Você está na página 1de 55

Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Dinâmica externa da Terra

Sumário

Paisagens geológicas. Geologia e paisagens geológicas. Paisagens de rochas magmáticas.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a diversidade das paisagens geológicas.


• Identificar paisagens de rochas vulcânicas e paisagens de rochas plutónicas através das suas principais
características.
• Dar dois exemplos de paisagens de rochas magmáticas em território português.

Questões

O que é a Geologia?
O que é uma paisagem geológica? Quais os principais tipos de paisagens geológicas?
O que é o magma?
O que são rochas plutónicas? Quais as principais características das paisagens graníticas?
O que são rochas vulcânicas? Quais as principais características das paisagens basálticas?
Que exemplos de paisagens de rochas magmáticas em território português?

Conceitos

Geologia Rocha vulcânica


Paisagem geológica Paisagem vulcânica – cone vulcânico, fumarola,
Magma caldeira vulcânica, coluna basáltica, escoada lávica,
Rocha plutónica manto de lava.
Paisagem granítica – caos de blocos, ruína acastelada,
bloco pedunculado, pia, pedra boroa, areia granítica.

Atividades

Aplicação da Avaliação diagnóstica da página 12 do manual.


Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, A1 – Geologia e paisagens geológicas.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, A1 - Geologia e paisagens geológicas.
Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, A2 – Paisagens de rochas magmáticas.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, A2 – Paisagens de rochas magmáticas.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Capacidade crítica e aporte de opiniões.


- Interesse demonstrado. - Criatividade.
- Qualidade da participação nas atividades. - Mobilização de saberes.

Complemento

Anotações

1
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Dinâmica externa da Terra

Sumário

Paisagens de rochas magmáticas (graníticas e basálticas). Paisagens de rochas sedimentares (modelado cársico).

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a diversidade das paisagens geológicas.


• Referir as principais características das paisagens de rochas metamórficas.
• Indicar dois exemplos de paisagens de rochas metamórficas em território nacional.
• Descrever as principais características das paisagens de rochas sedimentares.

Questões

O que são rochas metamórficas?


Quais as principais características das paisagens de rochas metamórficas?
Que exemplos de paisagens de rochas metamórficas em território português?
O que são rochas sedimentares?
Quais as principais características do modelado cársico?

Conceitos

Rocha metamórfica
Paisagem de rochas metamórficas – dobras, falhas e cristas quartzíticas
Rocha sedimentar
Modelado cársico – Lapiás, dolina, algar, gruta, estalactite, estalagmite.

Atividades

Aplicação da Avaliação diagnóstica da página 12 do manual.


Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, A3 – Paisagens de rochas metamórficas.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, A3 – Paisagens de rochas metamórficas.
Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, A4 – Paisagens de rochas sedimentares.
Resolução das Questões das páginas 17 e 18 do manual.

Avaliação

- Capacidade crítica e aporte de opiniões.


Observação direta dos alunos:
- Criatividade.
- Interesse demonstrado.
- Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.

Complemento

Caderno do Aluno: resolução da Atividade 1 – Modelado Cársico


Caderno do Aluno: resolução da Atividade 2 – Formação de grutas

Anotações

2
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Dinâmica externa da Terra

Sumário

Paisagens de rochas sedimentares (estratos, ravinamentos, chaminés de fada, blocos pedunculados, dunas).
Paisagens geológicas em Portugal.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a diversidade das paisagens geológicas.


 Descrever as principais características das paisagens de rochas sedimentares.
 Identificar o tipo de paisagem existente na região onde a escola se localiza.

Questões

O que são estratos sedimentares, ravinamentos, chaminés de fada, blocos pedunculados, dunas?
Que agentes geológicos externos estão na base da sua formação?
Como se formam as chaminés de fada?
Como se distribuem as paisagens geológicas pelo território português?

Conceitos

Estrato sedimentar, ravinamento, chaminé de fada, bloco pedunculado, duna


Paisagem de rochas metamórficas – dobras, falhas e cristas quartzíticas

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, A4 – Paisagens de rochas sedimentares.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, A4 – Paisagens de rochas sedimentares.
Resolução das Questões da página 20 do manual.
Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, A5 – Paisagens geológicas de Portugal.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, A5 – Paisagens geológicas de Portugal.
Resolução das Questões das páginas 21 e 22 do manual.
Construção do Mapa de Conceitos sugerido na página 25 do manual.
Resolução da atividade Avalia o que sabes, da página 26 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Nível de execução de trabalhos de casa
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

Mapa de conceitos disponível em formato digital.


Eventual organização de uma saída de campo.

3
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Dinâmica externa da Terra

Sumário

Os minerais, unidades básicas das rochas.

Objetivos gerais / Descritores

Os minerais e as rochas.
 Enunciar o conceito de mineral.

Questões

Quais são os principais tipos de rochas?


O que é uma rocha?
O que é um mineral?

Conceitos

Rocha
Mineral

Atividades

Aplicação da Avaliação diagnóstica da página 27 do manual.


Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, B1 – As rochas.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, B1 – As rochas.
Resolução das Questões da página 20 do manual.
Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, B2 – Os minerais, unidades básicas das rochas.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, B2 – Os minerais, unidades básicas das rochas.
Resolução das Questões das páginas 27, 28 e 29 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

4
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Dinâmica externa da Terra

Sumário

Identificação de minerais

Objetivos gerais / Descritores

Os minerais e as rochas.
 Identificar minerais nas rochas (biotite, calcite, estaurolite, feldspato, moscovite, olivina, quartzo),
correlacionando algumas propriedades com o uso de tabelas.

Questões

Que propriedades físicas e químicas dos minerais são utilizadas na sua classificação?
O que é a dureza, a clivagem e fratura, a cor, o traço ou risca, o brilho, a efervescência com os ácidos?

Conceitos

Dureza
Clivagem e fratura
Cor
Traço ou risca
Brilho
Efervescência com os ácidos

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, B3 – Identificação dos minerais.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, B3 – Identificação dos minerais.
Resolução das Questões da página 30 do manual.
Construção do Mapa de Conceitos sugerido na página 34 do manual.
Resolução da atividade Avalia o que sabes, da página 35 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Nível de execução de trabalhos de casa
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

Mapa de conceitos disponível em formato digital.

5
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Dinâmica externa da Terra

Sumário

Identificação de minerais

Objetivos gerais / Descritores

Os minerais e as rochas.
 Identificar minerais nas rochas (biotite, calcite, estaurolite, feldspato, moscovite, olivina, quartzo),
correlacionando algumas propriedades com o uso de tabelas.

Questões

Como identificar os minerais?


Como utilizar uma chave dicotómica para apoiar a identificação de minerais?

Conceitos

Dureza
Clivagem e fratura
Cor
Traço ou risca
Brilho
Efervescência com os ácidos

Atividades

Realização da atividade Laboratório da página 33 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: Relatório da atividade prática.


- Interesse demonstrado.
- Desempenho na realização da atividade laboratorial.

