Você está na página 1de 9

Dinâmica do manto (correntes de convecção)

Porção de magma mais interna apresenta maior temperatura pela


proximidade com o núcleo, tendo menor densidade se aproxima da crosta;
perdendo parte de seu calor tem densidade aumentada voltando em direção
ao núcleo (cíclico).

Limites de placas tectônicas


Zonas de subducção – são limites de destruição de placas que
convergem. Ex: Convergência das placas de Nazca (oceânica – apresenta
maior densidade) e sul-americana (continental – apresenta menor
densidade). Quando ambas tem a mesma densidade elas chocam-se e
comprimem-se, como no caso da Indica e Euro-Asiatica, que formou o
Himalaia.
Zonas de expansão – com o afastamento de placas o magma do manto
vai preenchendo o espaçao vago, formando cordilheiras mesoceanicas.
Ex: entre placas sul-americana e africana há a cordilheira meso-atlantica.
Zonas de Falhas Transformantes - São as criadas por duas placas que
deslizam uma ao lado da outra. O atrito entre elas guarda muita tensão,
que pode causar terremotos. Um exemplo dessa falha é a de San Andreas,
que corta a costa da Califórnia e o litoral oeste do México.
Teoria das Placas Tectonicas
Crosta terrestre é craquelada e fica sujeita ao movimento do magma que a Forças endógenas – relacionadas a construção de relevo pela dinâmica
conduz em direção oposta ou convergente a outra placa, seus choques ou do manto.
a erupção do magma esculpem e criam novos relevos.
Fenômenos provocados pelas forças Abalos Sísmicos – (terremotos e maremotos) aquífero guarani + basalto – decomposição
endógenas tremores que afetam a superfície terrestre e são forma terra roxa.
causados pelos rápidos movimentos da crosta,
Epirogenese – movimento vertical de algumas sendo assim, frutos de vulcanismo ou Forcas exógenas – relacionadas a escultura do
áreas continentais (enrugamento); importante tectonismo. relevo pelo dinamismo externo.
para a formação de bacias sedimentares (como Tsunami – quando o epicentro do abalo
a amazônica e a do Paraná). sísmico ocorre no fundo do oceano e há brusca Intemperismo – desgaste rochoso e formação
alteração do relevo submarino, formando de regolitos.
assim ondas gigantescas.
Vulcanismo – ocorre quanto o magma em Físico
fusão rompe a superfície terrestre e sobe Termoclastia – ocorre quando há grande
amplitude térmica diária em um região. Com o
através de falhas ou fraturas. Pode ser
aquecimento há a dilatação da rocha, com o
acompanhado ou não por gazes (SO2) e cinzas. resfriamento a contração, e derivado desse ciclo
• Círculo de fogo: circulo, ao redor da ocorrem trincas. É comum em áreas de clima
! placa do pacifico, que apresenta arido e semi arido.
Orogenese- Movimento horizontal de placas; elevada atividade vulcânica, devido a Crioclastia – pequenas fendas nas rochas
caracteriza-se pelos processos de dobramento intensidade dos choques tectônicos. armazenam agua que posteriormente se congela,
(Andes, Alpes, Himalaia..). • Zonas de rifts – vales formados e aumentando seu volume e promovendo quebras.
Erosão – desgaste a partir de choques de agua
Falhamentos – Com a forças exercidas sobre delimitados por falhas geológicas ou vento com rochas: pluvial, fluvial, nival,
uma placa durante sua movimentação e seus (afastamento de placas). glacial e eólica. Ex: glacial (Noruega) – fjorde/
choques com outras, podem ocorrer pequenas • Hot spots – pontos de anomalia termal oceano – falésias.
trincas ao longo do corpo rochoso, que no interior da terra ligados a ao sistema
provoca falhas. No brasil, um exemplo é a de convecção do manto. Químico
fossa tectônica do vale do paraíba. • Cinzas vulcânicas: alta fertilidade do Elementos das rochas + água e outros elementos
nela dissolvidos reagem, degradando a matriz.
solo.
Maior ocorrência em climas úmidos e quentes
Vulcanismo no brasil: (catálise de reações).
Era mesozoica: formação de ilhas no Atlântico
– Fernando de Noronha, Penedos de S Pedro e Biológico
S Paulo, e Abrolhos. Através da ação de bactérias que decompõem
Gondwania – rochas sedimentares – formação matérias orgânicas. Esse tipo de intemperismo
de Serra Geral produz os solos mais férteis do mundo, sendo
