaliação do ângu-


lo ß na ultrassonografia, segundo Graf, refere-se à
a) porção cartilaginosa do acetábulo
b) inclinação do teto ósseo do acetábulo
c) cartilagem trirradiada
d) esfericidade da cabeça femoral

599. Na doença de Legg-Calvé-Perthes, a presença de cistos metafisá-


rios sugere
a) subluxação lateral da cabeça do fêmur
b) deformidade da epífise femoral
c) ossificação lateral da epífise alargada
d) distúrbio potencial do crescimento fisário

600. Na técnica de Grice para o pé plano valgo paralítico, o enxerto


deve ser posicionado com o pé em
a) varo
b) neutro
c) flexão dorsal
d) flexão plantar

601. No fêmur curto congênito, devem-se pesquisar alterações


a) renais
b) hepáticas
c) cardíacas
d) encefálicas

602. Na mielomeningocele, a malformação do tipo II de Arnold-Chiari


sintomática caracteriza-se por
a) nistagmo
b) hipertonia
c) taquipneia
d) hipoacusia

603. Na osteomielite hematogênica aguda tratada adequadamente, os


valores de VHS e PCR se normalizam, respectivamente, em cerca de
a) 1 semana e 1 semana

Book-Perguntas.indb 20 10/31/11 3:17:55 PM


Seção 9 – Pediátricas 129

b) 1 semana e 3 semanas
c) 3 semanas e 1 semana
d) 3 semanas e 3 semanas

604. Na pseudartrose congênita da tíbia, o uso da proteína morfogené-


tica óssea (BMP) tem a propriedade de
a) osteoindução
b) osteogênese
c) osteointegração
d) osteocondução

605. Na sequela do pé torto congênito, o metatarso adulto tratado pela


osteotomia da base dos metatarsais tem como complicação mais
grave a
a) recidiva da deformidade
b) subluxação tarsometatarsal
c) parada do crescimento do I metatarsal
d) proeminência da articulação tarsometatarsal

606. No pé plano, o ângulo radiográfico de Giannestras tem valor


a) menor que 60º
b) entre 60º e 80º
c) entre 80º e 100º
d) entre 100º e 120º

607. Na sinostose radiulnar proximal congênita, a complicação mais


frequente do tratamento com osteotomias derrotatórias é a
a) pseudartrose
b) necrose da cabeça do rádio
c) perda da flexão do cotovelo
d) síndrome compartimental

608. Na tíbia vara de Blount, ocorre torção


a) medial da tíbia e joelho recurvado
b) lateral da tíbia e joelho recurvado
c) medial da tíbia e joelho flexo
d) lateral da tíbia e joelho flexo

Book-Perguntas.indb 21 10/31/11 3:17:55 PM


Book-Perguntas.indb 22 10/31/11 3:17:55 PM
SEÇÃO 10
Quadril
Coordenador: Luiz Sérgio Marcelino Gomes

609. Segundo a classificação de Brooker et al. para a ossificação hete-


rotópica pós-operatória do quadril, a presença de esporões ósseos
a partir do fêmur proximal ou da pelve, com menos de 1 cm entre
as superfícies ósseas opostas, corresponde ao tipo
a) II
b) III
c) I
d) IV

610. De acordo com a classificação de Vancouver para as fraturas do


fêmur após artroplastia total do quadril, pode-se afirmar em rela-
ção às fraturas do tipo B que
a) ocorrem bem abaixo da haste femoral
b) são as mais raras, porém as mais problemáticas
c) nas fraturas tipo B1, a haste femoral permanece bem fixada
d) na fratura tipo B3, a melhor indicação é realizar redução e osteos-
síntese da fratura, mantendo-se a haste femoral in situ.

611. A artrodese do quadril, embora venha sendo usada em menor


escala na atualidade, ainda deve ser considerada como um método
alternativo de tratamento. A principal queixa relacionada com essa
técnica é a
a) lombalgia
b) artralgia no joelho ipsilateral

Book-Perguntas.indb 1 10/31/11 3:17:55 PM


132 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) artralgia do quadril contralateral


d) artralgia do joelho contralateral

612. Sobre a luxação traumática do quadril, é correto afirmar que


a) a lesão associada do nervo ciático ocorre em metade dos casos
b) o ramo fibular é mais afetado que o tibial
c) o retorno parcial da função do nervo ciático é praticamente nulo
d) é mais comum quando a luxação do quadril é anterior

613. A via de acesso de Smith-Petersen


a) é utilizada frequentemente no manuseio de fraturas do colo e da
cabeça femoral
b) é uma via de acesso anterolateral do quadril
c) é utilizada para realização de artroplastia do quadril
d) entra no intervalo entre os músculos tensor da fáscia lata e dosar-
tório

614. Quanto à fratura da pelve tipo B, segundo a classificação de Marvin


Tile, é verdadeiro dixzer que
a) é rotacional e verticalmente instável
b) as fraturas do tipo B2 são denominadas “em livro aberto”
c) em uma lesão em livro aberto no estágio I, pode haver lesão do
ligamento sacroilíaco anterior
d) nessas lesões do tipo B, os ligamentos sacroilíaco posterior e inte-
rósseo permanecem intactos

615. Fratura do acetábulo que, mesmo desviada, poderá ter indicação


de tratamento não cirúrgico, é a
a) fratura da coluna posterior
b) fratura em T
c) fratura baixa da coluna anterior
d) fratura da coluna anterior e hemitransversa posterior

616. Com relação à classificação de Sigh, assinale a afirmativa correta


a) é avaliada por meio da tomografia axial computadorizada
b) se baseia nas linhas de tensão e compressão do terço proximal do
fêmur e do acetábulo para avaliar o grau de osteoporose
c) no grau 1, observa-se osteoporose avançada
d) a classificação é dividida em 5 graus

Book-Perguntas.indb 2 10/31/11 3:17:55 PM


Seção 10 – Quadril 133

617. Após artroplastia total do quadril (ATQ), observa-se que


a) na maioria das vezes, o membro operado fica encurtado
b) a discrepância dos membros leva frequentemente a lombalgia
c) a discrepância de membros leva a falha mecânica prematura na
artroplastia
d) alongamentos superiores a 2,5 cm podem resultar em lesão do
nervo ciático

618. A hemipelvectomia interna


a) é uma ressecção que preserva o membro
b) inclui um retalho posterior ou glúteo
c) não requer remoção dos linfonodos inguinais e ilíacos
d) é realizada com desarticulação da articulação sacroilíaca

619. Nas fraturas trocantéricas


a) o DHS, por não permitir a impacção secundária dos fragmentos,
apresenta altas taxas de consolidação óssea
b) o DHS é o implante de escolha para as fraturas estáveis
c) as hastes intramedulares com bloqueio distal dinâmico são reco-
mendadas para as fraturas multifragmentadas instáveis
d) com osteoartrose preexistente, a artroplastia primária deve ser rea-
lizada, pois apresenta bons resultados

620. Sobre a fratura da cabeça femoral, assinale a afirmativa correta


a) a fixação dos fragmentos não precisa ser realizada nos casos em que
os fragmentos retornam à posição anatômica após redução fechada
da luxação
b) no tipo 31-C1, segundo a classificação AO, ocorre depressão da
cabeça femoral
c) observa-se frequentemente associação de fraturas do colo femoral
e do acetábulo
d) os tipos C3.1, C3.2 e C3.3 apresentam o pior prognóstico, pelo
risco de perda do suprimento vascular do fragmento principal da
cabeça femoral.

621. Em relação ao tratamento da lesão em alça de balde, é correto afir-


mar que
a) uma das indicações cirúrgicas é a presença de instabilidade vertical
b) a presença de deformidade persistente em rotação externa é uma
das indicações cirúrgicas nesse tipo de lesão

Book-Perguntas.indb 3 10/31/11 3:17:55 PM


134 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) na vigência de significativa discrepância dos membros inferiores,


deverá ser realizada a redução da fratura
d) a maioria dessas lesões é tratada de forma cirúrgica

622. O único fator de risco reconhecido para a osteoporose transitória


do quadril é
a) gestação
b) ingestão de álcool
c) exercícios físicos frequentes
d) uso de corticoide

623. Em relação à cirurgia de Ganz et al. para o quadril, é correto afir-


mar que
a) é uma osteotomia triplanar
b) é um procedimento tecnicamente fácil de realizar
c) a cirurgia é realizada por meio de dupla via
d) é uma osteotomia periacetabular utilizada em pacientes adolescen-
tes, ainda com linha fisária aberta

624. Na artrose do quadril, é contraindicação relativa para a osteotomia


valgizante intertrocantérica a presença de
a) flexão do quadril menor que 60º
b) extensão do quadril menor que 10º
c) cabeça femoral não esférica
d) acetábulo displásico

625. Na artroplastia total do quadril realizada pela via de acesso poste-


rior, o excesso de anteversão do acetábulo pode resultar em luxação
a) anterior
b) posterior
c) superior
d) inferior

626. O melhor exame para diferenciar a necrose asséptica da cabeça do


fêmur e a osteoporose transitória do quadril é a
a) cintilografia óssea
b) ressonância magnética
c) tomografia tridimensional
d) angiografia digital

Book-Perguntas.indb 4 10/31/11 3:17:55 PM


Seção 10 – Quadril 135

627. Na fratura transtrocanteriana de traço reverso, está contraindicada


a utilização de
a) placa-parafuso deslizante de 130°
b) placa angulada de 95°
c) haste intramedular cefalomedular
d) placa-parafuso deslizante de 95°

628. No sarcoma de Ewing, o fator de mau prognóstico é


a) apresentação antes dos 10 anos de idade
b) grau histológico da lesão
c) ser o paciente do sexo feminino
d) presença de febre e anemia

629. O “sinal da dupla linha” na imagem de ressonância magnética do


quadril em T2 sugere
a) osteoporose transitória
b) fratura oculta do colo do fêmur
c) osteonecrose da cabeça do fêmur
d) impacto femoroacetabular

630. Na artroplastia total do quadril, a ocorrência de ossificação hete-


rotópica é mais frequente quando o acesso utilizado é o
a) posterior
b) posterolateral
c) anterolateral
d) transtrocanteriano

631. O teste do flamingo é realizado com o paciente em


a) pé
b) decúbito dorsal
c) decúbito ventral
d) decúbito lateral

632. A fratura intertrocantérica do fêmur, do tipo V de Tronzo, tem


como melhor implante para fixação a
a) placa de 135° com parafuso deslizante
b) placa angulada de 135°
c) haste intramedular flexível
d) haste cefalomedular bloqueada

Book-Perguntas.indb 5 10/31/11 3:17:56 PM


136 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

633. Na epifisiólise proximal do fêmur,


a) a zona hipertrófica aumenta, podendo ocupar até 80% da espes-
sura da placa epifisária
b) a zona de repouso geralmente está hipocelular
c) a placa epifisária é frequentemente hipercelular
d) as fibrilas de colágeno estão aumentadas na zona hipertrófica

634. A luxação protética após artroplastia primária do quadril é menos


frequente
a) em pacientes do sexo feminino
b) quando se utiliza cone protéticos 12/14 longos
c) nas abordagens posteriores ao quadril
d) após 3 meses pós-operatórios

635. Para o diagnóstico laboratorial de infecção protética do quadril é


correto afirmar que
a) o leucograma com mais de 10.000 células é altamente sugestivo
b) a contagem celular do líquido sinovial não tem valor diagnóstico
c) a cintilografia é o padrão-ouro
d) a elevação simultânea do VHS e PCR tem grande valor preditivo
positivo após 3 meses do ato operatório

636. Em relação às complicações neurais na artroplastia do quadril é


correto afirmar que
a) são mais comuns quando do diagnóstico pré-operatório de dis-
plasia
b) a discopatia degenerativa lombar não é fator predisponente
c) o quadro clínico mais dramático é o de lesão do nervo femoral
d) o nervo glúteo superior é mais frequentemente acometido durante
a abordagem posterior

637. A profilaxia mais efetiva do tromboembolismo venoso em artro-


plastia do quadril é realizada com
a) aspirina + meias elásticas + deambulação precoce
b) heparina de baixo peso molecular + compressão pneumática inter-
mitente
c) varfarina + meias elásticas
d) heparina fracionada + compressão pneumática intermitente

Book-Perguntas.indb 6 10/31/11 3:17:56 PM


Seção 10 – Quadril 137

638. Dentre as opções abaixo, o desempenho clínico em estudos pros-


pectivos apontam para a utilização em pacientes jovens e ativos
do seguinte par tribológico
a) metal-metal
b) metal-polietileno convencional
c) cerâmica x polietileno cross-linked (reticulado)
d) cerâmica x metal

639. O desgaste da superfície protética metal-polietileno na artroplastia


primária do quadril
a) é tanto maior quanto mais se aumenta o offset femoral
b) é maior nos implantes acetabulares cimentados
c) é mais intenso quando da atuação do mecanismo de abrasão por
terceiro corpo
d) tem no mecanismo adesivo, ou por transferência, uma fonte con-
tínua e progressiva de geração de partículas

640. Em relação à osteonecrose da cabeça femoral é correto afirmar que


a) a ausência de dor está associada a um prognóstico bastante favorável
b) o volume da lesão na cabeça femoral não está relacionada ao prog-
nóstico
c) quando localizada na porção medial da cabeça, a evolução é bas-
tante favorável
d) o prognóstico é pior em pacientes mais jovens

641. Em relação à afirmação “O impacto femoroacetabular (IFA) deve


sempre ser tratado por cirurgia aberta, ainda que assintomático,
pois sua evolução para o desgaste e artroplastia do quadril é ine-
vitável”, a opinião mais correta é
a) a afirmação está totalmente correta
b) a afirmação estaria correta se substituíssemos cirurgia aberta por
artroscopia
c) a afirmação estaria correta se removêssemos a expressão: “ainda
que assintomática”
d) a afirmação está totalmente incorreta

642. A coxa profunda é um fator de risco para impacto femoracetabular


porque
a) o contorno da cabeça ultrapassa a linha de Kohler, predispondo ao
mecanismo tipo pincer (torques)

Book-Perguntas.indb 7 10/31/11 3:17:56 PM


138 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

b) o fundo acetabular atinge a linha de Kohler, predispondo ao meca-


nismo tipo came
c) promove o impacto localizado na porção anterolateral do acetábulo
d) promove a medialização do fêmur proximal

643. O desempenho de hastes femorais cimentadas em artroplastia to-


tal do quadril não é afetado por
a) preenchimento proximal do metal em relação ao diâmetro do fêmur
proximal
b) espessura do cimento na região proximal
c) modelo distal cilíndrico ou retangular
d) grau de conicidade

644. Dentre as condições abaixo, as principais causas de revisão de ar-


troplastia total de quadril são
a) instabilidade e soltura
b) infecção e instabilidade
c) infecção e soltura
d) osteólise e instabilidade

645. O tratamento das fraturas do colo femoral desviadas em pacientes


ativos com idade acima de 65 anos deve considerar prioritariamente
a) o uso de hemiartroplastia
b) o uso de fixação interna com sistemas deslizantes
c) a artroplastia total do quadril
d) fixação com parafusos canulados

646. Dentre as condições abaixo, a que apresenta maior prevalência de


retroversão (ou diminuição da anteversão) acetabular é
a) osteonecrose
b) DDQ
c) osteoartrite primária
d) doença de Legg-Calvé-Perthes

647. Dentre as propriedades abaixo, a mais recomendável para mate-


riais utilizados em superfícies articulares protéticas é
a) menor tenacidade
b) maior ductilidade
c) menor módulo de elasticidade
d) maior dureza

Book-Perguntas.indb 8 10/31/11 3:17:56 PM


Seção 10 – Quadril 139

648. A artroplastia de ressecção da cabeça/colo femoral (cirurgia de


Girdlestone)
a) está contraindicada no tratamento de graves contraturas espásticas
b) está contraindicada no tratamento de extensas escaras trocantéricas
em pacientes paraplégicos
c) proporciona resultados mais satisfatórios quando associada à oste-
otomia femoral proximal do que quando realizada isoladamente
d) quando indicada como procedimento primário ou de salvação para
o tratamento de osteomielite do quadril, tem como principal com-
plicação a persistência da infecção

649. A cirurgia do quadril por via artroscópica está


a) contraindicada para o tratamento de pioartrite
b) indicada em caso de liberação do trato iliotibial e iliopsoas
c) absolutamente contraindicada em caso de obesidade mórbida
d) indicada para o tratamento de osteomielite ou drenagem de abs-
cesso em paciente séptico

650. A cirurgia de recapeamento do quadril tem como complicação


mais comum
a) luxação
b) fratura do colo femoral
c) soltura do componente femoral
d) necrose da cabeça femoral remanescente

651. A artrodese do quadril


a) deve ser posicionada em 20 a 30° de flexão, 0 a 5° de abdução e
10º de rotação interna
b) é a melhor indicação para pacientes com sequela de paralisia cere-
bral que apresentem coxartrose unilateral
c) não poderá ser indicada em caso de osteonecrose da cabeça femo-
ral devido ao risco de bilateralidade da doença
d) está contraindicada em pacientes com radiografias alteradas da co-
luna lombar, quadril contralateral ou joelho ipsilateral, mesmo se
essas articulações forem assintomáticas

652. No tratamento cirúrgico das fraturas intertrocantéricas com para-


fuso deslizante, o principal fator predisponente para cut-out é
a) qualidade óssea
b) idade do paciente

Book-Perguntas.indb 9 10/31/11 3:17:56 PM


140 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) posição do parafuso
d) instabilidade da fratura

653. Na ATQ por via minimamente invasiva observa-se


a) menor índice de fratura do que com incisão longa
b) menor índice de luxação do que com incisão longa
c) maior índice de infecção do que com incisão longa
d) maior índice de reoperações do que com incisão longa

Book-Perguntas.indb 10 10/31/11 3:17:56 PM


SEÇÃO 11
Tornozelo e pé
Coordenador: Augusto Cesar Monteiro

654. No pé torto congênito tratado pela técnica de Ponseti, o fulcro de


correção é na
a) articulação calcaneocubóidea
b) borda anterior do maléolo lateral
c) tuberosidade do calcâneo
d) borda lateral do tálus

655. Na instabilidade lateral crônica do tornozelo, o tratamento cirúr-


gico com procedimento não anatômico tende a limitar a
a) inversão e a flexão plantar
b) inversão e a dorsiflexão
c) eversão e a flexão plantar
d) eversão e a dorsiflexão

656. No pé com artropatia de Charcot, a deformidade primária é


a) a flexão plantar do tálus
b) o varo do retropé
c) o equino do calcâneo
d) a abdução do antepé

657. A deformidade do pé que mais comumente causa metatarsalgia é o


a) pé equino
b) antepé triangular simples

Book-Perguntas.indb 1 10/31/11 3:17:56 PM


142 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) antepé cavo
d) antepé convexo simples

658. Na insuficiência do tendão do tibial posterior, as deformidades


encontradas são
a) retropé varo, abdução do mediopé e supinação do antepé
b) retropé valgo, adução do mediopé e supinação do antepé
c) retropé varo, adução do mediopé e pronação do antepé
d) retropé valgo, abdução do mediopé e pronação do antepé

659. No pé diabético grau IV de Wagner, e índice sistólico do tornozelo


de 0,6, a amputação indicada é
a) no primeiro raio
b) na articulação de Chopart
c) do tipo Syme
d) no terço médio da perna

660. No hálux valgo, o tratamento cirúrgico pela técnica de Mitchell


consiste na
a) sesamoidectomia lateral, liberação do tendão adutor do hálux e da
cápsula lateral
b) ressecção parcial da falange proximal e liberação do tendão adutor
do hálux
c) osteotomia da porção distal do primeiro metatarsal
d) osteotomia em “V” proximal do primeiro metatarsal

661. No hálux valgo do adulto com ângulo metatarsofalângico superior


a 35°, ocorre
a) supinação do hálux
b) relaxamento do músculo flexor curto do hálux
c) migração plantar do músculo abdutor do hálux
d) desvio medial dos sesamoides do hálux

662. No pé torto congênito, o maior obstáculo à redução do complexo


talocalcaneonavicular é
a) o ligamento tibionavicular
b) o ligamento calcaneonavicular plantar
c) a cápsula talonavicular
d) o tendão do tibial posterior

Book-Perguntas.indb 2 10/31/11 3:17:56 PM


Seção 11 – Tornozelo e pé 143

663. A artrose causada por fratura do pilão tibial ocorre tipicamente


a) nos dois primeiros anos
b) entre o terceiro e o quarto ano
c) entre o quarto e o quinto ano
d) após o quinto ano

664. O pé cavo varo evolui com fraqueza principalmente do músculo


a) fibular longo
b) extensor longo do hálux
c) tibial anterior
d) tibial posterior

665. No pé plano valgo flexível,


a) o antepé está pronado em relação ao retropé
b) o ligamento interósseo talocalcâneo está tenso
c) a porção anterior do calcâneo está deslocada no sentido lateral e
plantar
d) a cabeça do tálus está deslocada no sentido lateral

666. A coalizão subtalar mais frequente é a que acomete, no calcâneo,


a faceta articular
a) anterior
b) média
c) lateral
d) posterior

667. A osteocondrose de Freiberg acomete mais frequentemente


a) meninas com idade superior a 13 anos
b) meninas com idade inferior a 13 anos
c) meninos com idade superior a 13 anos
d) meninos com idade inferior a 13 anos

668. No hálux rigidus, a alteração primária da cartilagem articular situa-


se na face
a) dorsal da falange proximal
b) dorsal da cabeça do I metatarsal
c) ventral da falange proximal
d) ventral da cabeça do I metatarsal

Book-Perguntas.indb 3 10/31/11 3:17:56 PM


144 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

669. No pé diabético, segundo a classificação de Wagner, a osteomieli-


te está presente a partir do grau
a) 0
b) 1
c) 2
d) 3

670. No apoio estático, a distribuição de cargas sobre o calcanhar, o


mediopé e o antepé corresponde respectivamente a
a) 60%, 8% e 32%
b) 25%, 45% e 30%
c) 50%, 32% e 18%
d) 50%, 25% e 25%

671. Sobre os diferentes tipos de fraturas do tálus, assinale a correta


a) as fraturas do processo lateral geralmente ocorrem por avulsão e
mecanismo de dorsiflexão, inversão e rotação interna do tornozelo
b) fraturas do processo posterior do tálus são, em sua maioria, de trata-
mento conservador por se tratarem de fraturas extra-articulares
c) as fraturas da cabeça são as segundas mais comuns do tálus, atrás
apenas das fraturas do colo do tálus
d) fraturas osteocondrais do tálus estão associadas à história prévia de
trauma em 98% dos casos e geralmente são subdiagnosticadas

672. Sobre as fraturas do calcâneo, assinale a correta


a) representam 40% das fraturas dos ossos do tarso, ocorrendo em
sua maioria nos pacientes com 30-50 anos
b) a integridade do fragmento do sustentáculo do tálus, preso ao mesmo
pelo ligamento interósseo, é importante para parâmetro cirúrgico
c) a consolidação viciosa da fratura do calcâneo geralmente ocorre
com valgo do retropé
d) a perda de altura (diminuição do pitch do calcâneo e do ângulo de
Bohler) cursa cronicamente com sintomas de impacto posterior do
tornozelo

673. Assinale a alternativa incorreta quanto às fraturas-luxações do


complexo da Lisfranc
a) o mecanismo de trauma mais comum é o direto, sendo 30-60%
relacionados a traumas esportivos

Book-Perguntas.indb 4 10/31/11 3:17:56 PM


Seção 11 – Tornozelo e pé 145

b) estatisticamente a luxação traumática dorsal da articulação de Lis-


franc é mais frequente que a luxação plantar
c) artrodese primária deve ser considerada nos casos com cominuição
articular > 50%
d) o tempo limite para considerar o tratamento cirúrgico primário da
fratura-luxação de Lisfranc é de 6 semanas

674. Sobre a deformidade anatômica do hálux valgo, assinale a alter-


nativa correta
a) geralmente ocorre supinação do hálux
b) ocorre um desequilíbrio de forças entre as musculaturas adutora e
abdutora do hálux, onde predomina a abdução
c) os sesamoides não se desviam para a lateral, mantendo-se em po-
sição, tracionados pelos músculos adutor e flexor curto do hálux
d) a lesão por estiramento do ligamento intermetatarsal entre o 1º e
2º metatarsais é fundamental para a progressão da deformidade

675. Sobre as deformidades dos dedos menores do pé, assinale a alter-


nativa correta
a) são mais comuns no 3º raio
b) a principal deformidade ocorre na articulação metatarsofalangeana
e o principal agente deformante é o flexor longo dos dedos
c) a calosidade por sobrecarga secundária à deformidade é mais co-
mum na região plantar das metatarsofalangeanas
d) os dedos em garra estão mais associados a patologias neuromus-
culares e os dedos em martelo, ao desbalanço dos intrínsecos

676. Em relação às roturas do tendão calcâneo, assinale a alternativa


correta
a) a rotura geralmente se dá na região de hipovascularização localiza-
da na porção peri-insercional do tendão, na tuberosidade posterior
do osso calcâneo
b) lesões ocorrem na dorsiflexão forçada contra resistência, não ocor-
rendo por mecanismos de flexão plantar
c) o teste de Thompsom é o mais sensível e o mais específico para o
diagnóstico clínico da lesão
d) atualmente o nível de recomendação para o tratamento cirúrgico
em pacientes jovens é alto, tornando-se, assim, o tratamento pa-
drão-ouro nesses pacientes

Book-Perguntas.indb 5 10/31/11 3:17:56 PM


146 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

677. Em relação à epidemiologia e às indicações para o tratamento ci-


rúrgico das fraturas maleolares do tornozelo do adulto, assinale a
alternativa correta
a) o número de casos vem aumentando estatisticamente, principal-
mente na população idosa
b) o encurtamento da fíbula, apesar de ser avaliado na prática clínica,
não é considerado fator de instabilidade para indicação cirúrgica
c) a incidência radiográfica anteroposterior com estresse em rotação
externa é fundamental para o diagnóstico da lesão da sindesmose,
que representa fator de instabilidade da fratura
d) as fraturas do maléolo medial com fragmentos maiores que 2,8 cm
são consideradas muito instáveis e devem ser tratadas cirurgicamen-
te, a despeito do desvio apresentado

678. Sobre a epidemiologia da deformidade congênita em pé talo ver-


tical, assinale a alternativa incorreta
a) 90% dos casos estão associados a síndromes genéticas que envol-
vem diversos sistemas do organismo do paciente
b) não existe predominância por sexo (50% dos casos em meninos e
50% dos casos em meninas)
c) é deformidade unilateral em 50% dos casos
d) representa deformidade muito rara, de incidência desconhecida

679. Em relação ao pé plano na faixa etária infantil e suas causas, assi-


nale a alternativa incorreta
a) Nos casos de pé plano flexível doloroso, frequentemente o encur-
tamento do tendão calcâneo está associado à gênese da algia
b) A maioria das coalizões tarsais é sintomática, principalmente na fase
de ossificação da junção cartilaginosa entre os ossos acometidos
c) A presença do osso navicular acessório é mais comum em meninas
e representa o osso acessório mais frequentemente presente no pé
d) O principal diagnóstico diferencial da deformidade em pé talo ver-
tical é o pé calcaneovalgo posicional

680. Em relação à deformidade em pé cavo varo adquirido, assinale a


alternativa incorreta
a) na deformidade secundária à poliomielite, geralmente o músculo
tibial anterior possui força muscular normal, com gastrocnêmio en-
fraquecido

Book-Perguntas.indb 6 10/31/11 3:17:56 PM


Seção 11 – Tornozelo e pé 147

b) a doença neurológica de Charot-Marie-Tooth é duas vezes mais co-


mum em homens, porém, costuma ser mais intensa nas mulheres
c) em mais de 50% dos casos a etiologia não é diagnosticada
d) o procedimento de Gould para o tratamento cirúrgico do cavo do
antepé consiste de osteotomia extensora da base dos metatarsos
associada à liberação plantar de partes moles

681. Sobre a síndrome do túnel posterior do tarso, assinale a alternati-


va correta
a) a liberação cirúrgica do ligamento lancinado costuma ter grande
eficácia clínica na melhora dos sintomas neurológicos
b) a realização do exame de eletroneuromiografia do membro inferior
acometido é fundamental para o diagnóstico e o grau de acometi-
mento no exame é prognóstico para o paciente
c) a fasceíte plantar não é considerada diagnóstico diferencial da sín-
drome
d) o acometimento preferencial da muscultura abdutora do hálux e
abdutora do 5º pododáctilo na eletroneuromiografia é grande in-
dicativo diagnóstico

682. Na neuropatia de Morton, assinale a alternativa correta


a) ocorre mais comumente no 3º e 4º espaços intermetatarsais
b) geralmente a neuropatia ocorre nos nervos digitais comuns com
origem no nervo plantar lateral
c) neuropatia raramente ocorre em espaços intermetatarsais contí-
guos
d) a melhora clínica do paciente tratado com infiltração anestésica do
nervo interdigital comum acometido não prediz sucesso com o
tratamento cirúrgico

683. Com relação à deformidade em pé torto congênito, assinale a cor-


reta
a) minoria dos pacientes tratados precoce e adequadamente com ma-
nipulações e técnica de Ponseti necessita de tenotomia percutânea
do Aquiles
b) trata-se de patologia 2 vezes mais comuns em meninos, sendo bi-
lateral em 50% dos casos
c) não há componente genético comprovadamente associado com o
desenvolvimento da patologia

Book-Perguntas.indb 7 10/31/11 3:17:56 PM


148 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

d) os pés tortos congênitos artrogripóticos não respondem ao trata-


mento com manipulações e gessos seriados e, por isso, estes nem
devem ser utilizados

684. Sobre o pé metatarso aduto, assinale a alternativa incorreta


a) trata-se de patologia congênita rara, ocorrendo em 1 paciente para
cada 100.000 nascidos vivos
b) a classificação de Bleck considera a intensidade clínica do varismo
dos metatarsais e o grau de flexibilidade da deformidade
c) a patologia possui história natural favorável, com normalização clí-
nica durante desenvolvimento musculoesquelético da criança em
até 85% dos casos
d) não se indica utilização da órtese de Dennis-Browne para essa pa-
tologia

685. Em relação ao tratamento da lesão osteocondral do tálus, assinale


a alternativa correta
a) não se indica infiltração anestésica intra-articular do tornozelo para
esse tipo de patologia, devido à sua baixa eficácia analgésica
b) tomografia computadorizada do tornozelo acometido raramente
acrescenta dados pré-operatórios quando ressonância magnética já
foi realizada
c) o tratamento conservador raramente é suficiente, principalmente
nas lesões maiores que 1 cm
d) uma vez optado pelo tratamento cirúrgico, nas lesões maiores que
1 cm considerar reconstrução primária do defeito

686. Sobre a tendinite insercional do tendão calcâneo, bursite calcânea


e exostose de Haglund, assinale a alternativa correta
a) a bursa retrocalcânea separa o tendão da pele e está presente em
99% das pessoas
b) a tendinite insercional do tendão calcâneo só ocorre na presença
associada da deformidade de Haglund
c) deformidade de Haglund é mais comum em mulheres, na faixa
etária entre 20 e 30 anos
d) caso a opção seja pelo tratamento cirúrgico, o desbridamento da
inserção do tendão pode ser realizado com segurança liberando-se
até 70% da extensão da inserção do tendão na tuberosidade do
calcâneo

Book-Perguntas.indb 8 10/31/11 3:17:57 PM


Seção 11 – Tornozelo e pé 149

687. Sobre a anatomia do tendão calcâneo e suas patologias não inser-


cionais, assinale a alternativa incorreta
a) as fibras do tendão calcâneo sofrem rotação interna de 90° antes
de se inserirem na tuberosidade posterior do calcâneo
b) existe uma área de hipovascularização do tendão calcâneo onde
geralmente ocorre a tendinose, e ela se encontra 2-6 cm próximo
à sua inserção
c) a tendinose do tendão calcâneo pode estar associada a um meca-
nismo de hipersupinação do pé durante a marcha
d) a tendinose pura do tendão calcâneo se apresenta como massa
posterior na perna com poucos sintomas álgicos

688. Sobre a anatomia e as patologias dos tendões fibulares, assinale a


alternativa correta
a) as roturas longitudinais do fibular longo são causadas geralmente
por eventos agudos como traumas esportivos e traumas diretos
b) pés planos valgos estão classicamente associados a uma maior in-
cidência de tendinopatia dos fibulares
c) o peroneum se encontra, quando presente, na substância peri-inser-
cional do fibular curto e pode ser confundido com uma fratura
aguda/subaguda da base do 5º metatarsal
d) as roturas do tendão fibular curto geralmente ocorrem em área de
hipovascularização do tendão, que se localiza na região retromaleo-
lar lateral

689. Em relação à utilização dos procedimentos artroscópicos na cirur-


gia do pé e tornozelo, assinale a incorreta
a) as únicas contraindicações absolutas são infecção ativa e osteoar-
trose avançada da articulação do tornozelo
b) a utilização de aparelhos para distração articular do tornozelo é
essencial para a realização de procedimentos na artroscopia anterior
do tornozelo
c) na artroscopia anterior do tornozelo, o portal anteromedial é sem-
pre o primeiro a ser realizado
d) na artroscopia posterior do tornozelo o portal utilizado é o poste-
rolateral, realizado na borda lateral do tendão calcâneo, superior à
linha entre a ponta do maléolo lateral e o tendão calcâneo, parale-
lo à planta do pé

Book-Perguntas.indb 9 10/31/11 3:17:57 PM


150 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

690. Em relação à metatarsalgia e às calosidades plantares, assinale a


alternativa correta:
a) metatarsalgia é definida como qualquer dor plantar sob a cabeça
do 1º ao 5º metatarsais
b) metatarsalgia ocorre isoladamente na parte final da fase de apoio,
durante desprendimento dos dedos
c) discrepância do comprimento e flexão plantar excessiva dos meta-
tarsos, assim como insuficiência do 1º raio, representam causas
primárias de metatarsalgia
d) desbridamento das calosidades plantares sob as cabeças dos meta-
tarsos acometidos é boa opção de tratamento a longo prazo

691. Sobre a fasceíte plantar, assinale a alternativa correta


a) é patologia bilateral na maioria dos casos, com pico de incidência
entre 40-60 anos de idade
b) avaliação anatomopatológica da porção fascial acometida demons-
tra infiltrado inflamatório franco
c) neuropatia compressiva do 1º ramo do nervo plantar lateral é diag-
nóstico diferencial
d) a presença da exostose plantar ou “esporão” na radiografia, em
associação à dor plantar medial no calcanhar, fecha o diagnóstico

692. Sobre o pé plano valgo adquirido do adulto, secundário à tendino-


patia do tendão tibial posterior, assinale a alternativa incorreta
a) a tendinopatia do tibial posterior ocorre mais comumente na região
posterior ao maléolo medial e logo distal a ele
b) trata-se de patologia mais frequente no sexo feminino, com pico
de incidência aos 55 anos de idade
c) manutenção da sintomatologia dolorosa após 3 meses de tratamen-
to conservador constitui indicação cirúrgica
d) a queixa de dor na região lateral do tornozelo é precoce e ocorre
por inflamação da gordura no seio do tarso

693. Em relação ao hálux rígido, assinale a alternativa incorreta


a) representa a forma clínica tardia de uma osteoartrose da 1ª meta-
tarsofalangeana
b) também é chamado de hálux flexus devido à deformidade em fle-
xão da articulação metatarsofalangeana
c) traumatismo agudo ou microtraumatismos de repetição da cartila-
gem da cabeça do 1º metatarso são prováveis causas da patologia
d) apresenta três graus clínicos progressivos de evolução

Book-Perguntas.indb 10 10/31/11 3:17:57 PM


Seção 11 – Tornozelo e pé 151

694. Sobre o hálux varo adquirido, assinale a alternativa correta


a) ressecção do sesamoide medial pode representar uma de suas causas
b) raramente é sintomático para o paciente quando a deformidade é
menor que 10-15°
c) hipocorreção do ângulo entre 1º e 2º metatarsal pode favorecer a
deformidade
d) deformidade em intrínseco minus não está associada a essa pato-
logia

695. Em relação à síndrome compartimental crônica da perna, assinale


a alternativa correta
a) ocorre mais comumente em idosos que praticam atividades físicas
com frequência
b) dor no compartimento afetado se inicia classicamente após 5 mi-
nutos do início do exercício
c) o tratamento na maioria dos casos é cirúrgico, com liberação do
compartimento afetado
d) a maioria dos casos é unilateral

696. Em relação às entorses e lesões ligamentares do tornozelo, assina-


le a alternativa incorreta
a) lesões ligamentares laterais representam 85% dos casos das entor-
ses de tornozelo
b) o ligamento fibulocalcâneo é lesado em mais de 50% dos casos dos
entorses com lesão lateral
c) a integridade do ligamento fibulotalar anterior é testada clinicamente
pela manobra de gaveta anterior, com tornozelo em posição neutra
d) as lesões agudas laterais grau 3 são de tratamento eminentemente
cirúrgico

697. Sobre a artropatia de Charcot no pé diabético, assinale a alterna-


tiva correta
a) o número de casos vem aumentando e atualmente 15% dos pacien-
tes diabéticos apresentam alterações radiográficas de artropatia
b) nos pacientes com diabetes tipo 2 as alterações costumam ocorrer
após menor tempo de doença quando comparados aos pacientes
com diabetes tipo 1
c) durante a fase ativa da artropatia ocorrem edema e calor local no
pé, porém, não há dor devido à neuropatia sensitiva do paciente
d) o local mais comum de ocorrência da artropatia no pé é a articula-
ção de Chopard

Book-Perguntas.indb 11 10/31/11 3:17:57 PM


152 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

698. Sobre as alterações do pé e tornozelo no paciente com artrite


reumatoide, assinale a alternativa incorreta
a) apesar de alterações e deformidades nos pés serem frequentes, a
maioria dos casos é assintomática
b) no retropé, a deformidade mais comum é o valgo
c) a deformidade isolada em martelo dos dedos, sem acometimento
da articulação metatarsofalangeana, é rara
d) o local mais acometido pela doença é o antepé, mais precisamente
as articulações metatarsofalangeanas

699. Em relação à polidactilia no membro inferior, assinale a alternativa


correta
a) é mais comum em negros do sexo feminino
b) a maioria dos casos é unilateral
c) a maioria dos casos está associada a síndromes genéticas
d) as polidactilias pós-axiais são as mais comuns

700. Sobre as alterações do pé diabético, assinale a correta


a) a classificação de Wagner tipo 1 representa um pé insensível “em
risco”, sem úlceras, porém, com deformidades.
b) o tipo 4, na classificação de Brodsky, representa úlcera com expo-
sição óssea e osteomielite
c) valor de índice tornozelo-braquial > 0,6 dá bom prognóstico para
fechamento de úlceras ou feridas operatórias
d) aferição da pressão absoluta no nível do tornozelo seria a maneira
clínica mais sensível de se diagnosticar arteriopatia periférica

701. Sobre a deformidade em bunionete do 5º pododáctilo, assinale a


alternativa correta
a) angulação intermetatarsal entre 4º e 5º metatarsos maior que 8° é
considerada alterada
b) na classificação de Coughlin o tipo 3 representa a artrose da 5ª
metatarsofalangeana
c) a maioria dos casos sintomáticos necessita de tratamento cirúrgico
d) a associação com pé plano-valgo não é tão frequente como na
deformidade em hálux valgo

