Você está na página 1de 96

MENU PRINCIPAL

Enem Ensino Médio

Ciências da
natureza
e suas tecnologias

A área de conhecimento das Ciências


da Natureza e suas Tecnologias envolve as
disciplinas de Química, Física e Biologia,
objetivando avaliar a capacidade do aluno
em aplicar os conhecimentos adquiridos
na resolução de problemas.
As habilidades descritas na matriz re-
querem que o aluno reconheça os fenô-
menos científicos do cotidiano, interpre-
tando dados e informações disponíveis
em jornais, revistas, televisão, internet,
na própria natureza e em sua vida social.
Também que ele esteja antenado com os
assuntos atuais, como meios de comuni-
cação e de transporte, demanda energéti-
ca, biotecnologia, meio ambiente e avan-
ços tecnológicos, além de suas implicações
nas áreas sociais, econômicas, ambientais
e de saúde.
A ciência da natureza analisada e
Warren Rohner/CC-BY/SA

descrita em diferentes contextos exige do


aluno atenção na leitura, análise científica 1
dos itens apresentados, interpretação de
gráficos e tabelas.
MENU PRINCIPAL

Objetos de conhecimento

Física Superfícies equipotenciais. Poder das pontas. Blindagem.


Conhecimentos básicos e fundamentais — Capacitores. Efeito Joule. Lei de Ohm. Resistência elétri-
noções de ordem de grandeza ca e resistividade. Relações entre grandezas elétricas: ten-
Notação científica. Sistema internacional de unidades. são, corrente, potência e energia. Circuitos elétricos sim-
Metodologia de investigação: a procura de regularidades ples. Correntes contínua e alternada. Medidores elétricos.
e de sinais na interpretação física do mundo. Observações Representação gráfica de circuitos. Símbolos convencio-
e mensurações: representação de grandezas físicas como nais. Potência e consumo de energia em dispositivos elé-
grandezas mensuráveis. Ferramentas básicas: gráficos e tricos. Campo magnético. Imãs permanentes. Linhas de
vetores. Conceituação de grandezas vetoriais e escalares. campo magnético. Campo magnético terrestre.
Operações básicas com vetores.
Oscilações, ondas, óptica e radiação
Movimento, equilíbrio e descoberta de leis físicas Feixes e frentes de ondas. Reflexão e refração. Óptica
Grandezas fundamentais da mecânica: tempo, espa- geométrica: lentes e espelhos. Formação de imagens.
ço, velocidade e aceleração. Relação histórica entre força Instrumentos ópticos simples. Fenômenos ondulatórios.
e movimento. Descrições do movimento e sua interpreta- Pulsos e ondas. Período, frequência, ciclo. Propagação:
ção: quantificação do movimento e sua descrição mate- relação entre velocidade, frequência e comprimento de
mática e gráfica. Casos especiais de movimentos e suas onda. Ondas em diferentes meios de propagação.
regularidades observáveis. Conceito de inércia. Noção de
sistemas de referência inerciais e não inerciais. Noção di- Calor e fenômenos térmicos
nâmica de massa e quantidade de movimento (momento Conceitos de calor e de temperatura. Escalas ter-
linear). Força e variação da quantidade de movimento. Leis mométricas. Transferência de calor e equilíbrio térmico.
de Newton. Centro de massa e a ideia de ponto material. Capacidade calorífica e calor específico. Condução do
Conceito de forças externas e internas. Lei da conservação calor. Dilatação térmica. Mudanças de estado físico e
da quantidade de movimento (momento linear) e teorema calor latente de transformação. Comportamento de ga-
do impulso. Momento de uma força (torque). Condições ses ideais. Máquinas térmicas. Ciclo de Carnot. Leis da
de equilíbrio estático de ponto material e de corpos rígi- termodinâmica. Aplicações e fenômenos térmicos de uso
dos. Força de atrito, força peso, força normal de contato e cotidiano. Compreensão de fenômenos climáticos rela-
tração. Diagramas de forças. Identificação das forças que cionados ao ciclo da água.
atuam nos movimentos circulares. Noção de força centrí-
peta e sua quantificação. A hidrostática: aspectos histó- Química
ricos e variáveis relevantes. Empuxo. Princípios de Pascal, Transformações químicas
Arquimedes e Stevin: condições de flutuação, relação en- Evidências de transformações químicas. Interpretando
tre diferença de nível e pressão hidrostática. transformações químicas. Sistemas gasosos: Lei dos
gases. Equação geral dos gases ideais, Princípio de
Energia, trabalho e potência Avogadro, conceito de molécula; massa molar, volume
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

