Você está na página 1de 3

À Prefeitura Municipal de Primeiro de Maio,

Secretaria Municipal de Assistência Social,


Secretaria Municipal de Educação e
Secretaria Municipal de Cultura

PROPOSTA DE OFICINA AUDIOVISUAL


Oficina audiovisual teórico-prática de produção de curta-metragem

1. O PROPONENTE
BIOGRAVITY AUDIOVISUAL | Empresa produtora de conteúdo audiovisual, representada por seu cofundador
Elder Maxwhite | Artista Visual Multimídia e Especialista em Fotografia e Vídeo
Rua Vinte e Quatro, 519 – Centro | Primeiro de Maio (PR)
Contato| (43) 99988-6978 | elder.maxwhite@outlook.com.br

2. O PROJETO
A Oficina Audiovisual Starburst oferece de março a novembro de 2018 para um total de 50 jovens entre 15 a 18
anos, uma experiência cultural prática em produção audiovisual, dividida em duas edições com turmas de 25
jovens cada edição, que se divide em edição se divide em dois módulos principais. O primeiro módulo conta com
aulas teóricas a respeito da história mundial do cinema, tanto ficcional quanto documental, abordando ainda os
conceitos teóricos que envolvem a execução de uma obra audiovisual. A segunda parte leva os alunos para a
experimentação prática, onde produzirão de forma prática um documentário de curta duração, aplicando o que
aprenderam anteriormente em uma execução real. O curta-metragem documental resultante será exibido a
comunidade em uma cerimônia de encerramento da oficina e ainda disponibilizado no YouTube para acesso
gratuito.

3. OS OBJETIVOS
 Ofertar aos jovens uma experiência cultural e um espaço para aprender e exercitar os processos de produção de
uma obra audiovisual funcionando como primeiro passo à uma capacitação técnico-profissional;
 Desempenhar a capacidade do poder público municipal em democratizar o acesso aos modos de produção e
fruição de um produto cultural;
 Agir como um canal de divulgação e disseminação de conhecimento;
 Promover a visibilidade do município, sua história e o modos de existir e expressar em comunidade;
 Articular os setores da cultura, educação e assistência social permitindo aos jovens ampliação da jornada escolar.

4. A JUSTIFICATIVA
A linguagem audiovisual permite aos jovens se expressarem de forma criativa e é um segmento de
experimentação cultural que atrai as novas gerações que estão amplamente conectadas com a internet e as
redes sociais virtuais. Uma vez em que há um público que delimita uma crescente demanda por conteúdo, há na
outra ponta profissionais desse setor empenhados em ampliar a disponibilidade desse conteúdo e na melhoria
de sua qualidade.

Uma produção audiovisual se ramifica para diversos setores econômicos gerando um ciclo de produção a nível
industrial que envolve prestação de serviços, geração de postos de trabalho diretos e indiretos, consumo de
bens, etc. Isso se deve aos processos que envolvem a produção de um filme e a demanda por profissionais de
diversas áreas como: fotografia, música, artes visuais, design, contabilidade, elétrica, alimentação e várias
outras, todas fundamentais para que o audiovisual possa funcionar e atingir o resultado.
As produções tradicionalmente são divididas em equipes que devem trabalhar em conjunto com um objetivo em
comum, com sistemas hierárquicos e de liderança, com movimentação de recursos humanos, financeiros,
tecnológicos e intelectuais, planejamento e interação social sob demanda de colaborativa. Essas características
fazem da produção audiovisual uma ótima ferramenta de aprendizagem de conceitos necessários para
convivência em comunidade e para a formação profissional quando estiverem na fase adulta e ainda para o
amplo mercado de trabalho, além de poder apresentar uma nova perspectiva de escolha aos jovens em
formação.

Em cidades do interior do estado, onde há um notório êxodo de jovens em busca de estudo e emprego, há
também a necessidade de exercitar a capacidade de escolha e lhes apresentar alternativas para o futuro. Nesse
cenário, o poder público tem um papel fundamental em propiciar o aporte necessário para que talentos hábeis
não se percam e para que o município prospere sob políticas públicas que apliquem diversidade e amplitude de
suas ações a essas necessidades de profissionalização.

