Você está na página 1de 2

Curta Sinopse Duração Temática Link para acesso

O filme mostra crianças e adolescentes que vivem do lixo. Enquanto reviram sacos de lixo pelas ruas e
recolhem materiais úteis para vender a empresas de reciclagem, crianças - que se alimentam deste mesmo
lixo - falam sobre suas vidas, suas famílias, seus sonhos e desejos de estudar, mas logo sua avassaladora http://portacurtas.org.br/filme/?name=vidas_n
Vidas no lixo realidade se impõe com a gravidez inesperada de uma menina de 14 anos. 14min11s Catadores de lixo o_lixo
Cartas da mãe é uma crônica sobre o Brasil dos últimos 30 anos contada através das cartas que o cartunista
Henfil (1944/1988) escreveu para sua mãe, Dona Maria. Estas cartas, publicadas em livros e jornais, são
lidas pelo ator e diretor Antônio Abujamra enquanto desfilam imagens do Brasil contemporâneo. Política,
cultura, amigos e amor são alguns dos temas que elas evocam, criando um diálogo entre o passado recente
do Brasil e nossa situação atual. Artistas, políticos e amigos de Henfil, entre eles o atual Presidente da
República Luiz Inácio Lula da Silva, o escritor Luis Fernando Veríssimo, os cartunistas Angeli e Laerte e o
jornalista Zuenir Ventura, falam sobre a trajetória do cartunista dos anos da ditadura militar até sua morte. https://www.youtube.com/watch?v=MLfRebR
Cartas da mãe Animações inéditas de seus cartuns complementam o documentário. 28min Ditadura wz-Q
https://www.youtube.com/watch?v=FB7qlxJ5
10 centavos História da vida de um garoto que mora no subúrbio de Salvador e trabalha como pastorador de carros. 20min Trabalho infantil n1Q
O dia em que Dorival encarou o Todo homem tem seu limite e Dorival resolve enfrentar a tudo e a todos para conseguir o que quer. A Privação de liberdade - https://www.youtube.com/watch?v=zRO1HIV
guarda história da luta desigual de um homem contra um sistema sem lógica e sem humanidade. 15min Presídios kFTc
Direitos Humanos, a exceção e http://portacurtas.org.br/filme/?name=direitos
a regra Conta a história dos direitos humanos no país nos últimos 40 anos. 10min Direitos Humanos _humanos_a_excecao_e_a_regra
Manifestantes do Movimento dos Sem-Teto no ano de 2000 decidem ir a um Shopping Center como forma
de protesto, para confrontar a miséria dos excluídos com o consumo da classe média. Naquele momento
fica em evidência o Apartheid Invisível que vive a sociedade brasileira, que hoje mais do que nunca ficou
também nítido através dos comentários sobre os "rolezinhos" em redes sociais e na mídia tradicional. http://docverdade.blogspot.com.br/2014/01/hi
Hiato Vivemos em dois países. (docverdade). 20min Exclusão social ato-2008.html
Um documentário descontraído que discute como a TV influencia a vida das pessoas, como altera o padrão
ético, gera o conformismo e controla as massas. Depoimentos brilhantes como o do escritor Ferréz, de
Olgária Matos, Esther Hamburguer, Marcia Tiburi, Pedro Puntoni e Lisa Gunn, mostrando o lado que muitas http://docverdade.blogspot.com.br/2012/03/fa
Fábrica de verdades pessoas sequer chegaram a pensar sobre a TV. (docverdade) 27min Meios de comunicação brica-de-verdades-2010.html
Complexas e onipresentes, as violências midiáticas colocam questões em relação à imagem. A exemplo de
Hermes, ao mesmo tempo deus dos ladrões e mensageiro dos deuses, a imagem é dupla, dúplice, benéfica
e perigosa. Trata-se então de controlá-la, mas, sobretudo de conhecê-la, de fazer jorrarem os sentidos para
desarmá-la. Este conhecimento não deve permanecer como privilégio de alguns especialistas, mas ser
propagado em uma "alfabetização do olhar". Somente uma educação para a imagem permitirá ao https://www.youtube.com/watch?v=ST9h5B
TV Alma sebosa espectador colocá-la à distância para melhor apropriar-se dela 50min Meios de comunicação WZSTE
Uma História de Amor e Fúria” é um filme de animação que retrata o amor entre um herói imortal e Janaína,
a mulher por quem é apaixonado há 600 anos. Como pano de fundo do romance, o longa de Luiz Bolognesi
ressalta quatro fases da história do Brasil: a colonização, a escravidão, o Regime Militar e o futuro, em 2096,
quando haverá guerra pela água. Destinado ao público jovem e adulto com traço e linguagem de HQ, o filme
