Você está na página 1de 21

SOLICITAÇÃO DE ACESSO PARA CONEXÃO DE MICRO E

MINIGERAÇÃO DE UMA CENTRAL GERADORA SOLAR


FOTOVOLTAICA EM REGIME DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA

Acessada: AES Eletropaulo

Acessante: Instituto de Tecnologia de São Paulo

Santo André

Outubro/2018
LISTA DE SIGLAS

AEEL AGÊNCIA DE ENERGIA ELÉTRICA

BT BAIXA TENSÃO

CM CASA DE MÁQUINAS

CP CABINE PRIMÁRIA

CSMT CUBÍCULO DE SAÍDA EM MÉDIA TENSÃO

EE ENERGIA ELÉTRICA

GFV GERADOR FOTOVOLTAICO

IFV INVERSOR FOTOVOLTAICO

IMQT INSTITUTO DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA

LER LABORATÓRIO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS

MT MÉDIA TENSÃO

PRODIST PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO

QGBT QUADRO GERAL DE BAIXA TENSÃO

PC PONTO DE CONEXÃO

SE SUBESTAÇÃO

SP SISTEMA DE PARALELISMO

CGFV CENTRAL GERADORA SOLAR FOTOVOLTAICA


UNIDADE CONSUMIDORA - Média Tensão

Tipo Nova

Titular Instituto de Tecnologia de São Paulo

Classe A

Grupo 4

Tensão de Conexão(kV) (PC 01) 13,8

CNPJ 12.542.032/0001-74

Endereço Rua Manuel Ervantes, 482

CEP 09961-400

Município Diadema

UF São Paulo

Telefone 11 5509-2222

Email infraestrutura@itsp.gov.br

UNIDADE CONSUMIDORA - Baixa Tensão

Tipo Nova

Titular Instituto de Tecnologia de São Paulo

Classe B

Grupo 2

Tensão de Conexão(kV) (PC 02) 127/220V

CNPJ 12.542.032/0001-74

Endereço Rua Artur Mattos, 275

CEP 09961-400

Município Diadema

UF São Paulo

Telefone 11 5509-2222

Email infraestrutura@itsp.gov.br
UNIDADE GERADORA - UFV

Proposta de Projeto Proposta de Projeto


(A) (B)

Tipo de PROJETO Microgeração Minigeração

Qtde Módulos 95 1580

Fabricante Módulos ET-Module ET-Module

Área dos Arranjos (m²) 760 2140

Qtde de Inversores 3 20

Fabricante do Inversor PHB Eletrônica PHB Eletrônica

Potência Módulos (kW​​p​)​ 0,3 0,3

Potência Inversores (kW) 10 25

Dados das edificações e


percentual de terreno ocupado
Edifícios Áreas Área ÚTIL Percentual(%)
Galpão 1200 1040 56,07%
Didático 760 760 35,51%
Refeitório 180 180 8,41%
Total 2140 1980 100,00%

Coordenadas Geográficas
latitude -23,718916
longitude: -46,627637
1. INTRODUÇÃO

Este documento reúne informações técnicas das instalações do Instituto de


Tecnologia de São Paulo (ITSP) para etapa relativa à solicitação do ponto de acesso a
conexão (PC) da Central Geradora Solar Fotovoltaica (CGFV) que será instalada em
paralelo à rede da concessionária de energia elétrica AES Eletropaulo. Em face da
documentação exigida para o pedido de acesso ao PC, segue no Anexo I: os diagramas
unifilar da instalação e o projeto da CGFV.

O ITSP é assistido pela rede de distribuição da AES Eletropaulo e possui


atualmente dois pontos de conexão(PC) com a rede pública de distribuição de energia,
sendo PC(01) localizado no endereço Rua Manuel Ervantes, 482 e o PC(02) localizado no
endereço Rua Artur Mattos, 275. A CGFV deverá operar sob o regime de paralelismo,
onde o acessante(cliente - ITSP) entregará potência para rede de distribuição e também
será atendido pela rede da concessionária em horário cujo sistema de geração estiver
fora de operação.

A capacidade instalada para geração de energia, de acordo com o estabelecido


pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), classifica o sistema como sendo
microgeração para a proposta (A) de projeto e minigeração para proposta (B) de projeto.
As prerrogativas para elaboração deste documento tem como parâmetro as Resoluções
Normativas ANEEL Nº 482/2012 e Nº 687/2015, Módulo 3 PRODIST(Procedimentos de
Distribuição) rev. 7 e a Norma Técnica AES Eletropaulo NT 6.012.v03 de 25/02/2016.
2. INFORMAÇÕES GERAIS DA CENTRAL GERADORA

O Instituto de Tecnologia de São Paulo (ITSP) em parceria com órgãos de fomento


à pesquisa e desenvolvimento (FAPESP, CAPES), junto do Governo do estado de São
Paulo permitiram o desenvolvimento de projetos para implantação da central de
minigeração de energia elétrica da instituição.

