Você está na página 1de 16

CONTABILIDADE PÚBLICA

Instruções sobre o trabalho de conclusão do curso na última página dessa apostila.


CONTABILIDADE PÚBLICA

INTRODUÇÃO

Toda instituição, independente da sua configuração, necessita que o seu


trabalho seja feito com cuidado e planejamento, sobretudo quando falamos do
patrimônio financeiro dela. Nenhum tipo de transação, contratação, atividade
financeira, etc., pode acontecer sem a análise de todos os aspectos que estão
envolvidos com a ação.

Nesse sentido, a Contabilidade é a responsável pela avaliação desses


aspectos inerentes a qualquer empresa. Essa ciência, que no Brasil é concebida
como uma ciência social como a Administração e a Economia, é aquela que avalia,
justamente, o patrimônio das entidades, assim como todas as transações que o
envolvem, tanto no sentido quantitativo quanto qualitativo. É ela quem avalia e aceita
ou não todos os fatos que terão alguma consequência para o quesito financeiro
institucional.

2
Da mesma forma que ela se mostra importante para uma empresa de
calçados, por exemplo, que antes de fechar contrato com fornecedores e
distribuidores precisa ter certeza das suas capacidades financeiras, assim como elas
também têm que está de acordo com o aumento da produção e consequente
contratação de pessoal; da mesma forma que esse conhecimento contábil se faz
necessário para o bom andamento de uma instituição privada ele também é,
obviamente, importantíssimo para o âmbito público.

Um governo, seja dele federal, estadual ou municipal, é uma versão


amplificada de uma empresa privada. Dizemos amplificada porque nela estão
envolvidas as vidas pessoais e profissionais de toda uma população, não ficando
apenas restrito às centenas de trabalhadores de uma grande empresa, por exemplo.

Se os conceitos da Contabilidade Pública de um país não estiverem


coerentes toda uma população terá suas vidas transformadas, tanto o que compete
ao contexto familiar quanto o que compete ao vínculo empregatício, pois, quando um
país está mal, financeiramente falando, as suas empresas, com certeza, são
afetadas. Como bom exemplo, podemos citar a crise financeira mundial de 2008,
que fez com que muitas empresas ao redor do mundo fossem levadas à falência e,
consequentemente, milhares de trabalhadores fossem demitidos.

Nesse curso nós iremos apresentar e explicitar para vocês todos os


conceitos que envolvem a Contabilidade Pública, além de apontar como esse ramo
da ciência social pode afetar o andamento da sua vida como um todo.

3
1. CONCEITO

Fazendo uma pequena síntese do que apontamos anteriormente, a


Contabilidade Pública é uma ramo da Contabilidade que avalia as questões
financeiras e de planejamento que envolvem a esfera pública, os governos
municipais, estaduais e federais. De uma forma mais aprofundada, José Carlos
apresenta o seguinte conceito:

Contabilidade Pública é uma especialização da ciência contábil, que


se aplica às aziendas públicas, de acordo com as regras
estabelecidas pelas Normas Gerais do Direito Financeiro.
Contabilidade Pública é um ramo da Contabilidade que estuda e
pratica as funções de orientação e controle relativas aos atos e fatos
da administração econômica das aziendas públicas. A Contabilidade
Pública exerce a função de prever, escriturar, controlar, analisar e
interpretar os atos e fatos da gestão pública.(MELLO, José Carlos
Garcia de. Disponível em:
<http://www.unifra.br/pos/gestaopublica/downloads/CONTAB_PUBLI
C.PDF> Acesso: 31 de julho de 2012)

Dessa forma, a Contabilidade Pública (ou Contabilidade Governamental),


sobretudo no Brasil, é uma disciplina da Contabilidade dos entes públicos que está
completamente ligada aos aspectos inerentes à legislação – cujos apontamentos
mostraremos mais à frente no nosso texto.

É importante salientar que quando estamos falando sobre a Contabilidade


Pública nacional não estamos nos referindo ao mesmo do que quando citamos a
Contabilidade Nacional, que é um ramo da Economia que avalia, de forma geral, as
contas da união, como o rendimento disponível, a poupança e o produto interno
bruto (PIB), que representa os bens produzidos por uma determinada região durante
um período de tempo pré-determinado.

