Você está na página 1de 182

1

Sonho mais ou menos Grande

Todos podem vencer...

Bastter

2
Texto por Maurício Hissa (Bastter) © 2018
Todos os direitos reservados

Contribuiu na revisão: Thiago Dias

Assine a Bastter Blue e ganhe este e mais 9 livros grátis!

3
“Nada muda.

Só você que muda...”

4
Sumário

Introdução ................................................................................. 6
I – Invista em Você .................................................................... 8
II – Não é só Trabalho .............................................................. 28
III – Tranquilidade Financeira .................................................... 77
IV – Esporte Dói, Falta de Esporte Mata .................................... 117
V – #PAS .............................................................................. 155

5
Introdução

Este livro não é sobre investimentos. Este livro não é sobre mercado.
Este livro não é sobre dinheiro. O que fui vendo cada vez mais nesse
tempo que trabalho com educação financeira é que investimentos,
Bolsa de Valores, etc. são uma parte muito pequena da nossa vida. E
vi também que o enriquecimento vem da sua formação e do seu
trabalho e não necessariamente do que você investe. Assim como vi
que o dinheiro é um meio e não um fim. Portanto, vou focar muito mais
neste livro na sua formação para poder produzir dinheiro com seu
trabalho e depois ter saúde e paz, do que propriamente em
investimentos, sobre os quais dou apenas uma palhinha. Tem todos os
outros livros meus sobre investimentos para quem quiser. Fato é que
depois de 15 anos trabalhando com educação financeira, cada vez eu
acredito menos em educação financeira e em mim (na verdade são 16,
mas 15 chama mais atenção, é um número ímpar, mas um ímpar
decente e bonito).

Este livro não é sobre investimentos, repito. Este livro é sobre estudo,
trabalho, empreendimento, mudanças, saúde e paz. Mas para chegar
a isso tudo é importante saber cuidar do dinheiro, então um capítulo
fala de dinheiro. Mas mesmo este se chama Tranquilidade Financeira
pois o objetivo final é paz e tranquilidade e não dinheiro.

Trabalhei com todos os tipos de investimentos e escrevi sobre muitos


deles: Ações, opções, FIIs, Renda Fixa, etc. Nada disso vai te fazer
rico. Só estudar, trabalhar e poupar.

O que sobra então na Filosofia Bastter.com que vou falar neste livro?

Estudar ou Investir em Você;

Trabalhar;

Poupar para atingir a Tranquilidade Financeira;

Cuidar da Saúde (Esportes);

Cuidar da Família e #PAS (PAZ).

E porque Sonho mais ou menos Grande? Porque sonho grande,


sonho enorme, virar bilionário só vai acontecer para meia dúzia. Mas
todos podem se dar bem na vida. Não precisa ser bilionário para se dar
bem, não precisa ter o maior negócio do mundo para se dar bem.

6
Podemos sobreviver e bem com nossos negócios mais ou menos, com
nossa vida mais ou menos, sendo um esportista mediano, etc. Não
precisa ser o primeiro para ser feliz e nem sempre o primeiro é feliz e
tem paz. Sonhar grande demais e colocar isso como único objetivo leva
à frustação de milhões porque poucos são os fora de série. Um sonho
mais ou menos grande é mais viável para a grande maioria e pode ser
atingido e trazer grande satisfação, tranquilidade financeira e #PAS!

7
I – Invista em Você

“Nada vai melhorar,

A não ser você mesmo...”

Estudar não é mais o que era antigamente. Se você se treinar em


repetir, vai ser um repetidor e vai ficar na corrida de ratos.
Provavelmente, não vão te ensinar nada que preste nas escolas e
faculdades. Another Brick in The Wall. As escolas e faculdades são as
maiores destruidoras da criatividade que existem, justamente num
momento que o que as pessoas mais precisam para vencer é de
criatividade.

Ir à escola não é estudar. Ir à faculdade menos ainda. Pós-graduação,


mestrado, doutorado. Isso são formas de obter títulos que nossa
sociedade idiota ainda exige. E é importante em algumas áreas ter
esses títulos. Mas isso não tem nada a ver com estudar ou aprender.
Na maior parte dos casos é um desaprendizado e um emburrecimento.
No ensino formal, se você conseguir não sair mais burro do que entrou,
já é uma vitória.

De forma simples, quanto mais você tiver que correr atrás, de fazer
coisas, de criar, mais você está estudando e aprendendo. Quanto mais
você tiver que ficar sentado ouvindo alguém lá na frente mostrar slides

8
e falar sem parar, e você estiver de forma totalmente passiva, menos
você está estudando e aprendendo e mais emburrecendo. O cérebro
funciona como um músculo nesse aspecto. Trabalhou, treinou, ele fica
mais forte. Não treinou, ele atrofia. Steve Jobs dizia que quando você
liga o computador, liga o cérebro e quando liga a TV desliga o cérebro.
Porque no computador você usa o cérebro e na TV você só fica olhando
passivamente. O mesmo vale para o estudo e o aprendizado. Ficar
olhando um professor falar lá na frente = TV. Cérebro desligado. Correr
atrás, aprender na prática, criar = Computador, o cérebro funciona.
Isso não quer dizer que tudo que você faz no computador seja bom e
aprendizado. Apenas um exemplo pessoal. Bom senso. Se não tiver
bom senso, desiste.

Sendo assim, a primeira coisa se você quer mesmo se desenvolver e


sair da corrida de ratos, é compreender a diferença entre tirar títulos
e estudar, entre repetir e aprender. Eu preciso de um título, ok, normal.
Não recomendo ninguém não terminar a escola. Nossa sociedade ainda
exige essas coisas e a pessoa que não tem um diploma, pode ter
dificuldades. Espero sinceramente que o monopólio de escolas e
faculdades acabe e que assim haja realmente evolução no ensino e
aprendizado e, acima de tudo, que as pessoas possam estudar,
aprender e tirar títulos por conta própria. Enquanto isso não acontece,
ainda vai ser necessário se submeter a essas instituições por um
tempo, mas não ache nem por um segundo que o ensino formal vai te
formar para qualquer coisa. Ele provavelmente vai destruir parte da
sua criatividade e você tem de resistir a isso enquanto tira as notas
que precisa para seguir em frente. A vida é assim, fazemos concessões,
não adianta querer mudar o mundo a cada segundo, paciência. Escola
e faculdade por enquanto ainda são um mal necessário, apesar de ser
na maior parte das vezes uma bela porcaria destruidora de
criatividade.

Tendo que nos submeter à ditadura do monopólio das escolas,


instituições cujos objetivos primordiais são dinheiro e destruir
criatividade, como escolher uma para os filhos?

1 – Perto de casa para seu filho não ficar naquele sacrifício de gastar
três horas do dia indo e voltando para uma porcaria de escola que
emburrece da mesma forma que a escola que fica perto de casa.

2 – Menos chance de usar drogas. Ok, tem drogas em todos os lugares,


mas há lugares que tem mais, então se for possível uma escola que
role menos drogas, ótimo. Ok, é meio maluquice minha isso, mas pode

9
ser que tenha a ver. Não sou nenhum moralista, mas drogas pesadas
destroem vidas, fazer o que?

3 – Escolas que menos destroem a criatividade, porque todas


destroem, mas algumas menos que outras. Fique atento com besteiras
como se preocupar demais com uniforme, presença, ir ao banheiro.
Quanto mais regrinhas idiotas, menos criatividade.

4 – Fique atento à questão da segurança. Infelizmente estamos no


Brasil.

Aí você vai dizer: tenho de colocar em uma escola que consiga boas
notas no Enem. Ok, se você quer colocar seu filho na corrida de ratos,
bom caminho. Fazer faculdade na melhor e tal é legal para contar para
os amigos ou amigas. Meu filho estuda na XXX e encher a boca para
falar isso. Mas serve só para isso. Até mesmo porque provavelmente
ele vai largar a faculdade no meio. A escola que dá boas notas no Enem
e mata a criatividade dele dura um tempo. A mente sem criatividade
dura a vida toda na corrida de ratos.

Entenda que o mais importante para você e para seu filho não é Enem,
melhor faculdade, título disso ou daquilo. O mais importante é que ele
tenha a capacidade de criar, a capacidade de liderar, a capacidade de
se diferenciar da massa, a capacidade de se virar sozinho, a capacidade
de resolver. Isso que vai tirar da corrida de ratos, isso que vai fazer
com que seja importante para a sociedade. E deve ser assim em
qualquer situação ou crise ou o que for. Caminhar para a riqueza, para
a tranquilidade financeira, para trabalhar em algo que tenha prazer e
goste e não ficar na corrida de ratos até ser substituído por um rato
mais barato e terminar reclamando do governo enquanto quase passa
fome.

Governos... Vou falar aqui pela primeira vez, mas talvez fale outras.
Esquece governo. Não estou dizendo que você não possa participar de
ações, manifestações, não possa reagir - apesar que o melhor mesmo
é não participar de nada disso. Faça o que quiser na sua vida pessoal.
Mas não misture isso com o seu desenvolvimento pessoal, os seus
estudos, os seus investimentos. O governo é seu inimigo pessoal, todos
eles, em todos países, em todas as épocas. Uns mais que os outros,
mas todos. E isso pode nunca melhorar. Vejo muita gente esperando
o governo melhorar, a crise passar...aliás, Crise.

Estava falando de governo, mas vou falar de crise. Crise é outro


problema. Toda hora tem crise, todo dia tem crise e toda crise é a pior

10
desde 1929. E todos os ratos correm mais devagar na crise. Se você
não está na corrida de ratos, esquece crise. O que você deve fazer na
vida usualmente: Estudar, trabalhar, poupar, cuidar da família, cuidar
da saúde. O que você deve fazer quando tem crise? Estudar, trabalhar,
poupar, cuidar da família e cuidar da saúde. Não muda nada. Crise é
muito bom para vender jornal. Então estava falando de governo, mudei
para crise e vou falar de jornal e etc.

Tudo bem ler jornal, especialmente se você tiver cachorro e precisar


de jornal para limpar xixi e etc. Quer ler notícias na Internet ou até
assistir, ok. Mas trate como qualquer outro programa de ficção. Fake
News. A mídia não tem mais nenhum compromisso com a verdade,
com educação, com o que for. Apenas quer dar a “notícia” primeiro.
Esquece mídia, essa está fora, não fica. Pode assistir para se divertir,
mas por mais difícil que seja, coloque na sua cabeça que ou eles estão
mentindo ou estão falando de algo que não entendem. Na área de
investimentos, então, nunca vi nada que preste. NADA. Sério. Nada.
Esquece, não lê. Seu cérebro vai virar meleca. Tudo que a mídia e os
analistas escrevem sobre investimentos é como se todos fossem fora
de série, inclusive eles, que se fossem mesmo fora de série estavam
curtindo a vida e não escrevendo colunazinha idiota na mídia. Esquece.
Se não tem capacidade de abstrair, não leia, pois vai fazer só besteira
seguindo as indicações da mídia e dos analistas sobre investimentos.

Voltando às crises. Não existe crise. Porque se o certo é continuar


fazendo a mesma coisa tenha crise ou não, você pode ignorar as crises
e é o melhor que pode fazer. Ficar se estressando com a crise vai fazer
a crise ir embora? Está sob seus domínios? Há uma fantasia maluca na
cabeça das pessoas de que se estressando, reclamando e falando sem
parar sobre algo, aquilo vai embora. E pior, criticam quem não faz isso
como alguém que não faz nada para as coisas melhorarem, um isentão.
Mas o que elas estão fazendo também não serve para nada, e pior
ainda, acaba contribuindo para que a crise dure mais, porque são mais
pessoas influenciadas pela crise e trabalhando pior. Não fique que nem
a maioria idiota o dia inteiro reclamando de crise enquanto paralisa sua
vida, mas não fique também que nem os supostos espertos com
besteiras do tipo que na crise os espertos vendem lenços. Não tem
ninguém vendendo lenço nenhum e ficar falando frase de efeito ou
repetindo as frases de algum bilionário não muda nada nem te ajuda
em nada. Não tem oportunidade nenhuma na crise e oportunidade é
só forma de levar ferro enquanto se acha esperto. A evolução é ignorar

11
as crises e continuar fazendo o que sempre faz, dentro e fora da crise,
estudar, trabalhar, poupar, etc.

E governos? Governos não vão melhorar, políticos não vão se tornar


honestos. Se o sujeito é honesto, não vai ser político em primeiro lugar,
ou desiste logo no começo. Nada vai melhorar, não adianta ficar nessa
ilusão. A única coisa que pode melhorar é você mesmo, se estudar
bastante e se desenvolver e aprender a criar e criar e criar e não a
repetir. A era do 9-5 e cabelo penteado acabou. Coloca um terno
bonito, cabelo engomado, todo dia chega na hora no trabalho,
funcionário exemplar, fica lá repetindo sem parar. Vai ser substituído
por um jovem mais barato ou uma máquina. Ou você é essencial, cria,
se diferencia ou já era. Vai estar em alguma fila falando mal do governo
enquanto quase passa fome. E só tende a piorar e não a melhorar.
Esquece governo. Ele vai te roubar sempre. Paciência. Viva com isso.
Dentro da lei, dê o mínimo possível para ele e não espere nada em
troca. Só você pode melhorar. Governos não vão melhorar. Saia desta
ilusão. Haverá ruins e piores, mas todos são seu inimigo pessoal, que
vai tirar seu dinheiro para não te dar nada em troca.

Voltando ao estudo, a maioria não entende como o estudo formal


está ultrapassado, porque a visão tradicional do estudo vem da
escola, vem de decorar, vem de repetir. Ao mesmo tempo que as
escolas e faculdades não evoluíram e continuam preparando mal o
aluno para o mundo de 1950, as possibilidades de aprendizado
evoluíram muito com o desenvolvimento da tecnologia. Hoje dá para
aprender quase qualquer coisa sozinho em casa. Eu ia lá em
Manguinhos ver artigos quando eu fazia faculdade de medicina. Tinha
que ir lá naquele lugar para procurar artigos e olha que isso já era um
progresso. Hoje de casa entra na Internet e se aprende o que quiser
com artigos, slides, vídeos, tudo. Aulas e mais aulas para quem gosta,
textos para quem gosta, tem de tudo. Mas não pode ser preguiçoso. E
isso torna escolas e faculdades mais inúteis ainda. Vou dizer, 95% do
que as crianças aprendem a cada ano na escola esquecem logo depois,
e pior, não faz a menor diferença. Só podem estar de sacanagem.
Triangulo do sei lá o quê, camadas da terra, parnasiano, vão à merda.
Vai usar isso para o que? Faz de conta. Total faz de conta. Fingem que
ensinam e estão enganando todo mundo. E pensar? E criar? E produzir?
Nada.

12
Tudo que não for pensar, criar, produzir, ter ideias, resolver, esquece,
você não está estudando e não está se preparando para nada. Está
apenas repetindo e sendo jogado na corrida de ratos. Você tem de ir à
escola ou à faculdade, ok; tem de tirar notas e um diploma, ok; mas
não se iluda, não vai aprender nada, e pior, vai emburrecer. Na
Faculdade de Medicina, todo dia eu tinha de sair da enfermaria, onde
estava tratando pacientes e aprendendo a ser médico, para ir a uma
sala de aula dormir enquanto alguém inlembravel falava sem parar
porque tinha de ter presença. Quer mais contrassenso que isso?
Chamam isso de faculdade e dizem que estão ensinando. Aí tiram o
aluno do lado do paciente, da enfermaria, para ir assistir aula de
qualquer besteira que basta estudar em um livro e pronto. Mas é a
forma de manterem o monopólio da mediocridade. O exército dos
medíocres. São poderosos, aceitam cargos que ninguém quer e vão
dominando e mantendo a mediocridade como excelência. E se você
não perceber vai se mediocrizando e termina como mais um deles.

13
E vai ter de estudar a vida toda, criar a vida toda, não importa o que
você faça. ESTUDAR neste livro está dentro de INVESTIR EM VOCÊ.
Tudo que eu escrevo o pessoal lê achando que tem a ver com o
mercado financeiro e tal, mas o mais importante é Investir em Você.
Tudo podem te tomar menos o que você é. Nos anos sei lá o que,
quando ainda tinham o risco de o Brasil virar comunista (tinha? ☺),
sério, existia a União soviética e tudo, um grande médico falava para
mim: “Claro que eu não quero que vire comunista, mas se virar vão
precisar de mim. Em qualquer governo, em qualquer lugar, eu me viro.
Chego lá, digo o que o paciente tem e o que ele tem de tomar para
melhorar e tal. Qualquer lugar precisa de alguém que saiba fazer isso
bem.” E você? Precisam de você? Você é essencial? Você é
insubstituível? Não? Então INVISTA EM VOCÊ até se tornar alguém
diferenciado, indispensável, insubstituível, que em qualquer lugar em
quaisquer condições irão precisar de você. E sabe o que é pior? Não
vai poder parar de investir na sua formação porque daqui a uns anos
o que era indispensável não é mais, não é mesmo melhor datilografo
do mundo ou consertador de galochas? Ninguém sabe, ninguém

14
lembra, mas teve manifestação dos acendedores de lampião das ruas
contra a energia elétrica. Eles quebravam as luzes elétricas na rua e
tudo. Vemos gente fazendo a mesma coisa hoje em dia. Quando o
mundo muda, ou você muda com ele ou é esmagado pelas mudanças.
E não me venha com papo de justiça. A evolução está cagando para
justiça. Pode atrasar um pouco, mas muda. Não esteja do lado errado,
do lado do atraso, invista em você, estude, crie, pense, tenha ideias
TODOS OS DIAS. Você é indispensável? Se não for, comece hoje a se
tornar. Agregue valor a você mesmo, estudando e criando para se
tornar indispensável. Muito importante aceitar que ninguém te deve
nada e que ninguém vai fazer nada por você. A percepção de vítima ou
de que os outros te devem ou têm de te ajudar, vai impedir seu
desenvolvimento. É só você e mais ninguém. Cuide do seu e dos seus,
respeite o próximo e siga em frente todos os dias.

Esqueça crescimento coletivo. Foi muito legal nos anos 60, 70, sei
lá, mudou o mundo, conquistas foram feitas, mas hoje só existe
crescimento individual. Movimentos coletivos só enriquecem os líderes,
que na maior parte das vezes se tornam políticos para depois te ferrar
de alguma forma. Foque o tempo todo no seu crescimento individual e
não perca tempo com nada disso. Quanto menos reunião, melhor.
Juntou muita gente, afaste-se. O coletivo leva à idiotização e a idiotice
é exponencial no coletivo. Ninguém vai fazer nada por você.
Movimentos coletivos tendem a mediocridade, ou defendem e
protegem a mediocridade. O pior quando se entra em um movimento
coletivo é ganhar a causa. Aí mesmo é que está ferrado. Vai perder
muito mais lá na frente por não reconhecer seus erros e tentar mudar,
evoluir. Costumo dizer isso nessas questões de minoritários contra
empresas, que toda hora aparecem. Sujeito compra ação de empresa
ruim, não controla risco, coloca mais do que pode perder, porque
acredita no analista ou na corretora, perde dinheiro e aí entra em ação
para reparar danos causados por ele mesmo. Se ganhar a causa, pior
ainda, porque não vai aprender e vai perder muito mais lá na frente.
Toda vez que você se fizer de vítima na vida, vai ter um custo alto. A
mudança virá e vai vencer, não importa o tempo que dure e os que
acharem que a coletividade vai lhes garantir, vão ser esmagados. Não
há a menor chance de a geração atual de adolescentes pegar taxi e
não Uber ou algo semelhante. Pode os taxistas pararem a cidade mil
vezes. Não vai fazer diferença. Todos taxistas que participarem destes
movimentos, exceto os líderes que vão se tornar políticos ou enriquecer
de alguma outra forma, vão ser engolidos e passar fome. O taxista que
perceber que o mundo mudou, vai se preparar para isso, se diferenciar,

15
investir no seu desenvolvimento e provavelmente sobreviver. Sindicato
defende o patrão, o governo, a si mesmo e os diretores do sindicato.
A última coisa que sindicato defende é trabalhador. Mesma coisa com
conselhos de classe ou qualquer coletividade no mundo atual.
Coletividade não defende indivíduo, apenas se utiliza dele como massa
de manobra, não se iludam. Você está sozinho no mundo e tem de
fazer por você porque ninguém mais vai. Se está vivo, agradeça todos
os dias e lute. Troque a reclamação pela gratidão que sua vida muda
amanhã.

Portanto, tire seus diplomas da melhor forma possível, mas corra atrás
por si só. Lute pela sua formação. Grude nos poucos que podem
realmente te ensinar alguma coisa. Fuja do academicismo, a não ser
que seu objetivo seja esse. Em qualquer lugar tem professores fora da
curva, mais interessados em desenvolver as habilidades dos seus
alunos do que em cobrar decoreba. Sugue o conhecimento destes
poucos, grude neles. Não fique obcecado com notas nas matérias que
só ensinam a repetir. Se passar, está bom. Não perca mais tempo do
que o necessário com idiotização. Participe de tudo que for prático, de
tudo que precisar criar, de tudo que tiver de fazer. Afaste-se o máximo
que for possível de tudo que for repetir e matar a criatividade. Você
não vai sobreviver sem criatividade. “Ah, eu não tenho criatividade”.
Valorize suas limitações e nunca se livrará delas. Se outro pode, você
pode, mas não sendo burro. Não seja burro. Burro adora enaltecer sua
burrice. Todos somos burros de alguma forma, mas não é para deixar
a burrice nos dominar. Foque o tempo todo no que te desenvolve, e
em vencer suas limitações e vencer suas fraquezas. Em desenvolver
habilidades que não tem, em agregar valor a você. Não vai ser fácil,
vai ser cada vez mais difícil e agora tem de competir com as máquinas
também. Quem só repete está morto, mesmo que repita bem.
Ninguém repete melhor que uma máquina. Você tem de
desenvolver habilidades especiais. Os cachorros ainda são melhores
que as máquinas para encontrar pessoas em desabamentos porque o
faro deles é uma habilidade especial superdotada que as máquinas não
conseguem superar. Estude para ser o melhor cão farejador por aí.
Desenvolva habilidades que possam te diferenciar no mercado. Só você
pode fazer isso por você.

16
O quadro mostra claramente que quem repete vai ou está sendo
substituído por máquinas. O último lá embaixo, se refere a atividades
físicas previsíveis com potencial de substituição por máquinas de quase
80%. Só de o trabalho físico se tornar imprevisível já leva o potencial
de automação para apenas 25%. Lá em cima, com pouca substituição
por máquinas, estão os que lideram os outros e os que aplicam
expertise com potenciais baixo de automação. E os que repetem, se
não forem criadas máquinas para substitui-los, vai aparecer outro
repetidor mais novo ou mais barato. Quem repete está morto e não
sabe. CRIE.

17
São muitas coisas que você pode estudar e que podem te ajudar a se
diferenciar. Uma terceira língua, além de português e inglês, que são
línguas nativas. Se não sabe inglês para tudo e vai aprender. Sem
inglês não desce para o play. Computador tem de dominar o básico ao
menos, mas quanto mais souber, melhor. Aprenda pelo menos a
resolver os problemas usuais dos programas. Word e Excel tem de
saber usar. Se souber noções de programação, melhor ainda.
Desenvolver aplicativos, ainda melhor. Mesmo que não saiba
programação a nível avançado, saiba participar do desenvolvimento de
aplicativos e programas. Ao menos participe com ideias. Saiba mexer
em tudo na Internet, resolver problemas simples de rede, programar
um roteador, são coisas simples que qualquer um pode aprender. E
você não precisa aprender tudo. Estou dando exemplos, mas é assim
que acontece o desenvolvimento, principalmente quando se busca
aprender coisas fora da sua esfera, fora do seu usual, coisas que não
está acostumado. O esforço é maior e o desenvolvimento também.

Não tem jeito, a tecnologia está por aí, não fuja dela. Claro que há
oportunidade de crescer sem a tecnologia, mas vai ser mais difícil.
Coloque sempre as chances a seu favor. Olhe a evolução das
companhias de tecnologia na imagem abaixo. Dominaram o mercado.
Todas as maiores hoje são de tecnologia. E você vai dizer que odeia
tecnologia? Vai se afastar? Parabéns aos envolvidos...

Fonte: Visual Capitalist

Pesquisa feita junto a chefes de departamento de RH de grandes


empresas mostra a importância que eles dão a tecnologia:
18
Ok, há oportunidades em todas áreas. Você pode se dedicar a cozinha,
por exemplo, mas a tecnologia vai chegar lá de alguma forma. Assim
como se dedicar a aprender inglês e, de preferência, outra língua
adicional. Bem como saber criar, saber liderar. São habilidades gerais
para qualquer área que infelizmente as escolas e as faculdades não
ensinam. Vamos ver um quadro com habilidades importantes que não
são desenvolvidas no ensino formal, mas que são fundamentais que
você desenvolva:

19
Sim, quadros em inglês. Eu não falei brincando que era língua nativa.
Não sabe Inglês, pare de ler este livro, vai aprender inglês e volte
quando souber inglês. Assim como neste livro, vai ter um monte de
coisas por aí que você precisa aprender que não serão traduzidas. Na
velocidade da informação e do conhecimento de hoje em dia, até serem
traduzidas já estarão erradas ou ultrapassadas. Vou ilustrar com uma
passagem, esta vou ter de traduzir, para mostrar a época que estão
vivendo os que acham que podem ficar de fora da tecnologia e do
inglês:

“A Batalha de Nova Orleans foi uma das mais sangrentas da Guerra de


1812. O que é triste é que nunca deveria ter acontecido. A guerra já
tinha acabado há duas semanas quando quase 13 mil soldados
britânicos e americanos foram para a batalha. Um tratado de paz tinha
sido assinado, mas as notícias caminhavam tão devagar na época que
ninguém sabia de nada. Então eles continuaram lutando.”

20
- Ben Carlson

Esta é a época em que está o ensino formal e quem acha que vai vencer
sem noções de tecnologia. Não me venham de exemplos idiotas e
citando pessoas com 130 anos. Se quer vencer, coloque as chances a
seu favor. Voltando às habilidades do quadro acima, vamos citar
algumas:

• Resolução de problemas complexos


• Pensamento crítico
• Criatividade
• Liderança
• Administração de pessoal
• Negociação,

Estão todas lá para quem não é analfabeto (pessoas que não sabem
inglês). O que as escolas e faculdades ensinam: Carbonos, datas de
acontecimentos históricos, trem que bate no outro, pretérito
perfeito. Não que tudo isso seja inútil. Pode servir para profissões
específicas, mas não se vai longe sem as habilidades que
precisamos hoje em dia, não se vai longe sem criatividade. A
maioria das pessoas vai decorar as coisas que as escolas ensinam
para a prova e a partir do dia seguinte nunca usar para mais nada
na vida. E enquanto isso, a criatividade vai morrendo pela
necessidade de decorar e repetir milhares de coisas inúteis. Vejo na
área dos investimentos, da Bolsa, por exemplo. Sempre que os
academicismos são trazidos das faculdades para a Bastter.com, são
coisas inúteis ensinadas por pessoas que nunca compraram uma
ação e que não têm qualquer utilidade no mundo real, para quem
for mesmo investir em empresas como sócio. É um descolamento
total do mundo real, um mundo paralelo, uma matrix. O sujeito sai
da faculdade e toma um susto. Não tem qualquer preparo para
trabalhar se ficou confiando que ia sair preparado somente com o
ensino formal. Corra atrás ou já era.

21
Enquanto tecnologias como inteligência artificial, robôs, drones, etc. se
tornam cada vez mais viáveis, as escolas e universidades insistem em
currículos que já eram atrasados em 1950 e pior, o foco na passividade
e não na criação. E não se iluda. Eu sei que há profissões mais
específicas que já sai da faculdade com trabalho como medicina, por
exemplo. Mas em primeiro lugar, quantos farão estas profissões? Além
disso, mesmo nelas, o mundo está mudando e essas habilidades que
não são ensinadas na faculdade serão muito úteis. Você acha que o
médico vai ficar no mundinho dele isolado com um consultório
particular lotado? Pode ser que um consiga isso, mas esse tempo
passou. Vai ter de ser criativo, vai ter de saber liderar, vai precisar
entender de tecnologia e inglês então.. Sem inglês não aprende nem
sobre resfriado hoje em dia. Quem quiser ser medíocre na área que for
basta se restringir ao ensino formal e se encher de títulos. Pode até
conseguir resistir por um tempo, passar num concurso ou algo assim,
mas provavelmente o mundo e as mudanças vão te engolir. Quem se
espelha nos que estão trabalhando hoje está ferrado. Se vai mudar
para eles imagina quando chegar a sua vez. Quem não adquirir a
capacidade de mudar e se adaptar está morto e não sabe. Não é só
que vai ter de mudar dentro da sua profissão, pode ser que tenha de

22
mudar de profissão, de trabalho. Surge algo da noite para o dia e toma
o mundo de arrastão, que nem o Uber.

- O progresso é impossível sem as mudanças, e os que não conseguem


mudar suas mentes, não podem mudar nada.

Preste atenção, porque isso é muito importante. Sei que ainda há


carreiras específicas, como medicina, por exemplo. Mas para a maioria
não é mais se especializar numa profissão, mas ter as habilidades
necessárias a fazer diversos tipos de trabalhos em diferentes
áreas. E mesmo os que possuem profissões mais específicas, estas
habilidades permitirão ter uma segunda fonte de renda porque não
sabemos mais do que nunca o dia de amanhã. Médicos radiologistas
estão sendo substituídos por máquinas neste momento. Sei liderar, sei
lidar com pessoal, sei três línguas, sei informática, sou criativo, sou um
bom negociador, em quantas áreas posso trabalhar? Muitas e muitas,
não é mesmo. Não sei nada disso, mas tenho diversos títulos de uma
especialidade específica. Em quantas áreas posso trabalhar? Uma,
duas talvez, pode ser que nenhuma. E se for aquela área que acabou
ou a máquina comeu? Nunca vai acontecer! Frase dita por 10 em 10
dos que estão sem trabalho.

Concluindo, invista em você, na sua formação, agregue valor, se vire,


se defenda, tire os títulos que precisa tirar, mas não confie, e se afaste
do emburrecimento e mediocrização do ensino formal. Crie, trabalhe,
faça, produza. Grude nos poucos que podem te ajudar a crescer, se
afaste dos repetidores e decorebas. Durante toda sua formação
acadêmica, e mesmo quando estiver estudando e treinando e criando
23
por conta própria, entenda que tudo que se conhece e se fala,
especialmente nos locais de ensino formal, está ou provavelmente vai
estar ultrapassado quando for utilizar no trabalho, seja como
empregado, autônomo ou empreendendo e até esta divisão se tornará
cada vez mais tênue. Claro que há coisas que não mudam como buscar
atender bem os clientes, buscar lucros, não fazer dívidas, se dedicar,
etc. Mas a principal mudança que deve ser compreendida durante sua
formação e estudos é que só trabalhar bem não basta. Chegar na hora
e repetir o dia inteiro não basta. Ser tão bom quanto foram seus pais
não basta. Você tem de ser essencial e indispensável para a sua
empresa, para o seu trabalho, para a sociedade, para seus clientes.
Estude, treine, crie, para se tornar essencial. Esse é o ponto principal
do Invista em Você.

Por fim, uma relação de coisas que o ensino formal nem mede nem
ensina e que são essenciais para vencer nos dias de hoje:

- Coragem

- Humildade

- Paixão

- Liderança

- Integridade

- Paixão em servir

- Persistência

- Centralização no Consumidor

- Compaixão

- Endurance

- Empreendedorismo

- Ética do trabalho

- Comprometimento

- Habilidade de Inspirar

- Colaboração

- Espirito Guerreiro

24
- Empatia

- Criatividade

- Trabalho em Equipe

- Visão do Novo

Fonte: @valalashar

“When you look at how people are trained in the professional and
business worlds, you find a tendency to focus on knowledge at the
expense of skills. The main reasons are tradition and convenience: it
is much easier to present knowledge to a large group of people than it
is to set up conditions under which individuals can develop skills
through practice.

Knowledge is table stakes.

Mindless repetition isn’t going to improve your results.

Developing useful skills requires going outside of your comfort zone


and determining a clear plan of attack for getting better.”

Anders Ericcson - Peak: Secrets from the New Science of Expertise

Para desenvolver habilidades úteis é necessário sair da sua zona de


conforto e determinar um claro plano de ataque para evoluir. Mais
acima é dito que normalmente isso não é feito no ensino formal porque
dá muito trabalho. Quando se lida com muitas pessoas, é mais fácil
transmitir conhecimentos de forma passiva. Cabe a você se
desenvolver, buscar tudo isso da lista acima e muito mais através do
estudo, mas acima de tudo através da prática e da criação.

Não se iluda, sempre vai ter de estudar e evoluir e acima de tudo


praticar! Sempre digo que sou o que mais aprende na Bastter.com
porque sou o que mais participa. Não há um dia em que eu não aprenda
alguma coisa no site. O Bastter de 2001, de 2005, seria um idiota total
hoje. Até o de 2008 já não é grandes coisas. Volta e meia tenho de
reformar tudo no site, tirar vídeos antigos, mudar áreas. As besteiras
que escrevi estão lá arquivadas no site, só procurar, até como um
documento pela mudança, para mostrar como todos temos de mudar
e evoluir. Nunca pare, nunca ache que sabe demais. Até pode ser que
saiba demais, mas se ficar parado, o conhecimento continua a evoluir
e você deixa de saber demais. Na Bastter.com temos o Roteiro de

25
Iniciantes. Sujeito chega lá e não quer ler o Roteiro de Iniciantes
porque se acha bom demais para isso. Já sei que não vai longe. Eu
mesmo leio de vez em quando. Não confunda estudar sempre com
achar que sabe demais e se tornar arrogante. Vai parar no tempo e ser
esmagado. Não pode parar de estudar, de evoluir, e nunca pode achar
que sabe demais.

Obs: contribuiu com o gráfico Ricardo G. Silva

A primeira linha, que sobe marcada com arrogância, é a de quanto


você pensa que sabe. A segunda linha, que sobe em linha reta, é a que
demonstra a percepção do quando se precisa aprender e a última linha
lá de baixo é a de quanto realmente se sabe. No início, quando o
conhecimento se desenvolve, achamos que sabemos muito e nos
tornamos arrogantes. Se pararmos por aqui, seremos medíocres a vida
toda. Se continuarmos estudando e evoluindo, chegamos no final, onde
nos conscientizamos que sabemos pouco, que temos muito a aprender
e aí sim, vamos nos tornando experts nas áreas que trabalhamos.

26
27
II – Não é só Trabalho

"As pessoas estão doidas.


Perdem suas vidas com coisas que não podem mudar,
e não mudam as que podem mudar."

“O segredo para a riqueza é simples: Encontre uma forma para fazer


mais pelos outros do que qualquer outro faz. Torne-se mais valioso,
mais útil. Faça mais. Doe mais. Seja mais. Sirva mais.”

– Tony Robbins

Não importa se é funcionário público, empregado no setor privado,


autônomo ou empreendedor, tudo neste capítulo vale para todos.
Parece diferente, mas não é. É tudo a mesma coisa e estão todos no
mesmo barco. O que tem mais risco, especialmente em países como o
Brasil é o funcionário público, pela suposta segurança que não existe
mais. Se sentindo seguro, ele não faz reserva e quando receber cada
vez menos e a aposentadoria não vier, acaba passando fome. Não leve
para o pessoal, não use a palavra “garantido”. Cada vez que você falar
a palavra “garantido” é um dia a mais passando fome. Cada vez que

28
falar “meus direitos”, é uma semana passando fome. De qualquer
forma tudo vale para todos. Diferencie-se, seja indispensável, senão a
barca um dia vira...

Vamos falar de muitos dos tópicos abaixo em maior profundidade, mas


como uma apresentação e para simplificar para os que gostam de uma
introdução numerada e organizada:

NÃO SE SENTE SEGURO NO SEU trabalho OU NEGÓCIO? OU PIOR,


ESTÁ SEM trabalho?

1 - INVISTA EM VOCÊ.

De todos os conselhos, este é o mais importante. Você só vai ter vida


tranquila em relação ao trabalho se tiver VALOR para a sociedade. Se
tiver habilidades e/ou conhecimentos que interesse a sociedade, ao
mercado. E o pior, o que vale hoje pode não valer mais daqui a uns
anos então precisa estar em constante evolução. Não pare de pedalar!

2 - ESCOLA E FACULDADES SÃO UM MAL NECESSÁRIO, NADA ALÉM


DISSO.

Claro que ainda é importante tirar diploma superior, mas como um mal
necessário. Entenda isso ou vai ser só mais um medíocre preenchendo
buracos até vir outro mais barato para preencher o mesmo buraco.
Nem a escola e muito menos a faculdade vão te preparar para o
mercado, esquece. Tire o diploma e pronto. Por outro lado, o acesso
ao conhecimento está cada vez mais fácil. Internet, livros digitais,
cursos online e acima de tudo, se achar alguém que sabe muito, grude
nele e aprenda. Seja humilde para aprender sempre com qualquer um.
A Faculdade destrói seus SONHOS, não deixe isso acontecer.

3 - INGLÊS E INFORMÁTICA SÃO DEFAULT.

