Você está na página 1de 28

FACULDADE NO EXTERIOR:

TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER


PARA CONQUISTAR ESSE SONHO
03 Introdução

06 Quais os caminhos para ingressar


em uma faculdade no exterior?

11 Como me preparar para concorrer


a uma vaga no exterior?

17 Em quais países é mais fácil


conseguir uma oportunidade?

26 Conclusão

28 Sobre a Universia
INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃO

Fazer faculdade fora do Brasil é o sonho de muitos


estudantes, que veem nessa oportunidade a chance de
aprimorar um novo idioma, conhecer culturas diferentes
e, quem sabe, frequentar algumas das melhores
universidades do mundo.

Se há alguns anos esse era um sonho distante,


impossível para a maior parte dos jovens, hoje ele está
cada vez mais próximo e acessível.

4
INTRODUÇÃO

Em um mundo globalizado, o convívio


entre jovens de diferentes partes do
mundo tem sido muito valorizado pelas
instituições de ensino, como forma de
promover o contato entre as culturas,
incentivar o respeito e a tolerância.

Em alguns países, as universidades têm processos


bem específicos para a candidatura de estudantes
internacionais, enquanto em outros a inscrição é
exatamente igual à dos alunos nativos.

Existem ainda vários programas de bolsas para diversos


países, onde os estudantes podem concorrer ao custeio
total ou parcial da mensalidade de um curso.

Pois é, a maioria dos processos seletivos realmente é


muito diferente dos que temos aqui no Brasil, mas fique
calmo: aqui você encontra as principais informações que
precisa para se candidatar a uma faculdade no exterior.

Com foco e uma boa preparação, alcançar esse sonho


pode ser mais fácil do que você imagina!
5
QUAIS OS CAMINHOS
PARA INGRESSAR
EM UMA FACULDADE
NO EXTERIOR?
QUAIS OS CAMINHOS PARA INGRESSAR EM
UMA FACULDADE NO EXTERIOR?

Primeiro, é preciso saber que existem diferentes


opções: você pode se candidatar à graduação completa
no exterior ou a um período de estudos (mobilidade
acadêmica) em outro país durante sua graduação no
Brasil. Em todos esses casos, são muitos os caminhos:

APLICAÇÃO DIRETA COM A


UNIVERSIDADE ESTRANGEIRA

Uma das possibilidades para concorrer a uma vaga é


se candidatar diretamente pelo processo seletivo da
universidade escolhida, tanto para graduação completa
quanto para intercâmbio. Nesse caso, você deve ficar
atento ao prazo de candidatura e verificar quais são os
documentos exigidos de alunos estrangeiros.

Geralmente, existe uma página específica


para os processos de aplicação — basta
ler tudo com muita atenção e seguir passo
a passo as indicações, completando com
as informações e os documentos pedidos.

7
QUAIS OS CAMINHOS PARA INGRESSAR EM
UMA FACULDADE NO EXTERIOR?

AGÊNCIAS DE INTERCÂMBIO

Se você não se sente seguro para fazer todo


o processo sozinho, ou quer o auxílio de um
profissional, é possível contratar uma agência
para ajudá-lo durante a candidatura.

A agência auxilia com diversas providências


administrativas e burocráticas, como tradução
de documentos e, em alguns casos, ainda pode
entrar em contato direto com a universidade
para pedir informações ou esclarecer dúvidas.
8
QUAIS OS CAMINHOS PARA INGRESSAR EM
UMA FACULDADE NO EXTERIOR?

PROGRAMAS DE MOBILIDADE
ACADÊMICA

Existem programas de intercâmbio regulares, que


acontecem semestral ou anualmente, e oferecem bolsas
de estudo para períodos de mobilidade acadêmica em
diferentes países.

O Santander Universidades, por exemplo, tem três


programas diferentes:

• o Ibero-Americano — que inclui Portugal e


América Latina;

• o Top España — que oferece um curso de


espanhol de três semanas na Universidade de
Salamanca;

• o Fórmula Santander — que oferece um semestre


de mobilidade acadêmica para graduação e pós-
graduação em 20 países diferentes.

