Você está na página 1de 27

EFD - Contribuições -

PIS/COFINS
31/03/2014

SPED

EFD – CONTRIBUIÇÕES
(PIS/COFINS/INSS)

ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA


WWW.PORTALDOSPED.COM.BR

SPED

O projeto do
Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) constitui-se em mais
um avanço na informatização da relação entre o fisco e os
contribuintes.
Envolve os fiscos Federal, Estaduais e Municipais

1
31/03/2014

IMPACTOS NA ORGANIZAÇÃO
COMUNICAÇÃO
O SPED deve ser tratado como um projeto na empresa.Definir equipe
responsável, dar respaldo político e financeiro. Definir metas e prazos.

SISTEMAS
Sistemas de EFD, ECD, NF-e, sistemas integrados..

INFRA-ESTRUTURA FÍSICA
Hardware (computadores), infra-estrutura de armazenamento digital,
processos de segurança da informação, banda larga, gerador de energia.

PESSOAS
Capacitação dos profissionais.Todos os funcionários precisam saber o que
é e a importancia deste projeto.

LEGISLAÇÃO
Revisão dos atuais processos tributários e monitoramento da evolução do
SPED.

PROCESSOS
Identificar os impactos, redesenho dos atuais processos (faturamento,
recebimento) além da oportunidade de melhorias processuais.

Obs: informações detalhadas destas análises podem ser pesquisadas no 3


site WWW.PORTALDOSPED.COM.BR no ícone 7 DICAS.

EFD- CONTRIBUIÇÕES

A Instrução Normativa nº 1052/2010 1.252/2012 da


Receita Federal do Brasil, instituiu a Escrituração Fiscal
Digital da Contribuição para o PIS/Pasep, da
Contribuição para o Financiamento da Seguridade
Social (Cofins) e da Contribuição Previdenciária sobre a
Receita - EFD CONTRIBUIÇÕES.

2
31/03/2014

PESSOAS JURÍDICAS OBRIGADAS

 Em relação aos fatos geradores ocorridos a partir de 1º


de janeiro de 2012, as pessoas jurídicas sujeitas à
tributação do Imposto sobre a Renda com base no Lucro
Real

 Em relação aos fatos geradores ocorridos a partir de 1º


de janeiro de 2013, as demais pessoas jurídicas sujeitas à
tributação do Imposto sobre a Renda com base no Lucro
Presumido ou Arbitrado

PESSOAS JURÍDICAS OBRIGADAS

JANEIRO 2.014 – FINANCEIRAS, VIGILÂNCIA,ETC

• A obrigatoriedade aplica-se também às pessoas jurídicas


referidas nos §§ 6º, 8º e 9º do art. 3º da Lei nº 9.718/98, e na
Lei nº 7.102/83
• (as instituições financeiras, as empresas de securitização de
créditos imobiliários, financeiros e agrícolas, as operadoras de
planos de saúde e as empresas particulares que exploram
serviços de vigilância e de transporte de valores).
• (I.N.1387/13 - prorrogação)

3
31/03/2014

PESSOAS JURÍDICAS OBRIGADAS

As P.J. abaixo relacionadas poderão enviar os arquivos de 2.012 até o


décimo dia útil de fevereiro/13. ( I.N. 1.305/12)

OBRIGADOS – MARÇO 2.012 – TI, TIC,TEXTIL, etc


• Contribuição previdenciária sobre a receita, as atividades relacionadas nos
arts. 7º e 8º da Medida Provisória nº 540/2011, convertida na Lei nº
12.546/2011,
OBRIGADOS – ABRIL 2.012 – TI, TIC, CALL CENTER, etc
• Contribuição previdenciária sobre a receita, as atividades relacionadas nos
§§ 3º e 4º do art. 7º e nos incisos III a V do caput do art. 8º da Lei nº
12.546/2011:
OBRIGADOS – AGOSTO 2.012 – Produtos diversos, hotelaria, etc
• Contr. Prev. s/ a Receita, a partir de 1º de agosto de 2012, as pessoas
jurídicas que desenvolvam as demais atividades relacionadas dos art. 7º e
8º da Lei nº 12.546, de 2011, acrescidas pela Medida Provisória nº 563, de
2012, como as atividades de hotelaria (serviços) e nos novos códigos de
produtos, relacionados no Anexo da referida Lei nº 12.546/2011.