702. Sobre as lesões sindesmóticas do tornozelo, assinale a alternativa


correta
a) lesões isoladas completas dos ligamentos da sindesmose levam a
instabilidade tibiotalar

Book-Perguntas.indb 12 10/31/11 3:17:57 PM


Seção 11 – Tornozelo e pé 153

b) o mecanismo de trauma clássico para a lesão da sindesmose é a


inversão brusca do tornozelo
c) a avaliação do espaço claro medial na radiografia do tornozelo é o
melhor parâmetro radiográfico para o diagnóstico da lesão
d) a avaliação radiográfica da sindesmose pelo espaço claro tibiofibu-
lar e do overlap tibiofibular deve ser realizado 1 cm proximalmente
à linha articular

703. Sobre as osteonecroses do pé, assinale a alternativa incorreta


a) osteonecroses do tálus na maioria dos casos são pós-traumáticas,
principalmente nas fraturas do colo e corpo com grande desvio e
cominuição
b) a osteonecrose idiopática do navicular na criança é conhecida como
doença de Kohler
c) a osteonecrose do 1º metatarsal é mais comum na cabeça do me-
tatarso e sua principal causa é iatrogênica
d) A osteonecrose de Freiberg ocorre mais comumente no 2º meta-
tarsal de mulheres de meia idade

704. Sobre a anatomia fisária do tornozelo e a fratura triplanar do tor-


nozelo da criança, assinale a alternativa correta
a) Fratura raramente ocorre antes dos 10 anos de idade
b) Fratura é mais comum em meninas, por trauma em eversão do
tornozelo
c) O fechamento fisário da tíbia distal é assimétrico e se inicia lateral-
mente
d) Os traumas de alta energia são responsáveis pela maioria das fraturas

705. Sobre as patologias do complexo sesamoideo do hálux, assinale a


alternativa correta
a) sesamoidite representa termo genérico, sendo utilizado para carac-
terizar dor na região plantar ao nível dos sesamóides, tendo como
causa principal as artrites inflamatórias
b) a fratura aguda do sesamoide é mais comum no sesamoide tibial,
geralmente por trauma em dorsiflexão da metatarsofalangeana
c) fraturas de estresse dos sesamoides estão entre as causas mais raras,
sendo mais comuns no sesamoide fibular
d) sesamoidectomia é o tratamento padrão para as patologias por se
tratar de procedimento resolutivo e ausente de complicações

Book-Perguntas.indb 13 10/31/11 3:17:57 PM


154 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

706. Sobre as manobras e testes clínicos no exame físico do pé e torno-


zelo, assinale a alternativa incorreta
a) o teste de Pillings representa um dos testes possíveis para avaliação
das lesões da sindesmose tibiofibular distal
b) o teste de Jack consiste na dorsiflexão passiva da articulação meta-
tarsofalangeana do hálux em posição ortostática, avaliando-se o
grau de elevação do arco longitudinal do pé
c) no teste de Kelikian-Ducroquet avalia-se a flexibilidade da deformi-
dade em garra dos dedos com carga simulada no antepé
d) o Sinal de Mulder é considerado positivo quando existe dor à pal-
pação plantar no 3º espaço intermetatarsal

707. Sobre o impacto tibiotalar assinale a alternativa correta


a) trata-se de patologia mais comum na população idosa por presen-
ça de exostoses degenerativas
b) impacto posterior do tornozelo está frequentemente associado à
presença do os trigonum no processo posteromedial do tálus
c) na classificação de Scranton-Mc Dermott para impacto anterior, o
tipo 1 representa o impacto sinovial
d) no impacto anterior, a formação de osteófitos ocorre precocemen-
te no tálus em relação à tíbia

708. Sobre a osteocondrite dissecante do tálus, assinale a alternativa


correta
a) são mais comuns na região medial do tálus
b) lesões mediais possuem mecanismo de trauma em inversão e dor-
siflexão
c) na classificação de Berndt-Harty, o fragmento osteocondral em cor-
po livre articular representa o estágio 3 da lesão
d) lesões laterais são geralmente mais profundas que as mediais

709. Sobre as fraturas do pilão tibial assinale a alternativa correta


a) na classificação AO apenas os tipos 4.3 B3, C1, C2 e C3 são consi-
deradas realmente fraturas do pilão tibial
b) estas fraturas raramente são fraturas expostas
c) a classificação de Ruedi-Algowers apresenta 4 tipos clínicos progres-
sivos em gravidade
d) a presença de lesão de partes moles associada é rara, mas, quando
ocorre, é grave e dificulta o tratamento

Book-Perguntas.indb 14 10/31/11 3:17:57 PM


Seção 11 – Tornozelo e pé 155

710. A radiografia descrita por Canale e Kelly, para avaliar a fratura do


colo do tálus, é feita com inclinação da ampola de R-X em relação
ao solo de
a) 75 graus cranial e 15 graus de pronacão do pé
b) 75 graus cranial e 15 graus de supinação do pé
c) 75 graus caudal e 15 graus de pronacão do pé
d) 75 graus caudal e 15 graus de supinação do pé

711. A complicação mais comum associada a fraturas desviadas do colo


do talus é
a) pseudoartrose
b) infecção
c) consolidação viciosa
d) osteonecrose do corpo do talus

712. O nome e o valor dentro dos limites normais do ângulo tuberosi-


tário posterior utilizado na radiografia de perfil do pé, para avaliar
a perda da altura do calcâneo fraturado, respectivamente, são
a) Gissane, 25 – 40 graus
b) Gissane, 90 – 110 graus
c) Böhler , 25 – 40 graus
d) Böhler , 90 – 110 graus

713. Nas fraturas do tubérculo do navicular, a força de tração é exercida


pelo tendão do músculo
a) tibial anterior
b) fibular longo
c) extensor curto dos dedos
d) tibial posterior

714. Referente à articulação de Lisfranc é correto afirmar que


a) os ligamentos dorsais são mais resistentes que os ligamentos plan-
tares
b) o ligamento de Lisfranc constitui a única sustentação ligamentar en-
tre a perna medial e os elementos intermédio e lateral do antepé
c) o ligamento de Lisfranc origina-se no primeiro metatarso e une-se
ao cuneiforme intermédio
d) dois ligamentos fazem a conexão interligamentar entre o primeiro
e segundo metatarsal

Book-Perguntas.indb 15 10/31/11 3:17:57 PM


156 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

715. Segundo Wagner, a úlcera no antepé, profunda, com exposição


óssea e osteomielite, é classificada como grau
a) I
b) II
c) III
d) IV

716. Em relação às fraturas da base do 5o. osso metatarsal é verdadeiro


afirmar que
a) as lesões da zona I geralmente são causadas por trauma direto
b) o tendão fibular curto é o principal responsável pela fratura tipo
avulsão
c) fratura na zona III tem o período de consolidação mais longo
d) lesões na zona II são causadas por adução do antepé e localizadas
na junção metadiafisária

717. No pé plano adquirido do adulto encontramos


a) no estágio I, existe reação inflamatória e ocorre colapso do arco
medial
b) no estágio II, ocorre a perda da função do tendão tibial posterior,
porém, o retropé é flexível
c) no estágio III, o retropé está rígido em varo e podem ocorrer alte-
rações degenerativas
d) incapacidade de sustentação monopodal no antepé ocorre desde
os estágios iniciais da doença

718. Segundo o estadiamento de Eichenholz para a artropatia de Charcot,


as presenças de edema, eritema e calor associados e não tão inten-
sos, radiografias com coalescência de pequenos fragmentos de fra-
tura e absorção de finos detritos ósseos, correspondem ao estágio
a) zero
b) I
c) II
d) III

719. Em relação à coalizão tarsal, é incorreto


a) o principal sintoma é dor e inicia-se geralmente na adolescência
b) são características do quadro clínico um pé plano com rigidez sub-
talar

Book-Perguntas.indb 16 10/31/11 3:17:57 PM


Seção 11 – Tornozelo e pé 157

c) tomografia computadorizada é o melhor exame para o diagnóstico


d) a incidência de Harris identifica coalizão calcâneo navicular

720. No tratamento conservador do Pé Torto Congênito pelo método


de Ponseti
a) o varismo e a inversão do retropé são corrigidos a partir da abdução
do antepé
b) o equino geralmente é corrigido com a tenotomia do Aquiles e o
objetivo é conseguir 30° de dorsiflexão com o procedimento
c) o tratamento inicia-se pela correção da adução
d) a correção do cavo é obtida realizando-se abdução do antepé

721. No hálux valgo do adulto, a seguinte afirmação é correta


a) o valgismo acentuado da articulação metatarsofalângica leva à su-
pinação do hálux
b) a cabeça do 1º metatarso desvia-se medialmente em relação aos
sesamoides
c) o valor normal aceitável para angulação metatarsofalângica no ha-
lux valgo é de até 20º
d) o tendão abdutor do hálux desvia-se dorsalmente com a progressão
da deformidade

722. Referente ao processo degenerativo do hálux rígido, é correto afir-


mar que ele ocorre
a) na região dorsal da base da falange proximal do hálux
b) na região plantar da cabeça do 1º metatarsal
c) na região plantar e proximal da falange proximal do hálux
d) na região dorsal da cabeça do 1º metatarsal

723. Referente ao pé reumatoide é correto afirmar


a) as deformidades do retropé levam à deformidade geralmente em
cavo e varo
b) o tratamento de escolha para o hálux valgo reumatoide é a técnica
de Chevron associada à osteotomia de Akin
c) o antepé é mais acometido e sofre deformidades mais graves e in-
capacitantes em comparação o retropé
d) a articulação mais acometida do retropé na artrite reumatoide é a
talonavicular

Book-Perguntas.indb 17 10/31/11 3:17:57 PM


158 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

724. Constituem o espectro do hálux valgo


a) varo do primeiro metatarsal, valgo do hálux, artrose da 1ª MF e
dedos em martelo
b) valgo do primeiro metatarsal, valgo do hálux, artrose da 1ª MF e
dedos em garra
c) varo do primeiro metatarsal, varo do hálux, artrose da 1ª MTT em
cunha e dedo em martelo
d) valgo do primeiro matatarsal, varo do hálux, artrose da 1ª MTT em
cunha e dedo em garra

Book-Perguntas.indb 18 10/31/11 3:17:57 PM


SEÇÃO 12
Trauma
Coordenador: Maurício Kfuri Junior

725. Na luxação do tendão da cabeça longa do bíceps braquial do tipo


4, de Bennett, a estrutura rompida é
a) tendão do subescapular
b) tendão do infraespinal
c) cabeça medial do ligamento coracoumeral
d) cabeça lateral do ligamento coracoumeral

726. Na lesão do ligamento deltoide, associada à lesão da sindesmose


tibiofibular, o tálus desloca-se
a) lateralmente, na manobra de estresse em eversão
b) medialmente, na manobra de estresse em inversão
c) anteriormente, na manobra de gaveta anterior
d) posteriormente, na manobra de gaveta posterior

727. A ruptura do mecanismo extensor do joelho é mais frequentemen-


te associada à luxação traumática
a) anterior
b) posterior
c) posteromedial
d) posterolateral

728. O exame de imagem “padrão ouro” para o diagnóstico da fratura


oculta do escafoide é a
a) radiografia simples

Book-Perguntas.indb 1 10/31/11 3:17:57 PM


160 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

b) ultrassonografia
c) tomografia computadorizada
d) ressonância magnética

729. Entre as fraturas abaixo, a de melhor indicação para o tratamento


com fios de Kirschner percutâneos é a do tipo AO 23
a) B3
b) C1
c) C2
d) C3

730. Segundo a teoria da instabilidade perilunar progressiva de


Mayfield, a luxação do semilunar em relação ao rádio ocorre no
estágio
a) I
b) II
c) III
d) IV

731. A principal estrutura que impede a redução da luxação metacar-


pofalângica do indicador é
a) o ligamento transverso superficial
b) o músculo lumbrical
c) a placa volar
d) o tendão flexor profundo

732. Comparado ao enxerto de pele total, o enxerto parcial


a) tem integração mais difícil
b) é mais maleável após a cicatrização
c) tem maior tendência à retração
d) deixa maior sequela na área doadora

733. Na reparação tendinosa da mão, o método mais bem indicado


para sutura de tendões flexores de diâmetros diferentes é o de
a) Bunnell
b) Kleinnert
c) Pulvertaft
d) Tajima

Book-Perguntas.indb 2 10/31/11 3:17:57 PM


Seção 12 – Trauma 161

734. Após a reparação de uma lesão nervosa, a primeira percepção sen-


sorial que retorna é
a) a dor
b) o estímulo vibratório
c) o toque estático
d) o toque em movimento

735. Na lesão de Galeazzi, o achado radiográfico que sugere ruptura da


articulação radioulnar distal é
a) fratura da ponta do processo estiloide da ulna
b) sobreposição da ulna distal com o rádio na incidência anteroposte-
rior
c) encurtamento do rádio maior que 5 mm na incidência anteropos-
terior
d) o desvio angular da diáfise do rádio na incidência em perfil

736. A complicação mais grave da via de acesso transoral para a coluna


cervical é
a) infecção da ferida operatória
b) lesão da traqueia
c) lesão do 12º nervo craniano
d) edema retrofaríngeo

737. A fratura do tornozelo, em que frequentemente há cominuição da


fíbula, segundo Lauge-Hansen, é a do tipo
a) supinação/rotação externa
b) supinação/adução
c) pronação/rotação externa
d) pronação/abdução

738. Na luxação do carpo no estágio IV de Mayfield, a manobra de re-


dução consiste em
a) extensão do punho e compressão do capitato no sentido dorsal
b) flexão do punho e compressão do capitato no sentido ventral
c) extensão do punho, compressão do semilunar para dorsal e flexão
do punho
d) flexão do punho, compressão do semilunar para ventral e extensão
do punho

Book-Perguntas.indb 3 10/31/11 3:17:57 PM


162 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

739. Na dissecção do retalho interósseo posterior, o pedículo localiza-se


no septo entre os músculos
a) extensor radial longo do carpo e extensor radial curto do carpo.
b) extensor radial curto do carpo e extensor dos dedos.
c) extensor dos dedos e extensor do dedo mínimo.
d) extensor do dedo mínimo e extensor ulnar do carpo.

740. Na fratura do maléolo lateral, a radiografia sob estresse para de-


tecção de lesão do ligamento deltoide deve ser realizada em
a) pronação e rotação lateral
b) pronação e rotação medial
c) supinação e rotação medial
d) supinação e rotação lateral

741. Na artrose decorrente de fratura-luxação da base do V metacarpal,


o tratamento recomendado é a
a) tenotomia do extensor ulnar do carpo
b) ressecção do hâmulo do hamato
c) ressecção da base do V metacarpal
d) artrodese carpometacarpal

742. O acesso cirúrgico ao escafoide, pela técnica de Matti-Russe, se


faz
a) lateralmente à artéria radial
b) entre a artéria radial e o tendão do flexor radial do carpo
c) entre o tendão do flexor radial do carpo e o nervo mediano
d) entre o nervo mediano e o tendão do palmar longo

743. Na montagem de um fixador externo, a principal medida para a


obtenção de pré-tensionamento radial é
a) o emprego de pinos autoperfurantes
b) a realização de orifício ósseo com uma broca de menor diâmetro
c) a utilização de pinos com diâmetro superior a 30% da largura óssea
d) a colocação dos pinos de forma convergente nos fragmentos ósseos

744. No ombro do arremessador, o mecanismo de peel-back explica a


formação de qual das patologias?
a) lesão parcial do manguito
b) lesão total do manguito

Book-Perguntas.indb 4 10/31/11 3:17:58 PM


Seção 12 – Trauma 163

c) SLAP
d) instabilidade posterior

745. Qual dessas alterações frequentemente é observada no exame fí-


sico do ombro em atletas arremessadores?
a) aumento da rotação interna
b) diminuição da rotação externa
c) diminuição da rotação interna
d) perda da adução

746. O impacto interno observado com frequência em atletas arremes-


sadores ocorre entre
a) o tubérculo maior e o acrômio
b) o tendão do subescapular e o processo coracoide
c) a porção posterior do manguito rotador e a borda posterossuperior
da glenoide
d) a porção posterossuperior da cabeça umeral e a borda anteroinferior
da glenoide

747. São sinais que estão associados à lesão do ligamento cruzado an-
terior pela ressonância magnética, exceto
a) fratura de Segond
b) tríade de O’Donoghue’s
c) diminuição da intensidade do sinal da margem anterior do liga-
mento cruzado anterior
d) contusão do côndilo femoral lateral em região de carga

748. São fatores predisponentes da lesão do ligamento cruzado anterior


a) sexo feminino
b) estreitamento da chanfradura intercondilar
c) aumento do slope tibial
d) todas as anteriores

749. O impingement causado na reconstrução do ligamento cruzado an-


terior é devido a
a) colocação do túnel tibial mais anteriorizado
b) colocação do túnel femoral mais anteriorizado
c) reconstrução do LCA precocemente
d) artrose do joelho prévia

Book-Perguntas.indb 5 10/31/11 3:17:58 PM


164 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

750. O mecanismo de lesão do ligamento cruzado posterior mais co-


mum é
a) entorse com mecanismo em valgo e rotação externa
b) trauma antetior e proximal da tíbia com impacto contra o painel
c) trauma posterior do joelho em hiperextensão
d) entorse com mecanismo em varo e rotação interna

751. Com relação à anatomia e biomecânica do ligamento cruzado pos-


terior, é incorreto afirmar que
a) o LCP é restritor primário da translação posterior em 90 graus
b) o LCP é restritor secundário da rotação externa
c) o LCP pode ter uma laxidão fisiológica de 3 mm
d) o feixe mais resistente às forças de translação posterior é o antero-
medial

752. Qual é o tratamento mais adequado nas lesões do LCP grau II e


isolado?
a) tratamento conservador com imobilização em extensão
b) tratamento cirúrgico, videoartroscopia para desbridamento da lesão
c) tratamento cirúrgico, videoartroscopia para reconstrução ligamen-
tar do LCP
d) tratamento cirúrgico, técnica inlay

753. O teste de Yergason avalia qual tendão?


a) Supraespinal
b) Bíceps braquial
c) Subescapular
d) Infraspinal

754. Segundo Bigliani, qual é o tipo de acrômio que está mais frequen-
temente associado à lesão do manguito rotador?
a) I
b) II
c) III
d) IV

755. O impacto posterointerno, descrito por Walch, ocorre entre


a) manguito rotador e região posterosuperior da glenoide
b) manguito rotador e região posteroinferior da glenoide

Book-Perguntas.indb 6 10/31/11 3:17:58 PM


Seção 12 – Trauma 165

c) subescapular e processo coracoide


d) manguito rotador e arco coracoacromial

756. Qual é o tratamento inicial para tendinopatia do manguito rotador


causada por impacto?
a) acromioplastia artroscópica
b) acromioplastia aberta
c) fisioterapia e analgesia
d) observação

757. A classificação de Goutallier para lesão do manguito rotador ba-


seia-se em
a) tamanho da lesão
b) degeneração gordurosa do músculo
c) número de tendões acometidos
d) lesão total e parcial

758. Qual das alternativas a seguir é uma contraindicação relativa para


reparo do manguito rotador?
a) paciente idoso (> 60 anos)
b) atletas
c) lesão de três tendões do manguito rotador
d) Capsulite adesiva associada

759. Há correlação inadequada quanto à fratura por estresse nos mem-


bros superiores na prática de
a) Beisebol, úmero diáfise proximal em adolescentes
b) Tênis, metacarpo
c) Natação, avulsão do olécrano
d) Musculação, acrômio-clavicular

760. Qual é a etiologia das fraturas por estresse?


a) desbalanço entre a osteogênese e a osteoclasia
b) carga anormal aplicada sobre um osso normal
c) carga normal aplicada sobre um osso anormal
d) todas estão corretas

761. Na tríade da mulher atleta, quais são os efeitos da amenorreia no


metabolismo ósseo?
a) perda óssea prematura

Book-Perguntas.indb 7 10/31/11 3:17:58 PM


166 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

b) mineralização pobre do osteoide


c) maior suscetibilidade a fraturas por estresse
d) todas estão corretas

762. As fraturas de estresse de alto risco são caracterizadas por


a) história natural favorável
b) localização nas áreas de compressão óssea
c) boa resposta às mudanças de atividade
d) Nenhuma está correta

763. No tratamento cirúrgico da fratura do planalto tibial, o controle


radiográfico peroperatório na incidência em perfil deve mostrar
a) a linha do planalto lateral convexa e a do medial côncava
b) a linha do planalto lateral côncava e a do medial convexa
c) ambas as linhas dos planaltos convexas
d) ambas as linhas dos planaltos côncavas

764. No exame físico da epicondilite lateral do cotovelo, incluem-se


manobras de
a) Neer e Jobe
b) Cozen e Mill
c) Phalen e Yergason
d) Hawkins e Cozen

765. O tratamento conservador da epicondilite lateral do cotovelo, com


um mês de evolução, inclui todas as alternativas, exceto
a) repouso e fisioterapia analgésica
b) plasma rico em plaquetas
c) repouso, infiltração
d) fisioterapia com treino excêntrico

766. Na osteocondrite dissecante do cotovelo, os procedimentos cirúr-


gicos artroscópicos não incluem, dentre as alternativas, apenas
a) drilling ou microfratura
b) debridamento do fragmento
c) excisão do fragmento
d) ressecção da cabeça do rádio

767. Nas fraturas da diáfise do metacarpo, pode-se aceitar todos os


desvios angulares descritos a seguir, exceto o desvio de
a) 30 graus no quinto metacarpo

Book-Perguntas.indb 8 10/31/11 3:17:58 PM


Seção 12 – Trauma 167

b) 20 graus no quarto metacarpo


c) 10 graus segundo metacarpo
d) 30 graus no segundo metacarpo

768. Dentre as alternativas a seguir, apenas está incorreta aquela que


afirma que as lesões musculares do quadríceps grau III
a) só melhoram com PRP
b) têm como tratamento repouso, analgésicos e fisioterapia
c) apresentam lesão maior que 50% do volume do músculo
d) são mais comuns no futebol e no atletismo

769. É incorreto afirmar que, na fase aguda, as lesões do músculo pei-


toral maior nos atletas
a) apresentam perda do contorno axilar e hematoma intenso ao exa-
me físico
b) acometem mulheres praticantes de boxe
c) acometem homens que fazem uso de anabolizantes
d) ocorrem principalmente em virtude dos exercícios de supino

770. Em caso de luxações recidivantes do ombro em atletas, deve-se


realizar
a) reparo artroscópico, caso não haja lesão de Bankart óssea > 25%
b) cirurgia de Bristow, sempre em atletas
c) capsuloplastia de Neer, pois é a única opção de tratamento
d) reparo artroscópico somente no ombro dominante

771. Na tendinose, as características histológicas e clínicas das lesões


tendíneas não envolvem
a) degeneração intratendínea secundária a atrofia do tendão
b) degeneração não inflamatória das fibras colágenas
c) células e líquidos inflamatórios no paratendão
d) nódulo tendão palpável, doloroso ou não

772. Na predisposição das lesões esportivas, existem fatores internos


relacionados aos riscos dessas lesões, são eles:
a) idade, sexo, composição corporal, história prévia de lesões, condi-
cionamento físico, formação anatômica do órgão, nível de habili-
dade
b) equipamentos de segurança (caneleira, capacete, etc), condições
climáticas

Book-Perguntas.indb 9 10/31/11 3:17:58 PM


168 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) equipamentos esportivos (calçados, piso esportivo etc.), arbi-


tragem
d) Nenhuma está correta

773. Trabalhos científicos recentes mostram que programas de aqueci-


mento prévios à participação esportiva reduzem cerca de 50% dos
riscos de lesão. Quais são os benefícios do aquecimento na preven-
ção de lesões esportivas?
a) aumento do fluxo sanguíneo para os músculos e da liberação de O2
para os tecidos
b) aumento da circulação sanguínea, do metabolismo celular e da
velocidade dos estímulos elétricos nervosos
c) aumento do relaxamento e concentração do atleta, melhora da
resposta vascular com o aumento de carga de exercício
d) todas estão corretas

774. A atuação do traumatologista esportivo na prevenção de lesões,


em uma agremiação esportiva, deve focar-se nos mecanismos de
lesão, bem como nas medidas para prevení-las. Alguns momentos
de uma competição apresentam mais riscos de lesões, nos quais é
essencial que o médico exerça uma atuação mais forte. São eles
a) no aquecimento no vestiário e durante o intervalo das partidas
b) no início e no fim de uma temporada esportiva e de uma sessão de
treinos
c) nos momentos de lazer dos atletas, entre as partidas
d) após os jogos de final de compeonato

775. Levando-se em conta as classificações de Lauge-Hansen e de


Dannis-Weber, respectivamente, assinale a correlação certa
a) supinação-rotação externa com o tipo C
b) supinação-rotação externa com o tipo A
c) supinação-adução com o tipo B
d) supinação-rotação externa com o tipo B

776. Nas fraturas do tálus


a) o sinal de Hawkins é a esclerose do tálus indicando necrose avascular
b) o sinal de Hawkins é o aumento da radioluscência da cúpula do
tálus e indica necrose avascular
c) o sinal de Hawkins é a radioluscência aumentada, vista na cúpula
do tálus, e indica presença de circulação

Book-Perguntas.indb 10 10/31/11 3:17:58 PM


Seção 12 – Trauma 169

d) o sinal de Hawkins indica que existe circulação no tálus e é visto na


cabeça do osso no raio X em perfil

777. No ciclo da marcha, a fase de apoio corresponde a


a) 50%
b) 62%
c) 40%
d) 80%

778. A maior área de inervação sensitiva do dorso do pé e da região


plantar é, respectivamente, função dos nervos
a) fibular superficial e plantar lateral
b) fibular superficial e plantar medial
c) fibular profundo e plantar lateral
d) safeno e fibular profundo

779. Em relação às rupturas agudas do tendão calcâneo (de Aquiles),


assinale a afirmativa incorreta
a) são lesões de diagnóstico clínico podendo ser confirmado pela ul-
trassonografia
b) os índices de nova ruptura são iguais após o tratamento conservador
e cirúrgico
c) a sutura simples, a sutura tipo Bunnell ou tipo Krackow são opções
de tratamento cirúrgico
d) estão relacionadas com o uso de fluoroquinolonas

780. Um projétil de arma de fogo alojado no colo do fêmur, em comu-


nicação com a articulação, sem contato com a superfície condral e
sem prejuízo da mobilidade, deve ser removido devido à possibi-
lidade de
a) fratura secundária
b) infecção
c) migração
d) toxicidade do chumbo

781. A inserção de um parafuso cortical convencional inicia-se com a


realização de um furo no osso e, após, o rosqueamento desse ori-
fício. O uso do rosqueador deve ser sempre realizado com a se-
guinte exceção
a) osso epifisário

Book-Perguntas.indb 11 10/31/11 3:17:58 PM


170 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

b) osso metafisário
c) osso cortical muito denso
d) osso cortical osteoporótico

782. Sabemos que o uso da fresagem do canal medular de um osso


longo tem benefícios, porém algumas complicações podem ser
observadas. Em relação ao aumento da temperatura durante a
fresagem, pode-se afirmar que
a) a temperatura do osso pode superar 50°C
b) o limite crítico de segurança para o osso é de 56°C
c) o principal efeito deletério decorre da desnaturação da fosfatase
alcalina
d) todas estão corretas

783. Em relação ao uso ou não de solução com antibióticos na lavagem


das fraturas expostas, quando comparado com irrigação com so-
lução e detergente, pode-se afirmar que
a) o uso de antibiótico diminui o risco de infecção das fraturas expos-
tas e aumenta o risco de problemas de cicatrização
b) o uso de antibiótico não diminui o risco de infecção das fraturas
expostas e aumenta o risco de problemas de cicatrização
c) o uso de antibiótico diminui o risco de infecção das fraturas expos-
tas e não aumenta o risco de problemas de cicatrização
d) o uso de antibiótico não diminui o risco de infecção das fraturas
expostas e não aumenta o risco de problemas de cicatrização

784. As fraturas da coluna vertebral podem ser distinguidas conforme


classificação de Denis ou da AO, entre outras. Em relação à repro-
dutibilidade intra e interobservadora de ambas as classificações,
pode-se afirmar que
a) a classificação de Denis apresenta uma baixa reprodutibilidade e a
da AO, uma reprodutibilidade média
b) a classificação de Denis apresenta uma média reprodutibilidade e a
da AO, uma reprodutibilidade baixa
c) as classificações de Denis e da AO apresentam uma média reprodu-
tibilidade
d) a classificação de Denis apresenta uma alta reprodutibilidade e a da
AO, uma reprodutibilidade média

Book-Perguntas.indb 12 10/31/11 3:17:58 PM


Seção 12 – Trauma 171

785. Paciente sofre fratura do processo odontoide. O traço passa no


istmo do processo. Qual é a classificação da fratura e que tipo de
tratamento deve ser instituído?
a) tipo I, tratamento conservador com colar cervical gessado
b) tipo I, tratamento cirúrgico com artrodese posterior
c) tipo II, tratamento conservador com colar cervical
d) tipo II, tratamento cirúrgico com parafuso canulado

786. Na avaliação para tratar uma fratura por compressão da coluna


lombossacra, quais dos critérios a seguir indicam tratamento cirúr-
gico?
a) perda de mais de 50% da altura do corpo vertebral
b) lesão do complexo ligamentar posterior
c) mais de 50% do canal comprometido
d) todas estão corretas

787. Qual via arterial é a principal responsável pela vascularização da


cabeça do úmero?
a) artéria axilar, artéria circunflexa posterior, artérias retinaculares
b) artéria axilar, artéria circunflexa anterior, artéria arqueada
c) artéria axilar, artéria braquial, artéria circunflexa posterior, artérias
retinaculares
d) artéria axilar, artéria braquial, artéria circunflexa anterior, artéria
arqueada

788. Qual é o deslocamento amplamente aceito para tratamento con-


servador das fraturas do tubérculo maior do úmero?
a) 3 mm
b) 5 mm
c) 7 mm
d) 10 mm

789. Em relação ao chamado “ombro flutuante”, qual das seguintes


afirmações melhor expressa o pensamento atual sobre seu trata-
mento?
a) o tratamento cirúrgico só é necessário com o encurtamento da
clavícula maior que 5 cm
b) o tratamento cirúrgico deve ser considerado em todos os casos de
“ombro flutuante”

Book-Perguntas.indb 13 10/31/11 3:17:58 PM


172 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) o tratamento cirúrgico só está indicado nas fraturas que envolvam


o acrômio
d) o tratamento cirúrgico está indicado em 30% dos casos

790. Em relação à lesão do nervo radial associada à fratura da diáfise do


úmero, pode-se afirmar que
a) a neurotmese do nervo radial é comum e geralmente está associa-
da à fratura tipo Holstein-Lewis
b) geralmente, a transecção do nervo radial está associada a fraturas
expostas
c) as lesões do nervo radial decorrentes das fraturas tipo Holstein-Lewis
geralmente necessitam de tratamento cirúrgico
d) metade dos pacientes com lesões parciais do nervo radial não tem
recuperação completa

791. Em relação ao tratamento das fraturas diafisárias do úmero, pode-


se afirmar que
a) mais de 50% dos casos necessitam de tratamento cirúrgico
b) as fraturas com traço transverso não evoluem bem com tratamento
conservador
c) as fraturas AO 12-B2, são, em sua maioria, de tratamento cirúrgico,
fixadas com placa e seguindo princípios de estabilidade absoluta
d) o tratamento funcional idealizado por Sarmiento é o tratamento de
escolha para a grande maioria dos casos

792. Nas fraturas da cabeça do rádio, quando está indicada sua substi-
tuição?
a) quando houver associação com a luxação do cotovelo
b) quando houver fratura associada da ulna
c) quando o número de fragmentos da cabeça for maior que três
d) quando houver lesão do ligamento colateral medial

793. Em relação ao ligamento colateral medial do cotovelo, pode-se


afirmar que
a) a banda transversa é o mais importante estabilizador contra o es-
tresse em valgo
b) a banda anterior age contra a instabilidade posterolateral do coto-
velo
c) a banda posterior pode contribuir com a instabilidade em varo e
rotacional do cotovelo
d) a banda anterior é a mais fraca das três

Book-Perguntas.indb 14 10/31/11 3:17:58 PM


Seção 12 – Trauma 173

794. A lesão do nervo radial, na fratura-luxação de Monteggia, ocorre


mais frequentemente com
a) a fratura concomitante da diáfise ulnar
b) a luxação anterior da cabeça do rádio
c) a luxação posterior da cabeça do rádio
d) a luxação da umeroulnar

795. Quais são os músculos mais frequentemente afetados na síndrome


do compartimento do antebraço?
a) flexor profundo dos dedos e flexor longo do polegar
b) flexor superficial dos dedos e flexor ulnar do carpo
c) flexor curto do polegar e flexor radial do carpo
d) braquiorradial e extensor radial longo do carpo

796. Qual dos seguintes parâmetros não é indicativo de resultados in-


satisfatórios nas fraturas distais do rádio e, portanto, não indica a
redução e, se necessário, fixação da fratura?
a) degrau articular maior que 2 mm
b) encurtamento radial maior que 5 mm
c) angulação dorsal maior que 20 graus
d) nenhuma está correta

797. Dentre as alternativas a seguir, qual é o melhor teste de imagem


para o diagnóstico de uma lesão com suspeita de fratura do esca-
foide?
a) tomografia computadorizada
b) ressonância nuclear magnética
c) ultrassonografia
d) cintilografia

798. Qual é o ligamento do carpo mais frequentemente lesado?


a) ligamento escafo-semilunar
b) ligamento rádio-semilunar longo
c) ligamento ulnopiramidal
d) ligamento rádio-escafo-semilunar

799. Qual é o porcentual necessário para comprometer a superfície ar-


ticular da base da falange distal e provocar instabilidade e sublu-
xação?
a) maior que 20%
b) maior que 30%

Book-Perguntas.indb 15 10/31/11 3:17:58 PM


174 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) maior que 40%


d) maior que 50%

800. O sítio de localização da osteomielite hematógena aguda nos ossos


longos tem início na
a) epífise
b) metáfise
c) diáfise
d) medular

801. Segundo Peltola e Vahvanen, são quatro os critérios que firmam


diagnóstico de osteomielite hematógena aguda, exceto
a) pus aspirado do osso
b) cultura óssea ou sanguínea positiva
c) sintomas clássicos de dor localizada, inchaço, calor e administração
diminuída da articulação adjacente
d) cintilografia positiva

802. Segundo Trueta, as alterações anatômicas do suprimento sanguí-


neo em que os vasos metafisários deixam de passar em direção à
epífise, ocorrem por volta dos
a) 6 meses de idade
b) 9 meses de idade
c) 18 meses de idade
d) 3 anos de idade

803. A osteomielite hematógena aguda pode ocorrer como consequên-


cia de atrite séptica nas articulações em que a metáfise está dentro
da cápsula articular. Isso ocorre em todas as articulações descritas
a seguir, exceto em
a) fêmur proximal
b) úmero proximal
c) tíbia lateral distal
d) tíbia proximal

804. Na fisiopatologia da artrite séptica, uma grande variedade de en-


zimas é liberada dos leucócitos e iniciam a primeira modificação
mensurável na cartilagem articular num período de
a) 2 horas
b) 4 horas

Book-Perguntas.indb 16 10/31/11 3:17:58 PM


Seção 12 – Trauma 175

c) 8 horas
d) 12 horas

805. No diagnóstico da osteomielite hematógena aguda e da artrite


séptica, o meio mais frequentemente omitido pelo médico e mais
fidedigno no diagnóstico definitivo da infecção é
a) hemograma completo + VHS
b) ultrassonografia
c) radiografia
d) punção aspirativa da articulação

806. O agente mais comumente encontrado como causador de osteo-


mielite hematógena aguda e artrite séptica em crianças após o
período neonatal e o antibiótico de escolha são
a) E. coli/ceftriaxone
b) S. aureus/oxacilina
c) H. influenza/ciprofloxacina
d) Kingella kingae/penicilina cristalina

807. Que organismo é o agente causador mais comum de osteomielite


hematógena aguda em doença falciforme?
a) S. aureus
b) Salmonella sp
c) Pneumococos sp
d) E. coli

808. O tipo mais comum de osteomielite subaguda na faixa etária pe-


diátrica é a lesão metafisária conhecida como abscesso de Brodie,
que, dentro da classificação de Roberts et al., é do tipo:
a) I
b) II
c) III
d) IV

809. Caso clínico: criança de 1 ano deu entrada no pronto-socorro (PS)


com história de queda da própria altura e trauma em ombro D
há um dia e febre de 38,9°C, apresentando dor local, aumento de
volume e temperatura, hiperemia, MSD em adução e rotação in-
terna, discreta flexão do cotovelo D e irritabilidade. Exame labo-
ratorial: HMG com leucocitose e desvio à esquerda, anemia, pla-

Book-Perguntas.indb 17 10/31/11 3:17:59 PM


176 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

quetopenia,VHS 8mm na primeira hora. Raio X do ombro D com


aumento do espaço articular. A melhor conduta é
a) cintilografia óssea
b) aspiração articular, coleta de material e antibioticoterapia empírica
c) ressonância nuclear magnética e hidratação
d) ultrassonografia e antitérmicos

810. As três áreas principais de crescimento do fêmur proximal são


a) placa fisária, placa de crescimento do trocânter maior e o istmo do
colo do fêmur
b) placa fisária, placa de crescimento do trocânter maior e pequeno
trocânter
c) placa fisária, pequeno trocânter, istmo do colo do fêmur
d) núcleo da cabeça femoral, pequeno trocânter, istmo do colo do
fêmur

811. A placa de crescimento do fêmur proximal contribui com aproxi-


madamente 30% do crescimento do comprimento total do fêmur.
Uma lesão na placa de crescimento proximal resulta numa defor-
midade em
a) anteversão
b) valgo
c) varo
d) retroversão

812. O achado, no exame físico, mais confiável em casos de displasia


evolutiva do quadril com diagnóstico tardio é
a) limitação da rotação interna
b) limitação da extensão
c) limitação da abdução
d) pregas assimétricas

813. Dentro de um padrão normal de desenvolvimento do quadril pe-


diátrico, o núcleo da cabeça femoral tem início em seu processo
de ossificação, sendo visível ao raio X no período de
a) 1 a 2 meses de idade
b) 2 a 4 meses de idade
c) 4 a 8 meses de idade
d) 8 a 10 meses de idade

Book-Perguntas.indb 18 10/31/11 3:17:59 PM


Seção 12 – Trauma 177

814. O tratamento indicado para displasia evolutiva do quadril em neo-


natos e bebês com menos de 6 meses de idade é
a) prescrição de 2 fraldas
b) tenotomia dos adutores e flexores
c) suspensório de Pavlick
d) osteotomia de encurtamento femoral

815. Os parâmetros radiográficos utilizados para diagnóstico de Displa-


sia evolutiva do quadril formados por linhas que passam pela car-
tilagem trirradiada bilateralmente e pela borda lateral do acetá-
bulo numa perpendicular são chamados, respectivamente, de
a) linha de Shenton e linha de Perkins
b) linha de Hilgenreiner e linha de Perkins
c) linha de Klein e linha de Perkins
d) linha de Klein e linha de Hilgenreiner