9
QUAIS OS CAMINHOS PARA INGRESSAR EM
UMA FACULDADE NO EXTERIOR?

CONVÊNIOS ENTRE
UNIVERSIDADES

Existem ainda os chamados acordos de cooperação, ou


convênios, entre universidades brasileiras e estrangeiras,
que permitem que os alunos se candidatem a um
período de intercâmbio.

Os programas podem, ou não, oferecer auxílio


financeiro e o processo seletivo varia de acordo com
cada universidade. Na maioria dos casos, avalia-se
principalmente o rendimento global do aluno, além dos
interesses acadêmicos e das motivações para concorrer
a um intercâmbio.

10
COMO ME PREPARAR
PARA CONCORRER A UMA
VAGA NO EXTERIOR?
COMO ME PREPARAR PARA CONCORRER
A UMA VAGA NO EXTERIOR?

Uma boa preparação é fundamental


em qualquer processo seletivo — além
de aumentar suas chances de sucesso,
deixa-o mais confiante e ajuda a evitar
imprevistos de última hora.

Apesar de variar muito entre países e mesmo


instituições de ensino diferentes, os processos de
aplicação têm alguns pontos em comum, aos quais
você pode desde já estar atento:
12
COMO ME PREPARAR PARA CONCORRER
A UMA VAGA NO EXTERIOR?

TESTE DE PROFICIÊNCIA

Eles serão exigidos em praticamente todos os processos


seletivos. Independentemente do idioma do país para
o qual você pretende ir, será preciso provar um domínio
mínimo da língua nativo do seu destino, afinal, você
precisa estar apto para participar das aulas.

Algumas universidades exigem notas menores e


oferecem aulas do idioma antes ou durante o período
que o estudante passará na universidade. Há ainda
aquelas que são de países que não têm o inglês como
língua oficial, mas que aceitam que o candidato seja
proficiente apenas nesse idioma.

Atenção: nem todos os testes de proficiência são


aceitos pelas universidades. No caso do inglês, as
faculdades britânicas, por exemplo, costumam exigir o
IELTS (International English Language Testing System),
enquanto a maioria das norte-americanas só aceita o
TOEFL (Test of English as a Foreign Language).

13
COMO ME PREPARAR PARA CONCORRER
A UMA VAGA NO EXTERIOR?

BOAS NOTAS

Apesar dos processos de candidatura não considerarem somente


o desempenho acadêmico, as boas notas ainda são muito
importantes. No caso de se candidatar para um curso completo,
o seu rendimento no Ensino Médio será considerado. Já para os
casos de mobilidade acadêmica, o que conta geralmente é a média
do seu rendimento global na faculdade.

No entanto, não precisa se desesperar com aquela nota ruim que


mancha seu histórico: tudo pode ser explicado. Além disso, você
pode ganhar pontos com outros tipos de atividade no currículo.

14
COMO ME PREPARAR PARA CONCORRER
A UMA VAGA NO EXTERIOR?

ATIVIDADES
EXTRACURRICULARES

Se você conhece o sistema de High School dos Estados


Unidos (mesmo que seja por filmes), provavelmente
já percebeu o quanto as atividades extraclasse são
valorizadas por lá.

Na sua candidatura internacional, vários outros países


também vão valorizar muito aquilo que você já fez fora da
sala de aula — atividades esportivas, estágios profissionais,
voluntariado, etc. — essas, e várias outras coisas, vão
ajudá-lo a conquistar mais alguns pontos na seleção.

PREPARO PSICOLÓGICO

Acredite, ele é tão importante quanto todos os outros


passos. Se você pretende fazer uma graduação em
outro país, precisa ter consciência de que vai enfrentar
algumas dificuldades. O importante é saber que elas
são normais. Respire fundo, mantenha a calma, e
procure se lembrar sempre do quanto essa experiência
é importante para você.
15
COMO ME PREPARAR PARA CONCORRER
A UMA VAGA NO EXTERIOR?

CARTAS DE RECOMENDAÇÃO

Basicamente, são cartas escritas por outras pessoas,


falando sobre você. Elas servem para que os avaliadores
o conheçam melhor, entendam como foi sua trajetória e,
principalmente, saibam mais sobre a sua personalidade e
sobre o modo como você lida com suas atividades.

