Você está na página 1de 3

Amar também é dizer não

Muitas e muitas vezes fomos ensinados que para amar, ou para


dar a entender que amamos, devemos ceder a tudo que nos é
pedido, devemos dizer sim, mesmo que isso esteja frontalmente
em desacordo com nosso coração e nossa alma.

Mas aprendi que amar também é dizer não.

Não ao abuso, não à falta de sensibilidade, não ao desrespeito,


não à falta de amor-próprio, não às noites mal dormidas por
suposições infundadas do companheiro, não à falta de coragem
em enfrentar as situações, não à energia contrária que suga até a
saúde física, não a todas as situações que nos fazem deixar de
ser gente, não à mentira proposital, não ao engano, não, enfim, a
tudo o que não faz sermos felizes.

Amar é algo que não se aprende, mas é sentido e o corpo físico


pode, facilmente, nos mostrar se estamos no caminho correto ou
não, visto que é através dele que nossa alma e nosso coração
tentam fazer que tenhamos consciência das situações que
vivemos.

Quando amamos, de verdade e esse amor é correspondido com


mais amor, nosso corpo está leve, nossa cabeça e nosso coração
não tem pesos desnecessários, não precisamos ficar medindo as
palavras ou até concordando para não nos sentirmos mais
sugamos do que já somos, sentimos nosso corpo em total
harmonia, nossa pele é viva e nossa saúde é fantástica.

Existem problemas na vida? Claro que sim, mas quando amamos


e somos amados, eles se tornam totalmente suportáveis e
transponíveis, pois temos conosco um combustível
maravilhoso... um combustível que nos enche de energia e nos
dá a coragem, inclusive, de nos enfrentarmos em nossos medos
e fantasmas e vencê-los já que temos a vontade fortalecida para
sermos quem nós somos, para que nossa essência se manifeste
sem julgamentos menos favoráveis.

Amar é aprender que nossas vontades e nossos desejos valem,


pelo simples fato de serem nossos e serem a mostra de quem
nós somos.

Amar é ter a capacidade de chorar quando precisamos e ter


muitos sorrisos, sem precisar forçá-los para parecer feliz, é
conseguir dizer, com sinceridade se algo não está bem e, com
mais sinceridade ainda, pedir ajuda, pedir colo e abraço e ter a
correspondência no pedido.
Amar é dizer não para a falta de sonhos, ou para o fato de que
queiram abafá-los, dizer não para a falta de auto-estima que vai
sendo aniquilada por comentários pejorativos, dizer não, mesmo
com dor no coração, quando conscientizamos que quem deveria
nos suprir apenas nos gasta, dizer não para a presença física
quando ela não mais colabora para que a vida exista.

Amar, enfim, é poder acolher no olhar do outro a aprovação de


sua alma, mesmo que as aparências queiram dizer o contrário e,
mais certo que tudo, amar é poder dizer não, sem melindres e
sem medos.

Amar também é dizer não ao relacionamento que não nutre


mais, afastando a pessoa de si, para que a vida continue
existindo e todos possam, livremente, amar mais ainda.

Leatrice Coli Ribeiro Pedroso

Cad. nº 24 – Academia Santanense de Letras

Permitida a reprodução desde que mantidos os créditos

Interesses relacionados