Você está na página 1de 2

• Complemento indireto

Escola Secundária Cacilhas –Tejo Função sintática desempenhada por um complemento preposicional exigido
1. FUNÇÕES SINTÁTICAS pelo verbo, que pode ser substituído pelo pronome pessoal: -lhe, -lhes.
As funções sintáticas têm lugar no interior da frase e podem ocorrer em Exemplos: O Pedro telefonou à mãe. / O Pedro telefonou-lhe.
diferentes planos: • Ao nível da frase;• Internas ao grupo verbal;• Internas ao A Sofia deu uma prenda à prima. / A Sofia deu-lhe uma prenda.
grupo nominal. • Complemento oblíquo
1.1 Funções sintáticas ao nível da frase Função sintática desempenhada por um grupo preposicional ou por um grupo
As funções sintáticas que têm lugar ao nível da frase são as seguintes: sujeito, adverbial que não pode ser substituído pelo pronome pessoal: -lhe, -lhes. Trata
predicado, modificador e vocativo. -se de um grupo de palavras essencial ao verbo, pelo que não pode ser
• Sujeito eliminado da frase.
Função sintática desempenhada pelos elementos da frase que concordam com Exemplos: O João vai à Madeira. (*O João vai-lhe. / *O João vai.)
o verbo e que podem ser substituídos por um dos pronomes O João gosta de bolos. (*O João gosta-lhes. / *O João gosta.)
ele/ela/eles/elas/isso (isto). Nota: O símbolo * assinala o facto de o complemento não poder ser
Exemplos: Os meus alunos são muito interessados./ Eles são muito substituído pelo pronome na forma -lhe, -lhes nem ser possível eliminar o
interessados. complemento da frase.
O que me disseste é terrível. / Isto é terrível. • Complemento agente da passiva
• Predicado Função sintática desempenhada por um grupo preposicional introduzido pela
Função sintática desempenhada pelo grupo verbal. preposição por, numa frase passiva. O complemento agente da passiva
Exemplos: A Maria deu flores à mãe ontem.; Espantosamente, o rato escapou corresponde ao sujeito numa frase ativa.
do gato. Exemplo: A maçã foi comida pelo João.
• Modificador (de frase) • Predicativo do sujeito
Função sintática desempenhada por elementos da frase não exigidos por Função sintática desempenhada por um grupo de palavras (grupo nominal,
nenhum dos seus constituintes. Por esta razão, o modificador (de frase) pode grupo adjetival, grupo preposicional e grupo adverbial) que surge em frases
ser eliminado sem alterar o seu sentido nuclear. com verbo copulativo (ser, estar, parecer, ficar, permanecer, continuar, tornar-
Exemplos: Felizmente, não perdi o autocarro. se, revelar-se)
Cientificamente, o João é muito competente. Exemplos: O João é médico.; As meninas ficaram felizes.; Os alunos estão na
• Vocativo sala de aulas.
Função sintática desempenhada por um constituinte que se utiliza quando se • Predicativo do complemento direto
chama alguém ou quando se invoca algo ou alguém, a quem se dirige o É a função sintática desempenhada pelo constituinte selecionado por um
discurso. verbo transitivo-predicativo, que atribui uma propriedade ao complemento
Exemplos: Ó Maria, vem cá.; Eu queria, ó vento, sentir a tua força!; direto
Eu penso, Maria, que tu és a minha luz. Os verbos transitivo-predicativos são os seguintes: achar, chamar, considerar,
1.2 Funções sintáticas internas ao grupo verbal declarar, designar, eleger, fazer, julgar, nomear, supor, ter por, tornar, tratar...
As funções sintáticas que têm lugar no interior do grupo verbal são as Exemplos: Luísa, considero-te muito estudiosa. / Acho esta anedota com piada
seguintes: complemento (direto, indireto, oblíquo e agente da passiva), Modificador (do verbo)
predicativo (do sujeito, do complemento direto), modificador (do verbo). Função sintática desempenhada por elementos da frase não exigidos pelo
• Complemento direto verbo. Trata – se de um grupo de palavras que não é essencial ao verbo para
Função sintática desempenhada pelo complemento exigido pelo verbo, que que este complete o seu sentido, pelo que pode ser omitido da frase.
pode ser substituído pelo pronome pessoal: -o(s)/-a(s). Exemplos: Joaquim rezou alto.; O João está em casa desde ontem.
Exemplos: Ele rasgou a carta./ Ele rasgou-a. A Maria gosta de estudar em casa.
A Maria confessou que se perdeu. / A Maria confessou-o.
2.3 Funções sintáticas internas ao grupo nominal
• Modificador (do nome)
Função sintática desempenhada por elementos da frase não exigidos pelo
verbo. Trata – se de um grupo de palavras que não é essencial ao nome para
que este complete o seu sentido, pelo que pode ser omitido da frase. Os
modificadores (de nome) subdividem -se em: modificadores restritivos e
modificadores apositivos.
– Modificador restritivo
Modificador do nome que restringe a referência do nome sobre o qual incide.
Exemplos: Ele comprou um livro interessante.
Aquele aluno mais moreno é meu primo.
- Modificador apositivo
Modificador do nome que não restringe a referência do nome sobre o qual
incide.
Exemplos: O Rui, o meu primo, acabou de chegar.
D. Dinis, o rei trovador, viveu na idade média.

- Complemento do nome
 complemento selecionado pelo nome .
 Pode ser um grupo preposiçional (oracional ou não) e, por vezes, um
grupo adjetival.
 Ex. A oferta de livros às crianças é muito importante
 A ideia de que o trabalho se faz sozinho é completamente
impensável.

- Complemento do adjetivo
 complemento selecionado pelo adjetivo
 Ex. Ninguém ficou satisfeito com o acontecimento .
 A Ana ficou felicíssima por ter sido escolhida.