Você pode pedir cartas de recomendação


a um professor, orientador, treinador,
ou a qualquer outra pessoa que esteja
relacionada à sua trajetória acadêmica.

16
EM QUAIS PAÍSES É
MAIS FÁCIL CONSEGUIR
UMA OPORTUNIDADE?
EM QUAIS PAÍSES É MAIS FÁCIL
CONSEGUIR UMA OPORTUNIDADE?

Seja pelo idioma, pela proximidade cultural ou por terem


incentivos para candidatos brasileiros, em alguns países
os processos seletivos acabam se tornando um pouco
mais fáceis. Listamos alguns dos destinos mais comuns
nas escolhas dos estudantes brasileiros:

PORTUGAL

A primeira facilidade é, sem dúvidas, o idioma. Se você


escolher uma universidade portuguesa, não precisará se
preocupar com testes de proficiência. O ano letivo em
Portugal começa em setembro e, assim como no restante
da Europa, a maioria dos cursos tem duração de três anos.

Para facilitar ainda mais o acesso dos estudantes


brasileiros, desde 2014 as universidades portuguesas
começaram a aceitar inscrições com a nota do Enem.
Hoje o exame já é aceito em 27 universidades, entre as
quais estão a Universidade de Coimbra, a mais antiga
do país, e as Universidades de Lisboa e do Porto, as
duas maiores de Portugal.

18
EM QUAIS PAÍSES É MAIS FÁCIL
CONSEGUIR UMA OPORTUNIDADE?

ESTADOS UNIDOS

A grande maioria das universidades norte-


americanas utiliza a plataforma Common App
para as candidaturas.

O ano letivo começa em agosto, mas as


candidaturas começam com quase um ano de
antecedência, por isso, é importante começar
cedo a preparação.

19
EM QUAIS PAÍSES É MAIS FÁCIL
CONSEGUIR UMA OPORTUNIDADE?

Além do histórico escolar, das atividades


complementares, das cartas de recomendação e do
exame de proficiência em inglês, para se candidatar a
uma universidade americana você precisará fazer ao
menos uma prova: o SAT (Scholastic Aptitude Test ou
Scholastic Assessment Test) ou o ACT (American College
Testing). O SAT, mais comum, avalia seu desempenho
em matemática, escrita e interpretação de texto. Já o
ACT avalia inglês, matemática, interpretação de texto e
raciocínio científico.

Vale lembrar que as universidades norte-


americanas são famosas por concederem
bolsas de estudo (scholarships) para
atletas e para estudantes com excelente
desempenho acadêmico.

Você, mesmo como estudante internacional, também


está apto para concorrer a essas bolsas.

20
EM QUAIS PAÍSES É MAIS FÁCIL
CONSEGUIR UMA OPORTUNIDADE?

INGLATERRA

O processo seletivo para as universidades inglesas é


parecido com o dos Estados Unidos. Existe um órgão
responsável pela seleção, o UCAS (University and
College Admissions Service), com uma plataforma
exclusiva onde você pode enviar candidaturas para até
cinco universidades.

Você precisará enviar seu histórico escolar, cartas


de recomendação, redações (as famosas essays,
também pedidas nos Estados Unidos) e algumas outras
informações, de acordo com o formulário.

A principal diferença entre as universidades britânicas


e as norte-americanas é que na Inglaterra não existe
um exame padrão a ser prestado, como o SAT ou o ACT.
O único exame exigido dos candidatos estrangeiros é o
IELTS, que comprova a proficiência em inglês.

21
EM QUAIS PAÍSES É MAIS FÁCIL
CONSEGUIR UMA OPORTUNIDADE?

FRANÇA

O ano letivo na França também começa em setembro,


e as candidaturas acontecem normalmente no início do
ano, com prazo máximo até março.

A candidatura para universidades


francesas é feita através de um “dossiê
eletrônico”, um conjunto de documentos
que devem ser enviados para a faculdade,
incluindo o histórico escolar e as cartas de
recomendação.