2096: Uma história de amor e traz Selton Mello e Camila Pitanga dublando os protagonistas. O longa conta ainda com a participação de
fúria Rodrigo Santoro, na pele do chefe indígena e de um guerrilheiro. 1h14min Pasta Marighella
Vídeo produzido pelo Intervozes Coletivo Brasil de Comunicação Social com o apoio da Fundação Friedrich
Ebert Stiftung remonta o curta ILHA DAS FLORES de Jorge Furtado com a temática do direito à http://www.youtube.com/watch?v=KgCX2ONf
Levante sua voz comunicação. A obra faz um retrato da concentração dos meios de comunicação existente no Brasil. 17min Meios de comunicação 6BU
O vídeo apresenta cenas cotidianas das crianças Galibi-Marworno da aldeia de Kumarumã, Terra Indígena
Uaçá, município de Oiapoque/AP. O roteiro foi elaborado em conjunto com o cacique Paulo Roberto Silva e
com Manuel Severino dos Santos, para mostrar aspectos importantes da educação para os Galibi-
Marworno: os cuidados com a gravidez, parto, puerpério e as estratégias para produzir o corpo das crianças.
"Criar o corpo da aldeia", desenvolver e amadurecer o corpo, são processos que as crianças vivenciam
Criando corpo em Kumarumã através das brincadeiras e na aprendizagem das habilidades que garantem sua saúde e autonomia. 18min Cultura indígena http://vimeo.com/70519902
https://www.youtube.com/watch?v=HVDtiSk7
O que o destino me mandar Acolhimento institucional dPw&noredirect=1
A partir de depoimentos de quem vive nas ruas do Rio de Janeiro da Cidade do México, “Quando a casa é a
rua” mostra as razões e as expectativas de quem saiu de casa. O filme, produzido e dirigido por Thereza
Jessouroun, nasceu do trabalho desenvolvido pelo Centro Internacional de Estudos e Pesquisas sobre a
Infância (Ciespi) desde 1982. Nos relatos de cada personagem, histórias de violência, desamparo,
prostituição, miséria e drogas. Além do filme, o Especial PUC-Rio exibe uma entrevista com a profª. Irene http://tvpuc.vrc.puc-
Rizzini, do Departamento de Serviço Social, em que ela reforça a importância de não manter a população de rio.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=582
Quando a casa é rua rua na invisibilidade. 50min População de rua &sid=6
Todos os anos, adultos procuram os arquivos da Fundação CASA (Centro de Atendimento Socioeducativo
ao Adolescente, São Paulo, Brasil) em busca de prontuários referentes ao período em que, quando crianças
e/ou adolescentes, passaram por abrigos públicos. O que faz com que esses adultos queiram recuperar os
fios de suas vidas? Entre 2009 e 2013, foram analisados mais de 50 prontuários e realizadas entrevistas
com alguns homens que estiveram, entre 1947 e 1974, no Instituto Agrícola de Menores de Batatais (IAMB/
SP). Registros; verdades (?); o direito à memória biográfica; histórias de "famílias abandonadas"; relatos de
trabalhos e cuidados; laços atuais entre "ex-menores"; um diálogo entre fotos antigas e uma visita às atuais
Fios da vida ruínas do IAMB, guiada por um dos entrevistados, compõem este documentário. 20min Acolhimento institucional http://vimeo.com/87861772
Esta é uma história que é contada milenarmente pelo povo Ayoreo, da Bolívia. Dizem eles que no principio
havia uma avó, que era um grilo chamado Direjná. Esta avózinha era a dona da água e por onde quer que
ela passasse com seu canto de amor, a água brotava. Um dia, os netos pediram que ela fosse embora e ela
partiu, triste. Mas, na medida em que ia sumindo, também a água ia embora. Neste vídeo, a história se
atualiza e na sua viagem para lugar nenhum a avó é encontrada pelos empresários que a aprisionam e
fazem com que ela faça a água cair apenas nos seus caminhões pipa. Então, eles vendem a água. O povo
passa necessidade e sofre. A avózinha também sofre. Até que um dia, o povo entende que é preciso lutar. Apropriação do que é de https://www.youtube.com/watch?v=3lRKdDR
Abuela Grillo Então…. 12min todos (água) J_VU
O filme “Olho de Boi” dirigido por Diego Lisboa trata-se de um curta metragem infanto-juvenil, que será
produzido e rodado em Salvador no mês de setembro de 2009. O enredo se desenvolve em uma
comunidade carente da cidade, o Bate Facho, localizada no Imbuí e narra dois dias da vida de Junca, um Infância em contexto de