Conceituação de trabalho, energia e potência. molar dos gases. Teoria cinética dos gases. Misturas ga-
Conceito de energia potencial e de energia cinética. sosas. Modelo corpuscular da matéria. Modelo atômico
Conservação de energia mecânica e dissipação de ener- de Dalton. Natureza elétrica da matéria: Modelo atômico
gia. Trabalho da força gravitacional e energia potencial de Thomson, Rutherford, Rutherford-Bohr. Átomos e sua
gravitacional. Forças conservativas e dissipativas. estrutura. Número atômico, número de massa, isótopos,
massa atômica. Elementos químicos e tabela periódica.
Mecânica e funcionamento do universo Reações químicas.
Força peso. Aceleração gravitacional. Lei da Gravitação
Universal. Leis de Kepler. Movimentos de corpos celestes. Representação das transformações químicas
Influência na Terra: marés e variações climáticas. Concepções Fórmulas químicas. Balanceamento de equações quí-
históricas sobre a origem do universo e sua evolução. micas. Aspectos quantitativos das transformações quími-
cas. Leis ponderais das reações químicas. Determinação
Fenômenos elétricos e magnéticos de fórmulas químicas. Grandezas químicas: massa, volu-
2 Carga elétrica e corrente elétrica. Lei de Coulomb. me, mol, massa molar, constante de Avogadro. Cálculos
Campo elétrico e potencial elétrico. Linhas de campo. estequiométricos.
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
Materiais, suas propriedades e usos sobre polímeros. Amido, glicogênio e celulose. Borracha
Propriedades de materiais. Estados físicos de materiais. natural e sintética. Polietileno, poliestireno, PVC, Teflon,
Mudanças de estado. Misturas: tipos e métodos de sepa- náilon. Óleos e gorduras, sabões e detergentes sintéticos.
ração. Substâncias químicas: classificação e características Proteínas e enzimas.
gerais. Metais e ligas metálicas. Ferro, cobre e alumínio.
Ligações metálicas. Substâncias iônicas: características e Relações da química com as tecnologias,
propriedades. Substâncias iônicas do grupo: cloreto, car- a sociedade e o meio ambiente
bonato, nitrato e sulfato. Ligação iônica. Substâncias mo- Química no cotidiano. Química na agricultura e na
leculares: características e propriedades. Substâncias mo- saúde. Química nos alimentos. Química e ambiente.
leculares: H2, O2, N2, Cℓ 2, NH3, H2O, HCℓ, CH 4. Ligação Aspectos científico-tecnológicos, socioeconômicos e am-
covalente. Polaridade de moléculas. Forças intermolecu- bientais associados à obtenção ou produção de substân-
lares. Relação entre estruturas, propriedade e aplicação cias químicas. Indústria química: obtenção e utilização do
das substâncias. cloro, hidróxido de sódio, ácido sulfúrico, amônia e ácido
nítrico. Mineração e metalurgia. Poluição e tratamento de
Água água. Poluição atmosférica. Contaminação e proteção do
Ocorrência e importância na vida animal e vegetal. ambiente.
Ligação, estrutura e propriedades. Sistemas em solução
aquosa: Soluções verdadeiras, soluções coloidais e suspen- Energias químicas no cotidiano
sões. Solubilidade. Concentração das soluções. Aspectos Petróleo, gás natural e carvão. Madeira e hulha.
qualitativos das propriedades coligativas das soluções. Biomassa. Biocombustíveis. Impactos ambientais de com-
Ácidos, bases, sais e óxidos: definição, classificação, pro- bustíveis fósseis. Energia nuclear. Lixo atômico. Vantagens
priedades, formulação e nomenclatura. Conceitos de áci- e desvantagens do uso de energia nuclear.
dos e base. Principais propriedades dos ácidos e bases:
indicadores, condutibilidade elétrica, reação com metais, Biologia
reação de neutralização. Moléculas, células e tecidos
Estrutura e fisiologia celular: membrana, citoplasma
Transformações químicas e energia e núcleo. Divisão celular. Aspectos bioquímicos das es-
Transformações químicas e energia calorífica. Calor truturas celulares. Aspectos gerais do metabolismo celu-
de reação. Entalpia. Equações termoquímicas. Lei de Hess. lar. Metabolismo energético: fotossíntese e respiração.
Transformações químicas e energia elétrica. Reação de Codificação da informação genética. Síntese proteica.
oxirredução. Potenciais padrão de redução. Pilha. Eletrólise. Diferenciação celular. Principais tecidos animais e vegetais.
Leis de Faraday. Transformações nucleares. Conceitos fun- Origem e evolução das células. Noções sobre células-tronco,
damentais da radioatividade. Reações de fissão e fusão nu- clonagem e tecnologia do DNA recombinante. Aplicações
clear. Desintegração radioativa e radioisótopos. de biotecnologia na produção de alimentos, fármacos e
componentes biológicos. Aplicações de tecnologias rela-
Dinâmica das transformações químicas cionadas ao DNA a investigações científicas, determinação
Transformações químicas e velocidade. Velocidade da paternidade, investigação criminal e identificação de in-
de reação. Energia de ativação. Fatores que alteram a ve- divíduos. Aspectos éticos relacionados ao desenvolvimento
locidade de reação: concentração, pressão, temperatura biotecnológico. Biotecnologia e sustentabilidade.

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


e catalisador.
Hereditariedade e diversidade da vida
Transformação química e equilíbrio Princípios básicos que regem a transmissão de carac-
Caracterização do sistema em equilíbrio. Constante de terísticas hereditárias. Concepções pré-mendelianas sobre
equilíbrio. Produto iônico da água, equilíbrio ácido-base e a hereditariedade. Aspectos genéticos do funcionamento
pH. Solubilidade dos sais e hidrólise. Fatores que alteram o do corpo humano. Antígenos e anticorpos. Grupos san-
sistema em equilíbrio. Aplicação da velocidade e do equi- guíneos, transplantes e doenças autoimunes. Neoplasias
líbrio químico no cotidiano. e a influência de fatores ambientais. Mutações gênicas e
cromossômicas. Aconselhamento genético. Fundamentos
Compostos de carbono genéticos da evolução. Aspectos genéticos da formação
Características gerais dos compostos orgânicos. e manutenção da diversidade biológica.
Principais funções orgânicas. Estrutura e propriedades
de hidrocarbonetos. Estrutura e propriedades de com- Identidade dos seres vivos
postos orgânicos oxigenados. Fermentação. Estrutura Níveis de organização dos seres vivos. Vírus, proca- 3
e propriedades de compostos orgânicos nitrogenados. riontes e eucariontes. Autótrofos e heterótrofos. Seres uni-
ENEM-10

