Você está na página 1de 4

AlfaCon Concursos Públicos

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
ÍNDICE
Sistema Prisional Brasileiro................................................................................................................................2
Sistema Penitenciário Federal ..........................................................................................................................................2
Diretoria do Sistema Penitenciário Federal ...................................................................................................................2
Regime Adotado ................................................................................................................................................................2
População Carcerária no Brasil .......................................................................................................................................3

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
1
AlfaCon Concursos Públicos

Sistema Prisional Brasileiro


O advento do modelo neoliberal e a crise do estado do bem-estar social diminuem os investi-
mentos em políticas sociais, pois estabelecem no mercado e, não, na dignidade humana, seu princí-
pio norteador. Além disso, privatizam setores fundamentais das economias nacionais.
O modelo de política criminal dominante é a “tolerância zero”, caracterizada por um número
crescente de prisões, como também do cerco policial sobre as áreas pobres das periferias e favelas.
Nesse novo cenário, as políticas repressivas ao crime substituem as políticas preventivas da crimina-
lidade.
A crise do sistema penitenciário do Brasil reflete a incapacidade dos Governos em assumir o
gerenciamento das unidades prisionais como ambientes de reeducação e recuperação social. Pelo
contrário, são espaços da desumanização dos indivíduos, forçados a conviver com as condições in-
salubres: espaço físico limitado, ausência de higiene, inúmeras doenças, e a precariedade de acesso à
Justiça e aos direitos fundamentais, previstos nos tratados internacionais, na Constituição Brasileira
de 1988 e na Lei de Execução Penal.

Sistema Penitenciário Federal


Previsto na Lei de Execução Penal, nº 7.210, de 11 de julho de 1984 e implementado em 2006,
depois da reestruturação do Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN), consiste na constru-
ção de unidades penitenciárias de segurança máxima no Brasil, com o objetivo de abrigar os presos
de alta periculosidade que possam comprometer a ordem e a segurança nos seus Estados de origem.
Finalidade: ser o gestor e fiscalizador das Penitenciárias Federais já construídas e a construir.
O Sistema Penitenciário Federal é constituído pelos estabelecimentos penais federais, subordina-
dos ao DEPEN do Ministério da Justiça.

Diretoria do Sistema Penitenciário Federal


A Diretoria do Sistema Penitenciário Federal é responsável pela gestão do Sistema Penitenciário
Federal e tem, em sua estrutura, a Coordenação-Geral de Inclusão, Classificação e Remoção, Coor-
denação-Geral de Tratamento Penitenciário, Coordenação-Geral de Informação e Inteligência Peni-
tenciária, Corregedoria-Geral e as Penitenciárias Federais.
As penitenciárias federais do Brasil, cada uma com capacidade para 208 presos, apresentam o
que há de mais moderno no sistema de vigilância em presídios. Há, por exemplo, equipamentos que
identificam drogas e explosivos nas roupas dos visitantes, detectores de metais, câmeras escondidas,
sensores de presença, entre outras tecnologias. Cada preso é confinado em celas individuais, sendo
monitorado 24 horas por dia, por um circuito de câmeras em tempo real.

Regime Adotado
O regime adotado nas penitenciárias federais é o de total confinamento, por 24 horas diárias.
Isso se soma ao fato de que essas unidades devem servir para abrigar presos que, supostamente,
representam risco para a segurança e para a ordem. Tais características permitem classificar tais
unidades como Supermaxes. Elas se diferenciam dos Centros de Reabilitação Penitenciária porque
estes abrigam presos submetidos ao RDD ou Regime Disciplinar Diferenciado, cujo caráter é ni-
tidamente disciplinar. As penitenciárias federais poderiam ser caracterizadas como unidades de
detenção administrativa, porque a inclusão nelas resultaria de objetivos estratégicos e conveniência
administrativa.
Inicialmente, foram previstas as construções de 05 (cinco) estabelecimentos prisionais no Brasil:
˃ Penitenciária Federal de Catanduvas - Paraná (inaugurada em 23 de junho 2006).
Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
2
AlfaCon Concursos Públicos

˃ Penitenciária Federal de Campo Grande - Mato Grosso do Sul (inaugurada em 21 de dezembro


de 2006).
˃ Penitenciária Federal de Porto Velho - Rondônia (inaugurada em 19 de junho de 2009).
˃ Penitenciária Federal de Mossoró - Rio Grande do Norte (inaugurada dia 3 de julho de 2009).
˃ Penitenciária Federal de Brasília - Distrito Federal (em construção).