DISPENSA - P. J. SEM MOVIMENTO

I - não tenha auferido ou recebido receita bruta da venda de bens e


serviços, ou de outra natureza, sujeita ou não ao pagamento das
contribuições, inclusive no caso de isenção, não incidência, suspensão
ou alíquota zero;

II - não tenha realizado ou praticado operações sujeitas a apuração de


créditos da não cumulatividade do PIS/Pasep e da Cofins, inclusive
referentes a operações de importação.

A dispensa de Registro “0120 entrega da EFD-Contribuições acima


referida, não alcança o mês de dezembro, a qual será efetuada no -
Identificação de Períodos Dispensados da Escrituração Digital”.

4
31/03/2014

P.J. Imunes/Isentas

As pessoas jurídicas imunes ou isentas do


IRPJ ficarão obrigadas à apresentação da EFD-
PIS/Cofins a partir do mês em que a soma das
contribuições para o PIS e a Cofins ultrapassar o
valor de R$ 10.000,00, permanecendo sujeitas a
essa obrigação em relação aos meses seguintes
do ano-calendário em curso.

INATIVAS

Ficam dispensadas as pessoas jurídicas que se


mantiveram inativas desde o início do ano-calendário
nos meses em que se encontravam nessa condição;

§ 2º As pessoas jurídicas que passarem à condição


de inativas no curso do ano-calendário, e assim se
mantiverem, somente estarão dispensadas da EFD-
PIS/Cofins a partir do 1º (primeiro) mês do ano-
calendário subsequente, observado o disposto no
inciso III do caput.

§ 3º Considera-se que a pessoa jurídica está inativa a


partir do mês em que não realizar qualquer atividade
operacional, não operacional, patrimonial ou
financeira, inclusive aplicação no mercado financeiro
ou de capitais.

5
31/03/2014

DATA DA ENTREGA

• A EFD-PIS/Cofins será transmitida


mensalmente ao Sped até o 10º dia útil do 2º
mês subsequente a que se refira a
escrituração.

IN RFB nº 1.218, de 21/12/2011 que alterou a IN RFB nº 1.052/10

11

DACON

Lucro Real
• Para o lucro real foi dispensada relativo a fatos
geradores ocorridos a partir 1º de janeiro de 2014.

Lucro Presumido
• I N RFB nº 1.305/2012 dispensou entrega do
Demonstrativo de Apuração de Contribuições Sociais
(Dacon) relativo a fatos geradores ocorridos a partir
1º de janeiro de 2013.
12

6
31/03/2014

CENTRALIZAÇÃO

• O arquivo EFD-PIS/COFINS deve ser gerado de


forma centralizada pelo estabelecimento
matriz da pessoa jurídica e submetido ao
programa validador disponibilizado pela
autoridade fiscal.

13

RETIFICAÇÃO
• Poderá o contribuinte realizar o envio de arquivo em substituição
ao arquivo anteriormente enviado, conforme as regras que serão
determinadas pela RFB.

• Esta substituição deverá ser feita na íntegra não sendo aceitos


arquivos complementares.

• Art.11- O direito de o contribuinte pleitear a retificação da EFD-


Contribuições extingue-se em 5 (cinco) anos contados do 1º
(primeiro) dia do exercício seguinte àquele a que se refere a
escrituração substituída. (Redação dada pela Instrução Normativa
RFB nº 1.387, de 21 de agosto de 2013)

14

7
31/03/2014

MULTA - PREVISÃO NA LEI 12.766 DE 27/12/12


Altera a Medida Provisória no 2.158-35/01, e dá outras providências. (art.57)

I - por apresentação extemporânea:


a) R$ 500,00 (quinhentos reais) por mês-calendário ou fração, para
imunes, isentas e lucro presumido;

b) R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais) por mês-calendário ou fração,


relativamente às demais empresas;

III - por cumprimento de obrigação acessória com informações inexatas,


incompletas ou omitidas:

3% (três por cento), não inferior a R$ 100,00 (cem reais), do valor das
transações comerciais ou das operações financeiras, próprias da pessoa
jurídica ou de terceiros em relação aos quais seja responsável tributário,
no caso de informação omitida, inexata ou incompleta; (Incluído pela Lei
nº 12.873, de 24 de outubro de 2013)
§ 1o Na hipótese de pessoa jurídica optante pelo Simples Nacional, os
valores e o percentual referidos nos incisos anteriores serão reduzidos em
70%.

