Você está na página 1de 9

www.cers.com.

br 1
OBRIGAÇÕES

1 - (FGV – OAB - Exame de Ordem Unificado - XVIII - Primeira Fase) Joana e suas quatro irmãs, para come-
morar as bodas de ouro de seus pais, contrataram Ricardo para organizar a festa. No contrato ficou acor-
dado que as cinco irmãs arcariam solidariamente com todos os gastos. Ricardo, ao requerer o sinal de
pagamento, previamente estipulado no contrato, não obteve sucesso, pois cada uma das irmãs informava
que a outra tinha ficado responsável pelo pagamento.Ainda assim, Ricardo cumpriu sua parte do acordado.
Ao final da festa, Ricardo foi até Joana para cobrar pelo serviço, sem sucesso. Sobre a situação apresen-
tada, assinale a afirmativa correta.

A) Se Ricardo resolver ajuizar demanda em face somente de Joana, as outras irmãs, ainda assim, permanecerão
responsáveis pelo débito.
B) Se Joana pagar o preço total do serviço sozinha, poderá cobrar das outras, ficando sem receber se uma delas
se tornar insolvente.
C) Se uma das irmãs de Joana falecer deixando dois filhos, qualquer um deles deverá arcar com o total da parte de
sua mãe.
D) Ricardo deve cobrar de cada irmã a sua quota-parte para receber o total do serviço, uma vez que se trata de
obrigação divisível.

2 - (FGV – OAB - Exame de Ordem Unificado - XVIII - Primeira Fase) Vitor e Paula celebram entre si, por
escritura particular levada a registro em cartório de títulos e documentos, contrato de mútuo por meio do
qual Vitor toma emprestada de Paula a quantia de R$ 10.000,00, obrigando-se a restituir o montante no prazo
de três meses.

Em garantia da dívida, Vitor constitui em favor de Paula, por meio de instrumento particular, direito real de penhor
sobre uma joia de que é proprietário. Vencido o prazo estabelecido para o pagamento da dívida, Vitor procura Paula
e explica que não dispõe de dinheiro para quitar o débito.

Propõe então que, em vez da quantia devida, Paula receba, em pagamento da dívida, a propriedade da coisa em-
penhada. Assinale a opção que indica a orientação correta a ser transmitida a Paula.

A) Para ter validade, o acordo sugerido por Vitor deve ser celebrado mediante escritura pública.
B) O acordo sugerido por Vitor não tem validade, uma vez que constitui espécie de pacto proibido pela lei.
C) Para ter validade, o acordo sugerido deve ser homologado em juízo.
D) O acordo sugerido por Vitor é válido, uma vez que constitui espécie de pacto cuja licitude é expressamente
reconhecida pela lei.

3 - (FGV – OAB - Exame de Ordem Unificado - XVIII - Primeira Fase) Renato é proprietário de um imóvel e o
coloca à venda, atraindo o interesse de Mário. Depois de algumas visitas ao imóvel e conversas sobre o seu
valor, Renato e Mário, acompanhados de corretor, realizam negócio por preço certo, que deveria ser pago
em três parcelas:

a primeira, paga naquele ato a título de sinal e princípio de pagamento, mediante recibo que dava o negócio por
concluído de forma irretratável; a segunda deveria ser paga em até trinta dias, contra a exibição das certidões
negativas do vendedor; a terceira seria paga na data da lavratura da escritura definitiva, em até noventa dias a
contar do fechamento do negócio.

Antes do pagamento da segunda parcela, Mário celebra, com terceiros, contratos de promessa de locação do imóvel
por temporada, recebendo a metade de cada aluguel antecipadamente. Renato, ao tomar conhecimento de que
Mário havia celebrado as promessas de locação por temporada, percebeu que o imóvel possuía esse potencial de
exploração. Em virtude disso, Renato arrependeu-se do negócio e, antes do vencimento da segunda parcela do
preço, notificou o comprador e o corretor, dando o negócio por desfeito. Com base na hipótese formulada, assinale
a afirmativa correta.

A) O vendedor perde o sinal pago para o comprador, porém nada mais lhe pode ser exigido, não sendo devida a
comissão do corretor, já que o negócio foi desfeito antes de aperfeiçoar-se.

www.cers.com.br 2
B) O vendedor perde o sinal pago para o comprador, porém nada mais lhe pode ser exigido pelo comprador. Con-
tudo, é devida a comissão do corretor, não obstante o desfazimento do negócio antes de aperfeiçoar-se.
C) O vendedor perde o sinal pago e o comprador pode exigir uma indenização pelos prejuízos a que a desistência
deu causa, se o seu valor superar o do sinal dado, não sendo devida a comissão do corretor, já que o negócio foi
desfeito antes de aperfeiçoar-se.
D) O vendedor perde o sinal pago e o comprador pode exigir uma indenização pelos prejuízos a que a desistência
deu causa, se o seu valor superar o do sinal dado, sendo devida a comissão do corretor, não obstante o desfazi-
mento do negócio antes de aperfeiçoar-se.