816. São achados físicos característicos de pacientes adultos com luxa-


ção bilateral de quadril não tratados
a) escoliose e dor no joelho ipsilateral
b) deformidade em flexão e valgo dos joelhos
c) marcha bamboleante (anserina) e hiperlordose lombar
d) discrepância de comprimento dos membros e escoliose

817. O índice acetabular é um parâmetro radiográfico usado para diag-


nosticar displasia evolutiva do quadril em virtude de alterações do
teto ósseo, ou seja, displasia acetabular. É definido por um ângulo
formado pela linha que passa pelas cartilagens trirradiadas bilate-
ralmente e pela linha que sai desta passando pelo bordo superior
do acetábulo. O limite superior em graus que define como acetá-
bulo normal ou displásico é
a) 10 graus
b) 20 graus
c) 30 graus
d) 40 graus

818. O diagnóstico de displasia evolutiva de quadril deve ser realizado


na sala de parto pelo pediatra por meio das manobras de Barlow
e Ortolani. Até que idade essas manobras têm valor preditivo?
a) 1 mês
b) 2 meses

Book-Perguntas.indb 19 10/31/11 3:17:59 PM


178 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) 6 meses
d) 4 meses

819. O método diagnóstico mais aceito para a investigação de displasia


evolutiva do quadril em pacientes com menos de 4 meses de idade é
a) radiografia
b) tomografia computadorizada
c) ultrassonografia pelo método de Graf
d) artrografia

820. Dentre as teorias intrínsecas da causa do pé torto congênito, pode-


se citar
a) há anomalias das inserções tendinosas do tendão de Aquiles, tibial
anterior e tibial posterior em grande parte dos casos de pé torto
congênito
b) a anomalia entre o corpo e colo do tálus faz parte da teoria embrio-
nária
c) a teoria da parada do crescimento ocorre após o terceiro mês de
vida intrauterina
d) todas estão corretas

821. No pé torto congênito


a) a incidência é maior em japoneses que africanos
b) a incidência é maior em africanos que polinésios
c) somente duas alternativas estão erradas
d) nenhuma está correta

822. Quanto aos movimentos do pé


a) adução do pé acontece quando a parte distal afasta-se do plano
médio do corpo
b) movimento de inversão do pé ocorre quando a face plantar do pé
se move para a parte mediana do corpo
c) supinação é a combinação de abdução, extensão e inversão
d) movimento de pronação é a combinação de abdução, extensão e
inversão

823. Quanto à correção do pé torto congênito pelo método de Ponseti


a) o primeiro componente que deve ser corrigido é o cavo
b) o cavo ocorre pela supinação de todo o pé
c) durante o método, o cavo é o primeiro componente que atinge
correção

Book-Perguntas.indb 20 10/31/11 3:17:59 PM


Seção 12 – Trauma 179

d) o movimento é aplicado com contrapressão no cuboide

824. Em se tratando da patologia do pé torto congênito


a) o tálus está preso à mortalha com alteração do ângulo entre corpo
e colo
b) o navicular está desviado lateralmente
c) o ligamento tibionavicular está adelgaçado
d) o tibial posterior é mais fino que o habitual

825. Quanto aos movimentos do pé


a) a contribuição da articulação do tornozelo na inversão e eversão é
significativa
b) a subtalar tem um papel importante na dorsiflexão do tornozelo
c) as rotações do complexo pé-tornozelo ocorrem principalmente na
articulação tibiotalar
d) as rotações do complexo pé-tornozelo ocorrem com igual partici-
pação da articulação tibiotalar e talocalcaneana

826. Quanto à correção cirúrgica do pé torto congênito


a) na técnica peritalar completa de turco, a abordagem é feita por uma
incisão reta da base do 1º metatarso até abaixo do maléolo medial
b) a abordagem de Crawford foi baseada na técnica de Standler
c) na técnica de Carroll, a abordagem é curvilínea
d) a abordagem para liberação posteromedial de turco é descrita como
sendo por uma linha reta partindo da base do 1º metatarso até
abaixo do maléolo medial

827. Quanto à correção cirúrgica do pé torto congênito pela liberação


posteromedial
a) a liberação subtalar ocorre a partir do seio do tarso
b) o feixe vasculonervoso está localizado atrás do maléolo medial en-
tre o tibial posterior e flexor longo dos dedos
c) o nó de Henry é o cruzamento entre o tibial posterior e o flexor
longo dos dedos
d) o ponto de localização da articulação subtalar é posterior

828. Quanto ao tratamento conservador do pé torto congênito


a) na sequência de Kite, a correção se realiza inicialmente na adução
após varo por fim equino
b) a taxa de sucesso da correção do pé torto congênito pelo método
de Kite é em torno de 90%

Book-Perguntas.indb 21 10/31/11 3:17:59 PM


180 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) no método de Henry Bensahel (método francês), são aplicadas ór-


teses desde o início do tratamento
d) no método de Ponseti, a força aplicada do pé é em supinação e
rotação externa

829. Em se tratando do método de Ponseti


a) o calcâneo não deve ser tocado
b) no método de manipulação, o maléolo lateral deve ser estabilizado
c) basicamente, a manipulação é feita em supinação e abdução do pé
d) todas estão corretas

830. Com relação às lesões fisárias distais dos ossos do antebraço, assi-
nale a alternativa correta
a) as lesões fisárias do rádio distal são mais raras que as lesões fisárias
distais da ulna
b) são lesões mais comuns em adultos
c) quanto ao sexo, meninos são mais acometidos nas lesões ulnares
d) a incidência de epifisiodese traumática é menor nas lesões do rádio

831. Quanto às fraturas ao nivel do joelho, assinale a alternativa correta


a) a pseudoartrose é mais comum em fraturas supracondilares do fê-
mur distal que nas intercondileanas, mas depende do tipo de osteos-
síntese utilizada
b) a vascularização da região intercondilar é deficiente
c) o objetivo do tratamento dessas fraturas é restaurar a amplitude de
movimento do joelho, mesmo que a fixação não seja estável
d) a consolidação viciosa geralmente ocorre naqueles casos em que se
trata conservadoramente

832. Na sutura do menisco medial, utilizando-se técnicas de fora para


dentro (outside-in), a complicação isolada mais comum e a estru-
tura em maior risco é a
a) lesão da artéria poplítea
b) lesão de ramo do nervo tibial
c) lesão de ramo do nervo safeno
d) lesão da artéria inferior medial

833. No tratamento de fratura cominutiva e deslocada da eminência


tibial com avulsão do LCA, a melhor opção é
a) aspiração de hematrose, anestesia com redução do fragmento e
colocação de gesso em posição funcional

Book-Perguntas.indb 22 10/31/11 3:17:59 PM


Seção 12 – Trauma 181

b) redução e fixação retrógrada com parafuso canulado


c) redução e fixação com fio de sutura através da base do LCA
d) redução e fixação com parafuso de Hebert

834. O joelho é uma articulação com características anatômicas de


a) estabilidade com os ligamentos colaterais e sem o pivô central
b) estabilidade sem o ligamento cruzado anterior, mas com os meniscos
íntegros
c) instabilidade se desprovidos do complexo meniscoligamentar
d) instabilidade quase sempre após um entorse

835. Nas rupturas agudas do LCA, frequentemente encontramos, na


ressonância nuclear magnética, lesões osteocondrais (bone bruise)
que se localizam na
a) região posterolateral do côndilo externo e anterolateral da tíbia
b) região posteromedial da tíbia e anteromedial do côndilo interno
c) região posterolateral da tíbia e anterolateral do côndilo externo
d) região posteromedial do côndilo interno e anteromedial da tíbia

836. A artroscopia do ombro permitiu a identificação das variações ana-


tômicas e patológicas do lábio glenoidal antes não identificadas.
São exemplos dessas alterações anatômicas e patológicas, respec-
tivamente
a) forame sublabial e lesão do subescapular
b) complexo de Buford e lesão tipo SLAP (avulsão do lábio superior
anteroposterior)
c) lesão de Bankart e síndrome de impacto da coracoide
d) bursa subacromial e tendinite calcária

837. A literatura atual mostra que o tratamento artroscópico das insta-


bilidades glenoumerais traumáticas, por meio da fixação da lesão
de Bankart, gera resultados semelhantes à cirurgia aberta. É ne-
cessário, no entanto, critérios para a sua indicação. Qual das alte-
rações a seguir, em geral, contraindica a técnica, por estar relacio-
nada a altos índices de maus resultados?
a) lesão do tipo SLAP (avulsão do lábio superior anteroposterior)
associada
b) primeiro episódio de luxação traumática
c) ligamento glenoumeral cicatrizado no colo do glenoide (ALPSA)
d) defeito ósseo na glenoide anterior maior que 20%

Book-Perguntas.indb 23 10/31/11 3:17:59 PM


182 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

838. Quanto ao uso de torniquetes nas cirurgias ortopédicas, é correto


afirmar que
a) após o uso por tempo prolongado, a deflação por 10 minutos é
suficiente para que os tecidos voltem ao normal
b) durante o esvaziamento do membro com uma faixa de borracha
antes da aplicação do torniquete, esta deve ser feita de proximal
para distal e o mais próximo possível do mesmo
c) no adulto sadio, com menos de 50 anos de idade, o tempo médio
de uso seguro do torniquete é de, aproximadamente, uma hora
para o membro superior e de duas horas para o membro inferior
d) as pressões de 135 a 255 mmHg e de 175 a 305 mmHg são satis-
fatórias para a manutenção da hemostasia no membro superior e
inferior, respectivamente.

839. Em relação aos enxertos ósseos, é incorreto afirmar que


a) todos ou a maioria dos elementos celulares nos enxertos morrem e
são lentamente repostos por meio de uma “substância invasiva”,
atuando meramente como um suporte para formação de osso
novo
b) o tratamento cirúrgico de uma pseudartrose, a realização de uma
artrodese e de uma artrorrise são algumas das indicações para o uso
do enxerto ósseo em cirurgia ortopédica
c) os enxertos de osso autógenos no processo de “substituição inva-
siva” são mais fracos estruturalmente nas seis primeiras semanas
d) enxertos esponjosos autógenos de 5 mm de espessura são comple-
tamente revascularizados em 20 a 25 dias

840. Em relação à fise normal, assinale a alternativa correta


a) a placa óssea é uma cortical rudimentar que separa a fise da epífise,
permanecendo visível nas radiografias até bem depois do fecha-
mento epifisário
b) a zona em repouso é a camada germinativa que provê células para
o desenvolvimento da fise
c) o número de células na zona de proliferação reflete a atividade da
placa de crescimento, quanto maior seu número, menor é a pro-
dutividade da placa
d) na zona de vacuolização, há um crescimento ósseo ativo em virtu-
de da hipertrofia das células dessa camada

Book-Perguntas.indb 24 10/31/11 3:18:00 PM


Seção 12 – Trauma 183

841. Na escoliose funcional, em razão da discrepância nos membros


inferiores, é correto afirmar
a) trata-se de uma escoliose estrutural
b) a curva encontrada é uma curva envolvendo apenas quatro vér-
tebras
c) existem curvas compensatórias
d) a curva está presente na posição ortostática

842. É correto afirmar que na espondilolistese lombar


a) é infrequente a dor lombar
b) os sintomas de dor aliviam em pé e deambulando
c) a região sacral está proeminente e encontra-se verticalizada nos
casos graves
d) a incidência radiológica que permite melhor visualização do pro-
blema é a anteroposterior

843. Em razão de o teste do pivot-shift ser dinâmico, deve-se prestar


atenção na
a) subluxação lateral da região anterolateral da tíbia proximal, quando
se extende (20 a 30 graus da extensão final) o joelho
b) subluxação anterior da região anterolateral da tíbia proximal, nos
graus iniciais (20 a 30º) de flexão
c) subluxação anterior da região anterolateral da tíbia proximal, nos
graus iniciais de flexão (20 a 30 graus), porém, o ligamento colate-
ral medial deve estar roto para que se tenha uma boa resposta
desse teste
d) subluxação posterior da região anterolateral da tíbia proximal, nos
graus iniciais de flexão (20 a 30 graus)

844. Na fratura do colo do fêmur fixada com placa e parafuso deslizan-


te, para se alcançar estabilidade rotacional e melhor suporte, um
parafuso adicional cranial deve ser inserido, especialmente quando
houver fragmentação
a) inferior
b) anterior
c) superior
d) posterior

Book-Perguntas.indb 25 10/31/11 3:18:00 PM


184 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

845. Os ligamentos volares do punho são estabilizadores importantes


dessa região, porém, entre eles, existe uma área de potencial fra-
queza, denominada “espaço de Poirier”, limitada principalmente
pelos seguintes ligamentos
a) ligamentos radioescafocapitato e radiolunopiramidal
b) ligamentos ulnolunar e ulnopiramidal
c) ligamentos radiolunar e radioescafoide
d) ligamentos colateral radial e feixe estilo escafoide do ligamento
radiocárpico volar

846. A região do punho conhecida como “tabaqueira anatômica” é li-


mitada pelos seguintes tendões
a) extensor radial curto do carpo e extensor radial longo do carpo
b) abdutor longo do polegar, extensor curto do polegar e extensor
longo do polegar
c) extensor longo do polegar, extensor comum dos dedos e extensor
do indicador
d) extensor longo do polegar, extensor curto do polegar e extensor
comum dos dedos

847. Na fratura-luxação de Monteggia, qual nervo corre maior risco de


lesão
a) radial
b) muscolocutâneo
c) mediano
d) interósseo posterior

848. É sabido que a doença de Dupuytren é uma contratura, muitas


vezes, progressiva, da aponeurose palmar e ligamentos digitais.
Na sua manifestação inicial, está indicado o tratamento clínico
(splints, fisioterapia, mesoterapia, infiltrações), porém qual é o me-
lhor parâmetro para indicarmos o tratamento cirúrgico?
a) deformidade em flexão menor que 20 graus metacarpofalangeana
de um dedo bilateralmente
b) comprometimento do dedo indicador em qualquer grau
c) deformidade em flexão da metacarpofalangeana, de qualquer dedo,
igual ou maior que 30 graus, ou qualquer deformidade da interfa-
langeana proximal
d) associação com doença de Peyronie, Ledderhosen ou neoplasia ma-
mária

Book-Perguntas.indb 26 10/31/11 3:18:00 PM


Seção 12 – Trauma 185

849. Com relação à tendinite calcária, é correto afirmar


a) é de etiologia traumática
b) a incidência é maior após os 60 anos
c) ocorre mais no sexo masculino, e o lado direito é o mais acometido
d) o músculo supraespinhal é o mais acometido

850. Nas luxações traumáticas do ombro, é incorreto afirmar


a) a luxação anterior é a mais frequente, sendo o mecanismo de que-
da ao solo com rotação e o membro superior em abdução e rotação
externa a mais comum
b) a luxação posterior é rara, mas facilmente identificada por uma
incidência radiográfica anteroposterior
c) a lesão de Bankart é comum e está presente em cerca de 85% dos
casos de luxação recidivante
d) ocorre associação com fraturas em 10% das luxações do ombro

851. Em relação à doença de Paget, assinale a afirmativa correta


a) há um aumento da reabsorção e da formação, tendo como conse-
quência um osso desorganizado e imaturo no local afetado
b) sua origem não está relacionada com possível causa viral, nem fatores
genéticos, ou com padrões étnicos e geográficos para sua incidência
c) dor é o sintoma menos comum, variando de acordo com o local
afetado do esqueleto
d) a doença de Paget afeta somente o crânio, não sendo clinicamente
relevantes as lesões provocadas em membros inferiores

852. A coalizão calcâneonavicular é ressecada através de via de acesso


a) dorsal
b) lateral
c) medial
d) plantar

853. No diagnóstico da barra calcaneonavicular e talocalcaneana são


importantes, respectivamente
a) cintilografia óssea e eletroneuromiografia
b) raio X simples (oblíqua lateral: 45 graus) e tomografia computado-
rizada no plano coronal
c) raio X simples (AP) e raio X simples (perfil)
d) raio X simples (oblíqua lateral: 45 graus) e tomografia computado-
rizada no plano axial

Book-Perguntas.indb 27 10/31/11 3:18:00 PM


186 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

854. No hálux rígido, geralmente se observa limitações da


a) flexão da metatarsofalangeana
b) flexão da interfalangeana
c) extensão da metatarsofalangeana
d) flexão e extensão da metatarsofalangeana

855. Nas lesões ligamentares laterais do tornozelo, a estrutura com


maior frequência comprometida é o
a) fíbulocalcaneano
b) deltoide
c) fíbulotalar anterior
d) bifurcado

856. Qual é o local mais acometido nas fraturas de fêmur na criança?


a) o terço distal
b) a epífise de crescimento
c) o terço médio
d) o terço proximal

857. Qual é o pico máximo de incidência das fraturas supracondileanas?


a) em crianças de tenra idade, ao redor de 3 anos
b) em crianças no começo da idade escolar, ao redor dos 7 anos
c) em pré-adolescentes ao redor dos 14 anos
d) nenhuma das anteriores

858. Com relação à subluxação rotatória da coluna cervical, é incorreto


afirmar que
a) a lesão é puramente ligamentar e a característica rotacional é pela
integridade do ligamento transverso
b) o tipo 2 de Fielding e Hawkins caracteriza-se por uma luxação ro-
tatória de 3 a 5 mm
c) por ser instável, o tratamento inicial dessa lesão é com halogesso
ou cirurgia
d) a tomografia computadorizada é o exame de escolha e auxilia no
diagnóstico e avaliação do grau de desvio

859. São fatores de risco para fraturas patológicas


a) metástases osteoblásticas
b) dor noturna persistente
c) uso de radiação paliativa e quimioterapia concomitantes

Book-Perguntas.indb 28 10/31/11 3:18:00 PM


Seção 12 – Trauma 187

d) absorção de 50 a 75% da espessura da cortical original, tanto do


lado periosteal como endosteal

860. Quanto aos critérios de instabilidade nas fraturas da coluna tora-


colombar e indicações cirúrgicas, é correto afirmar
a) comprometimento maior que 30% do canal vertebral
b) acunhamento do corpo vertebral anterior maior que 50%
c) cifose segmentar maior que 40 graus
d) alteração neurológica é indicação absoluta de tratamento cirúrgico

861. O posicionamento considerado “seguro” para manutenção da re-


dução das fraturas diafisárias metacarpianas (posição de James) é
o seguinte
a) punho 0º, metacarpofalangeana 90º, interfalangeana proximal e
interfalangeana distal 30º.
b) punho 0º, metacarpofalangeana 70º, interfalangeana proximal e
interfalangeana distal 30º.
c) punho em extensão de 30º, metacarpofalangeana 90º, interfalan-
geana proximal e IFD 90º.
d) punho em extensão de 30º, metacarpofalangeana 70º, interfalan-
geana proximal e interfalangeana distal próximas da extensão.

862. Uma mulher de 50 anos de idade, cor branca, com um ano de


amenorreia, fumando quatro cigarros por dia, cuja altura é de 1,70
m, que pesa 60 kg e não faz reposição hormonal, apresenta-se com
fratura de Colles – punho direito, por queda de própria altura.
Após o tratamento ortopédico da fratura dessa paciente, pode-se
afirmar que
a) deve receber alta após a consolidação da fratura
b) deve ser avaliado o diagnóstico de osteoporose com densitometria
óssea e outros exames, se necessário
c) o devido tratamento preventivo ou curativo da osteoporose na pri-
meira fratura é fundamental para a preservação de fraturas subse-
quentes
d) as afirmativas b, c e d estão corretas

863. No tornozelo, o sinal da “gaveta anterior” positivo significa lesão


do ligamento
a) bifurcado
b) talofibular posterior

Book-Perguntas.indb 29 10/31/11 3:18:00 PM


188 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) talofibular anterior
d) calcânio fibular

864. A complicação mais comum resultante de um deslocamento epifisá-


rio distal da tíbia tipo III (Salter-Harris) em uma criança de 10 anos é
a) fechamento total da placa de crescimento
b) deformidade angular
c) artrose pós-traumática
d) crescimento aumentado da tíbia

865. Com relação ao tratamento da displasia do desenvolvimento do


quadril com suspensório de Pavlik, é incorreto afirmar que
a) a posição de hiperflexão pode causar compressão de nervo ciático
b) as correias anteriores devem manter os quadris entre 100 e 110
graus de flexão
c) é contraindicado em quadris com pouca mobilidade (artrogripose)
d) as correias posteriores impedem a adução dos quadris

866. Em relação à epicondilite lateral do cotovelo, é correto afirmar que


a) é processo inflamatório na origem da musculatura extensora
b) o principal tendão comprometido é o extensor radial longo do carpo
c) a eletroneuromiografia é fundamental para o diagnóstico diferencial
com a síndrome do interósseo posterior
d) a característica histológica da lesão é a proliferação angiofibroblás-
tica

867. Em relação às fraturas do cotovelo no adulto, assinale a alternativa


correta
a) a osteossíntese com placa das fraturas da cabeça radial coloca em
risco o nervo interósseo anterior
b) as fraturas que comprometem o capítulo umeral não estão associa-
das a instabilidade do cotovelo
c) as fraturas cominutas da extremidade proximal da ulna devem ser
fixadas com uma banda de tensão
d) ocorrerá instabilidade em varo e anterior quando existir compro-
metimento de pelo menos 50% da coronoide

868. Em relação ao sangramento esperado nas fraturas da pelve, assi-


nale a alternativa correta
a) geralmente é devido ao plexo venoso e às superfícies da fratura

Book-Perguntas.indb 30 10/31/11 3:18:00 PM


Seção 12 – Trauma 189

b) a causa maior é a lesão arterial dos grandes vasos que cruzam a


pelve
c) A maneira mais segura de tratá-lo é com exploração do retroperi-
tônio e tamponamento
d) somente com fixação externa para reduzir o volume da pelve se
pode pará-lo

869. Em relação às fraturas intertrocanterianas de traço reverso, assinale


a alternativa correta
a) é melhor tratada com implantes tipo parafuso deslizante (DHS ou
similar)
b) placas de ângulo fixo são contraindicadas
c) somente podem ser estabilizadas por osteotomias intertrocantéricas
d) quando tratadas com parafuso deslizante, a telescopagem permiti-
da pelo implante produz separação dos fragmentos

870. Ao analisar as falhas de fixação dos parafusos deslizantes das fra-


turas intertrocantéricas, pode-se afirmar
a) a causa mais comum é a quebra do implante por falha em colocar
o parafuso no osso subcondral
b) a migração é a causa mais frequente e deve-se principalmente à
osteoporose
c) a distância entre a ponta do implante e o ápice da cabeça é uma
importante indicação do risco de migração
d) deve-se principalmente à falta de obediência à ordem de não apoiar

871. Quanto ao processo de consolidação óssea, assinale a alternativa


incorreta
a) a fase de inflamação corresponde a, aproximadamente, 10% do
tempo total da consolidação
b) as necessidades energéticas da consolidação da fratura atingem o
máximo durante a reparação, correspondendo ao período mais
intenso de proliferação celular e síntese de matriz
c) no início da fase de reparação, o pH em torno do microambiente
da fratura é ácido, tornando-se gradativamente alcalino, no qual a
fosfatase alcalina tem seu pico ótimo de atuação, mineralizando o
calo fraturário
d) segundo a lei de Wolff, durante a fase de remodelação, quando o
osso é submetido a um estresse, a área de convexidade demonstra
atividade eletronegativa, enquanto a área de concavidade mostra
eletropositividade

Book-Perguntas.indb 31 10/31/11 3:18:00 PM


190 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

872. Referente ao exame físico da coluna cervical, assinale a alternativa


correta
a) a cartilagem tireoidiana corresponde topograficamente ao nível de
C3 e C4
b) o tubérculo carotídeo faz parte da anatomia da vértebra C7
c) o déficit motor bicipital está presente quando lesadas as raízes de
C5 e C6
d) o teste de Adson avalia o déficit motor em membros superiores

873. Na fratura-luxação de Benett, o componente maior da articulação,


na base do metacarpiano, é tracionado dorsal e radialmente pelo
músculo
a) abdutor do polegar
b) abdutor longo do polegar
c) flexor curto do polegar
d) extensor curto do polegar

874. Quanto aos fatores de risco para a ocorrência de fraturas em oste-


oporose, pode-se afirmar que
a) quedas e outros fatores de risco para a ocorrência de fraturas são in-
terativos com a qualidade do osso e a saúde em geral do paciente
b) a manutenção do tônus muscular não tem nenhuma influência para
a preservação de quedas nos idosos
c) a determinação dos fatores de risco no idoso não tem utilidade
prática para a preservação de quedas
d) não existe predisposição familiar, entre mulheres, para densidade
mineral óssea baixa favorecendo a ocorrência de fraturas

875. Em relação às lesões ligamentares do cotovelo, assinale a alterna-


tiva correta
a) o período de imobilização mínimo após uma luxação traumática é
de três semanas
b) a presença de fratura associada grau I da coronoide ocorre por
tração do músculo braquial
c) a ruptura do ligamento colateral medial ocorre somente em asso-
ciação com fratura da cabeça radial
d) na luxação posterolateral, a primeira estrutura a se romper é o liga-
mento colateral lateral ulnar

Book-Perguntas.indb 32 10/31/11 3:18:00 PM


Seção 12 – Trauma 191

876. É amplamente aceito que uma complicação grave das lesões pél-
vicas é a hemorragia. Este sangramento pode ser tão importante
que coloca a vida do paciente em risco. Se uma ação médica não
for eficiente, outra deve ser utilizada e assim por diante na tenta-
tiva de salvar a vida do paciente. Nesse sentido, qual das seguintes
sequências tem sustentação na literatura?
a) fixação externa, arteriografia, packing, embolização
b) arteriografia, fixação externa, embolização, packing
c) arteriografia, embolização, fixação externa, packing
d) fixação externa, packing, arteriografia, embolização

877. As fraturas dos acetábulos frequentemente estão associadas a ou-


tras lesões fora do aparelho locomotor. Qual tipo de força trauma-
tizante mais produz lesões associadas à fratura do acetábulo?
a) compressão lateral
b) compressão axial
c) forças rotacionais
d) forças de flexão

878. Qual das seguintes complicações da fratura do colo do fêmur pode


ter sua incidência diminuída com a artroplastia do quadril em re-
lação à osteossíntese?
a) perda de sangue
b) reintervenção
c) mortalidade no primeiro ano
d) pneumonia

879. Na fixação com parafusos da fratura do colo do fêmur, qual deve


ser a posição do primeiro parafuso a ser colocado?
a) inferior no anteroposterior, central no perfil
b) central no anteroposterior, posterior no perfil
c) inferior no anteroposterior, posterior no perfil
d) central no anteroposterior, anterior no perfil

880. Qual é a diferença na rigidez da fixação de uma fratura trocante-


riana reversa quando estabilizada com implante intramedular ou
extramedular?
a) se não houver falha, o extramedular é mais rígido
b) se houver falha, o extramedular é mais rígido

Book-Perguntas.indb 33 10/31/11 3:18:00 PM


192 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) se houver falha, os dois sistemas têm a mesma rigidez


d) se não houver falha, os dois sistemas têm a mesma rigidez

881. Em relação à qualidade de vida pós-operatória dos pacientes ope-


rados para fixar fraturas da extremidade proximal do fêmur, qual
tipo de fratura está mais relacionado com a perda de qualidade?
a) fratura do colo do fêmur desviada
b) fratura do colo do fêmur não desviada
c) fratura trocanteriana estável
d) todas relacionam-se igualmente à perda de qualidade de vida

882. O controle de danos constitui princípio fundamental no tratamen-


to do paciente politraumatizado. Qual dos seguintes cenários pode
ser mais beneficiado com o atraso de uma fixação definitiva de
fratura de fêmur?
a) fratura de fêmur e trauma torácico
b) fratura de fêmur bilateral
c) fratura de fêmur e trauma abdominal
d) fratura de fêmur e fratura dos membros superiores

883. Quais estruturas vasculonervosas podem ser lesionadas quando se


escolhe a fossa piriforme para porta de entrada de uma haste de
fêmur?
a) artéria glútea inferior e nervo glúteo superior
b) artéria glútea superior e nervo glúteo inferior
c) artéria glútea superior e nervo glúteo superior
d) artéria circunflexa femoral medial e nervo glúteo superior

884. Qual das opções a seguir, representa, respectivamente, uma indi-


cação e uma contraindicação para haste femoral retrógrada?
a) joelho com flexão inferior a 30 graus, fratura exposta de fêmur
b) fratura AO 33 C1, lesão femoral aberta contaminada
c) fratura AO 31 A3, joelho com flexão inferior a 60 graus
d) fratura periprostática do joelho, fratura AO 32 C3.1

885. Nas fraturas do planalto tibial, o comprometimento do côndilo


medial indica uma fratura de alta energia. Em que porcentual des-
sas fraturas o componente medial apresenta traço coronal desta-
cando um fragmento posteromedial?
a) 15%

Book-Perguntas.indb 34 10/31/11 3:18:00 PM


Seção 12 – Trauma 193

b) 30%
c) 45%
d) 75%

886. A gravidade das fraturas do planalto tibial pode ser, em parte,


decorrente da geometria dessa região. Uma dessas variáveis é a
inclinação posterior dos planaltos (IP). Das afirmações a seguir,
qual é a que mais se aproxima da verdade?
a) a IP do planalto medial da mulher é maior que a do homem e a IP
do planalto lateral é maior no homem
b) a IP do planalto lateral da mulher é maior que a do homem e a IP
do planalto medial é maior no homem
c) as IP dos planaltos medial e lateral são maiores no homem
d) as IP dos planaltos medial e lateral são maiores na mulher

887. Em relação à fixação das fraturas expostas de tíbia com placa, po-
de-se afirmar que
a) as placas podem ser utilizadas
b) as placas não podem ser utilizadas
c) as placas podem ser utilizadas criteriosamente
d) as placas somente podem ser utilizadas nas fraturas GA I

888. Em relação ao uso de hastes fresadas ou não nas fraturas da tíbia,


pode-se afirmar que
a) tanto nas fraturas fechadas quanto nas abertas, a haste deve ser
fresada
b) tanto nas fraturas fechadas quanto nas abertas, a haste deve ser não
fresada
c) devemos usar haste fresada nas fraturas fechadas e não existem
evidências quanto a técnica a ser usada nas abertas
d) devemos usar haste fresada nas abertas e não existem evidências
quanto a técnica a ser usada nas fechadas

889. O momento para o tratamento definitivo das lesões osteoarticula-


res do pé deve seguir o critério de:
a) após 7 dias do trauma
b) após o sinal do enrugamento positivo
c) após o sinal da revascularização positivo
d) após a ressucitação segundo os critérios do ATLS (Advanced Trauma
Life Support)

Book-Perguntas.indb 35 10/31/11 3:18:00 PM


194 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

890. O deslocamento inicial dos fragmentos de uma fratura de clavícula


no adulto está associado a maior incidência de pseudartrose. A
partir de que distância entre os fragmentos existe esse risco au-
mentado de pseudartrose?
a) 5 mm
b) 10 mm
c) 15 mm
d) 20 mm

891. A indicação de tratamento cirúrgico das fraturas da extremidade


proximal do úmero depende de fatores relacionados com a fratu-
ra propriamente dita, a condição do paciente e a habilidade do
cirurgião. Qual dos critérios a seguir é “indicativo absoluto” de
tratamento cirúrgico?
a) problemas prévios no ombro
b) paciente jovem
c) cabeça partida
d) cirurgião com experiência

892. Quais dos desvios a seguir são indicativos de tratamento cirúrgico


de uma fratura diafisária do úmero?
a) encurtamento maior que 2 cm
b) rotação medial maior que 30 graus
c) rotação lateral maior que 20 graus
d) angulação maior que 10 graus

893. A lesão de Essex-Lopresti do antebraço caracteriza-se por


a) trauma do antebraço com lesão da membrana interóssea e migra-
ção proximal da ulna
b) trauma do antebraço com lesão da membrana interóssea e migra-
ção distal da ulna
c) trauma do antebraço com lesão da membrana interóssea e migra-
ção proximal do rádio
d) trauma do antebraço com lesão da membrana interóssea e migra-
ção distal do rádio

894. Qual, dentre as artérias abaixo, está entre as mais frequentemente


lesadas em uma fratura de pelve?
a) artéria ilíaca
b) ramos da artéria ilíaca interna

Book-Perguntas.indb 36 10/31/11 3:18:00 PM


Seção 12 – Trauma 195

c) ramos da artéria ilíaca externa


d) artéria femoral profunda

895. Comparando o perfil anatomopatológico das fraturas acetabulares


no idoso e no jovem, qual é a forma mais comum no idoso?
a) coluna anterior
b) coluna posterior
c) dupla coluna
d) transversa

896. A incidência de fraturas da extremidade proximal do fêmur au-


menta a cada década e a faixa etária desses pacientes também
está aumentando. Considerando o tratamento artroplástico das
fraturas do colo do fêmur em pacientes com mais de 70 anos de
idade, com bom estado cognitivo e capacidade deambulatória
(com ou sem auxílio), qual é a opção correta quando se compa-
ra prótese bipolar de quadril (ABPQ) e prótese total de quadril
(ATQ)?
a) em um ano, o resultado da ATQ é melhor que da ABPQ, mas a
tendência é de os resultados de ambos os procedimentos se igua-
larem com o tempo
b) o em um ano, o resultado da ATQ é melhor que da ABPQ, e essa
tendência persiste após o primeiro ano de PO
c) em um ano, o resultado da ABPQ é melhor que da ATQ, mas a
tendência é de os resultados de ambos os procedimentos se igua-
larem com o tempo
d) em um ano, o resultado da ABPQ é melhor que da ATQ, e essa
tendência persiste após o primeiro ano de PO

897. Qual é o maior fator preditivo de reintervenção cirúrgica das fra-


turas trocantéricas do fêmur?
a) fraturas invertidas
b) grau de osteoporose
c) fratura da parede lateral da região trocantérica
d) fixação intramedular da fratura

898. Com o advento das técnicas minimamente invasivas, as fraturas do


fêmur geralmente são acessadas sem grandes agressões ao enve-
lope muscular. Eventualmente, no entanto, pode haver a necessi-
dade de acessos maiores. Sabe-se que não se deve descolar os

Book-Perguntas.indb 37 10/31/11 3:18:01 PM


196 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

músculos inseridos na linha áspera. Qual, das razões a seguir, ex-


plica essa recomendação?
a) há risco de lesar a artéria nutrícia do fêmur
b) há risco de lesar o nervo ciático
c) há risco de tornar instável a ação dos músculos flexores do joelho
d) há risco aumentado de embolia gordurosa

899. Em que percentual das fraturas supracondiliana do fêmur do adul-


to está estimado que possa ocorrer lesão arterial?
a) 2 a 3%
b) 7 a 9%
c) 13 a 15%
d) 20 a 23%

900. Em qual, das seguintes alternativas, a artroscopia pode ser indica-


da com segurança no auxílio da redução e fixação das fraturas do
planalto tibial?
a) Schatzker I
b) Schatzker II
c) Schatzker III
d) Schatzker IV

901. A fixação endomedular das fraturas diafisárias da tíbia está bem


consolidada na literatura mundial. Ainda restam discussões sobre
o alargamento do canal medular por meio da fresagem. Em relação
a essa discussão, qual é a alternativa correta?
a) possivelmente, existem vantagens no fresamento do canal vertebral
das fraturas fechadas da diáfise da tíbia
b) existem vantagens definitivas no fresamento das fraturas diafisárias
abertas da tíbia
c) possivelmente, existem vantagens no fresamento do canal vertebral
das fraturas abertas da diáfise da tíbia
d) existem vantagens definitivas no fresamento das fraturas diafisárias
fechadas da tíbia

902. O tratamento cirúrgico das fraturas distais, não articulares, da tíbia


(AO 43-A) pode ser realizado com hastes intramedulares ou com
placas. Se compararmos a utilização das hastes com placas percu-
tâneas, qual dos seguintes resultados poderão ser encontrados?
a) ambos poderão ser utilizados com segurança, mas o manejo trans
e pós-operatório das hastes é mais simples

Book-Perguntas.indb 38 10/31/11 3:18:01 PM


Seção 12 – Trauma 197

b) ambos poderão ser utilizados com segurança, mas o manejo trans


e pós-operatório das placas é mais simples
c) o uso de hastes intramedulares é mais seguro
d) o uso de placas percutâneas é mais seguro

903. As fraturas do tornozelo, assim como as demais fraturas articulares,


têm como provável complicação a artrose. Os fatores prognósticos
de artrose são variados. Qual é o papel da lesão da cartilagem
nesses pacientes?
a) não é preditor definido no aparecimento da artrose pós-traumática
do tornozelo
b) é preditor no surgimento da artrose pós-traumática sempre, prin-
cipalmente quando houver redução insatisfatória dos fragmentos
articulares
c) é preditor independente no aparecimento da artrose pós-traumá-
tica do tornozelo
d) somente mostra relação com o surgimento da artrose pós-traumá-
tica quando compromete mais de 60% da superfície articular da
extremidade distal da tíbia

904. Quais das fraturas de calcâneo abaixo identificadas podem ser tra-
tadas conservadoramente?
a) fratura intra-articular da faceta posterior deslocada
b) fratura do processo anterior do calcâneo com envolvimento de me-
nos de 25% da articulação calcaneocuboidea
c) fratura deslocada da tuberosidade do calcâneo
d) fratura-luxação do calcâneo

905. Na fratura periprotética do quadril, do tipo B2 de Vancouver, a


revisão cirúrgica deve envolver a
a) enxertia óssea estrutural
b) cimentação proximal da haste
c) osteossíntese com manutenção da prótese
d) substituição do componente femoral por haste longa

906. Na fratura subtrocantérica do fêmur do adulto, o braço de alavanca


sobre o implante é maior quando se utiliza dispositivo do tipo
a) centromedular
b) condilocefálico
c) cefalomedular
d) placa-parafuso deslizante

Book-Perguntas.indb 39 10/31/11 3:18:01 PM


198 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

907. Na consolidação viciosa da fratura do côndilo lateral do úmero na


criança, a deformidade mais frequente é
a) o cúbito valgo
b) o cúbito varo
c) em “rabo de peixe”
d) em hiperextensão

908. Nas fraturas do terço distal do fêmur, classificadas como 33 C2


segundo a classificação AO, o princípio de estabilidade a ser ado-
tado é:
a) relativa na fratura articular e absoluta na fratura metafisária
b) absoluta na fratura articular e relativa na fratura metafisária
c) relativa em ambas as fraturas
d) absoluta em ambas as fraturas

909. Na fratura transtrocantérica do fêmur, a osteotomia de Sarmiento


é realizada com angulação de
a) 30º no fragmento distal
b) 45º no fragmento proximal
c) 45º no fragmento distal
d) 30º no fragmento proximal

910. Na fratura em duas partes do colo cirúrgico do úmero, a angulação


anterior da fratura é causada pelo músculo
a) deltoide
b) grande dorsal
c) bíceps braquial
d) peitoral maior

911. Na lesão do anel pélvico, segundo a classificação de Young-Bur-


gess, a fratura em crescente da asa do ilíaco corresponde ao me-
canismo de
a) compressão lateral, estágio I
b) compressão lateral, estágio II
c) compressão anteroposterior, estágio I
d) compressão anteroposterior, estágio II