O ITSP possui terreno com área de aproximadamente 3100m² de terreno e área


construída de 2340m². Dessa superfície, 1980m² compreende a cobertura onde é possível
instalar os módulos sobre os telhados das edificações.

A Figura 1 ilustra o terreno do ITSP e indica quais edifícios serão contemplados


pela instalação dos módulos fotovoltaicos dedicados aos projetos (A) e projeto (B)

Figura 1​​ - Vista aérea da unidade de pesquisa e desenvolvimento do ITSP


2.1. Proposta (A) minigeração - Edifício Refeitório

A proposta (A) de projeto para CGFV contempla apenas o fornecimento de energia


para o Edifício Refeitório, onde hoje a conexão com a rede pública de distribuição ocorre
no PC(02), sendo esta independente dos demais edifícios do ITSP. A instalação de
Nº48550930 é assistida em baixa tensão, nível de tensão 127V, sistema bifásico, com
neutro aterrado e pertence ao grupo B. A implementação deste projeto visa atender o
autoconsumo do edifício Refeitório e eventualmente fornecer à rede a produção de
energia excedente gerada ao longo do dia pelos módulos fotovoltaicos.

Os módulos serão instalados sobre a cobertura do edifício, cuja estrutura de


fabricação é feita em concreto armado e a orientação do edifício está a noroeste, com
ângulo azimute de -19,8º. O quadro da Figura 2 reúne as características das edificações
para determinar o dimensionamento da proposta(A) de projeto.

Figura 2​​ - Quadro com valor do consumo de energia das edificações e características do ângulo azimute de
cada edificação, juntamente do fator de correção aplicado a ângulos com Azimute diferente de zero

Edifício Ed. Refeitório

Estrutura da cobertura Concreto armado

Orientação azimutal -19,8º

Fator de correção (Em relação


95,5%
ao Norte)

Ângulo de inclinação dos


23º
módulos fotovoltaicos

Consumo médio anual 142kWh

A Figura 3 apresenta a vista 3D do edifício Refeitório e os pontos cardeais de sua


localização.
Figura 3​​ - Vista em 3D da unidade de pesquisa e desenvolvimento do ITSP - Ed. Refeitório

2.2. Proposta (B) microgeração - Edifícios Refeitório, Galpão de


Pesquisa e Didático.

A proposta (B) de projeto para a CGFV condiciona a instalação de módulos


fotovoltaicos sobre a cobertura dos Edifícios Refeitório, Galpão de Pesquisa e Didático. O
projeto prevê nesta configuração a interligação dos sistemas de geração fotovoltaico que
deverão ser conectados à subestação da unidade. O nível de tensão no PC(01) de
atendimento da concessionária de energia corresponde a 13,8kV e, por esta razão, será
necessário adequar os níveis de tensão dos inversores aos disponibilizados pela
concessionária, a fim de evitar incompatibilidade de conexão, já que os módulos
inversores geram níveis de tensão em 380V e a instalação do ITSP opera em 220V.

Entre as alterações previstas para a atual subestação da unidade está o acréscimo


de mais um cubículo de transformação que será de uso exclusivo para a CGFV para
instalação do novo transformador. Além desta adequação, vale ressaltar que todo
conjunto de proteção do sistema de potência da subestação deverá ser revisto, a fim de
adequar os dispositivos de proteção existentes ao novo sistema que será implementado.
As especificações do transformador que será acrescido ao cubículo de
transformação, bem como as especificações do atual equipamento já instalado
encontram-se descritas, a seguir:

● Transformador(1): potência 600kW / 750kVA, relação 380/440V-220V,


configuração estrela-estrela, com neutro aterrado, isolação a seco. (Obs:
proposto para adequação);
● Transformador(2): potência 600kW / 750kVA, relação 13,8 kV-380/440V,
configuração delta-estrela, com neutro aterrado, isolação a seco. (Obs:
atualmente em operação);

Em razão da interligação entre os sistemas de distribuição internos à instalação, o


edifício Refeitório terá seu fornecimento de energia interrompido no PC(02) e toda rede
elétrica do edifício refeitório será atendida pelo mesmo PC(01) que atende os demais
edifícios do ITSP em 13,8kV, rede média tensão, vide diagrama unifilar (ANEXO I).