4 - (FGV – OAB - Exame de Ordem Unificado - XVII - Primeira Fase) Gilvan (devedor) contrai empréstimo com
Haroldo (credor) para o pagamento com juros do valor do mútuo no montante de R$ 10.000,00. Para facilitar
a percepção do crédito, a parte do polo ativo obrigacional ainda facultou, no instrumento contratual firmado,
o pagamento do montante no termo avençado ou a entrega do único cavalo da raça manga larga marchador
da fazenda, conforme escolha a ser feita pelo devedor. Ante os fatos narrados, assinale a afirmativa correta.

A) Trata-se de obrigação alternativa.


B) Cuida-se de obrigação de solidariedade em que ambas as prestações são infungíveis.
C) Acaso o animal morra antes da concentração, extingue-se a obrigação.
D) O contrato é eivado de nulidade, eis que a escolha da prestação cabe ao credor.

5 - (FGV – OAB - Exame de Ordem Unificado - XVII - Primeira Fase) Carlos Pacheco e Marco Araújo, advoga-
dos recém-formados, constituem a sociedade P e A Advogados. Para fornecer e instalar todo o equipamento
de informática, a sociedade contrata José Antônio, que, apesar de não realizar essa atividade de forma
habitual e profissional, comprometeu-se a adimplir sua obrigação até o dia 20/02/2015, mediante o paga-
mento do valor de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) no ato da celebração do contrato. O contrato celebrado
é de natureza paritária, não sendo formado por adesão. A cláusula oitava do referido contrato estava assim
redigida:

“O total inadimplemento deste contrato por qualquer das partes ensejará o pagamento, pelo infrator, do valor de R$
50.000,00 (cinquenta mil reais)". Não havia, no contrato, qualquer outra cláusula que se referisse ao inadimplemento
ou suas consequências. No dia 20/02/2015, José Antônio telefona para Carlos Pacheco e lhe comunica que não vai
cumprir o avençado, pois celebrou com outro escritório de advocacia contrato por valor superior, a lhe render maio-
res lucros. Sobre os fatos narrados, assinale a afirmativa correta.

A) Diante da recusa de José Antônio a cumprir o contrato, a sociedade poderá persistir na exigência do cumprimento
obrigacional ou, alternativamente, satisfazer-se com a pena convencional.
B) A sociedade pode pleitear o pagamento de indenização superior ao montante fixado na cláusula oitava, desde
que prove, em juízo, que as perdas e os danos efetivamente sofridos foram superiores àquele valor.
C) A sociedade pode exigir o cumprimento da cláusula oitava, classificada como cláusula penal moratória, junta-
mente com o desempenho da obrigação principal.
D) Para exigir o pagamento do valor fixado na cláusula oitava, a sociedade deverá provar o prejuízo sofrido.

6 - (FGV - TJ-BA - Analista Judiciário - Subescrivão - Direito) Silvio, fazendeiro e criador de gado de leite,
arrendou um touro premiado para usar na reprodução de suas vacas leiteiras. Acontece que, apesar do zelo
com o qual cuidou do animal, fortes chuvas que atingiram a região causaram a destruição das benfeitorias
e morte de diversos animais, entre os quais o animal arrendado. É correto afirmar que, em decorrência desse
fato:

A) resolve-se o contrato, devendo Silvio indenizar o proprietário do touro, pagando-lhe tão somente o valor do ani-
mal;
B) resolve-se o contrato, devendo Silvio indenizar o proprietário do touro, pagando-lhe o correspondente ao valor
do animal e os lucros cessantes;
C) mantém-se o contrato, devendo o proprietário providenciar a reposição do animal arrendado, às suas expensas;
D) mantém-se o contrato, devendo o proprietário providenciar a reposição do animal arrendado, às expensas de
Silvio;
E) resolve-se o contrato, arcando o proprietário com o prejuízo decorrente da perda do touro.

www.cers.com.br 3
7 - (FGV – TCM-SP - Agente de Fiscalização - Ciências Jurídicas) Cuidando-se de obrigação indivisível em
que haja vários devedores, sendo inadimplente um deles, a cláusula penal de natureza pecuniária poderá
ser exigida pelo credor:

