Você está na página 1de 16

!"#2

N.° 1 2016

A atitude

faz diferen ca¸

!"#2 ˙

!"#2 ˙ 3 ´ MAT ERIA DE CAPA A atitude faz diferen ca ¸ Ser a

3

´

MAT ERIA DE CAPA

A atitude faz diferen ca¸

Ser a que a atitude de uma

pessoa ao lidar com desafios

pode indicar at e que ponto

ela vai ser bem-sucedida?

´

´

O que voc e diria?

˙ Sim

˙ N ao

˙

A B ıblia diz: “Se voc e ficar

desanimado no dia da afli c¸ ao,

sua forca¸ ser a escassa.”

— Prov erbios 24:10.

ˆ

˜

Depende

´

ˆ

˜

´

´

´

´

TAMB EM NESTE N UMERO

7 O

que voc e sabe sobre

ˆ

as Testemunhas de Jeov a?

´

10

12

´

AJUDA PARA A FAM ILIA

Como fazer verdadeiros amigos

´

PA ISES

E POVOS

Uma visita a Liechtenstein

14

16

´

O CONCEITO DA B IBLIA

C

´

eu

TEVE UM PROJETO?

ARTIGOS

r
r

´

V IDEOS

w r
w
r

ˆ

´ (Acesse ENSINOS ´ B IBLICOS

˛

Vol. 97, No. 1 / Bimonthly / PORTUGUESE (Brazilian Edition)

Circulac¸ ao de cada n umero: 57.761.000. Dispon ıvel ´ em 103 idiomas

˜

´

Esta publica c¸ ao n ao ˜ e ´ vendida. Ela faz parte de uma obra educativa b ıblica, ´

A menos que haja outra indica c¸ ao, os textos b ıblicos ´

˜

˜

mundial, mantida por donativos.

´

˜

citados s ao da Tradu c¸ ao do Novo Mundo da B ıblia Sagrada.

˜

Despertai!, n umero 1, fevereiro de 2016. Despertai! e publicada a cada dois meses pela Watchtower Bible and Tract

Society of New York, Inc., Wallkill, New York, U.S.A., e pela Associa c¸ ao Torre de Vigia de B ıblias

´

´

˜

´

´

e Tratados, Ces ario Lange,

S ao ˜ Paulo, Brasil. Diretor respons avel: A. S. Machado Filho. Revista registrada sob o n umero de ordem 517.

2016 Watch Tower Bible and Tract Society of Pennsylvania e Associa c¸ ao Torre de Vigia de B ıblias

Todos os direitos reservados. Impressa no Brasil.

´

´

˜

´

e Tratados.

Gostaria de receber mais informac¸ oes

ou ter um curso b ıblico ´

Acesse www.jw.org ou escreva para um dos endere cos¸ abaixo.

˜

gratuito em sua casa?

´

TESTEMUNHAS DE JEOV A: BRASIL: Rodovia SP-141, km 43,

Ces ario Lange, SP, 18285-901. PORTUGAL: Apartado 91,

P-2766-955, Estoril. ´ Para uma lista completa de endere cos¸

em outros pa ıses, acesse www.jw.org/pt/contato.

´

´

MAT ERIA DE CAPA

A atitude faz diferenca¸

ALGUNS escolheriam “circunst ancias”, talvez

dizendo: “Eu seria feliz se tivesse mais dinheiro.”

ˆ

se tivesse um bom casamento.”

se tivesse uma sa ude melhor.”

Mas, na realidade, a felicidade muitas vezes

´

`

est a mais relacionada a atitude do que as cir-

cunst ancias e aos genes. E essa e uma boa

not ıcia. ´

voc e pode controlar, diferentemente das suas

circunst ancias ou dos seus genes, sobre os

quais voc e tem pouco ou nenhum controle.

´

`

ˆ

ˆ

´

Por qu e? Porque sua atitude e algo que

ˆ

´

ˆ

ˆ

´

“BOM REM EDIO”

Um prov erbio b ıblico

´

´

´

diz: “O corac¸ ao alegre e

˜

um bom rem edio, mas o esp ırito

me as energias da pessoa.” (Prov erbios 17:22) Em outras palavras, sua atitude faz diferenca!¸

´

´

abatido conso-

´

Qual das op c¸ oes a seguir

voc e acha que contribui

mais para a felicidade?

suas circunst ancias

seus genes sua atitude

˜

ˆ

ˆ

ˆ

Pode determinar se voc e vai alcancar¸ um objeti-

vo ou desistir dele, ou se um acontecimento tr a-

gico vai revelar o que h a de melhor ou pior em

´

´

ˆ

voc e.

Pode ser que algumas pessoas duvidem dis- so. Talvez pensem:

˙ ‘Por que esconder minhas dificuldades

fingindo ser otimista?’

˙ ‘Eu posso ser positivo o tempo todo, mas

isso n ao vai mudar minha situa c¸ ao.’

˜

˜

˙ ‘Melhor ser realista do que ser um sonha- dor.’

Esses pensamentos podem parecer v alidos.

Ainda assim, vale a pena ter um ponto de vista

positivo. Por exemplo, considere as situac¸ oes

a seguir.

´

˜

Despertai! N.° 1 2016

3

No local de trabalho, Alex e Bruno se esforcam¸

muito para reali-

zar diferentes projetos. Depois de analisar o trabalho dos dois, o

supervisor descobre erros em cada projeto.

dos dois, o supervisor descobre erros em cada projeto. Alex: “Eu gastei tanto tempo nesse projeto,
dos dois, o supervisor descobre erros em cada projeto. Alex: “Eu gastei tanto tempo nesse projeto,

Alex: “Eu gastei tanto tempo nesse projeto, mas

mesmo assim n ao deu certo. Nunca vou me sair

bem. N ao importa o quanto eu me esforce, nun-

ca est a bom. Por que eu continuo tentando?”