INFORMAÇÕES EXIGIDAS NO ARQUIVO

Devem ser prestadas as informações referentes às suas


operações, de natureza fiscal e/ou contábil, representativas
de:

a. RECEITAS - faturamento mensal (inclusive demais


receitas);
b. DESPESAS - de natureza fiscal e/ou contábil,
representativas de aquisições de bens para revenda, bens e
serviços utilizados como insumos e demais custos, despesas
e encargos, sujeitas à incidência e apuração de créditos
próprios do regime não-cumulativo;
c. Créditos previstos na legislação;
d. Valores retidos na fonte em cada período.

8
31/03/2014

PONTO DE VISTA DO INFORMANTE


As informações referentes aos documentos e operações deverão ser
prestadas sob o enfoque do informante do arquivo. No caso das operações
relacionadas nos Blocos A, C, D e F, as informações devem ser prestadas
sob o enfoque de cada estabelecimento da pessoa jurídica.
.
Código do item -> registrar com códigos próprios os itens das
operações de aquisições de bens para revenda ou a serem
utilizados como insumos, bem como das operações de vendas;

Código da Situação Tributária - CST -> registrar, nas operações de


aquisições, custos e despesas geradoras de créditos e em relação
às receitas auferidas, os códigos de situação tributária de PIS/Pasep
e Cofins próprios de cada operação, indicando a modalidade de
incidência própria do informante;
Código Fiscal de Operação e Prestação - CFOP -> registrar, nas
operações de entradas, os códigos de operação que correspondam
ao tratamento tributário relativo à destinação do item.

Especificações Técnicas do leiaute

Para conhecimento do conteúdo e informações que deverão constar do


arquivo digital o contribuinte deve estudar (estudar mesmo) os seguintes
documentos:

O ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 20/12 (leiaute)


Neste documento estão as informações para compreensão do
leiaute, disponível na aba “legislação” no site da Receita
Federal no endereço www.receita.fazenda.gov.br/sped.

O GUIA PRÁTICO DA EFD (explicação do leiaute)


Além da consulta ao leiaute é importante também a consulta
ao Guia Prático
que traz as explicações de preenchimento dos registros
dentro do arquivo digital. O guia está disponível no site da
Receita Federal na aba “download” no endereço
www.receita.fazenda.gov.br/sped.
( + ou - 150 registros e 1.200 campos)

18

9
31/03/2014

Tabela de Blocos da EFD-Contribuições

Bloco Descrição

0 Abertura, Identificação e Referências

A Documentos Fiscais - Serviços (ISS)

C Documentos Fiscais I – Mercadorias (ICMS/IPI)

D Documentos Fiscais II – Serviços (ICMS)

F Demais Documentos e Operações


Operações de Pessoas Jurídicas Componentes do Sistema Financeiro, Seguradoras,
I
Previdência, Capitalização e Operadoras de Planos de Assistência à Saúde
M Apuração da Contribuição e Crédito de PIS/PASEP e da COFINS

P Apuração da Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta


Complemento da Escrituração – Controle de Saldos de Créditos e de Retenções,
1
Operações Extemporâneas e Outras Informações
9 Controle e Encerramento do Arquivo Digital

QUADRO COMPARATIVO ENTRE EFD PIS E COFINS E A EFD - SEMELHANÇAS

BLOCOS DA EFD CONTRIBUIÇÕES BLOCOS DA EFD ICMS/IPI SEMELHANÇAS

BL. BL.

ABERTURA, IDENFICAÇÃO E ABERTURA, IDENTIFICAÇÃO E


0 0 SEMELHANTES
REFERÊNCIAS REFERENCIAS
DOCUMENTOS FISCAIS SERVIÇOS
A - - NÃO TEM CORRESPONDÊNCIA
(ISS)
DOCUMENTOS FISCAIS I DOCUMENTOS FISCAIS I SEMELHANTES C/
C C
(MERCADORIAS – ICMS/IPI (MERCADORIAS – ICMS/IPI) CONTEÚDOS DIFERENTES
DOCUMENTOS FISCAIS II (SERVIÇOS DOCUMENTOS FISCAIS II SEMELHANTES C/ CONTEÚDOS
D D
ICMS) (SERVIÇOS ICMS) DIFERENTES