A) integralmente de cada um dos devedores;


B) proporcionalmente de cada um dos devedores, inclusive do devedor culpado;
C) integralmente de qualquer um dos devedores;
D) proporcionalmente, e somente do devedor culpado;
E) proporcionalmente de cada um dos devedores não culpado

8- (FGV – TJ-PI - Analista Judiciário -Escrivão Judicial) Joana, locatária do imóvel de Marcela, reiteradamente
efetua o pagamento mensal das despesas referentes à locação na sede da X Administradora de imóveis
LTDA. Não obstante, Marcela, ao longo de toda a execução contratual, enha prestado a quitação do paga-
mento feito pela inquilina, ela percebe que no termo de locação há a previsão de o pagamento se realizar no
domicílio do credor. Diante do ocorrido, caberá à interessada requerer:

A) a reexecução das prestações, em razão da mora de Joana, que efetuou o pagamento em local diferente do
avençado contratualmente;
B) a revisão contratual, a fim de adequar os termos da avença e atualizar o local onde o contrato deva ser cumprido
e o aluguel prestado;
C) a eficácia dos pagamentos, pois seria a hipótese de renúncia presumida do credor quanto ao local de cumpri-
mento da obrigação;
D) a alteração do local de cumprimento do contrato, pois em regra, no silêncio das partes, a lei determina que as
obrigações sejam cumpridas no domicílio do credor;
E) o desfazimento do contrato, pois com o cumprimento imperfeito, a conservação da locação tornou-se inútil aos
interesses da locadora.

9 - (FGV – TJ-PI - Analista Judiciário - Oficial de Justiça e Avaliador) Beatriz e Manuela celebraram um mútuo
de R$200. Beatriz, mutuante, disponibilizou o valor, e caberia a Manuela restituí-lo, integralmente, 30 dias
depois. Após 20 dias, Manuela efetua o pagamento no valor de R$100. Sobre a situação, é correto afirmar
que houve pagamento parcial:

A) e Beatriz é obrigada a computar o valor e emitir quitação plena;


B) mas Beatriz não é obrigada a aceitá-lo;
C) e Beatriz poderá exigir a complementação imediata do valor;
D) mas, se receber, Beatriz renuncia ao remanescente;
E) e Beatriz está autorizada a resolver a obrigação em perdas e danos.

10 - (FGV - DPE-DF - Analista - Assistência JudiciáriA) Vânia submeteu-se a uma intervenção cirúrgica na
qual, em decorrência da imperícia de Carlos, Vanessa e Fabrício, três médicos que participavam da opera-
ção, sofreu sérios danos físicos. Caracterizada a responsabilidade civil dos médicos em questão, pode-se
afirmar que a indenização:

A) tem que ser exigida separadamente de cada um dos autores do fato lesivo.
B) pode ser exigida apenas de um dos autores do fatos, isentando os demais da responsabilidade.
C) pode ser exigida apenas de dois dos autores, isentando o terceiro da responsabilidade.
D) pode ser exigida apenas de um dos autores, o qual exercerá direito regressivo perante os demais.
E) tem que ser exigida dos três autores dos fatos conjuntamente, cada qual na proporção de sua responsabilidade.

www.cers.com.br 4
CONTRATOS

1 - (FGV – OAB - Exame de Ordem Unificado - XVIII - Primeira Fase) Por meio de contrato verbal, João alugou
sua bicicleta a José, que se comprometeu a pagar o aluguel mensal de R$ 100,00 (cem reais), bem como a
restituir a coisa alugada ao final do sexto mês de locação.

Antes de esgotado o prazo do contrato de locação, João deseja celebrar contrato de compra e venda com Otávio,
de modo a transmitir imediatamente a propriedade da bicicleta. Não obstante a coisa permanecer na posse direta
de José, entende-se que

A) o adquirente Otávio, caso venda a bicicleta antes de encerrado o prazo da locação, deve obrigatoriamente de-
positar o preço em favor do locatário José.
B) João não pode celebrar contrato de compra e venda da bicicleta antes de encerrado o prazo da locação celebrada
com José.
C) é possível transmitir imediatamente a propriedade para Otávio, por meio da estipulação, no contrato de compra
e venda, da cessão do direito à restituição da coisa em favor de Otávio.
D) é possível transmitir imediatamente a propriedade para Otávio, por meio da estipulação, no contrato de compra
e venda, do constituto possessório em favor de Otávio.

2 - (FGV – CODEMIG - Advogado Societário) Júlio firmou contrato preliminar com Ricardo, para que este em
90 (noventA) dias criasse aplicativo a ser empregado na empresa de confecção daquele, visando à otimiza-
ção dos estoques de tecido, sem cláusula de arrependimento.

