Você está na página 1de 4

PROSTHESIS

Prosthes. Lab. Sci. 2014; 3(10):103-106.

Coluna da Tininha
L A B O R A T O R Y i n

S C I E N C E

O Brasil é o meu país

É tempo de Copa do Mundo! A maior competição internacional que reúne povos dos quatro
cantos da Terra numa festiva que une, agrega, enriquece e aquece os corações. É um evento que
transmite os valores de paz e universalismo. O Brasil é o único país a ter jogado todas as competi-
ções e mantém o recorde de vitórias com cinco edições de sucesso. E Pelé, o único jogador tricam-
peão mundial da história. Este é o meu país, um país de vitórias, de pessoas guerreiras, de cultura
nobre em todas as regiões, de território grande e de riqueza natural.
Claro que em um evento de Copa do Mundo os aspectos políticos vem à tona, afinal o país-
-sede deve desenvolver e/ou melhorar suas instalações desportivas, estradas, aeroportos, hotéis e
infraestrutura, e acabamos sofrendo mais que o esperado para organizar o Mundial.
Mas todos os países-sede passaram pela mesma situação e o que vejo é que reclamamos de
nossas condições a todo instante com aquela famosa frase “quero ver como vai ser a Copa”! Se
nos concentrarmos e pensarmos de forma positiva podemos canalizar a energia para o sucesso.
Quando só reclamamos não contribuímos em nada para que as coisas caminhem bem. E este país
é tão lindo, tão rico, tão grande! Cheinho de beleza natural, espetacular em gastronomia, somos
acolhedores, simpáticos e dinâmicos. Nós somos o espetáculo! Se a economia não está boa, se o
governo não progride, se a violência acontece... Conhecem algum país onde isto é diferente? E
sabiam que nos outros países eles reclamam disso tudo também?
Só que somos bra-si-lei-ros. E como brasileiros temos na veia a garra, a determinação e o dom
de sermos acolhedores. Tudo vai dar certo. Se o aeroporto não está pronto, vamos descer lá em
meio a tumulto e depois estaremos vibrando nas arquibancadas! Nossas praias estarão cheias, nos-
sos taxistas repletos de corridas, nossos restaurantes esbanjando nossa maravilhosa comida... e nos-
sa bandeira lá, presente e gritando: “Ordem e Progresso”. Recordam? O verde representa as flores-
tas, o amarelo os minérios e o azul, o céu! É esta bandeira que vai flamular a cada GOL! Vamos ser
positivos porque não adianta só reclamarmos se muitas vezes não retiramos o lixo da própria porta!
Tudo vai dar certo porque somos vencedores! Pensamento positivo, reclamar menos e agir mais
poderão ser os propósitos ideais para este grande evento! Lembrem-se! Somos bra-si-lei-ros!
Boa Copa para todos... e um baldinho cheio de pipoca!

Tininha Gomes.
104 PROSTHESIS
Prosthes. Lab. Sci. 2014; 3(10):103-106. L A B O R A T O R Y i n

S C I E N C E

A dinâmica da composição dos dentes


anteriores: ameias incisais

Dinamics of the composition of anterior teeth:


incisal embrasures

Ana Cristina Rocha Gomes 1

Resumo
O princípio estético para os dentes anteriores requer um conhecimento de forma, textu-
ra, microtextura, características de sexo, idade e personalidade. O correto ajuste estético ao
final do trabalho proporciona uma harmonia que denominamos de “estética coesiva”. Vários
fatores morfológicos, juntos ou isolados, são responsáveis pela percepção ótica dos dentes an-
teriores. Desta forma, abordaremos aqui o conceito de construção e acabamento das ameias
incisais, tão importante para a dinâmica da composição dos dentes anteriores.
Descritores: Estética, dentes anteriores, incisivo, ameias incisais.

Abstract
Aesthetic principles for anterior teeth require a knowledge on shape, texture, microtex-
ture, gender characteristics, age and personality. Proper aesthetic adjustment has an harmonic
result named “cohesive aesthetic”. Several morphologic aspects, combined or isolated, are
responsible for the visual perception of anterior teeth. Therefore, will be approached on this
paper concept of construction and finishing of the incisal embrasures, that are of great impor-
tance for the dinamics of anterior teeth’s composition.
Descriptors: Aesthetics, anterior teeth, incisor, incisal embrasure.

¹ CD, Graduanda em Prótese e Dentística – UTP.

