Você está na página 1de 2

AULA COMPLEMENTAR – ECA – PROF.

MICHEL

DISPOSIÇÕES GERAIS

DOUTRINA PROTEÇÃO INTEGRAL

O estado deve buscar satisfazer o melhor interesse para a criança.

O estado afasta a doutrina da situação irregular que previa regras apenas para criança e
adolescente que estavam em conflito com a lei.

DESJUDICIALIZAÇÃO = que para garantir a efetivação dos direitos da criança e adolescente deve
evitar o máximo a utilização do Poder Judiciário, ou seja, o Estado tem a incumbência de zelar
por estes direitos sem precisar da interferência judiciária. Se porventura for necessário, o Poder
Judiciário deverá intervir.

A QUE SE APLICA AS MEDIDAS DESCRITAS??

 Criança = tem até 12 anos incompletos.


 Adolescente = 12 anos completos até 18 anos incompletos.
 O ECA prevê que o sujeito de até 21 anos poderá cumprir uma medida socioeducativa
quando este praticou um ato infracional na época antes de completar 18 anos.
Acima desta data, a medida socioeducativa não se aplica.

O ECA adota o critério cronológico absoluto = Será levado em consideração a idade da criança,
não importando se ela tenham um desenvolvimento mental igual de 18 anos.

DIREITO À CONVIVÊNCIA FAMILIAR

Família natural = pai, mãe.

Família extensa = pessoas que a criança tem afinidade.

A criança que tem convivência com pessoas violentar ou viciadas em drogas, haverá uma medida
provisória. Vai tirar a criança do convívio familiar e coloca-la em algum instituição ou família.

ACOLHIMENTO (MEDIDAS PROTETIVAS)

 Família = provisória cadastrados. Não há previsão, porém aplica-se analogia ao


acolhimento institucional.
 Institucional = encaminhada para a instituição até concertada a família. Aqui o prazo é
determinado. O prazo é no máximo de 2 anos. Porém a doutrina entende que este prazo
pode aumentar. A cada 6 meses fará um relatório.

Em ambos os casos, somente o Poder Judiciário poderá determinar, com UMA EXCEÇÃO: O
CONSELHO TUTELAR PODERÁ EM RAZÃO DO PERIGO.

ATOS INFRACIONAIS
Somente quando criança e adolescente cometer um ato descrito na lei.

Consequências: quando praticado por criança terá a aplicação de medida protetiva. Quando
praticado por adolescente terá a aplicação da medida socioeducativo.

O ECA prevê a aplicação cumulativa da medida socioeducativo + medidas protetivas

MEDIDA SÓCIOEDUCATIVO:

 Advertência
 Reparação de dano = havendo prejuízo patrimonial
 Prestação de serviços à comunidade = serviços de relevância pública.
 Liberdade assistida = ele não é desligado, mas ficará em casa para ser assistido.
 Semi-liberdade = o sujeito não terá contato direto com sua família. Vai para a instituição
durante a noite e no dia presta as atividades necessárias.
 Internação = pode ser com prazo indeterminado (aquela que o juiz não fixa previamente
um prazo), Se dará em 2 hipóteses:
1) grave ameaça ou violência. A jurisprudência não considera tráfico de drogas como grave
ameaça ou violência.
2) Reiteração de infração graves. Tem que ser mais de 3 vezes.

A internação poderá ser ainda por prazo determinado. O sujeito descumpriu os termos das
medidas aplicadas anteriores.