912. Com relação à refratura, complicação da fratura em galho verde


no antebraço, pode-se afirmar
a) ocorre em média três meses após a fratura inicial

Book-Perguntas.indb 40 10/31/11 3:18:01 PM


Seção 12 – Trauma 199

b) é mais comum em crianças acima de 12 anos de idade


c) é mais comum na extremidade distal do que na diáfise
d) ocorre principalmente na junção do calo ósseo com o osso normal

913. Na fratura da extremidade distal da clavícula, segundo a classifica-


ção de Neer e Rockwood
a) o tipo I corresponde à manutenção dos ligamentos conoide e tra-
pezoide no fragmento proximal
b) o tipo IIA corresponde à lesão do ligamento conoide, com o liga-
mento trapezoide preso ao fragmento distal
c) o tipo IIB corresponde à manutenção dos ligamentos conoide e
trapezoide no fragmento distal
d) o tipo III corresponde à luxação acromioclavicular

914. Na fratura do colo do fêmur da criança


a) o tipo I deve ser tratado cirurgicamente, independentemente da
idade e do desvio da fratura
b) o tipo II, se desviado, deve ser tratado com redução e fixação com
parafusos
c) o tipo III é preferencialmente tratado apenas com imobilização ges-
sada
d) o tipo IV de Delbet é preferencialmente tratado com redução e fi-
xação

915. Na fratura do capítulo do úmero, a complicação mais frequente é


a) pseudartrose
b) limitação do movimento articular
c) consolidação viciosa
d) osteonecrose

916. Na luxação do joelho com ausência de pulsos distais após a redu-


ção, a conduta mais bem indicada é
a) a exploração imediata para reparo vascular
b) fazer um Doppler do membro afetado na emergência
c) fazer arteriografia imediata do membro afetado
d) a observação clínica, considerando-se a alta probabilidade de es-
pasmo vascular

917. Na fratura supracondiliana com desvio posteromedial, qual o ner-


vo se encontra em maior risco?
a) mediano

Book-Perguntas.indb 41 10/31/11 3:18:01 PM


200 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

b) radial
c) ulnar
d) insterósseo posterior

918. Na fratura supracondiliana do úmero em criança, do tipo III de


Gartland, com ausência do pulso distal, a primeira medida a ser
tomada é a
a) imobilização do cotovelo em posição neutra
b) arteriografia de urgência
c) redução fechada imediata e fixação
d) redução aberta por acesso

919. Nas fraturas cominutivas da cabeça do rádio no adulto, a ressecção


isolada da cabeça está contraindicada na presença de ruptura
a) da cápsula anterior
b) do ligamento colateral lateral radial
c) do ligamento colateral lateral ulnar
d) do ligamento colateral medial

920. Na fratura do olécrano, está contraindicada a osteossíntese com


banda de tensão se
a) a fratura for por avulsão
b) o traço de fratura for oblíquo
c) houver fratura associada do rádio
d) a superfície articular estiver multifragmentada

921. A partir de que momento a redução anatômica da fratura-luxação


de Lisfranc geralmente não é mais conseguida, podendo optar-se
por tratamento alternativo?
a) 2 semanas
b) 4 semanas
c) 6 semanas
d) 8 semanas

922. Durante a fixação de uma fratura trocantérica instável, existe maior


possibilidade de desvio anterior do fragmento proximal no lado
a) direito, devido ao desenho da rosca do parafuso deslizante
b) direito, devido ao formato da placa
c) esquerdo, devido ao desenho da rosca do parafuso deslizante
d) esquerdo, devido ao formato da placa

Book-Perguntas.indb 42 10/31/11 3:18:01 PM


Seção 12 – Trauma 201

923. Qual das condições abaixo está associada à maior porcentagem


dos casos de síndrome compartimental?
a) fratura do rádio distal
b) fratura diafisária do antebraço
c) fratura do planalto tibial
d) fratura do pilão tibial

924. Paciente 20 anos, masculino, vitima de trauma por arma de fogo


de baixa energia na coxa esquerda há cerca de 30 minutos sem
evidência de fratura. Ao exame, apresenta-se com PA 120x70mmHg,
Fc 87bpm, Sat O2:97% ao ar ambiente, sem queixa de dor, porém,
sem pulsos palpáveis distalmente ao sítio da lesão. Qual o próximo
passo?
a) levar ao centro cirúrgico para angiografia e cirurgia
b) Doppler colorido
c) angiografia formal
d) antibiótico e observação por 12 horas

925. Sobre a fratura por estresse da tíbia, assinale a verdadeira


a) a maioria é composta por lesões posterolaterais e ocorre nos dois
terços proximais
b) quando uma fratura acontece, geralmente é de traço oblíquo
c) as fraturas da região anterior, no terço médio, são mais sujeitas à
pseudartrose
d) geralmente são assintomáticas

926. Sobre a fratura de escafoide, assinale a correta


a) mais comum em pacientes acima dos 35 anos
b) o suprimento vascular do osso é crítico, sendo 70% feito pela face
volar, através de única artéria
c) a ressonância é o método mais confiável para o diagnóstico de
fraturas ocultas
d) o tratamento para as fraturas do tipo A2 é preferencialmente cirúr-
gico

927. Sobre as fraturas de rádio distal


a) a fixação externa híbrida não controla bem o tilt palmar e por isso
não é opção nessas fraturas
b) a fratura do estiloide radial é marcador de baixa energia no trauma
do punho

Book-Perguntas.indb 43 10/31/11 3:18:01 PM


202 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) a fratura do estiloide ulnar, apesar de frequente, não gera instabili-


dade tardia, nem é fonte de mau resultado clínico
d) a incidência de distrofia simpaticorreflexa é alta (cerca de 5% nos
tratamentos conservadores) e tem origem na lesão do nervo sensi-
tivo radial

928. Na fratura de Monteggia


a) no tipo 2, a presença do fragmento quadrilateral anterior e de fra-
tura da cabeça radial associada é indicativa de lesão instável
b) a lesão do nervo interósseo posterior, apesar de frequente, não é a
mais comum
c) são as lesões de classificação AO A2.1
d) as lesões de classificação Bado tipo I têm desvio de orientação pos-
terior

929. Sobre a estabilidade do cotovelo


a) o ligamento colateral medial é restritor secundário do valgo no
cotovelo
b) na luxação do cotovelo, a última estrutura a ser lesada é a banda
anterior do LCM
c) o LCL e o LCM tipicamente falham por ruptura e não por avulsão
d) a inserção da banda anterior do LCM fica junto à inserção do mús-
culo braquial

930. Sobre a luxação acromioclavicular, podemos afirmar


a) não pode ser tratada de maneira artroscópica
b) nas do tipo I, ocorre alargamento da articulação, mas não separação
c) nas variantes do tipo III, está incluída a fratura do coracoide com os
ligamentos coracoclaviculares íntegros
d) as luxações acromioclaviculares do tipo II, por serem de menor
energia, podem ser tratadas apenas com fixação percutânea com
fios de Kirschner

931. Nas fraturas femorais proximais, a classificação que leva em consi-


deração a integridade da fossa piriforme é
a) Fielding
b) Sensheimer
c) Russell – Taylor
d) Tronzo

Book-Perguntas.indb 44 10/31/11 3:18:01 PM


Seção 12 – Trauma 203

932. Sobre as indicações em fraturas diafisárias do fêmur em adultos,


sabe-se que
a) o tratamento através de fixação externa está indicado especialmen-
te em fraturas com traço tipo transverso
b) apesar dos bons resultados do tratamento com haste, a redução
aberta e a fixação interna com técnica interfragmentária ainda re-
presentam o gold standard em fraturas diafisárias do fêmur
c) as hastes retrógradas têm a mesma taxa de consolidação das hastes
anterógradas
d) a complicação da haste anterógrada é a dor proximal na coxa

933. Sobre as fraturas de rádio em crianças, assinale a correta


a) o pico de incidência de fraturas fisárias é ao redor dos 6 anos
b) está autorizada a remanipulação de fratura fisária sem riscos até o
7º dia
c) a melhor indicação para redução fechada e pinagem percutânea é
a fratura fisária ulnar, com déficit do nervo mediano
d) a correlação entre barra óssea pós-fratura e grau de desvio está
claramente comprovada pela literatura

934. Sobre a perda da redução de fraturas do antebraço em crianças


podemos afirmar
a) ocorre em cerca de 30% dos casos
b) está mais comumente associada à má aplicação do gesso
c) a perda da redução deve ser imediatamente tratada com remani-
pulação
d) o desvio geralmente ocorre da 2ª para a 3ª semana

935. Sobre a manobra de Patterson podemos afirmar


a) usada para fraturas da cabeça do rádio com desvio até 30°
b) usada para fraturas da cabeça radial com desvio maior que 60°
c) o assistente segura o antebraço com uma mão e faz um fulcro me-
dial enquanto o cirurgião faz um desvio ulnar no fragmento
d) não deve ser advogada por tratar-se de manobra arriscada, com
alto índice de osteonecrose da cabeça radial

936. A incidência radiográfica de Jones para o cotovelo é realizada com


a) o cotovelo fletido e a ampola em 90° com o chassi
b) o cotovelo estendido a 45° e a ampola a 20° inclinado para distal

Book-Perguntas.indb 45 10/31/11 3:18:01 PM


204 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) o cotovelo fletido e a ampola a 45° com o chassi


d) o cotovelo estendido a 30° e a ampola a 20° inclinado para distal

937. Sobre a pseudofratura do cotovelo


a) trata-se de condição benigna, secundária ao trauma no cotovelo, onde
forma-se ossificação heterotópica na altura do epicôndilo lateral
b) região de ossificação do coronoide, que pode ser confundida com
fratura
c) ossificação heterotópica do ligamento colateral ulnar do cotovelo,
frequentemente associada a traumas em valgo
d) múltiplos centros de ossificação da tróclea, confundidos com frag-
mentos fraturários

938. Sobre o retarde de consolidação na fratura do côndilo lateral


a) várias são as teorias, mas a mais aceita é pela tração do ligamento
colateral lateral sobre a área fraturária
b) provavelmente é uma combinação da baixa circulação local e a
circulação de líquido sinovial pelo foco de fratura
c) mais comum em pacientes tratados cirurgicamente
d) em geral se resolve até 6 meses de tratamento

939. Qual a melhor correlação entre idade e indicação de tratamento


nas fraturas de fêmur abaixo
a) até 6 meses: suspensório de Pavlik
b) 6 a 11 anos: gesso pelvipodálico imediato
c) 12-maturidade: haste intramedular não bloqueada
d) 6-24 meses: haste flexível

940. Sobre as fraturas fisárias da epífise femoral distal


a) nas fraturas não desviadas e estáveis, a opção é por fixação com
parafusos e placa de suporte
b) nas fraturas redutíveis do tipo Salter I, a opção é por redução aber-
ta e gesso
c) para adolescentes, a opção de placa rígida transfisária é aceitável
d) não há espaço para o uso de fixador externo nessas fraturas

941. A fratura da eminência tibial com desvio da região anterior, mas


que ainda possui conexão com a tíbia na sua região posterior,
corresponde ao seguinte tipo, segundo Meyers & McKeever
a) tipo I
b) tipo II

Book-Perguntas.indb 46 10/31/11 3:18:01 PM


Seção 12 – Trauma 205

c) tipo III
d) tipo IV

942. Sobre os desvios aceitáveis na fratura da tíbia, assinale a correta


a) encurtamento menor de 8 anos – 2 cm
b) encurtamento maior de 8 anos – até 1 cm
c) valgo maior que 8 anos – 5°
d) valgo menor que 8 anos – 10°

943. A fratura triplanar da epífise distal da tíbia na criança


a) aparece como uma fratura Salter Harris tipo III no perfil e como uma
Salter Harris tipo II no AP
b) é causada por mecanismo de rotação externa
c) é mais comum no sexo masculino abaixo dos 10 anos
d) não pode estar associada à fratura de fíbula

944. No paciente politraumatizado a mortalidade é mais alta em qual


grupo de pacientes
a) crianças
b) adolescentes
c) adultos
d) idosos

945. Em relação ao índice ISS (Injury Severity Score) de avaliação do


politraumatizado podemos afirmar
a) no ISS, os pontos dados às lesões do crânio recebem pontos em
dobro
b) se em uma das regiões a pontuação for seis, já se considera ISS 75
c) a pontuação quatro de uma região significa lesão moderada
d) para o cálculo do ISS, faz-se a soma do quadrado de duas regiões

946. Em relação às reações orgânicas no paciente politraumatizado,


podemos afirmar:
a) a reação inflamatória pós-traumática ocorre por inibição do sistema
do complemento e dos polimorfonucleares
b) logo após o trauma, há imunossupressão seguida de reação infla-
matória exagerada
c) são sinais de reação inflamatória sistêmica: a temperatura abaixo
de 36°C e contagem de leucócitos acima de 12.000
d) a dosagem sanguínea do TNF-alfa é a melhor forma de determinar
a reação inflamatória pós-trauma

Book-Perguntas.indb 47 10/31/11 3:18:01 PM


206 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

947. Qual dos parâmetros abaixo coloca um paciente politraumatizado


na categoria limítrofe (borderline)
a) ISS maior que 20
b) fratura ipsilateral da diáfise do fêmur e da tíbia
c) lesão craniana moderada ou grave
d) lesão estável da pelve

948. Paciente de 25 anos de idade, vítima de acidente de motocicleta,


dá entrada com fratura da diáfise do fêmur direito, contusão do
hemitórax direito e Glasgow 8. Qual a melhor conduta em relação
à fratura da diáfise do fêmur?
a) tração esquelética
b) fixação externa
c) osteossíntese com placa
d) osteossíntese com haste intramedular bloqueada

949. No descolamento epifisário proximal do úmero, a impossibilidade


de redução geralmente ocorre devido à
a) instabilidade
b) cominuição
c) interposição do periósteo
d) interposição do supraespinal

950. Na fratura da cabeça do rádio, tipo III da classificação de Mason,


associada à lesão do complexo ligamentar medial, a melhor con-
duta é a
a) artroplastia da cabeça do rádio
b) reconstrução da cabeça do rádio sem reparação ligamentar
c) ressecção da cabeça do rádio e a reparação ligamentar
d) reconstrução da cabeça do rádio e a reparação ligamentar

951. Na escápula, a maior incidência de lesões associadas é encontrada


na fratura
a) da espinha da escápula
b) do colo da escápula
c) do processo coracoide
d) do corpo da escápula

Book-Perguntas.indb 48 10/31/11 3:18:01 PM


Seção 12 – Trauma 207

952. A fratura da extremidade proximal do úmero que mais frequente-


mente evolui para pseudartrose, após tratamento não cirúrgico, é a
a) da epífise
b) do colo cirúrgico
c) do tubérculo maior
d) do tubérculo menor

953. O paciente com síndrome medular anterior decorrente de trauma


raquimedular apresenta
a) comprometimento motor dos membros inferiores maior que o dos
superiores.
b) perda das funções motora e proprioceptiva unilaterais.
c) comprometimento motor variável com preservação da propriocepção.
d) perda da sensibilidade tátil e preservação da função motora.

954. A fratura da coluna cervical baixa em “gota de lágrima” correspon-


de, na classificação de Allen, ao tipo
a) flexão-distração no estágio III
b) flexão-distração no estágio IV
c) compressão-flexão no estágio II
d) compressão-flexão no estágio III

955. Na fratura viciosamente consolidada da fratura em três partes do


tubérculo maior do úmero, a cabeça sofre desvio em
a) rotação medial
b) rotação lateral
c) adução
d) abdução

956. É considerado fator de risco para fratura de estresse em atletas


a) a diminuição da densidade óssea em homens
b) o aumento do índice de massa corpórea em mulheres
c) a diminuição da taxa de testosterona em homens
d) o distúrbio alimentar em mulheres

957. Na fratura do pilão tibial, segundo a classificação de Rüedi-Allgöwer,


tem pior prognóstico o tipo
a) I
b) II

Book-Perguntas.indb 49 10/31/11 3:18:01 PM


208 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

c) III
d) IV

958. São indicações de tratamento cirúrgico das fraturas diafisárias do


úmero, exceto
a) fraturas expostas
b) politraumas
c) paralisia do nervo radial
d) fraturas associadas do antebraço

959. A fratura-luxação de Lisfranc, com incongruência parcial e desvio


lateral, é classificada por Myerson como do tipo
a) B1
b) B2
c) C1
d) C2

960. A fratura do antebraço em galho verde com desvio dorsal é redu-


zida colocando-se o punho em
a) pronação e flexão
b) pronação e extensão
c) supinação e flexão
d) supinação e extensão

961. Na pronação dolorosa, o ligamento anular do rádio apresenta-se


com deslocamento
a) medial
b) lateral
c) proximal
d) distal

962. A lesão de Essex-Lopresti é a associação de


a) fratura da cabeça do rádio, lesão do ligamento colateral medial do
cotovelo e da membrana interóssea
b) fratura da cabeça do rádio, lesão da membrana interóssea e da
articulação radiulnar distal
c) fratura da cabeça do rádio, lesão do ligamento colateral medial do
cotovelo e da articulação radiulnar distal
d) lesão da membrana interóssea, do ligamento colateral medial do
cotovelo e da articulação radiulnar distal

Book-Perguntas.indb 50 10/31/11 3:18:02 PM


Seção 12 – Trauma 209

963. Nas fraturas por estresse do colo do fêmur, a classificação de Ful-


lerton e Snowdy estabelece que no tipo por
a) tensão, o traço de fratura é medial e estável
b) tensão, o traço de fratura é lateral e instável
c) compressão, o traço de fratura é lateral e estável
d) compressão, o traço de fratura é medial e instável

964. Fratura exposta da diáfise tibial com perda de pele e síndrome de


esmagamento com ampla zona de lesão, mas sem lesão neurovas-
cular, é classificada pelo sistema de pontuação AO como:
a) IO3-MT5-NV2
b) IO4-MT4-NV1
c) IO3-MT4-NV2
d) IO4-MT5-NV1

965. Na lesão da articulação de Lisfranc, uma das causas de irredutibi-


lidade da luxação é a interposição do tendão
a) tibial anterior no espaço entre o primeiro e o segundo metatarsais
b) tibial posterior no espaço entre o primeiro e o segundo metatarsais
c) tibial anterior no espaço entre o segundo e o terceiro metatarsais
d) tibial posterior no espaço entre o segundo e o terceiro metatarsais

966. Na fratura do calcâneo com depressão articular, a incidência radio-


gráfica em perfil mostrará ângulos de Gissane e Böhler normais se
o afundamento ocorrer na metade
a) lateral da faceta anterior
b) medial da faceta anterior
c) lateral da faceta posterior
d) medial da faceta posterior

967. Na fratura do tornozelo do tipo supinação-rotação externa, segun-


do Lauge-Hansen, a ordem sequencial das lesões é:
a) fratura do maléolo medial/lesão da sindesmose anterior/fratura oblí-
qua do maléolo lateral/lesão da sindesmose posterior
b) ruptura do ligamento deltoide/lesão da sindesmose posterior/fra-
tura oblíqua do maléolo lateral/lesão da sindesmose posterior
c) lesão da sindesmose anterior/fratura oblíqua do maléolo lateral/
lesão da sindesmose posterior/ruptura do ligamento deltoide
d) lesão da sindesmose posterior/fratura oblíqua do maléolo lateral/
lesão da sindesmose anterior/fratura do maléolo medial

Book-Perguntas.indb 51 10/31/11 3:18:02 PM


210 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

968. Na osteossíntese intramedular de uma fratura diafisária da tíbia,


com diástase após a introdução da haste, segundo os princípios
AO, a sequência é
a) bloqueio distal/redução da diástase/bloqueio proximal
b) bloqueio proximal/redução da diástase/bloqueio distal
c) redução da diástase/bloqueio proximal/bloqueio distal
d) redução da diástase/bloqueio distal/bloqueio proximal

Book-Perguntas.indb 52 10/31/11 3:18:02 PM


SEÇÃO 13
ASAMI (Fixadores externos)
Coordenador: Rubens Antonio Fichelli Jr

969. A respeito dos eixos dos membros inferiores podemos afirmar que:
a) o eixo anatômico do fêmur vai do centro da cabeça femoral ao
centro do joelho
b) o eixo anatômico da tíbia, no plano sagital, cruza a articulação do
joelho no quinto posterior
c) o ângulo formado pelos eixos mecânico e anatômico do fêmur é
de sete graus, em média, no plano frontal
d) o ângulo formado entre os eixos anatômico e mecânico da tíbia é
de cinco graus, em média, no plano frontal

970. No plano sagital, o centro de rotação da articulação do cotovelo é:


a) no centro da tróclea
b) no centro do olécrano
c) na borda anterior da tróclea
d) na borda posterior da tróclea

971. Com relação à avaliação de um paciente com discrepância dos


membros inferiores podemos afirmar, exceto:
a) ocorre aumento da obliquidade pélvica
b) o tornozelo do membro mais curto está em equino durante a marcha
c) o joelho do membro mais curto está com flexão aumentada em
ortostatismo
d) ocorre circundução do quadril do membro mais longo durante a
marcha

Book-Perguntas.indb 1 10/31/11 3:18:02 PM


212 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

972. São indicações para o uso de fixação externa articulada no cotove-


lo, exceto:
a) em instabilidades agudas resultantes de fixação insuficiente do pro-
cesso coronoide da ulna
b) em instabilidades causadas por desbridamento articular em infecções
c) em instabilidade residual nas fraturas-luxações após reconstrução
osteoarticular e de partes moles
d) em instabilidade aguda do cotovelo causada por fratura isolada da
cabeça do rádio

973. Considerando-se os corredores de segurança para colocação de


fixador externo, está correta a seguinte relação estrutura posição
anatômica:
a) nervo radial – anterior no terço médio do braço
b) nervo fibular – lateral no terço proximal da perna
c) artéria poplítea – lateral no terço distal da coxa
d) artéria tibial posterior – lateral no terço distal da perna

974. Sobre os eixos mecânico e anatômico normais dos membros infe-


riores no adulto é correto afirmar:
a) o eixo mecânico coincide com o anatômico nos membros inferiores
b) o eixo anatômico do fêmur difere 6 graus em valgo do eixo mecâ-
nico do membro inferior
c) a superfície articular normal da tíbia proximal é aproximadamente
3 graus em valgo em relação ao eixo vertical central do corpo
d) o eixo mecânico do fêmur difere 6 graus em varo do eixo mecâni-
co do membro inferior próximo ao centro do joelho. Forma um
ângulo de 3 graus em relação ao eixo central do corpo

975. Sobre a fixação externa na fratura exposta de ossos da perna, as-


sinale a alternativa FALSA:
a) permite o controle do dano local em fraturas com grave lesão de
partes moles
b) provê estabilidade absoluta
c) pode ser usada no tratamento definitivo das fraturas
d) provoca menos dano ao suprimento sanguíneo ósseo

976. Com relação às montagens do fixador externo, é correto afirmar,


EXCETO:
a) a distância dos fios/pinos de Schanz do foco de fratura: quanto mais
perto, mais rígido

Book-Perguntas.indb 2 10/31/11 3:18:02 PM


Seção 13 – ASAMI (Fixadores externos) 213

b) quanto mais distantes entre si os pinos de Schanz forem inseridos


em cada fragmento principal, mais rígido
c) a distância do tubo longitudinal (barra) de conexão: quanto mais
próxima do osso, mais rígido
d) a combinação de fixador externo com fixação interna limitada (pa-
rafuso de tração) é altamente indicada

977. Sobre as pseudartroses pós-traumáticas:


a) é a não consolidação de uma fratura
b) é o retardo de consolidação de uma fratura
c) presença de neuropatia não interfere na consolidação
d) todas estão corretas

978. Com relação a classificação de Willeneger e Roth:


a) é utilizada para pseudartroses, sendo dividida em infectada e não
infectada, com ou sem perda óssea, vascular ou avascular
b) é utilizada para classificar osteomielites: subdivide-se em aguda,
subaguda ou crônica
c) classifica as infecções após a fixação interna
d) classifica as infecções após a fixação externa

979. Fixadores externos são dispositivos que suportam carga, parte des-
ta é transferida para os pinos de Schanz transcorticais que são
submetidos, predominantemente, às forças de tração e flexão. As-
sinale a alternativa correta
a) os pinos de Schanz apresentam maior resistência à tração quanto
maior for a diferença entre os diâmetros externo e interno
b) a resistência à força de arrancamento independe dos diâmetros
externo e interno do pino de Schanz
c) pinos de Schanz cônicos apresentam maior resistência às forças de
tração
d) pinos de Schanz cilíndricos apresentam maior resistência às forças
de flexão

980. O fixador externo linear, aplicado na emergência, provê a estabiliza-


ção temporária de um membro, permitindo que os tecidos moles se
recuperem. Sobre a conversão para osteossíntese interna é correto:
a) evidência de infecção no trajeto do pino, quando a conduta mais
adequada é a remoção deste fixador e fixação interna definitiva

Book-Perguntas.indb 3 10/31/11 3:18:02 PM


214 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

b) a conversão é aceita mesmo na vigência das partes moles inade-


quadas
c) após a conversão, o local de inserção dos pinos deve ser suturado
d) a conversão é considerada segura se realizada até 2 semanas após
a fixação externa, desde que os trajetos dos pinos estejam sem sinais
de infecção

981. Sobre o fixador externo modular uniplanar (técnica proposta pelo


grupo AO):
a) apresenta menor estabilidade que o fixador uniplanar de tubo único
b) é de difícil execução e exige uso acentuado de fluoroscopia
c) apresenta vantagens em fraturas com desvios acentuados e exten-
sa lesão de partes moles
d) a redução deve ser obtida antes do posicionamento dos pinos de
Schanz

982. Na comparação do comportamento mecânico de diferentes siste-


mas de fixação externa, observamos:
a) fixador uniplanar de tubo duplo (duas barras) apresenta maior es-
tabilidade que o fixador biplanar
b) o uso de pinos e fios transfixantes agrega estabilidade ao sistema
c) o fixador uniplanar de tubo único apresenta estabilidade semelhan-
te ao fixador uniplanar de tubo duplo, sendo desnecessária a adição
da segunda barra
d) fixador modular uniplanar apresenta maior estabilidade que o fixa-
dor uniplanar linear de tubo duplo

983. Em relação ao tratamento da pseudoartrose infectada dos ossos


longos, é correto:
a) o uso dos fixadores externos mostrou-se ineficaz para consolidação
da pseudoartrose, sendo adequado aguardar a resolução da infec-
ção e realizar osteossíntese interna com enxerto ósseo
b) o encurtamento agudo (após ressecção dos tecidos infectados e
desvitalizados) não deve ser realizado, sendo adequada a realização
de transporte ósseo
c) o método de Ilizarov, associado ao encurtamento agudo com sub-
sequente alongamento ósseo, mostrou-se eficaz para o tratamento
da pseudartrose infectada
d) após a ressecção dos tecidos infectados, o uso de enxerto ósseo é
fundamental para a consolidação da pseudoartrose

Book-Perguntas.indb 4 10/31/11 3:18:02 PM


Seção 13 – ASAMI (Fixadores externos) 215

984. Segundo Ilizarov, a corticotomia adequada para realização de alon-


gamento ósseo ou transporte deve ser feita, preferencialmente:
a) com osteótomos/formões largos, finos e retos
b) com osteótomo estreito, curvo e grosso
c) com serra, em corte único, incluindo o periósteo
d) com múltiplas perfurações no periósteo, seguida do uso de formões
para completar o corte

985. Em um fixador externo para circular o posicionamento, a orienta-


ção e o número de dobradiças são fatores críticos para a correção
da deformidade. É correto afirmar que
a) dobradiças situadas na lado côncavo da deformidade angular, de-
pois da retificação, causa um efeito de tração
b) quanto mais próximo do centro de rotação da angulação (CORA),
maior será o alongamento
c) dobradiças situadas no lado convexo resultam em compressão
d) dobradiças posicionadas na borda, do lado convexo da deformida-
de, produzem cunha de abertura após a retificação dos anéis

986. Na montagem de um fixador externo circular, é correto:


a) durante a introdução do fio, quando este atravessa a musculatura
flexora, o membro deve estar estendido, e quando o fio passa no
grupo muscular do lado oposto, deverá estar flexionado.
b) o uso apenas de fios, sem o uso de pinos, não confere estabilidade
adequada
c) o uso de fios olivados não previne fuga lateral do sistema, sendo
utilizados pinos para esta função
d) infecção no trajeto dos fios ocorre geralmente por germes hospita-
lares, sendo de difícil resolução. O tratamento envolve antibiotico-
terapia prolongada.

987. A sequência da montagem proposta pelo grupo AO do fixador


externo linear, para controle de danos em ossos longos, segue os
seguintes passos:
a) 1- fixação dos pinos centrais o mais próximo da fratura; 2- união
destes pinos com duas barras, sendo a primeira próxima da pele;
3- fixação dos pinos de Schanz das extremidades, com o máximo
de distância da fratura
b) 1- fixação dos pinos de Schanz das extremidades, com o máximo
de distância da fratura; 2- união destes pinos com duas barras,

Book-Perguntas.indb 5 10/31/11 3:18:02 PM


216 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

sendo a primeira próxima da pele; 3- fixação dos pinos centrais o


mais próximo da fratura
c) 1- fixação dos pinos de Schanz das extremidades, com o máximo
de distância da fratura; 2- união destes pinos com uma barra pró-
xima da pele; 3- fixação dos pinos centrais o mais próximo da fra-
tura; 4- adição da segunda barra na montagem
d) 1- fixação dos pinos de Schanz das extremidades, com o máximo de
distância da fratura; 2- união destes pinos com uma barra; 3- fixação
dos pinos de Schanz centrais distantes da fratura (para aumento da
área de trabalho); 4- adição da segunda barra na montagem

988. Em relação ao estresse mecânico ao qual os fixadores externos são


submetidos, é correto afirmar que:
a) a carga imposta ao fixador externo é distribuída uniformemente por
toda a montagem
b) a interface pino/osso é o local de menor concentração de forças na
montagem do fixador externo
c) o estresse mecânico imposto aos pinos de Schanz concentra-se em
sua porção fixa aos anéis/tubos
d) o talo liso apoiado na cortical cis (primeira cortical/de entrada)
aumenta a resistência dos pinos às forças de flexão

989. Para as perdas ósseas da tíbia de até 7 cm, está indicada a técnica de:
a) transporte ósseo externo
b) transporte ósseo interno
c) transporte ósseo combinado
d) nda

990. O local mais indicado para se realizar a corticotomia de ossos lon-


gos para alongamento ósseo é na região...
a) diafisária
b) metafisária
c) epifisária
d) cicatriz fisária

991. Nos alongamentos ósseos da tíbia, deve ser realizada a ressecção


de um segmento fibular para permitir o alongamento? Se a res-
posta for afirmativa, em que nível?
a) não é necessário
b) sim e no mesmo nível da corticotomia tibial

Book-Perguntas.indb 6 10/31/11 3:18:02 PM


Seção 13 – ASAMI (Fixadores externos) 217

c) sim e em nível diferente do nível da corticotomia tibial


d) sim e em dois níveis, proximal e distal à corticotomia tibial

992. Em relação à velocidade de correção das deformidades angulares


dos ossos longos, e à taxa de regeneração diária óssea, podemos
afirmar que:
a) a correção deve ser aguda e a taxa de regeneração óssea diária é
de 1,2-1,5mm
b) a correção deve ser progressiva e a taxa de regeneração óssea diá-
ria é de 0,8-1,2mm
c) a correção deve ser aguda e a taxa de regeneração óssea diária é
de 0,8-1,2mm
d) a correção deve ser progressiva e a taxa de regeneração óssea diá-
ria é de 1,2-1,5mm

993. Para a realização de alongamento ósseo deve ser levado em con-


sideração todos os fatores abaixo, exceto:
a) o suprimento sanguíneo do fragmento ósseo
b) rigidez da fixação dos fragmentos osteotomizados
c) ritmo de distração
d) independe da manutenção da função do membro a ser alongado

994. A complicação mais comum nos alongamentos ósseos, nos casos


de braquimetatarsia, é:
a) a rigidez da primeira articulação metatarsofalangeana
b) pseudoartrose do primeiro metatarsiano
c) dor na cabeça do primeiro metatarsiano
d) osteoartrose da primeira matatarsofalangeana

995. Pode-se dizer que após a retirada do fixador externo durante o


alongamento ósseo dos membros inferiores:
a) há uma diminuição da força muscular permanente após a retirada
do fixador externo
b) há uma diminuição da força muscular temporária após a retirada
do fixador externo, normalizando-se em 2 anos
c) não há uma diminuição da força muscular após a retirada do fixador
externo
d) há uma diminuição da força muscular temporária após a retirada
do fixador externo, normalizando-se em 3 anos

Book-Perguntas.indb 7 10/31/11 3:18:02 PM


218 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

996. O principal fator limitante para o alongamento ósseo é:


a) qualidade óssea
b) condições de partes moles
c) contraturas articulares
d) força muscular

997. O desvio mais comum da tíbia, quando se realiza o alongamento


ósseo pelo método de Ilizarov, e a porcentagem de alongamento
em que há um aumento da taxa de complicações são:
a) varo e 35%
b) valgo e 25%
c) valgo e 35%
d) varo e 25%

998. Durante a distração óssea, o maior contribuinte para o crescimento


ósseo, visto que a cortical está rompida para o alongamento, é:
a) o periósteo
b) a medular
c) as partes moles
d) nda

999. A partir de qual porcentagem de alongamento ósseo, em relação


ao comprimento inicial, a musculatura passa a sofrer dano histo-
lógico?
a) 10%
b) 20%
c) 30%
d) 40%

1000. Qual osso possui consolidação mais acelerada quando sofre alon-
gamento ósseo: fêmur ou tíbia? e qual consolida mais rapidamen-
te quando o alongamento é bifocal?
a) fêmur e fêmur
b) fêmur e tíbia
c) tíbia e fêmur
d) tíbia e tíbia

Book-Perguntas.indb 8 10/31/11 3:18:02 PM


Respostas comentadas

Seção 1 – Ciências básicas


1. Resposta correta: a.
Quanto à localização anatômica da lesão do LCM, 65% encontra-se no lado
femoral, 25% no lado tibial e cerca de 10% está na linha articular. As lesões fe-
morais cicatrizam melhor que as tibiais.
Referência: Cohen M. Tratado de ortopedia. São Paulo: Roca; 2007. p.409.

2. Resposta correta: a.
A corona mortis é uma anastomose entre a veia obturatória e a veia femoral.
Essa anastomose encontra-se posterior ao ramo superior da pube, e a sua lesão
pode causar sangramento abundante e de difícil controle.
Referência: Reis FB. Fraturas. 2. ed. São Paulo: Atheneu; 2005.

3. Resposta correta: d.
A manobra de Allis é a mais utilizada e consiste em colocar o paciente em
posição supina, fletindo o quadril e o joelho a 90o. Um assistente segura a bacia
e exerce-se tração ao zênite ao longo da coxa, fazendo, ainda, movimentos suaves
de rotação externa e interna. Após a redução, o paciente é mantido em repouso
até o desaparecimento da dor.
Referência: Reis FB. Fraturas. 2. ed. São Paulo: Atheneu; 2005. p.351.

Book-Respostas.indb 1 10/31/11 3:20:15 PM


220 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

4. Resposta correta: a.
A manobra de Leadbetter consiste em flexão do quadril em 90o, tração ao
zênite, rotação interna e extensão até cerca de 10o de flexão, evitando-se a exten-
são completa.
Referência: Reis FB. Fraturas. 2. ed. São Paulo: Atheneu; 2005. p.357.

5. Resposta correta: c.
No alinhamento normal, as trabéculas da cabeça femoral formam um ân-
gulo de 160o com a cortical medial da diáfise na radiografia em AP e de 180o com
a diáfise no perfil.
Referência: Reis FB. Fraturas. 2. ed. São Paulo: Atheneu; 2005. p.357.

6. Resposta correta: b.
A artéria do ligamento redondo não tem nenhuma importância até os 8
anos de idade. Após os 8 anos, torna-se responsável por aproximadamente 20%
da irrigação da cabeça, como no adulto.
Referência: Reis FB. Fraturas. 2. ed. São Paulo: Atheneu; 2005. p.363.

7. Resposta correta: a.
As lesões do ligamento cruzado anterior são mais frequentes na segunda e
na terceira décadas de vida e predominam no sexo masculino, mas essas lesões
vêm aumentando na população feminina.
Referência: Cohen M. Tratado de ortopedia. São Paulo: Roca; 2007. p.401.

8. Resposta correta: d.
São consideradas fraturas distais do fêmur todas as fraturas que ocorram
nos 9 cm distais do fêmur, ou seja, entre a região diáfiso-metafisária e a articu-
lação do joelho. Existindo dúvida quanto à localização, a técnica do quadrado
metafisário preconizada pelo grupo AO pode ser usada.
Referência: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT). Ortopedia do adulto.
Rio de Janeiro; Revinter; 2004. p.243.

9. Resposta correta: d.
A síndrome do estresse tibial medial é um processo inflamatório do periós­
teo e do osso subperiosteal, resultado da ação de forças de tração e compressão
que agem sobre a perna. A dor localiza-se em uma área de longa extensão no
terço distal da face medial da tíbia, não havendo sinais de fratura.
Referência: Cohen M. Tratado de ortopedia. São Paulo: Roca; 2007. p.813.

Book-Respostas.indb 2 10/31/11 3:20:15 PM


Respostas comentadas – Seção 1 – Ciências básicas 221

10. Resposta correta: a.


A ação concêntrica (encurtamento muscular) é uma ação dinâmica, produ-
zindo movimentação articular. Os filamentos de actina são puxados e aproximados
uns dos outros. A ação isométrica (estática) é uma ação sem movimento, gerando
força sem alterar seu comprimento. A ação excêntrica (alongamento muscular) é
uma ação dinâmica; nesse caso, os filamentos da actina são tracionados ainda mais
do centro do sarcômero, provocando essencialmente seu alongamento.
Referência: Cohen M. Tratado de ortopedia. São Paulo: Roca; 2007. p.797.

11. Resposta correta: b.


A tendinopatia lateral do cotovelo geralmente acomete esportistas ao redor
de 30 anos de idade. A lesão primária ocorre no extensor radial curto do carpo,
embora, em um terço dos casos, ocorra envolvimento do extensor comum dos
dedos.
Referência: Cohen M. Tratado de ortopedia. São Paulo: Roca; 2007. p.792.

12. Resposta correta: b.


A doença de Freiberg acomete geralmente o segundo metatarsiano e ma-
nifesta-se em adolescentes ou adultos jovens. O sexo feminino apresenta uma
frequên­cia geralmente 4 vezes maior quando comparado ao sexo masculino.
Referência: Pardini Jr AG, de Souza JMG. Clínica Ortopédica – atualização em cirurgia do pé e
tornozelo. Rio de Janeiro: Medsi; 2001. p.491.

13. Resposta correta: d.


O teste de Mulder é utilizado na detecção da metatarsalgia de Morton. O
teste consiste em aplicação de força de compressão nas cabeças do primeiro ao
quinto metatarsos no sentido de aproximá-las entre si, causando redução subs-
tancial dos espaços intermetatarsais.
Referência: Barros Filho T, Lech O. Exame físico em ortopedia. 2. ed. São Paulo: Sarvier; 2001.
p.292.