5. O CRONOGRAMA

6. OS CUSTOS
Material pedagógico: Para as aulas teóricas, os alunos terão acesso a uma sala confortável equipada com
carteiras, quadro branco, notebook, caixas de som, projetor, acesso à internet, além de apostila pedagógica,
papel e caneta. Nas aulas práticas os jovens poderão ter acesso, sob supervisão dos instrutores, aos
equipamentos de captação de imagem (câmera, lentes, acessórios, etc.) e som (gravador, microfone, acessórios,
etc.), softwares e equipamentos edição de imagens, além de vivenciarem os processos e modos de produção de
curta-metragem documental em todas as suas etapas, da concepção da ideia até o acesso do público.

Alimentação: Nos dias de aulas teóricas serão oferecidos água, suco e biscoitos sortidos durante os intervalos, e
nos dias de aulas práticas (filmagens) uma alimentação completa entre contra turnos.

Transporte: Haverá possibilidade de parceria com o poder público municipal para que seja oferecido transporte
para idas as possíveis locações de filmagem com os alunos e/ou participar, em atividades extracurriculares, de
encontros do setor audiovisual (cineclubes, mostras gratuitas, pitchings, festivais de cinema, etc.) em Londrina e
região.

7. A AVALIAÇÃO
A avaliação é contínua durante todo o processo e adotaremos o sistema de memorando para registrar e avaliar
os alunos e o projeto como um todo. Com o uso de questionários quantitativos e qualitativos serão elaborados
relatórios mensais visando evidenciar o rendimento da equipe, dos alunos em aula e sua frequência, como
também será feita uma análise do bom comportamento e o convívio entre os participantes por meio de
reuniões de avaliação. Nestas reuniões serão discutidas todas as situações decorrentes do convívio entre
profissionais (equipe) e alunos, quais seriam os pontos positivos da oficina e as dificuldades que possivelmente
possam surgir e identificar ações corretivas e de melhoria. Ao final de cada edição os participantes identificarão
um tema e produzirão de forma orientada um curta-metragem. A supervisão da oficina ficará a cargo do
parceiro envolvido (o poder público). Teremos também questionários de avaliação ao término da execução do
projeto que contemplará a tríade aluno, instrutor e poder público a fim de levantar resultados obtidos e
identificar pontos de melhoria e evolução da oficina em próximas edições.

8. OS EFEITOS
Atingirá de forma direta 50 jovens entre 15 a 18 anos de idade e de forma indireta no mínimo 300 pessoas da
comunidade local que terão acesso aos dois curtas-metragens produzidos por meio de uma exibição pública e
que também serão disponibilizados no YouTube, que, como produtos culturais, colaborarão para ampliar a
visibilidade da cidade e seu potencial turístico e cultural. Além disso, a introdução de jovens para o audiovisual
permitirá que os mesmos ampliem sua visão de mundo nos modos de interpretar e construir conhecimento e
sentido à realidade, identificando a diversidade e as oportunidades que o setor audiovisual pode promover, visto
que além de representar um campo da cultura, é compreendido, atualmente, como uma indústria em amplo
crescimento que movimenta bilhões (R$ 24,5bi em 20141) e vem se tornando um dos mais importantes
segmentos da Economia Criativa.

9. O INVESTIMENTO
A proposta é orçada em R$ 60.000,00 (sessenta mil reais) divididas em 09 (nove) parcelas mensais de R$
6.666,67 (seis mil, seiscentos e sessenta e seis reais e sessenta e sete centavos) a serem pagas mediante
emissão de Nota Fiscal de Serviço.

Validade da proposta: 60 (sessenta) dias.

10. A EQUIPE PRINCIPAL


Cofundador, Coordenador do projeto e instrutor
Elder Maxwhite | Artista visual Multimídia Especialista em Fotografia e Vídeo

Cofundador, supervisor pedagógico e instrutor


Marcos Savae | Contador e professor mestre em Letras (UEL)

Primeiro de Maio (PR), 01 de fevereiro de 2018.

ELDER MAXWHITE

1
Segundo dados da ANCINE (Agência Nacional do Cinema) disponíveis no link: https://www.ancine.gov.br/pt-br/sala-
imprensa/noticias/estudos-da-ancine-apontam-que-o-mercado-audiovisual-brasileiro-segue

Você também pode gostar