Você está na página 1de 35

ÍNDICE

TRADER .............................................................................................................................. 4
MERCADO DE CAPITAIS ................................................................................................... 5
TÁTICA X ESTRATÉGIA ...................................................................................................... 7
Estratégia: Negócio Daytrade.........................................................................................8
Tática - Análise Gráfica ................................................................................................. 12
TEORIA DE DOW...............................................................................................................13
1° Princípio: Os índices descontam tudo, menos os atos divinos. ........................... 13
2° Princípio: As três tendências do mercado. ............................................................ 13
3° Princípio: as Três fases do mercado ........................................................................ 14
4° Princípio: Da confirmação........................................................................................ 15
5° Princípio: O volume deve confirmar a tendência ................................................ 15
6° Princípio: A tendência continua até surgir um sinal definitivo de que houve
reversão ........................................................................................................................... 16
SETUP ................................................................................................................................17
Gráfico Candlestick ....................................................................................................... 17
Marcando Topos e Fundos ........................................................................................... 18
Conceitos de Resistência e Suporte ............................................................................ 19
A Mudança de Tendência .............................................................................................21
Pivot de Alta .................................................................................................................... 21
Pivot de Baixa ................................................................................................................. 22
LINHAS DE TENDÊNCIA ................................................................................................... 22
Linha de tendência de alta ...................................................................................... 22

Linha de tendência de baixa ................................................................................... 23


GAPS ............................................................................................................................. 24

INDICADORES E OSCILADORES ......................................................................................25


Médias Móveis ................................................................................................................ 25
Bandas Bollinger ............................................................................................................. 25
ADX Movimento Direcional ........................................................................................... 26
Estocástico ...................................................................................................................... 27
PADRÕES GRÁFICOS .......................................................................................................28
Topo de Ombro-Cabeça-Ombro (OCO) ................................................................... 28
Fundo de Ombro-Cabeça-Ombro – Invertido (OCOI)............................................. 29
Topo duplo “M” .............................................................................................................. 30
Fundo duplo ou “W” ...................................................................................................... 31
Psicologia do Investidor .................................................................................................32
Indicações Bibliográficas ..............................................................................................34
“NADA JUSTIFICARÁ SUA MUDANÇA NA ESTRATÉGIA. ”
TRADER
“A arte de recomeçar é a mais nobre que existe” Flávio Lemos

O trader, é todo e qualquer indivíduo que se engaja na transferência de


ativos financeiros, para alguma instituição ou para si próprio.

Há diversas maneiras de atuação para um trader:

-DAY TRADER: opera durante o dia (abre e fecha suas


operações no mesmo dia).

-SWING TRADER: opera durante dias, até semanas (tem


um prazo maior para fechamento de operações).

-POSITIONS TRADER: Operam posições durante tempos


maiores, podendo ser meses e até mesmo alguns anos.
MERCADO DE
CAPITAIS

O mercado de capitais é um sistema de distribuição de valores


mobiliários, que tem o propósito de proporcionar liquidez aos títulos de
emissão de empresas e viabilizar seu processo de capitalização. É
constituído pelas bolsas de valores, sociedades corretoras e outras
instituições financeiras autorizadas.

A parte que mais nos interessa no mercado de capitais é o mercado à


vista e o mercado futuro.

MERCADO A VISTA: São operações realizada em bolsa de


valores, com preços definidos em pregão1.

MERCADO FUTURO: É um mercado em que se negociam


compromissos de compra e venda, que só serão liquidados no futuro.

Tem por objetivo o lucro com a diferença de spread2.

Uma característica peculiar do mercado futuro é a grande possibilidade


de alavancagem, pois eles são negociados através de margens,
exigidas pela bolsa e pela corretora, esse valor de margem varia de
corretora para corretora e deve-se ser observado pelo operador.

1 Pregão é o nome dado ao dia de trabalho na Bovespa. Tem como característica


liquidação imediata.