Nesta proposta de Projeto (B) estima-se que a potência gerada pelo sistema
corresponderá a 476kWp sob uma área de instalação equivalente a 1980m². O consumo
médio de energia mensal do complexo de edifícios é de aproximadamente 52MWh e
demanda contratada para a instalação é de 500kW. Os módulos serão instalados sobre a
cobertura dos edifícios, cuja estrutura encontra-se especificada no quadro da Figura 4.

Figura 4​​ - Quadro resumo do consumo de energia, ângulo azimute e fator de correção aplicado às Horas de
Sol Pleno de cada edificação.

Ed. Galpão de
Edifício Ed. Didático Ed. Refeitório
Pesquisa

Telha Telha Concreto


Estrutura da cobertura
sanduiche sanduíche armado

Orientação azimutal -34,5º -25º -19,8º

Fator de correção 87,3% 91,8% 95,5%

Inclinação módulos geradores 21º 21º 23º

Consumo médio anual 600kWh 947kWh 142kWh

Potência Fotovoltaica 193,83kWp 291,5kWp 41,97kWp


O fator de correção (orientação azimutal) trata-se de um valor percentual
equivalente às perdas que o sistema terá devido a sua orientação geográfica. O valor é
calculado quando compara-se o mesmo valor de potência fotovoltaica orientado a
Norte(azimute = 0º) com o sistema tido na prática, cuja orientação é para ângulo azimutal
diferente de zero. O percentual é aplicado diretamente as Horas de Sol Pleno que incide
sobre a superfície dos módulos.

A simulação foi realizada em ambiente virtual, a partir do software PVSyst 6.70 e o


valor do Ângulo azimute foi obtido por meio do aplicativo Sun Surveyor Lite. Nas
representações a seguir, tem-se um esquema em 3D e as orientações dos pontos
cardeais projetadas em cada uma das edificações.

Figura 4​​ - Vista em 3D da unidade de pesquisa e desenvolvimento do ITSP - Ed. Didático


Figura 5​​ - Vista em 3D da unidade de pesquisa e desenvolvimento do ITSP - Ed. Galpão de Pesquisa

Além dos dois edifícios representados nas Figuras 4 e 5, considera-se na proposta


do projeto B, o edifício Refeitório, já apresentada na Figura 3, seção 2.1 Proposta (A)
minigeração - Edifício Refeitório.

3. Dados da Geração
3.1. Projeto Microgeração - Proposta de projeto (A)

O SP é constituído por um GFV de 40kWp, 3 unidades de inversores fotovoltaicos


de 10kW e uma caixa de (stringbox) com os bornes de conexão dos dispositivos de
seccionamento para o sinal de tensão e corrente em C.C. e C.A.

3.1.1. Parâmetros da incidência solar

Figura 6​​ - Parâmetros da carga e incidência solar


3.1.2. Parâmetros GFV

.​Figura 6​​ - Parâmetros do Gerador e inversor Fotovoltaico

3.1.3. Dados da geração FV


3.1.4. Certificação inversor

3.2. Projeto Microgeração - Proposta de projeto (B)

O SP é constituído por um GFV de 476kWp, 16 unidades de inversores


fotovoltaicos, sendo 13 unidades de potências de 25kW e 3unidades de 10kW, 16 caixas
de (stringbox) com os bornes de conexão dos dispositivos de seccionamento para o sinal
de tensão e corrente em C.C. e C.A.

3.2.1. Parâmetros da incidência solar


● Edifício Didático
● Edifício Galpão de pesquisa

● Para edifício refeitório considerou-se os mesmos dados já apresentados na seção 3.1.1

3.2.2. Parâmetros GFV - Galpão de Pesquisa e Didático

● Para edifício refeitório considerou-se os mesmos dados já apresentados na seção 3.1.1


3.2.3. Dados da Geração
● Edifício Galpão de pesquisa

● Edifício Didático

● Para edifício refeitório considerou-se os mesmos dados já apresentados na seção 3.1.3


4. Certificação do inversor

5. Malha de aterramento

Na parte interna de cada stringbox há um barramento conectado a malha de


aterramento das diferentes partes do SP que está equipotencializado com os edifícios
Galpão de Pesquisa, Didático e Refeitório, a partir do barramento principal terra que
encontra-se instalado no quadro de distribuição geral da subestação.
DESENHOS
1. Diagrama unifilar para proposta (A) do projeto da CFV
2. Diagrama unifilar para proposta (A) do projeto da CFV