Você está na página 1de 66

Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 1

DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO


DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA BAHIA
Ano 2019, Número 001 Divulgação: quarta-feira, 19 de dezembro de 2018 Publicação: segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Tribunal Regional Eleitoral

José Edivaldo Rocha Rotondano


Presidente

Edmilson Jatahy Fonseca Júnior


Vice-Presidente

Edmilson Jatahy Fonseca Júnior


Corregedor Regional Eleitoral

Bela. Fabíola Mazzei Pereira Vitório da Silva


Diretora-Geral

Assessoria de Comunicação Social e Cerimonial

Fone/Fax: (71) 3373-7007


ascom@tre-ba.jus.br

Sumário
PRESIDÊNCIA .............................................................................................................................................................................................2
CORREGEDORIA REGIONAL ELEITORAL .................................................................................................................................................2
PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL .................................................................................................................................................2
SECRETARIA DO TRIBUNAL ......................................................................................................................................................................3
SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS ................................................................................................................................................3
SECRETARIA DE GESTÃO DE SERVIÇOS ...............................................................................................................................................3
SECRETARIA JUDICIÁRIA .........................................................................................................................................................................3
COMISSÃO PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR ......................................................................................................................3
COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS .............................................................................................................3
COMISSÃO DE VOTAÇÃO PARALELA .......................................................................................................................................................3
ESCOLA JUDICIÁRIA ELEITORAL ..............................................................................................................................................................3
OUVIDORIA REGIONAL ELEITORAL ..........................................................................................................................................................3
COMISSÃO APURADORA ...........................................................................................................................................................................3
ZONAS ELEITORAIS ...................................................................................................................................................................................4
008ª Zona Eleitoral - SALVADOR .........................................................................................................................................................4
Despachos ....................................................................................................................................................................................4
Sentenças .....................................................................................................................................................................................5
019ª Zona Eleitoral - SALVADOR .........................................................................................................................................................6
Sentenças .....................................................................................................................................................................................6
023ª Zona Eleitoral - JEQUIÉ ................................................................................................................................................................6
Editais ...........................................................................................................................................................................................6
Sentenças .....................................................................................................................................................................................7
029ª Zona Eleitoral - IBICARAÍ .............................................................................................................................................................8
Intimações ....................................................................................................................................................................................8
030ª Zona Eleitoral - NAZARÉ ............................................................................................................................................................10
Despachos ..................................................................................................................................................................................10
032ª Zona Eleitoral - ITUBERÁ ...........................................................................................................................................................10
Intimações ..................................................................................................................................................................................11
043ª Zona Eleitoral - CASTRO ALVES ...............................................................................................................................................11

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 2

Sentenças ...................................................................................................................................................................................11
046ª Zona Eleitoral - JACOBINA .........................................................................................................................................................13
Sentenças ...................................................................................................................................................................................13
051ª Zona Eleitoral - JEREMOABO ....................................................................................................................................................18
Editais .........................................................................................................................................................................................18
052ª Zona Eleitoral - PARIPIRANGA ..................................................................................................................................................22
Despachos ..................................................................................................................................................................................22
Decisões Interlocutórias ..............................................................................................................................................................22
Intimações ..................................................................................................................................................................................23
073ª Zona Eleitoral - UBAITABA .........................................................................................................................................................24
Sentenças ...................................................................................................................................................................................24
075ª Zona Eleitoral - BARREIRAS ......................................................................................................................................................24
Intimações ..................................................................................................................................................................................25
076ª Zona Eleitoral - JAGUAQUARA ..................................................................................................................................................25
Sentenças ...................................................................................................................................................................................25
077ª Zona Eleitoral - BARRA ..............................................................................................................................................................33
Despachos ..................................................................................................................................................................................33
Sentenças ...................................................................................................................................................................................33
082ª Zona Eleitoral - CÍCERO DANTAS .............................................................................................................................................34
Sentenças ...................................................................................................................................................................................34
107ª Zona Eleitoral - SANTA TEREZINHA ..........................................................................................................................................38
Editais .........................................................................................................................................................................................38
114ª Zona Eleitoral - RIACHÃO DO JACUÍPE ....................................................................................................................................39
Sentenças ...................................................................................................................................................................................39
120ª Zona Eleitoral - VALENTE ..........................................................................................................................................................39
Editais .........................................................................................................................................................................................39
129ª Zona Eleitoral - CATU .................................................................................................................................................................40
Intimações ..................................................................................................................................................................................40
147ª Zona Eleitoral - ITAGIBÁ ............................................................................................................................................................41
Intimações ..................................................................................................................................................................................41
149ª Zona Eleitoral - ITIÚBA ...............................................................................................................................................................41
Sentenças ...................................................................................................................................................................................41
153ª Zona Eleitoral - MEDEIROS NETO .............................................................................................................................................45
Editais .........................................................................................................................................................................................45
Despachos ..................................................................................................................................................................................46
166ª Zona Eleitoral - BUERAREMA ....................................................................................................................................................47
Sentenças ...................................................................................................................................................................................47
177ª Zona Eleitoral - TREMEDAL .......................................................................................................................................................48
Despachos ..................................................................................................................................................................................48
184ª Zona Eleitoral - SÃO FELIPE ......................................................................................................................................................50
Editais .........................................................................................................................................................................................50
Sentenças ...................................................................................................................................................................................51
188ª Zona Eleitoral - EUNÁPOLIS ......................................................................................................................................................54
Sentenças ...................................................................................................................................................................................54
192ª Zona Eleitoral - CONCEIÇÃO DO JACUÍPE ...............................................................................................................................65
Despachos ..................................................................................................................................................................................65

PRESIDÊNCIA

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

CORREGEDORIA REGIONAL ELEITORAL

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 3

SECRETARIA DO TRIBUNAL

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

SECRETARIA DE GESTÃO DE SERVIÇOS

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

SECRETARIA JUDICIÁRIA

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

COMISSÃO PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

COMISSÃO DE VOTAÇÃO PARALELA

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

ESCOLA JUDICIÁRIA ELEITORAL

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

OUVIDORIA REGIONAL ELEITORAL

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

COMISSÃO APURADORA

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 4

ZONAS ELEITORAIS

008ª Zona Eleitoral - SALVADOR

Despachos

PRESTAÇÃO DE CONTAS - ELEIÇÕES 2016


PRESTAÇÃO DE CONTAS Nº 1081-54.2016.6.05.0008 CLASSE 25
PROTOCOLO Nº 185.745/2016
CANDIDATO: MARCIO LUIS DAS NEVES DIAS
Partido: PARTIDO SOCIAL CRISTÃO - PSC
ADVOGADO: HOSTILIO FRANCISCO DOS SANTOS OAB/BA nº 9198
Vistos, etc.
Formalize-se, no prazo de 05 (cinco) dias, o registro do débito no Livro de Inscrição de Débitos Eleitorais (exceto multas) e expeça-se o Termo
de Inscrição de Débito, juntando-o aos autos. Após, encaminhe-se ofício à Procuradoria da Fazenda Nacional, por intermédio da Secretaria
Judiciária deste Regional, acompanhado de meio eletrônico contendo os documentos digitalizados necessários para inscrição do débito na
Dívida Ativa da União.
Providências cabíveis adotadas, arquivem-se os presentes autos.
Salvador, 17 de dezembro de 2018.
Liz Rezende de Andrade
Juíza Eleitoral da Oitava Zona

PRESTAÇÃO DE CONTAS Nº 1193-23.2016.6.05.0008 CLASSE 25


PROTOCOLO Nº 186.328/2016
CANDIDATO: MARCOS ANTONIO ALMEIDA SAMPAIO
Partido: PARTIDO DOS TRABALHADORES - PT
ADVOGADO: NEOMAR RODRIGUES DIAS FILHO OAB/BA nº 42808
Vistos, etc.
Formalize-se, no prazo de 05 (cinco) dias, o registro do débito no Livro de Inscrição de Débitos Eleitorais (exceto multas) e expeça-se o Termo
de Inscrição de Débito, juntando-o aos autos. Após, encaminhe-se ofício à Procuradoria da Fazenda Nacional, por intermédio da Secretaria
Judiciária deste Regional, acompanhado de meio eletrônico contendo os documentos digitalizados necessários para inscrição do débito na
Dívida Ativa da União.
Providências cabíveis adotadas, arquivem-se os presentes autos.
Salvador, 17 de dezembro de 2018.
Liz Rezende de Andrade
Juíza Eleitoral da Oitava Zona

PRESTAÇÃO DE CONTAS Nº 1198-45.2016.6.05.0008 CLASSE 25


PROTOCOLO Nº 186.344/2016
CANDIDATO: VALDEMIR MEDEIROS DA SILVA
Partido: PARTIDO DOS TRABALHADORES - PT
ADVOGADO: ALAN SANTOS FREIRE OAB/BA nº 49329
Vistos, etc.
Formalize-se, no prazo de 05 (cinco) dias, o registro do débito no Livro de Inscrição de Débitos Eleitorais (exceto multas) e expeça-se o Termo
de Inscrição de Débito, juntando-o aos autos. Após, encaminhe-se ofício à Procuradoria da Fazenda Nacional, por intermédio da Secretaria
Judiciária deste Regional, acompanhado de meio eletrônico contendo os documentos digitalizados necessários para inscrição do débito na
Dívida Ativa da União.
Providências cabíveis adotadas, arquivem-se os presentes autos.
Salvador, 17 de dezembro de 2018.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 5

Liz Rezende de Andrade


Juíza Eleitoral da Oitava Zona

Sentenças

ISENÇÃO ELEITORAL
PROCESSO Nº 60-72.2018.6.05.0008 - Protocolo nº º 48.761/2018
ASSUNTO: CERTIDÃO DE QUITAÇÃO POR PRAZO INDETERMINADO
INTERESSADO: MANOEL DOS SANTOS
Trata-se de requerimento formulado em favor de MANOEL DOS SANTOS, objetivando a exoneração do dever do voto, em face de sua
limitação, conforme relatório médico de fl.02.
Foi acostado aos autos requerimento, relatório médico e cópia do documento de identificação do requerente e do representante.
O Cartório Eleitoral certifica que a inscrição eleitoral do(a) interessado(a) encontra-se regular no Cadastro Nacional de Eleitores.
É o relatório.
A Resolução TSE 21.920/04 prevê seja facultado o alistamento eleitoral e o voto das pessoas com deficiência, cuja natureza ou situação
impossibilitem ou tornem extremamente oneroso o exercício de suas obrigações eleitorais, devendo o interessado apresentar requerimento ao
juiz eleitoral da zona de inscrição do eleitor, acompanhado de documentação comprobatória da deficiência.
Com efeito, a referida norma abre a possibilidade de o magistrado, satisfeitas as condições ali postas, fornecer certidão de quitação eleitoral
com prazo de validade indeterminado, facultando ainda, ao requerente com inscrição cancelada, pleitear a regularização de sua situação
eleitoral.
Ante o exposto, tendo em vista a documentação acostada que comprova ser o requerente portador de patologia que torna extremamente
oneroso o exercício das obrigações eleitorais, com fulcro no art. 2º, da Resolução TSE n.º 21.920/2004, defiro o pedido, determinando a
anotação do ASE 396 (Portador de deficiência), motivo/forma 4 (Dificuldade para o exercício do voto), no cadastro do na inscrição do(a)
eleitor(a), bem como a expedição da Certidão de Quitação Eleitoral por Prazo Indeterminado em nome de MANOEL DOS SANTOS.
Adotadas as medidas de praxe, arquive-se o feito.
Salvador, 17 de dezembro de 2018.
Liz Rezende de Andrade
Juíza Eleitoral da 8ª Zona

PROCESSO Nº 61-57.2018.6.05.0008 - Protocolo nº º 48.927/2018


ASSUNTO: CERTIDÃO DE QUITAÇÃO POR PRAZO INDETERMINADO
INTERESSADO: CRISPINA MARIA DAS VIRGENS
Trata-se de requerimento formulado em favor de CRISPINA MARIA DAS VIRGENS, objetivando a exoneração do dever do voto, em face de
sua limitação, conforme relatório médico de fls.04/05.
Foi acostado aos autos requerimento, relatório médico e cópia do documento de identificação do requerente e do representante.
O Cartório Eleitoral certifica que a inscrição eleitoral do(a) interessado(a) encontra-se cancelada no Cadastro Nacional de Eleitores.
É o relatório.
A Resolução TSE 21.920/04 prevê seja facultado o alistamento eleitoral e o voto das pessoas com deficiência, cuja natureza ou situação
impossibilitem ou tornem extremamente oneroso o exercício de suas obrigações eleitorais, devendo o interessado apresentar requerimento ao
juiz eleitoral da zona de inscrição do eleitor, acompanhado de documentação comprobatória da deficiência.
Com efeito, a referida norma abre a possibilidade de o magistrado, satisfeitas as condições ali postas, fornecer certidão de quitação eleitoral
com prazo de validade indeterminado, facultando ainda, ao requerente com inscrição cancelada, pleitear a regularização de sua situação
eleitoral.
Ante o exposto, tendo em vista a documentação acostada que comprova ser o requerente portador de patologia que torna extremamente
oneroso o exercício das obrigações eleitorais, com fulcro no art. 2º, da Resolução TSE n.º 21.920/2004, defiro o pedido, determinando a a
expedição da Certidão de Quitação Eleitoral por Prazo Indeterminado em nome de CRISPINA MARIA DAS VIRGENS.
Deixo de determinar a digitação do ASE 396 (Portador de deficiência), motivo/forma 4 (Dificuldade para o exercício do voto), porque a
requerente está com a inscrição eleitoral cancelada.
Adotadas as medidas de praxe, arquive-se o feito.
Salvador, 17 de dezembro de 2018.
Liz Rezende de Andrade
Juíza Eleitoral da 8ª Zona

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 6

019ª Zona Eleitoral - SALVADOR

Sentenças

REQUERIMENTO DE CERTIDÃO DE QUITAÇÃO ELEITORAL POR TEMPO INDETERMINADO


RSE Nº62-09.2018.6.05.0019 – CLASSE 115
PROTOCOLO Nº: 49.291/2018
REQUERENTE: MARLENE BATISTA MENDES
SENTENÇA
Vistos, etc.
MARLENE BATISTA MENDES, ingressou com requerimento de Certidão de Quitação Eleitoral com Prazo de Validade Indeterminado, em
face de sua limitação funcional, consoante relatório médico anexo.
Em razão da sua atual condição de saúde pleiteia que lhe seja facultado o exercício do voto, com a expedição de quitação eleitoral, com
prazo de validade indeterminado. Foi acostado aos autos relatório médico, comprovante de residência e documento de identidade.
É o relatório.
Ante o exposto, considerando o que disciplinam os arts. 6º, II, a, e 10 do Código Eleitoral, bem como o artigo 2º, da Resolução TSE n.º
21.920/2004, defiro o pedido, determinando a expedição da competente Certidão de Quitação Eleitoral por Prazo Indeterminado em nome de
MARLENE BATISTA MENDES.
Para fins do quanto dispõe o art. 51, caput, da Resolução TSE nº 21.538/2003, determino o lançamento do ASE 396, motivo/forma 4, para a
inscrição eleitoral de titularidade do (a) interessado (a).
Publique-se.
Após adotadas as providências necessárias, arquive-se.
Salvador, 19 de dezembro de 2018..
Antônio Alberto Faiçal Júnior
Juiz Eleitoral da 19ª Zona

023ª Zona Eleitoral - JEQUIÉ

Editais

n 056/2018
EDITAL N.º056/2018
A Excelentíssima Senhora Mirna Fraga Souza de Faria, Juíza Eleitoral Substituta desta 023ª Zona, Município de Jequié/BA, no uso de suas
atribuições legais,
FAZ SABER, a todos que o presente EDITAL virem, ou dele tomarem conhecimento, que foram apresentadas as Prestações de Contas da
Campanha Eleitoral, referentes às Eleições 2018, dos partidos políticos abaixo relacionados, as quais se encontram disponíveis para que
qualquer interessado, partido político, candidato ou o Ministério Público Eleitoral possa(m) impugnar no prazo de 03 (três) dias (art. 59, Res.
TSE nº 23.553/2017) a contar da publicação deste Edital.

PARTIDO POLÍTICO MUNICÍPIO RESPONSÁVEL


PARTIDO POPULAR SOCIALISTA - PPS JEQUIÉ AUGUSTO GESTEIRA NETO
PARTIDO VERDE – PV JEQUIÉ JOSE VICENTE RIBEIRO DE CARVALHO
PARTIDO SOCIAL CRISTÃO – PSC APUAREMA SALATIEL BASTOS AMORIM
PARTIDO POPULAR SOCIALISTA - PPS APUAREMA DILLAS SOUZA SANTOS
PARTIDO DA REPUBLICA – PR APUAREMA JALDO SANTOS BRAGA
PARTIDO REPUBLICANO BRASILEIRO - PRB LAFAIETE ALAN NASCIMENTO DOS SANTOS
COUTINHO

E, para que chegue ao conhecimento de todos, mandou a Excelentíssima Senhora Juíza expedir o presente Edital, que será afixado no local
de costume, bem como publicado no Diário de Justiça Eletrônico. Dado e passado neste município de Jequié/BA, aos 18 dias do mês de
Dezembro do ano de 2018. Eu, Cristiana Lauro Santos Costa, Chefe do Cartório Substitiuta desta 23ª Zona Eleitoral, subscrevo, ________.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 7

Mirna Fraga Souza de Faria


Juíza Eleitoral Substituta da 023ª Zona – Jequié/BA

Sentenças

REQUERIMENTO DE CERTIDÃO POR PRAZO INDETERMINADO


REGULARIZAÇÃO DE SITUAÇÃO DO ELEITOR
PROCESSO Nº 87-10.2018.6.05.0023
REQUERENTE: RENIVALDO FERREIRA RIBEIRO
MUNICÍPIO: JEQUIÉ/BA
Vistos etc.
Trata-se de requerimento de expedição de certidão de quitação eleitoral com prazo de validade indeterminado em favor do(a) requerente
RENIVALDO FERREIRA RIBEIRO (inscrição eleitoral nº 159552430558), eleitor(a) da 23ª Zona Eleitoral/BA, tendo a solicitação aludida sido
instruída com documentos pessoais e documento (relatório médico) comprobatório da deficiência do(a) requerente.
Vieram-me os autos conclusos.
É o breve relatório. Decido.
Nos termos da Resolução TSE nº 21.920/2004, a pessoa portadora de deficiência que torne impossível ou demasiadamente oneroso o
cumprimento das obrigações eleitorais, relativamente ao alistamento e ao exercício do voto não estará sujeita à sanção por ausência às urnas
e/ou trabalhos eleitorais, devendo ser-lhe fornecida, portanto, certidão de quitação com prazo de validade indeterminado. É o caso dos autos.
Assim, defiro o pedido formulado, determinando ao Cartório Eleitoral que promova à expedição da competente certidão pleiteada.
Determino a imediata anotação do código ASE 396, motivo/forma 4 (portador de deficiência/dificuldade para o exercício do voto), inibindo-se a
geração automática de débito por ausência às urnas.
Publique-se. Registre-se. Intime-se.
Após, arquive-se observadas as cautelas de estilo.
Jequié/BA, 18 de Dezembro de 2018.
MIRNA FRAGA SOUZA DE FARIA
Juíza Substituta da 23ª Zona Eleitoral

REQUERIMENTO DE CERTIDÃO POR PRAZO INDETERMINADO


REGULARIZAÇÃO DE SITUAÇÃO DO ELEITOR
PROCESSO Nº 86-25.2018.6.05.0023
REQUERENTE: DANIEL ALVES CARDOSO
MUNICÍPIO: JEQUIÉ/BA
SENTENÇA
Vistos etc.
Trata-se de requerimento de expedição de certidão de quitação eleitoral com prazo de validade indeterminado em favor do(a) requerente
DANIEL ALVES CARDOSO (inscrição eleitoral nº 015955690590), eleitor(a) da 23ª Zona Eleitoral/BA, tendo a solicitação aludida sido
instruída com documentos pessoais e documento (relatório médico) comprobatório da deficiência do(a) requerente.
Vieram-me os autos conclusos.
É o breve relatório. Decido.
Nos termos da Resolução TSE nº 21.920/2004, a pessoa portadora de deficiência que torne impossível ou demasiadamente oneroso o
cumprimento das obrigações eleitorais, relativamente ao alistamento e ao exercício do voto não estará sujeita à sanção por ausência às urnas
e/ou trabalhos eleitorais, devendo ser-lhe fornecida, portanto, certidão de quitação com prazo de validade indeterminado. É o caso dos autos.
Assim, defiro o pedido formulado, determinando ao Cartório Eleitoral que promova à expedição da competente certidão pleiteada.
Determino a imediata anotação do código ASE 396, motivo/forma 4 (portador de deficiência/dificuldade para o exercício do voto), inibindo-se a
geração automática de débito por ausência às urnas.
Publique-se. Registre-se. Intime-se.
Após, arquive-se observadas as cautelas de estilo.
Jequié/BA, 30 de Novembro de 2018.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 8

PAULO Henrique O. LORENA


Juiz Eleitoral Substituto da 23ª Zona

029ª Zona Eleitoral - IBICARAÍ

Intimações

AUTOS Nº 126-86.2018.6.05.0029
PRESTAÇÃO DE CONTAS FINAIS ELEIÇÕES 2018
ÓRGÃO PROVISÓRIO DO PARTIDO PROGRESSISTA - PP
ABRANGÊNCIA MUNICIPAL: IBICARAÍ-BA
RESPONSÁVEIS: KLAUS DE OLIVEIRA MARTINS PINHEIRO FARIAS; ADRIANA SANTOS DE OLIVEIRA
ADVOGADO: KLAUS DE OLIVEIRA MARTINS PINHEIRO FARIAS, OAB/BA 36.898
INTIMAÇÃO
Pelo presente, fica Vossa Senhoria intimado (a) para, no prazo de 03 (três) dias, a contar do recebimento desta, nos termos do art.72, da
Resolução TSE nº 23.553/2017 para complementar os dados, apresentar documentos e esclarecimentos sobre os fatos indicados no Relatório
Preliminar de Diligência abaixo.
Ibicaraí/BA, 18 de dezembro de 2019.
Valdenízia Souza Santos
Analista Judiciária da 29ª ZE

PROCESSO Nº: 126-86.2018.6.05.0029 PROTOCOLO Nº42.297/2018


ASSUNTO: PRESTAÇÃO DE CONTAS RELATIVA À ARRECADAÇÃO E APLICAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS NA
CAMPANHA ELEITORAL DE 2018.
PRESTADOR : COMISSÃO PROVISÓRIA - PP - IBICARAÍ
CNPJ: 24.738.564/0001-94 Nº CONTROLE: P11000435416BA0446019
DATA ENTREGA: 10/12/2018 às 10:27:00 DATA GERAÇÃO: 17/12/2018 às 16:39:42
TIPO: FINAL

RELATÓRIO PRELIMINAR PARA EXPEDIÇÃO DE DILIGÊNCIAS


1. FORMALIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS
1.1. Prazo de entrega
1.1.3. Prestação de contas final
Prestação de contas entregue em 10/12/2018, fora do prazo fixado pelo art. 52, caput e § 1º, da Resolução TSE nº 23.553/2017.
1.2. Peças integrantes:
Não foram apresentadas as seguintes peças obrigatórias que devem integrar a prestação de contas (art. 56 da Resolução TSE nº
23.553/2017):
. Extrato das contas bancárias destinadas à movimentação de recursos do Fundo Partidário, se houver
. Extrato das contas bancárias destinadas à movimentação de recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), se
houver
. Extrato das contas bancárias destinadas à movimentação de Outros Recursos
2. EXAME DE REGULARIDADE DE DESPESAS REALIZADAS COM RECURSOS DO FUNDO ESPECIAL DE FINANCIAMENTO DE
CAMPANHA (ART. 56, II, C, DA RESOLUÇÃO TSE N° 23.553/2017)
2.1. Não foi possível aferir o recebimento de recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha em desacordo com os critérios de
distribuição apresentados ao Tribunal Superior Eleitoral.
3. ANÁLISE DA MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA (ART. 56, DA RESOLUÇÃO TSE N° 23.553/2017)
3.1. Os extratos impressos não foram apresentados em sua forma definitiva/ou contêm a expressão "sem validade legal" ou "sujeito a
alteração", contrariando o disposto no art. 56, II, alínea "a", da Resolução TSE nº 23.553/2017.
3.2. Os extratos bancários apresentados não abrangem todo o período da campanha eleitoral, contrariando o disposto no art. 56, II, alínea "a",
da Resolução TSE nº 23.553/2017.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 9

3.3. A prestação de contas foi apresentada sem movimentação financeira, circunstância não confirmada pelos extratos bancários ou por
declaração emitida pelo banco certificando a ausência de movimentação financeira (art. 56, II, alínea "a", da Resolução TSE nº 23.553/2017).
4. EXPEDIÇÃO DE DILIGÊNCIAS E CONCLUSÃO DE EXAMES
Após o exame preliminar da prestação de contas, foram identificadas as ocorrências acima relacionadas, sobre as quais solicita-se
manifestação do prestador de contas, no prazo de 03 (três) dias, nos termos do art. 72, §1º da Resolução TSE nº 23.553/2017:
Ao final, registra-se que o prestador de contas deverá, se for o caso, encaminhar pela internet a prestação de contas gerada por meio do
Sistema de Prestação de Contas de Campanha Eleitoral - SPCE, com status de prestação de contas retificadora, bem como reapresentar o
Extrato da Prestação de Contas, devidamente assinado e acompanhado de justificativas e dos documentos que comprovam as alterações
efetuadas, por meio de mídia eletrônica a ser entregue na Seção de Protocolo do Tribunal, observando o disposto no art. 74 da Resolução
TSE nº 23.553/2017.
Ibicaraí/BA, 17 de dezembro de 2018.
Valdenízia Souza Santos
Analista Judiciário

AUTOS Nº 128-56.2018.6.05.0029
PRESTAÇÃO DE CONTAS FINAIS – ELEIÇÕES 2018
DIREÇÃO MUNICIPAL DO DEMOCRTAS – DEM
ABRANGÊNCIA MUNICIPAL: IBICARAÍ-BA
RESPONSÁVEIS: ADELINO RIBEIRO DOS SANTOS; MARIA ANGÉLICA DE OLIVEIRA NOGUEIRA
ADVOGADO: KAYSE GABRIELLE DE FARIAS MATEUS, OAB/BA 32.333
INTIMAÇÃO
Pelo presente, fica Vossa Senhoria intimado (a) para, no prazo de 03 (três) dias, a contar do recebimento desta, nos termos do art.72, da
Resolução TSE nº 23.553/2017 para complementar os dados, apresentar documentos e esclarecimentos sobre os fatos indicados no Relatório
Preliminar de Diligência abaixo.
Ibicaraí/BA, 18 de dezembro de 2019.
Valdenízia Souza Santos
Analista Judiciária da 29ª ZE

PROCESSO Nº: 128-56.2018.6.05.0029 PROTOCOLO Nº 42.300/2018


ASSUNTO: PRESTAÇÃO DE CONTAS RELATIVA À ARRECADAÇÃO E APLICAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS
NA CAMPANHA ELEITORAL DE 2018.
PRESTADOR : DIREÇÃO MUNICIPAL - DEM - IBICARAÍ
CNPJ: 24.608.504/0001-57 Nº CONTROLE: P25000435416BA1879167
DATA ENTREGA: 10/12/2018 às 10:11:20 DATA GERAÇÃO: 17/12/2018 às 16:41:15
TIPO: FINAL
RELATÓRIO PRELIMINAR PARA EXPEDIÇÃO DE DILIGÊNCIAS
1. FORMALIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS
1.1. Prazo de entrega
1.1.3. Prestação de contas final
Prestação de contas entregue em 10/12/2018, fora do prazo fixado pelo art. 52, caput e § 1º, da Resolução TSE nº 23.553/2017.
1.2. Peças integrantes:
Não foram apresentadas as seguintes peças obrigatórias que devem integrar a prestação de contas (art. 56 da Resolução TSE nº
23.553/2017):
. Extrato das contas bancárias (em sua forma definitiva) destinadas à movimentação de recursos do Fundo Partidário, se houver
. Extrato das contas bancárias (em sua forma definitiva) destinadas à movimentação de recursos do Fundo Especial de Financiamento de
Campanha (FEFC), se houver
. Extrato das contas bancárias (em sua forma definitiva) destinadas à movimentação de Outros Recursos
2. QUALIFICAÇÃO DO PRESTADOR DE CONTAS
2.1. As informações abaixo relacionadas constantes da prestação de contas, quanto aos dirigentes partidários, divergem daquelas registradas
na Justiça Eleitoral (art. 56, I, a, da Resolução TSE n° 23.553/2017):

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 10

PRESTAÇÃO DE CONTAS SGIP


FUNÇÃO NOME DO REPRESENTANTE PERÍODO NOME DO REPRESENTANTE PERÍODO
GESTÃO GESTÃO
Tesoureiro MARIA ANGELICA DE OLIVEIRA 14/08/2018 - MARIA ANGELICA DE OLIVEIRA 25/09/2015 -
NOGUEIRA - 075.616.105-30 31/12/2018 NOGUEIRA - 075.616.105-30 30/08/2018
Presidente ADELINO RIBEIRO DOS SANTOS 14/08/2018 - ADELINO RIBEIRO DOS SANTOS 25/09/2015 -
JUNIOR - 442.064.295-53 31/12/2018 JUNIOR - 442.064.295-53 30/08/2018
3. EXAME DE REGULARIDADE DE DESPESAS REALIZADAS COM RECURSOS DO FUNDO ESPECIAL DE FINANCIAMENTO DE
CAMPANHA (ART. 56, II, C, DA RESOLUÇÃO TSE N° 23.553/2017)
3.1. Não foi possível aferir o recebimento de recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha em desacordo com os critérios de
distribuição apresentados ao Tribunal Superior Eleitoral.
4. ANÁLISE DA MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA (ART. 56, DA RESOLUÇÃO TSE N° 23.553/2017)
4.1. Os extratos impressos não foram apresentados em sua forma definitiva/ou contêm a expressão "sem validade legal" ou "sujeito a
alteração", contrariando o disposto no art. 56, II, alínea "a", da Resolução TSE nº 23.553/2017.
4.2. Os extratos bancários apresentados não abrangem todo o período da campanha eleitoral, contrariando o disposto no art. 56, II, alínea "a",
da Resolução TSE nº 23.553/2017.
4.3. A prestação de contas foi apresentada sem movimentação financeira, circunstância não confirmada pelos extratos bancários ou por
declaração emitida pelo banco certificando a ausência de movimentação financeira (art. 56, II, alínea "a", da Resolução TSE nº 23.553/2017).
5. EXPEDIÇÃO DE DILIGÊNCIAS E CONCLUSÃO DE EXAMES
Após o exame preliminar da prestação de contas, foram identificadas as ocorrências acima relacionadas, sobre as quais solicita-se
manifestação do prestador de contas, no prazo de 03 (três) dias, nos termos do art. 72, §1º da Resolução TSE nº 23.553/2017:
Ao final, registra-se que o prestador de contas deverá, se for o caso, encaminhar pela internet a prestação de contas gerada por meio do
Sistema de Prestação de Contas de Campanha Eleitoral - SPCE, com status de prestação de contas retificadora, bem como reapresentar o
Extrato da Prestação de Contas, devidamente assinado e acompanhado de justificativas e dos documentos que comprovam as alterações
efetuadas, por meio de mídia eletrônica a ser entregue na Seção de Protocolo do Tribunal, observando o disposto no art. 74 da Resolução
TSE nº 23.553/2017.
Ibicaraí/BA, 17 de dezembro de 2018.
Valdenízia Souza Santos
Analista Judiciário

030ª Zona Eleitoral - NAZARÉ

Despachos

Autos nº 96-48.2018.6.05.0030
Autos nº 96-48.2018.6.05.0030
Prestação de Contas Anual Partidária
Interessado: partido progressista - PP
Advogado: Valdik Figueiredo Souza Júnior – OAB/BA nº16.925 e Marlus Fagundes de Almeida – OAB/BA nº16.929
Origem: Nazaré
Despacho
Em vista das informações prestadas pelo CartórioEleitoral desta 30ª Zona, com base na Resolução TSE nº 23.546/2017 determino a
intimação do partido através do DJE para que apresente o referido documento [declaração de ausência de movimentação financeiro conforme
a legislação pertinante, emitida do sistema SPCA].
Nazaré, 18 de setembro de 2018
Caroline Rosa de Almeida Velame Vieira
Juíza Eleitoral

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 11

032ª Zona Eleitoral - ITUBERÁ

Intimações

RETORNO DOS AUTOS DO TRE-BA


PROCESSO Nº 753-52.2016.6.05.0032 CLASSE 30
PRESTAÇÃO DE CONTAS (RECURSO ELEITORAL)
CANDIDATA: SUZANA BAIARDI DE MENDONÇA, PMB
ADVOGADO: LUÍS MARCOS DOS SANTOS - OAB 28448/BA
INTIMAÇÃO
De ordem do Exmo. Dr. Reinaldo Peixoto Marinho, Juiz Eleitoral da 32ª Zona, fica V. Sa. intimado do retorno dos autos do Tribunal Regional
Eleitoral da Bahia.
Ituberá, 18/12/2018
Messias Brito de Jesus
Chefe de Cartório em substituição

