Você está na página 1de 5

Estudos hebraicos

Yeshua bar Abba


Há um jogo irônico sobre os nomes de Yeshua e Bar abas (traduzido
erroneamente como Barrabas) que é invisível nas Bíblias cristãs.
Somente o conhecimento do hebraico e do aramaico (e alguma análise
textual) revela essa rica ironia na história do evangelho do último dia de
Yeshua.

Yeshua bar Abba


BAR ABBA FOI Um terrorista judeu na custódia da polícia romana em
Jerusalém na época em que Yeshua foi preso e julgado por sedição. [1]
Era costume na Páscoa que um prisioneiro fosse libertado pelo prelado
romano. E como Pilatos não viu nenhuma culpa válida em Yeshua,
ofereceu-se para libertá-lo. Por instigação dos inimigos de
Yeshua entre as autoridades do Templo, as multidões exigiram que Bar
aba fosse libertado. Eles conseguiram seu desejo. Pilatos deu lhes Bar
aba no lugar de Yeshua o Messias. Há duas ironias na história que não
aparecem na superfície das Bíblias cristãs.

O nome que falta


Neste episódio envolvendo estes dois radicais judeus, há uma variante
em vários manuscritos gregos do Evangelho de Mateus. O texto
tradicional de Mateus 27: 16-17 lê o seguinte na New American
Standard Bible (NASB):
Naquela época, eles estavam segurando um notório prisioneiro,
chamado Barrabás. Então, quando eles se reuniram, Pilatos lhes disse:
"Quem você quer que eu libere para você?" Barrabás, ou Jesus que se
chama Cristo?
Vários manuscritos, no entanto, nomeiam o terrorista "Jesus Barrabás"
e citam Pilatos como perguntando:
"Quem você quer que eu libere para você, Jesus Barrabás ou Jesus que
é chamado o Messias?" (Verso 17)
Muitos estudiosos textuais acreditam que o nome duplo "Jesus
Barrabás" era a leitura original. Eles sugerem que "Jesus" foi omitido de
vários manuscritos gregos de Mateus por reverência. O pai da igreja,
Orígenes (254), disse: "Em toda a extensão das escrituras sabemos que
ninguém que é pecador é Jesus." Como sempre os Padres indo contra os
fatos registrado nos manuscritos [2]
Filho do Pai
A segunda e mais profunda ironia na leitura "Jesus Barrabás" aparece
quando notamos que "Barrabás" (ou "Bar Abbas" no original) é a forma
helenizada do nome aramaico Bar Abba, que significa "filho do pai". E o
nome "Jesus" (grego, Yesous tradução errônea) é a forma helenizada do
nome hebraico Yeshua. [3]

Assim, em uma decisão legal aparentemente inconsequente que ainda


atravessa os séculos, Pilatos estava, em essência, perguntando à
multidão de Jerusalém:
"Qual deles você quer que eu liberte para você:
Yeshua, filho do pai ou Yeshua, filho do pai,
A quem seus seguidores chamam Messias? "
Pilatos entregou um Yeshua por outro Yeshua, um "filho do pai" em
lugar de outro. Ele trocou um assassino por um homem inocente que
morreu em seu lugar. Esta decisão seguramente tem a impressão digital
de Elohim.

