Você está na página 1de 64

Cartas e e-mails

Aplausos à BV Adeus ao jornalista


A Câmara Mu- Conrado Pereira

Divulgação ABI Online


nicipal do Recife ______________
Rodrigo Caixeta
aprovou, no dia
Do site www.abi.org.br
2 de maio, re-
querimento Na madrugada de 24 de maio,
Vânia Besse

do Vereador faleceu no Rio, aos 72 anos, o jorna-


Henrique lista Conrado Pereira, membro do do Brasil. Há cerca de 20 anos parti-
Leite, que so- Conselho Deliberativo e Secretário cipava intensamente da vida da ABI,
licita votos de da Diretoria de Assistência Social da à qual se associou em 1971 e onde
aplausos à re- Associação Brasileira de Imprensa foi Secretário da Diretoria, antes de
vista BOA VON- (ABI). Conrado estava fazendo tra- assumir a Secretaria da Diretoria de
TADE. O documen- tamento contra insuficiência renal. Assistência Social (DAS).
to destaca a publicação Ele recebeu as últimas homenagens Baiano da fronteira com o Piauí,
“pelo excelente conteúdo espiritual de amigos e familiares no Cemitério filho de lavradores, Conrado interes-
e ecumênico que coloca à disposi- do Caju. sou-se pela leitura ainda menino e foi
ção dos leitores de todo o País”. Na A carreira de Conrado no jor- morar com o padrinho, que prometera
justificativa, consta: “As iniciativas nalismo começou em 1960, como ajudá-lo nos estudos. No Rio de Ja-
da revista BOA VONTADE merecem estagiário da agência de notícias UPI. neiro, destacou-se pela atuação como
de toda esta Casa os mais firmes Passou, depois, pelas redações da TV repórter de O Dia, revolucionando a
aplausos e apoio”. Excelsior e da Rádio Tupi. Em 1963, filosofia editorial do jornal ao implan-
foi para o Jornal do Brasil e, três anos tar o noticiário de Economia em um
depois, para O Globo. Trabalhou 21 diário que dava ênfase às matérias
Um livro de conhecimento
anos como repórter político de O de Polícia.
Considero a BOA VONTADE
Dia, de onde saiu para ingressar na No dia 25 de maio, Conrado com-
mais que uma revista. É um livro
Tribuna da Imprensa e no Monitor pletaria 35 anos como associado da
de conhecimento, porque aborda
Mercantil. Foi um dos primeiros ABI. A Diretoria do Órgão aprovou
todas as problemáticas do mundo uma moção de pesar lamentando a
profissionais formados pelo Curso
moderno. A edição nº 211, por de Jornalismo da Faculdade Nacional perda do grande companheiro, de-
exemplo, está destacando a Copa de Filosofia, da antiga Universidade tentor de múltiplos talentos.
do Mundo, aqui-
lo que estamos
vivendo. É um por meio de matérias benizar a LBV
Liliane Cardoso

dos produtos que salutares que nos ensi- pelo belíssimo


divulgam nosso nam e ajudam a ser um trabalho. Com
País lá fora. A pu- cidadão melhor amanhã. os meus protes-
blicação aborda o (Luis Ernandes Silva, tos de elevada
desenvolvimento Professor Universitário estima e distinta
sustentável, lazer, e Coordenador do Cur- consideração,
esporte, enfim, to- so de Administração da subscrevendo-
dos os temas. Ela Universidade Luterana me, atenciosa-
tem uma utilida- do Brasil — Ulbra, de mente. (José
de enorme. Para Gravataí/RS). Aristodemo Pinotti, Secretário
quem não conhe- Municipal de Educação de São
ce, está perdendo; e para quem já Referência de qualidade Paulo/SP)
conhece, sabe das maravilhas que Tem esta a finalidade de agra-
a revista pode trazer em termos de decer à revista BOA VONTADE. A revista BOA VONTADE é
crescimento e desenvolvimento Aproveito a oportunidade para para- tudo de bom. Objetividade, clare-

 BOA VONTADE
Arquivo BV

Carolina Dutra
Reprodução RMTV

Reflexões Dr. Havelange Ministro do TCU


sobre Direito agradece Ubiratan Aguiar
Tributário “Profundamente sensibi-
lança livros
lizado, apresento ao prezado
Respeitado em todo o Brasil Em entrevista exclusiva, conce-
Presidente José de Paiva Netto
pelas relevantes contribuições dida à Rede Mundial de Televisão,
os meus agradecimentos pela
no campo do Direito, o ilustre o Ministro do Tribunal de Contas da
mensagem que me enviou por
jurista Dr. Ives Gandra da Silva União (TCU), Ubiratan Aguiar,
ocasião do meu 90º aniversá-
Martins recebeu o título de Pro- discutiu a Política para a Aplicação
rio natalício. Respeitosamente,
fessor honoris causa. A outorga do Fundo de Universalização dos
João Havelange.”
ocorreu no Centro Universitário Serviços de Telecomunicações
Unifieo (Fundação Instituto de (FUST). Na ocasião, enviou ao
Leio, regularmente, a revista
Ensino para Osasco). Diretor-Presidente da LBV, José
BOA VONTADE que, por sinal,
Ao ser saudado por repre- de Paiva Netto, dois livros de
a cada edição, fica mais bonita,
sentantes da LBV, agradeceu
com boas notícias e notáveis re- sua autoria: Idioma dos Pássaros
e aproveitou para autografar o
portagens. Parabéns a todos os que e Passageiro do Tempo. Nesta
livro Reflexões sobre Direito Tri- última obra, o Ministro escreveu:
fazem a linda revista. Um grande
butário, de sua autoria, ao Líder “Paiva Netto: na caminhada da
abraço a todos. (Pai Francisco de
da Instituição. “Ao Paiva Netto, vida convido-o para ser o grande
Osun, Presidente da Sociedade
fantástico defensor da vida. Com passageiro do tempo”.
Afro-Religiosa Ilé Asé iyá Osun,
apreço. Ives. 20/4/2006”. Em Idioma dos Pássaros, o
de São Paulo/SP)
escritor saudou o Jubileu de Ouro
Paiva Netto agradece do dirigente da LBV: “Paiva
za e informação Netto, a quem dedica 50 anos de
milhares de manifestações
de qualidade. sua vida ao exército da Legião
que chegam do Brasil e
No jornalismo da Boa Vontade, servindo com
do Exterior por ocasião
fala-se muito amor, a homenagem e o respeito
dos festejos de 50 anos de
em responsabi- do autor”.
trabalho na LBV.
lidade social, e
Damos seqüência à publicação
o Paiva Netto,
dos nomes daqueles que encami- Domingos de Souza Linhares
como grande
nharam suas homenagens ao nosso Netto; Dr. Julio Bom; Edelzita
profissional Presidente. Os demais serão con- Oliveira Silva; Edson Rodrigues
que é, tem se- templados nos próximos números de Freitas e família; Francisco de
guido à risca esse mandamento. da revista BOA VONTADE. Assis Periotto; Geraldo Paiva Rio
A BOA VONTADE é referência Porciúncula/RJ: Honório e família; Glória Arruda; Hilde-
de qualidade. (Roberto Gomes, Mudesto. Ribeirão Preto/SP: liano Alves da Silva; João Carlos
apresentador da TV Imigrantes Aníbal Moraes da Costa Filho. Santos de Carvalho; João Porti-
e graduando em Jornalismo no Rio de Janeiro/RJ: Agis Men- lho da Silva; Lícia Curvello; Luiz
Instituto de Educação Superior donça; Alan Lincon Barbosa Moreira Filho; Marco Antônio,
São Francisco de Assis, de Teófilo Amaral Paresqui; Célia Pimen- Paulo Estevão, Ivanilda Botelho
Otoni/MG) tel; Celina e Patrícia Pimentel; e Eliel Gonçalves Brum; Maria

BOA VONTADE 
Jovem e

Ivânia Beck
violência
causas e soluções
_________
Sarah Jane Dr. Haroldo Lopes e a apresentadora de TV Sônia Abrão

E
ste é o tema escolhido pelo e a violência — causas e soluções, hoje está esquecido, que é a Fé e,
psicanalista e colaborador lançado pela Editora Elevação, em principalmente, a família. Quero
do Departamento de Inves- 27 de abril, na capital paulista. mandar um abraço ao meu amigo
tigações sobre Narcóticos No lançamento estiveram per- Paiva Netto. Você é muito especial
(Denarc), Dr. Haroldo Lopes, para sonalidades que atuam no combate para nós e para o Brasil”.
seu novo livro, intitulado O jovem e na prevenção deste mal, as quais Visando promover a Paz, o au-
destacaram as ações de promoção tor destaca no último parágrafo do
humana e social desenvolvidas pela seu livro: “O escritor Paiva Netto
Legião da Boa Vontade. “Parabéns sempre enfatizou o que os Anjos
Ivânia Beck

pelo trabalho que a LBV sempre da Milícia Celeste disseram por


fez pelas crianças. É aí que come- ocasião do nascimento do Mestre
çam a prevenção e a formação de Jesus: ‘Paz na Terra aos Homens
brasileiros saudáveis, emocional e de Boa Vontade!’. Assim, bastaria
fisicamente. Também é isso que vai apenas a Boa Vontade, e a Paz
garantir o futuro do nosso País”, seria uma conseqüência”. Este
frisou a apresentadora de TV Sônia trecho foi também destacado na
Abrão. dedicatória que fez ao dirigente
A Vereadora Miriam Athiê tam- da Instituição: “Autógrafo difícil.
bém deu destaque à Obra, afirman- Pois sou grande admirador e
do que “a LBV faz um trabalho seguidor. Com respeito, Haroldo
muito importante. Além de realizar Lopes. Vide a última página”,
a inclusão social, leva algo que escreveu.

Auxiliadora Arruda Rodrigues; Alvarenga. Santa Rita do Sapucaí/ Santos; Camila e Rafael Lombardi
Maria de Jesus dos Santos Mello; MG: José Ferreira Sobrinho; Maria Santos; Clayton Ferreira; Daniel Ro-
Valter Gabriel dos Santos Mello Nair Silvério de Jesus. Santos/SP: Ju- cha; Débora Verdan; Denise Viotto;
e família; Ivan dos Santos Mello ventude Ecumênica da Boa Vontade Dr. Mário da Cruz; Dr. Siqueira e
e família; Maria Mariano de Faria de Deus. São Gonçalo/RJ: Ângela família; Edilson, Lígia e Felipe Mo-
Freitas; Pedro Paulo Torres; Roberta Soares Sampaio e família. São Luís/ reno; Elias Paulo; Elisangela Galdino
Machado; e Sonia Gomes de Carva- MA: Clea Renan Marini de Mattos Ribeiro Celestino; Elizabete Apa-
lho. Salvador/BA: Cleunice Almei- Camara. São Paulo/SP: Alziro de recida de Andrade Santos; Equipe
da; Cristiani Ranolfi; David Ezequiel Paiva; Ana Paula de Oliveira; Angela, Legionária Solidária das Instituições
da Silva; Eduardo Almeida; Equipe Jhonathan, Júlio Cezar, Jesiel Estêvão da Boa Vontade, em São Paulo/SP;
da Religião de Deus em Salvador; e Emerson Damásio de Araújo; Anna Fernanda Aparecida do Nascimento;
Genivaldo Santos de Jesus; Marina Camilla Cearamicoli Barbosa; Anto- Fernando Victor Campos; Gerdeilson
e Rosiel dos Santos; Milton Nery nio Carlos de Lima Bueno; Antonio Botelho e família; Gilberto Bertolin
Pestana Filho; Neuzi Mendes; Sílvia Paulo Espeleta e família; Argencília e família; Gilson Furtado; Gilson e
Ribeiro; Valdenir Ferreira; Wilson Cândida dos Santos e Íris Maria dos Lucíula Fernandes; Helen Baragão

 BOA VONTADE
Arquivo pessoal
e família; Helena Cristina de Souza Hildegard Angel,
Coelho Rodrigues Correa; Heloísa,
Maurílio, Isabela, Leonardo e Au-
colunista do JB,
gusto Faria; Irani Maria dos Santos; exalta Jubileu de
Isabel Cristina Periotto Paes, Hum-
berto Paes Junior, José Gabriel e José Ouro
Rafael Periotto Paes; Ismael, Mírian, A jornalista Hildegard Angel,
Gabrielle e Isabelle Lima; Ítalo e em sua coluna, no Jornal do
Jacyra Gonzaga do Monte; Jayme Brasil, um dos mais importantes
Bertolin; João Martim da Silva; Jo- veículos de comunicação do País,
elma, Vinícius e Edarildo Moreno; publicou extensa nota a respeito
José Paulo Viana; Leila Marco; Leni das comemorações dos 50 anos de
de Souza Coelho Pereira; Leonardo e
trabalho do Diretor-Presidente da comemorações do Jubileu de Ouro,
Lucas Coelho Pereira; Letícia Lopes
LBV, José de Paiva Netto, na Seara as quais ocorrerão durante todo o
Rio; Luciana Marchetti Cintra Tei-
da Boa Vontade. ano de 2006 em várias cidades bra-
xeira; Maria Suelí Periotto; Luís,
A colunista deu ênfase ao cres- sileiras: dia 20 de junho, no Teatro
Rosângela, Rodrigo e Érica Oli-
veira; Luzardo, Martha, Nathália cimento da Instituição, que, con- São Pedro, em Porto Alegre/RS; 15
Helena e Cyro Henrique Azevedo forme ela destaca, “faz mesmo de julho, no Ginásio da Portuguesa
Pereira; Madalena Odone; Marcelo um belo trabalho social”, além de em São Paulo/SP; e no fim do ano,
Rafael; Marcia Lourdes Martins divulgar que o escritor Paiva Netto no Rio de Janeiro. Ela termina a
Cardoso; Marco Antonio Pereira; é um dos três autores que mais ven- coluna com o festivo “Parabéns!”
Marco Dametto e família; Marcos dem livros no Brasil. Cita, ainda, as dedicado ao dirigente da LBV.
Aurélio Magaton Barbosa; Maria
Jerônima, Juarez, filhos e netos:
Eliane Maria, Luiz Antônio, Je- e Sandra Martins Lopes; Paulo mar, Lícia, Matheus, Julia e Lara de
anine, Larissa, Pedro Henrique e Azor; Paulo Duarte; Raquel Ber- Almeida; Silmar, Gizelle, Danielle
Raul Vinícius; Maria Magdalena e tolin; Rosa Garcia; Rose Barbosa; e Carolina de Almeida; Valéria Reis
Walter Periotto; Maria Miltes Nery Roseli Fernandes da Costa Silva e Ribeiro; Vanderlei Alves Pereira;
Pestana; Myrian e Celina Bertolin; filhos; Rosineide Piovesana; Ruy Vera Lucia Lopes Gutiere Eugênio;
Natalia Lombardi; Odette Martins Nogueira Netto; Sandra Dantas; Vera Lúcia Perugini; William Luz
Lopes, José Lopes, José Henrique Sergio Henrique de Paiva; Side- e Zélia Duarte.

Poesia e Lirismo na LBV


Inúmeros amigos e colaborado- falaram, olharam. Não vi uma Simone Barreto

res diariamente visitam a Legião falha. Tudo limpinho, as crianças


da Boa Vontade em todo o Brasil e dormindo, a maneira como somos
Exterior. Todos recebem o abraço recebidos pelas pessoas. Estou
afetuoso dos que são atendidos nas grato! Quero vir sempre à LBV.
unidades educacionais e consta- É muito bonito. É uma delicadeza
tam a relevante atuação da Obra. isso aqui. Quer dizer: hoje em
Um dos que, recentemente, passa- dia, é tanta tribulação, tanto de- Simon Khoury, jornalista e escritor,
ram por lá foi o jornalista Simon sespero e tem gente preocupada durante visita ao Centro Educacional,
Khoury. Abaixo, sua impressão com uma criança, com a tosse, Cultural e Comunitário da LBV do Rio
de Janeiro.
sobre o trabalho da LBV no Rio: com uma gripe, com o resfria-
“Eu estou pasmo, pois vi tanta do, com o frio. E vi as crianças
poesia e tanto lirismo. A manei- dormindo naquela Paz Celestial. graça. Tomara que Paiva Netto
ra como as crianças cantaram, Estou me sentindo em estado de dure mais 183 anos!”.

BOA VONTADE 
In memoriam

Arquivo BV
Paiva Netto
cumprimenta o
estimado amigo
Ministro Olavo
Drummond durante
evento no TCU, em
Brasília.

Saudoso Dr. Olavo Drummond,


o Ministro poeta. _____________
Marta Trigueiro

R
etornou à Pátria Espiritual, no 1987). Amigo de Juscelino Kubits- Televisão (ABERT), realizado de
dia 8 de maio, o escritor, jor- chek (1902-1976), Drummond foi 17 a 19 de maio de 2005, afirmou:
nalista, político, advogado, um dos fundadores do Memorial “Meu queridíssimo Paiva Netto,
ex-Ministro e ex-Presidente JK, em Brasília, instituto do qual era eu quero fazer-lhe uma homena-
do Tribunal de Contas da União curador e vice-Presidente. O escritor gem especial por essa grande fi-
(TCU), Olavo Drummond, gran- e sua esposa, Márcia Drummond, gura nacional e internacional que
de amigo da Legião da Boa Von- têm quatro filhos e sete netos. você é. É realmente uma figura
tade e do Diretor-Presidente da Antigo amigo da LBV e de seu templária de coração. Que Deus
Instituição. dirigente, Olavo prefaciou um dos o proteja demais; você que sempre
Nascido em Araxá/MG, Drum- livros de Paiva Netto, intitulado serve a Ele. Então, que Ele dê a
mond, que se formou advogado na Crônicas & Entrevistas, no qual você muitos anos de vida, porque
Faculdade Federal de Direito da Uni- o autor fez publicar o poema Sa- é realmente uma pessoa muito es-
versidade de Minas Gerais, também cerdócio. A publicação registra: pecial, Paiva, muito mesmo! Você
atuou como jornalista e militou na “(O poeta Olavo Drummond) em é um homem do bem, para o bem e,
política. Entre outros cargos, foi 1989 encaminhou esta correspon- acima de tudo, da Verdade. Muito
Prefeito de Araxá (1997-2000), dência ao escritor Paiva Netto: obrigado e parabéns, amigo!”.
Deputado Estadual e Deputado ‘O poema Sacerdócio, anexo, foi A LBV solidariza-se com a que-
Federal, representando o Estado inspirado em sua causa, em seu rida esposa, Márcia Drummond, e
onde nasceu. Foi ainda procurador labor. Envio-lhe agradecendo, também seus filhos e netos e envia
da Fazenda Nacional, procurador da uma vez mais, o realce que você ao Espírito eterno do ilustre Ministro
República e conselheiro do Tribunal e a LBV deram ao meu poema as melhores vibrações de carinho,
de Contas do Estado de São Paulo. ‘Falando com Deus’”. Em sua gratidão e Paz.
Com cinco livros publicados, ele resposta, o jornalista Paiva Netto Ao coração dele, dedicamos essa
integrava a Academia Mineira de afirmou: “Gratíssimo, Olavo. Sua assertiva da Dialética da Boa Von-
Letras, ocupando vaga que foi do poesia não é vã. Tem mensagem tade: “O grande segredo da Vida é,
Presidente Tancredo Neves (1910- que levanta a alma”. amando a Vida, saber preparar-se
1985). Sua última obra foi O Ven- Drummond diversas vezes para a morte, ou Vida Eterna”.
dedor de Estrelas, uma reunião de manifestou seu apoio ao dirigente E ainda esta mensagem do Líder
contos, lançada em 2003. Antes disso da LBV. Em uma dessas ocasiões, da LBV: “Caro amigo e Irmão Olavo
escreveu Noite do Tempo (poesias, durante participação no 23º Con- Drummond, que as vibrações de ca-
1976), Ensaio Geral (poesias, 1984), gresso Brasileiro de Radiodifusão, rinho e saudade, do seu amigo Paiva
Ordens do Cardeal (contos, 1985) por iniciativa da Associação Bra- Netto, o alcancem onde estiver o seu
e O Amor deu uma Festa (contos, sileira de Emissoras de Rádio e generoso Espírito”.