A Contabilidade Pública fica encarregada de captar controlar e


demonstrar todos os dados referentes à fazenda pública, e ao patrimônio público,
assim como as suas variações.

4
2. OBJETO

De forma geral, o objeto da Contabilidade Pública são todos os bens,


direitos e obrigações do Estado, que devem sempre prezar pelo bem-estar da sua
população – ou seja, o Patrimônio.

O seu foco são todos os fenômenos de ordem monetária que envolvem o


setor público, preocupando-se com os dados que tenham alguma expressão
quantitativa dentro de todo o montante que lhe é direcionado, transformando-se às
variáveis qualitativas em dados quantitativos.

Os dados provenientes da análise feita pela Contabilidade Pública


servirão de norte para os gestores públicos poderem desenvolver o seu trabalho
sem agredir de nenhuma concepção importante ao bom andamento do Estado.
Logo, para que seja feito um bom trabalho o prefeito, vereadores, governador,
deputados, ministros, presidentes, entre muitos outros representantes dos cargos
públicos devem sempre avaliar a real situação da região antes de legislar uma nova
lei, distribuir aumentos de salários, dar alguma vantagem ao ramo A ou B, diminuir
ou aumentar impostos, promover concursos públicos, proporcionar reformas nos
prédios públicos (escolas, delegacias, prefeituras), entre muitos outros.

5
Caso os apontamentos da Contabilidade Pública sejam ignorados os
resultados negativos serão muitos, podendo dar origem a uma grande crise que
afetará os mais diferentes ramos de trabalho e seus respectivos trabalhadores e
familiares.

6
3. FINALIDADE

A Contabilidade Pública tem por finalidade, de forma ampla, disponibilizar


informações acerca da execução orçamentária e financeira do patrimônio público,
assim como as suas diversidades, aos vários usuários que de alguma forma entram
em contato com ela. Fora isso, ainda podemos apontar outros fatores que se
colocam como a finalidade desse ramo contábil:

– Permitir a reunião e organização das contas e variáveis do Estado em livros


(escrituração);
– Prestar contas acerca das transações financeiras, mostrando, dessa forma, o
resultado da gestão dos administradores;
– Instituir os limites orçamentais, de acordo com as possibilidades observadas
da região;
– Controlar o cumprimento dos limites apontados por ela por parte dos
governantes;
– Organizar as diferentes fazes da realidade econômico-financeira da região,
organizando um registro com os diferentes dados resultantes da análise de
diferentes momentos;
– Fazer o controle interno (dependendo do âmbito de atuação), possibilitando
um trabalho mais embasado por parte do administradores;
– Organizar os orçamentos;
– Deixar claro os direitos e deveres monetários e financeiros de cada usuário
da entidade.

3.1. Usuários

Como a Contabilidade Pública se trata de uma entidade que auxilia o bom


andamento dentro de uma instituição pública, os usuários que a compõem, logo, são
todos os membros que fazem parte da sociedade.

Assim como os gestores, que como dissemos anteriormente, necessitam


dos dados encontrados por esse ramo contábil para o bom andamento do seu
trabalho, os cidadãos também fazem parte do grupo a quem os dados da

7
Contabilidade Pública são interessantes. Desenvolvendo tudo o que já dissemos até
aqui, eles são a parcela mais afetada quando há algum problema nessa área.

Além dos administradores e da população constituída das pessoas


físicas, também podemos apontar as chamadas pessoas jurídicas, pois, da mesma
forma que a outra configuração, elas também são amplamente prejudicadas ou
beneficiadas de acordo com o andamento da Contabilidade Pública. Essas
instituições privadas, sendo sediadas ou não em determinado município, estado ou
país, elas sofrerão com as consequências dela – quando falamos sobre
consequências estamos nos referindo à boa utilização e interpretação dos dados
que ela aponta, como dissemos até aqui.

Mesmo quando uma empresa não tem sede em um país, mesmo quando
a relação entre ela e ele está resumida às transações comerciais, mesmo assim, a
empresa pode ter sérios danos caso a situação financeira daquele país tenha algum
problema sério. Voltando ao nosso antigo exemplo, a crise financeira de 2008
atingiu, sobretudo, os Estados Unidos (onde tudo começou) e a Europa (na verdade,
até hoje parte do continente ainda sofre as consequências). O Brasil não sofreu
grandes consequências (não tão grandes como as do EUA e Europa), entretanto, as
empresas que tinham algum tipo de relação comercial com empresas ou o próprio
governo dessas regiões afetadas sofreram bastante, havendo perdas monetárias
significativas. Empresas siderúrgicas brasileiras, por exemplo, se viram obrigadas a
desligar alguns fornos devido à falta da parceria estrangeira. Ainda nesse exemplo,
é válido lembrar que quando uma grande empresa tropeça, muitas outras pequenas
vão junto.