14. Resposta correta: c.


Os músculos extrínsecos do pé são subdivididos em compartimentos an-
terior, lateral, posterior superficial e posterior profundo. No compartimento an-
terior, os músculos extrínsecos são: tibial anterior, extensor longo do hálux, ex-
tensor longo dos dedos e fibular terceiro. O compartimento lateral é composto
pelos músculos fibulares longo e curto. O compartimento posterior superficial é
composto pelos músculos gastrocnêmio, sóleo e plantar. O compartimento pos-

Book-Respostas.indb 3 10/31/11 3:20:15 PM


222 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

terior profundo é composto pelos músculos flexor longo do hálux, flexor longo
dos dedos e tibial posterior.
Referência: Pardini Jr AG, de Souza JMG. Clínica Ortopédica – atualização em cirurgia do pé e
tornozelo. Rio de Janeiro: Medsi; 2001. p.277.

15. Resposta correta: c.


Os movimentos de lateralidade do punho (adução e abdução) ocorrem
tanto na articulação radiocarpiana como na mediocarpiana, em diferentes pro-
porções. O desvio radial ocorre em cerca de 60o a 65o na articulação mediocar-
piana, e o desvio ulnar ocorre em 65o a 80o na articulação radiocarpiana.
Referência: Cohen M. Tratado de ortopedia. São Paulo: Roca; 2007. p.74.

16. Resposta correta: a.


O sinal dos muitos dedos indica presença de deformidade em abdução do
antepé com relação aos demais segmentos. Esse sinal frequentemente se relacio-
na com a pronação do retropé em virtude da insuficiência do tendão do múscu-
lo tibial posterior no pé plano adquirido do adulto. Quando se observam por trás
o tornozelo e o pé de indivíduos normais, aparece lateralmente a imagem de
apenas um artelho. Na eventualidade de existir abdução exagerada do antepé,
surgem mais dedos lateralmente.
Referência: Barros Filho T, Lech O. Exame físico em ortopedia. 2. ed. São Paulo: Sarvier; 2001.
p.290.

17. Resposta correta: d.


A sensibilidade cutânea do tornozelo e do pé provém das raízes de L4, L5 e
S1. A distribuição é feita por meio dos ramos dos nervos safeno, fibular superficial,
fibular profundo e sural. A região do hálux corresponde ao nervo fibular profundo.
Referência: Barros Filho T, Lech O. Exame físico em ortopedia. 2. ed. São Paulo: Sarvier; 2001.
p.272.

18. Resposta correta: a.


O dedo em taco de golfe consiste em hiperflexão da IFD.
Referência: Barros Filho T, Lech O. Exame físico em ortopedia. 2. ed. São Paulo: Sarvier; 2001.
p.276.

19. Resposta correta: a.


Os músculos extrínsecos do pé são subdivididos em compartimentos an-
terior, lateral, posterior superficial e posterior profundo. No compartimento an-

Book-Respostas.indb 4 10/31/11 3:20:15 PM


Respostas comentadas – Seção 1 – Ciências básicas 223

terior, os músculos extrínsecos são: tibial anterior, extensor longo do hálux, ex-
tensor longo dos dedos e fibular terceiro.
Referência: Pardini Jr AG, de Souza JMG. Clínica Ortopédica – atualização em cirurgia do pé e
tornozelo. Rio de Janeiro: Medsi; 2001. p.277.

20. Resposta correta: b.


O sexo feminino, quando comparado ao sexo masculino, apresenta um
risco de 2 a 4 vezes maior de romper o LCA desempenhando a mesma atividade
esportiva.
Referência: Cohen M. Tratado de ortopedia. São Paulo: Roca; 2007. p.401.

21. Resposta correta: b.


A consolidação primária significa que os ósteons passam diretamente pelo
traço da fratura, havendo cura da fratura sem os passos normais da consolidação
natural (hematomas, calo primário, calo secundário e remodelação) e só ocorre
em situação de estabilidade absoluta.
Referência: Perren SM. Evolution of the internal fixation of long bone fractures. The scientific
basis of biological internal fixation: choosing a new balance between stability and biology. Jornal
of Bone and Joint Surgery BR. 2002;84(8):1093-100.

22. Resposta correta: c.


Entre os compartimentos posterior superficial e posterior profundo da
perna passa o nervo tibial posterior. O compartimento posterior superficial con-
tém os músculos gastrocnêmio, sóleo e plantar. Quando ocorre perda da sensi-
bilidade da parte dorsolateral do pé por aumento da pressão do compartimento
posterior superficial há, consequentemente, lesão do nervo sural, que é ramo do
nervo tibial.
Referência: Rockwood CA, Green DP, Bucholz RW (ed.). Rockwood & Green’s fractures in
adults. 6. ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2006. p. 433

23. Resposta correta: b.


No tratamento das fraturas do fêmur são utilizadas hastes intramedulares.
Virtualmente, na manufatura de todas as hastes disponíveis existe uma divergên-
cia entre os raios de curvatura da haste e do fêmur. Em dados colhidos em uma
série de esqueletos de um museu, e em um laboratório de biomecânica de um
hospital, o arco foi medido em 948 ossos de 478 pares usando um programa
computadorizado, variando entre 109 e 120 cm.

Book-Respostas.indb 5 10/31/11 3:20:15 PM


224 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

A idade e o comprimento do fêmur não influenciaram no raio de curvatu-


ra. Contudo, a raça afetou a curvatura anterior: na raça negra foi notada uma
curvatura menor (120 cm).
O raio de curvatura de 8 hastes mostrou uma variação entre 186 e 300cm,
indicando que os implantes eram muito mais retos do que os ossos para os quais
foram construídos com a função de estabilizar, em referência a ossos mais curvos
observados em outras raças.
Essa divergência pode prejudicar a entrada da haste, provocar fratura-ex-
plosão da diáfise e instabilidade por uma fratura secundária, além de compro-
meter o alinhamento femoral conseguido no plano sagital.
Referência: Rockwood CA, Green DP, Bucholz RW (ed.). Rockwood & Green’s fractures in
adults. 6. ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2006. p. 1851.

24. Resposta correta: b.


As fraturas C2 correspondem a fraturas articulares completas, com traço
articular simples e metafisário multifragmentado. Deste modo, a redução articu-
lar deve ser sempre anatômica, com compressão interfragmentária (estabilidade
absoluta) e o componente metafisário, em razão de sua fragmentação, permite
apenas alinhamento funcional e fixação elástica (estabilidade relativa), obtidos
pelo uso de uma placa tipo “ponte” ou uma haste intramedular.
Referência: Ruedi TP, Murphy WMAO. Principles of fracture management. Artmed. p. 117.

25. Resposta correta: d.


No úmero distal, os núcleos de ossificação do capítulo, da tróclea e do
epicôndilo lateral se fundem para formar um centro único epifisário. O núcleo
de ossificação do epicôndilo medial é o último a se fundir a esse centro. Geral-
mente essa fusão ocorre nas fases tardias da adolescência.
Referência: Rockwood CA, Beaty JH, Kasser JR (eds.). Rockwood and Wilkins fractures in
adults. 6. ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2006. p.532.

26. Resposta correta: a.


No acesso cirúrgico dorsal do antebraço, dois planos internervosos são
descritos (apesar de serem planos entre ramos do mesmo nervo – radial). Um é
no intervalo entre os músculos extensor radial curto do carpo e extensor dos
dedos. O outro, está localizado entre os músculos extensor ulnar do carpo e o
anconeu. Esses dois intervalos separam músculos inervados pelo nervo radial
dos músculos inervados pelo nervo interósseo posterior.
Referência: Rockwood CA, Green DP, Bucholz RW (ed.). Rokwood & Green’s fractures in adults.
6. ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2006. p. 974.

Book-Respostas.indb 6 10/31/11 3:20:15 PM


Respostas comentadas – Seção 1 – Ciências básicas 225

27. Resposta correta: a.


A doença de Paget envolve um distúrbio na reabsorção e formação de te-
cido ósseo, sendo a fase lítica, inicial, aquela em que ocorre intensa reabsorção
osteoclásica. Não há remodelação nessa fase e os osteoblastos estão com ativida-
de normal. As fases seguintes envolvem aumento na formação de osso novo, com
padrão em mosaico e resistência anormal.
Referência: Weinstein SL, Buckwalter JA. Turek’s orthopaedics: principles and their application.
Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins. p. 294.

28. Resposta correta: c.


Na invasão bacteriana da articulação a partir de uma bacteremia, alguns
fatores parecem facilitar o caminho do micro-organismo. Entre eles, a ausência
de uma membrana basal limitante nos capilares da sinovial permitiria que as
bactérias intravasculares atingissem o espaço extravascular, chegando, assim, ao
tecido sinovial. Após a invasão, ocorre progressivo infiltrado leucocitário poli-
morfonuclear, principalmente neutrófilos. A fagocitose bacteriana parece ser
inibida pelos fibroblastos da sinovial.
Referência: Canale ST. Campbell’s operative orthopaedics. 10. ed. St. Louis: Mosby; 2003. p. 686.

29. Resposta correta: d.


O mieloma múltiplo é o tumor primário maligno mais comum do osso, ocor-
rendo principalmente a partir da quinta década de vida. O aspecto radiográfico tí-
pico é de lesões líticas demarcadas, sem esclerose reacional, com aparência de ter
sido removido osso por um “saca-bocado”. O fato de não haver esclerose reacional
explica também a cintilografia óssea ser negativa (normocaptante) no mieloma,
aspecto importante no diagnóstico diferencial com outras lesões tumorais.
Referência: Canale ST, Beatty JH (eds). Campbell’s operative orthopaedics. 11. ed. Philadelphia:
Mosby; 2008. p. 919.

30. Resposta correta: a.


Durante a marcha os abdutores do quadril (glúteos médio e mínimo) atu-
am predominantemente na fase de apoio por serem mais solicitados.
Referência: Barros Filho T, Lech O. Exame físico em ortopedia. 2. ed. São Paulo: Sarvier; 2001. p.93.

31. Resposta correta: c.


Os membros superiores dos pacientes portadores de mielomeningocele
podem evoluir com espasticidade, ataxia ou uma combinação dessas, em razão
do comprometimento do sistema nervoso central.
Referência: Herring JA (ed.) Tachdjian’s pediatric orthopaedics. 4. ed. v. 2. Philadelphia: Saun-
ders-Elsevier; 2008. p.1412.

Book-Respostas.indb 7 10/31/11 3:20:15 PM


226 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

32. Resposta correta: b.


Na osteoporose os exames laboratoriais são essencialmente normais, sendo
que a dosagem de fosfatase alcalina pode ser monitorada em alguns pacientes em
tratamento, para checar a resposta clínica.
Referência: Cohen M. Tratado de ortopedia. São Paulo: Roca; 2007. p.612.

33. Resposta correta: a.


As alterações blásticas presentes na doença de Paget ocorrem como reação
à fase lítica inicial, em que há intensa atividade osteoclástica. O padrão de for-
mação óssea decorrente é irregular, gerando aspecto histológico de mosaico.
Referências: Canale ST, Beatty JH (eds). Campbell’s operative orthopaedics. 11. ed. Philadelphia:
Mosby; 2008. p.873
Weinstein SL, Buckwalter JA. Ortopedia de Turek: princípios e sua aplicação. São Paulo: Manole;
2000. p. 294.

34. Resposta correta: c.


O anel pericondral de Lacroix é uma estrutura fibrosa que envolve a zona
de Ranvier e conecta o periósteo da zona metafisária e a epífise cartilaginosa.
Tem a importante função mecânica de estabilizar a placa fisária.
Referência: Beaty JH, Kasser JR (eds.). Rockwood & Wilkins’ fractures in children. 6. ed. Phila-
delphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2006 p. 99.

35. Resposta correta: d.


A artéria de Adamkiewicz é a principal artéria nutridora da medula na
região toracolombar. Em 80% dos indivíduos está localizada à esquerda entre os
níveis vertebrais T9 e T11. Esse conhecimento é de fundamental importância
para que, durante um acesso cirúrgico à coluna, este vaso seja preservado.
Referência: Canale ST. Campbell’s operative orthopaedic. 11. ed. Philadelphia: Mosby; 2008.
p.1734.

36. Resposta correta: b.


Na avaliação do TRM alguns reflexos traduzem a integridade ou lesão
medular/radicular no nível da lesão. O reflexo cremastérico reflete o nível neu-
rológico T12-L1. Este reflexo consiste no movimento para cima do saco escrotal
após o estímulo da face medial da coxa. A resposta anormal consiste na paralisia
do saco escrotal após esse estímulo.
Referência: Rockwood CA, Green DP, Bucholz RW (ed.). Rokwood & Green’s fractures in adults.
5. ed. v. 2. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins, 2001. p. 1408.

Book-Respostas.indb 8 10/31/11 3:20:15 PM


Respostas comentadas – Seção 1 – Ciências básicas 227

37. Resposta correta: c.


A infecção extrapulmonar pelo M. tuberculosis afeta principalmente o sis-
tema esquelético, sendo o esqueleto axial sua localização preferencial. Dentre as
regiões da coluna vertebral, a mais frequentemente comprometida é a transição
toracolombar.
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Lovell and Winter’s pediatric orthopaedics. 6. ed. v. 1.
Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2006. p. 473.

38. Resposta correta: d.


Na classificação de Boyd, o tipo I apresenta um arqueamento anterolateral
da tíbia; o tipo II, além do arqueamento anterolateral da tíbia, espessamento
cortical e afilamento do canal medular. A característica dominante no tipo III é
a presença de cistos ósseos. No tipo IV, a pseudartrose está instalada.
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Lovell and Winter’s pediatric orthopaedics. v. 2. Philadel-
phia: Lippincott Williams & Wilkins. p.1191.

39. Resposta correta: a.


A luxação do quadril na paralisia cerebral ocorre em consequência de um
desequilíbrio muscular. As forças musculares que provocam a luxação (predo-
mínio de adutores e flexores do quadril), levam, no decorrer do tempo, a uma
deformidade do fêmur proximal com valgismo e anteversão do colo e um au-
mento do trocânter menor. Não há displasia acetabular, diferentemente do que
ocorre na displasia do desenvolvimento do quadril. O quadril subluxado dói
menos que o luxado.
Referência: Flyn JM, Miller F. Management of hip disorders in patients with cerebral palsy. J Am
Acad Orthop Surg; 2002;10(3):198-209.

40. Resposta correta: b.


Ambos os exames têm pouca especificidade. A elevação dos níveis de am-
bos é rápida; entretanto, com o tratamento adequado, os níveis de proteína C
reativa normalizam-se mais precocemente, servindo de parâmetro para contro-
le da eficácia do tratamento empregado.
Referência: Morrissy RT; Weinstein SL. Lovell and Winter’s pediatric orthopaedics. 5. ed. Phila-
delphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2001. p.468.

41. Resposta correta: d.


A ingestão diária de ácido fólico deve ser realizada precocemente. A mie-
lomeningocele é uma falência no fechamento do tubo neural que ocorre entre 26
e 28 dias de gestação. A mielomeningocele é uma anomalia congênita complexa
dinâmica, com mudanças no comprometimento neuromuscular. A função neu-

Book-Respostas.indb 9 10/31/11 3:20:15 PM


228 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

rológica pode mudar no decorrer do tempo, principalmente em decorrência de


uma hidrocefalia não diagnosticada ou complicada, ou ainda por alterações ci-
catriciais na medula espinal. A maior incidência de medula presa ocorre na região
lombossacra. Os pacientes com mielomeningocele têm risco de desenvolver gra-
ve alergia ao látex. As cirurgias e outros procedimentos invasivos devem ser
rea­lizados com materiais especiais, sem látex.
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Lovell and Winter’s pediatric orthopaedics. 6. ed. Phila-
delphia: Lippincott; 2006. p. 607.

42. Resposta correta: d.


Uma deficiência de vitamina D resulta em inabilidade de absorção de cálcio
e fósforo. Como resposta à hipocalcemia, o paratormônio é liberado, e isso corrige
o déficit de cálcio sérico. A hipofosfatemia persiste. Assim, os níveis de cálcio estão
normais ou levemente diminuídos, e os níveis de fósforo, diminuídos.
A fosfatase alcalina está aumentada tanto no raquitismo por deficiência de
vitamina D quanto no raquitismo por osteodistrofia renal, pois reflete o aumen-
to do turnover ósseo.
Na osteodistrofia renal os níveis de cálcio no sangue estão normais. Os
níveis de fósforo e fosfatase alcalina estão aumentados. Na osteodistrofia renal
os níveis de cálcio na urina estão diminuídos.
Referência: Morrissy RT; Weinstein SL. Lovell and Winter’s pediatric orthopaedics. 5. ed. v. 1.
Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2001. p.190.

43. Resposta correta: c.


Geralmente durante o apoio unipodálico, toda a massa corporal (cabeça,
tronco, membros superiores e membro inferior contralateral) tende a inclinar a
pelve para o lado contralateral. No quadril, normal isso não ocorre em decorrên-
cia das forças abdutoras, que mantêm a bacia nivelada (Trendelenburg negativo).
Esquematicamente, as forças em equilíbrio funcionam como um sistema de ala-
vancas. O braço de alavanca que corresponde ao peso corporal é em média três
vezes mais longo que o braço de alavanca da musculatura abdutora (consideran-
do-se a cabeça femoral o fulcro de uma alavanca interfixa – semelhante a uma
gangorra). Assim, para a manutenção da posição da pelve, sem que haja inclina-
ção para o lado contralateral, a musculatura abdutora exerce uma força de apro-
ximadamente três vezes o peso corporal.
Referência: Hebert SK et al. Ortopedia e traumatologia: princípios e prática. 3. ed. Porto Alegre:
Artmed; 2003. p. 365.

44. Resposta correta: d.


As artérias circunflexas medial e lateral formam o anel vascular arterial
extracapsular. Os ramos ascendentes cervicais oriundos do anel extracapsular,

Book-Respostas.indb 10 10/31/11 3:20:15 PM


Respostas comentadas – Seção 1 – Ciências básicas 229

no nível subcapital, formam o anel intracapsular, que perfura a epífise fornecen-


do nutrição vascular. A artéria do ligamento redondo é ramo da artéria obtura-
tória. A artéria circunflexa medial é a principal fonte de nutrição para a cabeça
femoral.
Referência: Hebert SK et al. Ortopedia e traumatologia: princípios e prática. 4. ed. Porto Alegre:
Artmed; 2008. p. 409

45. Resposta correta: a.


O entendimento do biofilme ajuda a explicar a natureza das infecções or-
topédicas, sendo que ocorre em superfícies inertes e não viáveis dos implantes.
Sua definição é mais bem descrita como uma comunidade de bactérias sésseis,
circundadas pelo glicocálix da matriz extracelular.
Referência: Rockwood CA, Green DP, Bucholz RW (ed.). Rokwood & Green’s fractures in adults.
6. ed. v. 1. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins, 2006. p.571.

46. Resposta correta: b.


A pesquisa da instabilidade em varo e valgo é realizada com o cotovelo dis-
cretamente fletido em torno de 15o, relaxando a cápsula anterior, além de retirar o
olécrano da fossa.
Referência: Barros Filho T, Lech O. Exame físico em ortopedia. 2. ed. São Paulo: Sarvier; 2001.
p.290.

47. Resposta correta: c.


Na radiografia anteroposterior da tíbia vara de Blount infantil, observamos
angulação em varo da tíbia, alargamento e irregularidade da fise medial, inclina-
ção medial do planalto tibial, “bico” proeminente medial da região epifisio-me-
tafisária e subluxação lateral da tíbia.
Referência: Herring JA (ed.) Tachdjian’s pediatric orthopaedics. 4. ed. Philadelphia: Saunders-
Elsevier; 2008. p.977.

48. Resposta correta: d.


A presença de ar no tecido subcutâneo é uma característica comum de
lesões abertas e pode indicar a extensão de desenluvamento ou contaminação.
Lembre-se que o “ar”, como em casos raros, também pode representar o gás
produzido pelo Clostridium perfringens ou Escherichia coli. No quadro agudo,
no entanto, isso geralmente representa uma fratura exposta.
Referência: Rockwood CA, Green DP, Bucholz RW (ed.). Rokwood & Green’s fractures in adults.
6. ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins, 2006. p.393.

Book-Respostas.indb 11 10/31/11 3:20:16 PM


230 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

49. Resposta correta: d.


Quando a artrodese do tornozelo é realizada, o tornozelo deve ser coloca-
do em uma posição neutra em relação à flexoextensão e com cerca de 5º de
valgo. A rotação do pé em relação à articulação do joelho deve ser a mesma que
no lado não envolvido.
Referência: Weinstein SL, Buckwalter JA. Turek’s orthopaedics: principles and their application.
5. ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2005. p. 677.

50. Resposta correta: a.


A doença de Köenig ou osteocondrite dissecante do joelho foi descrita por
Paré em 1558. A parte lateral do côndilo medial é a mais frequentemente atingida.
Referência: Weinstein SL, Buckwalter JA. Turek’s orthopaedics: principles and their application.
5. ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2005. p. 581.

51. Resposta correta: b.


Osteócitos são ovalados com longos processos citoplasmáticos. Osteoclas-
tos são grandes células irregulares com numerosos núcleos. Osteoblastos são
células cuboides com um só núcleo, habitualmente em posição excêntrica, con-
tendo grande volume de organelas de síntese – retículo endoplasmático e mem-
branas de Golgi.
Referência: Weinstein SL, Buckwalter JA. Turek’s orthopaedics: principles and their application.
5. ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2005. p. 22.

52. Resposta correta: b.


O titânio dificulta mais a formação do biofilme do que o aço. As hastes
canuladas têm área (superfície) maior que as sólidas.
Referência: Schmidt AH, Swiontkowski MF. Pathophisiology of infections after internal fixation
of fractures. J Am Acad Orthop Surg 2000;8(5):285-91.

Book-Respostas.indb 12 10/31/11 3:20:16 PM


Seção 2 – Coluna
53. Resposta correta: c.
As indicações cirúrgicas para pacientes com cifose de Scheuermann são
controversas em razão de a história natural da doença e a progressão da curva
ainda não estarem definidas.
As indicações aceitas em geral incluem cifose torácica progressiva maior
que 75o a 80o em pacientes imaturos, cifose toracolombar excedendo 55°, asso-
ciada à dor, não respondendo ao tratamento conservador, progressão da defor-
midade com utilização de colete e deformidade estética que o cirugião, o pacien-
te e os familiares consideram significativas e inaceitáveis.
Outros fatores para se considerar são a idade do paciente e a localização
da cifose. Se o ápice for na junção toracolombar, a deformidade parece mais
clinicamente significativa e é mais fácil de desenvolver em decorrência da inca-
pacidade da coluna lombar de compensar a deformidade.
As cifoses de raio curto são mais propensas à progressão, sendo mais indi-
cadas a artrodese.
Complicações gerais, pulmonares e neurológicas não costumam ocorrer
em curvas menores que 100o, e essas têm raras indicações de cirurgia.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Sci-
ence; 2011. Capítulo 26.

54. Resposta correta: b.


A localização da anormalidade também desempenha um papel importan-
te na evolução da escoliose. As mais graves são as localizadas na região toraco-
lombar, enquanto as menos graves estão localizadas na torácica alta.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Scien­
ce; 2011. Capítulo 26.

55. Resposta correta: c.


A síndrome do recesso lateral na estenose do canal lombar degenerativa
normalmente resulta de protrusão discal posterior em combinação com alguma
hipertrofia da faceta articular superior. A estenose do recesso lateral pode apre-
sentar-se com radiculopatia, e a incidência de estenose do recesso lateral varia
de 8 a 11%. Esses pacientes apresentam com sintomas de dor ou claudicação
neurogênica em uma distribuição do dermátomo na base do nervo que está com-
primido no recesso lateral.
Referência: Arbit E, Pannullo S. Lumbar stenosis: a clinical review. Clin Orthop Relat Res
2001;384:137-43.

Book-Respostas.indb 1 10/31/11 3:20:16 PM


232 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

56. Resposta correta: d.


A descompressão transtorácica tem se mostrado uma alternativa viável à
costotransversectomia. As vantagens incluem abordagem mais direta para a lesão
e melhor visualização, facilitando a excisão das hérnias centrais e das hérnias com
penetração intradural. As desvantagens do procedimento incluem as possíveis
complicações associadas a uma toracotomia.
Acessos cirúrgicos para hérnia discal torácica:
• costotransversectomia: para hérnia lateral ou herniações suspeitas de
terem expulsão ou sequestro;
• transtorácica (via anterior): para as hérnias centrais.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. Capítulo 44.

57. Resposta correta: c.


Síndromes medulares:
1. quanto mais preservadas as funções motoras e sensitivas distalmente
à lesão, melhor o prognóstico de recuperação;
2. quanto mais rápida a recuperação, maior o grau de recuperação;
3. quando a nova recuperação cessa e atinge um platô, não se deve espe-
rar uma maior recuperação.
Prognóstico – avaliar se a lesão é completa ou incompleta:
• Lesão medular incompleta – alguma função motora ou sensitiva é pre-
servada distalmente ao local da lesão.
• Lesão medular completa – perda motora e sensitiva total distal à lesão.
Se o bulbo cavernoso estiver ausente e não ocorrer retorno das funções
sensitivas e motoras sacrais, a paralisia será de caráter completa na maioria dos
pacientes.
As síndromes medulares incompletas podem ser:
• Síndrome medular central – é a mais comum, com destruição da área
central da medula espinhal, incluindo substância cinzenta e substância
branca.
Os tratos dos braços centrais são os mais afetados, os tratos da
perna em menor progressão.
Quadro de tetraparesia que afeta os membros superiores em
maior grau que os membros inferiores.
A preservação sensitiva é variável, porém comumente a sensibi-
lidade sacral dolorosa é preservada.
Pacientes costumam apresentar melhora parcial imediata após
tração craniana.

Book-Respostas.indb 2 10/31/11 3:20:16 PM


Respostas comentadas – Seção 2 – Coluna 233

Prognóstico variável: 50% dos pacientes recuperam função ve-


sical intestinal, voltam a andar e melhoram a função da mão.
Comum em hiperextensão em uma pessoa mais velha com os-
teoartrose prexistente.
• Da coluna vertebral – a medula espinhal fica comprimida entre o cor-
po vertebral anteriormente e o ligamento amarelo deformado poste-
riormente. Em jovens pode ocorrer com lesões por flexão.
• Síndrome de Brown-squard – lesão a qualquer uma das metades da
medula espinhal.
Causada normalmente por fratura laminar ou pedicular unila-
teral, lesão penetrante ou lesão rotacional com subluxação.
Apresenta debilidade motora no lado da lesão e perda contrala-
teral da sensação de dor e temperatura.
O prognóstico para recuperação é bom, muitas vezes com me-
lhora neurológica significativa.
• Síndrome medular anterior – comumente causada por uma lesão em
hiperflexão, em que os fragmentos ósseos ou discais comprimem a
medula e a artéria espinhal anterior.
Caracteriza-se por perda motora completa e perda da discrimi-
nação de dor e temperatura abaixo do nível da lesão.
As colunas posteriores são poupadas em grau variável, resultan-
do na preservação do tato profundo do sentido de posição e sensibili-
dade vibratória.
O prognóstico de recuperação significativa é insatisfatório.
• Síndrome medular posterior – envolve colunas dorsais e produz perda
da sensibilidade vibratória e de propriocepção, enquanto as outras fun-
ções sensitivas e motoras são preservadas.
Essa síndrome rara geralmente é causada por uma lesão em ex-
tensão.
Síndrome mista é a combinação não classificável de varias sín-
dromes.
Descreve pequena porcentagem de lesões medulares incomple-
tas que não se enquadram nas anteriores.
• Síndrome do cone medular – lesão da medula sacral (cone) e das raízes
dos nervos lombares no interior do canal vertebral, cursa com arrefle-
xia da bexiga, do intestino e dos membros inferiores.
A maior parte ocorre entre T11 e T12 e acarreta paralisia flácida
do períneo e perda de controle das musculaturas vesical e perianal. A
natureza irreversível é evidenciada pela ausência do reflexo bulboca-
vernoso. As funções motoras de L1 e L4 podem estar presentes se as
raízes nervosas tiverem sido preservadas.

Book-Respostas.indb 3 10/31/11 3:20:16 PM


234 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

• Síndrome da cauda equina, ou lesão entre o cone e as raízes lombos-


sacrais no interior do canal vertebral, também resulta em arreflexia da
bexiga, intestino e membros inferiores.
Se lesão for completa, todos os nervos periféricos para intestino,
bexiga, área perianal e membros inferiores perdem sua função, assim
como o reflexo bulbocavernoso e todos os reflexos dos membros infe-
riores, indicando ausência de qualquer função da cauda equina.
Funciona como uma lesão de nervos periféricos e existe a pos-
sibilidade do retorno das raízes não seccionadas.
Comporta-se como uma lesão neurologicamente incompleta.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. Capítulo 78.

58. Resposta correta: b.


Há um aumento da taxa de pseudoartrose associada a fraturas com mais
de 5 mm de deslocamento, angulação maior que 10o, idade acima de 40 anos e
deslocamento posterior.
Referência: Roberts A, Wickstrom J. Prognosis of odontoid fractures. Acta Orthop Scand
1973;44(1):21-30.

59. Resposta correta: d.


A fratura do tipo Chance é uma fratura com mecanismo de flexão-distra-
ção. Há uma falha, principalmente da coluna posterior, e há grande instabilidade
ligamentar. Ela pode ser confundida com a fratura por compressão.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. Capítulo 78.

60. Resposta correta: b.


O cisto ósseo aneurismático é uma afecção rara na coluna. Acomete prin-
cipalmente os elementos posteriores, podendo se expandir para o corpo. Pode
estar presente em qualquer nível e é mais comum em crianças e adultos jovens.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. Capítulo 85.

61. Resposta correta: c.


O acesso extremo lateral é realizado através do músculo psoas.
Referência: Yue JG, et al. The comprehensive treatment of the aging spine. Philadelphia: Elsevier-
Saunders; 2011. Cap. 61.

Book-Respostas.indb 4 10/31/11 3:20:16 PM


Respostas comentadas – Seção 2 – Coluna 235

62. Resposta correta: d.


O efeito sobre o transporte de pequenos solutos para dentro do disco in-
tervertebral por fluidos sujeitos ao bombeamento causado pela deformação do
disco sobre carga axial é mínimo. Isso se deve à baixa permeabilidade hidráulica
relativa da matriz. No entanto, com relação ao transporte de solutos maiores, o
efeito do bombeamento tem papel mais importante.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011.

63. Resposta correta: b.


As células remanescentes da notocorda geralmente não são demonstradas
no núcleo pulposo dos discos intervertebrais em indivíduos com mais de cinco
anos de idade.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011.

64. Resposta correta: d.


O sinal de Gillet é positivo quando ocorre dor em região sacroilíaca após
manobra de estresse dessa articulação.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011.

65. Resposta correta: b.


Epidimoma é o tumor intramedular mais comum no adulto e acomete
indivíduos na quarta e quinta décadas de vida.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011.

66. Resposta correta: b.


Cisto sinovial na articulação facetária da coluna vertebral é dificilmente
visualizado na ressonância magnética em T1, sendo necessárias imagens em T2
ou contraste endovascular.
O exame de escolha para a avaliação de retropulsão de fragmentos ósseos
em fraturas da coluna vertebral é a tomografia computadorizada.
Imagens de ressonância magnética em T1 com supressão de gordura são
muito úteis no diagnóstico precoce de infecções agudas do espaço discal.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011.

Book-Respostas.indb 5 10/31/11 3:20:16 PM


236 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

67. Resposta correta: d.


Na espondilite anquilosante tem prevalência de 1 a 2% entre brancos, sen-
do equivalente à encontrada na artrite reumatoide; está associada ao HLA-27 em
até 90% dos pacientes e apresenta proporção entre homens e mulheres de 3:1,
respectivamente.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011.

68. Resposta correta: d.


Na escoliose idiopática do adolescente, a taxa de incidência entre parentes
de primeiro grau é de 11%, entre parentes de segundo grau é de 2,4%, e entre
parentes de terceiro grau é de 1,4%; a prevalência de curvas maiores que 10° é
maior entre as mulheres, com proporção entre os sexos feminino e masculino de
4:1, respectivamente.
A escoliose idiopática infantil corresponde a menos de 1% das escolioses
e tende a comprometer mais o sexo masculino, apresentando-se com curvas to-
rácicas esquerdas.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011.

69. Resposta correta: d.


Não há diferença na prevalência entre os sexos.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011.

70. Resposta correta: b.


Os critérios de Sorensen são encunhamento vertebral anterior maior que
5° em 3 ou mais vértebras consecutivas no ápice da curva.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011.

71. Resposta correta: c.


A linha de Fischgold-Metzger é obtida a partir da radiografia simples de
coluna cervical em incidência anteroposterior.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011.

Book-Respostas.indb 6 10/31/11 3:20:16 PM


Respostas comentadas – Seção 2 – Coluna 237

72. Resposta correta: b.


“Síndrome de Brown-Séquard: hemissecção da medula, ocasiona perda da
função motora e proprioceptiva do lado da lesão e perda da sensibilidade à dor
e temperatura do lado oposto.”
“Síndrome da medula anterior: existe preservação da propriocepção e per-
da variável da função motora e da sensibilidade à dor.”
“Síndrome da medula central: ocorre principalmente na região cervical e
apresenta comprometimento dos membros superiores mais acentuado que dos
membros inferiores.”
Referência: Delfino HLA. Lesões traumáticas da coluna vertebral. São Paulo: Bevilacqua; 2005.
p.208.

73. Resposta correta: d.


Os critérios propostos por Gaines e Karaikovic utilizam como parâmetros
a cominuição do corpo vertebral fraturado, o desvio do segmento vertebral e o
grau de correção da cifose. São atribuídos valores numéricos (1, 2 e 3) para cada
parâmetro, e a soma desses valores igual ou acima de 7 pontos indicaria a neces-
sidade de reconstrução da coluna anterior, segundo os critérios estabelecidos.
Referência: Delfino HLA. Lesões traumáticas da coluna vertebral. São Paulo: Bevilacqua; 2005.
p.169.

74. Resposta correta: b.


“A zona foraminal é delimitada pelas bordas medial e lateral do pedículo.
Hérnia além da borda lateral do pedículo é denominada de zona extremolateral
ou extraforaminal. Hérnia na zona foraminal ou extraforaminal geralmente afe-
ta a raiz emergente.”
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. p.888.

75. Resposta correta: b.


“Dependendo da definição, hérnia de disco recorrente pode ocorrer em
18% dos casos. O quadro clínico é geralmente de dor ciática recorrente.”
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. p.905.

76. Resposta correta: c.


“Órtese normalmente é indicada na primeira consulta quando o paciente é
es­queleticamente imaturo (Risser ≤ 2) e apresenta-se com uma curva de 25 a 40°.”
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011, p.388.

Book-Respostas.indb 7 10/31/11 3:20:16 PM


238 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

77. Resposta correta: c.


“Comprometimento ósseo e articular se desenvolve em aproximadamente
10% dos pacientes com tuberculose, e metade desses pacientes apresentam tu-
berculose da coluna vertebral.”
“O déficit neurológico será desenvolvido em 10 a 47% dos pacientes com
espondilodiscite por TB.”
“Pacientes com déficit neurológico podem melhorar espontaneamente sem
cirurgia ou quimioterapia ou com a quimioterapia isolada, mas, em geral, o prog-
nóstico é melhorado com cirurgia precoce.”
“Um regime de 6 meses com 3 drogas, incluindo INH, RMP, PZA, é usado
pela maioria dos casos de infecção por bactérias sensíveis, nas nações ocidentais.”
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. p.1535.

78. Resposta correta: b.


“O envolvimento da coluna é normalmente observado em pacientes em
sua terceira e quarta décadas de vida. (..) O tumor de células gigantes é mais
comumente encontrado no corpo vertebral e pode insuflar o osso cortical em
torno (..). O tratamento adjuvante com radioterapia foi associado com taxas ina-
ceitavelmente elevadas de sarcoma secundário (..)”
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. p.1490.

79. Resposta correta: b.


“Espondilolistese degenerativa é uma condição que raramente afeta indi-
víduos com menos de 40 anos de idade. Mais comumente envolve o nível de
L4-L5, embora outros níveis possam ser afetados. Muito menos comumente en-
volve o nível L5-S1, em contraste com espondilolistese ístmica, que ocorre mais
comumente em L5-S (..). Espondilolistese degenerativa é cerca de 4 a 5 vezes mais
comum em mulheres que em homens e é mais comum em mulheres negras que
nas mulheres brancas.”
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. p.1101.

80. Resposta correta: c.


“A dose recomendada de metilprednisolona (NASCIS III-1997) é de 30 mg/
kg de peso (dose de ataque), administrada em bolus durante 15 minutos; 45 mi-
nutos após, administram-se 5,4 mg/kg em infusão constante por 23 horas (dose

Book-Respostas.indb 8 10/31/11 3:20:16 PM


Respostas comentadas – Seção 2 – Coluna 239

de manutenção) ou durante 48 horas, quando administrada entre 4 a 8 horas após


o trauma. Após esse período, a administração da droga não alcança o objetivo
desejado e ainda pode acarretar certos efeitos nocivos.”
Referência: Delfino HLA. Lesões traumáticas da coluna vertebral. São Paulo: Bevilacqua; 2005.
p.211.

81. Resposta correta: c.


As indicações são: idade inferior a 50 anos, trauma importante, déficits
neuromusculares, perda de peso inexplicada, suspeita de espondilite anquilosan-
te, abuso de droga ou álcool, história de câncer, uso de corticosteroides, T ≥ 37,8º
C, consulta recente (dentro de um mês) pelo mesmo problema e nenhuma me-
lhora, paciente buscando indenização por lombalgia.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p.2165.

82. Resposta correta: a.


Outros fatores que podem indicar envolvimento mais grave na coluna in-
cluem doença de longa duração, fator reumatoide positivo, uso de corticosteroide
e sexo masculino.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p.2312.

83. Resposta correta: d.


Os tumores que acometem os elementos posteriores da coluna vertebral
são: osteoblastoma, osteoma osteoide, osteocondroma e cisto ósseo aneurismá-
tico.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 11. ed. Barueri: Manole. p.2322.

84. Resposta correta: a.


O teste cutâneo é contraindicado em pacientes com infecção tuberculosa
prévia em razão do risco de necrose de pele decorrente de uma intensa reação e
não é útil em pacientes com suspeita de reativação da doença.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p.2250.

85. Resposta correta: c.


O critério diagnóstico da doença de Scheuermann típica é mais de 5º de
encunhamento de pelo menos 3 vértebras adjacentes no ápice da cifose e irregu-
laridades na placa terminal vertebral com cifose torácica maior que 50º.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p.2254.

Book-Respostas.indb 9 10/31/11 3:20:16 PM


240 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

86. Resposta correta: b.


Tratamento ortótico na escoliose idiopática do adolescente é indicado para:
curva flexível de 20º a 30º em fase de crescimento com progressão documentada
≥ 5º, curvas de 30º a 40º em fase de crescimento, tratadas na avaliação inicial,
dupla curva principal esteticamente aceitável de 40º a 45º.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. Barueri: Manole. p.1941.

87. Resposta correta: b.


A síndrome de Brown-Séquard é caracterizada por fraqueza motora do
lado da lesão e perda das sensibilidades térmica e dolorosa contralateral.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p.1769.