Macromoléculas. naturais e sintéticas. Noções básicas celulares e pluricelulares. Sistemática e as grandes linhas da
MENU PRINCIPAL
evolução dos seres vivos. Tipos de ciclo de vida. Evolução Origem e evolução da vida
e padrões anatômicos e fisiológicos observados nos se- A biologia como ciência: história, métodos, técnicas
res vivos. Funções vitais dos seres vivos e sua relação com e experimentação. Hipóteses sobre a origem do universo,
a adaptação desses organismos a diferentes ambientes. da Terra e dos seres vivos. Teorias de evolução. Explicações
Embriologia, anatomia e fisiologia humana. Evolução hu- pré-darwinistas para a modificação das espécies. A teoria
mana. Biotecnologia e sistemática. evolutiva de Charles Darwin. Teoria sintética da evolução.
Seleção artificial e seu impacto sobre ambientes naturais
Ecologia e ciências ambientais e sobre populações humanas.
Ecossistemas. Fatores bióticos e abióticos. Habitat e
nicho ecológico. A comunidade biológica: teia alimen- Qualidade de vida das populações humanas
tar, sucessão e comunidade clímax. Dinâmica de popu- Aspectos biológicos da pobreza e do desenvolvimen-
lações. Interações entre os seres vivos. Ciclos biogeoquí- to humano. Indicadores sociais, ambientais e econômicos.
micos. Fluxo de energia no ecossistema. Biogeografia. Índice de desenvolvimento humano. Principais doenças
Biomas brasileiros. Exploração e uso de recursos naturais. que afetam a população brasileira: caracterização, pre-
Problemas ambientais: mudanças climáticas, efeito estufa; venção e profilaxia. Noções de primeiros socorros. Doenças
desmatamento; erosão; poluição da água, do solo e do ar. sexualmente transmissíveis. Aspectos sociais da biologia:
Conservação e recuperação de ecossistemas. Conservação uso indevido de drogas; gravidez na adolescência; obesi-
da biodiversidade. Tecnologias ambientais. Noções de sa- dade. Violência e segurança pública. Exercícios físicos e
neamento básico. Noções de legislação ambiental: água, vida saudável. Aspectos biológicos do desenvolvimento
florestas, unidades de conservação; biodiversidade. sustentável. Legislação e cidadania.

Anotações
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

4
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Competência 1
Competência
A finalidade das ciências é criar novas tecnologias que per-
mitam a resolução de problemas observados no cotidiano.
O aluno deve preparar-se para reconhecer os conceitos
das disciplinas de Física, Química e Biologia em diferentes
situações-problema com visão social e econômica do fe-
nômeno, analisando sua importância nas transformações
resultantes dos avanços tecnológicos.
Compreender as ciências naturais e as tecnologias
Faz-se necessário conhecimento básico em ondulatória,
a elas associadas como construções humanas, per-
reconhecendo-a nas ações do cotidiano. Exemplos mais
cebendo seus papéis nos processos de produção e
citados: telefonia celular, estações e transmissão de rádio,
no desenvolvimento econômico e social da huma-
reflexão da luz, exames de raio X, ultrassom... Há ques-
nidade.
tões que relacionam o conflito entre produção (desenvol-
vimento) e proteção ao meio ambiente, considerando a in-
tervenção do homem na natureza e na qualidade de vida.
Essa competência exige, além dos conhecimentos espe-
cíficos, a leitura de periódicos, jornais e revistas que dei-
xem o aluno antenado com a atualidade, em especial com
a sustentabilidade.

Habilidades
A ondulatória no cotidiano do aluno apresenta as carac-
terísticas das ondas mecânicas como frequência, intensi-
H1 — Reconhecer características ou propriedades de fe-
dade, emissão do som por meio de instrumentos musi-
nômenos ondulatórios ou oscilatórios, relacionando-os a
cais, do organismo dos seres ou meios de comunicação.
seus usos em diferentes contextos.
Quanto às ondas eletromagnéticas, a luz e a interpretação
de imagens são reconhecidas como fenômenos físicos.

O estudo de situações-problema propicia a possibilidade


H2 — Associar a solução de problemas de comunicação,
de identificar e acompanhar o desenvolvimento científico
transporte, saúde ou outro, com o correspondente desen-
e tecnológico avaliando seus impactos sociais, econômi-
volvimento científico e tecnológico.
cos ou culturais.

A ciência se faz pela busca incessante de novos conheci-


mentos que complementam as interpretações inseridas na
H3 — Confrontar interpretações científicas com interpre-
história e na sociedade em diferentes épocas. Ao confron-
tações baseadas no senso comum, ao longo do tempo ou
tar as inovações tecnológicas com as do senso comum, o
em diferentes culturas.
aluno deve diferenciar o conhecimento científico desmis-

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


tificando conceitos existentes.

H4 — Avaliar propostas de intervenção no ambiente, con- Ao analisar processos de intervenção no meio ambiente
siderando a qualidade da vida humana ou medidas de reconhecer as interferências na qualidade de vida e bio-
conservação, recuperação ou utilização sustentável da diversidade apresentando propostas de conservação dos
biodiversidade. bens ambientais existentes em nosso planeta.

5
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Texto 1
A agricultura de precisão Como vimos, os objetivos da AP
são principalmente a diminuição
de custos de produção e de impac-
Com a globalização
Vilson Hansen

to ambiental e aumento da produ-


da economia e a compe-
tividade. Isso só é possível porque
titividade de preço dos
qualquer operação é sempre locali-
produtos agrícolas, surgiu
zada e nas proporções necessárias.
a necessidade de se obter
níveis de competitividade
Processo
internacionais. Além dis-
São etapas básicas do sistema de
so: a busca pela conserva-
agricultura de precisão: coleta de da-
ção dos recursos naturais,
dos, planejamento do gerenciamento
impõe à atividade agríco-
e aplicação localizada dos insumos.
la novos métodos e técni-
Na primeira etapa o objetivo é
cas de produção, aliados à
identificar a variabilidade existente
eficiência e ao maior con-
Colheitadeira equipada com computador, gps e ar-condicionado. trole dos resultados obti- em campo dos diversos fatores de
produção (solo, pragas, ervas dani-
dos no campo, em relação ao que se pratica hoje; a agricultura moderna está
nhas etc.) e da própria produção da
relacionada ao plantio de extensas áreas de monocultura, e um dos princi-
cultura. Para isso, primeiramente
pais problemas que reflete diretamente na produtividade agrícola de exten-
deve ser feito o mapa de produtivi-
sas áreas é a distribuição inadequada de calcário, semente, adubo, herbicida
dade na colheita, com equipamen-
e inseticida no terreno. Esse fato tem acarretado zonas de baixa produção de
tos instalados nas colheitadeiras,
grãos e cereais dentro da área cultivada.
que marcam cada posição geográ-
Como uma resposta para minimizar esses problemas e com o avanço da
fica no campo através de sinais de
tecnologia, foi possível que satélites, computadores e sensores auxiliassem a
satélite recebidos com o GPS. Além
agricultura. Surgiu, então um novo sistema de produção que, há alguns anos
disso informam, através de senso-
já é utilizada pelos agricultores de países de tecnologia avançada, chamado de
res de rendimento e umidade, a
Precision Agriculture, Precision Farming, e no Brasil de Agricultura de Preci-
quantidade e condições físicas dos
são. O processo vem resgatar a capacidade de conhecer cada metro quadrado
grãos colhidos em cada trecho per-
da lavoura, que foi perdido à medida que áreas cultivadas foram crescendo.
corrido.
As informações recebidas são
Conceitos sobre agricultura de precisão
processadas por programas de
AP é uma tecnologia que utiliza em conjunto de sinais de satélite e
computador, que fazem mapas com
softwares para interpretação de dados geoprocessados, isto é, recolhe e
a quantidade produzida em cada
reúne informações da área cultivada, sempre com a localização precisa.
trecho colhido. Os mapas de pro-
O uso racional dessas tecnologias, utilizadas como ferramentas de acom-
dutividade permitem individuali-
panhamento, controle e análise, permitem verificar variações espaciais e tem-
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