Outros usuários são as empresas que fazem parceria com o governo, os


fornecedores de produtos variados. Seguindo a lógica da relação entre as grandes e
as pequenas empresas, se há algum problema com a caminhada do governo, todas
as parceiras dele terão suas ações atingidas por isso, sofrendo as consequências
negativas que ele acarretar.

Em síntese, os usuários que constituem a Contabilidade Pública são


todos que compõem a população, desde a menor parte até as maiores. Todos eles
estão representados no seguinte quadro síntese:

8
GRUPOS DE USUÁRIOS TIPOS DE USUÁRIOS

- Contribuinte
- Eleitores
- Usuário dos serviços
Cidadãos - Mídia (rádio, Tv, jornal)
- Associações e grupos de defesa do
cidadão
- Estudiosos de finanças públicas
- Câmera
Federal
Federal - Senado
- Tribunal de
Contas da União
- Assembleia
Legislativa
Estadual
Poder Executivo - Tribunais de
contas
- Câmeras dos
vereadores
- Tribunais de
Municipal
contas
- Conselhos de
contas
- Investidores institucionais
- Fornecedores e Prestadores de
Investidores e credores serviço
- Agência de classificação de risco
- Instituições financeiras

9
4. CAMPO DE ATUAÇÃO

Os três contextos de atuação da Contabilidade Pública são o de nível


Municipal, Estadual e Federal. Nesse sentido, ela pode ser subdividida em duas
formas de Administração, a Direta e a Indireta. A Administração Direta refere-
se aos governos dos diferentes níveis: o governo do país, o governo do estado e o
governo municipal.

Quanto à Administração Indireta, esta se refere às autarquias (pessoa


jurídica de direito público), às fundações, às empresas públicas e às sociedades de
economia mista (reunião de colaboração e recursos entre o Estado e particulares).
As duas últimas fazem uso da Contabilidade Pública quando a colaboração e
recursos que elas recebem proveem do colaborador público, ou seja, quando o que
eles recebem para despesas com a empresa vem do Orçamento Público. Nesse
sentido, essas empresas passam a ser conhecidas como Empresas Estatais
Dependentes.

10
4.1. Legislação

Tudo o que compete à Contabilidade Pública o é através do regimento da


Lei 4.320, implantada em 17 de março de 1964. Através dela foram instituídas
regras gerais de direito financeiro que organizam, elaboram e controlam os
orçamentos e balanços do Brasil, dos seus estados, municípios e o Distrito Federal.

Normas Gerais de Direito Financeiro dá as diretrizes do Direito Financeiro,


gerindo e controlando o orçamento das três esferas de atuação da Contabilidade
Pública. A união formada entre essa Lei a própria constituição federal formam a Lei
Orçamentária Anual, como corrobora o artigo 57:

Art. 57. Ressalvando o disposto no parágrafo único do artigo 3º


dessa lei serão classificadas como receita orçamentária, sob as
rubricas próprias, todas as receitas arrecadadas, inclusive as
provenientes de operações de crédito, ainda que não previstas no
Orçamento.

De maneira geral, a segundo a Lei 4320/64 divide a contabilidade pública


brasileira em quatro subdivisões, o Sistema Orçamentário, o Sistema Financeiro, o
Sistema de Compensação e o Sistema Patrimonial.

O Sistema Orçamentário resume-se, como o próprio nome já diz, no


controle do orçamento público, baseando-se na compensação, levando em
consideração o fato de que quanto ao patrimônio público só podemos fazer previsão.
Como exemplos podemos citar a fixação, o empenho e a realização de despesas. O
resultado desse Sistema é o Balanço Orçamentário (cujo modelo está presente no
Anexo 12 da Lei) que contém a diferença entre a receita esperada e a executada, a
diferença entre a despesa esperada e a tida e a diferença entre a receita e a
despesa.