BOA VONTADE 
Índice
Ao Leitor
Sem que fosse determinado, a destacou ao se referir ao aconteci-
música invadiu a nossa redação. mento: “Estamos felizes por ter
Ela se fez presente de maneiras feito história”. ANO XXIV • Nº 212 • abril/maio de 2006
diferentes e interessantes, da MPB
à clássica. A exemplo do primeiro
Em “Atualidade”, a alegria
contagiante do vocalista do Gru-
BOA VONTADE
grande evento comemorativo dos po Cidade Negra, Toni Garrido, BOA VONTADE é uma publicação mensal das Fr
IBVs, editada pela Editora Elevação.
50 anos de trabalho de Paiva Netto que em entrevista exclusiva a esta Registrada sob o nº 18166, em 16/03/2006, no
nas Instituições da Boa Vonta- revista, fala de reggae e de seu livro “B” do 9º Cartório de Registro de Títulos e
Documentos de São Paulo.
de, que se dará em 20 de junho entusiasmo pela ação promovida
no Teatro São Pedro, em Porto pela Legião da Boa Vontade. Diretor e Editor responsável
Alegre/RS, quando alguns dos Finalizando, vale também res-
principais sucessos musicais do saltar a matéria “Saúde dos olhos”, Francisco de Assis Periotto
homenageado serão interpretados na qual os oftalmologistas Fer- MTE/DRTE/RJ 19.916 JP
pela Orquestra do Teatro São Pe- nando Kayat Avvad e Luciana Coordenador de equipe
dro e pelo Coral Ecumênico LBV. Lucchese dão dicas valiosas para Gerdeilson Botelho
A reportagem, na seção “Cultura”, identificar e as melhores terapias
Revisão
traz ainda as características desta para cuidar da Degeneração Macular Adriane Schirmer
Casa que é um dos principais repo- Relacionada à Idade, que pode trazer Neuza Alves
sitórios das tradições gaúchas. sérios danos à visão. Walter Periotto
Aliás, a inspirada veia de com- Boa leitura! Wanderly Albieri Baptista
positor do Líder da LBV inspirou Colaboradores
a realização, em abril, da primeira Alvino Barros, Alexandre Rueda, Cida
audição mundial em Nova York, Reflexão do mês Linares, Daniel Rocha, Daniel Trevisan,
EUA, do Oratório O Mistério de Leila Marco, Maria Aparecida da Silva,
Deus Relevado, obra de sua auto-
ria, que foi recebida com muitos
“O Universo de Mário Augusto Brandão, Paulo Azor,
Rita Silvestre e William Luz.
elogios da crítica e do público Deus é a mais bela Arte
norte-americano, nessa apresen-
tação na Convent Avenue Baptist
partitura jamais Projeto Gráfico: Alziro Braga

Church, sob a regência do maestro criada.” Foto de capa do Teatro São


e professor Gregory Hopkins, que (Paiva Netto) Pedro: Guilherme Hornos

Produção
Edição nº 212 Endereço para correspondência:
Av. Rudge, 938 — Bom Retiro
4 Cartas e e-mails 34 Internacional — Nova CEP 01134-000 — São Paulo/SP
8 Literatura York Tel.: (11) 3358-6868 — Caixa Postal 13.833-9
9 In memoriam 39 Em foco CEP 01216-970
10 Ao Leitor 40 Medicina Internet: www.boavontade.com

12 Esporte 46 Internacional — Flórida Impressão: Editora Parma

13 Coluna do Garotinho 50 Arte na tela A revista BOA VONTADE não se


14 Ministério do 52 Academia Brasileira de responsabiliza por conceitos emitidos em
Desenvolvimento Social Letras seus artigos assinados.
e Combate à Fome 56 Melhor Idade
18 Educação 58 Soldadinhos de Deus
22 Atualidade 60 Ação Jovem LBV
28 Capa — Arte, Cultura e 62 Acontece
Emoção
28
Capa — Arte,
Cultura e Emoção
no tradicional Teatro São
Pedro, em Porto Alegre/RS.

14
Francisco de Assis Periotto
Ministério do
MTE/DRTE/RJ 19.916 JP
Desenvolvimento
Social e Combate à
Fome

22
Atualidade

34 40
46
Internacional
- Nova York Medicina dos Internacional -
olhos Flórida

50
Arte na Tela

52
Academia
Brasileira de

18
Letras
Educação

Portal BOA VONTADE: www.boavontade.com


Esporte

Os melhores
do Brasil

Jorge Alexandre
A Superliga de Vôlei mostrou ao
País os times ganhadores no último
Garotinho, que também é colunista da revista BOA VONTADE, ficou agradecido ao ser convi- fim de semana de abril com a promes-
dado para visitar novamente a escola da LBV. Recordou-se que esteve presente na inaugura-
ção do Centro Educacional da LBV, no ano de 1996.
sa de um futuro dourado para o País
que é destaque mundial no Esporte.
Na Rádio Globo do Rio de Janeiro, José Carlos No masculino quem levou a melhor
foi o estreante na competição, Cimed
Araújo é homenageado pelas crianças____________
da LBV. (Santa Catarina), comandado pelo
Lícia Curvello medalhista olímpico Renan, que
Os alunos do Centro Educacional, os pequenos conversaram com ele derrotou o Telemig Celular (Minas
Cultural e Comunitário da LBV, em e repassaram o abraço do Diretor- Gerais), no último jogo, por 3 sets a
Del Castilho, capital fluminense, Presidente da LBV, José de Paiva 1, fechando a série melhor de cinco
fizeram uma surpresa especial, no Netto. O apresentador agradeceu a jogos. No feminino também foram
dia 8 de maio, para o amigo da LBV presença de todos e fez questão de necessárias cinco partidas para o
José Carlos Araújo, o Garotinho, na destacar a amizade que tem com a Rexona-Ades (Rio de Janeiro) supe-
ocasião de seu aniversário. Instituição há tantos anos. “Agrade- rar o Finasa (Osasco/SP) e sagrar-se
As crianças foram homenageá-lo ço sempre o carinho que a Legião tricampeão brasileiro. Liderado pela
no estúdio da Rádio Globo, no Rio da Boa Vontade distribui a todos levantadora Fernanda Venturini,
de Janeiro, durante o programa Glo- nós, o ano inteiro. Obrigado pelas que se despediu das quadras, o time
bo Esportivo, de grande audiência mensagens. O abraço ao meu velho encerrou a série com o placar de 3 sets
no horário. Durante a participação, amigo Paiva Netto.” a 0 sobre as paulistas.

Com ouro, a romena Ponor


Em 20 anos de
carreira, Fernanda
ganhou 12 vezes
A ginasta romena tricampeã
dá adeus à olímpica, Catalina Ponor, deu
o Campeonato
Brasileiro.

ginástica um show à parte e apresentou uma


emocionante final para sua carreira
ao conquistar no aparelho trave o
ouro no Campeonato Europeu de
ginástica feminina, disputado em
Volos, na Grécia, no dia 30 de abril. A
ginasta foi a última a se apresentar no
aparelho e teve desempenho espeta-
cular, sendo premiada com o posto
mais alto no pódio. A atleta, que
anunciou sua aposentadoria após
este campeonato, também assegu-
rou a medalha de bronze, ao realizar
Divulgação: Luiz Doroneto
Arquivo BV

a terceira melhor apresentação no


solo, aparelho no qual Ponor levou a
medalha de ouro nos jogos olímpicos
de Atenas, em 2004.

12 BOA VONTADE
Coluna do Garotinho

Felipe Freitas

Telê,

Arquivo BV
José Carlos Araújo é
comunicador esportivo
da Rádio Globo do Rio de
Janeiro/RJ
o imortal
O
Ser Humano sempre so- cialmente para o Fluminense, clube
nhou com a imortalidade, de seu coração, que o projetou e no
mas a grande maioria se- qual se transformou em ídolo.
quer percebe que ela está Como treinador, sua contribuição
e sempre esteve ao seu alcance. Pode para o futebol brasileiro foi louvável.
parecer utopia, mas são incontáveis Elegante como atleta, manteve suas
os nossos imortais. Porque as pes- atitudes éticas e seus princípios de Entusiasta pelas causas em prol da
soas passam, mas suas obras e seus amante do futebol-arte ao assumir as Solidariedade, o mestre Telê sempre
apoiou as iniciativas da Legião da
ensinamentos ficam para sempre e as funções de treinador. Boa Vontade. Em entrevista, certa vez
tornam eternas. Afirmava que preferia ver seu afirmou: “É uma necessidade todos
Não vamos citar aqueles que se time perder a vencer usando armas nós nos engajarmos na Campanha
eternizaram pelo mal que pratica- tão corriqueiras hoje em dia, como LBV — Esporte é Vida, não violência!,
que está sendo realizada pela Legião
ram em vida. Vamos lembrar, sim, pontapés e outros artifícios desleais. da Boa Vontade. (...) Esta campanha
daqueles que viveram, semearam o Para ele, o diferencial do Brasil estava foi um marco, uma nova era nos
Bem e imortalizaram-se em nossos na arte. Os brasileiros não tinham esportes e contribui para que a Paz
reine dentro e fora do campo”. A
corações, como o Papa João Paulo motivos para abandonar o futebol LBV solidariza-se com os parentes
II (1920-2005) e, para lembrar ape- alegre, bonito e moleque com o qual do querido mestre Telê Santana e
nas mais um nome, o nosso Alberto sempre encantou o mundo. envia as mais sinceras vibrações de
Paz e gratidão ao seu Espírito eterno.
Santos Dumont (1873-1932), o Pai O destino chegou a ser cruel com
da Aviação, cuja invenção completa Telê Santana. Não uma, mas duas
o centenário agora, em 2006. vezes. Em 1982, armou o que seria cantadora, foi eliminada pela França,
Na área esportiva, temos mais um a seleção dos sonhos. Mas o Brasil nos pênaltis, depois de um empate no
imortal brasileiro, que se junta a ou- mágico, que todos apontavam como tempo normal, quando Zico desper-
tros como Garrincha (1933-1983), virtual campeão, tropeçou em erros diçou uma penalidade máxima que,
Didi (1929-2001), Zizinho (1921- individuais e acabou eliminado da se convertida, nos classificaria rumo
2002), Ayrton Senna (1960-1994) Copa do Mundo pela Itália. às semifinais. Porém, Telê, como
e tantos que povoarão para sempre a Quatro anos depois, Telê tinha todo mestre, nunca se entregou.
nossa memória e também a de nossos nova chance de ser campeão do Sabia que estava no rumo certo e,
ascendentes. Estou me referindo a mundo. Novamente, apostou em com o São Paulo, conquistou o bi-
Telê Santana (1931-2006), o Mestre sua convicção de que futebol é arte. campeonato mundial de clubes.
Telê, que nos deixou no fim do mês Outra vez, o Brasil foi brilhante em Telê Santana deixou um legado
de abril. campo. Mas aconteceu em 1986 o que precisa ser aproveitado por
Telê, como jogador, não foi um acidente de percurso ocorrido na todos os jogadores, treinadores e
supercraque. Não chegou a ser um Copa anterior. Tal e qual em 1982, dirigentes: vencer é preciso, no
Pelé ou um Garrincha, mas foi muito o destino conspirou contra Telê e entanto o importante mesmo é ser
importante por onde passou, espe- sua seleção: embora brilhante e en- digno da vitória.

BOA VONTADE 13
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Novos conselheiros
do CNAS tomam posse
em Brasília
________________
Danilo Parmegiani
Fotos: João Preda

D
ezoito novos repre- o cargo passa a ser ocupado pelo Pro- gerar uma síntese desses diferentes
sentantes da sociedade fessor Silvio Iung, do Instituto Sino- interesses sem sobreposições de um
civil (9 titulares e 9 su- dal de Assistência, Educação e Cul- ao outro, mas em favor da construção
plentes) no Conselho tura (Isaec). Para ele, “o Conselho é de uma agenda positiva”.
Nacional de Assistência Social um espaço plural; há representações Simone Albuquerque passa a
(CNAS) tomaram posse no dia 18 e interesses da sociedade, e ele deve ocupar a função de Vice-Presidente,
de maio, em solenidade no auditório
do Ministério da Previdência, em “Quero saudar os conselheiros
Brasília/DF. O órgão do Ministério que estão encerrando os
do Desenvolvimento Social e Com- seus mandatos e parabenizá-
bate à Fome também é formado por los pelo trabalho realizado,
membros do governo e tem, entre pela dedicação à causa da
outras, a competência de aprovar assistência e desenvolvimento
a Política Nacional de Assistência social e os novos conselheiros
Social (PNAS).
que hoje são empossados,
O Ministro desta Pasta, Patrus
acumulando os milhões
Ananias, destacou o trabalho dos
que concluíram o mandato e deu as de votos, inaugurando um
boas-vindas aos novos integrantes do trabalho igualmente fecundo,
CNAS. Na ocasião, os conselheiros criativo, da perspectiva
elegeram o novo Presidente para o da realização dos nossos
biênio 2006-2008. A partir de agora, objetivos.”
Ministro Patrus Ananias

14 BOA VONTADE
“O Conselho é um espaço
plural; há representações e de instância máxima de deliberação
representando o Governo Federal.
“O dia de hoje consagra o CNAS interesses da sociedade, e da política de Assistência Social. Se
como instância de controle social e ele deve gerar uma síntese nós conseguimos traçar um projeto
de deliberação da Política Nacional desses diferentes interesses de estoque zero, aprovar a Política
de Assistência Social, e o Governo Nacional de Assistência Social e
sem sobreposições de um uma norma que a operacionaliza,
Federal reconhece a autonomia que
a sociedade civil tem por lei e o direi-
ao outro, mas em favor da foi porque o Conselho assumiu o seu
to de ela mesma conduzir seu proces- construção de uma agenda papel político que a Constituição lhe
so eleitoral”. Ela destacou ainda os positiva.” deu”, ressaltou.
novos passos para o Conselho: “Uma Dalila Maria Pedri-
Professor Silvio Iung
outra questão fundamental é o desa- ni avaliou os resulta-
dos do mandato, real-
çando o trabalho feito
pelo Conselho para a
inclusão e avanços da
política de Assistência
Social no Brasil. Na
análise dela, “foi uma
gestão de muito trabalho, cujos em-
preendimentos, temos certeza, vieram
em benefício da sociedade brasileira
e especialmente dos setores mais
excluídos. Nossa gestão buscou
recuperar questões que não haviam
sido trabalhadas no passado. Na ver-
dade fizemos um trabalho para que
A Vice-Presidente eleita, sra. Simone Albuquerque, ao lado do Professor Silvio
a política da Assistência avançasse
Iung, Presidente para o biênio 2006-2008. como política pública e de direitos
dos cidadãos brasileiros”.
fio de consolidar o Sistema Único de senvolvido. A sra. Márcia explicou