˜

´

˜

Bruno: “Meu chefe falou de algumas coisas que

ele gostou no meu trabalho, mas eu cometi al-

guns erros. Aprendi lic¸ oes importantes que v ao

me ajudar a fazer melhor da pr oxima vez.”

˜

˜

´

ˆ

O QUE VOC E ACHA?

˙

˙

˙

Daqui a seis meses, quem vai

ser um funcion ario melhor:

Alex ou Bruno?

´

Se voc e fosse um emprega- dor, qual dos dois contrataria ou manteria na sua empresa?

ˆ

Quando voc e fica desaponta-

do, reage como Alex ou como

Bruno?

ˆ

´

Andr eia e Beatriz as vezes se sentem muito solit arias, mas cada

`

´

uma delas tem um jeito de lidar com a situac¸ ao.

˜

` ´ uma delas tem um jeito de lidar com a situac¸ ao. ˜ Andr eia

Andr eia se concentra mais em si mesma. Ela

s o faz coisas pelos outros quando eles fazem

por ela primeiro. Ela pensa: ‘Por que perder

tempo com pessoas que n ao me d ao nada

em troca?’

´

´

˜

˜

com pessoas que n ao me d ao nada em troca?’ ´ ´ ˜ ˜ Beatriz

Beatriz se esforca¸ para ser bondosa com as

pessoas e fazer coisas por elas, quer deem valor

a isso, quer n ao. Ela vive de acordo com a Regra

de Ouro — tratar os outros como ela gostaria de ser tratada. (Lucas 6:31) Para Beatriz, fazer

o

˜

bem j e ´ uma recompensa.

´

a

ˆ

O QUE VOC E ACHA?

˙

Qual dessas duas mulheres

voc e gostaria que fosse sua

amiga?

Qual delas provavelmente

ˆ

˙

˙

est a mais contente com seus

relacionamentos?

Quando voc e se sente soli-

´

ˆ

t ario, seu comportamento

e ´ mais parecido com o de

Andr eia ou com o de Beatriz?

´

´

´

de Bruno

e Beatriz. Talvez voc e at e se ache parecido com eles. Se for assim, com certeza

sabe que sua atitude pode fazer diferen ca.¸ Mas e se voc e for mais parecido com

Alex ou Andr eia? A B ıblia ´

as dificuldades da vida. Veja tr es maneiras a seguir.

E prov avel que voc e conhe ca¸ pessoas com as mesmas caracter ısticas

´

ˆ

´

ˆ

´

´

ˆ

pode ajud a-lo a ter um ponto de vista mais positivo sobre

´

ˆ

1 N

˜

AO SEJA PESSIMISTA

´

A B IBLIA

DIZ: “Se voc

ˆ

e ficar desanimado

no dia da afli c¸ ao, sua forca¸ ser a escassa.”

— Prov erbios 24:10.

˜

´

´

O QUE ISSO QUER DIZER: O pessimismo vai

fazer voc e perder a forca¸ que precisa para

melhorar sua situac¸ ao ou para lidar com ela.

ˆ

˜

EXEMPLO: A inf

ancia ˆ de Juliza n ao foi nada

˜

feliz. Seu pai era alco olatra, e sua fam ılia ´

era pobre. Eles viviam se mudando. De in ı- ´ cio, Juliza encarava sua vida de modo pessi- mista. Mas isso mudou. O que aconteceu? Ela diz: “Mesmo antes de meus pais supera- ´

rem as dificuldades, a B ıblia

mais positiva. E at e hoje o que leio na B ıblia ´

´

me ajudou a ser

´

n ao deixa que meus pensamentos fujam do controle.

Agora, quando as pessoas fazem alguma coisa que eu

n ao gosto, tento entender por que elas agiram assim.”

e ´ um livro de princ ıpios ´

confi aveis. Seus conselhos podem ajudar voc e a lidar

com circunst ancias negativas. Por exemplo, Ef esios

4:23 diz: “Continuem a renovar a sua maneira de pensar.”

˜

˜

Juliza aprendeu que a B ıblia ´

´

ˆ

ˆ

´

Como esse vers ıculo ´

indica, e poss ıvel ´ mudar seu

´

ponto de vista. Voc e pode ‘renovar’ seu modo de pensar.

Mas fazer essa mudanca¸ e um processo cont ınuo. ´

isso que o vers ıculo ´

var’ a nossa atitude.

ˆ

´

´

E por

diz que devemos ‘continuar a reno-

2 CONCENTRE-SE EM COISAS POSITIVAS

A B ´

IBLIA DIZ: “Para o aflito, todos os dias s ao

˜

maus, mas quem e alegre de corac¸ ao tem

sempre um banquete.” — Prov erbios 15:15.

e ˆ v e ˆ tudo de

O QUE ISSO QUER DIZER: Se voc

´

˜

´

modo negativo, vai se sentir “aflito” e todos

os dias v ao parecer “maus”, ou sombrios.

Mas, se voc e se concentrar em coisas positi-

vas, ser a “alegre de corac¸ ao” e ter a conten-

tamento. A escolha e sua.

EXEMPLO: Depois de v arias cirurgias para reti-

rar um tumor cerebral, Yanko ficou com algu-

mas limitac¸ oes nos movimentos e na fala. Por

achar que isso o impediria de alcancar¸ seus objetivos, Yanko ficou muito desanimado du- rante anos. Com o tempo, ele mudou seu modo de pensar. Como? Ele diz: “Em vez de

me concentrar nas minhas limitac¸ oes, apren-

di a encher a mente com coisas positivas.”