043ª Zona Eleitoral - CASTRO ALVES

Sentenças

Intimação sentença - Prestação de Contas Partidárias - Exercício 2017


INTIMAÇÃO
(Intimação de Sentença)
O Doutor Cláudio Cesare Braga Pereira, Juiz Eleitoral da 43ª Zona Eleitoral com sede na Comarca de Castro Alves, Estado da Bahia, no uso
de suas atribuições legais, determina publicação e FAZ SABER a todos quantos a presente intimação virem, ou dela conhecimento tiverem,
especialmente para as partes, que nos autos dos processos abaixo discriminados ficam intimadas da sentença:
PROCESSO Nº 64-04.2018.6.05.0043
Assunto: Prestação de Contas Anuais Partidárias – Exercício Financeiro – 2017
Partido: PARTIDO SOLIDARIEDADE
Presidente: José Carlos Oliveira Santos
Município: Rafael Jambeiro - BA
SENTENÇA
“Vistos etc.
Trata-se de autos informando que o PARTIDO SOLIDARIEDADE do município de Rafael Jambeiro/BA, não apresentou a prestação de contas
anual referente ao exercício financeiro 2017, expirando o prazo previsto no art. 28 da Res. 23.546/2017.
Notificada agremiação partidária para apresentar a prestação de contas no prazo de 72 horas e cientificado a presidente, o partido
permaneceu omisso.
Aberta vista ao Ministério Publico Eleitoral, este manifestou-se pelo julgamento das contas como não prestadas (fls. 7).
Breve relatório, DECIDO.
Da análise dos autos, verifica-se que o partido acima identificado não cumpriu com sua obrigação legal, deixando de apresentar à Justiça
Eleitoral a prestação de contas anual referente ao exercício financeiro de 2017, dentro do prazo previsto no art. 28, da Res. TSE 23.546/2017,
nem tampouco apresentou declaração de ausência de movimentação financeira, conforme determina o art. 28, § 3º do mesmo diploma legal.
Dispõe o art. 28, §2º, da supracitada Resolução:
“Art. 28. O partido político, em todas as esferas de direção, deve apresentar a sua prestação de contas à Justiça Eleitoral anualmente até 30
de abril do ano subsequente (…) §2º A prestação de contas é obrigatória mesmo que não haja o recebimento de recursos financeiros ou
estimáveis em dinheiro, devendo o partido apresentar sua posição patrimonial e financeira apurada no exercício”.
Já o o inciso IV, art. 46, dispõe que:
“Art. 46. Compete à Justiça Eleitoral decidir sobre a regularidade das contas partidárias, julgando:
IV – pela não prestação, quando:

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 12

a) depois de intimados na forma do art. 30 desta Resolução, o órgão partidário e os responsáveis permanecerem omissos ou as suas
justificativas não forem aceitas; (...)”
Além disso, no art. 48 da mesma resolução, tem-se que a “falta de prestação de contas implica a proibição do recebimento de recursos
oriundos do fundo partidário, enquanto não for regularizada a situação do partido político” (caput) que “fica obrigado a devolver integralmente
todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados. (§2º).
Isto posto, em conformidade com o art. 32 da Lei 9.096/95 c/c art. 46, IV, “a”, da Resolução TSE 23.546/2017, JULGO NÃO PRESTADAS as
contas do PARTIDO SOLIDARIEDADE do município de Rafael Jambeiro0, referentes ao exercício financeiro de 2017. Em consequência, na
forma do que dispõe o art. 48, caput e §2.º da citada resolução e art. 37 da Lei dos Partidos Políticos, determino a proibição de recebimento
de recursos oriundos do Fundo Partidário, enquanto permanecer omisso (caracterizada a omissão a partir do trânsito em julgado da
sentença), ficando obrigado a devolver integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues,
distribuídos ou repassados.
Determino, ainda, a suspensão do registro ou a anotação do órgão de direção municipal, até que seja regularizada a sua situação, em
cumprimento a disposição contida no art. 48 da Resolução do TSE nº 23.546/2017. Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão,
proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se ao PARTIDO nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora
aplicada às referidas agremiações municipais para a adoção das medidas cabíveis (art. 60, I, “a” da Resolução do TSE nº 23.546/2017), bem
como ao TRE-BA acerca da suspensão do registro/anotação do órgão de direção municipal para, em seguida, arquivar-se estes autos.
P.R.I.”
PROCESSO Nº 63-19.2018.6.05.0043
Assunto: Prestação de Contas Anuais Partidárias – Exercício Financeiro – 2017
Partido: PARTIDO REPUBLICANO PROGRESSISTA - PRP
Presidente: Gilmar Alves de Santana
Município: Rafael Jambeiro - BA
SENTENÇA
“Vistos etc.
Trata-se de autos informando que o PARTIDO REPUBLICANO PROGRESSISTA - PRP do município de Rafael Jambeiro/BA, não apresentou
a prestação de contas anual referente ao exercício financeiro 2017, expirando o prazo previsto no art. 28 da Res. 23.546/2017.
Notificada agremiação partidária para apresentar a prestação de contas no prazo de 72 horas e cientificado a presidente, o partido
permaneceu omisso.
Aberta vista ao Ministério Publico Eleitoral, este manifestou-se pelo julgamento das contas como não prestadas (fls. 7).
Breve relatório, DECIDO.
Da análise dos autos, verifica-se que o partido acima identificado não cumpriu com sua obrigação legal, deixando de apresentar à Justiça
Eleitoral a prestação de contas anual referente ao exercício financeiro de 2017, dentro do prazo previsto no art. 28, da Res. TSE 23.546/2017,
nem tampouco apresentou declaração de ausência de movimentação financeira, conforme determina o art. 28, § 3º do mesmo diploma legal.
Dispõe o art. 28, §2º, da supracitada Resolução:
“Art. 28. O partido político, em todas as esferas de direção, deve apresentar a sua prestação de contas à Justiça Eleitoral anualmente até 30
de abril do ano subsequente (…) §2º A prestação de contas é obrigatória mesmo que não haja o recebimento de recursos financeiros ou
estimáveis em dinheiro, devendo o partido apresentar sua posição patrimonial e financeira apurada no exercício”.
Já o o inciso IV, art. 46, dispõe que:
“Art. 46. Compete à Justiça Eleitoral decidir sobre a regularidade das contas partidárias, julgando:
IV – pela não prestação, quando:
a) depois de intimados na forma do art. 30 desta Resolução, o órgão partidário e os responsáveis permanecerem omissos ou as suas
justificativas não forem aceitas; (...)”
Além disso, no art. 48 da mesma resolução, tem-se que a “falta de prestação de contas implica a proibição do recebimento de recursos
oriundos do fundo partidário, enquanto não for regularizada a situação do partido político” (caput) que “fica obrigado a devolver integralmente
todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados. (§2º).
Isto posto, em conformidade com o art. 32 da Lei 9.096/95 c/c art. 46, IV, “a”, da Resolução TSE 23.546/2017, JULGO NÃO PRESTADAS as
contas do PARTIDO REPUBLICANO PROGRESSISTA - PRP do município de Rafael Jambeiro0, referentes ao exercício financeiro de 2017.
Em consequência, na forma do que dispõe o art. 48, caput e §2.º da citada resolução e art. 37 da Lei dos Partidos Políticos, determino a
proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, enquanto permanecer omisso (caracterizada a omissão a partir do
trânsito em julgado da sentença), ficando obrigado a devolver integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem
entregues, distribuídos ou repassados.
Determino, ainda, a suspensão do registro ou a anotação do órgão de direção municipal, até que seja regularizada a sua situação, em
cumprimento a disposição contida no art. 48 da Resolução do TSE nº 23.546/2017. Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão,
proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se ao PARTIDO nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora
aplicada às referidas agremiações municipais para a adoção das medidas cabíveis (art. 60, I, “a” da Resolução do TSE nº 23.546/2017), bem
como ao TRE-BA acerca da suspensão do registro/anotação do órgão de direção municipal para, em seguida, arquivar-se estes autos.
P.R.I.”

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 13

E, para que chegue ao conhecimento de quem interessar possa, mandou o Excelentíssimo Senhor Juiz publicar o inteiro teor da sentença no
Diário da Justiça Eletrônico. Dado e passado nesta cidade de Castro Alves (BA), aos 18 dias de dezembro de 2018. Eu, Katy Tosta Ribas,
Chefe de Cartório, subscrevo.
CLÁUDIO CESARE BRAGA PEREIRA
JUIZ ELEITORAL DA 43ª ZONA

Intimação de Sentença - Processo nº 318-84.2012.6.05.0043


INTIMAÇÃO
(Intimação de Sentença)
O Doutor Cláudio Cesare Braga Pereira, Juiz Eleitoral da 43ª Zona Eleitoral com sede na Comarca de Castro Alves, Estado da Bahia, no uso
de suas atribuições legais, determina publicação e FAZ SABER a todos quantos a presente intimação virem, ou dela conhecimento tiverem,
especialmente para as partes, que nos autos dos processos abaixo discriminados ficam intimadas da sentença:
PROCESSO: 318-84.2012.6.05.0043
Protocolo nº 216.746/2012
CLASSE PROCESSUAL: Representação
Representante(s): Juntos de Novo com a Força do Povo
Representado(s): Lionardo Silva Rodrigues; Joeldeval Souza do Carmo
SENTENÇA
“1 – Vistos.
2 – Trata-se de representação proposta pela COLIGAÇÃO JUNTOS DE NOVO COM A FORÇA DO POVO, em face de LIONARDO SILVA
RODRIGUES e JOELDEVAL SOUZA DO CARMO, por suposta prática do crime de propaganda irregular de boca de urna, previsto no art. 39,
§5º, da Lei nº 9.504/97.
Foi certificado pela Chefia do Cartório Eleitoral a expedição do processo para órgão externo e sua não localização, apesar de consultas à
Polícia Civil e Ministério Público Eleitoral.
Sem prejuízo das diligências a serem procedidas pelo Cartório para localização do processo, verifica-se, de logo, que o fato tratado foi
alcançado pela prescrição, devendo esta, por sua vez, como causa extintiva da punibilidade, ser reconhecida, mesmo de ofício, nos termos do
art. 61 do Código de Processo Penal, de aplicação subsidiária, conforme dispõe o art. 364 do Código Eleitoral, e também porque a
manutenção do registro processual causa evidente prejuízo à parte.
Como visto, a presente representação versa sobre a suposta prática da conduta delitiva prevista no art. 39, §5º, da Lei nº 9.504/97, que é
punida com pena máxima privativa de liberdade cominada em abstrato de 01 (um) ano de detenção, prescrevendo, assim, em 04 (quatro)
anos, nos termos do art. 109, V, do Código Penal, prazo este já alcançado, já que inocorrente até esta data, qualquer causa interruptiva da
prescrição expressa no art. 117 do diploma substantivo.
Outrossim, há que se atentar que a prescrição, à teor do art. 107, inciso IV, do Código Penal, é causa extintiva da punibilidade.
Assim, ex offício, declaro por sentença, a extinção da punibilidade de LIONARDO SILVA RODRIGUES e JOELDEVAL SOUZA DO CARMO,
pela prescrição, com fulcro no art. 107, inciso IV, e no art. 109, inciso V, ambos do Código Penal.
P.R.I.
Transitada em julgado, arquive-se, com baixa e anotações.”
E, para que chegue ao conhecimento de quem interessar possa, mandou o Excelentíssimo Senhor Juiz publicar o inteiro teor da sentença no
Diário da Justiça Eletrônico. Dado e passado nesta cidade de Castro Alves (BA), aos 19 dias de dezembro de 2018. Eu, Katy Tosta Ribas,
Chefe de Cartório, subscrevo.
CLÁUDIO CESARE BRAGA PEREIRA
JUIZ ELEITORAL DA 43ª ZONA

046ª Zona Eleitoral - JACOBINA

Sentenças

Processo nº: 83-98.2018.605.0046


Protocolo nº: 43.178/2018
Assunto: Prestação de Contas relativa à arrecadação e aplicação de recursos Financeiros na campanha eleitoral de 2018.
Presidente: Rafael Damasceno Viana Silva
Tesoureiro: Jerferson Souza Guedes

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 14

Partido Político: Podemos - PODE


Município: Jacobina/BA
SENTENÇA
Trata-se de Informação fornecida pelo Cartório Eleitoral, na forma do art. 52, §6º, I, da Resolução TSE nº 23.553/2017, no sentido de que o
PODEMOS - PODE, do Município de JACOBINA/BA, não apresentou sua prestação de contas de campanha eleitoral, referente às Eleições
2018 (doc. fl. 01).
Devidamente citado, o partido deixou transcorrer o prazo concedido para apresentação das contas (doc. fl. 08).
O Ministério Público Eleitoral emitiu parecer pelo julgamento das contas como não prestadas (doc. fl. 11).
É o relatório. Decido:
Na hipótese, verifica-se que, depois de citado(a) na forma do inciso IV, §6º, do art. 52 da Resolução TSE n. 23.553/2017, o partido
permaneceu omisso, descumprindo o seu dever legal de apresentar à Justiça Eleitoral suas contas de campanha.
Diante do exposto, com espeque no art. 77, inciso IV, “a”, da Resolução TSE nº 23.553/2017, JULGO NÃO PRESTADAS as contas de
campanha do PODEMOS - PODE, do Município de JACOBINA-BA, relativas às Eleições 2018, determinando as providências administrativas
necessárias.
Em consequência, fica o Partido sem direito ao recebimento da cota do Fundo Partidário e a suspensão do registro ou da anotação do órgão
de direção estadual ou municipal, na forma do art. 83, inciso II, da Resolução TSE n.º 23.553/2017.
Em atenção ao art. 42 da Res. TSE n. 23.571/2018, encaminhem cópia da Sentença para a SERPAC para providências cabíveis.
Publique-se. Registre-se. Intime-se. Ciência ao Ministério Público Eleitoral. Atualize-se o SICO.
Após o trânsito em julgado, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
Jacobina/BA, em 13/12/2018
João Paulo Guimarães Neto
Juiz Eleitoral da 046ª ZE

Processo nº: 80-46.2018.605.0046


Protocolo nº: 43.179/2018
Assunto: Prestação de Contas relativa à arrecadação e aplicação de recursos Financeiros na campanha eleitoral de 2018.
Presidente: Humberto Silva Reis
Tesoureiro: Gedeão Roque de Almeida
Partido Político: Movimento Democrático Brasileiro - MDB
Município: Jacobina/BA
SENTENÇA
Trata-se de Informação fornecida pelo Cartório Eleitoral, na forma do art. 52, §6º, I, da Resolução TSE nº 23.553/2017, no sentido de que o
MOVIMENTO DEMOCRÁTICO BRASILEIRO – MDB, do Município de JACOBINA/BA, não apresentou sua prestação de contas de campanha
eleitoral, referente às Eleições 2018 (doc. fl. 01).
Devidamente citado, o partido deixou transcorrer o prazo concedido para apresentação das contas (doc. fl. 09).
O Ministério Público Eleitoral emitiu parecer pelo julgamento das contas como não prestadas (doc. fl. 13).
É o relatório. Decido:
Na hipótese, verifica-se que, depois de citado(a) na forma do inciso IV, §6º, do art. 52 da Resolução TSE n. 23.553/2017, o partido
permaneceu omisso, descumprindo o seu dever legal de apresentar à Justiça Eleitoral suas contas de campanha.
Diante do exposto, com espeque no art. 77, inciso IV, “a”, da Resolução TSE nº 23.553/2017, JULGO NÃO PRESTADAS as contas de
campanha do MOVIMENTO DEMOCRÁTICO BRASILEIRO – MDB, do Município de JACOBINA-BA, relativas às Eleições 2018, determinando
as providências administrativas necessárias.
Em consequência, fica o Partido sem direito ao recebimento da cota do Fundo Partidário e a suspensão do registro ou da anotação do órgão
de direção estadual ou municipal, na forma do art. 83, inciso II, da Resolução TSE n.º 23.553/2017.
Em atenção ao art. 42 da Res. TSE n. 23.571/2018, encaminhem cópia da Sentença para a SERPAC para providências cabíveis.
Publique-se. Registre-se. Intime-se. Ciência ao Ministério Público Eleitoral. Atualize-se o SICO.
Após o trânsito em julgado, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
Jacobina/BA, em 13/12/2018
João Paulo Guimarães Neto
Juiz Eleitoral da 046ª ZE

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 15

Processo nº: 75-24.2018.605.0046


Protocolo nº: 43.175/2018
Assunto: Prestação de Contas relativa à arrecadação e aplicação de recursos Financeiros na campanha eleitoral de 2018.
Presidente: Isabelle Victoria Jesus da Silva
Tesoureiro: Antônio Pereira da Silva
Partido Político: Solidariedade - SD
Município: Jacobina/BA
SENTENÇA
Trata-se de Informação fornecida pelo Cartório Eleitoral, na forma do art. 52, §6º, I, da Resolução TSE nº 23.553/2017, no sentido de que o
SOLIDARIEDADE - SD, do Município de JACOBINA/BA, não apresentou sua prestação de contas de campanha eleitoral, referente às
Eleições 2018 (doc. fl. 01).
Devidamente citado, o partido deixou transcorrer o prazo concedido para apresentação das contas (doc. fl. 08).
O Ministério Público Eleitoral emitiu parecer pelo julgamento das contas como não prestadas (doc. fl. 13).
É o relatório. Decido:
Na hipótese, verifica-se que, depois de citado(a) na forma do inciso IV, §6º, do art. 52 da Resolução TSE n. 23.553/2017, o partido
permaneceu omisso, descumprindo o seu dever legal de apresentar à Justiça Eleitoral suas contas de campanha.
Diante do exposto, com espeque no art. 77, inciso IV, “a”, da Resolução TSE nº 23.553/2017, JULGO NÃO PRESTADAS as contas de
campanha do SOLIDARIEDADE - SD, do Município de JACOBINA-BA, relativas às Eleições 2018, determinando as providências
administrativas necessárias.
Em consequência, fica o Partido sem direito ao recebimento da cota do Fundo Partidário e a suspensão do registro ou da anotação do órgão
de direção estadual ou municipal, na forma do art. 83, inciso II, da Resolução TSE n.º 23.553/2017.
Em atenção ao art. 42 da Res. TSE n. 23.571/2018, encaminhem cópia da Sentença para a SERPAC para providências cabíveis.
Publique-se. Registre-se. Intime-se. Ciência ao Ministério Público Eleitoral. Atualize-se o SICO.
Após o trânsito em julgado, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
Jacobina/BA, em 13/12/2018
João Paulo Guimarães Neto
Juiz Eleitoral da 046ª ZE

Processo nº: 89-08.2018.605.0046


Protocolo nº: 43.185/2018
Assunto: Prestação de Contas relativa à arrecadação e aplicação de recursos Financeiros na campanha eleitoral de 2018.
Presidente: Gilberto de Oliveira Santos
Tesoureiro: Marcedonio Pires da Silva Neto
Partido Político: Podemos - PODE
Município: Serrolândia/BA
SENTENÇA
Trata-se de Informação fornecida pelo Cartório Eleitoral, na forma do art. 52, §6º, I, da Resolução TSE nº 23.553/2017, no sentido de que o
PODEMOS - PODE, do Município de SERROLÂNDIA/BA, não apresentou sua prestação de contas de campanha eleitoral, referente às
Eleições 2018 (doc. fl. 01).
Devidamente citado, o partido deixou transcorrer o prazo concedido para apresentação das contas (doc. fl. 08).
O Ministério Público Eleitoral emitiu parecer pelo julgamento das contas como não prestadas (doc. fl. 11).
É o relatório. Decido:
Na hipótese, verifica-se que, depois de citado(a) na forma do inciso IV, §6º, do art. 52 da Resolução TSE n. 23.553/2017, o partido
permaneceu omisso, descumprindo o seu dever legal de apresentar à Justiça Eleitoral suas contas de campanha.
Diante do exposto, com espeque no art. 77, inciso IV, “a”, da Resolução TSE nº 23.553/2017, JULGO NÃO PRESTADAS as contas de
campanha do PODEMOS - PODE, do Município de SERROLÂNDIA/BA, relativas às Eleições 2018, determinando as providências
administrativas necessárias.
Em consequência, fica o Partido sem direito ao recebimento da cota do Fundo Partidário e a suspensão do registro ou da anotação do órgão
de direção estadual ou municipal, na forma do art. 83, inciso II, da Resolução TSE n.º 23.553/2017.
Em atenção ao art. 42 da Res. TSE n. 23.571/2018, encaminhem cópia da Sentença para a SERPAC para providências cabíveis.
Publique-se. Registre-se. Intime-se. Ciência ao Ministério Público Eleitoral. Atualize-se o SICO.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 16

Após o trânsito em julgado, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.


Jacobina/BA, em 13/12/2018
João Paulo Guimarães Neto
Juiz Eleitoral da 046ª ZE

...
Processo nº: 90-90.2018.605.0046
Protocolo nº: 43.184/2018
Assunto: Prestação de Contas relativa à arrecadação e aplicação de recursos Financeiros na campanha eleitoral de 2018.
Presidente: Eraldo Silva Araújo
Tesoureiro: Kamila Silva Bispo
Partido Político: Partido Progressista - PP
Município: Serrolândia/BA
SENTENÇA
Trata-se de Informação fornecida pelo Cartório Eleitoral, na forma do art. 52, §6º, I, da Resolução TSE nº 23.553/2017, no sentido de que o
PARTIDO PROGRESSITA – PP, do Município de SERROLÂNDIA/BA, não apresentou sua prestação de contas de campanha eleitoral,
referente às Eleições 2018 (doc. fl. 01).
Devidamente citado, o partido deixou transcorrer o prazo concedido para apresentação das contas (doc. fl. 08).
O Ministério Público Eleitoral emitiu parecer pelo julgamento das contas como não prestadas (doc. fl. 11).
É o relatório. Decido:
Na hipótese, verifica-se que, depois de citado(a) na forma do inciso IV, §6º, do art. 52 da Resolução TSE n. 23.553/2017, o partido
permaneceu omisso, descumprindo o seu dever legal de apresentar à Justiça Eleitoral suas contas de campanha.
Diante do exposto, com espeque no art. 77, inciso IV, “a”, da Resolução TSE nº 23.553/2017, JULGO NÃO PRESTADAS as contas de
campanha do PARTIDO PROGRESSITA – PP, do Município de SERROLÂNDIA/BA, relativas às Eleições 2018, determinando as
providências administrativas necessárias.
Em consequência, fica o Partido sem direito ao recebimento da cota do Fundo Partidário e a suspensão do registro ou da anotação do órgão
de direção estadual ou municipal, na forma do art. 83, inciso II, da Resolução TSE n.º 23.553/2017.
Em atenção ao art. 42 da Res. TSE n. 23.571/2018, encaminhem cópia da Sentença para a SERPAC para providências cabíveis.
Publique-se. Registre-se. Intime-se. Ciência ao Ministério Público Eleitoral. Atualize-se o SICO.
Após o trânsito em julgado, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
Jacobina/BA, em 13/12/2018
João Paulo Guimarães Neto
Juiz Eleitoral da 046ª ZE

Processo nº: 91-75.2018.605.0046


Protocolo nº: 43.183/2018
Assunto: Prestação de Contas relativa à arrecadação e aplicação de recursos Financeiros na campanha eleitoral de 2018.
Presidente: Waldir Queiroz de Santana
Tesoureiro: Irene Maria Oliviera
Partido Político: Partido Republicano Brasileiro - PRB
Município: Serrolândia/BA
SENTENÇA
Trata-se de Informação fornecida pelo Cartório Eleitoral, na forma do art. 52, §6º, I, da Resolução TSE nº 23.553/2017, no sentido de que o
PARTIDO REPUBLICANO BRASILEIRO - PRB, do Município de SERROLÂNDIA/BA, não apresentou sua prestação de contas de campanha
eleitoral, referente às Eleições 2018 (doc. fl. 01).
Devidamente citado, o partido deixou transcorrer o prazo concedido para apresentação das contas (doc. fl. 08).
O Ministério Público Eleitoral emitiu parecer pelo julgamento das contas como não prestadas (doc. fl. 11).
É o relatório. Decido:
Na hipótese, verifica-se que, depois de citado(a) na forma do inciso IV, §6º, do art. 52 da Resolução TSE n. 23.553/2017, o partido
permaneceu omisso, descumprindo o seu dever legal de apresentar à Justiça Eleitoral suas contas de campanha.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 17

Diante do exposto, com espeque no art. 77, inciso IV, “a”, da Resolução TSE nº 23.553/2017, JULGO NÃO PRESTADAS as contas de
campanha do PARTIDO REPUBLICANO BRASILEIRO - PRB, do Município de SERROLÂNDIA/BA, relativas às Eleições 2018, determinando
as providências administrativas necessárias.
Em consequência, fica o Partido sem direito ao recebimento da cota do Fundo Partidário e a suspensão do registro ou da anotação do órgão
de direção estadual ou municipal, na forma do art. 83, inciso II, da Resolução TSE n.º 23.553/2017.
Em atenção ao art. 42 da Res. TSE n. 23.571/2018, encaminhem cópia da Sentença para a SERPAC para providências cabíveis.
Publique-se. Registre-se. Intime-se. Ciência ao Ministério Público Eleitoral. Atualize-se o SICO.
Após o trânsito em julgado, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
Jacobina/BA, em 13/12/2018
João Paulo Guimarães Neto
Juiz Eleitoral da 046ª ZE

Processo nº: 87-38.2018.605.0046


Protocolo nº: 43.187/2018
Assunto: Prestação de Contas relativa à arrecadação e aplicação de recursos Financeiros na campanha eleitoral de 2018.
Presidente: Claudionor Duarte Carvalho
Tesoureiro: Joilson Almeida Rios
Partido Político: Partido da Social Democracia Brasileira - PsdB
Município: Serrolândia/BA
SENTENÇA
Trata-se de Informação fornecida pelo Cartório Eleitoral, na forma do art. 52, §6º, I, da Resolução TSE nº 23.553/2017, no sentido de que o
PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA - PSDB, do Município de SERROLÂNDIA/BA, não apresentou sua prestação de contas
de campanha eleitoral, referente às Eleições 2018 (doc. fl. 01).
Devidamente citado, o partido deixou transcorrer o prazo concedido para apresentação das contas (doc. fl. 07).
O Ministério Público Eleitoral emitiu parecer pelo julgamento das contas como não prestadas (doc. fl. 10).
É o relatório. Decido:
Na hipótese, verifica-se que, depois de citado(a) na forma do inciso IV, §6º, do art. 52 da Resolução TSE n. 23.553/2017, o partido
permaneceu omisso, descumprindo o seu dever legal de apresentar à Justiça Eleitoral suas contas de campanha.
Diante do exposto, com espeque no art. 77, inciso IV, “a”, da Resolução TSE nº 23.553/2017, JULGO NÃO PRESTADAS as contas de
campanha do PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA - PSDB, do Município de SERROLÂNDIA/BA, relativas às Eleições 2018,
determinando as providências administrativas necessárias.
Em consequência, fica o Partido sem direito ao recebimento da cota do Fundo Partidário e a suspensão do registro ou da anotação do órgão
de direção estadual ou municipal, na forma do art. 83, inciso II, da Resolução TSE n.º 23.553/2017.
Em atenção ao art. 42 da Res. TSE n. 23.571/2018, encaminhem cópia da Sentença para a SERPAC para providências cabíveis.
Publique-se. Registre-se. Intime-se. Ciência ao Ministério Público Eleitoral. Atualize-se o SICO.
Após o trânsito em julgado, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
Jacobina/BA, em 13/12/2018
João Paulo Guimarães Neto
Juiz Eleitoral da 046ª ZE

Processo nº: 77-91.2018.605.0046


Protocolo nº: 43.173/2018
Assunto: Prestação de Contas relativa à arrecadação e aplicação de recursos Financeiros na campanha eleitoral de 2018.
Presidente: Valternei oliveira de Araújo
Tesoureiro: Marcos Vilas Boas Santos
Partido Político: Partido Social Cristão - PSC
Município: JACOBINA/BA
SENTENÇA
Trata-se de Informação fornecida pelo Cartório Eleitoral, na forma do art. 52, §6º, I, da Resolução TSE nº 23.553/2017, no sentido de que o
PARTIDO SOCIAL CRISTÃO - PSC, do Município de JACOBINA/BA, não apresentou sua prestação de contas de campanha eleitoral,
referente às Eleições 2018 (doc. fl. 01).