Olho de boi menino ativo e imaginativo que é posto em prova por seu poder de acreditar. 17min vulnerabilidade social http://vimeo.com/62183049
'O Contador de Histórias', filme de Luiz Villaça baseado na vidado mineiro Roberto Carlos Ramos, é a
história de como o afetopode transformar a realidade. Caçula entre dez irmãos, Robertodesde cedo
demonstra um talento especial para contar histórias, transformando, com a narrativa, suas próprias
experiências defrustração em fábulas cativantes. Aos 6 anos, o menino cheio deimaginação é deixado pela
mãe em uma entidade assistencialrecém criada pelo governo. Ela acredita estar, assim, garantindoum futuro
melhor para seu filho. A realidade na instituição édiferente do que se promovia pela propaganda na TV e
Roberto, aos poucos, perde a esperança. Aos treze anos, apósincontáveis fugas, ele é classificado como
irrecuperável, naspalavras da diretora da entidade. Contudo, para a pedagogafrancesa Margherit Duvas
(Maria de Medeiros), que vem ao Brasilpara o desenvolvimento de uma pesquisa, Roberto representaum
desafio Determinada a fazer do menino o objeto de seu estudo, tenta se aproximar dele. O garoto em
princípio reluta, mas, depois de uma experiência traumática, procura abrigo nacasa de Margherit. O que
surge entre os dois é uma relação deamizade e ternura, que porá em xeque a descrença de Robertoem seu Adolescente em privação http://www.youtube.com/watch?v=kRJwQg-
O contador de histórias futuro e desafiará Margherit a manter suas convicções. 1h46min de liberdade oavc
Realidade familiar
Maria José, uma menina de 5 anos de idade, é levada a largar os estudos para trabalhar. Enquanto trabalha, contextualizada no
Vida Maria ela cresce, casa, tem filhos, envelhece. 9min nordeste Em DVD
Brasília, apesar de ser rica e planejada, esconde algo desumano: seus trabalhadores mais humildes, que
vem da perifeira, como as empregadas, os jardineiros, as copeiras, na sua grande maioria não tem lugar
adequado onde deixar suas crianças enquanto trabalham.
Na periferia há uma carência enorme de creches, na maioria das vezes as crianças ficam em casa sozinhas,
ou até mesmo nas ruas.
Neste contexto, nasceram as creches de líderes comunitárias, que apesar de todas as dificuldades
financeiras, dão um local para comer, brincar, dormir e aprender.
Apesar de todas elas tirarem recursos do seu próprio bolso e de até mesmo se endividarem, o problema
pode ser maior ainda. O poder público do Distrito Federal além de não criar creches nesses locais, de não
ajudar as que existem, pode fechar ou multar essas instituições.
Conheça a luta maior, que é a luta contra a burocracia, que insiste em derrubar essas iniciativas.
Veja também o que acontece quando o poder público finalmente decide colaborar com uma creche, que
vinha lutando sozinha há décadas, utilizando-se do senso de cidadania e da alimentação saudável como http://docverdade.blogspot.com.br/2011/03/s
Sonhos de cidadania fundamentos. 40min Luta social - creche onhos-de-cidadania-2011.html
Documentário que mostra a enorme beleza e poesia que enchem as comunidades quilombolas no Brasil na
sua constante luta pela sobrevivência. Tradições que se mantém há gerações, na agricultura, no respeito ao
meio-ambiente, na música, na produção artesanal e em outras formas de cultura. Entenda porque é tão http://docverdade.blogspot.com.br/2014/01/q
Quilombolas importante preservar essas comunidades. 35min Luta Quilombola uilombolas-2013.html
O rio Pinheiros divide dois mundos. Numa margem a riqueza, os equipamentos urbanos, os arranha-céus
das grandes corporações e, na outra, a pobreza, as favelas, vida sofrida trabalhador mais simples, a
violência e os grupos armados. Trabalhos como o da pedagoga Dagmar Garroux pode ser a ponte para que
crianças excluídas possam ter um lugar ao sol. O filme, de 42 minutos, mostra a situação da desigualdade
social na Zona Sul de São Paulo por meio da figura de Dagmar Garroux, conhecida como Tia Dag. Ela é a
fundadora de uma das mais exitosas experiências de educação integral do Brasil, a Casa do Zezinho. A
entidade trabalha desde 1994 com o desenvolvimento de crianças e jovens. No início eram 6 “Zezinhos”,
hoje a Casa conta com mais de 1200 crianças e jovens.