Complemento

Anotações

6
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Dinâmica externa da Terra

Sumário

Rochas sedimentares. Agentes geológicos externos. Ação da água, ação do vento e ação dos seres vivos.

Objetivos gerais / Descritores

Analisar os conceitos e os processos relativos à formação das rochas sedimentares.


 Resumir a ação da água, do vento e dos seres vivos enquanto agentes geológicos externos.

Questões

Quais os efeitos da ação da água sobre as rochas?


Quais os efeitos da ação do vento sobre as rochas?
Quais os efeitos da ação dos seres vivos sobre as rochas?

Conceitos

Agente geológico externo

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, C1 – Agentes geológicos externos.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, C1 – Agentes geológicos externos.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

Possível articulação com a disciplina de Geografia.

7
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Dinâmica externa da Terra

Sumário

Transporte e deposição de sedimentos num curso de água.

Objetivos gerais / Descritores

Analisar os conceitos e os processos relativos à formação das rochas sedimentares.


 Prever o tipo de deslocação e de deposição de materiais ao longo de um curso de água, com base numa
atividade prática laboratorial.

Questões

Como se deslocam e como se depositam os materiais ao longo de um curso de água?

Conceitos

Transporte
Sedimentação

Atividades

Aplicação da atividade Laboratório da página 37 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: Relatório da atividade prática.


- Interesse demonstrado.
- Desempenho na realização da atividade laboratorial.

Complemento

Caderno do Aluno: resolução da Atividade 3 – Deslocação e deposição de materiais num rio

Anotações

8
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Dinâmica externa da Terra

Sumário

Formação das rochas sedimentares.

Objetivos gerais / Descritores

Analisar os conceitos e os processos relativos à formação das rochas sedimentares.


 Explicar as fases de formação da maior parte das rochas sedimentares.

Questões

O que são rochas sedimentares?


O que são sedimentos?
Que exemplos de rochas sedimentares?
Quais as etapas de formação das rochas sedimentares?
O que é a meteorização, erosão, transporte, sedimentação, diagénese?

Conceitos

Rocha sedimentar
Sedimento
Meteorização
Erosão
Transporte
Sedimentação
Diagénese

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, C2 – Formação de rochas sedimentares.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, C2 – Formação de rochas sedimentares.
Resolução das Questões das páginas 41 e 42 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

Possível articulação com a disciplina de Geografia.

9
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Dinâmica externa da Terra

Sumário

Identificação e classificação de rochas sedimentares.

Objetivos gerais / Descritores

Analisar os conceitos e os processos relativos à formação das rochas sedimentares


 Propor uma classificação de rochas sedimentares, com base numa atividade prática.
 Identificar os principais tipos de rochas detríticas (arenito, argilito, conglomerado, marga), quimiogénicas
(calcário, gesso, sal-gema) e biogénicas (carvões, calcários), com base em atividades práticas.

Questões

Como classificar e identificar as rochas sedimentares?

Conceitos

Rocha detrítica
Rocha quimiogénica
Rocha biogénica

Atividades

Realização da atividade Laboratório da página 43 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: Relatório da atividade prática.


- Interesse demonstrado.
- Desempenho na realização da atividade laboratorial.

Complemento

Anotações

10
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Dinâmica externa da Terra

Sumário

Formação das rochas sedimentares.

Objetivos gerais / Descritores

Analisar os conceitos e os processos relativos à formação das rochas sedimentares.


 Explicar as fases de formação da maior parte das rochas sedimentares.

Questões

O que são rochas sedimentares detríticas, quimiogénicas, biogénicas?


Que exemplos de rochas sedimentares detríticas, quimiogénicas, biogénicas?

Conceitos

Rocha detrítica
Rocha quimiogénica
Rocha biogénica

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, C3 – Classificação e identificação de rochas sedimentares.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, C3 – Classificação e identificação de rochas sedimentares.
Resolução das Questões da página 47 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

Possível articulação com a disciplina de Geografia.

11
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Dinâmica externa da Terra

Sumário

Ambientes sedimentares

Objetivos gerais / Descritores

Analisar os conceitos e os processos relativos à formação das rochas sedimentares.


 Associar algumas características das areias a diferentes tipos de ambientes, com base numa atividade prática
laboratorial.

Questões

O que são ambientes sedimentares?


O que são areias?
Como se formam as areias?
Como são constituídas as areias?

Conceitos

Ambiente sedimentar
Areia
Areia de ambiente fluvial
Areia de ambiente marinho
Areia de ambiente dunar

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, C4 – Ambientes sedimentares.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, C4 – Ambientes sedimentares.
Realização da atividade Laboratório da página 50 do manual.
Construção do Mapa de Conceitos sugerido na página 51 do manual.
Resolução da atividade Avalia o que sabes, das páginas 52 e 53 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. - Desempenho na realização da atividade laboratorial.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões. Relatório da atividade prática.
Nível de execução de trabalhos de casa

Complemento

Caderno do Aluno: resolução da Atividade 4 – Caraterização de areias


Caderno do Aluno: resolução da Atividade 5 – Ficha formativa básica
Caderno do Aluno: resolução da Atividade 6 – Ficha formativa aprofundamento

Anotações

Mapa de conceitos disponível em formato digital.


Possível articulação com a disciplina de Geografia.

12
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Estrutura e dinâmica interna da Terra

Sumário

A teoria da deriva dos continentes

Objetivos gerais / Descritores

Compreender os fundamentos da estrutura e da dinâmica da Terra.


 Apresentar argumentos que apoiaram e fragilizaram a Teoria da Deriva Continental.

Questões

Quem foi Alfred Wegener?


O que é a Pangeia?
O que é a teoria da deriva dos continentes?

Conceitos

Teoria da deriva dos continentes


Pangeia

Atividades

Realização do Desafio da página 56 do manual.


Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, D1 – A teoria da deriva dos continentes.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, D1 – A teoria da deriva dos continentes.
Realização da pesquisa proposta no e-Portefólio, na página 58 do manual.
Resolução das Questões das páginas 56, 57 e 58 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Pesquisa e resumo realizados.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

Possível articulação com a disciplina de Geografia.

13
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Estrutura e dinâmica interna da Terra

Sumário

Objetivos gerais / Descritores

Compreender os fundamentos da estrutura e da dinâmica da Terra.


 Apresentar argumentos que apoiaram e fragilizaram a Teoria da Deriva Continental.

Questões

Que argumentos foram apresentados a favor da teoria da deriva dos continentes?

Conceitos

Argumento paleontológico
Argumento paleoclimático
Argumento litológico
Argumento morfológico

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, D2 – Mobilidade dos continentes – argumentos.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, D2 – Mobilidade dos continentes – argumentos.
Resolução das Questões da página 59 do manual.
Realização da pesquisa proposta no e-Portefólio, na página 60 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Pesquisa e resumo realizados.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Caderno do Aluno: resolução da Atividade 7 – Evidências de Wegener

Anotações

Possível articulação com a disciplina de Geografia.