Assistência Social no Brasil (SUAS). que o posicionamento do CNAS foi
Novos desafios
Este é um sistema que está sendo responsável pelas vitórias conquista-
De acordo com o primeiro artigo
implantado desde o ano passado e já das. “Eu não tenho dúvida em dizer
da Lei Orgânica da Assistência Social
tem adesão de 4 mil municípios brasi- que o principal avanço — e dele
(LOAS), a garantia do atendimento
leiros, mas é preciso que se consolide, decorrem todos os outros — foi o
às necessidades básicas é um direito
não só o recebimento de bolsa para fato de o CNAS assumir o seu papel
do cidadão e um dever do Estado.
as famílias brasileiras, mas também
Nesse contexto, os novos Conse-
serviços socioassistenciais de convi-
vência familiar e comunitária”.
“O dia de hoje consagra lheiros e membros da gestão anterior
o CNAS como instância recordam importantes vitórias e ad-
mitem os grandes desafios que têm
Avanço no social de controle social e de pela frente.
Márcia Bion- deliberação da Política O Conselheiro do
di e Dalila Pedri-
ni, Presidente e
Nacional de Assistência CNAS e represen-
Social, e o Governo Federal tante do Movimento
Vice-Presidente,
Nacional de Meninos
respectivamente, reconhece a autonomia que e Meninas de Rua
na gestão ante- a sociedade civil tem por lei (MNMMR), Ademar
rior, destacaram
e o direito de ela mesma de Oliveira Marques,
os bons resultados
conduzir seu processo falou sobre a impor-
do trabalho de-
eleitoral.”
Simone Albuquerque BOA VONTADE 15
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

tância da consolidação das conquistas


da gestão anterior. “Nós conseguimos
avançar especialmente na Política
Nacional da Assistência Social e na
criação do Sistema Único da Assis-
tência Social, com a NOB (Norma
Operacional Básica). O desafio que
temos pela frente é consolidar esse
processo, que significa estabelecer
as novas relações com a sociedade”,
acredita.
O representante da Federação
de Sindicatos de Trabalhadores das
Universidades Bra-
sileiras (Fasubra) e para as quais ela foi proposta”, tou que o fortalecimento da Política
também Conselheiro, explicou o representante da União Nacional da Assistência Social foi
João Paulo Ribeiro, Brasileira de Cegos (UBC) e tam- uma das grandes conquistas da gestão
explicou que uma im- bém Conse- anterior. “Aprovamos um sistema
portante fase se inicia lheiro, Márcio único de assistência social, que era
para ampliar a par- José Ferreira. desejo da sociedade brasileira, a
ticipação do CNAS Para o Dire- ampliação dos financiamentos para
no País. “Neste novo tor Vice-Presi- a política de assistência social e
ciclo a sociedade ci- dente da Fede- principalmente defendemos o papel
vil está mais próxima e vai conseguir ração Mineira e o espaço para que o usuário da
gerenciar e ampliar a democracia. de Fundações assistência social possa reivindicar
Com o nosso trabalho conseguimos de Direito Pri- aquilo que deseja: a sua promoção,
ter respaldo da sociedade e ajudar vado (Funda- a sua inclusão social”, declarou.
a crescer e ter mais assistência no mig), Gilson A solenidade da posse ocorreu no
nosso país”, afirmou. Assis Dayrell, Dia Nacional de Combate ao Abuso
O Conselheiro há uma nova Sexual Infantil e Turismo Sexual.
Marcos Antônio consciência no A relevância da data foi lembrada
Gonçalves, repre- País sobre a pelo Secretário de
sentante da Federa- importância da Assistência Social
ção Brasileira das inclusão social. e Combate à Fome,
Instituições de In- “A Assistência Osvaldo Russo. “É
clusão Social, Re- Social passa importante mostrar
abilitação e Defesa hoje por um momento muito positivo, que o Brasil está
da Cidadania (Fe- uma vez que há um grande esforço avançando na apli-
biex), destacou: “A de levar aos excluídos brasileiros a cação de políticas
força da organização dessa socie- possibilidade de inserção na nossa que combatam de
dade é que vai transformar esses sociedade”, disse. fato o abuso e a
milhões de excluídos em milhões O Conselheiro na gestão exploração sexual, mas temos muito
de incluídos; será um país bastan- 2004/2006 do CNAS e Presidente que caminhar. É a forma mais perver-
te diferente do que nós estamos da Federação sa de violência contra a criança e o
encontrando aqui hoje”. Brasileira de adolescente. Devemos fazer políticas
“Nós pretendemos colaborar Entidades de públicas, integrando todos os níveis
para que ela seja efetivamente e para Cegos de Governo: Federal, Estadual e
implantada e aplicada para que (Febec), Carlos Municipal e também com grande
os usuários e a sociedade possam Ajur Cardoso participação da sociedade civil, e,
realmente usufruir dos benefícios Costa, salien- sobretudo, ter o espírito público para

16 BOA VONTADE
O Presidente do
CNAS, Silvio Iung,
construir uma política que rompa disse que instituições ceu o conselheiro Marcos Antônio
com o assistencialismo, clientelis- Gonçalves.
mo e com a política improvisada”, comprometidas com o
Em São Paulo/SP, durante o
explicou. bem-estar da população Seminário “Rumos da Filantropia”,
Os integrantes do Conselho tam- são necessárias à realizado no dia 5 de abril, o Presi-
bém destacaram o trabalho da Legião sociedade. “A LBV tem dente da Confederação das Santas
da Boa Vontade que desenvolve, em Casas de Misericórdia, Hospitais
todo o Brasil, há mais de 56 anos,
esse papel de buscar a
e Entidades Filan-
centenas de programas e projetos que inserção da sociedade trópicas (CMB) e
resgatam os valores dos cidadãos. brasileira. Quero ex-Presidente do
Dalila Maria Pedrini enfatizou a ini- cumprimentá-la por isso. CNAS, Antônio
ciativa social da Instituição: “A LBV Brito, ressaltou o
é uma obra de Assistência Social que
É assim que a gente faz
valor do trabalho
está presente em todo o Brasil e é política pública, não só do Órgão: “O Con-
muito conhecida. Que ela continue se no seu trabalho, mas selho Nacional de
empenhando no trabalho de promo- também articulando-se Assistência Social
ção e de libertação dos setores mais foi criado para per-
empobrecidos da sociedade”.
com outros, construindo
mitir o intercâmbio
O Diretor Vice-Presidente da junto com outros”,
da sociedade civil, legitimado pelo
Fundamig, Gilson Assis Dayrell, parabenizou. setor, porque representa outros
ressaltou a parceria com a Obra. milhares que não têm o certificado,
“Esperamos contar sempre com de formação religiosa. Os progra- mas precisam desses representantes
a LBV também na Confederação mas da LBV, aos quais assisto, são no CNAS, que estejam lá, atuando
Brasileira de Fundações, porque é para instruir, aumentar a cultura da em favor dessas entidades”.
uma instituição de grande prestígio população e mostrar a visibilidade A Legião da Boa Vontade, re-
nacional”, disse. de processos sociais. Então, a gente gistrada no CNAS e portadora do
“Fico muito feliz em falar de torce muito para que o Paiva Netto Certificado de Entidade Benefi-
Paiva Netto, porque ele não faz só um cresça ainda mais com a LBV, com a cente de Assistência Social, desde
bem à Assistência Social do País, ele Fundação José de Paiva Netto, com 1967, congratula-se com os antigos
faz um bem à parte espiritual no País. a televisão, porque nós precisamos e novos conselheiros e Diretoria,
Falta para as pessoas um pouco mais de televisões desse nível”, agrade- desejando-lhes amplo sucesso.

Entidades e Organização de Entidades e Organização Entidades e Organização


Assistência Social de Usuários da Assistência de Trabalhadores da
Social Assistência Social
Titulares:
— Instituição Sinodal de Assistência, Titulares: Titulares:
Educação e Cultura (Isaec); — Movimento Nacional de Meninos — Confederação Nacional dos Tra-
— Conferência Nacional dos Bispos e Meninas de Rua (MNMMR); balhadores em Seguridade Social
do Brasil (CNBB); — União Brasileira de Cegos (CNTSS);
— Confederação das Santas Casas (UBC); — Federação de Sindicatos de
de Misericórdia, Hospitais e Entida- — União Norte Brasileira das Igrejas Trabalhadores das Universidades
des Filantrópicas (CMB). Adventistas do Sétimo Dia. Brasileiras (Fasubra);
Suplentes: Suplentes: — Federação Nacional dos Assisten-
— Associação Brasileira das Univer- — Pastoral da Criança; tes Sociais (Fenas).
sidades Comunitárias (Abruc); — Federação Brasileira das Institui- Suplentes:
— Instituição Adventista Central ções de Inclusão Social, Reabilitação —Conselho Federal de Contabili-
Brasileira de Educação e Assistência e Defesa da Cidadania (Febiex); dade;
Social; — Obra Social Santa Isabel (Ossi). — Associação Brasileira de Educa-
— Federação Brasileira das Associa- dores de Deficientes Visuais;
ções Cristãs de Moços. — Conselho Federal de Serviço
Social (Cfess). BOA VONTADE 17
Educação

Investindo
no social
Nas cinco regiões do País, LBV eleva a auto-estima dos milhares de crianças em situação
de risco social e pessoal ao doar kits completos de material escolar. _____________
Marta Trigueiro

C
adernos, lápis pretos e co- ro e este kit ajudará bastante. Tenho Rui Portugal

loridos, canetas, borrachas, três filhos e não tinha condições de “Achei o


apontador, cola, tesoura comprar o material para eles. Passa- espaço muito
sem ponta, régua, mochila va pela escola com minha filha e ela
e minidicionário. Para alguns esta é chorava. Depois, ao falar para minha aconchegante,
apenas uma relação de objetos essen- caçula que receberia este kit, ela é gratificante
ciais ao aprendizado, mas para muitas ficou feliz porque vai poder estudar, para a família
crianças é o que falta para entrar numa sua auto-estima aumentou”, comen-
sala de aula e começar a escrever ou tou, feliz, a mineira Marlucia.
destas
desenhar um futuro melhor. Famílias iguais à dela receberam crianças
Na busca de reverter essa triste o material escolar nas cinco regiões atendidas
realidade, diversos artistas e a socie- brasileiras, no começo do ano letivo. pela LBV. O
dade brasileira apoiaram mais uma Foram beneficiadas crianças que
edição da Campanha LBV: Criança estudam da 1ª à 4ª série do ensino atendimento
Nota 10 — Sem Educação não há fundamental em estabelecimentos é muito bom, elas
Futuro! A ação solidária da Legião da rede pública as quais participam, se sentem acolhidas
da Boa Vontade beneficiou milhares no período inverso ao da escola, do
de meninos e meninas que vivem em programa LBV: Criança — Futuro no
e isto é importante,
situação de risco social e pessoal. Presente!, em que são desenvolvidas adorei participar desta
São famílias de renda modesta, inúmeras atividades esportivas, lúdi- confraternização.”
como a de dona Marlucia Xavier cas, culturais e de lazer.
Dias, que encaram o desafio de ter de Realizada no começo de cada ano, Maria Silva Costa, Primeira-Dama de
encaixar a compra da lista escolar no essa ação da LBV visa diminuir os Belém/PA, referindo-se à estrutura
orçamento. “A gente está sem dinhei- índices de evasão escolar por falta de oferecida pela LBV na cidade.
Ariane Camargo

Londrina/PR
18 BOA VONTADE
Alcidéia Emerick
Arquivo BV

Arquivo BV
ARAÇATUBA/SP Vitória/ES maricá/rj

Liliane Cardoso
Arquivo BV

Derli Francisco
aracaju/SE glorinha/rs blumenau/sc
Nizete Souza

Leontina Maciel
Arquivo BV

salvador/ba campina grande/PB Arquivo BV


fortaleza/ce
Arquivo BV

Rosana Serri

niterói/rj juiz de fora/mg curitiba/pr


João Preda
Arquivo BV

Carla Mônica

goiânia/go foz do iguaçu/pr ipatinga/mg


Nino Santos

Carla Mônica
Arquivo BV

maceió/al belo horizonte/mg BOA VONTADE


araxá/mg 19
Educação

Juliana Valin

William Radi
Arquivo BV
uberaba/mg anápolis/go Natal/rn

Elisa Rodrigues
Arquivo BV

Arquivo BV
santos/sp porto alegre/rs patos de minas/mg

Ariane Camargo
Arquivo BV

Derli Francisco
uberlândia/mg londrina/pr joinville/sc
Nino Santos
Arquivo BV

Edson Rodrigues

cabo frio/rj joão pessoa/pB cascavel/pr


Arquivo BV
João Preda

João Preda

inhumas/go brasília/DF pelotas/rs


Kléber Maricato
Elizabeth Rodrigues

Paulo Araújo

20 sãoBOA VONTADE
luís/ma Ponta grossa/pr
maringá/pr
João Preda
“A LBV sempre está
“Quero presente nos momentos
parabenizar em que mais preciso.
o trabalho Eu ainda não tinha
da LBV comprado o material
com a escolar, e agora meus
distribuição dois filhos ganharam
de kits
Pedro Reis

tudo o que precisavam


escolares e mais ainda. Eu adorei
para crianças carentes essa ajuda da LBV.”
em todo o País. Pude
acompanhar pela Adriana da Silva Souza, atendida
pela Legião da Boa Vontade em
mídia este maravilhoso Moreno/PE.
trabalho. Meus parabéns
a todos!”
Chica Nunes, Presidente da Câmara
de Vereadores de Cuiabá/MT. A prática do Natal Permanente
de Jesus, empreendida pela LBV, goiânia/go
pôde ser comprovada pela atriz
Michelle Giudice: “A sala de aula
recursos financeiros e ainda despertar é onde as crianças aprendem. Mui-
nas crianças a motivação ao estudo, tas pessoas ajudam no Natal, mas
“A LBV é uma
o que é essencial para a formação não é só nele que as pessoas têm entidade,
delas. dificuldades. O ano todo a gente dentro
Vários artistas mirins se enga- tem de estar ajudando, e é isso que
jaram nessa empreitada, entre eles
da nossa
vou levar para mim. Eu me sinto
as atrizes Michelle Giudice e Ra- muito bem por estar incentivan- sociedade
faela Romolo; os atores Gabriel do a comunidade a ajudar essas araraquarense,

Athaíde Alves
Cavicchiolli e Rodolfo Valente; crianças. É muito importante ser que nos
o apresentador Jacarezinho; a uma das pessoas que estão dando a
rainha do bambolê, Thaty; além oportunidade às crianças que não
enche de
de Mariana, Danielle, Paloma e têm condições de ir à escola por orgulho, pois
Drielly, do grupo Patotinha. causa dos materiais e fazer com ela traz para as nossas
que elas tenham uma boa educa- crianças o reforço escolar,
ção, uma cultura, e principalmente
“Estou muito feliz na LBV”. a Educação, o Esporte, o
em estar aqui na LBV. Gabriel Cavicchiolli ressaltou lazer e a parte cultural.”
sua felicidade em poder contribuir
Vejo que as crianças e deixou um recado a todos os de
Ronaldo Napeloso, Presidente da Câmara
Municipal de Araraquara/SP.
são felizes e que a Boa Vontade: “Eu estou muito feliz
nossa doação é bem- por participar. Que vocês partici- ajudar essas crianças para terem
utilizada. O carinho que pem dessa doação para as crianças uma vida bem melhor. Eu me sinto
terem um futuro bem melhor”. mais feliz; sei que estou ajudando
elas recebem é muito Rodolfo Valente complementou: milhares de pessoas. É claro que é
importante.” “Tem de botar a mão na consciên- pouco, mas, se todo mundo juntar,
Maria das Dores Alves, colaborado- cia e pensar que elas não tiveram esse pouco vai se transformar em
ra da LBV em Vitória/ES. a vida que a gente teve. Temos de muito”.

BOA VONTADE 21
Atualidade

Toni
Garrido,
o reggae e a Boa Vontade
O famoso vocalista do grupo Cidade Negra entusiasma-se com a LBV, faz show à
parte para as crianças e abre o coração em entrevista exclusiva.
______________________________________________
Danielly Arruda, Juliane Nascimento e Rodrigo Oliveira.

Q
Fotos: Felipe Freitas

uerido pelos brasilei- “Desde a infância, gosto muito de Castilho, terça-feira. Para retribuir
ros, por expandir ale- futebol, mas a música apareceu o buquê de flores e o carinho dos
gria e cultura por meio pequenos, ele soltou a voz”.
antes porque eu tinha, segundo
da música, o cantor O músico ainda concedeu entre-
minha mãe, aos 2 anos, um
Toni Garrido, 39 anos, conferiu vista exclusiva à revista BOA VON-
de perto o trabalho promovido pela companheiro: era um cabo de TADE, na qual revelou histórias da
Legião da Boa Vontade (LBV) na vassoura, que eu ficava levando infância, a trajetória até chegar ao
zona norte do Rio de Janeiro/RJ. No para todos os cantos da casa e, Cidade Negra, e exaltou os 50 anos
dia 9 de maio, o vocalista do grupo quando aparecia uma pessoa, eu de trabalho do dirigente da LBV.
Cidade Negra encantou-se com a cantava para ela minha música.
garotada que diariamente é amparada Para quem estivesse em casa, eu Revista BOA VONTADE
pelo Centro Educacional, Cultural e parava e cantava. Não lembro — Para falar do sucesso,
Comunitário José de Paiva Netto. disso, era bem novo (risos).” vamos conhecer um pouco
Recebido com muita festa, música de suas raízes. Como foi sua
e flores, sentiu-se em casa e pôde infância?
expressar esse sentimento no trato inauguração, em 2 de março de 1996. Toni Garrido — (...) Nasci em
com cada pequenino que encontrava Atento, observou a fotografia em que Realengo, mas minha família era
no trajeto que fez pelo local. Logo na aparece o Diretor-Presidente da LBV da Vila Kennedy, ali em Bangu (...).
entrada, o Coral Ecumênico Infantil na concorrida abertura daquele centro Minha infância foi muito parecida
LBV prestou homenagem ao artista: de ensino, ocasião que reuniu mais de com a de toda criança, quer dizer,
além de interpretar músicas do pró- 110 mil pessoas, conforme noticiou a a maior parte dela foi muito alegre,
prio repertório, cantou Aonde você imprensa na época. mas com seus problemas financeiros,
mora?, grande sucesso da banda. Os jornais Meia-Hora, na coluna de separação etc. E isso aconteceu
Entusiasmado, ele fez um show à “Babado”, assinada pela jornalista com minha família também, mas só
parte para a criançada. Valéria Souza, e O Dia deram des- tenho boas lembranças, até porque
Depois, conheceu as salas de aula, taque à presença do cantor. Em nota criança tem de brincar (...). Eu sou
ambulatórios, espaços para recreação, divulgada pela coluna “Vip Vupt”, de de uma geração que brincava com
refeitório, brinquedoteca, laboratórios Sabrina Grimberg, O Dia ressalta: bola de gude, pipa — mesmo sem
e a Galeria de Amigos, onde estão as “Toni Garrido, vocalista do Cidade ser a minha praia; não gostava muito
fotos de personalidades que visita- Negra, fez uma visita às crianças do de pipa (risos). (...) Dá para ver nos
ram o Centro Educacional desde sua Centro Educacional da LBV, em Del olhinhos destas crianças da LBV que

22 BOA VONTADE
Feliz, o vocalista do Cidade Negra cantou para a garotada e passou pelos vários ambientes do moderno Centro Educacional da LBV no Rio.

elas recebem uma boa alimentação, lhosa; tudo lindo; uma enfermaria Toni Garrido — Desde a in-
educação plena, alegria (...). Você perfeita, com uma voluntária mara- fância, gosto muito de futebol, mas
vê no rosto delas que são dignas, vilhosa que está ali, e você vê que ela a música apareceu antes porque eu
com pais carinhosos, sem marcas de está fazendo aquilo por amor, então tinha, segundo minha mãe, aos 2
violência física ou qualquer dessas dá tudo certo. Fiquei muito feliz com anos, um companheiro: era um cabo
coisas. Isso é o fundamental. Foi o que vi na LBV! de vassoura, que ficava levando para
essa a impressão que tive visitando a todos os cantos da casa e, quando apa-
LBV. (...) É uma comida caprichada, BV — Faz tempo que a recia uma pessoa, eu cantava para ela
balanceada; uma biblioteca maravi- música entrou na sua vida? minha música. Para quem estivesse

BOA VONTADE 23
Assim que chegou, Toni Garrido
recebeu flores e saudou as
crianças da LBV.