E-mail do autor: tininhagomes2015@gmail.com


Recebido para publicação: 12/03/2014
Aprovado para publicação: 17/03/2014

Como citar este artigo:


Gomes ACR. A dinâmica da composição dos dentes anteriores: ameias incisais. Prosthes. Lab. Sci. 2014; 3(10):103-106.
PROSTHESIS 105
L A B O R A T O R Y i n Prosthes. Lab. Sci. 2014; 3(10):103-106.
S C I E N C E

Introdução gos no colo estreitando o espaço na incisal (ameias


mais abertas) ou dentes estreitos no colo e mais lar-
Na composição ideal dos dentes anteriores,
gos na incisal (ameias mais fechadas).
para estabelecermos uma forma e posição ótimas
As ameias são responsáveis pela composição
para os dentes incisivos e caninos, devemos nos
ideal dos dentes anteriores. Sua forma (triangular
ater as àreas de contatos interdentais. Estas são res- como “espinhos de rosa”) depende dos ângulos in-
ponsáveis pelo espaço negativo, ou seja, contraste terincisais e do ponto de contato entre eles.
entre o contorno incisal dos dentes e o fundo es- Quanto mais palatino estiver um ponto de con-
curo da boca. Tão importantes quanto a estética tato entre dois dentes anteriores, maior será a ameia
vermelha (aquela formada por gengiva e mucosa) vestibular e mais estreitos parecerão estes dentes.
e a estética branca (formada por tecido dental),
esta área pode comprometer a sensação de forma Pontos de contatos
e tamanho do dente e gerar uma ilusão de ótica
que compromete a coesão do sorriso. Nos dentes Os pontos de contatos formados entre os den-
anteriores, a abertura das ameias deve ser realizada tes anteriores exercem total influência na forma e
de forma criteriosa para evitar a formação de triân- tamanho das ameias. Quando unimos os vértices
gulos incisais desproporcionais que comprometerão formados pelo contato contínuo entre as faces pa-
não só a estética, mas também a relação de contato latina, vestibulares e incisais de dois dentes adjacen-
interproximal entre os dentes. tes, este (ponto de contato) deve formar uma linha
ascedente para a distal, ou seja, se torna mais cer-
vical de incisivo central para canino. Sendo assim,
Ameias incisais
observamos uma ameia incisal entre os incisivos
Também conhecidas como embrasuras incisais, centrais mais fechada, uma ameia mediana entre o
são espaços formados quando dois dentes na mes- incisivo central e o lateral e uma ameia grande entre
ma arcada estão em contato. Estas áreas formadas o incisivo lateral e o canino.
pelas curvaturas adjacentes às àreas de contato se Isto se justifica pelo fato da área de contato entre
ampliam nos sentidos vestibular e palatino, sendo os incisivos centrais se localizar no terço incisal das
chamadas respectivamente de ameia vestibular e coroas (formando esta pequena ameia entre eles). Já
ameia palatina (ou ameia lingual nos dentes inferio- entre o incisivo central e o incisivo lateral, a linha que
res). Acima das áreas de contato, por incisal, estes divide as áreas de contato distal ao incisivo central e
espaços são limitados na face palatina pelas cristas mesial ao incisivo lateral, aproxima a junção dos ter-
marginais. Todas as ameias (vestibulares, palatinas ços médio e incisal de cada coroa. Quando se trata
e incisais), são contínuas entre si. das ameias entre o incisivo lateral e o canino, a área
O tipo geométrico do dente influencia o espaço de contato no canino situa-se na junção dos terços
interproximal. Podemos observar dentes mais lar- incisal e médio, criando uma ameia bem mais aberta.

Figura 1 - Tamanho das ameias: a ameia incisal entre o incisivo Figura 2 - Linha formada pelos pontos de contatos entre os incisi-
Gomes ACR.

central e o incisivo lateral é mais apical do que a ameia entre os vos centrais, entre um incisivo central e o incisivo lateral e entre um
incisivos centrais. A ameia entre o canino e o incisivo lateral é mais incisivo lateral e o canino. Esta linha deve ser ascendente para a
apical do que entre o incisivo lateral e o incisivo central. distal (localizadas mais apicalmente) e vai produzir progressivamente
espaços interincisais mais amplos de mesial para distal (Figura 1).
106 PROSTHESIS
Prosthes. Lab. Sci. 2014; 3(10):103-106. L A B O R A T O R Y i n

S C I E N C E

Figura 3 - Relação entre os pontos de contatos interproximais e interincisais com a forma e tamanho das ameias incisais.

Figura 4 - Espaços limitados na palatina pelo contato entre as cristas marginais formando as ameias palatinas-incisais (contínuas entre
si).

Conclusão
1. Bruguera A, Kina S. Invisível: Restaurações estéticas cerâmi-
As ameias incisais são responsáveis pela dinâmi- cas. Dental Press editora.1 ed. Maringá: 2007.
ca da composição e pela coesão estética do sorriso. 2. Hatjó J. Anteriores: A beleza natural dos dentes anteriores.
Dependem da forma dental, da altura das cristas Editora Santos. 1 ed. São Paulo:2008.
3. Kano P. Desafiando a Natureza. Editora Santos. 1 ed. São
marginais na face palatina, da relação de contato Paulo: 2012.
vestíbulo-incisal e do arredondamento dos ângulos 4. Montagna F, Barbesi M. De la cera a la cerâmica. Amolca.
1 ed. Colombia: 2008.
incisais. Podem comprometer, quando não realiza- 5. Nelson SJ, Ash Jr. MM. Dental Anatomy, Physiology and
das de forma ideal, o espaço negativo e a função de Oclclusion. 9 ed. Saunders W B Company, 2010.
escape interdental dos alimentos.