Estas duas habilidades não te diferenciam mais. Qualquer um sabe


inglês e qualquer um sabe mexer em computador. O que vai te
prejudicar enormemente é não saber um dos dois. Sendo assim, se
você quer se diferenciar aprenda mais uma língua além do inglês e
aprenda alguma habilidade em informática além do usual que todos
sabem. Aprenda a montar redes, torne-se fera em Excel, sei lá,
descubra algo que possa te diferenciar da massa. No dia que a empresa
decidir cortar custos, é importante que alguém fale: ele não, só ele
sabe fazer isso. Você tem de SE DIFERENCIAR e ser importante para a
sociedade. Saber fazer coisas que poucos sabem ou saber fazer melhor

29
que os outros, ou vai estar só tapando um buraco por um tempo até
ser substituído por outro medíocre.

4 - VALORIZE SUAS LIMITAÇÕES E NUNCA SE LIVRARÁ DELAS

Pare de repetir que não sabe fazer isso ou aquilo. Aprenda. Se você
repete o tempo todo que não sabe, acaba se convencendo disso. Mude.
Passe a falar: eu vou aprender, EU VOU CONSEGUIR. Claro que você
pode ir atrás do seu talento, para as áreas que mais se adapta, mas
sempre vai ter alguma coisa diferente que vai ter de aprender e vai
depender primordialmente da sua atitude. Pode ser: eu posso, eu vou
conseguir custe o que custar; ou pode ser: eu não sei, eu não consigo,
não vou aprender isso. Você decide. E seu destino vai sendo traçado
como alguém necessário para a sociedade ou como um escravo
medíocre tapador de buracos.

5 - ABANDONE O COLETIVO, SÓ SE CRESCE INDIVIDUALMENTE

A economia mudou. Lutas coletivas foram importantes para a nossa


sociedade historicamente. Mas o desenvolvimento atual vem da soma
do crescimento individual de cada um. Outro dia ia ter greve do Uber.
É das coisas mais doidas que já vi. Sabe qual o resultado da greve do
Uber? Um dia sem receber, nada além disso. Não existe greve do Uber,
existe aprender a ser o motorista mais eficiente do Uber e aproveitar
o tempo livre para desenvolver outras habilidades e outras fontes de
renda. O Uber representa exatamente uma nova economia, na qual as
atitudes da velha economia não vão funcionar. Pensar em greve do
Uber e achar que isso vai trazer algum proveito é não ter entendido
nada. Use este exemplo para pensar se entendeu ou não a NOVA

30
ECONOMIA e levar para outros aspectos da sua vida. Coletivamente
atualmente só se desenvolve a mediocridade.

6 - FAÇA O QUE GOSTA, MAS TRANSFORME EM ALGO VIAVEL

É importante trabalhar no que gosta, mas é importante também que


seja viável. Não se incomode com as críticas e se te chamam de doido.
Bill Gates era doido (inclusive abandonou a faculdade), Steve Jobs era
doido e é o único a ter criado duas empresas bilionárias. Mais
recentemente um dos criadores do Google resolveu imprimir toda a
Internet antes de criar o Google. Quer ideia mais doida que essa? Bezos
disse que ia criar a Loja de Tudo (Amazon) e que lucro não era
importante. Deu no que deu: a maior varejista online do mundo. Agora
Elon Musk criou três empresas, uma de carros elétricos, uma de
energia solar e uma cujo objetivo primordial é colocar um foguete em
Marte. Todas três estão crescendo e ele foi chamado de louco e
continua sendo chamado. Se você abandonar a velha economia e
começar a se destacar e tentar ser insubstituível ou criar algo
fundamental dentro do que você gosta, provavelmente vão te chamar
de doido também. Ok, seja doido, mas é importante que seja algo
viável, que ache um caminho. Só ser doido não interessa. Tem de ser
viável. Pode até fracassar, mas evolua, aprenda, e continue buscando
algo viável e INDISPENSÁVEL. Comece pequeno, busque um nicho,
mas algo que tenha público e depois vá crescendo. Aí está a
viabilidade. Eu dei exemplo de foras de série, você não precisa ser
nenhum deles para vencer, mas os exemplos deles são importantes
para nosso desenvolvimento pessoal. Use estes gênios de inspiração
para seu sonho mais ou menos grande e se ele se tornar grande,
melhor ainda. Mas o importante não é o sonho ser grande, é ser viável
e se dedicar a ele e fazer dele o melhor que você puder.

7 - TENHA MAIS DE UMA FONTE DE RENDA

Não dá mais para ter tranquilidade financeira e no trabalho com apenas


uma fonte de renda. Se for um casal estável com trabalhos totalmente
diferentes até pode ser. Ainda assim, o ideal é ter mais de uma fonte
de renda porque casamentos acabam com uma frequência enorme. E
investimentos seriam a terceira fonte de renda conforme o patrimônio
cresce. Monte uma reserva poderosa para te dar tranquilidade
financeira e para um dia não precisar mais trabalhar. Para conseguir
isso é importante ter mais de uma fonte de renda, se possível três.
Não precisa se matar de trabalhar e não viver mais a vida. Aproveite
as novas oportunidades que surgem e seja EFICIENTE. Crie fontes de

31
renda em que você não precise estar lá o tempo todo. Use o que está
entre suas orelhas!

8 - FAÇA SEMPRE MAIS

Se você se limita ao que lhe foi pedido, se só cumpre suas obrigações


e seu horário, mesmo que seja bom e certinho, está com os dias
contados. Igual a você tem mil em cada esquina. Vai ficar no emprego
até a empresa arrumar outro medíocre mais barato ou seu negócio vai
durar pouco tempo até ser engolido por negócios de quem sempre
busca e faz mais. FAÇA SEMPRE MAIS, mais e mais. Tenha iniciativa,
faça o que não te mandam fazer, faça o que não precisa ser feito,
assuma responsabilidades, tenha ideias, corra atrás. A economia atual
só suporta medíocres por um tempo. Há ainda um espaço para
medíocres, mas tem medíocres demais, então há um giro rápido de
medíocres, eles duram pouco tempo. Se quer ter vida melhor, precisa
fazer mais e mais e mais. Não importa se é valorizado, faça mais por
você mesmo, pelo seu desenvolvimento, para deixar de ser apenas
mais um, para colocar em prática o que está estudando, para se
desenvolver e passar a ser necessário, fundamental, insubstituível.
Esta é a palavra. Você só tem valor de verdade quando se torna
insubstituível e isso não vai acontecer se limitando ao que tem de ser
feito. O dia que a empresa disser: esse não, esse é diferente ou seu
cliente disser: vou lá porque ele é diferente; aí sim, você deixou de ser
escravo. Ninguém te deve nada, não faça esperando algo em troca,
faça porque tem de ser feito e porque é fundamental para sua
sobrevivência.

9 - PARE DE RECLAMAR

Pare hoje! Chega! Já reclamou mais do que podia nessa vida. Reclamar
não vai te trazer nenhum benefício. A culpa não é do se chefe. A culpa
não é do governo. A culpa não é da sua esposa ou do seu marido. A
culpa não é dos seus clientes, nem da crise. A culpa é sua. Quando
você é mandado embora de um emprego a culpa é sua por não ter feito
a diferença. Quando a sua loja quebra, a culpa não é do governo, é sua
por não ter administrado bem. Pare de reclamar. A maioria dos chefes
são medíocres, o governo é uma droga, as empresas são ruins, montar
um negócio não é fácil. Você vai ter de sobreviver nesse meio e isso
não vai acontecer se juntando aos medíocres reclamões. Sabe o que
acontece quando você reclama o dia inteiro? NADA. Sabe o que
acontece quando você para de reclamar e corre atrás? Sua vida muda.
Pare hoje então de reclamar. Chega! Pare agora. Além do mais sua

32
saúde vai melhorar, e vai parar de ficar deprimido. Pare de ler jornais
e notícias, de ver TV. Use o tempo que gasta em coisas inúteis para se
desenvolver, dominar sua vida e fazer o que quiser. Aí não vai ter mais
do que reclamar.

10 - CUIDADO COM NEGÓCIOS, SERVIÇO PÚBLICO E DÍVIDAS

Por fim vou falar do que quebra muita gente.

- Negócios. Sujeito é mandado embora do trabalho, pega uma grana e


monta um negócio. CREU. Montar um negócio não é brincadeira. Muito
cuidado, vá devagar. É necessário que sua formação e conhecimento
sejam muito maiores do que o negócio necessita e não o contrário.
Você tem de saber fazer tudo ou quase tudo porque os outros só vão
fazer besteiras. Tente ter ideias de negócios que ao menos no início
possam ser tocados com baixo investimento para te dar a chance de
errar algumas vezes até dar certo. Está cheio de histórias de sucesso
que passaram de fracasso a fracasso para chegar lá. Mas se você
queima tudo na primeira tentativa é game over.

- Serviço Público. A grande esperança de ir contra tudo isso que eu


falei é o concurso público. Para quem está entrando agora, as
perspectivas são péssimas. Vão restar ilhas cada vez mais disputadas,
mas a realidade da falta de dinheiro vai ser cada vez mais real. O
sistema atual de serviço público está com dias contados. Se for por
este caminho, aproveite enquanto durar, mas tenha uma fonte paralela
e monte uma reserva. Não ache nem por um minuto que a sua
aposentadoria está garantida. Nada está garantido.

- Dividas. Não faça dívidas ou não importa se você seguir tudo dito aí
em cima, vai terminar escravo. As dívidas no Brasil não te deixam
andar para frente. Estude, se desenvolva, monte negócios, compre
estoque, tudo com capital próprio. Monte o capital primeiro
trabalhando. Se for uma ideia espetacular e alguém quiser investir
nela, ok. Mas não coloque o seu na reta porque senão é game over
nível 2.

Muitos destes tópicos serão discutidos em mais profundidade no


capítulo, mas esta introdução junta diversas condições importantes
para se dar bem no trabalho, tornando mais fácil a compreensão. Ainda
sobre as mudanças necessárias que você precisa compreender para
não ficar para trás:

33
Discutindo alguns aspectos do quadro acima:

34
Work 9 to 5 – Work anytime (Trabalhar com hora marcada –
Trabalhar em qualquer horário). Acabou o 9 to 5. Se você só cumpre o
horário, nunca vai ser nada. Trabalhe por produtividade. Produza, o
horário tanto faz. Pode trabalhar menos horas, pode trabalhar mais,
pode trabalhar em qualquer horário, o que importa é produzir MUITO
e muito mais do que se espera de você. Claro que pode acontecer de
estar trabalhando em um local que ainda tem normas ultrapassadas de
focar em horário e não em produtividade e ter de se submeter de certa
forma, mas isso não impede de focar em produtividade e não em
horário. Sempre que puder, evite locais ultrapassados, pois vai te
contaminar e pode prejudicar o seu desenvolvimento. Óbvio que em
tudo tem de ter bom senso. Plantonistas de CTI, por exemplo, tem de
cumprir horários. Sem exemplo de exceção e exemplo maluco de
burro, pessoal. O importante é ter ciência de que o que importa é
produtividade e não horário, e que não tem mais período fixo de
trabalho. No seu negócio é mais fundamental ainda que tenha este
pensamento. Vai só batendo ponto para ver onde você vai terminar...

Work in a corporate office – Work anywhere (Trabalhar em um


local fixo– Trabalhar em qualquer lugar). Não tem mais local fixo para
trabalhar. Trabalhe no local de trabalho, trabalhe em casa, trabalhe
em viagem, trabalhe na rua. Seja produtivo. No seu negócio, avalie a
possibilidade de as pessoas trabalharem em casa. Pode ser bem mais
eficiente. Mas trabalhar em casa é uma arte. Você tem de estar
preparado para isso, ser eficiente e estar preocupado em evoluir. Há
muita tentação em casa para procrastinar. Novamente o que importa
é produzir. Produzir. Produzir e produzir bem. Já sei que isso não serve
para todos e que existem funções que devem ser exercidas no local de
trabalho. Bom senso pessoal, tentem se desenvolver e não desenvolver
a burrice contestando tudo com exemplos óbvios. Já sabemos que tudo
tem exceção, não percam tempo com isso.

Use company equipment – Use any device (Use equipamentos da


empresa – Use qualquer coisa). Como não tem mais horário e não tem
mais local, usa-se qualquer instrumento, aparelho, ferramentas,
móveis, etc., não só os da empresa. Importante tirar da sua cabeça a
coisa de “meus direitos”. Use o que tiver de usar e não cobre de
ninguém. Tudo que você faz bem feito, tudo que você produz, serve
ao SEU desenvolvimento pessoal. Você vai evoluindo como pessoa e
como trabalhador, empreendedor, o que for. E isso vai te trazer
benefícios. Se começar com coisa de vítima, que os outros te devem,

35
que você usou o seu computador e a empresa tem de te pagar, já era.
Medíocre, corrida de ratos, fome...

Climb de corporate ladder – Create your own ladder (Suba na


cadeia corporativa – Crie a sua própria cadeia). Essa é fundamental:
Antes você trabalhava para crescer na cadeia corporativa, ir galgando
os diversos cargos dentro de uma empresa, esse era o objetivo. Hoje
você tem de construir sua cadeia, sua escada, seus objetivos. Não tem
mais essa. E mais uma vez bom senso, não que não possa subir na
cadeia das empresas, se trabalha em empresas ou no serviço público,
mas o objetivo maior não pode ser esse. O objetivo é subir a sua
escada pessoal, evoluir o tempo todo, investir em você, na sua
formação, crescer como pessoa, como profissional. Crescer nas
empresas, no seu empreendimento ou como autônomo é consequência
do seu crescimento pessoal. E nada anda em linha reta. Você vai se
desenvolvendo e no longo prazo vai crescendo, mas não acontece em
linha reta. Em tudo que você fizer, o foco tem de estar sempre no
processo e nunca no produto.

Pre-defined work – Customized work (Trabalho pré-definido –


Trabalho customizado). Outro ponto muito bom que vale para tudo e
para todos. Não existe mais trabalho pré-definido. O trabalho se
adapta. Não seja o sujeito que diz: “isso não faz parte das minhas
atribuições.” Tudo faz parte das suas atribuições para que o resultado
seja o melhor atendimento ao cliente. Tudo. O seu trabalho deve se
adaptar às necessidades dos clientes, às necessidades da empresa, às
necessidades de quem trabalha com você e às suas necessidades.
Adaptação é a palavra importante aqui. Se entrar naquela de que “isso
não é comigo”, ou se achar bom demais para certas atividades, ou pior,
não quiser se desenvolver para conseguir executar certos trabalhos, já
era. Escravo na corrida de ratos.

Vejam os outros tópicos do quadro e pensem sobre eles. O importante


é compreender que o antigo trabalhador de terno, cabelo bem
penteado, chegando no horário e saindo no horário, cumprindo tarefas
repetitivas, está morto. Só falta enterrar.

O Cliente: Se coloque no lugar do cliente sempre, todas as vezes,


todos os dias. Não é aquela baboseira de “o cliente sempre tem razão”.
Aliás, cuidado para não guiar sua vida pelo reclamão. O reclamão
sempre reclama e se você guiar seu trabalho para agradar o reclamão,

36
vai ficar doido. Mas sim colocar todo seu foco na entidade cliente que
não é uma pessoa em especial, mas todos seus clientes. O que eles
precisam? Como satisfazê-los e, acima de tudo, como se diferenciar no
atendimento aos clientes? Qual o meu maior esforço na Bastter.com?
Que os clientes (assinantes) captem cada vez mais valor na assinatura.
Todo dia meu pensamento é um só: Como aumentar o valor da
assinatura (não o preço, este se possível diminuímos). Quero que o
cliente tenha a sensação de que ele recebe muito mais (valor) do que
paga. E nos esforçamos em atender tudo que é possível dos pedidos
dos clientes. O que for possível fazer que não for contra os princípios
do site, tentamos fazer. Agregue valor ao seu trabalho, seja ele qual
for, e se coloque no lugar dos clientes.

Empresas bem-sucedidas são obcecadas pelos seus clientes, não pela


concorrência.

Não adianta mais cumprir tabela. Coloque isso bem forte e bem
certo na sua cabeça. Não adianta mais cumprir tabela! NÃO ADIANTA
MAIS CUMPRIR TABELA! Quem só cumprir tabela vai ficar para trás ou
até sem trabalho. No mínimo vai ser substituído por uma máquina. As
máquinas estão aí, pessoal. Estacionamento, caixa de supermercado,
caixa eletrônico, compra de ingresso pela Internet, fábricas, etc. Onde
puder colocar uma máquina, sai um ser humano que cumpre tabela.
As pessoas em geral, especialmente os mais jovens, preferem falar
com máquinas do que com ser humanos. Se só cumpre tabela, já era.

37
Chega no trabalho na hora, penteia o cabelo, veste um terno e faz só
o que te mandam. Me conta quanto recebeu de indenização quando foi
mandado embora e substituído por um mais barato que faz a mesma
coisa ou uma maquina...

Você tem de ser o melhor no que faz, fazer com prazer, atender bem
o cliente, fazer mais do que deveria, mais do que lhe pedem, mais do
que te mandam, mais do que te exigem. Outro dia o motorista saiu do
carro para abrir a porta para mim. Eu disse que não precisava, ele
respondeu: não é você que precisa que eu abra a porta, sou eu quem
precisa abrir a porta para você. Pensem nisso. Atender melhor e se
diferenciar é uma necessidade. Só quem entende isso vai sobreviver.
Se você buscar se diferenciar, pensar todo dia como agregar valor a
você e ao negócio, e atender o cliente de forma especial, isso se torna
um hábito. Se não fizer e só cumprir tabela, vira um hábito também.
Seja seu patrão o governo, uma empresa ou o cliente, o que acha que
vai acontecer? “Ah, mas funcionário público não pode ser mandado
embora”. Até o dia que puder, até o dia que mesmo sem ser mandado
embora ganha cada vez menos porque ficou sempre na mesma sem
crescer. Vale para todos, não tem diferença. Cumpriu tabela, tá no
risco.

- Quando você quiser ser bem-sucedido tanto quanto quer respirar, aí


vai ser bem-sucedido.

38
Não seja o cara que fala: Ah, mas ainda... Aceite e se prepare para
as mudanças, não resista. É duro. As vezes algo que você se preparou
e criou por anos está sendo abandonado. A tendência natural é resistir
e dizer: Ah, mas ainda... “Ainda tem videolocadoras funcionando”. Não
tem mais. “Algumas farmácias pequenas ainda resistem”. Não
resistiram. “Ainda tem algumas profissões que a faculdade é
essencial”. Exceção é o exemplo do burro. “Na minha cidade ainda não
tem Uber”. Chegou agora. Não resista, se adapte às mudanças. Toda
vez que se pegar falando: Ah, mas ainda... lembre-se que a burrice se
treina e você está treinando a burrice. Mude para JÁ. Já existem
serviços de streaming de filmes que são mais eficientes do que
videolocadoras. As grandes redes de farmácias já estão dominando o
mercado. Em diversas profissões, mesmo que seja importante pegar o
diploma, já dá para aprender e evoluir fora do ambiente do ensino
formal. Aliás, não só já dá como é necessário se fazer isso. Na minha
cidade já tem Uber. Pare de usar o: Ah, mas ainda... e substitua pelo
JÁ. Não resista a mudanças, aceite e adapte-se. Não quer dizer que
tem de abandonar tudo que está fazendo e está dando certo porque
chegou algo novo que não sabe se vai funcionar. Mas quer dizer sim
que tem de estar o tempo todo antenado com as mudanças,
monitorando e vendo quando você precisa mudar também.

39
Empreendimento é para todos. Não importa no que trabalhe, tente
empreender. Ter só uma fonte de renda é bem perigoso, especialmente
se for emprego. Emprego não vale mais nada.

A linha que cruza para cima na imagem são os lucros corporativos e a


que cruza para baixo são os salários. Emprego não vale mais nada. Se
cumpre tabela então, está contando tempo para ser substituído por um
jovem ou uma máquina, e ir reclamar do governo ou achar que alguém
te deve alguma coisa enquanto passa fome. Já sei que o gráfico é dos
Estados Unidos, mas acaba chegando aqui, mais rápido do que
pensam. Coisa ruim vem a jato. Não que isso seja ruim, mas para
quem confia em emprego vai ser sim, especialmente os cumpridores
de tabela. Nada de errado em ter um emprego, seja público ou privado.
O problema é confiar e, mais ainda, achar que está garantido e não se
preocupar em agregar valor, se desenvolver, evoluir, atender bem e
fazer reserva financeira acumulando patrimônio. Aí colocou o seu na
reta. E vai aprender que na vida, se tirar a bundinha da parede, leva
ferro quase sempre.

As oportunidades de empreendimento com o desenvolvimento da


tecnologia são imensas e oferecem coisas simples como, por exemplo,

40
vendas em um dos diversos sites online que funcionam como
marketplaces. Especialize-se em alguma coisa que goste, seja
realmente bom naquilo, if you built, they will come... Se você construir,
eles virão. Famosa frase do filme Campo dos Sonhos com Kevin
Costner. Pense no que você pode fazer e comece a criar. Vai dar
errado. Normal. Não Desista! Bastter.com foi o décimo site que eu
criei. Eu queria ter um site. Você tem de encontrar o que quer ter, o
que quer criar, no que vai trabalhar bem e com prazer. Pois bem, nove
sites deram errado, sendo que uns dois até sobreviveram um tempo.
Os outros sete não deram em nada. Mas não pode desistir. Hoje eu sei
que a Bastter.com deve àqueles outros nove. Eu não teria conseguido
sem eles. Fracassar não é totalmente fracassar, é aprender e evoluir,
faz parte. Desde que Não Faça Dívidas e não coloque todas as
chances numa empreitada. Não pode dar all in. Os nove sites
desapareceram, mas não fiz dívidas. O investimento em cada um deles
foi pequeno, e, enquanto isso, trabalhava de médico. Outro dia dei de
cara com isso:

41
- As vezes, só o que importa é que você continue tentando...

Não Desista! A gente lê as histórias desses gênios, desses bilionários


e fica na ilusão que a vida deles foi só sucesso desde o primeiro
momento. Totalmente errado. Todos fracassaram diversas vezes, mas
não viveram o fracasso, não se prenderam aos erros. Aprenderam,
evoluíram e continuaram tentando. Quando eu montava sites, na
minha cabeça a ideia era que se eu continuasse montando sites um ia

42
vingar. E mesmo a Bastter.com não vingou de primeira. Criada em
2001, até 2003 mal se aguentava. Tive a sorte de, a partir de 2002 e
até 2008, acontecer uma das maiores altas da história da Bolsa no
Brasil, o que ajudou a impulsionar a Bastter.com. Hoje não precisamos
de alta da Bolsa para crescer, mas na época foi fundamental. Para dar
sorte você tem de estar lá tentando, com alguma coisa aberta. Na
minha cabeça era isso, eu iria criar um site que conseguisse se manter
e dar algum lucro, mas não tinha ideia de como fazer, apesar de saber
que só chegaria lá tentando, aprendendo e evoluindo. Não precisar dos
sites me permitiu ir experimentando, evoluindo, aprendendo até
chegar à Bastter.com. Precisar complica muito. Por isso tem de ter
mais de uma atividade ou, ao menos, uma boa reserva. Negócios que
deram errado, poderiam ter sido bem-sucedidos se não houvesse a
pressão do dinheiro no início. E o que coloca mais pressão são dívidas.
Montou um negócio, fez dívidas, está morto. Pode enterrar. Nem sabe,
mas está morto.

Estou querendo colocar na cabeça de vocês a ideia da jornada. Você


vai tentando e não desiste e tem de estar no jogo senão não tem como
vencer. Se eu não tivesse a Bastter.com sobrevivendo em 2003 não
teria tido a “sorte” da alta da Bolsa, que trouxe tanta gente para o site.
Se eu não tivesse estudado e treinado opções mais do que quase todo
mundo, não poderia ter escrito o livro de opções que, devido à explosão
da Bolsa na época, vendeu tanto e atraiu muitos cadastros para a
Bastter.com. Tem de estar lá tentando e ao mesmo tempo estudando,
evoluindo e agregando valor. Nem opero mais opções e não recomendo
mais operar. Sim, a gente vai mudando e não recomendar hoje não
quer dizer que recomendar lá atrás era errado. Pode até ser, mas pode
não ser também porque o mercado mudou, as regras mudaram e no
mais, o que importa é que você dê sempre o melhor de si, mas isso
não garante acertar todas. Porém, uma coisa é certa, eu fui lá numa
época que ninguém entendia, e que nem tinha Internet e mal tinha
livros, estudar, aprender e treinar opções. Inclusive tive dois mentores.
Um que nem falava comigo e outro que estava quase preso. Cabe aqui
uma lição. Nada vale mais do que alguém que pode te ensinar alguma
coisa. Deixe de ser afetado, de esperar que pessoas te ensinem com
gentileza. Só o que importa é que seja alguém que você possa
aprender.

A ideia da jornada é que só se molha quem está na chuva. Seu time


tem de estar em campo o tempo todo. Você tem de estar lá. Eu vi no
Youtube um destes palestrantes dos Estados Unidos, Les Brown. Ok,

43
pode ser meio piegas, mas eu gostei muito e levei comigo. Ele dizia
que é melhor você estar preparado e nada acontecer, do que alguma
coisa boa acontecer e você não estar preparado. “You got to be
hungry!” Você tem de estar faminto! Ele queria ser radialista e pediu
emprego na mesma rádio dez vezes. Acabou arrumando um emprego
depois de muito pedir, entregando cafezinho. Nunca parou de se
preparar todos os dias e de acompanhar os radialistas. Um dia um
faltou e tiveram de colocá-lo no lugar. Nunca mais saiu. Você tem de
estar preparado e tem de estar no jogo faminto e não pode desistir.
Sorte é isso. Estar preparado para ela quando passar e estar no jogo.
E não se afetar. Ele queria ser radialista começou entregando café. Ele
ficou lá ajudando os radialistas de graça em troca só de aprendizado.
Nunca se importou da forma que eles falavam com ele ou o que
pediam, só queria aprender, crescer e evoluir e estar preparado.

O primeiro que me ensinou sobre opções, me disseram: senta atrás


dele, mas não fala com ele; só ele entende de opções aqui. Fiquei
sentado lá uma semana sem falar nada. Uma semana depois ele pediu
um copo d’água, fui lá e busquei. Além de não ficarem afetados com
respostas de quem está te ensinando alguma coisa, não se considerem
bons demais para qualquer serviço. Peguem a droga do copo d’água,
varram o chão, façam entregas, qualquer coisa. Se for para aprender,
evoluir ou fazer crescer o seu negócio, façam qualquer coisa. Quem se
acha bom demais, nunca é bom nem de menos. Pois bem, este cara
me ensinou muito, mas quase nunca falou muito comigo. Só de ele
permitir que eu ficasse ali sentado, olhando ele trabalhar, já valia muito
e eu só tinha a agradecer. Agradeçam, não reclamem. Sua vida muda.
O outro tinha papagaio em quatro corretoras e já tinha quebrado o CPF
dele, de duas esposas, dos filhos e sei lá mais de quem. Mas sabia
muito de opções e de volatilidade, coisa que eu nunca tinha ouvido
falar. Não tenham preconceitos nem julguem os outros. Eu poderia ter
falado: “o que eu vou aprender com este cara que quebrou todo
mundo?” Pois ele sabia MUITO, mas MUITO mesmo. E aprendi muito.
Não tinha Internet, pessoal. Tinha que se virar. Como eu disse lá em
cima, fui a Manguinhos estudar medicina. Agora é molengotengo e o
povo não quer estudar. O que eu queria na época era justamente estar
preparado e, quando o mercado de opções começou a crescer, eu era
um dos únicos que entendia alguma coisa do assunto. Fiz com opções
o que eu faço até hoje: levei o assunto para as pessoas normais. Se o
mercado de opções nunca tivesse crescido, eu teria aprendido alguma
coisa o que não é ruim. Ruim seria quando explodiu o mercado de
opções eu não saber nada de opções. Tudo que aprende traz valor para

44
você. Esteja preparado. Esteja faminto. Esteja com seu time pronto
para jogar o tempo todo. “É melhor você estar preparado e nada
acontecer do que alguma coisa boa acontecer e você não estar
preparado.”

Pessoal lá na Bastter.com reclama muito das voadoras, que são


respostas meio ríspidas que dou aos usuários. Pois bem, o que eu vi
nestes longos anos foi que quem fica afetado com as respostas não
evolui. Quem só foca em aprender e não se importa com o teor das
respostas vai longe. As voadoras acabam sendo um funil que impede
que fique no site quem não está disposto a aprender e evoluir. Não se
iluda, você só vai crescer se focar só nisso e não se importar com mais
nada. Toda vez que encontrei alguém na vida que poderia me ensinar
alguma coisa, grudei e aprendi o que podia. Nada vale mais do que
isso. Não tenho a mínima ideia se eram educados ou não, gentis ou
não. Tô cagando! Pode me ensinar alguma coisa? Tô dentro. Muito
melhor do que gente educada que só enrola. Não estou dizendo que
todos que podem te ensinar são grossos. O que estou dizendo é que o
foco de quem pretende evoluir na vida tem de estar só em aprender e
mais nada. Nem se deve saber se alguém que pode te ajudar a evoluir,
é gentil ou não. Tanto faz. O pessoal afetado, com mania de vítima,
não sai do lugar. Afaste-se disso. Ficam esperando que algo ou alguém
vai levar eles a algum lugar. É um círculo vicioso, pois como não saem
do lugar, se fazem mais de vítimas, reclamando mais e esperando mais
ainda algum milagre que nunca vai acontecer.

Considerando a Bastter.com, a voadora poderia ir contra o que estou


falando de se colocar no lugar do cliente e de ter grande respeito pelo
cliente. Tem de avaliar dois aspectos aí. A voadora faz parte de um
personagem, o Bastter, e acaba virando uma marca da empresa, que
traz marketing e tudo mais. Na voadora está incluído sempre o
ensinamento e o desenvolvimento que o usuário precisa para resistir
ao mercado, porque como eu sempre digo, o mercado bate muito mais
do que eu. O outro lado é que a Bastter.com não é organizada para ter
todos frequentando, ela funciona melhor só com quem se encaixa nela.
Os clientes te escolhem, mas de certa forma você também escolhe os
clientes. Nem todos podem e nem querem ser um Facebook com 2
bilhões de cadastrados. Na época que a Bastter.com foi criada havia
fóruns que não faziam esta distinção e que desapareceram. Tinham
bem mais cadastrados que a Bastter.com, mas depois de um tempo
desapareceram porque não conseguiram manter o interesse dos
usuários. Tentando receber todos, não criaram uma linha, as brigas

45
nos fóruns eram constantes e é muito difícil agradar a todos. Aliás essa
é a fórmula do fracasso, tentar agradar a todos. Trate muito bem o
SEU cliente, mas não queira que todos sejam seus clientes.

Voltando a não desistir, que é fundamental, tem uma questão que pode
determinar se vai poder continuar ou realmente vai ter de desistir
depois de um tempo: Para não desistir é importante poder não desistir.
São bacanas as histórias dos que contam dos gênios que arriscaram
tudo, passaram fome e acabaram vencendo, mas este livro é para
pessoas normais sobreviverem. É para colocar as chances a seu favor.
Para cada um desses que venceu, às vezes por pura sorte, tem
milhares que ficaram pelo caminho. Não saia largando tudo, não dê um
passo maior que a perna. Não saia do seu emprego enquanto não
puder. Eu criei a Bastter.com em 2001 e larguei a medicina somente
em 2007. E se fosse outra profissão, que não lidasse com vidas
humanas, pode ser que eu ainda tivesse ficado mais tempo. Isso
permitiu que eu não desistisse da Bastter.com. Se a Bastter.com
tivesse que pagar minhas contas, ela não teria sobrevivido e eu não
teria o luxo de não desistir. Porque o começo foi difícil. Não se coloque
na posição de precisar. É muito difícil com a pressão do precisar. Para
não colocar pressão e poder ter o luxo de não desistir é importante
também não fazer dívidas. Começou com dívidas está morto e não
sabe. Quer crescer, crie as condições para crescer. Dívidas não vão te
fazer crescer. Eu pago as promissórias com as vendas. Frase mais
falada um ano antes dos negócios que quebram...

E não é só não fazer dívidas. Não queira dominar o mundo de


primeira. Não fique maluco! Cuidado com sucesso inicial ou pequenos
sucessos. Não use a frase idiota que “em time que tá ganhando não se
mexe.” Tem de mexer todos os dias. A Bastter.com vem crescendo
desde o nascimento porque todo dia nos mudamos e se não
mudássemos já tinha acabado. A fonte de receita principal já mudou
diversas vezes. Coisas que davam certo não deram mais. Se esperar
parar de dar certo para mudar e criar coisas novas, vai quebrar. Se eu
tivesse um taxi hoje, poderia até estar dando certo, mas eu já estaria
preocupado em mudar ou em criar novas fontes de renda porque as
perspectivas futuras não são muito boas, especialmente para os que
aderem a movimentos coletivos. O que aconteceu com a fábrica de
máquinas de escrever que estava indo muito bem e falou que em time
que está ganhando não se mexe? Tem o caso icônico da Kodak que
inventou a câmera digital, mas falou: “time que está ganhando não se
mexe” e quebrou, mesmo sendo a gigante da fotografia, porque não

46
se adaptou. E a Blockbuster? Você sabia que a Netflix também era uma
locadora de filmes? Mas mudou, se adaptou e a Blockbustter que era a
maior, ficou no caminho por não saber se adaptar e pelo erro de cobrar
taxas enormes por atraso. E a Nokia? Maior vendedora de celulares do
mundo e isso disparado em relação ao segundo lugar. Insistiu no
sistema operacional próprio e nunca mais conseguiu voltar a ser a
mesma. As mudanças estão acontecendo com uma rapidez incrível.
Bastter.com fazendo hoje a mesma coisa que em 2001, 2002.
Quebrada. Não precisa ir tão longe, fazendo a mesma coisa que em
2010? Quebrada. Não dá para fazer a mesma coisa nem que da semana
passada. Todo dia tem de criar valor, agregar valor, mudar, trazer
coisas novas para os clientes, dar o que o cliente quer, OU ELE VAI
EMBORA! O cliente não é seu amigo, não é da sua família, ele paga
para receber. (Está cheio de amigos na Bastter.com. não me entendam
mal, apenas colocando um ponto aqui). E quanto menos ele pagar e
mais ele receber mais você vai ter o cliente. A Amazon levou esta ideia
ao extremo e está por se transformar na empresa mais valiosa do
mundo. Este livro se chama Sonho MAIS OU MENOS Grande. Não
precisa ser uma Amazon, só usamos de exemplo, todos podem vencer
mesmo não sendo grandes. Bastter.com é um site relativamente
pequeno, mas isso não impede de vencer e sobreviver. Não precisa ser
o número 1 e nem o maior do mundo, não precisa nem ser grande.
Tem espaço para todos que trabalharem bem. Na verdade, ser grande
dá muito trabalho, stress, muitas vezes afasta da família. Na maior
parte das vezes é até melhor ser mais ou menos.

47
Você está chateado com o monte de quadros em inglês que eu estou
colocando no livro? Para de ler este livro e vai aprender inglês. Sem
saber inglês este livro não serve para nada. Use os quadros deste livro
para começar a entender inglês.

Para vencer nos empreendimentos não precisa inventar, ser o primeiro,


nada disso. Quando criei a Bastter.com estava cheio de site de
investimentos na Internet. Hoje a maioria não existe mais. Mas fomos
originais em focar no desenvolvimento e enriquecimento do indivíduo
comum e não nas cacetadas dos foras de série como a maioria dos
sites faziam e ainda fazem hoje. No dia que eu disse que ia montar um
site, mas que não queria receber corretagem porque considerava um
conflito de interesses, me disseram “parabéns, você não vai durar um
mês.” Que diabos não vou durar um mês se só tenho de pagar o
servidor? Isso eu pago com a medicina. Muitos não sabem, mas a
Bastter.com foi criada por mim sozinho em 2001 usando o Frontpage,
um software da Microsoft de criação de sites que até fazia um fórum
de meia tigela. O site era primitivo, mas estava lá vivo, e desde o
primeiro dia meu objetivo era responder a todos. Até hoje continuo por
aqui respondendo a todos. Faça alguma coisa, comece de alguma
forma. Tem aí no repositório da Internet imagens dos primeiros anos
da Bastter.com. Um site bem simples, mas estava lá. Se não fizer nada,
nada acontece. O não você já tem, o nada você já tem, então, se der
errado, dá na mesma, não perdeu nada. Pelo contrário, ganhou
conhecimento e experiência, mas sem tentar não tem como dar certo.
Faça melhor que os outros, dedique-se mais, atenda melhor os
clientes, seja honesto. Assim vai sobreviver. Não precisa inventar
nada. Quando eu digo crie, não precisa ser Tesla ou o Thomas Edison.
Criar um negócio que já existe, trabalhar melhor que os outros, se
dedicar, é criar. Sair da pasmaceira e tentar, é criar. Vender suas
coisas velhas na Internet em um marketplace, até isso é criar. Pensar
é criar, estudar é criar, tentar é criar. Ficar parado repetindo,
cumprindo tabela, reclamando e achando que alguém te deve alguma
coisa, não é criar.

