Você está na página 1de 50

20/08/2018

Prepando e administrando Programa Nacional de Imunização


Imunobiológicos

Tem como objetivo o controle de doenças


imunopreveníveis através de amplas coberturas
vacinais, para que a população possa ser provida de
adequada proteção imunitária contra as doenças
abrangidas pelo programa.

Prof.ª Ms. Mariana Garvil


Farmacêutica
CRFMG - 15174 1 2

1
20/08/2018

Imunização Imunização

‒ IMUNIZAÇÃO: É a capacidade do organismo reconhecer ‒ VACINA: Preparação contendo microrganismos vivos ou


o agente causador da doença e produzir anticorpos a mortos ou frações destes, possuidora de propriedades
partir da doença adquirida ou por meio da vacinação, antigênicas.
ficando protegido temporária e permanentemente. ‒ As vacinas são empregadas para produzir em um
indivíduo atividade específica contra um microrganismo
‒ Imunização Ativa

‒ Imunização Passiva

3 4

2
20/08/2018

Imunização – Vacina Ativa e Inativa Imunização – Vacina Ativa e Inativa

• Vacinas de vírus vivo atenuado (enfraquecido) • Vacinas inativadas (mortas): Vírus, bactérias

São lábeis, perdem a capacidade de provocar a doença mas Ex: Tríplice bacteriana (contém macerado de bactéria de
ao mesmo tempo tem a capacidade de evitar a doença. São Bordetella pertussis); Tríplice acelular (contém fragmentos
passíveis de dar eventos adversos. Os vírus replicam no da bactéria morta); Fragmentos de microrganismos que
organismo e devem ser mantidos em bom estado de podem ser PROTEÍNAS ou POLISSACARÍDEOS.
conservação (+2°C a +8ºC). Apresentam na forma atenuada
do vírus selvagem ou bactéria.

5 6

3
20/08/2018

Cuidados com Imunobiológicos


Injeção

• Prazo de validade; Procedimento invasivo em que uma


• Conservação (Temperatura); substância é introduzida e depositada por
• Transporte; meio de uma agulha estéril nos tecidos
• Armazenamento;
• Dose;
corpóreos, geralmente na derme, no tecido
• Coloração da Vacina; subcutâneo e no músculo, ou diretamente na
• Diluição; corrente sanguínea.
• Tempo de Validade após diluição.

7 8

4
20/08/2018

SERINGA
Características dos tecidos

Determinam o volume

Características da droga

Determinam a absorção e o mecanismo de ação

9 10

5
20/08/2018

FORMAS DE APRESENTAÇÃO

• Aquosa 0,7mm

• Oleosa

0,8mm

• Suspensão

• Pó
0,7mm

• Outras formas
11 12

6
20/08/2018

ASPIRANDO O MEDICAMENTO

Abrir a embalagem pela parte


do embolo, parte onde está o lote e validade.

Segure a seringa ainda no “berço”


E retire a “pétala” tocando apenas
na extremidade coloque a pétala na
Bancada com a parte estéril para cima

Verifique se a agulha esta bem fixada,


Tocando apenas no protetor segurando
a seringa pelo cilindro

13 14

7
20/08/2018

1. Retirar o lacre e fazer assepsia da tampa da borracha


2. Aspirar o diluente na seringa e injetar no frasco ampola
apoiado na bancada
3. Rolar o frasco entre as mãos para misturar bem o
medicamento (não tocar na borracha)
4. Aspirar o medicamento
5. Reencape
6. Retirar bolhas e ar, acertar volume final.