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 18

Devidamente citado, o partido deixou transcorrer o prazo concedido para apresentação das contas (doc. fl. 06).
O Ministério Público Eleitoral emitiu parecer pelo julgamento das contas como não prestadas (doc. fl. 11).
É o relatório. Decido:
Na hipótese, verifica-se que, depois de citado(a) na forma do inciso IV, §6º, do art. 52 da Resolução TSE n. 23.553/2017, o partido
permaneceu omisso, descumprindo o seu dever legal de apresentar à Justiça Eleitoral suas contas de campanha.
Diante do exposto, com espeque no art. 77, inciso IV, “a”, da Resolução TSE nº 23.553/2017, JULGO NÃO PRESTADAS as contas de
campanha do PARTIDO SOCIAL CRISTÃO - PSC, do Município de JACOBINA/BA, relativas às Eleições 2018, determinando as providências
administrativas necessárias.
Em consequência, fica o Partido sem direito ao recebimento da cota do Fundo Partidário e a suspensão do registro ou da anotação do órgão
de direção estadual ou municipal, na forma do art. 83, inciso II, da Resolução TSE n.º 23.553/2017.
Em atenção ao art. 42 da Res. TSE n. 23.571/2018, encaminhem cópia da Sentença para a SERPAC para providências cabíveis.
Publique-se. Registre-se. Intime-se. Ciência ao Ministério Público Eleitoral. Atualize-se o SICO.
Após o trânsito em julgado, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
Jacobina/BA, em 13/012/2018
João Paulo Guimarães Neto
Juiz Eleitoral da 046ª ZE

051ª Zona Eleitoral - JEREMOABO

Editais

E D I T A L Nº 201/2018
PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA Nº 85-53.2018.6.05.0051 ELEIÇÕES GERAIS 2018
PARTIDO: PODE
MUNICÍPIO: JEREMOABO
PRESIDENTE: JOSE FABIO DOS SANTOS
TESOUREIRO: JOSÉ DIEGO BARBOSA DOS SANTOS
E D I T A L Nº 201/2018
DE ORDEM do Exmo. Doutor PAULO EDUARDO DE MENEZES MOREIRA, Juiz Eleitoral da 051ª Zona, Comarca de Jeremoabo, do Estado
da Bahia, no uso de suas atribuições legais.
FAÇO SABER a todos quanto o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que o expeço, com a finalidade de CITAR o
TESOUREIRO do PARTIDO PODEMOS - PODE do Município de Jeremoabo, o Sr(a). JOSÉ DIEGO BARBOSA DOS SANTOS, não
encontrado(a) no endereço informado no Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias - SGIP, para que apresente contas
partidárias de campanha Eleições Gerais 2018, no prazo de 03 (três) dias, sob pena de serem julgadas não prestadas as contas e aplicadas
as sanções cabíveis, nos termos do Art. 52, §º6, IV da Resolução TSE 23.553/2017.
E, para que chegue ao conhecimento de todos, mandou o M. M. Juiz Eleitoral que fosse baixado o presente EDITAL, que vai publicado na
forma da Lei no local de costume e no DJE.
Dado e passado nesta cidade de Jeremoabo/BA, aos 19 (dezenove) dias do mês de dezembro do ano de 2018. Eu, Adriano Bispo de
Andrade, Chefe de Cartório Substituto, digitei e subscrevi.
Adriano Bispo de Andrade
Chefe de Cartório Substituto

E D I T A L Nº 202/2018
PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA Nº 94-15.2018.6.05.0051 ELEIÇÕES GERAIS 2018
PARTIDO: PRB
MUNICÍPIO: JEREMOABO
PRESIDENTE: PAULO FLORÊNCIO DE CARVALHO
TESOUREIRO: RUBYA PURIFICAÇÃO DE REZENDE
E D I T A L Nº 202/2018
DE ORDEM do Exmo. Doutor PAULO EDUARDO DE MENEZES MOREIRA, Juiz Eleitoral da 051ª Zona, Comarca de Jeremoabo, do Estado
da Bahia, no uso de suas atribuições legais.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 19

FAÇO SABER a todos quanto o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que o expeço, com a finalidade de CITAR o
PRESIDENTE do PARTIDO REPUBLICANO BRASILEIRO - PRB do Município de Jeremoabo, o Sr(a). PAULO FLORÊNCIO DE
CARVALHO, não encontrado(a) no endereço informado no Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias - SGIP, para que apresente
contas partidárias de campanha Eleições Gerais 2018, no prazo de 03 (três) dias, sob pena de serem julgadas não prestadas as contas e
aplicadas as sanções cabíveis, nos termos do Art. 52, §º6, IV da Resolução TSE 23.553/2017.
E, para que chegue ao conhecimento de todos, mandou o M. M. Juiz Eleitoral que fosse baixado o presente EDITAL, que vai publicado na
forma da Lei no local de costume e no DJE.
Dado e passado nesta cidade de Jeremoabo/BA, aos 19 (dezenove) dias do mês de dezembro do ano de 2018. Eu, ____________, Adriano
Bispo de Andrade, Chefe de Cartório Substituto, digitei e subscrevi.
Adriano Bispo de Andrade
Chefe de Cartório Substituto

E D I T A L Nº 203/2018
PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA Nº 94-15.2018.6.05.0051 ELEIÇÕES GERAIS 2018
PARTIDO: PRB
MUNICÍPIO: JEREMOABO
PRESIDENTE: PAULO FLORÊNCIO DE CARVALHO
TESOUREIRO: RUBYA PURIFICAÇÃO DE REZENDE
E D I T A L Nº 203/2018
DE ORDEM do Exmo. Doutor PAULO EDUARDO DE MENEZES MOREIRA, Juiz Eleitoral Substituto da 051ª Zona, Comarca de Jeremoabo,
do Estado da Bahia, no uso de suas atribuições legais.
FAÇO SABER a todos quanto o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que o expeço, com a finalidade de CITAR O ÓRGÃO
PARTIDÁRIO DO PARTIDO REPUBLICANO BRASILEIRO - PRB do Município de Jeremoabo, na pessoa de seu presidente, o Sr(a).
PAULO FLORÊNCIO DE CARVALHO, não encontrado(a) no endereço informado no Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias -
SGIP, para que apresente contas partidárias de campanha Eleições Gerais 2018, no prazo de 03 (três) dias, sob pena de serem julgadas
não prestadas as contas e aplicadas as sanções cabíveis, nos termos do Art. 52, §º6, IV da Resolução TSE 23.553/2017.
E, para que chegue ao conhecimento de todos, mandou o M. M. Juiz Eleitoral que fosse baixado o presente EDITAL, que vai publicado na
forma da Lei no local de costume e no DJE.
Dado e passado nesta cidade de Jeremoabo/BA, aos 19 (dezenove) dias do mês de dezembro do ano de 2018. Eu, ____________, Adriano
Bispo de Andrade, Chefe de Cartório Substituto, digitei e subscrevi.
Adriano Bispo de Andrade
Chefe de Cartório Substituto

E D I T A L Nº 204/2018
PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA Nº 90-75.2018.6.05.0051 ELEIÇÕES GERAIS 2018
PARTIDO: PP
MUNICÍPIO: SÍTIO DO QUINTO
PRESIDENTE: MORGANA NASCIMENTO SILVA
TESOUREIRO: JOSE PEREIRA DA SILVA
E D I T A L Nº 204/2018
DE ORDEM do Exmo. Doutor PAULO EDUARDO DE MENEZES MOREIRA, Juiz Eleitoral da 051ª Zona, Comarca de Jeremoabo, do Estado
da Bahia, no uso de suas atribuições legais.
FAÇO SABER a todos quanto o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que o expeço, com a finalidade de CITAR o
TESOUREIRO do Partido Progressista - PP - Município de Sítio do Quinto o(a) Sr(a). JOSÉ PEREIRA DA SILVA, não encontrado(a) no
endereço informado no Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias - SGIP, para que apresente contas partidárias de campanha
Eleições Gerais 2018, no prazo de 03 (três) dias, sob pena de serem julgadas não prestadas as contas e aplicadas as sanções cabíveis, nos
termos do Art. 52, §º6, IV da Resolução TSE 23.553/2017.
E, para que chegue ao conhecimento de todos, mandou o M. M. Juiz Eleitoral que fosse baixado o presente EDITAL, que vai publicado na
forma da Lei no local de costume e no DJE.
Dado e passado nesta cidade de Jeremoabo/BA, aos 19 (dezenove) dias do mês de dezembro do ano de 2018. Eu, ____________, Adriano
Bispo de Andrade, Chefe de Cartório Substituto, digitei e subscrevi.
Adriano Bispo de Andrade
Chefe de Cartório Substituto

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 20

E D I T A L Nº 205/2018
PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA Nº 115-88.2018.6.05.0051 ELEIÇÕES GERAIS 2018
PARTIDO: SD
MUNICÍPIO: PEDRO ALEXANDRE
PRESIDENTE: PAULO JORGE RODRIGUES DE LIMA SOBRINHO
TESOUREIRO: JOSEFA ILMA SANTOS LEITE
E D I T A L Nº 205/2018
DE ORDEM do Exmo. Doutor PAULO EDUARDO DE MENEZES MOREIRA, Juiz Eleitoral da 051ª Zona, Comarca de Jeremoabo, do Estado
da Bahia, no uso de suas atribuições legais.
FAÇO SABER a todos quanto o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que o expeço, com a finalidade de CITAR o
PRESIDENTE do PARTIDO SOLIDARIEDADE - SD do Município de Pedro Alexandre, o Sr(a). PAULO JORGE RODRIGUES DE LIMA
SOBRINHO, não encontrado(a) no endereço informado no Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias - SGIP, para que apresente
contas partidárias de campanha Eleições Gerais 2018, no prazo de 03 (três) dias, sob pena de serem julgadas não prestadas as contas e
aplicadas as sanções cabíveis, nos termos do Art. 52, §º6, IV da Resolução TSE 23.553/2017 da Resolução 23.464/2015.
E, para que chegue ao conhecimento de todos, mandou o M. M. Juiz Eleitoral que fosse baixado o presente EDITAL, que vai publicado na
forma da Lei no local de costume e no DJE.
Dado e passado nesta cidade de Jeremoabo/BA, aos 19 (dezenove) dias do mês de dezembro do ano de 2018. Eu, ____________, Adriano
Bispo de Andrade, Chefe de Cartório Substituto, digitei e subscrevi.
Adriano Bispo de Andrade
Chefe de Cartório Substituto

E D I T A L Nº 206/2018
PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA Nº 115-88.2018.6.05.0051 ELEIÇÕES GERAIS 2018
PARTIDO: SD
MUNICÍPIO: PEDRO ALEXANDRE
PRESIDENTE: PAULO JORGE RODRIGUES DE LIMA SOBRINHO
TESOUREIRO: JOSEFA ILMA SANTOS LEITE
E D I T A L Nº 206/2018
DE ORDEM do Exmo. Doutor PAULO EDUARDO DE MENEZES MOREIRA, Juiz Eleitoral da 051ª Zona, Comarca de Jeremoabo, do Estado
da Bahia, no uso de suas atribuições legais.
FAÇO SABER a todos quanto o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que o expeço, com a finalidade de CITAR o ÓRGÃO
PARTIDÁRIO DO PARTIDO SOLIDARIEDADE - SD do Município de Pedro Alexandre, representado pelo(a) Sr(a). PAULO JORGE
RODRIGUES DE LIMA SOBRINHO, não encontrado(a) no endereço informado no Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias -
SGIP, para que apresente contas partidárias de campanha Eleições Gerais 2018, no prazo de 03 (três) dias, sob pena de serem julgadas
não prestadas as contas e aplicadas as sanções cabíveis, nos termos do Art. 52, §º6, IV da Resolução TSE 23.553/2017.
E, para que chegue ao conhecimento de todos, mandou o M. M. Juiz Eleitoral que fosse baixado o presente EDITAL, que vai publicado na
forma da Lei no local de costume e no DJE.
Dado e passado nesta cidade de Jeremoabo/BA, aos 19 (dezenove) dias do mês de dezembro do ano de 2018. Eu, ____________, Adriano
Bispo de Andrade, Chefe de Cartório Substituto, digitei e subscrevi.
Adriano Bispo de Andrade
Chefe de Cartório Substituto

E D I T A L Nº 209/2018
PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA Nº 88-08.2018.6.05.0051 ELEIÇÕES GERAIS 2018
PARTIDO: PSD
MUNICÍPIO: SÍTIO DO QUINTO
PRESIDENTE: JAIR JESUS DOS SANTOS
TESOUREIRO: THAYNAR CARVALHO DOS SANTOS
E D I T A L Nº 209/2018
DE ORDEM do Exmo. Doutor PAULO EDUARDO DE MENEZES MOREIRA, Juiz Eleitoral da 051ª Zona, Comarca de Jeremoabo, do Estado
da Bahia, no uso de suas atribuições legais.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 21

FAÇO SABER a todos quanto o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que o expeço, com a finalidade de CITAR o
TESOUREIRO do PARTIDO SOCIAL DEMOCRÁTICO - PSD do Município de Sítio do Quinto/BA, o(a) Sr(a). THAYNAR CARVALHO DOS
SANTOS, não encontrado(a) no endereço informado no Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias - SGIP, para que apresente
contas partidárias de campanha Eleições Gerais 2018, no prazo de 03 (três) dias, sob pena de serem julgadas não prestadas as contas e
aplicadas as sanções cabíveis, nos termos do Art. 52, §º6, IV da Resolução TSE 23.553/2017.
E, para que chegue ao conhecimento de todos, mandou o M. M. Juiz Eleitoral que fosse baixado o presente EDITAL, que vai publicado na
forma da Lei no local de costume e no DJE.
Dado e passado nesta cidade de Jeremoabo/BA, aos 19 (dezenove) dias do mês de dezembro do ano de 2018. Eu, ____________, Adriano
Bispo de Andrade, Chefe de Cartório Substituto, digitei e subscrevi.
Adriano Bispo de Andrade
Chefe de Cartório Substituto

E D I T A L Nº 208/2018
PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA Nº 92-45.2018.6.05.0051 ELEIÇÕES GERAIS 2018
PARTIDO: PSC
MUNICÍPIO: SÍTIO DO QUINTO
PRESIDENTE: RUTILA PEREIRA MARQUES
TESOUREIRO: JOSEFA VENESSA SANTOS CARVALHO
E D I T A L Nº 208/2018
DE ORDEM do Exmo. Doutor PAULO EDUARDO DE MENEZES MOREIRA, Juiz Eleitoral da 051ª Zona, Comarca de Jeremoabo, do Estado
da Bahia, no uso de suas atribuições legais.
FAÇO SABER a todos quanto o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que o expeço, com a finalidade de CITAR o
PRESIDENTE do PARTIDO SOCIAL CRISTÃO - PSC do Município de Sítio do Quinto/BA, o(a) Sr(a). RUTILA PEREIRA MARQUES, não
encontrado(a) no endereço informado no Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias - SGIP, para que apresente contas
partidárias de campanha Eleições Gerais 2018, no prazo de 03 (três) dias, sob pena de serem julgadas não prestadas as contas e aplicadas
as sanções cabíveis, nos termos do Art. 52, §º6, IV da Resolução TSE 23.553/2017.
E, para que chegue ao conhecimento de todos, mandou o M. M. Juiz Eleitoral que fosse baixado o presente EDITAL, que vai publicado na
forma da Lei no local de costume e no DJE.
Dado e passado nesta cidade de Jeremoabo/BA, aos 19 (dezenove) dias do mês de dezembro do ano de 2018. Eu, ____________, Adriano
Bispo de Andrade, Chefe de Cartório Substituto, digitei e subscrevi.
Adriano Bispo de Andrade
Chefe de Cartório Substituto

E D I T A L Nº 207/2018
PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA Nº 92-45.2018.6.05.0051 ELEIÇÕES GERAIS 2018
PARTIDO: PSC
MUNICÍPIO: SÍTIO DO QUINTO
PRESIDENTE: RUTILA PEREIRA MARQUES
TESOUREIRO: JOSEFA VENESSA SANTOS CARVALHO
E D I T A L Nº 207/2018
DE ORDEM do Exmo. Doutor PAULO EDUARDO DE MENEZES MOREIRA, Juiz Eleitoral da 051ª Zona, Comarca de Jeremoabo, do Estado
da Bahia, no uso de suas atribuições legais.
FAÇO SABER a todos quanto o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que o expeço, com a finalidade de CITAR o ÓRGÃO
PARTIDÁRIO do PARTIDO SOCIAL CRISTÃO - PSC do Município de Sítio do Quinto/BA, representado na pessoa do seu Presidente, o(a)
Sr(a). RUTILA PEREIRA MARQUES, não encontrado(a) no endereço informado no Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias -
SGIP, para que apresente contas partidárias de campanha Eleições Gerais 2018, no prazo de 03 (três) dias, sob pena de serem julgadas
não prestadas as contas e aplicadas as sanções cabíveis, nos termos do Art. 52, §º6, IV da Resolução TSE 23.553/2017.
E, para que chegue ao conhecimento de todos, mandou o M. M. Juiz Eleitoral que fosse baixado o presente EDITAL, que vai publicado na
forma da Lei no local de costume e no DJE.
Dado e passado nesta cidade de Jeremoabo/BA, aos 19 (dezenove) dias do mês de dezembro do ano de 2018. Eu, ____________, Adriano
Bispo de Andrade, Chefe de Cartório Substituto, digitei e subscrevi.
Adriano Bispo de Andrade
Chefe de Cartório Substituto

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 22

052ª Zona Eleitoral - PARIPIRANGA

Despachos

Processo nº 57-82.2018.6.05.0052
Processo nº 57-82.2018.6.05.0052
Requeridos: JOSÉ ROMUALDO SOUZA e outros
ADVOGADO: ARQUIMEDES GEAN OLIVEIRA NASIMENTO: OAB/BA 52.023; CLAYTON ANDRELINO NOGUEIRA JÚNIOR OAB/BA 825 B
DESPACHO
Pela M. M. Juíza foi dito que: Com relação a suposta autora do fato Maria Hilma de Jesus verifica-se conforme certidão que a mesma não foi
encontrada e tendo sido frustrada a possibilidade de transação penal, determino a abertura de vista dos autos ao Ministério Público. Após,
conclusos
Paripiranga, 19 de dezembro de 2018
DEBORAH CABRAL DE MELO
JUÍZA ELEITORAL

AÇÃO PENAL 56-97.2018.6.05.0052


AÇÃO PENAL Nº56-97.2018.6.05.0052
Requerente: Justiça Eleitoral
Requerido: Pamela Vieira Donato
Juíza foi dito que: A ausência injustificada nesta audiência da autora do fato que foi regularmente intimada, conforme certidão constante nos
autos, impossibilitou a realização de transação penal. Assim sendo, abra-se vista dos autos ao Ministério Público. Presentes intimados em
audiência. Nada mais havendo mandou a M.M. Juíza que encerrasse a presente conforme vai devidamente assinado.
Eu,__________________, Técnico Judiciário que subscrevo.
Dra. Deborah Cabral de Melo Dr. Gildásio Rizério de Amorim
Juíza de Direito Eleitoral Promotor de Justiça Eleitoral

Decisões Interlocutórias

AÇÃO PENAL Nº 59-52.2018.6.05.0052


AÇÃO PENAL Nº 59-52.2018.6.05.0052
Requerente: Justiça Eleitoral
Requerido: José Raimundo de Jesus
Advogado: Eduardo Borges da Silva OAB/BA: 48.548
Pela Juíza foi dito que: Na forma do artigo 76, § 4º, da Lei 9.099/95, HOMOLOGO a proposta formulada pelo Ministério Público e regularmente
aceita pelo autor do fato e seu defensor, para, por sentença, aplicar ao mesmo a pena restritiva de direitos, prevista no artigo 43, I, combinado
com artigo 45, parágrafo 2º, consistente no pagamento de R$ 1.000,00, dividido em 05 parcelas de R$ 200,00, sendo a primeira no dia 17 de
janeiro do corrente ano e as demais na mesma data dos meses subsequentes. Devendo os pagamentos serem depositados em conta judicial
a ser informada pelo Chefe do Cartório Eleitoral de Paripiranga/BA, cuja quantia deverá ser destinada posteriormente a instituição previamente
cadastrada, que atenda as exigências da resolução do CNJ, devendo o autor do fato juntar aos autos comprovante de depósito. Anote-se
apenas para impedir a utilização deste benefício pelo prazo de cinco anos, consoante dispõe § 4º, do artigo 76, da Lei já referida. Aplicação
desta penalidade não deve constar nos antecedentes criminais do apontado da autora do fato, exceto para a hipótese prevista no já
mencionado dispositivo legal. Publicada em audiência esta sentença, ficam intimados os presentes. Registre-se. Após o cumprimento da
Transação Penal, certifique-se e abra vista dos autos ao Ministério Público, voltando-me conclusos. Nada mais havendo mandou a M.M. Juíza
que encerrasse a presente conforme vai devidamente assinado. Eu,_________________, Chefe de Cartório que subscrevo.
Dra. Deborah Cabral de Melo Dr. Gildásio Rizério de Amorim
Juíza de Direito Eleitoral Promotor de Justiça Eleitoral

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 23

AÇÃO PENAL Nº 58-67.2018.6.05.0052


AÇÃO PENAL Nº58-67.2018.6.05.0052
Requerente: Justiça Eleitoral
Requerido: Samoel de Jesus, José Fabio Secundino dos Santos e Rone Cezar Soares de Carvalho
Advogado: Eduardo Borges da Silva OAB/BA: 48.548
Pela Juíza foi dito que: Na forma do artigo 76, § 4º, da Lei 9.099/95, HOMOLOGO a proposta formulada pelo Ministério Público e regularmente
aceita pelos autores do fato e seu defensor, para, por sentença, aplicar ao mesmo a pena restritiva de direitos, prevista no artigo 43, I,
combinado com artigo 45, parágrafo 2º, consistente no pagamento de R$ 1.000,00, dividido em 05 parcelas de R$ 200,00, sendo a primeira no
dia 17 de janeiro do corrente ano e as demais na mesma data dos meses subsequentes. Devendo os pagamentos serem depositados em
conta judicial a ser informada pelo Chefe do Cartório Eleitoral de Paripiranga/BA, cuja quantia deverá ser destinada posteriormente a
instituição previamente cadastrada, que atenda as exigências da resolução do CNJ, devendo os autores do fato juntar aos autos
comprovantes de depósito. Anote-se apenas para impedir a utilização deste benefício pelo prazo de cinco anos, consoante dispõe § 4º, do
artigo 76, da Lei já referida. Aplicação desta penalidade não deve constar nos antecedentes criminais dos autores do fato, exceto para a
hipótese prevista no já mencionado dispositivo legal. Publicada em audiência esta sentença, ficam intimados os presentes. Registre-se. Após
o cumprimento da Transação Penal, certifique-se e abra vista dos autos ao Ministério Público, voltando-me conclusos. Nada mais havendo
mandou a M.M. Juíza que encerrasse a presente conforme vai devidamente assinado. Eu,_________________, Chefe de Cartório que
subscrevo.
Dra. Deborah Cabral de Melo Dr. Gildásio Rizério de Amorim
Juíza de Direito Eleitoral Promotor de Justiça Eleitoral

COMPOSIÇÃO DE MESA RECEPTORA Nº 55-152018.6.05.0052


COMPOSIÇÃO DE MESA RECEPTORA Nº55-15.2018.6.05.0052
Interessado: Partido Social Democrático- Diretório Municipal
Advogado: Eduardo Borges da Silva OAB/BA: 48.548
Pela Juíza foi dito que: Na forma do artigo 76, § 4º, da Lei 9.099/95, HOMOLOGO a proposta formulada pelo Ministério Público e regularmente
aceita pelos autores do fato e seu defensor, para, por sentença, aplicar ao mesmo a pena restritiva de direitos, prevista no artigo 43, I,
combinado com artigo 45, parágrafo 2º, consistente no pagamento de R$ 1.000,00, dividido em 05 parcelas de R$ 200,00, sendo a primeira no
dia 17 de janeiro de 2019 e as demais na mesma data dos meses subsequentes. Devendo os pagamentos serem depositados em conta
judicial a ser informada pelo Chefe do Cartório Eleitoral de Paripiranga/BA, cuja quantia deverá ser destinada posteriormente a instituição
previamente cadastrada, que atenda as exigências da resolução do CNJ, devendo os autores do fato juntar aos autos comprovantes de
depósito. Anote-se apenas para impedir a utilização deste benefício pelo prazo de cinco anos, consoante dispõe § 4º, do artigo 76, da Lei já
referida. Aplicação desta penalidade não deve constar nos antecedentes criminais dos autores do fato, exceto para a hipótese prevista no já
mencionado dispositivo legal. Publicada em audiência esta sentença, ficam intimados os presentes. Registre-se. Após o cumprimento da
Transação Penal, certifique-se e abra vista dos autos ao Ministério Público, voltando-me conclusos. Em seguida, foram ouvidos os autores do
fato AISLAN DA CRUZ SANTOS e JOSÉ RENILSON DO NASCIMENTO, e seu defensor que não aceitaram a proposta. Pela M. M. Juíza foi
dito que: Frustrada a possibilidade de transação penal com relação aos autores do fato AISLAN DA CRUZ SANTOS e JOSÉ RENILSON DO
NASCIMENTO e verificando que nos autos já consta a denúncia, dou a palavra ao Representante do Ministério Público para que seja ofertada
a Suspensão Condicional do Processo, caso entenda. Foi proposta a suspensão do processo, sem êxito, não tendo os denunciados e seu
defensor aceitado, nos termos do artigo 89 da lei 9.099/95. Sendo assim, recebo a Denúncia e considerando que os denunciados não
aceitaram a Suspensão Condicional do Processo, ficam os mesmos citados desde já para apresentação de defesa, no prazo de 10 dias, nos
termos do artigo 359 do Código Eleitoral. P. R. I. em audiência, inclusive para compareceram ao Cartório Eleitoral dia 17 de janeiro de 2019
para retirarem a GRU para que possam efetuar os pagamentos. Nada mais havendo, mandou o M.M. Juiz que encerrasse a presente
conforme vai devidamente assinado. Eu, ___________________________, Técnico Judiciário que subscrevo.
Dra. Deborah Cabral de Melo Dr. Gildásio Rizério de Amorim
Juíza de Direito Eleitoral Promotor de Justiça Eleitoral

Intimações

PC Nº 95-94.2018.6.05.0052
PROCESSO Nº 95-94.2018.6.05.0052
PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA - 2018
MOVIMENTO DEMOCRÁTICO BRASILEIRO
MUNICÍPIO: ADUSTINA
PRESIDENTE: JOSÉ ALDO RABELO DE JESUS
TESOUREIRO: JOSÉ CARLOS NASCIMENTO
ADVOGADO: TÂNIA COUTO RIBEIRO OAB/SE 10.066
INTIMAÇÃO

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 24

Pelo presente, fica o MOVIMENTO DEMOCRÁTICO BRASILEIRO DE ADUSTINA INTIMADO, através de advogado constituído nos autos
para, no prazo de 3 (três) dias, a contar da publicação desta, nos termos do art. 72, § 1º, da Resolução TSE nº 23.553/2017 e art. 6º, XVI, do
Provimento 02/2012 CRE/TRE-BA, complementar as informações apresentadas, eis que foi apontado em Procedimento Técnico de Exame as
seguintes irregularidades:
Houve omissão quanto à entrega de prestação de contas parcial (art. 50, II e § 4°, da Resolução TSE nº 23.553/2017 - 9 a 13/09/2018).
Prestação de contas entregue em 10/12/2018, fora do prazo fixado pelo art. 52, caput e § 1º, da Resolução TSE nº 23.553/2017.
Não foram apresentadas as seguintes peças obrigatórias que devem integrar a prestação de contas (art. 56 da Resolução TSE nº
23.553/2017):
Não consta nos autos o Certificado Regional de Contabilidade do profissional que assina no campo destinado ao contador.
Extrato das contas bancárias destinadas à movimentação de recursos do Fundo Partidário, se houver
Extrato das contas bancárias destinadas à movimentação de recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), se houver
Extrato das contas bancárias destinadas à movimentação de Outros Recursos
Não houve indicação das informações referentes às contas bancárias de Outros Recursos na prestação de contas e na base de dados do
extrato eletrônico, contrariando o que dispõe os arts. 10 e 56, I, alínea "a", da Resolução TSE nº 23.553/2017, o que impossibilita a análise da
movimentação financeira da campanha eleitoral.
A prestação de contas foi apresentada sem movimentação financeira, circunstância não confirmada pelos extratos bancários ou por
declaração emitida pelo banco certificando a ausência de movimentação financeira (art. 56, II, alínea "a", da Resolução TSE nº 23.553/2017).
Paripiranga, 19 de dezembro de 2018
GENIVALDO GOMES DA CRUZ JÚNIOR
Chefe de Cartório Substituto. .

073ª Zona Eleitoral - UBAITABA

Sentenças

Processo N.° 97-98.2018.6.05.0073


Processo N.° 97-98.2018.6.05.0073
Prestação de Contas de Campanha – Eleições 2018
Partido: PSOL de Ubaitaba
SENTENÇA
Vistos etc.
O Partido PSOL de Ubaitaba não apresentou prestação de contas, relativas à arrecadação e aplicação de recursos na campanha eleitoral
para as eleições de 2018 no prazo de lei.
Devidamente citado para prestar as contas, o partido deixou transcorrer o prazo legal, sem manifestação.
Com vista dos autos, o Ministério Público Eleitoral manifestou-se pela não prestação das contas.
Foi juntada certidão de que, após os procedimentos técnicos empreendidos, não foi identificado o recebimento de recursos públicos oriundos
do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanha, ou de recursos de outras naturezas, nem foram encaminhados
pelas instituições financeiras os extratos eletrônicos para o referido prestador de contas.
É o relatório. Decido.
De fato, restou comprovado nos autos que o Partido Político, embora vigente no município, deixou de cumprir com a obrigação de prestar
contas prescrita nos arts. 48 e 49 da Resolução 23.553/2018, conforme bem assentou o Parquet em sua manifestação nos autos.
Diante do exposto, e com fundamento no art. 77, IV, a, da Resolução n.º 23.553/2017 do egrégio Tribunal Superior Eleitoral, JULGO NÃO
PRESTADAS as contas do Partido PSOL em Ubaitaba, relativas às Eleições de 2018, com consequente perda do direito ao recebimento da
quota do Fundo Partidário e suspensão do registro ou da anotação do órgão de direção municipal enquanto permanecer a omissão, nos
termos do art. 83, II, da Res. TSE n.º 23.553/2017.
Publique-se. Registre-se. Intime-se.
Sem recurso, arquive-se observadas as cautelas de praxe.
Ubaitaba, 17 de dezembro de 2018.
Antonio Carlos Rodrigues de Moraes
Juiz da 73a Zona Eleitoral

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 25

075ª Zona Eleitoral - BARREIRAS

Intimações

NOTIFICAÇÃO PESSOAL
PODER JUDICIÁRIO
PETIÇÃO : 515-16.2016.6.05.0070
Termo de Ocorrência Circunstanciado
Autor - Breno Alves da Silva Salaes
DESPACHO
Determino a Notificação Pessoal do Autor para pagamento do valor ainda não pago de R$ 477,29 indicado na Transação Penal constado nos
autos, sob pena de responsabilidade.
Após a Certidão, Vista dos Autos ao MPE.
Barreiras, 17 de dezembro de 2018.
Ronald de Souza Tavares Filho
Juiz Eleitoral - 75º Zona Eleitoral

076ª Zona Eleitoral - JAGUAQUARA

Sentenças

Quitação com Prazo Indeterminado


Processo 83-08.2018.6.05.0076
REGULARIZAÇAO DE SITUAÇÃO DO ELEITOR
Interessado(a): MAICON FELIPE SILVA SANTOS
S E N T E N Ç A
Vistos, etc.
Trata-se de Requerimento de certidão de Quitação com prazo indeterminado requerido por MARCOS ANTÔNIO BATISTA DOS SANTOS em
favor do seu filho, MAICON FELIPE SILVA SANTOS, sob o fundamento de que o mesmo apresenta obesidade mórbida, distúrbio psiquiátrico
e distúrbio tireoidiano, que o impossibilita exercer o voto regulamente como prescrito em lei.
Para tanto junta aos autos relatório médico atestando o estado de saúde do eleitor.
Apresentadas informações por parte do cartório atestando a regularidade formal do pedido e concedido vista ao representante do parquet que
se manifestou pelo deferimento do mesmo à fl. 06 dos autos.
É O RELATÓRIO.
DECIDO.
O pedido ora sob exame tem fundamento no quanto disposto na Res. TSE 21.920/2014 quando esta estabelece que :
Art. 1º O alistamento eleitoral e o voto são obrigatórios para todas as pessoas portadoras de deficiência.
Parágrafo único Não estará sujeito à sanção a pessoa portadora de deficiência que torne impossível ou demasiadamente oneroso o
cumprimento das obrigações eleitorais, relativamente ao alistamento e ao exercício do voto.
Ora o caso sob exame nos parece extremamente simples. Uma vez que o próprio Tribunal Superior Eleitoral reconhece que as pessoas
portadoras de deficiência que as torne impossibilitada de votar não deve sofrer sanção pelo voto, uma vez comprovada tal condição não se
verifica outra medida se não deferir o pleito.
No caso específico verifica-se que o Profissional médico clínico atestou que o Sr. MAICON FELIPE SILVA SANTOS apresenta quadro de
obesidade mórbida, distúrbio psiquiátrico e distúrbio tireoidiano, o que impossibilita exercer o voto.
Ora nos parece claro que ante a enfermidade que impede a pessoa de exercer suas atividades laborativas habituais também se demonstra
extremamente onerosa a situação do exercício.
Desse modo, com esteio no art. 2º da já mencionada Resolução defiro a certidão requerida. Ao cartório para a adoção das medidas cabíveis,
incluindo o registro no Cadastro Eleitoral da decisão ora proferida.
Publique-se. Registre-se. Intime-se.
Após o trânsito em julgado, arquivem-se os autos, observadas as cautelas de praxe.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 26

Jaguaquara, 17 de Dezembro de 2018.