48
Olhem a Bastter em 2001. E esta versão nem é a mais primordial, pois
o site já existia há alguns meses. Mas se eu não tivesse colocado isso
aí no ar na marra, não existiria a Bastter.com de hoje. Mesmo com
esta estrutura simples, montada por mim num software de criação de
sites, e com aspecto totalmente amador, fomos criando uma
comunidade, respondendo as dúvidas das pessoas, tentando ajudar
todos a crescer e isso pode ser feito em qualquer lugar de qualquer
forma. Não estou aqui enaltecendo as coisas malfeitas, primitivas, o
que for. Nem dizendo que não deve se esforçar para fazer o melhor
que puder. O que estou dizendo é: faça. Melhor fazer isso aí em cima
do que não fazer nada. Se der para começar melhor do que eu comecei,
ótimo. Se não der, comece da forma que der, mas dê o seu melhor
todos os dias. Se você construir algo que sirva ao cliente, cuidar e
atender ao cliente bem, eles virão. Não precisa inventar algo que
ninguém nunca fez. O que tem de original nessa página aí em cima da
Bastter.com de 2001? Nada. Mas quem chegava ao site, tinha
respostas para suas dúvidas. E respostas honestas, não convites para
arapucas que levam a perder dinheiro. Esse para mim foi o diferencial.
Responder as pessoas e dizer a verdade para elas todos os dias,
mesmo que a verdade seja dura. Afastou muita gente, mas foram
ficando os que interessavam, os que queriam evoluir. E não foi fácil.
Tivemos de ir aprendendo a administrar um site, a administrar
milhares de pessoas, a tirar o que não interessa, a oferecer o que
interessa. Erramos muito, e ainda erramos hoje, mas fomos
aprendendo com os erros, evoluindo, crescendo, o mesmo que
queremos que a comunidade faça. Por isso Filosofia Bastter.com e não
Filosofia Bastter. O site mudou muito e evoluiu muito, mas desde o
primeiro dia havia um objetivo: Melhorar a vida das pessoas. “Ah, é
49
um site de caridade.” Não. Melhorar a vida das pessoas, se feito com
sinceridade, irá atrair cada vez mais gente. Esse é o valor do site e
acaba que de algum lugar sai a receita. Fazer o bem e ter lucro com
isso não são incongruentes, aliás, é como deveriam ser todas as
empresas.

Google foi o 21° buscador de Internet criado! Você não precisa ser o
primeiro, não precisa inventar algo que ninguém fez antes, só
precisa fazer bem feito. E não precisa ser um Google. Sonho mais

50
ou menos grande, ok. Mas bem feito. O importante não é ser nem o
primeiro nem o maior, mas ser bom, muito bom, melhor, o melhor que
puder ser. Não seja menos do que você pode ser. Mas tome cuidado
com a síndrome da perfeição. Seja o melhor que pode ser, faça o
melhor que puder, mas faça. Ficar buscando a perfeição é uma forma
perfeita de não fazer nada.

E não me venham com falta de tempo. Quem produz muito tem


tempo, quem não faz nada não tem tempo. Seja eficiente a vida toda
em tudo que vai sobrar tempo. E vai sobrar tempo até para não fazer
nada ou lazer, que são importantes também. Toda vez que você
conversa com alguém que vive dizendo que não tem tempo vai
perceber que ela desperdiça tempo em um monte de coisas inúteis. E
inútil não é ir ao cinema, ir à praia, se divertir. Inútil é inútil mesmo,
tipo ficar se estressando com besteiras ou gastar 2 horas para ir num
supermercado lá longe economizar 13 reais. Demorar duas horas para
fazer coisas que bastam 5 minutos. Preencher mil planilhas com
controles financeiros inúteis tipo anotar bala Juquinha. Exercitar a
burrice. Falar mal dos outros. Falar no telefone (esta é terrível). Não
tenha telefone fixo e o celular não atenda ou não vai conseguir.
Bloqueie todos os números do celular, use um APP de bloqueio e NÃO
ATENDA. Resista, não atenda. Só atenda um grupo seleto de 3 a 5
pessoas bem próximas da família. O telefone vai te impedir de crescer,
sério. E quando você for montar seu negócio, administre de forma a
não precisar do telefone, senão vai ser difícil. Vai ser difícil para que
você trabalhe de forma eficiente e vai ser difícil para fornecedores,
clientes, etc. ter de ficar usando telefone. Telefone não existe mais,
exceto para emergências familiares, ou coisas muitos específicas. Não
fale no telefone, acima de tudo NUNCA atenda o telefone. Use
aplicativos e o bloqueio do sistema para que ele pare de tocar. Eduque
as pessoas a sua volta que você não fala no telefone e não baseie o
seu negócio, o seu trabalho em telefone. Mas atenção, no seu trabalho,
para poder retirar o telefone, tem de ser eficiente em responder as
pessoas virtualmente. Não tem telefone, mas os meios de comunicação
que o substituem têm de ser eficientes e os clientes tem de ser
respondidos. Mas com uma vantagem, que estes meios não te
prendem enquanto está respondendo e não precisa responder
imediatamente. No fim atenda o cliente de forma mais eficiente sem o
telefone, afinal no telefone só pode falar um de cada vez e se perde
muito tempo.

51
Para sobrar tempo é necessário fazer tudo de forma eficiente e fazer
mais de uma coisa ao mesmo tempo. Tem de treinar, se esforçar e ir
se desenvolvendo. Tudo é treinável. Seu cérebro é igual a um músculo,
se você exercitar a burrice, ela cresce, se você exercitar ser eficiente,
vai se tornando mais eficiente. Se valorizar suas limitações e utilizá-
las para não tentar, nunca vai conseguir. As suas limitações não devem
ser um obstáculo, mas sim, algo a ser vencido. E nisso o esporte de
competição ajuda muito. É fundamental praticar esporte para vencer
no trabalho, vencer como empreendedor. No esporte você aprende que
o treino leva ao crescimento e a vencer suas fraquezas. Isso vale para
tudo na vida e para os negócios. Não tem tempo porque é ineficiente,
treine ser eficiente e vá melhorando. Pare de focar nas limitações e
pare de falar burrices.

Exceção é o exemplo do burro, não faça isso, não seja o burro. Meu
tio fumou e viveu até os cem anos. Fodasse. É só um exemplo de
exceção de burro. A maioria das pessoas que fumam vão morrer antes
do que deveriam por alguma doença. Um exemplo de exceção de burro
não muda nada. Na vida você tem de colocar as chances a seu favor e
não contra. Tudo pode acontecer, mas o que você pode fazer é tentar
o melhor. Estou fazendo assim (errado) e até agora tudo bem.
Fodasse. Se eu jogar roleta russa e não morrer virou coisa boa? Me
joguei do vigésimo andar, no décimo perguntam como estou, eu digo

52
“até aqui tudo bem.” O burro analisa tudo pelos resultados. Atravessei
fora da faixa e não morri. “Atravessar fora da faixa não é perigoso.”
Burro adora exemplo maluco também. Fica procurando uma hipótese
remota maluca que não tem a menor chance de acontecer só para falar
uma coisa burra. Não seja o burro, não pratique a burrice, não fale
coisas burras. A burrice cresce dentro de você se você treina ser burro
e especialmente se você valoriza e faz questão de lembrar das suas
burrices. Você não é burro, você está burro e para mudar basta parar
de fazer coisas burras e de falar coisas burras. Pare de colocar a culpa
nos outros pelos seus erros. Não tem nada mais burro. Pare de vir com
“meus direitos” ou “vou colocar na justiça”, quando é tudo resultado
dos seus erros e da sua burrice. Aprenda com os erros, coloque uma
pedra, e siga em frente. Deixe no passado. Se aprendeu com o erro,
foi lucro. Não viva o erro, só aprenda com ele. Não tente consertar o
erro, recuperar o prejuízo do erro. Aprenda, coloque uma pedra, faça
direito daqui para frente. Livre-se da culpa. Culpa é inútil, só importa
aprender, crescer e evoluir. Acima de tudo saia da lama do SE. “Se eu
tivesse feito assim, se eu tivesse feito assado.” Não fez, desapega,
segue em frente, melhora, evolui. A única coisa que importa é que
amanhã você, seu trabalho e seu negócio estejam melhores e tenham
agregado mais valor do que hoje, e hoje melhor do que ontem. Você
não muda o passado e não controla o futuro, apenas pode tentar
trabalhar melhor todos os dias. Sobre o futuro: esqueça prever. Não
foi dado ao ser humano o dom de prever o futuro. Os ciclopes queriam
este poder, a única coisa que conseguiram foi saber o dia da morte
deles. E ciclopes nem são humanos. Na verdade, nem existiram. Não
baseie seu trabalho, seu negócio em adivinhar o futuro, em ser
esperto. Perguntaram ao Jeff Bezzos, da Amazon, como ele estava se
preparando para o futuro, que coisas novas ele estava preparando. Ele
respondeu que não sabia adivinhar o futuro, que mudanças iam
acontecer, então a única coisa que ele fazia era tentar dar às pessoas
o que elas aparentemente nunca vão parar de querer, que é preço
baixo e entrega rápida. Que ele não perde tempo adivinhando o que
vai mudar, ele oferece aos clientes o que ele acha que não vai mudar,
ou seja, bom atendimento. Se Bezzos não cai na ilusão de adivinhar o
futuro, saia fora dessa. Os que conseguiram foi apenas um golpe de
sorte e aí ficam se iludindo com isso e perdem muito mais nas próximas
tentativas. A pior coisa de tentar adivinhar o futuro é ter o azar de
acertar, porque aí se ilude que acerta e perde muito mais lá na frente.
Isso parece cair em contradição com ter de se adaptar e mudar. A
despeito de eu não me importar com contradição, nem com coerência,

53
longe disso, você deve se adaptar as mudanças que vão ocorrendo e
nesta tentativa às vezes acerta, às vezes erra, só não pode ficar
agarrado ao passado. Se adaptar as mudanças que ESTÃO ocorrendo
não tem nada a ver com prever o futuro. Não se prender a coisas que
estão acabando, deixando de ter valor, não é prever o futuro, é aceitar
o presente.

É fundamental entender que nada vai melhorar, só você mesmo.


Governos não vão melhorar, o país não vai melhorar, empregados e
patrões não vão melhorar, a situação não vai melhorar, nada vai
melhorar. Só você que pode melhorar. Se você condicionar a sua
melhora à melhora de outros ou de entidades ou de países ou do que
for, desista, não vai chegar a lugar algum. Só você pode melhorar.
Agregue valor a você e ao seu negócio todos os dias. As pessoas ficam
impressionadas como trazemos coisas novas para a Bastter.com quase
todos os dias. Algumas dão certo, outras não. Minha preocupação
permanente é como agregar valor todo dia, como melhorar o site, e
porque não, como eu posso melhorar. TODOS OS DIAS! Nunca me
preocupei nem um único dia com crise, a Bolsa, os outros, o governo,
nada. Só posso mudar o que eu tenho domínio. Não adianta para nada

54
ficar se preocupando com o que não se tem qualquer influência. Só
você pode mudar e, se você não mudar, nada vai mudar e ninguém vai
fazer nada por você. Neste momento enquanto escrevo este livro,
anotei duas ideias para a Bastter.com de coisas que podem trazer mais
valor aos assinantes. Se você não trabalha assim, está no negócio
errado, procure outro. E se não achar nenhum que te faça querer
melhorar todos os dias, não vai crescer, paciência. Nem todos crescem.
“Todo mundo” é outra burrice. “Ah, mas nem todo mundo. Ah, mas e
se todo mundo.” Todo mundo danesse. Nunca vai ser todo mundo e
nunca vai ser para todo mundo. É outra burrice este negócio de “todo
mundo.” Esquece todo mundo, muda você ou ninguém vai mudar. E
não tenha medo de mudar. Volta e meia eu mudo alguma coisa na
Bastter.com e é uma gritaria geral. A gente brinca que quando muda
a cor da grama o burro não consegue mais pastar... Você e seu negócio
vão ter de mudar constantemente se quiser sobreviver. Nem todas
mudanças vão dar certo. Deu errado, mude de novo. Às vezes, mesmo
que os clientes não gostem de determinadas mudanças, só de verem
que você está sempre tentando melhorar já ficam satisfeitos e não
ficam entediados. As pessoas vão procurar coisas novas. É muito difícil
ser uma Apple que faz mais ou menos a mesma coisa sempre, mas de
forma genial, e mantém os clientes. Mudamos os quadros de ações da
Bastter.com e foi uma chiadeira geral. Resistimos, foi ficando e o
pessoal se acostumou. Aí um tempo depois mantivemos a nova
disposição, mas voltamos com a antiga em um quadro mais
simplificado. Você não vai acertar sempre e não vai agradar sempre os
clientes. Teve mudanças que tivemos de voltar atrás, ou porque os
clientes detestaram ou porque não funcionou, mas não pode ter
medo de mudar. Estar dando certo hoje não garante dar certo
amanhã. Mudar e errar é melhor do que não mudar. E toda mudança
deve ter como viés trazer valor para o cliente. Esse tem de ser seu
pensamento o tempo todo. Agradar os clientes é importante, ouvir os
clientes é importante, mas você tem de ter a coragem de mudar
mesmo que não agrade a todos. E cuidado porque o reclamão sempre
fala mais do que os que gostaram. Não se guie pelo reclamão. Quem
gosta, muitas vezes fica calado. É difícil achar o equilíbrio entre agradar
os clientes e não viver em função do reclamão. Eu não disse que era
fácil. Tem de ir experimentando, aprendendo, evoluindo. Uma coisa
importante: mesmo que não vá fazer o que o cliente quer, atenda ele,
dê atenção, dê uma satisfação. Muitas vezes ele aceita. Em suma, você
não precisa fazer tudo que o cliente quer, mas o seu objetivo é agregar
valor ao cliente, mesmo que ele não perceba num primeiro momento.

55
O tempo todo respeite o cliente, mesmo quando contraria ele. O cliente
nem sempre tem razão, mas ele tem de estar feliz e se sentindo
importante no seu negócio. Mas não se iluda que vai ter todos os
clientes do mundo. Não perca tempo com o cliente impossível, o
reclamão psicótico. Aceite perder este cliente, não tem problema, é até
bom. O tempo que você perderia com ele, está deixando de atender
10, 20, 30 clientes bons. Os clientes te escolhem, mas você escolhe os
clientes também, ou ao menos elimina os que não servem. Não queira
que todos sejam seus clientes. Não vai funcionar. Funil nos que não
servem. Um abraço, adeus, seja feliz. Muitos voltam um dia, mas de
outra forma. Ok, estamos de braços abertos, mas acima de tudo, não
deixe que um cliente ruim prejudique seu atendimento a outros bons.
A carga do cliente ruim é enorme e não compensa. Desenvolva a
capacidade de agregar valor todos os dias aos clientes, mas de também
se livrar dos clientes que vão prejudicar seu negócio e atrapalhar o
atendimento aos bons clientes. Não permitimos o bullshit na
Bastter.com porque o desgaste imenso de ficar horas discutindo com
uma porta é tempo que não está sendo usado para atender os bons
clientes, para ajudar os iniciantes que desejam evoluir. Não
pretendemos convencer ninguém de nada. Se a pessoa não tem nada
a ver com a Bastter.com, ela não tem de estar na Bastter.com e não
adianta perder tempo com ela e nem ela perder tempo com a
Bastter.com. No fim ela não vai ser cliente mesmo e vai perder um
tempão que poderia estar ajudando outros clientes.

Ainda falando de clientes, é fundamental que não haja rolo com


dinheiro do cliente. É muito melhor você ser enganado por um ou
outro cliente do que prejudicar o cliente honesto. O que a maioria das
empresas fazem é o contrário. Para não ser enganado por um cliente
picareta, prejudicam a maioria dos clientes honestos. Com isso perdem
clientes honestos e a receita diminui. O que você prefere? Produzir 110
de receita, roubaram 10 e sobrou 100, ou 50 de receita sem nenhum
roubo? Nunca prejudique o bom cliente para se proteger do cliente
ruim. Tente ter o máximo de bons clientes e aceite que sempre vão ter
os espertinhos. Vá se livrando deles na medida do possível, mas sem
criar problemas para os bons clientes. O cliente tem de saber que não
tem rolo com o dinheiro dele, que ele não vai ser enganado nem
prejudicado. Comprou por engano, você devolve, veio com defeito,
você devolve, houve cobrança errada, você devolve. Não tem estresse
nem rolo. Na Bastter.com deixamos isso sempre bem claro. Quero o
cliente tranquilo sabendo que vai ser sempre respeitado, que sempre
vai receber o que pagou. O fato de ter certeza que ele não vai ser

56
prejudicado, que ele pode pedir de volta, faz com que o cliente coloque
seu dinheiro com mais tranquilidade e sem medo. Se você abrir um
negócio, vai haver perdas, aceite isso ou não abra. Faz parte. Mas com
ou sem perdas, quanto mais clientes e quanto mais clientes satisfeitos
melhor. É fundamental que os clientes saibam que não tem rolo com
dinheiro para que fiquem satisfeitos. Perder clientes é normal, ninguém
fica com todos clientes para sempre. Mas perder cliente porque ele se
desinteressou pelo seu negócio é menos mal, ainda que você tenha
que estar sempre mudando para tentar manter os clientes. Agora,
perder cliente porque ele não tem confiança em colocar dinheiro
porque tem a percepção que tem rolo com dinheiro é péssimo e pode
destruir o seu negócio. Não faça rolo com dinheiro do cliente, não
dificulte a vida do bom cliente, não perca o bom cliente por causa de
dinheiro. E isso tem de ser uma mensagem bem clara no seu negócio
para que todos entendam, tanto os clientes como todos que trabalham
no negócio. Aqui não tem rolo com dinheiro dos clientes! Tem de ser
religião no seu negócio. Já vi muito negócio morrer por picuinha. Não
seja essa pessoa.

Você tem de desenvolver a capacidade de sair do sistema, e tem de


conseguir que todo mundo no seu negócio desenvolva. Um sistema é
importante, mas se ficar escravo dele, já era. Cliente quer alguma
coisa, e a resposta é “o sistema não permite”. Que espécie de
maluquice é essa? É você que determina o sistema do seu negócio e o
objetivo primordial do sistema deve ser o bom atendimento aos
clientes. Se está impedindo isso, troque. Claro que não dá para fazer
tudo e não dá para agradar sempre o reclamão, mas se toda hora a
resposta é o sistema não permite, alguma coisa tá errada.
Independente do sistema ou do que for, desenvolva a mentalidade de
pensar sempre assim: Há alguma coisa diferente que eu possa fazer
para atender este cliente? Uma historinha boba, mas que serve de
exemplo e é verdadeira porque eu estava lá nesse dia. Sujeito estranho
entrou numa concessionária de automóveis dizendo que queria
comprar carro pagando com mercadorias. Vendedor não entendeu
nada e simplesmente disse: “Não fazemos isso. O sistema não
permite.” O rapaz atravessou a rua pois do outro lado havia uma
concessionaria de outra marca de carros e comprou 50 carros. É sério
isso. Era um grande produtor rural que estava tentando fazer um
negócio diferente para pagar a renovação da frota de carros dele. A
única diferença para o vendedor da loja 1 para o da 2 é que o da 2
parou o que estava fazendo para ouvi-lo e assim chegou até a parte
que ele disse que precisava comprar 50 carros. O primeiro não quis

57
sair do sistema e não fez um esforço de entender o problema do cliente.
Com isso perdeu uma venda de 50 carros. A história chegou à direção
da primeira concessionária e o vendedor acabou sendo mandado
embora. Não achem que você como empregado, seja privado ou
público, isso tudo que foi falado neste capítulo não importa. Falei no
início do capítulo. Vale para todos: Empregados públicos e privados,
autônomos e empreendedores. Todos. Quem não mudar vai sobrar.

58
O quadro acima mostra as razões principais pelas quais as
empresas novas falham. É um estudo nos EUA e de startups, mas
podemos aprender bastante com o quadro.

O número um é: não há necessidade para o produto no mercado.


O produto com o qual você trabalha, ou da empresa que pretende criar,
do negócio que pretende fazer, realmente tem demanda? Não se iluda,
não force a barra, não misture seus desejos com a realidade, não seja
teimoso. Tem dois lados aí. Produtos novos, revolucionários, que
parecem muito legais na teoria, mas que na pratica ninguém vai usar,
tipo um guarda-chuva que voa e te segue. Parece muito legal, mas as
pessoas vão mesmo usar? Pode até ser que usem, não estou dizendo
que não, mas é um exemplo de coisas que são muito legais, mas que
não há garantia nenhuma que vão usar. O outro lado são coisas que
vão caindo em desuso. Máquina de escrever, por exemplo. Alguns que
trabalhavam com isso foram mudando e criando novos produtos.
Outros, quando viram, já era tarde demais. Locadora de filmes.
Sempre tem a reportagem com o último que sobrou como se isso fosse
lindo. É uma idiotice total. É apenas o mais teimoso, grandes coisas.
Uma hora não sobra mais nenhum. Sem contar uma empresa com o
tamanho e a presença da Blockbuster desaparecer por total falta de
visão. Pode haver flutuações, mas o seu produto, negócio, serviço, tem
de ter demanda. Não adianta ficar revoltado, nunca adianta. Mudanças
do mundo não são justas. Se fazer de vítima, pior ainda. Mude. E de
preferência tenha mais de uma atividade, trabalhe com mais de um
produto ou serviço. Coloque coisas novas aos poucos enquanto vive de
outra. Tem um produto principal pagando a conta? Comece a incluir
outro aos poucos, ou outros. Tem uma atividade ou serviço que está
bombando? Não se fie, procure alternativas. Muda muito rápido. O Blu-
ray nem chegou a existir direito e acabou. Quer dizer, ainda meio
existe, mas nunca existiu de verdade. Muita gente que nem eu nem
sabe o que é direito. Ainda há casos na justiça discutindo download de
MP3 na Internet e ninguém mais usa por causa dos serviços de
streaming. O que diminuiu o download de filmes na Internet não foram
as brigas na justiça e a tentativa de punir os sites de torrents, mas o
Netflix. Uma coisa muito comum são atividades que vão sendo tomadas
por grandes redes. Não adianta insistir e querer ser o último. Muito
difícil concorrer com os preços que as grandes redes conseguem.
Concorrer com a venda pela Internet se o seu negócio se restringe a
venda em lojas físicas, etc. Não há nada de errado em fracassar

59
algumas vezes, como já disse antes, mas não se deve buscar o fracasso
ou agir de forma irresponsável só porque fracassar é normal. Para
vencer, tem de buscar sempre o melhor ou vai só fracassar para
sempre.

O segundo motivo já discutimos aqui bastante que é ficar sem


dinheiro. Não sei em outros países, mas aqui no Brasil a causa disso
é, 15 vezes em 10, dívidas. É bem simples, se o seu negócio não
conseguiu fazer reserva para crescer, ele não vai conseguir pagar a
dívida feita para crescer. Você tem de crescer por meios próprios.
Dívida coloca a pressão do precisa, que já falamos antes. Qualquer
pequena crise, oscilação, etc., não se consegue pagar a dívida, os juros
explodem e já era. Mesmo que não tenha dívida, fique na sua
realidade. Seja do tamanho que aguenta com sobra. Não adianta
querer ser maior do que pode, maior do que vende, maior do que
aguenta. O dinheiro vai acabar. Vende X e aluga 10X de salas, lojas, o
que for. Não vai ter como pagar. Vá com calma. Cresça devagar. É se
tornar grande que te permite ser grande. Não adianta querer ser
grande na marra.

O terceiro é não ter o time correto. Esse é mortal. Começa pela


desgraça da sociedade. Se você tiver sócios no seu negócio,
provavelmente vai querer mata-los. Não se empolgue, pense bem
antes, no início é tudo uma maravilha. Se for amigo ou familiar, pior
ainda, porque vai perder amigos e ter briga na família. E fica
complicado porque aí vai fazer sociedade com quem? Com
desconhecidos? De preferência não faça sociedade, mas se tiver de
fazer escolha MUITO bem e já desde o primeiro dia compreenda que
vai ter de abrir mão de muita coisa e ser MUITO tolerante. Dizem que
é igual casamento. É MUITO mais difícil que casamento. E igual ao
casamento, se separar, na maior parte das vezes, você vai ver depois
de um tempo, as pessoas estão piores do que se não tivessem se
separado. Portanto, exercite a tolerância e entenda que o sócio não é
sua família (mesmo que seja, naquele momento não é). Não se
emocione, pense somente no negócio. Mas realmente se não servir e
não funcionar, igual no casamento, não vai ter saída. Assim como no
casamento, escolha muito bem e pense bem antes de fazer a
sociedade.

Quanto a escolher as pessoas certas para trabalhar, é fundamental. As


pessoas normalmente escolhem pelos motivos errados. Já participei de
processo de seleção duas vezes. Acompanhei um grande executivo do
mercado financeiro escolhendo, ele fazia um monte de perguntas meio
60
sem nexo e no fim escolhia quem tinha bom senso. Ele dizia que o
resto dava para desenvolver, bom senso não. Daí criei a frase que uso
muito: bom senso é que nem bunda ou você nasce com ou morre sem.
Ainda na medicina eu administrava a prova de seleção de residentes
de um hospital e criei uma prova em algumas partes. Primeiro a gente
não dizia muito bem onde ia ser a prova escrita, não indicava muito
bem e começava um pouco antes da hora. Já era uma seleção. E os
que chegavam reclamando disso, já levavam uma marca. Na prova
escrita, excluí todas as perguntas de decoreba, de saber nomes das
coisas e só incluía questões para saber se o pretendente raciocinava
bem questões médicas, teria boa atenção com os pacientes e queria
evoluir como médico. No meio colocava umas perguntas em inglês
porque, como já disse na parte sobre estudo, inglês é língua nativa
assim como português. Inglês não te diferencia mais, mas se não sabe
Inglês, pare tudo e vá aprender. Sem inglês não dá mais. Quer se
diferenciar? Aprenda uma terceira língua além do inglês e do
português. E não me venha com papo de que não gosta de inglês, ou
que não é uma língua sei lá o que. Adapte-se a realidade. Não gosto é
criancinha dizendo que não gosta de batata e que a irmã é feia. Você
já passou desta idade. Sem inglês você não participa mais do mundo
e seu nível de aprendizado vai estar sempre atrasado. Voltando a
prova, complementávamos com uma avaliação psicológica com o
objetivo de excluir os desequilibrados e uma entrevista para testar não
conhecimento médico, mas caráter, disposição ao aprendizado, etc.
Com isso foi a época que tivemos os melhores residentes. Depois o
hospital voltou a uma seleção burocrática tipo vestibular e o nível caiu
expressivamente. Mas um hospital não fecha por causa de residentes.
Uma grande empresa pode não fechar por causa de uma má seleção
do time, mas o seu pequeno empreendimento pode e provavelmente
vai fechar se o time for mal escolhido, sem contar o problema dos
sócios. Espero que as duas histórias que eu contei acima te permitam
compreender que as seleções formais e os critérios que a maioria usa
são péssimos. Forme um time de pessoas que estão dispostas a vestir
a camisa e dar mais do que lhes é pedido, pessoas que desejam
crescer, pessoas que tem caráter e bom senso, pessoas que estão
dispostas a se colocar no lugar do cliente. Esqueça a baboseira de
títulos e de saber responder provas. Passar em provas é uma
habilidade que não tem qualquer relação com trabalhar bem. A não ser
que o trabalho seja passar em provas. Nunca ouvi falar desse trabalho.
Desapegue das babaquices que a sociedade determinou como

61
qualidades para o trabalho e escolha pessoas que realmente possam
fazer parte do time e que vão ajudar seu negócio a crescer.

O outro lado também é importante: Valorize estas pessoas enquanto


elas continuarem boas senão vai perde-las. Mesmo que não perca vai
desmotiva-las. Se o time é bom, ele tem de crescer junto e participar
do crescimento do negócio. No fim você ganha mais assim. Se ficar
com mentalidade mesquinha de não querer dividir nada e tratar todos
como empregados desqualificados, vai terminar com os piores, pois os
bons vão partir. Pessoal reclama que só tem gente ruim trabalhando
no negócio deles, mas paga como gente ruim e acha que vai acontecer
milagre? Não estou dizendo sair pagando um dinheirão, mas os bons
têm de ter o que conquistar senão vão ficar desmotivados e/ou
procurar outro lugar para trabalhar. Para o seu negócio dar certo é
fundamental saber escolher o time e valorizar os que escolheu e
trabalham bem. E outra, as pessoas têm de se virar sozinhas ou não
servem. Abomine reuniões! Vou repetir: ABOMINE REUNIÕES. Se o seu
negócio for baseado em reuniões, não vai sobreviver. A maioria dos
que me auxiliam na Bastter.com eu nunca vi na vida. Alguns tem meu
número para poder falar no WhatsApp, mas já sabem que se me
telefonarem, estão fora. Em 16 anos de Bastter.com nunca houve uma
única reunião. Em nada se perde mais tempo e não se chega a lugar
nenhum quanto reuniões, call, o que for. As pessoas têm de se virar,
criar, trabalhar por si só ou não servem. E do seu lado, você tem de
deixar as pessoas trabalharem e não querer tomar conta de tudo. Se
não servem, não servem, paciência, mas se servem vão ter de servir
por si só e não baseado em reuniões inúteis.

62
- Eu sei que não decidimos nada, mas não é para isso que servem
reuniões? (enviado por gabbarishes)

Se deseja crescer, seja lá de que forma for, empregado, ou autônomo,


você tem de aprender A SE VIRAR SOZINHO. A primeira coisa que eu
falo para todos que embarcam de alguma forma na Bastter.com é isso.
Se vira ou não vai servir. E se virar inclui criar coisas novas, não é só
se virar para fazer o que se espera. Se virar inclui agregar valor ao
negócio e a si mesmo. Se virar inclui tomar decisões. Se virar inclui
arriscar. Se virar inclui colocar o seu na reta. Não há crescimento sem
risco, não há crescimento sem dor, não há crescimento com medo.
Quem vive com medo, vive pela metade. E vão dizer que lá atrás eu
falei que tem de ser conservador e que aqui mando arriscar. Ser
conservador com dinheiro, dívidas, etc. Arriscar com novas ideias, com
tomar decisões, com criar, com mudar, com não apenas cumprir
tabela. Resumindo: SE VIRA. E o outro lado é que você tem de deixar
a sua equipe se virar e quem não tiver esta capacidade não serve. Cada
um cuida do seu trabalho sem precisar de babá. Não dá mais para
sobreviver com reunião toda hora para cada um dizer ao outro o que

63
tem de fazer. Durante as longas horas que você perde em reuniões
inúteis, os concorrentes estão criando coisas novas, evoluindo e
levando os seus clientes. Você tem de ser bom e saber se virar e tem
de ter uma equipe que se vira. Deixar as pessoas se virarem não é
fácil, mas se você tiver de fazer tudo e tomar conta de tudo o
crescimento será bem menor. O importante não é que sua equipe seja
uma cópia sua, mas que tenha os mesmos objetivos e que tragam valor
a elas mesmas e ao negócio. E que sejam pessoas que vistam a camisa
e desejem crescer. O bocó legalzinho é muito fácil de levar, é
confortável, mas é quem vai fazer seu negócio não sair do lugar. Se
vire e só queira gente que se vire e deixe eles se virarem. Estas
pessoas dão trabalho, te tiram do conforto, mas são as que podem te
ajudar a crescer. Claro que para isso funcionar, as pessoas têm de ser
boas. A seleção é o primeiro passo para terminar com pessoas boas,
privilegiando o que importa e não babaquices como títulos e decoreba.
Depois é necessário um ambiente que possibilite a evolução e o
crescimento e que valorize a evolução e o crescimento. Faça isso e será
alguém que se vira e cria e quem trabalha com você também.

O quarto item da lista é ser morto pela competição. Competição é


uma coisa boa, faz com que tenhamos que nos mexer, evoluir, criar.
Mas pode também te matar, especialmente se você está em algo que
vai mudando e o seu modelo não serve mais. Comercio de rua é um
exemplo. Muito difícil concorrer com grandes redes, comercio online e
shoppings. A concorrência vai te matar, a não ser que você seja
realmente especial para um nicho da população. A competição
normalmente já vai te matar se você não seguir o que já falamos mais
acima. Renovar, mudar, criar coisas novas, se adaptar, se colocar no
lugar dos clientes, etc. Mesmo isso não é garantia que a concorrência
não vai te matar, mas a ausência destas coisas, vai garantir que ela ou
o que for vai te matar. Ao mesmo tempo, mantenha a sanidade da
empresa e não entre na tentação da dívida porque tem de investir para
vencer a concorrência. Dívida já era, está morto. Ninguém disse que
seria fácil...

De qualquer forma não encare a concorrência como algo ruim. A falta


de concorrência muitas vezes leva a mediocrização e pode-se morrer
mesmo sem concorrência. Aproveite a concorrência como um estímulo
a criar mais, lutar mais, atender os clientes melhor ainda. Não fique
com raiva da concorrência, é mais uma vez colocar a culpa nos outros
pelos seus erros. Supere a concorrência não pensando nela, mas

64
pensando em dar o seu melhor e atender os clientes melhor do que
qualquer um.

Não vamos falar de todos os itens senão não acaba nunca, mas olhe o
quadro, veja todos os itens e avalie como melhorar seu negócio.

Um outro aspecto fundamental são as crises internas ou externas.


Crises sejam elas quais forem, sejam externas ou problemas no seu
negócio, devem te motivar a trabalhar mais e melhor. Todas as vezes
que alguém saiu da Bastter.com, que começou uma crise externa, seja
lá o que for, eu fiquei mais motivado a trabalhar, criar coisas novas,
trazer novidades para o site, agregar valor aos clientes. E tem outro
jeito? Por aí percebemos um sentimento maluco de que não adianta se
esforçar na crise ou mais maluco ainda de: “estou esperando a crise
passar.” Tem crise? Deu problema? Alguém importante na empresa foi
embora? TRABALHE MAIS E MELHOR! Não lamente. Lamentar não
adianta para nada, se culpar menos ainda. Esperar que governos ou
países melhorem, que a economia melhore, é a morte. Usar a crise
como desculpa, é mais que a morte. “Meu negócio é bom, só não está
vendendo por causa da crise...” Quebrou e não sabe, capaz de quebrar
quando a crise acabar. Seu negócio é ruim. Negócios bons não ficam
ruins por causa da crise. Pode até afetar, mas dão um jeito. E dão um
jeito porque trabalham mais e melhor ao invés de ficar reclamando, se

65
lamentando e usando a crise como desculpa para seu fracasso. A
característica comum dos fracassados é culpar outros ou outras coisas
como crise ou governo pelos seus erros. Se fez de vítima, está morto.
Se tem alguém se dando bem, eu posso me dar bem. Este foi sempre
um pensamento meu, se tem alguém que consegue, eu consigo. Use
isso, sempre. Se tem alguma empresa da minha área se dando bem e
eu não, é erro meu. O que eu estou fazendo de errado? Onde eu posso
melhorar? Como trazer mais valor para os clientes? Vou dizer para
vocês, mesmo que não acreditem: Eu não passo um único dia sem
pensar em como trazer valor para meus clientes. Não há nada que eu
possa fazer, é assim que sou. Quer dizer que eu não aproveito a vida?
Aproveito bastante, mas quem me permite aproveitar é a Bastter.com.
Procure algo que realmente goste de fazer para que possa lutar por
aquilo todos os dias.

E como começar seu negócio?

Muitos ficam lá nos murais da Bastter.com pensando e discutindo o


que fazer para ter mais renda. Não pense, faça. Saia da inércia. Isso
não quer dizer fazer qualquer porcaria só porque tem de fazer alguma
coisa. Mas tem de sair da inércia. Nem que vá dirigir Uber ou passear
com cachorros. Ficar parado planejando, fazendo curso, assistindo
palestra de coach, dizendo nas redes sociais que foi um dia muito
produtivo de aprendizado, tirando títulos e mais títulos, não sai do
lugar... Sai da inércia. Vá criar alguma coisa! Tem de começar ou não
vai começar nunca. Desde que não dê um passo maior que a perna,
não entre nestas loucuras de vender tudo para colocar num negócio,
não venha com “esta é minha última chance”. Criar, produzir, fazer
alguma coisa é uma aprendizado muito maior do que esta
pseudoformação de cursos inúteis, palestra de coach, e networking,
palavra bonita que não significa nada.

Primeiro tem de escolher o que fazer. Empregado público ou privado,


autônomo ou empreendedor, seja o melhor no que faz e se coloque no
lugar do cliente. “Ah, mas eu como funcionário público estou
garantido”. Você lê jornal? É problema em todos os locais para que os
governos paguem os funcionários. Você é o menos seguro e o menos
garantido. Você recebe do governo. Se acha isso seguro, só pode estar
doido. Portanto, seja o melhor, funcionário público ou privado. Ser o
melhor e trabalhar bem é um hábito. Se não se desenvolver nisso, não
vai crescer e amanhã se precisar de outro trabalho não vai conseguir.
Para ser o melhor, para se colocar no lugar do cliente, para lutar todos
os dias, é necessário fazer algo que goste e algo que exista de verdade
66
e tenha demanda. Não embarque em aventuras e não seja teimoso.
Só porque você gosta não garante demanda. Tem de gostar, mas tem
de existir. Não force a barra de que algo existe só porque você gosta,
mas também não force a barra de que você gosta de algo só porque
tem alta demanda. Não gostando, não vai trabalhar direito e não vai
ter demanda, mesmo que tenha.