2 4
1 3 5 6
15 16
Materiais de qualidade

8
20/08/2018

Sala de aplicação
Bandeja coletora  Mínimo de 3 metros quadrados
encerada para evitar  Bem iluminada, ventilada
vazamento
 Protegida contra insetos, roedores ou outros animais
 Superfície interna lisa ,lavável, resistente a agentes sanitizantes
Cinta resistente
a perfuração  De cor clara
 Pia com água corrente
Fundo resistente  Cadeira confortável
a perfuração
 Sabonete líquido
Saco plástico  Gel bactericida
para proteção
contra  Lixeiras com pedal
vazamento  Toalha de papel descartável
 Ter privacidade
Alça resistente  Estojo primeiros socorros (conjunto de materiais para primeiros-
para manuseio
seguro socorros)
17 18

9
20/08/2018

Procedimento:

6 Explique o procedimento ao paciente;


1 Lave as mãos;
7 Exponha a região onde a injeção será aplicada
Separar materiais: bandeja, seringa de segurança e e firme a pele com os dedos polegar e
2
agulha de segurança, seringa,gaze, luvas, medicamento indicador da sua mão dominante;
prescrito,luvas e álcool a 70%;
Introduzir somente o bisel da agulha na pele
3 Higienize a bandeja e o frasco do medicamento 8
do paciente em um ângulo quaseparalelo ao
com álcool a 70%;
corpo, cerca de 15°, penetrando no máximo
4 2mm sob a camadamaisexposta da derme;
Coloque as luvas;

9 Injetar o medicamento lentamente,


Abra a seringa e aspire o medicamento do frasco, observando a formação da pápula sob a
5
preparando a injeção. Utilize seringas e agulhas com pele;
Dispositivo de segurança Sol-Care; 1 0 Retire a agulha com um movimento
rápido e contínuo;

20

10

10
20/08/2018

Escolha incorreta, Técnica incorreta:


CUIDADOS PARA NÃO CONTAMINAR

• Lavar bem as mãos


• Dano a tecidos/nervos/vasos
• Manter a agulha sempre coberta • Hematomas
• Não tocar na agulha, no bico da seringa • Nódulos/Abcessos
• Não tocar no embolo da seringa • Necroses
• Não falar próximo a agulha • Dor intensa
• Passar o algodão com álcool 70% na ampola e no frasco • Tecido muscular/subcutâneo músculo/pele
antes de abrir saudável, sem lesões/ ferimentos/
• Limpar bem o local da aplicação e deixar o álcool 70% inflamações/ edema/ Infecções/ tatuagens/
• Secar cicatrizes/ marcas de nascença/manchas
• Manter a toda sala de aplicação higienizada • Não recebeu injeções recentemente (Rodizio)

21 22

11
20/08/2018

INJEÇÃO INTRA-DÉRMICA ID
Epiderme - Id

Permite a introdução de pequenas


quantidades de substâncias, dada a pequena • É feita dentro da pele para testes de alergia e
algumas vacinas
elasticidade da derme.
• Volume máximo administrado: Até 0,5mL
• Ângulo de aplicação: Até 15º
• Local de Aplicação
• Face anterior do antebraço

23 24

12
20/08/2018

Via Intra-dérmica Via Intra-dérmica

via de absorção lenta

Aspiração – não indicada.

Antissepsia – não indicada, para evitar uma possível interação entre o líquido
injetado e o anti-séptico, face à presença de poros na pele e o fato do líquido da
Uso - BCG-ID, prova de sensibilidade aos soros, pré exposição à raiva e prova de vacina ser depositado muito próximo à epiderme.
hipersensibilidade (Exemplo: teste do PPD - Derivado Protéico Purificado).
Massagem local após aplicação – não indicada. Havendo sangramento, o local
Volume - 0,1mL para BCG e PPD. Volume máximo é de 0,5 mL. deve ser limpo com um algodão seco.