88. Resposta correta: c.


Tipo I – luxação rotatória sem deslocamento anterior; tipo II – luxação
rotatória com deslocamento anterior de 3 a 5 mm; tipo III – luxação rotatória
com deslocamento anterior maior que 5 mm; tipo IV – luxação rotatória com
deslocamento posterior
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p.1787.

89. Resposta correta: d.


A artéria de Adamkiewicz é a maior nutridora da medula lombar, estando
localizada no lado esquerdo, normalmente no nível T9-T11 (80% dos indivíduos).
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole; 2008. p.1733.

90. Resposta correta: b.


A anomalia ortopédica mais comum é a escoliose. Estudos têm mostrado
que 60 a 70% dos pacientes com síndrome de Klippel-Feil têm escoliose (curvas
> 15º), cifose, ou ambas.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p.1904.

91. Resposta correta: c.


A ruptura do complexo ligamentar posterior, que torna uma fratura toraco-
lombar instável, pode ser suspeitada, entre outros, por sinais radiológicos como:
perda de altura maior que 50% da altura inicial no perfil, aumento da distância in-
terespinhosa no perfil ou em AP e cifose local maior que 25º a 30º. O alargamento,

Book-Respostas.indb 10 10/31/11 3:20:17 PM


Respostas comentadas – Seção 2 – Coluna 241

na visão AP, entre os pedículos, é um achado compatível com fraturas tipo explosão,
mas não tem correlação com ruptura ou não do complexo ligamentar posterior.
Referência: Eastlack RK, Bono CM. Fractures and dislocations of the thoracolumbar spine. In:
Rockwood CA, Green DP, Bucholz RW (ed.). Rockwood & Green’s fractures in adults. 6. ed. v. 2.
Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2006. p.1555.

92. Resposta correta: d.


Existem poucos dados na literatura sobre as lesões por projétil de arma de
fogo na coluna cervical, mas, a princípio, não há indícios de melhora no prog-
nóstico neurológico quando é realizada a laminectomia descompressiva e/ou a
remoção do projétil, exceto em caso de déficit neurológico progressivo.
Referência: Rockwood & Green. Fractures and Dislocations of the lower cervical spine. In: Rock-
wood CA, Green DP, Bucholz RW (ed.). Rockwood & Green’s fractures in adults. 6. ed. v. 2.
Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2006. p.1536.

93. Resposta correta: c.


O índice de lesão neurológica na zona III de Denis é de 56,1%, com 76,1%
dos pacientes apresentando incontinência urinária e fecal e disfunção sexual.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. p.1408.

94. Resposta correta: b.


Sintomas neurológicos são altamente incomuns.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. p.362.

95. Resposta correta: d.


Quando escoliose está presente, a lesão é localizada na concavidade do
ápice da curva.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. p.367.

96. Resposta correta: c.


A espondilolistese degenerativa é mais comum nos níveis L4-L5, 4 a 5
vezes mais comum em mulheres que homens e mais comum em mulheres negras
que mulheres brancas.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. p.1101.

Book-Respostas.indb 11 10/31/11 3:20:17 PM


242 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

97. Resposta correta: c.


Predominam na faixa etária de 20 a 40 anos, maior incidência no sexo mas-
culino, na proporção 3:1, o desvio anterior do fragmento é o mais frequente.
Referência: Pardini Jr. AG, Souza JMG. Clínica ortopédica – atualização em cirurgia de pé e
tornozelo. v.1. Rio de Janeiro. Medsi; 2001. p.802.

98. Resposta correta: b.


O tratamento operatório está indicado nas fraturas do tipo B, com exceção
das fraturas de Chance B2.1.
Referência: Delfino HLA. Lesões traumáticas da coluna vertebral. São Paulo: Bevilacqua; 2005.
p.180.

99. Resposta correta: b.


Déficit motor ipsilateral, perda contralateral da sensibilidade dolorosa e da
temperatura.
Referência: Delfino HLA. Lesões traumáticas da coluna vertebral. São Paulo: Bevilacqua; 2005.
p.27.

100. Resposta correta: c.


São características comuns da escoliose neuromuscular: curvas grandes
precocemente na vida, curvas rígidas, curvas progressivas, curvas longas, obli-
quidade pélvica e deformidade no plano sagital.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. p.402.

101. Resposta correta: c.


Escoliose é a anomalia mais comum, ocorrendo em 60% dos casos. Surdez
ocorre em 30% dos casos.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. p.548.

102. Resposta correta: d.


Fratura do processo espinhoso não faz parte dos sinais radiográficos de
instabilidade.
Referência: Delfino HLA. Lesões traumáticas da coluna vertebral. São Paulo: Bevilacqua; 2005.
p.120.

Book-Respostas.indb 12 10/31/11 3:20:17 PM


Respostas comentadas – Seção 2 – Coluna 243

103. Resposta correta: c.


Os reflexos biceptal, patelar e aquileu correspondem, respectivamente, às
raízes C5, L4 e S1
Referência: Albert T, Vacarro A. Physical examination of the spine. New York: Thieme; 2004.
p.42,109,116.

104. Resposta correta: d.


“Radiculopatia de C6 se manifesta como dor irradiada da base do pescoço
até o aspecto lateral do cotovelo, até a face radial do antebraço e os dedos radiais,
mais comumente envolvendo o polegar.”
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. p.692.

105. Resposta correta: b.


“Fratura do tipo II (..) resulta de uma carga axial com hiperextensão do
pescoço, causando uma fratura do arco, seguida por um momento de flexão.”
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. p.1325.

106. Resposta correta: b.


“As fraturas do côndilo occipital foram classificadas por Anderson e Mon-
tesano (1988) em três tipos:
• Tipo I – fraturas cominutivas e impactadas do côndilo occipital;
• Tipo II – fratura da base do crânio que se estende através do côndilo
occipital;
• Tipo III – fratura por avulsão de fragmento ósseo do côndilo occipital
e conectada ao ligamento alar.”
Referência: Delfino HLA. Lesões traumáticas da coluna vertebral. São Paulo: Bevilacqua; 2005.
p.56.

107. Resposta correta: d.


“Qualquer condição que leve a uma bacteremia pode causar espondilodis-
cite. As fontes mais comuns são as infecções do trato urinário e as bacteremias
transientes recorrentes de procedimentos geniturinários. De 198 casos da litera-
tura em que a fonte do problema foi identificada, 29% eram o trato geniturinário,
13% infecções de partes moles, e 11% infecções de vias aéreas.”
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. p.1514.

Book-Respostas.indb 13 10/31/11 3:20:17 PM


244 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

108. Resposta correta: c.


“A resposta do peciente à injeção discal é subjetiva e fortemente influen-
ciada pela sensibilidade à dor.”
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011. p.291.

109. Resposta correta: a.


“Inicie o teste de Bragard pela elevação do membro inferior. Quando o
paciente sentir dor, abaixe o membro até cessar a dor. Mantenha a perna nessa
posição, retire a mão da coxa e agarre o pé. Coloque o pé em dorsiflexão. Se o
sintoma for reproduzido, é indicada irritação dural.”
Referência: Albert T, Vacarro A. Physical examination of the spine. New York: Thieme; 2004.
p.101.

110. Resposta correta: c.


Nas lesões por flexão-distração, o fulcro da fratura localiza-se posterior-
mente ao LLA.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed, Barueri: Manole. p.1644.

111. Resposta correta: a.


Boa opção sintomática nas dores, discogênicas ou não. Geralmente, apli-
cação de esteroide + anestésico apresenta bom resultado precoce em 60 a 85%
casos e 30 a 40% em 6 meses. Há melhores resultados nas dores subagudas e
crônicas sem tratamento cirúrgico prévio e piores resultados nos casos com al-
terações de força e reflexos. Mielograma negativo também está associado com
melhor resultado. A infiltração é usada apenas na região lombar.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed., Barueri: Manole. p.2002.

112. Resposta correta: c.


A associação entre EA e o antígeno HLA-B27 está presente em 88 a 96%
das vezes. Homens são mais acometidos que mulheres, em uma proporção de
4:1. Em geral, a anquilose progride caudocranialmente. Há reabsorção óssea nos
corpos vertebrais, decorrente do processo inflamatório.
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Lovell and Winter’s pediatric orthopaedics. 5. ed. Phila-
delphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2001. p.468.

Book-Respostas.indb 14 10/31/11 3:20:17 PM


Respostas comentadas – Seção 2 – Coluna 245

113. Resposta correta: c.


A órtese proporciona benefício em colunas com potencial de crescimento,
logo, com Risser inferior a 3.
Referência: Herkowitz HN, et al. Rothmann-Simeone The Spine. 6. ed. New York: Elsevier Science;
2011.

114. Resposta correta: d.


Entre 28 e 67% dos pacientes com mielomeningocele têm anticorpos IgE
específicos ao látex, mas nem todos têm manifestações clínicas de hipersensibi-
lidade ao látex.
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Lovell and Winter’s pediatric orthopaedics. 5. ed. Phila-
delphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2001. p. 607.

115. Resposta correta: d.


A maior parte das subluxações rotatórias se resolve espontaneamente.
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Lovell and Winter’s pediatric orthopaedics. 5. ed. Phila-
delphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2001. p. 885.

116. Resposta correta: b.


Na doença de Scheuermann, pode-se encontrar escoliose leve a moderada
em um terço dos casos, curvas geralmente leves, de 10º a 20o, geralmente de
curso benigno e raramente progressiva
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Lovell and Winter’s pediatric orthopaedics. 5. ed. Phila-
delphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2001. p.810.

117. Resposta correta: d.


O ângulo de Boxall, traçado entre a parede posterior do sacro e o platô
inferior de L5, é um bom preditor de progressão da espondilólise, principalmen-
te se acima de 55º.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed., Barueri: Manole. p.1895.

118. Resposta correta: c.


O nervo laríngeo recorrente direito encontra-se mais vulnerável a lesões
operatórias por dois aspectos diferentes e complementares: trajetória e comprimen-
to. Por apresentar trajetória mais oblíqua e desprotegida, não se relacionando de
forma íntima ao sulco traqueoesofágico, existe maior possibilidade de ocorrerem
traumas diretos, como a compressão por retratores ou a secção acidental, princi-
palmente nas abordagens envolvendo níveis vertebrais mais baixos.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p.1991.

Book-Respostas.indb 15 10/31/11 3:20:17 PM


246 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

119. Resposta correta: c.


Nas fraturas de Jefferson, é importante saber se houve ou não a ruptura do
ligamento transverso. Se o afastamento for maior que 7 mm, houve ruptura (mé-
todo de Spencer). Se houver ruptura do ligamento transverso, a artrodese occi-
pitocervical tem forte indicação.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p.1616.

120. Resposta correta: b.


Critérios de instabilidade de White e Panjabi:
Pontos
2 para:
destruição de elementos anteriores
destruição de elementos posteriores
angulação > 11º
teste de tração (+)
tração progressiva até um terço do peso
(+): distração > 1,7 mm ou angulação > 7,5º
lesão medular
translação > 3,5 mm
1 ponto para:
lesão de raiz
achatamento do disco
antecipação de cargas altas na coluna cervical
Quando a pontuação for maior que 5, a lesão é considerada instável.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p.1606.

121. Resposta correta: d.


São fatores preditivos de progressão na EIA antes da maturidade esquelética:
sexo feminino, sinais de imaturidade esquelética (como sinal de Risser 0 a 2, pe­
ríodo pré-menarca, cartilagem trirradiada aberta), padrão de curva (duplas curvas
e curvas torácicas têm maior probabilidade de progressão, seguidas pelas cur-
vas toracolombares e, por último, as lombares), e magnitude da curva (quanto
maior o valor angular da curva, maior sua chance de progressão).
Referência: Herring JA (ed.) Tachdjian’s pediatric orthopaedics. 4. ed. v. 1. Philadelphia: Saun-
ders-Elsevier; 2008. p.266-8.

122. Resposta correta: b.


Os coletes são indicados com o objetivo de evitar a progressão durante a fase
de crescimento. Segundo os critérios da Scoliosis Research Society, as indicações

Book-Respostas.indb 16 10/31/11 3:20:17 PM


Respostas comentadas – Seção 2 – Coluna 247

ótimas para uso de coletes são: pacientes imaturos (Risser 0, 1 ou 2), pré-menarca
ou menos de 1 ano da menarca (se do sexo feminino), curvas entre 25 e 40º.
Referência: Herring JA (ed.) Tachdjian’s pediatric orthopaedics. 4. ed. v. 1. Philadelphia: Saun-
ders-Elsevier; 2008. p.283-4.

123. Resposta correta: a.


Os defeitos de segmentação unilaterais (barras ósseas unilaterais) apresen-
tam o pior prognóstico quanto à progressão, seguidos das hemivértebras total-
mente segmentadas (defeito de formação). O defeito de segmentação bilateral
(vértebra em bloco) não costuma causar deformidade.
Referência: Herring JA (ed.) Tachdjian’s pediatric orthopaedics. 4. ed. v. 1. Philadelphia: Saun-
ders-Elsevier; 2008. p.343-5.

124. Resposta correta: b.


O uso de corticosteroide no tratamento agudo do trauma raquimedular
(TRM) é controverso na comunidade científica. No entanto, estudos de grande
relevância clínica (NASCIS 1, 2 e 3) demonstraram benefícios com o uso da
metilprednisolona em altas doses. O objetivo do corticosteroide é diminuir a
lesão secundária (em decorrência da reação inflamatória, radicais livres, vasoes-
pasmo etc.) e por isso deve ser administrada o mais precocemente possível. A
dose preconizada é de 30 mg/kg como dose de ataque e 5,4 mg/kg/hora como
dose de manutenção por 24 horas (NASCIS 2).
Referência: Barros Filho TEP. Tratamento medicamentoso no traumatismo raquimedular. Rev
Bras Ortop. 2000; 35(5).

125. Resposta correta: c.


As fraturas tipo explosão são classificadas como fraturas tipo A3 pela clas-
sificação AO e seu tratamento ainda permanece bastante controverso. Conside-
ra-se o tratamento conservador nos casos de fraturas estáveis e o tratamento
cirúrgico nos casos de fraturas instáveis. Os principais critérios de instabilidade
das fraturas tipo explosão são déficit neurológico, cifose maior do que 25°, acu-
nhamento da parede anterior maior do que 50% e fragmento dentro do canal
acometendo mais do que 40-50%. O acometimento da coluna média de Denis
nada mais é do que a definição da fratura tipo explosão.
Referência: Delfino HLA. Lesões traumáticas da coluna vertebral. São Paulo: Bevilacqua; 2005.

126. Resposta correta: d.


As fraturas do processo odontoide representam de 9 a 15% de todas as
fraturas cervicais dos adultos e são mais comuns em idosos e crianças. São clas-
sificadas, de acordo com Anderson e D’Alonzo, em três tipos. A do tipo 1 aco-

Book-Respostas.indb 17 10/31/11 3:20:17 PM


248 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

mete o ápice, é extremamente rara e normalmente estável. As do tipo 2 acometem


o colo, são as mais instáveis e possuem como grande complicação o alto risco de
pseudoartrose. As do tipo 3 acometem o corpo de C2 e normalmente são mais
estáveis, com boa taxa de consolidação com o tratamento conservador. O trata-
mento cirúrgico das fraturas tipo 2 pode ser realizado por via posterior (artro-
dese C1-C2) ou por via anterior (fixação com parafuso de tração). A fixação é
uma maneira mais fisiológica de tratar essas fraturas, pois preserva a mobilidade
C1-C2 (responsável por 50% da rotação cervical). No entanto, para realizar esse
tipo de fixação, o parafuso de tração deve atravessar o traço de fratura com um
ângulo de aproximadamente 90°. Para isso, o traço de fratura deve ser transverso
ou de anterossuperior para posteroinferior.
Referência: Delfino HLA. Lesões traumáticas da coluna vertebral. São Paulo: Bevilaqua; 2005.

127. Resposta correta: a.


Segundo White-Panjabi, os principais critérios de instabilidade radiográ-
fica na coluna cervical são angulação maior do que 11°, translação maior do que
3,5 mm, insuficiência dos elementos anteriores e insuficiência dos elementos
posteriores.
Referência: Delfino HLA. Lesões traumáticas da coluna vertebral. São Paulo: Bevilaqua; 2005.

128. Resposta correta: c.


A lombalgia é uma queixa muito comum no consultório médico, sendo res-
ponsável por grande parte dos atendimentos. Apesar do avanço nos exames diag-
nósticos (tomografia, ressonância etc.), na grande maioria dos casos não se conse-
gue estabelecer um diagnóstico etiológico preciso. Em geral o tratamento é clínico,
devendo ser utilizada medicação analgésica e reabilitação física. O repouso abso-
luto no leito não deve ser realizado. Nos casos de hérnias discais sintomáticas, o
tratamento também é clínico, ficando o tratamento cirúrgico reservado apenas para
os casos com déficit neurológico progressivo, síndrome da cauda equina e para os
casos que não respondem ao tratamento conservador (menos de 10%).
Referência: Frymoyer JW. The adult and pediatric spine. Philadelphia: Lippincott Williams &
Wilkins; 2004.

129. Resposta correta: c.


A cifose de Scheuermann se caracteriza por uma hipercifose rígida, de raio
curto. À radiografia, apresenta alterações da placa vertebral, acunhamento supe-
rior a 5° e aumento da cifose (critérios de Sorensen), que aparecem por volta dos
10 a 12 anos de idade. O principal diagnóstico diferencial é o dorso curvo pos-
tural, que se diferencia por ser uma hipercifose de raio longo e flexível. O trata-

Book-Respostas.indb 18 10/31/11 3:20:17 PM


Respostas comentadas – Seção 2 – Coluna 249

mento da cifose de Scheuermann normalmente se divide em observação (nos


casos com ângulo menor do que 50°, devendo sempre ser realizado alongamen-
to da musculatura isquiotibial e peitoral), uso de órtese nos casos entre 50° e 75°
com algum potencial de crescimento, e cirúrgico nos casos acima de 75°.
Referência: Frymoyer JW. The adult and pediatric spine. Philadelphia: Lippincott Williams &
Wilkins; 2004.

130. Resposta correta: c.


A raiz de S1 é responsável pela sensibilidade na face lateral do tornozelo e
na face plantar do pé. É a principal inervação da musculatura do tríceps sural e
da musculatura fibular (flexão plantar e eversão do tornozelo). O reflexo corres-
pondente é o calcâneo. Uma hérnia discal centrolateral L5-S1 normalmente aco-
meterá a raiz de S1, pois a raiz de L5 já saiu do canal raquiano (passa logo abaixo
do pedículo de L5).
Referência: Frymoyer JW. The adult and pediatric spine. Philadelphia: Lippincott Williams &
Wilkins; 2004.

131. Resposta correta: d.


As escolioses progridem principalmente nas fases de crescimento elevado
(primeiros anos de vida e estirão). Por isso o cuidado com os pacientes nessas
fases. No entanto, hoje sabe-se que as escolioses podem progredir na idade adul-
ta, principalmente as com alto valor angular (maior do que 50° na coluna torá-
cica e de 30° na coluna lombar).
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. Barueri: Manole; 2002.

132. Resposta correta: a.


A doença de Perthes acomete principalmente pacientes com idade próxima
aos 5 anos. Apesar de ser uma doença do quadril, como o nervo obturador interno
passa anterior à cápsula articular, pode haver uma sinovite e irritação desse nervo,
levando a uma dor referida na face medial do joelho. Por isso, é muito importante
examinar o quadril da criança quando se tem como queixa uma dor no joelho.
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Ortopedia pediátrica de Lovell e Winter. Barueri: Ma-
nole; 2009.

133. Resposta correta: c.


A epifisiólise proximal do fêmur acomete principalmente pacientes na pré-
adolescência e parece estar relacionada a dois biotipos principais baixo e obeso,
e alto e magro.
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Ortopedia pediátrica de Lovell e Winter. Barueri: Ma-
nole; 2009.

Book-Respostas.indb 19 10/31/11 3:20:17 PM


250 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

134. Resposta correta: d.


A remoção da lâmina, ligamento interespinhoso e ligamento amarelo são
etapas-padrão na laminectomia cervical. A remoção de mais de 50% de cada
faceta articular pode levar à instabilidade segmentar.
Referências: Zdeblick TA, Abitol JJ, Kunz DN, et al. Cervical stabilization after sequential capsule
resection. Spine 1993;18:2005-8.

135. Resposta correta: c.


O pedículo é menor na parte côncava das curvas torácicas. Além disso, a
dura-máter também é mais próxima do pedículo nesse lado da curva.
Referências: Parent S, Labelle H, Skalli W, et al. Thoracic pedicle morphometry in vertebrae from
scoliotic spines. Spine 2004;29:239-48.

136. Resposta correta: d.


Na doença de Scheurmann é muito comum a presença de espondilólise
que chega a ser diagnosticada em cerca de 50% dos pacientes.
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Ortopedia pediátrica de Lovell e Winter. Barueri: Ma-
nole; 2009.

137. Resposta correta: c.


A marcha de Trendelenburg resulta do enfraquecimento do glúteo médio
que é inervado pela raiz de L5. Das alternativas acima, a que mais cursa com
radiculopatia da raiz citada é uma hérnia centrolateral de L4-L5.
Referências: Fardon DF, Garfin SR, Abitbol J, et al. (eds.). Orthopedic Knowledge Update: Spine
2. Rosemont: American Academy of Orthopedic Surgeons; 2002. p.323-32.

138. Resposta correta: c.


O tronco simpático atravessa longitudinalmente a borda medial do psoas.
O nervo ilioinguinal emerge através da borda superolateral do psoas em direção
ao quadrado lombar. O nervo genitofemoral repousa mais lateralmente ao psoas.
O ureter está aderido à parede posterior do peritônio e cai sobre o psoas e a co-
luna, assim como a aorta.
Referência: Watkins RG (ed.). Surgical approaches to the spine. New York: Springer-Verlag; 1983.
p.107.

139. Resposta correta: b.


O valor angular da curva no pico da velocidade de crescimento é o maior
sinal prognóstico relacionado com o tratamento cirúrgico. Mais de 70% das cur-

Book-Respostas.indb 20 10/31/11 3:20:17 PM


Respostas comentadas – Seção 2 – Coluna 251

vas com medidas maiores do que 30° nessa fase estão propensas a evoluir para o
tratamento cirúrgico.
Referências: Litle DG, Song KM, Kats D, et al. Relationship os peak height velocity to other
maturity indicators idiopatic scoliosis in girls. J Bone Joint Surg Am 2000;82:685-93.

140. Resposta correta: d.


A incidência de deformidade espinhal tardia, após uma lesão completa da
medula espinhal em crianças, depende do nível da lesão medular e da idade do
paciente no momento da lesão. Se uma lesão medular ocorrer antes dos 10 anos
de idade, uma escoliose paralítica ocorrerá em quase 100% dos pacientes.
Referências: Brown JC, Swank SM, Matta J, et al. Late spinal deformity in quadriplegic children
and adolescents. J Pediatr Orthop 1984;4:456-61.
Dearol WWIII, Betz RR, Vogel LC, et al. Scoliosis in pediatric spinal cord injury patients. J Pe-
diatr Orthop 1990;10:214-8.

141. Resposta correta: d.


O aumento da cifose na deformidade de Scheuerman é compensado pelo
aumento da lordose lombar e cervical, anteriorização dos ombros e encurtamen-
to dos músculos isquiotibiais.
Referência: Herring JA (ed.) Tachdjian’s pediatric orthopaedics. 4. ed. v. 1. Philadelphia: Saun-
ders-Elsevier; 2008. p.416.

142. Resposta correta: c.


A escoliose vertebral é a manifestação óssea mais frequente na neurofibro-
matose. Dois tipos de curvas são encontradas: a distrófica e a não distrófica. A
não distrófica tem comportamento semelhante ao da escoliose idiopática. A dis-
trófica tem comportamento mais agressivo e o tratamento geralmente necessita
de abordagem cirúrgica precoce. Esse tipo de curva é mais encontrado na região
torácica e lombar e se caracteriza por apresentar raio curto, envolvimento de 4 a
6 vértebras e aparecimento precoce.
Referência: Herring JA (ed.) Tachdjian’s pediatric orthopaedics. 4. ed. v. 1. Philadelphia: Saun-
ders-Elsevier; 2008. p.1847.

143. Resposta correta: b.


O quadro clínico da espondilolistese apresenta história rica e exame físico
muito inespecífico. Acomete de forma semelhante ambos os sexos. O sintoma
mais frequente é a dor lombar, com irradiação ou não para os membros inferio-
res. Esta geralmente piora com a extensão do tronco e melhora com sua flexão.
A claudicação neurogênica é o segundo sintoma mais encontrado e está presente

Book-Respostas.indb 21 10/31/11 3:20:18 PM


252 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

em mais da metade dos pacientes. O envolvimento esfincteriano não é frequente e,


quando acontece, é tardio.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed; Barueri: Manole. p.2289.

144. Resposta correta: c.


Em um paciente com hérnia discal lombar é muito importante o reconhe-
cimento da raiz nervosa envolvida. Para tal, é necessário o exame físico da mo-
tricidade, da sensibilidade e do reflexo envolvido. A raiz S1 é responsável pela
sensibilidade da borda lateral e planta do pé, além da face posterior da panturri-
lha. Essa raiz inerva os músculos responsáveis pela flexão plantar do tornozelo e
eversores do pé. O reflexo correspondente à raiz S1 é o aquileu.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed; Barueri: Manole. p.2202.
O pri-
erizado 145. Resposta correta: c.
nas ar- A fratura do tipo explosão da coluna vertebral toracolombar é causada pela
ocorre força de compressão axial. Compromete as colunas anterior e média descritas
erna do por Denis. O envolvimento do complexo ligamentar posterior (CLP) pode estar
es face- presente em alguns pacientes. A presença de lesão do CLP é indicativa de lesão
acientes com maior grau de instabilidade. Na fratura do tipo explosão ocorre comprome-
que em timento da coluna média e pode haver o deslocamento de fragmento ósseo para
gios de dentro do canal neural. Como a força causadora é a compressão axial, não ocor-
re a translação anterior do corpo vertebral.
são dos Referência: Rockwood CA, Green DP, Bucholz RW (ed.). Rockwood & Green’s fractures in
s perío- adults. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins. p.1150.

146. Resposta correta: d.


A escoliose idiopática é classificada de acordo com a faixa etária da seguinte
maneira: em escoliose infantil, juvenil e do adolescente. A escoliose idiopática infan-
til acomete crianças com idade entre 0 e 3 anos. É mais frequente no sexo mascu-
lino e o padrão de curva mais frequente é a torácica esquerda. Na grande maioria
dos casos a curva é resolutiva e apresenta evolução com melhora espontânea e
diminuição do valor angular. A deformidade é frequentemente acompanhada de
plagiocefalia, displasia do quadril, malformações cardíacas e retardo mental.
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Lovell and Winter’s pediatric orthopaedics. 6. ed. Phila-
delphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2006. p.711.

147. Resposta correta: c.


O processo degenerativo pode ser dividido em 3 estágios: O primeiro é o
de Disfunção, visto em pacientes de 15-45 anos, caracterizado por lacerações
circunferenciais e radiais no anel discal e sinovite nas articulações das facetas. O

Book-Respostas.indb 22 10/31/11 3:20:18 PM


Respostas comentadas – Seção 2 – Coluna 253

estágio seguinte é o de Instabilidade, que ocorre em pacientes dos 35-70 anos, e


é caracterizado pela ruptura interna do disco e reabsorção discal progressiva,
degeneração das articulações facetárias e erosão articular. O estágio final é o de
Estabilização, em pacientes com mais de 60 anos. A DDD é mais comum em
homens do que em mulheres, e as HDL são mais comumente encontradas nos
estágios de disfunção e instabilidade.
Na história natural há períodos de agudização e de remissão dos sintomas,
com o paciente podendo ficar assintomático por longos períodos.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell, 10 ed, Vol 2; Barueri: Manole. p. 1960

148. Resposta correta: b.


A doença de Scheuermann ou cifose juvenil é uma causa comum de cifose
estrutural na coluna torácica, toracolombar e lombar. É caracterizada por encu-
nhamentos vertebrais no ápice da cifose vertebral. A escoliose leve ou moderada
(< 20o) está presente em cerca de um terço dos pacientes portadores dessa doen-
ça. Essa deformidade no plano coronal raramente é progressiva e geralmente não
necessita de tratamento.
Referência: Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Lovell and Winter’s pediatric orthopaedics.
6. ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2006. p.810.

149. Resposta correta: a.


Vários são os critérios utilizados para avaliação da velocidade de crescimen-
to e, consequentemente, do crescimento da deformidade vertebral. A idade do
paciente obviamente é um fator determinante. A idade óssea calculada por vários
métodos também é utilizada para a avaliação do crescimento remanescente. Ulti-
mamente o fechamento da cartilagem trirradiada do acetábulo tem sido utilizado
como o parâmetro que melhor se aproxima do pico da velocidade de crescimento.
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Lovell and Winter’s pediatric orthopaedics. 6. ed. Phila-
delphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2006. p.713.

150. Resposta correta: b.


O ligamento transverso liga as duas massas laterais de C1. Esse ligamento
envolve o processo odontoide, impedindo sua migração posterior. A presença de
lesão do ligamento leva a instabilidade importante e, tanto na criança como no
adulto, permite o afastamento centrífugo das massas laterais de C1, além de per-
mitir a migração posterior do processo odontoide, possibilitando a compressão
medular a esse nível.
Referência: Herring JA (ed.) Tachdjian’s pediatric orthopaedics. 4. ed. Philadelphia: Saunders-
Elsevier; 2008. p.2348.

Book-Respostas.indb 23 10/31/11 3:20:18 PM


254 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

151. Resposta correta: c.


A maioria dos pacientes com fraturas vertebrais secundárias à perda de
massa óssea é assintomática. O déficit neurológico raramente é observado nes-
ses pacientes. Nos pacientes com dor, o tratamento clínico com uso de medica-
mentos analgésicos, órtese e repouso é bem-sucedido em boa parte dos pacien-
tes. A dor é o sintoma mais prevalente e é agravada com o paciente em posição
ortostática.
Referência: Journal of Bone & Joint Surgery. ano 2007, v. 89-A, no 11 nov. p. 2564.

152. Resposta correta: d.


O disco intervertebral tem uma complexa estrutura. O núcleo pulposo é
composto de matriz organizada e sua porção gelatinosa é circundada pelo ânulo
fibroso, rico em fibra de colágeno. As fibras de colágeno são contínuas às margens
dos corpos vertebrais e aos ligamentos longitudinais anteriores e posteriores. A
placa cartilaginosa está fixa à placa óssea por matriz cartilaginosa calcificada.
Pouca ou nenhuma fibra de colágeno participa desta ligação, resultando em pou-
ca resistência do disco intervertebral às forças de cisalhamento horizontal.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p.1958.

153. Resposta correta: c.


A fratura de Jefferson é causada por trauma axial sobre a cabeça atingindo o
atlas (C1), sendo caracterizada por quatro fraturas, duas no arco anterior e duas no
posterior. O tratamento indicado é o incruento, com colar rígido ou halo vest.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p.1615, 2003.

154. Resposta correta: d.


A fratura de Jefferson é uma das apresentações da fratura de C2. Nestes casos
é importante se avaliar e integridade do ligamento transverso, pois a ruptura do
mesmo implica ocorrência de instabilidade da fratura. Considera-se ruptura e in-
suficiência do ligamento transverso naquelas lesões em que a aferição das massas
de C1 e as paredes laterais de C2, pelo método de Spencer, ultrapasse 6,9 mm.
Referência: Bucholz R, Heckman JD, eds. Fraturas em Adultos, 5.ed. Barueri: Manole. p.1333

155. Resposta correta: c.


A coluna cervical subaxial (C3-C7) é sede comum de lesões traumáticas. A
maioria ocorre em C5-C6. Porém, aproximadamente 10% das lesões ocorrem em C7.
Muitas radiografias, devido principalmente a dificuldades técnicas em pacientes po-
litrumatizados, são insuficientes em propiciar análise adequada dessa região, e lesões

Book-Respostas.indb 24 10/31/11 3:20:18 PM


Respostas comentadas – Seção 2 – Coluna 255

podem passar despercebidas. A incidência do nadador é uma boa opção para se


tentar a visualização da transição, porém, não se pode dizer que seja obrigatória.
Referência: Bucholz R, Heckman JD, eds. Fraturas em Adultos, 5.ed. Barueri: Manole. p.1385

156. Resposta correta: c.


A espondilolistese ístmica é problema comum na prática diária do ortope-
dista. É caracterizada por um defeito na pars interarticularis da vétebra. Nessa
situação, os esforços de cisalhamento são colocados através do disco com 100%
do peso do corpo criando uma força dirigida anteriormente, em comparação com
80% quando as facetas intactas dividem a carga. A progressão, quando ocorre,
costuma ser na infância/adolescência, e a progressão em adultos é rara.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed., vol. 2; Barueri: Manole. p.2087

157. Resposta correta: d.


O ângulo de Mehta (ângulo costo-vertebral) é importante para avaliar a
progressão em pacientes com escoliose idiopática infantil (0-3 anos). Uma dife-
rença do ângulo costovertebral que exceda 20º sugere progressão da escoliose.
Avaliações da apófise do ilíaco pelos métodos de Risser e das cartilagens trirra-
diadas são consideradas muito importantes na escolha entre tratamento conser-
vador e cirúrgico. O efeito virabrequim ocorre justamente durante a fase de cres-
cimento, motivo pelo qual alguns autores defendem fusão anterior além da
posterior, o que evita a continuidade da rotação vertebral durante o crescimen-
to. Qualquer anormalidade no exame neurológico de pacientes com escoliose
deve ser investigada quanto à presença de anomalia intra-espinhal. A IRM é um
excelente método para avaliação destes casos.
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Lovell and Winter’s pediatric orthopaedics. 5. ed., Phila-
delphia: p.747-57

158. Resposta correta: d.


A síndrome de Klippel-Feil é a fusão congênita das vértebras cervicais,
como resultado da falha de segmentação normal dos somitos entre a terceira e a
oitava semanas de vida. É comum o acometimento dos sistemas cardiorrespira-
tório, genito-urinário e auditivo. O alcoolismo materno é apontado como um dos
possíveis causadores. A tríade clássica é de pescoço curto, linha posterior do
cabelo baixa e movimentos limitados do pescoço. Pode ocorrer comprometimen-
to neurológico, mas muitos pacientes são assintomáticos. O sinal clínico mais
frequente a limitação dos movimentos do pescoço, com as rotações e inclinações
sendo os aspectos mais afetados.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed., vol. 2; Barueri: Manole. p.1737

Book-Respostas.indb 25 10/31/11 3:20:18 PM


256 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

159. Resposta correta: d.


As infecções na coluna vertebral são problemas conhecidos desde a anti-
guidade, e que nos dias de hoje ainda causam incapacitações de graus variados.
O processo infeccioso se inicia pela placa vertebral, e depois costuma se estender
para o espaço discal. Infecções isoladas do disco são raras, e ocorrem após pro-
cedimentos invasivos. O tratamento inicial de escolha, eficaz na grande maioria
dos casos, é o conservador, com repouso relativo, antibioticoterapia e imobiliza-
ção por meio de órtese. A biópsia e cultura do germe continua sendo o método
ideal para o diagnóstico.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed., vol. 2; Barueri: Manole. p.2030

160. Resposta correta: d.


A estenose vertebral é sobretudo uma doença funcional, visto que os sin-
tomas ocorrem quando há demanda por parte do paciente, com os sintomas
ausentes durante o repouso. Caracteriza-se essencialmente por alteração na re-
lação conteúdo-continente do canal vertebral. Ocorre mais comumente na região
lombar, e a gravidade dos sintomas não tem relação direta com a da estenose.
Infiltração epidural de corticosteróides pode trazer alívio dos sintomas, mas cien-
tificamente não há resultados de longo prazo que consubstanciem o uso, e o
tratamento cirúrgico, com descompressão das estruturas neurais por laminecto-
mia, ainda é o tratamento de escolha.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed., vol. 2; Barueri: Manole. p.2061

161. Resposta correta: c.


Embora a maioria dos tumores espinhais seja metástases e malignidades,
20 a 40% são tumores benignos primários. As lesões benignas têm uma predile-
ção por pacientes jovens. Tipicamente, as lesões benignas ocorrem nos elementos
posteriores, enquanto as lesões malignas localizam-se mais anteriormente. De
acordo com Eneking, as lesões estágio 1 são latentes e não exigem tratamento, as
lesões estágio 2 são ativas, sintomáticas e geralmente exigem excisão em bloco, e
as lesões estágio 3 são agressivas, com recidivas frequentes, e exigem excisão
ampla. Hemangiomas são lesões que, na maioria, acometem o corpo vertebral,
são achados comuns em exames de ressonância magnética e, em sua maioria,
assintomáticos e não exigem tratamento.

Book-Respostas.indb 26 10/31/11 3:20:18 PM


Seção 3 – Joelho
162. Resposta correta: c.
Os condroprotetores possuem pouquíssimos efeitos colaterais e não alteram
a produção de tecido cartilaginoso. Eles diminuem a degradação da cartilagem
e auxiliam no processo de reparação. O ácido hialurônico aumenta a viscosidade
do líquido sinovial e atua no metabolismo da cartilagem articular.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 3. ed. v. I. New York: Churchill Livingstone;
2001. p.572-75.

163. Resposta correta: c.


No teste da gaveta anterior, o joelho é posicionado a 90º de flexão. O teste
de Lachman é realizado com o joelho em flexão de aproximadamente 20º a 30°.
O diagnóstico da lesão do LCA é clínico na maioria dos casos.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 3. ed. v. I. New York: Churchill Livingstone;
2001. p.589.

164. Resposta correta: d.


Vários estudos mostram que a cicatrização das lesões radiais na zona ver-
melha ocorre ao redor de 10 semanas, porém leva vários meses para ter uma
característica de fibrocartilagem normal.
Referências: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed., Barueri: Manole. p.2185.
Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. I. Philadelphia: Churchill Livingstone; 2005.
p.484.

165. Resposta correta: a.


Uma meniscectomia total leva a uma progressão maior do processo dege-
nerativo, quando comparada com uma meniscectomia parcial artroscópica, em
que se remove menos menisco, mantendo uma maior área de contato com o
côndilo femoral e, portanto, menor progressão para artrose.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed., Barueri: Manole. p.2191.

166. Resposta correta: d.


Os meniscos preenchem a articulação, impedem as colisões capsulares,
ajudam a distribuir líquido sinovial por toda articulação e são restritores da trans-
lação anterior do joelho.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed., Barueri: Manole. p.2182.

Book-Respostas.indb 1 10/31/11 3:20:18 PM


258 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

167. Resposta correta: c.


A sutura aguda possibilita maior chance de cicatrização, tendo a lesão en-
tre 1 e 2 cm, a área a ser suturada não for muito grande e, portanto, mais estável
no paciente jovem, com mais chance de cura e reparação tecidual.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10.ed., Barueri: Manole. p.2192.

168. Resposta correta: b.


Os cistos podem ser parameniscais ou intrameniscais. Um amplo estudo,
realizado por McCarthy et al. em 2004, mostrou que 15% dos cistos podem ser
palpáveis. O tipo mais comum ocorre nas roturas horizontais por clivagem.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. I. Philadelphia: Churchill Livingstone;
2005. p.202.