em casa, eu parava e cantava. Não Eu participava de uma banda

Divulgação
lembro disso, era bem novo (risos). chamada Bel, do Rio de Janeiro/RJ,
que misturava funk, soul music e
BV — Quando você chegou ao samba. (...) Quando acabou a gestão
Cidade Negra, o reggae já era do cantor antigo no Cidade Negra,
a sua praia? O que você gostava o Bernardo, que saiu para fazer a
de ouvir e cantar? carreira solo, o grupo falou: “Vamos
Toni Garrido — O Cidade Negra procurar um cantor”. E eles tinham
tinha três regueiros. Haviam gravado visto alguns shows que nós tínhamos Bob Marley
dois discos de reggae e, mais do que feito no Circo Voador. Éramos uma
isso, tinham uma vivência de reggae. banda independente, mas que tinha Bob Marley tem uma função enorme
(...) A minha era ouvir algumas mú- força no circuito, tocava bastante, nisso. Como artista, adoro as coisas
sicas de Bob Marley (1945-1981) e fazia muita coisa. que fez. Gosto até mais de outros
Peter Tosh (1944-1987), que todo Foi aí que entrei e tive uma aula de artistas em termos musicais do que
mundo ouvia, os chamados clássicos reggae, em um grupo absolutamente dele próprio. Mas não posso tirar a
do reggae. Isso era o que eu basica- regueiro. Foi engraçado porque um importância fundamental de profeta
mente conhecia. Tomei um pouco de dos integrantes chegou e me falou, na realidade do Bob Marley, no senti-
conhecimento de reggae misturado; no primeiro dia de ensaio: “Toma do de que profetas saem pelo mundo
era aquela coisa dos anos 1980. Havia aqui uma bíblia reggae”. É um livro para divulgar uma palavra positiva, a
ainda The Clash, Culture Club e os que conta a história do reggae, com palavra de Deus, uma palavra boa, ou
regueiros nordestinos. O regueiro do todos os fundamentos filosóficos, do Deus que ele chama Deus (...). O
Brasil não conhecia o reggae com religiosos e por aí vai. (...) Eu gosto do Ser Humano procura a compreensão
esse nome. Até lá no Maranhão havia fundamento. Respeito a origem, inde- e a luz que entende como a fonte
uma cultura fechada já de reggae. pendentemente da parte religiosa de geral para todo mundo, mesmo que
Mas o músico brasileiro conhecia cada um. Acho a filosofia do reggae possua nomes diferentes, de acordo
reggae como xote, baião, embolada, coisa fundamental e muito boa para com a região, com a própria religião.
coco. Os ritmos do Nordeste, todos a vida das pessoas. (...) Essa filosofia Aí vou falar também um pouco disso
eles, na realidade, são irmãos ou de boas coisas e de tranqüilidade, de sobre o Paiva Netto. É meu vizinho,
primos do reggae. (...) “Olha, vai tudo dar certo”, sabe, o eu o conheço — de carne e osso — o

24 BOA VONTADE
vejo quando passa, vem aqui ver as professores fazendo a sua parte... E
crianças, faz as obras sociais. É um o Paiva Netto tem a característica
incrível e maravilhoso administrador! maravilhosa de ter começado e fun-
Falo isso assim, sem nenhum receio, damentado isso tudo. Porque a gente
porque a pessoa só consegue hoje em precisa de cada uma das pessoas que
dia fazer as obras que ele está reali- tenham as possibilidades intelectuais
zando e as possibilidades que está ou de trabalho, com a carga no limite
propondo com diplomacia, pegando máximo, trabalhando por alguma
um avião, com sua pasta 007 debaixo coisa positiva. Acho que o Paiva é
do braço e fazendo os contatos que “A LBV tem sempre um regueiro. Ele tem o reggae no
tiver que fazer. E isso não é milagre. coração, ou eu tenho a Boa Vontade
A Espiritualidade está dentro dele umas campanhas, umas no meu coração. Enfim, a gente não
e também em todos os voluntários assinaturas. Sempre fiz sabe o que é, mas, quando falamos
que participam da LBV. Eu não vejo do sentimento, aí estou só fazendo
diferença, por exemplo, com a moça questão de participar uma comparação do reggae com a
que eu conheci lá em cima fazendo por um motivo simples, Boa Vontade. O reggae é um pouco
o trabalho voluntário dela, de cuidar disso, um movimento filosófico que
dos ferimentos das crianças caso elas porque há sinceridade. você pensa, mentaliza isso muito
se machuquem na escola. Ela está Adorei ter passado mais do que qualquer outra coisa.
aqui de graça, trabalhando, limpinha, Aí, automaticamente, de tanto você
linda, higiene perfeita para quem vai a manhã com vocês. pensar nessa coisa positiva, acaba
cuidar de ferimentos, de machucados, Quero voltar!”. realizando e vivendo um pouco disso
com um sorriso enorme no rosto. Os também. (...)

Integrantes do grupo Cidade Negra. Da esquerda para a direita: Bino


Farias (baixo), Toni Garrido (vocal), Lazão (bateria) e Da Gama (guitarra).

Divulgação

BOA VONTADE 25
Edson Freitas
Feliz encontro — No centro,
Paiva Netto e Lucimara Augusta
aparecem ladeados pelo famoso
vocalista do grupo Cidade Negra,
Toni Garrido, sua bela esposa
Regina e as lindas filhas do casal,
Victória (que está junto ao cantor)
e Isadora, no colo da mãe. O
feliz encontro ocorreu na capital
fluminense.

BV — O Cidade Negra BV — É hora da mudança, de


tem uma preocupação de
“O Cristianismo é a nossa as pessoas começarem a se
levar música com boas força. A gente debate preocupar um pouco com o
mensagens. O CD mais muito sobre as religiões outro?
recente do grupo, intitulado que pregam o Cristianismo, Toni Garrido — Acredito que
“Perto de Deus”, é uma porque ele é maravilhoso, sim, porque os nossos avós já fala-
comprovação disso? vam que era a hora da mudança na
Toni Garrido — Sim. Esse é o é fundamental. Jesus Cristo época deles... E aí, o tempo passa, as
título do álbum e surgiu muito na- é um Ser absolutamente gerações passam, porque, dos nossos
turalmente, porque é como a gente único, especial, diferenciado avós para cá são três gerações, pratica-
pensava. Sem percebermos, várias dos outros Seres.” mente. É preciso fazer algo. O Paiva
músicas nesse álbum tinham alusão Netto tem uma frase maravilhosa:
à religiosidade, a Deus, a monge, “A elite do Brasil é o seu Povo”. (...)
a Cristo, ou ainda a pensamentos O Cristianismo é a nossa força. A Aqui, a Obra da LBV é toda em cima
filosóficos que vieram junto de gente debate muito sobre as religiões de doações, voluntariado e com a
questionamentos religiosos. Trata- que pregam o Cristianismo, porque batalha do Paiva Netto. (...) É uma
mos muito desses temas no álbum e, ele é maravilhoso, é fundamental. pessoa do Bem, religiosa, ecumênica,
quando chegou a hora de pensar no Jesus Cristo é um Ser absolutamente e que botou isso na cabeça: fazer boas
nome do disco, vendo as músicas, único, especial, diferenciado dos coisas. Ele não merece ter a casa em
percebemos esta: Perto de Deus. (...) outros Seres. (...) que mora? Merece! Merece tudo de
bom para ele, para a família dele, para
os filhos dele, e ninguém tem de ficar
de olho gordo nisso. Por quê? Porque
Arquivo BV

O Centro Educacional, Cultural e Comunitário, da LBV,


no Rio de Janeiro/RJ (Av. Dom Hélder Câmara, 3.059, Del ele está fazendo a parte dele, a minha,
Castilho), com 5.000 m2 de área construída, atende crianças,
jovens, adultos e idosos em situação de risco social e a sua, a de um montão de gente. É isso
pessoal provenientes das comunidades em torno das favelas que eu prego, que todo mundo faça a
do Guarda, Jacarezinho, Parque Evereste, Nova Brasília, sua parte, sem demagogia.
Manguinhos, Parque União de Del Castilho, Complexo do
Alemão, Águia de Ouro e Comunidade de Escol.
BV — No mês de junho, o
Líder da LBV comemora 50
anos de trabalho na Obra.
O que você destaca desta
trajetória?
Toni Garrido — De perseve-
rança, o Paiva sabe tudo. Ele tem de
passar a bola para a gente de todas

26 BOA VONTADE
essas esperas dele, de 50 anos de “Dá para ver nos olhinhos LBV, só de ver a obra, para mim, já
trabalho. São 50 anos de muita espe- está bom. Aqui se faz muito mais do
ra. Basicamente, o que ele deve ter destas crianças da que muita gente que conheço, que
ouvido de não!... Deve ter sido muito LBV que elas recebem tem grandes possibilidades e nada
mais do que sim. Você aprende muito uma boa alimentação, realiza. O Paiva é uma pessoa que eu
com isso também. Quando se tem um admiro. É um belíssimo exemplo de
objetivo que vai além da expectativa, educação plena, alegria.” benfeitoria, porque não fica angarian-

Toni Garrido em dois momentos da visita: jogando futebol de botão no espaço recreativo (E) e escrevendo seu depoimento no
Livro do Coração.

parece um sonho... A LBV, hoje, é a “Você vê no rosto delas do, nunca angariou comigo, nunca
LBV que ele sonhou há décadas, e que são dignas, com pais chegou para mim e ficou tirando uma
não tem nem o que falar. Se for parar onda. Eu não sou ninguém, não sou
para pensar na história dele, de rea- carinhosos, sem marcas de nada, mas tem gente que gosta de
lização, nem deve lembrar dos nãos: violência física ou qualquer estar do ladinho porque você está na
deve ser tão bom ver que tudo acon- dessas coisas. Isso é o televisão. Ele nunca fez nada disso.
teceu, que as partes ruins, de alguma Antes mesmo de conhecê-lo, eu já
forma, devem ter passado. (...) Ele fundamental. Foi essa a gostava da Legião da Boa Vontade.
se superou. Se não, não estaria aqui impressão que tive visitando Tem sempre umas campanhas, umas
entre nós. Ele passou por provas de a LBV. (...) É uma comida assinaturas. Sempre fiz questão de
fogo e venceu! E quando passamos participar por um motivo simples,
por qualquer pedaço, sentimos que caprichada, balanceada; porque há sinceridade e quando co-
foi maravilhoso porque fortaleceu uma biblioteca maravilhosa; locaram à prova, continuei vendo
ainda mais a gente. Fico muito feliz tudo lindo; uma enfermaria sinceridade e foi exatamente nessa
pelo fato de ele não ter desistido nes- época que o conheci, e a família
ses 50 anos, porque podem falar o perfeita, com uma voluntária dele, pessoalmente. Não somos
que for, o que quiserem, mas o que os maravilhosa que está ali, e amigos de freqüentar a casa, mas
olhos vêem o coração sente. Basta vir você vê que ela está fazendo de ter respeito e carinho absolutos
aqui. Venha ver e tirar a prova. Vá aos um pelo outro. Considerando a
outros locais da LBV. Você vai tirar a
aquilo por amor, então dá pessoa, gosto ainda mais da Obra.
dúvida na hora. Eu não tinha dúvida tudo certo. Fiquei muito feliz Adorei ter passado a manhã com
alguma! Como sempre acreditei na com o que vi na LBV!” vocês. Quero voltar!

BOA VONTADE 27
Capa — Arte, Cultura e Emoção

Pilares da
tradição gaúcha _______________
Angélica Beck e
Natália Lombardi

Q
uando se tem contato Não é preciso ser tradiciona-
No coração de com a cultura gaúcha lista, andar pilchado, participar
não restam dúvidas: a de cavalgadas (romarias) ou
Porto Alegre, o força deste Estado está apreciar a trova gauchesca para
centenário Theatro na sua tradição. O Rio Grande carregar na alma a essência rio-
do Sul destaca-se pelo grande grandense. Na verdade, nem
São Pedro figura valor que concede às rodas de é preciso ser gaúcho, basta ter
conversa em torno do fogo de coração, amor, apego por aquilo
como símbolo de chão para falar da vida, tomar que se pode chamar de nosso.
cultura e arte chimarrão e ver o tempo passar O denominador comum está no
não deixando que ele carregue sentimento da construção cole-
consigo a história e os costu- tiva, de dar valor ao que se tem
mes. de melhor.

Guilherme Hornos

28 BOA VONTADE
Divulgação
Vista central do Theatro São Pedro. Neste palco, com sua bela decoração, terá lugar a homenagem dos gaúchos a José de Paiva Netto pelos 50
anos de trabalho a serviço do Povo.

Uma síntese exemplar disso tudo é “(...) Uma das mais Somente em 27 de junho de 1858
a história e significado do Tradicional o sonho se concretizaria com a inau-
Theatro São Pedro, em que o sonho importantes casas de guração do Theatro São Pedro, bem
de preservar as diferentes manifesta- espetáculo do país, no coração de Porto Alegre (Praça
ções culturais despontou em 1833, Marechal Deodoro — Matriz). E já
legitimado por um movimento que
o Teatro São Pedro
daquela época despontou como palco
surgia para erigir um teatro no centro simboliza a própria para as principais manifestações cul-
da capital gaúcha. A intenção era ter essência do processo turais da cidade. Só para se ter uma
um lugar que abrigasse adequada- idéia, entre os ilustres que circularam
mente as mais diversas expressões. cultural do Rio Grande pelos camarotes, galerias e palco do
Com um terreno doado na praça do Sul. (...) Desde sua Theatro São Pedro, estão personali-
municipal, começaram as obras. No inauguração, em 1858, dades que marcaram as páginas da
entanto, entre os anos 1835 e 1845, a história artística e política do Brasil.
construção teve de ser paralisada nos foi caldeando a formação Na orelha do livro O Teatro São
alicerces, em função da Revolução espiritual e cívica do Pedro na vida cultural do Rio Gran-
Farroupilha. de do Sul, publicado pela Secretaria
povo gaúcho.”

Fotos: Lucian Fagundes

BOA VONTADE 29
Cultura
Capa — Arte, Cultura e Emoção
Foto gentilmente cedida pelo teatro São Pedro

Sob a regência do Maestro Antônio Carlos Borges Cunha, a Orquestra de Câmara Theatro São Pedro já se apresentou em diversos países.
Na noite de 20 de junho, ela se juntará ao Coral Ecumênico LBV, formado por 100 vozes, para interpretar as composições de Paiva Netto.

de Cultura do Estado, em 1975, os mais do que um belo edifício do artistas de outros Estados e até de fora
autores Athos Damasceno, Gui- ‘demi-siécle’ passado. O São Pedro do País, cujas presenças reforçavam
lhermino Cesar, Paulo Antônio é a própria cultura rio-grandense. os trabalhos culturais na província.
Moritz e Herbert Caro destacaram: Melhor dito: é o monumento erguido Em 1928,
“(...) uma das mais importantes casas à cultura rio-grandense”, frisou o o consagrado
de espetáculo do país, o Teatro São jornalista. maestro Heitor
Pedro simboliza a própria essência Villa-Lobos vai
do processo cultural do Rio Grande Palco de talentos ao local acom-
do Sul. (...) Desde sua inauguração, O Theatro São Pedro, desde sua panhado pelo
em 1858, foi caldeando a formação fundação, exerceu papel estimula- pianista Arthur
espiritual e cívica do povo gaúcho. dor da arte dramática. Dos grupos Rubinstein. O
(...) Difundindo cultura e idéias, de jovens, aspirantes amadores da dramaturgo
apresentado artistas de renome in- expressão cênica, às companhias Ronan Riesch
ternacional, acolhendo movimentos organizadas, todos se encontravam e também figurou
inovadores que, buscando outros ensaiavam no imponente casarão da no teatro, no ano
Arquivo BV

caminhos, revelaram novos aspectos Praça da Matriz. Foi seu palco que de 1931. Em
do mistério incomensurável do ser atraiu a Porto Alegre companhias e 11 de junho de
humano e diversificadas perspectivas
da realidade social, o Teatro São
Daniel Trevisan

Coral Ecumênico LBV


Pedro tornou-se o mais significativo
pólo de difusão da arte e da cultura
do Sul do Brasil”.
A obra ainda apresenta uma de-
finição do advogado e jornalista ve-
terano do Correio do Povo Manuel
Braga Gastal. “Um edifício pode vir
a ter alma. O São Pedro chegou a
essa fase de espiritualização: é mais
do que uma construção centenária,

30 BOA VONTADE
Guilherme Hornos
1952, o pianista austríaco Friedrich
Gulda mostra o seu talento ao públi-
co. Também passaram por lá Mary
Anderson, Sebastian Benda, Jörg
Demus, Eugène Ionesco, Cacilda
Becker, Marcel Marceau, Olavo
Bilac, Getúlio Vargas, Borges de
Medeiros, a Orquestra de Versalhes,
entre outros.
Em 1973, o local foi fechado
para reformas. Dois anos mais tarde,
atendendo a pedidos da comunidade
apreciadora da arte, foram iniciadas
as obras de restauração da casa, sendo Um dos ambientes internos do Theatro São Pedro
devolvida ao Povo em 28 de junho de
1984, dotada de modernos recursos,
obra de Educação e Promoção Social,
equipamentos cênicos e sistema de “Não será simplesmente
é uma das mais expressivas imagens
iluminação. Em agosto desse mesmo
ano, foi assinada portaria autorizando
da capacidade de realização e da So- um concerto de música,
lidariedade do Povo gaúcho, sendo a será um momento
o tombamento do prédio pelo Institu-
prova de que é possível transformar
to do Patrimônio Histórico e Artístico
o Brasil, ao resgatar nossos jovens
de congregação,
do Estado (Iphae). diretamente associado
das situações adversas que o destino
Em 2006, o orgulho dos pampas
completa 148 anos. Antes, porém,
lhes impôs e devolvê-los à sociedade aos princípios da Legião
como verdadeiros cidadãos, valentes, da Boa Vontade.”
uma outra comemoração especial
determinados e orgulhosos do lugar
promete acender as recordações do
onde vivem. Maestro Cunha
Rio Grande do Sul. O Theatro São
Pedro se faz, mais uma vez, palco de
belas páginas da vida gaúcha, abrin-
TEMPLO DA NATUREZA
do as cortinas em 20 de junho para Lar e Parque Alziro Zarur, da LBV, em Glorinha/RS — Rodovia RS 030, km 19,
apresentar a Noite Cultural Emoções tel.: (51) 3487-1033.
e Memórias, festejando os 50 anos
de trabalho do jornalista, escritor e
Armando Kitamura
compositor José de Paiva Netto na
Legião da Boa Vontade, a serem com-
pletados no dia 29 do mesmo mês, dia
dos santos Pedro e Paulo.
A escolha de Porto Alegre para
sede de um dos eventos comemo-
rativos é providencial, pois é neste
solo que a LBV mantém um dos seus
modelares centros de atendimento.
Há 51 anos na cidade, a Instituição
tem sua trajetória permeada pelos
próprios acontecimentos da região.
Fundado em um terreno doado no
município de Glorinha (a 44 quilô-
metros da capital), em 23 de maio
de 1960, o Lar e Parque Alziro Zarur,

