Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO

COLEGIADO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO


DISCIPLINA DE LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO

RELATÓRIO EXPOLOG

Yuri dos Santos de Souza

1. Introdução

As empresas exercem o papel de formadores de valores dentro das relações sociais


nas comunidades. Assim, são saciados os anseios da sociedade acadêmica em visitar as
áreas de um empreendimento. Os alunos buscam vincular seus conhecimentos práticos
ao contexto escolar, por meio do empenho e participação ativa de todos. A atividade de
visita técnica visa o encontro do acadêmico com o universo profissional, proporcionando
aos participantes uma formação mais ampla. A realização destas é de extrema relevância
para os alunos da graduação. Nela, é possível observar o ambiente real de uma empresa
em pleno funcionamento, além de ser possível verificar sua dinâmica, organização e todos
os fatores teóricos implícitos nela. Nas visitas técnicas também é possível verificar
aspectos teóricos que regem a empresa. Muitos estudos e pesquisas requerem também tal
visita já que há a necessidade de verificar hipóteses, teses e teorias na prática
(FIORESE,2011).
As apresentações da Expolog, envolvendo temas da gestão da cadeira de
suprimentos e Logística de distribuição, atraiu a atenção do público que pelo local
transitavam, alunos de diversas engenharias principalmente de Produção, possibilitando
transmitir conhecimento, catalisar opiniões, críticas, ideias e sugestões.
2. Equipe – Internet de fibra

É uma empresa provedora de internet que presta serviço de internet banda larga em
fibra ótica para os consumidores, com o compromisso de conectar pessoas através de
serviços de qualidade e muita dedicação em buscar sempre o que há de mais moderno e
tornar acessível aos clientes. O fluxo logístico desta empresa começa pela licença junto
a Anatel, passando pelo aluguel de link em uma operadora de Backbone (Embratel,
Telemar, etc.) e entregue por elas através de conexão serial, em seguida a provedora de
internet distribui internet banda larga, instalam e dão suporte para garantir qualidade ao
serviço prestado. Por fim, os clientes contratam o serviço, estes podem ser domésticos,
empresas ou instituições.
Logo, em nível de distribuição verifica-se que a empresa possui um canal indireto
e curto. A mesma possui um papel de facilitador, pois não assumem a propriedade dos
bens e produtos, mas de maneira geral prestam os serviços ao consumidor.
Os modais utilizados foi o Dutoviário, aquele em que o produto se desloca, seja por
gravidade, pressão ou arraste pelo elemento transportador através de dutos e Infoviário,
sistema de entrega de um produto não física, via internet ou transmissão eletrônica de
dados.

3. Equipe – Exportação de manga

É uma empresa de exportação de mangas do vale do São Francisco, onde a análise,


preparação e plantio dos pés de manga levam, em média, três anos, durante esta primeira
etapa é comprado fertilizantes, adubos, pesticidas e mudas da manga, estes insumos
devem ser certificados de acordo a frutas destinada à exportação. Depois de colhidas, as
mangas saem a granel da fazenda em direção ao Packing House, onde é realizado o
beneficiamento da mesma e preparada para chegar ao destino final, minimizando as
perdas. As frutas seguem em direção ao porto de Suape – Recife, de Salvador ou do Rio
Grande do Norte com destino à Holanda a ser distribuída pela União Européia ou às
Filipinas com destino a América do Norte, aquelas que possuem uma qualidade superior
são direcionadas ao aeroporto de Petrolina, para seguir de avião cargueiro a outros países
da Europa. Nestes países as frutas podem seguir através de três modais: Rodoviário,
ferroviário ou aéreo destinados a uma transportadora, em local estratégico e a partir de
então por rodovias chegará a varejos e encontrará o consumidor final.
Logo, destaca-se como modais utilizados o:
- Rodoviário: Modal que transporta pessoas e mercadorias por estradas, rodovias,
ruas e outras vias e que representa a maior parte do transporte terrestre.
- Ferroviário: Modal que transporta pessoas e mercadorias por trilhos, utilizando
trens. No Brasil este modal está em declínio.
- Aéreo: Modal que transporta pessoas e mercadorias pelo ar, utilizando aviões,
helicópteros, dirigíveis ou outros meios.
- Hidroviário: O transporte aquático, aquaviário ou hidroviário consiste na
locomoção de mercadorias e de passageiros por barcos, navios ou balsas, via um corpo
de água, tais como oceanos, mares, lagos, rios ou canais.

4. Equipe – Cadeia de suprimentos da gasolina comum


A gasolina comum é um combustível derivado do Petróleo e o mais consumido no
mundo. Devido a greve dos caminhoneiros que aconteceu no país a pouco tempo, a equipe
buscou entender melhor como funciona a cadeia de suprimentos e distribuição do mesmo
e se fizeram a seguinte pergunta: Se o Brasil é um grande produtor de petróleo por que a
gasolina é tão cara?
O Brasil não detém toda a cadeia produtiva da gasolina, porque não houve incentivo
na atividade de refino. Atualmente, temos 18 refinarias no país, mas que ficaram muito
tempo sucateadas, sem investimento. Em 1980 foi construída a refinaria Henrique Lage
em SP e após trinta anos é que veio a ser construída uma nova refinaria a Clara Camarão
no Rio Grande do Norte. Em contrapartida, a produção e venda de automóveis aumentou,
assim como a demanda por combustíveis o Brasil sem a capacidade de atender esta
demanda se viu obrigado a importar combustível de outros países a exemplo da China,
utilizando o modal hidroviário através de navios petroleiros para exportar petróleo e
importar a gasolina tipo A com este trâmite incende muito o custo dos impostos
correspondendo quase 50% no valor final da gasolina comum. Na chegada ao porto o
distribuidor pega a gasolina tipo A e mistura com etanol anidro de fornecedores
brasileiros numa proporção de 18 a 27% de etanol. A gasolina misturada com o etanol
chega aos postos através do modal rodoviário sendo escoado a todo país através dos
caminhoneiros.
5. Conclusão

A Expolog foi uma exposição importante para agregar conhecimento aos alunos da
Univasf e público em geral em relação à gestão da cadeia de suprimentos, que prevê e
organiza todos os processos que são necessário para que a organização possa entregar o
produto pronto e com qualidade ao cliente, considerando desde a negociação com os
fornecedores até o abastecimento do estoque ou produção e a Logística de Distribuição,
que disponibiliza a quantidade de mercadorias certa, no momento certo e no lugar certo.
Otimizando processos para que as operações sejam rentáveis e lucrativas através da
definição da distribuição física, modal e canais de distribuição.

Referências

FIORESE, Mônica. A importância da visita técnica como atividade complementar aos


conhecimentos teóricos. Disponível em <https://creajrpr.wordpress.com/2011/04/12/a-
importancia-da-visita-tecnica-como-atividade-complementar-aos-conhecimentos-teoricos/>
Acesso em 30 set 2017.