Bela. Andréa Padilha Sodré Leal Palmarella
Juíza Eleitoral

Quitação com Prazo Indeterminado


Processo 84-90.2018.6.05.0076
REGULARIZAÇAO DE SITUAÇÃO DO ELEITOR
Interessado(a): EDINALVA FERNANDES BISPO
S E N T E N Ç A
Vistos, etc.
Trata-se de Requerimento de certidão de Quitação com prazo indeterminado requerido por RAQUEL PAULINA FERNANDES em favor da sua
filha, EDINALVA FERNANDES BISPO, sob o fundamento de que a mesma apresenta quadro indistinguível do quadro clínico de
Esquizofrenia, que a impossibilita exercer o voto regulamente como prescrito em lei.
Para tanto junta aos autos relatório médico atestando o estado de saúde do eleitor.
Apresentadas informações por parte do cartório atestando a regularidade formal do pedido e concedido vista ao representante do parquet que
se manifestou pelo deferimento do mesmo à fl. 06 dos autos.
É O RELATÓRIO.
DECIDO.
O pedido ora sob exame tem fundamente no quanto disposto na Res. TSE 21.920/2014 quando esta estabelece que :
Art. 1º O alistamento eleitoral e o voto são obrigatórios para todas as pessoas portadoras de deficiência.
Parágrafo único Não estará sujeito à sanção a pessoa portadora de deficiência que torne impossível ou demasiadamente oneroso o
cumprimento das obrigações eleitorais, relativamente ao alistamento e ao exercício do voto.
Ora o caso sob exame nos parece extremamente simples. Uma vez que o próprio Tribunal Superior Eleitoral reconhece que as pessoas
portadoras de deficiência que as torne impossibilitada de votar não deve sofrer sanção pelo voto, uma vez comprovada tal condição não se
verifica outra medida se não deferir o pleito.
No caso específico verifica-se que o Profissional médico clínico atestou que a Sra. EDINALVA FERNANDES BISPO apresenta quadro
indistinguível do quadro clínico de Esquizofrenia, o que impossibilita exercer o voto uma vez que apresenta disfunção social/ocupacional e não
tem condição de realizar atividades profissionais nem atos da vida civil.
Ora nos parece claro que ante a enfermidade que impede a pessoa de exercer suas atividades laborativas habituais também se demonstra
extremamente onerosa a situação do exercício.
Desse modo, com esteio no art. 2º da já mencionada Resolução defiro a certidão requerida. Ao cartório para a adoção das medidas cabíveis,
incluindo o registro no Cadastro Eleitoral da decisão ora proferida.
Publique-se. Registre-se. Intime-se.
Após o trânsito em julgado, arquivem-se os autos, observadas as cautelas de praxe.
Jaguaquara, 17 de Dezembro de 2018.
Bela. Andréa Padilha Sodré Leal Palmarella
Juíza Eleitoral

Prestação de Contas - Eleições 2018


Processo: 76-16.2018.6.05.0076
Partido: PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA - PSDB
Numero: 45
Município: Jaguaquara
Advogado: Waldir Saldanha Pereira Filho - OAB/BA 10360
SENTENÇA
PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA - PSDB, partido político regularmente constituído no âmbito do município de
JAGUAQUARA, qualificado à fl. 06 apresentou sua prestação referente às Eleições 2018, observando os requisitos estabelecidos pela Lei
9.504/97, bem como pela Resolução nº 23.553/2017 do Tribunal Superior Eleitoral.
Publicado edital das contas o prazo para tanto transcorreu sem que fosse apresentada impugnação por qualquer interessado.
Analisadas as contas restou emitido pelo cartório Parecer Técnico acostado aos autos. Este apresentou irregularidades em relação às contas
prestadas, sendo intimado o prestador para ter ciência do relatório e se manifestar se assim quisesse no prazo de 3 (três) dias.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 27

Decorrido prazo com manifestação do interessado estas foram submetidas a nova análise pelo cartório eleitoral.
O Ministério Público Eleitoral, no mesmo sentido do parecer técnico conclusivo, emitiu opinativo pela desaprovação das contas apresentadas,
conforme parecer anexado à fl. retro.
Com efeito neste particular assiste razão ao representante do parquet.
Como objetivamente apontado pelo Parecer técnico o prestador das contas não apresentou os extratos bancários e não abriu a conta bancária
específica e obrigatória nos termos dos arts. 10º e 56 da Resolução 23553/2017 restando claro o descumprimento de requisito
OBRIGATÓRIO a ser cumprido pelo partido.
Art. 7º É obrigatória para os partidos políticos e os candidatos a abertura de conta bancária específica, na Caixa Econômica Federal, no
Banco do Brasil ou em outra instituição financeira com carteira comercial reconhecida pelo Banco Central do Brasil.
§ 1º A conta bancária deve ser aberta em agências bancárias ou postos de atendimento bancário:
a) pelo candidato, no prazo de dez dias contados da concessão do CNPJ pela Secretaria da Receita Federal do Brasil;
b) pelos partidos políticos registrados após 15 de agosto de 2016, até 15 de agosto do ano eleitoral, caso ainda não tenham aberto a conta
“Doações para Campanha”, disciplinada no art. 6º, II, da Resolução-TSE nº 23.464/2015.
§ 2º A obrigação prevista neste artigo deve ser cumprida pelos partidos políticos e pelos candidatos, mesmo que não ocorra arrecadação e/ou
movimentação de recursos financeiros, observado o disposto no § 4º. (grifos nossos)
Art. 56. Ressalvado o disposto no art. 65, a prestação de contas, ainda que não haja movimentação de recursos financeiros ou estimáveis em
dinheiro, deve ser composta, cumulativamente:
(…)
II - pelos seguintes documentos na forma prevista no §1º deste artigo:
a) extratos das contas bancárias abertas em nome do candidato e do partido político, inclusive da conta aberta para movimentação de
recursos do Fundo Partidário e daquela aberta para movimentação de recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC),
quando for o caso, nos termos exigidos pelo inciso III do art. 3º desta resolução, demonstrando a movimentação financeira ou sua ausência,
em sua forma definitiva, contemplando todo o período de campanha, vedada a apresentação de extratos sem validade legal, adulterados,
parciais ou que omitam qualquer movimentação financeira; (grifos nossos)
Cabe inclusive salientar que no caso em tela não se aplica a exceção do §4º do art. 10º uma vez que no município de Jaguaquara existem
agências bancárias de 4 (quatro) bancos, além de correspondente bancário.
Neste sentido é o entendimento dos Tribunais eleitorais, como se depreende de sua jurisprudência:
AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ESPECIAL. AUSÊNCIA DE ABERTURA DE CONTA BANCÁRIA. NÃO APRESENTAÇÃO DE
EXTRATOS BANCÁRIOS. PRESTAÇÃO DE CONTAS. DESAPROVAÇÃO.
1. Na linha da jurisprudência desta Corte, a ausência de abertura de conta bancária e a não apresentação de extratos bancários são vícios
graves e relevantes, que, por si sós, podem ensejar a desaprovação das contas.
2. O julgamento das contas como não prestadas, com fundamento no art. 54, IV, a, da Res.-TSE nº 23.406, pressupõe que a ausência de
documentos constitua óbice para o processamento e a análise das contas pelos órgãos da Justiça Eleitoral. Interpretação consentânea com a
gravidade das consequências jurídicas da não apresentação das contas.
3. Hipótese em que houve apresentação tempestiva das contas, atendimento tempestivo das diligências pelo candidato, análise técnica pela
desaprovação das contas e exame da documentação apresentada e dos vícios identificados.
4. Reforma da decisão do Tribunal a quo, para considerar as contas prestadas, porém desaprovadas.
Agravo regimental a que se nega provimento.
Decisão: O Tribunal, por unanimidade, negou provimento ao agravo regimental, nos termos do voto do Relator.
(Proc 2155-89.2014.614.0000, AgR-REspe - Agravo Regimental em Recurso Especial Eleitoral nº 215589 – Belém/PA, Acórdão de
14/06/2016, Relator(a) Min. HENRIQUE NEVES DA SILVA, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Tomo 122, Data 27/06/2016, Página
101)
ELEIÇÕES 2014. AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL ELEITORAL. PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA.
CANDIDATO. CARGO DE DEPUTADO ESTADUAL. DESAPROVAÇÃO. FALHAS QUE COMPROMETEM A REGULARIDADE DAS
CONTAS. ABERTURA DE CONTA BANCÁRIA ESPECÍFICA. OBRIGATORIEDADE. ART. 22 DA LEI Nº 9.504/97. ÓBICE À ATUAÇÃO
FISCALIZADORA DA JUSTIÇA ELEITORAL. NÃO VERIFICADO. REVOLVIMENTO DO ARCABOUÇO FÁTICO-PROBATÓRIO.
IMPOSSIBILIDADE. SÚMULAS Nº 24 DO TSE E Nº 7 DO STJ. DECISÃO MANTIDA POR SEUS PRÓPRIOS FUNDAMENTOS.
DESPROVIMENTO.
1. As contas de campanha cujas falhas detectadas impeçam o efetivo controle dos gastos pela Justiça Eleitoral devem ser desaprovadas.
2. In casu, o Tribunal a quo desaprovou as contas do candidato, por constatar que "a não abertura de conta bancária constitui irregularidade
grave, uma vez que compromete a transparência das contas em análise, bem como inviabiliza o efetivo controle por esta Justiça
Especializada sobre as receitas e despesas efetuadas, na medida em que não há como comprovar a ausência de arrecadação de recursos
financeiros pelo candidato" (fls. 39).
3. A modificação da conclusão exarada pela Corte Regional, a fim de acatar a alegação do Ministério Público de que as contas devem ser
consideradas não prestadas, demanda necessariamente o reexame da matéria fático-probatória dos autos, providência que se revela inviável
na estreita via do recurso especial, ex vi dos Enunciados das Súmulas nos 24/TSE e 7/STJ.
4. A simples reiteração de argumentos já analisados na decisão agravada e o reforço de alguns pontos, sem que haja no agravo regimental
qualquer elemento novo apto a infirmá-la, atraem a incidência do Enunciado da Súmula nº 26 do TSE.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 28

5. Agravo regimental desprovido.


Decisão: O Tribunal, por unanimidade, negou provimento ao agravo regimental, nos termos do voto do Relator.
(Proc 1669-13.2014.603.0000, AgR-REspe - Agravo Regimental em Recurso Especial Eleitoral nº 166913 – Brasília/DF, Acórdão de
13/09/2016, Relator(a) Min. LUIZ FUX, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Tomo 207, Data 27/10/2016, Página 14-15)
Diante do exposto, apresentada parcialmente a documentação elencada no artigo 56 da Resolução 23.553/2017 e desobedecidas as
diretrizes traçadas pela Legislação Eleitoral pertinente, com espeque no artigo 77, inciso III, da Res.23.463/15 do Tribunal Superior Eleitoral,
julgo DESAPROVADAS as contas prestadas, determinando a suspensão de quitas do fundo partidário em favor da direção municipal da
presente agremiação pelo prazo de 6 meses.
Publique-se. Registre-se. Intime-se.
Após o trânsito em julgado, arquive-se observadas as cautelas de praxe.
Jaguaquara, 17 de Dezembro de 2018.
Bela. Andréa Padilha Sodré Leal Palmarella
Juíza Eleitoral

Prestação de Contas - Eleições 2018


Processo: 73-61.2018.6.05.0076
Partido: PARTIDO REPUBLICANO PROGRESSISTA - PRP
Numero: 44
Município: Jaguaquara
Advogado: Waldir Saldanha Pereira Filho - OAB/BA 10360
SENTENÇA
PARTIDO REPUBLICANO PROGRESSISTA - PRP, partido político regularmente constituído no âmbito do município de JAGUAQUARA,
qualificado à fl. 05 apresentou sua prestação referente às Eleições 2018, observando os requisitos estabelecidos pela Lei 9.504/97, bem como
pela Resolução nº 23.553/2017 do Tribunal Superior Eleitoral.
Publicado edital das contas o prazo para tanto transcorreu sem que fosse apresentada impugnação por qualquer interessado.
Analisadas as contas restou emitido pelo cartório Parecer Técnico acostado aos autos. Este apresentou irregularidades em relação às contas
prestadas, sendo intimado o prestador para ter ciência do relatório e se manifestar se assim quisesse no prazo de 3 (três) dias.
Decorrido prazo com manifestação do interessado estas foram submetidas a nova análise pelo cartório eleitoral.
O Ministério Público Eleitoral, no mesmo sentido do parecer técnico conclusivo, emitiu opinativo pela desaprovação das contas apresentadas,
conforme parecer anexado à fl. retro.
Com efeito neste particular assiste razão ao representante do parquet.
Como objetivamente apontado pelo Parecer técnico o prestador das contas não apresentou os extratos bancários e não abriu a conta bancária
específica e obrigatória nos termos dos arts. 10º e 56 da Resolução 23553/2017 restando claro o descumprimento de requisito
OBRIGATÓRIO a ser cumprido pelo partido.
Art. 7º É obrigatória para os partidos políticos e os candidatos a abertura de conta bancária específica, na Caixa Econômica Federal, no
Banco do Brasil ou em outra instituição financeira com carteira comercial reconhecida pelo Banco Central do Brasil.
§ 1º A conta bancária deve ser aberta em agências bancárias ou postos de atendimento bancário:
a) pelo candidato, no prazo de dez dias contados da concessão do CNPJ pela Secretaria da Receita Federal do Brasil;
b) pelos partidos políticos registrados após 15 de agosto de 2016, até 15 de agosto do ano eleitoral, caso ainda não tenham aberto a conta
“Doações para Campanha”, disciplinada no art. 6º, II, da Resolução-TSE nº 23.464/2015.
§ 2º A obrigação prevista neste artigo deve ser cumprida pelos partidos políticos e pelos candidatos, mesmo que não ocorra arrecadação e/ou
movimentação de recursos financeiros, observado o disposto no § 4º. (grifos nossos)
Art. 56. Ressalvado o disposto no art. 65, a prestação de contas, ainda que não haja movimentação de recursos financeiros ou estimáveis em
dinheiro, deve ser composta, cumulativamente:
(…)
II - pelos seguintes documentos na forma prevista no §1º deste artigo:
a) extratos das contas bancárias abertas em nome do candidato e do partido político, inclusive da conta aberta para movimentação de
recursos do Fundo Partidário e daquela aberta para movimentação de recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC),
quando for o caso, nos termos exigidos pelo inciso III do art. 3º desta resolução, demonstrando a movimentação financeira ou sua ausência,
em sua forma definitiva, contemplando todo o período de campanha, vedada a apresentação de extratos sem validade legal, adulterados,
parciais ou que omitam qualquer movimentação financeira; (grifos nossos)
Cabe inclusive salientar que no caso em tela não se aplica a exceção do §4º do art. 10º uma vez que no município de Jaguaquara existem
agências bancárias de 4 (quatro) bancos, além de correspondente bancário.
Neste sentido é o entendimento dos Tribunais eleitorais, como se depreende de sua jurisprudência:

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 29

AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ESPECIAL. AUSÊNCIA DE ABERTURA DE CONTA BANCÁRIA. NÃO APRESENTAÇÃO DE
EXTRATOS BANCÁRIOS. PRESTAÇÃO DE CONTAS. DESAPROVAÇÃO.
1. Na linha da jurisprudência desta Corte, a ausência de abertura de conta bancária e a não apresentação de extratos bancários são vícios
graves e relevantes, que, por si sós, podem ensejar a desaprovação das contas.
2. O julgamento das contas como não prestadas, com fundamento no art. 54, IV, a, da Res.-TSE nº 23.406, pressupõe que a ausência de
documentos constitua óbice para o processamento e a análise das contas pelos órgãos da Justiça Eleitoral. Interpretação consentânea com a
gravidade das consequências jurídicas da não apresentação das contas.
3. Hipótese em que houve apresentação tempestiva das contas, atendimento tempestivo das diligências pelo candidato, análise técnica pela
desaprovação das contas e exame da documentação apresentada e dos vícios identificados.
4. Reforma da decisão do Tribunal a quo, para considerar as contas prestadas, porém desaprovadas.
Agravo regimental a que se nega provimento.
Decisão: O Tribunal, por unanimidade, negou provimento ao agravo regimental, nos termos do voto do Relator.
(Proc 2155-89.2014.614.0000, AgR-REspe - Agravo Regimental em Recurso Especial Eleitoral nº 215589 – Belém/PA, Acórdão de
14/06/2016, Relator(a) Min. HENRIQUE NEVES DA SILVA, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Tomo 122, Data 27/06/2016, Página
101)
ELEIÇÕES 2014. AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL ELEITORAL. PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA.
CANDIDATO. CARGO DE DEPUTADO ESTADUAL. DESAPROVAÇÃO. FALHAS QUE COMPROMETEM A REGULARIDADE DAS
CONTAS. ABERTURA DE CONTA BANCÁRIA ESPECÍFICA. OBRIGATORIEDADE. ART. 22 DA LEI Nº 9.504/97. ÓBICE À ATUAÇÃO
FISCALIZADORA DA JUSTIÇA ELEITORAL. NÃO VERIFICADO. REVOLVIMENTO DO ARCABOUÇO FÁTICO-PROBATÓRIO.
IMPOSSIBILIDADE. SÚMULAS Nº 24 DO TSE E Nº 7 DO STJ. DECISÃO MANTIDA POR SEUS PRÓPRIOS FUNDAMENTOS.
DESPROVIMENTO.
1. As contas de campanha cujas falhas detectadas impeçam o efetivo controle dos gastos pela Justiça Eleitoral devem ser desaprovadas.
2. In casu, o Tribunal a quo desaprovou as contas do candidato, por constatar que "a não abertura de conta bancária constitui irregularidade
grave, uma vez que compromete a transparência das contas em análise, bem como inviabiliza o efetivo controle por esta Justiça
Especializada sobre as receitas e despesas efetuadas, na medida em que não há como comprovar a ausência de arrecadação de recursos
financeiros pelo candidato" (fls. 39).
3. A modificação da conclusão exarada pela Corte Regional, a fim de acatar a alegação do Ministério Público de que as contas devem ser
consideradas não prestadas, demanda necessariamente o reexame da matéria fático-probatória dos autos, providência que se revela inviável
na estreita via do recurso especial, ex vi dos Enunciados das Súmulas nos 24/TSE e 7/STJ.
4. A simples reiteração de argumentos já analisados na decisão agravada e o reforço de alguns pontos, sem que haja no agravo regimental
qualquer elemento novo apto a infirmá-la, atraem a incidência do Enunciado da Súmula nº 26 do TSE.
5. Agravo regimental desprovido.
Decisão: O Tribunal, por unanimidade, negou provimento ao agravo regimental, nos termos do voto do Relator.
(Proc 1669-13.2014.603.0000, AgR-REspe - Agravo Regimental em Recurso Especial Eleitoral nº 166913 – Brasília/DF, Acórdão de
13/09/2016, Relator(a) Min. LUIZ FUX, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Tomo 207, Data 27/10/2016, Página 14-15)
Diante do exposto, apresentada parcialmente a documentação elencada no artigo 56 da Resolução 23.553/2017 e desobedecidas as
diretrizes traçadas pela Legislação Eleitoral pertinente, com espeque no artigo 77, inciso III, da Res.23.463/15 do Tribunal Superior Eleitoral,
julgo DESAPROVADAS as contas prestadas, determinando a suspensão de quitas do fundo partidário em favor da direção municipal da
presente agremiação pelo prazo de 6 meses.
Publique-se. Registre-se. Intime-se.
Após o trânsito em julgado, arquive-se observadas as cautelas de praxe.
Jaguaquara, 17 de Dezembro de 2018.
Bela. Andréa Padilha Sodré Leal Palmarella
Juíza Eleitoral

Prestação de Contas - Eleições 2018


Processo: 75-31.2018.6.05.0076
Partido: Partido Social Democrático - PSD
Município: Jaguaquara-BA
Responsável: Edmilson dos Santos Barbosa
SENTENÇA
PARTIDO SOCIAL DEMOCRÁTICO - PSD, partido regularmente constituído no âmbito do Município de Jaguaquara, qualificado às fls. 02/03,
não apresentou sua prestação referente às Eleições 2018, conforme determinado pela Lei 9.504/97, bem como pela Resolução nº
23.553/2018 do Tribunal Superior Eleitoral.
Intimado o representante do partido, como se depreende à fl. 08/09 dos autos, verifica-se que este deixou transcorrer o prazo para a
apresentação das contas in albis (fl.10).

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 30

O Relatório de exame de prestação de contas apontou a falta por parte do candidato como se verifica à fl. 10 dos autos.
O Ministério Público Eleitoral emitiu parecer pela não prestação das contas conforme parecer anexado à fl.11.
Diante do exposto, não apresentada a documentação elencada no artigo 56 da Resolução 23.553/2017 e obedecidas as diretrizes traçadas
pela Legislação Eleitoral pertinente, com espeque no artigo 77, inciso IV, da Res.23.553/17 do Tribunal Superior Eleitoral, julgo NÃO
PRESTADAS as contas de campanha.
Considerando a não prestação das referidas contas determino a perda do direito a fundo partidário e suspensão do registro do partido nos
termos do Art. 83 da Resolução 23.553 até a efetiva regularização das contas, sem prejuízo de responderem os candidatos beneficiados por
abuso do poder econômico (Lei nº 9.504/1997, art. 25).
Publique-se. Registre-se. Intime-se.
Após o trânsito em julgado, arquive-se observadas as cautelas de praxe.
Jaguaquara, 17/12/2018.
Bela. Andréa Padilha Sodré Leal Palmarella
Juíza Eleitoral

Prestação de Contas - Eleições 2018


Processo: 72-76.2018.6.05.0076
Partido: PARTIDO REPUBLICANO DA ORDEM SOCIAL - PROS
Numero: 90
Município: Jaguaquara
Advogado: Waldir Saldanha Pereira Filho - OAB/BA 10360
SENTENÇA
PARTIDO REPUBLICANO DA ORDEM SOCIAL - PROS, partido político regularmente constituído no âmbito do município de JAGUAQUARA,
qualificado à fl. 05 apresentou sua prestação referente às Eleições 2018, observando os requisitos estabelecidos pela Lei 9.504/97, bem como
pela Resolução nº 23.553/2017 do Tribunal Superior Eleitoral.
Publicado edital das contas o prazo para tanto transcorreu sem que fosse apresentada impugnação por qualquer interessado.
Analisadas as contas restou emitido pelo cartório Parecer Técnico acostado aos autos. Este apresentou irregularidades em relação às contas
prestadas, sendo intimado o prestador para ter ciência do relatório e se manifestar se assim quisesse no prazo de 3 (três) dias.
Decorrido prazo com manifestação do interessado estas foram submetidas a nova análise pelo cartório eleitoral.
O Ministério Público Eleitoral, no mesmo sentido do parecer técnico conclusivo, emitiu opinativo pela desaprovação das contas apresentadas,
conforme parecer anexado à fl. retro.
Com efeito neste particular assiste razão ao representante do parquet.
Como objetivamente apontado pelo Parecer técnico o prestador das contas não apresentou os extratos bancários e não abriu a conta bancária
específica e obrigatória nos termos dos arts. 10º e 56 da Resolução 23553/2017 restando claro o descumprimento de requisito
OBRIGATÓRIO a ser cumprido pelo partido.
Art. 7º É obrigatória para os partidos políticos e os candidatos a abertura de conta bancária específica, na Caixa Econômica Federal, no
Banco do Brasil ou em outra instituição financeira com carteira comercial reconhecida pelo Banco Central do Brasil.
§ 1º A conta bancária deve ser aberta em agências bancárias ou postos de atendimento bancário:
a) pelo candidato, no prazo de dez dias contados da concessão do CNPJ pela Secretaria da Receita Federal do Brasil;
b) pelos partidos políticos registrados após 15 de agosto de 2016, até 15 de agosto do ano eleitoral, caso ainda não tenham aberto a conta
“Doações para Campanha”, disciplinada no art. 6º, II, da Resolução-TSE nº 23.464/2015.
§ 2º A obrigação prevista neste artigo deve ser cumprida pelos partidos políticos e pelos candidatos, mesmo que não ocorra arrecadação e/ou
movimentação de recursos financeiros, observado o disposto no § 4º. (grifos nossos)
Art. 56. Ressalvado o disposto no art. 65, a prestação de contas, ainda que não haja movimentação de recursos financeiros ou estimáveis em
dinheiro, deve ser composta, cumulativamente:
(…)
II - pelos seguintes documentos na forma prevista no §1º deste artigo:
a) extratos das contas bancárias abertas em nome do candidato e do partido político, inclusive da conta aberta para movimentação de
recursos do Fundo Partidário e daquela aberta para movimentação de recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC),
quando for o caso, nos termos exigidos pelo inciso III do art. 3º desta resolução, demonstrando a movimentação financeira ou sua ausência,
em sua forma definitiva, contemplando todo o período de campanha, vedada a apresentação de extratos sem validade legal, adulterados,
parciais ou que omitam qualquer movimentação financeira; (grifos nossos)
Cabe inclusive salientar que no caso em tela não se aplica a exceção do §4º do art. 10º uma vez que no município de Jaguaquara existem
agências bancárias de 4 (quatro) bancos, além de correspondente bancário.
Neste sentido é o entendimento dos Tribunais eleitorais, como se depreende de sua jurisprudência:

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 31

AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ESPECIAL. AUSÊNCIA DE ABERTURA DE CONTA BANCÁRIA. NÃO APRESENTAÇÃO DE
EXTRATOS BANCÁRIOS. PRESTAÇÃO DE CONTAS. DESAPROVAÇÃO.
1. Na linha da jurisprudência desta Corte, a ausência de abertura de conta bancária e a não apresentação de extratos bancários são vícios
graves e relevantes, que, por si sós, podem ensejar a desaprovação das contas.
2. O julgamento das contas como não prestadas, com fundamento no art. 54, IV, a, da Res.-TSE nº 23.406, pressupõe que a ausência de
documentos constitua óbice para o processamento e a análise das contas pelos órgãos da Justiça Eleitoral. Interpretação consentânea com a
gravidade das consequências jurídicas da não apresentação das contas.
3. Hipótese em que houve apresentação tempestiva das contas, atendimento tempestivo das diligências pelo candidato, análise técnica pela
desaprovação das contas e exame da documentação apresentada e dos vícios identificados.
4. Reforma da decisão do Tribunal a quo, para considerar as contas prestadas, porém desaprovadas.
Agravo regimental a que se nega provimento.
Decisão: O Tribunal, por unanimidade, negou provimento ao agravo regimental, nos termos do voto do Relator.
(Proc 2155-89.2014.614.0000, AgR-REspe - Agravo Regimental em Recurso Especial Eleitoral nº 215589 – Belém/PA, Acórdão de
14/06/2016, Relator(a) Min. HENRIQUE NEVES DA SILVA, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Tomo 122, Data 27/06/2016, Página
101)
ELEIÇÕES 2014. AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL ELEITORAL. PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA.
CANDIDATO. CARGO DE DEPUTADO ESTADUAL. DESAPROVAÇÃO. FALHAS QUE COMPROMETEM A REGULARIDADE DAS
CONTAS. ABERTURA DE CONTA BANCÁRIA ESPECÍFICA. OBRIGATORIEDADE. ART. 22 DA LEI Nº 9.504/97. ÓBICE À ATUAÇÃO
FISCALIZADORA DA JUSTIÇA ELEITORAL. NÃO VERIFICADO. REVOLVIMENTO DO ARCABOUÇO FÁTICO-PROBATÓRIO.
IMPOSSIBILIDADE. SÚMULAS Nº 24 DO TSE E Nº 7 DO STJ. DECISÃO MANTIDA POR SEUS PRÓPRIOS FUNDAMENTOS.
DESPROVIMENTO.
1. As contas de campanha cujas falhas detectadas impeçam o efetivo controle dos gastos pela Justiça Eleitoral devem ser desaprovadas.
2. In casu, o Tribunal a quo desaprovou as contas do candidato, por constatar que "a não abertura de conta bancária constitui irregularidade
grave, uma vez que compromete a transparência das contas em análise, bem como inviabiliza o efetivo controle por esta Justiça
Especializada sobre as receitas e despesas efetuadas, na medida em que não há como comprovar a ausência de arrecadação de recursos
financeiros pelo candidato" (fls. 39).
3. A modificação da conclusão exarada pela Corte Regional, a fim de acatar a alegação do Ministério Público de que as contas devem ser
consideradas não prestadas, demanda necessariamente o reexame da matéria fático-probatória dos autos, providência que se revela inviável
na estreita via do recurso especial, ex vi dos Enunciados das Súmulas nos 24/TSE e 7/STJ.
4. A simples reiteração de argumentos já analisados na decisão agravada e o reforço de alguns pontos, sem que haja no agravo regimental
qualquer elemento novo apto a infirmá-la, atraem a incidência do Enunciado da Súmula nº 26 do TSE.
5. Agravo regimental desprovido.
Decisão: O Tribunal, por unanimidade, negou provimento ao agravo regimental, nos termos do voto do Relator.
(Proc 1669-13.2014.603.0000, AgR-REspe - Agravo Regimental em Recurso Especial Eleitoral nº 166913 – Brasília/DF, Acórdão de
13/09/2016, Relator(a) Min. LUIZ FUX, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Tomo 207, Data 27/10/2016, Página 14-15)
Diante do exposto, apresentada parcialmente a documentação elencada no artigo 56 da Resolução 23.553/2017 e desobedecidas as
diretrizes traçadas pela Legislação Eleitoral pertinente, com espeque no artigo 77, inciso III, da Res.23.463/15 do Tribunal Superior Eleitoral,
julgo DESAPROVADAS as contas prestadas, determinando a suspensão de quitas do fundo partidário em favor da direção municipal da
presente agremiação pelo prazo de 6 meses.
Publique-se. Registre-se. Intime-se.
Após o trânsito em julgado, arquive-se observadas as cautelas de praxe.
Jaguaquara, 17 de Dezembro de 2018.
Bela. Andréa Padilha Sodré Leal Palmarella
Juíza Eleitoral

Prestação de Contas - Eleições 2018


Processo: 71-91.2018.6.05.0076
Partido: PARTIDO REPUBLICANO BRASILEIRO - PRB
Número: 10
Município: Jaguaquara
Advogado: Waldir Saldanha Pereira Filho - OAB/BA 10360
SENTENÇA
PARTIDO REPUBLICANO BRASILEIRO - PRB, partido político regularmente constituído no âmbito do município de JAGUAQUARA,
qualificado à fl. 05 apresentou sua prestação referente às Eleições 2018, observando os requisitos estabelecidos pela Lei 9.504/97, bem como
pela Resolução nº 23.553/2017 do Tribunal Superior Eleitoral.
Publicado edital das contas, o prazo para tanto transcorreu sem que fosse apresentada impugnação por qualquer interessado.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 32

Analisadas as contas, restou emitido pelo cartório Parecer Técnico acostado aos autos. Este apresentou irregularidades em relação às contas
prestadas, sendo intimado o prestador para ter ciência do relatório e se manifestar se assim quisesse no prazo de 3 (três) dias.
Decorrido prazo com manifestação do interessado estas foram submetidas a nova análise pelo cartório eleitoral.
O Ministério Público Eleitoral, no mesmo sentido do parecer técnico conclusivo, emitiu opinativo pela desaprovação das contas apresentadas,
conforme parecer anexado à fl. retro.
Com efeito neste particular assiste razão ao representante do parquet.
Como objetivamente apontado pelo Parecer técnico o prestador das contas não apresentou os extratos bancários e não abriu a conta bancária
específica e obrigatória nos termos dos arts. 10º e 56 da Resolução 23553/2017 restando claro o descumprimento de requisito
OBRIGATÓRIO a ser cumprido pelo partido.
Art. 7º É obrigatória para os partidos políticos e os candidatos a abertura de conta bancária específica, na Caixa Econômica Federal, no
Banco do Brasil ou em outra instituição financeira com carteira comercial reconhecida pelo Banco Central do Brasil.
§ 1º A conta bancária deve ser aberta em agências bancárias ou postos de atendimento bancário:
a) pelo candidato, no prazo de dez dias contados da concessão do CNPJ pela Secretaria da Receita Federal do Brasil;
b) pelos partidos políticos registrados após 15 de agosto de 2016, até 15 de agosto do ano eleitoral, caso ainda não tenham aberto a conta
“Doações para Campanha”, disciplinada no art. 6º, II, da Resolução-TSE nº 23.464/2015.
§ 2º A obrigação prevista neste artigo deve ser cumprida pelos partidos políticos e pelos candidatos, mesmo que não ocorra arrecadação e/ou
movimentação de recursos financeiros, observado o disposto no § 4º. (grifos nossos)
Art. 56. Ressalvado o disposto no art. 65, a prestação de contas, ainda que não haja movimentação de recursos financeiros ou estimáveis em
dinheiro, deve ser composta, cumulativamente:
(…)
II - pelos seguintes documentos na forma prevista no §1º deste artigo:
a) extratos das contas bancárias abertas em nome do candidato e do partido político, inclusive da conta aberta para movimentação de
recursos do Fundo Partidário e daquela aberta para movimentação de recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC),
quando for o caso, nos termos exigidos pelo inciso III do art. 3º desta resolução, demonstrando a movimentação financeira ou sua ausência,
em sua forma definitiva, contemplando todo o período de campanha, vedada a apresentação de extratos sem validade legal, adulterados,
parciais ou que omitam qualquer movimentação financeira; (grifos nossos)
Cabe inclusive salientar que no caso em tela não se aplica a exceção do §4º do art. 10º uma vez que no município de Jaguaquara existem
agências bancárias de 4 (quatro) bancos, além de correspondente bancário.
Neste sentido é o entendimento dos Tribunais eleitorais, como se depreende de sua jurisprudência:
AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ESPECIAL. AUSÊNCIA DE ABERTURA DE CONTA BANCÁRIA. NÃO APRESENTAÇÃO DE
EXTRATOS BANCÁRIOS. PRESTAÇÃO DE CONTAS. DESAPROVAÇÃO.
1. Na linha da jurisprudência desta Corte, a ausência de abertura de conta bancária e a não apresentação de extratos bancários são vícios
graves e relevantes, que, por si sós, podem ensejar a desaprovação das contas.
2. O julgamento das contas como não prestadas, com fundamento no art. 54, IV, a, da Res.-TSE nº 23.406, pressupõe que a ausência de
documentos constitua óbice para o processamento e a análise das contas pelos órgãos da Justiça Eleitoral. Interpretação consentânea com a
gravidade das consequências jurídicas da não apresentação das contas.
3. Hipótese em que houve apresentação tempestiva das contas, atendimento tempestivo das diligências pelo candidato, análise técnica pela
desaprovação das contas e exame da documentação apresentada e dos vícios identificados.
4. Reforma da decisão do Tribunal a quo, para considerar as contas prestadas, porém desaprovadas.
Agravo regimental a que se nega provimento.
Decisão: O Tribunal, por unanimidade, negou provimento ao agravo regimental, nos termos do voto do Relator.
(Proc 2155-89.2014.614.0000, AgR-REspe - Agravo Regimental em Recurso Especial Eleitoral nº 215589 – Belém/PA, Acórdão de
14/06/2016, Relator(a) Min. HENRIQUE NEVES DA SILVA, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Tomo 122, Data 27/06/2016, Página
101)
ELEIÇÕES 2014. AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL ELEITORAL. PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA.
CANDIDATO. CARGO DE DEPUTADO ESTADUAL. DESAPROVAÇÃO. FALHAS QUE COMPROMETEM A REGULARIDADE DAS
CONTAS. ABERTURA DE CONTA BANCÁRIA ESPECÍFICA. OBRIGATORIEDADE. ART. 22 DA LEI Nº 9.504/97. ÓBICE À ATUAÇÃO
FISCALIZADORA DA JUSTIÇA ELEITORAL. NÃO VERIFICADO. REVOLVIMENTO DO ARCABOUÇO FÁTICO-PROBATÓRIO.
IMPOSSIBILIDADE. SÚMULAS Nº 24 DO TSE E Nº 7 DO STJ. DECISÃO MANTIDA POR SEUS PRÓPRIOS FUNDAMENTOS.
DESPROVIMENTO.
1. As contas de campanha cujas falhas detectadas impeçam o efetivo controle dos gastos pela Justiça Eleitoral devem ser desaprovadas.
2. In casu, o Tribunal a quo desaprovou as contas do candidato, por constatar que "a não abertura de conta bancária constitui irregularidade
grave, uma vez que compromete a transparência das contas em análise, bem como inviabiliza o efetivo controle por esta Justiça
Especializada sobre as receitas e despesas efetuadas, na medida em que não há como comprovar a ausência de arrecadação de recursos
financeiros pelo candidato" (fls. 39).
3. A modificação da conclusão exarada pela Corte Regional, a fim de acatar a alegação do Ministério Público de que as contas devem ser
consideradas não prestadas, demanda necessariamente o reexame da matéria fático-probatória dos autos, providência que se revela inviável
na estreita via do recurso especial, ex vi dos Enunciados das Súmulas nos 24/TSE e 7/STJ.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 33

