Você está na página 1de 14

Salve

O que as rachaduras nas estruturas de concreto querem dizer?

As fendas, classificadas conforme sua espessura como fissuras, trincas ou rachaduras,


são manifestações patológicas que afetam a construção civil e que podem interferir
negativamente na estética, na durabilidade e, principalmente, nas características
estruturais da obra. Acontecem em qualquer lugar, mas principalmente em paredes,
vigas, pilares e lajes e, geralmente, são causadas por tensões não previstas nos projetos.

As fissuras, normalmente, são de menor gravidade. Em geral, aparecem mais na


superfície da peça estrutural. São estreitas e alongadas, com aberturas com menos de 0,5
mm. Às vezes nem são visíveis a olho nu. Geralmente não implicam em problemas
estruturais, porém podem evoluir para consequências mais graves. É importante
observar se a fissura evolui com o decorrer do tempo ou se permanece estável, pois ela
pode ser o primeiro estágio da trinca e da rachadura.
As trincas são aberturas mais acentuadas e profundas, de 0,5 a 1,5 mm. Podem ser
visualizadas a olho nu e são bem mais perigosas que as fissuras pois já ocorreu a ruptura
do elemento estrutural e podem afetar a segurança da peça.

As rachaduras são fendas com abertura superior a 1,5 mm, profundas e bem destacadas.
Com esta magnitude permitem que o ar e a água penetrem no interior da peça, o que
exige atenção imediata. Podem gerar corrosão da armadura ou reações químicas
indesejadas no material. Não se deve simplesmente fechá-las sem pesquisar a causas e
providenciar a solução do problema que a originou.

De forma mais explícita, pode-se dizer que as principais razões que podem estar
relacionadas à ocorrência dessas fendas são as seguintes:

 Comprometimento estrutural não previsto: devido a cálculos mal elaborados e


sobrecargas de uso previstas inadequadamente;
 Acomodação não prevista de elementos construtivos: sempre que se constrói uma
edificação, há uma acomodação do solo, um assentamento em maior ou menor grau.
Assim, dependendo de como foi feita a fundação, uma parte da construção pode
ceder mais que a outra e com esse deslocamento causar as fendas, conhecido na área
técnica como recalque diferencial;
 Retirada antes do tempo de elementos de escoramento: durante a fase construtiva
é necessário aguardar que as peças estruturais adquiram uma resistência mínima
antes de se retirar o escoramento. Por exemplo, as lajes e vigas devem permanecer
apoiadas, pelo menos, por 28 dias;
 Dilatação térmica: algumas partes do edifício ficam mais ou menos expostas ao sol
durante períodos do dia, assim dilatam ou retraem mais do que outras, podendo
causar as fendas, como uma laje que dilata com o sol causando as trincas;
 Retração do material: é a perda de água por reações químicas ou evaporação nas
camadas de revestimento e em peças de concreto como lajes, pilares e vigas. Por
exemplo, a tinta no período de secagem, a argamassa de reboco, a laje ao receber
muito sol e pelas reações químicas do cimento, em todos estes casos ocorre à perda
da umidade e assim as peças retraem, seu tamanho é reduzido e podem surgir
fissuras;
 Infiltração: quando há algum vazamento ou má impermeabilização da laje ou
reservatórios acontece a entrada de água para o interior da peça, no caso do concreto
a água penetrará e aos poucos atingirá a armadura de ferro provocando sua oxidação
e, consequentemente, aumento de diâmetro das barras, o que ocasionará na pressão
do concreto e daí o início das rachaduras. A consequência disto será a queda de
partes do concreto, deixando a ferragem exposta, acelerando o processo de corrosão;
 Vibrações e trepidações: fundações mal projetadas em conjunto com excesso de
veículos trafegando na rua, elevadores, proximidades com obras e metrô são algumas
razões para ocorrer as vibrações contínuas e assim causar as rachaduras e trincas;
 Defeitos na formulação do produto e erros na aplicação: O traço do concreto,
representado pela proporção dos diversos materiais que o compõem, deve ser muito
bem dimensionado, pois é fundamental para se obter a resistência para suportar as
cargas prevista. Uma argamassa com muita ou pouca água, ou sendo utilizada após
seu período de pega, pode ocasionar inúmeras fissuras no revestimento de uma
parede.
Veja abaixo quais as causas de cada tipo de fendilhamento:

Fissuras em viga por insuficiência de armadura positiva


Guardar no Meu ArchDaily
© Matheus Pereira
Prováveis causas:

 Insuficiência de armadura longitudinal;


 Ancoragem insuficiente da armadura positiva;
 Sobrecargas acima do previsto no cálculo estrutural.
Fissura em viga por insuficiência de armadura negativa

Guardar no Meu ArchDaily


© Matheus Pereira
Prováveis causas:

 Insuficiência de armadura longitudinal (negativa);


 Ancoragem insuficiente da armadura negativa;
 Sobrecargas acima do previsto no calculo estrutural.
Fissura em viga por cisalhamento

Guardar no Meu ArchDaily


© Matheus Pereira
Prováveis causas:

 Insuficiência de armadura transversal (estribos);


 Concreto de baixa resistência;
 Sobrecargas acima do previsto no cálculo estrutural;
 Estribos mal posicionados
Fissuras em viga por retração do concreto

Guardar no Meu ArchDaily


© Matheus Pereira
Prováveis causas:

 Secagem prematura do concreto (cura inadequada provocando a evaporação da


água);
 Contração térmica devido a diferenças de temperatura;
 Relação água-cimento inadequada;
 Adensamento inadequado ou concreto mal vibrado.
Fissuras em pilar por recalque da fundação

Guardar no Meu ArchDaily


© Matheus Pereira
Prováveis causas:

 Recalque de fundação;
 Carga superior à prevista;
 Concreto de resistência inadequada.
Fissuras em pilar por insuficiência de estribos

Guardar no Meu ArchDaily


© Matheus Pereira
Prováveis causas:

 Insuficiência de estribos;
 Sobrecarga da armadura longitudinal;
 Flambagem da armadura longitudinal.
Fissuras em laje por insuficiência de armadura positiva

Guardar no Meu ArchDaily


© Matheus Pereira
Prováveis causas:

 Insuficiência de armadura positiva;


 Sobrecarga acima do previsto no cálculo estrutural;
 Ancoragem insuficiente da armadura.
Fissuras em laje por sobrecarga excessiva

Guardar no Meu ArchDaily


© Matheus Pereira
Prováveis causas:

 Espessura insuficiente do concreto;


 Sobrecarga acima do previsto no cálculo estrutural.
Fissuras nos cantos de janelas e portas

Guardar no Meu ArchDaily


© Matheus Pereira
Prováveis causas:

 Sobrecargas não previstas;


 Vergas e contra-vergas inexistentes ou mal executadas.
Trincas em alvenarias de fachadas

Guardar no Meu ArchDaily


© Matheus Pereira
Prováveis causas:

 Encunhamento prematuro da alvenaria;


 Deficiência do método de encunhamento;
 Deformações por flexões de lajes e vigas que sustentam as paredes.
Trincas inclinadas em fachadas

Guardar no Meu ArchDaily


© Matheus Pereira
Prováveis causas:

 Tensões de cisalhamento
Pode-se dizer que, ao se constatar o aparecimento de fendas em elementos estruturais
como pilar, viga ou laje, ou mesmo em paredes, é necessário comunicar o problema ao
engenheiro calculista ou, caso não seja possível, chamar outro profissional habilitado,
para se possa estabelecer um diagnóstico preciso e determinar as alternativas para
correção do defeito para que se providenciem os devidos reparos.