169. Resposta correta: b.


O objetivo do corte femoral no alinhamento clássico é corrigir a diferença
entre o eixo anatômico do fêmur e o eixo mecânico e, com isso, deixar o compo-
nente femoral alinhado com o eixo mecânico do membro inferior.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. II. Philadelphia: Churchill Livings­
tone; 2005. p.1479.

170. Resposta correta: c.


A porção medial da tuberosidade anterior da tíbia é um dos parâmetros
para o alinhamento rotacional do componente tibial da prótese. A rotação inter-
na exagerada favorece a luxação da patela.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. II. Philadelphia: Churchill Livings­
tone; 2005. p.1485.

171. Resposta correta: c.


O componente patelar deve estar medializado em relação ao centro da pate-
la para acomodar-se melhor à tróclea femoral e evitar a luxação lateral da patela.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. II. Philadelphia: Churchill Livings­
tone; 2005. p.1490.

172. Resposta correta: c.


A epífise proximal da tíbia tem uma inclinação posterior (slope). Por sua
forma triangular no nível da osteotomia, a inserção de uma cunha afeta não so-

Book-Respostas.indb 2 10/31/11 3:20:18 PM


Respostas comentadas – Seção 3 – Joelho 259

mente o plano frontal, mas também o slope posterior. As cunhas de abertura


aumentam o slope posterior, enquanto as cunhas de fechamento diminuem-no.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. II. Philadelphia: Churchill Living-
stone; 2005.

173. Resposta correta: b.


Deve ser preservada a artéria geniculada lateral distal para diminuir a pos-
sibilidade de necrose da patela.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. II. Philadelphia: Churchill Livings­
tone; 2005. p.1490.

174. Resposta correta: c.


O ligamento cruzado posterior é o principal estabilizador da translação
posterior da tíbia e, secundariamente, é restritor do varo e da rotação externa
tibial.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. I. Philadelphia: Churchill Living-
stone; 2005. p.45.

175. Resposta correta: c.


As duas bandas do LCP são as estabilizadoras da translação posterior da
tíbia em relação ao fêmur, durante todo arco de movimento, sendo a AL tensa
em flexão e a PM em extensão.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. I. Philadelphia: Churchill Livings­
tone; 2005. p.886-87.

176. Resposta correta: c.


A principal causa de insucesso da reconstrução do LCP é o não reconheci-
mento e o não tratamento das lesões do canto posterolateral, que geram sobrecar-
ga no eixo central do joelho, seja sobre o LCP, seja sobre o LCA reconstruído.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. I. Philadelphia: Churchill Livings­
tone; 2005. p. 890.

177. Resposta correta: c.


O canto posterolateral do joelho é o restritor primário do varo e da rotação
externa em torno de 30o de flexão do joelho e restritor secundário da posteriori-
zação tibial nesses graus. Já o LCP é o restritor primário da translação posterior
da tíbia a 90o, e secundário da rotação externa tibial nesse grau de flexão.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. I. Philadelphia: Churchill Livings­
tone; 2005. p.843.

Book-Respostas.indb 3 10/31/11 3:20:18 PM


260 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

178. Resposta correta: a.


O tratamento cirúrgico clássico da lesão do canto posterolateral é baseada
na reconstrução das estruturas lesadas. Nos casos em que existe integridade das
estruturas, porém o afrouxamento destas é decorrente de varo progressivo, podem
ser tratadas cirurgicamente por meio do tensionamento próximo e anterior des-
sas estruturas no fêmur.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. I. Philadelphia: Churchill Livings­
tone; 2005. p.868-69.

179. Resposta correta: c.


A perda óssea mais comum ocorre no platô posteromedial e deformidade
em varo do membro inferior. No fêmur, raramente ocorre perda óssea.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. I. Philadelphia: Churchill Livings­
tone; 2005. p.1799.

180. Resposta correta: a.


Os defeitos ósseos com até 5 mm de profundidade podem ser preenchidos
com cimento sem comprometer a resistência e a estabilidade da prótese.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. I. Philadelphia: Churchill Livings­
tone; 2005. p.1799.

181. Resposta correta: b.


Os defeitos ósseos entre 5 mm e 1 cm de profundidade podem ser preen-
chidos com osso autógeno, principalmente em pacientes mais jovens.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. I. Philadelphia: Churchill Livings­
tone; 2005. p.1799.

182. Resposta correta: c.


Os grandes defeitos ósseos cavitários tibial e femoral podem ser preenchidos
com metal trabeculado, permitindo um crescimento ósseo através do material.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. I. Philadelphia: Churchill Livings­
tone; 2005. p.1810.

183. Resposta correta: a.


A infecção seguida por soltura asséptica e, por fim, instabilidade, são as
maiores causas de revisão em artroplastia total de joelho.
Referência: Egol KA, Tornetta P (ed.) AAOS Instructional Course Lectures 2011. v. 60.

Book-Respostas.indb 4 10/31/11 3:20:18 PM


Respostas comentadas – Seção 3 – Joelho 261

184. Resposta correta: c.


Na osteocondrite dissecante do joelho, comumente a lesão se localiza no
côndilo medial do fêmur, perto da inserção do ligamento cruzado posterior, mas
pode ocorrer em qualquer outro local da superfície articular desse côndilo e,
ocasionalmente, na superfície articular do côndilo lateral do fêmur ou no qua-
drante inferomedial da patela.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. v. III, Barueri: Manole. p.2305.

185. Resposta correta: c.


Esses autores classificaram em 4 estágios a fratura osteocondral do tálus:
• Estágio I: pequena área de compressão do osso subcondral;
• Estágio II: um fragmento osteocondral parcialmente destacado;
• Estágio III: um fragmento osteocondral completamente destacado e
permanecendo na cratera;
• Estágio IV – fragmento osteocondral deslocado.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. v. III, Barueri: Manole. p.2153.

186. Resposta correta: a.


Na composição da cartilagem articular, as fibras colágenas estão orientadas
da seguinte forma: zona I – tangencial; zona II – oblíqua; zona III – vertical; zona
IV – as fibras colágenas orientam de forma vertical; por último, tem-se a placa
terminal e o osso trabecular.
Referência: Hebert SK, et al. Ortopedia e traumatologia: princípios e prática. 4. ed. Porto Alegre:
Artmed; 2009. p.31.

187. Resposta correta: b.


O principal colágeno existente na cartilagem articular do joelho é o colá-
geno tipo II (90-95%). Existem outros tipos de colágenos (VI, IX e XI), porém
em menor quantidade. O mecanismo nutricional da cartilagem é avascular pelo
fluido sinovial.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. I. Philadelphia: Churchill Livingstone;
2005. p.308.

188. Resposta correta: c.


As contraindicações para realizar o tratamento com microfraturas são: pa-
cientes que não concordam com o protocolo pós-operatório ou não colaboram com
o tratamento proposto; pacientes que não conseguem utilizar muletas ou ter equi-
líbrio suficiente para permanecer sem carga no pós-operatório; portadores de doen­

Book-Respostas.indb 5 10/31/11 3:20:19 PM


262 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

ça sistêmica imunológica, artrite reumatoide ou artrose generalizada. À presença


de lesões menores que 4 cm², é indicado o tratamento com microfraturas.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. I. Philadelphia: Churchill Livingstone;
2005. p.359.

189. Resposta correta: c.


A articulação femoropatelar possui estabilizadores dinâmicos, que são os
músculos que compõem o quadríceps, e estáticos, que são formados pelo tendão
quadriciptal, ligamento patelar e os retináculos medial e lateral. Os estabilizadores
mediais são o ligamento fêmoro-patelar medial (LFPM), que é responsável por até
50% da estabilidade patelar medial, e o ligamento menisco patelar medial.
Referência: Hebert SK. Ortopedia e traumatologia: princípios e prática. 4. ed. Porto Alegre: Art-
med; 2009. p.514-15.

190. Resposta correta: c.


A patela inicia o contato articular com a tróclea femoral a aproximadamen-
te 20° de flexão do joelho. A porção média inicia contato em 60°, e a porção su-
perior a 90°, ocorrendo o maior contato na faixa de 60° a 90° de flexão. Além dos
120°, a patela articula-se apenas com os côndilos femorais, e a tróclea femoral
articula-se com o tendão do quadríceps.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. v. I, Barueri: Manole. p.256-7.

191. Resposta correta: b.


A medida normal da TA-GT é de 16 mm +- 4 mm. Nos casos de instabili-
dade rotuliana, normalmente ela está acima de 20 mm.
Referência: Insall JN, Scott WN. Surgery of the knee. 4. ed. v. I. Philadelphia: Churchill Livingstone;
2005.

192. Resposta correta: c.


A intervenção cirúrgica em luxação aguda da patela está indicada em pa-
cientes com fratura osteocondral e formação de corpo livre ou incongruência
articular, ou em atletas de alto nível.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. v. III, Barueri: Manole.
p.2381-2.

193. Resposta correta: d.


O procedimento de Elmslie-Trillat é indicado em casos de luxação patelar
com índice de Insall-Salvatti inferior a 1,2 e condromalácia grau 2 ou inferior.

Book-Respostas.indb 6 10/31/11 3:20:19 PM


Respostas comentadas – Seção 3 – Joelho 263

Consiste em liberação do retináculo lateral, transferência medial da tuberosida-


de anterior da tíbia e retensionamento medial (VMO).
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. v. III, Barueri: Manole.
p.2386-7.

194. Resposta correta: c.


A ruptura do mecanismo extensor é causada mais frequentemente pela
fratura de patela, seguida pela ruptura do quadríceps e do tendão patelar. As
rupturas do tendão patelar são mais comuns em pacientes atletas e com menos
de 40 anos, enquanto as rupturas do quadríceps são mais comuns em pacientes
acima de 40 anos e com doenças sistêmicas e alterações degenerativas. Geralmen-
te a ruptura de tendão patelar ocorre próximo ao pólo inferior da patela.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. v. III, Barueri: Manole.
p.2468-9.

195. Resposta correta: d


O sinal do crescente está relacionado com a osteonecrose da cabeça do
fêmur, observado nas radiografias convencionais da articulação do quadril, nas
incidências frog-leg. Trata-se de uma linha de hiperlucência subcondral no as-
pecto anterolateral da cabeça do fêmur, e que indica fratura subcondral. A pre-
sença desse sinal é considerada patognomônica da osteonecrose e é seguida evo-
lutivamente por colapso da cabeça do fêmur na superfície articular.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p. 1033.

196. Resposta correta: b.


A osteonecrose do joelho pode decorrer de uma fratura subcondral, por
insuficiência em um osso osteoporótico. Existem trabalhos que mostram, tam-
bém, o aparecimento de osteonecrose espontânea após meniscectomia artroscó-
pica. É provável que a etiologia desse tipo de osteonecrose esteja associada à
fratura por insuficiência.
Referência: Hebert SK. Ortopedia e traumatologia. 4. ed. Porto Alegre: Artmed; 2009. p. 536.

197. Resposta correta: c.


A técnica de Scuderi para reconstrução do tendão do quadríceps é usada
nos casos em que se quer proteger a sutura dos cotos lacerados com um flap do
próprio tendão do músculo. É, então, usado um flap triangular do tendão do
quadríceps, invertido sobre a linha de sutura para o reforço pretendido.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p. 2767.

Book-Respostas.indb 7 10/31/11 3:20:19 PM


264 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

198. Resposta correta: a.


O índice de Insall-Salvati é obtido pela razão do comprimento do tendão
patelar com o comprimento diagonal da patela. Os valores normais variam de
0,8 a 1,2. Assim, se maior do que 1,2, tem-se patela alta. Na instabilidade femo-
ropatelar com o índice citado menor que 1,2, a patela não é alta e não há ne-
cessidade em corrigir sua altura. A transferência da TAT deve ser realizada
apenas medialmente.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p.2382.

199. Resposta correta: c.


Torg et al. relatam que o fator preditivo mais significativo em relação ao
bom resultado funcional, na lesão do LCP, foi a presença de instabilidade unidi-
recional. Quando ocorre instabilidade multidirecional combinada, há uma cor-
relação direta com o aparecimento de lesão condral da patela, lesão meniscal,
atrofia do quadríceps e alterações degenerativas.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p.2288.

200. Resposta correta: d.


O joelho valgo patológico da criança tem como causas principais a osteo-
distrofia renal (causa mais comum, principalmente quando bilateral), o osteo-
condroma (causa tumoral), trauma ou infecção.
Referência: Herring JA (ed.). Tachdjian’s pediatric orthopaedics. 4. ed. Philadelphia: Saunders;
2008. p.1003.

201. Resposta correta: b.


A técnica de Elmslie-Trillat tem indicação na instabilidade patelar quan-
do o ângulo Q for maior do que 20°, o índice de Insall-Salvati for menor do que
1,2, a condromalácia for menor ou igual a 2 e o paciente for esqueleticamente
maduro.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p. 2379.

202. Resposta correta: a


Na fratura de planalto tibial a lesão associada mais comum é a meniscal,
sendo a desinserção periférica a mais frequente: em torno de 25%. As outras le-
sões comumente associadas são as lesões do LCA.
Referência: Rockwood CA, Green DP, Bucholz RW (ed.) Rockwood and Green’s fractures in
adults, 6. ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2006. p.2000.

Book-Respostas.indb 8 10/31/11 3:20:19 PM


Respostas comentadas – Seção 3 – Joelho 265

203. Resposta correta: a.


A paralisia do nervo fibular na artroplastia total do joelho (ATJ) primária
ocorre em cerca de 3% dos pacientes. É mais comum acontecer na correção das
deformidades de valgo e de flexão. A anestesia peridural constitui-se em um fator
de risco no pós-operatório das ATJs de joelhos valgos.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p. 289.

204. Resposta correta: d.


Os melhores resultados na osteotomia valgizante tibial alta ocorrem quan-
do hipercorrigimos o alinhamento para um valgo entre 8° e 10°, e não permitimos
o apoio de peso precoce no pós-operatório. Quando não ocorrem esses cuidados,
há 60% de falência após 3 anos da osteotomia.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p. 919.

205. Resposta correta: a.


Warren et al. mostraram, em estudos biomecânicos de secção ligamentar
seletiva, que o ligamento colateral lateral e o tendão do poplíteo são os principais
restritores da instabilidade posterolateral. Além disso, identificaram o ligamento
popliteofibular como um estabilizador estático muito importante para resistir
aos momentos de varo, rotação externa e forças posteriores. Esses autores preco-
nizam a reconstrução, para casos tanto crônicos quanto agudos, do tendão do
poplíteo e ligamentos popliteofibular e colateral lateral.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p. 2248.

206. Resposta correta: b.


Na prova da gaveta anterior, com 90° de flexão, em um joelho com trauma
agudo do LCA e dor acentuada, pode ocorrer o travamento do corno posterior
do menisco medial na estrutura óssea convexa do côndilo femoral medial. A isto
denomina-se “efeito de trava de porta”.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p. 2204.

207. Resposta correta: b.


A ruptura do ligamento patelar ocorre, tipicamente, em indivíduos ativos
e adultos jovens, com ruptura por avulsão óssea em sua porção mais proximal,
ou seja, no polo inferior da patela.
Referência: Rockwood CA, Green DP, Bucholz RW (ed.) Rockwood and Green’s fractures in
adults, 6. ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2006. p. 1990.

Book-Respostas.indb 9 10/31/11 3:20:19 PM


266 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

208. Resposta correta: b.


O trajeto patelofemoral é afetado por múltiplos fatores, e cada um deles
deve ser avaliado durante o teste da redução, antes da implantação dos compo-
nentes definitivos. Qualquer fator que aumente o ângulo “Q” pode levar à late-
ralização. Assim, ocorre na rotação medial do componente tibial, na translação
medial do componente femoral, e no seu posicionamento em rotação medial no
plano axial. A prótese patelar, por sua vez, deve ser medializada para reproduzir
sua região mais espessa que encaixa na tróclea, e não lateralmente.
Portanto, o componente tibial deve ser implantado em rotação lateral, para
evitar um aumento no ângulo “Q” final.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole.

209. Resposta correta: a.


A lesão do menisco lateral mais comum é a transversa incompleta, pois a
maioria ocorre em associação com as lesões do cruzado anterior, nas quais o
côndilo femoral lateral atua como pilão sobre o planalto lateral tibial, provocan-
do esse padrão de lesão.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole.

210. Resposta correta: b.


Este parâmetro, junto com a linha de Whiteside, são os parâmetros mais
comumente usados para orientar o posicionamento rotacional adequado e dimi-
nuir a chance de alterações da excursão patelar na artroplastia total do joelho,
principalmente nos casos de deformidade em valgo pré-operatória.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. p.250.

211. Resposta correta: c.


A posição de tensionamento das bandas na reconstrução do ligamento
cruzado anterior segue os estudos biomecânicos que identificam em que posição
eles estão sujeitos a maior tensão.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole.

212. Resposta correta: c.


Os traumas anteroposteriores no joelho, com o joelho fletido, levam à lesão
do ligamento cruzado posterior mais facilmente porque não há a proteção dos
restritores posteriores secundários como a cápsula articular.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole.

Book-Respostas.indb 10 10/31/11 3:20:19 PM


Respostas comentadas – Seção 3 – Joelho 267

213. Resposta correta: b.


O exercício excêntrico desenvolve até 6 vezes mais força que o concêntrico,
sobrecarregando o ligamento que, na posição fletida, está mais tensionado.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole.

214. Resposta correta: c.


Uma das teorias da osteonecrose é a de um infarto ou lesão vascular aguda
localizada na região condilar femoral. Por isso a característica clínica de dor
aguda nos pacientes idosos.
Referência: Camanho GL. Dor aguda no joelho do paciente idoso. Revista Brasileira de Ortope-
dia 2008; 43(9).

215. Resposta correta: b.


O mecanismo mais comum da fratura proximal da tíbia na criança é de-
corrente de uma força aplicada no lado lateral da perna, estando o joelho em
extensão.
Referência: Beaty JH, Kasser JR (eds). Rockwood and Wilkins fractures in children. 6. ed. Phila-
delphia: Lippincott Williams & Wilkins, 2006. p. 1036.

216. Resposta correta: b.


As fibras colágenas têm uma função primária de resistir a forças de tensão
ao longo da direção dessas fibras. A compressão dos meniscos pela tíbia e pelo
fêmur gera forças que tendem a empurrar os meniscos para fora do joelho. As
fibras circunferenciais agem, à semelhança dos aros de metal de um barril, con-
trapondo-se a essas forças de compressão.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole.

217. Resposta correta: a.


Radiofrequência e laser podem levar à osteonecrose por ação térmica di-
reta ou choque fotoacústico. O efeito térmico direto no osso subcondral pode
levar à degeneração da matriz óssea e a uma resposta inflamatória subsequente
que resulta em edema ósseo e isquemia. O choque fotoacústico é causado pelos
gases de rápida expansão, induzida por uma mudança muito rápida de um esta-
do sólido ou líquido para um estado de gases. Este aumento de pressão cria e
envia ondas de choque para os tecidos circundantes, resultando em inflamação
e, possivelmente, na osteonecrose. Além disso, o líquido sinovial, que penetra
nos defeitos ósseos, como os induzidos pelo laser ou radiofrequência, podem
levar a uma elevação da pressão intraóssea que transitoriamente compromete o

Book-Respostas.indb 11 10/31/11 3:20:19 PM


268 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

fluxo sanguíneo. O efeito nocivo dos dois também pode ser ampliado por con-
tato direto da sonda contra o tecido ósseo.
Referência: Bonutti PM, Seyler TM, Delanois RE, McMahon M, McCarthy JC, Mont MA. Os-
teonecrosis of the knee after laser or radiofrenquency — assisted arthroscopy treatment with
minimally invasive knee arthroplasty. Journal of Bone & Joint Surgery.[AM] 2006; 88(3), suppl
3:69-75.

218. Resposta correta: c.


Joelhos com grave deformidade em varo devem passar por uma liberação
subperiostal do ligamento colateral medial, desde a parte proximal da tíbia. Isso
se faz necessário porque o ligamento sofre contração à medida que o alinhamen-
to em varo se torna mais intenso. No joelho em valgo, a bandeleta iliotibial, o
tendão poplíteo e o ligamento colateral precisam ser liberados do fêmur.
Referência: Weinstein SL; Buckwalter JA. Turek’s orthopaedics: principles and their application.
5. ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2005. p. 605.

Book-Respostas.indb 12 10/31/11 3:20:19 PM


Seção 4 – Mão
219. Resposta correta: c.
O tratamento visa à melhora tanto funcional quanto estética. A simples
correção da pele não é suficiente. Os pilares são a excisão do anel e do tecido
subcutâneo combinado com plastias em Z ou em W. Essa técnica alonga e reo-
rienta a cicatriz para permitir o relaxamento e a dissimulação da constrição. A
excisão circunferencial completa pode ser realizada de maneira segura. Uma
exceção à cirurgia é a presença de dois anéis circunferenciais bastante próximos.
Nesse caso, é prudente liberar um de cada vez.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005. p.1416.

220. Resposta correta: d.


Classificação de Palmer
Classe 1 – Traumática
• 1A – perfuração central
• 1B – avulsão ulnar com ou sem perfuração
• 1C – avulsão ulnar (do carpo)
• 1D – avulsão radial com ou sem fratura do nó sigmoide
Classe 2 – Degenerativa
• 2A – desgaste do CFCT (complexo da fibrocartilagem triangular)
• 2B – desgaste do CFCT com condromalácia da cabeça da ulna ou do
semilunar
• 2C – perfuração do CFCT com condromalácia da cabeça da ulna ou do
semilunar
• 2D – perfuração do CFCT com condromalácia da cabeça da ulna ou do
semilunar e perfuração do ligamento semilunopiramidal
• 2E – perfuração do CFCT com condromalácia da cabeça da ulna ou do
semilunar e perfuração do ligamento semilunopiramidal e artrite
ulnocarpal
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005. p.613.

221. Resposta correta: d.


Classificação de Eaton e Littler
• Fase 1 – uma articulação normal, com exceção do eventual alargamen-
to decorrente de sinovite

Book-Respostas.indb 1 10/31/11 3:20:19 PM


270 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

• Fase 2 – redução do espaço articular com debris e osteófitos menores


que 2 mm
• Fase 3 – redução do espaço articular com debris e osteófitos maiores
que 2 mm
• Fase 4 – envolvimento da articulação escafoide trapezoidal, além de
estreitamento da articulação trapézio-metacarpiana
A sensibilidade e a especificidade da radiografia são de apenas de 44 e 86%,
respectivamente; sendo assim, o diagnóstico deve ser intraopeartório. Se for ob-
servada artrose pantrapezial, é considerada fase 5.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005. p.465.

222. Resposta correta: c.


A deficiência ulnar ocorre em 1 a cada 100.000 nascidos vivos. É de 4 a 10
vezes menos comum que a deficiência radial. A deficiência ulnar unilateral é mais
comum que a bilateral.
Crianças com deficiência ulnar têm hipoplasia de toda a extremidade su-
perior. Em cerca de 90% das mãos estão faltando dígitos, 30% delas têm sindac-
tilia e 70% têm anormalidades no polegar. O cotovelo é mal formado ou fundido
na maioria dos casos.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

223. Resposta correta: d.


A deformidade de Madelung é radial e palmar excessiva do rádio distal,
sendo causada por um distúrbio de crescimento do palmar e da porção ulnar da
fise distal do rádio. Essa perturbação do crescimento pode ser decorrente da
combinação de uma lesão óssea na porção ulnar da fise distal do rádio e um li-
gamento palmar anormal que liga o semilunar para a região proximal do rádio
(ligamento Vickers). A deformidade geralmente é bilateral, ocorrendo mais co-
mumente entre as idades de 6 e 13 anos. O sexo feminino é mais afetado que o
sexo masculino. A incidência da deformidade de Madelung é desconhecida.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

224. Resposta correta: b.


A camptodactilia é uma contratura em flexão da articulação interfalângica
proximal que é geralmente gradual e progressiva. Não acomete as articulações

Book-Respostas.indb 2 10/31/11 3:20:19 PM


Respostas comentadas – Seção 4 – Mão 271

metacarpofalangeanas e interfalangeanas distais. Ocorre em menos de 1% da


população, é bilateral em 2/3 dos casos, e o quinto dedo é mais comumente en-
volvido. É classificada em três tipos: infância ou congênita, pré-adolescente ou
adquirida e associada a uma variedade de síndromes. A contratura com menos
de 30º a 40º não interfere nas atividades ou leva a incapacidade funcional.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

225. Resposta correta: a.


A posição pré-operatória de rotação da criança deve ser cuidadosamente
medida. As recomendações nos casos bilaterais são colocar o antebraço domi-
nante em 10º a 20º de pronação e o antebraço não dominante em rotação neutra.
Nos casos unilaterais, o antebraço é geralmente colocado em 0º a 15º de pronação.
Os estudos sobre a posição ideal de rotação de um antebraço de um osso indicou
que 30º de pronação fornecem uma melhor função para escrever e trabalhar com
pequenos objetos com o braço dominante.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

226. Resposta correta: d.


A luxação congênita da cabeça do rádio é a anomalia congênita mais co-
mum do cotovelo, e é geralmente bilateral. Quanto aos deslocamentos da cabeça
do rádio, 47% dos deslocamentos são anteriores, 43% são posteriores e 10% são
laterais. A redução aberta da cabeça do rádio com reconstrução do ligamento
anular não tem sido bem-sucedida.
A excisão da cabeça radial confiável alivia a dor, melhora a aparência e pode
melhorar a amplitude de movimento. O diagnóstico é radiográfico, e os outros
achados incluem displasia do capitelo, forma anormal da cabeça radial e variação
positiva ulnar.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

227. Resposta correta: d.


O nível mais comum de insuficiência da formação é no antebraço proximal,
abaixo do cotovelo, seguido do transcarpal, do antebraço distal e do úmero. Essa
condição quase sempre é unilateral. A falha de formação transversa é esporádica.
A teoria mais comum é do comprometimento vascular do botão do membro em
desenvolvimento, ou crista ectodérmica apical.

Book-Respostas.indb 3 10/31/11 3:20:20 PM


272 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

Fatores de risco incluem o uso materno de misoprostol (Citotec®), álcool,


tabaco ou cocaína.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

228. Resposta correta: b.


A posição ideal para a artrodese do ombro é discutível. Pacientes com para-
lisia total do plexo braquial com a função normal dos músculos trapézio e serrátil
anterior devem ser submetidos à artrodese em 30° a 40° de abdução e flexão e 30°
de rotação interna.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

229. Resposta correta: c.


A síndrome compartimental ocorre por diminuição do volume do com-
partimento ou por aumento de conteúdo no compartimento. Ela ocorre em
pressões de tecido (30 a 40 mmHg) bem abaixo da pressão arterial sistólica
(120 mm Hg, em média). Sendo assim, os pulsos distais raramente são oblite-
rados pelo inchaço compartimental e a circulação ainda pode não ser adequada
aos músculos e nervos.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

230. Resposta correta: b.


Classificação da síndrome dolorosa complexa regional

Tipo 1 – Distrofia simpaticorreflexa Dor, incapacidade funcional,


disfunção autonômica, alterações
distróficas sem clínica de lesão de
nervo periférica

Tipo 2 – Causalgia Dor, incapacidade funcional,


disfunção autonômica, alterações
distróficas com diagnóstico de lesão
de nervo periférica

Tipo 3 – Outros problemas de P. ex.: dor miofascial


disfunção dolorosa
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

Book-Respostas.indb 4 10/31/11 3:20:20 PM


Respostas comentadas – Seção 4 – Mão 273

231. Resposta correta: d.

Classificação Seddon Suderland

Tipo I Neuropraxia Neuropraxia

Tipo II Axoniotmese Axoniotmese com


lesão do axônio

Tipo III Neurotmese Axoniotmese com


lesão do endoneuro

Tipo IV ___________ Axoniotmese com


lesão do perineuro

Tipo V ___________ Neurotmese

Tipo VI ___________ Mista

Segundo Seddon, a neuropraxia (nervo não funcionante) é o bloqueio fi-


siológico, sem distúrbio anatômico. Ocorre em lesão de até 15 a 20% da circun-
ferência do nervo por tração.
• Axoniotmese (corte do axônio): axônio lesado. Degeneração da porção
distal do axônio. A célula de Schwann permanece intacta. Lesão por
tração com mais de 20% do nervo.
• Neurotmese (corte do nervo): interrupção da continuidade de todos os
elementos do nervo.
Já segundo Suderland, a neuropraxia tem recuperação completa de horas
a semanas sem reparo cirúrgico. Na lesão do axônio, a recuperação é de 1 mm
ao dia sem cirurgia. Na lesão do endoneuro e do perineuro, a recuperação é va-
riável se não for realizado procedimento cirúrgico. A lesão do epineuro não apre-
senta recuperação.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

232. Resposta correta: c.


O uso de corticosteroide na síndrome dolorosa regional apresenta altas
taxas de sucesso. O mecanismo de ação é desconhecido, mas acredita-se que o
corticosteroide tenha função de estabilizador de membranas.

Book-Respostas.indb 5 10/31/11 3:20:20 PM


274 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

Os efeitos colaterais são supressão da adeno-hipófise, hirsutismo e hipo-


gonadismo. A complicação do uso de corticosteroide é o risco de necrose avas-
cular de estruturas ósseas.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

233. Resposta correta: a.


Aproximadamente 5% da população que possui psoríase tem alterações
articulares. Na grande maioria dos casos, as lesões de pele precedem as alterações
articulares, mas 15 a 20% dos pacientes desenvolvem as lesões de pele após ins-
talada a artrite.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

234. Resposta correta: d.


A esclerodermia é uma doença sistêmica que acomete pele, trato gastrin-
testinal, rins, pulmões, coração e, frequentemente, as mãos. Nas mãos, a defor-
midade mais frequente é uma contratura em flexão da interfalangeana proximal
progressiva. Os pacientes perdem gradualmente a capacidade de estender ativa-
mente as articulações interfalangeanas proximais e desenvolvem contratura em
flexão, que se torna rígida e grave. Como mecanismo compensatório, hiperes-
tendem as articulações metacarpofalangeanas.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

235. Resposta correta: d.


O princípio da ressecção da ulna distal na artrite reumatoide é a ressecção
limitada da ulna distal (2 cm ou menos) para minimizar a instabilidade da ulna
remanescente. Realiza-se sinovectomia da articulação radioulnar distal. Corrige-
se a supinação do carpo com sutura do remanescente da fibrocartilagem trian-
gular no canto dorsoulnar do rádio. Reconstrói-se a cápsula dorsal e o retinácu-
lo extensor com transposição do extensor ulnar do carpo de dorsal para volar.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

236. Resposta correta: c.


O diagnóstico geralmente é feito sem dificuldade após dor no punho duran-
te semanas a meses, localizada no lado radial do punho e que se agrava com os
movimentos do polegar. A média de idade na maioria das séries é a quinta e a

Book-Respostas.indb 6 10/31/11 3:20:20 PM


Respostas comentadas – Seção 4 – Mão 275

sexta décadas de vida. A síndrome pode ser até 6 vezes mais comum na mulher que
no homem. Alguns dados sugerem que as preparações menos solúveis, como os
corticosteroides, podem contribuir para uma maior incidência de complicações
locais, incluindo a despigmentação, a atrofia subcutânea e a necrose de gordura.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

237. Resposta correta: c.


A síndrome de intersecção é o atrito entre o abdutor longo do polegar e o
extensor curto do polegar com os extensores radiais do carpo, longo e curto. O
tratamento dessa patologia inicialmente é conservador, com modificação das
atividades, splint em 15º de extensão. Pode-se, ainda, fazer a infiltração de corti-
costeroide no segundo espaço extensor. A maioria dos pacientes apresenta me-
lhora e mantém-se assintomática. Os pacientes que se mantêm com dor persis-
tente devem ser submetidos a tratamento cirúrgico com a liberação da fáscia
profunda do segundo compartimento extensor.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

238. Respostasta correta: a.


As indicações de reimplante são: polegar, múltiplos dedos, amputação par-
cial da mão, amputação em qualquer parte em criança, punho, antebraço, coto-
velo e abaixo do cotovelo (inclui avulsão), amputação de um dedo distal ao flexor
superficial dos dedos.
As contraindicações são: amputação em paciente com aterosclerose grave,
amputação em pacientes com outras doenças graves, amputação em múltiplos
níveis, pacientes mentalmente instáveis, lesão por esmagamento, isquemia pro-
longada, amputação em adulto de um dedo próximo à inserção do flexor super-
ficial dos dedos (indicador e dedo mínimo).
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

239. Resposta correta: a.


A sequência de reimplante de dedos e mão é: exploração e localização de
vasos e nervos, lavagem e debridamento, encurtamento e fixação óssea, reparo
do tendão extensor, reparo do tendão flexor, anastomose arterial, reparo dos
nervos, anastomose venosa, fechamento e cobertura de pele.
Referência: Green DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

Book-Respostas.indb 7 10/31/11 3:20:20 PM


276 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

240. Resposta correta: c.


Deve-se tentar realizar a anastomose de duas veias para cada artéria, em-
bora isso nem sempre seja obrigatório. O retorno venoso é mais lento e difícil,
por isso é necessário mais veias que artérias.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

241. Resposta correta: c.


A discriminação entre 2 pontos em um polegar reimplantado é, em média,
de 11 mm, sendo 8 mm em lesões suturadas agudas e 15 mm em lesões por avulsão.
A recuperação em lesões em crianças e amputações distais têm melhor resultado.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

242. Resposta correta: b.


O tempo de lesão é criticamente importante. O osso, as partes moles e o
músculo têm, em ordem decrescente, a tolerância à isquemia. O músculo é capaz
de sobreviver por 4 a 6 horas de isquemia.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

243. Resposta correta: c.


As fases da cicatrização são três. A primeira é inflamatória, na qual ocorre
a hemostasia e a resposta inflamatória aguda, durando de 1 a 4 dias. A segunda
é a fase proliferativa, em que ocorre angiogênese e proliferação de fibroblastos,
dando início ao processo de fibroplasia (síntese de colágeno). A última fase é de
maturação, em que se forma o tecido cicatricial propriamente dito. A contração
caracteriza-se pela ação dos miofibroblastos. Essas células são fibroblastos pre-
sentes no tecido de granulação que sofrem diferenciação, apresentado estrutura
com actina-miosina semelhante às encontradas na célula muscular.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

244. Resposta correta: c.


Os enxertos de pele total são mais grossos, mais maleáveis após cicatriza-
ção, possuem menor tendência a reetração, textura da pele próxima a normal,
pega mais difícil, maior proteção às estruturas nobres e melhor recuperação da
sensibilidade por crescimento das fibras nervosas dentro das suas bainhas.

Book-Respostas.indb 8 10/31/11 3:20:20 PM


Respostas comentadas – Seção 4 – Mão 277

O enxerto de pele parcial preserva a derme na área doadora, tem o fecha-


mento por segunda intenção, pode cobrir áreas maiores, tem maior retração e a
vascularização é produzida rapidamente.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

245. Resposta correta: b.


O padrão vascular ao acaso não apresenta um feixe vascular principal,
sendo a nutrição do retalho dada por vasos subdermais. A nutrição do retalho
vai depender de sua base e, dessa forma, esses vasos devem ser usados por meio
de sua rotação para atingir a área receptora. A base nunca deve ser menor que
sua altura.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

246. Resposta correta: b.


O músculo serrátil anterior se situa na parede dorsolateral do tórax. É
coberto pelo músculo grande dorsal, com 9 a 10 digitações que se originam de 8
a 9 costelas. Insere-se em toda a extensão da borda medial da escápula. As digi-
tações inferiores se originam da sétima à nona costelas e possuem suprimento
vascular independente do restante do músculo. Essas digitações inferiores são
irrigadas pela artéria do músculo serrátil anterior, que se origina do tronco tora-
codorsal, e pelo ramo da artéria subescapular, que, por sua vez, é ramo da artéria
axilar. As digitações superiores são supridas pela artéria torácica lateral.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

247. Resposta correta: c.


O enxerto vascularizado é indicado em defeitos ósseos segmentares maio-
res que 6 a 8 cm para ressecção de tumor, perda óssea traumática, osteomielite e
pseudoartrose infectada. A sua utilização em defeitos menores é razoável nos
casos em que há fracasso biológico, pseudoartrose persistente após tratamento
convencional, osso com vascularização pobre, infecção ou irradiação, pseudar-
trose congênita. O pedículo tem comprimento de 6 a 8 cm, com diâmetro arterial
entre 1,5 e 3 mm acompanhado de duas veias. O pedículo vascular é formado,
no terço médio, pela artéria fibular, a maior responsável pela vascularização da
diáfise da fíbula, não contribuindo, entretanto, para a irrigação das epífises.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

Book-Respostas.indb 9 10/31/11 3:20:20 PM


278 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

248. Resposta correta: c.


A artéria suprarretinacular intercompartimental 1,2 origina-se da arté-
ria radial, 5 cm proximal à articulação radiocárpica. Passa debaixo do braquior­
radial e segue distalmente sobre o retináculo dos extensores. Anastomosa-se
distalmente com a artéria radial. O enxerto está indicado nas pseudartroses
do escafoide, particularmente naquelas localizadas na sua extremidade proxi-
mal e nas relacionadas com sofrimento vascular dos fragmentos. Na moléstia
de Kienböck, particularmente nas fases II e III-A, usa-se o enxerto ósseo vas-
cularizado, mas a artéria mais usada é 4-5 ECA (artéria do compartimento
extensor).
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

249. Resposta correta: d.


Na lesão traumática aguda, a tenorrafia primária é a melhor opção de tra-
tamento. Nos casos de ruptura espontânea, ou nos casos crônicos, a transferência
tendinosa é indicada. Os tendões usados na transferência podem ser o extensor
próprio do indicador (EPI), o extensor radial longo do carpo (ERLC), o abdutor
longo do polegar (ALP). O mais usado é o EPI. A desvantagem técnica é a perda
de extensão independente do indicador.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

250. Resposta correta: c.


A queimadura de primeiro grau apresenta a pele rosada, com eritema e
sem bolhas. A de segundo grau subdivide-se em A e B, sendo que A apresenta
eritema, dor, bolhas e cor rosa na pele, e B apresenta bolhas, aparência desigual
entre branco e rosa e menos dor. Queimaduras de terceiro grau apresentam-se
brancas, com veias trombosadas, sem dor, com pele semelhante a couro. São
caracterizadas pela morte de todos elementos germinativos da epiderme.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

251. Resposta correta: a.


Os carcinomas basocelulares são a forma mais comum de câncer de pele,
afetando 800.000 pessoas por ano nos Estados Unidos. Câncer de pele não mela-
noma é o tumor maligno mais comum nos Estados Unidos. Estimativas de 2001
indicam que existem nos EUA mais de 1,3 milhão de casos, constituídos por 80%

Book-Respostas.indb 10 10/31/11 3:20:20 PM


Respostas comentadas – Seção 4 – Mão 279

de carcinoma de células basais e 20% de células escamosas. O carcinoma de células


escamosas (SCC) é o mais frequente tumor maligno encontrado nas mãos.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

252. Resposta correta: c.


Osteoma osteoide é uma lesão benigna do osso que tem sido bem descrita
na mão e no rádio distal.
De 5 a 15% do osteomas osteoides ocorrem na mão e no punho, sendo mais
comum na falange proximal e no carpo. O envolvimento da falange média é raro.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

253. Resposta correta: c.


O fragmento proximal é flexionado pelos interósseos que se inserem na
base da falange proximal, e a tração ocorre no fragmento distal pela ação do
capuz extensor através dos músculos extrínsecos, resultando na deformidade
típica: desvio dorsal com angulação volar.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

254. Resposta correta: d.


Os espaços na mão são localizações virtuais e só se evidenciam quando
cheios de algum exsudato.
Espaço mediopalmar – esse espaço fica na palma, profundamente aos ten-
dões flexores. Seu limite posterior são os metacarpos do terceiro ao quinto dedos
e a fáscia que recobre os interósseos.
Distalmente, o espaço mediopalmar comunica-se com o músculo lum-
brical do segundo ao quarto dedos, recebendo o nome de canal lumbrical.
Proximalmente, encontra-se o espaço antebraquial profundo entre o músculo
pronador quadrado e os tendões do músculo flexor profundo dos dedos (espa-
ço de Parona).
Espaço tenar – é mais superficial e se situa entre o primeiro e o terceiro me­
tacarpos.
Distalmente, esse espaço prolonga-se pelo canal do primeiro lumbrical e,
proximalmente, estende-se até o espaço de Parona.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

Book-Respostas.indb 11 10/31/11 3:20:20 PM


280 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

255. Resposta correta: c.


Fratura de Bennett é realmente uma subluxação de fratura. O fragmento
de Bennett é de tamanho variável e formato piramidal, consistindo no aspecto
volar-ulnar da base do metacarpo. O ligamento cruzado anterior oblíquo, que
corre a partir do fragmento de Bennett para o trapézio, detém o fragmento em
posição anatômica.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

256. Resposta correta: c.


Stener, em 1962, descreveu 25 rupturas totais do ligamento colateral ulnar
do polegar, em que a aponeurose do músculo adutor do polegar se interpõe entre
as partes seccionadas do LCU e sua inserção na base da falange proximal. A inter-
posição não ocorre na lesão parcial. Essa lesão é conhecida como lesão de Stener.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

257. Resposta correta: c.


O tumor glômico é uma lesão benigna que se desenvolve a partir de uma
estrutura neuromioarterial existente na pele, o glomo, cuja função é regular a cir-
culação sanguínea e a temperatura corpórea. Apesar da sua raridade, recebe aten-
ção especial por seus sintomas, caracterizados por dor paroxística, sensibilidade à
pressão do local e ao frio e por sua localização típica na ponta do dedo. O diagnós-
tico inicial é raramente feito, levando os pacientes a apresentarem os sintomas por
meses ou até anos sem o diagnóstico e o tratamento adequados. A localização mais
comum desse tumor é na mão, particularmente na região subungueal.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

258. Resposta correta: c.


As conexões neurais do motor, que ocorrem entre os nervos mediano e
ulnar no antebraço, são denominadas conexões anômalas de Martin-Gruber
(1763 e 1870, respectivamente). Isso ocorre ao lado da artéria ulnar, no antebra-
ço proximal, e localiza-se entre o nervo mediano (ou seu ramo interósseo ante-
rior) e o nervo ulnar. Quatro tipos de ligações de Martin-Gruber têm sido des-
critos:
• 60% são do tipo I, em que ramos motores do nervo mediano propagam-se
com o nervo ulnar para inervar os músculos inervados pelo mediano;

Book-Respostas.indb 12 10/31/11 3:20:20 PM


Respostas comentadas – Seção 4 – Mão 281

• 35% são do tipo II, em que ramos motores do nervo mediano inervam
os músculos inervados pelo ulnar;
• 3% são do tipo III, em que as fibras motoras do nervo ulnar propagam-se
com o nervo mediano e inervam músculos inervados pelo mediano;
• 1% é do tipo IV, em que as fibras motoras do nervo ulnar propagam-se
com o nervo mediano para inervar os músculos inervados pelo ulnar;
• dentro da mão, a coneção anômala de Riche-Cannieu (1897, ambos)
ocorre entre o ramo motor do nervo ulnar e o ramo recorrente do ner-
vo mediano.
Referência: Green, DP, Hotchkiss RN, Pederson WC, Wolfe SW. Green’s operative hand surgery.
5. ed., v. II. Philadelphia: Churchil Livingstone; 2005.