Um ponto importante. Não existe idade. Não me venha com esta


baboseira. Eu fiz educação física, fiz medicina depois, trabalhei 15 anos
como médico, no meio disso fiz a Bastter.com e ainda não acho que vá
ser minha última coisa. Tenho planos de outras coisas. Idade está na
sua cabeça. Mais uma limitação que as pessoas se impõem. Os
negócios que dão certo são criados por pessoas bem mais velhas do
que a maioria imagina. Provavelmente porque eles tentaram bastante
tempo e foram se desenvolvendo até chegar no que deu certo.

Ainda sobre escolher o que fazer, é importante se informar e é


importante se antenar as mudanças do mundo. Uma coisa é você
estar trabalhando em algo que pode estar ultrapassado, mas já está
ali, funcionando, e ainda produz renda. Outra bem diferente é começar
algo que não existe mais. Não quer dizer também que tenha de

67
embarcar na novidade da novidade da novidade que nem sabe se vai
existir. Apenas como exemplo vejam estas atividades que não existiam
há apenas 10 anos:

Desenvolvedor de APPs

Diretor de Mídias Sociais

Motorista de Uber

Engenheiro de carro autônomo e AI

Especialista em computação de rede

Analista de Big Data

Diretor de Sustentabilidade

Youtubers

Expert em hábitos dos millenials

Operadores de Drones

Fonte: @valalashar

Não estou dizendo que você tenha de escolher um destes trabalhos. A


ideia aqui é abrir sua cabeça para possibilidades e entender que tudo
está mudando muito rápido. Fique esperto com as mudanças e não
resista. Quando o mundo muda, ou você muda com ele ou é esmagado
pelas mudanças. Para ser uma pessoa que se adapte as mudanças do
mundo no trabalho é necessário que não tenha alma de velho e isso
não tem nada a ver com a idade. Pare de criticar a geração seguinte,
como seus pais criticavam a sua. Toda geração seguinte é diferente e
os jovens são mais irresponsáveis mesmo. Pare de resistir a mudanças,
experimente as inovações do mundo, tenha mente aberta. Não tenha
medo de testar e de tentar. Não tenha medo de mudar, não crie raízes
profundas demais. Aprenda com os mais jovens, assim como eles
aprendem contigo. E se for jovem então, aí que não pode mesmo. Vejo
muitos jovens bem mais velhos do que eu. Com medo de tentar,
resistindo ao novo, com saudosismo de épocas que nem viveram, com
medo. Não tenha medo. Quem vive com medo vive pela metade. Vai
errar, vai doer, vai sofrer, mas não existe crescimento sem dor. Ter
medo é a garantia de não crescer. Não precisa arriscar tudo, como eu
já disse, mas se ficar com medo não sai do lugar nunca.

68
Cuidado com o perfeccionismo que acaba te impedindo de criar, de
fazer qualquer coisa. Tentar ser o melhor que você pode ser é diferente
da obsessão pela perfeição. Não pode fazer as coisas sem planejar,
mas não pode também planejar para sempre e nunca fazer nada. Não
busque a perfeição, busque o melhor que puder naquele momento. É
muito importante que seu trabalho, seu negócio, seu produto seja
essencial e útil, mas é importante também que ele seja o mais simples
possível. Ser simples não quer dizer ser fácil, e na verdade nem sempre
é simples, mas não complique desnecessariamente e saiba bem o que
você está fazendo e saiba explicar de forma objetiva.

69
- Se precisa mais de duas frases para descrever seu produto ou seu
negócio, provavelmente você não tem uma visão suficientemente clara
de como vai funcionar.

E se você não tem, quem vai ter? Reveja seu negócio, seu trabalho e
limpe o que é inútil, limpe a complicação, limpe o que não serve, limpe
o que só complica. Tenha um objetivo claro e simples e lute por
ele todos os dias. Quando eu comecei estudar opções, percebi que
aquilo não ia prestar, aquele monte de livros cheio de gráficos que eu
não conseguia entender. Se fosse ensinar opções para as pessoas
normais que nem eu, precisaria simplificar e fazer de forma que em
primeiro lugar eu pudesse entender. O meu trabalho na época foi
simplificar para que todos pudessem entender. E acredito que foi por
isso que fez sucesso. Outros que entendiam muito mais do que eu de
opções, não tinham tanto alcance porque mantinham a complexidade
e aí quase ninguém entendia. Os quadros de ações da Área de Ações
da Bastter.com simplificam ao máximo a análise de empresas. E
continuo estudando formas de simplificar mais. Há anos que estudo
análise de empresas e está cheio de usuários na Bastter.com que
entendem muito mais do que eu, mas meu objetivo não é ser o que
sabe mais, mas sim, desenvolver formas de conseguir passar para a
pessoa normal, que nem eu, informações das empresas que podemos
comprar ações, da forma mais direta e objetiva possível. Costumo dizer

70
que a maioria entende mais de análise de empresas do que eu, mas
poucos entendem mais do que eu dos rolos que os seres humanos
fazem com ações. Se uma parte do meu negócio é escolher ações para
ser sócio (uma pequena parte pois o objetivo da Bastter.com é que as
pessoas tenham uma vida melhor, e as ações são só uma pequena
parte disso, mas apenas usando de exemplo), meu trabalho nesta área
tem sido simplificar ao máximo para que todos possam entender.

Simplifique o que você faz, seja objetivo, para que você possa explicar
facilmente e todos possam entender. Claro que há atividades que nem
precisam disso pois são óbvias, mas para quem está criando um
negócio, um produto, uma empresa, busque a simplificação e a
objetividade. Quanto mais gente entender de primeira, melhor. Para
isso é essencial que você possa explicar facilmente.

Tendo escolhido o que vai fazer, é necessário dinheiro para


começar. Algumas atividades demandam mais dinheiro, outras
menos. Só escolha uma das que demandam mais, se tiver mais. Se
não tiver muito dinheiro, comece com uma atividade que não precisa
ter muito dinheiro. Pode ser algo online com investimento pequeno. Só
não faça dívidas. Se fizer dívidas já começa morto. Sócios podem ser
uma solução à falta de dinheiro, mas sócios são complicados. Eu iria
sempre preferir começar pequeno e ir crescendo às custas de trabalho.
A Bastter.com foi assim, começou pequena, com pouco investimento e
foi se mantendo e nunca investi nada que não tivesse sido produzido
por ela antes, senão é uma enganação. Cuidado com a enganação de
ficar enchendo a PJ de dinheiro da PF. O objetivo é fazer o contrário.
Comece do tamanho que pode e só cresça porque o negócio cresceu.
Não adianta querer que uma formiga vá parir um elefante. Não vai
acontecer.

Hoje em dia há um outro tipo de solução: são os investidores anjo que


financiam e muitas vezes administram negócios, em troca de
participação no mesmo. Se o seu projeto for muito bom, pode atrair
financiamento que não é dívida, pois você dá parte da empresa em
troca dos recursos. Não é o ideal porque já começa perdendo parte da
empresa, mas é bem menos ruim do que dívidas.

Para apresentar sua ideia ou negócio a investidores anjo tem de se


informar e se preparar. Montar um bom plano de negócios, mostrar
seus números. Não adianta buscar investidores anjo com uma ideia
apenas. Eles gostam de ver números e os números tem de estar
corretos senão eles não vão nem olhar para a sua cara. Prepare-se

71
adequadamente, estude, busque ajuda se for procurar investidores
anjo. E antes de tudo pense bem, porque vai ter de abrir mão de
grande parte do seu negócio, o que pode ser bom agora, mas pode se
arrepender lá na frente. Muitas vezes inclusive, vai perder a direção e
a liberdade e seu negócio pode tomar rumos que não eram os que você
queria. Acontece usualmente de o criador da empresa acabar saindo
dela lá na frente por divergências com os financiadores. Pense bem
antes de ir por esse caminho. E escolha muito bem o investidor. De
preferência vá a grupos conhecidos, já estabelecidos no mercado. Não
se meta em aventuras.

A história da Bastter.com e investidores anjo é muito interessante.


Nunca realmente procurei investimento porque sempre mantivemos
nossos custos controlados e dentro da nossa realidade. Nunca busquei
crescimento que não o orgânico. Na minha área não acredito em
crescimento impulsionado por marketing. Não quero milhões passando
pela Bastter.com e desaparecendo. Sempre achei mais interessante
cativar um a um aos poucos para que se tornassem fiéis seguidores.
Trabalho de formiguinha, costumo dizer. Mas cada negócio vai ter de
ver como se dará seu crescimento, qual o seu caminho. Pois bem,
alguns investidores me procuraram e quiseram saber das
possibilidades para investimento na Bastter.com. Muitos se
desinteressaram pois viram que a Bastter.com, apesar de não ter
receita nem lucros enormes, era toda certinha, não tinha dívidas e não
precisava de dinheiro. O problema é que isso diminui o interesse deles
pois eles sabem que eu não aceitaria uma proposta que somente quem
está desesperado aceita. Outro problema é que todos queriam controle
e eu só poderia dar controle em troca de muito dinheiro, coisa que
nenhum deles considerava que a Bastter.com valia. Aqui uma
ponderação interessante. Muitas vezes o seu negócio é muito valioso
para você e parece que investidores avaliarão assim, mas ser muito
valioso para você não quer dizer que seja para eles. Um dos defeitos
da Bastter.com para eles, era a grande dependência no Bastter, apesar
que hoje isso já ter diminuído bastante. É um contrassenso, mas
quanto menos o seu negócio depender de você, mais ele vale. A
Bastter.com depender menos de mim é um esforço que venho fazendo
ano após ano. Muitos não vão conseguir fazer isso pois dá a impressão
que está perdendo o seu negócio, mas façam por duas razões: O
negócio passa a valer mais e você passa a ter mais paz, que é o
objetivo final. No caso da Bastter.com, o grande problema para os
investidores anjo é que eu nunca me interessei por eles. Fui nas
reuniões na época que ainda ia a reuniões para entender como

72
funcionava, pois um dia poderia precisar. Aprender sempre é bom, mas
até certo ponto. Hoje não vou mais.

Falei em reuniões, muito cuidado com isso. Não só reuniões de trabalho


na sua empresa, mas reuniões externas com outras pessoas ou
empresas. No meu entender, 90% ou mais não dá em nada e você só
perde o seu tempo. Tudo que puder ser resolvido virtualmente,
resolva. Negócio de “vamos tomar um café e conversar” perde-se dias
e dias de trabalho com conversas inúteis. As pessoas adoram isso até
para não trabalhar. Afaste-se. Só vá se não tiver outro jeito e for muito
importante. Dispense a maioria ou resolva virtualmente. Não pelo
telefone ou aquela chatice de call. Virtual tipo e-mail no máximo zap.
Você tem de ser diferente se quiser mesmo crescer. Afaste-se da
mediocridade e do usual.

Outra forma de financiamento que tem crescido são financiamentos


coletivos, que chamam de crowdfunding. Pode ser interessante para
alguns, mas na verdade eu nem sei bem como funciona. Pesquise e
veja se esta possibilidade cabe a você. No fim, o ideal é começar do
tamanho que pode bancar e só crescer com os ganhos que for tendo e
a reserva que for fazendo. É como a Bastter.com fez e como
recomendo. Você é senhor do seu destino e não deve nada a ninguém.
Paz e liberdade valem muito, muito mesmo. No início, na ânsia de
crescer demais, pode entregar um braço que vai te fazer falta lá na
frente ou tirar sua paz. Pense bem. O nome do livro é Sonho mais ou
menos grande. Nosso maior objetivo é a paz e não ser o maior.

Uma coisa interessante sobre isso é que você nunca sabe de onde
vem o dinheiro. Ou de onde vai vir o dinheiro. Pode planejar à
vontade e até deve. Pode criar à vontade e deve. Mas nunca vai saber
com exatidão de onde virá o dinheiro. Às vezes aposta em algo e o
dinheiro vem de outra coisa que nem esperava. Crie sempre e
mantenha diversas fontes abertas, provavelmente vai se surpreender.
E vai mudar. O dinheiro vem de um lugar, aí para e começa a vir de
outro. Não feche as fontes, mesmo as que estão só gotejando, desde
que não estejam consumindo seu negócio. E abra novas frentes, novas
possibilidades de receita. A receita da Bastter.com já mudou diversas
vezes. Áreas que sustentavam, desapareceram. Áreas que ficaram
estagnadas durante anos, de repente cresceram. Áreas que cresceram
e desapareceram, voltaram a crescer. Você nunca sabe de onde vem
o dinheiro. Faça diversas coisas, crie, abra novas frentes, trabalhe bem
em todas, mesmo nas que estão pequenas, você não sabe o dia de
amanhã.
73
Para ter paz e tranquilidade financeira provavelmente você vai ter de
fazer mais de uma coisa. É muito difícil ficar tranquilo hoje em dia
com apenas uma fonte de renda. No mais volta e meia, mesmo que
você se esforce e faça o melhor possível e esteja antenado com as
mudanças, as coisas acabam, desaparecem, às vezes de uma hora
para outra. É fundamental, como veremos no próximo capítulo, ir
fazendo reserva financeira, acumulando patrimônio, o que vai
progressivamente se tornando uma segurança e até mesmo uma fonte
de renda, se necessário. Mas ainda assim, ao menos no início, é
importante fazer ou ao menos planejar mais de uma atividade, mais
de um negócio. Se é empregado público ou privado tente empreender
de alguma forma, verificando, no caso do funcionário público, os
impedimentos legais. Se é autônomo, pode empreender também, de
preferência em outra área e, se é empreendedor, não fique em apenas
um negócio. Claro que não é da noite para o dia, mas pense nisso e
planeje em algum momento ter mais de uma atividade, mais de uma
fonte de renda. Não ache nem por um minuto que você está seguro.
Não está. E se acha que está então, está menos ainda.

Por último vou voltar a questão da coletividade. Não perca nem um


minuto do seu tempo com isso. Não caia nesta baboseira de que você
tem de mudar o mundo e quem não participa não está fazendo nada.
Você muda o mundo mudando você mesmo e os que estão a sua volta.
Trabalhe melhor, tente dar oportunidade de crescimento aos que estão
a sua volta, evolua, se desenvolva, crie, e está contribuindo para um
mundo melhor. Participe de coletividade e está contribuindo para os
líderes enriquecerem ou se tornarem políticos. Você muda o mundo
mudando a si mesmo, que é a única coisa que está sob seus domínios
e a sua mudança muda os que estão próximos de você.

Sindicatos defendem, não necessariamente nesta ordem: Governo,


patrão e diretores dos sindicatos. Quando você participa da
coletividade, está participando de uma luta para que todos sejam
medíocres. O objetivo deste livro é o crescimento individual. O mundo
melhora com muitos crescimentos individuais e não com entidades
coletivas como sindicatos, associação de classe, conselhos, etc. Afaste-
se disso tudo. Foque no seu trabalho e no seu desenvolvimento. Não
perca tempo com reuniões, associações, passeatas, gente revoltada,
ajuntamento de perdedores revoltados. Tudo na sua vida é
responsabilidade sua e todos seus erros e tudo que dá errado na sua
vida, analise, aprenda e evolua e não cometa os mesmos erros.
Participe desses movimentos e ache outro para ser culpado, continue

74
repetindo os mesmos erros sem sair do lugar e garanta ficar sempre
na mediocridade.

Vamos exemplificar com a greve. Quando uma categoria faz greve toda
hora, ela não está conquistando nada, ela está destruindo o seu
trabalho, pois a sociedade continua funcionando e a substitui de
alguma forma. Longe de mim ser contra o direito de greve. Não sou
contra nada. Mas quem participa destas lutas coletivas em pleno 2018
está só alimentando o sistema e enriquecendo os líderes. Acorde, corra
atrás, crie. Sua categoria está de greve? Se não for possível trabalhar,
vá fazer outra coisa, ou criar outra coisa porque a realidade dura é que
se sua categoria faz greve toda hora é porque ela não é mais
importante para a sociedade, se fosse, não precisava fazer greve.
Óbvio, né...

Estamos vivendo uma nova economia, é fundamental se adaptar a ela.


Os empregos não dão mais segurança (nem os públicos), tudo muda
diversas vezes durante a sua vida de trabalho. Você fica ultrapassado
rapidamente e cada vez mais assustado, angustiado e reclamando de
tudo. Não adianta reclamar, não adianta se sentir injustiçado, colocar
a culpa no chefe, no governo ou no Sunda. Você tem de se adaptar.
Não são os mais fortes que sobrevivem, mas os que se adaptam, já
nos disse Darwin há séculos atrás.

As mudanças do mundo são normalmente injustas. Mudanças não


estão preocupadas com injustiça. O fato de ser injusto não te tira da
corrida de ratos. A única coisa que te tira da corrida de ratos é correr
atrás, criar, investir em você, parar de pensar que nem manada, etc.
Se você está com fome, o fato disso ser injusto não mata sua fome. O
que pode matar sua fome é correr atrás, trabalhar, se diferenciar, criar,
ser único e indispensável para a sociedade. Comece hoje a mudar sua
vida parando de esperar alguma coisa dos outros, parando de achar
que alguém te deve alguma coisa, e fazendo por você. Se você não
fizer, ninguém nem nada vai fazer. Se você não mudar, nada vai
mudar.

75
Finalizando com mais uma expressão fantástica do Les Brown:

It’s not over till you win!

Não está acabado até você vencer!

76
III – Tranquilidade Financeira

“Patrimônio não se gira,

Patrimônio se acumula...”

Você estudou, trabalhou, mudou, criou, agora é hora de poupar em


busca da tranquilidade financeira.

Mas o que é Tranquilidade Financeira? É ter dinheiro suficiente para ter


paz, e isso varia de pessoa para pessoa. Tem de ter bastante sobra em
relação aos gastos mensais e poder, dentro do bom senso, comprar o
que quiser, viajar quando quiser e, se ficar sem trabalho, não virar
apocalypse zumbi. Não precisa ser milionário. As condições de vida das
pessoas são diferentes e o que vale mesmo na vida o dinheiro não
compra. Mas há de se ter reserva para poder ter paz. Por mais que o
dinheiro não compre o que realmente vale na vida a falta dele tira a
paz. E sem paz não há felicidade.

77
Esta figura resume a organização mental que você vai ter de ter para
chegar à Tranquilidade Financeira. Nós somos induzidos desde
pequenos a girar nosso patrimônio em busca de realizar lucros, taxas,
acertar o preço de compra, acertar a hora de entrar e sair e todas essas
besteiras. Frases idiotas como “lucro é no bolso” nos levam a perder a
grande chance de enriquecer. Pessoas que produzem bastante dinheiro
durante a vida, mas não juntam nada. Primeiro porque não entendem
a importância de poupar e segundo porque caem na ilusão de acertar,
de que vão entrar e sair dos investimentos na hora certa. No fim
produzem a riqueza dos intermediários e do governo ao invés da deles.
O que leva a Tranquilidade Financeira é focar no seu trabalho para
aumentar seus aportes mensais e manter os investimentos em valor o
máximo de tempo possível. Não gire. Acumule e deixe seu patrimônio
crescer e, progressivamente, produzir renda (que no início deve ser
reaplicada) para sua Tranquilidade Financeira. Estude a figura porque
ela resume o seu caminho para Tranquilidade Financeira.

Para gerenciar seu patrimônio siga sempre este esquema:

1 - Coloque todos seus investimentos no Bastter System (ou na sua


planilha de administração de capital, mas o Bastter System – nossa
78
planilha online de administração de capital - é gratuito, basta se
cadastrar na Bastter.com), mesmo os ativos que ainda não tem, mas
planeja ter.

2 - Estabeleça objetivos percentuais para cada categoria de


investimento, e dentro de cada categoria, para cada ativo.

3 - Uma vez por mês pegue todo o dinheiro novo (inclusive a renda
proveniente dos investimentos) e compre um ativo, no máximo dois,
que o sistema mandar. (Se o sistema mandar comprar mais de um
ativo, ou vários, compre qualquer um, tanto faz).

4 – Coloque de quarentena (não compra mais, mas também não


vende) o que considera que não tem mais valor. Só saia se após um
bom tempo de análise considerar realmente que não tem valor. Ainda
assim saia devagar, em partes, e acrescente o dinheiro da venda à
compra mensal.

5 – Reavalie seus ativos e os objetivos percentuais anualmente.

O que leva a girar patrimônio ao invés de acumular, que é o correto?


Não compreender que o enriquecimento vem de aporte, tempo e valor
leva a diversas tentativas de enriquecimento rápido que terminam em
girar o patrimônio e sustentar o sistema através de pagamento de
taxas, impostos, spread além do erro. Todos estes detonam seu
patrimônio.

- Vender o que está na frente – Essa é a pior de todas, a chamada


alocação inteligente, que na verdade é a coisa mais burra que se pode
fazer. O que vai te enriquecer é ficar o máximo de tempo possível em
valor. Sair de bons investimentos porque estão na frente é a pior
medida que pode tomar nos seus investimentos, não é à toa que é
sempre recomendado pelos analistas, mídia, etc. Todo ajuste deve ser
feito com compras do que está para trás. O que enriquece é comprar
e guardar, não vender.

79
Esta imagem destrói o conceito de alocação “inteligente” enquanto que
mostra que devemos ser bem conservadores na saída dos
investimentos. Se manter na campeã mesmo com dois micos, terminou
em muito mais patrimônio do que tirar a campeã e os dois micos.
Nunca venda o que está na frente, é justamente os que estão na frente
que vão te enriquecer. E não entre na sardinhice de que vai acertar
estes. Tenha muitos ativos em valor diversificado, alguns terão
desempenho extraordinário, mas antes não dá para saber quais,
impossível, se acertar é chute, nada mais do que isso.

- Realizar lucro – “Lucro bom é no bolso”. Uma das frases mais idiotas
já dita sobre os investimentos. Nunca realize lucro. NUNCA. Seu
objetivo é acumular valor e não vitórias. Vai realizar lucro, pagar taxas
e impostos, além do spread e comprar outra coisa, ou seja, dar uma
parte do seu patrimônio para governo e intermediários. Não é à toa
que recomendam tanto isso.

- Ir atrás de oportunidade – Não existe oportunidade. Os retornos


correspondem aos riscos (muitas vezes nem isso). Frequentemente
nas chamadas “oportunidades”, os riscos são desproporcionais aos
retornos, como por exemplo em debêntures, modalidade de
investimento na qual se assume o risco da empresa em troca de
retorno limitado. No mais, se ficar assumindo risco alto, uma hora ele
vem. O investidor incauto que assume risco alto, está pensando
somente na suposta oportunidade. Não estando preparado para o
prejuízo, este acaba se tornando muito maior por algum rolo que se

80
inventa na hora para não assumir o prejuízo. A única oportunidade que
existe é estudar, trabalhar e poupar sempre. É chato, é tedioso, mas
se quer emoção, vá ao teatro ou praticar esportes de competição.

O primeiro prejuízo é sempre o menor...

- Predador

- “Agora é hora de...” – Ferro. Compra no topo e venda no fundo. Se


você tivesse capacidade de acertar cenário, estava bilionário em
Mónaco e não lendo este livro. Pior é seguir dicas ou jornal, que diz
que agora é hora disso ou daquilo. Sempre vai estar atrasado. Bolsa
no topo: hora de ações. Bolsa no fundo: hora de renda fixa. Dólar no
topo: hora de dólar. E assim por diante. A hora para eles é sempre no
topo. Coloque todos seus investimentos no Bastter System (nossa
planilha online de administração financeira) ou na sua planilha, e
compre todo mês o que o sistema mandar. Esqueça acertar a hora de
qualquer coisa. Cada troca é taxa, corretagem, spread, impostos e lá
vai seu dinheiro embora.

- “Estou líquido” – Esse está relacionado aos outros, pois é a ilusão de


acertar a hora de entrar ou de acertar oportunidades. Todo seu
dinheiro deve estar investido em valor recebendo juros compostos e se
aproveitando do tempo. Uma vez por mês, pegue todo dinheiro novo e
invista. Mantenha apenas reserva de emergência em poupança, não
para oportunidades, mas para eventuais problemas que precisa de
dinheiro disponível. O resto, invista. Ficar líquido = perder juros
compostos e terminar com bem menos patrimônio. Sem contar que
quem fica líquido está esperando a chance de comprar no topo ou de
se meter em algum ferro.

81
Como a imagem demonstra, dinheiro parado (cash) é obviamente o
pior investimento.

- 100% em XXX (insira aqui o investimento que está no topo, sendo


indicado por todos analistas, ou alguma modinha tipo pirâmide) –
Diversifique. De acordo com suas características, tenha mais de um
tipo de investimento, mas sempre diversifique. Manter tudo em um
tipo de investimento é assumir risco enorme e, se aquele investimento
passar um período longo ruim, a chance de vender tudo no fundo em
pânico é enorme.

- Medir rentabilidade – Se você mede rentabilidade dos seus


investimentos, seu destino é comprar no topo quando a rentabilidade
é alta e vender no fundo quando ela é baixa. Para isso não precisa
medir nada, o ser humano já faz isso sozinho. Sistemas como o Bastter
System, que mandam comprar o que está para trás, devem ser
seguidos para evitar essa nossa tendência natural. Para os que alegam
que não vão fazer isso, para que medem rentabilidade então?
Esqueçam isso, meçam somente valor. Só o que importa é manter seus
investimentos o máximo de tempo em valor. Preço segue valor no
longo prazo e no curto prazo segue qualquer coisa, impossível de
entender. Esquece.

82
- Qualquer tipo de trade - Não chega a 1% a sobrevivência dos traders
no longo prazo. E isso contando todos, os profissionais incluídos.
Amador nos trades perde dinheiro sempre no longo prazo, mas isso
nem é o pior. O pior é a perda de saúde e da sanidade mental. Se está
com necessidade de adrenalina = esporte de competição. Faz bem à
saúde e sai bem mais barato do que trade.

O que é vender, mas não necessariamente girar patrimônio:

- Sair de investimentos que após MUITO estudo se concluiu que não


tem mais valor. Ainda assim saia devagar e em partes.

- Vender alguns investimentos para seus gastos e lazer quando já tem


Tranquilidade Financeira para isso. Não precisa ser aposentado. Depois
que se chega a alguma tranquilidade, já pode ir gastando, desde que
no início se poupe mais do que se gasta. Para isso que acumulamos
patrimônio, para viver melhor. Tenha bom senso sempre.

- Vender algum investimento por uma necessidade emergencial, para


comprar algo que precisa ou liquidar dívidas.

Para usar dinheiro, siga esta ordem:

83
1 - Use o dinheiro do seu trabalho que seria usado para investir.

2 - Use a renda dos investimentos que seria reaplicada.

3 - Use a Reserva de Emergência.

4 - Veja se tem alguma coisa para vender.

5 - Veja se tem títulos que estão bem próximos do vencimento.

Só aí vá para os seus investimentos e aí siga essa sequência abaixo:

A. Venda o que considera que não tem valor, está de quarentena, etc.

B. Venda o que está mais para frente no Bastter System ou na sua


planilha, mais à frente do percentual desejado, até chegar ao
percentual desejado. Só então passe para outro. Falamos antes que
não se vende o que está na frente, se ajusta comprando o que está
para trás, mas aqui é um caso especial, emergencial. Não se vende
nunca para ajustar o patrimônio, pois seu objetivo é ficar o máximo de
tempo possível em bons investimentos, já que são eles que vão
potencializar mais o seu aumento capital.

OBS: Se possível evite vender mais de 20 mil reais no mês em ações,


se for no lucro, para não ter de pagar imposto de renda.

OBS: Não recorra a dívidas, venda seus investimentos. Investir com


dívida é se enganar.

84
Esta figura demonstra com maestria o efeito deletério do giro sobre
seu patrimônio. As barras brancas demonstram o resultado bruto, as
pretas o resultado líquido e em cinza o quanto se gira. O resultado
bruto é o mesmo não importa o quanto se gira. O que muda são os
custos que aumentam mais quanto mais se gira, levando a resultado
líquido menor. Girar é uma decisão que se toma em prol do governo e
dos intermediários. Comprar e guardar é uma decisão que se toma em
prol do seu patrimônio.

Para ter Tranquilidade Financeira, em primeiro lugar, nada de


dívidas. Com dívidas não há Tranquilidade Financeira. PONTO. Não
tem “mas”, “porém”, “entretanto”, “exceção.” Primeiro pague suas
dívidas, depois vire ser humano.

OBS: Shrek, propriedade da Dreamworks

Se você tem dívidas, não é ser humano e não entra na turma. E não
me venha com historinha de “vou investir a X% e a dívida só me cobra
X-2%.” Historinha de sardinha. Dívida quebra, dívida acaba com sua
paz, o governo muda a regra, a inflação explode, você perde o
emprego, termina sem o bem e sem o dinheiro. Já vi mil vezes. Nunca
85
vi terminar bem. Exceção é o exemplo do burro, não me venham com
exceções. Claro que tem exceção assim como tem gente que ganha na
loteria ou acha dinheiro no meio da rua. Mas isso não quer dizer nada.
Tudo de bom que acontecer, ótimo, mas você tem de viver como se
não fosse acontecer e se preparar para a vida normal. Prepare-se
sempre para o provável, porque é mais provável que o provável
aconteça, ou seja, as dívidas te ferrem. A maioria dos negócios
quebram por quê? Porque já nascem endividados. Já nascem ferrados,
sem serem seres humanos. “Vou fazer dívidas para comprar
mercadorias e com a venda delas, eu pago a dívida.” Quebrou. Antes
de começar, quebrou. Não sabe, mas já está quebrado. Não faça
dívidas, nunca, em hipótese alguma. Viva com o que tem. Não compre
o que você não precisa com dinheiro que não tem para impressionar
pessoas que não conhece. Não estamos falando de sociedades
anônimas (SAs), as grandes empresas. Estas podem ter dívidas e
administrar as dívidas e até lucrar a partir das dívidas. Pessoa física e
microempresa de pessoa física quebra ou morre com dívida. E com
dívida não é ser humano. É rato ou escravo.

E para quem já tem dívidas, pare tudo, trabalhe 30 horas por dia,
venda tudo que tem e pague suas dívidas o mais rápido que puder,
comprando tempo sempre que possível (pagando primeiro as últimas
parcelas). Da mesma forma que o tempo é seu aliado nos
investimentos, ele é seu inimigo mortal nas dívidas. Em todas as
fórmulas de juros compostos seja a seu favor ou contra você, as taxas
multiplicam, o tempo é exponencial. Para quem não sabe o que é isso:

Multiplicação 5 X 5 = 25

Exponencial 5 elevado a 5 (55) = 5 X 5 X 5 X 5 X 5 = 3.125

86
Acha que tem chance com dívidas se não comprar tempo o máximo
que puder? Pague sua dívida. Se tiver a opção, como tem nos
financiamentos, compre as últimas parcelas, diminuindo o tempo. Isso
irá diminuir os juros expressivamente e jogar a seu favor para acabar
a dívida o mais rápido possível.

O objetivo é Tranquilidade Financeira. Não há Tranquilidade Financeira


com dívidas. Ponto. Daqui para frente nunca mais faça dívidas. Se você
compra algo fazendo uma dívida, aquilo não é seu. Não estou falando
de cartão de crédito, podendo pagar à vista que só se parcela porque
não há desconto a vista. Isso não é dívida. Agora, se o cartão é um
agente de descontrole, que termina em dívidas não use. Para quem é
equilibrado, ele pode ser usado. Tudo que puder ser pago à vista com
desconto, pague. Tudo que puder ser pago anual com desconto, pague.
Não tem desconto a vista, parcele no maior número de vezes se você
é uma pessoa controlada que paga sempre a fatura em dia e não
compra um monte de porcaria que não pode pagar. Se tem dinheiro
para pagar e aquilo te deixa feliz, ok, para isso que serve dinheiro. Se
vai se enrolar todo, pare de usar o cartão. Quem tem dívida não é ser
humano. Quem tem dívida de cartão ou cheque especial não é nem
rato.

87
Agora, se já tem dívidas, todo seu esforço é para pagá-las. Não faça
nada até pagar as dívidas. Pode manter apenas Reserva de Emergência
em poupança, o resto vai para pagar a dívida o mais rápido possível.

Como eliminar suas dívidas:

1 - Não faça novas dívidas. Quem tem dívidas não tem nada, é tudo
ilusão enquanto tiver dívidas. Pare de comprar, a não ser o
estritamente necessário. Sacrifícios terão de ser feitos por todos da
família ou nunca sairão dessa situação. Acima de tudo, não faça novas
dívidas para pagar antigas, a não ser renegociação com os credores.

2 - Renegocie as dívidas existentes com bancos e credores. Diga que


vai pagar, mas dentro de condições e taxas viáveis. Sente, negocie e
transforme em dívidas mais baratas. Isso faz MUITA diferença. Seja
duro nessas negociações. Eles têm margem para negociar.

3 - Da mesma forma que o TEMPO é seu maior aliado nos


investimentos, ele é seu maior inimigo nas dívidas, portanto as
mantenha no menor prazo possível, ou seja, considere na renegociação
os menores prazos (desde que esteja dentro do seu orçamento) e com
todo dinheiro extra que puder, compre tempo. Ou seja, preocupe-se
sempre em primeiro lugar, em diminuir o prazo da dívida.

4 - Venda tudo que puder vender. TUDO. Nada é seu de verdade


enquanto você tiver dívidas. Estas posses que não são suas serão bem
mais úteis diminuindo as dívidas. Se você não pagar as dívidas, vai
acabar perdendo tudo mesmo. Então venda tudo que puder para pagar
as dívidas, especialmente o carro (se tiver), pois este, além de tudo,
traz enormes gastos. Sacrifícios terão de ser feitos ou nunca vai sair
dessa. Depois que não tiver mais dívidas pode comprar o que quiser,
desde que tenha dinheiro para pagar e manter. E aí o que comprou
passa a ser seu de verdade.

5 - Se tem dívidas, não tem sentido ter investimentos. Eles rendem


bem menos do que as dívidas. Está jogando dinheiro no lixo. Esse
dinheiro investido rende bem mais pagando as dívidas. Use todos os
investimentos para pagar. Mantenha apenas reserva de emergência
em poupança.

6 - Todo dinheiro que sobrar, todo dinheiro extra, 13º e férias, por
exemplo, use para pagar dívidas, comprando tempo sempre que
possível. Não tire férias, trabalhe mais, arrume outro trabalho, outra
fonte de renda. Coloque todo mundo em casa para trabalhar de alguma

88
forma. Todo foco em pagar as dívidas. Seu trabalho e seu objetivo na
vida é pagar as dívidas. Só vai poder ter vida boa sem elas. É como
um câncer. Pare tudo e foque só em destruí-las. Seja feliz depois de
pagar as dívidas, pois com elas não vai ser feliz de qualquer forma.

7 - Quando terminar de pagar as dívidas, mantenha uma parte do


esforço para acumular patrimônio e daqui para frente só compre o que
você precisa com dinheiro que você tem. Pare de comprar o que você
não precisa com dinheiro que você não tem para impressionar pessoas
que você não conhece. Quer poder comprar? Trabalhe, poupe e
acumule. Quando tiver dinheiro para comprar e manter, aí sim pode
comprar e é seu.

8 – Se não está convencido disso, lembre-se que o governo pode


mudar as regras das dívidas, pode vir inflação alta, você pode perder
o emprego, etc. Dívidas são um risco alto. Já vi diversas histórias de
dívidas que foram crescendo de forma cavalar e acabaram com a
família e todas as posses. O risco é enorme. Todas estas coisas
acontecem toda hora. “Ah eu coloco na justiça!” A vida é para ter paz.
Pague suas dívidas o mais rápido possível. Não invente rolo.

9 - Enquanto tem dívidas não é um ser humano, não tem direito a


viver. Pague a dívida, depois vire ser humano e volte a viver. Enquanto
tiver dívidas, sua vida se resume a pagar as dívidas.

10 – Não invente outras coisas ruins como dívidas tipo consórcio e


outros rolos. Consórcio é pior do que a morte. Há diversas formas de
dívidas e rolos. Fuja de todos eles. É fácil entender o que não é rolo:
coisas que você tem o dinheiro para comprar e manter com folga.
Simples. Junte o dinheiro antes e compre depois.

89
Formas de parar de jogar dinheiro no lixo:

- Pare de pagar juros. Que compre algo para você, mesmo que seja
meio idiota ainda é menos idiota do que pagar juros. Quando você paga
juros, literalmente seu dinheiro vai para o lixo! NUNCA fique negativo
no cheque especial. Viva com o que você tem e faça uma poupança de
emergência. Ficou negativo, tire da poupança. Recebeu, reponha a
poupança. “Ah, a poupança rende pouco.” Vai render MUITO! Porque
vai impedir que seu dinheiro vá para o lixo pagando juros bancários.
Só compre no cartão o que pode pagar, nunca atrase a fatura,
renegocie, etc. Se não resiste, deixe o cartão em casa dentro de uma
gaveta ou cancele. Compre tudo que tiver desconto à vista. Pague tudo
que puder pagar anual com desconto. Guarde o dinheiro para comprar
antes, assim tudo sai mais barato e você paga menos.

