Você está na página 1de 22

UNIVERSIDADE DO VALE DO TAQUARI

CURSO DE ENGENHARIA QUÍMICA

ELABORAÇÃO DE UM PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE


RESÍDUOS (PGRS), PARA UM EMPREENDIMENTO DE COMÉRCIO
DE MATERIAIS RECICLÁVEIS

Luiza Decker

Lajeado, novembro de 2018


Luiza Decker

ELABORAÇÃO DE UM PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE


RESÍDUOS (PGRS), PARA UM EMPREENDIMENTO DE COMÉRCIO
DE MATERIAIS RECICLÁVEIS

Relatório de estágio apresentado na


disciplina de Estágio Supervisionado II, do
Curso de Graduação em Engenharia
Química, da Universidade do Vale do
Taquari - UNIVATES, como parte da
exigência para aprovação na disciplina.

Orientador: Prof. Dr. Gustavo Reisdorfer

Lajeado, novembro de 2018.


LISTA DE FIGURAS

Figura 1 - Localização da empresa ............................................................................. 8


Figura 2 - Processo produtivo da empresa.................................................................. 9
Figura 3 - Croqui do empreendimento ....................................................................... 10
LISTA DE TABELAS

Tabela 1 – Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – PGRS ........................ 12


SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ................................................................................................................................................ 5

1.1 Objetivos ....................................................................................................................................................... 6


1.1.1 Objetivo geral ............................................................................................................................................ 6
1.1.2 Objetivos específicos ................................................................................................................................. 6

2 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO .................................................................................................... 8

2.1 Metodologia ............................................................................................................................................... 11

2.2 Plano de Gerenciamento............................................................................................................................. 11

2.3 Acondicionamento ...................................................................................................................................... 14

2.4 Coleta do material e transporte externo .................................................................................................... 15

2.5 Transporte interno dos resíduos ................................................................................................................. 15

2.6 Estocagem rápida/armazenamento ........................................................................................................... 15

2.7 Destinação final .......................................................................................................................................... 16

3 CONCLUSÃO .................................................................................................................................................17

4. REFERÊNCIAS ..............................................................................................................................................18
5

1 INTRODUÇÃO

Em razão da globalização, a questão ambiental se mostra cada dia mais


em evidência, transferindo às indústrias novos desafios, com o intutito de
atender o mercado consumidor com maior na fabricação de seus produtos, no
seu descarte e no impacto ambiental que possam causar (QUINTINO, et al.;
2017).
A Lei 12.305/2010, trata sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos -
PNRS, tendo como princípio a responsabilidade compartilhada entre o governo,
que realiza planos para o gerenciamento do lixo; as empresas que devem
recolher os produtos após o uso; e a população que deve separar os resíduos
para coleta seletiva regularizando os procedimentos em relação ao manuseio,
recolhiento e destinação dos resíduos sólidos (MINISTÉRIO DO MEIO
AMBIENTE, 2010).
As usinas de triagem e reciclagem são responsáveis pela separação
desses resíduos que, onde em uma próxima etapa fora das dependências da
usina, são introduzidos ao processo industrial, onde são reciclados e se
transformam em novos produtos (QUINTINO, et al.; 2017)
Variados materiais possuem potencial reciclável, as principais vantagens
do processo de reciclagem são a redução da utilização de fontes naturais que
são muitas vezes não renováveis, e a redução da quantidade de resíduos, os
quais seriam destinados para aterros ou incineração (PASSINI, et al., 2015).
A coleta seletiva de lixo é um método de recolhimento para materiais
6