zar a produção da lavoura.


porais dos fatores limitantes à produção, orientando no processo de tomada
Exemplo: uma lavoura de pro-
de decisão, na aplicação localizada de insumos e no manejo diferenciado das
dução média de 100 sc/ha poderá
culturas no campo de produção. Assim, pode-se determinar "qual, quando e
ter áreas que produzem 60 e ou-
onde" o insumo deve ser aplicado e "como" fazê-lo, permitindo identificar lo-
tras 130 sc/ha.
cais específicos com diferentes potenciais de produtividade, podendo-se de-
A segunda etapa consiste no
terminar ou não, desde que econômica e tecnicamente viáveis, investimentos
processamento desses dados (dos
em insumos ou na correção de fatores limitantes à produção, visando à maxi-
mapas de produtividade da colhei-
mização da produtividade e à minimização dos impactos ambientais. O princi-
ta) para avaliar e quantificar a va-
pal conceito é aplicar no local correto, no momento adequado, quantidades de
riabilidade medida, tentar relacio-
insumos necessários à produção agrícola, para áreas cada vez menores e mais
nar a variação na produção com
homogêneas, tanto quanto a tecnologia e os custos envolvidos permitirem.
seus fatores, propor estratégias de
Dentre algumas vantagens do sistema, estão:
gerenciamento agrícola que levem
6 ¬ uso racional de insumos agrícolas;
em conta esse cenário de variabi-
¬ minimização dos impactos ambientais;
ENEM-10

lidade, consolidados na forma de


¬ maximização da qualidade, produtividade e do retorno financeiro.
mapas de aplicação dos insumos.
MENU PRINCIPAL
Após análises das amostras do solo coletado, das com controladores de aplicação inteligentes conectados
plantas daninhas, o agricultor tem mapas que tradu- ao GPS, que seguem as instruções estabelecidas nos ma-
zem a fertilidade da área, a ocupação das plantas da- pas confeccionados com a recomendação da aplicação
ninhas e muitos outros como, umidade, pH, estrutu- detalhada para cada ponto do terreno gerado na etapa
ra e drenagem do solo, densidade de plantas e estágio anterior, e informa à semeadora ou à adubadora a quan-
de crescimento e área em metros quadrados e não em tidade e momento exato em que ela deve despejar insu-
hectares como se faz até agora. mos no solo. Por exemplo, no caso da semeadora quanto
O mapa de produtividade é interpretado para ob- mais fértil for aquele trecho do terreno, menos semen-
ter o diagnóstico correto (concentração de nutrientes, tes serão lançadas e vice-versa. Diversas máquinas com
umidade, ocorrência de doenças etc.) da situação de essa capacidade estão disponíveis no mercado e estão
cada parte da lavoura (essa análise exige conhecimen- em franca evolução tecnológica. Os insumos aplicados
tos de agronomia). podem ser sementes, pesticidas, fertilizantes, corretivos,
Também é necessário fazer o mapa de fertilidade defensivos, outros.
do solo, conseguido por meio da coleta (registrada por Resumindo o processo, um ciclo completo pode ser
GPS) e análise de uma ou mais amostras do solo. Ele descrito assim:
indica o teor de cada nutriente no solo em cada ponto 1ª. colheita feita com máquina equipada com sen-
da área cultivada, permitindo identificar onde existe sores e receptor GPS para localização;
ausência ou excesso de nutrientes necessários ao de- 2ª. análise e confecção do mapa de produtividade;
senvolvimento das plantas. 3ª. análise de solo e outros fatores em busca das
Depois da análise e interpretação dos mapas de pro- causas da variação de produtividade;
dutividade e fertilidade, além de outras informações, 4ª. geração do mapa de aplicação localizada de acor-
confecciona-se mapas para aplicação localizada dos in- do com o resultado das análises e emprego de fer-
sumos. Eles indicam qual insumo, quantidade, e posição tilizantes e micronutrientes em taxas variáveis;
exata para aplicação. A grande vantagem é que ao invés 5ª. plantio em taxas variáveis conforme potencial
de calcular, por uma média, o quanto a área a ser culti- produtivo de cada região analisada em cada par-
vada necessita de sementes, calcário, adubo, herbicida e te da área, conforme mapa de aplicação;
inseticida, o agricultor vai poder aplicar apenas a quan- 6ª. mapeamento de invasoras, doenças, insetos etc.
tidade necessária para cada diferente zona do terreno. da lavoura;
Todos esses dados são armazenados num cartão 7ª. aplicação localizada a taxas variáveis de produ-
magnético, lido por computadores instalados nos tra- tos químicos, conforme a intensidade de invaso-
tores e máquinas de aplicação localizada. ras, insetos e doenças em cada ponto da lavoura;
Na terceira etapa são utilizadas máquinas agrícolas 8ª. nova colheita iniciando um novo ciclo da AP.
com a capacidade de aplicar insumos em taxa variável A cada novo ciclo, haverá mais informações so-
ao longo do talhão, de forma automática, e levando em bre a lavoura, o que tornará as análises cada vez mais
conta sua posição no campo. Essas máquinas contam confiáveis, gerando um histórico da lavoura.
VARGAS, Ivens Cristian. Disponível em: <http://www.webrural.com.br/webrural/artigos/tecnologia/ap/ap.htm>. Acesso em: 11 jun. 2010.

