Você está na página 1de 2

EXERCÍCIOS DE VISUALIZAÇÃO COM CORES

Exercício 1:
Durante a prática de relaxamento ou sentado em postura de meditação, faça uma
respiração completa. Ao inspirar, visualize a cor escolhida como se fosse uma infinita
quantidade de minúsculas esferas luminosas preenchendo o ar à sua volta. Acompanhe
esses pontos de luz colorida visualizando que eles penetram pelas narinas quando você
inspira, percorrendo os condutos respiratórios chegando até os pulmões. Então
visualize que os alvéolos absorvem a luz e que ela passa para o sangue, banhando seu
corpo por dentro e impregnando cada célula. Ao exalar imagine essa cor emanando
pelos poros, como um vapor brilhante. Imagine seu corpo irradiante e vibrando. Repita
por várias vezes.
Exercício 2:
Feche os olhos. Preste atenção à sua respiração. A respiração é a chave para o
relaxamento profundo. Não force. Respire suavemente pelo nariz e, caso não
consiga se acalmar e acalmar a sua respiração para que ela se torne profunda e
rítmica, tente respirar em quatro tempos, ou seja, inspire em quatro tempos
contando 1, 2, 3, 4, enquanto seus pulmões se enchem de ar. Segure um pouco e
conte até 4 novamente. Expire também em quatro tempos até esvaziar os
pulmões completamente e permaneça com eles vazios durante quatro segundos.
Você vai repetir este procedimento até que sua respiração se torne fácil e
profunda. Consequentemente você vai se sentir mais relaxado. Depois pare de
contar e respire no seu próprio ritmo.
Ainda com os olhos fechados visualize a cor adequada agindo diretamente sobre o
chakra e parte do corpo afetada e se deixe envolver inteiro pela cor. No caso das
cores vermelha, amarela e laranja, visualize um facho de luz de uma dessas cores
entrando pelos seus pés e coluna vertebral e subindo até a cabeça. Em seguida,
mentalize a cor descendo pelo seu corpo e parando sobre o chakra e parte do
corpo que esteja querendo tratar e então envolvendo todo o seu corpo. Em se
tratando das cores verde, azul, azul índigo e violeta, o caminho é inverso. Visualize
uma dessas cores entrando pelo sétimo chakra, no topo da sua cabeça e em
seguida descendo até seus pés. Mentalize a cor subindo pelo seu corpo e parando
sobre o chakra e parte do corpo que esteja querendo tratar e então irradia a cor
por todo o seu corpo até envolvê-lo por completo. Respire a cor. Sinta a cor
penetrando dentro de você em cada inspiração. Continue mentalizando a cor até
sentir que atingiu o efeito desejado, ou seja, até a dor passar, até você se sentir
mais calmo ou com mais energia, isso depende do caso específico.

Exercício 3:

Feche os olhos e mentalize as cores. O intuito aqui é equilibrar todos os chakras.


Comece pelo primeiro chakra, visualize uma esfera de cor vermelho vivo vindo na
direção do seu corpo até tocar o primeiro chakra na base da coluna. A esfera toca o
chakra e se funde com ele. Em seguida, imagine a esfera se expandindo até envolver
todo o seu corpo. Respire a cor. Inale o vermelho cada vez que você respira. Tente
sentir cada célula do seu corpo pulsando envolvida pela cor vermelha. Quando se
sentir pleno de vermelho, pare de visualizar esta cor e imagine uma esfera de cor
laranja vindo ao encontro do seu corpo até tocar o segundo chakra, abaixo do umbigo,
e se fundir com ele. E por aí vai…o mesmo procedimento para as cores: amarela, verde,
azul, índigo e violeta. Após ter visualizado todas as cores e ter se deixado envolver por
todas elas, imagine um facho de luz branca radiante, quase transparente, entrando
pelo alto da sua cabeça e descendo lentamente até os pés. A luz branca é a que vai
fixar o padrão de equilíbrio.
Exercício 4:
Imagine algo que você quer realizar. Depois imagine que isso já aconteceu.
Represente mentalmente o seu desejo da forma mais clara que puder.
Envolva mentalmente a sua fantasia com um bolha cor-de-rosa. Faça com que a sua meta fique
dentro dessa bolha.
O rosa é a cor associada ao coração. Portanto, se as vibrações dessa cor circundarem o que
quer que você tenha visualizado, elas levarão até você apenas o que estiver em perfeita
harmonia com o seu ser.
O terceiro passo desse processo é soltar a bolha e imaginá-la flutuando pelo Universo afora,
ainda contendo dentro de si apenas o que havia visualizado.
O significado simbólico desse ato é o de “soltá-la” emocionalmente.
A partir desse momento, ela estará livre para flutuar de um lado para o outro do Universo,
atraindo e acumulando energia para a sua manifestação.