NOTAS
1 - Em Mateus 27:16, Barrabás é chamado de "prisioneiro" [desmion],
termo usado também para os seguidores de Yeshua (Atos 23:18, Ef 3: 1,
4: 1, Hebr. 13: 3). Marcos 15.7 diz que Barrabás "foi aprisionado com os
insurrectos [insurgentes] que haviam cometido assassinato na
insurreição" Enquanto Luke 23:19 diz: "Ele foi lançado na prisão por
uma certa insurreição Esta foi feita na cidade, e por assassinato
[phonos] ". João diz que ele era um "ladrão" (lestes) (18:40), que
também significa um "rebelde ou insurrecionista". (Tradução Grega)
Josefo usa o termo como sinônimo para os Sicarii, um grupo de
radicais judeus que usariam uma "sica" (latim, um punhal longo) para
assassinar líderes romanos e judeus, que eles consideravam apóstata.
Eles costumavam fazer isso durante as festas, quando Jerusalém estava
cheia de adoradores. Eles "se misturavam" às multidões, atacavam suas
vítimas, depois se misturavam e desaparecem. Ele chamou-os de
"assassinos" [Guerra 2: 254-255].
Atos 21:38 usa o termo grego sikarios para um rebelde "egípcio" que
levou "quatro mil homens ... para o deserto" três anos antes. [Josefo,
Guerra 2: 261-263; Antiq. 20: 169-172. ].
Outro tal rebelde era Shimon bar Giora, que conduziu um grupo de
homens para a fortaleza de montanha de Massada [cerca de 68 EC /
AD]. Josefo diz que o forte foi ocupado por "ladrões" [lestes] e "zelotes"
[zelotes]. Eventualmente, os ocupantes aceitaram o bar Giora como
confiável e lhe permitiu ficar [Guerra 4: 503-508, etc.].
Josefo diz que esses "ladrões" eram "impostores" e "enganadores" que
tentaram enganar o público judeu fingindo "exibir maravilhas e sinais
manifestos ... [supostamente operados] pela providência de Elohim"
[Antiq. 20: 160, 167-168].
Baseado nestes termos gregos do século 4, os tradutores dos escritores
judeus, a nossa imagem de Barrabás é a de um assassino e matador,
rebelde e enganador - seu guerreiro carismático e messiânico básico. O
fato de ele ser simplesmente chamado de "ladrão" nas Bíblias cristãs é
um literalismo eufemístico. Ele roubou de várias maneiras.
2 - A citação de Orígenes e uma discussão da passagem Mateus 27:
1617 são encontradas em: Bruce M. Metzger, ed. Um Comentário
Textual sobre o Novo Testamento Grego (2ª ed., Stuttgart: German Bible
Society, 1994), 56. A variante "Yeshua Bar aba" em Mateus 27: 16-17
ocorre em um manuscrito uncial do século 4º ao 5º X D C (S), e em
cerca de vinte manuscritos minúsculos, diz um comentário a
margem:
«Em muitas cópias antigas que conheço, encontrei o próprio Bar Aba
chamado ‘Yeshua’; os manuscritos que trazem este Texto são a Fam I.
101 2, e o mais importante ms da tradição siríaca. O S j (s), além de
alguns manuscritos armênios e manuscritos gregos e siríacos. Está
ausente nos principais unciais do 4º e 5º século: Alef, Alpha, Beta,
Delta, etc.
No entanto, a variante foi escolhida pelos tradutores das seguintes
versões do NT:
 Israel Sociedade Bíblica, Brit HaHadashah (Hebrew N.T., 2d ed.,
1991)
 David Stern, Novo Testamento judaico (no texto)
 Richard Weymouth, Novo Testamento em Discurso Moderno
(margem)
 James Moffatt, N.T.: Uma Nova Tradução (no texto: Jesus Bar-
Abbas)
 Eugene Peterson, a mensagem (no texto)
 CEV - Contemporary English Version (no texto)
 GNT - A tradução da boa notícia (no texto)
 HCSB - Holman Christian Standard Bible (na margem)
 ISV - International Standard Version (na margem)
 NCV - Nova Versão Century (na margem)
 NGU - Neue Genfer Übersetzung
 NIV - Nova Versão Internacional (no texto, edição 2011)
 NRSV - Nova Versão Revisada (no texto)
 RSV - Versão Padrão Revisada (na margem)
 TNIV - Nova Versão Internacional de hoje (no texto)
 TLA - Tradução em texto real (no texto)
 A Bíblia NET (texto, boas notas sobre esta variante)
[www.bible.org/netbible] .