(...)
O filme pretende mobilizar a sociedade, mostrando que existe um caminho para a transformação. “Não é
uma denúncia vazia. Optamos por mostrar que a realidade é muito dura, mas paralelamente
mostramos a história da Tia Dag como uma possibilidade de mudança para a região”, afirma Luiz Alfaya,
diretor-presidente do Instituto Rukha. Para Roberto Oliveira, diretor do filme, “a idéia é abrir os olhos das
pessoas”. Segundo ele, “o Brasil vive uma situação de guerra civil e http://docverdade.blogspot.com.br/2011/09/p
A ponte as pessoas não se dão conta. Elas precisam se mexer e mudar a realidade.” (Fonte: Instituto Rukha) 42min Desigualdade Social onte-2006.html
Num país onde poucos podem tudo e muitos não podem nada, não é difícil encontrar o Estado advogando a
favor de um grupo econômico. Conheça a trágica situação dos agricultores de Açu, no Estado do Rio de
Janeiro, que estão sendo expulsos de sua própria terra para dar lugar a um projeto de um dos homens mais
ricos do mundo, Eike Batista. Em troca receberão um residência em local totalmente distinto com suas http://docverdade.blogspot.com.br/2013/03/n
Narradores do Açu realidade. Nada como o capitalismo para arrancar das pessoas mais simples e indefesas seu modo de vida. 18min Desapropriação arradores-do-acu-2011.html
Após impactar o Brasil mostrando as perversas consequências do uso de agrotóxicos em O Veneno está na
Mesa, o diretor Sílvio Tendler apresenta no segundo filme uma nova perspectiva. O Veneno Está Na Mesa 2
atualiza e avança na abordagem do modelo agrícola nacional atual e de suas consequências para a saúde
pública. O filme apresenta experiências agroecológicas empreendidas em todo o Brasil, mostrando a
existência de alternativas viáveis de produção de alimentos saudáveis, que respeitam a natureza, os
trabalhadores rurais e os consumidores. Com este documentário, vem a certeza de que o país precisar
tomar um posicionamento diante do dilema que se apresenta: Em qual mundo queremos viver? O mundo Agrotóxico e alimentação https://www.youtube.com/watch?v=fyvoKljtv
O veneno está na mesa envenenado do agronegócio ou da liberdade e da diversidade 1h10min saudável - Apodi G4&feature=youtu.be
Parte I:
Desenho animado sem palavras, com 20 minutos de duração, criado para gerar questionamento entre https://www.youtube.com/watch?v=LESrHIG
homens jovens sobre machismo, socialização masculina e relações de gênero. O filme acompanha a vida de Gon8 Parte II:
João e ilustra aspectos de uma educação sexista, situações de violência doméstica, primeira experiência https://www.youtube.com/watch?v=hQqNUIg
Minha vida de João (partes I e II) sexual, gravidez de sua namorada, primeiro emprego, entre outros. 20min Gênero, sexualidade aRho
Aquário sem ar
Sobre a situação dos moradores da Comunidade da Paz, que está localizada cerca de 1 km do Itaquerão em
obras para receber a Copa, na Zona Leste, SP. Foi feito em parceria com a Agência Pública de Jornalismo, http://curtadoc.tv/curta/direitos-
Desenvolvimento para quem? no início de 2013. 7min Moradia; Copa humanos/desenvolvimento-para-quem/
Pinheirinho Demolição de um conjunto habitado por população humilde devido a especulação imobiliária 8min Moradia; Copa http://curtadoc.tv/curta/cotidiano/pinheirinho/
A cidade de São Lourenço do Sul vivenciou, no dia 10 de março de 2011, uma de suas maiores catástrofes.