BOA VONTADE 31
Capa — Arte, Cultura e Emoção

Reprodução RMTV
Emoções e Memórias
Sob a regência do maestro
Antônio Carlos Borges Cunha,
a Orquestra de Câmara Theatro
São Pedro apresentará, ao lado
do Coral Ecumênico LBV (com- Maestro
posto por 100 vozes), grandes tradicionalista
erudito
sucessos musicais de autoria do
homenageado, entre elas Marcha
dos Soldadinhos de Deus (com-
posição inicial de Paiva Netto Maestro Cunha
cantada, pela primeira vez, em
abril de 1960, pelas crianças do Antônio Cunha trabalha, desde gre como contrabaixista. Atual-
Instituto São Judas Tadeu, onde o 1996, como regente convidado. mente sou professor da URGS.
Líder da Legião da Boa Vontade Há 3 anos, a convite da ilustre Eva Meu mestrado e doutorado são na
colaborava voluntariamente); Sopher, assumiu o cargo de diretor área de composição musical.
Ave, Maria! Mater Jesus (dedi- artístico da Orquestra. O músico
cada ao Brasil); Deus é a nossa gaúcho recebeu a nossa equipe de BV — Falando da música
Fortaleza, trecho do Oratório O reportagem no próprio local em que como algo a ser sentido
Mistério de Deus Revelado; Amar ocorrerá o evento e recordou histórias como hinos de louvor, o
com o Amor de Deus (dedicada à da infância. que teremos no próximo 20
mãe dele, Idalina Cecília); Cân- de junho, no palco do São
tico Suave; Prece para ter Tran- BV — Como foi sua Pedro?
qüilidade; Deus é a minha Força; descoberta como músico? Maestro Cunha — Não é sim-
e Emmanuel Adolfo (dedicada ao Maestro Cunha — A música e plesmente a música pela música,
seu filho caçula). o som sempre foram necessidades é um momento de congregação,
O evento contará com a parti- para mim. Nasci numa fazenda diretamente associado aos princí-
cipação do grupo Raízes do Rio no interior de Vacaria, na divisa pios da Legião da Boa Vontade,
Grande e de trovadores gaúchos. com Bom Jesus e fui criado nela. ao exemplo de Paiva Netto nos
Na oportunidade, Paiva Netto Convivi com animais domésticos, seus 50 anos de dedicação ao Ser
receberá pessoalmente os cumpri- senti a relação do Homem com Humano, de preocupação com os
mentos de personalidades, amigos a Natureza, ajudei meus pais, problemas sociais que são muitos
e colaboradores da LBV. O encon- que eram pequenos produtores em nosso País, e a LBV tem con-
tro trará também a retrospectiva agropecuários. E mesmo não tribuído para amenizá-los. Estamos
sobre a sua trajetória de vida e de tendo ambiente familiar no qual com a Orquestra de Câmara do
trabalho em prol da Solidariedade se cultivava a música, não sei por Theatro São Pedro reforçada com
Altruística Ecumênica. que eu tinha necessidade do som, músicos convidados e um coro de
A composição O valor da gra- da música. Meus pais contavam mais de 100 vozes para interpretar
tidão marcará o encerramento que meus brinquedos eram sem- as canções dele, que são realmente
dessa festa que assinala o Jubileu pre inventar instrumentos e fazer hinos de louvor. Observem os tí-
de Ouro do dirigente da LBV. Para sons, ruídos. Comecei tocando tulos: Deus é a minha Força. São
participar desse concerto especial, acordeão, trabalhei também com hinos de Solidariedade, de confian-
basta fazer as reservas ligando música regional, do Rio Grande do ça na Paz, no Amor. Prece para ter
para o telefone: (11) 3225-4500 Sul. Toquei acordeão na Rádio Es- Tranqüilidade, é disto que todos
ou (51) 3325-7000. Se preferir, meralda, em Vacaria, e formei um precisamos. Sentimo-nos honrados
dirija-se pessoalmente à LBV em grupo regionalista que se chamava em participar dessa homenagem
Porto Alegre/RS (Av. São Pedro, Os Caudilhos. Atuei, nessa mesma ao homem que é um símbolo da
esquina com Av. São Paulo, Bairro época, regendo coro e vim para a Bondade, do Amor, da dedicação
São Geraldo). Orquestra Sinfônica de Porto Ale- ao Ser Humano.

32 BOA VONTADE
Internacional — Nova York

Alto-Astral no
Harlem
Oratório O Mistério de Deus Revelado
do compositor Paiva Netto tem sua primeira
audição mundial em Nova York
______________
Rodrigo Oliveira
Fotos: Vieira Filho

“E stamos felizes por ter


feito história.” O fato a
que se refere o respei-
tado maestro e profes-
sor norte-americano Gregory
Hopkins é a apresentação do
Oratório O Mistério de Deus
Revelado, do compositor Paiva
Netto, que arrancou aplausos do
público presente na Convent Ave-
nue Baptist Church, em Nova York
(Estados Unidos), no dia 9 de abril,
no Concerto da Semana Santa.
Sob a regência de Hopkins, o
Coral do Santuário (The Sanc-
tuary Choir), composto de afro-
americanos, apresentou a primeira
audição mundial em inglês da obra
e encantou os que estavam também
em outros países — o evento foi
transmitido em tempo real pela
Super Rede Boa Vontade de Co-
municação.
Mais que registrar o aconteci-
mento em si, é imprescindível abor-
dar nesta reportagem o fascínio
PhotoDisc

que a música de Paiva Netto des-


perta no público que, por apreciar
suas criações, o colocou na posição

34 BOA VONTADE
de um dos compositores de música
erudita que mais vendem no País.
Como produtor, alcançou também
grande êxito com LPs de orações,
vendendo milhões de discos.
De todo esse universo musical
do compositor, O Mistério de Deus
Revelado — cujas vendas superaram
500 mil cópias — é, certamente, um O renomado maestro norte-americano Gregory Hopkins ladeado pelos Legionários Vanderlei
Alves Pereira, maestro, e Sâmara Malaman, que fez a locução, em inglês, das passagens
dos trabalhos que mais chamam a bíblicas da obra no concerto.
atenção do público. Inovador, o Ora-
tório tem partes destinadas a coro e, e Paiva Netto declama com muita Depois de receber de presente do
em vez dos tradicionais recitativos, emoção”. O maestro e Legionário Líder da LBV uma placa comemo-
há narrativas na voz de Paiva Netto, Vanderlei Alves Pereira conta rativa do acontecimento — entregue
com passagens do Evangelho e do que: “após, Hopkins ligou para o pela Legionária da Boa Vontade Con-
Apocalipse de Jesus, alternadas com compositor, no Brasil, pedindo-lhe ceição Malaman —, o maestro nor-
o canto do Coro Capela Svetoslav a autorização para apresentar num te-americano manifestou sua alegria
Obretenov, da Bulgária. outro grande concerto as demais pelo fato de interpretar a composição
Essa característica encantou o obras que compõem o Orató- em sua 1ª audição mundial em inglês.
regente americano do con- rio O Mistério de Deus “Muito obrigado, em nome de Deus e
certo em Nova York, Revelado”. em nome do povo da Convent Avenue
Gregory Hopkins. Baptist Church! Nós estamos muito
Ao ouvir pela pri- felizes de termos contribuído com a
meira vez a faixa nossa pequena parte em fazer histó-
Glória!, levantou- ria. Agradecemos a Deus por essa
se e, empolgado, oportunidade também de apresentar
bradou: “Que ma- a mensagem das músicas de Paiva
ravilha esta obra Netto que trazem a Paz de Deus ao
mundo”, frisou Hopkins.

BOA VONTADE 35
Internacional — Nova York

Mais de meio milhão de nem palavras para expressar minha


CDs já foram vendidos emoção”, ao ouvir as apresentações
das músicas Glória, Jesus Pregando
— Vejo a Luz do Mundo Novo, Prece
para ter Tranqüilidade e Novo Man-
damento de Jesus”.
O maestro Vanderlei Pereira,
responsável pela orquestração de O
Mistério de Deus Revelado, afirma
que o trabalho é de alcance universal A Legionária Conceição Malaman e o
maestro Hopkins
e, especialmente, do interesse de todo
Aqueles que ouvinte que queira sentir a presença

Reprodução JEC
não são estudiosos da mú- de uma energia superior por meio da “A Face de
sica também se revelam fascinados música. E conclui: “O CD é ótimo.
com a obra. A militante da LBV dos Vale a pena conferir!”
Deus é o Amor
Estados Unidos Mariana Malaman é um exemplo
assistiu comovida ao evento e desta- Erudito e popular magnífico de
cou a receptividade do público quanto A primeira audição mundial em qual o valor
à originalidade do autor. “Não tenho inglês do Oratório de Paiva Netto, em
da música, da
Visão parcial do The Sanctuary Choir, durante o concerto. profundidade
da música. Tem uma
mensagem maravilhosa de
esperança, de sentimento
interior, e é, tecnicamente,
muito bonita, bem escrita
e de grande profundidade.
Todos nós deveríamos
ouvi-la para ter momentos
melhores na vida, para
nos inspirar. Realmente, é
uma grande obra”.
Maestro Eduardo Escalante

Nova York, ocorreu em um momento


significativo, pois o compositor ce-
lebra 50 anos de trabalho dedicado
ao Povo. Uma das mais expressivas
homenagens será feita no Theatro
São Pedro, em Porto Alegre, por meio
de um concerto de composições do
homenageado (veja reportagem na
página 28).
É interessante dizer ainda que
Paiva Netto, ao desenvolver suas

36 BOA VONTADE
Atento, público que superlotou a Convent Avenue Baptist Church acompanha concerto de música com composições de Paiva Netto.

vsky, Ricardo Averbach, José do


Espírito Santo (in memoriam), Hé-
lio Rosa, o búlgaro Alexander Yossi-
fov (com o qual Paiva Netto escreveu
um concerto para piano e orquestra)
e Almeida Prado (ao lado de quem
compôs a Sinfonia Apocalipse).

Há mais de 20 anos, sucessos Dorival Caymmi Isaac Karabtchevsky


O primeiro sucesso musical do
canções, sempre se preocupa em dirigente da LBV remonta ao início Clássicas, sob a re-
unir a erudição ao gosto popular, de da década de 1980, quando lançou, gência do renoma-
modo que as melodias sejam de fácil homenageando o povo baiano, Ne- do maestro Isaac
assimilação e apresentadas de forma grada – Jesus, o Grande Libertador, Karabtchevsky. A
ecumênica, simples e original. com vendagem de 100 mil cópias, esplêndida Casa da
Seu trabalho já mereceu elogiosos uma conquista inédita no gênero eru- Cultura carioca fi-
comentários de nomes importantes, dito (música de concerto). Por sinal, cou completamente
como Dorival Caymmi, Ricardo em 30 de abril de 1983, o Theatro lotada.
Cravo Albin, Francisco Mignone Municipal do Rio de Janeiro foi palco Karabtche- Ricardo Averbach
(in memoriam), Isaac Karabtche- do III Concerto da LBV de Músicas vsky, ao se inteirar
Fotos: Arquivo BV

Alexander Yossifov Hélio Rosa Ricardo Cravo Albin José do Espírito Santo Francisco Mignone Almeida Prado

BOA VONTADE 37
da partitura de Negrada – Jesus,
o Grande Libertador para a apre-
sentação, assim se expressou:
“A composição me surpreendeu
pelo caráter rítmico e, ao mesmo
tempo, pelo contraste marcante
entre o ritmo e a melodia. É uma
obra realmente muito inspirada.
Estamos procurando traduzir a
linguagem de José de Paiva Netto
para a grande Orquestra Sinfôni-
ca, e eu tenho certeza de que vai
ser uma edição bastante completa
das idéias originais do José. Estou Aspectos festivos no superlotado Theatro Municipal do Rio de Janeiro, em 30 de abril de
1983, após grande concerto, sob a regência de Isaac Karabtchevsky, que aparece ao lado de
certo de que ele ficará contente Paiva Netto, no momento em que ele acena para o Povo presente.
com esse trabalho, da mesma
forma como nós ficamos entusias- Além desses, o compositor recebeu o nome A Face de Deus é
mados pela maneira com que ele também lançou os CDs Sinfonia o Amor, no qual o autor nos convida
conseguiu traduzir em música todo Apocalipse (trabalho em parceria à reflexão da pergunta, que, certa
o seu grau de sensibilidade”. com o maestro Almeida Prado), e vez, lhe foi feita pela saudosa jorna-
Após o concerto, Paiva Netto Suíte Aquarius – A Dança dos Mun- lista Cassandra Rios (1932-2002):
encontrou-se com o mundialmente dos (com orquestração do músico “Como é a Face de Deus?”. Ao que
aplaudido maestro que, aproveitando Alexander Yossifov). As duas peças ele respondeu: “A Face de Deus é o
o ensejo, referindo-se ainda a Ne- sinfônicas foram gravadas nas terras Amor. Quanto mais amamos, mais
grada, o chamou de genial. Ao que de Pancho Vladiguerov, sendo a ele se manifesta em nós”. Com sua
Paiva Netto, sorridente, completou: primeira pelo Coro e Orquestra da profunda harmonia muito original,
“Como diria o velho Villa-Lobos, de Rádio Nacional da Bulgária, e a proporciona momentos de elevada
quem sou fã absoluto: ‘genial, não, segunda pela Sofia Chamber Players meditação, fator preponderante para
genioso’” (risos). Orchestra. O mais recente sucesso tal empreitada.

38 BOA VONTADE
Em foco

Débora Verdan
De coração
aberto _____________
Débora Verdan
Arborizado, o Centro Comunitário da LBV em Teresina, no Piauí,
dispõe de amplo espaço para a recreação das crianças.

Fátima Pires
Há mais de 50 anos, diariamente, Boa Vontade é magnífica!”, ressaltou
amigos e colaboradores ingressam o comunicador piauiense.
nos portais da Legião da Boa Vonta- No interior paulista, em São
de em todo o Brasil e Exterior para José dos Campos, a Instituição
receber o afetuoso abraço de milhares mantém o Centro Comunitário e
de crianças, jovens, adultos e idosos Educacional que realiza diversas
atendidos pela Instituição. Sempre ações em benefício da população
de braços abertos, a LBV comove em risco social.
quem a conhece ou quem a revisita A iniciativa foi destacada pelo
inúmeras vezes. Nesta edição da Prefeito da cidade, Eduardo
BOA VONTADE, confira o registro Cury. Para ele, “a história da
daqueles que visitaram a Legião da LBV se confunde com a de Paiva
Boa Vontade em duas de suas seções Netto”. Aproveitou também para O Prefeito Eduardo Cury ao lado de
de atendimento. manifestar seu apoio à causa. sua simpática esposa, Rosana Dalla
Torre.
No Nordeste do “Quero desejar à LBV e a ele
Débora Verdan

País, em Teresina/ as maiores felicidades possíveis,


PI, o apresentador porque o Brasil precisa muito que atividades realizadas pela garota-
de TV Mariano o Terceiro Setor, que entidades da. “Estou sentindo um misto de
Marques, ao co- fora do círculo governamental emoção e vergonha... Emoção por
nhecer as ativida- atuem também para diminuir a ter visto o carinho com que vocês
des desenvolvidas, desigualdade social. Parabéns, tratam as crianças, com respeito
ficou emocionado LBV! Parabéns, Paiva e dignidade. Vergonha por
com o que viu. “É Netto, por esse belo não ter conhecido antes.
Arquivo BV

espetacular! Eu trabalho!”, registrou. Valeu muito mesmo co-


não consigo ver o Brasil sem a Este trabalho pôde nhecer o trabalho da LBV.
Legião da Boa Vontade. (...) É um ser apreciado de perto Parabéns ao Paiva Netto
trabalho maravilhoso, sério, ho- pela Vereadora Dulce e a todos vocês, porque
nesto, vemos que ajuda os menos Rita. Recepcionada atuam com o coração, por
favorecidos. A gente vê isso pela pelos pequeninos do isso o trabalho está sendo
alegria das crianças. A Legião da Programa, conferiu as profícuo”, destacou, admi-
rada, a Vereadora.
Liliane Araújo

Vista parcial da fachada do Centro Comunitário e Educacional


da LBV, em São José dos Campos, no Vale do Paraíba, interior
paulista.