14
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Estrutura e dinâmica interna da Terra

Sumário

Contributo da ciência, da tecnologia e da sociedade para o conhecimento da expansão dos fundos oceânicos.
Morfologia dos fundos oceânicos. Idade e magnetização das rochas dos fundos oceânicos.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender os fundamentos da estrutura e da dinâmica da Terra.


 Reconhecer o contributo da ciência, da tecnologia e da sociedade para o conhecimento da expansão dos
fundos oceânicos.
 Identificar os contributos de alguns cientistas associados à Teoria da Deriva Continental e à Teoria da
Tectónica de Placas.
 Esquematizar a morfologia dos fundos oceânicos.
 Resolver um exercício que relacione a distância ao eixo da dorsal atlântica com a idade e o paleomagnetismo
das rochas do respetivo fundo oceânico.

Questões

De que modo a ciência, a tecnologia e a sociedade contribuíram para o conhecimento da expansão dos fundos
oceânicos? Qual a morfologia dos fundos oceânicos?
De que modo a determinação da idade e da magnetização das rochas dos fundos oceânicos permitiram
conhecer o mecanismo de expansão dos fundos oceânicos?

Conceitos

Rifte Plataforma continental


Dorsal oceânica Fossa oceânica
Planície abissal Expansão dos fundos oceânicos
Talude continental

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, D3 – Expansão dos fundos oceânicos.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, D3 – Expansão dos fundos oceânicos.
Resolução das Questões das páginas 61, 63 e 64 do manual.
Realização da pesquisa proposta no e-Portefólio, na página 61 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Pesquisa e resumo realizados.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Caderno do Aluno: resolução da Atividade 8 – Expansão dos fundos oceânicos

Anotações

Possível articulação com a disciplina de Geografia.

15
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Estrutura e dinâmica interna da Terra

Sumário

Teoria da tectónica de placas. Litosfera. Placas litosféricas. Correntes de convecção. Riftes e zonas de
subducção. Limites divergentes, convergentes e transformantes.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender os fundamentos da estrutura e da dinâmica da Terra.


 Explicar as evidências clássicas (oceânicas e continentais) que fundamentam a Teoria da Tectónica de Placas.
 Relacionar a expansão e a destruição contínuas dos fundos oceânicos com a constância do volume da Terra.
 Caracterizar placa tectónica e os diferentes tipos de limites existentes.
 Inferir a importância das correntes de convecção como “motor” da mobilidade das placas tectónicas.

Questões

O que é a litosfera? O que são placas litosféricas?


O que são correntes de convecção? Qual a sua importância?
O que são riftes e zonas de subducção? Qual a sua importância?
A que de deve a manutenção do volume da Terra?
O que são limites divergentes, convergentes e transformantes?

Conceitos

Teoria da tectónica de placas Rifte


Litosfera Zona de subducção
Placas litosféricas Limite divergente
Correntes de convecção Limite convergente
Limite transformante

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, D4 – A teoria da tectónica de placas.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, D4 – A teoria da tectónica de placas.
Resolução das Questões das páginas 65, 66, 68 e 70 do manual.
Construção do Mapa de Conceitos sugerido na página 71 do manual.
Resolução da atividade Avalia o que sabes, das páginas 72 e 73 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Nível de execução de trabalhos de casa
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

Possível articulação com a disciplina de Geografia. Mapa de conceitos disponível em formato digital.

16
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Estrutura e dinâmica interna da Terra

Sumário

Formação de correntes de convecção

Objetivos gerais / Descritores

Compreender os fundamentos da estrutura e da dinâmica da Terra.


 Inferir a importância das correntes de convecção como “motor” da mobilidade das placas tectónicas.

Questões

Como se formam as correntes de convecção?

Conceitos

Teoria da tectónica de placas Rifte


Litosfera Zona de subducção
Placas litosféricas Limite divergente
Correntes de convecção Limite convergente
Limite transformante

Atividades

Realização da atividade Laboratório da página 67 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: Relatório da atividade prática.


- Interesse demonstrado.
- Desempenho na realização da atividade laboratorial.

Complemento

Anotações

17
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Estrutura e dinâmica interna da Terra

Sumário

Ocorrência de falhas e dobras. A deformação da litosfera.

Objetivos gerais / Descritores

Aplicar conceitos relativos à deformação das rochas.


 Relacionar a deformação das rochas com a formação de cadeias montanhosas.

Questões

Como se formam as cadeias montanhosas?


Em que consiste a deformação da litosfera?

Conceitos

Cadeia montanhosa.
Rifte.
Zona de subducção.

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, E1 – A deformação da litosfera.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, E1 – A deformação da litosfera.
Resolução das Questões da página 75 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

Possível articulação com a disciplina de Geografia.

18
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Estrutura e dinâmica interna da Terra

Sumário

Formação de dobras e falhas.

Objetivos gerais / Descritores

Aplicar conceitos relativos à deformação das rochas.


 Distinguir comportamento frágil de comportamento dúctil, em materiais diversos, com base numa atividade
prática laboratorial.
 Explicar a formação de dobras e de falhas, com base numa atividade prática laboratorial.

Questões

Como se formam as dobras e as falhas?


Em que difere o comportamento frágil do comportamento dúctil dos materiais?

Conceitos

Dobra
Falha
Comportamento frágil
Comportamento dúctil.

Atividades

Realização da atividade Laboratório da página 77 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: Relatório da atividade prática.


- Interesse demonstrado.
- Desempenho na realização da atividade laboratorial.

Complemento

Anotações

19
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Estrutura e dinâmica interna da Terra

Sumário

Dobras e falhas. Falhas normais, inversas e de desligamento.

Objetivos gerais / Descritores

Aplicar conceitos relativos à deformação das rochas.


 Relacionar a movimentação observada numa falha com o tipo de forças aplicadas que lhe deram origem.
 Identificar, em esquema e imagem, as deformações observadas nas rochas existentes nas paisagens.
 Relacionar a deformação das rochas com a formação de cadeias montanhosas.

Questões

O que são dobras?


Quais as suas características?
Que forças estão na origem das dobras?
Qual o comportamento das rochas quando formam dobras?

Conceitos

Dobra
Falha
Força compressiva
Força distensiva
Força de cisalhamento
Comportamento dúctil
Comportamento frágil

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, E2 – Falhas e dobras.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, E2 – Falhas e dobras.
Construção do Mapa de Conceitos sugerido na página 80 do manual.
Resolução da atividade Avalia o que sabes, da página 81 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Caderno do Aluno: resolução da Atividade 9 - Ficha formativa básica


Caderno do Aluno: resolução da Atividade 10 - Ficha formativa aprofundamento

Anotações

Possível articulação com a disciplina de Geografia.


Mapa de conceitos disponível em formato digital.

20
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Os vulcões. Constituição de um vulcão. Formação de uma caldeira vulcânica.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a atividade vulcânica como uma manifestação da dinâmica interna da Terra.