recicláveis, separados previamente na fonte geradora (residências, escolas e


locais de trabalho). Esses materiais passam por uma etapa de triagem e
posteriormente de pré-beneficiamento, onde ocorre a separação por tipos, cores,
tamanhos, densidade, lavagem, secagem, prensagem, moagem, enfardamento,
e posteriormente são vendidos às empresas recicladoras (QUINTINO, et al.;
2017).
Os resíduos quanto mais limpos, mais valiosos eles se tornam, por
exiência da indústria em obter material limpo e separado para poder ser
transformado em algo útil novamente. Por esta razão é importante de se buscar
o material na sua fonte geradora: empresas e residência (QUINTINO, et al.;
2017).
O planejamento do gerenciamento dos resíduos é de grande importância
para qualquer estabelecimento, garantindo que os resíduos sejam armazenados
de maneira que não prejudique seu reaproveitamento, evitando possíveis riscos
a saúde do trabalhador e ao meio ambiente (PASSINI, et al., 2015).
Com isso, o trabalho visa a elaboração de um plano de gerenciamento de
resíduos (PGRS) para uma indústria de comércio de materiais recicláveis localizada
no Vale do Taquari.

1.1 Objetivos

1.1.1 Objetivo geral

Este trabalho tem como objetivo implantar um Plano de Gerenciamento de


Resíduos Sólidos (PGRS) para um empreendimento de comércio de materiais
recicláveis.

1.1.2 Objetivos específicos

Os objetivos específicos deste trabalho são:


7

I. Relacionar e classificar todos os tipos de resíduos gerados na empresa;

II. Quantificar os resíduos gerados e a frequência;

III. Elaborar o PGRS a partir dos dados coletados.


8

2 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO

O presente estágio é realizado na Reciclara Reciclagens, a qual presta serviços


junto a Transporte e Comércio de Sucatas Antoniolli Ltda, onde o programa de
gerenciamento de resíduos sólidos (PGRS) foi elaborado. A empresa localiza-se na
RS 129, n° 3900, Linha São José, no município de Estrela/RS, conforme localização
por satélite através do software Google Earth, mostrada na Figura 1.

Figura 1 – Localização da empresa

Fonte: Da autora, (2018).


9

A empresa conta com 15 funcionários e uma área de 5.000 m². Seu processo
produtivo se dá nas etapas demonstradas na Figura 2.

Figura 2 – Processo produtivo da empresa

Coleta do Destinação
Pesagem Separação Prensagem
resíduo final

Fonte: Da autora, (2018).

A empresa, atua somente com a administração de resíduos sólidos com


potencial de reciclagem, coletados na região, provenientes de empresas que
destinam materiais recicláveis resultantes de seus processos produtivos, e de
profissionais que vivem do recolhimento destes materiais.

No pavilhão 1 da empresa é realizado acondicionamento inicial e final e o


enfardamento de papeis, jornais, revistas, tetra e plástivos PEBD. No pavilhão 2 é
feito o acondicionamento inicial e enfardamento de plásticos PET, PVC, PS, PEAD,
no pavilhão 3 é realizado o acondicionamento final dos materiais enfardados no
pavilhão 2. Na garagem está sendo usada provisóriamente para o enfardamento e
acondicionamento de alumínio de latinhas. Pode se observar melhor a localização
dos pavilhões da empresa na Figura 3.
10

Figura 3 – Imagem do empreendimento

Fonte: Da autora, (2018).

Os materiais com potenciais recicláveis recolhidos pela empresa são


classificados pela NBR 10.004 como classe II A e classe II B. São eles: papelão,
papel branco, papel misto, jornal, tetrapack, ráfia, PEAD (polietileno de alta
densidade), PET (tereftalato de polietileno), PS (poliestireno), PP (polipropileno),
PEBD (polietileno de baixa densidade), PVC (policloreto de vinila), todos estes são
enfardados para o transporte e comercialização para indústrias beneficiadoras
destes materiais. A empresa também recolhe eletrodomésticos e eletrônicos, os
quais são desmontados pois são constituídos de material reciclável. Raramente
trabalha-se com vidros quebrados. Os materiais como ferro, alumínio, bronze, inox,
chumbo e cobre, são acondicionados em tambores ou caçambas abertas o
transporte, apenas o alumínio é enfardado.
11

Os resíduos que são atendidos pelo PGRS são especificamente materiais


recicláveis gerados em residências, comércios e indústrias da região Neste PGRS
são atendidos especificamente os geradores de resíduos sólidos urbanos de
característica doméstica e comercial.