Local para a vacina BCG é a região da inserção inferior do músculo deltóide do Perda da vacina BCG durante a aplicação – não repetir o procedimento e registrar
braço direito. Para injeções ID o local é a face anterior do antebraço (PPD e testes o fato na ficha de registro de vacinação e acompanhar a evolução da lesão vacinal,
de sensibilidade). A rigor, a aplicação intradérmica pode ser realizada em qualquer até a formação da cicatriz.
região do corpo, desde que pobre em pêlos, com pouca vascularização superficial
e de fácil acesso.
Revacinação – uma única revacinação após 6 meses da data da vacinação.
25 26

13
20/08/2018

Via Intra-dérmica Subcutâneo - SC


Materiais Indicados:
A substância é depositada no tecido conectivo frouxo
. Seringa de 1 mL (com escala de frações de mililitros) localizado logo abaixo da derme. Como se trata de um
tecido menos irrigado, a absorção é lenta e também
. Agulha deve ser pequena e com bisel curto dolorosa, pela presença de inúmeros receptores para dor.
Dimensões: 10 x 4,5; 13 x 3,8; 13 x 4,0; 13 x 4,5; 13 x 5; 13 x 5,5.
Portanto, essa região deve receber pequenos volumes de
substâncias pouco irritantes, solúveis em água.

Idealmente utilizar Derme


ângulo de 90º Subcutâneo

27 Músculo 28

14
20/08/2018

Subcutânea

• Feita na camada de tecido situada entre a pele e o


músculo
• Usada principalmente para aplicação de insulina,
vacinas e anticoagulantes
• Volume máximo administrado: 1,5 mL
• Ângulo de aplicação: 45º em magros e 90º em
pessoas normais ou obesas
29 30

15
20/08/2018

Técnica SC
• Qualquer paciente adulto/Criança

- Braço

- Abdômen

- Coxa

- Glúteo

• Agulha 0,30 x 8,0 mm


31 32

16
20/08/2018

ES Paciente Procedimento Ângulo Via Sub-cutânea

Adultos todos Uso - para administração de soluções que necessitam ser absorvidas mais
lentamente. Essas soluções não devem ser irritantes, devendo ser de fácil
Tipos físicos absorção.
Adolescentes Sem prega 90 graus Produtos utilizados – vacinas (SCR, febre amarela,...), substâncias como a
insulina e adrenalina e alguns hormônios.
Crianças
.
Adultos todos 90 ou 45 graus . Locais para a vacinação :
Tipos físicos Com prega Adolescentes •a região do deltóide no terço proximal;
•a face superior externa do braço;
Adolescentes Crianças •a face anterior e externa da coxa; e
Crianças •a face anterior do antebraço.
45graus

Adultos
Sobrepeso Com prega 90 ou 45
obesos graus
33 34

17
20/08/2018

Via Sub-cutânea Via Sub-cutânea

Materiais Indicados:
Aspiração - não indicada. No entanto, a prática da aspiração é habitualmente
utilizada “para comprovar que a agulha não esteja posicionada em vaso . Seringas de 1,0; 2,0; 2,5 ou 3,0 mL;
sanguíneo”. Na eventualidade do surgimento de sangue durante a aspiração, a
agulha deve ser retirada e um novo local deve ser escolhido, com o uso de uma . Agulha deve ser preferencialmente pequena (entre 10 e 13mm), fina (entre
nova agulha. No caso de sangramento após a retirada da agulha, deve-se 3 e 5 dec/mm) e com bisel curto – 10 x 4,5; 10 x 5; 10 x 6; 10 x 3; 13 x 4,5; 20 x
pressionar o local com um algodão seco. 5,5; 20 x 6; 25 x 7.
O uso da agulha adequada torna o procedimento menos doloroso e
Fixação do local - Recomenda-se que se utilizem apenas dois dedos para formar a permite a introdução da agulha num ângulo de 90º.
“prega” do subcutâneo, e não toda a mão, para evitar levantar a fáscia muscular Ao se usar agulha mais longa deve-se adotar ângulo de 45º ou 60º ou
nessa manobra. introdução parcial da agulha.