! Derrames basálticos na bacia sedimentar do muito comum na Russia e na Ucrania.
Paraná: Arenito (poroso) – formação do
Rochas cristalinos... sul-amazonico, guianas, do São Cinturões orogênicos ou maciços – formados
Agregados naturas que são formados por 1 ou Francisco, da Patagonia, escandinavo e por dobramentos antigos
+ minerais. siberiano.
Obs: Minérios Dobramentos modernos – correspondem as
Igneas: • ferro é bastante explorado, especialmente no dobras tectônicas ocorridas no período
Extrusivas ou vulcânicas: magma se resfria na Quadrilátero Ferrífero, em Minas Gerais, e terciário da era cenozoica.
superfície (basalto). na Serra dos Carajás, no Pará;
Intrusivas ou plutônicas: ex granito (mica, • O manganês possui reservas consideráveis No brasil não há dobramentos modernos, mas
feldispato, quartzo). no maciço de Urucum, no Mato Grosso do cinturões orogênicos antigos como o do
+cristal -> resfriamento + lento Sul; na Serra do Navio, localizada no Amapá; atlântico e de Brasília.
no município de Conselheiro Lafayette, no
Metamorficas: estado de Minas Gerais; e na Serra dos
Resultam da transformação de outras rochas Carajás, no Pará;
frente elevada pressão e/ou temperatura. Ex: • A bauxita tem suas jazidas exploradas na
quartizito, mármore, Gnaisse (granito/ paredão região do rio Trombetas, no Pará;
litoral), xisto.
Bacia sedimentar – área deprimida
Sedimentares: preenchida por sedimentos. Ocorrência de
Resultado da compactação de regolitos, rochas como arenito e cascalho e de jazidas de
minerais e matéria orgânica. Ex: varvito (itu- combustíveis fosseis, como as carboníferas (de
ritmito – estação do ano), arenito, calcário, origem paleozoica) em SC e RGS, e as
carvão mineral. petrolíferas (de origem mesozoica) no litoral
do Rio de Janeiro.
Rocha cristalina é aquela que mantem a
estrutura do cristal, podendo ser magmática
ou metamórficas.
!
Estrutura de Relevos Geológicas
Obs: Relevo Carste (Karst)
Relevo calcário (sedimentar). Sofre dissolução
Craton – formado por rochas cristalinas, no
química com a agua, formando espeleotemas:
período pre cambriano, estável. É dividido em
estalactite (teto), estalagmites (chão) e
escudo cristalino e plataforma, onde se
colunas.
encontram os minerais metálicos. Ex: escudos
Planície • Depressões Relativas (encontradas acima do
Terrenos planos com altitudes que não nível do mar)
ultrapassam os 100 metros, nos quais
predominam o processo de acumulação de Formas secundarias de relevo
sedimentos. Assim, podem ser:
• Planície Costeira (constituídas pela ação do Cuestas
mar) Forma de relevo dissimétrico constituída por
• Planície Fluvial (constituídas pela ação de
uma sucessão alternada das camadas com
um rio) diferentes resistências ao desgaste e que se
• Planície Lacustre (constituídas pela ação de inclinam numa direção, formando um declive
! um lago) suave de um lado e um corte abrupto de outro.
Os relevos do tipo cuestas também encontram-
se associados a estruturas sedimentares, com ou
Obs: Cajamar – tira agua de lençol freático, Depressões
sem intercalações de estratos basálticos.
sem sustentação o terreno cede. Formadas pelo processo de erosão, as Diferenciam-se dos relevos tabuliformes por
depressões são terrenos relativamente corresponderem a seções caracterizadas por
Formas de Relevo inclinados e possuem altitudes abaixo das camadas litoestratigráficas inclinadas, razão
áreas ao seu redor (de 100 a 500 metros). pela qual comumente aparecem nas bordas das
Planalto São classificadas em: bacias sedimentares, mergulhando em direção
Também chamados de platôs, os planaltos são • Depressões Absolutas (localizadas abaixo do ao seu centro.
terrenos elevados e planos marcados por nível do mar) Exemplos: Depressão Periférica Paulista.
altitude acima de 300 metros e que
predominam o desgaste erosivo. Tabuleiros
Quanto à isso, são classificados de acordo com Forma de relevo constituída por pequenos
formação geológica: platôs, de altitude em geral modesta, entre vinte
• Planalto Sedimentar (formados por rochas e cinquenta metros, limitados por escarpas
sedimentares) abruptas, denominadas barreiras.