2.1 Metodologia

Para a elaboração do Plano de Gerenciamento de Resíduos, foram realizadas


pesquisas em literaturas e legislações vigentes. Conforme Lei nº 12.305 de 2 de
agosto de 2010 da Política Nacional de Resíduos (BRASIL, 2010), o plano de
gerenciamento de resíduos sólidos deve possuir no mínimo as seguintes etapas
(MMA, 2014):

Legislações consultadas:

 Lei n° 12.305/10 – Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos;


 Decreto n° 7.404/10 – Regulamenta a Lei n° 12.305/10 e cria o Comitê
Internacional da Política Nacional de Resíduos Sólidos e o Comitê Orientador
para implantação dos Sistemas de Logística Reversa;
 NBR 10.004 – Classifica os resíduos sólidos quanto aos seus riscos
potenciais ao meio ambiente e à saúde pública;
 Licença de Operação n° 073/2018 - SMMASB do empreendimento concedida
pelo município de Estrela/RS.

2.2 Plano de Gerenciamento

Segue na Tabela 1, a proposta do Plano de Gerenciamento de Resíduos


(PGRS).
12

Tabela 1 – Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – PGRS (continua)

RAZÃO SOCIAL: Transporte e Comércio de Sucatas Antoniolli Eireli CNPJ: 04.939.855/0001-33

ENDEREÇO: RS 129, n° 3900, Linha São José MUNICÍPIO: Estrela UF: RS

CEP: 95980-00 TELEFONE: (51) 3712-2757 E-MAIL: reciclarareciclagem@gmail.com

RESPONSÁVEL PELO PGRS: Luiza Decker, CRQV n° 05408652

RESPONSÁVEL LEGAL: Helizandro Antoniolli

DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE: Transporte e comércio de materiais recicláveis classe IIA e IIB

QUANTIDADE CLASSIFICAÇÃO
RESÍDUO (Kg) NBR 10.004 TRANSPORTADOR DESTIANÇÃO FINAL

Transporte e Indústrias beneficiadoras/


PET 11.020,00 Classe II B Comércio de recicladoras destes
Sucatas Antoniolli materiais

Transporte e Indústrias beneficiadoras/


PEAD 23091,50 Classe II B Comércio de recicladoras destes
Sucatas Antoniolli materiais

Transporte e Indústrias beneficiadoras/


PVC 700,00 Classe II B Comércio de recicladoras destes
Sucatas Antoniolli materiais

Transporte e Indústrias beneficiadoras/


PEBD 19.147,00 Classe II B Comércio de recicladoras destes
Sucatas Antoniolli materiais

Transporte e Indústrias beneficiadoras/


PP 2.328,50 Classe II B Comércio de recicladoras destes
Sucatas Antoniolli materiais

Transporte e Indústrias beneficiadoras/


OS 3.000,00 Classe II B Comércio de recicladoras destes
Sucatas Antoniolli materiais

Fonte: Da autora, (2018).


13

Tabela 1 – Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – PGRS (continuação)

QUANTIDADE CLASSIFICAÇÃO DESTIANÇÃO


RESÍDUO (Kg) NBR 10.004 TRANSPORTADOR FINAL

Transporte e Indústrias
Comércio de beneficiadoras/
Ráfia 8.200,00 Classe II B
Sucatas Antoniolli recicladoras
destes materiais

Transporte e Indústrias
Comércio de beneficiadoras/
Papelão 97.940,00 Classe II A
Sucatas Antoniolli recicladoras
destes materiais

Transporte e Indústrias
Papéis, revistas Comércio de beneficiadoras/
19.034,00 Classe II A
e jornais Sucatas Antoniolli recicladoras
destes materiais

Indústrias
Transporte e
beneficiadoras/
Ferro 6.870,00 Classe II B Comércio de
recicladoras
Sucatas Antoniolli
destes materiais

Indústrias
Transporte e
beneficiadoras/
Alumínio 1.732,50 Classe II B Comércio de
recicladoras
Sucatas Antoniolli
destes materiais

Indústrias
Transporte e
beneficiadoras/
Inox 80,00 Classe II B Comércio de
recicladoras
Sucatas Antoniolli
destes materiais

Indústrias
Transporte e
beneficiadoras/
Cobre 364,50 Classe II B Comércio de
recicladoras
Sucatas Antoniolli
destes materiais

Fonte: Da autora, (2018).