Áreas de conhecimento exigidas para compreensão do texto:


Ficha de leitura

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


1 2 3 4 5

Conhecimentos prévios (das diversas áreas do conhecimento) que você precisou acessar da memória, necessários du-
rante a leitura:
1
2
3
4

Informações que você precisou pesquisar para compreender melhor o texto e interagir com ele durante e/ou após
a leitura:
1
2 7
ENEM-10

3
4
MENU PRINCIPAL

Itens
Reconhecer características ou propriedades de fe- transmitem entre 860 e 1 300 pulsos por segundo,
H1 nômenos ondulatórios ou oscilatórios, relacionan- na frequência de 3 mil MHz.
do-os a seus usos em diferentes contextos.
FISCHETTI, M. Radar metereológico: sinta o vento. In:
Scientific American. Brasil, n. 8, São Paulo, jan. 2003.
Oscilações, ondas, óptica e radiação No radar Doppler, a diferença entre frequências emiti-
1. Enem — O progresso da tecnologia introduziu di- das e recebidas por ele é dada por f = (2 ur/c)f0 onde ur é a
versos artefatos geradores de campos eletromagnéticos. velocidade relativa entre fonte e receptor, c = 3,0∙10 8 m/s
Uma das mais empregadas invenções nessa área são os é a velocidade da onda eletromagnética, e f 0, frequência
telefones celulares e smartphones. Tecnologias de trans- emitida pela fonte. Qual a velocidade, em km/h, de uma
missão de celular em uso no Brasil contemplam dois siste- chuva, para a qual se registra no radar Doppler uma dife-
mas: o primeiro deles é operado entre as frequências de rença de frequência de 300 Hz?
800 MHz e 900 MHz e constitui os chamados sistemas a) 1,5 km/h
TDMA/CDMA; a tecnologia GSM, ocupa a frequência de b) 5,4 km/h
1 800 MHz. c) 15 km/h
Considerando que a intensidade de transmissão e o d) 54 km/h
nível de recepção “celular” sejam os mesmos para as tec- e) 108 km/h
nologias de transmissão TDMA/CDMA ou GSM, se um en-
genheiro tiver de escolher entre elas para obter a mesma 3. Enem — Sabe-se que o olho humano não consegue
cobertura, levando a exame apenas o número de antenas diferenciar componentes de cores e vê apenas a cor resultan-
em uma região, ele deve escolher: te, diferentemente do ouvido, que consegue distinguir, por
a) a tecnologia GSM, pois é a que opera com ondas exemplo, dois instrumentos diferentes tocados simultanea-
de maior comprimento de onda. mente. Raios luminosos do espectro visível, que têm compri-
b) a tecnologia TDMA/CDMA, pois é a que apresen- mento de onda entre 380 nm e 780 nm, incidem na córnea,
ta efeito Doppler mais pronunciado. passam pelo cristalino e são projetados na retina. Nela en-
c) a tecnologia GSM, pois é a que utiliza ondas que contram-se dois tipos de fotorreceptores — cones e basto-
se propagam com maior velocidade. netes — que convertem a cor e a intensidade da luz recebi-
d) qualquer uma das duas, pois as diferenças nas fre- da em impulsos nervosos. Cones distinguem cores primárias:
quências são compensadas pelas diferenças nos vermelho, verde e azul; bastonetes diferenciam apenas níveis
comprimentos de onda. de intensidade, sem separar comprimentos de onda. Impulsos
e) qualquer uma das duas, pois nesse caso as inten- nervosos produzidos são enviados ao cérebro por meio do
sidades decaem igualmente da mesma forma, in- nervo óptico, para que se dê a percepção da imagem.
dependentemente da frequência. Um indivíduo que, por alguma deficiência, não con-
segue captar informações transmitidas pelos cones, per-
2. Enem ceberá um objeto branco, iluminado apenas por luz ver-
Radares comuns transmitem micro-ondas que re- melha, como
fletem na água, gelo e outras partículas na atmosfera. a) um objeto indefinido, pois as células que captam
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

Podem, assim, indicar apenas o tamanho e a distân- a luz estão inativas.