- E APURAÇÃO DO ICMS E IPI NÃO TEM CORRESPONDÊNCIA

NÃO TEM CORRESPONDÊNCIA


F DEMAIS DOCUMENTOS E OPERAÇÕES - -

CONTROLE DO CRÉDITO DE
- - G NÃO TEM CORRESPONDÊNCIA
ICMS/IMOBILIZADO/ CIAP MOD C E D

- - H INVETÁRIO FÍSICO NÃO TEM CORRESPONDÊNCIA

APURAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO E O
M - - NÃO TEM CORRESPONDÊNCIA
CRÉDITO DE PIS E COFINS
COMPLEMENTO DA ESCRITURAÇÃO
ALGUNS REGISTROS SÃO
CONTROLE DOS SALDOS DE
1 1 OUTRAS INFORMAÇÕES SEMELHANTES, MAS CONTEÚDOS
CRÉDITOS DE RETENÇÕES E
DIFERENTES
EXTEMPORÂNEOS
20
9 ENCERRAMENTO DO ARQUIVO 9 ENCERRAMENTO DO ARQUIVO SEMELHANTE

10
31/03/2014

LEGENDAS

OBRIGATORIEDADE DE REGISTRO

O REGISTRO SEMPRE OBRIGATÓRIO

O REGISTRO É OBRIGATÓRIO, SE HOUVER INFORMAÇÃO A


OC SER PRESTADA. EX.: REGISTRO C100 SÓ DEVERÁ SER
APRESENTADO SE HOUVER MOVIMENTAÇÃO OU OPERAÇÕES
UTILIZANDO OS DOCUMENTOS DE CÓDIGOS 01, 1B, 04 ou 55.

O REGISTRO É OBRIGATÓRIO SE ATENDIDA A CONDIÇÃO.


O (...) EX.: REGISTRO C191 (SE EXISTIR C190) – O REGISTRO É
OBRIGATÓRIO SEMPRE QUE HOUVER O REGISTRO C190

O REGISTRO NÃO DEVE SER INFORMADO.


N
EX.: REGISTRO C490 – SE FOR INFORMADO O REGISTRO C400

21

BLOCO 0

ABERTURA, IDENTIFICAÇÃO E CADASTROS

• Será informado a respeito do contribuinte do Pis e da Cofins, a


sua identificação e dados de referências utilizados nos outros
blocos.

• Nesse Bloco 0, o contribuinte deve criar e informar os seus


códigos de produtos, clientes, fornecedores, unidades de
medidas, os dados do contabilista, apropriação de crédito,
critério de rateio do crédito, tabelas, o plano de contas da PJ, o
plano de contas referencial (vinculação) entre outras
informações.

22

11
31/03/2014

Bloco Descrição Registro


Abertura do Arquivo Digital e Identificação da Pessoa
0 0000
Jurídica
0 Abertura do Bloco 0 0001
0 Dados do Contabilista 0100
Regimes de Apuração da Contribuição Social e de
0 0110
Apropriação de Crédito
Tabela de Receita Bruta Mensal para Fins de Rateio de
0 0111
Créditos Comuns
0 Tabela de Cadastro de Estabelecimento 0140
0 Tabela de Cadastro do Participante 0150
0 Identificação das Unidades de Medida 0190
0 Tabela de Identificação do Item (Produtos e Serviços) 0200
0 Alteração do Item 0205
0 Código de Produto conforme Tabela ANP (Combustíveis) 0206
Código de Grupos por Marca Comercial – REFRI (Bebidas
0 0208
Frias)
0 Tabela de Natureza da Operação/ Prestação 0400
0 Tabela de Informação Complementar do Documento Fiscal 0450
0 Plano de Contas Contábeis – Contas Informadas 0500
0 Centro de Custos 0600 23
0 Encerramento do Bloco 0 0990

BLOCO A

NOTAS FISCAIS

SUJEITAS AO ISS

SERVIÇOS PRESTADOS E TOMADOS

24

12
31/03/2014

BLOCO A – DOCUMENTOS FISCAIS – ISS

As operações a serem escrituradas nos registros do Bloco A


correspondem ás operações de:

a) Prestação de Serviços (Receitas) que estão sujeitos a


incidência do ISS ou;
b) Contratação de Serviços (com utilização de créditos de
Pis e Cofins)