14

Tabela 1 – Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – PGRS (conclusão)


QUANTIDADE CLASSIFICAÇÃO DESTIANÇÃO
RESÍDUO (Kg) NBR 10.004 TRANSPORTADOR FINAL

Indústrias
Transporte e
beneficiadoras/
Bronze 19,00 Classe II B Comércio de
recicladoras
Sucatas Antoniolli
destes materiais

Materiais em
Transporte e
geral sem Aterro sanitário
5,00 Classe II B Comércio de
potencial de industrial
Sucatas Antoniolli
reciclagem

EPIs Transporte e
Aterro sanitário
50,00 Classe II A Comércio de
industrial
usados Sucatas Antoniolli

Usina de
Coleta seletiva
Lixo sanitário 60,00 Classe II A tratamento de lixo
municipal
do município

Não houve Transporte e


Devolvidos ao
Lâmpadas geração no Classe II A Comércio de
fornecedor
período Sucatas Antoniolli

Não houve Transporte e


Devolvidos ao
Pilhas e baterias geração no Classe II A Comércio de
fornecedor
período Sucatas Antoniolli

Fonte: Da autora, (2018).

2.3 Acondicionamento

Os resíduos recebidos pela empresa, como plásticos, papéis, papelão, ráfia e


latinhas de alumínio, são devidamente separados e acondicionados sob abrigo até a
prensagem em blocos, sendo mantidos dentro dos palhiões ou enlonados.

Os metais como ferro, alumínio, cobre e outros, são acondicionados em


caçambas e toneis até obter quantidade suficiente para o transporte.
15

Os materiais gerados pelo escritório da empresa como papéis e plásticos e


outros recicláveis são adicionados ao processo da empresa, os eventuais
eletrônicos descartados podem ser desmanchados e também destinados a
reciclagem.

Os EPIs utilizados pelos trabalhadores, como calçados, luvas, máscaras,


óculos, protetores auriculares, sendo estes acondicionados em tambores até obter
quantidade suficiente para prensagem e destinação até um aterro sanitário.

Ocorre um problema relacionado com materiais PET coloridos (rosa, azul,


branco, etc) em função de sua cor que interfere no produto final desejado pelas
industrias de beneficiamento deste material, que dão preferência garrafas PET
brancas e verdes comuns de refrigerante, ocorrendo que este material com potencial
reciclável acaba sendo prensado e destinado para aterros sanitários.

2.4 Coleta do material e transporte externo

A coleta e o transporte externo é realizado pela própria empresa em alguns


casos, onde os resíduos sólidos recicláveis são recolhidos em foenecedores como
indústrias, comércios, e em sua maioria de são comprados de catadores de
materiais recicáveis ou cooperativas, algumas vezes os próprios fornecedores
entregam os materiais na sede da empresa.

2.5 Transporte interno dos resíduos

Para o sistema de transporte interno dos resíduos sólidos recicláveis, a


empresa conta com uma empilhadeira e carrinhos de mão.

2.6 Estocagem rápida/armazenamento

Os resíduos ao chegarem na empresa são estocados dentro de pavilhões, os


materias são adquiridos separados, porém é realizada uma conferência antes de
16

enfardar, onde após o enfardamento continuam estocados no pavilão até que ocorra
a venda dos mesmos. Os pavilhões são cobertos e possuem piso impermeável.

O estoque de materiais enfardados e metais ocorre até que atinja quantidade


suficiente para a venda e transporte à empresas que farão reaproveitamento do
material.

2.7 Destinação final

A empresa realiza o enfardamento de resíduos sólidos, não recebendo resíduos


que não tenham potencial reciclável ou condições de reaproveitamento.