- Só compre o que puder comprar e manter com folga. Nada contra


comprar o que pode comprar. Para isso que trabalha e poupa. Mas
quando compra o que não pode com dinheiro que não tem, aquilo não
é seu e custa muito mais caro. Não é comprar que te faz rico, mas
poder comprar. Para poder comprar você tem de estudar, trabalhar e
poupar antes.

- Não empreste dinheiro. Você não é banco. Se não tiver como evitar,
veja quanto pode dar sem fazer falta e dê. Deixe as pessoas saberem
que você é alguém que não empresta dinheiro, não empresta o nome,
não se mete em rolo. E quem não quiser mais ser seu amigo, ótimo,
já não era mesmo antes.

- Pare de buscar investimentos fantásticos de enriquecimento fácil e


rápido. NÃO EXISTEM! Seu dinheiro vai sumir sempre, mesmo que
ganhe um pouco no início. Não são investimentos que vão te
enriquecer, mas estudo, trabalho e poupança. Investimentos
capitalizam e fazem juros compostos do dinheiro ganho no trabalho.
Ótimo, mas é só isso. Não se iluda, não tem nada mágico aí.

Vamos ver também alguns ferros que a vida traz que muitas vezes
terminam em dívidas:

- CARRO: Esse é uma desgraça, ainda mais quando se compra


financiado, leasing, consórcio, essas porcarias. Carro é uma família, te
leva dinheiro todo dia, todo mês e cada dia vale menos. É passivo, não
é patrimônio. Precisa ter carro, ok, é um meio de transporte, nada além
disso. E tem de poder comprar e manter. Quer ter aquele carrão porque

90
te dá prazer? Trabalhe para isso, tenha o dinheiro para comprar e
manter com folga.

- NEGÓCIOS: Especialmente aquele que você não entende, sociedade


com amigos, franquia, etc. E pior, conta que vai dar certo, gasta um
dinheirão, compra contando com as vendas, faz dívida. Ferrou. Para
entrar num negócio, entre devagar, aprenda primeiro, adquira
experiência, não faça dividas, considere sempre o pior cenário, e
considere que sócios são o demo. Assim tem alguma chance de dar
certo. E trabalhe, trabalhe, trabalhe e crie todo dia, ou a poeira vai te
levar e teu negócio junto...

- INVESTIMENTO FORA DA CURVA: Ferrou. “5% ao mês sem risco.”


Cheque de dentista, pirâmide, banquinho pagando milão, qualquer
coisa que o dinheiro entre fácil e você pareça esperto é ferro na certa.
Dinheiro só se ganha trabalhando. Investimento remunera o capital
ganho no trabalho com juros compostos e tenta defender da inflação.
Muito mais que isso é pura ilusão, risco alto e CREU. Se der certo,
então, pior ainda, porque você aumenta a aposta e na próxima é CREU
federal ao quadrado.

- CUNHADO: Cunhado aqui representa aquele parente, amigo ou


colega que está sempre dando dicas, te levando para furadas, e te
convencendo a entrar em coisas que você não tem ideia do que seja.
Está sempre ganhando e se dando bem e sabe-se lá porque quer que
você entre na parada. Fuja desses caras. Se o que eles estão metidos
fosse bom mesmo, eles não te chamavam.

- DÍVIDA: Não faça dívidas, viva com o que você tem. Especialmente
não ceda seu nome para os outros fazerem dividas. Com dívida já era,
nunca mais você paga e vira o burro correndo atrás da cenoura. Venda
tudo, pague tudo e nunca mais faça dividas. Poupe antes e compre
tudo com o dinheiro que você tem. E não empreste dinheiro também,
você não é banco. Se não tiver como resistir, veja o que pode dar e
dê. Já falamos disso, mas nunca é demais. Dívida é o buraco que todos
gostam de se meter e não sair nunca mais. Dívida é desgraça, não tem
exceção. Aceite isso e nunca faça.

- CASAMENTOS: Nunca saia da casa dos seus pais a não ser para casar.
É a forma mais fácil de juntar dinheiro. Se casar, não separe. Se
separar, não case de novo. Se casar de novo, não tenha filhos de novo
e não separe de novo. Se separar de novo, não case de novo e não
tenha filhos de novo. Se chegou até aqui, desisto.

91
Reserva de Emergência é a primeira linha da Tranquilidade
Financeira. Uma reserva em poupança para emergências, que podem
ser diversas. Cada um deve avaliar o quanto precisa de reserva. Três
meses de gastos mensais? Seis meses? Menos? Depende do quanto
cada um tem de patrimônio acumulado, do quanto sobra todo mês, do
quanto ganha por mês, do risco de perder o emprego, etc. A Reserva
de Emergência resolve coisas usuais como não deixar ficar negativo no
banco nunca (só fazendo isso o rendimento mensal dela se torna
extraordinário), não deixar de pagar o cartão de crédito no dia, aquela
conta que esqueceu, aquele gasto inesperado, aquele presente que
precisa comprar, a viagem, etc. É a primeira reserva para gastos que
possam surgir e para não deixar que existam dívidas, especialmente
cartão de crédito e cheque especial. Rentabilidade não importa,
importa liquidez, por isso fica na poupança. Qualquer pessoa que acha
que deve colocar em outro lugar não entendeu nada. Volte duas casas.

Só há duas possibilidades com Reserva de Emergência:

- Você nunca usa: Pense em diminuir e invista a sobra.

- Você usa: Caderneta de Poupança funciona melhor do que qualquer


investimento neste caso.

Portanto, ficar na besteira de fazer reserva de emergência em outros


investimentos só prejudica o seu patrimônio, mostra que não entendeu
nada e que está preocupado com rentabilidade e não com valor. Ainda
que a rentabilidade seja maior - e não deveria ser - porque se usa a
reserva de emergência frequentemente, prejudica bastante a
rentabilidade dos outros investimentos sem ser a poupança. Se colocar
no papel a diferença é de 13 reais ou algo assim. E está prejudicando
a sua segurança pois nada tem a liquidez da poupança. No mais não é
nada disso que vai te enriquecer. A tranquilidade financeira é para
parar de se preocupar com estas coisas. Deixe na caderneta porque é
o mais eficiente para reserva de emergência e nem faça as contas
porque nada disso faz a menor diferença. É nesse ponto de
tranquilidade que você deve chegar e não nas continhas de centavos
que nunca enriqueceram ninguém.

Rentabilidade é a máquina de triturar sardinhas. Não é que


rentabilidade não importe na reserva de emergência. Ela não importa
em lugar algum. É um dos principais conceitos que você precisa
abandonar se deseja ter tranquilidade financeira, junto com realizar
lucros, cotações, taxas, etc. Patrimônio tem valor e não rentabilidade.

92
Medir rentabilidade é a certeza de detonar seu patrimônio, pois vai
entrar nos investimentos no topo, quando a rentabilidade estiver
bombando e sair no fundo, quando estiver desabando.

Quem fala coisas como corretagem, custódia, banco de graça, etc.


também não fica rico nunca. Acumulamos patrimônio para viver melhor
e não para morrer mendigando centavos. O dinheiro não é o fim, é o
meio para uma vida melhor ou até mesmo para, numa fase mais
adiantada, poder ajudar os menos favorecidos de alguma forma, os
cachorros ou o que for. Ele nunca pode ser o objetivo, senão você pode
ter dinheiro, pode ser rico, mas não terá Tranquilidade Financeira.

E cuidado, muito cuidado com o dinheiro maldito. O dinheiro ganho


de forma escusa, enganando os outros, o dinheiro que não era para
ser seu. Esse dinheiro é amaldiçoado. Ele cobra um preço. É como
vender a alma ao Diabo. Você pode ter dinheiro, mas não vai ter Paz.
Vai ver que aquele dinheiro não vale a pena. Não queira um real que
não seja seu, um mísero real. Não queira um real que não seja ganho
honestamente, ele vai cobrar um preço e vai ser bem mais alto do que
ele vale.

Voltando a Reserva de Emergência, por que na poupança? Só há


duas alternativas: Se usa pouco a reserva, ela está grande demais,
então invista parte do dinheiro e diminua a reserva. Se usa bastante a
reserva, no fim caderneta é o melhor investimento para dinheiro de
alto giro. E como eu disse, aqui não importa rentabilidade (que não
importa em nenhum investimento na verdade), importa somente
liquidez. O que é necessário na reserva de emergência é que você
tenha dinheiro na mão quando precisa. Conforme seu patrimônio
aumenta, a reserva de emergência vai se mantendo num valor fixo,
logo um percentual cada vez menor do seu patrimônio. Se rende isso
ou aquilo não faz a menor diferença. Só se preocupa com isso quem
não entendeu nada ou quem está fazendo tudo errado e a reserva de
emergência continua sendo uma parte importante do patrimônio.
Algumas coisas que você fala te impedem de enriquecer. Uma prova
de que o sujeito está no caminho errado: Se preocupa se reserva de
emergência está na caderneta, se não deveria colocar em CDB ou o
que for. Se ele se preocupa com essa diferença de 13 reais é porque
não tem nada ou não vai ter nada.

Mesma coisa para quem fala os termos “custódia”, “corretagem”,


“conta de banco sem custo”, etc. O objetivo de acumular patrimônio é
viver melhor e receber melhor atendimento e serviços. O objetivo não

93
é chorar miséria. Não é poupando uma bala Juquinha que se enriquece.
Isso é o que os jornais e os analistas falam, mas temos de nos afastar
deles. O que enriquece é investir na sua formação, trabalhar melhor e
poupar mais e manter em valor pelo máximo de tempo. E se faz isso
para poder chegar a Tranquilidade Financeira e aproveitar a vida e
no caminho temos de aproveitar também. Aquela reserva é sua, para
te dar paz e liberdade. Desde o primeiro dinheiro poupado, sua vida
começa a melhorar e você sempre vai poder usar parte dele para viver
melhor.

Sobre anotar bala Juquinha, afastem-se da maluquice de anotar


tudo. Tranquilidade Financeira tem como primeira palavra
tranquilidade. Anotar tudo que gasta é o oposto de tranquilidade.
Dinheiro é para trazer liberdade e vida melhor e não paranoia,
obsessão e maluquice. Fazer um inventário dos grandes gastos e tentar
ver onde está indo embora dinheiro em coisas não essenciais, isso por
um tempo, ok. Anotar tudo obsessivamente = TOC. Trate porque pode
piorar. O controle deve ser feito por ordem de grandeza e não por
miudezas. Claro que, se você não consegue poupar, tem de ver onde
está o problema. Verificar principalmente nas coisas inúteis que o
dinheiro está indo como o pagamento de juros, pagamentos mensais
de coisas que não são essenciais, etc. Às vezes, mesmo com tudo isso,
a solução é trabalhar melhor e ganhar mais. Aprenda desde cedo a
diferença entre o poupador que visa ter uma vida melhor e o pão-duro,
avarento que faz do dinheiro o seu Deus e termina miserável com ou
sem dinheiro. Há uma enorme diferença. Dinheiro é um meio para
termos liberdade e não o fim.

Com Reserva de Emergência feita e dívidas pagas, vamos ver o


que vai nos enriquecer:

Aporte, Tempo e Valor. Da combinação e trabalho conjunto destes


três, virá o seu enriquecimento. Quanto mais se desviar dos três e
partir para as diversas formas de detonar seu patrimônio, como
rentabilidade, oportunidade, trade, daytrade, ficar rico rápido,
cotações, preços, realizar lucros, etc., mais longe vai ficar do
enriquecimento. Ou acumula patrimônio para você lentamente, mas
consistentemente com estes três fatores a seu favor, ou doa seu
patrimônio a intermediários, governos e grandes investidores tentando
ficar rico fácil com algum atalho dentre os citados acima e muitos
outros que vão aparecer na sua vida.

94
Os que giram patrimônio, na ilusão de acertar a hora de entrar e sair
dos diversos investimentos, nunca chegarão as explosões dos juros
compostos das últimas barras da figura acima, pois para isso é preciso
tempo. Como trocam toda hora, só ficam nas primeiras barras sem
nunca ver seu patrimônio crescer expressivamente. Os juros
compostos são espetaculares e o motor do seu enriquecimento, mas
levam tempo para agir. Se ficar trocando toda hora já era. Cada troca
volta para a primeira barra. Os juros compostos não vão ter tempo de
agir e seu patrimônio não vai crescer. Achar que vai vencer estas
últimas barras acertando a hora de entrar e sair é uma ilusão criada
pelos que se beneficiam dela recebendo taxas, corretagem, impostos,
etc. E respondendo a uma pergunta frequente: Todos investimentos

95
têm juros compostos. Juros simples é questão de prova. Passou na
prova, esquece. Mas para eles agirem precisa de tempo.

A fórmula dos juros compostos diz, de forma simplificada, que eles


são iguais ao aporte multiplicado por taxa elevado a tempo. Mas
porque taxa não importa se ela está na fórmula? Simples. Você tem
controle, ou ao menos pode trabalhar para aumentar seus aportes e o
aumento dos aportes não eleva o risco. A taxa não está sob seu
domínio e taxas mais altas implicam risco mais alto,
desproporcionalmente mais alto na maioria das vezes. O
enriquecimento vem de ganhos pequenos consistentes e não de
ganhos grandes, a grande cacetada que todo sardinha almeja. No
mais, o que devemos evitar acima de tudo é o risco alto. Problema de
pequeno investidor não é retorno, mas risco. Se assumirmos risco alto,
o ferro alto será questão de tempo. Um retorno menor não detona o
nosso patrimônio. Está cheio de gente rica com a dobradinha poupança
e imóveis (não que eu esteja recomendando isso, mas ficaram ricos
porque focaram nos aportes). Risco alto detona o patrimônio e ele vem
da busca de taxas altas. Logo, o importante é focar nos aportes e
mantê-los em valor o máximo de tempo possível. O tempo é
exponencial, então ele é que mais vai potencializar o crescimento do
seu patrimônio. Mas o tempo precisa de tempo para agir. No início,
quase não acontece nada. Depois, começa a explodir. A maioria nunca
chega à hora que explode porque fica trocando os investimentos sem
parar, atrás da grande oportunidade e de ganhos no curto prazo. As
pessoas não têm noção do quanto perdem fazendo isso. Não
compreendem o quanto investimentos parados, quietos, em valor,
através dos anos, podem se multiplicar. Se soubessem, paravam de
pular que nem galinha com pó de mico e iam se dedicar ao que
interessa, que é o seu trabalho, a sua família e a sua saúde.

Repetindo a conta que demonstra o que o tempo pode fazer por você
em relação a taxa:

Taxa: 5 X 5 = 25

Tempo: 5 elevado a 5 (55) = 5 X 5 X 5 X 5 X 5 = 3125

Entenderam porque analista, mídia e sardinhada só falam em taxa?


Não poderia ser diferente. Siga a manada, repita o que todo mundo
fala e depois envelheça passando fome e reclamando do governo...

96
97
Os dois gráficos acima demonstram claramente como ir atrás de preço
de compra, de oportunidade (mesmo que acerte, o que é raríssimo) é
insignificante perante o poder dos aportes. O tempo que se perde atrás
de oportunidades é bem mais eficiente se for utilizado para seu
desenvolvimento, o que pode levar a maiores ganhos na profissão e
aportes maiores. Nada supera o aporte no seu. Foque no seu trabalho,
em aumentar os aportes e deixar investido em valor bastante tempo.
As figuras demonstram que aportes maiores mesmo comprando em
situações teoricamente piores (preços mais altos) levam a patrimônios
expressivamente maiores. A diferença que o aporte maior produz, é
bem mais expressiva do que acertar preços de compra, que se resume
a uma ilusão. Foi colocado nos estudos para efeito comparativo, mas
no mundo real ninguém acerta todas as compras na baixa. Taxas levam
ao mesmo efeito. Aportes maiores mesmo com taxas menores
produzem expressivamente mais patrimônio. O foco tem de estar

98
sempre no seu desenvolvimento, no seu trabalho, para levar a maiores
aportes.

Este é um gráfico espetacular porque ele mostra a ação positiva do


tempo nos investimentos independente dos outros fatores. A primeira
linha debaixo mostra investimentos por 10 anos, a segunda por 20
anos, a terceira por 30 anos e a mais alta, com maiores e melhores
resultados, demonstra os investimentos mantidos por 40 anos. As
compras do índice de ações são aleatórias. A análise é somente da ação
do tempo. Como a fórmula dos juros compostos demonstra, o tempo
que vai potencializar mais o crescimento do patrimônio, quanto mais
deixá-lo agir. Atitude fundamental nos investimentos: Deixar o
tempo agir. Manter os investimentos quietos em valor o máximo de
tempo possível. Isso, além de fazer com que seu patrimônio aumente
mais, dá menos trabalho, levando a ter mais possibilidade de aumentar
seus aportes, ou ao menos mais tempo de viver a vida, o que já é uma
grande coisa. Quem gira menos o patrimônio, termina com mais
patrimônio, e com mais vida.

Parece simples e é. Resumido:

Aporte: Quanto mais aportar, mais rico vai ser e nada supera isso.
Foque no seu trabalho, desenvolva-se, ganhe mais e poupe mais. Se
99
necessário, pare de gastar dinheiro em besteiras inúteis que não te dão
nenhum prazer especial, notadamente pagar juros.

Tempo: Quanto mais tempo os investimentos ficarem quietos, mais


os juros compostos agem (exponencialmente) e menos custos e
impostos você paga. Isso não quer dizer que você deve ficar em tudo
para sempre. Deve manter os investimentos em valor e até pode sair
do que não tem valor, mas com muita calma. O dano ao seu patrimônio
de sair de um bom investimento é muito, mas muito, mas MUITO maior
do que o dano de ficar mais tempo do que devia em um que perdeu
valor. Diversifique bastante para não ter a necessidade de sair com
pressa.

Valor: Não adianta de nada aportar e deixar o tempo agir se sua


carteira de investimentos só tiver lixo. Este é o fator mais difícil de
entender. Porque aportar você controla de forma simples. Ganhar
mais, poupar mais. Ganhar mais pode até ser difícil, mas compreender
que tem de aportar mais é simples. Tempo também é simples, só não
mexer e pronto. Valor é um pouco mais complicado. A primeira coisa
é entender que não precisa ser o melhor valor, o maior valor, o valor
mais perfeito do mundo, porque isso vai levar a giro de patrimônio.
Basta que tenha valor. Não precisa ser o melhor valor e nem um valor
perfeito. Diversifique e mantenha, na medida do possível, seus
investimentos em valor, sendo bastante conservador para decidir que
perdeu valor e sair. A melhor forma de compreender o que é valor é
frequentando a Bastter.com. Para participar das discussões é de graça,
basta se cadastrar. De qualquer forma, vá estudando os investimentos
e aprendendo o que é valor.

100
O quadro mostra o retorno de empresas não muito boas, pode-se dizer
até ruins, em 18 anos. Não é um incentivo a ser sócio de empresas
ruins, apenas mostrando que até empresas não muito boas trazem
algum retorno se der tempo a elas. Não precisa ter valor perfeito, se
for valor bom, já está bom. Uma carteira com boas empresas traria
muito mais retorno do que estas através do tempo, e 18 anos nem é
tanto tempo assim. Ficar correndo atrás do valor perfeito acaba tendo
retorno até pior do que destas que nem são boas.

Um imóvel bem localizado, que aluga fácil, tem valor. Um imóvel numa
localização ruim, perigosa, não tem valor.

Uma ação de uma empresa com lucros consistentes, dívida equilibrada


e que oferece ONs (ações ordinárias, as únicas que ó sócio deve ter)
tem valor. Uma ação de uma empresa com má governança, sem lucros
consistentes e dívida desequilibrada não tem valor.

Títulos do governo do Tesouro Direto têm valor. Até a caderneta de


poupança tem valor para Reserva de Emergência. Debêntures, por
exemplo, não têm valor porque se assume risco alto em troca de
retorno limitado. O mesmo acontece com CDBs de bancos pequenos.

Um Fundo de Investimento em Imóveis, com uma carteira diversificada


de bons imóveis e com bastante inquilinos tem valor. Um Fundo de
Investimentos em Imóveis com apenas um imóvel e um inquilino
provavelmente não tem muito valor para o pequeno investidor.

101
Dólar e Euro têm valor como Reserva de Valor. Dinheiro da Argentina
ou do Cazaquistão não têm valor, não porque esses países são piores,
mas porque, se tiver uma situação econômica grave e você for para
outro país com moedas desses países, não vai conseguir trocar por
comida.

Foram apenas alguns exemplos para se entender o conceito simples de


valor. Mantenha-se em valor. Não precisa ser o melhor valor nem o
mais perfeito, mas que tenha valor.

Diversificação é quase tão importante quando aporte, tempo e valor.


Acho que vou mudar para aporte, tempo e valor e diversificação.
Esqueçam esse bullshit acadêmico dos 16 ativos, que afirma que acima
disso não se diminui o risco. Primeiro que esses estudos estão ligados
a volatilidade, que não interessa a quem acumula patrimônio em valor.
O que interessa é o risco de erro e de perdas. Os professores que citam
estes estudos na faculdade nunca compraram uma ação na vida. Vivem
na teoria. Aliás faculdade = teoria. Nada além disso, infelizmente. Há
poucos locais mais deslocados do mundo real. No fim a coisa é bem
simples: Se você tem dois ativos e um quebra, perdeu 50%. Se tem
10, perdeu 10%, se tem 20 perdeu 5%, e assim por diante. Zé
Continha, já sei que nem sempre tem o mesmo percentual em todos,
mas é só uma exemplificação para entender o conceito. Sobre o Zé
Continha, olhem essa frase espetacular do Peter Lynch: “Toda a
matemática que você precisa na Bolsa de Valores aprende no quarto
ano da escola.” Todas estas teorias complexas do meio acadêmico são
só para passar de ano na faculdade. Não tem nada a ver com
investimentos no mundo real. Olhem as contas que apresentei sobre
diversificação. Matemática básica. Só precisa saber isso. Experimente
ser o espertinho que não diversifica citando Buffet, que aliás, diversifica
muito, e quando as coisas começarem a dar errado, e uma tonelada
do seu patrimônio afundar, vai ser o vendedor de fundo e girador de
patrimônio sustentando o sistema. Portanto, Aporte, Tempo, Valor e
MUITA Diversificação, inclusive internacional, se deseja sobreviver.
Outro erro é quando falam que quem diversifica demais tem de perder
muito tempo cuidando dos seus investimentos. É justamente o
contrário. Quem diversifica muito tem risco baixo por ativo, então pode
acompanhar menos.

102
Não seja o Zé Contina. Tudo que você precisa nos investimentos é
matemática básica. Continhas de centavos não vão te levar a lugar
algum. Compreenda os conceitos. Sabendo os conceitos, nem precisa
de conta. Entenda a floresta, esqueça as árvores isoladas. Beba o leite
e esquece a vaca...

O foco no trabalho leva a mais aporte. Mantendo-se investido em


valor diversificado, os juros compostos vão agir através do tempo e,
progressivamente vai se acumular mais patrimônio. Esse patrimônio
vai produzir mais renda, levando a Tranquilidade Financeira:

103
Vejam como a renda proveniente do trabalho vai proporcionalmente
diminuindo conforme a renda dos investimentos sobe, levando ao
aumento da renda total. Não quer dizer que a renda do trabalho está
diminuindo em termos nominais. Pode estar ou não, mas como a renda
dos investimentos cresce exponencialmente através do tempo, se
acumular patrimônio em valor, a renda do trabalho tende a ser
proporcionalmente menor. A renda dos investimentos é sua
Tranquilidade Financeira. E ainda que nem todos investimentos
produzam renda (para não entrarmos aqui na sardinhice dos
dividendos, que não é assunto deste livro) não importa. Os
investimentos que produzem menos renda tendem a ter mais ganho
de capital se forem bons e tiverem valor. No fim, tanto faz. O que
importa é que o patrimônio fique em valor diversificado através do
tempo e receba aportes mensais. Mais patrimônio leva a mais renda e
pequenas partes do patrimônio também podem ser vendidas se quiser.
Basta ter bom senso e ir caminhando, acumulando e aproveitando a
vida. Se fizer o dever de casa, vai acontecer o que está neste gráfico.
Se achar que é o esperto das oportunidades, vai acontecer o mesmo
que da maioria: Fome, mimimi e vitimização.

Faz parte da Tranquilidade Financeira também a Reserva de Valor.


Aqui só importa que sejam ativos que possam ser usados para sua
família comer ou trocar de país no caso de caos. Não estou falando de
apocalypse zumbi ou fim do mundo, aí tanto faz. Estou falando de caos
econômico, muito comum na América Latina, mas que também
acontece em outros locais do mundo. O que mais importa é que sejam
ativos seguros e que já demonstraram através do tempo que mantêm

104
valor, têm boa liquidez e poder de troca. Pode até ter ativos com menos
liquidez desde que possua os de liquidez também. Reserva de Valor
não se faz na hora do caos, sardinha brilhante. Tem de ter o tempo
todo. Quando o caos vem, já era. E você não vai saber quando vem o
caos. Se não tiver Reserva de Valor, pode ter problemas graves na
hora.

O que deve e o que pode ter na Reserva de Valor:

- Dólar físico: esse é essencial e tem de fazer parte de toda reserva de


valor. Uma vez fui ao interior do Quênia visitar uma aldeia. Os nativos
não sabiam falar nem a língua do Quênia, mas na hora de vender seus
colares e pulseiras eles sabiam falar: One dolar, two dolars, etc. Dólar
é aceito em qualquer lugar então tem de fazer parte. Uma pequena
quantia de moeda física como primeira linha de defesa. Pode ser
roubado? Pode. Tudo pode. Se for roubado, comece de novo. Neste
quesito pode até guardar um pouco em cartões pré-pagos em dólar,
mas não se fie muito, pois no caos eles podem parar de funcionar.
Fundo de dólar e outras besteiras não servem. Se o sistema financeiro
quebrar, não vão servir para nada. Depósitos no exterior, sim, podem
ser uma segunda linha de defesa bastante interessante. Investimentos
no exterior devem fazer parte de uma carteira diversificada e têm a
dupla função de investimento e reserva de valor.

- Euro físico: Não é uma moeda tão sólida quanto o dólar, mas pode
ser usada também. Tenha dólar e euro se quiser, mas nunca somente
euro. Há outras moedas como o franco suíço, a libra esterlina, moedas
da Ásia, etc. A princípio, dólar e euro te protegem bem. Tenha outras
por razões específicas suas ou se quiser diversificar ainda mais a
reserva de valor.

- Ouro: Pode ser tanto no estado bruto quando na forma de joias. Não
tem a mesma liquidez e não é tão fácil de usar quanto o dólar, mas se
carrega um valor maior em menos espaço. Um pouco de ouro pode ser
bom. Ouro bruto é mais interessante do que joias, porque joia se paga
um adicional pela arte que não se recebe na hora do sufoco.

Dólar, euro e ouro são ótimos para reserva de valor, mas péssimos
investimentos no longo prazo. Ouro mal cobre a inflação e os outros
dois tendem a perder para a inflação. Há muito histerismo em torno
deles nas crises com a explosão dos preços, mas no longo prazo o
retorno tende a ser muito ruim. Enquanto escrevo este livro estamos
tendo uma desvalorização do real e o dólar passou de 4 reais (os outros

105
dois sobem também nessas épocas). Pois bem, em 2002, 16 anos
atrás, o dólar estava nos mesmos 4 reais. Claro que estou selecionando
um topo anterior dele para exemplificar, mas quando vai se analisar
no longo prazo a caderneta de poupança, que nem pode ser
considerada investimento, ganha deles disparado. Não devemos nos
preocupar com rentabilidade e sim com valor, mas preciso destes
exemplos para demonstrar o conceito. Dólar, euro e ouro, assim como
outras moedas, servem apenas como Reserva de Valor para crise. Não
possuem valor como investimentos, portanto devem ser apenas uma
pequena parte do seu patrimônio.

- Bitcoin e Criptomoedas: Para quem tem um patrimônio maior e uma


reserva de valor maior, é mais uma tentativa de ter mais segurança e
mais uma alternativa que pode ser trocada por comida. Não vou entrar
aqui no mérito de discutir criptomoedas. Ninguém precisa ter, o que
não pode é confundir. Em primeiro lugar, ninguém vai ficar rico com
trade de criptomoedas. Afaste-se das modinhas. Começa a aparecer
um monte de produtos financeiros estranhos dando sei lá quanto por
mês garantido. Usam criptomoedas porque entrou na moda. Poderia
ser Boi Gordo, Avestruz, o que for. Cada época é uma coisa diferente
e os mesmos golpes. Criptomoedas servem como Reserva de Valor
para quem quer e só. Quem quiser ignorar, pode ignorar, mas não se
emocione, ignore e pronto. Podem vir a se tornar um importante meio
de pagamento ou não. Saberemos no futuro.

- Imóveis e terras: Ativos reais, normalmente sobrevivem às crises.


Terra é mais complicado. Os imóveis servem como dupla função de
investimento e renda e de reserva de valor. Imóvel no exterior seria
uma linha mais avançada de segurança. Mas para isso se precisa que
o patrimônio seja maior. E tem de tomar cuidado para não se meter
em arapuca.

- Passaporte em dia. Se possível, de mais de um país. Mantenha seu


passaporte sempre em dia e válido. Na hora do caos não vai conseguir
tirar o passaporte. Se puder ter dupla cidadania, faça isso e mantenha
o passaporte do outro país em dia também. Dupla cidadania te permite
uma via de saída para outro país. Se tiver investimentos neste país,
melhor ainda.

- Investir na sua formação: Se vier o caos, e se tiver de ir para outro


país ou mesmo que tenha de ficar no seu em meio ao caos, quanto
mais desenvolvida for sua formação, quanto mais útil for para a
sociedade, menor a chance de passar fome.

106
- Saúde: É a última linha da reserva de valor. Sem saúde vai ficar
difícil, mesmo com todos os outros. Cuide da sua saúde.

Claro que para a maioria é difícil ter tudo isso, mas seria uma reserva
de valor muito boa. Dentro disso, cada um vai fazendo o que der,
começando com dólar físico, que é o mais simples, e progredindo
conforme sua vida permite. Essa seria a forma de ter alguma proteção
contra crises graves porque proteção total não existe. Sempre
lembrando que proteção contra crises, contra caos, se faz sempre,
antes, todo mês e não depois que a crise começa, porque aí o creu já
entrou. Inclua na sua planilha de administração de capital ou no Bastter
System a Reserva de Valor, colocando um percentual para ela que
normalmente gira em torno de 5% do seu patrimônio, mas pode ser
maior no início. Pode-se determinar um valor fixo também. Investir em
ações no exterior, ou títulos ou mesmo imóveis tem a dupla função de
investimento e Reserva de Valor.

Estou falando aqui de crise institucional grave que pode levar até a ter
de sair do país. Não estou falando destas crises econômicas periódicas
que sempre acontecem e que servem só para ler jornal. Estas devem
ser ignoradas como já foi demonstrado em um capítulo anterior.

Quanto ao dólar, um adendo importante para os que viajam. Não é


para comprar dólar na hora que for viajar e muito menos achar que
acerta a hora de comprar. Se acertasse a hora de comprar dólar, teria
o seu próprio avião e não estava aqui lendo este livro. Compre um
pouco todo mês, ou vá alimentando o cartão pré-pago Travel Money
do seu banco. Quando chegar a hora de viajar, os dólares ou euros já
estão comprados e a diferentes preços, diluindo o custo. Pague tudo
que puder daqui (hospedagem, passagem, carro, etc.) e aproveite a
viagem sem grandes transtornos.

"A forma mais certa de se proteger para o caos é diversificar.

Você pode diversificar em termos de passaporte (dupla nacionalidade)


e poder sair do país com sua família, caso necessário.

Diversificar profissionalmente: seguir uma carreira que tenha


possibilidade de trabalho no exterior ou trabalho remoto.

Diversificar em termos de investimentos: ações, FIIs e stocks. Renda


Fixa para te proteger das oscilações das ações/stocks quando você
precisar do patrimônio no curto prazo.

107
Diversificar em termos intelectuais: aprender e conhecer um pouco de
tudo. Se é médico, aprenda matemática. Se é engenheiro, estude um
pouco de humanas. Ajuda a ampliar a visão de mundo e te protege
para o caso de sua carreira ir pro buraco e você ter que começar do
zero.

Diversificar em fontes de renda: ter mais de uma carreira, saber mais


de uma profissão... se forem bem diferentes (vide diversificação
intelectual acima) mais protegido você estará."

- FlyCavok

Ainda sobre os investimentos, não caiam na pseudociência.


Investimentos não são uma coisa complexa que se precisa estudar
horas e horas, fazer diversos cursos, ler centenas de livros, assistir
palestras, visitar empresas e sei lá mais o que. Essa falsa impressão é
criada para te vender coisas com a ilusão de que através delas vai se
tornar igual um profissional. Ou pior, dizer que é algo tão complexo
que só profissionais entendem, que vocês dependem deles e têm de
pagá-los para administrar seu dinheiro, o que normalmente termina
em pagar caro para alguém cuidar do seu dinheiro pior do que você.
Há diversos estudos americanos mostrando que pessoas normais, ou
até bichos têm desempenho superior à média dos profissionais e
gestores de fundos. Orlando, o gato, é um dos que ficaram famosos
por ter batido profissionais na escolha de ações.

108
É bem simples: Qualquer um pode e deve aprender a cuidar dos seus
investimentos e só deve investir no que entende. O ideal é que evolua
para ter ações e mais diversificação, mas se não for do seu interesse,
fique só no que entende. Como foi dito aqui, já vi muita gente que
enriqueceu com caderneta e imóveis, mas eles teriam sido mais ricos
se diversificassem mais os investimentos. Entretanto não teriam sido
ricos se o foco deles não fosse no trabalho e no aporte, mesmo que
investissem em outras coisas. Toda vez que vierem para você com esse
papo de profissional de investimentos, lembre-se de Orlando, o gato.
E é bem fácil entender porque ele ganha. Porque o gato escolhe de
forma randômica, acertando alguns e errando outros, e o profissional
se acha o fera dos investimentos, que sabe algo que ninguém sabe e
quer achar aquelas empresas lixo que vão bombar ou outras
maluquices, terminando com resultado pior do que o gato. Outra razão
é que a grande maioria dos profissionais, vive não de acertar o
mercado, mas de taxas e corretagem dos incautos que acham que vão
acertar. Sendo assim eles têm pouco conhecimento de mercado. O que
eles têm muito conhecimento é em induzir os outros a produzir taxas
e corretagem para eles.

109
Observem no gráfico acima o retorno extraordinário das ações em
relação aos títulos (Renda Fixa). Ok, é um gráfico de 200 anos nos
EUA, mas não se enganem, em qualquer lugar que haja uma economia
capitalista, empresas funcionando, etc. essa será a tendência, caso
contrário não existiriam empresas. Claro que comprar ações, fundos
de investimento em imóveis, investir no exterior, etc. demanda mais
trabalho, mas não tanto quanto pensam. Pode ser a diferença entre
chegar ou não chegar, ou ao menos chegar mais rápido a Tranquilidade
Financeira. E não precisa dedicar sua vida a isso, nem caiam no conto
de ter de estudar e acompanhar investimentos o dia inteiro. Falam isso
para te induzir a cursos, ou a gestores cuidando do seu dinheiro, ou
ainda giro de patrimônio ou tudo isso junto. Acompanhar demais os
investimentos, ficar estudando até o último detalhe, acaba fazendo

110
com que termine com menos patrimônio, porque se dedica menos ao
seu trabalho, o que leva a menos aporte e acaba por girar mais o
patrimônio porque fica buscando o investimento perfeito. Outra
fantasia é que estudar demais diminui o risco. O risco de cada
investimento é exatamente o mesmo, não importa o quanto você
estude. A fantasia de que estudar demais diminui o risco acaba por
levar a negligenciar o risco. O que diminui risco é diversificar e investir
na sua formação. O risco dos ativos não muda. Você pode mudar
somente o seu. Outra questão de quem entra nessa de pseudociência
exagerada dos investimentos é que acaba se tornando arrogante,
achando que sabe demais e esse é o caminho para grandes perdas nos
investimentos. O mercado não perdoa. Perde as calças e fica devendo
o rabo. Para aprender sobre ações: Área de Ações da Bastter.com.

Essa figura fala sobre a Bolsa, mas serve para qualquer tipo de
investimento. Essas variações que a mídia publica todo dia. “Bolsa
subiu sei lá quanto ou caiu sei lá quanto” = NADA. Observem que a
quantidade de ações que são negociadas pelas empresas a cada dia é
ínfima. Pegue a AMBEV, por exemplo. Num dia negociam 0,05% das

111
suas ações. Aí ficam dizendo que caiu sei lá quanto ou subiu sei lá
quanto, quando na verdade não aconteceu nada. Para você que
acumula patrimônio em valor, o preço não importa, somente o valor.
No longo prazo os preços seguem os fundamentos, seguem o valor. E
no longo prazo é que você terá o grande ganho. Portanto, afaste-se
dos mercados, pare de acompanhar os mercados, dedique-se ao seu
trabalho e reavalie seus investimentos anualmente.

Pare de acompanhar cotação, preços. Acompanhe o seu trabalho.


