Você está na página 1de 5

PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA – 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL – PE 164-2014

Programação da 3ª Etapa
9º Ano do Ensino Fundamental
Márcia Fonseca Língua Portuguesa

“É MELHOR AMAR COM SEVERIDADE DO QUE ENGANAR COM SUAVIDADE.”


Sto. Agostinho

CONTEÚDOS:
 Domínio discursivo: jornalístico – Gênero textual: entrevista jornalística, manifesto, artigo de
opinião, editorial, anúncio publicitário;
 Elementos estruturadores do texto argumentativo;
 Figuras de construção da linguagem;
 Revisando formas de coesão;
 O uso do pronome relativo;
 Orações subordinadas adjetivas (desenvolvidas e reduzidas);
 O uso da vírgula no período composto;
 Concordância nominal e verbal;
 Regência nominal e verbal;
 O uso da crase;
 Questões ortográficas.

HABILIDADES:
 Reconhecer os usos da norma-padrão da Língua Portuguesa, considerando as diferentes
situações de comunicação.
 Conhecer os usos e funções sociais da leitura e da escrita, como elemento importante ao
exercício da cidadania.
 Compreender as características próprias a cada tipo textual.
 Compreender as diferenças que existem entre os tipos textuais.
 Identificar as sequências tipológicas que compõem os textos de diversos gêneros.
 Localizar informações explícitas em textos jornalísticos.
 Inferir informações implícitas em textos jornalísticos.
 Comparar textos jornalísticos com textos de outros gêneros que abordam o mesmo assunto ou
um assunto afim, reconhecendo o tratamento dado por cada gênero a uma mesma
informação.
 Estabelecer, no interior dos textos jornalísticos, relação lógica entre os fatos e as opiniões
apresentadas.
 Estabelecer relações de causa e consequência entre as partes e elementos dos textos
jornalísticos.
 Inferir o assunto principal de textos jornalísticos, tomando como referência os elementos
constitutivos de cada gênero textual.
 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão, considerando o contexto em que foi usada.
 Reconhecer em textos jornalísticos o tema, as ideias principais e as secundárias.
 Reconhecer a finalidade e uso social de diferentes textos do domínio jornalístico.
 Reconhecer as estratégias argumentativas empregadas em textos jornalísticos.
 Reconhecer fatores extratextuais e intertextuais como relevantes à efetiva compreensão de
textos jornalísticos.
 Reconhecer as diferentes estratégias argumentativas presentes nos gêneros textuais,
pertencentes ao domínio jornalístico.
 Reconhecer a intertextualidade como fator de interpretação de textos jornalísticos.
 Reconhecer as intenções discursivas e o público-alvo dos textos jornalísticos.
 Identificar desvios da norma-padrão, em relação à acentuação, compreendendo seus
propósitos no contexto discursivo.

1
PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA – 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL – PE 164-2014

 Identificar desvios da norma-padrão, em relação à ortografia, compreendendo seus propósitos


no contexto discursivo.
 Compreender o efeito de sentido em textos que fazem uso de períodos simples e/ou de
períodos compostos.
 Analisar a estrutura sintática de períodos compostos, aplicando as nomenclaturas apropriadas,
a fim garantir a verificação dessa análise.
 Compreender a função dos pronomes na construção e compreensão de textos diversos.
 Relacionar os tipos de pronomes, presentes em textos diversos, com os substantivos aos
quais se referem.
 Dominar o emprego dos pronomes, garantindo a observância da norma-padrão, coesão,
coerência e progressão textual.
 Estabelecer relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas pelos conectores
textuais.
 Utilizar corretamente a pontuação, a fim de garantir expressividade, coesão e coerência
textual.
 Identificar, em textos diversos, o sentido do uso dos sinais de pontuação.
 Reconhecer as várias formas de uso da vírgula, considerando-a como fator central para a
coesão e a coerência textual.
 Empregar a concordância verbal e nominal, observando a norma-padrão, coesão e coerência
textual.
 Avaliar adequação da concordância verbal e nominal, considerando a situação comunicativa e
o gênero de texto.
 Empregar, de acordo com as características de cada gênero textual, os padrões adequados
de regência verbal e nominal.
 Avaliar adequação da regência verbal e nominal, considerando a situação comunicativa e o
gênero de texto.
 Utilizar a crase, garantindo a observância da norma-padrão, coesão e coerência textual.

DISTRIBUIÇÃO DE PONTOS:
 Avaliação – 35 pontos
 Trabalho literário – 5,0 pontos

DICAS DE APROFUNDAMENTO:
 Livro didático – Tudo é Linguagem (Borgatto, Bertin & Marchezi);
 Bloco de exercícios;
 Magnum-SOL;
 Registros e atividades do caderno;
 BECHARA, E. Moderna Gramática Portuguesa, 37 ed., Editora Lucerna, Rio de Janeiro, RJ, 2000.
 CUNHA, Celso. Nova Gramática do Português Contemporâneo /Celso Cunha, Luís F.Lindley
Cintra. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005.
 SACCONI, Luiz. Novíssima gramática ilustrada. São Paulo: Nova Geração, 2008.