 Esquematizar a estrutura de um aparelho vulcânico.

Questões

O que é um vulcão?
Como é constituído um vulcão?
Como se forma uma caldeira vulcânica?

Conceitos

Vulcão
Magma
Lava
Cone vulcânico
Cratera
Chaminé vulcânica
Câmara magmática
Caldeira vulcânica

Atividades

Realização do Desafio da página 84 do manual.


Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, F1 – Os vulcões.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, F1 – Os vulcões.
Resolução das Questões das páginas 84, 85 e 86 do manual.
Realização da pesquisa proposta no e-Portefólio, na página 85 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Pesquisa e resumo realizados.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

21
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Materiais expelidos pelos vulcões.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a atividade vulcânica como uma manifestação da dinâmica interna da Terra.


 Distinguir diferentes materiais expelidos pelos vulcões, com base em amostras de mão.

Questões

O que é uma erupção vulcânica?


Que materiais são expelidos pelos vulcões?
O que são lavas, gases e piroclastos?

Conceitos

Erupção vulcânica
Magma
Lava
Gases
Piroclastos

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, F2 – Materiais expelidos pelos vulcões.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, F2 – Materiais expelidos pelos vulcões.
Realização da atividade Laboratório da página 88 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. - Desempenho na realização da atividade laboratorial.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões. Relatório da atividade prática.

Complemento

Anotações

22
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

O vulcanismo na Terra. Magmas e atividade vulcânica. Atividades vulcânicas explosiva, efusiva e mista.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a atividade vulcânica como uma manifestação da dinâmica interna da Terra.


 Estabelecer uma relação entre os diferentes tipos de magmas e os diversos tipos de atividade vulcânica,
através de uma atividade prática.
 Reconhecer as manifestações vulcânicas como consequência da dinâmica interna da Terra.

Questões

Quais as zonas da Terra mais propícias ao vulcanismo?


Quais são os principais tipos de magmas?
O que são as atividades vulcânicas explosiva, efusiva e mista?
Qual a relação entre o tipo de magma e o tipo de atividade vulcânica?

Conceitos

Atividade vulcânica explosiva


Atividade vulcânica efusiva
Atividade vulcânica mista

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, F3 – Atividade vulcânica e dinâmica interna da Terra.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, F3 – Atividade vulcânica e dinâmica interna da Terra.
Resolução das Questões da página 89 do manual.
Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, F4 – Magmas e atividade vulcânica.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, F4 – Magmas e atividade vulcânica.
Resolução das Questões das páginas 92 e 93 do manual.
Realização da pesquisa proposta no e-Portefólio, na página 92 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Pesquisa e resumo realizados.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Caderno do Aluno: resolução da Atividade 11 – Magmas e atividade vulcânica


Caderno do Aluno: resolução da Atividade 12 – A erupção dos Capelinhos

Anotações

23
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Oficina de vulcões – Atividades vulcânicas explosiva e efusiva.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a atividade vulcânica como uma manifestação da dinâmica interna da Terra.


 Estabelecer uma relação entre os diferentes tipos de magmas e os diversos tipos de atividade vulcânica,
através de uma atividade prática.

Questões

Como distinguir a atividade explosiva da atividade efusiva?

Conceitos

Atividade vulcânica explosiva


Atividade vulcânica efusiva
Erupção vulcânica
Lava
Gases
Piroclastos

Atividades

Realização da atividade Laboratório da página 94 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: Relatório da atividade prática.


- Interesse demonstrado.
- Desempenho na realização da atividade laboratorial.

Complemento

Anotações

24
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Vulcanismo secundário.
Previsão das erupções vulcânicas.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a atividade vulcânica como uma manifestação da dinâmica interna da Terra.


 Exemplificar manifestações de vulcanismo secundário.
 Inferir a importância da ciência e da tecnologia na previsão de erupções vulcânicas.

Questões

O que é o vulcanismo secundário?


Quais as manifestações de vulcanismo secundário?
O que são fumarolas, nascentes termais, géiseres?
Como se faz a previsão das erupções vulcânicas?
Qual a importância da previsão das erupções vulcânicas?

Conceitos

Vulcanismo secundário
Fumarola
Nascente termal
Géiser
Previsão das erupções vulcânicas

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, F5 – Vulcanismo secundário.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, F5 – Vulcanismo secundário.
Resolução das Questões da página 95 do manual.
Realização da pesquisa proposta no e-Portefólio, na página 96 do manual.
Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, F6 – Previsão das erupções vulcânicas.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, F6 – Previsão das erupções vulcânicas.
Resolução das Questões da página 97 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Pesquisa e resumo realizados.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

25
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a atividade vulcânica como uma manifestação da dinâmica interna da Terra.


 Explicar os benefícios do vulcanismo (principal e secundário) para as populações.
 Referir medidas de prevenção e de proteção de bens e de pessoas do risco vulcânico.

Questões

Quais os riscos e benefícios da atividade vulcânica para as populações?


Quais as medidas de autoproteção?

Conceitos

Risco vulcânico
Medida de autoproteção

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, F7 – Riscos e benefícios da atividade vulcânica.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, F7 – Riscos e benefícios da atividade vulcânica.
Resolução das Questões da página 99 do manual.
Construção do Mapa de Conceitos sugerido na página 101 do manual.
Resolução da atividade Avalia o que sabes, das páginas 102 e 103 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Nível de execução de trabalhos de casa
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

Mapa de conceitos disponível em formato digital.

26
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Rochas magmáticas. Formação de rochas magmáticas. Rochas vulcânicas e rochas plutónicas.

Objetivos gerais / Descritores

Interpretar a formação das rochas magmáticas.


 Explicar a génese das rochas magmáticas plutónicas e vulcânicas.

Questões

O que são rochas magmáticas?


Que exemplos de rochas de magmáticas?
Como se formam as rochas magmáticas?
O que distingue um magma basáltico de um magma riolítico?
O que são rochas vulcânicas?
O que são rochas plutónicas?

Conceitos

Magma
Rocha magmática
Magma basáltico
Magma riolítico
Rocha vulcânica
Rocha plutónica

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, G1 – Formação de rochas magmáticas.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, G1 – Formação de rochas magmáticas.
Resolução das Questões da página 105 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

27
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Formação de cristais.

Objetivos gerais / Descritores

Interpretar a formação das rochas magmáticas.


 Explicar a génese das rochas magmáticas plutónicas e vulcânicas.

Questões

A velocidade de arrefecimento do material em fusão condiciona o desenvolvimento dos cristais?

Conceitos

Cristalização

Atividades

Realização da atividade Laboratório da página 104 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: Relatório da atividade prática.


- Interesse demonstrado.
- Desempenho na realização da atividade laboratorial.

Complemento

Anotações

28
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Identificação de rochas magmáticas. Texturas afanítica, vítrea e fanerítica. Composição mineralógica e textura
do basalto, do gabro, do granito e do riólito.

Objetivos gerais / Descritores

Interpretar a formação das rochas magmáticas.