3 - Quando o Aramaico BAR precede um nome próprio ou substantivo


está na forma construtiva ou genitivo e significa "filho de". O "s" que
termina em Abbas é um padrão grego comum (Porém não correto) ao
adaptar nomes hebraicos que terminam nas vogais "-a" ou "-ah", como
em:
Yeshua (Hebraico) -Yesous (Grego) - Jesus (Inglês)
Yehudah - Youdas - Judas
Kefa (Kepha) - Kefas - Cefas
Hannan - Hannas - Annas
Kayafa - Kaiaphas - Caifás
Abba - Abbas - Abba (s)
A palavra Bar aparece em outros nomes NT:
Bar Yeshua - filho de Yeshua (Atos 13: 6: "eles encontraram um certo
mago, um falso profeta judeu cujo nome era Bar-Yeshua")
Bar sabbas - filho do sábado (?) (Atos 1:23: "José chamou Barsabás,
que também era chamado Justus [nome latino]")

Bar Yona (bar Yonah) - filho de Yonah (Pomba) (Mt 16:17: "Bem-
aventurado és, Simão Bar Yona")
Bar Naba (filho do encorajamento) - (Atos 4:36: "Barnabé ... “ Os
linguistas não têm certeza qual palavra aramaica "incentivo"
representa.)
Bar talmai (Bartolomeu, talvez uma forma de Ptolomeu) - filho de
Talmai (Mateus 10: 3: "Os nomes dos doze apóstolos são ... Filipe e
Bartolomeu ...")
Bar timaeus (bar Timai) - filho de Timai (Marcos 10:46: "um mendigo
cego chamado Bar timeu, filho de Timéus, estava sentado à beira da
estrada"),
Abba, Av
O aramaico substantivo Abba não é usado na Bíblia hebraica (Tanach),
mas está relacionado com o hebraico Av. Ambos significam "pai".

Curiosamente, Av é a primeira palavra em um dicionário hebraico da


Bíblia e consiste nas duas primeiras letras do alfabeto: alef, beit. Pode
se concluir que tudo começa com o pai.

Na Escrituras, Av pode se referir a um pai natural, um avô, um líder


espiritual, ou a um professor (como Eliyah, 2 Reis 2:12, "meu pai, meu
pai-avi avi"). Ou pode se referir ao próprio Elohim (2 Samuel 7:14, Isa
63:16, Jer 3:19, Salmo 89:26).
No judaísmo rabínico posterior, o abba tornou-se um título para sábios
e professores distintos (rabinos) e mesmo como um nome pessoal (como
no Abba bar Abba, um rabino babilónico amórico). Nas culturas
judaicas modernas abba muitas vezes carrega a conotação mais íntimo
“papai”.
Conforme registrado no evangelho de Marcos, Yeshua chamou "Abba!
Pai!" Quando estava no pomar de azeitona do Getsêmani e queria que
Elohim "tirasse de mim este cálice" (Marcos 14:36). O uso de Abba e do
Pater no grego sugere que os leitores de Marcos além dos sírios
existiam os de língua grega e precisavam de uma tradução do aramaico.
Da mesma forma, quando Paulo se dirigia às congregações judaicas e
aos gentios e de língua grega misturadas, ele aludiu ao clamor de
Yeshua a Elohim: "Vocês receberam o Espírito de adoção como filhos
por meio dos quais nós [como Yeshua] (Rm 8:15). "Elohim enviou o
espírito do seu Filho aos nossos corações, clamando 'Abba, Pai!'
"(Gálatas 4: 6).

ROSH SHAUL BEM AVRAHAM (Ericson soares da silva)


Fonte Bibliográfica:
 New Testament Hebraic – Salkinson-Ginsburg
 Antiguidades Judaicas e Guerras Judaicas- Josefo.
 The Apostolic Bible Polyglot