OBS 1: Se não aproveita crédito não deve lançar o


documento da entrada

OBS 2: Receitas não tributadas, (monofásica, alíquotas


diferenciadas, etc. devem ser informadas nos respectivos
registros dos blocos A, C, D e F e também no Bloco M
400/410 Pis e 800/810 Cofins).
25

Escrituração
Regis Obrigatoriedade
Bloco Descrição Nível Ocorrência
do Registro Contribuição
tro Social
Crédit

A Abertura do Bloco A A001 1 1 O - -

Identificação do O (se em A001


A A010 2 V
IND_MOV = 0)
- -
Estabelecimento

Documento – Nota
A A100 3 1:N OC S S
Fiscal de Serviço
Complemento de
Documento –
A A110 4 1:N OC S S
Informação
Complementar da NF
A Processo Referenciado A111 4 1:N OC S S

Informação OC
Complementar –
A A120 4 1:N N S
Operações de
Importação
Complemento de
O (se existir
A Documento – Itens do A170 4 1:N
A100)
S S
Documento
Encerramento do Bloco
A A990 1 1 O - -26
A

13
31/03/2014

BLOCO C

NOTAS FISCAIS

SUJEITOS AO ICMS/IPI

MERCADORIAS/PRODUTOS/ENERGIA

27

BLOCO C – DOCUMENTOS FISCAIS (ICMS/IPI)

Serão prestadas informações relativas a (mercadorias sujeitas


ao ICMS/IPI), entradas e saídas, detalhamento de operações de
vendas e de aquisições com direito a crédito, documentos
fiscais (NF, NF-e, NF Consumidor, equipamento ECF e outros
tipos).

OBS 1: Se não aproveita crédito não deve lançar o documento da


entrada.

OBS 2: Receitas não tributadas, (monofásica, alíquotas diferenciadas,


etc. devem ser informadas nos respectivos registros dos blocos A, C, D e F
e também no Bloco M 400/410 Pis e 800/810 Cofins).

OBS 3 : Campos de PIS/COFINS: se houver destaque na saída, é


obrigatório o preenchimento; na entrada só é obrigatório se houver
direito ao crédito.

28

14
31/03/2014

REGISTRO DESCRIÇÃO
Nota Fiscal (código 01), Nota Fiscal Avulsa
(código 1B), Nota Fiscal do Produtor (código 04),
NF-e (código 55) ATENÇÃO!!! Registros: C100;
C110; C120; C170: Registro com estrutura,
100; 110; 111; 120; campos e conteúdos definidos e constantes no
Leiaute da Escrituração Fiscal Digital (EFD
(ICMS/IPI)
170 (discrimina os itens da NF Importante: C170: para documentos de entrada,
os campos de valor de imposto e contribuição,
contido no C100) base de cálculo e alíquotas só devem ser
informados se o adquirente tiver direito á
apropriação do crédito (enfoque do declarante
EFD-ICMS/IPI).
C 180; 181; 185; 188; 190; 191;
Notas Fiscais Eletrônicas
195; 198; 199
380; 381; 385; 396 Nota Fiscal ao Consumidor
400; 405; 411; 481; 485; 490; 491;
Documentos Emitidos por ECF
495; 499
NF Conta de Energia Elétrica (código 06) NF
Conta de Fornecimento d’água Canalizada
500; 501; 505; 600; 601; 605 (Código 29) e NF Consumo Fornecimento Gás
(código 28) (ENTRADAS E SAÍDAS) 29

Bloco Descrição Registro Nível Ocorrência

C Abertura do Bloco C C001 1 1

Identificação do
C C010 2 V
Estabelecimento

C Documento - Nota Fiscal


(código 01), Nota Fiscal
Avulsa (código 1B), Nota
Fiscal de Produtor (código C100 3 1:N
04) e NF-e (código 55)

Complemento de
Documento – Informação
C Complementar da Nota C110 4 1:N
Fiscal (códigos 01, 1B, 04 e
55)
C Processo Referenciado C111 4 1:N

Complemento de
C Documento – Operações de C120 4 1:N
Importação (código 01) 30

15
31/03/2014

Complemento de Documento – Itens


C do Documento (códigos 01, 1B, 04 e C170 4 1:N
55)
Consolidação de Notas Fiscais
Eletrônicas Emitidas pela Pessoa
C C180 3 1:N
Jurídica (Código 55) – Operações de
Vendas
Detalhamento da Consolidação -
C C181 4 1:N
Operações de Vendas - PIS/PASEP
Detalhamento da Consolidação -
C C185 4 1:N
Operações de Vendas – COFINS
C Processo Referenciado C188 4 1:N
Consolidação de Notas Fiscais
Eletrônicas (Código 55) –
C Operações de Aquisição com Direito a C190 3 1:N
Crédito, e Operações de Devolução de
Compras e Vendas.