Diversifique bastante em valor e acompanhe seus investimentos
apenas mensalmente, na hora de fazer o aporte mensal. Anualmente,
atualize sua carteira de investimentos, determinando novos
percentuais no Bastter System. Basta isso e sobra tempo para cuidar
do seu trabalho, da sua vida, da sua família, da sua saúde e para
aportar mais, que é o que vai te enriquecer. Ser humano pira se ficar
acompanhando cotação, é impossível não ficar doido e acabar fazendo
besteira. Ativos de renda variável têm enormes variações de preços no
curto prazo, sem qualquer justificativa, apenas porque o mercado
determinou assim. Ficar buscando explicação só leva a se confundir
mais ainda e termina por girar patrimônio vendendo no fundo em
pânico.

112
Esse quadro está em concordância com o que foi mostrado acima. A
Bolsa (no Brasil representada por boas empresas e não pelo IBOV, que
não representa nada), tende a subir no longo prazo, mas se ficar
olhando toda hora fica doido. Quanto menos olha e acompanha, mais
vê subindo. Quanto mais olha e acompanha, menos vê subindo e mais
vê caindo. Como quem olha muito normalmente não sabe o que está
fazendo e opera preços e não valor, olhar demais termina em giro com
vendas no fundo, detonando o patrimônio. Olhe para sua formação,
olhe para o seu trabalho, acompanhe a sua vida. Deixe os
investimentos quietos. Pare de acompanhar cotação e preços.
Acompanhe valor periodicamente. Viva sua vida e não os
investimentos.

Como a figura mostra, nós não controlamos o nosso retorno. Temos


que nos dedicar ao processo: Estudar, trabalhar, poupar. Quem fizer
isso direito tende a um bom retorno, ou seja, acumular patrimônio em
valor que permita chegar à Tranquilidade Financeira. Garantia não há
113
em nada. Aliás fuja da palavra “garantido”, que só leva a ferro. Quanto
melhor for o processo, quanto mais se dedicar ao processo, melhor
tende a ser o produto. Quanto mais o foco estiver no produto, nos
retornos, no resultado, que é infelizmente onde está o foco da maioria,
piores serão os resultados e mais longe vai estar a Tranquilidade
Financeira.

Por fim temos de falar de aposentadoria, que aliás é um péssimo


termo. Esqueça aposentadoria, previdência, INSS, etc. Tudo isso são
só formas de te tungarem mais um pouco. Lidar com tudo isso é bem
simples:

1 – Pague o mínimo possível dentro da lei.

2 – Não conte com nada.

Ou você faz a sua aposentadoria, que na verdade é a Tranquilidade


Financeira, que começa hoje e não tem dia específico para nada, mas
sim, é um processo continuo, ou vai passar fome. Através da poupança
com investimentos em valor diversificado, todo dia você se aposenta
um pouco e desde o momento que começa a ter reserva, já pode ir
aproveitando um pouco também. Conforme o patrimônio aumenta ele
vai produzindo mais renda e mais Tranquilidade Financeira pelo
tamanho da reserva. Esse é um processo progressivo e constante por
toda vida. Esqueça o conceito absurdo do dia da aposentadoria que foi
criado só para garantir que você sempre sustente o sistema. O sujeito
114
programa para no dia tal, na idade tal, todos os investimentos
vencerem e naquele dia ele vai mudar todos seus investimentos e girar
patrimônio. Veja que loucura, programar investimentos para vencer no
dia da aposentadoria. Aí nesse dia faz o quê? Leva todo o dinheiro para
casa? O sistema coloca maluquices na cabeça das pessoas, que
repetem sem pensar.

Resultado de programar o dia da aposentadoria e investimentos que


vencem neste dia:

- Patrimônio no dia da aposentadoria = X

- Patrimônio no dia seguinte = X - Y

- Y = Parte do seu patrimônio que você doou para o governo e para os


intermediários porque mesmo depois de velho continua seguindo a
mídia e os analistas

- Resultado = patrimônio menor = menos renda na aposentadoria,


menos tranquilidade financeira.

Não existe o dia da aposentadoria, não existe fazer nada diferente


porque se aposentou. Aposentadoria começa hoje, dura para sempre
e deve ser lenta e progressiva. Na verdade, não existe nem essa
palavra “aposentadoria.” Troque por tranquilidade financeira. Desde
hoje, se você está fazendo o certo, que é acumular patrimônio em valor
diversificado, está progressivamente se aposentando conforme tem
mais patrimônio acumulado. Ele e a renda que ele produz são seus e
já pode usar quando quiser e quando precisar. Claro que tem de ter
bom senso de ir acumulando mais do que usa senão não vai crescer.
Mas está lá, é seu, e quanto mais acumula, mais aposentado
(tranquilo) está. Não tem de fazer nada diferente antes e nem depois
de supostamente se aposentar. A única diferença é que quanto mais
você tem e mais velho você é, mais pode ir usando e menos
acumulando, mas tudo com bom senso.

E o que sobrar? Sobrou, ué, qual o problema? Tem de sobrar mesmo,


ou você vai adivinhar o dia que vai morrer? Portanto, pare com esta
baboseira de dia da aposentadoria, investimento que vence naquele
dia, etc. Vence para que? Pegar todo o dinheiro e levar para casa? Olha
que pensamento doido que as pessoas seguem sem nem pensar.
Acumule patrimônio diversificado em valor com tranquilidade e todos
os dias você está se aposentando. Monte você mesmo sua
aposentadoria ou vai passar fome. E não adianta ficar na fantasia dos

115
“meus direitos” ou que é injusto e achar que, quando ficar velho, o
governo ou um banco vão cuidar de você. Se não fizer reserva para
tranquilidade financeira, cuide bem dos seus filhos e aprenda a viver
com pouca comida:

Troque aposentadoria, previdência, etc. por Tranquilidade Financeira.

116
IV – Esporte Dói, Falta de Esporte Mata

“Não pense, não espere.

Apenas vá lá e faça!”

Fevereiro de 1982, Hawai, Grande Ilha, Kailua-Kona, Aliʻi Drive.

Julie Moss, uma estudante de 23 anos, está fazendo um trabalho sobre


fisiologia do exercício para sua tese e usando como teste seu próprio
corpo em uma competição nova chamada Ironman, que consiste em
nadar 3,8 quilômetros, seguidos de 180 quilômetros de ciclismo e
finalizada por uma maratona (42 quilômetros). Ela era namorada de
um dos atletas e resolveu participar porque já estava lá mesmo
acompanhando o namorado, e para trazer subsídios para sua tese. Não
era uma atleta profissional nem havia treinado adequadamente para
um evento tão exigente e duradouro.

117
Já na parte final da prova, na maratona, depois de nadar por mais de
uma hora e pedalar longas horas, Julie passa por um posto de água,
pega uma água para beber e ouve:

- Primeira mulher!

Certamente isso não era com ela, então continuou correndo devagar,
já meio fraca e tonta no meio da maratona. Já havia passado umas 9
horas desde a largada às 7 da manhã e estava entardecendo.

No posto de água seguinte, alguns quilômetros depois, ela ouve


novamente:

- Primeira mulher!

E finalmente percebe que está em primeiro lugar entre as mulheres. A


organização naquele tempo ainda era precária. Ela nem sabia até
aquele momento em que posição estava. A prova ainda não era famosa
e tinha poucos participantes. A primeira edição tinha acontecido em
1978, apenas 4 anos antes. Mas isso tudo vai mudar em alguns
minutos.

Está anoitecendo, faltam apenas alguns poucos quilômetros para Julie


terminar, ela está com câimbras, desesperada, tonta, fraca, mas tendo
descoberto que, surpreendentemente está liderando a corrida, quer
chegar de qualquer forma e na frente de todas as mulheres. A ABC
Sports, uma das redes de televisão mais importantes dos EUA,
resolveu passar ao vivo o final dessa competição “doida”. E ao vivo,
pela TV, em horário nobre, milhões de americanos vão assistir algo que
vai mudar para sempre o triátlon, o Ironman, o esporte em geral e
suas vidas.

Já está de noite, Julie Moss ainda está em primeiro lugar, mas não
consegue mais correr. Tem dificuldades até para andar. De repente ela
cai. Suas pernas não aguentam mais. E quando cai, a primeira coisa
que faz é olhar para trás, pois a esta hora já foi informada que Kathleen
McCartney, a mulher que está em segundo lugar, 20 minutos atrás,
vem se aproximando perigosamente.

Uma estudante que treinava eventualmente nos fins de semana,


porque namorava um triatleta, se vê disputando o primeiro lugar na
prova mais difícil da modalidade e isso causa uma transformação nela,
e em todos que estão assistindo. De alguém que estava lá apenas
fazendo um estudo e participando, ela se transforma em uma atleta

118
capaz de sacrificar tudo para chegar àquela linha de chegada. E quer
chegar no primeiro lugar.

Julie se levanta, mas cai novamente em poucos segundos, deita de


costas e parece que acabou para ela. Tudo começou de manhã e já se
passaram 11 horas de natação, ciclismo e corrida. Quase uma
maratona se foi. Não falta muito para acabar, mas seu corpo não
aguenta mais. Não consegue ficar em pé. Mal consegue andar, como
então ir até o final? Para que ir até o final? Na época nem prêmio em
dinheiro se recebia. Ela nem era uma atleta profissional e nem
pretendia ser. Para que continuar?

Mas ela continua, como todos nós que praticamos esportes


continuamos, sem saber ao certo por que. Não é uma atitude racional,
pensada. É uma volta as raízes, disputando nossa sobrevivência entre
as espécies. O homem sobreviveu nos primórdios correndo e, apesar
de não ser dos mais velozes na face da terra, é dos mais resistentes.
Suporta correr por longas distâncias, e nosso antepassados nômades
faziam longas viagens correndo.

Faltam apenas algumas centenas de metros. As pessoas se juntam em


volta, torcem, dão força e Julie se levanta, tirando forças ninguém sabe
de onde, e anda mais alguns metros ainda em primeiro lugar. Parece
estar fora de si, tonta, desorientada, mas continua tentando chegar ao
final. Até arrisca correr um pouco. Um competidor fica do lado dela,
indo junto, dando força. É uma luta tão expressiva que ele desiste de
chegar mais rápido ao final para ficar com ela.

Mas Julie cai novamente faltando apenas uns 30 metros para o final.
Centenas torcem, mas não podem ajudá-la ou será desclassificada. Ela
volta a andar de forma descoordenada, com passos fracos. E as
câmeras da ABC Sports captam tudo. Dezenas andam junto com ela
entre competidores masculinos, espectadores, e até o pessoal da
organização do evento.

Menos de 20 metros. Ela vai cambaleando, tonta, sem forças. Além da


crueldade da prova, a reposição de energia gasta, através de líquidos
e alimentos, não era muito eficiente na época. E Julie cai novamente a
menos de vinte metros da chegada. Fica tentando se levantar e seu
pior temor acontece. Kathleen McCartney passa correndo quando
faltam apenas alguns metros e se surpreende no final quando dizem a
ela que ganhou. Todos que conhecem esta história provavelmente nem

119
sabiam o nome dela. Mas muitos sabem o nome de Julie Moss, a
verdadeira vencedora.

Alguns momentos depois, mesmo já tendo sido ultrapassada, Julie


Moss, se arrasta de joelhos para a linha de chegada, em um dos mais
memoráveis momentos do esporte. Milhões de americanos observam
atônitos pela TV, muitos com lágrimas nos olhos, a coragem e
determinação de Julie Moss nestes últimos metros rastejando até o
final quando enfim ela pode deitar e parar.

A partir do ano seguinte, o Ironman e o triátlon em geral explodem


não só nos EUA, mas em todos os cantos do mundo, para se tornar
uma das competições mais populares. O Ironman do Havaí, o mesmo
que na época tinha apenas algumas dezenas de participantes, agora
tem milhares e provas seletivas para ganhar a vaga e poder participar.
E apesar de já ter começado alguns anos antes, só começou de verdade
com Julie Moss...

Por que histórias como essa nos emocionam tanto? Diversos triatletas
profissionais e amadores disseram que começaram a praticar o esporte
depois de ver Julie Moss na TV. E milhares de pessoas normais
colocaram como objetivo de vida terminar um Ironman. Alguns
profissionais agradecem a ela o incentivo inicial para suas carreiras.
Milhares e milhares de pessoas que viram aquelas cenas ao vivo na TV
mudaram suas vidas e passaram a praticar algum esporte.

Julie não se tornou uma triatleta profissional, mas nunca deixou de


praticar esportes. E até hoje, graças a Internet, ela continua
emocionando e servindo de motivação a milhões e milhões, pois
diversos vídeos do final daquela prova estão disponíveis no Youtube.
Veja o vídeo da chegada de Julie Moss em
http://www.youtube.com/watch?v=VbWsQMabczM

O que a fez terminar aquela prova todos nós temos. Independente do


preparo físico de cada um, do treinamento, se é gordo ou magro, alto
ou baixo, novo ou velho. O que a fez terminar aquela prova está na
mente, na cabeça, e não no corpo. Naqueles últimos metros ela não
tinha mais energia alguma e todo o possível treinamento que por
ventura tivesse feito não servia mais para nada. Foi apenas vontade
de terminar e, na verdade, uma vontade nem muito racional. Todos
nós temos isso dentro de nós, o problema é que a maioria esqueceu
ou não quer usar. Mas se quisermos ser realmente saudáveis, não

120
precisamos fazer um Ironman ou ir até o nosso limite. Não precisa tudo
isso, mas temos sim de buscar aquele algo a mais, estender nossos
limites. Isso se consegue através dos esportes, pois a competição, que
é algo inerente à nossa mente, nos faz ir além. Esse esforço a mais
que a competição nos esportes nos proporciona é que vai fazer com
que os resultados em termos de saúde sejam extraordinários. Não se
consegue isso em outra atividade que não nos esportes.

Julie Moss chamou tanta atenção, e emocionou tanta gente e fez com
que milhares quisessem fazer um Ironman porque nos mostrou a força
que temos e que não usamos. Como uma moça normal, que nem era
uma atleta profissional, pode fazer isso, ir até o limite e não desistir?
Se ela pode, eu também posso. É bem diferente ver Julie Moss fazendo
isso do que os “super-heróis”, algumas vezes até mesmo dopados, das
Olimpíadas. A imagem era de uma moça franzina, normal, uma
estudante ultrapassando seus limites e não desistindo, não importa o
quê, e por isso que ela emocionou milhões, mudou um esporte para
sempre, e até mesmo as vidas de tantos...

Na imagem, Julie Moss nos metros finais daquele Ironman

121
Não pretendo escrever um tratado médico cientifico sobre saúde e
esportes. A despeito de ser formado em educação física e medicina,
não exerço nenhuma das duas atividades atualmente e não me sinto
capaz para tanto. Mas trabalhei muito tempo nas duas áreas e percebi
o quanto o ESPORTE é a mola mestra que nos leva à saúde. Pretendo
que este capítulo seja somente uma ferramenta motivacional para a
prática de esportes. Não há saúde sem esportes. Trabalho há 15 anos
na Bastter.com, um site de educação financeira e qualidade de vida, e
o que me traz enorme satisfação é ter conseguido melhorar a vida das
pessoas, não só na parte financeira, mas como um todo, incluindo aí
os esportes como o fator que beneficia não só a saúde, mas também
diversos aspectos da vida. De nada adianta dinheiro sem saúde e para
saúde precisamos de esportes. Que ao final deste capítulo o leitor seja
mais um que vai sair por aí chutando, correndo, sacando,
arremessando, pedalando, nadando, escalando, e, acima de tudo,
mudando sua vida e a da sua família com os esportes e a saúde. Esse
é meu objetivo com este capítulo: Motivar o leitor para esportes de
competição. Entre nessa e sua vida muda, pode ter certeza...

Estamos todos doentes? Com a evolução da tecnologia, fomos


progressivamente nos exercitando cada vez menos. Escada rolante,
elevadores, controle remoto, telefone sem fio, carros, etc. O ser
humano passou a gastar cada vez menos calorias e, devido a uma
cultura de excessos, também passou a se alimentar cada vez mais e
pior, com predominância de produtos industrializados, gorduras
saturadas e açucares. E fomos ficando doentes. Mesmos os
aparentemente saudáveis, em sua maioria, foram ficando doentes.

Em contrapartida a isso, nos anos 60 começaram a surgir os primeiros


trabalhos incentivando pessoas normais a praticar esportes. O técnico
de atletas expoentes na Nova Zelândia, Arthur Lydiard, talvez tenha
sido o primeiro a levar pessoas normais a corridas, o que era inédito
na época e reservado somente para atletas olímpicos. O famoso técnico
norte americano, uma lenda do atletismo e um dos fundadores da Nike,
Bill Bowerman, passou um tempo na Nova Zelândia com Arthur Lydiard
e depois trouxe esse hábito para os EUA e, assim, os primeiros grupos
de corridas surgiram.

Em 1968, Keneth Cooper lança o livro Aerobics, que trazia um dos


primeiros guias de exercícios para o sistema cardiovascular. Alguns
anos depois ele lançou The New Aerobics e apresentou o famoso Teste

122
de Cooper, que na época foi uma revolução e levou milhões a começar
a praticar exercícios aeróbicos, notadamente corridas. Finalmente um
boom de exercícios na população se iniciou.

Nos anos 80, as corridas de rua se popularizaram junto com as


academias e parecia que as coisas iam realmente melhorar. Nunca se
falou tanto em se exercitar, fazer dietas, alimentar-se bem, saúde, e
etc. como nos anos 90 e no início do novo milênio.

Mas o que aconteceu?

A despeito de tudo isso, fomos ficando cada vez mais obesos, com mais
doenças do coração, com mais diabetes e pressão alta. E por quê?
Porque como usualmente acontece na nossa sociedade, para a grande
maioria foi muito mais um modismo. Montou-se toda uma indústria em
torno da prática de exercícios sem que resultados consistentes em
termos de melhora da saúde fossem atingidos.

Sim, os seres humanos até passaram a se exercitar um pouco mais,


mas não na intensidade suficiente para contrabalancear os danos
causados pela vida moderna. Não mudaram significativamente de
hábitos e continuaram sendo arrastados para a vida “engordativa” da
atual.

A sociedade, especialmente a ocidental, (embora doenças provenientes


do sedentarismo estejam progressivamente se espalhando pelo mundo
todo), está “obesogênica”. Em quase todos os lugares se morre muito
mais por excesso do que por falta de comida. O meio ambiente
promove a inatividade física associado a um aumento da ingestão
alimentar, particularmente de alimentos não saudáveis. Isso faz com
que o peso médio (e mais importante ainda, a quantidade de gordura
corporal) da população aumente progressivamente de década para
década.

Se considerarmos os dados dos EUA, temos uma prevalência de


obesidade na população adulta de quase 35% quando se utiliza IMC*
acima de 30 e assustadores quase 70% quando se usa IMC acima de
25! E o que é pior, a prevalência nunca parou de aumentar a despeito
de toda “onda” dos exercícios, alimentação saudável e dietas. Cada vez
mais jovens e até crianças se tornam obesos**. E pasmem, a Revista
Journal of Veterinary Internal Medicine, mostrou um estudo recente
em que afirmava que 22 a 40 por cento dos cães nos EUA também
estavam obesos. Como eles convivem conosco, também são afetados
pela obesogenia. Alguns dados recentes mostram que até pode estar

123
havendo uma desaceleração do processo nos últimos anos, mas ainda
não dá para tirar conclusões definitivas.

* IMC – Índice de Massa Corporal: O grau de obesidade pode ser


acessado pelo IMC, que é a relação do peso corporal em quilos pela
altura ao quadrado em metros. Indivíduos com IMC entre 18,5 e 24,9
são normais, com um IMC entre 25 e 29,9 tem sobrepeso e aqueles
com IMC acima de 30 são considerados obesos. Obesidade é
considerada grave (mórbida) quando o IMC é maior do que 40 kg/m2.
(Mason: Murray and Nadel's Textbook of Respiratory Medicine, 5th ed.
Copyright ©2010 Saunders. Impressão da Elsevier)
** Em 1999-2000, o excesso de peso afetava 29% das crianças em
idade escolar. Em torno de 2003-2004 esses dados haviam
aumentado para mais de 35%, levando a conclusão que os Estados
Unidos estão na iminência de uma epidemia de obesidade infantil. Child
overweight and obesity in the USA: prevalence rates according to IOTF
definitions. - Lobstein T - Int J Pediatr Obes - 01-JAN-2007; 2(1): 62-
4 (MEDLINE® is the source for the citation and abstract of this record)
DOI: 10.1080/17477160601103948
Os EUA são um péssimo exemplo e talvez um dos países em que o
problema é maior, mas a obesidade está se espalhando pelo mundo
todo em diferentes escalas. O problema é mundial. Até na África já
morre mais gente de obesidade do que de fome.

A Síndrome Metabólica é a doença que mais cresce neste momento


nos EUA e provavelmente em todo mundo ocidental. A maioria da
população é afetada, parcial ou completamente por esta doença.
Consiste basicamente de quatro patologias: obesidade, resistência à
insulina, hipertensão arterial e colesterol alto. É uma combinação de
desordens do metabolismo corporal que aumenta o risco de doença
cardíaca, derrames cerebrais e diabetes. É um problema médico muito
comum e que traz bastante risco para a saúde e para a vida. É definida
principalmente pela presença de algumas das seguintes condições:

• Excesso de peso em volta da cintura, a chamada obesidade


abdominal
• Nível de triglicerídeos sanguíneos alto
• Colesterol HDL, o bom colesterol, baixo.
• Pressão sanguínea elevada (acima de 130/85 mm HG)
• Pré-diabetes ou diabetes

O terrível na Síndrome Metabólica é que parece que se produz um


círculo vicioso em que cada uma dessas patologias agrava as outras e
vice-versa. Excesso de peso, má dieta alimentar, falta de exercício e

124
outros hábitos de vida prejudiciais à saúde como, por exemplo, fumar
parecem ser fatores que contribuem para a síndrome metabólica. Pode
haver também uma predisposição genética.

A parte mais importante do tratamento são mudanças de hábitos


(Lifestyle Intevention ou Intervenção nos Hábitos de Vida) que
consistem primordialmente de exercícios físicos para melhorar a
capacidade física, alimentação saudável e perda de peso.
Medicamentos eventualmente podem ser necessários, mas sem a
mudança de hábitos, a melhora nunca será consistente e duradoura.
Os remédios por si só não resolvem o problema. São meros adjuvantes
em um plano de mudança de vida e este plano tem e deve passar
sempre pelos esportes. Na ausência dos esportes, o plano irá
irremediavelmente fracassar, na maior parte dos casos, após algumas
conquistas temporárias. Mudar de hábitos é dificílimo e os esportes,
além de por si só, serem a mudança mais importante para ficar
saudável, são a mola mestra que puxam as outras mudanças
necessárias.

Incidência cumulativa simulada de diabetes entre adultos com


intolerância à glicose pelo grupo de tratamento Programa de Prevenção
a Diabetes.

Vejam no gráfico acima retirado da conceituada revista de medicina


Annals of Internal Medicine que a incidência de diabetes diminuiu em

125
8% com o uso do medicamento que previne a resistência à Insulina*
e 20% com mudanças de hábitos de vida (Lifestyle Intervention). Claro
que esse é apenas um estudo isolado, mas mostra como a mudança
de hábitos de vida tem um efeito consistente e expressivo na
prevenção ao diabetes, e por consequência da Síndrome Metabólica.

*Na maior parte dos casos, o diabetes tipo II, adquirido devido a maus
hábitos alimentares, pouco exercício físico e obesidade está ligado a
resistência à insulina, o hormônio que coloca a glicose (açúcar) para
dentro das células.

Outro estudo interessante publicado na Revista Primary Care, dividiu


3234 participantes em três grupos:

Grupo1 – Programa intenso de perda de peso (Intervenção terapêutica


de mudanças de hábitos de vida – com acompanhamento
personalizado)

Grupo 2 – Mudanças de hábitos de vida standard + Metformina 850mg


2X dia (remédio para resistência à insulina usado em diabéticos)

Grupo 3 – Mudanças de hábitos de vida standard + placebo

Os resultados do Grupo 1 foram expressivamente melhores em termos


de perda de peso e diminuição do risco de diabetes.

Os aspectos principais do Grupo 1 – Intervenção terapêutica de


mudanças de hábitos de vida foram os seguintes:

• Intervenção com objetivo determinado (perder 7% do peso e


fazer 150 minutos de exercício/semana)

• Focalizar na alimentação e exercícios físicos

• Estratégias comportamentais – diários alimentares, objetivos,


solução de problemas, controle de estímulos, contratos, etc

• Contato intenso com os monitores

• Tratamento individualizado – Identificar motivação para perder


peso, barreiras específicas.

126
Mesmo o Grupo 2 tomando medicamento para resistência à insulina,
ou seja, medicamento para prevenção e tratamento de diabetes, os
resultados do Grupo 1 – Intervenção agressiva nos hábitos de vida –
foram significativamente melhores do que os do grupo 2. Mudanças de
hábitos de vida podem e normalmente são mais poderosos até do que
medicamentos na prevenção da Síndrome Metabólica. Não estou
dizendo que não se deve tomar medicamentos quando prescrito por
médicos, mas apenas que para a saúde plena, precisamos de
mudanças de hábitos de vida, notadamente de esportes, e não
somente medicamentos.

Behavioral techniques for treating the obese patient

Primary Care Clin Office Pract. 30 (2003) 375-391 - Rena R. Wing PhD,
Amy A. Gorin, PhD

A diminuição do risco de vida, relacionada à Síndrome Metabólica e ao


tabagismo, passa pela mudança de hábitos de vida através da
prevenção, o que resumidamente podemos colocar em três aspectos
principais:

1 - Atividade física como uma parte integrante e permanente da vida.

2 - Reeducação alimentar e manutenção de peso corporal adequado.

3 - Interrupção do hábito de fumar e outras substâncias danosas à


saúde.

A grande maioria das pessoas sabe que necessita dessas mudanças e


já tentou diversas estratégias para implementá-las, mas infelizmente
os resultados em termos de emagrecimento e melhora de saúde são
quase sempre inconsistentes ou apenas temporários. A principal razão
é que são necessárias mudanças de hábito consistentes e permanentes
e para o ser humano mudar de hábitos permanentemente é
extremamente difícil. A maioria procura o caminho fácil das dietas
milagrosas, exercícios convenientes, que não trazem resultados
expressivos, e medicamentos como a solução para tudo, e obtém
melhoras parciais e temporárias enquanto progressivamente vão
ficando cada vez mais obesos e mais doentes.

As mudanças necessárias para inverter a curva da piora de saúde e da


obesidade são conseguidas através da intervenção terapêutica nos
hábitos de vida, ou, em inglês, Lifestyle Intervention. Essa intervenção
só se dará de maneira completa e permanente, com resultados
127
expressivos, através dos esportes. Você pode fazer tudo que os
médicos recomendam, como melhora da alimentação, perda de peso,
parar de fumar, etc. Sem incluir os esportes, provavelmente vai
fracassar, pois as mudanças serão progressivamente abandonadas e
infelizmente é o que a gente vê acontecer na maior parte das vezes.
Se for difícil fazer muitas mudanças, faça apenas uma: pratique
esportes. Vai se surpreender com as outras progressivamente
acontecendo.

“Conforme vamos envelhecendo, construímos muros físicos e


psicológicos, tijolo por tijolo, feitos dos nossos medos, dúvidas e
desculpas. E nós fazemos isso sem perceber. Esse muro começa a
aumentar a distância entre nós e o nosso potencial. Antes que
saibamos, estamos bem longe da pessoa que já fomos – ou da pessoa
que gostaríamos de ser. Essa pode ser uma constatação bem triste no
progredir de nossa vida.

O treinamento físico e a participação em competições, ou a simples


conquista de seus objetivos, seus desafios, leva a derrubar esse muro,
passar por dentro dele e lidar com suas fraquezas. Quando você
transforma suas fraquezas em fortalezas, você se torna capaz de
ignorar seus medos e dúvidas e conquistar coisas extraordinárias na
sua vida.”

Eric Harr - Triatleta Profissional

Triathlon Training in Four Hours a Week

Uma das mentiras que levam a maioria a não praticar esportes é a de


que esporte é bom, prazeroso ou coisas assim. Especialmente no início,
esporte é um saco. Bom é ficar em casa vendo TV e comendo pipoca.
A ilusão de que esporte é divertido faz com que a maioria abandone a
prática depois de um tempo, pois obviamente não acha divertido.

Esporte é um saco.

Esporte dói.

Esporte toma tempo que você poderia estar fazendo outras coisas mais
divertidas.

Esporte pode trazer gastos.

Esporte é chato.

128
Esporte muitas vezes não tem graça nenhuma.

MAS VOCÊ TEM DE FAZER!

Eu costumava motivar meus alunos com a frase:

"Esporte dói, a falta de esportes mata."

A sua motivação para praticar esportes não deve vir de fantasias de


que é legal. Pode ser legal para uma minoria, mas para a maioria vai
ser um saco. A sua motivação tem de ser que nem escovar dentes.
Ninguém tem algum prazer especial em escovar os dentes, mas se não
escovar, os danos serão grandes, então escovamos. Pense igual em
relação aos esportes. Não devemos fazer por prazer ou porque é
divertido. Temos de fazer porque temos de fazer, senão as
consequências podem ser graves.

ENTÃO VAI LÁ E FAZ!

Não pare e pense, simplesmente faça! Igual escovar dentes.

Com o passar do tempo, com o progresso, com os resultados, com os


objetivos sendo atingidos, vai passar a ser divertido e até viciante. Mas
no início simplesmente faça porque tem de fazer.

“A simples solução para depressão: Levante e


comece a se mexer. Se mova fisicamente. Faça.
Aja. Vá.”
Peter McWilliams

Vamos ver algumas formas de se motivar:

- Ache o que te motiva e se cerque daquilo. Pode ser fotos inspiradoras,


vídeos de motivação no Youtube, cenas de competições, frases,
pessoas motivantes ou até este livro. Ache o que te motiva e coloque
à vista todo dia.

- Aplicativos. Alguns aplicativos que marcam seu progresso, que dão


tempos para distâncias e comparam com outros, que te permitem
trocar informações com seus amigos, podem te ajudar bastante.
Pesquise e use o que mais te motivar. Anotar suas atividades em um
Blog funciona para alguns também.

129
- Faça mais de uma modalidade. O mesmo esporte todos os dias pode
ser muito chato depois de um tempo e levar a mais lesões. Troque. Se
corre, pedale ou nade de vez em quando. Se joga tênis, experimente
eventualmente praticar outro esporte. Ou alterne entre duas ou três
modalidades. Não fique só na academia. Esportes com competição são
mais motivantes.

- Compre roupas e acessórios para os esportes. Isso pode ajudar a


motivar. De tempo em tempo compre alguma coisa para o esporte.
Certamente vai te ajudar a se motivar e inconscientemente criar uma
obrigação maior de praticar o esporte. Querer experimentar aquela
nova roupa ou tênis ou aquele novo acessório na bike pode ser a
motivação extra para não faltar o esporte naquele dia.

- Transforme o seu esporte em algo social. Faça parte de grupos de


corrida, faça amigos na academia, participe de passeios de bike, faça
parte de um time, enfim, encontrar com os amigos vai te motivar muito
mais do que só o esporte.

- Participe de competições. Essa é uma motivação enorme, sem


contar que ela traz junto a anterior. Não importa se vai ficar lá atrás
ou se vai perder, a competição motiva bastante. E dentro da sua
categoria, você pode ir progredindo e começar a ganhar. Surpreenda-
se com a capacidade do seu corpo se a mente não te bloquear. Seu
maior objetivo é melhorar e se superar, mas fazendo isso começa a
vencer os outros também. Somos seres competitivos, mas a
competição no esporte é saudável.

- Crie objetivos, conquistas. Vencer uma distância, atingir um tempo.


Vencer alguém. Participar de uma prova. Determine um objetivo real
e um prazo real e vá atrás. É uma enorme motivação. Estabeleça
desafios difíceis, mas alcançáveis. Pode ser vencer um tempo, uma
distância, ou uma vitória sobre alguém, o que for. Desafios motivam
muito.

- Visualize o seu sucesso. Imagine terminando aquela prova, atingindo


aquele objetivo, vencendo suas limitações. Feche os olhos e imagine.
Veja você mesmo conquistando. Lembre-se, as limitações estão na sua
mente e não no seu corpo.

“Valorize suas limitações

e certamente não se livrará delas...”


130
Richard Bach - Ilusões

A maioria usa uma série de desculpas para não praticar esportes:

• Eu não tenho tempo:


Organize suas prioridades. Veja algumas atitudes que podem liberar o
tempo necessário para os esportes e/ou exercícios:

a. Desligue a TV

Uma das razões principais para o aumento dramático da obesidade é o


estilo de vida atual sedentário, incluindo crianças e jovens. Em um
estudo realizado em 2003 comparando a vida moderna com a do
passado, os aparelhos eletrônicos reduziram o gasto de energia em
torno de 111 calorias por dia – adicionando 5kg extras por ano em
média, ao peso das pessoas na idade adulta. Metade da diferença em
gasto energético foi por andar menos.

Assistir televisão regularmente (hoje muitas vezes substituído por ficar


no computador, vídeo games, etc.) foi considerado o passatempo mais
danoso para a saúde. De acordo com o mesmo estudo, para cada duas
horas que uma pessoa passa na frente da TV a cada dia, o risco de
obesidade aumenta 23% e o de diabetes do tipo II 14%. Assistir TV
produziu a menor taxa metabólica de todas as atividades estudadas.
Além disso, o ato de assistir TV incentiva lanches exagerados e padrões
alimentares danosos à saúde. A propaganda na TV promove fast foods,
doces, guloseimas, biscoitos, etc., que são ricos em sal, gorduras
saturadas e carboidratos. Muitas destas propagandas são direcionadas
a crianças e adolescentes – o grupo mais vulnerável.

131
Foi visto que o americano médio vê 27 horas de TV por semana, o que
dá quase 4 horas por dia, e nós brasileiros, não devemos estar muito
atrás. Desligue a TV por um tempo e vai se surpreender como sobra
tempo na sua vida. Hoje, a TV está sendo substituída pelo computador,
que é um pouco menos danoso, já que ao menos há atividade
intelectual e não se consegue comer tanto no PC quanto na TV. Ainda
assim longas horas diárias sentado em frente ao computador também
são danosas e podem estar tomando aquele tempo precioso que
poderia ser usado para praticar esportes.

Fonte: Patient Education Handout – Md Consult

Outras medidas para ganhar tempo:

b. Faça o exercício antes de tudo de manhã

132
c. Simplifique seu exercício e faça perto de casa

d. Faça exercícios mais eficientes. Não perca tempo com


exercícios que não são totalmente necessários, como
alongamentos, por exemplo. Vá direto ao assunto e faça o que
realmente vai te trazer benefício, diminuindo o tempo se
exercitando. Notadamente musculação, exercícios aeróbicos e
esportes de competição.

e. Faça exercícios junto com a família, pois aí já é tempo passado


junto a família

f. Faça exercícios e/ou esportes no meio do dia, próximo ao


trabalho.

• Eu não consigo me manter motivado:


◦ Organize um pacote de benefícios físicos, emocionais e
sociais.
◦ Faça cada série de exercícios como se fosse a última
◦ Apenas faça. Não pense, vá lá e faça.

133
Apesar dessas dicas motivacionais, vou dizer o grande segredo: A
maioria acaba por não praticar esportes porque acha que tem de
gostar ou se sentir motivado. Nada poderia ser mais errado. Se
gostar e se sentir motivado, ótimo. Senão tem de praticar da
mesma forma. O esporte é uma necessidade assim como comer
e respirar. Todos têm de praticar, gostando ou não, se sentindo
motivado ou não. Conforme se obriga a praticar esportes, vai se
surpreender como vai começar a gostar e a vontade de fazer
aparece aos poucos. Porém no início, a maioria vai ter de se
obrigar a ir. É a única forma. Sem isso não vai ter saúde, não vai
emagrecer, só vai ficar se iludindo a vida toda com métodos
mágicos.

• Exercício é chato e entediante:


◦ Faça pelas razões certas – Você tem de focar no prazer de
se exercitar e fazer pela saúde. Esqueça o peso, as calorias
que perde, desligue-se do tempo e apenas faça exercício.
O prazer vai começar a aparecer.
◦ Faça de maneira divertida – Exercício não deve ser
trabalho, o ideal é que seja diversão. Correr para uma
criança é brincar. Brinque, não trabalhe.
◦ Mude de cenários, locais e exercícios de tempo em tempo.
◦ Mais que tudo isso, pratique esportes e não somente
exercícios. Escolha um esporte, de preferência em grupo e
vai ver como é divertido.
◦ Participe de competições, fica bem mais divertido.

• Eu não tenho forças e nem energia:

É um círculo vicioso: “Eu não tenho energia então eu não faço


exercício. Porque eu não faço exercícios, eu não tenho energia.”
E assim por diante até se fechar em um casulo e destruir
completamente sua saúde. Para vencer isso você tem de ir lá e
se exercitar mesmo que não tenha forças. A força, a motivação,
a energia só virá se você se exercitar. Se você esperar que elas
venham para se exercitar, vai esperar a vida toda até ser tarde
demais. Suas limitações estão na mente e não no corpo.