O Sistema Financeiro é o responsável pela análise da circulação


monetária dentro do contexto público, incluindo-se nesse ponto tanto a reunião de
recursos quanto às despesas. O produto do Sistema Financeiro está previsto no
Anexo 13 da Lei, e o concebe como Balanço Financeiro Público e que:

11
Art. 103 (...) Demonstrará a receita e a despesa orçamentária, (...)
conjugados com os saldos em espécie provenientes do exercício
anterior, e os que transferem para o exercício seguinte.

O Sistema de Compensação é formado pelos atos efetuados pelo


gestor, que não tem consequência imediata ao Patrimônio, mas que, entretanto, com
o tempo, poderão afetá-lo. Fora isso, ao Sistema de Compensação também fica
destinado as contas de controle que são de interesse da administração.

O Sistema Patrimonial relaciona todos os bens das mais variadas


configurações do Estado. Desde imóveis, móveis até créditos, valores, etc., tudo que
dor atrelado ao patrimônio do Estado como um todo será instituído no Sistema
Patrimonial.

Assim como os outros Sistemas, o último também apresenta um produto,


que apresenta uma responsabilidade própria, como afirma a Lei:

Art. 105 - O Balanço Patrimonial demonstrará:


I - O Ativo Financeiro;
II - O Ativo Permanente;
III - O Passivo Financeiro;
IV - O Passivo Permanente;
V - O Saldo Patrimonial;
VI - As Contas de Compensação.
§ 1º - O Ativo Financeiro compreenderá os créditos e valores
realizáveis independentes de autorizações orçamentárias e os
valores numerários.
§ 2º - O Ativo Permanente compreenderá os bens, créditos e valores
cuja mobilização ou alienação dependa da autorização legislativa.
§ 3º - O Passivo Financeiro compreenderá os compromissos
exigíveis cujo pagamento independa de autorização orçamentária.
§ 4º - O Passivo Permanente compreenderá as dívidas fundadas e
outras que dependam de autorização legislativa para amortização ou
resgate.

12
§ 5 - Nas contas de compensação serão registrados os bens,
valores, obrigações e situações não compreendidas nos parágrafos
anteriores e que, mediata ou indiretamente, possam vir a afetar o
patrimônio.

13
CONCLUSÃO

Todos os conceitos que permeiam a Contabilidade Pública deveriam ser


de interesse de todos que fazem parte da sociedade, todos os usuários que
apresentamos e que são, cada um no seu contexto, merecedores dessas
informações que podem mudar ou não as suas vidas. As receitas, as despesas, as
transações, as relações comerciais, tudo deve ficar à disposição das pessoas – que
por sua vez também devem se mostrar interessadas em adquirir esse tipo de
informação.

14
PARA SABER MAIS

 Material de Apoio:

Noções de Contabilidade Pública

Contabilidade Pública

 Portal:

Contabilidade Pública

 Vídeo:

Contabilidade Pública

Fotos

FreeDigitalPhotos.net

15
INFORMAÇÕES IMPORTANTES

Sobre o Trabalho Final

1. O trabalho final deverá ser uma Revisão Bibliográfica relacionado ao tema do


curso em questão e deverá respeitar as normas da ABNT, conforme
MODELO;
2. Para aprovação no curso é necessário que a nota do trabalho seja igual ou
superior a 6,0 (seis);
3. O aluno que tiver seu trabalho aprovado receberá o certificado em até 10 dias
úteis após a aprovação;
4. Trabalhos que não tiverem dentro das normas da ABNT ou com conteúdo
insuficiente serão reprovados. Nesse caso, o aluno será notificado por e-mail
e poderá refazer seu trabalho;
5. Cada carga horária diferente exige um trabalho com quantidade de páginas
diferentes, conforme tabela abaixo:

Carga Horária Qtde. de Páginas

20 horas 01

50 horas 02

90 horas 03

120 horas 04

150 horas 05

180 horas 06

200 horas 07

CLIQUE AQUI para saber mais sobre nossos Termos de Uso

Para Incluir Data de Início no Certificado

Caso necessite, você pode solicitar a inclusão da data de início do curso no


certificado. Para isso, você deverá enviar um e-mail com a data pretendida para
contato@capacitacaoead.com.br no mesmo dia que enviar o trabalho para correção.

CLIQUE AQUI para saber mais sobre o Certificado

16