Detalhamento da Consolidação –
Operações de Aquisição com
C C191 4 1:N
Direito a Crédito, e Operações de
Devolução de Compras e Vendas – 31
PIS/PASEP

BLOCO D

SERVIÇOS SUJEITOS AO ICMS

TRANSPORTE E TELECOMUNICAÇÃO

32

16
31/03/2014

Bloco Descrição Registro Nível Ocorrência

D Abertura do Bloco D D001 1 1


Identificação do
D D010 2 V
Estabelecimento

Aquisição de Serviços de
D Transportes (Códigos 07, 08, 8B, D100 3 1:N
09, 10, 11, 26, 27 e 57).

Complemento do Documento de
D D101 4 1:N
Transporte – PIS/PASEP

Complemento do Documento de
D D105 4 1:N
Transporte – COFINS

D Processo Referenciado D111 4 1:N

Resumo da Escrituração Diária


– Prestação de Serviços de
D D200 3 1:N
Transportes (Códigos 07, 08, 8B,
09, 10, 11, 26, 27 e 57).

33

BLOCO F

DEMAIS DOCUMENTOS RELATIVOS A

RECEITAS E CRÉDITOS

34

17
31/03/2014

BLOCO F

Informar as demais receitas auferidas com incidência ou


não do Pis e Cofins, bem como das demais aquisições,
despesas, custos e encargos com direito a apuração de
créditos não informados nos BLOCOS A, C e D:

A) demais receitas auferidas com incidência ou não das


contribuições sociais, exemplo:
• Receitas de Juros sobre o Capital próprio;
• Receitas de aluguéis;

B) demais aquisições, despesas e custos com direito a créditos do


Pis e Cofins, exemplo:
• Despesas de aluguéis de prédios, máquinas e equipamentos utilizados
nas atividades da empresa;
• Contraprestações de arrendamento mercantil
• Outros bens e serviços utilizados como insumos, não relacionados nos
Blocos A, C e D.
35

Ocorrênci
Bloco Descrição Registro Nível
a

F Abertura do Bloco F F001 1 1


Identificação do
F F010 2 V
Estabelecimento
Demais Documentos e
Operações Geradoras de
F Contribuição e Créditos F100 3 1:N

F Processo Referenciado F111 4 1:N


Bens Incorporados ao Ativo
Imobilizado – Operações
Geradoras de Créditos com
F base nos Encargos de F120 3 1:N
Depreciação/Amortização

Bens Incorporados ao Ativo


Imobilizado – Operações
F Geradoras de Créditos com F130 3 1:N
base no Valor de Aquisição 36

18
31/03/2014

Crédito Presumido sobre Estoque


F de Abertura F150 3 1:N

Operações da Atividade
Imobiliária – Unidade Imobiliária
F Vendida F200 3 1:N

Operações da Atividade
Imobiliária – Custo Incorrido da
F Unidade Imobiliária F205 4 1:1

Detalhamento do Custo Incorrido


F da Unidade Imobiliária F206 5 1:N

Operações da Atividade
Imobiliária – Custo Orçado da
F Unidade Imobiliária Vendida F210 4 1:N

F Processo Referenciado F211 4 1:N

F Contribuição Retida na Fonte F600 3 1:N


Deduções Diversas 37
F F700 3 1:N

Bloco I
Registros das Entidades Financeiras e Assemelhadas, Seguradoras, Entidades de
Previdência Privada e Operadoras de Planos de Assistência à Saúde, definidos pela Receita
Federal, pelo ADE Cofis nº 65, de 2012, válido para os fatos geradores a partir de 1 de
janeiro de 2014, conforme disposto na IN RFB nº 1.387/2013.