Sites:
 www.soportugues.com.br
 www.brasilescola.com.br
 www.uol.folha.com.br
 www.gramaticaonline.com
 www.cartacapital.com.br
 www.istoe.com.br
 www.estadao.com.br
 www.revistalingua.com.br

2
PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA – 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL – PE 164-2014

LIVROS PARADIDÁTICOS

LIVRO 1

TÍTULO: “A VOLTA AO MUNDO EM 80 DIAS”


AUTOR: Júlio Verne
ADAPTAÇÃO: Walcyr Carrasco
EDITORA: FTD (diversas)
TEMAS: coragem, lealdade, aventura, história.

SOBRE A OBRA:

Phileas Fogg era um cavalheiro inglês rico, porém solitário e com


uma rotina inalterável. Um dia, encontra-se com seus amigos para a
tradicional partida de jogo noturna e acaba fazendo uma aposta: a
de que seria possível dar a volta ao mundo em 80 dias, e ele mesmo
o faria.
Então, parte no mesmo dia, acompanhado apenas de seu fiel
empregado. Nessa viagem, viverá diversas aventuras e conhecerá
vários lugares do mundo.

SOBRE O AUTOR:
Júlio Verne foi o mais velho dos cinco filhos de uma família burguesa de Nantes. É considerado
por críticos literários o precursor do gênero de ficção científica, tendo feito predições em seus
livros sobre o aparecimento de novos avanços científicos, como os submarinos, máquinas
voadoras e viagem à Lua.
Até hoje, Júlio Verne é um dos escritores cuja obra foi mais traduzida em toda a História, com
traduções em 148 línguas, segundo estatísticas da UNESCO, tendo escrito mais de 100 livros.

LIVRO 2

TÍTULO: “DOM QUIXOTE”


AUTOR: Miguel de Cervantes
EDITORA: FTD (diversas)
TEMAS: viagem, relação interpessoal, loucura, razão, história e ciência.

SOBRE A OBRA:

Dom Quixote de La Mancha (Don Quijote de la Mancha em castelhano)


é um livro escrito pelo espanhol Miguel de Cervantes y Saavedra (1547-
1616). O título e a ortografia originais eram El ingenioso hidalgo Don
Qvixote de La Mancha, com sua primeira edição publicada em Madrid no
ano de 1605. É composto por 126 capítulos, divididos em duas partes: a
primeira surgida em 1605 e a outra em 1615. É considerada a grande
criação de Cervantes. O livro é um dos primeiros das línguas europeias
modernas e é considerado por muitos o expoente máximo da literatura espanhola. Em princípios
de maio de 2002, o livro foi escolhido como a melhor obra de ficção de todos os tempos. A
votação foi organizada pelos Clubes do Livro Noruegueses e participaram escritores de
reconhecimento internacional.

SOBRE O AUTOR:
Miguel de Cervantes Saavedra foi romancista, dramaturgo e poeta castelhano. Sua obra-prima,
Dom Quixote, muitas vezes considerado o primeiro romance moderno, é um clássico da literatura
ocidental e é regularmente considerado um dos melhores romances já escritos. Seu trabalho é
considerado entre os mais importantes em toda a literatura. A sua influência sobre a língua

3
PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA – 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL – PE 164-2014

castelhana tem sido tão grande que o castelhano é frequentemente chamado de La lengua de
Cervantes (A língua de Cervantes).

LIVRO 3

TÍTULO: “A Tulipa negra”


AUTOR: Alexandre Dumas – Adaptação: Francisco Balthar Peixoto
EDITORA: FTD
TEMA: o duelo entre o bem e o mal.

SOBRE A OBRA:

Um símbolo contra a tirania e a injustiça

“A Tulipa Negra”, de Alexandre Dumas, fala do duelo entre o bem e o


mal e de um amor que nasce numa prisão
Quanto vale uma tulipa negra? Cem mil florins, na Holanda do século
XVII. Vale também inveja, difamação, traição. Ou amor, entrega,
obsessão. Em “A Tulipa Negra”, de Alexandre Dumas, a procura da
flor, “brilhante como azeviche”, é uma luta entre o bem e o mal. A
tulipa negra torna-se num símbolo contra a tirania e a injustiça.
Corre o ano de 1672. Cornélio Van Baerle recebe uma carta de Haia, do seu padrinho Cornélio
de Witt, pedindo-lhe que destrua alguns documentos comprometedores. De Witt, republicano, é
opositor de Guilherme de Orange – o Staat Houder – e, ao sair da prisão, é morto pelos
partidários da monarquia. Cornélio Van Baerle é um promissor botânico, desconhecendo que o
seu saber é motivo da profunda inveja de um tal Isaac Boxtel, seu vizinho e concorrente
profissional. É aberto um concurso para premiar o cientista que consiga produzir uma tulipa negra.
Van Baerle consegue produzir bolbos negros mas, denunciado por Boxtel às autoridades por
envolvimento em atividades contra a casa de Orange, é encarcerado, levando para a prisão os
bolbos. Na prisão, graças ao carcereiro e à sua bela filha, consegue a comutação da pena a que
havia sido condenado, bem como participar no concurso.
Depois de mil peripécias, tipicamente dumasianas, o bem triunfa em todo o esplendor.