2 Spread refere-se à diferença entre o preço de compra (procura) e venda


(oferta) de uma ação, título ou transação monetária.
A tabela a seguir mostra resumidamente os principais ativos negociados dentro desses mercados:

PAPÉIS CÓD. TAMANHO COMENTÁRIOS


MERCADO A VISTA
Mais direcionados a swingtrade e position. Corretagem
Ex: Petr4, Petr3,
AÇÕES FRACIONÁRIO OU LOTE e emolumentos mais caros em comparação aos
Vale5, Itub4, etc.
outros papeis, impactando o daytrade.
MERCADO FUTURO
IND + 01 Contrato Indicado para todos os tipos de operações,
CONTRATO
Letra do mês + ano R$1,00 por ponto principalmente daytrade, especialmente para
DE ÍNDICE
Ex: INDG16 Lote mín. 1 contrato grandes operações devido ao seu lote mínimo.
CONTRATO WIN + 01 Contrato
Todas as operações principalmente daytrade. Seu
DE MINI Letra do mês + ano R$0,20 por pontos
tamanho reduzido favorece daytrade iniciante.
ÍNDICE Ex: WING16 Lote mín. 1 contrato
DOL + 01 Contrato Indicado para todos tipos de operações,
CONTRATO
Letra do mês + ano U$50.000,00 principalmente daytrade, especialmente para
DE DÓLAR
Ex: DOLH16 Lote mín. 5 contratos grandes operações devido ao seu lote mínimo.
CONTRATO WDOL + 01 Contrato
Todas as operações principalmente daytrade. Seu
DE MINI Letra do mês + ano U$10.000,00
tamanho reduzido favorece daytrade iniciante.
DÓLAR Ex: WDOLH16 Lote mín. 1 contrato
DI1 + 01 Contrato Indicado para todos os tipos de operações,
D.I. Letra do mês + ano R$100.000,00 especialmente swing e position. Dedicado as grandes
Ex: DI1H16 Lote mín. 5 contratos operações devido seu custo financeiro.
5 Letras e 2 números
Mês de Venc. + Preço Derivativo de ações, indicado para daytrade. Grande
OPÇÕES Lote
de Exercício volatilidade e alavancagem.
Ex. Petrc32
TÁTICA X ESTRATÉGIA
“Tática é saber o que fazer quando há o que fazer; estratégia é saber o que
fazer quando não há nada a fazer”. Tartakower.

Esses conceitos podem parecer teoria, mas são de suma importância


em qualquer ramo de negócio especialmente no de daytrade.

Tática em geral é um componente de uma estratégia, assim diversas


táticas vencedoras formam uma estratégia eficiente.

Popularmente poderíamos assumir que a estratégia, é nosso guia, nosso


santo graal; já a tática é relacionada às ações tomadas durante o
percurso.

TÁTICA para um trader, está relacionada aos estudos técnicos:


análise gráfica, tape reading e outros. São como ferramentas, com
objetivo de antecipar um movimento do mercado, mas que na
realidade, somente aumenta a probabilidade de acertar esse
movimento.

ESTRATÉGIA no trade está relacionada ao negócio completo.


Como quando, porque, o que vou operar, e também quando sairei.
Essas decisões não são tomadas ao acaso, simplesmente porque tenho
um sinal de entrada por melhor que ele pareça, são tomadas
previamente no silêncio do mercado com papel, calculadora e
conhecimento administrativo em mãos e não a tela do computador
piscando cotações.
ESTRATÉGIA:
NEGÓCIO DAYTRADE

A estratégia está intimamente ligada ao plano de negócios.

Quanto quero receber de pró-labore?

Receberei mensalmente?

Qual será meu investimento total nesse negócio, para atingir o


resultado esperado?

Quantas horas de dedicação?

Quais serão os custos envolvidos?

Qual o máximo que aceito perder. Por operação, dia, semana e


ou mês?

Em quais mercados vou operar. Ex.: mercado futuro (dólar, índice,


opções), ou mercado a vista?

Qual corretora utilizarei?

Lembre-se que o custo de operação é extremamente importante em


seu resultado de longo prazo. Procure um pacote específico para
daytrade.

Esse plano deve ser escrito, de preferência deve deixá-lo em fácil


acesso, para que possa vê-lo a todo o momento.

Vamos preparar juntos, um plano de negócios, que auxiliará na


confecção do seu próprio plano; lembrando que nosso foco é o
daytrade. Esse não deve ser copiado, pois cada um terá suas metas e
seus objetivos.
PLANO DE NEGÓCIOS “EU TRADER”

OBJETIVO: Operar diariamente no mercado financeiro (daytrade),


buscando resultado, na consistência de minhas operações.

Investimento: Começarei o negócio com um investimento de


R$100.000,00.