Bloco Descrição Registro

I Abertura do Bloco I I001


I Identificação da Pessoa Jurídica I010

I Consolidação das Operações do Período I100

I Composição das Receitas, Deduções e/ou Exclusões do


I200
Período
I Processo Referenciado I299
I Complemento das Operações – Detalhamento das
I300
Receitas, Deduções e/ou Exclusões do Período
I Processo Referenciado I399
I Encerramento do Bloco I I990

19
31/03/2014

BLOCO M

APURAÇÃO DO PIS E DA COFINS

39

BLOCO M – APURAÇÃO DO PIS E DA COFINS NO MÊS DO


RESPECTIVO CRÉDITO
CRÉDITO: de relativo ao período (M100/500)
Código tipo de crédito, tabela 4.3.6 do Manual EFD Pis e
100; 105; 110 (PIS) Cofins – valor total do crédito que será descontado no mês e
saldo dos créditos a utilizar em períodos futuros.
500; 505; 510 (COFINS)
BASE DE CÁLCULO: do crédito PIS/COFINS (detalhamento)
(M105/505) valor total da base de calculo do crédito referente
às operações e documentos escriturados (Bloco A, C, D, e F)
M200 (PIS) e M600 (COFINS) = Consolidação do Pis e Cofins
devida ao Mês (cumulativa e não cumulativa) (originado da
200; 210 (PIS)
somatória do M210/610
600; 610 (CRUZA C/DCTF)
Registro M210 (PIS) M610 (Cofins) = detalhamento do Pis
Cofins contribuição no Mês.

M 211 (PIS)
611 (COFINS) Sociedade cooperativa – folha de salários
350 (PIS)
230; 300 (PIS) Informações adicionais de diferimento – contribuição devida
630; 700 (COFINS) diferida em períodos anteriores – valores a pagar no período
Receitas isentas, não alcançadas pela incidência da
Contribuição, sujeitas a alíquota zero ou de vendas com
suspensão.
400; 410 (PIS)
ATENÇÃO!!!: as receitas componentes deste registro (receitas
800; 810 (COFINS)
não tributadas ou não sujeitas ao pagamento da contribuição)
também devem ser informadas nos respectivos registros dos
blocos A, C, D, e F, (R.410) 40

20
31/03/2014

Bloco Descrição Registro Nível

M Abertura do Bloco M M001 1


M Crédito de PIS/PASEP Relativo ao Período M100 2
Detalhamento da Base de Cálculo do Crédito Apurado
M M105 3
no Período – PIS/PASEP
M Ajustes do Crédito de PIS/PASEP Apurado M110 3
Consolidação da Contribuição para o PIS/PASEP do
M M200 2
Período
Detalhamento da Contribuição para o PIS/PASEP do M210
M 3
Período
M211 4
Sociedades Cooperativas – Composição da Base de
M
Cálculo – PIS/PASEP

M Ajustes da Contribuição para o PIS/PASEP Apurada M220 4


M Informações Adicionais de Diferimento M230 4
M Contribuição de PIS/PASEP Diferida em Períodos M300
2
Anteriores - Valores a Pagar no Período
M PIS/PASEP - Folha de Salários M350 2
M Receitas Isentas, Não Alcançadas pela Incidência da
Contribuição, Sujeitas à Alíquota Zero ou de Vendas com M400 2 41
Suspensão – PIS/PASEP

Detalhamento das Receitas Isentas, Não Alcançadas pela Incidência


M da Contribuição, Sujeitas à Alíquota Zero ou de Vendas com M410 3
Suspensão – PIS/PASEP
M Crédito de COFINS Relativo ao Período M500 2
Detalhamento da Base de Cálculo do Crédito Apurado no Período –
M M505 3
COFINS
M Ajustes do Crédito de COFINS Apurado M510 3
Consolidação da Contribuição para a Seguridade Social - COFINS
M M600 2
do Período
Detalhamento da Contribuição para a Seguridade Social - COFINS M610
M 3
do Período

Sociedades Cooperativas – Composição da Base de Cálculo –


M M611 4
COFINS

M Ajustes da COFINS Apurada M620 4


M Informações Adicionais de Diferimento M630 4
COFINS Diferida em Períodos Anteriores - Valores a Pagar no
M M700 2
Período
Receitas Isentas, Não Alcançadas pela Incidência da Contribuição,
M Sujeitas à Alíquota Zero ou de Vendas com Suspensão – COFINS M800 2