259. Resposta correta: a.


Biomecânica da deformidade na falange média: quando o traço de fratura
for distal à inserção do tendão flexor superficial (TFS), a deformidade caracte-
rística apresentará angulação volar e desvio dorsal; quando o traço for proximal
à inserção do TFS, a deformidade será com angulação dorsal e desvio volar.
Referência: Pardini A. “Fratura das falanges”. In: Pardini A, Freitas A. Traumatismo da Mão, 4.
ed., Rio de Janeiro: Medbook, 2008.

260. Resposta correta: c.


Mecanismo das fraturas do escafoide: há extensão do punho em torno de
95° a 100° e desvio radial em torno de 10°. Mecanismo de fraturas do rádio: há
um desvio dorsal do punho em torno de 40° a 90° em posição neutra quanto aos
desvios para o lado radial ou ulnar.
Referência: Pardini A. “Fratura do escafoide”. In: Pardini A, Freitas A. Traumatismo da Mão, 4.
ed., Rio de Janeiro: Medbook, 2008.

261. Resposta correta: c.


Esse sintoma acomete, principalmente, o membro dominante, entre a quar-
ta e a sexta décadas de vida. Existem quatro locais potenciais de compressão do
nervo no túnel radial.
Referência: Pardini A. “Síndromes compressivas”. In: Pardini A, Freitas A. Cirurgia da Mão:
lesões não traumáticas, 2.ed., Rio de Janeiro: Medbook, 2008.

262. Resposta correta: b.


O punho não está fletido (nesse caso, seria lesão alta do nervo radial). Nos
casos de paralisia antiga (mais de 18 meses), as transposições musculares estão

Book-Respostas.indb 13 10/31/11 3:20:20 PM


282 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

indicadas. O tratamento da síndrome do nervo interósseo posterior confirmada


com paralisia instalada é cirúrgico. Não existe alteração sensitiva associada na
síndrome do interósseo posterior, pois o nervo é motor.
Referência: Pardini A. “Síndromes compressivas”. In: Pardini A, Freitas A. Cirurgia da Mão:
lesões não traumáticas, 2.ed., Rio de Janeiro: Medbook, 2008.

263. Resposta correta: b.


Não é considerada uma lesão extremamente rara. Um achado constante é
o pregueamento da pele volar; a presença de um sesamoide dentro do espaço
articular alargado é sinal patognomônico; e a redução incruenta está indicada
como primeira tentativa.
Referência: Bucholz R, Heckman JD, eds. “Fraturas e luxações da mão”. In: Fraturas em Adultos,
6.ed. Barueri: Manole, 2006, v.1.

264. Resposta correta: c.


A técnica de órtese de bloqueio de extensão é usada especificamente para
as fraturas que envolvem menos de 40% da superfície articular.
Referência: Bucholz R, Heckman JD, eds. “Fraturas e luxações da mão”. In: Fraturas em Adultos,
6.ed. Barueri: Manole, 2006, v.1.

265. Resposta correta: a.


As fraturas ocultas da base dos metacarpianos poderão ser diagnosticadas
pela incidência de Brewerton (o feixe de raios x é angulado 30° a partir do lado
ulnar da mão).
Referência: Bucholz R, Heckman JD, eds. “Fraturas e luxações da mão”. In: Fraturas em Adultos,
6.ed. Barueri: Manole, 2006, v.1.

266. Resposta correta: d.


As incidências de fraturas dos ossos do carpo são: escafoide 68,2%, pira-
midal 18,3%, trapézio 4,3%, semilunar 3,9%, capitato 1,9%, hamato 1,7%, pisi-
forme 1,3%, trapezoide 0,4%.
Referência: Bucholz R, Heckman JD, eds. “Fraturas e luxações do carpo”. In: Fraturas em Adultos,
6.ed. Barueri: Manole, 2006, v.1.

267. Resposta correta: d.


Quando a manifestação da doença é mais precoce, ela tende a ser mais
agressiva.
Referência: Pardini A. “Contratura de Dupuytren”. In: Pardini A, Freitas A. Cirurgia de mão:
lesões não traumáticas, 2.ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2008.

Book-Respostas.indb 14 10/31/11 3:20:21 PM


Respostas comentadas – Seção 4 – Mão 283

268. Resposta correta: b.


A bursa radial é a extensão proximal da bainha tendinosa do flexor longo
do polegar, enquanto a bursa ulnar é a extensão proximal da bainha do flexor
profundo do quinto dedo. Ambas se estendem pelo carpo até a extremidade
distal do antebraço.
Referência: Pardini A. “Infecções de mão”. In: Pardini A, Freitas A. Cirurgia de mão: lesões não
traumáticas, 2.ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2008.

269. Resposta correta: d.


Dor intensa na extensão passiva do dedo é o único sinal que está presente
na fase inicial.
Referência: Pardini A. “Infecções de mão”. In: Pardini A, Freitas A. Cirurgia de mão: lesões não
traumáticas, 2.ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2008.

270. Resposta correta: d.


São indicações: contratura fixa após queimadura, sequela de dedo em mar-
telo, sequela de fraturas e paralisias e alguns casos artrite reumatoide e artrite
degenerativa.
Referência: Pardini A. “Artrodeses da mão e do punho”. In: Pardini A, Freitas A. Cirurgia de mão:
lesões não traumáticas, 2.ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2008.

271. Resposta correta: a.


As mulheres são acometidas 3 a 4 vezes mais que os homens. O tabagismo
está estatisticamente relacionado com o risco de desenvolver SDRC. Está relacio-
nada a fatores como instabilidade emocional, depressão, mania e insegurança;
quando ocorre lesão nervosa, é classificada como SDRC tipo II.
Referência: Pardini A. “Distrofia simpaticorreflexa e causalgia”. In: Pardini A, Freitas A. Cirurgia
de mão: lesões não traumáticas, 2.ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2008.

272. Resposta correta: d.


O dedo em gatilho primário é a forma mais comum de apresentação. Aco-
mete mais o sexo feminino, em uma proporção de 6:1 com relação ao sexo mas-
culino e é mais comum entre a quinta e a sexta décadas de vida. O dedo mais
acometido é o polegar, seguido do anular, do indicador, domédio e do mínimo.
Referência: Pardini A. “Tendinites e tenossinovites”. In: Pardini A, Freitas A. Cirurgia de mão:
lesões não traumáticas, 2.ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2008.

273. Resposta correta: a.


Os tendões extensores que se rompem com mais frequência são os dos
dedos mínimo, anular e médio. Raramente se indica sinovectomia no nível da

Book-Respostas.indb 15 10/31/11 3:20:21 PM


284 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

articulação interfalangeana distal; a artrodese de punho está indicada quando o


colapso carpal está muito avançado e a sinovectomia do dorso do punho é uma
das cirurgias mais frequente nos pacientes com artrite reumatoide.
Referência: Pardini A. “Tendinites e tenossinovites”. In: Pardini A, Freitas A. Cirurgia de mão:
lesões não traumáticas, 2.ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2008.

274. Resposta correta: a.


A doença de Kienböck é classificada por Lichtman et al. em 4 estágios,
sendo que o estágio III é subdividido em A e B. No estágio I não se observa alte-
ração radiográfica ou aparece uma pequena fratura linear. No estágio II, verifi-
camos aumento da opacidade do semilunar na radiografia, porém, sem alteração
na forma do semilunar. No estágio III existe fragmentação, com colapso do se-
milunar, sendo do IIIA sem rotação do escafoide e o IIIB com rotação do esca-
foide. O estágio IV se caracteriza pela presença de artrose.
As cirurgias de descompressão (encurtamento do rádio, alongamento da
ulna e algumas artrodeses) são mais bem indicadas quando não há colapso do
semilunar, o que permite a revascularização e a manutenção da forma do semi-
lunar. A substituição do semilunar por prótese de silicone tem sido abandonada
pelas complicações decorrentes de instabilidade e sinovite que se instalam com
o tempo. A ressecção isolada do semilunar não impede o colapso do carpo e
uma consequente evolução para artrose. A artrodese triescafoide não é usada se
há artrose radiocarpiana.
Referências: Browner J, Jupiter J, Levine A. Traumatismo do sistema músculo esquelético. Baru-
eri: Manole. 2ª ed.

275. Resposta correta: a.


Na doença de Dupuytren, a corda espiral se forma pelo envolvimento e
pela contratura de quatro estruturas: a banda pré-tendinosa, a banda espiral, a
bainha lateral digital e o ligamento de Grayson.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. Barueri: Manole. 10ª ed.

276. Resposta correta: d.


A indicação terapêutica da deformidade em “pescoço de cisne” dos dedos
da mão, em pacientes reumáticos, é baseada na classificação proposta por Nale-
buff et al. No tipo I, as deformidades são flexíveis e as opções de tratamento ci-
rúrgico incluem dermodese, tenodese da articulação interfalângica proximal,
artrodese da interfalângica distal e reconstrução do ligamento retinacular. No
tipo II, existe contratura dos músculos intrínsecos e a necessidade de se associar
algumas das técnicas citadas à liberação dos intrínsecos. O tipo III caracteriza-se

Book-Respostas.indb 16 10/31/11 3:20:21 PM


Respostas comentadas – Seção 4 – Mão 285

por rigidez articular sem alteração radiográfica, situação que requer prévia libe-
ração de partes moles para ganho de amplitude de movimento. O tipo IV carac-
teriza-se pela presença de artrose interfalângica proximal e é tratado por artro-
dese ou artroplastia.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. Barueri: Manole. 10ª ed.

277. Resposta correta: c.


Os ramos para os músculos braquiorradial e extensor radial longo do car-
po estão localizados proximalmente à bifurcação do nervo radial em ramos su-
perficial e profundo. Assim, a compressão no nível dessa bifurcação caracteriza-
se pela manutenção da função dos músculos acima citados.
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. Barueri: Manole. 10ª ed.

278. Resposta correta: c.


A síndrome da intersecção se caracteriza por uma tenossinovite causada
por atrito dos músculos abdutor longo e extensor curto, ambos do polegar, com
os músculos extensores radiais do carpo longo e curto. É um dos diagnósticos
diferenciais da doença de Quervain.
Referência: Tratado de Ortopedia – SBOT. Roca, 2007, p.274.

279. Resposta correta: d.


No antebraço, os músculos extensores dos dedos, do dedo mínimo e ulnar
do carpo são inervados pelo ramo profundo do nervo radial, após a passagem
pelo músculo supinador. O músculo extensor radial curto do carpo é inervado
proximalmente, junto à bifurcação do nervo radial, em ramos superficial e pro-
fundo.
Referência: Pardini AG. Traumatismos da mão. 4ª ed. Rio de Janeiro: Medbook.

280. Resposta correta: a.


Na mão torta radial, o nervo de maior significância clínica é o mediano.
Na maioria das vezes ele está engrossado e se localiza superficialmente na borda
lateral do antebraço, ficando em risco de lesão durante a cirurgia. O nervo radial
geralmente termina no nível do epicôndilo lateral e o nervo musculocutâneo,
com frequência, é ausente. O nervo ulnar é normal.
Referência: Canale ST, Beaty JH. Campbell’s operative orthopaedics. 11th ed., Mosby. p.4377.

281. Resposta correta: b.


Todos os músculos interósseos palmares são fusiformes. O primeiro e o
segundo músculos lumbricais são fusiformes e originam-se nas bordas radiais

Book-Respostas.indb 17 10/31/11 3:20:21 PM


286 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

dos tendões flexores profundos do indicador e do médio, respectivamente. O


terceiro e o quarto lumbricais são bipenados e se originam das bordas adjacentes
dos tendões flexores profundos, entre os quais eles se localizam.
Referência: Pardini AG, Freitas A. Cirurgia Traumatismos da mão. 4. ed., Rio de Janeiro: Med-
book, 2008. p.60.

282. Resposta correta: d.


A recorrência da contratura após a fasciectomia na doença de Dupuytren
acontece em até 50% dos casos e é mais frequente em pacientes jovens e em pa-
cientes com algum fator associado (epilepsia, alcoolismo, Peyronie, etc.). A fas-
ciectomia com ressecção da pele adjacente e enxertia de pele evita a recorrência
da lesão.
Referência: Canale ST, Beaty JH. Campbell’s operative orthopaedics. 11. ed., Mosby. p.4279.

283. Resposta correta: a.


O nervo mediano, na região do cotovelo, pode sofrer compressão pelo liga-
mento de Struthers (no caso de existência do processo supracondilar do úmero),
pela aponeurose bicipital (lacertus fibrosus), entre as duas cabeças do músculo pro-
nador redondo e pela arcada fibrosa do músculo flexor superficial dos dedos. A
arcada de Struthers está relacionada à compressão do nervo ulnar no braço.
Referência: Pardini AG, Freitas A. Traumatismos da mão. 4. ed., Rio de Janeiro: Medbook, 2008.
p.34.

284. Resposta correta: a.


O padrão mais frequentemente observado de lesão do ligamento escafosse-
milunar é a avulsão do escafoide, permanecendo o ligamento preso ao semilunar.
Referência: Bucholz R, Heckman JD, Court-Brown C, Tornetta P, et al. Rockwood & Green’s
Fractures in adults. 6. ed. Lippincott Williams & Wilkins. p.892.

285. Resposta correta: c.


Dor, parestesia e hipoestesia são achados clínicos da síndrome do túnel do
carpo. A parestesia é o sintoma mais frequente. A atrofia da musculatura da
eminência tenar é observada em estágios mais avançados da doença.
Referência: Canale ST, Beaty JH. Campbell’s operative orthopaedics. 11. ed., Mosby/Elsevier,
2007. p.4279.

286. Resposta correta: a.


A síndrome de Apert (acrocefalossindactilia) é uma malformação congê-
nita que inclui deformidades faciais e sindactilias complexas. Na mão, existe
necessidade de liberação precoce dos dedos laterais, especialmente o polegar, e

Book-Respostas.indb 18 10/31/11 3:20:21 PM


Respostas comentadas – Seção 4 – Mão 287

posteriormente é realizada a abertura de uma comissura central, usualmente com


a amputação do raio central.
Referência: Canale ST, Beaty JH. Campbell’s operative orthopaedics. 11. ed., Mosby/Elsevier,
2007. p.4409.

287. Resposta correta: d.


A fasciotomia subcutânea é indicada para tratamento da contratura de
Dupuytren em pacientes que têm problemas clínicos sistêmicos que contraindi-
cam um procedimento cirúrgico maior. Também é usada como um primeiro
tempo cirúrgico em paciente com contratura muito grande do dedo. O resultado
do procedimento é melhor na fase residual da doença.
Referência: Canale ST, Beaty JH. Campbell’s operative orthopaedics. 11. ed., Mosby/Elsevier,
2007. 4278.

288. Resposta correta: c.


Dentre as técnicas para reconstrução ligamentar para tratamento da lesão
escalossemilunar crônica, a de Brunelli utiliza um retalho de base distal do tendão
flexor radial do carpo que atravessa o escafoide e é inserido no rádio dorsalmente.
Referência: Browner J, Jupiter J, Levine A. Skeletal tauma: basic science, management and re-
construction, 3. ed. Philadelphia: W.B. Saunders, 2002. p.4079.

289. Resposta correta: b.


Os achados radiográficos frequentes da artrite psoriática são a erosão do
tufo distal da falange distal (acrosteólise), o afilamento das cabeças das falanges
e o escavamento das bases das falanges.
Referência: Canale ST, Beaty JH. Campbell’s operative orthopaedics. 11. ed., Mosby/Elsevier,
2007. p.4198.

290. Resposta correta: a.


Palmer classificou as lesões da fibrocartilagem triangular do carpo em clas-
se 1 (traumática) e classe 2 (degenerativa). A classe 1 é subdividida conforme a
localização da lesão em: 1A – perfuração central; 1B – avulsão ulnar; 1C – avul-
são distal; e 1D – avulsão radial. A classe 2 consiste em uma sequência de estágios
degenerativos decorrentes de impacto ulnocarpal. As lesões agudas ulnares (clas-
se 1B) são tratadas com seis semanas de imobilização. Para as lesões crônicas
periféricas (1C, 1B e 1D), é indicado o reparo aberto ou artroscópico. Para as
lesões centrais crônicas (1A), o tratamento recomendado é o desbridamento da
porção central da fibrocartilagem.
Referência: Canale ST, Beaty JH. Campbell’s operative orthopaedics. 11. ed., Mosby/Elsevier,
2007. p.4046.

Book-Respostas.indb 19 10/31/11 3:20:21 PM


288 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

291. Resposta correta: c.


Na osteocondromatose múltipla, o acometimento mais comum ocorre por
um osteocondroma na ulna distal, que leva a retardo do crescimento da ulna,
encurvamento, diáfise do rádio e eventual luxação da cabeça do rádio. Essa alte-
ração é conhecida como deformidade de Bessel-Hagen.

292. Resposta correta: d.


O nervo interósseo anterior inerva o músculo flexor longo do polegar, o
músculo flexor profundo dos dedos (porção lateral para os dedos indicador e
médio) e o músculo pronador quadrado. Os músculos flexor radial do carpo e o
flexor superficial dos dedos são inervados por ramos do nervo mediano.
Referência: Canale ST. Campbell’s operative orthopaedics. 11. ed., St. Louis: Mosby. p.3685.

293. Resposta correta: c.


A doença de Kienböck é classificada por Lichtman et al. em quatro es-
tágios, sendo o estágio III subdividido em A e B. No estágio I não se observa
alteração radiográfica ou apenas aparece uma pequena fratura linear. No es-
tágio II, é possível verificar aumento da opacidade do semilunar na radiogra-
fia, porém, sem alteração na forma do semilunar. No estágio III existe frag-
mentação com colapso do semilunar, sendo do IIIA sem rotação do escafoide
e o IIIB com rotação do escafoide. O estágio IV se caracteriza pela presença
de artrose.
Referência: Canale ST. Campbell’s operative orthopaedics. 11. ed., St. Louis: Mosby. p.4041.

294. Resposta correta: a.


As complicações tendíneas, após tratamento de fratura do rádio distal,
incluem as rupturas e as tenossinovites. As rupturas ocorrem quase que exclusi-
vamente no tendão do extensor longo do polegar e estão relacionadas a fatores
mecânicos e isquêmicos. As tenossinovites afetam mais frequentemente o pri-
meiro compartimento osteofibroso dorsal do punho (doença de De Quervain).
Referências: Browner J, Jupiter J, Levine A. Skeletal tauma: basic science, management and re-
construction, 3. ed. Philadelphia: W.B. Saunders, 2002. p.1346.

295. Resposta correta: b.


A síndrome do pronador é a compressão do nervo mediano na região do
cotovelo, que pode ser causada pelo ligamento de Struthers (no caso de existên-
cia do processo supracondilar do úmero), pela aponeurose bicipital (lacertus fi-
brosus), pelas cabeças do músculo pronador redondo e pela arcada fibrosa do

Book-Respostas.indb 20 10/31/11 3:20:21 PM


Respostas comentadas – Seção 4 – Mão 289

músculo flexor superficial dos dedos. A arcada de Struthers está relacionada à


compressão do nervo ulnar no braço.
Referência: Canale ST, Beaty JH. Campbell’s operative orthopaedics. 11. ed., Mosby/Elsevier,
2007. p.3689.

296. Resposta correta: c.


Anastomose de Martin-Gruber ocorre entre os nervos mediano e ulnar, no
nível do antebraço distal, sendo uma variação anatômica que tem sua importância
clínica e funcional, pois em caso de lesão de um dos nervos, a montante da anas-
tomose, sua função a jusante será mantida pela enervação do nervo preservado.
Referência: Canale ST, Beaty JH. Campbell’s operative orthopaedics. 11. ed., Mosby/Elsevier,
2007.

297. Resposta correta: c.


O tratamento das fraturas dos ossos do antebraço com fixação intrame-
dular se caracteriza pelo método de redução fechada, com a fixação ulnar an-
terógrada e radial retrógrada, sem exploração dos focos fraturários. Tem alto
índice de pseudoartrose, difícil controle da redução rotacional, com maior ín-
dice de resultados satisfatórios quando comparado com os outros métodos de
fixação.
Referência: Bucholz R, Heckman JD, Court-Brown C, Tornetta P, et al. Rockwood & Green’s
Fractures in adults. 6. ed. Lippincott Williams & Wilkins. p.979.

298. Resposta correta: d.


A lesão de Monteggia se caracteriza pela fratura do terço proximal da ulna,
com luxação da cabeça do rádio, e tem como lesão neural associada mais comum
a do ramo interósseo posterior do nervo radial, em razão de sua posição anatô-
mica, por mecanismo de estiramento das partes moles, pois é comum a luxação
do rádio em direção anterolateral, tracionando o ramo interósseo posterior.
Referência: Bucholz R, Heckman JD, Court-Brown C, Tornetta p.Rockwood & Green’s. Fractures
in Adults. 7 ed., cap. 31, Lippincott Williams & Wilkins, 2009. p.882.

299. Resposta correta: c.


A fratura-luxação de Galeazzi ocorre com mecanismo de trauma, com o
antebraço na posição pronado e o punho estendido. A força do trauma dissipada
ao osso leva à fratura do terço distal do rádio e ao desvio do fragmento distal,
com luxação radioulnar distal pela ação muscular dos supinadores.
Referência: Sizínio H, Barros Filho TEP, Xavier R, Pardini Jr AG, et al. Ortopedia e traumatolo-
gia: princípios e prática. 4. ed., Porto Alegre: Artmed. p.1182.

Book-Respostas.indb 21 10/31/11 3:20:21 PM


290 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

300. Resposta correta: c.


Classificação de Eaton e Littler:
• Tipo I: raio X normal ou discreto aumento do espaço articular
• Tipo II: achatamento da cartilagem articular, osteófitos ou corpo livre
menor que 2 mm. Articulação escafotrapezoide normal.
• Tipo III: pinçamento articular, esclerose subcondral, osteófitos maiores
que 2 mm. Articulação escafotrapezoide normal.
• Tipo IV: acometimento de ambas as articulações trapézio-metacarpal e
escafotrapezoide.
Referência: Canale ST. Campbell’s operative orthopaedics. St. Louis: Mosby. 10. ed., p.3717.

301. Resposta correta: a.


Rupturas de tendão, associadas à fratura do rádio distal, ocorrem raramente,
mas quase sempre envolvem apenas o extensor longo do polegar. Essas rupturas
ocorrem com maior frequência dentro de oito semanas após o evento traumático,
e representam provavelmente uma combinação de mecanismos mecânicos e isquê-
micos. A causa provável é o atrito do tendão com a superfície cruenta da fratura,
principalmente na vigência do tratamento conservador, associado à inclinação que
esse tendão possui, de forma anatômica, no nível do tubérculo de Lister.
Referência: Bucholz R, Heckman JD, Court-Brown C, Tornetta P, et al. Rockwood & Green’s
Fractures in adults. 6. ed. Lippincott Williams & Wilkins. p.961.

302. Resposta correta: a.


A lesão tipo I de Bado é descrita como sendo um deslocamento anterior
da cabeça radial com uma fratura da diáfise ulnar. A fratura ulnar pode ser em
qualquer nível, mas geralmente é descrita na parte média da diáfise. A maioria
das lesões de Monteggia em crianças é deste tipo (aproximadamente 70% na
maioria das séries). O mecanismo do trauma típico é tração longitudinal com
pronação, possivelmente combinada com hiperextensão da articulação do coto-
velo, o mesmo mecanismo da pronação dolorosa.
Referência: Rockwood, CA et al. Fractures. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins. 5. ed.,
vol. 1. p.904.

303. Resposta correta: c.


Albertoni classificou o dedo em martelo, sugerindo que as lesões com queda
maior de 30º em flexão apresentam também maior desinserção das estruturas distais:
tendão extensor terminal em sua totalidade, ligamento retinacular oblíquo espiral
e mesmo estruturas capsulares. Seriam as lesões A2 e B2. Indica, nestes casos, a fi-
xação em extensão da IFD com um fio de Kirschnner 1,0 mm transarticular.
Referência: Pardini, A.Traumatismos da mão. Rio de Janeiro: Medsi. 3. ed., p.356-62.

Book-Respostas.indb 22 10/31/11 3:20:21 PM


Respostas comentadas – Seção 4 – Mão 291

304. Resposta correta: a.


A média do ângulo escafolunar é de 45° e varia de 30° a 60° em punhos
normais. Um ângulo superior a 70° sugere instabilidade e quando maior que 80°
é prova quase certa de instabilidade do carpo. Um ângulo capitatolunar de mais
de 20° também é fortemente sugestivo de instabilidade do carpo.
Referência: Rockwood CA et al. Fractures in Adults. Philadelphia: Lippincott Williams &
Wilkins. 6th ed., p.890.

305. Resposta correta: b


A bossa carpometacarpal é uma protuberância dorsal fixa da base do se-
gundo e terceiro MTC, que pode ser assintomática ou não. O tratamento cirúr-
gico é controverso pelo risco de recidiva. No entanto, estudos alertam que a lesão
pode também acometer a inserção do extensor radial curto do carpo.
Referência: Canale ST. Campbell’s operative orthopaedics. 10. ed., St. Louis: Mosby. 2003. p.3806

306. Resposta correta: b.


A incidência de síndrome compartimental no tratamento da sinostose ra-
diulnar proximal congênita está diretamente relacionada à quantidade de derro-
tação obtida. Os valores acima de 60° levam a uma maior compressão tecidual,
propiciando a instalação da síndrome compartimental. As osteotomias distais no
antebraço são mais seguras quanto ao aspecto de instalação de síndrome com-
partimental. O tipo de osteossíntese utilizada e as imobilizações gessadas não
estão correlacionadas a essa síndrome.
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Lovell and Winter’s pediatric orthopaedics. 6. ed., Phila-
delphia: Lippincott Williams & Wilkins. 2006. p.939.

307. Resposta correta: d.


Na classificação de Bayne e Klug a ausência total do rádio corresponde ao
tipo IV. O tipo III apresenta uma ausência parcial do rádio, o tipo II apresenta
uma hipoplasia total do rádio e o tipo I apresenta uma hipoplasia da epífise dis-
tal do rádio.
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Lovell and Winter’s pediatric orthopaedics. 6. ed., vol. 2,
Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins. 2005. p.942.

308. Resposta correta: a.


O adutor do polegar que se insere na cabeça do primeiro metacarpal tra-
ciona esse osso produzindo adução e supinação. O abdutor longo do polegar se
insere na base do primeiro metacarpal e traciona o osso proximalmente.
Referência: Bucholz RW, Heckman JD, Court-Brown C. Rockwood & Green’s fractures in adults.
6. ed., Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2005. p.839.

Book-Respostas.indb 23 10/31/11 3:20:21 PM


Seção 5 – Medicina esportiva e artroscopia
309. Resposta correta: d.
Na ocasião da lesão muscular, seguimos o tratamento PRICE, que é uma
sigla derivada das palavras em inglês correspondentes à proteção (da área lesada),
repouso (do membro inferior afetado), gelo, compressão e elevação do membro
comprometido. O tratamento com gelo deve ser aplicado sempre junto da com-
pressão do músculo lesado, pois isso evita a formação de um grande hematoma
e funciona como um excelente analgésico. O gelo deve ser utilizado a cada duas
horas, nas primeiras 48 horas, sendo deixado por, pelo menos, 20 a 30 minutos.
Também pode-se recomendar o uso de muletas para evitar a descarga de peso
no membro lesado. Em seguida, o atleta deve ser encaminhado para acompanha-
mento médico e fisioterápico. A fisioterapia deve ser iniciada imediatamente
quando se deseja que o afastamento do esporte seja pelo menor tempo possível.
Todo cuidado deve ser tomado, a fim de que se evitem recidivas e que se mini-
mize o dano inflamatório inicial.
Referência: Orchard J, Best T. The management of muscle strain injuries: an early return versus
the risk of recurrence. Clin J Sport Med. 2002;12:3-5.

310. Resposta correta: d.


A lesão muscular pode ser avaliada de maneira adequada tanto pela ultras-
sonografia como pelo exame de ressonância magnética. A ultrassonografia é um
método dinâmico e examinador dependente, capaz de registrar o processo de
reparação tecidual, e tem demonstrado melhoras na qualidade da imagem com
os avanços tecnológicos dos novos equipamentos. O exame de ressonância mag-
nética possui alta sensibilidade e especificidade, sendo capaz de identificar ana-
tomicamente dados de localização e as dimensões longitudinal e transversal da
lesão. Acredita-se que qualquer um desses exames pode ser utilizado para o diag-
nóstico, mas, para avaliar a evolução do processo de reparação e regeneração
tecidual, a ultrassonografia é preferida, pois a ressonância magnética pode con-
tinuar mostrando alterações positivas, mesmo em um período no qual o atleta
já se encontra sem sinais clínicos de lesão. Nas lesões musculares crônicas, a
acurácia entre os dois métodos de imagem é semelhante, apresentando áreas de
cicatriz, desorganização do padrão fibrilar e áreas de atrofia. Nos atletas adoles-
centes e crianças, quando a lesão muscular aguda ocorre próxima às inserções
ósseas, a radiografia convencional deve ser solicitada, pois podem ocorrer arran-
camentos ósseos que são facilmente visíveis.
Referência: Kijowski R, De Smet AA. The role of ultrasound in the evaluation of sports medicine
injuries of the upper extremity. Clin J Sports Med. 2006;25:569-90.

Book-Respostas.indb 1 10/31/11 3:20:21 PM


Respostas comentadas – Seção 5 – Medicina esportiva e artroscopia 293

311. Resposta correta: a.


As informações mais importantes segundo os métodos de imagem são:
qual o músculo lesado, o sítio de ruptura (transição miotendínea, ventre muscu-
lar, fáscia, tendão central), o comprimento da lesão (extensão longitudinal), a
área da lesão (percentual da área de lesão em relação à área transversa) e a pre-
sença de hematoma inter ou intramuscular. Tais informações permitem classifi-
car de forma mais específica as lesões musculares, que, combinadas aos dados
clínicos e esportivos do atleta, permitem estimar o tempo de afastamento do
esporte, assim como as complicações e sequelas possíveis.
Referência: Adler RS, Finze KC. The complementary roles of MR imaging and ultrasound of
tendons. Radiol Clin N Am. 2001;43:771-807.

312. Resposta correta: c.


O estudo biomecânico compreende a avaliação de toda a dinâmica espor-
tiva e procura correlacionar a anatomia e fisiologia ao esporte praticado. Hoje
em dia seu estudo é obrigatório, já que muitas lesões podem ser tratadas ou pre-
venidas quando se tem uma boa base de estudo na área de biomecânica. Citando
o exemplo da epicondilite lateral do cotovelo em tenistas, muitos atletas melho-
ram somente com a orientação de posicionamento do cotovelo na hora da batida
de backhand (bola de esquerda para quem é destro).
A análise biomecânica pode ser feita de várias maneiras. As mais utilizadas
envolvem a avaliação de determinados gestos esportivos com documentação em
vídeo – geralmente é decomposta em vários quadros por segundo –, sincroniza-
da com um aparelho de eletromiografia de superfície, que vai medir os padrões
de ativação de grupos musculares relacionados ao gesto esportivo estudado. De-
pois da documentação, os movimentos são analisados e comparados com padrões
preestabelecidos pela literatura científica.
O cotovelo do tenista pode ser prevenido recomendando-se um adequado
treino do golpe de esquerda (backhand), utilizando-se raquetes com peso entre
280 e 300 g (sem corda), não utilizando uma tensão de encordoamento maior
que 58 libras e evitando o aumento repentino dos jogos e treinos. O que mais
previne a lesão é a musculatura bem fortalecida no antebraço.
Referência: Silva RT, Santos MB. Tennis elbow: survey among 839 tennis players with and with-
out injury. Med Sci Tennis. 2008;13(1):36-41.

313. Resposta correta: a.


As fraturas por estresse podem ser classificadas em baixo e alto risco, quan-
to às características da história natural, das dificuldades de tratamento e do risco
de complicações.

Book-Respostas.indb 2 10/31/11 3:20:22 PM


294 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia

São consideradas fraturas de baixo risco aquelas que apresentam história


natural favorável, localização da fratura nas áreas de compressão óssea, boa respos-
ta às mudanças de atividade e baixo índice de complicações. Acometem os seguin-
tes ossos: sacro, costelas, úmero, rádio, diáfise da ulna, colo do fêmur (cortical in-
ferior), diáfise do fêmur, tíbia (cortical medial), 1o ao 4o ossos metatarsais.
As fraturas de alto risco são aquelas que apresentam história natural desfa-
vorável, alto índice de complicações (recorrência, pseudoartrose, fratura completa)
e necessidade de tratamento cirúrgico. Acometem os seguintes ossos: olécrano, colo
do fêmur (cortical superior), patela, diáfise da tíbia (cortical anterior – região pro-
ximal), maléolo tibial, navicular, sesamoide medial e 5o osso metatarsal.
Referência: Diehl JJ, Best TM, Kaeding CC. Classification and return-to-play – considerations
for stress fractures. Clin Sports Med. 2006;25:17-28.

314. Resposta correta: b.


A síndrome do estresse tibial medial, ou shin splint, é uma reação óssea do
periósteo e/ou da fáscia causada por tensão excessiva no bordo posteromedial da
tíbia. A periostite por tração no aspecto medial da tíbia é gerada pelas seguintes
estruturas: músculo sóleo, músculo flexor longo dos dedos e fáscia crural pro-
funda. A fisiopatologia da lesão envolve pronação excessiva ou velocidade de
pronação elevada durante a corrida, estiramento do músculo sóleo, atividades de
impacto repetitivo, aumento súbito na frequência, intensidade e duração da ati-
vidade esportiva e alterações na superfície de treinamento. A fratura por estresse
é um grau avançado de desgaste ósseo, e, geralmente, o atleta demora mais tem-
po para voltar à sua rotina normal de treinos. A síndrome do estresse tibial me-
dial tem um melhor prognóstico.
Referência: Young AJ, McAllister DR. Evaluation and treatment of tibial stress fractures. Clin
Sports Med. 2006;25:117-28.

315. Resposta correta: c.


As lesões meniscais podem seguir vários padrões, desde lesões degene-
rativas até roturas totais de dimensões variadas. As roturas meniscais são sin-
tomáticas, podendo causar dor, falseio, bloqueio articular e inchaço. Algumas
roturas completas são instáveis, chamadas de lesões em “alça de balde”, geral-
mente muito dolorosas e causam restrições de movimento nos esportes em que
o movimento de pivô do joelho é muito realizado, como no futebol. Nesses
casos, a cirurgia costuma ser necessária para corrigir o problema. Muitos atle-
tas, entretanto, apresentam uma lesão chamada degenerativa, que é facilmente
analisada por meio de exames de ressonância magnética. Tais lesões costumam
melhorar com tratamento clínico e fisioterápico adequado, não necessitando,

Book-Respostas.indb 3 10/31/11 3:20:22 PM


Respostas comentadas – Seção 5 – Medicina esportiva e artroscopia 295

na maior parte das vezes, de cirurgia para melhora dos sintomas. Lembre-se
que as lesões do menisco podem manifestar-se em picos de dor, ou seja, o
atleta pode ficar assintomático por um tempo, depois apresentar dor e inchaço,
melhorar novamente, e assim por dian