População Carcerária no Brasil


A nova população carcerária brasileira é de 711.463 presos. Os números apresentados pelo
Conselho Nacional de Justiça (CNJ) a representantes dos Tribunais de Justiça brasileiros, nesta quar-
ta-feira (4/6), levam em conta as 147.937 pessoas em prisão domiciliar. Para realizar o levantamento
inédito, o CNJ consultou os juízes responsáveis pelo monitoramento do sistema carcerário dos 26
Estados e do Distrito Federal. De acordo com os dados anteriores do CNJ, que não contabilizavam
prisões domiciliares, em maio deste ano, a população carcerária era de 563.526.
“Até hoje, a questão carcerária era discutida em referenciais estatísticos que precisavam ser
revistos. Temos de considerar o número de pessoas em prisão domiciliar, no cálculo da população
carcerária”, afirmou o supervisor do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema
Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas (DMF/CNJ), conselheiro Gui-
lherme Calmon. A prisão domiciliar pode ser concedida pela Justiça a presos de qualquer um dos
regimes de prisão – fechado, semiaberto e aberto. Para requerer o direito, a pessoa pode estar cum-
prindo sentença ou aguardando julgamento em prisão provisória. Em geral, a prisão domiciliar é
concedida a presos com problemas de saúde, que não podem ser tratados na prisão, ou quando não
há unidade prisional própria para o cumprimento de determinado regime, como o semiaberto, por
exemplo.
Provisórios – Além de alterar a população prisional total, a inclusão das prisões domiciliares,
no total da população carcerária, também derruba o percentual de presos provisórios (aguardando
julgamento) no País, que passa de 41% para 32%. Em Santa Catarina, a porcentagem cai de 30% para
16%, enquanto em Sergipe, passa de 76% para 43%. 
Ranking – Com as novas estatísticas, o Brasil passa a ter a terceira maior população carcerária
do mundo, segundo dados do ICPS, sigla em inglês para Centro Internacional de Estudos Prisionais,
do King’s College, de Londres. As prisões domiciliares fizeram o Brasil ultrapassar a Rússia, que tem
676.400 presos.
Déficit – O novo número também muda o déficit atual de vagas no sistema, que é de 206 mil,
segundo os dados mais recentes do CNJ. “Considerando as prisões domiciliares, o déficit passa para
354 mil vagas. Se contarmos o número de mandados de prisão em aberto, de acordo com o Banco
Nacional de Mandados de Prisão (373.991), a nossa população prisional saltaria para 1,089 milhão
de pessoas.”
Ranking dos 10 países com maior população prisional
1. Estados Unidos da América 2.228.424
2. China 1.701.344
3. Rússia 676.400
4. Brasil 563.526
5. Índia 385.135
6. Tailândia 296.577
7. México 249.912
Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
3
AlfaCon Concursos Públicos

8. Irã 217.000
9. África do Sul 157.394
10. Indonésia 154.000
Ranking dos 10 países com maior população prisional (computadas as pessoas que estão em
prisão domiciliar no Brasil). Agora, o Brasil sobe para terceiro lugar: Brasil 711.463
EXERCÍCIOS
A prática punitiva dos povos passa constantemente por transformações, segundo a realidade
política e econômica vigente, a qual aponta, através de um regramento jurídico, os movimentos deste
sistema, ou seja, a vida neste ambiente, se haverá e quando haverá investimento na sua melhoria e
adequação à realidade e à necessidade.
Disponível em www.ambitojuridio.com

01. O sistema penitenciário brasileiro encontra inúmeras dificuldades, na atualidade, tendo em


vista, o total abandono por parte das autoridades responsáveis.
Certo ( ) Errado ( )
02. No momento em que o indivíduo perde sua liberdade pelo cometimento de um crime, ele
continua a ter direitos estabelecidos mundialmente, extrínsecos do ser humano, como da dig-
nidade da pessoa humana.
Certo ( ) Errado ( )
GABARITO
01 – CERTO
02 – ERRADO

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
4