4. A simples reiteração de argumentos já analisados na decisão agravada e o reforço de alguns pontos, sem que haja no agravo regimental
qualquer elemento novo apto a infirmá-la, atraem a incidência do Enunciado da Súmula nº 26 do TSE.
5. Agravo regimental desprovido.
Decisão: O Tribunal, por unanimidade, negou provimento ao agravo regimental, nos termos do voto do Relator.
(Proc 1669-13.2014.603.0000, AgR-REspe - Agravo Regimental em Recurso Especial Eleitoral nº 166913 – Brasília/DF, Acórdão de
13/09/2016, Relator(a) Min. LUIZ FUX, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Tomo 207, Data 27/10/2016, Página 14-15)
Diante do exposto, apresentada parcialmente a documentação elencada no artigo 56 da Resolução 23.553/2017 e desobedecidas as
diretrizes traçadas pela Legislação Eleitoral pertinente, com espeque no artigo 77, inciso III, da Res.23.463/15 do Tribunal Superior Eleitoral,
julgo DESAPROVADAS as contas prestadas, determinando a suspensão de quotas do fundo partidário em favor da direção municipal da
presente agremiação pelo prazo de 6 meses.
Publique-se. Registre-se. Intime-se.
Após o trânsito em julgado, arquive-se observadas as cautelas de praxe.
Jaguaquara, 17 de Dezembro de 2018.
Bela. Andréa Padilha Sodré Leal Palmarella
Juíza Eleitoral

077ª Zona Eleitoral - BARRA

Despachos

PC: 30-24.2018.6.05.0077 - DESPACHO - 077ZE


PC: 30-24.2018.6.05.0077
D E S P A C H O
R.H.
Nos termos do § 3º do art. 34 da Resolução 23.546/2017 do TSE, intime-se o Partido Político para que, no prazo de 20 (vinte) dias, junte aos
autos instrumento de procuração de advogado.
Sem a resposta, nos termos do art. 45 da Resolução 23.546/2017 do TSE, junte aos autos, caso existam, os documentos enviados à Justiça
Eleitoral e necessários à sua análise, em seguida, dê-se vista ao Ministério Público para juntada de parecer, após, voltem-me conclusos os
autos para decisão.
Com a resposta, nos termos do art. 45 da Resolução 23.546/2017 do TSE, junte aos autos, caso existam, os documentos enviados à Justiça
Eleitoral e necessários à sua análise, em seguida, publique se edital dando ciência da apresentação em cartório da declaração de ausência de
movimentação de recursos financeiros, estabelecendo prazo de 3 (três) dias para apresentação de impugnação fundamentada.
Findo o prazo, com ou se impugnação, dê-se vista ao Ministério Público para juntada de parecer, após, voltem-me conclusos os autos para
decisão.
Barra/BA, 29 de novembro de 2018.
LETÍCIA FERNANDES SILVA FREITAS
Juíza Eleitoral da 077ª ZE

Sentenças

PETIÇÃO 42-38.2018.6.05.0077 - SENTENÇA - 077ZE


íºPETIÇÃO Nº: 42-38.2018.6.05.0077
CLASSE: 24 PETIÇÃO
REQUERENTE: JOSIANIA DA SILVA SANTOS
MUNICÍPIO: BARRA-BA.
SENTENÇA
Vistos etc.
Trata-se de procedimento administrativo da Justiça Eleitoral em que JOSIANIA DA SILVA SANTOS, devidamente identificada e qualificado
nos autos, requer CERTIDÃO DE QUITAÇÃO ELEITORAL POR TEMPO INDEFINIDO em favor de sua filha ANDRÉIA DA SILVA SANTOS.
A requerente juntou ao feito cópia de relatório médico onde se atesta que ANDRÉIA DA SILVA SANTOS sofre limitações física e mental o que
leva a presumir que a filha da requerente encontra-se incapacitada de exercer, por conta própria, responsabilidades civis.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 34

O art. 2º da Resolução 21.920/2004 do TSE regulamenta o feito, analisemos:


Resolução 21.920/2004 do TSE
[...] Art. 2º O juiz eleitoral, mediante requerimento de cidadão nas condições do parágrafo único do art. 1º ou de seu representante legal ou
procurador devidamente constituído, acompanhado de documentação comprobatória da deficiência, poderá expedir, em favor do interessado,
certidão de quitação eleitoral, com prazo de validade indeterminado.
É o breve relatório.
Decido.
Tendo em vista a documentação acostada aos autos, DEFIRO, o presente pedido no sentido de que seja exarada certidão conforme
requerida.
Proceda o Cartório Eleitoral os registros devidos.
Cumpra-se. Publique-se. Registre-se. Intime-se.
Barra, 29 de novembro de 2018.
Letícia Fernandes Silva Freitas
Juíza Eleitoral da 077ª ZE

PETIÇÃO 40-68.2018.6.05.0077 - SENTENÇA - 077ZE


íºPETIÇÃO Nº: 40-68.2018.6.05.0077
CLASSE: 24 - PETIÇÃO
REQUERENTE: APARECIDA FERREIRA DE SOUZA
MUNICÍPIO: BARRA-BA.
SENTENÇA
Vistos etc.
Trata-se de procedimento administrativo da Justiça Eleitoral em que APARECIDA FERREIRA DE SOUZA, devidamente identificada e
qualificado nos autos, requer CERTIDÃO DE QUITAÇÃO ELEITORAL POR TEMPO INDEFINIDO em favor de seu filho MAGNO ALVES
RODRIGUES FERREIRA.
A requerente juntou ao feito cópia de relatório médico onde se atesta que MAGNO ALVES RODRIGUES FERREIRA ,por inúmeros
problemas de saúde, encontra-se incapacitado de exercer, por conta própria, responsabilidades civis.
O art. 2º da Resolução 21.920/2004 do TSE regulamenta o feito, analisemos:
Resolução 21.920/2004 do TSE
[...] Art. 2º O juiz eleitoral, mediante requerimento de cidadão nas condições do parágrafo único do art. 1º ou de seu representante legal ou
procurador devidamente constituído, acompanhado de documentação comprobatória da deficiência, poderá expedir, em favor do interessado,
certidão de quitação eleitoral, com prazo de validade indeterminado.
É o breve relatório.
Decido.
Tendo em vista a documentação acostada aos autos, DEFIRO, o presente pedido no sentido de que seja exarada certidão conforme
requerida.
Proceda o Cartório Eleitoral os registros devidos.
Cumpra-se. Publique-se. Registre-se. Intime-se.
Barra, 29 de novembro de 2018.
Letícia Fernandes Silva Freitas
Juíza Eleitoral da 077ª ZE

082ª Zona Eleitoral - CÍCERO DANTAS

Sentenças

PROCESSO N.º 8-48.2018.6.05.0082


PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL PARTIDÁRIA – EXERCÍCIO FINANCEIRO 2017
PARTIDO POLÍTICO: PARTIDO DOS TRABALHADORES – PT
MUNICÍPIO: NOVO TRIUNFO/BA

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 35

ADVOGADO (A): CRISTIANE MOREIRA REIS (OAB/BA Nº 32843)


SENTENÇA
O PARTIDO DOS TRABALHADORES do município de NOVO TRIUNFO/BA apresentou prestação de contas relativas ao exercício financeiro
2017.
Certidão do Cartório Eleitoral às fls. 27.
Exame Preliminar das Peças pelo Cartório Eleitoral apontou manifesta ausência de documentos considerados elementos mínimos
necessários para a análise da movimentação e da origem dos recursos recebidos (fls. 30/31).
Intimado para complementar a documentação no prazo de 20 (vinte) dias, o órgão partidário permaneceu inerte (fls. 34/35).
Com vista dos autos, o Ministério Público Eleitoral pugnou pela declaração das contas como não prestadas (fls. 37/39).
É o relatório. Decido.
Trata-se de processo de prestação de contas anual partidária, relativamente ao exercício financeiro 2017.
Da análise dos autos, verifica-se que o partido político in casu, embora intimado para complementar a documentação da prestação de contas,
deixou transcorrer os prazos in albis.
Ante o exposto, com fundamento no art. 46, incisos IV, alínea "a", da Resolução 23.546/2017, JULGO NÃO PRESTADAS as contas do
PARTIDO DOS TRABALHADORES – PT órgão municipal de NOVO TRIUNFO/BA, relativamente ao exercício financeiro 2017.
Em consequência, fica o partido político impedido de receber a quota do fundo partidário, enquanto perdurar a omissão. (Art. 48 da Resolução
TSE n. 23.546/2017).
Além disso, determino a suspensão do registro do diretório municipal na forma do artigo 48, §2º da Resolução 23.546/2017 c/c art. 42 da
Resolução 23.571/2018 até que seja regularizada a situação.
Após o trânsito em julgado, proceda-se a anotação do julgamento no SICO, a comunicação ao TRE/BA acerca da suspensão de registro
partidário e a comunicação aos diretórios estadual e nacional do partido acerca da suspensão de repasse de fundo partidário enquanto
perdurar a omissão.
Cumpridas as determinações, adotadas as cautelas de praxe, arquivem-se os autos.
P. R. I.
Cumpra-se.
Cícero Dantas/BA, 12 de dezembro de 2018.
Leonardo Carvalho Tenório de Albuquerque
Juiz Eleitoral da 82ª Zona

PROCESSO N.º 72-58.2018.6.05.0082


PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL PARTIDÁRIA – EXERCÍCIO FINANCEIRO 2017
PARTIDO POLÍTICO: PARTIDO REPUBLICANO DA ORDEM SOCIAL - PROS
MUNICÍPIO: CÍCERO DANTAS/BA
SENTENÇA
O PARTIDO REPUBLICANO DA ORDEM SOCIAL - PROS, do município de CÍCERO DANTAS/BA, não apresentou prestação de contas
relativas ao exercício financeiro 2017.
Tendo em vista a inatividade da agremiação municipal (fls. 02/03), procedeu-se a notificação do órgão estadual do partido, que apesar de
regularmente notificado para prestar contas (fls. 09), quedou-se inerte.
Certidão do Cartório Eleitoral às fls. 10.
Com vista dos autos, o Ministério Público Eleitoral pugnou pela declaração das contas como não prestadas (fls. 14/16).
É o relatório. Decido.
Trata-se de processo de prestação de contas anual partidária, relativamente ao exercício financeiro 2017.
Da análise dos autos, verifica-se que os responsáveis pelo partido político in casu, embora intimados para apresentar prestação de contas,
deixaram transcorrer os prazos in albis (fls. 19 e 26).
Ante o exposto, com fundamento no art. 46, incisos IV, alínea "a", da Resolução 23.546/2017, JULGO NÃO PRESTADAS as contas do
PARTIDO REPUBLICANO DA ORDEM SOCIAL - PROS, órgão municipal de CÍCERO DANTAS/BA, relativamente ao exercício financeiro
2017.
Em consequência, fica o partido político impedido de receber a quota do fundo partidário, enquanto perdurar a omissão. (Art. 48 da Resolução
TSE n. 23.546/2017).
Além disso, determino a suspensão do registro do diretório municipal na forma do artigo 48, §2º da Resolução 23.546/2017 c/c art. 42 da
Resolução 23.571/2018 até que seja regularizada a situação.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 36

Após o trânsito em julgado, proceda-se a anotação do julgamento no SICO, a comunicação ao TRE/BA acerca da suspensão de registro
partidário e a comunicação aos diretórios estadual e nacional do partido acerca da suspensão de repasse de fundo partidário enquanto
perdurar a omissão.
Cumpridas as determinações, adotadas as cautelas de praxe, arquivem-se os autos.
P. R. I.
Cumpra-se.
Cícero Dantas, 12 de dezembro de 2018.
Leonardo Carvalho Tenório de Albuquerque
Juiz Eleitoral da 82ª Zona

PROCESSO N.º 77-80.2018.6.05.0082


PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL PARTIDÁRIA – EXERCÍCIO FINANCEIRO 2017
PARTIDO POLÍTICO: PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE - PSOL
MUNICÍPIO: CÍCERO DANTAS/BA
SENTENÇA
O PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE – PSOL, do município de CÍCERO DANTAS/BA não apresentou prestação de contas relativas ao
exercício financeiro 2017.
Apesar de regularmente notificado para prestar contas (fls. 06), o partido quedou-se inerte.
Certidão do Cartório Eleitoral às fls. 07.
Com vista dos autos, o Ministério Público Eleitoral pugnou pela declaração das contas como não prestadas (fls. 11/13).
É o relatório. Decido.
Trata-se de processo de prestação de contas anual partidária, relativamente ao exercício financeiro 2017.
Da análise dos autos, verifica-se que os responsáveis pelo partido político in casu, embora intimados para apresentar prestação de contas,
deixaram transcorrer os prazos in albis (fls. 16 e 23).
Ante o exposto, com fundamento no art. 46, incisos IV, alínea "a", da Resolução 23.546/2017, JULGO NÃO PRESTADAS as contas do
PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE – PSOL, órgão municipal de CÍCERO DANTAS/BA, relativamente ao exercício financeiro 2017.
Em consequência, fica o partido político impedido de receber a quota do fundo partidário, enquanto perdurar a omissão. (Art. 48 da Resolução
TSE n. 23.546/2017).
Além disso, determino a suspensão do registro do diretório municipal na forma do artigo 48, §2º da Resolução 23.546/2017 c/c art. 42 da
Resolução 23.571/2018 até que seja regularizada a situação.
Após o trânsito em julgado, proceda-se a anotação do julgamento no SICO, a comunicação ao TRE/BA acerca da suspensão de registro
partidário e a comunicação aos diretórios estadual e nacional do partido acerca da suspensão de repasse de fundo partidário enquanto
perdurar a omissão.
Cumpridas as determinações, adotadas as cautelas de praxe, arquivem-se os autos.
P. R. I.
Cumpra-se.
Cícero Dantas, 12 de dezembro de 2018.
Leonardo Carvalho Tenório de Albuquerque
Juiz Eleitoral da 82ª Zona

PROCESSO N.º 78-65.2018.6.05.0082


PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL PARTIDÁRIA – EXERCÍCIO FINANCEIRO 2017
PARTIDO POLÍTICO: PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA - PSDB
MUNICÍPIO: CÍCERO DANTAS/BA
SENTENÇA
O PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA - PSDB, do município de CÍCERO DANTAS/BA, não apresentou prestação de contas
relativas ao exercício financeiro 2017.
Tendo em vista a inatividade da agremiação municipal (fls. 02/03), procedeu-se a notificação do órgão estadual do partido, que apesar de
regularmente notificado para prestar contas (fls. 08), quedou-se inerte.
Certidão do Cartório Eleitoral às fls. 09.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 37

Com vista dos autos, o Ministério Público Eleitoral pugnou pela declaração das contas como não prestadas (fls. 13/15).
É o relatório. Decido.
Trata-se de processo de prestação de contas anual partidária, relativamente ao exercício financeiro 2017.
Da análise dos autos, verifica-se que os responsáveis pelo partido político in casu, embora intimados para apresentar prestação de contas,
deixaram transcorrer os prazos in albis (fls. 18 e 25).
Ante o exposto, com fundamento no art. 46, incisos IV, alínea "a", da Resolução 23.546/2017, JULGO NÃO PRESTADAS as contas do
PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA - PSDB, órgão municipal de CÍCERO DANTAS/BA, relativamente ao exercício financeiro
2017.
Em consequência, fica o partido político impedido de receber a quota do fundo partidário, enquanto perdurar a omissão. (Art. 48 da Resolução
TSE n. 23.546/2017).
Além disso, determino a suspensão do registro do diretório municipal na forma do artigo 48, §2º da Resolução 23.546/2017 c/c art. 42 da
Resolução 23.571/2018 até que seja regularizada a situação.
Após o trânsito em julgado, proceda-se a anotação do julgamento no SICO, a comunicação ao TRE/BA acerca da suspensão de registro
partidário e a comunicação aos diretórios estadual e nacional do partido acerca da suspensão de repasse de fundo partidário enquanto
perdurar a omissão.
Cumpridas as determinações, adotadas as cautelas de praxe, arquivem-se os autos.
P. R. I.
Cumpra-se.
Cícero Dantas, 12 de dezembro de 2018.
Leonardo Carvalho Tenório de Albuquerque
Juiz Eleitoral da 82ª Zona

PROCESSO N.º 84-72.2018.6.05.0082


PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL PARTIDÁRIA – EXERCÍCIO FINANCEIRO 2017
PARTIDO POLÍTICO: PARTIDO POPULAR SOCIALISTA - PPS
MUNICÍPIO: CÍCERO DANTAS/BA
SENTENÇA
O PARTIDO POPULAR SOCIALISTA - PPS, do município de CÍCERO DANTAS/BA, não apresentou prestação de contas relativas ao
exercício financeiro 2017.
Tendo em vista a inatividade da agremiação municipal (fls. 02/03), procedeu-se a notificação do órgão estadual do partido, que apesar de
regularmente notificado para prestar contas (fls. 09), quedou-se inerte.
Certidão do Cartório Eleitoral às fls. 10.
Com vista dos autos, o Ministério Público Eleitoral pugnou pela declaração das contas como não prestadas (fls. 14/16).
É o relatório. Decido.
Trata-se de processo de prestação de contas anual partidária, relativamente ao exercício financeiro 2017.
Da análise dos autos, verifica-se que os responsáveis pelo partido político in casu, embora intimados para apresentar prestação de contas,
deixaram transcorrer os prazos in albis (fls. 19 e 26).
Ante o exposto, com fundamento no art. 46, incisos IV, alínea "a", da Resolução 23.546/2017, JULGO NÃO PRESTADAS as contas do
PARTIDO POPULAR SOCIALISTA - PPS, órgão municipal de CÍCERO DANTAS/BA, relativamente ao exercício financeiro 2017.
Em consequência, fica o partido político impedido de receber a quota do fundo partidário, enquanto perdurar a omissão. (Art. 48 da Resolução
TSE n. 23.546/2017).
Além disso, determino a suspensão do registro do diretório municipal na forma do artigo 48, §2º da Resolução 23.546/2017 c/c art. 42 da
Resolução 23.571/2018 até que seja regularizada a situação.
Após o trânsito em julgado, proceda-se a anotação do julgamento no SICO, a comunicação ao TRE/BA acerca da suspensão de registro
partidário e a comunicação aos diretórios estadual e nacional do partido acerca da suspensão de repasse de fundo partidário enquanto
perdurar a omissão.
Cumpridas as determinações, adotadas as cautelas de praxe, arquivem-se os autos.
P. R. I.
Cumpra-se.
Cícero Dantas, 12 de dezembro de 2018.
Leonardo Carvalho Tenório de Albuquerque
Juiz Eleitoral da 82ª Zona

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 38

107ª Zona Eleitoral - SANTA TEREZINHA

Editais

DECLARAÇÃO DE AUSÊNCIA DE MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA. PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUIAS EXERCÍCIO 2017.


EDITAL Nº 29/2018
Torna pública a apresentação de Declaração de Ausência de Movimentação Financeira pelos Partidos Políticos - Exercício Financeiro – 2017.
De ordem do Excelentíssimo Doutor Carlos Roberto Silva Junior, Juiz Eleitoral da 107ª Zona Eleitoral, Município de Santa Terezinha-BA, no
uso de suas atribuições legais,
FAÇO SABER, a todos que o presente EDITAL virem, ou dele tomarem conhecimento, que foi apresentada a DECLARAÇÃO DE AUSÊNCIA
DE MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA, referente ao exercício financeiro de 2017 pelos órgãos municipais dos partidos constantes do Anexo
Único deste Edital, pertencentes ao município de Santa Terezinha cuja documentação encontra-se disponível para que qualquer interessado
possa impugnar no prazo de 03 (três) dias (Res. TSE nº 23.546/2017, art. 45, I), a contar da publicação deste Edital.
E para que chegue ao conhecimento de todos, mandou o Excelentíssimo Senhor Juiz Eleitoral expedir o presente Edital e publicá-lo no DJE.
Dado e passado neste município de Santa Terezinha/BA, em 19 de dezembro de 2018. Eu, , Nathália Bispo Varjão, Chefe Substituta do
Cartório Eleitoral, digitei e assino.

ANEXO ÚNICO
EDITAL 29/2018 /107 ZE
SANTA TEREZINHA - BA

Órgão Municipal do Partido PARTIDO DEMOCRATAS - DEM


Presidente EDSON PAULINO DA SILVA
Tesoureiro EDSON DE JESUS NASCIMENTO

Órgão Municipal do Partido PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO - PSB


Presidente JUCELINO CERQUEIRA GAMA
Tesoureiro EDINALDO FERREIRA DOS SANTOS

Órgão Municipal do Partido PARTIDO DA REPÚBLICA - PR


Presidente VALTER NOGUEIRA DE OLIVEIRA
Tesoureiro ADEVAL DA SILVA ALMEIDA

DECLARAÇÃO DE AUSÊNCIA DE MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA. PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUIAS EXERCÍCIO 2017.


EDITAL Nº 30/2018
Torna pública a apresentação de Declaração de Ausência de Movimentação Financeira pelos Partidos Políticos - Exercício Financeiro – 2017.
De ordem do Excelentíssimo Doutor Carlos Roberto Silva Junior, Juiz Eleitoral da 107ª Zona Eleitoral, Município de Santa Terezinha-BA, no
uso de suas atribuições legais,
FAÇO SABER, a todos que o presente EDITAL virem, ou dele tomarem conhecimento, que foi apresentada a DECLARAÇÃO DE AUSÊNCIA
DE MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA, referente ao exercício financeiro de 2017 pelo órgão municipal do partido constante do Anexo Único
deste Edital, pertencente ao município de Elísio Medrado cuja documentação encontra-se disponível para que qualquer interessado possa
impugnar no prazo de 03 (três) dias (Res. TSE nº 23.546/2017, art. 45, I), a contar da publicação deste Edital.
E para que chegue ao conhecimento de todos, mandou o Excelentíssimo Senhor Juiz Eleitoral expedir o presente Edital e publicá-lo no DJE.
Dado e passado neste município de Santa Terezinha/BA, em 19 de dezembro de 2018. Eu, ,Nathália Bispo Varjão, Chefe Substituta do
Cartório Eleitoral, digitei e assino.

ANEXO ÚNICO
EDITAL 30/2018 /107 ZE
ELÍSIO MEDRADO - BA

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 39

Órgão Municipal do Partido REDE SUSTENTABILIDADE


Presidente GARCIA JOSÉ DOS SANTOS
Tesoureiro JINALDO JOSÉ SILVA OLIVEIRA

114ª Zona Eleitoral - RIACHÃO DO JACUÍPE

Sentenças

EXTINÇÃO DE PUNIBILIDADE
Petição n º47-46.2018.6.05.0114 - Eleições 2012
Requeridos:: Delson Soares de Oliveira e e Leandro Silva de Lima
Município: Riachão do Jacuípe
SENTENÇA
Vistos.
Trata-se de Termo Circunstanciado de Ocorrência instaurado em face Delson Soares de Oliveira e Leandro Silva de Lima com a finalidade de
apurar a suposta prática do Crime Eleitoral de Boca de Urna, previsto no art. 39, § 5º, II, da Lei das Eleições, em 07 de outubro de 2012.
O Ministério Público manifestou-se pela ocorrência da prescrição.
É o essencial a relatar.
Decido.
O crime sob análise tem pena máxima de 01 (um) ano e aconteceu em 07 de outubro de 2012. Nos termos do art. 109, inciso V, do Código
Penal, a prescrição ocorre em quatro anos, se o máximo da pena é igual a um ano. Considerando que já decorreu prazo superior a 04 (quatro)
anos desde a ocorrência dos fatos sem a superveniência de qualquer marco interruptivo da prescrição, de rigor a extinção da pretensão
punitiva e a consequente extinção do feito
Ante o exposto, JULGO EXTINTA A PUNIBILIDADE de Delson Soares de Oliveira e Leandro Silva de Oliveira, com fundamento na
prescrição, nos arts. 107, inciso IV, e art. 109, inciso V, do Código Penal e 39, § 5º, II, da Lei das Eleições.
Publique-se. Registre-se. Intimem-se.
Ciência ao Ministério Público.
Riachão do Jacuípe, 18 de dezembro de 2018
Carla Graziela Costantino de Araújo
Juíza Eleitoral

120ª Zona Eleitoral - VALENTE

Editais

PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL PARTIDARIA


EDITAL nº 059/2018
De ordem do Excelentíssimo Sr. Dr. Marcos Adriano Silva Ledo, Juiz Eleitoral da 120ª Zona Eleitoral, Município de Valente -BA e com
abrangência no Município de São Domingos -BA, no uso de suas atribuições legais, FAÇO SABER, a todos que o presente EDITAL virem, ou
dele tomarem conhecimento, que foi apresentada a DECLARAÇÃO DE AUSÊNCIA DE MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA, referente ao
exercício financeiro de 2017 do seguinte partido:
PARTIDO MUNICÍPIO RESPONSÁVEL (Presidente)
1. PARTIDO SOCIAL DEMOCRÁTICO VALENTE JOSÉ TIMÓTIO DE ALMEIDA
A declaração apresentada se encontra disponível a qualquer interessado que, se assim quiser, poderá impugnar no prazo de 03 dias (Res.
TSE nº 23.546/2017, art. 45, I), a contar da publicação deste Edital.
E, para que chegue ao conhecimento de todos, mandou o Excelentíssimo Juiz expedir o presente Edital e publicá-lo no Diário de Justiça
Eletrônico.
Dado e passado neste Município de Valente-BA, em 18 de dezembro de 2018. Eu,(Jamile Fernandes Gomes), Chefe de Cartório, que digitei.
JAMILE FERNANDES GOMES
Chefe de Cartório da 120ª Zona Eleitoral

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 40

129ª Zona Eleitoral - CATU

Intimações

SENTENÇAS
PROCESSO n.º 54-90.2018.6.05.0129 – Classe 103
ASSUNTO: MESÁRIO FALTOSO – ELEIÇÕES 2018
MESÁRIO: DHEROID DE JESUS LAGO
INSCRIÇÃO ELEITORAL: 1005 0622 0540
SENTENÇA
Vistos,
Trata-se de procedimento administrativo instaurado para apurar a falta aos trabalhos no segundo turno das eleições em 28 de outubro de
2018, do(a) mesário(a) DHEROID DE JESUS LAGO, inscrição nº 0879 1258 0590.
Os documentos juntados às fls. 3/5 comprovam que o(a) eleitor(a) foi devidamente notificado(a), porém, não atendeu à convocação da Justiça
Eleitoral nem justificou a sua ausência no prazo de 30 dias, nos termos do Provimento nº 01/2016 – CRE.
Com vista dos autos o Ministério Público, em Parecer à fl. 25, pugnou pela aplicação das penalidades previstas no art. 124 do Código
Eleitoral.
DECIDO
No caso dos autos, verifica-se que o(a) presente eleitor(a), regularmente convocado(a) para compor a mesa receptora de votos, não se
apresentou aos trabalhos, nem justificou sua ausência no prazo legal.
Ante o exposto e consubstanciado nas informações constantes nos autos, arbitro a multa no valor de R$ 35,14 (trinta e cinco reais e catorze
centavos) pela ausência do(a) mesário(a) acima referenciado(a), nos termos do art. 124, caput, c/c o art. 367 do Código Eleitoral e, ainda, com
o art. 6º do Provimento CRE nº 01/2016.
Publique-se através do DJE. Registre-se. Intime-se o(a) mesário(a), nos termos do art. 7º, § 2º, do Prov. n.º 01/2016, para, querendo, interpor
recurso no prazo de 3 dias ou, após o decurso deste prazo, efetuar o pagamento da multa no prazo de 30 (trinta) dias, na forma do art. 7º, §3º,
do Provimento nº 01/16/CRE. Ciência ao MPE.
Decorrido o trintídio legal sem a quitação do débito, registre-se a multa em livro próprio e arquive-se o presente feito com as cautelas de
praxe.
Catu, 17 de dezembro de 2018.
DÉBORA MAGDA PERES MOREIRA
Juíza Eleitoral da 129ª Zona

PROCESSO n.º 53-08.2018.6.05.0129 – Classe 103


ASSUNTO: MESÁRIO FALTOSO – ELEIÇÕES 2018
MESÁRIO: EVANI LIMA DOS SANTOS
INSCRIÇÃO ELEITORAL: 1005 0622 0540
SENTENÇA
Vistos,
Trata-se de procedimento administrativo instaurado para apurar a falta aos trabalhos no segundo turno das eleições em 28 de outubro de
2018, do(a) mesário(a) EVANI LIMA DOS SANTOS, inscrição nº 0879 1258 0590.
Os documentos juntados às fls. 4/6 comprovam que o(a) eleitor(a) foi devidamente notificado(a), porém, não atendeu à convocação da Justiça
Eleitoral nem justificou a sua ausência no prazo de 30 dias, nos termos do Provimento nº 01/2016 – CRE.
Com vista dos autos o Ministério Público, em Parecer à fl. 25, pugnou pela aplicação das penalidades previstas no art. 124 do Código
Eleitoral.
DECIDO
No caso dos autos, verifica-se que o(a) presente eleitor(a), regularmente convocado(a) para compor a mesa receptora de votos, não se
apresentou aos trabalhos, nem justificou sua ausência no prazo legal.
Ante o exposto e consubstanciado nas informações constantes nos autos, arbitro a multa no valor de R$ 35,14 (trinta e cinco reais e catorze
centavos) pela ausência do(a) mesário(a) acima referenciado(a), nos termos do art. 124, caput, c/c o art. 367 do Código Eleitoral e, ainda, com
o art. 6º do Provimento CRE nº 01/2016.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 41

Publique-se através do DJE. Registre-se. Intime-se o(a) mesário(a), nos termos do art. 7º, § 2º, do Prov. n.º 01/2016, para, querendo, interpor
recurso no prazo de 3 dias ou, após o decurso deste prazo, efetuar o pagamento da multa no prazo de 30 (trinta) dias, na forma do art. 7º, §3º,
do Provimento nº 01/16/CRE. Ciência ao MPE.
Decorrido o trintídio legal sem a quitação do débito, registre-se a multa em livro próprio e arquive-se o presente feito com as cautelas de
praxe.
Catu, 17 de dezembro de 2018.
DÉBORA MAGDA PERES MOREIRA
Juíza Eleitoral da 129ª Zona

147ª Zona Eleitoral - ITAGIBÁ

Intimações

AÇÃO PENAL
AUTOS n.° 19-47.2016.6.05.0147
AUTOR: MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL
RÉU(S): PAULO ROBERTO SOUZA SANTOS e PEDRO DANTAS DAMASCENO JÚNIOR
ADVOGADO(S): GILCEIA DE FÁTIMA REHEM EÇA GOMES - (OAB/BA n.º 35023)
INTIMAÇÃO
DE ORDEM do MM. Juiz Eleitoral desta 147ª Zona, Exm.º Sr. Dr. Valnei Mota Alves de Souza INTIMO as partes em epígrafe da redesignação
da audiência para proposta de suspensão condicional do processo, anteriormente marcada para o dia 18/12/2018, às 10:00 horas e publicada
no DJE de 29/11/2018, que será realizada no dia 15/01/2019, às 10:30 horas, conforme trecho a seguir do despacho exarado pelo MM. Juiz
Eleitoral: “...tendo em vista a impossibilidade de comparecimento da Representante do Ministério Público Eleitoral, dos réus e de sua
defensora, redesigno a presente audiência para o dia 15/01/2019, às 10:30 horas. Intimações necessárias...”.
Itagibá(BA), 18/12/2018.
Fidélis Sampaio Neto
Chefe de Cartório

149ª Zona Eleitoral - ITIÚBA

Sentenças

intimação
PRESTAÇÃO DE CONTAS- ELEIÇÕES 2016
Processo nº 601-41.2016.6.05.0149
Prestador: EMANUEL ALMEIDA NETO
Advogado: Dr. DEUSDETE BARBOSA DA SILVA FILHO, OAB/BA nº 44.949.

