Você está na página 1de 4

“THESIS TIME MANAGEMENT”

BY: KÄTHE LEMON

Tradução

Juliana Barros
Lilian Fróes
Gerenciamento de tempo para realização de tese
Por Käthe Lemon

A idéia de gerenciamento de tempo é embutida na maioria dos estudantes durante


o período universitário, mas o foco nessa habilidade diminui durante o período de
pós-graduação. A ironia é que a maioria dos estudantes necessita dessa habilidade
mais ainda quando estão procurando trabalhar em sua tese ou dissertação.

Escrever uma tese requer habilidade para gerenciar o tempo tanto a curto prazo
quanto a longo prazo, pois isso é um longo projeto que não possui um prazo extra.
“Você vê estudantes que são excelentes, mas que nunca terminam suas teses,” diz
Dr. Eviatar Zerubavel, autor de The Clockwork Muse: a pratical guide to writing
theses, dissertations and books e diretor dos Programas de Graduação em
Sociologia na Universidade de Rutgers.

Ver os estudantes fracassarem para completar suas teses foi uma das coisas que
fez com que Dr. Zerubavel escrevesse esse livro. Nele o autor utiliza a metáfora da
tartaruga e a lebre. “Lebre alcança o sucesso no início da carreira, mas em seguida
morre,” ele diz. “Existem diferentes razões para o estudante não terminar sua tese,
porém melhorar a forma de gerenciar o tempo poderá ajudá-lo.” Administrar o
tempo é ter controle de todo o processo da escrita. Mais do que isso, é reconhecer
que nem todo o seu tempo deve ser tomado com seu trabalho e que a forma como
você gerencia seu tempo é tão importante para sua vida, assim como a sua tese.

Procrastinação e Perfeccionismo

Uma das principais barreiras para a boa administração do tempo é a


procrastinação, e uma das coisas que mais contribui para a procrastinação é o
perfeccionismo. Embora os dois pareçam pólos opostos, eles estão intimamente
relacionados. “As pessoas se torturam com seus sentimentos por sucesso. Elas
ficam ambivalentes e uma parte delas se sente tão apreensiva que tenta sabotar o
próprio sucesso não cumprindo com seus prazos,” explica Zerubavel sobre a
conexão entre ambas.

Maryann Kope, coordenadora dos Serviços de Ensino da Universidade de Guelph


concorda. “As pessoas que são perfeccionistas, depositam muito de sua auto-
estima em sua performance acadêmica,” ela diz. “Existe um medo do fracasso ou
de não se superar. Através da procrastinação eles dão a eles mesmos uma saída
emocional. Eles podem dizer: ´Eu teria feito melhor se tivesse dedicado mais
tempo a isso.`”

Perfeccionismo também pode incapacitar os alunos a escrever ou a continuar a


escrever por tentarem alcançar a perfeição desde o primeiro esboço. “Eu vejo
muitos estudantes incapacitados pela culpa ou pelo constrangimento não se
permitindo a escrever,” diz Dra. Jane Freeman, diretora do departamento de
Suporte da Língua e Escrita Inglesa na Escola de Graduação da Universidade de
Toronto. Freeman recomenda que os estudantes se permitam a escrever pelo
menos um primeiro esboço mesmo que ruim. Para ela, isso não só permite que a
escrita flua, como também dá a pessoa algo que possa ser editado depois e, diz
Dra. Freeman, “É mais fácil editar do que produzir.”
Vida de escritor

Talvez o mais desanimador sobre escrever uma tese seja se dar conta de que se
você quer ser um acadêmico essa é uma boa introdução para o resto da carreira.
Escrever sugestão, artigos de jornais e livros são uma significante parte da sua vida
daqui por diante. Adquirir a habilidade de um escritor produtivo e fértil é a chave
para o sucesso acadêmico. Isso significa fazer da escrita parte da sua vida diária.
“Para manter a produtividade como um acadêmico, você precisa tornar o processo
de escrever mais mundano,” diz Dra. Freeman. “Você precisa descobrir como você
é mais produtivo. Olhar para a sua própria produtividade. Realmente perceber em
que momento do dia e em que tipo de ambiente você trabalha melhor.”

Uma vez que você saiba quando você é mais produtivo, e por quanto tempo,
prepare um horário para si mesmo que funcione. Se você escreve melhor de
manhã, não fique dormindo – acorde e escreva. Se você escreve melhor à noite,
então não vá jantar fora com os amigos – fique em casa e escreva. Isso não
significa privação de dormir ou da vida social; isso significa organizar um horário
para maximizar a sua produtividade.