´

˜

ˆ

˜

´

´

´

˜

˜

Uma das coisas que Yanko faz para conseguir isso

e ler a B ıblia. ´

positivos. N ao esqueci totalmente dos meus objetivos a

longo prazo, mas me concentro em pequenas coisas

que posso fazer agora. Quando pensamentos negativos

comecam¸ a tomar conta de mim, penso nos muitos mo-

tivos que tenho para ser feliz.”

´

Ele diz: “Isso me ajuda a ter pensamentos

˜

Assim como Yanko, voc e pode enfrentar seus pensa-

ˆ

mentos negativos e substitu ı-los ´

sitivos. Se voc e est a lidando com circunst ancias negati-

vas — talvez um problema de sa ude, como aconteceu

com Yanko —, pergunte-se: ‘A situac¸ ao e mesmo deses-

peradora? Ser a que estou num beco sem sa ıda ´ ou isso e

s o mais um obst aculo na minha vida?’ Aprenda a evitar

pensamentos negativos por se concentrar em algo cons- trutivo.

por pensamentos po-

´

˜

´

ˆ

´

ˆ

´

´

´

´

Despertai! N.° 1 2016

5

3 FACA¸ COISAS PELOS OUTROS

´ A B IBLIA

DIZ: “H

a ´ mais felicidade em dar

do que em receber.” — Atos 20:35.

O QUE ISSO QUER DIZER: A pessoa que d

´

a

sem esperar nada em troca sente muita ale-

gria. Por qu e? Porque fomos criados para

fazer mais do que simplesmente cuidar de

nossas pr oprias necessidades. (Filipenses

2:3, 4; 1 Jo ao 4:11) Sentir a alegria de dar

pode nos ajudar muito a lidar com circuns-

t ancias negativas.

´

˜

ˆ

ˆ

EXEMPLO: Josu

e tem espinha b ıfida, ´

´

uma

grave defici encia na coluna vertebral. Geral-

mente, ele sente dores terr ıveis. ´

sim, Josu e tem uma vida produtiva ajudan-

do outros. Ele diz: “Em vez de falar que n ao

consigo fazer alguma coisa, gosto de pen- sar em como posso ajudar as pessoas de

modo pr atico. Encontro maneiras de fazer coisas pelos outros, e isso me deixa muito feliz.”

´

ˆ

Mesmo as-

˜

´

ˆ

O QUE VOC E PODE FAZER

Procure oportunidades de dar de si em

benef ıcio ´ de outros. Por exemplo, ser a

que voc e pode preparar uma refei c¸ ao

para um vizinho doente? Conhece pes-

soas idosas que precisam de ajuda com

as tarefas dom esticas?

Cuide de sua atitude da mesma manei-

ra que voc e cuidaria de uma horta. Arran-

que as pragas do pessimismo e do pen- samento negativo. Plante sementes de otimismo e torne sua vida produtiva com

´

ˆ

˜

´

ˆ

de otimismo e torne sua vida produtiva com ´ ˆ ˜ ´ ˆ a c¸ oes

a c¸ oes que resultam em emo c¸ oes positi-

vas. Voc e vai ter uma boa produ c¸ ao em

sentido emocional, que tornar a sua vida

mais significativa. Assim, voc e ter a certe-

za de que a atitude faz diferen ca!¸ ˛

˜

˜

ˆ

´

ˆ

˜

´

Por motivos de sa ude, algumas

pessoas aprendem a evitar certos

alimentos; voc e pode fazer o mes-

mo com as atitudes negativas

´

ˆ

ˆ

O QUE VOC E

SABE SOBRE AS TESTEMUNHAS

´

DE JEOV A?

Voc e nos v e na nossa obra de pregac¸ ao.

Talvez tenha lido sobre n os nas not ıcias ´

ou tenha ouvido coment arios de outros a

nosso respeito. Mas o que voc e realmente

sabe sobre as Testemunhas de Jeov a?

ˆ

ˆ

˜

´

´

ˆ

´

TESTE SEU CONHECIMENTO

Marque verdadeiro ou falso.

VERDADEIRO FALSO

´

1 As Testemunhas de Jeov a

s ao crist as.

˜

˜

´

2 As Testemunhas de Jeov a

s ao criacionistas.

˜

´

3 As Testemunhas de Jeov a

n ao aceitam tratamentos

m

˜

edicos.

´

´

4 As Testemunhas de Jeov a

acreditam na B ıblia ´

inteira.

´

5 As Testemunhas de Jeov a

s o usam a sua pr opria B ıblia.

´

´

´

VERDADEIRO FALSO

´

6 As Testemunhas de Jeov a

mudaram a B ıblia ´

se adaptar ao que creem.

delas para

´

7 As Testemunhas de Jeov a

n ao se envolvem com a

˜

comunidade.

´

8 As Testemunhas de Jeov a

se acham melhores do que

as pessoas de outras

religi oes.

˜

´

Veja as respostas nas p aginas seguintes.

Despertai! N.° 1 2016

7

1
1

2

3

4

1 2 3 4 VERDADEIRO. N os tentamos seguir de perto os ensinos e o modo
1 2 3 4 VERDADEIRO. N os tentamos seguir de perto os ensinos e o modo
1 2 3 4 VERDADEIRO. N os tentamos seguir de perto os ensinos e o modo

VERDADEIRO. N os tentamos seguir de perto os ensinos e o modo de agir

de Jesus Cristo. (1 Pedro 2:21) Mas, de muitas maneiras, somos dife-

rentes de outras religi oes chamadas crist as. Por exemplo, verificamos

que a B ıblia ´

Trindade. (Marcos 12:29) N ao acreditamos que a alma e imortal. Tamb em

ensina que Deus tortura as pessoas eter-

namente no inferno. Al em disso, n ao achamos que aqueles que tomam a

frente em atividades religiosas devam receber t ıtulos ´

acima dos outros. — Eclesiastes 9:5; Ezequiel 18:4; Mateus 23:8-10.