SENTENÇA
Vistos etc.
Trata-se de Prestação de Contas de Campanha da eleição de 2016 do Candidato a Prefeito, EMANUEL ALMEIDA NETO.
Foi juntado aos autos, procedimento administrativo instaurado pelo MPE, com o intuito de perquirir se as despesas/ doações ali apontadas,
constam, regularmente, na prestação de contas referidas nessa investigação, às fls. 82/119.
Em análise técnica, o analista das contas emitiu parecer pela aprovação com ressalvas.
Instado a se manifestar, o representante do Ministério Público manifestou-se pela desaprovação das contas de campanha.
Devidamente intimado para se manifestar, o prestador quedou-se inerte.
Os autos vieram conclusos.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 42

É o relatório. Decido.
Os presentes autos têm como objeto, em cumprimento ao que dispõe a Lei n. 9.504/1997 e a Resolução TSE n. 23.463/2015, a análise das
contas de campanha de candidato ao cargo de vereador.
O art. 41 da mencionada Resolução estabelece que os candidatos e os órgãos partidários têm o dever de prestar contas, acrescentando, o
art. 45, que as contas finais devem ser prestadas ao juízo eleitoral até o dia 1° de novembro de 2016.
Ora, no caso em questão, constata-se que as contas foram apresentadas dentro do prazo, estão acompanhadas das peças mínimas exigidas
na legislação eleitoral em vigor, tendo sido firmadas por advogado regularmente constituído, o que permite o exame das peças dirigidas ao
Juízo Eleitoral.
Do confronto dos elementos dos autos com base de dados internas e externas, verifica-se o cumprimento dos requisitos legais para a
arrecadação de recursos e a realização de despesas, não se detectando irregularidades graves a motivar a desaprovação das contas, mas
apenas falhas que não comprometem a regularidade das contas. No procedimento juntado aos autos pelo MP, há apenas à menção do nome
do candidato, no depoimento de Dinivaldo Nunes, às fls. 97, onde ele afirma que “ajudou o filho do Netinho, que se candidatou a prefeito,
vindo uma viagem para o mesmo, de graça também, que ajuda para poder receber ajuda em caso de seu carro quebrar nas estradas”.
Com efeito, dispõe o art. 69 da Resolução TSE nº 23.463/2015: Art. 69. Erros formais e materiais corrigidos ou tidos como irrelevantes no
conjunto da prestação de contas não ensejam sua desaprovação e aplicação de sanção (Lei nº 9.504/1997, art. 30, §§ 2º e 2º-A).
Ante o exposto, diante das informações coletadas, ausentes inconsistências que comprometam a consistência e confiabilidade das contas,
mas a mera omissão na prestação de contas da doação de uma viagem com o transporte do Sr. Dinivaldo Nunes, julgo APROVADAS COM
RESSALVAS AS CONTAS prestadas pelo candidato EMANUEL ALMEIDA NETO, com fundamento no art. 30, inciso II, da Lei n. 9.504/1997,
e art. 68, II, da Resolução TSE n. 23.463/2015.
Publique-se. Registre-se. Intime-se.
Após, promovam-se os andamentos de praxe, inclusive com a anotação do resultado do julgamento no SICO, e, com trânsito em julgado,
arquivem-se os autos.
Itiúba, 14 de dezembro de 2018.
TARDELLI CERQUEIRA BOAVENTURA
Juiz Eleitoral

intimação
PRESTAÇÃO DE CONTAS- EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2017
Processo nº 37-91.2018.6.05.0149
Prestador: PARTIDO VERDE
Município: ITIÚBA/BA
Advogado: Dr. JOSEMAR SANTANA, OAB/BA nº 18.783
SENTENÇA
Vistos etc.
Trata-se de Prestação de Contas do exercício financeiro de 2017 apresentada pelo Partido Verde do Município de Itiúba.
Conforme procedimento previsto no art. 31, parágrafo terceiro e seguintes da Res. TSE nº 23.464/2015, foi publicado edital e abriu-se prazo
para impugnação e demais providências, o qual transcorreu in albis, conforme certificado nos autos.
Em análise técnica, o analista das contas emitiu parecer pela aprovação com ressalvas, uma vez que foram identificadas irregularidades que
não violam a constituição e normais legais ou regulamentares.
Por fim, o Ministério Público opinou pela aprovação das contas com ressalvas, uma vez que não foram encontradas irregularidades GRAVES,
segundo a regulamentação da Lei nº 9.504/97
É o relatório. Decido.
Durante a análise da documentação apresentada, algumas impropriedades foram constatadas. Porém, tais pendências não comprometem a
prestação de contas, uma vez que com base no sistema e com a prestação das contas do partido, verifica-se que as irregularidades não são
graves. Vale salientar que, publicado o edital, não houve impugnação e, submetidos os autos à fiscalização do Parquet, este opinou pela
aprovação das contas com ressalvas.
Diante do exposto, com fulcro na Lei n.º 9.096/95 e na Resolução TSE n.º 23.464/2015, julgo para todos os efeitos PRESTADAS e
APROVADAS COM RESSALVAS as contas, referentes ao exercício financeiro de 2017, do PARTIDO VERDE.
Publique-se. Registre-se. Intimem-se. Façam os registros necessários.
Ciência ao Ministério Público Eleitoral.
Após o trânsito em julgado, arquivem-se os autos com as cautelas de praxe.
Itiúba, 13 de dezembro de 2018.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 43

TARDELLI CERQUEIRA BOAVENTURA


Juiz Eleitoral

intimação
PRESTAÇÃO DE CONTAS- ELEIÇÕES 2016
Processo nº 574-58.2016.6.05.0149
Prestador: VALMIR FERREIRA DE SOUZA

SENTENÇA
Vistos etc.
O Candidato ao cargo de Vereador, Valmir Ferreira de Souza, do município de Filadélfia, apresentou, a este Juízo, a sua prestação de contas
de campanha relativamente ao pleito de 2016, sem o instrumento de mandato para constituição de advogado.
Foi expedido mandado de intimação, porém, conforme certidão de fl. 11V, o oficial de justiça AD HOC não conseguiu encontrá-lo e os vizinhos
informaram que ele mora no Estado de São Paulo.
O Ministério Público Eleitoral emitiu parecer manifestando-se pelo julgamento das contas como não prestadas.
É o relatório. Decido.
Do exame dos autos, verifico que o candidato, apesar da obrigatoriedade legal, não apresentou procuração de advogado.
A prestação de contas caracteriza-se como processo judicial, sendo imprescindível a apresentação de instrumento de mandato para
constituição e acompanhamento por advogado, consoante alínea f do inciso II do art. 48 da Resolução 23.463/2015 do TSE. c/c art. 133 da
Constituição Federal. Para que a Justiça Eleitoral possa exercer efetivo controle sobre a regularidade da movimentação financeira apresenta-
se necessária a regular prestação das contas pelo candidato. A não constituição de advogado implica no julgamento das contas como não
prestadas.
Esse é o entendimento dos nossos tribunais:
ELEIÇÕES 2014. PRESTAÇÃO DE CONTAS. LEGITIMIDADE PROCESSUAL. INTIMAÇÃO. NÃO CONSTITUIÇÃO DE ADVOGADO.
CONTAS NÃO PRESTADAS. INSTRUÇÃO. COMPETÊNCIA. TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL. 1. Somente o Tribunal Superior Eleitoral
detém competência para regulamentar o processo eleitoral, não devendo ser reconhecida validade à instrução que regulamenta o processo de
prestação de contas no âmbito de Tribunal Regional Eleitoral. A unicidade do direito eleitoral em todo o território nacional impede que as
Cortes Regionais, ainda que com induvidosos bons propósitos, editem ato normativo para regulamentar a legislação vigente. Precedentes. 2.
O processo de prestação de contas, a partir da edição da Lei nº 12.034/2009, adquiriu natureza jurisdicional, sendo obrigatória, portanto, a
representação da parte em juízo por advogado devidamente constituído. 3. Nos termos da legislação processual, não sendo atendido o
despacho para a regularização da representação processual pelo autor no prazo determinado, o feito deve ser extinto sem o julgamento do
mérito. 4. Nessa hipótese, as contas são reputadas como não apresentadas, pois o resultado do julgamento decorre da ausência de
pressuposto de constituição e de desenvolvimento válido e regular do processo, por falta de capacidade postulatória, que impede o exame do
mérito da pretensão deduzida em juízo, quando não sanado no prazo determinado.
Recurso especial não provido. (Recurso Especial Eleitoral n. 213773, Acórdão de 01.7.2016, Relator Min. HENRIQUE NEVES DA SILVA,
Publicação: DJE - Diário de Justiça Eletrônico, Data 19.8.2016, Página 125-126.) Prestação de contas de campanha. Partido político. Caráter
jurisdicional.
Isto posto, JULGO NÃO PRESTADAS a prestação de contas de campanha do candidato VALMIR FERREIRA DE SOUZA, referente às
eleições de 2016, para que produza os seus legais e jurídicos efeitos, com aplicação do disposto no art. 73, inciso I, da Resolução
23.463/2015 do TSE
Proceda o Cartório Eleitoral aos lançamentos devidos nos programas pertinentes e as comunicações necessárias.
Após o trânsito em julgado, arquive-se os autos com baixa.
Publique-se. Registre-se. Intime-se
Itiúba, 14 de dezembro de 2018.
TARDELLI CERQUEIRA BOAVENTURA
Juiz Eleitoral

intimação
PRESTAÇÃO DE CONTAS- EXERCÍCIO FINANCEIRO 2015
Processo nº 12-78.2018.6.05.0149
Prestador: PARTIDO SOLIDARIEDADE
Município: Ponto Novo/BA

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 44

SENTENÇA
Vistos etc.
A DIRETÓRIO MUNICIPAL DO PARTIDO SOLIDARIEDADE, do município de PONTO NOVO/BA, EXTEMPORANEAMENTE apresentou, a
este Juízo, a sua prestação de contas relativamente ao exercício financeiro de 2015.
Publicado edital, transcorreu o prazo legal sem impugnação.
O responsável legal do referido partido foi devidamente intimado para apresentação de procuração, porém quedou-se inerte.
O analista de contas apresentou parecer opinando pela desaprovação da presente prestação de contas.
O Ministério Público Eleitoral emitiu parecer manifestando-se pelo julgamento das contas como não prestadas.
É o relatório. Decido.
Do exame dos autos, verifico que o Partido Político em análise na esfera municipal, apesar da obrigatoriedade legal e de devidamente
intimado, permaneceu omisso quanto a regular constituição de advogado na prestação de contas.
A prestação de contas caracteriza-se como processo judicial, sendo imprescindível a apresentação de instrumento de mandato para
constituição e acompanhamento por advogado, consoante alínea f do inciso II do art. 48 da Resolução 23.463/2015 do TSE. c/c art. 133 da
Constituição Federal. Para que a Justiça Eleitoral possa exercer efetivo controle sobre a regularidade da movimentação financeira apresenta-
se necessária a regular prestação das contas pelo partido. A não constituição de advogado implica no julgamento das contas como não
prestadas.
Esse é o entendimento dos nossos tribunais:
ELEIÇÕES 2014. PRESTAÇÃO DE CONTAS. LEGITIMIDADE PROCESSUAL. INTIMAÇÃO. NÃO CONSTITUIÇÃO DE ADVOGADO.
CONTAS NÃO PRESTADAS. INSTRUÇÃO. COMPETÊNCIA. TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL. 1. Somente o Tribunal Superior Eleitoral
detém competência para regulamentar o processo eleitoral, não devendo ser reconhecida validade à instrução que regulamenta o processo de
prestação de contas no âmbito de Tribunal Regional Eleitoral. A unicidade do direito eleitoral em todo o território nacional impede que as
Cortes Regionais, ainda que com induvidosos bons propósitos, editem ato normativo para regulamentar a legislação vigente. Precedentes. 2.
O processo de prestação de contas, a partir da edição da Lei nº 12.034/2009, adquiriu natureza jurisdicional, sendo obrigatória, portanto, a
representação da parte em juízo por advogado devidamente constituído. 3. Nos termos da legislação processual, não sendo atendido o
despacho para a regularização da representação processual pelo autor no prazo determinado, o feito deve ser extinto sem o julgamento do
mérito. 4. Nessa hipótese, as contas são reputadas como não apresentadas, pois o resultado do julgamento decorre da ausência de
pressuposto de constituição e de desenvolvimento válido e regular do processo, por falta de capacidade postulatória, que impede o exame do
mérito da pretensão deduzida em juízo, quando não sanado no prazo determinado.
Recurso especial não provido. (Recurso Especial Eleitoral n. 213773, Acórdão de 01.7.2016, Relator Min. HENRIQUE NEVES DA SILVA,
Publicação: DJE - Diário de Justiça Eletrônico, Data 19.8.2016, Página 125-126.) Prestação de contas de campanha. Partido político. Caráter
jurisdicional.
Isto posto, JULGO NÃO PRESTADAS a prestação de contas do exercício financeiro de 2015, do PARTIDO SOLIDARIEDADE, do Município
de Ponto Novo/Ba, para que produza os seus legais e jurídicos efeitos, com aplicação do disposto no art. 47, parágrafo segundo, da
Resolução 23.432/2014 do TSE
Proceda o Cartório Eleitoral aos lançamentos devidos nos programas pertinentes e as comunicações necessárias.
Após o trânsito em julgado, arquive-se os autos com baixa.
Publique-se. Registre-se. Intime-se
Itiúba, 14 de dezembro de 2018.
TARDELLI CERQUEIRA BOAVENTURA
Juiz Eleitoral

intimação
PRESTAÇÃO DE CONTAS- EXERCÍCIO FINANCEIRO 2016
Processo nº 68.48.2017.05.0149
Prestador: PARTIDO COMUNISTA DO BRASIL
Município: Itiúba
Advogado: Dr. Tarcisio de Andrade Bernardo, OAB/BA nº 20.495

SENTENÇA
Vistos etc.
Trata-se de prestação de contas apresentada pelo PARTIDO COMUNISTA DO BRASIL do órgão municipal de Itiúba/BA, referente ao
exercício financeiro de 2016, consoante autoriza o § 4º do art. 32 da Lei 9.096/95 (Lei dos Partidos Políticos) e obedecendo a Resolução nº
23.464/2015 – TSE que diz que o partido político deve apresentar a sua prestação de contas a Justiça Eleitoral anualmente até 30 de abril do
ano subsequente.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 45

Houve manifestação técnica do Cartório Eleitoral (fl. 26), considerando para todos efeitos prestadas e aprovadas as contas do órgão
municipal.
O Ministério Público Eleitoral pugnou pela aprovação das contas sem ressalvas (fl.28).
É o relatório. Decido.
Ante o exposto JULGO PRESTADAS E APROVADAS AS CONTAS do PARTIDO COMUNISTA DO BRASIL referente ao período de
01/01/2016 a 31/12/2016, com base no art. 46, inciso I, da Resolução nº 23.464/2015 – TSE, para que produza os efeitos jurídicos e legais.
Publique-se. Registre-se. Intimem-se.
Ciência ao Ministério Público Eleitoral.
Anote-se o julgamento no SICO.
Em seguida, após o trânsito em julgado, arquivem-se os autos.
Itiúba, 14 de dezembro de 2018.
TARDELLI CERQUEIRA BOAVENTURA
Juiz Eleitoral

intimação
PRESTAÇÃO DE CONTAS- ELEIÇÕES 2016
Processo nº 583.20.2016.05.0149
Prestador: EDVALDO MANOEL REIS
Advogado: Dr. Josemar Santana OAB/BA nº 18.783

SENTENÇA
Vistos etc.
EDVALDO MANOEL REIS, candidato ao cargo de Prefeito, pelo Partido PSC nas eleições municipais de 2016, em Filadélfia/Ba, apresentou a
Prestação de Contas de Campanha dentro do prazo estabelecido pela Resolução TSE nº 23.463/2015.
Às fls. 14/28, foram detectadas indícios de irregularidades no Relatório de Conhecimento da presente prestação de contas.
Devidamente intimado para se manifestar, o candidato Edvaldo Manoel Reis apresentou petição, às fls. 31/39, justificando os apontamentos
contidos no Relatório de Conhecimento, demonstrando a regularidade da movimentação financeira do candidato.
Feita a análise técnica pela Unidade Técnica, sugeriu-se a aprovação das contas em questão.
O representante do Ministério Público Eleitoral manifestou-se opinando pela aprovação da presente prestação de contas, uma vez que o
candidato apresentou as contas em conformidade com a legislação aplicável (Lei nº 9.504/97 e Res. TSE nº 23.463/2015).
É o relatório. Decido.
Da análise dos autos depreende-se que o requerente preencheu os requisitos dispostos na Resolução TSE nº 23.463/2015.
Isto posto, considerando-se que não restou caracterizada nenhuma falha na Prestação em apreço, e em conformidade com o parecer
ministerial, JULGO APROVADAS as contas do candidato, EDVALDO MANOEL REIS, conforme art. 68, I da Resolução do TSE nº
23.463/2015.
Publique-se. Registre-se. Intime-se.
Itiúba, 14 de dezembro de 2018.
TARDELLI CERQUEIRA BOAVENTURA
Juiz Eleitoral

153ª Zona Eleitoral - MEDEIROS NETO

Editais

RAE's DEFERIDOS
EDITAL Nº 58/2018
De ordem da Excelentíssima Senhora Drª. Adriana Tavares Lira, MM. Juíza Eleitoral em exercício nessa Zona, no uso de suas atribuições
legais, e em cumprimento ao disposto pelo art. 57 da lei n. 4.737, art.17 da Resolução TSE n. 21.538/03 e art. 35, IX da Resolução
Administrativa n.º 07/2001 do Tribunal Regional Eleitoral do estado da Bahia.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 46

TORNO PÚBLICO, a quem interessar possa, notadamente aos partidos políticos, bem assim aos seus filiados, e o representante do Ministério
Público, que requereram e obtiveram deferimento de ALISTAMENTO, TRANSFERÊNCIAS, REVISÕES E SEGUNDAS VIAS, nos municípios
de Medeiros Neto, Lajedão e Ibirapuã, no período compreendido entre 30/05/2018 a 14/12/2018 (Lotes 18/2018, 19/2018, 20/2018, 21/2018,
22/2018 e 23/2018), as pessoas constantes da listagem geral disponível em cartório. Os interessados poderão apresentar impugnações, nos
termos dos arts. 45 § 6, art. 52 § 2, art. 57 caput e § 2, art. 77, II, todos do Código Eleitoral; e a Lei nº 6.6996/82, art. 7, §1º.
E, para que chegue ao conhecimento dos interessados, mandou expedir o presente EDITAL, que será afixado no local de costume, bem como
publicado no Diário Eletrônico da Justiça Eleitoral - DJE
Dado e passado nesta cidade e Comarca de Medeiros Neto, em 18 de dezembro de 2018. Eu, Carolina Lopes Lino, Analista Judiciário,
preparei e conferi o presente edital, de ordem da M.M Juíza Eleitoral.
Medeiros Neto/BA, 18 de dezembro de 2018.
CAROLINA LOPES LINO
ANALISTA JUDICIÁRIO / 153ª ZE

EDITAL N.º 59/2018


A Excelentíssima Senhora Drª. Adriana Tavares Lira, MM. Juíza Eleitoral em exercício nesta Zona, no uso de suas atribuições legais e em
conformidade com o disposto na Lei n.º 9.096/95, alterada pela Lei n.º 9.504/1997, Resolução TSE N.º 23.117/2009 e Provimento n.º 11/2018-
CGE,
TORNA PÚBLICO, a todos quantos o presente edital virem ou dele tiverem ciência, que se encontra afixado no mural do Cartório Eleitoral
cronograma para tratamento de dados sobre filiação partidária referente ao segundo semestre de 2018, aprovado pelo Provimento 11-
CGE/2018.
E, para que chegue ao conhecimento de todos, e a quem interessar possa, mandou a Senhora Doutora Juíza Eleitoral publicar o presente
Edital, que vai afixado no local de costume, bem como publicado no Diário da Justiça Eletrônico - DJE.
Dado e passado nesta cidade de Medeiros Neto, aos 19 (dezenove) dias do mês de dezembro do ano de 2018. Eu, Daniel Rodrigues,
preparei, conferi e subscrevo o presente por ordem da MM Juíza Eleitoral, Drª. Adriana Tavares Lira.
Medeiros Neto, 19 de dezembro de 2018.
DANIEL RODRIGUES / CHEFE DE CARTÓRIO DA 153ª ZE

Despachos

INTIMAÇÃO - PRESTAÇÃO DE CONTAS - ELEIÇÕES 2018


PRESTAÇÃO DE CONTAS – ELEIÇÕES 2018
Processo Autos nº 59-40.2018.6.05.0153
REQUERENTE: Partido dos Trabalhadores – PT
REQUERENTE: Juscelino Alves dos Santos, Presidente do PT
REQUERENTE: Valdomiro Dias de Jesus, Secretário de Finanças do PT
ADVOGADO: Thaironi Sarmento Figueiredo, OAB/BA 31036
MUNICÍPIO: Lajedão/BA.
DESPACHO
Vistos, etc.
1. Tendo em vista o relatório preliminar, às fls. 20, intime-se o Partido, na pessoa de seu advogado, para que, no prazo de 03 (três) dias,
apresente esclarecimentos acerca da conta bancária do órgão partidário municipal e junte aos autos os extratos bancários, se for o caso.
2. Posteriormente, proceda-se à análise técnica conclusiva das contas.
Medeiros Neto/BA, 19 de dezembro de 2018.
ADRIANA TAVARES LIRA
Juíza Eleitoral em exercício
153ª ZE/BA

INTIMAÇÃO - PRESTAÇÃO DE CONTAS - ELEIÇÕES 2018


PRESTAÇÃO DE CONTAS – ELEIÇÕES 2018
Processo Autos nº 89-75.2018.6.05.0153
REQUERENTE: Partido dos Trabalhadores – PT

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 47

REQUERENTE: Edenilde Soares Costa, Presidente do PT


REQUERENTE: Lourdes Solivania Borges Ferraz, Secretária de Finanças do PT
ADVOGADO: Thaironi Sarmento Figueiredo, OAB/BA 31036
MUNICÍPIO: Medeiros Neto/BA.
DESPACHO
Vistos, etc.
1. Tendo em vista o relatório preliminar, às fls. 20, intime-se o Partido, na pessoa de seu advogado, para que, no prazo de 03 (três) dias,
apresente esclarecimentos acerca da conta bancária do órgão partidário municipal e junte aos autos os extratos bancários, se for o caso.
2. Posteriormente, proceda-se à análise técnica conclusiva das contas.
Medeiros Neto/BA, 19 de dezembro de 2018.
ADRIANA TAVARES LIRA
Juíza Eleitoral em exercício
153ª ZE/BA

166ª Zona Eleitoral - BUERAREMA

Sentenças

Sentença Proc. 66-90.2018.6.05,166


Poder Judiciário
Tribunal regional eleitoral DA BAHIA
JUÍZO ELEITORAL DA 166ª ZONA - BUERAREMA - BA
Proc. 66-90.2018.605.0166
SENTENÇA
JOSÉ AGNALDO BARRETO DOS ANJOS e JOSÉ PINHEIRO DE OLIVEIRA JÚNIOR, já qualificados, através de advogada legalmente
constituída, ingressaram com a presente AÇÃO DECLARATÓRIA DE NULIDADE, objetivando a anulação de atos judiciais pelos fatos e
fundamentos que passo a expor:
Informam, os requerentes que apresentaram conjuntamente, 01/11/2016, documentação relativa à prestação de contas de campanha eleitoral,
em cumprimento ao quanto estabelecido no artigo 45 da Resolução 23.463/2015 TSE.
Alega a exordial que os requerentes, na ação de prestação de contas, não foram notificados pessoalmente conforme determina o art. 84, I §
3º Resolução 23.463/2015 TSE.
Requer ao final a declaração de nulidade da sentença que considera as contas dos requerentes como NÃO PRESTADAS, haja visto o
reconhecimento de vício insanável, dado pela ausência de notificação válida dos atos processuais.
Juntou aos autos os documentos de fls. 19/74.
O MP, em promoção, manifestou-se favoravelmente ao pedido, opinando que devem ser declarados nulos todos os atos praticados a partir
das fls. 22 dos autos de prestação de contas, fls. 83/85.
Vieram-me conclusos os autos, para os fins de direito.
É o Relatório. Decido.
O feito comporta julgamento no estado em que se encontra, sendo desnecessária a produção de outras provas, além daquelas que já
constam dos autos.
A via eleita consiste em querela nullitatis insanabilis, a qual, embora sem previsão legal, é admitida excepcionalmente pela doutrina e pela
jurisprudência pátria. Tem caráter subsidiário e só é reconhecida quando tiver por objeto defeito ou nulidade insanável de procedimento na
ação questionada, consistente em pressupostos de existência da relação processual ou de pressuposto de constituição e de desenvolvimento
válido e regular do processo.
Pois bem, alegam os requerentes, que na ação de prestação de contas, não foram notificados pessoalmente conforme determina o art. 84, I
§ 3º Resolução 23.463/2015 TSE, ocasionando vício insanável no processo originário.
Compulsando os autos infere-se às fls. 46, juntamente com a certidão acostada pelo oficial de justiça às fls. 81 que os requerentes não foram
notificados pessoalmente, sendo que a rubrica que consta no documento de fls. 46, é de Tiago dos Santos Anjos filho do requerente José
Agnaldo Barreto dos Anjos.
O art. 84 da Resolução 23.463/2015 TSE regulamenta a matéria, sob análise:
Art. 84. As intimações relativas aos processos de prestação de contas devem ser realizadas na pessoa do advogado constituído pelo partido
político ou pelo candidato, devendo abranger:

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 48

I - na hipótese de prestação de contas de candidato à eleição majoritária, o titular e o vice-prefeito, ainda que substituídos, na pessoa de seus
advogados;
II - na hipótese de prestação de contas relativa à eleição proporcional, o candidato, na pessoa de seu advogado;
III - na hipótese de prestação de contas de órgão partidário, o partido e os dirigentes responsáveis, na pessoa de seus advogados.
§ 1º Na prestação de contas de candidato eleito e de seu respectivo partido, a intimação de que trata este artigo deve ser realizada,
preferencialmente, por edital eletrônico, podendo, também, ser feita por meio de fac-símile.
§ 2º Na prestação de contas de candidato não eleito, a intimação deve ser realizada pelo órgão oficial de imprensa. Se não houver na
localidade publicação em órgão oficial, incumbirá ao escrivão ou chefe do Cartório Eleitoral intimar o advogado:
I - pessoalmente, se tiver domicílio na sede do Juízo;
II - por carta registrada com aviso de recebimento, quando for domiciliado fora do Juízo.
§ 3º Na hipótese de não haver advogado regularmente constituído nos autos, o candidato e/ou partido político devem ser notificados
pessoalmente na forma do art. 8º da resolução que dispõe sobre as representações e reclamações para as eleições de 2016, para que, no
prazo de três dias constitua defensor.
Os atos de comunicações judiciais, tais como as citações e intimações, são garantias do princípio do contraditório, daí a acentuação
incomum do seu rigor formal. A falta de intimação válida assume significativa relevância, porquanto a sentença que venha a ser proferida em
detrimento dela consistiu verdadeira violência ao seu direito.
Assim, ante a flagrante inobservância das formalidades previstas na Resolução 23.463/2015 TSE, que consistem em pressupostos de
constituição e de desenvolvimento válido e regular do processo, impõe-se a procedência da ação.
Pelo exposto, atento ao que mais dos autos consta e aos princípios de Direito aplicáveis à espécie, JULGO PROCEDENTE A AÇÃO para
ANULAR os atos judiciais praticados no processo de prestação de contas em apenso de nº 550-76.2016.6.05.0166 a partir das fls. 19 dos
autos.
Publique-se, Registre-se e Intimem-se.
Com o trânsito em julgado, traslade-se cópia desta sentença aos autos originários para desentranhamento dos atos anulados mediante
certidão e posterior prosseguimento regular do feito.
Buerarema, 11 de dezembro de 2018.
Antônio Carlos Maldonado Bertacco
Juiz Eleitoral

177ª Zona Eleitoral - TREMEDAL

Despachos

.
PROCESSO Nº 96-92.2018.605.0177
COMPOSIÇÃO DE MESA RECEPTORA
INTERESSADO: ALEX GOMES DE ALBUQUERQUE
DESPACHO
Dêem-se vistas ao Ministério Público Eleitoral para manifestação no prazo de 05 (cinco) dias.
Tremedal/BA, 17/12/2018
Dr. Aderaldo de Morais Leite Júnior
Juiz Eleitoral
PROCESSO Nº 97-77.2018.605.0177
COMPOSIÇÃO DE MESA RECEPTORA
INTERESSADO: ENOI DE JESUS VIANA
DESPACHO
Dêem-se vistas ao Ministério Público Eleitoral para manifestação no prazo de 05 (cinco) dias.
Tremedal/BA, 17/12/2018
Dr. Aderaldo de Morais Leite Júnior
Juiz Eleitoral

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 49

MESÁRIOS FALTOSOS
PROCESSO Nº 59-65.2018.605.0177
COMPOSIÇÃO DE MESA RECEPTORA
INTERESSADO: JULIO DIAS SILVA
DESPACHO
Dêem-se vistas ao Ministério Público Eleitoral para manifestação no prazo de 05 (cinco) dias.
Tremedal/BA, 30/11/2018
Dr. Aderaldo de Morais Leite Júnior
Juiz Eleitoral
PROCESSO Nº 58-80.2018.605.0177
COMPOSIÇÃO DE MESA RECEPTORA
INTERESSADO: THIAGO LIMA PEREIRA
DESPACHO
Dêem-se vistas ao Ministério Público Eleitoral para manifestação no prazo de 05 (cinco) dias.
Tremedal/BA, 30/11/2018
Dr. Aderaldo de Morais Leite Júnior
Juiz Eleitoral
PROCESSO Nº 60-50.2018.605.0177
COMPOSIÇÃO DE MESA RECEPTORA
INTERESSADO: RAFAENE SANTOS ROCHA
DESPACHO
Dêem-se vistas ao Ministério Público Eleitoral para manifestação no prazo de 05 (cinco) dias.
Tremedal/BA, 30/11/2018
Dr. Aderaldo de Morais Leite Júnior
Juiz Eleitoral
PROCESSO Nº 61-35.2018.605.0177
COMPOSIÇÃO DE MESA RECEPTORA
INTERESSADO: LUIZ FELIPE OLIVEIRA CARVALHO
DESPACHO
Dêem-se vistas ao Ministério Público Eleitoral para manifestação no prazo de 05 (cinco) dias.
Tremedal/BA, 30/11/2018
Dr. Aderaldo de Morais Leite Júnior
Juiz Eleitoral
PROCESSO Nº 62-20.2018.605.0177
COMPOSIÇÃO DE MESA RECEPTORA
INTERESSADO: PAULO ROCHA MATOS
DESPACHO
Dêem-se vistas ao Ministério Público Eleitoral para manifestação no prazo de 05 (cinco) dias.
Tremedal/BA, 30/11/2018
Dr. Aderaldo de Morais Leite Júnior
Juiz Eleitoral

.
Processo Administrativo nº 57-37.2014.605.0177
Irregularidade de propaganda eleitoral

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 50

Candidato: Jorge José Santos Pereira Solla


Advogado: Neomar Rodrigues Dias Filho OAB/BA 42.808
DESPACHO
Notifique-se o devedor JORGE JOSÉ SANTOS PEREIRA SOLLA para que efetue o pagamento das parcelas vencidas, no prazo de cinco
dias, dando-lhe ciência de que a falta de pagamento de mais uma parcela implicará na rescisão do parcelamento e a remessa de certidão do
débito à Procuradoria da Fazenda Nacional para inscrição da dívida ativa.
Tremedal, _____/____//2018.
Aderaldo de Morais Leite Junior
Juiz Eleitoral
PROTOCOLO Nº 48.289/2018
PSB – 40 – TREMEDAL
DESPACHO
Determino ao cartório que adote as providências que se fizerem necessárias para a imediata suspensão do repasse das quotas do Fundo
Partidário ao partido em comento e promova a autuação desta informação, na classe processual de prestação de contas em nome do órgão
partidário e de seus responsáveis;
Após análise dos mandados de notificação acostados, verifico a regularidade das notificações ao presidente e ao tesoureiro da comissão
provisória/diretório municipal e estadual;
Persistindo a não apresentação das contas, conforme dispõe o art. 30, inciso VI da Resolução-TSE nº 23.546/2017, determino
sucessivamente ao cartório eleitoral as seguintes providências:
1. a comunicação ao diretório nacional e regional do Partido em questão para que adote as providências que se fizerem necessárias para a
imediata suspensão do repasse das quotas do Fundo Partidário ao partido em comento;
2.a juntada dos extratos bancários que tenham sido enviados para a Justiça Eleitoral, na forma do § 2º do art. 6º da Resolução-TSE nº
23.546/2017;
3. a colheita e certificação nos autos das informações obtidas nos outros órgãos da Justiça Eleitoral sobre a eventual emissão de recibos de
doação e registros de repasse ou distribuição de recursos do Fundo Partidário;
4. a oitiva do Ministério Público Eleitoral, no prazo de 5 (cinco) dias;
5. a intimação dos interessados para se manifestar sobre as informações e documentos apresentados nos autos, no prazo de 3 (três) dias;
Caso haja a apresentação das contas partidárias pelo órgão partidário ou de seus responsáveis, proceda-se a análise conforme art. 31 e
seguintes da Resolução-TSE nº 23.546/2017;
6. Após, voltem os autos conclusos.
Tremedal/BA, ____/____/2018
Dr. Aderaldo de Morais Leite Júnior
Juiz Eleitoral