Detalhamento das Receitas Isentas, Não Alcançadas pela Incidência M810 3


M da Contribuição, Sujeitas à Alíquota Zero ou de Vendas com 42
Suspensão – COFINS

21
31/03/2014

Bloco P

Bloco Descrição Registro

P Abertura do Bloco P P001


P
Identificação do Estabelecimento P010
P
Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta P100
P Complemento da Escrituração – Detalhamento da
P110
Apuração da Contribuição
P Processo Referenciado P199
P Consolidação da Contribuição Previdenciária sobre a
P200
Receita Bruta
P Ajuste da Contribuição Previdenciária Apurada sobre a
P210
Receita Bruta
P Encerramento do Bloco P P990

BLOCO 1

CONTROLE DOS SALDOS DE CRÉDITOS E DE


RETENÇÕES NA FONTE

OPERAÇÕES EXTEMPORÂNEAS E OUTRAS


INFORMAÇÕES

44

22
31/03/2014

BLOCO 1 – CONTROLE DE SALDOS DE CRÉDITOS, DE RETENÇÕES NA FONTE E OPERAÇÕES


EXTEMPORÂNEAS E OUTRAS INFORMAÇÕES
Processo Referenciado – Ação Judicial
1010; 1020 Processo Referenciado – Processo
Administrativo
Controle de créditos Pis/Cofins dos períodos
anteriores.
Registro 1100 (Pis) Visa Informar Saldo de
1100 (PIS) 1500 (COFINS) Crédito Disponível para Utilização neste
período de Escrituração (-) valor do crédito
aproveitado no período (=) saldo de créditos a
utilizar em período de apuração futuro

1101; 1102; 1200; 1210; 1220 (PIS) Extemporâneo – documentos e operações de


períodos anteriores (apuração de crédito) /
1501; 1502; 1600; 1610; 1620 (COFINS) contribuição social devida)
Controle dos valores retidos na fonte /
deduzidos / saldo.
1300 (PIS) - Informar o mês e valor da retenção, valor da
retenção deduzida do Pis/Cofins a pagar ou
1700 (COFINS)
usada para compensação e saldo de retenção a
utilizar em períodos anteriores de apuração
futuros;
Incorporação Imobiliária – RET
1800 (PIS E COFINS)
Consolidação dos doctos. Emitidos pelo Lucro
1900 (PIS E COFINS)
Presumido Reg. De Caixa e Competência 45

Lucro Presumido - ADE Cofis nº 24/11

Registros das operações simplificadas do Pis/Cofins para o Lucro Presumido,


pelos regimes de:

a) Caixa, ou
b) Competência.

23
31/03/2014

Lucro Presumido - ADE Cofis nº 24/11

Inclui os registros das operações praticadas pelas empresas tributadas pelo


Lucro Presumido

Registros pelo Regime Caixa

F500 - Consolidação das Operações


F509 - Processo referenciado

F510 - Apuração da contribuição por Unidade de Medida do Produto


F519 - Processo referenciado

F525 - Composição da Receita escriturada no período - Detalhamento da


receita recebida
1900 - Consolidação dos documentos emitidos no período

Lucro Presumido - ADE Cofis nº 24/11

Inclui os registros das operações praticadas pelas empresas tributadas


pelo Lucro Presumido

Registros pelo Regime de Competência

F550 - Consolidação das Operações


F559 - Processo Referenciado

F560 - Consolidação das Operações - por Unidade de Medida de produto


F569 - Processo Referenciado
1900 - Consolidação dos documentos emitidos no período

24
31/03/2014

PROF. ANTONIO SÉRGIO


DE OLIVEIRA
FORMAÇÃO
• Contador e Administrador de Empresas
• Pós Graduado em Gestão Pública

ATIVIDADES PROFISSIONAIS
• Palestrante do CRC-SP
• Consultor de Impostos do Grupo IOB-THOMSON
• Fiscal do CRC-SP
• Professor no SINDCONT-SP, SESCON, CONTMATIC, SENAC, CIESP e
SINDUSCON
• Palestrante para Empresas e Escritórios Contábeis sobre o SPED
• AUTOR dos Livros:
 SPED NO ESCRITÓRIO CONTÁBIL
 MANUAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA - ICMS SP
 SPED e NOTA FISCAL ELETRÔNICA

www.portaldosped.com.br

25