BOA VONTADE 39
Medicina IVO
EXCLUS

Saúde dos
olhos Conheça a Degeneração Macular Relacionada à Idade e saiba como tratar a doença
Dr. Fernando Kayat Avvad
Dra. Luciana Lucchese

A
vida é, em boa parte, O risco de desenvolver a DMRI
Arquivo pessoal

uma experiência visual. aumenta com a idade, chegando a


Nas várias atividades 30% após os 75 anos. Dentre os fa-
em nosso dia-a-dia, por tores de risco destacam-se: histórico
mais banais que sejam, os meca- familiar, fatores nutricionais, fumo,
nismos da visão desempenham um excessiva exposição à luz solar (raios
papel central. Por conseqüência, um ultravioleta), hipertensão arterial e
distúrbio neste complexo e delicado doença cardiovascular.
sistema gera desconforto ou mesmo Estudos mostram que, nos está-
Dr. Fernando Kayat inviabiliza a execução de muitas tare- gios iniciais da doença, o transporte
Avvad, Ex-fellow fas, antes corriqueiras, com prejuízos de nutrientes e resíduos do metabo-
do New England
Eye Center, Tufts
para a produtividade profissional ou, lismo das células da retina — através
University, Boston ainda, reflexos negativos no campo de uma camada que recebe o nome de
(EUA). psíquico da pessoa afetada, quando o Epitélio Pigmentado da Retina (EPR)
hábito da leitura ou mesmo o simples — fica mais lento. Como conseqüên-
Arquivo pessoal

ato de reconhecer um rosto amigo cia do acúmulo desses resíduos no


tornam-se um difícil desafio. espaço subretiniano (entre a retina e o
A Degeneração Macular Rela- EPR), surgem depósitos amarelados
cionada à Idade (DMRI) é a causa chamados drusas.
mais comum de deficiência visual em Nesta fase, o exame realizado
pessoas acima de 55 anos no mundo pelo oftalmologista mostrará apenas
ocidental e se caracteriza pela perda a presença dessas drusas, que devem
progressiva da visão central, isto é, a ser monitoradas no decorrer do tem-
percepção de detalhes, que nos ca- po. Muitos daqueles com mais de 60
Dra. Luciana
Lucchese, pacita a ler e distinguir o rosto, entre anos têm algumas drusas e a maioria
oftalmologista e outras atividades essenciais. Trata-se não sente nenhuma mudança em
Membro Titular do
Conselho Brasileiro
de uma doença que acomete a área sua visão, assim permanecendo, não
de Oftalmologia. central da retina, a mácula (leia boxe evoluindo para perda visual. De fato,
na página 42). a maior parte das pessoas que desen-

40 BOA VONTADE
PhotoDisc

BOA VONTADE 41
Medicina

que detalha o problema com a vi-


sualização e estudos dos neovasos,
auto-exame em casa com a Grade determinando o tamanho, a posição
de Amsler (faça o teste na página 44) e os tipos existentes, além de detectar
volve degeneração macular apresenta também é importante para o acompa- se há algum vazamento.
uma característica incipiente da nhamento. A angiografia, além de não ser
doença e experimenta apenas uma Para um bom diagnóstico, a dila- dolorosa, é bastante segura. O pa-
perda visual mínima, não evoluindo tação das pupilas, com algumas gotas ciente senta-se diante de um aparelho
para uma forma mais grave. Porém, de colírio, se faz necessária. Depois, capaz de fotografar a retina e recebe
em alguns casos, as drusas poderão o paciente será examinado com len- a injeção de um corante em uma veia
evoluir para uma das duas formas tes especiais, que possibilitam uma do antebraço ou da mão. A substância
severas da doença: a seca (chama- visão minuciosa da retina em grande entrará na circulação e, ao chegar à
da pelos médicos de atrófica); e a aumento. Com estes procedimen- retina, distingue os vasos sanguíneos
úmida ou exsudativa (ver destaque tos, o médico passa a observar se do tecido, o que torna possível rea-
na página 45). há a presença de líquido ou sangue lizar uma série de fotografias, com
Um exame oftalmológico com- sob a retina. Se forem observadas filtros especiais. A angiografia com
pleto é a melhor maneira de deter- alterações, indica-se a realização de a fluoresceína é muito segura e já foi
minar a presença do problema. O angiografias — outro tipo de exame realizada em inúmeros pacientes nos

O olho é um órgão complexo composto por várias estruturas anatômicas. Uma


boa visão depende de seu trabalho em conjunto. Estas estruturas são:
Córnea: é uma lente transparente localizada na
parte anterior do olho e ajuda na focalização dos raios
luminosos que entram no globo ocular.

Íris: é a parte colorida do olho. A íris fica dilatada no


escuro e fechada (contraída) se houver muita claridade,
funcionando como o diafragma de uma câmera fotográfica.

Cristalino: é uma lente transparente e flexível que produz


o foco das imagens na retina. Com a idade o cristalino se
opacifica, e então temos a catarata.

Mácula: é o centro da retina, apresentando uma densa


população de fotorreceptores. O ponto central da mácula
é chamado de fóvea e permite a visão de detalhes, como a
leitura e a visualização das fisionomias.

Humor vítreo: é um “gel” transparente que preenche a


cavidade do globo ocular.

Nervo óptico: é composto por um feixe de fibras nervo-


Retina: é uma fina película de tecido nervoso composto por dez camadas de células sas que carreiam os estímulos visuais da retina ao cérebro.
que recobrem a superfície interna do olho. Uma dessas camadas é formada pelos
fotorreceptores (cones e bastonetes) que são células sensíveis à luz, cuja função é Coróide: é uma camada de vasos sanguíneos que supre
transformar a luz em impulsos elétricos. Outra camada importante é chamada de epitélio de oxigênio e nutrientes as camadas externas da retina.
pigmentado da retina (EPR), que se localiza logo atrás da camada dos fotorreceptores. Sua
função é de absorver o excesso de luz e transportar os nutrientes, oxigênio e os restantes Esclera: é um tecido fibroso, branco, que constitui a parede
do metabolismo celular entre os fotorreceptores e a coróide. do globo ocular.

42 BOA VONTADE
últimos 30 anos. Não produz sinto- zada no combate da forma úmida da corante se acumulou, são destruídos,
mas na maioria dos casos, raramente degeneração macular. Ela se baseia não havendo danos à retina.
ocasionando uma breve sensação de no uso de um corante especial e de O tratamento é indicado nos ca-
náusea ou outros sintomas que peçam um laser capaz de ativar esse corante sos em que os neovasos ocupam a
cuidados. dentro dos vasos doentes, levando ao área central da mácula, chamada de
fechamento deles. fóvea, pois a laserterapia conven-
Tratamento A primeira etapa consiste na inje- cional nessa área produziria gran-
Se o diagnóstico, em geral, é ção do corante numa veia do antebra- de perda visual. O procedimento
descomplicado, o tratamento requer ço, como na angiografia. O corante geralmente necessita ser repetido
atenção. O mais tradicional é a fo- circulará pelos vasos retinianos e se de 3 a 5 vezes no decorrer de um
tocoagulação a laser, que consiste concentrará nos vasos anormais (neo- ano, pois os neovasos costumam
na cauterização (queima) direta dos vasos). Após alguns minutos, inicia- reabrir entre 2 e 4 meses após cada
neovasos coroideanos. Infelizmente, se a segunda etapa, que consiste na sessão.
poucos casos podem ser tratados des- aplicação da luz de baixa intensidade Existem, ainda, outros tratamen-
sa forma. A possibilidade depende do gerada pelo laser “frio”. Como o co- tos alternativos, como a Cirurgia
tamanho, da localização e da boa vi- rante absorve a energia do laser por Submacular, o Transplante de EPR, a
sualização dos neovasos nos exames meio de um processo fotoquímico, Translocação Macular e o Transplan-
realizados. Como esse tipo de proce- somente os vasos doentes, nos quais o te de Células-Tronco. Este último tem
dimento produz uma queimadura da
área tratada, a erradicação dos neo-
vasos leva obrigatoriamente a algum Visão subnormal
grau de perda visual e melhora a visão
A perda da visão central torna difícil o reconhecimento do rosto das pes-
apenas em poucos casos. De fato, o
soas e a visão de placas e sinais de rua. A leitura pode se tornar impossível.
tratamento representa o sacrifício de Porém, como a degeneração macular não afeta a visão periférica ou lateral,
uma pequena porção da retina com o a maioria das pessoas consegue aprender a utilizar o restante da visão para
objetivo de prevenir o acometimento manter uma vida produtiva e independente. Há uma grande variedade de
de uma área mais extensa, caso os recursos ópticos e não-ópticos que podem facilitar o dia-a-dia das pessoas
neovasos evoluíssem sem nenhuma com limitação visual.
intervenção. Porém, mesmo quando As figuras que se seguem ilustram como o mundo é visto por pessoas com
bem-sucedido, o laser não interrompe a degeneração macular e outras doenças.
o processo degenerativo, trata apenas
os neovasos coroideanos. Não é raro
que o problema volte no decorrer do
tempo, e novos exames e tratamentos
podem ser indicados e repetidos para
preservar a visão.
Por esses motivos, atualmente,
a terapêutica mais indicada e que
apresenta os melhores resultados A visão em diferentes patologias: Degeneração macular (área central comprometi-
para a preservação da visão central da), catarata (visão turva) e glaucoma (campo visual tubular), respectivamente.
é a terapia fotodinâmica, que é utili-

BOA VONTADE 43
Medicina

por objetivo promover a regeneração riscos demasiados. nesse sentido que indicam fortemente
das células perdidas. Porém, até o Há também outro importante ter havido benefício para os pacientes
momento, não se observaram os caminho terapêutico. O papel dos que os utilizaram. Um desses estudos
efeitos desejados. Os demais trata- suplementos alimentares, como vita- é o AREDS (Age-Related Eye Di-
mentos citados não apresentam, no minas e micronutrientes, está sendo sease Study) que preconizou o uso
atual estágio de desenvolvimento, pesquisado na prevenção ou na atenu- de: Vitamina C (500mg); vitamina
resultados satisfatórios ou oferecem ação da doença. Há inúmeros estudos E (400 UI); betacaroteno (vitamina
A — 15 mg); zinco (80 mg); e cobre
(2 mg).
Teste seus olhos — A Grade de Amsler Algumas pesquisas mostraram
também que as pessoas com a ali-
mentação rica em vegetais de folhas
verdes, como o espinafre, têm menor
incidência de degeneração macular.
Esses vegetais são uma fonte rica de
luteína e zeaxantina, ambos pigmen-
tos importantes para a mácula.
Como há outros estudos científicos
em andamento, no sentido de avaliar
possíveis nutrientes para a prevenção
da evolução da degeneração macular,
os médicos recomendam uma dieta
balanceada e a possibilidade de uso
de complementos polivitamínicos
e/ou antioxidantes, acompanhados
sempre de uma prévia avaliação
médica para uma segura indicação
da dieta mais adequada.
Antes de tudo, vale para os
olhos o que vale para todo o corpo.
Para uma vida saudável é neces-
sário buscar os fatores ideais de
A grade de Amsler é um teste rápido e simples para monitorar alterações conservação da saúde, boa nutri-
visuais em pacientes com degeneração macular. É recomendável que o teste ção e exercícios físicos freqüentes,
seja realizado algumas vezes a cada semana. evitando ou tratando os fatores de
risco. Visitas freqüentes ao seu
Instruções: oftalmologista, especialmente
— Se você usa óculos de leitura, coloque-os para realizar o teste. após os 50 anos, podem prevenir
— Segure a grade na sua distância normal de leitura (35 a 45 cm). ou detectar precocemente os pro-
— Cubra um dos olhos. blemas da visão. Os olhos são,
— Olhe a grade. Mantenha seu olho focado no ponto negro localizado por sua complexidade e perfeição,
no centro da grade, por 30 segundos. milagres da Natureza. Cabe a cada
— Sem mover o olho do ponto central, observe as linhas que compõem um o zelo constante destes que são
a grade. Todas as linhas devem estar retas e todos os quadrados devem nossas “janelas para a Vida”.
ser iguais. Não deve haver nenhuma área branca, escura ou distorcida na
grade. Outras informações na clínica:
— Ligue para o seu oftalmologista se você observar qualquer alteração Rua Visconde de Pirajá, 407
na sua visão. – sala 607 – Ipanema –
— Use o mesmo procedimento para o outro olho. Rio de Janeiro/RJ,
telefone (21) 2521-6589.

44 BOA VONTADE
Degeneração Macular Seca
A degeneração macular seca (atrófica) progride lentamente e se
caracteriza pelo acúmulo de drusas (depósitos de resíduos) na
área macular. Raramente causa perda visual severa ou cegueira.

À medida que o número de drusas aumenta na área macular,


observamos uma perda progressiva de células da retina, com
surgimento de atrofia do tecido na área previamente ocupada
pelas drusas.

Retinografia (fotografia do fundo do olho) mostrando


drusas na área macular.
As alterações visuais serão proporcionais ao tamanho das áreas que se
tornarem atróficas.

Grade de Amsler mostrando pequenas


manchas ou lacunas que podem surgir
Degeneração com a progressão da DMRI.
Não há ainda nenhum tratamento comprovado
Macular Úmida cientificamente para curar a degeneração macular seca.
Felizmente, a maioria dos casos jamais progredirá para
a forma exsudativa da doença.
Por razões ainda não conhecidas, 10 a
15% dos casos de degeneração macular
seca desenvolvem a forma exsudativa
(degeneração macular úmida) da doença.
As pessoas que apresentam drusas
“moles” (drusas que têm os bordos mal
delimitados e ocupam uma grande área
e/ou são confluentes) têm maior risco de
desenvolver essa forma da doença.

Na forma exsudativa, pequenos vasos


sanguíneos anormais (neovasos) crescem
sob a retina. A proliferação desses vasos
leva à formação do que chamamos
neovascularização coroideana ou
membrana neovascular subretiniana. A visão pode se apresentar borrada, distorcida ou com uma área central
cega como observado na figura e correspondente na grade de Amsler.
Esses neovasos, além de não ajudarem
a retina a se restaurar do processo Com a evolução da doença, temos a formação de um tecido fibroso
degenerativo, permitem o vazamento cicatricial na área afetada pelos neovasos e/ou pela exsudação, levando a
de líquido e/ou sangue para o espaço uma perda irreversível da acuidade visual.
subretiniano. É importante ressaltar que esse processo atinge somente a área central
da retina (a mácula). A visão periférica ou lateral não é afetada pela
O acúmulo de fluido subretiniano produz degeneração macular e por esse motivo não há o risco de cegueira total.
distorção das imagens.

BOA VONTADE 45
Internacional — Flórida

Mídia social e integrada


Congresso Internacional reúne comunicadores e
autoridades nos Estados Unidos
________________
Danilo Parmegiani

O
Fotos: Vieira Filho e Vera Reis

despertar de cada dia prova Segundo dados oficiais,

Vera Reis
os efeitos da globaliza- mais de três milhões de bra-
ção no mundo. Muitos sileiros vivem fora do país e
anteviam que ela atingiria a ampla adesão internacional
diretamente a economia, o que logo a este congresso demonstra
se atestou. Entretanto, é necessário quanto a imprensa brasileira
registrar que a informação tornou- tem se estruturado em outros
se instrumento poderoso e investir países do mundo. Além do
nela é fator preponderante. O I ciclo de palestras, ocorreu a
Congresso Internacional de Comu- 9ª edição do Press Award, prê-
nicação Brasileira, ocorrido de 25 mio da imprensa brasileira nos
a 27 de maio, em Fort Lauderdale, EUA entregue aos destaques
na Flórida (EUA), é exemplo dessa do ano em várias categorias.
expansão. A Super Rede Boa Vontade
Realizado no Broward Center de Comunicação, mantida A produtora de TV Maria Fulfaro e o jornalista
e organizador do evento, Carlos Borges.
for the Performing Arts, o encontro pela Fundação José de Paiva
reuniu representantes de 250 veícu- Netto, foi convidada pelos organiza- de Ecumênica. No painel “Rádio”, foi
los de comunicação brasileiros no dores para apresentar seu papel de mostrada uma história que teve início
Exterior, além de mais de 100 jor- responsabilidade e transformação so- em 1949, com o programa Hora da
nalistas de países como Alemanha, cial, conforme se resume no seu lema Boa Vontade, lançado por Alziro
Austrália, Canadá, Inglaterra, Japão, Educação e Cultura, Alimentação, Zarur (1914-1979), na Rádio Glo-
Brasil e Estados Unidos. Saúde e Trabalho com Espiritualida- bo no Rio de Janeiro. Atualmente,
sob a liderança de Paiva Netto,
Vera Reis

O Presidente da Academia Brasileira de Letras e Ministro do TCU, Dr. Marcos Vilaça, ladeado
pelos representantes da Super Rede Boa Vontade de Comunicação no evento: Danilo essa mensagem é transmitida por
Parmegiani (E) e Vieira Filho (D). inúmeras emissoras de rádio pelo
País, livros, revistas e periódicos,
além de sites, produtos fonográficos
e, a partir de 2000, também pela
televisão. “A palestra da Super
Rede Boa Vontade de Comunicação
enriqueceu o evento e demonstrou
a enorme credibilidade do trabalho
de Paiva Netto”, destacou o jorna-
lista Carlos Borges, organizador do
evento, cumprimentando o Diretor-
Presidente da LBV pelos 50 anos de
serviços prestados à obra.

46 BOA VONTADE
ABI, ABL e LBV nos Estados Unidos
O Presidente da Academia Bra-
“Retribuo sileira de Letras (ABL) e Ministro
“É gratificante e significa
com muito do Tribunal de Contas da União, o cumprimento de uma
carinho o Dr. Marcos Vilaça, participou do obrigação do estatuto da
abraço do evento como convidado especial. Em academia, que vem da
entrevista, destacou a importância do época do Machado de
Dr. José encontro para a comunicação brasi- Assis — tem 110 anos
de Paiva leira no Exterior, afirmando o apoio esse compromisso nosso de
Netto, que da ABL à iniciativa. Além disso, defesa da língua e da cultura
Vera Reis

é um dos mandou fraterno abraço ao amigo di- brasileiras. Todo o momento


rigente da LBV, em reconhecimento
nossos pelo seu Jubileu de Ouro na Legião
que a gente identifica um
eminentes da Boa Vontade, a ser comemorado
esforço como esse daqui de
associados. A Instituição neste ano. fazer afirmação da cultura
que ele preside (LBV) Ao conversar com representantes brasileira de difusão da
da Instituição, demonstrou júbilo nossa língua, a academia
tem uma relação de
em saber que a LBV foi a primeira se junta ao esforço dessas
colaboração muito forte entidade brasileira a conquistar pessoas e dessas instituições
com a ABI, por seu grande status consultivo geral no Conselho com uma adesão muito
apoio na comunicação e Econômico e Social da ONU, e que categórica. E saudamos
o escritor Paiva Netto tem várias
por seus programas de muito entusiasticamente a
de suas mensagens traduzidas, pelo
assistência social”. organismo internacional, nos seus iniciativa.”
seis idiomas oficiais, e que essas re- Dr. Marcos Vilaça, Presidente da Academia
Presidente da Associação Brasileira de
Imprensa (ABI), Dr. Maurício Azêdo.
comendações do Diretor-Presidente Brasileira de Letras (ABL) e Ministro do
da Legião da Boa Vontade têm sido Tribunal de Contas da União.

Jornalista Roberto Calixto recomenda livros de Paiva Netto aos japoneses


O jornalista Roberto Calixto, da Calixto também falou da serie-
Editora @ Brasil (Japão), chamou dade do trabalho promovido pela
a atenção para um problema que os Legião da Boa Vontade e frisou que
brasileiros enfrentam no Exterior e, essa ação empolga outras nações.
neste contexto, ressaltou as obras “Eu tive a felicidade de morar em
literárias do escritor Paiva Netto. frente a uma sede da LBV, em Ara-
“O que a gente está precisando é pongas/PR. Vi o trabalho que é feito
de apoio espiritual. A comunidade todo dia, distribuindo cestas de ali-
brasileira lá no Japão não está pre- mentos para as famílias, toda aquela
cisando de um par de sapatos ou de assistência que é dada, inclusive, Roberto Calixto, da Editora @ Brasil
um prato de comida. E esses livros, assistência psicológica. Para mim foi (Japão)
essa literatura de Paiva Netto, vêm uma alegria muito grande encontrar de ajuda coletiva. E todos podem
ajudar nisso. Quando você pega um a LBV neste evento. Quando você tem colaborar, seja com um sorriso, com
livro dele e presenteia uma pessoa no coração o ideal de querer ajudar uma conversa ou com algo que está
está fazendo com que ela tome as pessoas parece que tudo vem co- sobrando, uma camisa, uma blusa
consciência das coisas boas para si laborar com a gente. É isso que nós para aquecer as pessoas. Eu acredito
mesma”, destaca. queremos: divulgar, fazer uma ação nessa parceria!”, finalizou.