Pró labore: R$2000,00 mais 70% do lucro obtido no mês, quando


houver.

Fundo de reserva: 30% do lucro líquido obtido durante o mês.

Local de operação: Por liberdade operarei de qualquer local,


onde haja conexão com a internet.

CUSTOS

De preparação: Cursos, livros treinamentos, computador, internet,


etc. De operação: corretagens, emolumentos, etc.

Capital de operação: R$80.000,00.

Capital de giro: R$20.000,00

RISCO DE EXPOSIÇÃO FINANCEIRA

Diário: 2% do capital de operação (R$1600,00).

Mensal: 6% do capital de operação (R$4800,00).

Não devemos esquecer que ainda


temos os custos de operação.

Mercado a operar: Mini-contratos de dólar e Mini-contratos de


índice, na BMFBovespa.

Obs: Essa escolha se deve a diferença abissal de valores de


emolumentos e corretagens, comparadas ao mercado a
vista, além de ser um mercado muito liquido no país.
Nota: Comprar um pacote de corretagem de uma
corretora é muito vantajoso, pode-se economizar até 80%,
dependendo do pacote.

STOPS LOSS: 3 Diários de R$500,00. Total R$1500,00 mais corretagens e


emolumentos.

STOP GAIN: 3 Diários de R$1000,00. Total R$3000,00 menos corretagens


emolumentos.

Obs: Sobre imposto de renda esse será de 20% sobre o lucro


líquido ao fim do mês.

META DE LUCRO BRUTO MENSAL: R$22.500,00


Essa meta foi tirada de:

-10 dias de operações positiva que totalizam


R$30.000,00.

-5 dias de perdas totais que dá R$7.500,00.

-5 dias de operação no zero a zero R$0.

Esses números foram tirados do meu próprio plano inicial, porém a um


conceito por trás de cada um deles, que será mostrado durante o livro,
isso facilitará sua compreensão, sobre como fazer seu próprio plano.

Pronto o plano está feito, e posso garantir que mesmo com um


conhecimento técnico frágil, ainda sim, terá uma grande chance de
vencer no mercado, e se manter nele por muito tempo, o que é o mais
difícil. Use o plano como uma bússola, quando sentir-se perdido volte a
ele.
É importante salientar que o plano é vivo, e não só pode como deve ser
mudado de acordo com sua evolução, mas nunca no meio de um
pregão.

Quando reli esse plano simulado de trade, senti falta de algumas


respostas às perguntas que certamente virão.

Então quer dizer, que só posso me tornar um


daytrade, se tiver mais de R$100.000,00 para
investir?

Bem não é bem assim, como disse anteriormente, depende de quanto


espera ganhar, e quanto pretende arriscar por trade.
TÁTICA - ANÁLISE
GRÁFICA

É a análise do comportamento de determinado papel, através de


padrões gráficos pré-estabelecidos.

Segundo o grande trader e escritor Alexander Elder, a análise gráfica


funciona como uma pesquisa de opinião em massa das intenções dos
players.

O gráfico de um papel em si mostra informações como: Abertura dos


preços, fechamento, máximas e mínimas em determinado período, e
continua plotando novas informações período por período, formando
assim um desenho de mercado.

Os períodos de cada barra ou candle podem variar de meses a minutos


de acordo com sua necessidade. No daytrade o mais comum é a
utilização de gráficos diários, 60min, 30min, 15min, 5min e 1 min.

Hoje opero gráfico de 5 e 15 minutos. Significa que cada barra/candle


terá sua formação restrita a esses tempos.

Existem inúmeros padrões para operar esses gráficos, e melhorar a


porcentagem de acerto das operações, e comentaremos a seguir
alguns desses padrões. Novamente garanto que qualquer tipo de
análise tem seu valor em aumentar a probabilidade de acerto em
determinada operação.
TEORIA DE DOW
É a base de todo o estudo de análise técnica. A teoria não se preocupa
com nada além das variações de preços.

SEIS PRINCÍPIOS DA TEORIA DE DOW

1° Princípio: Os índices descontam tudo, menos os


atos divinos.
Os índices representam a ação dos investidores com diferentes
pensamentos e conhecimentos sobre o mercado. Dessa forma,
todo o fator capaz de afetara a relação de oferta e procura
estará representado no preço do mercado. Tudo que puder
acontecer no mercado estará expresso no gráfico, com exceção,
dos eventos de caráter natural, imprevisíveis, como terremotos,
atentados, etc. São os chamados de atos divinos.

