Você está na página 1de 31

"Depois, nós, os que ficarmos vivos,

seremos arrebatados juntamente com


eles nas nuvens
(1TS 4.17)
0 arrebatamento da Igreja será a
completude da salvação, quando todos
os salvos serão glorificados.
I Tessalonicenses 4.13-18
13- Não quero, porém , irmãos, que sejais ignorantes
acerca dos que já dormem, para que não vos
entristeçais, como os demais, que não têm
esperança.
14- Porque, se cremos que Jesus morreu e
ressuscitou, assim também aos que em Jesus
dormem Deus os tornará a trazer com ele.
15- Dizemo-vos, pois, isto pela palavra do Senhor:
que nós, os que ficarmos vivo s para a vinda do
Senhor, não precederem os que dormem.
16- Porque o mesmo Senhor descerá do céu com
alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de
Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão
primeiro;
17- depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos
arrebatados juntam ente com eles nas nuvens, a
encontrar o Senhor nos ares, e assim estarem os
sempre com o Senhor.
18- Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas
palavras.
Na lição de hoje, estudaremos a respeito de um dos
acontecimentos mais gloriosos e esperados desde
que o Senhor Jesus foi assunto aos céus — o
arrebatamento da Igreja. Esta lição é de máxima
importância para os nossos dias, já que ultimamente
se ensina tão pouco a respeito da volta de Jesus.
Na primeira fase de sua vinda, no arrebatamento da
Igreja, Jesus não tocará na Terra. Ele estará "nos ares"
ou "nas nuvens" (1 Ts 4.17).
1. A reunião dos salvos no encontro com Cristo. A
palavra arrebatamento no grego é harpazo. Este
vocábulo dá a ideia de rapto, ou de remoção
repentina, de modo súbito.
O arrebatamento da Igreja reunirá os que morreram
em Cristo, isto é, confessaram a Jesus como seu
Salvador e permaneceram fiéis até a morte
(Ap 2.10; 1 Ts 5.23), e os que estiverem vivos,
aguardando o glorioso evento (1 Ts 4.13).
2. Quem será arrebatado? Todos os salvos que foram
transformados mediante o novo nascimento. Só
chegarão aos céus aqueles que lavaram suas vestes
no sangue do Cordeiro. A vida cristã não é fácil, exige
renúncia.
O caminho que conduz ao céu é estreito. Todo crente,
em sua jornada aqui na terra, enfrenta montes e
vales, alegrias e tristezas. Infelizmente, muitos não
perseveram e acabam voltando atrás, se desviam e
acabam vencidos pela carne, o mundo e Satanás.
Seja fiel, meu irmão e minha irmã, pois há uma
recompensa para os que são fiéis e igualmente para
todos os infiéis.
A Palavra de Deus alerta que no grande dia do Senhor
os ímpios "ficarão de fora" (Ap 22.15), mas os que
permaneceram no Senhor serão transformados e
subirão para se encontrar com Deus. A promessa do
arrebatamento e do céu é para quem vencer
(Ap 3.12). Não desista!
1. A ignorância acerca dos mortos (1 Ts 4.13). Ao
fazermos uma leitura atenta das primeiras Epistolas
aos Tessalonicenses e Coríntios, vemos que os crentes
tinham muitas dúvidas acerca dos mortos em Cristo
(1 Co 15.12-23, 35-54). Erroneamente, acreditavam
que na volta de Jesus, os que já haviam morrido não
tinham mais esperança de ressuscitar.
Atualmente, muitos também têm dúvidas quando o
assunto é acerca dos que já dormem.
Porém, a Palavra de Deus assegura-nos que os mortos
hão de ressuscitar: "Porque, se cremos que Jesus
morreu e ressuscitou, assim também aos que em
Jesus dormem Deus os tornará a trazer com ele"
(1 Ts 4.14).
Em outra ocasião, tratando desse mesmo assunto,
Paulo ainda afirma: "Mas, agora, Cristo ressuscitou
dos mortos e foi feito as primícias dos que dormem.
Porque, assim como a morte veio por um homem,
também a ressurreição dos mortos veio por um