cia delas, tais como gotas de chuva. O radar Doppler, b) um objeto rosa, pois haverá mistura da luz verme-
além disso, é capaz de registrar a velocidade e a di- lha com o branco do objeto.
reção na qual se movimentam, fornecendo um qua- c) um objeto verde, pois o olho não consegue dife-
dro do fluxo de ventos em diferentes elevações. Nos renciar componentes de cores.
Estados Unidos, a Nexrad, uma rede de 158 radares d) um objeto cinza, pois os bastonetes captam lumi-
Doppler, montada na década de 1990 pela Diretoria nosidade, porém não diferenciam cor.
Nacional Oceânica e Atmosférica (Noaa), permite e) um objeto vermelho, pois a retina capta a luz re-
que o Serviço Meteorológico Nacional (NWS) emi- fletida pelo objeto, transformando-a em vermelho.
ta alertas sobre situações do tempo potencialmente
perigosas com um grau de certeza muito maior. O 4. Encceja — Se for necessário transmitir urgentemen-
pulso da onda do radar ao atingir uma gota de chu- te uma notícia para uma população isolada numa região
va, devolve uma pequena parte de sua energia numa distante, o ideal será enviá-la através de uma emissora de
8 onda de retorno, que chega ao disco do radar antes rádio que utilize
que ele emita a onda seguinte. Radares da Nexrad a) ondas FM (frequência modulada).
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
b) ondas AM (amplitude modulada). II. Um objeto vermelho iluminado com uma luz bran-
c) ondas curtas. ca reflete a cor vermelha.
d) ondas médias. III. Um objeto preto é aquele que absorve todas as
e) ondas médias e curtas. cores.
IV. Um objeto de vidro transparente azul tem essa cor
5. Enem — Um dos modelos usados na caracterização porque reflete todas as cores.
dos sons ouvidos pelo ser humano baseia-se na hipótese As afirmativas corretas são
de que ele funciona como um tubo ressonante. Neste caso, a) I e II.
os sons externos produzem uma variação de pressão do ar b) I e III.
no interior do canal auditivo, fazendo a membrana (tímpa- c) II e III.
no) vibrar. Esse modelo pressupõe que o sistema funciona d) II e IV.
de forma equivalente à propagação de ondas sonoras em e) III e IV.
tubos com uma das extremidades fechadas pelo tímpano.
As frequências que apresentam ressonância com o canal 7. Encceja — Leia.
auditivo têm sua intensidade reforçada, enquanto outras
Como funciona o sistema de alarme
podem ter sua intensidade atenuada.
que evita o furto em lojas
Tímpano Ele é acionado por sensores que ficam quase invisíveis
nos produtos. Alguns desses aparelhinhos são finos como
Tímpano
uma folha de papel e têm o circuito ativado por ondas de
alta frequência, cerca de 8 MHz. Quando algum cliente
“se esquece” de pagar o produto, o sensor colado no pro-
Canal auditivo Canal auditivo duto interage com aquelas grandes barras verticais que
ficam nas portas das lojas, acionando o alarme.
Considere que, no caso de ressonância, ocorra um MUNDO ESTRANHO. abr. 2004. (Adaptado)

nó sobre o tímpano e ocorra um ventre da onda na saí- As ondas emitidas por estes sensores são
da do canal auditivo, de comprimento L igual a 3,4 cm. a) eletromagnéticas.
Assumindo que a velocidade do som no ar (v) é igual a b) sonoras.
340 m/s, a frequência do primeiro harmônico (frequência c) radioativas.
fundamental, n = 1) que se formaria no canal, ou seja, a d) mecânicas.
frequência mais baixa que seria reforçada por uma resso- e) elétricas.
nância no canal auditivo, usando este modelo é
a) 0,025 kHz, valor que considera a frequência do pri- 8. Enem — Explosões solares emitem radiações ele-
meiro harmônico como igual a nv/4L e equipara o ou- tromagnéticas muito intensas e ejetam, para o espaço,
vido a um tubo com ambas as extremidades abertas. partículas carregadas de alta energia, o que provoca efei-
b) 2,5 kHz, valor que considera a frequência do pri- tos danosos na Terra. O gráfico a seguir mostra o tempo
meiro harmônico como igual a nv/4L e equipara o transcorrido desde a primeira detecção de uma explosão
ouvido a um tubo com uma extremidade fechada. solar até a chegada dos diferentes tipos de perturbação e
c) 10 kHz, valor que considera a frequência do primei- seus respectivos efeitos na Terra.

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


ro harmônico como igual a nv/L e equipara o ouvido Escala de tempo das perturbações
a um tubo com ambas as extremidades fechadas. solares e seus efeitos
d) 2 500 kHz, valor que expressa a frequência do perturbação
raios X efeito: primeiras alterações
primeiro harmônico como igual a nv/L, aplicável na ionosfera
ao ouvido humano.
perturbação
e) 10 000 kHz, valor que expressa a frequência do ondas
Perturbação

de rádio efeito: interferência de rádio


primeiro harmônico como igual a nv/L, aplicável
ao ouvido e a tubo aberto e fechado. partículas perturbação efeito: primeiras alterações
de alta na ionosfera polar
energia
6. Encceja — Quando um objeto é iluminado, ele ab-
efeito: tempestade magnética perturbação
sorve algumas cores do espectro da luz incidente e reflete plasma
solar
outras. A cor com que o objeto é visto será determinada
pelas cores que ele reflete.
9
1 minuto

10 minutos

1 hora

10 horas
1 dia

10 dias

Baseado no exposto analise as afirmações seguintes.


I. Um objeto branco iluminado com uma luz verde
ENEM-10

reflete a cor azul.


MENU PRINCIPAL
Considerando-se o gráfico, é correto afirmar que a e) permitir a abertura e a pavimentação de rodovias,
perturbação por ondas de rádio geradas em uma explo- haja vista que os impactos ao meio ambiente são
são solar temporários e podem ser facilmente revertidos
a) dura mais que uma tempestade magnética. com as tecnologias existentes para recuperação
b) chega à Terra dez dias antes do plasma solar. de áreas degradadas.
c) chega à Terra depois da perturbação por raios X.
d) tem duração maior que a da perturbação por raios X. 10. Enem — O gráfico a seguir ilustra, de maneira hipo-
e) tem duração semelhante à dada chegada à Terra tética, o número de casos, ao longo de 20 anos, de uma
de partículas de alta energia. doença infecciosa e transmissível (linha cheia), própria de
uma região tropical específica, transmitida por meio da pi-
cada de inseto. A variação na densidade populacional do
Associar a solução de problemas de comunicação, inseto transmissor, na região considerada, é ilustrada (linha
H2 transporte, saúde ou outro, com o correspondente
pontilhada). Durante o período apresentado não foram re-
desenvolvimento científico e tecnológico.
gistrados casos dessa doença em outras regiões.