35 36

18
20/08/2018

Exemplos de vacinas subcutâneas Intramuscular - IM


Tolera volumes maiores e mesmo a injeção de
substâncias irritantes. Essa via proporciona
• Sarampo,Caxumba e
absorção mais rápida porque a massa muscular é
Rubéola - SCR
mais vascularizada. Entretanto, o maior número de
• Sarampo,Caxuma, Rubéola vasos sanguíneos aumenta o risco de uma
e Varicela - SCRV aplicação endovenosa (EV) inadvertida.
• Varicela
• Febre Amarela - FA

37 38

19
20/08/2018

INTRAMUSCULAR (IM)
1. Conhecer anatomia, os músculos possuem
grande número de vasos sanguíneos e inúmeros Na abertura do frasco, fazer a
antisepsia com álcool 70º ou
nervos importantes para a movimentação do algodão seco.
corpo, que devem ser evitados na aplicação.
2. É a injeção mais executada nas farmácias Perfurar a borracha em locais
diferentes, evitando a parte central
3. As agulhas são mais longas para que a da tampa.
aplicação seja bem profunda
4. Volume máximo de administração: Até 5 mL Limpar a tampa de borracha a
(controvérsia) cada dose com algodão seco.

5. Ângulo de aplicação: 45º - 90º Usar na administração da vacina a


6. Velocidade 1mL/10segundos mesma agulha que aspira a dose.

39 40

20
20/08/2018

Locais de aplicação ESCOLHA DA AGULHA


•Adulto normal:
Ventroglútea (músculo glúteo médio e •- Dorsoglútea, Vasto lateral, ventro glúteo
mínimo)
Agulhas 0,70x30 ou 0,80x30
• -Deltoide
Agulhas 0,70x25 ou 0,80x25
Vasto lateral (músculo vasto lateral)

• Adulto acima do peso:


Dorsoglútea(músculo glúteo máximo) • -Dorsoglútea, vasto lateral, Deltoide e
Ventro Glúteo
Agulhas 0,70x30 ou 0,80x30
Deltóidea (músculo deltóide)
41 42

21
20/08/2018

Modos de Aplicação
•Crianças até 2 anos: 1 Tradicional: utilizado para a maioria das aplicações,
•Vasto lateral: deltoidiana, vasto lateral, ventro glútea e dorso glútea
Agulha 0,55x20 2 Técnica em Z: é uma técnica usada para aplicação
de anticoncepcionais, injeções oleosas, para evitar o
retorno da medicação. Não fazer em crianças menores
•Crianças acima de 2 anos: de 2 anos
•Vasto lateral e Dorsoglútea
Agulhas 0,70x25 ou 0,80x25

43 44

22
20/08/2018

Ventroglutéa
• Região Ventroglútea (Quadril)
• Local seguro e quase indolor para aplicação em adultos
e crianças.
• Poucos relatos de acidentes (primeira escolha)
• Volume máximo administrado: 5 mL
• Ângulo de aplicação: 90º em obesos e um pouco
inclinada de baixo para cima em pessoas magras
• Posição: sentado ou em pé

45 46

23
20/08/2018

A injeção é feita entre os dedos Região Dorso glútea


indicados
A injeção e médio,
é feita entreabertos o maisindicados e
os dedos
possível formando um V.possível formando • É o local mais utilizado para injeção
médio, abertos o mais intramuscular em adultos e crianças
um V. • Contra indicado em crianças menores
de 2 anos
• Volume máximo administrado: 5 mL
• Local de aplicação: quadrante superior
externo da nádega
Posição recomendada: em pé com o
joelho meio dobrado ou sentado
Ângulo de aplicação: 90º
Não recomendada em diversos países
Obesos = Subcutâneo
47 48

24
20/08/2018

INTRAMUSCULAR
VASTO LATERAL

• Região Vasto lateral (coxa)


• O músculo utilizado é o vasto lateral, situado na parte
externa da coxa
• É um músculo longo que vai do quadril até o joelho
• Permite aplicações seguras em adultos e crianças de
qualquer idade
Volume máximo: 4 ml
Ângulo de aplicação: 45º de cima para baixo em
pessoas magras.
Posição: sentada com a perna entreaberta
Aplicar a injeção no meio da parte externa da coxa
49 50