Ao ser atingida por uma enxurrada causada pela vazão em excesso de água das chuvas sobre o arroio São
Lourenço do Sul, bairros foram destruídos e o município declarou estado de calamidade pública. Dos 43 mil
habitantes, cerca de 20 mil pessoas foram atingidas e nove morreram. Enquanto a grande mídia fez uma
intensa cobertura da catástrofe, apresentando ao público os resgates, os momentos de horror, sofrimento e
dor das diversas pessoas atingidas, o interesse do documentário não é discutir a catástrofe como Desastre natural; moradia; http://curtadoc.tv/curta/direitos-
Seis dias depois significação de horror e morte, mas tentar encontrar nas pessoas os movimentos de ressignificação da vida. 19min comunidade humanos/seis-dias-depois/
Início do trabalho de documentação realizado pelo projeto #Entresembater com a intenção de retratar a
situação enfrentada pelos moradores que sofrem ameaças de remoção por parte do poder público no Rio de http://curtadoc.tv/curta/direitos-
Providência Janeiro. 9min Moradia; comunidade humanos/providencia/
Curta Sinopse Duração Temática Link para acesso
http://curtadoc.tv/curta/direitos-
Promessa Documentário que retrata as promessas políticas feita à comunidade Arthur Bernades. 16min humanos/promessa/
Cláudia, presidiária mais antiga e respeitada da Penitenciária Madre Pelletier, deve deixar o cárcere em
breve. Assim como Betânia, que vai para o regime semi-aberto, e ao contrário de Daniela, que recém
chegou na prisão e aguarda julgamento. Enquanto Daniela busca proteção na cadeia, Cláudia e Betânia vão Mulher em privação de https://www.youtube.com/watch?v=fr3blY9Fl
O cárcere e a Rua enfrentar as incertezas de quem volta para a rua. 1h20min liberdade; saúde mental Oo
O filme é baseado na interpretação de textos reais sobre abusos sofridos pelas mulheres, propondo http://curtadoc.tv/curta/direitos-
Marias refelexões, medos íntimos revelados, angústias e denúncias. Frutos criados por fortes verdades. 28' Violência contra a mulher humanos/marias/
VOZES DA GUERRA quer abordar a questão da legalização da maconha a partir de um prisma original, que
é dar voz a todos que vivem de fato a realidade dos conflitos em seu dia-a-dia: moradores das favelas, Violência; segurança
policiais, traficantes e ex-traficantes. Gente que em raras oportunidades têm a chance de ser ouvido. O pública; favela; legalização http://curtadoc.tv/curta/cotidiano/vozes-da-
Vozes da Guerra documentário não busca mediadores ou abalizadores das opiniões e discursos que compõem o filme. 14'55'' da maconha. guerra/
Documentário sobre as ações higienistas do governo do estado de São Paulo na região da Cracolândia,
A Cracolândia e o Estado caracterizadas principalmente pela intervenção abusiva da polícia. O filme aborda o descaso e a violência http://curtadoc.tv/curta/direitos-humanos/a-
Higienista – a violência contra usuários de crack, pessoas em situação de rua e moradores do centro de São Paulo, revelando os Direitos humanos; crack, cracolandia-e-o-estado-higienista-a-
legitimada interesses imobiliários e mercadológicos que impulsionam essas ações. 28' 28'' crackolândia; sociedade. violencia-legitimada/
Parte 1: http://curtadoc.tv/curta/direitos-
humanos/potiguara-marcacao-cerrada/
Potiguara marcação cerrada Mobilização dos índios Potiguara (PB) para impedir a execução da liminar expedida pela justiça local em Direitos humanos; questão Parte 2: http://curtadoc.tv/curta/direitos-
(Parte I e II) favor da usina de cana de açúcar que exploraria a área indígena Potiguara na Paraíba. 20' indígena. humanos/potiguara-marcacao-cerrada/?v=1
Parte 1: http://curtadoc.tv/curta/direitos-
humanos/lua-dos-praias-kambiwa/
Lua dos Praiás Kambiwá (Parte I Direitos humanos; questão Parte 2: http://curtadoc.tv/curta/direitos-
e II) Fazendeiro indenizado pela FUNAI deixa terras ancestrais do povo Kambiwá devastadas. 20' indígena. humanos/lua-dos-praias-kambiwa/?v=1
Testemunha viva da história recente do Brasil, Alcione Silva migrou do Maranhão para o sul do Pará nos
anos 1960 em busca de terra e trabalho. Como agricultor no Araguaia, presenciou a ação do Exército no
embate com a guerrilha e a derrota do movimento, comandada por Sebastião Curió, atual prefeito de
Curionópolis. Por boa parte dos anos 1980, Alcione viveu no garimpo de Serra Pelada sem fazer fortuna,
voltando depois a trabalhar como agricultor. Juntou-se ao MST e, baleado na curva do S, sobreviveu ao
massacre de Eldorado dos Carajás em 1997. Hoje vive em Eldorado, trabalhando em terras que nunca
foram suas. Todos seus filhos têm o estudo que lhe foi negado pelos pais. "Mesmo analfabeto, hoje eu sei
que existe uma constituição e que nela tem um artigo que diz que todo brasileiro é igual perante a lei. (...)
