Você está na página 1de 2

POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL

DEC/INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS POLICIAIS


DIFORM/PRO-REITORIA DE GRADUAÇÃO
ACADEMIA DE POLÍCIA MILITAR DE BRASÍLIA

Curso: TECNOLOGIA EM SEGURANÇA PÚBLICA


Disciplina: GERENCIAMENTO DE CRISE
Professor: JAILSON FERREIRA
Aluno: Jean Cleuton Lima Nery
Semestre letivo: 4º 2018

A SÍNDROME DE ESTOCOLMO

O crime de deu origem à Síndrome de Estocolmo ocorreu em 1973. Foi


um assalto a banco ocorrido no centro da capital sueca onde um assaltante, um
presidiário, Olsson, e quatro funcionários conviveram por seis dias dentro das
dependências do banco. Nesse período, os reféns desenvolveram uma relação
afetiva com os seus sequestradores, sendo esta a característica marcante desta
síndrome.
Após os seis dias de sequestro, as vítimas informaram que jogaram
baralho e acabaram por simpatizar com os sequestradores e no ato da prisão
não queriam sair antes deles com medo que a polícia os castigasse. Após o
sequestro dois reféns visitaram Olsson na prisão.
O caso foi estudado e definido como a “Síndrome de Estocolmo” pelo
criminologista Nils Berjot, o qual trabalhou junto à polícia durante o sequestro,
Nils considerou essa síndrome como uma doença psicológica aleatória que
acomete as vítimas que tentam ganhar a confiança do criminoso a fim de tentar
livrar-se deste, no processo a vítima acaba afeiçoando-se.
A ideia dessa síndrome se desenvolve quando após um período de forte
intimidação e a vítima sem conseguir compreender o que será do seu futuro o
seu subconsciente, como mecanismo de defesa, passa a desenvolver afeições
com o seu algoz, chegando a casos em que a vítima ajuda o criminoso a alcançar
o seu objetivo, acreditando que agindo dessa forma consiga sobreviver.
SÍNDROME DE LONDRES

A “Síndrome de Londres” é o oposto da “Síndrome de Estocolmo”,


enquanto nesta os reféns criam uma simpatia, naquela ocorre o oposto, ou seja,
os reféns começam a discordar das atitudes dos sequestradores, travam
discussões, gerando uma antipatia que, em muitos casos, levam a tragédias.
Essa síndrome originou em 1980 com o sequestro de dezesseis reféns,
entre britânicos, iranianos, árabes e um libanês, por seis sequestradores árabes,
quando os reféns discordaram do comportamento dos seus sequestradores o
que gerou um clima tenso e para que acreditassem nas suas ameaças
executaram Abbas Lavasini, o qual por vezes discutia com seus sequestradores.