´

˜

˜

ensina que Jesus e o Filho de Deus; ele n ao faz parte de uma

´

˜

˜

´

´

˜

que os coloquem

n ao acreditamos que a B ıblia

˜

´

´

FALSO. N os acreditamos que Deus criou todas as coisas. Mas n ao con-

cordamos com muitos que creem no criacionismo. Por que n ao? Porque

v arios conceitos criacionistas entram em conflito com a B ıblia.

plo, alguns afirmam que os seis dias da criac¸ ao foram dias literais de

24 horas. Mas, na B ıblia, ´

go de tempo. (G enesis 2:4; Salmo 90:4) Alguns criacionistas tamb em en-

sinam que a Terra tem apenas alguns milhares de anos. No entanto, a B ı- ´

blia indica que a Terra e o Universo j a existiam muito antes dos seis dias

da criac¸ ao. 1 — G enesis 1:1.

´

´

˜

˜

´

´

Por exem-

lon-

˜

a palavra “dia” pode se referir a um per ıodo ´

´

ˆ

˜

ˆ

FALSO. N os aceitamos tratamento m edico. E at e alguns de n os s ao

m edicos, assim como era Lucas, crist ao do primeiro s eculo. (Colossenses

4:14) No entanto, n ao aceitamos tratamentos m edicos que entrem em

conflito com os princ ıpios ´ de sangue porque a B ıblia ´ 15:20, 28, 29.

Mas procuramos para n os e nossa fam ılia ´ o melhor tratamento m edico

Na verdade, tratamentos de conservac¸ ao de sangue desenvolvi-

dos para ajudar pacientes Testemunhas de Jeov a agora s ao usados para

beneficiar todas as pessoas. Em muitos pa ıses, ´

escolher evitar os riscos que as transfus oes trazem, como doencas,¸

c¸ oes do sistema imunol ogico e problemas causados por erro humano.

poss ıvel. ´

´

˜

´

´

´

´

˜

´

´

˜

b ıblicos. ´

Por exemplo, recusamos transfus oes

˜

´

diz que n ao devemos aceitar sangue. — Atos

˜

´

˜

´

˜

´

qualquer paciente pode

˜

rea-

˜

VERDADEIRO. N os acreditamos que a B ıblia ´

e

o

referimos a essas divis oes da B ıblia

ras Gregas Crist as. Desse modo, evitamos dar a impress ao de que certas

partes da B ıblia ´

Novo Testamento, como costumam ser chamados. Geralmente n os nos

proveitosa”. (2 Tim oteo 3:16) Isso inclui tanto o Velho Testamento como

inteira e “inspirada por Deus

´

´

´

˜

´

´

como Escrituras Hebraicas e Escritu-

˜

˜

s ao ultrapassadas ou sem import ancia.

˜

ˆ

FALSO. N os usamos muitas traduc¸ oes em nosso estudo da B ıblia. ´

tanto, nos idiomas em que est a dispon ıvel, ´

do Novo Mundo da B ıblia Sagrada porque ela usa o nome de Deus, e e

exata e f acil de entender. Veja o caso do uso do nome de Deus, Jeov a. Na

introduc¸ ao de certa traduc¸ ao da B ıblia,

79 pessoas que de alguma forma estiveram envolvidas na produc¸ ao dela.

Mas a mesma traduc¸ ao omite por completo o nome do pr oprio Autor

— Jeov a Deus. Em contraste com isso, a Traduc¸ ao do Novo Mundo res-

taurou o nome de Deus nos milhares de lugares em que ele aparecia no texto original. 2

No en-

gostamos de usar a Traduc¸ ao

´

˜

´

´

˜

´

´

´

˜

˜

´

h a uma lista com o nome de

´

˜

´

˜

˜

´

FALSO. Quando vimos que nossas crencas¸ n ao estavam plenamente

de acordo com a B ıblia, ´

produzir a Traduc¸ ao do Novo Mundo em 1950, us avamos qualquer tradu-

c¸ ao que estivesse dispon ıvel ´ e formamos nossas crencas¸ com base no

que l ıamos. ´

˜

n os as mudamos. Muito antes de comecarmos¸

´

´

a

˜

˜

FALSO. Nossa obra de pregac¸ ao beneficia a muitos na comunidade.

J a ajudamos in umeras pessoas a abandonar v ıcios,

gas e o abuso do alcool. Nossas aulas de alfabetizac¸ ao ajudam milhares

no mundo inteiro a aprender a ler e a escrever. Tamb em fornecemos aju-

da depois de um desastre, dando assist encia tanto a quem e Testemunha

de Jeov a como a quem n ao e. Tentamos dar o apoio emocional e espiri-

tual que as v ıtimas ´

˜

´

´

´

´

como o uso de dro-

˜

´

´

ˆ

´

˜

´

tanto precisam em situac¸ oes assim. 3

˜

FALSO. N os seguimos o conselho da B ıblia

pessoas’, n ao importa sua religi ao. (1 Pedro 2:17, B ıblia F acil de Ler )

Por exemplo, em alguns pa ıses, ´

Mesmo assim, n ao tentamos pressionar pol ıticos ´

cultar ou proibir a obra de outros grupos religiosos. Nem fazemos cam-

panhas para que sejam aprovadas leis que obriguem a comunidade a se-

guir nossas convic c¸ oes morais e religiosas. Em vez disso, n os tratamos

os outros com o mesmo respeito com que gostar ıamos ´ — Mateus 7:12.

´

˜

´

de ‘respeitar todas as

´

´

˜

˜

existem centenas de milhares de n os.

