Você está na página 1de 10

05/11/2015

Introdução
UGA

Aula 13 - Circuitos • Nessa aula serão apresentados alguns circuitos


Integrados para utilizados em condicionadores de sensores
automotivos e em circuitos de controles de
Automotiva atuadores.
UGA

Leitura de Sensor de Temperatura MAT / CLT Leitura de Sensor de Pressão MAP


UGA UGA

3 4

1
05/11/2015

Leitura de Sensor de Vazão de Ar MAF Leitura de Sensor Pedal Acelerador


UGA UGA

5 6

Leitura de Sensor TPS Leitura de Sensor Sonda Lambda


UGA UGA

7 8

2
05/11/2015

Circuito Integrado LM1949 – Bico Injetor Circuito Integrado LM1949 – Bico Injetor
UGA UGA

• Para o sistema de controle de abertura dos bicos de


injeção foi utilizado o circuito integrado LM1949.

• Este circuito é responsável por realizar a interface


entre a válvula injetora de combustível e o
microcontrolador.

9 10

Circuito Integrado LM1949 – Bico Injetor Circuito Integrado LM1949 – Bico Injetor
UGA UGA

• Esse circuito funciona da seguinte forma: quando um


sinal de comando enviado pelo microcontrolador é
aplicado no pino 1 do LM1949 (sinal lógico de 5V)
provoca a ativação de um sinal no pino 2.

• Esse sinal no pino 2 comanda um transistor de


potência que faz com que o bico injetor seja ligado,
resultando na injeção de combustível.

11 12

3
05/11/2015

Circuito Integrado LM1949 – Bico Injetor Circuito Integrado LM1949 – Bico Injetor
UGA UGA

• Além da atuação no controle de válvula injetora, esse • Quando a tensão é maior do que 0,4V o sistema
circuito possui um sistema de proteção de curto- reduz a corrente para 1A mantendo-a nesse valor.
circuito, que é realizado através da resistência Rs e Esse circuito chama-se peak and hold.
do pino 4 do LM1949.
• Além do sistema de controle da corrente o circuito
• Esse sistema mede a tensão em cima da resistência possui um diodo zener responsável em limitar a
Rs e compara com uma tensão de 0,4V(o que tensão produzida pelo bico injetor quando ele é
corresponde à uma corrente de 4A) . acionado (limitada em 33V).

13 14

Circuito Integrado VB325 – Ignição Circuito Integrado VB325 – Ignição


UGA UGA

• Para o sistema de controle de bobina de ignição foi


utilizado o circuito integrado VB325.

• Este circuito é responsável por realizar a interface


entre a bobina de ignição e o microcontrolador.

• A Figura a seguir apresenta um circuito típico usando


o VB325.

15 16

4
05/11/2015

Circuito Integrado VB325 – Ignição Circuito Integrado VB325 – Ignição


UGA UGA

• Esse circuito funciona da seguinte forma: quando • Além da atuação no controle de bobina de ignição, o
um sinal de comando enviado pelo microcontrolador VB325 possui o pino FLAG que retorna uma tensão
é aplicado no pino VIN do VB325 (sinal lógico de 5V) proporcional à corrente que passa pela bobina de
e o pino de Enable (E) está em nível lógico zero, ignição.
resulta na ativação da bobina de ignição ligada ao
pino HVc do VB325. • Internamente o VB325 possui um diodo zener que
protege a saída contra sobretensão de até 380V e
também possui uma proteção com limitação da
corrente da bobina de ignição.
17 18

Ponte H – Circuito L298 Ponte H – Circuito L298


UGA UGA

• O funcionamento da Ponte H pode ser descrito,


• A Ponte H é a denominação de um circuito eletrônico basicamente, por quatro chaves conforme a Figura.
composto basicamente por quatro transistores e que
tem como objetivo controlar o sentido da corrente
que circula na carga.

• Em geral esse circuito é amplamente utilizado no


controle do sentido e velocidade de rotação nos
motores de corrente contínua.

19 20

5
05/11/2015

Ponte H – Circuito L298 Ponte H – Circuito L298


UGA UGA

• O acionamento pré-determinado dessas chaves


impõem o sentido da corrente que irá circular no • A substituição das chaves por transistores permite o
motor de corrente contínua que compõe a trava controle do sentido de rotação por meio de sinais
elétrica, conforme Figura Anterior (B) e (C) . elétricos.
• As chaves de um mesmo braço não podem ser
acionadas ao mesmo tempo, como por exemplo, S1 e • Circuitos adicionais podem ser utilizados para
S4 ou S2 e S3. facilitar o comando e não permitir os estados
• Pois a ligação dessas chaves proporcionará um proibidos das chaves.
estado de curto circuito da fonte de alimentação,
podendo assim ocorrer à queima das chaves, dos fios
ou da própria fonte. 21 22

Ponte H – Circuito L298 Ponte H – Circuito L298


UGA UGA

• O circuito integrado (CI) L298, conforme a figura é


um circuito integrado que possui internamente duas • O CI L298 é um driver de alta tensão e alta corrente,
Pontes H. podendo operar com até 46 Volts de alimentação e
conduzir uma corrente de até 2 Ampères (por canal)
para a carga.