 Identificar diferentes tipos de rochas plutónicas (gabro e granito) e vulcânicas (basalto e riólito), com base em
amostras de mão.
 Relacionar a génese das rochas magmáticas com a respetiva textura, com base na dimensão e na identificação
macroscópica dos seus minerais constituintes.

Questões

Como são classificadas as rochas magmáticas?


O que é a textura?
Como distinguir as texturas afanítica, vítrea e fanerítica?
Quais as diferenças mineralógicas e texturais do granito, do gabro, do basalto e do riólito?

Conceitos

Textura afanítica
Textura vítrea
Textura fanerítica
Composição mineralógica

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, G2 – Identificação de rochas magmáticas.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, G2 – Identificação de rochas magmáticas.
Construção do Mapa de Conceitos sugerido na página 109 do manual.
Resolução da atividade Avalia o que sabes, da página 110 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Nível de execução de trabalhos de casa.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Caderno do Aluno: resolução da Atividade 13 – Rochas de Regoufe

Anotações

Mapa de conceitos disponível em formato digital.

29
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Identificação de rochas magmáticas.

Objetivos gerais / Descritores

Interpretar a formação das rochas magmáticas.


 Identificar diferentes tipos de rochas plutónicas (gabro e granito) e vulcânicas (basalto e riólito), com base em
amostras de mão.
 Relacionar a génese das rochas magmáticas com a respetiva textura, com base na dimensão e na identificação
macroscópica dos seus minerais constituintes.

Questões

Como são classificadas as rochas magmáticas?


O que é a textura?
Como distinguir as texturas afanítica, vítrea e fanerítica?
Quais as diferenças mineralógicas e texturais do granito, do gabro, do basalto e do riólito?

Conceitos

Textura afanítica
Textura vítrea
Textura fanerítica
Composição mineralógica

Atividades

Realização da atividade Laboratório da página 107 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: Relatório da atividade prática.


- Interesse demonstrado.
- Desempenho na realização da atividade laboratorial.

Complemento

Anotações

30
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Metamorfismo. Formação de rochas metamórficas. Metamorfismo regional e metamorfismo de contacto.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender o metamorfismo como uma consequência da dinâmica interna da Terra.


 Explicar o conceito de metamorfismo, associado à dinâmica interna da Terra.
 Referir os principais fatores que estão na origem da formação das rochas metamórficas.
 Distinguir metamorfismo de contacto de metamorfismo regional, com base na interpretação de imagens ou
de gráficos.

Questões

O que é o metamorfismo?
Qual a relação do metamorfismo com a dinâmica interna da Terra?
O que são fatores de metamorfismo?
Como atuam os fatores de metamorfismo?
Que exemplos de rochas metamórficas?
O que é o metamorfismo regional?
O que é o metamorfismo de contacto?

Conceitos

Metamorfismo
Rocha metamórfica
Fator de metamorfismo
Metamorfismo regional
Metamorfismo de contacto

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, H1 – Formação de rochas metamórficas.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, H1 – Formação de rochas metamórficas.
Resolução das Questões das páginas 111 e 112 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

31
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Objetivos gerais / Descritores

Compreender o metamorfismo como uma consequência da dinâmica interna da Terra.


 Identificar diferentes tipos de rochas metamórficas (xistos e outras rochas com textura foliada e/ou bandada
bem definida; mármores; quartzitos, que apresentem textura granoblástica), com recurso a uma atividade
prática.
 Relacionar o tipo de estrutura que a rocha apresenta com o tipo de metamorfismo que lhe deu origem, em
amostras de mão.

Questões

Como são identificadas as rochas metamórficas?


O que é a textura foliada?
O que é a textura não foliada?
Qual a relação entre a textura da rocha e o tipo de metamorfismo que a originou?

Conceitos

Textura foliada
Textura não foliada
Metamorfismo regional
Metamorfismo de contacto

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, H2 – Identificação de rochas metamórficas.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, H2 – Identificação de rochas metamórficas.
Realização da atividade Laboratório da página 114 do manual.
Construção do Mapa de Conceitos sugerido na página 115 do manual.
Resolução da atividade Avalia o que sabes, da página 116 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Relatório da atividade prática.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões. Nível de execução de trabalhos de casa.

Complemento

Anotações

Mapa de conceitos disponível em formato digital.

32
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Ciclo das rochas. Processos geológicos envolvidos no ciclo das rochas.

Objetivos gerais / Descritores

Conhecer o ciclo das rochas.


 Descrever o ciclo das rochas.
 Enunciar os processos geológicos envolvidos no ciclo das rochas.

Questões

O que é o ciclo das rochas?


Qual a importância do ciclo das rochas?
Quais os processos geológicos envolvidos no ciclo das rochas?

Conceitos

Ciclo das rochas


Meteorização, erosão, transporte e sedimentação
Diagénese
Fusão
Solidificação

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, I1 – Ciclo das rochas.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, I1 – Ciclo das rochas.
Resolução das Questões da página 117 do manual.
Construção do Mapa de Conceitos sugerido na página 119 do manual.
Resolução da atividade Avalia o que sabes, da página 120 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Nível de execução de trabalhos de casa.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Caderno do Aluno: resolução da Atividade 14 - Ficha formativa básica


Caderno do Aluno: resolução da Atividade 15 - Ficha formativa aprofundamento

Anotações

Mapa de conceitos disponível em formato digital.

33
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Exploração dos recursos litológicos. Recursos litológicos de Portugal.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender que as formações litológicas em Portugal devem ser exploradas de forma sustentada.
 Identificar os diferentes grupos de rochas existentes em Portugal, utilizando cartas geológicas.

Questões

Como se distribuem os principais tipos de rochas pelo território português?


O que é e para que serve uma carta geológica?

Conceitos

Recurso litológico
Carta geológica

Atividades

Aplicação da Avaliação diagnóstica da página 121 do manual.


Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, J1 – Recursos litológicos de Portugal.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, J1 – Recursos litológicos de Portugal.
Resolução das Questões da página 121 do manual.
Realização da atividade Laboratório da página 123 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Relatório da atividade prática.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

Possível articulação com as disciplinas de Geografia e de Ciências Físico-Químicas.

34
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Aplicações das rochas. Sustentabilidade dos recursos litológicos.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender que as formações litológicas em Portugal devem ser exploradas de forma sustentada.
 Referir aplicações das rochas na sociedade.
 Reconhecer as rochas utilizadas em algumas construções, na região onde a escola se localiza.
 Defender que a exploração dos recursos litológicos deve ser feita de forma sustentável.

Questões

Quais as principais aplicações das rochas?


Qual a importância das rochas enquanto recurso natural?
Em que consiste a exploração sustentável dos recursos naturais?

Conceitos

Recurso natural
Recurso não renovável
Exploração sustentável

Atividades

Realização da pesquisa proposta no e-Portefólio, na página 124 do manual.


Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, J2 – Aplicação das rochas.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, J2 – Aplicação das rochas.
Resolução das Questões da página 125 do manual.
Construção do Mapa de Conceitos sugerido na página 127 do manual.
Resolução da atividade Avalia o que sabes, da página 128 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Pesquisa e resumo realizados.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões. Nível de execução de trabalhos de casa.

Complemento

Caderno do Aluno: resolução da Atividade 16 – Recursos litológicos da Região Oeste e Vale do Tejo

Anotações

Mapa de conceitos disponível em formato digital.


Possível articulação com as disciplinas de Geografia e de Ciências Físico-Químicas.

35
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Atividade sísmica. Formação de um sismo.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a atividade sísmica como uma consequência da dinâmica interna da Terra.


 Explicar a formação de um sismo, associado à dinâmica interna da Terra.
 Relacionar a distribuição dos sismos e dos vulcões na Terra com os diferentes limites de placas tectónicas.

Questões

O que é um sismo?
Que relação entre a distribuição dos sismos e a distribuição dos vulcões, à escala do planeta?
Que relação entre a distribuição dos sismos e os limites de placas litosféricas?
Como se formam os sismos?
O que são o hipocentro, epicentro e ondas sísmicas?
O que distingue os abalos premonitórios das réplicas?
O que é um tsunami?

Conceitos

Sismo
Onda sísmica
Hipocentro
Epicentro
Abalo premonitório
Réplica
Tsunami

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, K1 – Os sismos.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, K1 – Os sismos.
Resolução das Questões das páginas 129 e 130 do manual.
Realização da pesquisa proposta no e-Portefólio, na página 131 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Pesquisa e resumo realizados.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

36
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Registo e avaliação dos sismos. Intensidade e magnitude de um sismo. Os sismos em Portugal.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a atividade sísmica como uma consequência da dinâmica interna da Terra.


 Associar a vibração das rochas ao registo das ondas sísmicas.
 Distinguir a Escala de Richter da Escala Macrossísmica Europeia.
 Explicitar a intensidade sísmica, com base em documentos de sismos ocorridos.
 Interpretar cartas de isossistas, em contexto nacional.
 Identificar o risco sísmico de Portugal e da região onde a escola se localiza.
 Caracterizar alguns episódios sísmicos da história do território nacional, com base em pesquisa orientada.

Questões

Como medir e registar um sismo? O que é e como funciona um sismógrafo? O que é um sismograma?
De que depende a grandeza de um sismo? O que é a intensidade sísmica? O que é e para que serve a Escala
Macrossísmica Europeia? O que é uma carta de isossistas? O que é a magnitude sísmica? O que é e para que
serve a Escala de Richter? Como se distribui a atividade sísmica no território português?

Conceitos

Sismógrafo Escala Macrossísmica Europeia Magnitude sísmica


Sismograma Isossistas Escala de Richter
Intensidade sísmica Carta de isossistas

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, K2 – Registo e avaliação dos sismos.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, K2 – Registo e avaliação dos sismos.
Resolução das Questões das páginas 133 e 134 do manual.
Realização da pesquisa proposta no e-Portefólio, na página 135 do manual.
Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, K3 – Os sismos em Portugal.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, K3 – Os sismos em Portugal.
Resolução das Questões da página 136 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Pesquisa e resumo realizados.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Caderno do Aluno: resolução da Atividade 17 – Sismo de S. Miguel

Anotações

37
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Risco sísmico. Medidas de prevenção e de autoproteção. Previsão de sismos.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a atividade sísmica como uma consequência da dinâmica interna da Terra.


 Indicar os riscos associados à ocorrência de um sismo.
 Descrever medidas de proteção de bens e de pessoas, antes, durante e após a ocorrência de um sismo.
 Reconhecer a importância da ciência e da tecnologia na previsão sísmica.

Questões

O que é o risco sísmico?


Quais as medidas de autoproteção?
Quais as medidas de prevenção?
É possível prever um sismo?

Conceitos

Risco sísmico.
Medida de autoproteção
Medida de prevenção
Previsão sísmica

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, K4 – Riscos e proteção das populações.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, K4 – Riscos e proteção das populações.
Resolução das Questões da página 140 do manual.
Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, K5 – Previsão de sismos.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, K5 – Previsão de sismos.
Construção do Mapa de Conceitos sugerido na página 144 do manual.
Resolução da atividade Avalia o que sabes, das páginas 145 e 146 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Nível de execução de trabalhos de casa.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

Mapa de conceitos disponível em formato digital.

38
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Minimização de riscos sísmicos

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a atividade sísmica como uma consequência da dinâmica interna da Terra.


 Indicar os riscos associados à ocorrência de um sismo.
 Descrever medidas de proteção de bens e de pessoas, antes, durante e após a ocorrência de um sismo.

Questões

Qual a influência do tipo de solo nos danos causados, nas construções, por um sismo?

Conceitos

Risco sísmico.
Medida de prevenção

Atividades

Realização da atividade Laboratório da página 141 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: Relatório da atividade prática.


- Interesse demonstrado.
- Desempenho na realização da atividade laboratorial.

Complemento

Anotações

39
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Estrutura interna da Terra. Métodos para o estudo do interior da Terra.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a estrutura interna da Terra.


 Relacionar a inacessibilidade do interior da Terra com as limitações dos métodos diretos.
 Enumerar diversos instrumentos tecnológicos que permitem compreender a estrutura interna da Terra.
 Explicar os contributos da planetologia, da sismologia e da vulcanologia para o conhecimento do interior da
Terra.

Questões

Como estudar o interior da Terra?


O que são métodos diretos?
O que são métodos indiretos?

Conceitos

Método direto
Vulcão
Afloramento rochoso
Mina
Gruta
Sondagem
Onda sísmica
Meteorito
Campo magnético terrestre

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, L1 – Métodos para o estudo do interior da Terra.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, L1 – Métodos para o estudo do interior da Terra.
Resolução das Questões da página 147 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

40
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Modelos da estrutura interna da Terra.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a estrutura interna da Terra.


 Caracterizar, a partir de esquemas, a estrutura interna da Terra, com base nas propriedades físicas e químicas
(modelo geoquímico e modelo geofísico).

Questões

Que modelos para o interior da Terra?


Quais as características da estrutura interna da Terra?
O que distingue o modelo físico do modelo químico?

Conceitos

Camada concêntrica Modelo físico


Modelo químico Endosfera
Núcleo Núcleo interno
Manto Núcleo externo
Crusta continental Mesosfera
Crusta oceânica Astenosfera
Litosfera

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, L2 – Modelos da estrutura interna da Terra.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, L2 – Modelos da estrutura interna da Terra.
Resolução das Questões das páginas 149 e 151 do manual.
Construção do Mapa de Conceitos sugerido na página 153 do manual.
Resolução da atividade Avalia o que sabes, das páginas 154 e 155 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Nível de execução de trabalhos de casa.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Caderno do Aluno: resolução da Atividade 18 – Viagem ao centro da Terra


Caderno do Aluno: resolução da Atividade 19 - Ficha formativa básica
Caderno do Aluno: resolução da Atividade 20 - Ficha formativa aprofundamento

Anotações

Mapa de conceitos disponível em formato digital.