25
20/08/2018

Deltoide
• Músculo Deltoide (Braço)
• Músculo pouco utilizado nas aplicações por ser pequeno e
tornar a injeção dolorida e mais suscetível a acidentes
• Mais usado para aplicação de vacinas intramusculares
Contraindicado em pessoas magras e crianças
• Ângulo de aplicação: 90º
• Aplicar 4 dedos abaixo do ombro na parte externa do
• braço

51 52

26
20/08/2018

REGIÃO DELTOIDIANA (Braço)

53 54

27
20/08/2018

Via Intramuscular Via Intramuscular

Aplicação simultânea - deve ser feita preferencialmente no músculo vasto lateral Cuidados durante o procedimento:
da coxa por sua grande massa muscular. A distância que separa os locais é . Esticar a pele com os dedos indicador e polegar, para fixação
arbitrária, devendo ter no mínimo 2,5cm para que haja menor possibilidade de
sobreposição de reações locais. do músculo;
. Aspirar, observando se não atingiu algum vaso sanguíneo;
Materiais Indicados: caso isso aconteça, retirar a agulha e preparar outra dose
. Seringa varia conforme o volume a ser injetado, podendo ser de 1, 3, 5 ou 10 mL. da vacina;
. Injetar o líquido lentamente (a uma velocidade de 10
. Agulha - o comprimento e o calibre variam de acordo com a solubilidade do líquido segundos por mL);
a ser injetado e a massa muscular podendo ser entre 20 e 40mm de comprimento; . Retirar a seringa com a agulha, com movimento único e firme;
o bisel da agulha deve ser longo para facilitar a introdução e alcançar o músculo, e
espessura entre 5,5 e 9 dec/mm de calibre – dimensões: 20 x 5,5; 20 x 6; 25 x 6;
. Fazer leve compressão no local com algodão seco;
25 x 7; 30 x 7.

Bisel – lateralizado

55 56

28
20/08/2018

Exemplos de vacinas intramusculares

Pentavalente - DTP, Hib, Hep.B Difteria,Tétano,Pertusis acelular DTPa


Polio inativada - Difteria e Tétano infantil - DT
Hepatite B Hepatite A
Difteria, Tétano, Pertusis - DTP Hepatite A + B
Haemophilus influenzae tipo B - Hib Pentavalente – DTP,Hib,Salk
Dupla adulto - dT Hexavalente - DTP,Hib,Salk,Hep. B
Influenza
Meningococo C
Pneumo 10
Pneumo 23
Raiva

57 58

29
20/08/2018

Problemas que podem ocorrer Trauma psicológico


• Administrado erroneamente
- Dose errada
- Hora errada
- Via errada
- Técnica incorreta
- Paciente errado

59 60

30
20/08/2018

Infecções Abcessos má absorção

61 62

31
20/08/2018

HEMATOMAS EMBOLIA

63 64

32
20/08/2018

ALERGIAS CHOQUE ANAFILÁTICO

65 66

33
20/08/2018

LIPODISTROFIA DOR

67 68

34
20/08/2018

PROBLEMAS? A maioria das vacinas são administradas


Manter a calma por via parenteral
Não medicar
Posicionar o cliente confortavelmente e em
segurança
Separar a embalagem do medicamento e ficha de
serviço e encaminhar ao médico se necessário
Oral Adesivos Intra-nasal