Ricardo apresentou o aplicativo a Júlio dentro do prazo estabelecido. Júlio, então, manifestando sua aceitação por
escrito, comprometeu-se a assinar o contrato principal, de prestação de serviços, em 30 (trintA) dias, o que não
ocorreu. Considerando as disposições contidas no Código Civil sobre o tema do contrato preliminar, é correto afirmar
que:

A) Júlio não está obrigado a firmar o contrato principal, pois não chegou a dar sinal de pagamento;
B) Ricardo considerará desfeito o contrato preliminar, promovendo ação judicial por perdas e danos;
C) Júlio poderá negar-se a assinar o contrato principal se comprovar fato relacionado à operacionalização do apli-
cativo;
D) Ricardo não poderá exigir a assinatura do contrato sem conceder a Júlio novo prazo de 30 (trintA) dias, impror-
rogáveis;
E) Júlio poderá deixar de firmar o contrato principal se efetivar o pagamento de multa cominatória correspondente
a no máximo 30% (trinta por cento) do valor constante do contrato preliminar.

3 - (FGV – TJ-PI - Analista Judiciário -Escrivão Judicial) Jacira adquiriu uma propriedade imóvel de Roberta.
Toda a documentação necessária foi conferida pelo registrador, e o negócio cumpriu as exigências regis-
trais que a lei impõe. Pouco tempo depois, Janaina reivindica o imóvel. Ela comprova a legitimidade do seu
direito e demonstra a fraude das escrituras obtidas por Roberta. Diante dessa situação:

A) Janaina não conseguirá de volta seu imóvel, pois Jacira é terceira de boa-fé, cabendo-lhe demandar perdas e
danos contra Roberta;
B) Jacira reterá o bem até que Janaina lhe restitua as despesas decorrentes da contratação celebrada com Roberta;
C) Roberta deverá repassar a Janaina o valor obtido com a venda do imóvel a Jacira;
D) Roberta não restituirá o valor a Jacira, pois a avença atendeu às formalidades requeridas pela autoridade regis-
tradora;
E) Jacira, ainda que de boa-fé, perderá o imóvel para Janaina, cabendo-lhe, apenas, repetir os valores pagos a
Roberta.

4 – (FGV –TJ-PI - Analista Judiciário - Oficial de Justiça e Avaliador) Bárbara, publicitária, convence uma famosa
atriz a participar de uma campanha de divulgação de um modelo Y de veículo. Entretanto, essa atriz é a

www.cers.com.br 5
estrela de um comercial publicitário do modelo F de veículo, concorrente da cliente de Bárbara. Diante do
ocorrido, verifica-se que a conduta de Bárbara:

A) pelo princípio da relatividade dos contratos, é indiferente quanto à relação contratual existente entre a atriz e a
fabricante concorrente do modelo F;
B) pelo princípio da autonomia contratual, não enseja qualquer responsabilidade para seu cliente, do modelo Y,
caso a contratação da atriz viole interesse jurídico da concorrente, do modelo F;
C) pelo princípio da função social, pode determinar a responsabilidade da sua cliente, do modelo Y, pela violação
por terceiros do contrato celebrado com a concorrente, do modelo F;
D) pelo princípio da obrigatoriedade, não vincula a sua cliente, do modelo Y, a responder pelos danos causados à
concorrente, do modelo F, em razão da violação do contrato pela atriz;
E) pelo princípio da publicidade, só vincula a sua cliente, do modelo Y, caso tenha se tenha registrado o contrato,
independentemente do seu conhecimento notório.

5. (FGV - Prefeitura de Niterói – RJ - Fiscal de Tributos) Firmino adquiriu uma casa no bairro Fonseca, em
área fechada, abrangida pela associação de moradores denominada MORAR BEM. No local há uma guarita
com uma cancela e quatro porteiros, que são pagos pela associação e que se revezam trabalhando na se-
gurança do local. A área é mantida sempre limpa por três funcionários contratados pela associação.

Todos os moradores do local pagam uma taxa de manutenção de cento e oitenta reais mensais, que bastam para
o pagamento das despesas. Ocorre que Firmino se recusa a pagar a referida taxa. Nesse caso, é correto afirmar
que:

A) para fins de evitar locupletamento sem causa de Firmino, é viável a cobrança judicial da taxa pela associação;
B) pelo princípio da solidariedade, é viável a cobrança judicial da taxa pela associação;
C) por ser absolutamente ilegal, não há obrigação de Firmino pagar a taxa;
D) por ter previsão legal expressa, é viável a cobrança judicial da taxa pela associação;
E) por não ter aderido expressamente à associação, não há obrigação de Firmino pagar a taxa.