O beneficiamento é realizado pelas empresas que adquirem resíduos


enfardados, as quais utilizam os materiais como matéria-prima de seus processos.
17

3 CONCLUSÃO

O trabalho realizado no presente estágio é de grande importância como


profissional de Engenharia Química, pois agrega conhecimentos práticos e técnicos
na área de gestão ambiental, tal trabalho também é de grande importância para a
empresa, pois visa atender as normas ambientais vigentes.

O PGRS é um planejamento que compõem o Sistema de Gestão Ambiental


descrevendo os processos a serem adotados pela empresa a fim de realizar a
destinação ambientalmente correta de seus resíduos, acatando dessa forma as
exigências das normas ambientais vigentes.


18

4. REFERÊNCIAS

ASSIS, L. F.; FERRARI, j.; MACHADO, M. G. de B.; KOLLING, M. K.; KIST, C. F.


Estudo de caso: gerenciamento de resíduos sólidos em uma microempresa
especializada em reciclagem. 28° Salão de iniciação científica. Porto Alegre, 2016.
Disponível em: <https://portal.ufsm.br/jai/trabalho/arquivo.html?arquivo=7478>.
Acesso em: 21 out. 2018.

BITTENCOURT, J. A. de; SILVA E SÁ, W. da; COSTA, M. da G.; PEREIRA, S. E.;


REIS, C. V. S. Associações e cooperativas de catadores de lixo: à oilítica de
resíduos sólidos no distrito federal. XIV SEGeT – Simpório de Excelência em
Gestão e Tecnologia. Resende, 26 e 27 de outubro, 2017. Disponível em:
<https://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos17/22225239.pdf >. Acesso em: 23 out.
2018.

BRASIL. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Lei 12305. Política Nacional de


Resíduos Sólidos – PNRS. Brasília, DF, Senado, 2010

GODECKE, M. V.; WALERKO, V. S. Gestão de resíduos sólidos urbanos: estudo de


caso da reciclagem em Pelotas/RS. Revista Gestão & Sustentabilidade
Ambiental. V. 4, n° 1, p. 104 – 128, Florianópolis, abr./set. 2015. Disponível em:
<http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/gestao_ambiental/article/view/19>
. Acesso em 21 out. 2018.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA). Plano de Gerenciamento de Resíduos


Sólidos: Instrumento de Responsabilidade Socioambiental na Administração
Pública. Brasília, 2014. Disponível em:
<https://www.comprasgovernamentais.gov.br/images/conteudo/ArquivosCGNOR/cart
ilha_pgrs_mma.pdf>. Acesso em 14 ago. 2018.

PASSINI, A. F. C.; PRICHULA, B. W.; GUADANHIN, J. C. M.; RAIMANN, L. O.;


MARIANI, N. Plano de gerenciamento de resíduos sólios urbanos: estudo de caso
19

em uma usina de reciclagem. VI Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental.


Porto Alegre, 23 a 26/11/2015. Disponível em:
<http://www.ibeas.org.br/congresso/Trabalhos2015/III-054.pdf>. Acesso em: 21 out.
de 2018.

QUINTINO, M. N.; ARAÚJO, J. A.; MELO, F. A. de O.; SILVA; A. C. A.; OLIVEIRA,


E. F. de. Avaliação de um sistema de gestão integrada em uma unidade de
reciclagem no município de Volta Redonda: um estudo de caso para identificar
boas práticas. XIV SEGeT – Simpório de Excelência em Gestão e Tecnologia.
Resende, 26 e 27 de Outubro, 2017. Disponível em:
<https://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos17/29725369.pdf>. Acesso em: 23 out.
2018.

SIMIÃO, J. Gerenciamento de resíduos sólidos industriais em uma empresa de


usinagem sobre enfoque da produção mais limpa. 2011. Dissertação (Mestrado).
Universidade de São Paulo. São Carlos, 2011. Disponível em:
<http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18138/tde-13072011-100539/pt-
br.php>. Acesso em: 23 out. 2018.
20
21