184ª Zona Eleitoral - SÃO FELIPE

Editais

EDITAL
EDITAL Nº 96/2018
PRAZO: 03 DIAS
A Excelentíssima Senhora Doutora MARINEIS FREITAS CERQUEIRA, Juíza desta 184ª Zona Eleitoral, no uso de suas atribuições legais e
em conformidade com o disposto no art. 183 da Resolução TSE n.º 23.456/2015.
FAZ SABER, que a relação dos eleitores agrupados em coincidência em virtude do batimento realizado pelo Tribunal Superior Eleitoral, em
30/11/2018, encontra-se publicada em cartório para consulta pelos interessados.
E para que chegue ao conhecimento de quem interessar possa, mandou a Excelentíssima Senhora Juíza Eleitoral publicar o presente Edital,
que será afixado no local de costume e publicado no Diário de Justiça Eletrônico do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia.
Dado e passado nesta cidade, aos dezoito dias do mês de dezembro do ano de 2018. Eu, Alfredo Paixão de Oliveira __________________,
Chefe de Cartório desta 184ª Zona, subscrevo.
MARINEIS FREITAS CERQUEIRA
Juíza Eleitoral

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 51

Sentenças

INTIMAÇÃO PARA CIÊNCIA DE SENTENÇA


AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL POR ABUSO DO PODER ECONÔMICO
PROC n.º 42-08.2018.6.05.0184
Autor: MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL INVESTIGADO: JOSÉ CARLOS DE ANDRADE SANTOS
SENTENCA
AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL - art. 22, da Lei Complementar n.º 64/90. ABUSO DE PODER ECONÔMICO. VIOLAÇÃO
ÀS NORMAS RELATIVAS A GASTOS DE CAMPANHA. ART. 30-A DA LEI N° 9.504 /97. PRAZO DECADENGIAL DE 15 DIAS A CONTAR
DA DIPLOMAÇÃO.
1- RELATÓRIO
Cuida-se de ação de investigação judicial eleitoral por abuso de poder econômico, com fundamento no art. 22, da Lei Complementar n.º
64/1990, movida pelo Ministério Público Eleitoral em desfavor de JOSÉ CARLOS DE ANDRADE SANTOS, à época candidato a vereador de
cidade da São Felipe nas eleições de 2018, com base nas seguintes alegações:
1- O representado, na condição de candidato à eleição municipal de 2016 ao cargo de vereador, apresentou sua prestação de contas nos
autos de n.º 383-05.2016.6.05.0184, tendo sido desaprovadas em razão das irregularidades e inconsistências apresentadas, ferindo, assim, a
normalidade e legitimidade das eleições, o que configuraria abuso do poder econômico.
Juntou aos autos os documentos de fls. 07/51. Por fim, requer a procedência de demanda, declarando-se a inelegibilidade do investigado para
as eleições a se realizarem nos 8 anos subsequentes, além da cassação de seu diploma de vereador.
Determinada a citação do investigado, este foi devidamente citado, conforme documento de Fl. 62, entretanto não se manifestou.
Intimado para se manifestar, o MPE requer o reconhecimento
da decadência, conforme consta à fl. 66.
É o que se tem a relatar. Passo à decisão.
1- Questão prejudicial - decadência
O MPE requer o reconhecimento do prazo decadencial, com fulcro no art. 332, § 1°, do CPC.
Sabe-se que a ação de investigação judicial eleitoral tem por escopo apurar se as práticas de abuso do poder político ou econômico e o uso
indevido de veículos e meios de comunicação social ocorreram e se tiveram potencial lesivo suficiente para macular a lisura do pleito.
Portanto, nessa ação protege-se a normalidade e legitimidade das eleições, na forma mencionada no art. 14, § 9°, da Constituição.
Noutra banda, o art. 30-A, da Lei n.º 9.504/97, visando manter e proteger o equilíbrio nas eleições, sanciona a conduta de captar ou gastar
ilicitamente recursos econômicos durante a campanha eleitoral, buscando com que referidas campanhas políticas se desenvolvam e sejam
financiadas de forma transparente e dentro dos parâmetros legais.
Por outro lado, consoante o art. 22 da LC 64 /90, a propositura de AIJE objetiva a apuração de abuso do poder econômico ou político e de uso
indevido dos meios de comunicação social.
Feitas essas considerações, deve-se esclarecer que a citada Lei Complementar n.º 64/90 é omissa e não fixa prazo para o ajuizamento da
AIJE, seja inicial ou final, havendo divergência doutrinária acerca do tema. Todavia, o TSE entende admissível a AIJE contra fatos ilícitos que
ocorreram ainda antes do início do processo eleitoral propriamente dito, ou seja, antes do registro de candidaturas e das convenções
partidárias.
Com efeito, no que tange ao termo final para ajuizamento da AIJE, inobstante inúmeras teses e divergências doutrinárias, segundo a
jurisprudência pacificamente sedimentada do TSE, é a data da diplomação dos eleitos, senão vejamos:
Ementa: RECURSO ELEITORAL. AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL. VIOLAÇÃO ÀS NORMAS RELATIVAS A GASTOS DE
CAMPANHA. ART. 30-A DA LEI N° 9.504/97. PRAZO DECADENCIAL DE 15 DIAS A CONTAR DA DIPLOMAÇÃO. AJUIZAMENTO DENTRO
DO PRAZO. PROVIMENTO. DEVOLUÇÃO DOS AUTOS AO JUÍZO DE ORIGEM PARA INSTRUIR E JULGAR COMO DE DIREITO. 1. É de
até 15 (quinze) dias, a contar da diplomação, o prazo para propositura de ação de investigação judicial eleitoral com vistas a apurar condutas
em desacordo com a norma do art. 30-A da Lei n.º 9.504/97, relativas A arrecadação e gastos de recursos nas campanhas eleitorais. 2. A
diplomação dos recorridos ocorreu. em 15 de dezembro de 2016 e a ação foi protocolizada em 30 de dezembro daquele ano, não incidindo,
portanto, a decadência. 3. O conhecimento, processamento e julgamento da ação deve ficar adstrito ao exame da conduta tipificada no art. 30-
A da Lei n.º 9.504 /97 (captação e gastos ilícitos de recursos de campanha eleitoral), não podendo abarcar o abuso de poder econômico
suscitado. 4. Verifica-se que os investigados/recorridos nunca foram citados para contestar a ação, de maneira que não foi estabelecido o
contraditório, nem foram praticados atos de instrução processual. 5. Na situação em que o processo se encontra não é possível aplicar a
regra do art. 938 , §§ 1 ° e 3° do Novo Código de Processo Civil, pois o feito não se encontra em condições de imediato julgamento, havendo
necessidade da observância de todo o rito do art. 22 da LC n.º 64 /90. 6. Recurso conhecido e provido para anular a sentença. 7. Devolução
dos autos ao juízo de origem para instauração do contraditório, instrução e julgamento do feito, como entender de direito.(grifos nossos).
Encontrado em: Eleitoral RE 279 MARAPANIM PA (TRE-PA) JOSÉ ALEXANDRE BUCHACRA ARAÚJO.
TRE-TO - RECURSO ELEITORAL RE 194 ANANÁS TO (TRE-TO)
Data de publicação: 28/06/2017
Ementa: RECURSO ELEITORAL. AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL. ELEIÇÕES 2016. ART. 30-A DA LEI N.º 9.504 /97.
CAPITAÇÃO E APLICAÇÃO ILÍCITA DE RECURSOS. PRAZO PARA AJUIZAMENTO. 15 DIAS DA DIPLOMAÇÃO. PRAZO DECADENCIAL.
OCORRÊNCIA. RECURSO DESPROVIDO. EXTINÇÃO DO FEITO COM RESOLUÇÃO DE MÉRITO. 1. Trata-se de Ação de Investigação
Judicial Eleitoral por Capitação e Aplicação Ilícita de Recursos, fundada no art. 30-A, caput, da Lei 9.504 /1997; 2. De acordo com o referido

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 52

dispositivo, os partidos políticos, coligações e, por vocação constitucional, o Ministério Público Eleitoral, podem ajuizar representação, no
prazo de 15 (dias) contados da diplomação; 3. O decurso de prazo 4
transcorreu durante o período do recesso forense do Poder Judiciário; 4. O dispositivo normatiza direito material potestativo, cujo prazo
quinzenal para seu exercício é taxativo e decadencial. Destarte, pela natureza decadencial, o prazo não se suspende; 5. Decadência
reconhecida. Ficam prejudicadas as demais preliminares, bem como a análise do mérito da demanda; 6. Ante ao exposto, CONHEÇO do
recurso, por ser próprio e tempestivo, contudo NEGO PROVIMENTO. (grifos nossos).
Do compulsar dos autos, nota-se que a presente ação foi ajuizada em 04/09/2018 e se refere ao período das eleições municipais de 2016 .
Fora, portanto, do prazo estabelecido por entendimento jurisprudencial para sua propositura, sendo forçoso reconhecimento o perecimento do
direito de ação.
3- DISPOSITIVO
Isto posto, reconheço e pronuncio a decadência do direito de ação para extinguir o feito com resolução de mérito, nos termos do art. 332, § 1°,
c/c art. 487, II, ambos do CPC.
Sem custas e honorários.
Publique-se. Registre-se. Intimem-se.
Ciência ao Ministério Público Eleitoral.
Transitada em julgado, arquive-se. Demais providências necessárias e de praxe.
São Felipe/BA, 18 de dezembro de 2018.
MARINEIS FREITAS CERQUEIRA
Juíza Eleitoral - 184a Zona

INTIMAÇÃO PARA CIÊNCIA DE SENTENÇA


PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL- EXERCICIO 2016
Tombo n.º: 50-19.2017.6.05.0184
Requerente: PARTIDO TRABALHISTA DO BRASIL - PT do B
ATUAL PARTIDO AVANTE - AVANTE
MUNICÍPIO: SÃO FELIPE/BA
PRESIDENTE: ISABELA MEDRADO MOURA
TESOUREIRO:
ADVOGADA: ALEXANDRA DA CRUZ NEIVA – OAB/BA N.º 56.430
SENTENÇA
EMENTA: Prestação de contas anual. Direção partidária. Exercício 2016. Irregularidades. Reprovação.
O PARTIDO TRABALHISTA DO BRASIL - PT do B, município de São Felipe, intempestivamente, apresentou sua prestação de contas,
alegando não movimentação relativa ao exercício financeiro 2016, juntando os documentos de fls. 28/51.
Constatadas irregularidades em relatório preliminar(fls. 82/83), bem como foi apresentado relatório para fins de diligências (fls. 98/99), o
Partido foi notificado para supri-las.
o MPE apresenta parecer desfavorável ás fls. 102/104.
Às fls. 111/112, o partido requer reconsideração, colacionando documentos de fls. 113/120. Às fls. 122/123, apresentado Relatório final do
Cartório.
Às fls. 129/131, o partido apresenta alegações [mais.
O Ministério Público Eleitoral ofereceu parecer desfavorável à prestação das contas (fls. 134/135).
É o relatório. DECIDO.
No caso vertente, pela análise da documentação apresentada, conforme sintetizado no relatório do parecer conclusivo (fls. 122/123), o partido
apresentou o balanço contábil de forma parcial e com irregularidades de tamanha gravidade que compromete a consistência e confiabilidade
das contas, contrariando o disposto nos arts. 28, § 3° e 29, da Res. 23.464/2015, do TSE.
Posto isso, nos termos dos art. 32, §§ 1° e 2°, Lei 9.096/95 c/c o art.46 da Res. 23.464/2015, do TSE JULGO DESAPROVADAS AS
CONTAS ANUAL, exercício 2016, apresentadas pelo PARTIDO TRABALHISTA DO BRASIL- PT do B, município de São Felipe, ante as
irregularidades apresentadas que comprometem a integralidade das contas, bem como ante a ausência parcial de documentos, que não
impede de verificar a movimentação financeira do órgão partidário, aplicando-lhe as sanções impostas na citada Resolução, bem como
determino a extração de cópias para encaminhamento ao MPE, nos termos do art. 350, do CE.
O prazo para recurso, por petição assinada por advogado, acompanhada das razões, é de três dias a partir da intimação, sem pedido de
reconsideração, nos termos do art. 258 do Código Eleitoral.
Havendo trânsito em julgado, remetam-se os autos ao Ministério Público Eleitoral para os fins previstos em Lei.
Publique-se, intimem-se. Registre-se.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 53

São Felipe, 14 de dezembro de 2018


Marineis Freitas Cerqueira
Juíza Eleitoral

INTIMAÇÃO PARA CIÊNCIA DE SENTENÇA


PRESTAÇÃO DE CONTAS
Tombo n.º: 61-14.2018.6.05.0184
Requerente: PARTIDO REPUBLICANO PROGRESSISTA-PRP-SÃO FELIPE MUNICÍPIO: SÃO FELIPE/BA
PRESIDENTE: JOSÉ BATISTA SOUZA PINTO
TESOUREIRA: CIMARA DE ALMEIDA PEIXOTO PINTO
SENTENÇA
EMENTA: Prestação de contas. Campanha Eleitoral 2018. Não apresentação.
PARTIDO REPUBLICANO PROGRESSISTA-PRP-SÃO FELIPE, não apresentou sua prestação de contas DA CAMPANHA ELEITORAL de
2018, apesar de devidamente notificado (fls. 13).
O Ministério Público Eleitoral ofereceu parecer pela não prestação das contas (fI. 15/16).
É o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, conforme sintetizado pelo cartório, constata-se que o PARTIDO REPUBLICANO
PROGRESSISTA-PRP-SÃO FELIPE não apresentou sua prestação de contas DA CAMPANHA ELEITORAL de 2018 junto à Justiça Eleitoral,
apesar de devidamente notificado.
Posto isso, nos termos dos arts. arts. 29 e 30, da Lei n. 9.504/1997, c/c art. 70, IV, da Resolução n.º 23.553/2017, JULGO NÃO PRESTADAS
AS CONTAS do PARTIDO REPUBLICANO PROGRESSISTA- PRP-SÃO FELIPE, referente à campanha eleitoral de 2018, determinando a
suspensão da cota do Fundo Partidário, a comunicação à Direção Estadual e Nacional do Partido e ao Tribunal de Contas da União, nos
termos da citada lei e a suspensão da anotação do órgão de direção municipal, conforme dispõem as Resoluções TSE n.º 23.553/2017, art.
83, II, e n.º 23.571/2017, art. 42.
O prazo para recurso, por petição assinada por advogado, acompanhada das razões, é de três dias a partir da intimação, sem pedido de
reconsideração, nos termos do art. 258 do Código Eleitoral.
Havendo trânsito em julgado, arquivem-se. Publique-se. intimem-se. Registre-se.
Vista ao Ministério Público Eleitoral.
São Felipe, 18 de dezembro de 2018.
Marineis Freitas Cerqueira
Juíza Eleitoral

INTIMAÇÃO PARA CIÊNCIA DE SENTENÇA


PRESTAÇÃO DE CONTAS
Tombo n.º 64-66.2018.6.05.0184
Requerente: PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE - PSOL-SÃO FELIPE MUNICÍPIO: SÃO FELIPE/BA
PRESIDENTE: ADRIANO BARBOSA DE ANDRADE
TESOUREIRA: SANDRA SOUSA SANTOS
SENTENÇA
EMENTA: Prestação de contas. Exercício 2018. Não apresentação.
PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE - PSOL-SÃO FELIPE, não apresentou sua prestação de contas DA CAMPANHA ELEITORAL de
2018, apesar de devidamente notificado (fls. 13).
O Ministério Público Eleitoral ofereceu parecer pela não prestação das contas (fI. 15/16).
É o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, conforme sintetizado pelo cartório, constata-se que o PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE-
PSOL-SÃO FELIPE não apresentou sua prestação de contas DA CAMPANHA ELEITORAL de 2018 junto à Justiça Eleitoral, apesar de
devidamente notificado.
Posto isso, nos termos dos arts. 29 e 30, da Lei n. 9.504/1997, c/c art. 70, IV, da Resolução n.º 23.553/2017, JULGO NÃO PRESTADAS AS
CONTAS do PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE- PSOL-SÃO FELIPE, referente à campanha eleitoral de 2018, determinando a
suspensão da cota do Fundo Partidário, a comunicação à Direção Estadual e Nacional do Partido e ao Tribunal de Contas da União, nos
termos da citada lei e a suspensão da anotação do órgão de direção municipal, conforme dispõem as Resoluções TSE n.º 23.553/2017, art.
83, II, e n.º 23.571/2017, art. 42.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 54

O prazo para recurso, por petição assinada por advogado, acompanhada das razões, é de três dias a partir da intimação, sem pedido de
reconsideração, nos termos do art. 258 do Código Eleitoral.
Havendo trânsito em julgado, arquivem-se. Publique-se. intimem-se. Registre-se.
Vista ao Ministério Público Eleitoral.
São Felipe, 18 de dezembro de 2018.
Marineis Freitas Cerqueira
Juíza Eleitoral

INTIMAÇÃO PARA CIÊNCIA DE SENTENÇA


PROCESSO Nº 86-27.2018.6.05.0184
ASSUNTO: DUPLICIDADE DE INSCRIÇÃO (COINCIDÊNCIA)
ELEITORES ENVOLVIDOS:
1631 3547 0590 BENEDITO DA CONCEIÇÃO SANTOS E
0549 5197 0566 BENEDITO DA CONCEIÇÃO SANTOS
SENTENÇA
Trata-se de processo administrativo acerca da duplicidade de inscrição detectada pelo cruzamento dos dados constantes no Cadastro do
Eleitoral, realizado quando do batimento de 30 de dezembro de 2018.
O Cartório Eleitoral emitiu Informação (FL. 01) na qual esclarece a existência da duplicidade de inscrições, decorrente de equívoco na
consulta ao Sistema ELO que não localizou inscrição eleitoral para o requerente, ensejando a operação de Alistamento no Requerimento de
Alistamento Eleitoral – RAE em nome de BENEDITO DA CONCEIÇÃO SANTOS, inscrição 1631 3547 0590.
Foram juntados os documentos de fls. 02 a 06 e publicado edital para ciência dos interessados (fl. 08).
Vieram os autos conclusos. Decido.
O batimento realizado pelo TSE em âmbito nacional consiste no cruzamento de dados constantes do cadastro com os dados dos novos
eleitores, os daqueles que solicitaram revisão ou transferência e os de pessoas com registro na Base de Perda e Suspensão de Direitos
Políticos, com a finalidade de verificar a existência de mais de uma inscrição em nome de um mesmo eleitor e de identificar situações que
exijam averiguação, originadas por incorreto preenchimento do RAE ou motivadas por incorreta utilização dos códigos de ASE.
Inicialmente observa-se que este Juízo é o competente para decidir a duplicidade de inscrição em epígrafe, pois as duas inscrições envolvidas
pertencem à 184ª Zona Eleitoral.
Verifica-se pelos documentos acostados aos autos que se trata do mesmo eleitor e a duplicidade ocorreu por falha do sistema. Por esse
motivo, não vislumbro indícios da ocorrência de ilícito penal praticado pelo eleitor.
A Resolução 21.538/2003 do Tribunal Superior Eleitoral determina no seu artigo 40 que verificada a situação em que o eleitor possua mais de
uma inscrição eleitoral, deverá ocorrer o cancelamento de uma delas.
No caso em tela, determino o cancelamento da inscrição mais recente n.º 1631 3547 0590 de BENEDITO DA CONCEIÇÃO SANTOS e
mantenha liberada a inscrição n.º 0549 5197 0566.
Registre-se a decisão na Base de Coincidência do sistema ELO regularizando a inscrição mais antiga e cancelando a mais recente.
Publique-se a decisão na íntegra no DJE e intime-se o interessado para realizar a revisão biométrica da inscrição liberada
Transcorrido o prazo de recurso, certifique-se e arquive-se os autos.
São Felipe, 18 de dezembro de 2018.
MARINEIS FREITAS CERQUEIRA
Juíza da 184a Zona Eleitoral

188ª Zona Eleitoral - EUNÁPOLIS

Sentenças

Intimação
Prestação de Contas nº 91-37.2018.6.05.0188
Protocolo nº 40.052/2018
Procedência: Eunápolis-BA
Assunto: Prestação das Contas – Diretório Municipal – Eleições 2018

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 55

Partido: Partido Podemos - PODE


Responsáveis: Flavio Augusto Baioco (Presidente); Fabiano de Jesus Ferreira (Tesoureiro)
Advogado: Marlem Rosa Pereira Filho– OAB: 35259/BA
Eis o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, foram observadas as irregularidades apontadas no relatório. No que se refere especificamente à
conta bancária, a não abertura da conta viola o disposto no art. 3º, III, da Res. 23.553/2017, que assim determina:
Art. 3º A arrecadação de recursos para campanha eleitoral de qualquer natureza por partidos políticos e candidatos deverá observar o
seguintes pré-requisitos:
(…) III – abertura de conta bancária específica destinada a registrar a movimentação financeira;
Consequentemente, como não foi realizada a abertura de conta para a campanha eleitoral, também não foram apresentados os extratos
exigidos pelo art. 56, II, “a”, requisito legal de arrecadação e movimentação financeira.
Aduz o art. 77, IV, da Res. 23553/2017:
Apresentado o parecer do Ministério Público e observado o disposto no parágrafo único do art. 76 desta Resolução, a Justiça Eleitoral
verificará a regularidade das contas, decidindo (Lei 9504/1997, art. 30, caput):
(…) III– pela desaprovação, quando constatadas falhas que comprometem sua regularidade;
No caso dos autos, a agremiação partidária deixou de proceder a abertura da conta bancária, requisito imprescindível para verificar
arrecadações e gastos do partido. Mesmo que não haja movimentação financeira, é através da conta e seus respectivos extratos eletrônicos
que será verificado se a instituição partidária deixou de arrecadar e realizar gastos de campanha.
Assim, constatada a irregularidade, os interessados foram devidamente intimados para manifestarem acerca dessa omissão, porém, nada
alegaram. Consequentemente, como a instituição partidária deixou de proceder a abertura da conta, não foi possível verificar suas receitas e
despesas durante o período de campanha, o que enseja sua desaprovação.
Diante do exposto, nos termos do art. 30 da Lei n. 9.504/1997 e do art. 77, III, da Resolução TSE 23.553/2017, JULGO DESAPROVADAS AS
CONTAS DE CAMPANHA apresentadas pelo PARTIDO PODEMOS – PODE do Município de Eunápolis.
Em consequência, na forma do que dispõe o art. 77, §§ 4º e 6º da citada resolução e art. 37, §3º da Lei dos Partidos Políticos, determino a
proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, pelo período de doze (12) meses, ficando obrigado a devolver
integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados.
Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão, proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se aos
PARTIDOS nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora aplicada à referida agremiação para a adoção das medidas cabíveis.
Em seguida, dê-se vista dos autos ao Ministério Público para ciência desta decisão, bem como para os fins do art. 84 e 85 da Res. TSE
23.553/2017.
Após, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
P.R.I.
Eunápolis, 17 de dezembro de 2018.
Bel. WILSON NUNES DA SILVA JUNIOR
Juiz Eleitoral

Prestação de Contas nº 94-89.2018.6.05.0188


Protocolo nº 40.042/2018
Procedência: Eunápolis-BA
Assunto: Prestação das Contas – Diretório Municipal – Eleições 2018
Partido: Partido Humanista da Solidariedade - PHS
Responsáveis: Antonio Jorge Magalhaes Viana (Presidente); Patric Cunha Santana (Tesoureiro)
Advogado: Marlem Rosa Pereira Filho– OAB: 35259/BA
Eis o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, foram observadas as irregularidades apontadas no relatório. No que se refere especificamente à
conta bancária, a não abertura da conta viola o disposto no art. 3º, III, da Res. 23.553/2017, que assim determina:
Art. 3º A arrecadação de recursos para campanha eleitoral de qualquer natureza por partidos políticos e candidatos deverá observar o
seguintes pré-requisitos:
(…) III – abertura de conta bancária específica destinada a registrar a movimentação financeira;
Consequentemente, como não foi realizada a abertura de conta para a campanha eleitoral, também não foram apresentados os extratos
exigidos pelo art. 56, II, “a”, requisito legal de arrecadação e movimentação financeira.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 56

Aduz o art. 77, IV, da Res. 23553/2017:


Apresentado o parecer do Ministério Público e observado o disposto no parágrafo único do art. 76 desta Resolução, a Justiça Eleitoral
verificará a regularidade das contas, decidindo (Lei 9504/1997, art. 30, caput):
(…) III– pela desaprovação, quando constatadas falhas que comprometem sua regularidade;
No caso dos autos, a agremiação partidária deixou de proceder a abertura da conta bancária, requisito imprescindível para verificar
arrecadações e gastos do partido. Mesmo que não haja movimentação financeira, é através da conta e seus respectivos extratos eletrônicos
que será verificado se a instituição partidária deixou de arrecadar e realizar gastos de campanha.
Assim, constatada a irregularidade, os interessados foram devidamente intimados para manifestarem acerca dessa omissão, porém, nada
alegaram. Consequentemente, como a instituição partidária deixou de proceder a abertura da conta, não foi possível verificar suas receitas e
despesas durante o período de campanha, o que enseja sua desaprovação.
Diante do exposto, nos termos do art. 30 da Lei n. 9.504/1997 e do art. 77, III, da Resolução TSE 23.553/2017, JULGO DESAPROVADAS AS
CONTAS DE CAMPANHA apresentadas pelo PARTIDO HUMANISTA DA SOLIDARIEDADE – PHS do Município de Eunápolis.
Em consequência, na forma do que dispõe o art. 77, §§ 4º e 6º da citada resolução e art. 37, §3º da Lei dos Partidos Políticos, determino a
proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, pelo período de doze (12) meses, ficando obrigado a devolver
integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados.
Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão, proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se aos
PARTIDOS nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora aplicada à referida agremiação para a adoção das medidas cabíveis.
Em seguida, dê-se vista dos autos ao Ministério Público para ciência desta decisão, bem como para os fins do art. 84 e 85 da Res. TSE
23.553/2017.
Após, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
P.R.I.
Eunápolis, 17 de dezembro de 2018.
Bel. WILSON NUNES DA SILVA JUNIOR
Juiz Eleitoral

Prestação de Contas nº 92-22.2018.6.05.0188


Protocolo nº 40.052/2018
Procedência: Eunápolis-BA
Assunto: Prestação das Contas – Diretório Municipal – Eleições 2018
Partido: Partido da Mobilização Nacional - PMN
Responsáveis: Mirisvaldo de Souza Lisboa (Presidente); Givaldo Brito Varjao (Tesoureiro)
Advogado: Marlem Rosa Pereira Filho– OAB: 35259/BA
Eis o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, foram observadas as irregularidades apontadas no relatório. No que se refere especificamente à
conta bancária, a não abertura da conta viola o disposto no art. 3º, III, da Res. 23.553/2017, que assim determina:
Art. 3º A arrecadação de recursos para campanha eleitoral de qualquer natureza por partidos políticos e candidatos deverá observar o
seguintes pré-requisitos:
(…) III – abertura de conta bancária específica destinada a registrar a movimentação financeira;
Consequentemente, como não foi realizada a abertura de conta para a campanha eleitoral, também não foram apresentados os extratos
exigidos pelo art. 56, II, “a”, requisito legal de arrecadação e movimentação financeira.
Aduz o art. 77, IV, da Res. 23553/2017:
Apresentado o parecer do Ministério Público e observado o disposto no parágrafo único do art. 76 desta Resolução, a Justiça Eleitoral
verificará a regularidade das contas, decidindo (Lei 9504/1997, art. 30, caput):
(…) III– pela desaprovação, quando constatadas falhas que comprometem sua regularidade;
No caso dos autos, a agremiação partidária deixou de proceder a abertura da conta bancária, requisito imprescindível para verificar
arrecadações e gastos do partido. Mesmo que não haja movimentação financeira, é através da conta e seus respectivos extratos eletrônicos
que será verificado se a instituição partidária deixou de arrecadar e realizar gastos de campanha.
Assim, constatada a irregularidade, os interessados foram devidamente intimados para manifestarem acerca dessa omissão, porém, nada
alegaram. Consequentemente, como a instituição partidária deixou de proceder a abertura da conta, não foi possível verificar suas receitas e
despesas durante o período de campanha, o que enseja sua desaprovação.
Diante do exposto, nos termos do art. 30 da Lei n. 9.504/1997 e do art. 77, III, da Resolução TSE 23.553/2017, JULGO DESAPROVADAS AS
CONTAS DE CAMPANHA apresentadas pelo PARTIDO DA MOBILIZAÇÃO NACIONAL – PMN do Município de Eunápolis.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 57

Em consequência, na forma do que dispõe o art. 77, §§ 4º e 6º da citada resolução e art. 37, §3º da Lei dos Partidos Políticos, determino a
proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, pelo período de doze (12) meses, ficando obrigado a devolver
integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados.
Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão, proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se aos
PARTIDOS nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora aplicada à referida agremiação para a adoção das medidas cabíveis.
Em seguida, dê-se vista dos autos ao Ministério Público para ciência desta decisão, bem como para os fins do art. 84 e 85 da Res. TSE
23.553/2017.
Após, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
P.R.I.
Eunápolis, 17 de dezembro de 2018.
Bel. WILSON NUNES DA SILVA JUNIOR
Juiz Eleitoral

Prestação de Contas nº 108-73.2018.6.05.0188


Protocolo nº 43.019/2018
Procedência: Itagimirim-BA
Assunto: Prestação das Contas – Diretório Municipal – Eleições 2018
Partido: Partido Democratico Trabalhista - PDT
Responsáveis: Luiz Carlos Gomes do Nascimento (Presidente); Jaireny Ferreira SIlva (Tesoureiro)
Advogado: Marlem Rosa Pereira Filho– OAB: 35259/BA
Eis o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, foram observadas as irregularidades apontadas no relatório. No que se refere especificamente à
conta bancária, a não abertura da conta viola o disposto no art. 3º, III, da Res. 23.553/2017, que assim determina:
Art. 3º A arrecadação de recursos para campanha eleitoral de qualquer natureza por partidos políticos e candidatos deverá observar o
seguintes pré-requisitos:
(…) III – abertura de conta bancária específica destinada a registrar a movimentação financeira;
Consequentemente, como não foi realizada a abertura de conta para a campanha eleitoral, também não foram apresentados os extratos
exigidos pelo art. 56, II, “a”, requisito legal de arrecadação e movimentação financeira.
Aduz o art. 77, IV, da Res. 23553/2017:
Apresentado o parecer do Ministério Público e observado o disposto no parágrafo único do art. 76 desta Resolução, a Justiça Eleitoral
verificará a regularidade das contas, decidindo (Lei 9504/1997, art. 30, caput):
(…) III– pela desaprovação, quando constatadas falhas que comprometem sua regularidade;
No caso dos autos, a agremiação partidária deixou de proceder a abertura da conta bancária, requisito imprescindível para verificar
arrecadações e gastos do partido. Mesmo que não haja movimentação financeira, é através da conta e seus respectivos extratos eletrônicos
que será verificado se a instituição partidária deixou de arrecadar e realizar gastos de campanha.
Assim, constatada a irregularidade, os interessados foram devidamente intimados para manifestarem acerca dessa omissão, porém, nada
alegaram. Consequentemente, como a instituição partidária deixou de proceder a abertura da conta, não foi possível verificar suas receitas e
despesas durante o período de campanha, o que enseja sua desaprovação.
Diante do exposto, nos termos do art. 30 da Lei n. 9.504/1997 e do art. 77, III, da Resolução TSE 23.553/2017, JULGO DESAPROVADAS AS
CONTAS DE CAMPANHA apresentadas pelo PARTIDO DEMOCRATICO TRABALHISTA – PDT do Município de Itagimirim.
Em consequência, na forma do que dispõe o art. 77, §§ 4º e 6º da citada resolução e art. 37, §3º da Lei dos Partidos Políticos, determino a
proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, pelo período de doze (12) meses, ficando obrigado a devolver
integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados.
Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão, proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se aos
PARTIDOS nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora aplicada à referida agremiação para a adoção das medidas cabíveis.
Em seguida, dê-se vista dos autos ao Ministério Público para ciência desta decisão, bem como para os fins do art. 84 e 85 da Res. TSE
23.553/2017.
Após, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
P.R.I.
Eunápolis, 17 de dezembro de 2018.
Bel. WILSON NUNES DA SILVA JUNIOR
Juiz Eleitoral