• Planalto Cristalino (formados por rochas São formados de argilas coloridas e arenito da
série Barreiras, provavelmente do plioceno, no
cristalinas) período terciário, de fácies desértica,
• Planalto Basáltico (formados por rochas
desprovida de fósseis. Assentam-se em geral
vulcânicas) sobre sedimentos mesozóicos ou diretamente
Exemplos de planaltos: Serras, Mares de sobre o embasamento cristalino. A pobreza de
morros, chapadas seus solos sílico-argilosos não permite o
desenvolvimento de 

vegetação abundante, o que explica a presença preponderante de plantas • Ambientes de sedimentação marinha – sedimentos trazidos das
herbáceas e arbustivas, em geral rarefeitas, com tendência à xerofilia, bem áreas de maciços e cinturões antigos (formação de bacias
patenteada pela existência de cactáceas. Por isso, a paisagem vegetal dos sedimentares antigas)”/ rochas sedimentares das bacias do Paraná,
tabuleiros assemelha-se muitas vezes à da caatinga. Exemplos: Mais Amazônica e do Parnaíba.
frequentes no Nordeste, os tabuleiros podem ser também encontrados no De cretáceo a era cenozoica – deriva continental
interior da Amazônia e no Espírito Santo. • Pressão do choque de placas SA e Nazca e separação entre SA e
Africana, faz com que ocorra elevada atividade vulcânica:
Chapadas derrames basálticos nas bacias sedimentares e falhamentos no
São formações com extensas superfícies planas em regiões de serras com embasamento cristalino (bacia do Paraná principalmente); cinturão
altitudes geralmente superiores a 600 metros. É uma vasta planície com orogênico do atlântico – trincas na estrutura rochosa, provocando
vegetação rasteira. Exemplos: Chapada Diamantina – maior chapada falhamentos que deram origem a escarpa da Serra do Mar e Vale
brasileira está localizada na Bahia; Chapada dos Guimarães (MT); do Paraíba.
Chapada dos Veadeiros (GO). Era cenozoica (terciário) – placas sul americana X Nazca
• Oeste dobrado (orogênese) e continente soerguido (epirogênese):
Escarpas evasão de aguas oceânicas; processos erosivos entre bacias e
embasamento cristalino, formando depressões periferias (relevo de
É uma zona de transição entre diferentes províncias fisiogeográficas que cuestas), continua formação de bacias sedimentares.
envolve uma elevação aguda (superior a 45º), caracterizada pela formação
de um penhasco ou uma encosta íngreme. A superfície desta encosta “Não se pode jamais confundir o que é idade e gênese das formas e idade
íngreme é chamada de rosto da escarpa. As escarpas geralmente são e gênese de estruturas.”
formadas pela erosão diferencial de rochas sedimentares ou pelo Estrutura geológica – Pré cambriano
movimento vertical da crosta terrestre ao longo de uma falha geológica. Formas de relevo – Era cenozoica
Morros
Resultado:
Ou colina, outeiro ou cerro (às vezes escrito serro) é um acidente 5% Planícies de origem sedimentar
geográfico constituído por pequena elevação de terreno com declive 95% Planaltos e depressões de origem cristalina e sedimentar
suave, com um desnível de quota de até cinquenta metros.
Classificação do relevo brasileiro brasileiro
Formação das estruturas e formas de relevo brasileiro
Aroldo Azevedo
Antes dos dobramentos modernos:
• Placa sul americana em níveis altimetricos baixos, sendo que Critério: Nível altimetrico
Planalto: +200m
algumas partes do território se encontravam submersas.
Planície: - 200m
Planície: caracterizadas pelo predomínio de processo sedimentar.
Jurandyr Ross
Usa sistemas de radares do projeto Randam
Critério: Processo de erosão e sedimentação dominante na atualidade,
nível altimetrico e base geológica e estrutural do relevo.
Planalto: predomínio de erosão, acima de 300m, com bordas em declive.
Planicie: predomínio da sedimentação, abaixo de 100m, uma ou duas
bordas em aclive.

!
Ab’ Saber
Critério: tipo de alteração predominante na superfície.
Planalto: superfícies aplainadas com predomínio do processo erosivo.
América do sul:
Relevo Litorâneo Oeste – planícies litorâneas raras, ocorrência de varias fossas submarinas
e plataforma continental estreita.
Plataforma continental – faixa de terras submersas que representa uma Leste – planícies costeiras e larga plataforma continental, que são de
continuidade do continente. origem sedimentar, sendo assim propicias à formação de petróleo.

Costas...
De abrasão- nas quais há constante destruição do
relevo pelas ondas marinhas; caracterizadas por
costões. Os paredões formados nesses pontos são
chamados de falésias.
Ex: pontos onde a Serra do Mar e planalto da
bacia do paraná encontram o oceano – falésias
cristalinas (granito).
Nordeste – falésias sedimentares (arenito).
Obs: Definição própria de falésias: escarpas que
terminam ao nível do mar e encontram-se
permanentemente sob a ação erosiva deste.

De Acumulação – nas quais ocorre a


sedimentação marinha, caracterizando a planície
costeira; ocorre a formação de praias, mangues;
possível formação de restingas: faixas de areai que sobressaem da agua
dos mares, fruto dos encontros de sedimentos marinhos e fluviais – podem
acabar fechando baias, lagunas ou lagos costeiros. Quando essas faixas de
areia ocorrem como canal entre continente e ilha são chamadas de
tombolo.

Ilhas marítimas
De plataforma continental: Ilhabela, Ilha Anchieta e Ilha Grande (SP/RJ).
Oceânicas (vulcânicas): Fernando de Noronha (PE); Trindade e Martim
Vaz (ES); Penedos de Sao Pedro e Sao Paulo.
Ilha calcaria- formação de ilha de corais – Atol das Rocas.
Obs Carlão – Correlação estruturas/formas de relevo + perfil de SP