Você está na página 1de 3

A paz do Senhor igreja, muito grato sou por estar aqui na casa do Senhor e poder

adorar aos nosso Deus. Hoje, domingo, culto da família e neste momento
abdicamos de todas as coisas terrenas e nos dedicamos ao senhor, Deus de
Israel e ele se agrada muito dessa sua atitude igreja que deixamos todas coisas
do mundo do lado de fora para estar aqui adorando, glorificando e estando com
o pai.

Neste momento gostaria de explanar sobre uma palavra que Deus colocou no
meu coração, sobre um tema que se em alguns versículos que estarei
explanando. Vocês podem acompanhar a leitura ou no telão. Amém.

Em 1° João capitulo 2 de 15 a 17

15. Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém ama o mundo, o amor
do Pai não está nele.
16. Pois tudo o que há no mundo - a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a
ostentação dos bens - não provém do Pai, mas do mundo.
17. O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus
permanece para sempre.

Em Matheus capitulo 6 de 19 a 21

19. Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e
onde os ladrões minam e roubam;
20. Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem,
e onde os ladrões não minam nem roubam.
21. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.

Amém, Glória a Deus. Existe uma História que é possível traçar um paralelo
entre esses versículos e o sentimento de cobiça que muitas vezes o homem tem.
E também sobre as oportunidades que a gente sempre tem diante de nós e nem
sempre percebe e nem sempre a gente vê, as vezes as coisas estão perto e
vamos, muitas vezes, tão longe buscar.

Havia um homem chamado Ali Hafed, no Irã. Fazendeiro, estava contente com
sua situação. Sua fazenda era excelente e rendosa. Tinha esposa e filhos. Criava
carneiros, camelos e plantava trigo. E ele mesmo dizia: - “Se um homem tem
esposa, filhos, camelos, saúde e paz de Deus, é um homem rico! ”

E Ali Hafed continuou rico até que, certo dia, um sacerdote veio visitá-lo e
começou a falar para ele sobre algo que ele nunca ouviu falar antes. Diamantes!
E o sacerdote comentava: “Diamantes cintilam como um milhão de sóis, na
verdade, eles são a coisa mais linda do mundo e mais valiosa que existe. ” De
repente, Ali Hafed passou a sentir que o que tinha era pouco. E começou a ficar
descontente com o que possuía. Já não via mais tanto valor naquilo tudo e
perguntou ao sacerdote:

- “Onde se podem encontrar esses diamantes? Eu quero Diamantes. ”

O sacerdote respondeu: “Dizem que é possível achá-los em qualquer parte do


mundo. Procure um riacho de águas transparentes correndo sobre a areia
branca, em região montanhosa, e ali você achará diamantes. ”

Ali Hafed não pensava em outras coisas desde então.

Ai Ali Hafed, então tomou uma decisão, vendeu a fazenda, sua terrinha, confiou
esposa e filhos aos cuidados de um vizinho, e se lançou em sua jornada à
procura de diamantes, ao seu empreendimento, foi empreender na busca de
diamantes. Viajou pela Palestina, depois ao longo do vale do Nilo, até que afinal,
encontrou-se junto às colunas de Hércules, entrando a seguir na Espanha.
Estava ai um tempo, sumido e nunca mais deu notícias. Estava quebrado, sem
recursos para voltar ou se comunicar com a família e sem condições de
comunicar-se com a família. Num acesso de desespero, profundamente
deprimido, lançou-se ao mar e morreu.

Nesse ínterim, o homem que adquiriu a fazenda de Ali Hafed achou uma curiosa
pedra negra, enquanto seu camelo matava a sede num riacho da propriedade.
Levou a pedra para casa, colocou-a sobre a lareira e esqueceu-se dela. “Aposto
que muitos já mataram a história”. Um dia apareceu o sacerdote, outra vez.
Olhou acidentalmente para a pedra negra e notou um lampejo colorido brotando
de um ponto de onde saíra uma lasca. E disse ao fazendeiro:

“Um diamante! Onde o achou? ”

“Encontrei-o nas frias areias do riacho de águas claras onde levo meu camelo
para beber água, ” disse o fazendeiro.

Então juntos, arrebanhando as túnicas e correndo tão depressa quanto


permitiam as sandálias, dispararam rumo ao riacho. Começaram a cavar e
acharam outro diamante, acharam cada vez mais e mais diamantes! Esse
achado se transformou na Mina de Diamantes Golconda – a maior mina de
diamantes do mundo! A mina de Golconda é de onde veio o diamante Koh-i-
Noor, que faz parte das joias da coroa da Inglaterra, e de onde veio, também, o
diamante Orloff, que faz parte das joias da coroa da Rússia, um dos maiores que
existem.
A lição é clara. Os diamantes lá estavam, o tempo todo, no quintal de Ali Hafed.
Só que ele não os vira. E, por isso, gastara a vida numa busca inútil! Longe
dali. Seja qual for a situação em que se encontre, há diamantes esperando por
ser encontrados. E é muito provável que eles estejam mais perto do você
imagina. Que o grande diamante da sua vida esteja bem perto de você.

“É praticamente uma lei na vida que quando uma porta se fecha para nós, outra
se abre. A dificuldade está em que, frequentemente, ficamos olhando com tanto
pesar a porta fechada, que não vemos aquela que abriu. ”

Neste momento igreja Deus quer ser seu maior Diamante, ele que não que você
se contente com os tesouros que essa terra tem a te oferecer, ele quer que você
habite o Reino dos céus e lá terá os melhores diamantes para sua vida, assim
como os diamantes que Ali Hafed buscava e estavam no quintal dele o tempo
todo, Deus tem um plano muito maior para nossas vidas e ele está mais perto
do que imaginamos muitas vezes. Por isso igreja mesmo que fomos criados
nesta terra tendo em nossas mentes que devemos juntar tesouros aqui nessa
terra, Deus está pertinho de nós e não quer que nos aventuremos numa busca
inútil. Assim, devemos nos preocupar mais com as nossas ações aqui na terra,
para nos céus colher os tesouros que Deus tem preparado os nós, seus filhos,
aqueles que fazem a boa obra dele.

Amém. Agradeço a oportunidade de estar aqui trazendo essa palavra e gostaria


de fazer uma oração para abrirmos o culto.

Interesses relacionados