69 70

35
20/08/2018

Adesivos com microagulhas

Procedimentos Básicos segundo a Via de


Administração dos Imunobiológicos

71 72

36
20/08/2018

Via oral Via oral - Cuidados


POLIO
Utilizada para a administração de soluções que são melhor . Preparar a pessoa a ser vacinada, colocando-a em posição segura e confortável;
absorvidas no trato gastrointestinal.
. Para vacinar a criança de colo o vacinador deve colocar-se por trás da mesma, inclinar sua cabeça
ligeiramente para trás e fazer pressão nas bochechas;
O volume e a dose dessas soluções são introduzidas pela . Abrir a bisnaga e manter a tampa na mão;
boca na apresentação em gotas (VOP), solução (Rotavírus)
. Observar a técnica de assepsia, manuseando sem contaminar o frascoda vacina;
ou comprimidos (Febre Tifóide).
. Dependendo da situação, como, por exemplo, nas campanhas, evitar o contato prolongado do
frasco da vacina com o calor da mão, utilizando duas bisnagas, alternando-as a cada
administração;

. Manter o frasco plástico na posição obliqua (45º), com o bico conta-gotas para baixo. Fazer uma
leve pressão no frasco (sempre na posição oblíqua), para pingar a primeira gota sobre a língua da
pessoa a ser vacinada;

. Esperar a criança engolir a vacina, se a mesma cuspir, regurgitar ou vomitar, imediatamente, repetir
a dose;

. Não é necessário fazer intervalo entre a alimentação (inclusive leite materno) e a


73 administração da vacina. 74

37
20/08/2018

Via oral - Cuidados

Rotavírus

. Preparar a criança a ser vacinada, colocando-a em posição segura e confortável;

. Colocar a criança com o corpo reclinado no colo do responsável;

. Para administrar a vacina o vacinador deve se colocar por trás da criança, inclinar sua
cabeça ligeiramente para trás e fazer pressão nas bochechas;
VACINAS
. Segurar o aplicador, introduzindo-o, delicadamente, no canto da boca da criança;

. Caso a criança regurgite ou tenha vômitos no momento da administração não deve ser
revacinada;

. Quando a vacina não for administrada de imediato, fazer um movimento rotatório em


sentido único com a seringa antes da administração;

. Não é necessário fazer intervalo entre a alimentação (inclusive leite materno) e a


administração da vacina;

. Administrar o conteúdo do aplicador na boca da criança, esperando que a mesma engula


todo produto. 75

38
20/08/2018

Vacina BCG Vacina BCG

• Protege contra as formas graves da


tuberculose • Apresentação: Pó + diluente = 10 doses
• Composição: bacilos vivos atenuados do (1mL)
Mycobacterium bovis • Tempo de duração após aberta: até 6 horas
• Idade mínima de aplicação: ao nascer • Contra-indicações: peso abaixo de 2Kg; AIDS
• Idade máxima: não tem • Eventos adversos: abcessos, úlceras
• Nº de doses: única extensas, ganglios flutuantes.
• Via de administração: ID • Recomendações: não cobrir a ferida vacinal;
• Local: abaixo da inserção inferior do não deixar a criança coçar (cortar as unhas)
deltóide do braço direito
• Quantidade de cada dose: 0,1mL
77 78

39
20/08/2018

Vacina contra Hepatite B Vacina contra


• Protege contra a hepatite B Hepatite B
• Composição: antígeno de superfície do vírus
• Idade mínima de aplicação: ao nascer
• Idade máxima: não tem
• Nº de doses: 03 doses, não tem reforço • Apresentação: Frasco pronto com 10 doses (5mL)
• Intervalo entre as doses: 30 dias entre a 1ª e a 2ª • Tempo de duração: até o final do frasco
dose; 180 dias entre a 1ª e a 3ª dose • Eventos adversos: febre, eventos locais e raramente
• Via de administração: IM anafilaxia
• Contraindicação: Ocorrência de reação anafilática • Recomendações: compressa de gelo no local e
após a aplicação da dose anterior. antitérmico SN
• Local: em < 2 anos: vasto lateral; • Observações: se atrasar a 2ª dose, o intervalo entre
> 2 anos: deltóide a 2ª e a 3ª dose deve ser de no mínimo 60 dias
• Quantidade de cada dose: 0,5mL 79 80