BOA VONTADE 47
Internacional — Florida

Vera Reis
Vera Reis
Danilo Parmegiani, da Super Rede Boa Vontade de Os jornalistas Adriana Marchetti, da TV Record
Comunicação, palestra sobre o relevante papel da Internacional, e Amauri Soares, Diretor Executivo da Globo
responsabilidade social da mídia. Internacional, também participaram do evento.

remetidas aos países membros da entusiasticamente a iniciativa”,

Vieira Filho
Organização das Nações Unidas com destacou.
a chancela da própria ONU. Outro ilustre convidado, o Pre-
Sobre o papel da ABL neste sidente da Associação Brasileira
cenário, afirmou: “É gratificante de Imprensa (ABI), Dr. Maurício
e significa o cumprimento de uma Azêdo, considerou muito especial
obrigação do estatuto da academia, ver como os colegas de profissão
que vem da época do Machado de residentes em outros países es-
Assis — tem 110 anos esse compro- tão se organizando e trabalhando
misso nosso de defesa da língua e da pela comunicação brasileira na Dr. Célio Turino, do Ministério da Cultura.
cultura brasileiras. Todo o momento área internacional. Em entrevista,
que a gente identifica um esforço registrou: “Retribuo com muito grande apoio às atividades da
como esse daqui de fazer afirmação carinho o abraço do Dr. José de ABI, inclusive nos honrando com
da cultura brasileira de difusão da Paiva Netto, que é um dos nossos matéria de capa em torno de um
nossa língua, a academia se junta eminentes associados. A Instituição evento importante — que realizamos
ao esforço dessas pessoas e dessas que ele preside tem uma relação em julho do ano passado —, ‘Quatro
instituições com uma adesão mui- de colaboração muito forte com pilares da ABI’, que a LBV, por
to categórica. E saudamos muito a ABI (...), por seus programas de meio da revista BOA VONTADE,
assistência social”.
“Eu tinha bem presente O Presidente da Associação

Vieira Filho
Brasileira de Imprensa ressaltou
que a LBV tivesse tido a mídia da Obra, em especial a Celso Braz, da
a primazia dessa ação revista BOA VONTADE, cuja
revista BrazilBest
(Califórnia/EUA), é
na área social no Brasil, matéria de capa, na edição nº 203, um dos jornalistas
reporta-se à história e personagens que vestiram a
recordo-me perfeitamente da Casa do Jornalista. “A comuni-
camisa da Campa-
nha LBV — Fiz um
das primeiras atividades cação da LBV tem proporcionado Gol pela infância
brasileira!
nos anos 1950. Então,
Vera Reis

quero enviar uma Da esq. para a dir.: o


saudação e falar da Presidente de Honra
do Congresso e ami-
apreciação do Ministério go da LBV, Edilberto
Mendes, e Clara
das Relações Exteriores Angélica Porto, do
The Brasilians; Cacá
pela ação da LBV.” Santos, produtor de
eventos; e Ronaldo
Embaixador Ruy Nogueira, Subsecretá- Camargo, da Walt
rio-Geral de Cooperação e Comunidades Disney Corporation.
Brasileiras no Exterior, do Ministério
Brasileiro de Relações Exteriores.

48 BOA VONTADE
Cônsul-Geral do Brasil em Miami, José Almino, Patrocinada pela empresa aérea TAM, uma exposição apresentou ao público as mais
ao lado do Subsecretário-Geral de Cooperação destacadas publicações brasileiras com circulação internacional. Na foto, visão parcial
e Comunidades Brasileiras no Exterior, do da mostra em que aparece a reprodução da capa da revista BOA VONTADE (nº 193)
Ministério Brasileiro de Relações Exteriores, Ruy que figurou entre as principais. A histórica edição exibe ampla reportagem sobre o
Nogueira. Brazilian Day in New York, maior evento da comunidade brasileira no Exterior.

magnificou ao publicar na capa Neto e Fernando Segismundo. Agenda


as fotografias dos nossos com- Portanto, devolvo com muito ca- High Level Segment,
panheiros patriarcas da ABI: rinho e afeto esse abraço ao nosso promovido pelo Conselho
Herbert Moses, Barbosa Lima consócio José de Paiva Netto”, Econômico e Social da ONU
Sobrinho, Prudente de Moraes declarou. com a presença de chefes de
Estado, em Genebra (Suíça).
Outros representantes da mídia internacional Data: 3 e 5 de julho/2006
Programação: A LBV apre-
Vera Reis

Vieira Filho

Vera Reis

sentará documento que reúne, com


pluralidade, a ampla representação
geográfica e contribuições em nome
de mais de 400 entidades da América
Latina: um relatório dos encontros
presenciais sobre Emprego e Desen-
volvimento Sustentável, que promo-
veu em cinco capitais brasileiras e
Silvio de Souza, do Brazilian Vicente Lou, da revista Georg Siebenbrodt, da em Buenos Aires, durante o mês de
Press (Nova Jersey/EUA) Leros (Inglaterra) revista Brazine (Alemanha) março.

Rede Mundial de Televisão já é transmitida na América do Norte

EUA, Canadá e México. A Rede Unidos, Wellington


Mundial de Televisão é uma das do Espírito Santo,
parceiras do canal e fornece algumas avaliou a parceria
horas de programação educativa e com a Fundação José
cultural para a sua grade, com des- de Paiva Netto de
taque para o programa Boa Vontade, forma muito positiva.
Vera Reis

com Paiva Netto. “Temos recebido


Por meio da operadora de TV elogios pelos pro-
norte-americana Dish Network, gramas fornecidos
O primeiro dia do evento coinci- mais de 12 milhões de assinantes da pela Rede Mundial. Eles foram
diu com o início das transmissões da América do Norte terão acesso via escolhidos dentro de uma pers-
RBTI (Rede Brasileira de Televisão satélite e digital à programação no pectiva de trazer para os Estados
Internacional), a nova emissora de canal 598. O Diretor de Negócios Unidos as coisas boas que nosso
língua portuguesa transmitida nos Internacionais da RBTI nos Estados País possui”, pontuou.

BOA VONTADE 49
Arte na Tela

Protagonistas
da nossa
História Fotos: Divulgação Museu do Oratório
Obra de arte do acervo do
Museu do Oratório

Q
uem visita o Mu- folhas secas, barro, entre outros
Arquivo pessoal

seu do Oratório, na retirados da Natureza, em formatos


cidade mineira de e tamanhos ajustados às necessi-
Ouro Preto, fica des- dades dos fiéis, foram criados os
lumbrado com o que vê. A fé que oratórios de alcova, de lapinha, bala,
por ali circula mexe com nossos de algibeira, esmoler, de viagem...
sentimentos e imaginário e faz Nos diferentes momentos da vida
com que retornemos aos anos das pessoas daquele período, esses
setecentos e oitocentos, época objetos estavam ali para guardar
em que os costumes de uma so- segredos, ouvir promessas, proteger
ciedade extremamente religiosa dos perigos, estabelecendo o contato
tentam se ajustar aos padrões de do humano com o Divino.
beleza e estética vigentes. E é Simples e de farta criatividade, os
nesse período que aparecem os oratórios trazem consigo toda uma
Marta Jabuonsky, curadora da Galeria oratórios. carga simbólica e nos encantam pelas
de Arte do Templo da Boa Vontade. Confeccionados com diversos diferentes maneiras de transmitir a re-
materiais como conchas, flores, ligiosidade. Eram tão presentes que se

50 BOA VONTADE
No interior do museu é
possível observar um rico
acervo, carinhosamente
organizado por Ângela
Gutierrez, que coleciona
oratórios desde menina.

perdiam no cotidiano das pessoas. coleção para o Instituto do Patrimô- seu e ele é, além de tudo, um motivo
Embora sua origem seja medie- nio Histórico e Artístico Nacional. de reflexão”.
val, no Brasil eles nos remetem às Foi uma experiência maravilhosa. Mas quem é esta mineira bri-
caravelas de Cabral, que traziam na Eu acho que é um momento de luci- lhante? Ângela é filha de Flávio
bagagem um oratório em homena- dez que o colecionador tem e entende Gutierrez, que, com a família
gem a Nossa Senhora da Esperança, que a coleção é mais forte que ele Andrade, montou a construtora
iniciando, assim, uma tradição que se e é preciso disponibilizá-la para o Andrade Gutierrez. E foi do pai que
perpetuou pelos séculos seguintes. público”. herdou o amor pela Arte Brasileira,
No interior do museu é possível Falou também das emoções que sua história e também o gosto por
observar um rico acervo, carinho- sente quando pode compartilhar com colecionar. E é graças a ela que no
samente organizado por Ângela as pessoas um pouco desta herança Museu do Oratório podemos co-
Gutierrez, que coleciona oratórios cultural brasileira. E refletiu alto: “Eu nhecer um pouco da religiosidade
desde menina. Para a concretização acho que as nossas raízes religiosas brasileira e da vida social da Colônia
do projeto museológico, ela contou estão muito bem plantadas neste mu- e do Império.
com a parceria da Paróquia de Ouro
Preto, na pessoa do Padre Simões,
que adotou a idéia com entusiasmo.
Obra de arte do
Foram necessários três anos para acervo do Museu
tornar real o sonho de salvaguardar do Oratório
essas tradições e colocar ao alcance
do público um pouco da História do
Brasil e de Minas Gerais.
Instalados na antiga Casa do
Noviciado do Carmo, esses bonitos
objetos permitem observar o passado
no presente e estabelecer os padrões
morais da sociedade da época, des-
cobrir a função social da Mulher, a
importância da fé, a miscigenação,
usos e costumes e encontrar o povo
mestiço, misturando na confecção
dos oratórios a criatividade popular
com a estética barroca.
Ao ser entrevistada, Ângela con-
tou o início da história do local e, para
isso, ressaltou a importância do ato de
doar: “Eu tive essa experiência em
1998 quando abri o museu e doei a

BOA VONTADE 51
Academia Brasileira de Letras

Registro histórico
de uma das ruas de
Ubá/MG, onde nasceu
Antonio Olinto.

“Sem o livro
nós não existiríamos”
Ícone da Literatura Nacional, o acadêmico Antonio Olinto fala de
brasilidade e do valor da Educação para o desenvolvimento do país. _____________
Simone Barreto
Fotos: Arquivo pessoal

P
ela leitura formam-se universitário, que também é confe- serem brasileiros de verdade, para
cidadãos críticos, seres rencista internacional e possui mais onde vai o País? Ele só pode ir para
pensantes e reflexivos, o de 55 livros publicados em diversos um lugar certo, verdadeiro, normal
que, sem dúvida, colabora idiomas, completou 87 anos bem e bonito com essas crianças prepa-
na edificação do País. Tendo em vividos. radas para tomar conta dele daqui
mente esse princípio, o ilustre aca- Ele esteve no Centro Educacional a pouco”, frisou Olinto.
dêmico Antonio Olinto, que ocupa a da LBV, na capital fluminense, e foi De forma descontraída, o bate-
cadeira nº 8 da Academia Brasileira entrevistado para o programa Ecume- papo inicia e o escritor narra pas-
de Letras, desenvolve um amplo nismo, da Rede Mundial de Televisão. sagens de sua infância e de como
projeto na área. Ao chegarem ao local, o acadêmico e descobriu a vocação para tornar-se
A iniciativa dispõe de 29 bi- sua assessora, Beth Almeida, foram escritor. Também conta sobre suas
bliotecas populares distribuídas recebidos pelas crianças atendidas viagens pelo mundo como adido
em diversos bairros, sem contar pela Legião da Boa Vontade na zona cultural brasileiro, divulgando e
outras nove que são móveis e norte do Rio. “É um prazer estar na defendendo a Língua Portuguesa,
circulam na periferia a serviço LBV. (...) Aqui encontrei pessoas que o desafio de estar na Academia
da informação. O projeto é da são o Brasil do futuro. São os jovens, Brasileira de Letras, o trabalho
Secretaria das Culturas do mu- desde os meninos até os maiore- com as bibliotecas populares, além
nicípio do Rio de Janeiro e do zinhos, estudando e aprendendo a de externar o seu apoio integral à
Departamento Geral de Docu- ser brasileiros. E isso é importante; LBV, por fazer da Educação a meta
mentação e Informação Cultural. não encontramos em toda parte. Se principal para formar os futuros
Neste 10 de maio, o professor não criarmos esses brasileiros para cidadãos.

52 BOA VONTADE
Simone Barreto

Antonio Olinto ao lado de sua saudosa e querida esposa, a Zora e Olinto, 1955, ano em que se O escritor no tempo do
escritora e jornalista Zora Seljan, com quem foi casado por 51 conheceram. seminário, aos 11 anos.
anos. Ao Espírito eterno de Dona Zora, que no último 25 de
abril nos deixou, as melhores vibrações de carinho, Paz e amor
da LBV e de seu dirigente.

Revista BOA VONTADE — uma profissão antes, pois morava educação integral da LBV
Desde criança o senhor queria num bairro em frente da estação e fez uma associação com a
seguir duas profissões. Conte da estrada de ferro da cidade e, sua escolha de ser também
um pouco sobre esses projetos todo dia, observava o trem saindo um escritor integral. Como foi
da infância. e voltando. Até que certa vez me isso?
Antonio Olinto — Eu nasci no perguntaram: “O que você quer Antonio Olinto — Eu estava no
interior de Minas Gerais e, depois, ser no futuro?”. E eu respondi: seminário para me tornar padre. Mi-
vim para Campos/RJ. Estudei para “Maquinista de trem, porque está nha família é muito católica. Tinha
ser padre, em Belo Horizonte/MG e sempre viajando. Ele vai e volta”. dois bispos nela, um em cada famí-
em São Paulo/SP. Mas desde criança, E consegui viajar para o mundo lia, inclusive. Por isso, é natural que
quando vivia nas pequenas fazendas inteiro: fui parar na China, Aus- eu fosse para o seminário quando
de Pinhal, terra da minha mãe, eu trália, Japão, na Cochinchina, Ni- jovem. Ao chegar lá, comecei a es-
pensava em garatujar alguma coisa géria e África (onde morei muito crever. Um dia, o bispo Dom Hen-
no papel. Ficava admirado em abrir tempo e também vivi na Europa). rique César Venâncio de Mourão
um livrinho e começar a ler. E, então, Sem querer, aquela imagem do — meu querido amigo — leu um
perguntava à minha mãe: “De onde é trem saindo toda hora, levando poema meu e disse: “Você não pode
que vem isso?”. Ao que ela dizia: “É o gente para viajar, me transportou ser as duas coisas, pois tem de ser
escritor quem escreve”. Daí, pensava: ao mundo para fazer conferências um homem integral. Se você quiser
“É isso que eu quero ser! Eu quero ser e dar aulas. ser escritor, tem de ser integral-
esse escritor que escreve”. BV — O senhor comentava mente escritor. Se optar ser padre,
Na verdade, eu quis seguir a respeito da proposta da é necessário ser integralmente pa-
dre. Você precisa escolher”. Tentei
O acadêmico em visita à escola da LBV no Rio de Janeiro conciliar, mas não dá para fazer as
duas coisas. Você quer ser escritor?
Felipe Freitas

Seja-o integral. Então, saí do semi-


nário pensando simplesmente em
me tornar escritor.

