Você está na página 1de 3

Plano de Ensino de Disciplina

VERSÃO CURRICULAR: 2008/1

DISCIPLINA: INSTITUIÇÕES DE DIREITO


DIREITO ROMANO

CÓDIGO: 044 PRÉ-REQUISITO: DEPARTAMENTO: DIT

C.H.TOTAL: 30 H/AULA CRÉDITOS: 02 PERÍODO: 3ºº

EMENTA

Formação e desenvolvimento do corpo de doutrina jurídica do povo romano, da fundação


de Roma à morte de Justiniano, direito romano-helênico e usus modernus pandectarum.

UNIDADES DE ENSINO

Unidade I – A idéia de Direito na experiência jurídica romana: categorias


fundamentais do Direito.
1. A Consciência Jurídica em Roma
2. Categorias de existência do Direito e sua revelação na experiência romana
3. Categorias de essência do Direito e sua revelação na experiência romana
4. Princípios axiológicos do Direito Romano.

Unidade II – O Ius Publicum Romano: direito como ordenação racional do poder em


Roma.
5. As organizações políticas em Roma: na Realeza, na República e no Império.
6. As fontes do Direito em Roma: na Realeza, na República e no Império.
7. As magistraturas em Roma: na Realeza, na República e no Império.
8. As estruturas lógico-normativas de aplicação do Direito em Roma: o processo romano,
seus movimentos históricos e suas fases lógicas.

Unidade III – O Ius Privatum Romano: um panorama do Ius Civile ao Direito


Justinianeu.
9. Lineamentos do Direito das Pessoas em Roma: principiologia geral.
10. Lineamentos do Direito das Obrigações em Roma: principiologia geral.
11. Lineamentos do Direito das Coisas em Roma: principiologia geral.

Unidade IV – O Direito Romano como elemento suprassumido do Direito


Contemporâneo: a recepção do Direito Romano no Ocidente.
12. A sobrevivência do Direito Romano na Idade Média.
13. A recepção do Direito Romano como ratio scripta: as escolas de interpretação do Corpus
de Direito Romano e as ordenações romanísticas.
14. A recepção da ratio juris romana no Direito Contemporâneo: do usus modernus pandectorum
ao seu tratamento como substrato da Teoria e Filosofia do Direito a serviço da aplicação
justa e efetiva da ordem jurídica constitucional.

BIBLIOGRAFIA
Bibliografia Básica:
Básica:
MOREIRA ALVES, José Carlos. Direito Romano. Rio de Janeiro: Forense. V. I, 5. ed., 1983;
V. II, 4. ed., 1986.
PEIXOTO, José Carlos de Matos. Curso de Direito Romano – Tomo I. 4 ed. Rio de Janeiro:
Renovar, 2000.
POLETTI, Ronaldo Elementos de Direito Romano, Publico e Privado. Brasília: Brasília Jurídica,
1996.
SALGADO, Joaquim Carlos. A Idéia de Justiça no Mundo Contemporâneo. Belo Horizonte: Del
Rey, 2007.
VILLEY, Michel. Direito Romano. Trad. Fernando Couto. Porto: Res Jurídica, 1991.

Bibliografia Complementar:
BONFANTE, Pietro; BACCI, Luigi; LARROSA, Andrés; CAMPUZANO Y HORMA,
Fernando. Instituciones de Derecho Romano. Madrid: Editorial Reus, 1929.
BONFANTE, Pietro. Historia del Derecho Romano. Trad. Jose Santa Cruz Tejeiro. Madri:
Editorial Revista de Derecho Privado, 1944.
BURDESE; MARTINEZ SARRION, Angel. Manual de Dereccho Publico Romano. Barcelona:
Bosch, 1972.
CAENEGEM, R. C. van. Uma introdução histórica ao Direito Privado. Trad. Carlos Eduardo
Machado. São Paulo: Martins Fontes, 1995.
CUNHA, Paulo Ferreira da, SILVA, Joana Aguiar e, SOARES, António Lemos. História do
Direito; do Direito Romano à Constituição Européia. Coimbra: Almedina, 2005.
DAVID, René. Os Grandes Sistemas do Direito Contemporâneo. Trad. Hermínio A. Carvalho.
São Paulo: Martins Fontes, 1986.
GUARINO, Antonio. Storia del Diritto Romano. 4 ed. Napoli: Eugenio Jovene, 1969.
GILISSEN, John. Introdução Histórica ao Direito. Trad. A. M. Botelho Hespanha e L. M.
Macaísta Malheiros. 3. ed. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2001.
HESPANHA, Antonio Manuel. Cultura Jurídica Européia; síntese de um milênio.
Florianópolis: Fundação Boiteux, 2005.
HESPANHA, Antonio Manuel. O Direito dos Letrados no Império Português. Florianópolis:
Fundação Boiteux, 2006.
IHERING, Rudolf Von. O Espirito do Direito Romano: nas diversas fases de seu desenvolvimento.
Trad. Rafael Benaion; Prefacio de Clovis Bevilaqua. Rio de Janeiro: Alba, 1943.
LOSANO, Mario Giuseppe. Os Grandes Sistemas Jurídicos. Trad. Marcela Varejão. São Paulo:
Martins Fontes, 2007.
MARTINO, Francesco. La Giurisdizione nel Diritto Romano. Padova: CEDAM, 1937.
MARTINO, Francesco. Storia della Costituzione Romana. Napole: Jovene, 1972.
MONCADA, Luis Cabral de. Elementos de História do Direito Romano: fontes e instituições.
Coimbra: Coimbra Ed., 1923.
MONCADA, Luis Cabral de. A Atual Crise do Romanismo na Europa. In: Estudos de
História do Direito. Vol II: Coimbra: Acta Universitatis Conimbrigensis, 1949.
PETIT, Eugene. Tratado Elemental de Derecho Romano. Trad. Jose Fernandez Gonzales.
Buenos Aires: Albatroz, 1951.
REALE, Miguel. Concreção de Fato, Norma e Valor no Direito Romano Clássico. In:
Horizontes do Direito e da História. São Paulo: Saraiva, 1977, p. 55-74.
SALDANHA, Nelson Nogueira. Vivência e Sobrevivência do Direito Romano; para uma
perspectiva brasileira. In: Seminários de Direito Romano na Universidade de
Brasília. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1984, p. 111-122.
SILVA, João Batista. Processo Romano: instrumento de eficácia jurisdicional. Belo Horizonte:
Líder, 2004.
WIEACKER, Franz. História do Direito Privado Moderno. Trad. A. M. Botelho Hespanha.
Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1980.
WOLKMER, Antônio Carlos (org). Fundamentos de História do Direito. Belo Horizonte: Del
Rey, 1996.
WOLKMER, Antônio Carlos. História do Direito no Brasil. Rio de Janeiro: Forense, 1998.