Hoje eu sei que é assim: pode ser um médico ou um advogado, ele é tão brasileiro quanto eu." Este curta Direitos humanos; política; http://curtadoc.tv/curta/direitos-
Escola Eldorado faz parte do projeto Marco Universal. 11'37'' educação. humanos/escola-eldorado/
Documentário sobre os amantes e os amores que ultrapassam os muros do presídio e sobrevivem mesmo Direitos humanos; cárcere; http://curtadoc.tv/curta/direitos-
Aqui fora com a detenção. 7'39'' mulheres; humanos/aqui-fora/
Direitos humanos; questão
Índios guarani-kaiowá falam sobre as suas expectativas em relação a demarcação das terras que indígena; demarcação de http://curtadoc.tv/curta/direitos-
Retomada reivindicam. Uma luta onde muitos de seus líderes foram mortos por pistoleiros. 19'48'' terras; conflito. humanos/retomada/
Segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, a proporção de negros entre as vítimas
Diz aí - Extermínio da Juventude da violência policial no Brasil é três vezes maior em relação aos brancos. Jovens de diferentes partes do Extermínio da juventude https://www.youtube.com/watch?v=bAStHnd
Negra - Ep. 03 - Polícia Brasil questionam o processo de marginalização do negro e a necessidade de diálogo com as polícias. 7'39" negra; violência policial Mc9Q
A jornada de um professor em seu primeiro dia de aula e de seus alunos - a maioria com deficiência - em Direito à Educação; direito
uma escola pública na zona rural. Um cadeado impede a entrada, mas o professor tenta fazer com que não das pessoas com
O cadeado percam um dia de aula. 12' deficiência https://vimeo.com/45760604
Direito da criança e do
Um garoto solitáro encontra um cãozinho e o leva para o apartamento onde vive com o pai, em Salvador. adolescente; direito da
Mas o verdadeiro dono do animal aparece para pedi-lo de volta e várias situações cheias de tensão e população em situação de https://www.youtube.com/watch?v=WzqjUuEi
Menino do Cinco suspense se sucede. 20' rua RYU
Uma construção dramática e poética sobre o cotidiano de uma menina que precisa ser gente grande quando Direito da criança e do https://www.youtube.com/watch?v=li2vkN1bu
Tempo de criança a mãe não está em casa 12' adolescente w4
Tragicomédia sobre um agricultor do interior de São Paulo dividido entre o aumento da produção de sua Economia e Direitos
O plantador de quiabos lavoura de auiabos e a realização de um sonho efêmero da filha. 15' Humanos https://vimeo.com/36785033
Valter e Iara, sua mulher, têm novos inquilinos. São três rapazes, que ninguém sabe de onde vieram. Iara
suspeita que devam ser bandidos; diz que nenhum deles trabalha, que trazem mulheres para a casa e falam
palavras sujas. Os jovens da rua querem ir para a briga, mas Valter quer dormir, pois estuda à noite. Ele não
tem uma arma; passa o dia inteiro fora; não vê o que acontece na rua; ouve o que a mulher diz e o que a rua
Os inquilinos (os incomodados diz; ouve barulho da música e das risadas dos inquilinos na madrugada, e não consegue dormir. Adaptado
que se mudem) de um conto de Vagenr Geovani Ferrer. 103' Segurança Pública cidadã
Direitos da criança e do
A família de Diana produz cocadas caseiras. João, o irmão mais novo, recolhe os coocos; Diana e a mãe adolescente; gravidez na http://portacurtas.org.br/filme/?name=doce_d
Doce de coco preparam os doces, vendidos por Zacarias, o pai. Tudo muda quando Diana vai tomar banho do rio. 20' adolescência e_coco
Um presidiário convence sua mãe a arriscar a própria segurança para lhe levar um telefone celular, mas o Direitos da população https://www.youtube.com/watch?v=OEbVigA