6 - (FGV - Prefeitura de Cuiabá – MT - Auditor Fiscal Tributário da Receita Municipal) Acerca dos dispositivos
do Código Civil de 2002 destinados à disciplina jurídica dos contratos, assinale a afirmativa correta.

A) A autonomia privada dos contratantes é maior no caso de contratos atípicos, porque não há exigência legal de
observância da função social do contrato, prevista para os contratos típicos.
B) Nos contratos de adesão regulados pelo Código Civil, é válida a cláusula que prevê a renúncia antecipada do
aderente a direitos resultantes da natureza do negócio.
C) Os contratos entre ausentes não se tornam perfeitos se, antes da aceitação, ou juntamente com ela, chegar ao
proponente a retratação do aceitante.
D) É válido o contrato celebrado entre Luísa e André para transferência do patrimônio integral da primeira para o
segundo, com eficácia postergada para depois da morte de Luísa.
E) A liberdade de contratar nos contratos atípicos é absoluta no direito brasileiro, por força do consagrado princípio
de que os pactos devem ser cumpridos (pacta sunt servandA)

7 - (FGV - DPE-DF - Analista - Assistência JudiciáriA) Arlindo locou uma máquina de cortar grama para seu
vizinho por seis meses. Acontece que desde o primeiro mês, seu vizinho se recusou a pagar o valor do
aluguel, o que motivou Arlindo a extinguir o contrato. Essa modalidade de extinção contratual se denomina:

A) resilição.
B) rescisão.
C) revogação.
D) denúncia.
E) distrato.

www.cers.com.br 6
8. (FGV - DPE-DF - Analista - Assistência JudiciáriA) Cícero enviou proposta de celebração de contrato de
prestação de serviços para Célio, estabelecendo um prazo de cinco dias para a resposta. Fez constar da
proposta que o contrato estará celebrado na hipótese de Célio deixar de emitir resposta no prazo assinalado.
Caso Célio realmente não responda à proposta, pode- se afirmar que:

A) não houve formação do contrato.


B) houve formação do contrato em decorrência da manifestação presumida da vontade de Célio.
C) houve formação do contrato em decorrência da manifestação tácita da vontade de Célio.
D) houve formação do contrato em decorrência da manifestação expressa da vontade de Célio.
E) apesar da formação do contrato em virtude da manifestação tácita da vontade, o negócio é relativamente ineficaz
perante Célio.

9 - (FGV - OAB - Exame de Ordem Unificado - XIII - Primeira Fase) Questão 37 Pedro, menor impúbere, e
sem o consentimento de seu representante legal, celebrou contrato de mútuo com Marcos, tendo este lhe
entregue a quantia de R$400,00, a fim de que pudesse comprar uma bicicleta. A respeito desse caso, assi-
nale a afirmativa incorreta.

A) O mútuo poderá ser reavido somente se o representante legal de Pedro ratificar o contrato.
B) Se o contrato tivesse por fim suprir despesas com a própria manutenção, o mútuo poderia ser reavido, ainda que
ausente ao ato o representante legal de Pedro.
C) Se Pedro tiver bens obtidos com o seu trabalho, o mútuo poderá ser reavido, ainda que contraído sem o consen-
timento do seu representante legal.
D) O mútuo também poderia ser reavido caso Pedro tivesse obtido o empréstimo maliciosamente.

10 - (FGV - DPE-RO - Analista da Defensoria Pública - Analista Jurídico) Fernanda celebrou contrato de conta
corrente com determinada entidade bancária. Ao receber o instrumento do contrato ao qual aderiu, percebeu
algumas ambiguidades e contradições em determinadas cláusulas relativas às tarifas bancárias. É correto
afirmar, nesse caso, que:

A) as mencionadas cláusulas contratuais devem ser interpretadas mais favoravelmente a Fernanda;


B) as mencionadas cláusulas contratuais devem ser interpretadas mais favoravelmente à entidade bancária;
C) o contrato é nulo;
D) o contrato é juridicamente inexistente;
E) as mencionadas cláusulas contratuais serão nulas de pleno direito.

www.cers.com.br 7
GABARITO OBRIGAÇÕES:

1.A
2.D
3.D
4.A
5.A
6.E
7.E
8.C
9.B
10.D

GABARITO CONTRATOS:

1.C
2.B
3.E
4.C
5.E
6.C
7.B
8.A
9.A
10.A

www.cers.com.br 8
www.cers.com.br 9