Você está na página 1de 2

8. Margareth Sanger.

Margareth Sanger foi uma enfermeira, mãe de três filhos, que ocupa
um lugar de destaque na história que estamos descrevendo.

Em 1912, com a idade de 34 anos, Margareth era enfermeira


visitante nas favelas da zona leste de Nova York. Conforme ela narra
em sua autobiografia escrita em 1938, ficou horrorrizada com a
miséria sem fim e o alto número de mortes por aborto que ali
encontrou. Por causa destas experiências visitou no ano seguinte,
por sua própria iniciativa, a Inglaterra, a Holanda e a França à
procura de informações sobre métodos contraceptivos que pudesse
ensinar às mulheres das favelas de sua cidade. Devido às leis federais
que nos Estados Unidos regulavam o assunto, o ímpeto com que ela
começava a se dispor para realizar esta tarefa teria sido considerado
por qualquer outra pessoa como não mais do que uma busca certa
de intermináveis problemas legais.

Em sua volta à América, Margareth abriu uma clínica para


aconselhamento sobre contraceptivos. Foi imediatamente presa e
condenada a trinta dias de cadeia sob a acusação de "aborrecimento
público". Mal havia sido solta, iniciou a publicação da Birth Control
Review, fundou uma organização de propaganda, abriu uma nova
clínica e um bureau de pesquisas a que denominou National Comitee
on Maternal Health. Até mesmo o termo Birth Control, ou Controle
de Natalidade, foi inventado por Margareth em 1914, tendo
aparecido pela primeira vez na revista mensal que ela publicava
chamada "A Mulher Rebelde". Apesar de neste livro já termos nos
utilizado várias vezes da expressão "controle de natalidade", a
verdade é que até então este termo ainda não existia.

Margareth Sanger iniciou uma campanha vigorosa, geralmente


contra oposições legais e diversos aprisionamentos, pelo direito dos
médicos darem aconselhamento sobre o controle da natalidade e dos
pais controlarem o tamanho de suas famílias. Até hoje as
organizações que continuaram o trabalho de Margareth Sanger
exibem quadros pendurados nas paredes em que se mostram
fotografias dela sendo recebida na saída de alguma cadeia onde
havia sido presa durante algum tempo.

Além do Comitê Nacional para a Saúde Materna, Margareth Sanger


fundou também a American Birth Control League. Dois anos depois
da fundação desta Liga, devido às alterações da legislação contra o
controle da natalidade conseguidas pelos seus esforços, Margareth
estabeleceu uma clínica permanente para aconselhamento de
controle de natalidade a que chamou de Birth Control Clinical
Research Bureau. Em 1939 esta clínica e a American League se
fundiram formando a Birth Control Federation of America. Em
1942 esta entidade mudou seu nome para Planned Parenthood
Federation of America (PPFA).

Em 1922 Margareth Sanger tomou a iniciativa pessoal de visitar o


Havaí, a China e o Japão, onde iniciou movimentos locais de
controle de natalidade mesmo contra o clima altamente pró natalista
de alguns dos governos destes países. As políticas de aborto e de
controle de natalidade japonesas após a segunda guerra mundial
tiveram suas raízes muitos anos antes nesta visita da enfermeira
norte americana ao Oriente.