SOBRE O AUTOR:
Alexandre Dumas (1802-1870) foi romancista e dramaturgo francês. Autor do clássico da
literatura, "Os três mosqueteiros". Suas histórias foram traduzidas em diversos países e
produziram vários filmes. Em 2002, seus restos mortais foram levados para o Panthéon, em Paris.
Escreveu cerca de 250 livros, com 73 assistentes, em particular Auguste Maquet, a quem
Dumas dava muita independência para trabalhar. Participou na Revolução de 1830 e tornou-se
capitão da Guarda Nacional, contraiu cólera em 1832 e viajou para a Itália. Em 1850, surgiu “La
Tulipe Noire”. Fundou o jornal “Le Mousquetaire”, após dois anos no exílio. Em 1858, viajou pela
Rússia e em 1860 para a Itália, onde apoiou Garibaldi e a sua luta pela independência.
Chamavam-lhe “rei de Paris”, ganhava enormes fortunas, mas gastava-as com amigos, arte e
amantes. Teve dúzias de filhos ilegítimos e apenas reconheceu três. Morreu de enfarte em 1870.
As últimas palavras foram: “Nunca saberei como tudo vai terminar.”

ROTEIRO DO TRABALHO LITERÁRIO DA ETAPA:

Conteúdos: obras literárias, resenha, leitura, interpretação e produção de texto.

Justificativa:
Levar o aluno a realizar a leitura de obras literárias relevantes, do cenário nacional e mundial, de
maneira aprofundada e contextualizada, destacando os elementos principais de cada narrativa,
informações sobre os autores, comparações entre as obras e análise crítica dos conteúdos
transdisciplinares abordados nos livros. É uma oportunidade de os alunos perceberem as
diferenças e as semelhanças das narrativas, em contextos diferentes e autores distintos.

4
PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA – 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL – PE 164-2014

Objetivos:
 Enriquecer o desempenho linguístico do aluno, levando-o a apropriar-se da norma culta tanto
pelo contato direto, na leitura, com gêneros textuais diversos, quanto na escrita, na elaboração
de sinopses e resenhas.
 Criar o hábito e o gosto pela leitura e a escrita.
 Reconhecer as características dos gêneros textuais envolvidos.
 Distinguir as principais marcas linguísticas de um texto escrito em épocas distintas.
 Perceber as características de um texto clássico da literatura.
 Perceber as características de um texto contemporâneo.
 Fazer analogias e inferências.
 Criar mecanismos para desenvolver algumas habilidades individuais e coletivas, necessárias
para elaborar e apresentar oralmente um trabalho em sala de aula.

Desenvolvimento do trabalho:
 Será realizado após a leitura das três obras.
 A turma será dividida em grupos.
 Cada grupo será responsável por discutir e organizar a apresentação de um assunto
específico de cada obra, a ser relacionado pela professora.
 Além disso, cada grupo deverá apresentar uma resenha crítica das três obras e compará-las
com relação aos aspectos linguísticos e gerais abordados em cada uma delas.
 Os trabalhos serão em PowerPoint e todos os integrantes do grupo terão que participar da
confecção ou apresentação deles; serão salvos em pen drive e copiados para a professora.
 As apresentações não devem ultrapassar 10 minutos.
 As resenhas críticas deverão ser entregues na data preestabelecida pela professora para
avaliação.
 No trabalho em PowerPoint devem constar o nome e o número de todos os integrantes do
grupo.
 As apresentações em PowerPoint seguirão a ordem estabelecida pela professora.

Critérios de avaliação:
 A resenha crítica será avaliada em relação ao seu conteúdo, organização, capricho,
pontualidade e o correto cumprimento das orientações fornecidas em sala de aula para
execução das resenhas das obras. Valor: 2,0 pontos

 Qualidade da apresentação em PowerPoint: pertinência ao tema; pertinência à proposta de


trabalho; preparação e organização em sala; criatividade; pontualidade; uso da norma culta
oral; coerência e clareza.
Valor: 2,0 pontos

 Disciplina – comportamento individual e do grupo durante a apresentação do trabalho.


Valor: 1,0 ponto

Cronograma:
 A verificação da resenha crítica e a avaliação dos trabalhos em PowerPoint serão feitas ao final
da Etapa. Data a ser passada previamente em sala de aula.
 As datas específicas de apresentação serão agendadas de acordo com o horário de cada
turma.

Você também pode gostar