2° Princípio: As três tendências do mercado.


Tendência primaria, que é grande a duração e ocorre, em geral,
durante mais de um ano. Uma tendência primaria de alta
apresenta topos e fundos ascendentes, ao passo que, uma
tendência primaria de baixa apresenta topos e fundos
descendentes.

Tendência secundaria, dura entre três semanas e três meses, e


corrige entre 1/3 e 2/3 do movimento de preços da tendência
primaria.

Tendência terciaria, tem duração curta, normalmente menos de


três semanas, e é a única das três tendências que pode ser
“manipulada” por grupos de forte poder financeiro.

A grande utilidade em identificar as tendências está diretamente


relacionada ao tipo do investidor e ao prazo de investimento.
Observe que, se optar por operar no curto prazo, fazendo day
trade, você deverá dar mais atenção para a tendência terciaria
e para a secundária.

3° Princípio: as Três fases do mercado


Segundo DOW, o mercado funciona seguindo ciclos, ou seja, tem
sempre um padrão de movimento.

Fase 1
No início da alta, o mercado é impulsionado por
investidores qualificados, que veem nas
desvalorizações dos preços um bom negócio. Como
tem poder financeiro muito grande (estrangeiros),
partem as compras, estacando a queda acentuada.

Fase 2
Investidores de pequeno e médio portes mais
qualificados percebem que a queda está acabando
e começam a tomar posição de compra,
aumentando ainda mais a força compradora e
impulsionando uma recuperação do mercado.

Fase 3
É marcada por grandes altas. Investidores menos
qualificados começam a entrar, pois observam em
jornais e revistas boas noticias sobre a bolsa de
valores. Nessa fase, os investidores que compraram na
fase 1 começam a vender para os investidores da
fase 3.

Fases do mercado de baixa

Fase 1
Nessa fase, os investidores mais qualificados de
grande porte (estrangeiros) começam a vender suas
posições, fazendo com que o movimento de alta
diminua.
Fase 2
É uma etapa marcada por nervosismo, pois os
investidores menos qualificados percebem o erro e
começam a desfazer suas posições, aumentando a
força vendedora. Nessa fase, a tendência de baixa
começa com força.

Fase 3
Com perdas enormes e grande desvalorização dos ativos,
investidores mais qualificados começam a comprar e a
fase 1 do mercado de alta começa novamente.

4° Princípio: Da confirmação
DOW dizia que um índice que tem comportamento parecido
deve confirmar outro.

Se o índice Bovespa estiver em tendência de queda, ficará difícil


efetuar compra de ações, pois o IBOV reflete o comportamento
do mercado de ações, dessa forma, não estará “autorizando”
operação de compra.

Concluindo, de o índice estiver caindo, a probabilidade de


acertar em operações de compra será pequena.

5° Princípio: O volume deve confirmar a tendência


Mercado de Alta: é esperado que o volume financeiro aumente,
conforme a valorização dos ativos, e diminua com a
desvalorização.

Mercado de Baixa: é esperado que o volume financeiro aumente,


conforme a desvalorização dos ativos, e diminua com a
valorização.
6° Princípio: A tendência continua até surgir um sinal
definitivo de que houve reversão
Esse é sempre desprezado pelo trader amador, pois ele acha que,
se o preço subiu muito, não poderá subir mais e, se caiu, não
poderá cair mais. Isso não existe. O mercado estará na tendência,
até eu algum sinal muito forte aconteça. No nosso caso, o sinal
mais forte será a formação gráfica, que chamamos de PIVOT.

Acontece também, muitas vezes, de investidor tentar achar um


fundo nos ativos. Ele acha que está “barato” demais e que
daquela região preço não passará. Quando perde, leva as mãos
na cabeça e tenta arrumar uma explicação para o ocorrido.

Vamos nos conscientizar de que o mercado é forte o suficiente


para romper qualquer fundo existente, e que o preço poderá cair
muito mais do que já caiu.
SETUP

Setup de um trader nada mais é do que: Quais análises e indicadores


que ele utiliza em seu mercado, em geral são específicos para
determinado papel e determinado tempo gráfico, em termos leigos,
seria como uma receita de bolo, para suas operações.