41
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Consequências da dinâmica interna da Terra

Sumário

Construção de um modelo do interior da Terra

Objetivos gerais / Descritores

 Caracterizar, a partir de esquemas, a estrutura interna da Terra, com base nas propriedades físicas e químicas
(modelo geoquímico e modelo geofísico).

Questões

Como construir um modelo do interior da Terra?

Conceitos

Modelo do interior da Terra


Camada concêntrica

Atividades

Realização da atividade Laboratório da página 152 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: Relatório da atividade prática.


- Interesse demonstrado.
- Desempenho na realização da atividade laboratorial.

Complemento

Anotações

42
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

A Terra conta a sua história

Sumário

Fósseis e sua importância para a reconstituição da história da Terra. Os fósseis.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a importância dos fósseis para a reconstituição da história da Terra.


 Definir paleontologia.
 Apresentar uma definição de fóssil.
 Caracterizar os grandes grupos de fósseis, com base em imagens e em amostras de mão.

Questões

O que são fósseis?


O que é a Paleontologia?
Quais são os grandes grupos de fósseis?
Que características apresentam os principais grupos de fósseis?

Conceitos

Fóssil
Paleontologia
Somatofóssil
Icnofóssil

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, M1 – Os fósseis.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, M1 – Os fósseis.
Resolução das Questões da página 159 do manual.
Realização da pesquisa proposta no e-Portefólio, na página 159 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

43
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

A Terra conta a sua história

Sumário

Observação e identificação de fósseis.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a importância dos fósseis para a reconstituição da história da Terra.


 Caracterizar os grandes grupos de fósseis, com base em imagens e em amostras de mão.

Questões

Como distinguir os principais grupos de fósseis?

Conceitos

Fóssil
Grupo de fósseis

Atividades

Realização da atividade Laboratório da página 161 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: Relatório da atividade prática.


- Interesse demonstrado.
- Desempenho na realização da atividade laboratorial.

Complemento

Anotações

44
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

A Terra conta a sua história

Sumário

Processos de fossilização. Moldagem, mineralização e conservação.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a importância dos fósseis para a reconstituição da história da Terra.


 Relacionar a formação de fósseis com as condições físicas, químicas e biológicas dos respetivos ambientes.
 Ordenar acontecimentos relativos a processos de fossilização, de acordo com a sequência em que estes
ocorreram na Natureza.

Questões

O que é a fossilização?
Como fossilizam os organismos?
O que é a moldagem?
O que é a mineralização?
O que é a conservação?

Conceitos

Fossilização
Moldagem
Molde externo
Molde interno
Mineralização
Conservação

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, M2 – Processos de fossilização.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, M2 – Processos de fossilização.
Resolução das Questões das páginas 164, 165 e 168 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

45
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

A Terra conta a sua história

Sumário

Processos de fossilização

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a importância dos fósseis para a reconstituição da história da Terra.


 Explicar os diversos processos de fossilização, recorrendo a atividades práticas.

Questões

É possível simular um processo de fossilização?


O que é a fossilização por moldagem?
O que é a fossilização por conservação?

Conceitos

Fossilização
Moldagem
Conservação

Atividades

Realização da atividade Laboratório das páginas 167 e 168 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: Relatório da atividade prática.


- Interesse demonstrado.
- Desempenho na realização da atividade laboratorial.

Complemento

Anotações

46
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

A Terra conta a sua história

Sumário

Reconstituição dos ambientes do passado. Fósseis de ambiente e fósseis de idade.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender a importância dos fósseis para a reconstituição da história da Terra.


 Explicar o contributo do estudo dos fósseis para a reconstituição da história da vida na Terra.

Questões

Qual a importância dos fósseis para o conhecimento dos ambientes passados e para a reconstituição da história
da Terra?

Conceitos

Ambiente antigo (paleoambiente)


Fóssil de ambiente
Fóssil de idade

Atividades

Realização da pesquisa proposta no e-Portefólio, na página 169 do manual.


Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, M3 – Reconstituição dos ambientes do passado.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, M3 – Reconstituição dos ambientes do passado.
Resolução das Questões das páginas 170 e 171 do manual.
Construção do Mapa de Conceitos sugerido na página 172 do manual.
Resolução da atividade Avalia o que sabes, das páginas 173 e 174 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Pesquisa e resumo realizados.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões. Nível de execução de trabalhos de casa.

Complemento

Caderno do Aluno: resolução da Atividade 21 – Fósseis do Baixo Mondego

Anotações

Mapa de conceitos disponível em formato digital.

47
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

A Terra conta a sua história

Sumário

O tempo geológico. A datação das rochas. Datação numérica e datação relativa.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender as grandes etapas da história da Terra.


 Sistematizar informação, em formatos diversos, sobre o conceito de tempo.
 Distinguir tempo histórico de tempo geológico, com base em documentos diversificados.
 Distinguir datação relativa de datação radiométrica.

Questões

O que é o tempo geológico?


Qual a diferença entre tempo geológico e tempo histórico?
O que é e para que serve a datação das rochas?
O que é a datação numérica?
O que é a datação relativa?

Conceitos

Tempo geológico
Tempo histórico
Datação numérica
Datação relativa

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, N1 – O tempo geológico.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, N1 – O tempo geológico.
Resolução das Questões das páginas 175 e 176 do manual.
Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, N2 – A datação das rochas.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, N2 – A datação das rochas.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

48
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

A Terra conta a sua história

Sumário

Datação relativa das rochas

Objetivos gerais / Descritores

Compreender as grandes etapas da história da Terra.


 Explicar o conceito de datação relativa, com base nos princípios do raciocínio geológico e com recurso a uma
atividade prática laboratorial.

Questões

Como proceder para determinar a idade relativa das rochas?

Conceitos

Datação relativa
Coluna estratigráfica
Estrato sedimentar

Atividades

Realização da atividade Laboratório da página 178 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: Relatório da atividade prática.


- Interesse demonstrado.
- Desempenho na realização da atividade laboratorial.

Complemento

Anotações

49
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

A Terra conta a sua história

Sumário

Princípios do raciocínio geológico. Princípio da horizontalidade original. Princípio da sobreposição dos estratos.
Princípio da identidade paleontológica. Princípio da interseção.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender as grandes etapas da história da Terra.


 Explicar o conceito de datação relativa, com base nos princípios do raciocínio geológico e com recurso a uma
atividade prática laboratorial.
 Distinguir datação relativa de datação radiométrica.

Questões

O que é e como se aplica o princípio da horizontalidade original?


O que é e como se aplica o princípio da sobreposição dos estratos?
O que é e como se aplica o princípio da identidade paleontológica?
O que é e como se aplica o princípio da interseção?

Conceitos

Princípio da horizontalidade original.


Princípio da sobreposição dos estratos.
Princípio da identidade paleontológica.
Princípio da interseção.