Mas muitos estudantes são hesitantes em começar a escrever até que eles tenham
feito mais pesquisas, até que eles tenham pensado mais sobre o assunto. Tanto
Dra. Freeman quanto o Dr. Zerubavel vêem isso não somente como uma forma de
procrastinação, mas também como um equívoco no processo da escrita. “Existe
uma separação artificial entre pensar e escrever. O pensamento ocorre quando
você escreve,” diz Dr. Zerubavel. Dra. Freeman concorda. “Escreva antes de você
estar “pronto” e a escrita vai ajudá-lo a ir em frente.”

Mas primeiro, faça um esquema. Criar um esquema detalhado do seu trabalho vai
ajudá-lo a escrever um primeiro esboço que não precisará de muita reestruturação.
Stephen Sims, reitor da Faculdade de Graduação da Universidade de Western
Ontário, requer que todos os seus estudantes escrevam três esquemas sobre toda
sua tese. “Até que eles façam o terceiro esquema, nós não escrevemos uma única
frase, é tudo em forma de pontos a serem discutidos. Quando você chega ao
terceiro, você terá a sua tese mapeada. Então você precisa fazer o árduo trabalho
de escrever as frases.”

Balanço da Vida de escritor

Gerenciar o tempo não é só ter sua tese terminada; é também não destruir sua
vida nesse processo. Você poderia abrir mão de toda a sua vida social, parar de
dormir regularmente e abrir mão das outras obrigações para completar sua tese,
porém isso dificilmente seria uma receita de sucesso para sua vida. Gerenciar o
tempo significa fazer escolhas pensadas sobre como você gostaria de organizar os
seus dias. “Isso não é apenas sobre trabalho, isso é sobre o modo de viver.” diz Dr.
Zerubavel. “É preciso perguntar a si mesmo quanto tempo você quer disponibilizar
para isto como oposição a outras coisas da sua vida”.

Fazer escolhas e decidir como você quer gastar o seu tempo, é sobre o que se trata
o gerenciamento de tempo. “Os estudantes precisam pensar mais sabiamente a
respeito do adiamento, desta forma, deixar o trabalho de lado é uma decisão
intencional,” diz Sra. Kope. Estas decisões intencionais não somente te mantém no
caminho como também asseguram que nem a tese e nem sua vida saiam do rumo,
e também ajudam você a parar com sentimentos incapacitantes de culpa por
ignorar uma das duas áreas.
Gerenciamento de produtividade X Gerenciamento de tempo

Apesar da importância do gerenciamento de tempo, este pode ser compreendido de


forma errônea.

“Este termo desperta eficiência, tempo e estudos que promovam mudança, termo
este que eu odeio”, diz Dr.Zerubavel. “O modo comum de se pensar sobre
gerenciamento de tempo diz respeito à velocidade, mas o irônico é que você pode
produzir mais se você estiver indo vagarosamente”.

Enquanto os experts recomendam fixar metas para trabalhar na sua tese, ambos
Drs. Zerubavel e Freeman sugerem estabelecer metas baseada na produtividade.
Quando escreveu sua própria dissertação, Dra. Freeman estabeleceu 3 páginas por
dia como regra para ela mesma. Embora esse número pareça extremamente baixo,
se você escrever todos os dias as páginas escritas se somarão rapidamente.

“Eu não podia fazer nada além de comer ou ir ao banheiro até que eu tivesse
terminado as três páginas, aí sim eu podia fazer qualquer coisa. Esse ritmo me
permitiu fazer muitas outras coisas. Ao final de um mês, eu já tinha 60 páginas, e
não era nem um pouco doloroso olhá-las e editar algumas. Então escrever três
páginas por dia ajudou-me a ser produtiva, a ter uma meta, não ter culpa e ter um
processo de edição muito melhor. E isso me ajudou superar o meu bloqueio de
escrever.”

Metas de produtividade são também mais tangíveis e mais diretamente


relacionadas com a tarefa.

Um outro meio de medir a produtividade é quebrando a tese em pedaços


publicáveis. O estabelecimento de uma meta realística e mensurável é a chave,
mas também é importante aprender com o tempo que algumas metas podem não
ser atingidas. “Se punir ou se sentir culpado não é suficiente quando uma meta não
é atingida. Nós sugerimos aos estudantes examinar e determinar a causa da falha.
A vida acontece, mas o que você realmente quer é aprender,” diz MS. Kope.

Aprender a não deixar a sua tese te derrotar é também algo que você quer e um
dos caminhos mais fáceis de fazer isso é gerenciar o seu tempo e sua
produtividade, efetivamente.