Se você acha que não tem forças, então conheça a história de


Jane Tomlinson:

Ela nasceu em Rothwell (Inglaterra) e foi diagnosticada com


câncer de mama aos 26 anos de idade. Uma metástase no
pulmão de Jane cresceu tanto que ela ficou com falta de ar. Em

134
agosto de 2000, uma tomografia revelou diversas metástases no
corpo dela. O diagnóstico era de câncer terminal. Apesar das
chances contra, Jane estava determinada a provar aos outros
que a vida continua e que qualquer coisa é possível.

Desde que soube que sofria de câncer incurável em 2000, Jane


Tomlinson competiu em uma grande variedade de corridas,
incluindo a Maratona de Londres, A Grande Corrida do Norte, o
Triathlon de Londres, o Triathlon Ironman e fez uma grande
jornada pedalando de Roma até Leeds, na Inglaterra.

Ela arrecadou mais de 2 Milhões de Dólares com sua fundação,


que ajuda diversas instituições que trabalham com câncer.

Algumas das conquistas de Jane após o diagnóstico de câncer terminal:

- Em abril de 2002, completou a Maratona de Londres.

Jane no final da maratona

- Jane completou a Grande Corrida do Norte em 2002 em uma hora e


51 minutos, quatro minutos à frente do seu marido.

Recebendo um beijo do marido após terminar a Grande Corrida do


Norte

135
- Em agosto de 2002, terminou o Triathlon Meio Ironman de Londres
na primeira metade, entre todos os competidores.

Jane na chegada do Triathlon

- Em agosto de 2003, completou uma de suas mais difíceis conquistas


– O Ironman da Florida (3.8km nadando, 180km pedalando e
42km correndo).

- Em junho de 2004, com seu irmão completaram uma viagem de


bicicleta de 2000 milhas (aproximadamente 3.200kms!) de Roma até
Leeds, na Inglaterra.

Jane e seu irmão na viagem de Roma a Leeds de bicicleta

-A sua fundação arrecadou mais de um milhão de libras esterlinas


(quase dois milhões de dólares) para pesquisas de combate ao câncer.
E, apesar de tudo, ela continuou lutando e conquistando. E no meio de
tudo isso ela ainda teve que suportar a sua doença, as seções de
quimioterapia e ainda cuidar de seus três filhos.

Impossível ela não te inspirar a parar de dizer que é fraco. Que ela te
ajude a derrubar os muros que te impedem de viver uma vida melhor
e com mais saúde, pois esse é o desejo dela.

É difícil para você praticar esportes?

Imagina para ela!

136
Dar algo menos que o melhor de sí
É sacrificar o dom...

Steve Prefontaine, Corredor Americano

• Eu tenho vergonha, porque sou muito lento e fraco:


É uma vitória pessoal. Nunca teve a ver com os outros. Faça por
você e mais ninguém. Assista a um triathlon ou a uma maratona
e vai ver que os últimos recebem mais aplausos que os primeiros,
pois na realidade a conquista deles é maior.

Nos esportes, o que importa é fazer, completar suas metas,


vencer suas limitações, ser o seu herói e vencedor. Esqueça os
outros. Você vai até começar a ganhar dos outros, mas porque
vence suas fraquezas, porque tenta melhorar. O foco não tem de
estar nos outros, mas em fazer o melhor que puder.

• Eu tenho dor na coluna, no joelho, nas pernas, etc.:


Provavelmente você tem esses problemas porque não pratica
esportes e está acima do peso. Aqui começa outro círculo vicioso.
Você tem dores porque não pratica esportes. Porque tem dores,
não pratica esportes e só vai piorando. A falta de exercícios e a
obesidade já estão te causando dores, que provavelmente vão
evoluir para doenças. Se você se curvar a estes problemas, eles
irão crescer.
Vai parar de ter estas dores e doenças quando praticar esportes
e emagrecer. Se você se render, os problemas venceram, vão te
dominar, levar sua saúde e sua vida embora. Se ficar esperando
não ter dor alguma ou problema algum para começar a praticar
esportes, esse dia nunca vai chegar. Lembre-se: Esporte dói,
falta de esporte mata!

Claro que não estou dizendo para ser irresponsável e praticar


esportes com uma doença grave (ou sei lá, vejam o exemplo da
Jane que acabei de colocar acima) ou coisas assim, mas não
espere a perfeição, porque ela não vai vir, especialmente depois
de certa idade. Tenha um bom clínico que te acompanhe, mas
fuja desses médicos que ficam proibindo de praticar esportes por
qualquer besteira. Vai morrer do coração com o esqueleto
íntegro. E aí?

Só há uma forma de vencer o monstro: encarando nos olhos.


Se você não pratica esportes pela sua dor nas pernas, imagina
alguém sem pernas:

137
Paulo Eduardo Chieffi Aagaard, o Pauê, perdeu as pernas em um
acidente de trem, mas não desistiu dos seus sonhos. Se tornou
campeão de surf e triátlon e nunca parou de praticar esportes mesmo
com à ausência das pernas.

"Para mim, não ter as pernas é como andar sobre as nuvens"

• Eu sou muito Gordo e/ou Velho:


Novamente, precisamos lembrar nossos objetivos: colocar de
lado suas limitações e se permitir sonhar e desenvolver suas
habilidades. Para conseguir isso basta estar vivo. Se você está
vivo, nunca é tarde e não há peso que o impeça de começar.
Novamente, vá assistir um triátlon longo ou uma maratona. Vá
com calma e fique até passar os últimos colocados. Vai ver
pessoas mais velhas e mais gordas que você, que estão lá
lutando para superar suas limitações, e que são os verdadeiros
campeões.

138
Não adianta esperar emagrecer para praticar esportes, pois são
os esportes que vão te ajudar a emagrecer. Se está muito gordo
para correr, ande, nade ou pedale. Ache um esporte que você
possa fazer. Vença sua mente. Ela que está te impedindo e não
o corpo.
Idade, então. Não limita nada. Você é tão velho quanto aceita
ser. Outro dia foi batido o recorde mundial da hora no ciclismo
para maiores de 105 anos! Isso mesmo. E o senhor deu
entrevista depois e disse que estava se aposentando do ciclismo
profissional e ia pedalar só como amador agora hehehe. Vá a
competições de ciclismo e veja quanta gente na categoria
maiores de 60, maiores de 70 e, às vezes, até mais velhos.
Muitos começaram depois dos 50 anos. Tem uma freira famosa,
Sister Madonna Buder, que fez o Ironman do Hawaii (o mesmo
descrito no início do capítulo) diversas vezes com mais de 80
anos e dizia que a aproximava de Deus! E você, está esperando
o quê? Você não é velho nem gordo, você pode ESTAR velho e/ou
gordo. Está nas suas mãos mudar isso.

” Valorize suas limitações, e nunca se livrará delas.”

• Meus parentes não me incentivam

139
Você está praticando algo que te traz benefícios na saúde,
emocionais, espirituais, no trabalho, enfim em todas as áreas da
sua vida. Seus entes queridos não só vão acabar te incentivando
quando virem os resultados como vão acabar se motivando a
participar. Não dê ouvidos e siga em frente. Mais cedo ou mais
tarde eles virão. Seja a inspiração da sua família. Nada nos
inspira mais do que alguém tão próximo mudando sua vida.
Pense que, vencendo esta limitação, você não só está fazendo
bem a si mesmo como ao resto da sua família.

Vou te mostrar uma história de parentes:

Dick Hoyt

Antes do nascimento, o seu filho teve um acidente cerebral e os


médicos recomendaram deixá-lo em uma instituição para pessoas
com paralisia cerebral. Dick nunca aceitou tratar seu filho de forma
diferente e o criou em casa e mais: começou a levar o seu filho para
suas competições.

Aqui está a lista resumida das competições que eles fizeram juntos
até 2005:

Eventos:

• 206 Triátlons, sendo 6


deles Ironman
• 20 Duatlons
• 64 Maratonas
• 7 corridas de 30km
• 78 Meia Maratonas
• 1 corrida de 20km
• 34 corridas de10 milhas
• 28 corridas Falmouth de
7.1 milhas
• 8 corridas de 15km
• 204 corridas de 10km
• 143 corridas de 5 milhas
140
• 4 corridas de 8 km
• 15 corridas de 4 milhas
• 92 corridas de 5 km
• 6 corridas de 20 milhas
• 2 corridas de 11 km

Melhores Resultados

• 2:40:47 Maratona
• 1:21:12 Meia Maratona
• 13:43:37 Ironman
• 35:48 10 km
• 17:40 5 km

Total 911 eventos

• Pedalou e correu através dos EUA em 1992 – 3.735 milhas em


45 dias consecutivos
• Pedalou através dos estados de Connecticut, Rhode Island e
Massachussets, na prova "Axa World Ride 95"
• Pedalou de Pittsburgh,PA a Washington DC

Todas estas provas ele fez puxando o filho na natação em um bote,


carregando o filho na bicicleta e empurrando o filho em uma cadeira
de rodas na corrida. Conseguiu resultados extraordinários como, por
exemplo, 02h40min em uma maratona. Todos os resultados foram
obtidos carregando o filho com ele. Sempre perguntavam ao Dick, por
que, se ele tem resultados tão extraordinários, não faz uma prova sem
carregar o filho, e esta é sempre a resposta que ele dá:

- É ele quem me carrega. Sem ele eu não conseguiria terminar


nenhuma destas provas...

• Custa muito caro:

O que importa é se exercitar e praticar esportes. Há formas bem


baratas de se exercitar. Encontre uma que você possa pagar. A
corrida de rua é um exemplo, jogos na praia também. Há
esportes bem baratos. Não praticar esportes sai muito caro
porque os gastos médicos estão cada vez mais exorbitantes.
Pessoas que fazem exercícios e esportes são mais eficientes para
trabalhar e produzem mais e normalmente são mais bem-
sucedidas, ganhando mais dinheiro.

• Faz muito calor/frio onde eu moro:

Diversos campeões de triátlon canadenses treinam metade do

141
ano indoor. Atletas de corrida quenianos, marroquinos, etíopes,
usam o clima quente africano a seu favor. Faça do clima seu
aliado. Se está frio, vamos mudar o treino e fazer spinning em
uma academia ou pilotar nossa bicicleta ergométrica dentro de
casa. Está muito calor? Que tal um pouco de natação? Que tal
um esporte na praia como volleyball, por exemplo.

• Eu estou fora de forma e nunca pratiquei esportes:

Essa desculpa é uma razão para começar hoje. Estamos vivos


para viver a vida com intensidade. Nunca praticou esportes?
Hora de começar e experimentar coisas novas na vida. Vai se
surpreender como vai gostar depois de um tempo, especialmente
quando começar a sentir os benefícios de saúde.

• Eu simplesmente não consigo começar:

A motivação vem com a ação e não o contrário. Você vai ter de


começar mesmo sem vontade e depois de algum tempo a
vontade vai começar a aparecer. Apenas vá lá e comece, sem
pensar, sem vontade e sem motivação. Apenas faça e aos poucos
a vontade vai aparecer. Surpreenda-se.

A primeira e mais importante mudança de hábito é a prática de


esportes. Mesmo que faça todas as outras mudanças sugeridas neste
livro, cuide da saúde em todos os outros aspectos, sem esportes não
se consegue consolidar os resultados. Muita gente emagrece por um
período, passa a se alimentar melhor, dormir melhor, até controla de
certa forma a ansiedade e o estresse. Mas sem a prática de esportes
essas mudanças não se consolidam e, depois de um tempo, volta-se
aos antigos hábitos e as conquistas são perdidas. Além disso, o esporte
e a mola mestra que faz todas as outras mudanças se tornarem mais
fáceis. Quem pratica esportes regularmente se alimenta melhor, tem
mais facilidade de controlar o peso, dorme melhor, controla o stress,
etc. Até mesmo parar de fumar é mais fácil praticando esportes.

Estamos falando de esportes. Exercício físicos são bons, são úteis, mas
os esportes resultam em mais conquistas. Por exemplo, correr na rua
é bom, participar de corridas de rua é excelente. Fazer aula de
ginástica ou musculação na academia é muito bom e deve ser feito,
mas se puder complementar com voleibol, por exemplo, fica excelente.
O esporte adiciona o fator competição, socialização, diversão, etc. e os
resultados são ainda melhores e mais consistentes do que puramente
fazer exercícios físicos.

142
A maioria cai em uma série de desculpas para não praticar esportes. O
problema normalmente não são os esportes, mas sim as dificuldades
e desculpas que damos. Além dos enormes benefícios que eles trazem,
são bem mais simples e fáceis de serem praticados do que a maioria
pensa. As pessoas fazem coisas bem mais complicadas que tomam
bem mais tempo de suas vidas e que normalmente são inúteis. E tudo
porque não compreendem a importância dos esportes em suas vidas.

Você pode!

Engana-se quem acha que os seres humanos são divididos em fortes


e fracos, gordos e magros, novos e velhos, capacitados e
incapacitados, saudáveis e não saudáveis.

As pessoas são divididas entre aquelas que dizem:

EU POSSO!

E as que dizem:

Eu não posso...

143
Engana-se quem acha que o que limita é a sua idade, o seu peso, a
sua falta de habilidade ou experiência, as suas dores, etc.

O que te limita é tão somente a sua mente. Mais nada.

A partir do momento que você diz: EU POSSO! Você passa a poder.

Pode levar tempo. Pode demandar muito esforço. Pode ser difícil. Mas
você pode sim.

Dei alguns exemplos de pessoas que não se importaram com as


dificuldades, se levantaram e falaram: EU POSSO!

Exemplos estes selecionados para quem estiver lendo se envergonhe


de suas desculpas esfarrapadas e decida de uma vez por todas praticar
esportes.

Se praticar esportes é difícil para você, imagina para quem literalmente


carrega o filho nas competições; para quem tem câncer terminal, para
quem tem mais de 90 anos, para quem não tem as pernas, etc.

Não é porque você é fraco que você não pratica esportes.

É ao contrário:

VOCÊ É FRACO PORQUE NÃO PRATICA ESPORTES.

Um dos estudos mais extraordinários que eu já li demonstra


claramente isso:

Percutaneous Coronary Angioplasty Compared with exercise training in


patients with stable coronary artery disease

(Angioplastia Coronariana Percutânea comparada com exercício em


pacientes com doença coronariana estável)

Circulation 2004;109

101 homens com menos de 70 anos em que a angiografia (cateterismo


cardíaco) mostrou doença coronariana estável foram selecionados
randomicamente:

Grupo 1 – 12 meses de exercício (20 minutos de bicicleta ergométrica


por dia)

144
Grupo 2 – Angioplastia coronariana – Tratamento da lesão na coronária
através de cateter

Sobrevivência sem complicações cardíacas

Grupo 1 (exercício) – 88%

Grupo 2 (angioplastia) – 70%

O GRUPO QUE FEZ EXERCICIO SEM INTERVENÇÃO NAS


CORONÁRIAS TEVE UMA SOBREVIVÊNCIA MAIOR QUE O GRUPO
QUE FEZ ANGIOPLASTIA (DESENTUPIMENTO DAS
CORONÁRIAS)

Claro que esse é apenas um estudo e pode haver outros fatores que
expliquem a diferença, e o grupo estudado nem é tão grande assim,
mas a conclusão é fantástica. E olha que o exercício nem foi grandes
coisas, apenas 20 minutos de bicicleta ergométrica por dia.

Em cima disso tenho de dizê-los novamente que

ESPORTE DÓI, FALTA DE ESPORTE MATA.

Quantas vezes vejo gente parar de praticar esportes e, pior, orientados


por médicos, porque tem uma dor no joelho ou na coluna.

Muito bem, vai morrer do coração ou de alguma doença ligada à


obesidade, mas com o esqueleto íntegro.

Aceitem que esporte dói. Não fomos feitos para isso, mas sem ele
vamos ficar bem piores. Deem um jeito, porque seu corpo acha um se
você insistir. O corpo acha um caminho!

Claro que tudo na vida precisa de bom senso e ninguém está dizendo
para praticar esportes com uma lesão grave ou uma dor incapacitante.
Isso precisa de tratamento médico e repouso. Apenas não caiam na
ilusão do esporte indolor, ou de tudo funcionando direitinho no
esqueleto. Isso até pode existir aos 18 anos, mas vai ficando cada vez
mais difícil conforme os anos e os quilos avançam.

Na minha experiência e, muitas vezes, na literatura ligada ao assunto,


o esporte é a mola mestre que puxa as outras mudanças. E essas
mudanças que vão levar a uma maior e melhor sobrevida.
Em 2002, uma das mais importantes revistas médicas, The New
England Journal of Medicine lançou um fantástico editorial (Survival of

145
the Fittest – More Evidence) sobre as evidências da maior
sobrevivência dos que estão em melhores condições físicas pela prática
de esporte. Não concluem exatamente o quanto é necessário de
esporte, mas que precisa ser intenso e diversas vezes por semana.
Citam um artigo da mesma revista que demonstra claramente que
mais exercício diminui proporcionalmente o risco de morte. Claro e
direto assim. Óbvio que são probabilidades e que sempre há exceções.
As pessoas sempre se prendem as exceções e aos exemplos idiotas,
como o do indivíduo que fumou e viveu até os cem anos ou o do que
praticava esporte e morreu cedo. Só o que podemos fazer é aumentar
nossas chances, não temos controle sobre tudo. Mas uma coisa é certa,
quem pratica esportes vai viver melhor mesmo que seja do pequeno
percentual de desafortunados que não vive mais, até mesmo porque
existem acidentes e mortes violentas que não são evitadas pela prática
de esportes. Mas colocar as chances a seu favor é sempre uma coisa
boa.
A conclusão do artigo citado: “A capacidade funcional para o exercício
determina mais a mortalidade dentre homens do que outros fatores de
risco estabelecidos para doença cardiovascular.” (N Engl J Med
2002;346:793-801.)

Em cima disso, quando você abandona os esportes porque dói, para


manter seu esqueleto integro, ou porque o médico o proíbe, está
apenas aumentando suas chances de morrer mais cedo, mas com o
esqueleto integro. Novamente eu reitero a necessidade de bom senso
e acompanhamento por um bom clinico que esteja antenado com
esportes e os benefícios dele, mas não há como achar que vai ter
coração e pulmão saudáveis e não ficar obeso, sem dor nenhuma. VAI
DOER. VOCÊ VAI SOFRER. Seu esqueleto não vai ser perfeito,
especialmente após os 40, 50 anos. Mas é o preço que se paga. No
mais é mais fácil o esqueleto com alguns problemas carregar um corpo
magro do que um esqueleto íntegro carregar um corpo obeso.

A nossa mentalidade e a da maioria dos médicos está muito voltada


para os medicamentos, mas o que vai mudar sua vida são os esportes.
O que vai te trazer saúde são os esportes associados a outras diversas
mudanças como se alimentar melhor, parar de fumar, evitar bebidas
alcoólicas, diminuir o estresse, etc. E o esporte é a mola mestra que
leva e mantém todas essas mudanças.

Li há um tempo atrás no The International Herald Tribune um


interessante artigo sobre isso chamado “Piercing mystery of old-age
frailty” A discussão é porque alguns envelhecem bem e outros não e a
busca dos cientistas é descobrir o que faz diferença nos idosos ativos
e fortes. O que se suspeita é que a fragilidade (que acomete idosos

146
que ficam inválidos) seja uma doença cardiovascular silenciosa que
obstrui suas artérias ao longo do tempo impedindo a função adequada
de diversos órgãos. O sedentarismo seria um fator primordial para esta
evolução.

Outro dado importante que está sendo pesquisado, por mais céticos
que sejam os médicos quanto a isso, é que o antigo clichê parece ser
verdadeiro:

“Você só é tão velho quanto pensa que é...”

Parece que quem se conforma com a velhice, e quem acha que não é
capaz de mais nada (e isso já começa na meia idade), passa a andar
mais devagar, deprimir-se mais facilmente, praticar menos ou nenhum
esporte, usar mais elevadores e escadas rolantes, usar menos o
cérebro e isso afeta seu sistema cardiovascular negativamente, bem
como suas funções cerebrais. Tudo isso leva a mais atitudes de
enfraquecimento, o que leva a maiores perdas e danos das funções
cardiovasculares e cerebrais em um círculo vicioso do envelhecimento
precoce. O indivíduo literalmente se entrega.

Em um estudo realizado nos EUA, 3.075 indivíduos aparentemente


saudáveis próximos de 70 anos foram testados em uma caminhada de
aproximadamente 500 metros mantendo o ritmo e sem parar para
descansar. Os resultados foram publicados na conceituada revista
JAMA (Journal of The American Medical Association). Os que
conseguiram andar a distância bem e em menos de 5 minutos foram
considerados como tendo tido um bom resultado no teste.

Para cada minuto acima dos 5, a chance de falecer nos 4 anos


seguintes aumentava em um terço, o risco de ter um infarto agudo do
miocárdio aumentava em 20% e o risco de ter desabilidade aumentava
em 50%!

E como prevenir a fragilidade dos idosos?

• Não fumar;
• Manter níveis adequados de colesterol e pressão arterial;
• Manter-se ativo e praticar esportes.

Portanto, não importa a sua idade, mantenha-se ativo, pratique


esportes e tenha uma atitude positiva porque isso conta. Está nas suas
mãos se você será ágil e ativo ou apenas mais um reclamando da
vida...

147
“Você só é tão velho quanto pensa que é...”

Entenda que esporte dói, mas a falta de esporte mata. Sabendo disso,
torne a dor sua aliada, aquela dor está te trazendo saúde e mais tempo
de vida.

O esporte te traz também muitas oportunidades. Melhorar sua saúde,


emagrecer, socializar, melhorar sua mente, trabalhar melhor, dormir
melhor, etc. Use o esporte para melhorar em diversos aspectos da sua
vida e, sabendo disso, praticar esporte se torna mais constante e mais
prazeroso.

- Emagrecimento

A combinação de melhores hábitos alimentares com esportes é a forma


mais efetiva de perder peso. O esporte usualmente já leva a uma
melhor alimentação e, se houver competição, muitas vezes é
necessário emagrecer para ter melhores resultados. O emagrecimento
passa a ser um objetivo maior e tudo isso junto facilita com que
aconteça. Emagrecer não é fácil, sabemos disso e mais difícil ainda é
manter as perdas, evitando o efeito sanfona. O esporte pode não ser
tão eficiente quanto o controle alimentar para emagrecer, mas ele é
fundamental para que se consiga manter o que se perdeu. E, mais
ainda, ele é um forte estímulo para a melhor alimentação.

Esqueça dietas. O que você precisa é de bom senso para se alimentar


melhor para o resto da vida. Não quer dizer que não possa mais comer
o que você gosta e perder todo o prazer com a comida. Eu disse: bom
senso. Este capítulo foca em esportes, então não é proposta dele
apresentar as diferentes formas de se alimentar, mas a coisa não é
complicada, complicado é fazer.

Um resumo simples da boa alimentação:

1. Não pule o café da manhã;

2. Evite frituras;

3. Substitua doces por frutas;

4. Beba bastante água;

5. Não tome suplementos, complementos, vitaminas ou qualquer


medicamento sem orientação médica;

6. Não use açúcar de qualquer tipo;

148
7. Não coloque sal no prato diretamente, use alho e cebola no lugar
de sal;

8. Foque em alimentos com densidade nutricional – elevada


quantidade de nutrientes em relação às calorias. Eles nutrem e saciam;

9. Evite alimentos "vazios", ainda que não processados (batata,


arroz) e mais ainda os processados (pão, macarrão, fubá, farinhas);

10. Não tenha medo da gordura natural dos alimentos, mas não
adicione gorduras desnecessárias. Gorduras saciam. São um macro
nutriente importante;

11. Baseie sua alimentação em legumes, verduras e carnes/ovos;

12. Não coma sem fome e evite petiscos;

13. Trabalhe as questões tangenciais que refletem na alimentação


(ansiedade, compulsão, depressão, etc.). Exemplos de atividades que
podem melhorar estas condições: exercício físico, terapia,
autoconhecimento a partir de leituras, etc.;

14. Chocolate somente em pequenas porções e acima de 60% de


cacau pelo menos;

15. Prefira frutas inteiras (sem ser suco). + fibras + saciedade -


absorção de açúcar;

16. Prefira frutas menos doces se o objetivo é emagrecer;

17. Evite processados;

18. Evite farináceos;

19. Evite óleos vegetais (soja, canola girassol, etc.) à exceção do


azeite, sempre com bom senso;

20. Evite refrigerantes e sucos processados;

21. Beba álcool somente com bastante moderação;

22. Evite sorvete e doces em geral;

23. Evite pão;

24. Em geral, o que estraga mais rápido é melhor;

25. Coma tudo o mais próximo possível de como é realmente;


149
26. Varie bastante, coma de tudo um pouco e pouco de tudo.

Não faça dietas temporárias. Só servem para o efeito sanfona. Mude


seus hábitos para sempre. Inclua bons alimentos como frutas,
legumes, verduras e carnes magras. Exclua alimentos processados,
industrializados, refrigerantes, bebidas alcoólicas, açúcar, farináceos,
biscoitos, fastfood, etc. E faça essas mudanças aos poucos. Inclua um
bom alimento, retire um alimento ruim. Espere isso estar bem
adaptado a sua vida e faça mais uma mudança e assim por diante. Aos
poucos vá se reeducando e melhorando sua alimentação, todos os dias.
A rotina deve ser saudável. Eventualmente pode-se sair do hábito
porque ninguém é de ferro, mas o hábito deve ser saudável.

Para emagrecer você precisa durante muito tempo gastar mais calorias
do que consome. Mas hoje já se sabe que nem todas calorias são
iguais. Calorias de alimentos ruins são piores que as dos bons. Não é
a mesma coisa 100 calorias de pudim e 100 calorias de alface. Não
quer dizer que você não possa comer nunca pudim se gosta, mas não
se iluda com métodos que só contam calorias. Alimentos tem de ter
qualidade e alimentos ruins devem ser a exceção. Para gastar mais
calorias do que consome, não se deve pensar somente em esportes e
alimentação, que são espetaculares para isso, mas no dia a dia
também.

- Vá trabalhar andando ou de bicicleta, se possível, ou faça parte do


trajeto assim. Se não puder ser na ida, ao menos na volta;

- Use escadas para descer e para subir se forem poucos andares;

- Saia mais de casa, faça mais atividades;

- Para de procurar vaga mais perto, estacione logo em qualquer lugar;

- Não seja preguiçoso.

Ou seja, tente vencer a comodidade e vá criando hábitos que te levarão


a um dia a dia de mais consumo de calorias. Isso, associado ao esporte
e a melhor alimentação, trará grandes benefícios para o
emagrecimento e a saúde.

Outros benefícios dos esportes, apenas para citar alguns são:

- Manter o tônus muscular;

- Melhora da circulação;

- Benefícios para a função cardíaca e pulmonar;


150
- Diminuição do estresse e da ansiedade;

- Melhora da habilidade de concentração;

- Benefícios na aparência física;

- Redução da depressão;

- Supressão do apetite, especialmente para alimentos prejudiciais a


saúde;

- Melhora do padrão de sono e diminuição de casos de insônia;

- Prevenção de diabetes, pressão sanguínea elevada e colesterol alto;

- Diminuição do risco de alguns tipos de câncer de mama, ovário e de


colo.

E mais uma grande oportunidade que o esporte traz:

Ele te ajuda a se libertar de vícios. O esporte é o vício do bem. Ele te


ajuda a beber menos, parar de usar drogas e, acima de tudo a parar
de fumar. É um forte aliado, pois a ansiedade por cigarro diminui muito
com a prática de esportes. Todo tratamento para parar de fumar deve
ter o esporte como aliado e muitos que começam a praticar esportes
com afinco naturalmente abandonam o cigarro. A busca de melhores
marcas, de conquistas, de vencer desafios te leva a abandonar o que
está te atrapalhando a emagrecer, a ser mais saudável, a dormir
melhor. O efeito colateral do esporte é melhorar a sua vida em todos
os sentidos.

Outra questão importante que o esporte auxilia é na chamada poli


farmácia, ou o hábito de tomar muitos remédios. Uma das ilusões da
sociedade atual é que os remédios curam doenças e, pior do que isso,
que os remédios resolvem problemas de vida. Com exceção das
doenças infecciosas, alguns tipos de câncer e outras raras doenças, os
remédios não curam. O melhor que eles fazem, na maioria das vezes,
é aliviar algum sintoma ou ser adjuvante de outros tratamentos mais
eficientes. Algumas vezes eles são úteis para manter um indivíduo vivo
até que outras medidas possam ser tomadas.

As pessoas vivem suas vidas de forma totalmente errada, não praticam


esportes, alimentam-se mal, são obesas, se envenenam com cigarros,
bebidas, etc., se estressam mais do que o corpo aguenta e depois
querem que o médico lhes passe um remédio que vá resolver tudo isso.

151
Os médicos, que também não estão tendo atualmente a situação
confortável de trabalho que tinham há algumas décadas, acabam por
passar os remédios sintomáticos, ou pior, as próprias pessoas
conseguem nas farmácias e tomam por conta própria.

No fim, tomam remédio para dormir, remédio para acordar, remédio


para comer menos, remédio para diversas dores, remédio para enjoo,
remédio para depressão, remédio para ansiedade, remédio para ir ao
banheiro, remédio porque está indo demais ao banheiro e um monte
de remédios para resolver os sintomas causados por esse monte de
remédios que eles estão tomando.

Uma vez no consultório tive um paciente gravíssimo, cheio de


sintomas, que tomava 20 remédios por dia. Eu fui retirando os
remédios para entender o que ele tinha e ele foi melhorando, até que
no fim tirei todos os remédios e ele ficou bom!

A prática de esportes permite que se vá retirando medicamentos que


não são essenciais e diversos sintomas como ansiedade, depressão,
dores lombares, etc. podem ir melhorando e diminuir a necessidade de
medicamentos. O emagrecimento também pode permitir a retirada de
diversas drogas.

Qual o Seu Objetivo?

Muitos de nós nos exercitamos e reeducamos nossa alimentação para


termos saúde. Esse é certamente o melhor objetivo que podemos ter.
Mas, por incrível que pareça, é muito pouco. Um objetivo muito
pequeno e que na maioria das vezes não é suficiente para nos levar
longe e para conquistarmos a saúde que desejamos. O que mais
contribui para que nossos projetos de saúde sejam atingidos é um
objetivo definido, uma conquista.

Realizar um sonho, conquistar algo difícil, se aventurar, fazer algo que


realmente nos leve longe, que aumente nossa autoestima e nos torne
especiais. Para alguns pode ser algo simples como completar uma
Maratona ou um Triátlon. Outros almejam subir montanhas, conseguir
percorrer caminhos de andarilhos e aventureiros, esquiar, etc.

Qual o seu objetivo?

Cada um tem um sonho oculto, algo que gostaria de atingir, conseguir,


mas tem medo, vergonha de tentar. Você pode conseguir sim, e o que

152
é melhor: esse objetivo, esse sonho, vai te levar muito mais longe e
será muito mais fácil cumprir as tarefas que te trazem saúde.

Cada um tem o seu. Liberte-se. Escreva em uma folha, coloque um


prazo e pregue no seu mural:

Até o fim do ano X eu vou conseguir fazer ...!

Tantas pessoas conseguem. Porque você não pode? Pode sim.

Chamam de malucos os que sobem o Everest, os que fazem Ironman,


os que dão a volta ao mundo em um veleiro, os que atravessam o
Canal da Mancha a nado... Malucos são os que vivem sem um objetivo,
um sonho. Ou o que é pior, abandonam seus sonhos na rotina de suas
vidas.

Seu objetivo não precisa ser nada tão grandioso. Dar uma volta na
lagoa da sua cidade correndo já é uma grande conquista para alguns.

Pequeno ou grande, comum ou extraordinário. Não importa. Qual é o


seu objetivo?

Pense nisso, defina seu objetivo e pregue no seu mural. A partir desse
dia vamos lutar por nossos objetivos ao invés de apenas cuidarmos de
nossa saúde. Tenham certeza que irão muito mais longe assim.

Os que têm um objetivo definido sempre vão mais longe e obtêm muito
mais conquistas em termos de saúde. Uma coisa importante: Um
objetivo irreal vai destruir a motivação, mas objetivos fáceis demais de
serem atingidos levarão ao tédio. Escolha bem seu objetivo, busque
aquele sonho esquecido.

Se você está começando a correr, veja uma corrida de rua na sua


cidade e coloque como seu objetivo. Se já participou de algumas,
escolha uma meia maratona ou uma maratona em uma data que dê
tempo para treinar e coloque como seu objetivo. Ou determine um
tempo para percorrer uma distância. Só tome cuidado para não
estabelecer objetivos muito difíceis que te frustrem. Vá aos poucos,
estabeleça um objetivo real, mas difícil. Atingiu, passe para outro. E
vá se premiando a cada objetivo atingido. Compre um presente, faça
uma bela refeição, compre um tênis novo, ganhe uma recompensa.

O mesmo pode ser feito com todos os esportes aeróbicos, como


natação, ciclismo, remo, etc. Se teu negócio são esportes coletivos fica
um pouco mais complicado, mas ainda assim você pode traçar

153
objetivos como jogar determinado tempo, jogar um jogo completo,
jogar X vezes por semana, coisas assim. O mesmo pode ser feito com
esportes individuais como Tênis. Lutas te permitem traçar objetivos de
faixas. O que importa é ter um objetivo, um sonho, um desafio. Escolha
o seu. Esporte dói, falta de esporte mata!

“Nada contribui tanto para tranquilizar a mente do que um objetivo


bem definido.”

154
V – #PAS

“Se o dinheiro é seu Deus,

A sua vida é um inferno!”

- Bastter

De nada adianta estudar, trabalhar, poupar e até praticar esportes se


não tiver paz. O objetivo final deve ser paz. Mas paz não é algo que
vem de graça, ela tem de ser conquistada e você tem de se desenvolver
como uma pessoa que busca a paz. Ela não vai acontecer do nada,
você tem de lutar pela paz, externamente e mais ainda internamente.

155
Da mesma forma que a natureza humana nos investimentos é procurar
rolo e seguir a manada, a maioria também não busca a paz, busca o
estresse e normalmente em pequenas coisas que não fazem a menor
diferença na vida, que só tiram a sua paz.

A primeira coisa que você tem de entender é que não tem de mudar
o mundo, salvar todas as pessoas do mundo, salvar o país, etc. Estas
são apenas formas de domínio para que participe do sistema e não
mude nada. Você só tem de cuidar do seu e dos seus e respeitar o
próximo. Fazendo isso está mudando a si mesmo, mudando os a sua
volta e contribuindo para um mundo melhor. Esqueça aquela baboseira
que “quando os bons se calam”, sei lá o quê. Não se sinta pressionado
a fazer alguma coisa, a participar de alguma coisa. Cuide do seu e dos
seus, respeite o próximo e o resto que se dane. Não quer dizer que
você não possa ajudar, doar, tentar melhorar o mundo, tentar ajudar
os que estão a sua volta, mas quer dizer, sim, que você não é obrigado
a fazer nada e que lutas coletivas atualmente se resumem a enganação
e ao enriquecimento dos seus líderes. Só o que importa é a segurança
da sua família. É cuidando do seu que você pode mudar, melhorar e
crescer para poder fazer alguma coisa pelos outros. Um bando de
morto de fome reunido reclamando das injustiças do mundo não ajuda
ninguém, nem a eles mesmos. Quando você cuida do seu e dos seus e
respeita o próximo, está contribuindo para um mundo melhor. E
quando estiver em condições de ajudar mais gente a sua volta, ajude.

Quer melhorar o mundo, o país, não espere nada do governo ou de


quem for, nem ache que vai ser se metendo em lutas coletivas ou
através de políticos que o mundo vai mudar. Quando puder, ajude
quem está do seu lado. Todos falam que a distribuição de renda no
país é péssima e ficam se lamentando e esperando que o governo faça
alguma coisa quanto a isso, enquanto não fazem nada, se apegam a
misérias, pagam mal seus empregados, se recusam a distribuir um
pouco eles mesmos. O governo é um ente cujo único interesse é sua
própria sobrevivência e, para tanto, ele engana as pessoas sugerindo
a sua importância. Às vezes, pressionado, até faz algumas poucas
coisas boas, normalmente temporárias. O bem e as mudanças nunca
vêm de cima. Se você quer mais distribuição de renda, se você quer
menos injustiça faça você mesmo.

Exemplos:

- Se paga 150 reais a uma diarista, pague 170 reais ou 200. Os 20


reais não vão te fazer a menor falta, mas podem ser importantes para

156
ela. E não me venha com papo de que não valorizam, não sei lá o que.
Esquece os outros. É o primeiro passo para mudar a você mesmo e o
mundo. Faça o bem, não importa o que os outros achem ou se
aproveitam, valorizam, ou o que for.

- Pague melhor seus empregados, especialmente os que merecem.

- Dê gorjetas maiores.

- Dê mais coisas. Aquele monte de coisas que não usa mais, aquele
monte de roupas e tudo mais. Dê. Não fique vendendo coisa velha que
vai ganhar uma merreca e ainda dá trabalho. Dê. Não faz diferença
para você, mas pode ajudar muito os outros. Vai ver que doar coisas
que são úteis para os outros te dá muito mais felicidade do que ficar
entulhando coisas que não usa. Desapegue.

