Você está na página 1de 4

www.cers.com.

br 1
Simulado 2

A Construtora Segura Ltda. está sendo executada pela Fazenda Pública Municipal. Entretanto, a empresa havia pro-
posto uma ação de consignação em pagamento, com relação ao mesmo débito apontado na CDA que dá fundamento
à execução fiscal, tendo obtido ganho de causa, sendo certo que a sentença transitou em julgado. Ocorre que a Fa-
zenda Municipal, em vez de levantar os valores consignados, permitindo a baixa do feito, propôs a execução, mesmo
já tendo ocorrido a baixa da inscrição do débito na Dívida Ativa Municipal, determinada pela sentença na consignatória,
que deu por cumprida a obrigação fiscal da empresa. A Construtora Segura Ltda., expert na matéria, ingressou com
exceção de pré-executividade, que foi liminarmente rejeitada, entendendo o Juiz que o tema deveria ser tratado em
sede de embargos, após a segurança do Juízo. Prepare o recurso cabível da decisão que rejeitou a exceção de pré-
executividade, fundamentando-o de forma completa, registrando toda a matéria de direito processual e material perti-
nente. (Valor: 5,0)

Gabarito

Identificação do Tribunal Competente (estadual) (0,10). Identificação do Agravante (0,10). Resumo da decisão agra-
vada (0,10).
Cabimento de Agravo e não de Apelação (0,20).
Correta Instrução, conforme o artigo 1.017, § 1º do CPC (0,25). Indicação do advogado do agravado. (0,25).
Efeito suspensivo ativo ao agravo de instrumento na forma do artigo 1.019, I do CPC OU antecipação de tutela recursal
(0,50).
As matérias passíveis de serem alegadas em exceção de pré-executividade não são somente as de ordem pública,
mas também os fatos modificativos ou extintivos do direito do exequente, desde que comprovados de plano, sem
necessidade de dilação probatória OU Súmula nº 393 do STJ (1,0).
Houve pagamento extinguindo o crédito tributário (0,50). Coisa julgada: matéria já apreciada pelo Judiciário, desne-
cessidade de dilação probatória (1,0).
Pedido de acolhimento da tutela antecipada ou do efeito suspensivo ativo (0,30).
Pedido de provimento do agravo com acolhimento da exceção (0,30).
Extinção da execução por força dos artigos 269, I, e 794, I, do CPC (0,40).

Questão 1

O secretário da Fazenda de um estado da Federação determinou a desconstituição da personalidade jurídica de


uma empresa que havia efetuado negócio jurídico com a finalidade de dissimular a ocorrência de fato gerador do
ICMS. Nessa situação hipotética, o secretário agiu em conformidade com as normas do Código Tributário Nacional
(CTN)? Caso a resposta seja afirmativa, justifique-a; caso seja negativa, explicite, com base no CTN, a medida que
deveria ter sido adotada.

Resposta:
Não (0,25) Art. 116, parágrafo único do CTN (0,5) a Autoridade Administrativa pode desconsiderar atos com a fina-
lidade de dissimular a ocorrência do fato gerador. (0,5).

Questão 2

A Construtora ABC Ltda. construiu um prédio em São Paulo-SP, tendo solvido o imposto sobre serviços relativo ao
faturamento desta obra perante o Fisco da Capital. Todavia, o Município de São Bernardo do Campo-SP, onde se
situa a sede da empresa, está exigindo o imposto em razão do mesmo fato gerador. A empresa deverá efetuar novo
recolhimento de ISS? O recolhimento efetuado para o Município de São Paulo é suficiente?

Resposta: Não (0,25) O ISS é devido para São Paulo onde foi prestado o serviço de construção (0,5) – Art. 3º, III

Questão 3

www.cers.com.br 2
Maria é proprietária do imóvel onde reside, que está informado em sua Declaração do Imposto de Renda Pessoa
Física pelo valor histórico de R$ 100.000,00 (cem mil reais). Ela pretende vender esse imóvel por R$ 250.000,00
(duzentos e cinqüenta mil reais) e aplicar o produto da venda na aquisição de um outro imóvel nesse valor.
Diante disso, Maria o consulta sobre a alíquota do imposto de renda incidente sobre o ganho de capital a ser apu-
rado, bem como sobre a existência de algum incentivo aplicável à operação por ela pretendida. Indique a sua ori-
entação e a fundamentação legal.

RESPOSTA:

Não haverá incidência do IR se Maria se valer de uma das isenções previstas na legislação. No caso do art. 23 da
Lei 9.250/95, se comprovar que se trata de único imóvel, pois o valor da venda é menor do que R$ 440.000,00 e
desde que não tenha sido realizada qualquer outra alienação nos últimos cinco anos. (0,65)
E se não se tratar de único imóvel, mas a venda for de imóvel residencial para compra de outro imóvel residencial
dentro de 180 dias, poderá alegar a isenção do art. 39 da Lei nº 11.196/05. (0,6) – faixa de valores (1,25)

Questão 4

Constatando que o número de furtos e roubos em estabelecimentos comerciais aumentara muito, a Prefeitura de
Nova Vista criou uma guarda municipal para vigilância das ruas e praças da cidade. Para o custeio, instituiu a "taxa
de vigilância " a ser cobrada de todos os estabelecimentos comerciais, industriais e prestadores de serviço, que se
encontram nas ruas cobertas pela ronda policial. É legítima essa cobrança? Justifique.

Não é legítima (0,25) as taxas só podem ser cobradas frente ao exercício regular do poder de polícia e em razão da
utilização de serviço público específico e divisível (art. 145, II da CF) (0,8). O serviço de vigilância de praças e ruas
é indivisível (0,2).

www.cers.com.br 3
www.cers.com.br 4