Lembre-se que operar um setup serve somente, para aumentar a


probabilidade de acerto de uma operação, e não a garantir sucesso
operacional.

Existem diversos tipos de gráficos para representar os preços do


mercado. Utilizaremos gráficos de 5 e 15 minutos com candlesticks.

Gráfico Candlestick
É a representação gráfica de determinado período de um papel. Ex: 15
minutos. Como esse preço se comportou durante esses minutos, onde
abriu e fechou sua máxima e mínima nesse período.

A cor que se representa um candle é definido pelo movimento de


preços que ocorre no dia. Se o preço de fechamento for superior o
preço de abertura, o corpo de candle será representado pela cor
verde. Isso significa que houve um aumento de preços naquele período.
Se o preço de fechamento for inferior ao preço de abertura, o corpo
será representado na cor vermelha. Significa queda dos preços naquele
período.
Marcando Topos e Fundos
Existem apenas 3 movimentos (Tendências) que o mercado pode fazer:
subir, descer e andar de lado. Marcar os topos e fundos é identificar
essas tendências, e saber se você está comprando na lata ou na baixa.
Além disso, marcando os topos e fundos, você poderá desenhar os
suportes e as resistências para aquele ativo.

- TOPO: Ponto mais alto recente do preço em um


gráfico.

- FUNDO: Ponto mais baixo do preço em um gráfico.

Geralmente são encontrados em reversões de movimento.

O topo mostra um fim de subida do mercado, e um fundo o sinaliza


movimento contrário.

Sua importância deve-se, ao fato de se tornarem resistências e suportes


claros, pois evidentemente quando um mercado para de subir, e
reverte, é sinal de que os players, não querem pagar mais do que esse
valor, assim em determinado momento os vendedores têm de abaixar
seus preços, para que consigam vender o papel. Como em qualquer lei
de comércio, os players guardam esse preço na memória, e relutam em
pagar mais que isso em um momento futuro. Claro que o mesmo ocorre
com os fundos, que viram suportes, mas de maneira inversa.

Topos e fundos também são utilizados na formação de canais, que será


explicado adiante.
Conceitos de Resistência e Suporte
Esses conceitos são fundamentais para o aprendizado da análise
técnica e se traduzem na seguinte forma:

- RESISTÊNCIA: Ponto onde a alta dos preços é interrompida por


um aumento na força de venda.

- SUPORTE: Ponto onde a queda dos preços é interrompida por um


aumento na força de compra.

Como já descrito acima nos topos e fundos é o momento de saturação


nos preços gerando uma inversão de direção.

Quando o preço atinge um suporte, geralmente as pessoas acham que


o ativo está com preço muito baixo e começam a comprar,
levantando assim sua cotação.

A resistência é uma área em que as pessoas acham que o ativo está


caro demais. Surge então um pânico psicológico, as pessoas iniciam
suas vendas e, assim, derrubam, de fato, o mercado.

Aprendemos sobre topos e fundos antes de suporte e resistência por


que todo o topo é uma resistência e todo o fundo é um suporte. Para
marcarmos suporte e resistências, traçamos uma linha horizontal no
topo ou no fundo. Como mostrado na figura.
4 COISAS IMPORTANTES QUE DEVEMOS SABER
SOBRE SUPORTES E RESISTÊNCIAS

1. Quanto mais vezes o ativo bater no suporte ou resistência e


respeitá-la, mais força ela terá.

2. Uma resistência de 5 anos é mais forte que a resistência de 1


mês.

3. Quanto maior a distância entre os suportes e as resistências,


mais poderosa ela será.

4. Assim que uma resistência, ela automaticamente se transforma


em uma resistência.
A MUDANÇA DE
TENDÊNCIA

A mudança de tendência ocorre justamente quando aparece o que


chamamos de Pivot. Existe dois tipos de Pivot, os de Alta e os de Baixa.

Pivot de Alta
Acontece após um movimento de baixa. O pivot é um candle que
aparece, quando a resistência é quebrada. Nesse caso, dizemos que
houve uma mudança de tendência, pois os topos e fundos não são
mais descendentes.
Pivot de Baixa
Tem as mesmas características do Pivot de Alta, mas, aparece em
movimentos de alta. O Pivot de Baixa se forma quando o suporte é
quebrado. (Só ocorre quando o fechamento do candle ficou abaixo do
suporte).