A fábrica uso que ele pretende fazer do aparelho não é o habitual em situações como essa. 16' carcerária L25s
Baseado em fatos reais, o filme segue a trajetória de um grupo de jovens de classe baixa, como Júnior, talentoso no
conserto de televisões, Zeca, que testemunhou uma chacina, Joana, garota que sonha com a mãe desconhecida e
Gerson, cujo pai está na prisão desde que nasceu. Entre histórias de perdas e violência, eles descobrem uma nova https://www.youtube.com/watch?v=OB94s0-
na quebrada maneira de expressar as suas ideias e as suas emoções: o cinema. 1h34min AR1k
Este documentário foi concebido a partir da experiência de trabalho acumulada pelo Laboratório de Pesquisa
e Extensão em Subjetividade Humana e Segurança Pública (LAPSUS/UFPB), vinculado ao Centro de
Referência em Direitos Humanos / UFPB, e expõe uma faceta do universo prisional poucas vezes Direito da população https://www.youtube.com/watch?v=Wrvs0NV
muros invisíveis problematizada: a dura realidade daqueles que têm um familiar encarcerado. 41'32'' carcerária wejM
Um diário de observação da vida do adolescente no Brasil em seis escolas, Pro Dia Nascer Feliz flagra o
dia-a-dia e adentra a subjetividade de alunos e professores de Pernambuco, São Paulo e Rio de Janeiro. As
entrevistas são intercaladas com sequências que retratam o ambiente das escolas, revelando a relação Direitos da Criança e do
direta entrre educação e direitos humanos. A câmera esquadrinha salas de aula, corredores, pátios e Adolescente; Educação em
banheiros, testemunha uma reunião de conselho de classe e momentos de relativa intimidade. A sessão Direitos Humanos; Direito à
Pro dia nascer feliz especial do filme está vinculada ao conceito Educação em Direitos Humanos. 88' educação.
Enquanto astros e estrelas se movem pelo céu de São Paulo, atirando sua mágica ao acaso, homens e
mulheres perguntam o que será de seus sonhos e desejos. Gil está casado e só. Lydia flerta com o perigo.
Josialdo nasceu pra ser mulher. Mônica só quer se dar bem. No programa noturno de rádio em que atende Direito das mulheres;
ouvintes anônimos, a astróloga Teca se vê entre os anseios dos outros e seus prórpios problemas. Aos direitos da população
poucos, o destino enreda a todos numa única teia. Na luta para romper o isolamento e achar o rumo da afrodescendente; cidadania
O signo da cidade redenção, eles vão descobrir o poder transformador da solidariedade; 96' LGBT
Laranjinha e Acerola vivem na Cidade de Deus, violenta favela do Rio de Janeiro. Tudo o que les querem é
uma graninha para ir a um show de pagode. O jeito mais fácil de conseguir é também o mais perigoso: https://www.youtube.com/watch?v=Y-
Palace II trabalhando para os traficantes. Para evitar essa opção, Acerola tem a ideia do crime perfeito: o Palace II. 21' fVmWcgytY
Um destacamento policial sobe as ruas estreitas de uma favela. Enquanto os traficantes se preparam para a
guerra, uma rádio pirata orienta os moradores a se protegerem em suas casas. A história da Rádio Favela é
o ponto de partida de "Uma Onda no Ar". A rádio surgiu nos anos 80 em uma grande favela de Belo
Horizonte. Com uma programação corajosa e uma linguagem espontânea, conquistou um grande número de
ouvintes e repercutiu muito além do alcance de suas ondas. "Uma Onda no Ar" é ficção com os pés na terra
e a realidade é matéria prima de sua fantasia. No filme, fatos verdadeiros se misturam aos imaginários e os Direito à Comunicação,
personagens cinematográficos se inspiram, com liberdade, nos personagens reais. Roteiro inspirado na Questão Urbana, luta, https://www.youtube.com/watch?v=EAXh8iH
Uma Onda No Ar (Rádio Favela) história da Rádio Favela. 92' resistência qZUU