• A entrada do L298 é projetada para aceitar níveis


lógicos padrão TTL e acionar cargas indutivas como
relés, solenoides, motores de corrente contínua e
motores de passo.
23 24

6
05/11/2015

Ponte H – Circuito L298 Ponte H – Circuito L298


UGA UGA

• O L298 possui duas entradas de habilitação (EnA e • Um entrada de alimentação adicional é fornecida de
EnB) que são fornecidas para ativar ou desativar o modo que a lógica funcione em um nível de tensão
dispositivo, independentemente dos sinais de mais baixa.
entrada (In1, In2, In3 e In4).
• O circuito interno da L298 é apresentado na Figura a
• Os emissores dos dois transistores inferiores de cada seguir. Os resistores Rsa e Rsb podem ser suprimidos
ponte são ligados entre si e ao terminal se não desejarmos medir a corrente ou se a potência
correspondente externo, possibilitando a ligação de de pico da carga for inferior a 2A.
uma resistência externa para medir a corrente ou
limitá-la. 25 26

Ponte H – Circuito L298 Ponte H – Circuito L298


UGA UGA

• Cada Ponte H interna da L298 é controlada por 3


entradas, sendo duas para determinar a circulação
interna da corrente (In1 e In2 ou In 3 e In4) e uma
entrada de habilitação (EnA ou EnB) que ativa ou
desativa a Ponte H independente das entradas de
controle ou pode ser utilizada para o controle da
velocidade de um motor com PWM (modulação por
largura de pulso).

27 28

7
05/11/2015

Ponte H – Funcionamento do L298 Ponte H – MC33186


UGA UGA

EnA In1 In2 Motor A EnB In3 In4 Motor B • O CI (circuito integrado) MC33186 é fabricado pela
0 X X Parado 0 X X Parado empresa Freescale e é certificado para aplicações
automotivas.
1 0 0 Parado 1 0 0 Parado
Girando Girando • Esse circuito integrado é composto por uma ponte H
1 0 1 1 0 1
Anti-Horário Anti-Horário (circuito composto internamente por quatro
transistores), responsável pelo controle do motor do
Girando Girando
1 1 0 1 1 0 atuador da válvula borboleta eletrônica.
Horário Horário
1 1 1 Parado 1 1 1 Parado 29 30

Ponte H – MC33186 Ponte H – MC33186


UGA UGA

• A seguir são apresentadas as especificações do • A seguir são apresentadas as especificações do


MC33186: MC33186:
– Tensão de operação de 5 Volts até 28 Volts; – Proteção contra curto-circuito de 8A;
– Proteção contra transientes de até 40 Volts; – Frequência de operação de até 20KHz.
– Resistência de Canal do MOSFET quando ligado de – Proteção de aquecimento excessivo de
150 mΩ na temperatura de 25°C; temperatura;
– Corrente contínua de operação menor ou igual a – Entradas de controle compatíveis com níveis
5A; TTL/CMOS.

31 32

8
05/11/2015

Ponte H – MC33186 Ponte H – MC33186


UGA UGA

• Diagrama em blocos do CI MC33186. • Pinos e Encapsulamento do CI MC33186.

33 34

Ponte H – MC33186 Ponte H – MC33186


UGA UGA

• As funções dos pinos do MC33186 são mostradas a


• As funções dos pinos do MC33186 são mostradas a seguir:
seguir: – O pino COD é uma entrada lógica que quando ligado no
– Os pinos IN1, IN2, DI1 e DI2 são pinos de entrada lógica, terra (GND) ou desconectado, estabelece que em caso de
responsáveis pelo controle dos transistores da ponte H, e uma falha no CI (curto-circuito, aquecimento excessivo,
seu funcionamento é conforme a Tabela. etc) que o mesmo deve ser reinicializado por uma
mudança de nível em DI1 ou DI2. Se o pino COD for ligado
– Os pinos OUT1 e OUT2 são pinos de saída da ponte H onde em VCC os pinos DI1 e DI2 são desativados e a
o motor deve ser ligado. reinicialização do CI deve ser feita por mudança de nível
– Os pinos Vbat e PGND são os pinos da alimentação do em IN1 ou IN2.
circuito integrado onde deve ser ligado respectivamente a – O pino SF é uma saída lógica para indicar o status de
tensão da bateria (12V) e o terra do veículo (GND). funcionamento do CI conforme a Tabela a seguir.
35 36

9
05/11/2015

Ponte H – MC33186

Estado Entradas Saídas


UGA

FIM
D D I I SF SF
OU OU
UGA
I I N N (COD = (COD =
T1 T2
1 2 1 2 L) H)
Frente L H H L H H H L
Reverso L H L H H H L H
Rodando Livre
L H L L H H L L
Nível Baixo
Rodando Livre
Nível Alto
L H H H H H H H Circuitos Integrados para
Desabilitado 1 H X X X L H Z Z
Desabilitado 2
Limite de
X
L
L
H
X
X
X
X
L
H
H
H
Z
Z
Z
Z
Automotiva
Corrente Ativo
Subtensão X X X X L L Z Z
Aquecimento
X X X X L L Z Z
Excessivo
Corrente
X X X X L L Z Z
37 38
Excessiva

10

Você também pode gostar