homem.
Porque, assim como todos morrem em Adão, assim
também todos serão vivificados em Cristo. Mas cada
um por sua ordem: Cristo, as primícias; depois, os que
são de Cristo, na sua vinda" (1 Co 15.20-23).
Não precisamos nos preocupar com aqueles que já
dormem com o Senhor, pois quando chegarmos
aos céus os encontraremos.
2.A primeira e a segunda ressurreição. É a
ressurreição dos salvos, daqueles que esperam a volta
de Jesus. 0 primeiro a dar início à primeira
ressurreição foi Jesus. Ninguém reviveu, vencendo
a morte física, definitivamente ou para sempre, antes
dEle. Cristo é "as primícias dos que dormem",
conforme disse Paulo (1 Co 15.20).
Contudo, na primeira ressurreição, farão também
parte desse evento glorioso: ”as duas testemunhas"
(Ap 11.1-12); o grupo dos "mártires", aqueles que
aceitarão a Cristo na "grande tribulação" (Ap 7.917).
A segunda ressurreição será para os ímpios, após o
milênio (Ap 20.5,6).
3. A transformação dos crentes que estiverem vivos
quando Jesus voltar. Os salvos que estiverem vivos na
volta de Jesus serão arrebatados e transformados
(1 Ts 4.17). A transformação dos vivos é um mistério:
"Eis aqui vos digo um mistério:[...] nós seremos
transformados.
Porque convém que isto que é corruptível se revista
da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revista da
imortalidade“ (1 Co 15.51-53). Pela transformação, o
corpo se tornará espiritual e glorificado.
Diz a Bíblia "que carne e sangue não podem herdar o
Reino de Deus, nem a corrupção herdar a
incorrrupção“ (1 Co 15 50). Com corpos glorificados,
semelhantes ao de Jesus (Fp 3.21), os salvos poderão
ir "ao encontro do Senhor nos ares".
1. Antes, é preciso vigilância. Como já é do seu
conhecimento, todo crente deve estar preparado a
cada dia, a cada instante para o arrebatamento. Ao
deitar e ao levantar, o crente precisa estar preparado
espiritualmente, pois, quando "a trombeta de Deus"
tocar, anunciando a volta de Cristo, não haverá mais
tempo, um segundo sequer, para alguém se preparar.
Os pais não poderão avisar aos filhos; os esposos não
poderão avisar às esposas e vice-versa. Todos esses
alertas devem ser dados agora, no dia que se chama
hoje. Porque, no arrebatamento, os eventos finais
serão de uma rapidez surpreendente, "num abrir e
fechar de olhos" (1 Co 15.52).
2. Depois, viveremos felizes para sempre. Jesus, a
expressão máxima do amor de Deus, voltará para
buscar a sua amada Igreja (3o 14.3). A Igreja, a
"Noiva do Cordeiro", há de se encontrar com seu
"Noivo", nas nuvens, e viverão felizes por toda a
eternidade. Desde o seu início, a Igreja tem sofrido
todo tipo de perseguição e infortúnio.
Mas em todos os embates, ela saiu vitoriosa. Porque
Jesus, o Noivo, afirmou: “[...] edificarei a minha igreja,
e as portas do inferno não prevalecerão contra
ela" (Mt 16.18). Atualmente a Igreja e os crentes são
perseguidos em muitos países, mas a Noiva do Senhor
subirá ao encontro dEle, para encontrá-lo "nas
nuvens" (1 Ts 4.17).
João viu o final da história dos cristãos e alegrou-se
muito: "Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe
glória, porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a
sua esposa se aprontou" (Ap 19.7).
No grande evento
(o arrebatamento
da Igreja),
esperado pelos
salvos, dar-se-á a
reunião de todos
os filhos de Deus,
que nEle crêem,
desde a fundação
do mundo.
Os mortos serão ressuscitados e os vivos serão
arrebatados. Por isso, se você crê no arrebatamento
da Igreja, tenha esperança e procure
purificar-se a cada dia mais, pois em breve a Igreja do
Senhor não estará mais neste mundo tenebroso
(1 Jo 3.3).

Você também pode gostar