O Pivot lhe dá uma oportunidade de comprar ou venda nos


rompimentos. Ou seja, a partir do momento que ocorrer um pivot de
alta, você entrará comprando e, quando aparecer um Pivot de baixa,
você entrará vendendo.

LINHAS DE TENDÊNCIA
Vale ressaltar que existem linhas de suporte e resistência que são
inclinadas, e essas linhas são chamadas de linhas de tendências.
Existem duas linhas de tendências: as de alta e as de baixa.

Linha de tendência de alta


LTA: Essa linha é desenhada ao ligar dois ou mais fundos do ativo.
Você irá perceber, quando traçar a LTA, que os ativos, quando chegam
próximos a essa linha, tendem a tocá-la e a subir novamente,
continuando o zigue-zague.

Essa linha tem a mesma propriedade dos suportes quando mais antiga
e testada, mais forte ela será.

Outro aspecto importante da linha de tendência é que, quanto mais


inclinada para cima ela for, menor sua sustentação.

Linha de tendência de baixa


LTB: É a linha que traça topos e fundos descendentes, formando um
canal de baixa.

As linhas de tendência de baixa têm as mesmas características e


propriedades da linha de tendência de alta.
GAPS
Preços em que o mercado não trabalhou em determinado momento.
Ou seja, a menor cotação negociada é maior que a máxima de preço
do período anterior. Os GAPS acorrem, em sua grande maioria, nos
gráficos de menor periodicidade.

Existem alguns mitos e máximas em torno dos GAPS, como a de que “os
GAPS são sempre fechados”. Isso não é verdade alguns GAPS são
fechados, enquanto outros permanecem abertos. Mas vale ressaltar
que eles são um forte ponto de atração servindo como imã.
INDICADORES E
OSCILADORES

Médias Móveis
Mostram qual foi o preço médio de um ativo em determinado período
de tempo. Constituem uma ferramenta muito poderosa e muito
utilizada por analistas técnicos, em todos os mercados.

Bandas Bollinger
Esse indicador é caracterizado por uma média móvel calculada para
um default de 20 períodos. A partir dessa média móvel são adicionadas
duas bandas, uma superior e outra inferior que se situam,
respectivamente, em 2 desvios de padrão de média móvel base.

É importante saber no uso desse indicador que, quando ambas as linhas


caminham para direções opostas, ou se abrem, a oscilação ou
volatilidade, nesse caso, será grande. Então ele é um indicador de
entrada de movimento.
ADX Movimento Direcional
O objetivo desse indicador é avaliar a tendência de alta e de baixa do
mercado. O ADX está sempre oscilando entre 0 e 100. A interpretação
que utilizamos em nosso setup é que:

O mercado está em tendência quando o ADX está acima de 32 ou a


linha amarela apontando para cima.
Estocástico
O Oscilador estocástico é um indicador de momento que mostra a
posição em que o preço está em relação a amplitude da relação
relativa a máxima e a mínima de um número de períodos.

Ele oscila entre 0 e 100 e implementa áreas de sobrecompra e


sobrevenda. A área de sobrevenda encontra-se na faixa de 0 e 30,
enquanto a sobrecompra fica entre 70 e 100. A interpretação que e faz
quando o estocástico estiver acima de 70 é que o mercado está
sobrecomprado, ou seja, os investidores estão acumulando na compra.
Quando o estocástico cai abaixo de 30, é pelo de o mercado ter
acumulado na venda.

Os melhores sinais do indicador são oferecidos quando ele se encontra


na área de sobrecompra ou na de sobrevenda.
PADRÕES GRÁFICOS

Topo de Ombro-Cabeça-Ombro (OCO)


Forma-se após uma tendência de alta e sua finalização marca uma
reversão de tendência. O padrão, que contém três sucessivos picos
com o pico do meio – a cabeça – sendo o maior e o mais alto e dois
outros picos ao lado do central, sendo menores a aparentemente iguais
em altura. A reação das mínimas de cada pico pode ser conectada
para formar um suporte ou uma linha de pescoço.

O padrão ‘OCO’ não está completo e a tendência de alta não é


revertida até que o suporte na linha de pescoço seja quebrado,
idealmente, isso deve ocorrer de uma maneira convincente, com uma
expansão do volume.