- Pague o colégio de uma criança pobre. Junte uns amigos e pague de


uma ao menos. Uma das formas de distribuir renda vem de pobres
terem melhor formação. Não importa se dizem que isso não adianta ou
que uma criança só não vai mudar nada. Muda para ela se der certo e,
se der errado, você tentou. Eu sei que lá atrás eu escrevi que a
educação formal está falida, banindo a criatividade, etc. Mas uma
criança pobre sem escola ou numa escola ruim está em piores
condições, a despeito disso. Se não quiser pagar escola, pague um
tratamento médico, uma reforma na casa, um computador, qualquer
coisa. Junte um grupo de amigos e faça o bem diretamente.

Pense de que forma você pode distribuir um pouco do que tem de


sobra. Não precisa ser tudo, não precisa ser algo que te faça falta, mas
garanto que você pode distribuir alguma coisa. E distribuição é
exatamente isso, pegar o que sobra para alguns e dar para os que têm
pouco. Não adianta ficar reclamando da péssima distribuição do país e
do mundo porque vai continuar péssima, pois reclamar não muda
nada. Distribua você mesmo. E não fique nessa de “eu não sei se vai
adiantar”. Se não adiantar, paciência, ao menos você tentou. E se uma
adiantar, ótimo, vale pelas outras que não adiantou. Coloque na sua
cabeça que você tem de fazer o bem porque tem de fazer, não espere
nada em troca e nem que dê em alguma coisa. Apenas faça.

“Ah, mas isso não muda o mundo, isso não resolve o problema.”
Daquela pessoa resolveu, ou ao menos ajudou. Este pensamento de
que não resolve, faz com que ninguém faça nada. Faça alguma coisa,
faça o que puder, distribua um pouco. Vai te fazer bem, inclusive. Doar
e ver alguém que precisa feliz te faz muito bem. É um antidepressivo

157
poderoso. Tire da sua cabeça essa ideia burra que é outro exemplo de
burro muito comum que é o “ah, mas não resolveu tudo...” Nada
resolve tudo. Quando você ajuda uma pessoa, você ajudou uma pessoa
e o mundo melhorou. Qualquer coisa que melhora, melhora. Esperar
somente atitudes que resolvam tudo termina em não fazer nada. Tipo
quando fazem um hospital muito bom, que está ajudando pessoas, aí
vem o burro e fala: “ainda tem muito lugares sem hospital, não
resolveu nada.” Não seja esse burro. Nada vai resolver tudo de uma
vez e toda coisa boa é boa.

Não espere dos outros, especialmente do governo. Distribua mesmo


que seja somente um pouco. Pode ser pouco para você, mas pode ser
muito para quem recebe. Pare de guardar tanta coisa em casa, enfiada
em buracos, que nunca usa. Quer comprar coisas novas porque gosta
ou vai ficar feliz e pode pagar, ok, mas dê as antigas, não guarde. Não
serve mais para você, mas serve para os outros.

Então a primeira coisa para ter paz é parar de querer mudar o


mundo, de participar de lutas coletivas e começar a mudar a você
mesmo, cuidar do seu e dos seus e respeitar o próximo. Além disso,
assim que puder, ajudar os que estão a sua volta, os que estão
próximos de você. Quanto mais gente fizer isso, mais o mundo
melhora. Quanto mais gente espera que governos ou políticos ou
associações ou grupos mudem o mundo de uma vez, salvem o país,
etc., nada acontece e nem elas mesmo melhoram.

Já que estamos falando nele, o governo tira a sua paz. Mas tira
porque você deixa. Quanto menos você pensar em governo, política,
etc., melhor para sua vida. A ilusão de que participar vai mudar é muito
forte e faz com que eles continuem no domínio total. Todos os governos
do mundo em todas as épocas em todos os países são ruins. Estão lá
só para te tungar e viver as suas custas. Quanto menos gente der bola
para eles e cuidarem de suas vidas, menores serão os governos. Como
aparentemente não tem como ficar sem, quanto menor melhor, menos
você vai ser roubado. Novamente cuide do seu e dos seus, respeite o
próximo e danesse governo e políticos. Somos nós que mudamos o
país ou o mundo. O governo é um reflexo da população, eles não vêm
de Marte. Quanto mais gente cuidando do seu, não dependendo do
governo, não esperando nada dele e respeitando o próximo, menos
pior e menor será o governo. Quanto mais gente vivendo de maneira
incorreta, sem respeitar o próximo e dependente do governo, maior e
pior será o governo.

158
"O mais curioso é que os privilégios só diminuirão quando as pessoas
enxergarem que não precisam ficar com o pires na mão pedindo para
ladrões. E isso só é possível com estudo, trabalho e patrimônio.

Quanto mais cada um se virar, menos privilégios veremos. Quanto


mais precisarem, mais veremos privilégios."

- SaMbA

Um outro aspecto importante, que vale para todos, não só para o


governo é que normalmente sofrer com o mal é pior do que o mal
em si. O governo faz diversas coisas que te prejudicam. Sofrer com
isso é pior do que o mal em si. Imposto, por exemplo, não adianta
sofrer. Considere que faz parte da sua vida, pague o mínimo possível
dentro da lei e não espere nada em troca. E nem tome conhecimento.
Os males que eu não tenho como evitar que o governo faça a mim eu
aceito e sigo a vida. Ele pode fazer aquele mal, mas ele não vai
conseguir que eu sofra com aquilo, que é o mal maior. E isso vale para
qualquer coisa na vida e para qualquer pessoa. Não deixem que o mal
maior aconteça com você, que é ficar sofrendo e vivendo a desgraça.
Coloca uma pedra, aprenda se tem algum aprendizado, e siga a vida.
Não viva a lama, não fique se lamentando, não fique reclamando, vá
em frente. Siga em frente. Sempre em frente.

É fundamental para ter paz não contar com nada nem ninguém e não
se fazer de vítima. Ninguém te deve nada e só você pode mudar, só
você pode fazer alguma coisa. A vitimização te impede de crescer. Eu
não estou dizendo que não existem injustiças, mas que você vai ter de
vencer apesar delas. Sempre vai haver alguém que tem melhores
condições. Não existe todo mundo exatamente igual, e isso aliás seria
a desgraça do mundo. Esta é uma grande dificuldade e ilusão das
pessoas. Em nada, em nenhuma atividade, em nenhuma relação existe
a justiça perfeita. Tudo é mais ou menos injusto, tudo pende mais
para um lado. Aceite isso, lute e vença a despeito disso. Seja mais
tolerante e pare de focar nas injustiças e foque nas coisas boas. A
justiça perfeita, o totalmente justo, são apenas ilusões que abrem a
portas para líderes de movimentos se tornarem políticos e
enriquecerem às custas dos que se iludem com o equilíbrio total. Claro
que eu também desejo um mundo mais justo, melhores condições para
todos, etc. Mas espere isso acontecer e não vai sair do lugar. De nada
adianta a constatação de que você é vítima, injustiçado, e ficar
esperando reparação ou algo acontecer. Não vai acontecer. E posso
garantir que tem gente em piores condições do que você. Você tem de

159
vencer a despeito das injustiças, porque o mundo não é justo, nunca
foi nem nunca será.

Troque a reclamação (complaints) pela gratidão (gratitude) e sua vida


começa a melhorar instantaneamente. Nunca deixe que as coisas que
deseja faça esquecer as que tem. Pense em tudo que tem, material ou
não, e fique grato. Vai te fazer muito mais bem do que reclamar do
que não tem. Reclamar é uma doença, um vício que te prende e te
impede de crescer. Pare de reclamar! Como todo vício, vai necessitar
esforço e tempo. Uma coisa fundamental é se afastar dos reclamões,
das pessoas negativas, das pessoas que só te colocam para baixo, que
só reclamam. Elas te puxam para o mundo delas da reclamação, de se
fazer de vítima, de esperar algo dos outros e nunca evoluir. Afaste-se,
tire estas pessoas da sua vida. Igual ao drogado que para se curar do
vício tem de se afastar dos outros drogados.

160
Comece ficando algumas horas sem reclamar: “Hoje vou ficar das 10
às 18 horas sem reclamar.” Esforce-se, não reclame. Se conseguir,
passe um dia inteiro sem reclamar. Vai ver como é libertador, como
produz mais, como é mais feliz. Vá progredindo até ir parando
completamente de reclamar. De vez em quando vai ter uma recaída,
conserte-se, pare, não reclame. Se afastar dos reclamões será natural.
Depois que parar de reclamar não vai conseguir mais ficar perto dessas
pessoas. Vai se surpreender como sua vida melhorou. A reclamação e
o pessimismo são profecias autorrealizáveis. Se reclama muito, se está
sempre pessimista, realmente sua vida fica uma droga. Saia desse
círculo, liberte-se, pare de reclamar, hoje, agora. Pare!

161
Reclamar não te leva a nada, só te torna chato e prejudica sua vida e
sua evolução. E pior, te aproxima de outros que só reclamam, pois, as
pessoas positivas, que realmente podem te ajudar a crescer, vão se
afastar.

Não só pare de reclamar como se afaste dos que reclamam. Atraia


positividade para sua vida e não negatividade. Tente passar um dia
inteiro sem reclamar. Se conseguir, depois tente dois dias. Igual a
parar de fumar. Tente uma semana, depois um mês. E aí vai perceber
como sua vida mudou. Igual a muitos ex-fumantes, não vai mais
conseguir ficar perto de gente que reclama e vai perceber que reclamar
é um fim em si que não serve para nada e não traz nada de bom.

Vão vir aqueles argumentos bobos, como o de que “quem não reclama
aceita o que está aí, aceita o governo, não faz nada”, mas é justamente

162
o contrário. Quem fica reclamando, só reclama. Quem faz, faz, não fica
reclamando. Pare de reclamar e passe a fazer. Você não tem ideia
como reclamar está te puxando para baixo, especialmente porque você
está junto de grupos de "reclamões".

Afaste-se da mediocridade, pois o que os medíocres mais querem é


que todos sejam iguais a eles. Vá, pare de reclamar e comece a correr
atrás e mudar o SEU mundo. O mundo muda pelas mudanças
individuais de cada um. Quanto mais gente bem formada, criando,
pensando, fazendo o bem, indo para frente, positiva, otimista, melhor
para o mundo. Você não vai mudar o mundo reclamando, mas você vai
mudar o SEU mundo se parar de reclamar!

- Postagem minha na Bastter.com em 2016

É fundamental para sua paz e seu sucesso se afastar dos losers


(perdedores), medíocres querem que todos sejam medíocres. Afaste-
se. Não vai ter sucesso e muito menos paz cercado de perdedores. E
não perca seu tempo tentando consertar os outros. Não é possível
ajudar quem não quer ser ajudado. Não deixem que te puxem para
baixo, afaste-se. Pare de reclamar, pare de colocar a culpa nos outros,
pare de achar que te devem alguma coisa. Mude, siga em frente. Isso
terá um preço, pois você não vai mais poder fazer parte da maioria,
não vai poder participar de muitas conversas idiotas. Não importa, a
paz vale mais, crescer vale mais. Importante aprender a não discutir,
não querer ensinar os outros, não argumentar com idiotas. Aprenda a
dizer -huuuummmmm. Não fale nada, vai se arrepender. Não se meta.
Não queira convencer ninguém de nada e aprenda a não discordar nem
concordar, muito pelo contrário. Fale -huuummmmm e pronto. Não
estou dizendo que não se possa ajudar quem quer ser ajudado, mas
quem não quer, quem só reclama, quem só fala besteira, os idiotas
que ficam dando aula de idiotice, “huuummmmm” e siga a vida. Pare
de discutir coisas inúteis especialmente com idiotas. É a mesma
inutilidade da reclamação. Quem discute e briga por causa de políticos
é retardado. Quem discute e briga por causa de time de futebol é
retardado. Quem discute e briga por causa de qualquer coisa que não
vai levar a nada nem ninguém vai convencer ninguém de nada, e
especialmente quando as pessoas sobre as quais se discute estão ricas
e cagando para quem está discutindo, é retardado. Nunca um
flamenguista convenceu um vascaíno de nada e vice-versa, mas os
jogadores estão ganhando um dinheirão e cagando para os dois. Não
estou dizendo que você não possa torcer e assistir futebol se gosta.
Mas não seja retardado e não perca seu tempo discutindo isso e
163
nenhuma imbecilidade que não leva a nada. Paz. Tudo isso te afasta
da paz. E além do mais discutir com burros emburrece. Se o sujeito
não fosse burro, não estava participando desta discussão. No mais,
você nunca convence o burro de nada e ele sempre te convence de
alguma burrice.

É fundamental também para a paz não se importar com o que os


outros falam ou pensam sobre você e não se meter na vida dos
outros. O que os outros fazem não te interessa e o que você faz não
interessa aos outros. Viva em paz e dê paz aos outros. Haja
corretamente, seja honesto, seja uma pessoa boa, respeite o próximo,

164
durma em paz e danesse o que os outros pensam de você, muito
menos o que falam. Não dê a mínima. Se você está com a consciência
tranquila e dorme bem é o que importa. Viva somente a sua vida. Não
viva a vida dos outros. Não se meta, não tenha inveja. Você tem muito,
sempre alguém vai ter mais, mas e daí? Lute e valorize as suas
conquistas, mas por você, não pelos outros. Vença as suas fraquezas.
Há muitas competições na vida, mas não se ganha combatendo os
outros, e sim combatendo as suas fraquezas e dando o melhor de si. É
só isso que importa. Se fez o seu melhor, venceu. Nunca foi nem nunca
vai ser entre você e os outros. E só contigo. Mantenha convivência com
outros apenas positiva, só o que te faz bem. Da mesma forma que está
tentando parar de reclamar, pare de falar mal dos outros. Tem de curar
este vício também para ter paz. Não se importar com o que os outros
pensam ou falam de você, mas também parar de falar mal dos outros.
Fale bem ou não fale. Troque o falar mal por não falar. Todo mundo
tem alguma coisa boa, mas se não tem nada de bom para falar, não
fale. Ficar falando mal dos outros e se metendo na vida dos outros
acaba com sua paz porque eles também vão fazer isso com você e, se
você se mete na vida dos outros, vai se importar com os outros se
metendo na sua (e eles vão se meter) e a paz acaba. Parando de se
importar com o que os outros falam ou pensam e parando de se meter
na vida dos outros, livra-se de diversos aborrecimentos que retiram a
paz da sua vida. Não perca seu tempo tentando entender porque os
outros fazem o que fazem. Faça você o que acha correto, faça a sua
parte e pronto. Não importa porque os outros fazem o que fazem, não
faz a menor diferença. Siga em frente, cuide do seu.

Para ter paz não seja reativo e pratique a tolerância.

“Antes de embarcar em uma jornada de vingança,


cave duas sepulturas”

- Confúcio

Quando você é reativo, perde sua liberdade e passa a ser guiado pelos
outros. Só interessa a segurança da sua família, o resto deixe para lá.
Você atinge mais as pessoas com silêncio e deixando para lá do que
reagindo. Nunca reaja a não ser que esteja certo que é pela segurança
da sua família, pois muitas vezes reagir justamente coloca sua família
em risco. O resto que se dane.

Não estou dizendo que seja fácil. Levei 15 anos para deixar de ser
reativo e até hoje eventualmente tenho algumas recaídas. É igual parar

165
de reclamar, tem de ir se esforçando e desenvolvendo a capacidade de
não reagir, mas é libertador. Brigar com pessoas que você nem
conhece por coisas que não tem importância e pior, colocar-se em
risco, porque nunca há como saber quem está do outro lado. Quer coisa
mais doida que isso? E quantas vezes não fazemos? Sim, a vida está
difícil, muitas vezes estamos estressados, é difícil engolir, mas estamos
no processo de buscar a paz e não ser reativo é fundamental para ter
a paz. Vá tentando deixar de ser reativo e se desenvolvendo que vai
ver como melhora sua vida. Esporte de competição ajuda muito, assim
como ajuda reclamar menos e outras coisas que vamos falar neste
capítulo. Para alguns, meditação ajuda. Você é um ser racional,
pensante, fale para você mesmo que não vai reagir e comece a
praticar. Vá aos poucos parando de reagir sobre as coisas mais fáceis
e vá progredindo até que um dia para de vez de reagir e vai ver como
está mais feliz, mais em paz.

166
Eu pensava 24 horas antes de responder as pessoas que me deixavam
com raiva. Depois aumentei para 3 dias, depois uma semana. Agora é
para sempre. Eu não reajo. Não importa.

Não reaja também na Internet. Pessoas perdem a sua vida discutindo


assuntos intermináveis nas redes sociais e emburrecendo um pouco
mais a cada dia. Se não resiste, saia das redes sociais. O Facebook,
então, máquina de fazer doidos. Use-o para o bem, para se divertir,
para se relacionar com a família e os amigos, postar fotos, encontrar
amigos, etc. Se for para ficar discutindo política o dia inteiro com
pessoas que não vai convencer de nada, ou pior, brigar com amigos
por causa de política, melhor nem entrar. As pessoas estão
completamente retardadas e fascistas nas redes sociais. A Internet é

167
excelente para se divertir, trabalhar, contatar pessoas, etc. Use para o
que serve de forma positiva. Ficar brigando com avatar nas redes
sociais é coisa de retardado em estado avançado.

Você só deve se emocionar com as pessoas próximas, familiares


próximos. E somente doença grave na família é problema sério. O resto
é besteira. Mesmo doença na família tem de ser encarado e resolvido
e todos irem seguindo em frente, mas ok se emocionar com isso, o
resto danesse. Tente uma vez não reagir, saia determinado: “hoje não
vou reagir uma vez, se acontecer algo que eu normalmente reajo, não
vou reagir, vou ignorar.” Vai se sentir bem e vai reforçar a vontade de
não reagir. Aos poucos vai ver que essas coisas e essas pessoas sem
importância na vida não te atingem mais, são invisíveis. Não responda
a negatividade, não combata o mal, afaste-se dele. Se você reage
muito, acaba por se tornar igual aos que está reagindo contra.

168
É importante também exercitar a tolerância. Faz parte do não ser
reativo. Exercitar a tolerância vai te fazer uma pessoa melhor. Pare de
achar defeito em tudo e todos. Pare de se irritar com qualquer besteira,
aceite os erros e defeitos dos outros. Tolere mais e reaja menos. As
duas coisas estão ligadas. Aqui vale também olhar mais para você do
que para os outros. E os seus erros, e os seus defeitos, e as suas
fraquezas? Trabalhe neles, melhore como pessoa, tolere os dos outros.
Respire fundo, tolere, não reaja. Paz. Perdoar faz mais bem a você do
que a quem é perdoado. Não precisa ficar amigo de quem te faz mal,
mas perdoe, não guarde rancor e siga em frente, ao menos aprenda a
ignorar. O rancor te corrói por dentro. Viver o mal que te fizeram é dar
ao inimigo o que ele deseja. Não viva isso, perdoe, esqueça e siga em
frente.

Para ter paz é necessário criar o hábito na vida de fugir de rolos e


confusões em qualquer esfera. Não só nos investimentos, área na
qual isso é mandatório, mas em tudo. Para fugir de rolo é necessário
aceitar que você não é mais esperto que os outros, aliás, ter a
consciência que é um idiota, ajuda muito a não se meter em rolos e
ter paz.

169
Aceitando que é um idiota, não vai se achar esperto, o que
fatalmente leva a muitos rolos na vida, na fantasia da oportunidade.
Vai comprar um apartamento? Contrate um advogado para olhar os

170
papeis e ver se está tudo 100%. Se não estiver, não compre. Não
banque o esperto. Não tem apartamento barato, vale o que custa e
pagam o que vale. Isso aliás é para tudo. Te oferecem investimento ou
negócio bom demais? Não faça, não ache que é esperto. Se fosse bom
mesmo, não estavam te oferecendo. Todo dia um esperto sai de casa
e se finge de otário para levar algum de um otário que se acha esperto.
Fuja de rolos, mantenha a vida simples. Vai comprar um carro? Vai lá
na autorizada compra, entregue o seu na troca, e sai fora. “Ah não,
tem um esquema aí que está vendendo carro zero mais barato e vou
anunciar o meu para ganhar mais.” Rolo e rolo e rolo. Claro que pode
terminar dando certo, mas se dá errado, já era. Não entre na justiça.
Fuja disso. É só prejuízo e fim da paz. Entre num acordo mesmo que
perca alguma coisa, a paz vale mais. Dinheiro é para comprar paz e
paz custa dinheiro. Se quer ter paz, é muito importante entender esse
conceito. A paz custa dinheiro. A gente troca dinheiro pela paz.
Economias burras ou muquiranices acabam com a paz. Tudo que pode
ser pago com dinheiro é barato! O que é caro mesmo, o que realmente
vale na vida, o dinheiro não compra. Se o dinheiro compra, pague feliz.
Paz.

Você tem de organizar sua vida para não se meter em rolos, não se
meter em confusão, fugir de estresse. Deixa a vida levar. Tem gente
que escolhe ser síndico. Como alguém pode ser síndico por livre e
espontânea vontade? Não vá nem à reunião de condomínio. E não me
venham com “e se ninguém for, e se todo mundo”. Já pedi para parar
esta burrice no meu livro. Os medíocres sempre vão estar lá fazendo
suas coisas de medíocres. É para resolver a sua vida e tentar ajudar
os a sua volta e os que podem ser ajudados. Nunca vai ser todo mundo.
Alguém vai na reunião de condomínio como sempre alguém vai em
todas as coisas burras do mundo. Não precisa ser você. Fuja de coisas
que acabam com sua paz. Fuja de rolo. Pague para ter paz. Tudo que
seu dinheiro puder comprar que te dê paz, compre. Despachante. Quer
dinheiro mais bem gasto? Paz. Cartório vem na sua casa se você pagar,
pague. Deu paz e você pode pagar, pague. Paz. Todo o tempo que você
ganha pagando pela paz (e toda a tranquilidade que vier como
consequência) vai refletir em trabalhar melhor, ganhar mais, poupar
mais e ter mais dinheiro para comprar mais paz. Empresa telefônica
cobrou 8 reais a mais, não é nem para saber. Controle sua vida por
ordem de grandeza. Anotar bala Juquinha não vai te enriquecer, vai te
deixar doido. Tem gente que passa metade da vida atrapalhando a
outra metade....

171
Organize sua vida financeira para que não precise perder tempo de
vida com planilhas e mais planilhas anotando tudo. Pura perda
de tempo que se resume a TOC. Ninguém nunca enriqueceu por causa
dessas planilhas. Uma coisa é dizer que numa fase inicial de ajuste é
importante ter alguma noção das coisas para ir se ajustando. Outra
bem diferente é ficar nessa doença de anotar tudo e fazer um monte
de planilhas que tomam tempo da sua vida e não ajudam em nada,
muito pelo contrário. Coloque todas as contas que puder no débito
automático com a mesma data de vencimento. As que não for possível,
veja se tem como usar o DDA (débito direto autorizado). De resto
pague tudo, repito, tudo, no cartão de crédito com a mesma data de
vencimento das contas. Assim você vai ter um grande gasto uma vez
por mês e vai controlar por ordem de grandeza seus gastos mensais.
Vai ter um número que é o seu gasto usual. Fugiu muito desse número
dê uma checada; não fugiu muito, está perto dele, esquece. Pagou
seus gastos, investiu o que investe mais ou menos todo mês, pode
gastar o resto. Como? Não importa. Viva a vida e, se fizer o que está
neste livro na parte de estudo e trabalho, tem boa chance de ir
ganhando mais e poder poupar mais e gastar mais. Juntar dinheiro não

172
é um objetivo em si. Acumulamos patrimônio para poder gastar mais
e viver melhor e não para poupar. Com essa forma de controle, gasta-
se pouco tempo e só é preciso checar mais a fundo nos meses que os
gastos saírem da curva. E o cartão ainda tem uma vantagem: está
tudo anotado para você lá sem precisar fazer planilha e sem precisar
anotar. Tempo que sobra para trabalhar mais e ganhar mais e para
viver mais a vida. Como qualquer outro vício, provavelmente você vai
ter de ir abandonando aos poucos o vício de anotar tudo. E, conforme
for abandonando vai ver que sobra tempo na sua vida e que aquilo não
fazia diferença nenhuma.

Claro que pessoas totalmente descontroladas financeiramente podem


ter problemas com o cartão, mas aí volta lá atrás no início do livro e
começa tudo do começo. Nem deveria estar aqui. E não me venham
com argumento de burro de “todo mundo” mais uma vez. Todo mundo
danesse. Resolva os seus problemas. “Ah, mas o cartão me faz gastar
mais.” Se for um pouco mais e, por outro lado, for ter sua vida
organizada sem ter de fazer planilha, e ainda ganhando nos
parcelamentos quando não tiver desconto à vista e nas milhas, tá
valendo. E daí gastar um pouco mais? Qual o problema? Ficou feliz?

173
Então está tudo certo. “Ah, mas eu gasto o triplo com o cartão.” Volte
duas casas, não deveria estar nesta parte do livro. Ou então vamos
para aquela história de tirar o sofá da sala porque está sendo traído
nele. Para quem é equilibrado financeiramente o cartão é um grande
aliado. Organiza tudo, você tem um único grande gasto mensal, está
tudo lá anotado e pode tomar conta por ordem de grandeza. Além
disso, quando não há desconto à vista, que deve ser sempre a primeira
escolha, parcelar te dá uma pequena vantagem financeira que, somada
a tudo que você compra, faz com que você termine com mais
patrimônio. E por fim, pode pegar os pontos e comprar passagens ou
outras coisas. As parcelas não são dívida e não muda nada. Os seus
gastos são os mesmos, dá tudo na mesma. Dinheiro perde valor
através do tempo, por causa da inflação, e se você tem reserva
financeira, ele está investido e você vai ganhando juros conforme o
tempo passa. Logo, as parcelas são uma vantagem financeira. A maior
vantagem é sempre pagar à vista com desconto, mas se a loja não
oferece, vamos para a segunda opção. Desde que pague o mesmo
preço, parcele o máximo. Não precisa também começar de maluquice
de “vou em outra loja”, aí pega o carro e vai lá no outro lado da cidade
economizar 20 reais. Tempo para viver em paz é o objetivo primordial.
Pare de perder tempo de vida com economia boboca.

174
Quanto aos pontos, ou milhas, não faça sua vida em função deles. É
um extra de pagar tudo no cartão. Pegue uma passagem, pegue
alguma coisa que queira, ótimo é um extra. Não precisa ficar maluco
com isso nem fazer mil contas. Paz. A tranquilidade financeira não vem
de milhões de continhas e economias de centavos, vem de trabalhar e
poupar e dar tempo aos juros compostos agirem e viver a vida em paz.
E já que estamos falando de compras, não tem nada demais comprar.
Se você fica feliz tendo uma vida mais frugal, tá ótimo. Desde que esse
seja seu estilo de vida e esteja satisfeito assim. Economizar só por
economizar e ficar deixando de comprar o que quer ou gosta não faz
sentido. E nem as discussões ideológicas ou de culpa fazem sentido
aqui. Comprar não é desperdício e deixar de comprar não melhora a
vida dos pobres. Doar o que você tem demais pode ajudar os pobres.
Deixar de comprar o que deseja não melhora a vida de nenhum pobre,
muito pelo contrário. Gira a economia, o que é bom para todos. O
fundamental é poder comprar e manter. Não tem porque ficar se
culpando ou sofrendo, é para isso que trabalhamos. Claro que tem de
ter bom senso. Quanto menos patrimônio e menos idade, mais o
dinheiro tem de ir para poupança. Quanto mais idade e mais patrimônio
mais pode-se gastar. Colocando todos seus gastos no cartão e todas
as contas em débito automático vencendo na mesma data, fica fácil
pagar todas as contas, investir o percentual ou quantidade que investe
por mês e gastar o resto tranquilo. Temos de aprender a poupar, mas
temos de aprender a gastar também. Muitos passam de uma vida
totalmente desequilibrada com dívidas, sem reserva, pagando carnê
para outro desequilíbrio poupando tudo sem gastar nada. Apesar de
ser menos ruim, ainda é ruim. Tenha equilíbrio e bom senso que te
permita gastar com paz. No fim todos tem de aprender a poupar, mas
muitos têm de aprender a gastar também.

175
Aprendendo a gastar vai se aprendendo também a não discutir
miséria. Pessoal sai de casa, pega um carro, pega um engarrafamento
para ir num supermercado lá no outro lado da cidade economizar, se
economizar, 20 reais. Pega uma fila de uma hora no posto porque a
gasolina vai aumentar. Passa a vida fazendo economias idiotas que
muitas vezes nem são economias. A grande economia é o gasto mais
simples e fácil que te tome menos tempo e que você seja mais bem
atendido. Se tem do lado da sua casa, é mais barato. Compre onde for
mais perto, rápido e simples e for bem atendido. Essa é a grande
economia. Claro que tudo tem de ter bom senso. Vai comprar um carro,
ou vai comprar uma quantidade enorme de alguma coisa, podemos
conversar; agora as pequenas compras da vida, não faz a menor
diferença. Não perca tempo de vida para economizar miséria. Muito
pelo contrário, dinheiro compra tempo. Poupe para ter reserva e poder
comprar tempo. Dinheiro vai, e você ganha tempo e vida. Dinheiro
compra tempo e compra paz. É uma das funções principais dele.
Sempre que puder pagar para ganhar tempo ou paz, pague. Parar de
viver em busca de rolo, em busca de economias pequenas inúteis, é
um mindset, tem de mudar sua cabeça. Igual tem de treinar ser menos
reativo, ser mais tolerante, parar de reclamar, parar de anotar tudo, a
cabeça tem de ir mudando para uma cabeça que busca paz e não rolo.
Não seja mais aquela pessoa que acorda de manhã e pensa “que rolo
que eu vou arrumar hoje para complicar minha vida?” Seja aquele que
está sempre se afastando dos rolos e buscando a paz.

“De que adianta viver como pobre e morrer rico?”

176
– mille

É necessário se afastar dos histerismos que tiram a paz. Se não


consegue abstrair, pare de ler e assistir jornal. Não existe mais
jornalismo, é apenas uma disputa por quem noticia qualquer coisa que
vende mais e desgraça vende mais.

Fonte: Barry Ritholtz

Esta imagem mostra a quantidade de notícias alarmantes durante um


período de alta constante da Bolsa nos EUA. No caminho criaram
histerismo em cima de tudo! O prejuízo de acompanhar não é só
financeiro, mas acaba com a sua paz. Você vive estressado,
preocupado, angustiado. Faz muito mal. E pior: não faz a menor
diferença, pois não há o que fazer quanto a crises a não ser o que já
foi dito aqui:

Se não tem crise: Estude, trabalhe, poupe, cuide da saúde, cuide da


família.

Se tem crise: Estude, trabalhe, poupe, cuide da saúde, cuide da


família.

Ter noção das diversas crises que a mídia e os analistas criam todos os
dias não lhe traz nenhum benefício. Não há nada que você possa fazer.
Acertar o que fazer antes da crise é só uma ilusão. Imagina se você
seguir todos esses alarmistas da imagem? E isso não acontece só na
área de finanças. As notícias se resumem a desgraças sobre todos os

177
assuntos. O mundo só piora, o país vai quebrar, tudo está uma
desgraça. Se você não consegue abstrair, não leia, não assista. Vai te
deprimir e ser uma profecia autorrealizável, pois vai trabalhar pior, e
vai ser mais um a participar da crise e contribuir para a crise.

Olhem que interessante o mesmo gráfico só com notícias boas:

Fonte: Barry Ritholtz

Ou seja, a mídia e os analistas não têm a menor conexão com a


realidade. Publicam o que vende mais e a desgraça vende mais. E
querem ser o primeiro a publicar seja lá o que for, desde que venda.
Afaste-se disso se quiser ter paz, literalmente se afastando ou, se
consegue abstrair, afastando a sua mente do que lê. Além de perder a
paz é mais tempo perdido com algo que não te traz nenhum benefício.
Já se foi o tempo que ler jornal era se informar. Você não precisa se
proteger de nenhuma crise em especial. Tem de viver de forma que
esteja protegido das crises, que vão sempre acontecer, e essa proteção
vem de fazer o mesmo que faz quando não tem crises, ou seja, se
dedicar a sua formação, ao seu trabalho, a sua saúde e a sua família.

Família é um ponto fundamental para a paz. Mesmo que não


tenhamos essa dimensão, a família é um dos pilares da paz. Participe,
proteja e defenda sua família. São os que importam em primeiro lugar.
E contribua da sua parte para ter uma família que traga paz. Isso, o
dinheiro não compra. Ele facilita quando a família tem dinheiro
suficiente para viver bem, mas o dinheiro não compra uma boa família,
não compra uma família que te proteja e que esteja lá para você. Acima
de tudo, cuidado para não perder, por causa de dinheiro, coisas que o
178
dinheiro não compra. Na escolha do companheiro para a vida, escolha
pelas razões corretas. Busque caráter, companheirismo e amizade,
pois isso que vai valer quando o tempo passar e tiver de dividir a vida
com aquela pessoa. Quando você se junta com outra pessoa não pode
ser mais somente um indivíduo. A maioria dos relacionamentos não
dão certo porque as pessoas estão neles pelos motivos errados e
preocupados com dinheiro, aparência, com o que os outros pensam e
outras besteiras e não em realmente constituir família. Vejo pessoas
casadas ou juntadas ou o que for, já com filhos ainda achando que são
somente indivíduos. Tem uma esposa ou marido, filhos, uma família e
acha que é indivíduo. Quando perde tudo aí dá o devido valor. São
coisas que o dinheiro não compra e, quando perde por causa de
dinheiro, ou de outras besteiras, se vê o que realmente se perdeu. E
muitas vezes perde-se para sempre. Você vai ter de abrir mão de
alguma coisa para ser feliz, e de parte da sua individualidade. Um casal
não são dois indivíduos, é um casal. Ou lutam juntos ou morrem como
indivíduos.

Cuidado com nosso lado negro. Não deixe aflorar. Todos temos.
Coisas como herança fazem aflorar nosso lado negro. Famílias que
brigam tantos anos por herança e que morrem antes de receber.
Esqueça herança. Ninguém te deve nada. O que vier é lucro. Afaste-se
de tudo que faz aflorar seu lado negro. Não se engane, ninguém é
santo. Evite tudo que traz à tona seu lado negro. Afaste-se. Se quer
ter paz, não tenha um real que não seja seu por direito. Dinheiro
escuso, dinheiro sujo, dinheiro maldito cobra um preço alto e acaba
com a sua paz. Vende a alma ao diabo, tem um tempo de felicidade e
o resto da vida de desgraça. Dinheiro maldito acaba com a sua vida.
Ser honesto e só ganhar dinheiro limpo é uma benção. Parece piegas,
parece bobeira, mas a paz depende disso. Dormir em paz à noite
depende disso. Afaste-se de dinheiro maldito, ele corrói a sua alma
para sempre, não tem volta.

Aprenda a analisar corretamente riscos. Vale para tudo neste livro e


faz parte da paz. Você pode correr um risco grande de acontecer algo
pequeno, mas não pode correr um risco pequeno de acontecer um dano
grave. Muitos não têm essa dimensão. Uso bastante o exemplo da
roleta russa. Coloca uma bala numa pistola e gira o canhão e dá um
teco na cabeça. Risco baixo, 14% de chance de morrer apenas. Mas se
der errado, morre. Não se pode assumir esse risco. Mesmo que tivesse
espaço para 100 balas e o risco fosse de apenas 1% não poderia correr
este risco. O burro joga roleta russa diversas vezes na vida assumindo

179
riscos de enorme dano à vida, com percentual baixo, nada acontece,
ele sai dizendo “viu, não aconteceu nada, está dando certo.” Parece o
exemplo do cara que se joga do 20° andar, passa pelo 10° e perguntam
como ele está e ele diz “até agora tudo bem.” Certos riscos você não
pode assumir, mesmo que a chance de o pior acontecer for baixa, se
o pior for muito grave. Assumindo riscos que não podem assumir, pois
analisam baseado apenas em resultado, um dia sofrem um dano que
não estavam preparados. Toda análise deve ser sempre baseada em
chances e riscos, nunca em resultados. E o pior que pode acontecer é
ter um bom resultado fazendo coisas erradas. O burro sempre diz “viu,
deu certo então estava certo.” Até o dia que dá errado e acaba com a
sua paz. “Não vai acontecer nada”, a frase dita em todas as desgraças
que aconteceram e que acabaram com a paz das famílias. Você se
previne exatamente para que nada aconteça. Ninguém quer usar o
seguro. Paz.

1001 dias na vida de um peru de Ações de Graças. Estar dando certo


não quer dizer que seja certo e que não vai terminar mal...

Por fim, o esporte (de competição, notadamente) é um aliado


fenomenal para ter paz, para ser menos reativo e para parar de
reclamar. Vá lá e corra, pedale, levante peso, bata com a raquete duas
horas para a morte, acabou o stress. Paz. Esporte é um vício, mas o
vício do bem. Se for duro, se doer, se suar, se for para a morte (os que

180
podem ir), a sensação é ótima, você não quer mais criar caso com
besteiras, nem tem energia para isso. Paz.

Aprendi aqui que:

- O mundo não te deve nada.

- Nada vai melhorar, a não ser você mesmo.

- Nunca se esqueça que você é um idiota.

181
- Dcruz2310

Saúde e Paz

Bastter

2018

182