´

e legisladores a difi-

´

de ser tratados.

˜

˜

´

os. ´ e legisladores a difi- ´ de ser tratados. ˜ ˜ ´ P a r
os. ´ e legisladores a difi- ´ de ser tratados. ˜ ˜ ´ P a r
os. ´ e legisladores a difi- ´ de ser tratados. ˜ ˜ ´ P a r
os. ´ e legisladores a difi- ´ de ser tratados. ˜ ˜ ´ P a r

Para saber mais, acesse QUEM SOMOS ˛ PERGUNTAS FREQUENTES . ˛

1. Por isso, diferentemente de alguns criacionistas, n ao discordamos de pesquisas cient ıficas

confi aveis que indicam que a Terra pode ter bilh oes de anos.

2. A Traduc¸ ao do Novo Mundo tem mais uma caracter ıstica:

tado disso, milh oes podem ler a B ıblia

dispon ıvel ´ em 130 idiomas. Voc e pode at e-la ˆ on-line em www.jw.org.

3. Entre outros objetivos, usamos os donativos que recebemos para ajudar essas v ıtimas ´

desastres. (Atos 11:27-30) Visto que a ajuda e prestada por volunt arios e eles n ao s ao pagos

para realizar esse servico,¸ os fundos s ao realmente usados para prestar ajuda humanit aria,

n ao para pagar sal arios.

˜

´

´

´

˜

˜

e ´ distribu ıda ´ de graca.¸ Em resul-

´

A Traduc¸ ao do Novo Mundo est a

˜

´

˜

˜

´

de

˜

ˆ

´

em sua pr opria l ıngua. ´

´

´

e l

˜

´

˜

´

Despertai! N.° 1 2016

5

6

7

8

9

´ AJUDA PARA A FAM ILIA JOVENS Como fazer verdadeiros amigos ˆ O DESAFIO Gracas¸

´ AJUDA PARA A FAM ILIA

JOVENS

Como fazer verdadeiros amigos

AJUDA PARA A FAM ILIA JOVENS Como fazer verdadeiros amigos ˆ O DESAFIO Gracas¸ a tecnologia,

ˆ

O DESAFIO

Gracas¸ a tecnologia, nunca foi

t ao f acil se conectar a tantas

pessoas. Mesmo assim, alguns

sentem que suas amizades s ao

um pouco superficiais. J a sen-

tiu o mesmo? Um jovem disse o seguinte: “Eu tenho a im-

press ao de que minhas amiza-

des n ao v ao durar muito tem-

O QUE VOC E PRECISA SABER

Parte da culpa pode ser da tecnologia. Mensagens de

texto, redes sociais e coisas do tipo fazem parecer poss ıvel ´

ser amigo de algu em sem precisar estar com ele. Hoje,

muitos acabam trocando conversas significativas por men-

sagens curtas e tweets. “As pessoas se comunicam cada

vez menos frente a frente”, diz o livro Maturidade Artificial

(em ingl es) . “Os estudantes passam mais tempo na frente

de um computador do que um com o outro.”

Em alguns casos, a tecnologia faz uma amizade parecer

mais forte do que realmente e. Brian, de 22 anos, diz:

“Comecei a perceber que era sempre eu que mandava

uma mensagem para os meus amigos perguntando se eles

estavam bem. Da ı ´ eu parei de fazer isso para ver se eles entrariam em contato comigo. E, sabe, bem poucos fize-

ram isso. Deu para ver que alguns deles n ao eram t ao ami-

gos assim.”

Mas voc e talvez pense: ‘As mensagens e as redes sociais

s ao um jeito de manter contato com meus amigos, e isso

`

˜

´

´

˜

´

ˆ

˜

˜

´

˜

´

po. J a meu pai tem os mesmos

amigos h a d ecadas!”

Hoje em dia e um desafio fazer

verdadeiros amigos. Por qu e?

´

´

´

ˆ

e um desafio fazer verdadeiros amigos. Por qu e? ´ ´ ´ ˆ r ˜ ˜
r
r

˜

˜

ˆ

˜

´

melhora minhas amizades.’ E, realmente, ainda mais se

voc e tiver contato com essas pessoas fora da internet.

O problema e que muitas vezes as redes sociais servem

ˆ

´

apenas como uma ponte entre voc e e outras pessoas,

mas n ao o aproximam delas de verdade.

ˆ

˜

Alguns nomes neste artigo foram mudados.

Encontre mais ajuda para a fam ılia ´ no site www.jw.org

ˆ

O QUE VOC E PODE FAZER

Identifique o que e um amigo de verdade. A B ıblia ´

que um amigo de verdade e leal, algu em que “se apega mais

do que um irm ao”. (Prov erbios 18:24) N ao e esse o tipo de

amigo que voc e quer? Voc e esse tipo de amigo? Para

descobrir, faca¸ o seguinte: escreva tr es qualidades que voc e

procura num amigo. Depois escreva tr es qualidades que

voc e tem que s ao importantes para uma amizade. Pergunte-

se: ‘Quais dos meus contatos na internet t em essas qualida-

des? Que qualidades esses amigos diriam que eu tenho?’

Princ ıpio b ıblico: Filipenses 2:4.

´

diz

´

´

ˆ

e

´

´

˜

ˆ

˜

´

ˆ

ˆ

ˆ

ˆ

˜

ˆ

´

´

Pense no que e mais importante numa amizade. Muitas

amizades on-line s ao entre pessoas que simplesmente gos-

ˆ

tam de coisas parecidas ou t em o mesmo hobby. S o que

mais importante do que ter os mesmos gostos e ter o mes-

mo ponto de vista sobre o que e certo ou importante na

vida. Leanne, de 21 anos, diz: “Posso n ao ter um monte de

amigos, mas os amigos que tenho me ajudam a ser uma

pessoa melhor.” — Princ ıpio b ıblico: Prov erbios 13:20.