40
20/08/2018

Vacina contra Pólio Injetável (VIP)


Vacina contra Pólio
Injetável (VIP)
• Protege contra a Poliomielite (paralisia infantil)
• Composição: poliovírus inativados
• Idade mínima de aplicação: 06 semanas • Apresentação: Frasco pronto com 10 doses (5ml)
• Nº de doses: 02 doses, 3ª dose e reforço é VOP • Tempo de duração: 5 dias
• Intervalo entre as doses: 60 dias, min de 30 dias e • Eventos adversos: locais e raramente anafilaxia
6 meses entre a 3ª dose e o reforço • Recomendações: compressa de gelo no local e
• Via de administração: IM antitérmico SN
• Local: vasto lateral • Observações: Se a criança receber VIP aos 2 meses
• Quantidade de cada dose: 0,5mL e por algum motivo receber VOP aos 4 meses, o
esquema será completado com VOP
81 82

41
20/08/2018

Vacina contra Pólio Oral (VOP) Vacina contra Pólio Oral (VOP)

• Protege contra a Poliomielite (paralisia infantil)


• Composição: poliovírus atenuados
• Idade mínima de aplicação: 06 semanas
• Idade máxima: 6 anos 11 meses e 29 dias
• Nº de doses: 03 doses + 01 reforço • Apresentação: bisnaga com 1mL. 0,1mL = 02 gotas
• Intervalo entre as doses: 60 dias, min de 30 • Tempo de duração: 05 dias
dias e 6 meses entre a 3ª dose e o reforço • Contra indicações: diarreia e vômitos
• Via de administração: Oral • Recomendações: revacinar se a criança cuspir ou
• Local: boca vomitar; não encostar a bisnaga na boca da criança
• Quantidade de cada dose: 02 gotinhas
83 84

42
20/08/2018

Vacina Oral de Rotavírus Vacina contra Rotavírus


Humano (VORH)
• Protege contra o Rotavírus (doença diarréica)
• Composição: vírus atenuados
• Idade mínima de aplicação: 1m e 15d (1ª • Apresentação: Seringa com dose única (1mL)
dose); 3m e 7d (2ª dose) • Tempo de duração: aplicar imediatamente
após aberta
• Idade máxima: 3m e 7d (D1) 7m e 29d (D2)
• Nº de doses: 02 doses • Contraindicações: vômitos, diarreia e
patologias intestinais graves
• Intervalo entre as doses: 60 dias
• Eventos adversos: eventualmente, diarreia
• Via de administração: Oral
• Local: Boca • Recomendações: descartar imediatamente as
fezes, não deixá-las expostas; orientar a mãe a
• Quantidade de cada dose: 1mL não amamentar na 1ª hora pós vacinação
85 86

43
20/08/2018

Vacina Pentavalente Vacina Pentavalente

• Protege contra Difteria, Tétano, Pertussis,


Haemophilus Influenzae tipo B e Hepatite B
• DTP + Hib + HB
• Idade mínima de aplicação: 2 meses • Apresentação: Frasco com única dose (0,5mL)
• Idade máxima: 6 anos, 11 meses e 19 dias
• Nº de doses: 03 doses, reforço com DTP aos • Contraindicações: alergia ao pertussis;
15 meses e aos 4 anos convulsão em atividade
• Intervalo entre as doses: 60 dias, mínimo 30 • Eventos adversos: febre; edema e eritema
dias local
• Via de administração: IM • Recomendações: compressas de gelo no local
• Local: vasto lateral
• Quantidade de cada dose: 0,5mL e antitérmico SN
• Observações: se ocorrer convulsões, continuar
esquema com DT e HB
87 88