Depois da quebra do suporte da linha de pescoço, o preço projetado


para o declínio é achado medindo-se a distância vertical da linha de
pescoço. Até o topo da cabeça. A distância é subtraída da linha de
pescoço para se chegar a meta.
Fundo de Ombro-Cabeça-Ombro – Invertido (OCOI)
Esse padrão é referido muitas vezes como oposto do ‘OCOI’, pois possui
muitas características semelhantes comparadas ao seu par.

Ele Forma-se depois de uma tendência de baixa e sua finalização ostra


uma mudança de tendência. Esse padrão contém Três fundos
sucessivos, com o fundo do meio a – cabeça – sendo o fundo mais
baixo e os outros dois mais rasos. As máximas de cada fundo podem ser
conectadas e, assim, formarem uma linha de resistência de pescoço
nesse caso.
Topo duplo “M”
É um dos padrões de reversão mais importantes que se formam ao fim
de uma tendência de alta estendida. O padrão é feito de dois picos
consecutivos que são, praticamente, da mesma altura e existe um
fundo moderado entre eles.

O rompimento do suporte no ponto mais baixo entre os dois topos


completa o padrão. O suporte rompido torna-se resistência potencial.

Objetivo de preço: A distância entre o rompimento do suporte e o topo


pode ser subtraída da quebra o suporte a fim de ser um objetivo de
preço para o movimento.
Fundo duplo ou “W”
Se forma no fim de uma tendência de baixa estendida. O padrão é
feito de dois fundos consecutivos que são, praticamente, da mesma
altura e com um pico moderado entre eles.

O rompimento da resistência no ponto mais alto entre os dois fundos


completa o padrão. A resistência rompida torna-se potencial suporte, e
algumas vezes esse novo nível de suporte é testado com uma reação
de baixa.

Objetivo de preço: A distância do rompimento de resistência até o


fundo pode ser subtraída da quebra da resistência a fim de ter um
objetivo de preço para o movimento.
PSICOLOGIA DO
INVESTIDOR
“A melhor maneira de não ter um problema é, em primeiro lugar, não os
arrumando” Bem Bernanke

Os operadores chegam aos mercados com grandes expectativas, mas


poucos ganham dinheiro e a maioria desaparece. O setor oculta do
público boas estatísticas, enquanto promove a grande mentira de que
o dinheiro perdido pelos fracassados vai para os vitoriosos.

Na verdade, os vitoriosos ficam apenas com pequena fração do


dinheiro perdido pelos fracassados. O grosso das perdas fica com o
próprio setor de operações de mercado como custo de fazer negócios
– comissões, slippage e despesas – tato dos vencedores quanto dos
perdedores.

É preciso destacar-se da multidão, só ganha quem tem conhecimento


e disciplina. A maioria dos operadores chega ao mercado com planos
de operação apenas meio confeccionados, com poucas noções de
psicologia das negociações e gestão do dinheiro.

Você deve operar o máximo possível sem seu ego. Deve-se mentalizar
que o mercado não é uma competição com outros e sim um fluxo de
oportunidades consistentes, das quais você pode aproveitar de vez em
quando.
A curva de aprendizado em qualquer esforço envolve quatro estágios.

INCOMPETÊNCIA INCONSCIENTE

Quando o trader não tem a menor ideia de quanto sabe


sobre a operação.

INCOMPETÊNCIA CONSCIENTE

Quando o trader descobre após algumas perdas iniciais,


que ainda tem muito a aprender.

COMPETÊNCIA CONSCIENTE

Quando o trader se desenvolveu e agora vai bem,


utilizando seus sistemas e suas regras.

COMPETÊNCIA CONSCIENTE

Onde o trader dominou as regras e também sabe quando


as quebrar na oportunidade de algumas mudanças, em um
fluxo completo com o mercado baseado em grande
experiência.
INDICAÇÕES
BIBLIOGRÁFICAS

CANDLESTICK: UM MÉTODO PARA


AMPLIAR LUCROS NA BOLSA DE
VALORES

CARLOS ALBERTO DEBASTIANI


Ed. NOVATEC, 2007

APRENDA A OPERAR NO MERCADO


DE AÇÕES

ALEXANDER ELDER
Ed. Elsevier Brasil

ANÁLISE TÉCNICA CLÁSSICA

FLÁVIO LEMOS E CELSO CARDOSO


Ed. Saraiva
DESENVOLVIDO POR