Você está na página 1de 1

Arquivo de impressão gerado em 25/07/2018 09:06:18 de uso exclusivo de INSTITUTO LAB SYSTEM DE PESQUISAS E ENSAIOS LTDA

Arquivo de impressão gerado em 25/07/2018 09:06:18 de uso exclusivo de INSTITUTO LAB SYSTEM DE PESQUISAS E ENSAIOS LTDA

ABNT NBR IEC 61439-1:2016

com a variante mais desfavorável de separação interna (se existir) com respeito ao tamanho das aberturas de ventilação; e

com o invólucro tendo a maior potência dissipada por volume instalado; e

com a variante de ventilação, a mais desfavorável no que se refere ao tipo de ventilação (convecção natural ou forçada) e tamanho de aberturas de ventilação.

Se a unidade funcional puder ser configurada em orientações diferentes (horizontal, vertical), então a configuração mais severa deve ser ensaiada.

NOTA

Ensaio adicional pode ser realizado a critério do fabricante original para configurações e variantes

menos críticas de unidades funcionais.

  • 10.10.2.3 Métodos de ensaio

10.10.2.3.1 Generalidades

Três métodos de ensaio que são indicados em 10.10.2.3.5 a 10.10.2.3.7 diferem no número de ensaios necessários e na utilização possível dos resultados dos ensaios; uma explicação é fornecida no Anexo O.

O ensaio de elevação de temperatura nos circuitos individuais deve ser realizado com o tipo de corrente para o qual eles são previstos e à frequência de projeto. Pode ser utilizado qualquer valor conveniente da tensão de ensaio para produzir a corrente desejada. As bobinas de relés, os contatores, os disparadores etc. devem ser alimentados com a tensão nominal de utilização.

O CONJUNTO deve ser montado como em uso normal, com todas as coberturas, inclusive placas de cobertura inferior etc. no lugar.

Se o CONJUNTO incluir fusíveis, estes devem ser equipados para o ensaio com elementos fusíveis como especificado pelo fabricante. As potências dissipadas nos elementos fusíveis utilizados para o ensaio devem ser indicadas no relatório de ensaio. A potência dissipada no elemento fusível pode ser determinada por medição ou, alternativamente, como indicado pelo fabricante do elemento fusível.

As dimensões e a disposição dos condutores externos utilizadas para o ensaio devem ser mencionadas no relatório de ensaio.

O ensaio deve ter uma duração suficiente para a elevação de temperatura atingir um valor constante. Na prática, esta condição é atingida quando a variação de todos os pontos de medida (inclusive a temperatura ambiente) não exceder 1 K/h.

Para reduzir o tempo do ensaio, se os dispositivos permitirem isto, a corrente pode ser aumentada durante a primeira parte do ensaio, sendo reduzida, posteriormente, à corrente de ensaio especificada.

Quando um comando eletromagnético for energizado durante o ensaio, a temperatura é medida quando o equilíbrio térmico é atingido no circuito principal e no comando eletromagnético.

O valor médio das correntes de ensaio de entrada reais deve estar compreendido entre – 0 % e +3 % dos valores previstos. Cada fase deve corresponder a ± 5 % do valor previsto.

Os ensaios podem ser realizados separadamente em uma coluna do CONJUNTO. Para que o ensaio seja representativo, as superfícies externas às quais as seções adicionais podem ser conectadas devem ser isoladas termicamente com uma cobertura para prevenir qualquer esfriamento impróprio.

64

© IEC 2011 - © ABNT 2016 - Todos os direitos reservados