Converse pessoalmente. Nada se compara a conversar

frente a frente. Quando voc e faz isso, voc e consegue perce-

ber pequenas mudancas¸ no tom da voz, nas express oes fa-

ciais e na linguagem corporal da outra pessoa, e vice-versa.

Princ ıpio b ıblico: 1 Tessalonicenses 2:17.

Escreva uma carta. Pode parecer algo ultrapassado, mas

quando voc e escreve uma carta e como se voc e desse sua

total atenc¸ ao a pessoa, mostrando que ela e importante

para voc e. Neste mundo agitado, em que as pessoas fazem

muitas coisas ao mesmo tempo, e raro receber esse tipo de

atenc¸ ao. Por exemplo, num de seus livros, a psic ologa

Sherry Turkle citou um jovem que nunca tinha recebido uma carta de um amigo ou de um parente. Sobre o tempo em que

as pessoas escreviam cartas, esse jovem disse: “Eu n ao

vivi naquela epoca, mas mesmo assim sinto saudades dela.”

O que voc e acha de usar essa “velha tecnologia” para conse-

guir verdadeiros amigos?

Conclus ao: Uma amizade verdadeira envolve mais do que

apenas manter contato. Bons amigos precisam demonstrar

qualidades como amor, empatia, paci encia e perd ao. S ao es-

sas qualidades que fazem uma amizade realmente valer a

pena. Mas e dif ıcil ´ ter esse tipo de amizade se voc e s o tem

amigos on-line. ˛

´

˜

´

´

´

˜

´

ˆ

´

ˆ

´

˜

´

ˆ

˜

´

`

´

´

ˆ

ˆ

´

˜

´

˜

´

˜

ˆ

ˆ

˜

ˆ

´

˜

´

TEXTOS PRINCIPAIS

‘Busque n ao somente os seus

˜

´

pr oprios interesses, mas tam-

b em os interesses dos outros.’

— Filipenses 2:4.

´

“Quem anda com s abios se torna-

´

r a ´ s abio.” — Prov erbios 13:20.

´

´

‘N os nos esforcamos¸

´

ˆ

muito

para v e-los pessoalmente.’

— 1 Tessalonicenses 2:17.

ALISABELpara v e-los pessoalmente.’ — 1 Tessalonicenses 2:17. “Todo mundo precisa ter algu em ´ com

“Todo mundo precisa ter algu em

´

com quem conversar quando est a

desanimado. Um amigo e algu em

que realmente nos entende e sabe

´

´

´

´

como nos fazer sentir melhor. E al-

gu em com quem voc e compartilha

os momentos felizes ´ e que o ajuda

nos momentos dif ıceis.”

´

ˆ

JORDAN´ e que o ajuda nos momentos dif ıceis.” ´ ˆ “Quando ´ era mais novo,

“Quando ´ era mais novo, eu era

˜

´

muito t ımido e n ao me esforcava¸

para fazer amigos. Foi a epoca

mais triste da minha vida. Mas com o tempo consegui vencer a

´

timidez. E muito importante ter

amigos que ficam do seu lado

tanto em momentos bons como

em momentos ruins.”

Despertai! N.° 1 2016 11

´ PA ISES E POVOS LIECHTENSTEIN Uma visita a Liechtenstein ´ AUSTRIA ¨ VADUZ LIECHTENSTEIN

´

PA ISES

E POVOS LIECHTENSTEIN

´ PA ISES E POVOS LIECHTENSTEIN Uma visita a Liechtenstein ´ AUSTRIA ¨ VADUZ LIECHTENSTEIN SU

Uma visita a Liechtenstein

PA ISES E POVOS LIECHTENSTEIN Uma visita a Liechtenstein ´ AUSTRIA ¨ VADUZ LIECHTENSTEIN SU ICA¸
´ AUSTRIA ¨ VADUZ LIECHTENSTEIN
´
AUSTRIA
¨
VADUZ
LIECHTENSTEIN

SU ICA¸ ´

Alte Rheinbr ucke

´

N OS Alpes, entre a Su ı ´ ca¸ e a Austria, est a um dos

´

menores pa ıses

´

do mundo. Ao longo dos s eculos,

´

os celtas, os r eticos, os romanos e os alamanos vi-

veram nessa regi ao. Hoje quase 70% da popula c¸ ao de

Liechtenstein e descendente da tribo dos alamanos,

´

que chegaram na regi ao h a uns 1.500 anos.

O idioma oficial de Liechtenstein e o alem ao, mas

tamb em s ao falados v arios dialetos no pa ıs, ´ e cada

povoado tem sua varia c¸ ao do dialeto local. Dois pra-

de Liechtenstein s ao t uarka-rebel, uma es-

pecialidade feita de milho, e k askn opfle, um tipo de

macarr ao com uma mistura de queijos.

Ao viajar pelo pa ıs, ´ e poss ıvel ´ encontrar monta-

nhas cobertas pela neve, belos vales e vinhedos, al em

de uma grande variedade de vegetac¸ ao. Por exem-

plo, nesse pequeno pa ıs ´ h a quase 50 tipos de orqu ı- ´

deas silvestres! Liechtenstein tamb em oferece mu-

seus, teatros e vin ıcolas. ´

importa a esta c¸ ao do ano.