44
20/08/2018

Vacina Pnemocóccica 10- Vacina Pneumocóccica


valente
• Protege contra alguns tipos de pneumonia,
meningite, artrite, sinusite, otite e outras
doenças pneumocóccicas invasivas
• Idade mínima de aplicação: 2 meses • Apresentação: Frasco pronto com unidose (0,5mL)
• Nº de doses: 3 doses + 1 reforço • Eventos adversos: locais
• Intervalo entre as doses: 60 dias, min de 30 • Recomendações: compressa de gelo no local
dias e 6 meses entre a 3ª dose e o reforço
• Observações: O MS recomenda a idade máxima
• Via de administração: IM para aplicação de 1 ano, 11 meses e 29 dias
• Local: vasto lateral
• Quantidade de cada dose: 0,5mL
89 90

45
20/08/2018

Vacina Meningocóccica C Vacina Meningocóccica

• Protege contra doença meningocóccica C


• Idade mínima de aplicação: 3 meses
• Nº de doses: 2 doses + reforço
• Apresentação: Frasco com pó + frasco com diluente
• Intervalo entre as doses: 60 dias, min de próprio, com unidose (0,5mL)
30 dias e reforço preferencialmente entre • Tempo de duração: após reconstituição, aplicar
12 e 15 meses imediatamente
• Via de administração: IM • Eventos adversos: locais
• Local: vasto lateral • Recomendações: compressa de gelo no local
• Quantidade de cada dose: 0,5mL
91 92

46
20/08/2018

Vacina Triplice Viral / Dupla Viral


Vacina Tríplice Viral / Dupla
Viral
• Protege contra as Rubéola, Caxumba e
• Apresentação: Frasco c/ pó + diluente próprio
Sarampo (MMR) e dupla (rubéola e sarampo)
(5mL) = 10 doses
• Idade mínima de aplicação: 1 ano
• Tempo de duração: até 8 horas após diluição
• Idade máxima: não tem • Contraindicações: alergia ao ovo, gestantes e
• Nº de doses: < 6 anos: 1 dose c/ 1 ano + mulheres que pretendem engravidar nos próximos
reforço 15 meses; para quem inicia com mais 30 dias
de 6 anos, apenas 1 dose, não tem reforço • Eventos adversos: febre, cefaleia, linfoadenopatia,
• Via de administração: SC artralgia, urticária e rush cutâneo
• Local: região do deltóide • Recomendações: não engravidar nos próximos 6
• Quantidade de cada dose: 0,5mL meses após a vacina
93 94

47
20/08/2018

Vacina contra Febre Vacina contra febre amarela


Amarela
• Idade mínima de aplicação: 9 meses
• Idade máxima: não tem • Apresentação: Frasco c/ pó + diluente próprio
• Nº de doses: 1 dose + reforço a cada 10 • Tempo de duração: até 4 horas após diluição
anos • Contra-indicações: alergia ao ovo
• Via de administração: SC • Eventos adversos: febre e eventos locais
• Local: região do deltóide • Recomendações: não engravidar nos
• Quantidade de cada dose: 0,5mL próximos 6 meses após a vacina

95 96

48
20/08/2018

Vacina contra Influenza Vacina contra influenza

• Idade mínima de aplicação: 6 meses • Apresentação: Frasco c/ 10 doses (5mL)


• Idade máxima: não tem • Tempo de duração: até o final do frasco
• Nº de doses: dose única para maiores de 2 • Contra-indicações: alergia ao ovo
anos e duas doses para menores de 2 anos • Eventos adversos: locais: dor, edema e
• Via de administração: IM hiperemia; sistêmicos: febre, cefaleia, mal
• Local: região do deltóide (>2 anos) e estar
• vasto lateral (<2 anos)
• Quantidade de cada dose: 0,5mL (>2a) e
0,25mL (>2a, sendo duas doses)
97 98

49
20/08/2018

Vacina contra Raiva

• Via de administração: SC
• Local: região do deltóide
• Quantidade de cada dose: 0,5mL
• Apresentação: Frasco-ampola
• Tempo de duração: 7 dias
• Eventos adversos: locais: dor, edema e
hiperemia.

99 100

50