Nº. de casos registrados


e população de insetos
Qualidade de vida das populações humanas
9. Enem
A abertura e a pavimentação de rodovias em zo-
nas rurais e regiões afastadas dos centros urbanos,
por um lado, possibilita melhor acesso e maior inte-
gração entre as comunidades, contribuindo com o de- 0 4 8 12 16 20
senvolvimento social e urbano de populações isoladas. Tempo (anos)
Casos
Por outro lado, a construção de rodovias pode trazer Insetos
impactos indesejáveis ao meio ambiente, visto que a
abertura de estradas pode resultar na fragmentação Sabendo que as informações se referem a um caso típi-
de hábitats, comprometendo o fluxo gênico e as inte- co de endemia, com um surto epidêmico a cada quatro anos,
rações entre espécies silvestres, além de prejudicar o percebe-se que no terceiro ciclo houve um aumento do nú-
fluxo natural de rios e riachos, possibilitar o ingresso mero de casos registrados da doença. Após esse surto foi re-
de espécies exóticas em ambientes naturais e aumen- alizada uma intervenção que controlou essa endemia devido
tar a pressão antrópica sobre os ecossistemas nativos. a) à população ter se tornado autoimune.
BARBOSA, N. P. U.; FERNANDES, G. W. A destruição do jardim. In: b) à introdução de predadores do agente transmissor.
Scientific American — Brasil. ano 7, n. 80, dez. 2008. (Adaptado) c) à instalação de proteção mecânica nas residên-
Nesse contexto, para conciliar interesses aparentemen- cias, como telas nas aberturas.
te contraditórios entre progresso social e urbano e conser- d) ao desenvolvimento de agentes químicos para er-
vação do meio ambiente, seria razoável radicação do agente transmissor.
a) impedir a abertura e a pavimentação de rodovias e) ao desenvolvimento de vacina que ainda não era
em áreas rurais e em regiões preservadas, pois a disponível na época do primeiro surto.
qualidade de vida e as tecnologias encontradas
nos centros urbanos são prescindíveis às popu- Movimento, equilíbrio e descoberta das leis físicas
11. Enem
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

lações rurais.
b) impedir a abertura e a pavimentação de rodovias O Brasil pode se transformar no primeiro país das
em áreas rurais e em regiões preservadas, pro- Américas a entrar no seleto grupo das nações que dis-
movendo a migração das populações rurais para põem de trens-bala. O Ministério dos Transportes
os centros urbanos, onde a qualidade de vida é prevê o lançamento do edital de licitação internacio-
melhor. nal para a construção da ferrovia de alta velocidade
c) permitir a abertura e a pavimentação de rodovias Rio-São Paulo. A viagem ligará os 403 quilômetros en-
apenas em áreas rurais produtivas, haja vista que tre a Central do Brasil, no Rio, e a Estação da Luz, no
nas demais áreas o retorno financeiro necessário centro da capital paulista, em uma hora e 25 minutos.
para produzir uma melhoria na qualidade de vida
Disponível em: <http://oglobo.globo.com>. Acesso em: 14 jul. 2009.
da região não é garantido.
d) permitir a abertura e a pavimentação de rodovias, Em razão da alta velocidade, um dos problemas a ser
desde que comprovada a sua real necessidade e enfrentado na escolha do trajeto que será percorrido pelo
10 após a realização de estudos que demonstrem trem é o dimensionamento das curvas. Considerando-se
ser possível contornar ou compensar seus impac- que uma aceleração lateral confortável para os passa-
ENEM-10

tos ambientais. geiros e segura para o trem seja de 0,1 g, em que g é


MENU PRINCIPAL
a aceleração da gravidade (considerada igual a 10m/s 2), poluente e de fonte renovável, ainda em fase experimental.
e que a velocidade do trem se mantenha constante em Foi constatado que um trator pode rodar, nas mesmas con-
todo o percurso, seria correto prever que as curvas exis- dições, mais tempo com um litro de óleo de girassol, que
tentes no trajeto deveriam ter raio de curvatura mínimo com um litro de óleo diesel. Essa constatação significaria,
de, aproximadamente, portanto, que, usando óleo de girassol,
a) 80 m a) o consumo por km seria maior do que com óleo diesel.
b) 430 m b) as velocidades atingidas seriam maiores do que
c) 800 m com óleo diesel.
d) 1 600 m c) o combustível do tanque acabaria em menos tem-
e) 6 400 m po do que com óleo diesel.
d) a potência desenvolvida, pelo motor, em uma
Calor e fenômenos térmicos hora, seria menor do que com óleo diesel.
12. Encceja — Quatro novos empregados de uma em- e) a energia liberada por um litro desse combustível
presa que constrói estradas de ferro souberam que ela iria seria maior do que por um de óleo diesel.
construir uma nova ferrovia. Conversando sobre a finali-
dade das juntas de dilatação (espaço deixado entre os tri- Energia e química no cotidiano
lhos), surgiram opiniões diferentes entre eles: 15. Enem — O excesso de veículos e os congestiona-
Adão: acha desnecessária a existência das juntas de mentos em grandes cidades são temas de frequentes re-
dilatação porque não acredita que, com o calor,os trilhos portagens. Os meios de transportes utilizados e a forma
aumentem de tamanho. como são ocupados têm reflexos nesses congestionamen-
Bento: acha que o trilho aumenta de tamanho porque ele tos, além de problemas ambientais e econômicos. No grá-
sente calor quando está quente e se encolhe quando está frio. fico a seguir, podem-se observar valores médios do con-
Carlos: acha que o trilho aumenta de tamanho porque sumo de energia por passageiro e por quilômetro rodado,
as partículas do ferro crescem quando está quente e que em diferentes meios de transporte, para veículos em duas
diminuem quando está frio. condições de ocupação (número de passageiros): ocupa-
Diogo: acha que o trilho aumenta de tamanho, com ção típica e ocupação máxima.
o calor, porque as partículas de ferro vibram mais, e dimi- 3 500
Energia consumida por
passageiro por km
(MJ/km)

nuem com o frio, porque vibram menos. Ocupação típica


3 000
A interpretação cientificamente correta é a de Ocupação máxima
2 500
a) Adão.
2 000
b) Bento.
c) Carlos e Bento. 1 500

d) Carlos. 1 000
e) Diogo. 500
0
Automóvel Metrô Trem Ônibus
Oscilações, ondas, óptica e radiação
13. Encceja — As estações de rádio e TV transmitem Esses dados indicam que políticas de transporte urba-
suas programações por meio de ondas eletromagnéticas no devem também levar em conta que a maior eficiência
diferentes umas das outras para que elas possam ser dis- no uso de energia ocorre para os