´

´

˜

˜

˜

´

˜

´

˜

´

˜

tos t ıpicos ´

˜

˜

¨

¨

¨

´

´

´

˜

´

Tudo isso atrai turistas, n ao

˜

˜

Orqu ıdeas ´ Roupas tradicionais K askn opfle ¨ ¨ % A ponte Alte Rheinbr

Orqu ıdeas ´

Orqu ıdeas ´ Roupas tradicionais K askn opfle ¨ ¨ % A ponte Alte Rheinbr ucke,

Roupas tradicionais

K askn opfle

¨

¨

% A ponte Alte Rheinbr ucke,

h a mais de cem anos

´

¨

feita de madeira, foi constru ıda ´

de cem anos ´ ¨ feita de madeira, foi constru ıda ´ As Testemunhas de Jeov

As Testemunhas de Jeov a realizam sua obra de pre-

ga c¸ ao em Liechtenstein desde a d ecada de 1920.

Atualmente, h a cerca de 90 Testemunhas de Jeov a no

pa ıs, ´ e elas ensinam a mensagem da B ıblia ´ tantes e turistas. ˛

´

˜

´

´

´

aos habi-

TESTE SEU CONHECIMENTO

Verdadeiro ou falso? Liechtenstein

A. e um dos dois unicos pa ıses

´

´

´

no mundo cercados por

pa ıses ´

que n ao t em litoral.

˜

ˆ

B. abriga mais de 50 tipos de mam ıferos. ´

C. possui aproximadamente 1.600 esp ecies de plantas.

˜

D. e um pa ıs ´ que n ao tem um ex ercito.

´

´

´

˜ verdadeiras.ao

sTodasResposta:

silvestres

´ ´ ´ ˜ verdadeiras.ao sTodas Resposta: silvestres DADOS GERAIS Popula c¸ ao: 37.000 Capital: Vaduz

DADOS GERAIS

Popula c¸ ao: 37.000

Capital: Vaduz

Idioma oficial: Alem ao

Religi ao: Maioria

cat olico-romana

˜

˜

´

˜

O livro O Que a B ıblia

Realmente Ensina? e pu-

blicado pelas Testemu-

nhas de Jeov a em v arios

idiomas, incluindo o ale-

m ao, e est a dispon ıvel ´ on-

´

´

´

´

´

˜

line no site www.jw.org.

Despertai! N.° 1 2016

13

ale- m ao, e est a dispon ıvel ´ on- ´ ´ ´ ´ ´ ˜
´ O CONCEITO DA B IBLIA ´ C E U ´ C E U C

´

O CONCEITO DA B IBLIA

´

C E U

´

C E U

C eu e um assunto que gera muita especulac¸ ao e opini oes pol emicas.

Mas o conceito da B ıblia ´

e ´ bem diferente do que muitos aprenderam.

´

´

˜

˜

ˆ

O que eoc eu?

´

´

O QUE AS PESSOAS DIZEM Existem diversas

crencas¸ sobre o c eu e o objetivo dele. Por

exemplo:

˙

´

Muitos que afirmam ser crist aos con-

cordam com a New Catholic Encyclopedia

(Nova Enciclop edia Cat olica), que chama

o c eu de “destino final dos abencoados¸

que morrem no Senhor”.

O rabino Bentzion Kravitz diz que o ju- ´

da ısmo gira mais em torno da vida pre-

sente do que da vida ap os a morte. Ainda

assim, ele diz: “No c eu a alma vivencia o

maior prazer poss ıvel ´ — ela obt em um

entendimento mais amplo e se sente mais

´

˜

´

´

´

˙

´

´

pr oxima de Deus do que antes.” Mas ele

admite que “apesar de o juda ısmo ´

ditar no c eu, a Tor a [os cinco primeiros li-

vros da B ıblia] ´ isso”.

´

acre-

´

´

fala muito pouco sobre

˙ Hindu ıstas ´

e budistas acreditam que o

˙

´

c eu tem v arios n ıveis

eles, o c eu e um lugar onde a pessoa

fica temporariamente, at e nascer outra

´

´

espirituais. Para

´

´

´

vez na Terra ou at e atingir o nirvana, um

estado superior ao c eu.

Alguns acham que crer no c eu e algo in-

g enuo e sem sentido. Por isso, rejeitam

todos os conceitos religiosos sobre o c eu.

´

´

´

´

ˆ

´

´ O QUE A B IBLIA

DIZ Na B ´

ıblia, a palavra

“c eu” tem mais de um significado. Por

exemplo:

˙ G enesis 1:20 diz que Deus criou aves

´

ˆ

que ‘voariam por cima da terra, pela vas-

tid ao dos c eus’. Nesse caso, a palavra

“c eus” se refere a atmosfera da Terra, o

c eu vis ıvel. ´

´

˜

´

´

`

˙ Isa ıas ´ 13:10 menciona “as estrelas dos

c eus e suas constelac¸ oes”, referindo-se

ao que chamamos de espaco¸ sideral.

´

˜

˙ A B ıblia

´

fala da “morada [de Deus],

os c eus” e diz que existem “anjos

c eu”. (1 Reis 8:30; Mateus 18:10) As pa-

lavras “c eus” e “c eu” n ao s ao apenas lin-

guagem figurada; elas descrevem o lu-

gar onde Deus mora.

´

no

´

´

´

˜

˜

´

E claro que Deus e um ser espiritual, n ao f ısico. ´

´

˜

(Jo ao

˜

4:24) Assim, o lugar onde ele mora s o pode ser um dom ınio ´

espiritual, fora do universo f ısico ´

´

ou vis ıvel. ´

“Olha para baixo desde o c eu e v e da

´

ˆ

tua elevada morada, santa e gloriosa.”

Isa ıas ´ 63:15.

r
r

Encontre mais respostas a perguntas b ıblicas ´

no site www.jw.org

Todas as pessoas boas v ao para o c eu quando morrem?