22
EM QUAIS PAÍSES É MAIS FÁCIL
CONSEGUIR UMA OPORTUNIDADE?

Uma grande diferença em relação aos outros países


já citados, é que a França não reconhece o diploma
de conclusão do Ensino Médio brasileiro como
documento para acesso a um curso superior. Isso quer
dizer que, para se candidatar a um curso de graduação
na França, você terá que ser, primeiro, aprovado em
um vestibular no Brasil.

Seu certificado de grau, portanto, será sua


aprovação em uma universidade brasileira
reconhecida pelo MEC, pública ou privada,
nas mesmas áreas em que pretende se
candidatar para estudar na França. E, vale
lembrar, você também vai precisar provar
sua proficiência em francês.

A boa notícia é que existe um órgão unicamente


responsável pela candidatura de estudantes
internacionais na França, a Campus France. No site da
agência você encontra todas as informações necessárias
para sua candidatura.

23
EM QUAIS PAÍSES É MAIS FÁCIL
CONSEGUIR UMA OPORTUNIDADE?

ESPANHA

Nas universidades espanholas o processo é um pouco diferente


dos demais: se você não cursou o ensino médio na Espanha, você
precisará validar seu diploma para que ele seja aceito lá.

Em seguida, você terá que fazer uma prova de acesso à


universidade, semelhante ao vestibular, a Selectividad.Essa prova
não inclui todo o conteúdo do ensino médio, ela é direcionada ao
curso que você escolheu prestar.Além disso, a prova não precisa
ser feita na Espanha, ela pode ser feita no país de origem do
candidato. No Brasil, a aplicação é feita pelo Colégio Miguel de
Cervantes, em São Paulo.

Depois de ter em mãos a sua nota da prova, o diploma validado


e um teste de proficiência em espanhol, você deverá fazer sua
candidatura diretamente com as universidades.

24
EM QUAIS PAÍSES É MAIS FÁCIL
CONSEGUIR UMA OPORTUNIDADE?

CANADÁ

A candidatura para graduação no Canadá é feita diretamente no site


das universidades. Geralmente, há um formulário específico no site
para ser preenchido, com todas as informações solicitadas. Você vai
precisar de um bom histórico acadêmico, das cartas de recomendação,
do certificado de proficiência em inglês e de mais alguns documentos,
que podem variar um pouco entre as universidades.

Um ponto importante sobre o Canadá é que lá existem dois tipos


de curso superior: as Universities e os Colleges. A diferença
entre eles, basicamente, é que os Colleges são mais práticos,
voltados para quem quer entrar mais rápido no mercado de
trabalho, enquanto as Universities são mais voltadas para o
aprofundamento acadêmico e científico.
25
CONCLUSÃO
CONCLUSÃO

São muitas as oportunidades para quem pretende


estudar fora do Brasil. A princípio, os processos seletivos
podem parecer complicados, já que são muito diferentes
do vestibular brasileiro. No entanto, começando a se
preparar com antecedência e seguindo todos os passos
indicados, a chance de aprovação é enorme.

A dica principal é pesquisar muito sobre o país para o


qual pretende ir. Conheça o sistema de ensino, saiba
quais são as principais diferenças para com o sistema
educacional brasileiro. Procure também saber sobre os
métodos de avaliação da universidade, a organização das
aulas e as atividades extraclasse que são oferecidas.

Além disso, é importante saber o máximo possível


sobre o campus, a cidade, o país — informação nunca é
demais. Quanto mais você souber, mais certo estará da
sua escolha e, consequentemente, estará mais confiante
durante o processo de candidatura.

27
A Universia é um portal que foi lançado em 2002
por uma ação do então presidente Fernando
Henrique Cardoso em conjunto com o banco
Santander e que conta com mais de 1.300
universidades espalhadas em 23 países.

Uma rede de conteúdo essencialmente acadêmico


e jovem que tem como diferencial o contato
próximo com as diretorias das universidades e
estar presente na vida dos jovens, auxiliando
desde a escolha profissional, passando por
intercâmbios e bolsas de estudos até o acesso
ao mercado de trabalho, ajudando, inclusive,
os que têm interesse em empreender.

No site, os jovens encontram informações


completas, como teses acadêmicas, orientações
sobre intercâmbios, cursos de graduação, pós-
graduação e extensão, além de um banco de
dados e ferramenta para inserção de currículos
e divulgação de vagas de emprego.