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 58

Prestação de Contas nº 113-95.2018.6.05.0188


Protocolo nº 43.023/2018
Procedência: Itagimirim-BA
Assunto: Prestação das Contas – Diretório Municipal – Eleições 2018
Partido: Partido Podemos - PODE
Responsáveis: Daniel Messias Franco dos Santos (Presidente); Luiz Lucas de Oliveira Marques (Tesoureiro)
Advogado: Marlem Rosa Pereira Filho– OAB: 35259/BA
O Ministério Público Eleitoral, por sua vez, manifestou-se no mesmo sentido, ou seja, pelo julgamento das contas como desaprovadas (fls.25).
Eis o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, foram observadas as irregularidades apontadas no relatório. No que se refere especificamente à
conta bancária, a não abertura da conta viola o disposto no art. 3º, III, da Res. 23.553/2017, que assim determina:
Art. 3º A arrecadação de recursos para campanha eleitoral de qualquer natureza por partidos políticos e candidatos deverá observar o
seguintes pré-requisitos:
(…) III – abertura de conta bancária específica destinada a registrar a movimentação financeira;
Consequentemente, como não foi realizada a abertura de conta para a campanha eleitoral, também não foram apresentados os extratos
exigidos pelo art. 56, II, “a”, requisito legal de arrecadação e movimentação financeira.
Aduz o art. 77, IV, da Res. 23553/2017:
Apresentado o parecer do Ministério Público e observado o disposto no parágrafo único do art. 76 desta Resolução, a Justiça Eleitoral
verificará a regularidade das contas, decidindo (Lei 9504/1997, art. 30, caput):
(…) III– pela desaprovação, quando constatadas falhas que comprometem sua regularidade;
No caso dos autos, a agremiação partidária deixou de proceder a abertura da conta bancária, requisito imprescindível para verificar
arrecadações e gastos do partido. Mesmo que não haja movimentação financeira, é através da conta e seus respectivos extratos eletrônicos
que será verificado se a instituição partidária deixou de arrecadar e realizar gastos de campanha.
Assim, constatada a irregularidade, os interessados foram devidamente intimados para manifestarem acerca dessa omissão, porém, nada
alegaram. Consequentemente, como a instituição partidária deixou de proceder a abertura da conta, não foi possível verificar suas receitas e
despesas durante o período de campanha, o que enseja sua desaprovação.
Diante do exposto, nos termos do art. 30 da Lei n. 9.504/1997 e do art. 77, III, da Resolução TSE 23.553/2017, JULGO DESAPROVADAS AS
CONTAS DE CAMPANHA apresentadas pelo PARTIDO PODEMOS – PODE do Município de Itagimirim.
Em consequência, na forma do que dispõe o art. 77, §§ 4º e 6º da citada resolução e art. 37, §3º da Lei dos Partidos Políticos, determino a
proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, pelo período de doze (12) meses, ficando obrigado a devolver
integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados.
Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão, proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se aos
PARTIDOS nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora aplicada à referida agremiação para a adoção das medidas cabíveis.
Em seguida, dê-se vista dos autos ao Ministério Público para ciência desta decisão, bem como para os fins do art. 84 e 85 da Res. TSE
23.553/2017.
Após, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
P.R.I.
Eunápolis, 17 de dezembro de 2018.
Bel. WILSON NUNES DA SILVA JUNIOR
Juiz Eleitoral

Prestação de Contas nº 95-74.2018.6.05.0188


Protocolo nº 40.039/2018
Procedência: Eunápolis-BA
Assunto: Prestação das Contas – Diretório Municipal – Eleições 2018
Partido: Partido Progressista - PP
Responsáveis: Jorge Maecio Pires Almeida (Presidente); Edmundo Novais Cardoso (Tesoureiro)
Advogado: Marlem Rosa Pereira Filho– OAB: 35259/BA
Eis o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, foram observadas as irregularidades apontadas no relatório. No que se refere especificamente à
conta bancária, a não abertura da conta viola o disposto no art. 3º, III, da Res. 23.553/2017, que assim determina:

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 59

Art. 3º A arrecadação de recursos para campanha eleitoral de qualquer natureza por partidos políticos e candidatos deverá observar o
seguintes pré-requisitos:
(…) III – abertura de conta bancária específica destinada a registrar a movimentação financeira;
Consequentemente, como não foi realizada a abertura de conta para a campanha eleitoral, também não foram apresentados os extratos
exigidos pelo art. 56, II, “a”, requisito legal de arrecadação e movimentação financeira.
Aduz o art. 77, IV, da Res. 23553/2017:
Apresentado o parecer do Ministério Público e observado o disposto no parágrafo único do art. 76 desta Resolução, a Justiça Eleitoral
verificará a regularidade das contas, decidindo (Lei 9504/1997, art. 30, caput):
(…) III– pela desaprovação, quando constatadas falhas que comprometem sua regularidade;
No caso dos autos, a agremiação partidária deixou de proceder a abertura da conta bancária, requisito imprescindível para verificar
arrecadações e gastos do partido. Mesmo que não haja movimentação financeira, é através da conta e seus respectivos extratos eletrônicos
que será verificado se a instituição partidária deixou de arrecadar e realizar gastos de campanha.
Assim, constatada a irregularidade, os interessados foram devidamente intimados para manifestarem acerca dessa omissão, porém, nada
alegaram. Consequentemente, como a instituição partidária deixou de proceder a abertura da conta, não foi possível verificar suas receitas e
despesas durante o período de campanha, o que enseja sua desaprovação.
Diante do exposto, nos termos do art. 30 da Lei n. 9.504/1997 e do art. 77, III, da Resolução TSE 23.553/2017, JULGO DESAPROVADAS AS
CONTAS DE CAMPANHA apresentadas pelo PARTIDO PROGRESSISTAS – PP do Município de Eunápolis.
Em consequência, na forma do que dispõe o art. 77, §§ 4º e 6º da citada resolução e art. 37, §3º da Lei dos Partidos Políticos, determino a
proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, pelo período de doze (12) meses, ficando obrigado a devolver
integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados.
Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão, proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se aos
PARTIDOS nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora aplicada à referida agremiação para a adoção das medidas cabíveis.
Em seguida, dê-se vista dos autos ao Ministério Público para ciência desta decisão, bem como para os fins do art. 84 e 85 da Res. TSE
23.553/2017.
Após, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
P.R.I.
Eunápolis, 17 de dezembro de 2018.
Bel. WILSON NUNES DA SILVA JUNIOR
Juiz Eleitoral

Prestação de Contas nº 103-51.2018.6.05.0188


Protocolo nº 43.013/2018
Procedência: Eunápolis-BA
Assunto: Prestação das Contas – Diretório Municipal – Eleições 2018
Partido: Partido Popular Socialista - PPS
Responsáveis: Luiz Arnaldo Magalhaes Viana (Presidente); Regina Lucia de Oliveira Barros (Tesoureiro)
Advogado: Marlem Rosa Pereira Filho– OAB: 35259/BA
Eis o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, foram observadas as irregularidades apontadas no relatório. No que se refere especificamente à
conta bancária, a não abertura da conta viola o disposto no art. 3º, III, da Res. 23.553/2017, que assim determina:
Art. 3º A arrecadação de recursos para campanha eleitoral de qualquer natureza por partidos políticos e candidatos deverá observar o
seguintes pré-requisitos:
(…) III – abertura de conta bancária específica destinada a registrar a movimentação financeira;
Consequentemente, como não foi realizada a abertura de conta para a campanha eleitoral, também não foram apresentados os extratos
exigidos pelo art. 56, II, “a”, requisito legal de arrecadação e movimentação financeira.
Aduz o art. 77, IV, da Res. 23553/2017:
Apresentado o parecer do Ministério Público e observado o disposto no parágrafo único do art. 76 desta Resolução, a Justiça Eleitoral
verificará a regularidade das contas, decidindo (Lei 9504/1997, art. 30, caput):
(…) III– pela desaprovação, quando constatadas falhas que comprometem sua regularidade;
No caso dos autos, a agremiação partidária deixou de proceder a abertura da conta bancária, requisito imprescindível para verificar
arrecadações e gastos do partido. Mesmo que não haja movimentação financeira, é através da conta e seus respectivos extratos eletrônicos
que será verificado se a instituição partidária deixou de arrecadar e realizar gastos de campanha.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 60

Assim, constatada a irregularidade, os interessados foram devidamente intimados para manifestarem acerca dessa omissão, porém, nada
alegaram. Consequentemente, como a instituição partidária deixou de proceder a abertura da conta, não foi possível verificar suas receitas e
despesas durante o período de campanha, o que enseja sua desaprovação.
Diante do exposto, nos termos do art. 30 da Lei n. 9.504/1997 e do art. 77, III, da Resolução TSE 23.553/2017, JULGO DESAPROVADAS AS
CONTAS DE CAMPANHA apresentadas pelo PARTIDO POPULAR SOCIALISTA – PPS do Município de Eunápolis.
Em consequência, na forma do que dispõe o art. 77, §§ 4º e 6º da citada resolução e art. 37, §3º da Lei dos Partidos Políticos, determino a
proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, pelo período de doze (12) meses, ficando obrigado a devolver
integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados.
Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão, proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se aos
PARTIDOS nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora aplicada à referida agremiação para a adoção das medidas cabíveis.
Em seguida, dê-se vista dos autos ao Ministério Público para ciência desta decisão, bem como para os fins do art. 84 e 85 da Res. TSE
23.553/2017.
Após, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
P.R.I.
Eunápolis, 17 de dezembro de 2018.
Bel. WILSON NUNES DA SILVA JUNIOR
Juiz Eleitoral

Prestação de Contas nº 109-58.2018.6.05.0188


Protocolo nº 43.012/2018
Procedência: Eunápolis-BA
Assunto: Prestação das Contas – Diretório Municipal – Eleições 2018
Partido: Partido da Republica - PR
Responsáveis: Carlos Alberto da Silva Lima (Presidente); Washignton Teixeira da Cruz (Tesoureiro)
Advogado: Marlem Rosa Pereira Filho– OAB: 35259/BA
Eis o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, foram observadas as irregularidades apontadas no relatório. No que se refere especificamente à
conta bancária, a não abertura da conta viola o disposto no art. 3º, III, da Res. 23.553/2017, que assim determina:
Art. 3º A arrecadação de recursos para campanha eleitoral de qualquer natureza por partidos políticos e candidatos deverá observar o
seguintes pré-requisitos:
(…) III – abertura de conta bancária específica destinada a registrar a movimentação financeira;
Consequentemente, como não foi realizada a abertura de conta para a campanha eleitoral, também não foram apresentados os extratos
exigidos pelo art. 56, II, “a”, requisito legal de arrecadação e movimentação financeira.
Aduz o art. 77, IV, da Res. 23553/2017:
Apresentado o parecer do Ministério Público e observado o disposto no parágrafo único do art. 76 desta Resolução, a Justiça Eleitoral
verificará a regularidade das contas, decidindo (Lei 9504/1997, art. 30, caput):
(…) III– pela desaprovação, quando constatadas falhas que comprometem sua regularidade;
No caso dos autos, a agremiação partidária deixou de proceder a abertura da conta bancária, requisito imprescindível para verificar
arrecadações e gastos do partido. Mesmo que não haja movimentação financeira, é através da conta e seus respectivos extratos eletrônicos
que será verificado se a instituição partidária deixou de arrecadar e realizar gastos de campanha.
Assim, constatada a irregularidade, os interessados foram devidamente intimados para manifestarem acerca dessa omissão, porém, nada
alegaram. Consequentemente, como a instituição partidária deixou de proceder a abertura da conta, não foi possível verificar suas receitas e
despesas durante o período de campanha, o que enseja sua desaprovação.
Diante do exposto, nos termos do art. 30 da Lei n. 9.504/1997 e do art. 77, III, da Resolução TSE 23.553/2017, JULGO DESAPROVADAS AS
CONTAS DE CAMPANHA apresentadas pelo PARTIDO DA REPUBLICA – PR do Município de Eunápolis.
Em consequência, na forma do que dispõe o art. 77, §§ 4º e 6º da citada resolução e art. 37, §3º da Lei dos Partidos Políticos, determino a
proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, pelo período de doze (12) meses, ficando obrigado a devolver
integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados.
Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão, proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se aos
PARTIDOS nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora aplicada à referida agremiação para a adoção das medidas cabíveis.
Em seguida, dê-se vista dos autos ao Ministério Público para ciência desta decisão, bem como para os fins do art. 84 e 85 da Res. TSE
23.553/2017.
Após, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 61

P.R.I.
Eunápolis, 17 de dezembro de 2018.
Bel. WILSON NUNES DA SILVA JUNIOR
Juiz Eleitoral

Prestação de Contas nº 105-21.2018.6.05.0188


Protocolo nº 43.020/2018
Procedência: Itagimirim-BA
Assunto: Prestação das Contas – Diretório Municipal – Eleições 2018
Partido: Partido da Republica - PR
Responsáveis: Valter de Oliveira Santos (Presidente); Vilmar Conrado dos Santos (Tesoureiro)
Advogado: Marlem Rosa Pereira Filho– OAB: 35259/BA
Eis o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, foram observadas as irregularidades apontadas no relatório. No que se refere especificamente à
conta bancária, a não abertura da conta viola o disposto no art. 3º, III, da Res. 23.553/2017, que assim determina:
Art. 3º A arrecadação de recursos para campanha eleitoral de qualquer natureza por partidos políticos e candidatos deverá observar o
seguintes pré-requisitos:
(…) III – abertura de conta bancária específica destinada a registrar a movimentação financeira;
Consequentemente, como não foi realizada a abertura de conta para a campanha eleitoral, também não foram apresentados os extratos
exigidos pelo art. 56, II, “a”, requisito legal de arrecadação e movimentação financeira.
Aduz o art. 77, IV, da Res. 23553/2017:
Apresentado o parecer do Ministério Público e observado o disposto no parágrafo único do art. 76 desta Resolução, a Justiça Eleitoral
verificará a regularidade das contas, decidindo (Lei 9504/1997, art. 30, caput):
(…) III– pela desaprovação, quando constatadas falhas que comprometem sua regularidade;
No caso dos autos, a agremiação partidária deixou de proceder a abertura da conta bancária, requisito imprescindível para verificar
arrecadações e gastos do partido. Mesmo que não haja movimentação financeira, é através da conta e seus respectivos extratos eletrônicos
que será verificado se a instituição partidária deixou de arrecadar e realizar gastos de campanha.
Assim, constatada a irregularidade, os interessados foram devidamente intimados para manifestarem acerca dessa omissão, porém, nada
alegaram. Consequentemente, como a instituição partidária deixou de proceder a abertura da conta, não foi possível verificar suas receitas e
despesas durante o período de campanha, o que enseja sua desaprovação.
Diante do exposto, nos termos do art. 30 da Lei n. 9.504/1997 e do art. 77, III, da Resolução TSE 23.553/2017, JULGO DESAPROVADAS AS
CONTAS DE CAMPANHA apresentadas pelo PARTIDO DA REPUBLICA – PR do Município de Itagimirim.
Em consequência, na forma do que dispõe o art. 77, §§ 4º e 6º da citada resolução e art. 37, §3º da Lei dos Partidos Políticos, determino a
proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, pelo período de doze (12) meses, ficando obrigado a devolver
integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados.
Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão, proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se aos
PARTIDOS nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora aplicada à referida agremiação para a adoção das medidas cabíveis.
Em seguida, dê-se vista dos autos ao Ministério Público para ciência desta decisão, bem como para os fins do art. 84 e 85 da Res. TSE
23.553/2017.
Após, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
P.R.I.
Eunápolis, 17 de dezembro de 2018.
Bel. WILSON NUNES DA SILVA JUNIOR
Juiz Eleitoral

Prestação de Contas nº 106-06.2018.6.05.0188


Protocolo nº 43.015/2018
Procedência: Itagimirim-BA
Assunto: Prestação das Contas – Diretório Municipal – Eleições 2018
Partido: Partido Republicano Brasileiro - PRB
Responsáveis: Luiz Guimaraes dos Santos (Presidente); Ana Paula Barboza as Silva Santos (Tesoureiro)

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 62

Advogado: Marlem Rosa Pereira Filho– OAB: 35259/BA


Eis o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, foram observadas as irregularidades apontadas no relatório. No que se refere especificamente à
conta bancária, a não abertura da conta viola o disposto no art. 3º, III, da Res. 23.553/2017, que assim determina:
Art. 3º A arrecadação de recursos para campanha eleitoral de qualquer natureza por partidos políticos e candidatos deverá observar o
seguintes pré-requisitos:
(…) III – abertura de conta bancária específica destinada a registrar a movimentação financeira;
Consequentemente, como não foi realizada a abertura de conta para a campanha eleitoral, também não foram apresentados os extratos
exigidos pelo art. 56, II, “a”, requisito legal de arrecadação e movimentação financeira.
Aduz o art. 77, IV, da Res. 23553/2017:
Apresentado o parecer do Ministério Público e observado o disposto no parágrafo único do art. 76 desta Resolução, a Justiça Eleitoral
verificará a regularidade das contas, decidindo (Lei 9504/1997, art. 30, caput):
(…) III– pela desaprovação, quando constatadas falhas que comprometem sua regularidade;
No caso dos autos, a agremiação partidária deixou de proceder a abertura da conta bancária, requisito imprescindível para verificar
arrecadações e gastos do partido. Mesmo que não haja movimentação financeira, é através da conta e seus respectivos extratos eletrônicos
que será verificado se a instituição partidária deixou de arrecadar e realizar gastos de campanha.
Assim, constatada a irregularidade, os interessados foram devidamente intimados para manifestarem acerca dessa omissão, porém, nada
alegaram. Consequentemente, como a instituição partidária deixou de proceder a abertura da conta, não foi possível verificar suas receitas e
despesas durante o período de campanha, o que enseja sua desaprovação.
Diante do exposto, nos termos do art. 30 da Lei n. 9.504/1997 e do art. 77, III, da Resolução TSE 23.553/2017, JULGO DESAPROVADAS AS
CONTAS DE CAMPANHA apresentadas pelo PARTIDO REPUBLICANO BRASILEIRO – PRB do Município de Itagimirim.
Em consequência, na forma do que dispõe o art. 77, §§ 4º e 6º da citada resolução e art. 37, §3º da Lei dos Partidos Políticos, determino a
proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, pelo período de doze (12) meses, ficando obrigado a devolver
integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados.
Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão, proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se aos
PARTIDOS nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora aplicada à referida agremiação para a adoção das medidas cabíveis.
Em seguida, dê-se vista dos autos ao Ministério Público para ciência desta decisão, bem como para os fins do art. 84 e 85 da Res. TSE
23.553/2017.
Após, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
P.R.I.
Eunápolis, 17 de dezembro de 2018.
Bel. WILSON NUNES DA SILVA JUNIOR
Juiz Eleitoral

Prestação de Contas nº 102-66.2018.6.05.0188


Protocolo nº 43.010/2018
Procedência: Eunápolis-BA
Assunto: Prestação das Contas – Diretório Municipal – Eleições 2018
Partido: Partido Social Cristão - PSC
Responsáveis: Ronilto William Rodrigues (Presidente); Marcelo Cabral Henrique (Tesoureiro)
Advogado: Marlem Rosa Pereira Filho– OAB: 35259/BA
Eis o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, foram observadas as irregularidades apontadas no relatório. No que se refere especificamente à
conta bancária, a não abertura da conta viola o disposto no art. 3º, III, da Res. 23.553/2017, que assim determina:
Art. 3º A arrecadação de recursos para campanha eleitoral de qualquer natureza por partidos políticos e candidatos deverá observar o
seguintes pré-requisitos:
(…) III – abertura de conta bancária específica destinada a registrar a movimentação financeira;
Consequentemente, como não foi realizada a abertura de conta para a campanha eleitoral, também não foram apresentados os extratos
exigidos pelo art. 56, II, “a”, requisito legal de arrecadação e movimentação financeira.
Aduz o art. 77, IV, da Res. 23553/2017:
Apresentado o parecer do Ministério Público e observado o disposto no parágrafo único do art. 76 desta Resolução, a Justiça Eleitoral
verificará a regularidade das contas, decidindo (Lei 9504/1997, art. 30, caput):
(…) III– pela desaprovação, quando constatadas falhas que comprometem sua regularidade;

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 63

No caso dos autos, a agremiação partidária deixou de proceder a abertura da conta bancária, requisito imprescindível para verificar
arrecadações e gastos do partido. Mesmo que não haja movimentação financeira, é através da conta e seus respectivos extratos eletrônicos
que será verificado se a instituição partidária deixou de arrecadar e realizar gastos de campanha.
Assim, constatada a irregularidade, os interessados foram devidamente intimados para manifestarem acerca dessa omissão, porém, nada
alegaram. Consequentemente, como a instituição partidária deixou de proceder a abertura da conta, não foi possível verificar suas receitas e
despesas durante o período de campanha, o que enseja sua desaprovação.
Diante do exposto, nos termos do art. 30 da Lei n. 9.504/1997 e do art. 77, III, da Resolução TSE 23.553/2017, JULGO DESAPROVADAS AS
CONTAS DE CAMPANHA apresentadas pelo PARTIDO SOCIAL CRISTÃO - PSC do Município de Eunápolis.
Em consequência, na forma do que dispõe o art. 77, §§ 4º e 6º da citada resolução e art. 37, §3º da Lei dos Partidos Políticos, determino a
proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, pelo período de doze (12) meses, ficando obrigado a devolver
integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados.
Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão, proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se aos
PARTIDOS nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora aplicada à referida agremiação para a adoção das medidas cabíveis.
Em seguida, dê-se vista dos autos ao Ministério Público para ciência desta decisão, bem como para os fins do art. 84 e 85 da Res. TSE
23.553/2017.
Após, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
P.R.I.
Eunápolis, 17 de dezembro de 2018.
Bel. WILSON NUNES DA SILVA JUNIOR
Juiz Eleitoral

Prestação de Contas nº 99-14.2018.6.05.0188


Protocolo nº 40.049/2018
Procedência: Itagimirim-BA
Assunto: Prestação das Contas – Diretório Municipal – Eleições 2018
Partido: Partido Social Democrático - PSD
Responsáveis: Tito Alberto da Fonseca (Presidente); Rogerio Dionidio Bispo (Tesoureiro)
Advogado: Marlem Rosa Pereira Filho– OAB: 35259/BA
Eis o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, foram observadas as irregularidades apontadas no relatório. No que se refere especificamente à
conta bancária, a não abertura da conta viola o disposto no art. 3º, III, da Res. 23.553/2017, que assim determina:
Art. 3º A arrecadação de recursos para campanha eleitoral de qualquer natureza por partidos políticos e candidatos deverá observar o
seguintes pré-requisitos:
(…) III – abertura de conta bancária específica destinada a registrar a movimentação financeira;
Consequentemente, como não foi realizada a abertura de conta para a campanha eleitoral, também não foram apresentados os extratos
exigidos pelo art. 56, II, “a”, requisito legal de arrecadação e movimentação financeira.
Aduz o art. 77, IV, da Res. 23553/2017:
Apresentado o parecer do Ministério Público e observado o disposto no parágrafo único do art. 76 desta Resolução, a Justiça Eleitoral
verificará a regularidade das contas, decidindo (Lei 9504/1997, art. 30, caput):
(…) III– pela desaprovação, quando constatadas falhas que comprometem sua regularidade;
No caso dos autos, a agremiação partidária deixou de proceder a abertura da conta bancária, requisito imprescindível para verificar
arrecadações e gastos do partido. Mesmo que não haja movimentação financeira, é através da conta e seus respectivos extratos eletrônicos
que será verificado se a instituição partidária deixou de arrecadar e realizar gastos de campanha.
Assim, constatada a irregularidade, os interessados foram devidamente intimados para manifestarem acerca dessa omissão, porém, nada
alegaram. Consequentemente, como a instituição partidária deixou de proceder a abertura da conta, não foi possível verificar suas receitas e
despesas durante o período de campanha, o que enseja sua desaprovação.
Diante do exposto, nos termos do art. 30 da Lei n. 9.504/1997 e do art. 77, III, da Resolução TSE 23.553/2017, JULGO DESAPROVADAS AS
CONTAS DE CAMPANHA apresentadas pelo PARTIDO SOCIAL DEMOCRATICO – PSD do Município de Itagimirim.
Em consequência, na forma do que dispõe o art. 77, §§ 4º e 6º da citada resolução e art. 37, §3º da Lei dos Partidos Políticos, determino a
proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, pelo período de doze (12) meses, ficando obrigado a devolver
integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados.
Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão, proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se aos
PARTIDOS nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora aplicada à referida agremiação para a adoção das medidas cabíveis.

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 64

Em seguida, dê-se vista dos autos ao Ministério Público para ciência desta decisão, bem como para os fins do art. 84 e 85 da Res. TSE
23.553/2017.
Após, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
P.R.I.
Eunápolis, 17 de dezembro de 2018.
Bel. WILSON NUNES DA SILVA JUNIOR
Juiz Eleitoral

Prestação de Contas nº 96-59.2018.6.05.0188


Protocolo nº 40.038/2018
Procedência: Eunápolis-BA
Assunto: Prestação das Contas – Diretório Municipal – Eleições 2018
Partido: Partido Patriota - PATRI
Responsáveis: Pedro Fernando Miranda Vailant (Presidente); Vinicius Soares Fernandes (Tesoureiro)
Advogado: Marlem Rosa Pereira Filho– OAB: 35259/BA
Eis o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, foram observadas as irregularidades apontadas no relatório. No que se refere especificamente à
conta bancária, a não abertura da conta viola o disposto no art. 3º, III, da Res. 23.553/2017, que assim determina:
Art. 3º A arrecadação de recursos para campanha eleitoral de qualquer natureza por partidos políticos e candidatos deverá observar o
seguintes pré-requisitos:
(…) III – abertura de conta bancária específica destinada a registrar a movimentação financeira;
Consequentemente, como não foi realizada a abertura de conta para a campanha eleitoral, também não foram apresentados os extratos
exigidos pelo art. 56, II, “a”, requisito legal de arrecadação e movimentação financeira.
Aduz o art. 77, IV, da Res. 23553/2017:
Apresentado o parecer do Ministério Público e observado o disposto no parágrafo único do art. 76 desta Resolução, a Justiça Eleitoral
verificará a regularidade das contas, decidindo (Lei 9504/1997, art. 30, caput):
(…) III– pela desaprovação, quando constatadas falhas que comprometem sua regularidade;
No caso dos autos, a agremiação partidária deixou de proceder a abertura da conta bancária, requisito imprescindível para verificar
arrecadações e gastos do partido. Mesmo que não haja movimentação financeira, é através da conta e seus respectivos extratos eletrônicos
que será verificado se a instituição partidária deixou de arrecadar e realizar gastos de campanha.
Assim, constatada a irregularidade, os interessados foram devidamente intimados para manifestarem acerca dessa omissão, porém, nada
alegaram. Consequentemente, como a instituição partidária deixou de proceder a abertura da conta, não foi possível verificar suas receitas e
despesas durante o período de campanha, o que enseja sua desaprovação.
Diante do exposto, nos termos do art. 30 da Lei n. 9.504/1997 e do art. 77, III, da Resolução TSE 23.553/2017, JULGO DESAPROVADAS AS
CONTAS DE CAMPANHA apresentadas pelo PARTIDO PATRIOTA – PATRI do Município de Eunápolis.
Em consequência, na forma do que dispõe o art. 77, §§ 4º e 6º da citada resolução e art. 37, §3º da Lei dos Partidos Políticos, determino a
proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, pelo período de doze (12) meses, ficando obrigado a devolver
integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados.
Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão, proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se aos
PARTIDOS nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora aplicada à referida agremiação para a adoção das medidas cabíveis.
Em seguida, dê-se vista dos autos ao Ministério Público para ciência desta decisão, bem como para os fins do art. 84 e 85 da Res. TSE
23.553/2017.
Após, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
P.R.I.
Eunápolis, 17 de dezembro de 2018.
Bel. WILSON NUNES DA SILVA JUNIOR
Juiz Eleitoral

Prestação de Contas nº 107-88.2018.6.05.0188


Protocolo nº 43.014/2018
Procedência: Itagimirim-BA
Assunto: Prestação das Contas – Diretório Municipal – Eleições 2018

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 65

Partido: Partido Democratas - DEM


Responsáveis: Weslei Dias da Silva (Presidente); Jose Marcos Nascimento de Souza (Tesoureiro)
Advogado: Marlem Rosa Pereira Filho– OAB: 35259/BA
Eis o relatório. DECIDO.
Pela análise da documentação apresentada, foram observadas as irregularidades apontadas no relatório. No que se refere especificamente à
conta bancária, a não abertura da conta viola o disposto no art. 3º, III, da Res. 23.553/2017, que assim determina:
Art. 3º A arrecadação de recursos para campanha eleitoral de qualquer natureza por partidos políticos e candidatos deverá observar o
seguintes pré-requisitos:
(…) III – abertura de conta bancária específica destinada a registrar a movimentação financeira;
Consequentemente, como não foi realizada a abertura de conta para a campanha eleitoral, também não foram apresentados os extratos
exigidos pelo art. 56, II, “a”, requisito legal de arrecadação e movimentação financeira.
Aduz o art. 77, IV, da Res. 23553/2017:
Apresentado o parecer do Ministério Público e observado o disposto no parágrafo único do art. 76 desta Resolução, a Justiça Eleitoral
verificará a regularidade das contas, decidindo (Lei 9504/1997, art. 30, caput):
(…) III– pela desaprovação, quando constatadas falhas que comprometem sua regularidade;
No caso dos autos, a agremiação partidária deixou de proceder a abertura da conta bancária, requisito imprescindível para verificar
arrecadações e gastos do partido. Mesmo que não haja movimentação financeira, é através da conta e seus respectivos extratos eletrônicos
que será verificado se a instituição partidária deixou de arrecadar e realizar gastos de campanha.
Assim, constatada a irregularidade, os interessados foram devidamente intimados para manifestarem acerca dessa omissão, porém, nada
alegaram. Consequentemente, como a instituição partidária deixou de proceder a abertura da conta, não foi possível verificar suas receitas e
despesas durante o período de campanha, o que enseja sua desaprovação.
Diante do exposto, nos termos do art. 30 da Lei n. 9.504/1997 e do art. 77, III, da Resolução TSE 23.553/2017, JULGO DESAPROVADAS AS
CONTAS DE CAMPANHA apresentadas pelo PARTIDO DEMOCRATAS – DEM do Município de Itagimirim.
Em consequência, na forma do que dispõe o art. 77, §§ 4º e 6º da citada resolução e art. 37, §3º da Lei dos Partidos Políticos, determino a
proibição de recebimento de recursos oriundos do Fundo Partidário, pelo período de doze (12) meses, ficando obrigado a devolver
integralmente todos os recursos provenientes do Fundo Partidário que lhe forem entregues, distribuídos ou repassados.
Por fim, decorrido o trânsito em julgado dessa decisão, proceda-se com as anotações pertinentes no sistema SICO, comunicando-se aos
PARTIDOS nos âmbitos nacional e estadual, a sanção ora aplicada à referida agremiação para a adoção das medidas cabíveis.
Em seguida, dê-se vista dos autos ao Ministério Público para ciência desta decisão, bem como para os fins do art. 84 e 85 da Res. TSE
23.553/2017.
Após, arquivem-se, observadas as cautelas de praxe.
P.R.I.
Eunápolis, 17 de dezembro de 2018.
Bel. WILSON NUNES DA SILVA JUNIOR
Juiz Eleitoral

192ª Zona Eleitoral - CONCEIÇÃO DO JACUÍPE

Despachos

Processo n.º 7-24.2018.6.05.0192


Prestação de Contas – Exercício Financeiro 2014
Interessado: Diretório Municipal/Comissão Provisória do AVANTE (antigo PT do B) em Amélia Rodrigues/BA
Advogados: Allany Fabilly Rocha Lima, OAB/BA 45.844
DESPACHO
Intime-se a requerente por seu patrono para esclarecer, no prazo de 3 (três) dias, se a petição de fls. 40 e 41 trata-se de recurso (e, nesse
caso, emende a peça).
Conceição do Jacuípe - BA, 17/12/18.
ABRAÃO BARRETO CORDEIRO
Juiz da 192ª Zona Eleitoral

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br
Ano 2019, Número 001 Salvador-BA, segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 Página 66

Processo n.º 18-53.2018.6.05.0192


Prestação de Contas – Exercício Financeiro 2016
Interessado: Diretório Municipal/Comissão Provisória do PTN em Amélia Rodrigues/BA
Advogados: Alan Oliveira Lima, OAB/BA 30.276 e Ramon Wiliam Mendes Brandão, OAB/BA 42.056.
DESPACHO
Intime-se o órgão partidário por seu patrono para esclarecer, no prazo de 3 (três) dias, se a petição de fls. 46 a 50 trata-se de recurso (e,
nesse caso, emende a peça) ou de pedido de regularização, conforme previsto no art. 59 da Resolução TSE 23.546 (e, nesse caso, solicite o
desentranhamento das peças para ser autuada na classe Petição).
Conceição do Jacuípe - BA, 17/12/18.
ABRAÃO BARRETO CORDEIRO
Juiz da 192ª Zona Eleitoral

Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a
Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.gov.br

Você também pode gostar