˜

´

´

A B ıblia

´

n ao ensina que a Terra e apenas

˜

um lugar onde os humanos viveriam tem-

porariamente, esperando morrer e depois ir

para o c eu. E tamb em deixa claro que Deus

nunca quis que os humanos morressem. Considere o seguinte:

˙ Deus disse ao primeiro casal humano:

“Tenham filhos e tornem-se muitos; en-

´

´

cham

ra foi feita para ser a morada permanen-

te do homem, o lugar onde ele viveria

para sempre. O primeiro homem e a pri-

meira mulher s o morreriam se desobede-

cessem a Deus. Infelizmente, foi isso que

escolheram fazer. — G enesis 2:17; 3:6.

a terra.” (G enesis 1:28) A Ter-

ˆ

´

ˆ

˙ A desobedi encia do primeiro homem re-

ˆ

sultou na morte n ao apenas dele e da

sua esposa, mas tamb em dos seus des-

cendentes. (Romanos 5:12) Ser a que isso

deixou a humanidade sem esperanca?¸

˜

´

´

˙ A B ıblia

´

diz que “h a novos c eus e uma

´

´

nova terra que aguardamos segundo a

promessa [de Deus]”. (2 Pedro 3:13) Por

meio do seu Reino, Deus far a com que a

´

Terra volte a ser como ele queria, “e n ao

haver a mais morte”. (Apocalipse 21:3, 4)

Ser a que esse texto fala da vida no c eu?

Quando dizemos que “n ao haver a mais”

alguma coisa, e claro que se trata de

algo que j a existiu antes. Mas nunca exis-

tiu morte no c eu. Ent ao, e f acil concluir

que o texto b ıblico ´

acontecer na Terra. A Terra e o lugar onde

fomos feitos para viver e e onde deseja-

mos estar com as pessoas que amamos.

A B ıblia ´

voltar ao a viver e se juntar ao a seus pa-

rentes e amigos. — Jo ao 5:28, 29.

Muitas pessoas acham emocionante ´

´

˜

´

´

˜

´

´

´

´

˜

´

´

se refere ao que vai

´

´

˜

´

tamb em mostra que os mortos

´

˜

˜

realmente ensina

aprender o que a B ıblia

sobre o c eu. Por exemplo, George, que era

cat olico, diz: “Achei o ensino b ıblico ´

a vida eterna na Terra muito consolador.

sobre

´

Fazia mais sentido do que ir para o c eu.” ˛

´

A B ıblia ´

ensina que, no Reino de Deus, apenas 144 mil

humanos s ao escolhidos para reinar com Jesus no c eu.

— 1 Pedro 1:3, 4; Apocalipse 14:1.

˜

´

“Quanto aos c eus, eles pertencem a

´

˜ ˜ ´ A express ao “nova terra” n ao significa um novo planeta. ´
˜
˜
´
A express ao “nova terra” n ao significa um novo planeta.
´
˜
´
Jeov a, mas a terra ele deu aos filhos
E uma express ao simb olica e se refere a uma sociedade de
˜
pessoas aprovadas por Deus que viver ao na Terra. — Salmo
dos homens.” — Salmo 115:16.
66:4.
´
´
C eu e um assunto que
˜
gera muita especulac¸ ao
Despertai! N.° 1 2016
15

Norbert Probst/imageBROKER/age fotostock

Norbert Probst/imageBROKER/age fotostock TEVE UM PROJETO? A siba e sua habilidade de mudar de cor A

TEVE UM PROJETO?

Norbert Probst/imageBROKER/age fotostock TEVE UM PROJETO? A siba e sua habilidade de mudar de cor A

A siba e sua habilidade de mudar de cor

A SIBA consegue mudar de cor e se camuflar, ficando quase invis ıvel ´ aos

olhos humanos. De acordo com certo rela-

t orio, as sibas “s ao conhecidas por ter uma

variedade de padr oes de pele que podem mudar entre si quase que instantaneamen- te”. Como a siba faz isso?

Analise o seguinte: Para mudar de cor, a

siba usa o cromat oforo, um tipo especial de

c elula encontrado sob sua pele. Os croma-

t oforos cont em bolsas cheias de pigmentos

coloridos e s ao rodeados por m usculos bem

pequenos. Quando a siba precisa se camu-

flar, seu c erebro envia um sinal para con-

trair os m usculos em volta das bolsas. En-

t ao as bolsas e os pigmentos dentro delas

se expandem, e a siba muda rapidamente

de cor e de padr ao de pele. A siba pode usar

essa habilidade n ao apenas para se camu-

flar, mas tamb em para impressionar poss ı- ´

veis parceiros e se comunicar.

´

˜

˜

´

´

´

´

´

ˆ

˜

´

˜

´

˜

˜

Engenheiros da Universidade de Bristol, Inglaterra, desenvolveram uma pele artifi-

cial de siba. Eles colocaram discos de borra-

cha preta entre pequenos dispositivos que

funcionam como os m usculos da siba.

Quando os pesquisadores aplicaram eletri-

cidade a pele, os dispositivos se achataram

e expandiram os discos pretos, escurecen-

do e mudando a cor da pele artificial. Segundo o engenheiro Jonathan Rossiter,

as pesquisas sobre os m usculos da siba

— “as estruturas macias que a natureza faz

t ao bem” — poderiam levar a fabrica c¸ ao de

roupas que mudariam de cor numa fra c¸ ao

de segundo. Rossiter disse que as pessoas poderiam usar roupas inspiradas na siba

para se camuflar, ou simplesmente por uma

quest ao de moda.

´

`

´

˜

`

˜

˜

˜

ˆ

O que voc e acha? Ser a que a habilidade

´

da siba de mudar de cor e resultado da evo-

luc¸ ao? Ou teve um projeto? ˛

´

˜

s

n

o

p

Acesse

ou capture

o c odigo

´

g16.1-T 151103
g16.1-T
151103