Você está na página 1de 2

Atividades Nesses versos, o flagrante apelo aos sentidos 05.

Leia os trechos abaixo e os relacione às figuras


humanos, que se misturam e se confundem no de linguagem predominantes:
efeito emocional que provocam no leitor,
caracteriza figura de harmonia altamente (A)
"É como mergulhar num rio e não se molhar" expressiva: E ouvi-a na sombra funda
(Skank); A. Metonímia Responder que assim fazia
"Tristeza não tem fim, felicidade sim" B. Anacoluto Para dar uma esperança
(Vinícius de Moraes). C. Hipérbato Mais triste ao fim do meu dia.
01. As frases acimas são exemplos de: D. Sinestesia (Manuel Bandeira, A Estrela)
E. Aliteração
A. Antítese e Zeugma (B)
B. Paradoxo e Paradoxo 04. No poema abaixo, quais figuras de linguagem É tão certo quanto o calor do fogo
C. Paradoxo e Antítese pode ser observadas? Destaque com exemplos. É tão certo quanto o calor do fogo
D. Antítese e Antítese Eu já não tenho escolha
E. Zeugma e Paradoxo Amor é fogo que arde sem se ver E participo do seu jogo
Eu participo
"Aquele ser desprovido de inteligência era como Amor é fogo que arde sem se ver; Não consigo dizer se é bom ou mal
palhaço: não queria saber de nada, só contava piada É ferida que dói e não se sente; Assim como o ar me parece vital
e fazia graça até que todos morressem de rir. Era É um contentamento descontente; (Capital Inicial, Fogo)
uma situação difícil, até uma porta pensa mais que É dor que desatina sem doer;
ele!". (C)
02. O texto possui as seguintes figuras: É um não querer mais que bem querer; Pensem nas crianças
É solitário andar por entre a gente;
Mudas telepáticas
A. Eufemismo - Comparação - Hipérbole - É nunca contentar-se de contente;
Pensem nas meninas
Personificação É cuidar que se ganha em se perder;
Cegas inexatas
B. Zeugma - Metáfora - Hipérbole - Pensem nas mulheres
Personificação É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor; Rotas alteradas
C. Eufemismo - Metáfora - Hipérbole - Pensem nas feridas
Personificação É ter com quem nos mata lealdade.
Como rosas cálidas
D. Metonímia - Comparação - Hipérbole - Mas oh não se esqueçam
Mas como causar pode seu favor
Personificação Da rosa da rosa
Nos corações humanos amizade,
E. Nenhuma das alternativas corresponde às Da rosa de Hiroxima
se tão contrário a si é o mesmo Amor?
figuras do texto. A rosa hereditária
(Camões)
A rosa radioativa
03. (FUVEST) ___________________________________________________________ Estúpida e inválida
“Tarde de olhos azuis e seios morenos. A rosa com cirrose
___________________________________________________________
Ó tarde linda, ó tarde doce que se admira, A antirrosa atômica
___________________________________________________________
Como uma torre de pérolas e safira Sem cor sem perfume
Ó tarde como quem tocasse violino.” ___________________________________________________________
Sem rosa sem nada.
(Emiliano Perneta) ___________________________________________________________ (Vinícius de Moraes, Rosa de Hiroshima)
__________________________________________________________
(D) 07. (UFU) Cada frase abaixo possui uma figura de a) metalinguagem, que consiste em fazer a
Esta chuvinha de água viva esperneando luz e ainda linguagem. Assinale aquela que não está classificada linguagem referir-se à própria linguagem.
com gosto de mato longe, meio baunilha, meio corretamente: b) intertextualidade, na qual o texto retoma e
manacá, meio alfazema. reelabora outros textos.
(Mário de Andrade) a) O céu vai se tornando roxo e a cidade aos poucos c) ironia, que consiste em se dizer o contrário do
agoniza. (prosopopeia) que se pensa, com intenção crítica.
(E) b) "E ele riu frouxamente um riso sem alegria". d) denotação, caracterizada pelo uso das palavras
Uma noite longa (pleonasmo) em seu sentido próprio e objetivo.
Pruma vida curta c) Peço-lhe mil desculpas pelo que aconteceu. e) prosopopeia, que consiste em personificar coisas
Mas já não me importa (metáfora) inanimadas, atribuindo-lhes vida.
Basta poder te ajudar d) "Toda vida se tece de mil mortes." (antítese)
(Paralamas do Sucesso, Lanterna dos Afogados) e) Ele entregou hoje a alma a Deus. (eufemismo)
11. (UFSC 2012) Leia os provérbios (itens A e B) e a
(F) 09. (VUNESP) No trecho: “…dão um jeito de mudar citação (item C) abaixo.
Mudaram as estações, nada mudou o mínimo para continuar mandando o máximo”, a
Mas eu sei que alguma coisa aconteceu figura de linguagem presente é chamada: A. “A palavra é prata, o silêncio é ouro.”
Tá tudo assim, tão diferente B. “Os sábios não dizem o que sabem, os tolos não
a) metáfora sabem o que dizem.”
Se lembra quando a gente b) hipérbole C. “Há coisas que melhor se dizem calando.”
Chegou um dia a acreditar c) hipérbato (Machado de Assis)
Que tudo era pra sempre d) anáfora
Sem saber que o pra sempre sempre acaba e) antítese Com base na leitura acima, assinale a(s)
(Cássia Eller, Por enquanto) proposição(ões) CORRETA(S).
10. (ENEM-2004)
(G) 1. Em cada um dos provérbios observa-se um
Quando a Indesejada das gentes chegar Cidade grande paralelismo sintático, que ajuda a conferir ritmo ao
(Não sei se dura ou caroável), provérbio e favorece sua memorização.
talvez eu tenha medo. Que beleza, Montes Claros. 2. No provérbio (A) ocorrem duas metáforas.
Talvez sorria, ou diga: Como cresceu Montes Claros. 4. No provérbio (B) as orações “o que sabem” e “o
- Alô, iniludível! Quanta indústria em Montes Claros. que dizem” funcionam como adjetivos que
(Manuel Bandeira, Consoada) Montes Claros cresceu tanto, caracterizam, respectivamente, os sábios e os tolos.
ficou urbe tão notória, 8. Tanto o item A quanto o item C funcionam como
06. (VUNESP) Na frase: "O pessoal estão prima-rica do Rio de Janeiro, elogios à discrição.
exagerando, me disse ontem um camelô", que já tem cinco favelas 16. A frase de Machado de Assis contém um
encontramos a figura de linguagem chamada: por enquanto, e mais promete. pleonasmo, porque é um exagero dizer que se pode
falar calado.
a) silepse de pessoa (Carlos Drummond de Andrade) 32. No provérbio (B) temos a figura de linguagem
b) elipse paradoxo, porque é absurdo que os sábios tenham
c) anacoluto Entre os recursos expressivos empregados no texto, que se calar para que os tolos falem.
d) hipérbole destaca-se a
e) silepse de número