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, N2 – A datação das rochas.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, N2 – A datação das rochas.
Resolução das Questões das páginas 179 e 180 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Caderno do Aluno: resolução da Atividade 22 – Princípios de datação relativa

Anotações

50
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

A Terra conta a sua história

Sumário

As eras geológicas: Pré-Câmbrico, Paleozoico, Mesozoico e Cenozoica.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender as grandes etapas da história da Terra.


 Localizar as Eras geológicas numa Tabela Cronoestratigráfica.
 Localizar o aparecimento e a extinção dos principais grupos de animais e de plantas na Tabela
Cronoestratigráfica.

Questões

O que são eras geológicas?


Quais forma os acontecimentos marcantes do Pré-Câmbrico?
Quais forma os acontecimentos marcantes da era Paleozóica?
Quais forma os acontecimentos marcantes da era Mesozóica?
Quais forma os acontecimentos marcantes da era Cenozoica?
O que é uma tabela cronoestratigráfica?

Conceitos

Era geológica
Pré- Câmbrico
Era Paleozóica
Era Mesozóica
Era Cenozoica.
Tabela cronoestratigráfica

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, N3 – As eras geológicas.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, N3 – As eras geológicas.
Resolução das Questões das páginas 181, 182, 183, 184 e 185 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

51
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

A Terra conta a sua história

Sumário

Acontecimentos marcantes do passado.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender as grandes etapas da história da Terra.


 Localizar o aparecimento e a extinção dos principais grupos de animais e de plantas na Tabela
Cronoestratigráfica.
 Inferir as consequências das mudanças cíclicas dos subsistemas terrestres (atmosfera, biosfera, geosfera,
hidrosfera) ao longo da história da Terra, com base em documentos diversificados.

Questões

Que acontecimentos marcaram a história da Terra e quais as suas consequências?


Porque razão foram marcantes as glaciações?
Porque razão foram marcantes as transgressões e as regressões marinhas?
Porque razão foram marcantes as extinções em massa? E a evolução?
Porque razão foi marcante a mobilidade das placas litosféricas?

Conceitos

Glaciação
Transgressão marinha
Regressão marinha
Extinção em massa
Evolução
Placa litosférica

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, N4 – Acontecimentos marcantes do passado.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, N4 – Acontecimentos marcantes do passado.
Resolução das Questões da página 187 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

52
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

A Terra conta a sua história

Sumário

Ambientes geológicos do passado.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender as grandes etapas da história da Terra.


 Caracterizar ambientes geológicos passados, através de uma atividade prática de campo.

Questões

Como caracterizar os ambientes geológicos do passado?

Conceitos

Ambiente geológico

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, N5 – Ambientes geológicos do passado.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, N5 – Ambientes geológicos do passado.
Resolução das Questões da página 190 do manual.
Realização da atividade Campo da página do manual.
Construção do Mapa de Conceitos sugerido na página 193 do manual.
Resolução da atividade Avalia o que sabes, das páginas 194 e 195 do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Mobilização de saberes.


- Interesse demonstrado. Desempenho na realização da atividade de campo.
- Qualidade da participação nas atividades. Relatório da atividade de campo.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões. Nível de execução de trabalhos de casa.
- Criatividade.

Complemento

Anotações

Mapa de conceitos disponível em formato digital.

53
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Ciência geológica e sustentabilidade da vida na Terra

Sumário

Conhecimento geológico e sustentabilidade da vida na Terra. Atividades humanas e processos geológicos.


Ambiente geológico e saúde.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender o contributo do conhecimento geológico para a sustentabilidade da vida na Terra.


 Associar as intervenções do ser humano aos impactes nos processos geológicos (atmosfera, hidrosfera e
litosfera).
 Relacionar o ambiente geológico com a saúde e a ocorrência de doenças nas pessoas, nos animais e nas
plantas que vivem nesse mesmo ambiente.

Questões

O que são processos geológicos?


Quais os impactes das atividades humanas nos processos geológicos?
O que é a Geologia Ambiental?
Qual a influência do ambiente geológico na saúde?
O que é a Geologia Médica?

Conceitos

Processos geológicos Ambiente geológico


Atividade humana Geologia Médica
Geologia Ambiental

Atividades

Realização da pesquisa proposta no e-Portefólio, na página 199 do manual.


Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, O1 – Atividades humanas e processos geológicos.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, O1 – Atividades humanas e processos geológicos.
Resolução das Questões da página 199 do manual.
Realização da pesquisa proposta no e-Portefólio, na página 200 do manual.
Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, O2 – Ambiente geológico e saúde.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, O2 – Ambiente geológico e saúde.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Pesquisa e resumo realizados.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Anotações

54
Agrupamento / Escola

Plano da aula n.o Turma Data

Domínio

TERRA EM TRANSFORMAÇÃO

Subdomínio

Ciência geológica e sustentabilidade da vida na Terra

Sumário

Crescimento populacional e sustentabilidade. A geologia, a tecnologia e a sociedade.

Objetivos gerais / Descritores

Compreender o contributo do conhecimento geológico para a sustentabilidade da vida na Terra.


 Extrapolar o impacte do crescimento populacional no consumo de recursos, no ambiente e na
sustentabilidade da vida na Terra.
 Referir três tipos de respostas (tecnológicas, socioeconómicas e educativas) a problemas de geologia
ambiental.
 Explicar o modo como as relações entre a geologia, a tecnologia e a sociedade.

Questões

Qual o impacte do crescimento populacional no consumo de recursos, no ambiente e na sustentabilidade da


vida na Terra? O que é o desenvolvimento sustentável?
Que respostas podem ser dadas pela Geologia Ambiental aos impactes ambientais das atividades humanas?
Que relações entre a Geologia, a tecnologia e a sociedade?

Conceitos

Crescimento populacional Geologia


Desenvolvimento sustentável Tecnologia
Impacte ambiental Sociedade

Atividades

Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, O3 – Crescimento populacional e sustentabilidade.


Exploração do Recurso interativo CienTIC7, O3 – Crescimento populacional e sustentabilidade.
Resolução das Questões da página 201 do manual.
Exploração da Apresentação electrónica CienTIC7, O4 – A Geologia, a tecnologia e a sociedade.
Exploração do Recurso interativo CienTIC7, O4 – A Geologia, a tecnologia e a sociedade..
Resolução das Questões da página 203 do manual.
Construção do Mapa de Conceitos sugerido na página 204 do manual.
Resolução da atividade Avalia o que sabes, da página 205 e das páginas 206 e 207 (Prova global) do manual.

Avaliação

Observação direta dos alunos: - Criatividade.


- Interesse demonstrado. - Mobilização de saberes.
- Qualidade da participação nas atividades. Nível de execução de trabalhos de casa.
- Capacidade crítica e aporte de opiniões.

Complemento

Caderno do Aluno: resolução das Atividades 23 e 24 - Fichas formativas básica e de aprofundamento

Anotações

55