BV — O que inspira seu


trabalho?
Antonio Olinto — Eu tenho doze
romances. Mas sabe o que me inspi-
rou a escrevê-los? A África! Um belo
dia, Tancredo Neves (1910-1985),
que era Primeiro-Ministro, me disse:

BOA VONTADE 53
Cultura

BV — Como foi eleito


imortal da ABL?
Antonio Olinto — Quando
deixei de viver no Exterior pude
entrar para a Academia Brasileira
de Letras. Observem: a ABL é a
defensora número 1 da Língua
Portuguesa e da literatura nacio-
nal, isto é, existe para defender
a cultura do Brasil. Machado de
Assis (1839-1908) foi o nosso
Antonio Olinto discursa, em 31/7/1997, na solenidade da ABL que o recebeu como novo imortal. maior escritor e foi ele quem fun-
Ao lado, na ocasião, o saudoso acadêmico Geraldo França de Lima (1914-2003). dou a Academia para preservar
o idioma. Quando entrei para a
“Eu quero mandar você como adido Oxford —, fazer conferência sobre ABL, já no meu discurso de pos-
cultural para a África, na Nigéria, em um problema indígena do nosso se, falei sobre a Presidência de
Lagos. Você aceita?”. E eu respondi: País, que ainda é um problema, mas Machado, colocando dois grandes
“Correndo! A minha mulher Zora naquele tempo, há uns trinta anos, era escritores brasileiros lado a lado:
Seljan é especialista em assuntos muito maior. ele e Euclides da Cunha (1866-
africanos. Será ótimo!”. E lá fomos Toda a minha vida foi dando 1909) — um homem do litoral e
nós dois para a África. Ao chegar aula, porque eu me acostumei a outro do interior —, com lingua-
encontramos uma comunidade imen- chegar às salas e contar como é gens e pensamentos opostos. Eram
sa falando português, formada por o Brasil. Em português, realizei amigos pessoais, representando
ex-escravos. Depois que foi abolida conferências na Austrália, Chi- duas direções, e continua sendo
a escravatura, eles resolveram voltar na, Japão, mostrando inclusive a assim.
para a terra de seus pais. Em Lagos, nossa Língua Portuguesa que é a
havia uma comunidade brasileira quarta mais utilizada no mundo BV — Quais suas impressões
imensa indo à Igreja Católica (...). (são 230 milhões de pessoas fa- sobre o trabalho de
Cheguei à conclusão de que o Brasil lando português, o que o torna um incentivo à cultura realizado
precisava conhecer isso e, então, con- idioma de peso no mundo, tanto nos centros educacionais da
tei a história desse pessoal num livro pela quantidade de gente que fala LBV?
chamado A Casa da Água. a língua, quanto pelo número de Antonio Olinto — A grande
livros publicados), e, portanto, é alegria que tive hoje foi visitar
BV — Além da grande uma cultura de Língua Portugue- cada setor desse órgão da Legião
experiência que adquiriu sa. E nós temos de defendê-la ao da Boa Vontade. Observei as
vivendo na África, morou máximo. crianças — algumas dormindo,
bastante tempo na
Inglaterra. Quais lembranças O acadêmico recebe o Título de Cidadão do Estado do Rio de Janeiro do Deputado Estadual
possui daquele País? Glauco Lopes
Antonio Olinto — Morei em
Simone Barreto

Londres durante 25 anos. Não o tem-


po todo, eu vinha ao Brasil até quatro
vezes por ano, com a Zora. (...) Vivia
lá dando aulas, falando sobre Brasil,
contando histórias daqui. Zora e eu
fundamos, em 1973, um jornal em
Londres e em inglês, chamado: The
Brazilian Gazette. Teve uma vez, por
exemplo, que ocorreu um problema
e lá fui eu para a Universidade de
Oxford — a grande universidade

54 BOA VONTADE
Reprodução da capa do jornal, em inglês, The Com Zora, Pierre Verger, Mãe Senhora e o Embaixador Henry Senghor, do Senegal.
Brazilian Gazette, fundado pelo escritor e sua
esposa em Londres (Inglaterra).

outras correndo —, e quando elas Antonio Olinto — Dirijo, com a Dois livros. Há uma diferença muito
se reuniram perto de mim, eu dis- minha assessora, Beth, vinte e nove grande saber que aquele povo lê essa
se: “Aqui está o futuro do Brasil”. bibliotecas populares e outras nove quantidade de livros. Isso quer dizer
E, de fato, é o futuro do nosso País. volantes, por meio de Kombis que que ele está mais bem preparado do
Por isso, temos de ensinar a eles circulam em regiões onde não há que o nosso que lê só dois em média.
a brasilidade: livros brasileiros, biblioteca. Sem o livro nós não exis- É claro que esse fato ocorre porque
assuntos brasileiros, futebol bra- tiríamos. O livro nos ensina tudo. É uma grande parte é analfabeta.
sileiro, enfim, tudo o que for do ele quem nos forma integralmente, O Brasil tem 35 milhões de
nosso País. Precisamos despertar quem nos cria. (...) Quando estive analfabetos absolutos. É muita
esse espírito (...). no Japão, peguei um trem para ir de coisa! Esse número significa 8 vezes
Tóquio para Kioto. Ao olhar para trás, o Uruguai (o país tem 4 milhões de
BV — Como é seu trabalho vi umas vinte pessoas sentadas e, to- habitantes). Nós temos o equivalente
à frente do Departamento das, tinham um livro na mão. Todas! a 8 Uruguais que não falam e que não
Geral de Documentação e Então qual é a estatística? Cada japo- lêem. (...) “Como é que nós agüenta-
Informação Cultural, do Rio nês lê 25 livros por ano. Sabe quanto mos isto?”, li a discussão nos jornais.
de Janeiro? é a média de leitura do brasileiro? Não tem o que discutir. É necessário
ensinar a ler. (...) A China, depois do
grande movimento comunista que
eles tiveram no começo de Mao Tse
O mineiro-fluminense Tung (1883-1976), que foi mais ou
menos complicado, veio Deng Xiao-
Os relevantes serviços prestados longo dos seus 87 anos, inclusive ping (1904-1997) e disse: “Temos de
nas áreas da Literatura Brasileira sobre sua dedicação ao jornalis- mudar a Educação”. Observe a Chi-
e da Cultura — com a criação das mo. “Sou o professor mais velho na hoje. É a Educação. Então, como é
Bibliotecas Populares — e a atuação em anos de trabalho contínuo. que temos mais de trinta milhões de
na ABL conferiram ao ilustre An- Comecei a dar aulas com 14 anos analfabetos absolutos? Não podemos.
tonio Olinto o título de Cidadão e não parei até hoje”, afirmou. E para isso é que existe a LBV: para
do Estado do Rio de Janeiro. A A assessora do Departamento de evitar que essa situação continue
cerimônia ocorreu na Academia Cultura e Informação, da Secretaria como está. Para que exista isso que
Brasileira de Letras, em 23 de março, das Culturas do Município do Rio eu vi hoje aqui na Legião da Boa
e o escritor e jornalista recebeu o prê- de Janeiro, Beth Almeida, também Vontade: toda essa criançada, desde
mio das mãos do Deputado Estadual recebeu a moção de congratulações o bebê até os mais velhos, fazendo
Glauco Lopes. por sua competente ação com atividades, aprendendo a ler e é isso
Durante a entrega, o Acadêmico Antonio Olinto nas Bibliotecas que precisamos fazer. Vocês podem
contou trechos de sua história ao Populares. contar com o meu apoio integral!

BOA VONTADE 55
Melhor Idade

Um passeio pelo
Recife antigo
Idosos atendidos pela LBV na capital pernambucana
conhecem a história da cidade em rota turística Fotos: Vânia Besse

I
ntegrantes do Grupo de Convi- o prédio construído em 1841, sede
vência da Terceira Idade da LBV, do governo do Estado, os vovôs
de Recife/PE, puderam voltar os e vovós foram divididos em dois
olhos ao passado e vislumbrar grupos de 20 pessoas. Lá, visitaram
capítulos da história da bela Veneza o Salão de Banquetes, Sala de Re-
brasileira. A iniciativa é da Secretaria cepções, Salão das Bandeiras, onde
de Turismo da capital pernambucana ocorrem as solenidades do governo,
que, por meio do projeto Conheça e, ainda, as salas dos Embaixadores e
Melhor sua Cidade, possibilita aos Embaixatrizes — nesta última, o go-
cidadãos um passeio histórico pelos vernante troca presentes com rainhas
principais pontos turísticos. que visitam o Estado.
O projeto é coordenado por Eles conheceram também os dor-
Mariinha Aschoff e tem a ajuda mitórios do local e jardins projetados,
da historiadora Isabel Gonçalves em 1937, por Burle Marx (1909-
Lima, que, durante o trajeto, ex- 1994). Em seguida, foram para a
plica as manifestações Praça da República, construída na
políticas do bairro do mesma época do Palácio do Governo
Recife e Santo Antonio, e do Teatro Santa Isabel, planejados
as quais contribuíram pelo arquiteto francês Louis Léger
para o desenrolar do pro- Vauthier (1815-1877).
cesso de independência E o senhor Severino, feliz por
do Brasil. conhecer um pouco mais da his-
No dia 10 de maio, o tória de sua terra natal, ao término
senhor Severino Perei- do passeio, sintetizou: “Só a LBV
ra de Lima, ao lado dos para nos proporcionar essa alegria. O Centro Comunitário e
amigos que também são Com meus 66 anos estou vendo Educacional da Legião da
beneficiados pela Legião coisas que nunca vi na minha vida Boa Vontade em Recife/PE
da Boa Vontade, esteve no Palácio do inteira, descobrindo a história. está localizado na Rua dos
Campo das Princesas, instalado na Mas sempre há tempo para novas Coelhos, 219, Boa Vista.
Praça da República. Para conhecer descobertas”. Telefone: (81) 3413-8600.

56 BOA VONTADE
Daniel Trevisan
Cuidados para
evitar a asma Walter Periotto

N
Fonte: Ministério da Saúde

este período em que se mais difícil e tornar sua vida menos de ou a concentração de pólen é alta.
aproxima o inverno, as saudável: Use ar condicionado para esfriar
mudanças climáticas sua casa em vez de janelas abertas.
bruscas causam o au- Cuidados com sua roupa Fique longe de fumaça de cigarro.
mento da incidência de problemas de cama: Tome seus medicamentos exatamen-
respiratórios. Tanto crianças como Forre o colchão e travesseiros te como recomendação médica.
os mais idosos são os mais afetados. com coberturas de plástico com zí-
A prevalência da asma no idoso é peres. Lave as roupas de cama uma Procure ajuda médica
semelhante à dos grupos jovem e de vez por semana em água quente. imediatamente se:
meia-idade, oscilando entre 4,5 e 8%. Lave cuidadosamente os traves- Tossir, chiar ou estiver com
Acredita-se que, aproximadamente, seiros a seco uma vez por mês. falta de ar, até mesmo usando o
50% dos casos de asma com início remédio.
na Terceira Idade ocorram durante Ter um animal de Estiver resfriado ou com outra
ou imediatamente após uma infecção estimação pode não ser infecção respiratória.
respiratória. uma boa idéia. Mas se tiver, Tiver de usar a bombinha mais
O não-diagnóstico da asma, que siga cuidadosamente as do que 6 vezes por dia.
é um problema em todos os grupos seguintes instruções: Outras informações: portal.saude.gov.br
etários, é maior nos idosos, pois o
tempo em anos de doença não de- Dê banho toda a semana.
tectada é superior, sendo classificada Use o aspirador de pó diaria-
em dois grupos: asma recorrente e mente.
a enfermidade com início tardio. A
primeira pode manifestar-se na ju- Cuidados gerais a serem
ventude e, apesar de aparentemente tomados:
curada, pode voltar a apresentar seus Fique longe de mofo e ou-
sintomas na Terceira Idade. Já a asma tras coisas que o prejudiquem.
de início tardio costuma manifestar- Se fizer uso de vaporizador, lim-
se após os 60 anos. pe-o freqüentemente. Fi-
Para uma melhor qualidade de que em lugar seguro
vida, vale a observação dessas dicas quando a umida-
do Ministério da Saúde sobre como
evitar o agravamento do problema
e favorecer uma recuperação mais
tranqüila durante o tratamento:
Aqui estão alguns modos para
manter a casa livre de substâncias
que poderiam tornar sua respiração

BOA VONTADE 57
Soldadinhos de Deus

(1) Lara Elize Alves Barcelos, 3 anos, São


Paulo/SP; (2) Júlia Gabriela Quednau de
Andrade, 1 ano; (3) João Pedro Guerra Sotero
de Oliveira, 2 anos, Rio de Janeiro/RJ; (4)
Tifany Dantas Alves, 6 anos, São Paulo/SP; (5)
Joaquim José da Fonseca Viana, Brasília/DF,
(6) Anny Caroliny Dantas, 7 anos, Bauru/SP;
(7) Maria Lívia Tavares da Rocha, 2 anos,
Americana/SP; (8) Regiane Amaral Oliveira
Dantas, 9 anos, São Paulo/SP; (9) Maycon
Lucas Cordeiro Freitas, 2 anos, Rio de Janeiro/
RJ; (10) Giovanna Kauany, 1 ano, Brasília/DF;
(11) Paulo Henrique Dantas Borges, 2 anos,
São Paulo/SP; (12) Letícia Maria Medeiros
Rodrigues (esquerda), 8 anos, e Caroline
Couto, Cachoeirinha/RS; (13)
Julia Ramalho Salles, 3 anos,
Araruama/RJ e (14) Wanderson
Junior Guarany Novo Gonçalves,
3 anos, Niterói/RJ.
58 BOA VONTADE
Bem-Aventuranças Descubra o enigma
do Sermão da Montanha de Jesus
(Evangelho do Cristo, segundo Mateus, 5:1 a 12.)

Jesus, vendo a multidão, subiu ao monte.


Sentando-se, aproximaram-se Dele os Seus
Discípulos, e Jesus ensinava, dizendo:
Bem-Aventurados os humildes, porque deles é
o Reino do Céu.
Bem-Aventurados os que choram, porque eles
serão consolados pelo próprio Deus.
Bem-Aventurados os pacientes, porque eles
herdarão a Terra.
Bem-Aventurados os que têm fome e sede de
Justiça, porque eles terão o amparo da Justiça
Divina.
Bem-Aventurados os misericordiosos, porque
eles alcançarão misericórdia.
Bem-Aventurados os limpos de coração,
porque eles verão Deus face a face. Resp.: CONFIA EM JESUS!

Bem-Aventurados os pacificadores, porque


eles serão chamados filhos de Deus.
Bem-Aventurados os que são perseguidos por
causa da Verdade, porque deles é o Reino do
Céu. Mande sua foto, recadinho ou um desenho
Bem-Aventurados sois vós, quando vos perseg- para a página dos Soldadinhos de Deus. Não se
uem, quando vos injuriam e, mentindo, fazem esqueça de colocar nome, idade e cidade onde
todo o mal contra vós por minha causa. Ex- mora.
ultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso
galardão no Céu. Rua Doraci, 90, Bom Retiro,
Porque assim foram perseguidos os Profetas São Paulo/SP – CEP 01134-050
que vieram antes de vós. E-mail: info@elevacao.com.br

BOA VONTADE 59
Ação Jovem LBV

www.acaojovemlbv.com.br
Curtas:
Em Brasília/DF, nos dias 30 e 31 de Juventude (PNJ). O evento contou
de março, o Auditório Nereu Ramos, com a presença dos Jovens Legioná-
na Câmara dos Deputados, foi o palco rios, que levaram para as discussões
do Seminário Nacional de Juventude. o assunto Espiritualidade Ecumênica
O encontro reuniu representantes de e contou com a forte participação nas
movimentos jovens de todo o Brasil oficinas relacionadas ao trabalho,

Arivaldo Oliveira
para discutir o Projeto de Lei nº. educação e cidadania, ajudando na
4.530, de 2004, do Plano Nacional construção legal do texto do PNJ.

No Rio Grande do Norte, a Le-

João Preda
gião da Boa Vontade, em parceria
com o Natal Voluntários, participou
do Dia Global do Voluntariado Jo-
vem edição 2006, que teve como
tema central Prevenir é Melhor.
Uma das ações foi a realização de
palestra e panfletagem para cons-
cientizar os cidadãos a respeito das
doenças sexualmente transmissí-
veis. Voluntários e amigos da LBV
levaram faixas com pensamentos do
Diretor-Presidente da Instituição,
José de Paiva Netto, a exemplo
deste: “Aids: o vírus do preconceito
mata mais do que a doença”.

60 BOA VONTADE
Opinião
Ação Jovem LBV

Nizete Souza

José Carlos Figueiredo


Belo Horizonte/MG

Salvador/BA
Elisa Rodrigues

Salvador/BA
José Carlos Figueiredo

Elisa Rodrigues
Clayton Ferreira
Curitiba/PR Belo Horizonte/MG São Paulo/SP Curitiba/PR

Festival Internacional de Música


É
por meio da arte e da composições farão parte do CD possível graças às seis edições
cultura que os jovens de Comemorativo dos 50 anos de do acontecimento. As cidades
todas as idades do Brasil Paiva Netto e serão apresenta- que sediaram o encontro musical
e Exterior reverenciam o das durante evento comemo- foram: Curitiba/PR (que reu-
Jubileu de Ouro de Paiva Netto rativo no dia 15 de julho, no niu a Região Sul), Brasília/DF
na Seara da Boa Vontade. Para Ginásio da Portuguesa, em São (Centro-Oeste e Norte), Rio de
celebrar a data (29 de junho de Paulo/SP. Janeiro/RJ (que agitou a juven-
2006), foi lançado o Festival Um ponto forte do Festival, tude do Estado), Salvador/BA
Internacional de Música, no qual que mobilizou as cinco regiões (Nordeste), Belo Horizonte/MG
grupos musicais expressam o brasileiras nos meses de abril e (Minas Gerais e Espírito Santo)
sentimento de gratidão ao Líder maio, foi mostrar as várias faces e São Paulo/SP (com a militância
do movimento. As melhores da cultura brasileira e isso foi juvenil do interior e capital).
Clayton Ferreira

Clayton Ferreira

João Preda

São Paulo/SP Brasília/DF

São Paulo/SP
Clayton Ferreira
André Luiz Abreu

Salvador/BA
Nizete Souza

Rio de Janeiro/RJ São Paulo/SP BOA VONTADE 61


Acontece

Vista parcial do Centro


Comunitário e Educacional da

Adriane Mafra
LBV, em Manaus/AM, que está
localizado na Avenida Manicoré,
100, Cachoeirinha,
tel.: (92) 3215-7930.

Crianças da LBV homenageiam


____________
tribos indígenas em Manaus Adriane Mafra

O Amazonas, maior Estado da Comunitário e Educacional da Legião


Federação Brasileira, é também o que da Boa Vontade de diversas formas. As
abriga o maior número de etnias indíge- crianças atendidas pelo Programa LBV:
nas espalhadas ao longo da imensidão de Criança — Futuro no Presente! partici-
seu território. Ao todo, 64 tribos formam param de atividades tais como: gincanas,
numerosa população que influencia dire- criação de poesias, montagem e exposição
tamente a maneira de ser do amazonense, de murais e dramatização. Os pequenos
Adriane Mafra

chegando mesmo a alcançar aqueles que conheceram os principais trabalhos in-


aqui escolhem morar. No Dia do Índio, dígenas e a importância de respeitarem
19 de abril, a data foi festejada no Centro todas as culturas.

“Colaboração
de criança para
criança”
Vânia Besse

___________
Vânia Besse

O trabalho da Legião da Boa Von- se empenharam


tade vai além-fronteiras e empolga na confecção de
outras nações. A família Saner prova artesanato, car-
isso. Mesmo morando na Suíça, cola- tões de Natal e
bora com a LBV desde 1998, ao mo- bolos para serem
bilizar crianças das comunidades de vendidos em prol
Ramiswil e Mümliswil, pertencentes da Legião da Boa
ao Cantão* Soleura, para angariar re- Vontade. “As Família Saner e algumas das crianças amparadas pela LBV na
capital do frevo
cursos que são entregues à Instituição crianças tiveram
em Recife/PE. muita força de vontade. É uma co- Em retribuição, cada membro
Por intermédio da pernambucana laboração de criança para criança, da família recebeu uma camiseta
Ana Saner, eles escolheram a LBV veio do coração”, disse emocionada da Campanha LBV— Fiz um Gol
para receber as doações arrecadadas a educadora, acrescentando: “A LBV pela infância brasileira!, que
pelas crianças no país localizado na é muito importante para as crianças conta com o apoio de craques
região central da Europa. Ela e o do Brasil”. Ana Saner, feliz por aju- do futebol brasileiro e persona-
esposo retornaram à Instituição para dar, afirmou: “Trouxemos, desta vez, lidades do Esporte, que cederam
entregar os donativos recolhidos em uma quantia muito boa. Os meninos autógrafos.
uma grande mobilização. e meninas se empenharam bastante.
A pedagoga Margrit Saner Estou impressionada com o que vi * Cantão — unidade político-territorial em alguns países
explica que os pequeninos da Suíça aqui na LBV, tudo muito bonito”. europeus, como a Suíça.

62 BOA VONTADE

Interesses relacionados