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


tinguidas e para minimizar interferências. a) ônibus, com ocupação típica.
Duas características das ondas que, de forma equi- b) automóveis, com poucos passageiros.
valente, distinguem as ondas eletromagnéticas de várias c) transportes coletivos, com ocupação máxima.
estações são d) automóveis, com ocupação máxima.
a) a velocidade e a refração. e) trens, com poucos passageiros.
b) a difração e a amplitude.
c) a frequência e o comprimento de onda. 16. Enem — As previsões de que, em poucas décadas,
d) a amplitude e o comprimento de onda. a produção mundial de petróleo possa vir a cair têm ge-
e) a reflexão e a amplitude. rado preocupação, dado seu caráter estratégico. Por essa
razão, em especial no setor de transportes, intensificou‑se
Transformações químicas e energia a busca por alternativas para a substituição do petróleo
14. Enem — O setor de transporte, que concentra por combustíveis renováveis. Nesse sentido, além da uti-
uma grande parcela da demanda de energia no país, lização de álcool, vem se propondo, no Brasil, ainda que
continuamente busca alternativas de combustíveis. de forma experimental, 11
Investigando alternativas ao óleo diesel, alguns espe- a) a mistura de percentuais de gasolina cada vez
ENEM-10

cialistas apontam para o uso do óleo de girassol, menos maiores no álcool.


MENU PRINCIPAL
b) a extração de óleos de madeira para sua conver- A chuva durou três horas em todo o estado e as
são em gás natural. previsões indicam que continuará pelo menos até
c) o desenvolvimento de tecnologias para a produ- amanhã. Com isso, será possível acabar de vez com
ção de biodiesel. o incêndio que ontem completou 63 dias e devastou
d) a utilização de veículos com motores movidos a parte das florestas do estado.
gás do carvão mineral. JORNAL DO BRASIL. abr. 1998. (Adaptado).
e) a substituição da gasolina e do diesel pelo gás natural. Considerando a situação descrita, avalie as afirmati-
vas seguintes.
I. No ritual indígena, a dança da chuva, mais que
Confrontar interpretações científicas com interpre- constituir uma manifestação artística, tem a fun-
H3 tações baseadas no senso comum, ao longo do
ção de intervir no ciclo da água.
tempo ou em diferentes culturas.
II. A existência da dança da chuva em algumas cul-
turas está relacionada à importância do ciclo da
Mecânica e o funcionamento do Universo água para a vida.
17. Enem — Na linha de uma tradição antiga, o astrô- III. Uma das informações do texto pode ser expres-
nomo grego Ptolomeu (100-170 d.C.) afirmou a tese do sa em linguagem científica da seguinte forma: a
geocentrismo, segundo a qual a Terra seria o centro do dança da chuva seria efetiva se provocasse a pre-
universo, sendo que o Sol, a Lua e os planetas girariam cipitação das gotículas de água das nuvens.
em seu redor em órbitas circulares. A teoria de Ptolomeu É correto o que se afirma em
resolvia de modo razoável os problemas astronômicos da a) I, apenas.
sua época. Vários séculos mais tarde, o clérigo e astrôno- b) III, apenas.
mo polonês Nicolau Copérnico (1473-1543), ao encontrar c) I e II, apenas.
inexatidões na teoria de Ptolomeu, formulou a teoria do d) II e III, apenas.
heliocentrismo, segundo a qual o Sol deveria ser conside- e) I, II e III.
rado o centro do universo, com a Terra, a Lua e os planetas
girando circularmente em torno dele. Por fim, o astrônomo Energia e trabalho e potência
e matemático alemão Johannes Kepler (1571-1630), depois 19. Encceja — O gráfico mostra a evolução do consu-
de estudar o planeta Marte por cerca de trinta anos, verifi- mo médio diário de energia per capita ao longo da his-
cou que sua órbita é elíptica. Esse resultado generalizou-se tória humana.
para os demais planetas.
A respeito dos estudiosos citados no texto, é corre- Evolução do consumo médio diário de
energia per capita (em 100 kcal)
to afirmar que
100
a) Ptolomeu apresentou ideias mais valiosas, por se- 90 Transporte
rem mais antigas e tradicionais. 80 Indústria e agricultura
b) Copérnico desenvolveu a teoria do heliocentrismo 70 Casa e comércio
60 Alimento
inspirado no contexto político do Rei Sol.
50
c) Copérnico viveu em uma época em que a pesqui- 40
sa científica era livre e amplamente incentivada 30
pelas autoridades. 20
10
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

d) Kepler estudou o planeta Marte para atender às


0
necessidades de expansão econômica e científi- Homem Homem Homem Homem Homem Homem
ca da Alemanha. primitivo caçador agrícola medieval industrial tecnológico

e) Kepler apresentou uma teoria científica que, gra- OLIVEIRA, A. Energia e sociedade. In: Ciência
ças aos métodos aplicados, pôde ser testada e hoje. v.5, n. 29, mar. 1987. (Adaptado)
generalizada. O consumo de energia na indústria e na agricultura su-
perou o consumo no setor de casa e comércio no período
Ecologia e ciências ambientais histórico que corresponde ao
18. Enem — Um jornal de circulação nacional publicou a) homem caçador.
a seguinte notícia. b) homem medieval.
c) homem industrial.
Choveu torrencialmente na madrugada de ontem
d) homem agrícola.
em Roraima, horas depois de os pajés caiapós Mantii e
e) homem tecnológico.
Kucrit, levados de Mato Grosso pela Funai, terem par-
12
ticipado do ritual da dança da chuva, em Boa Vista.
Fenômenos elétricos e magnéticos
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
20. Encceja — Uma família, com o intuito de economi- a) o barro isola a água do ambiente, mantendo-a
zar energia, mudou toda a rede elétrica de sua residência sempre a uma temperatura menor que a dele,
para 220 V e trocou todas as lâmpadas incandescentes de como se fosse isopor.
127 V por outras incandescentes de mesma potência, mas b) o barro tem poder de “gelar” a água pela sua com-
que agora funcionam em 220 V. posição química. Na reação, a água perde calor.
Esse procedimento, em relação à tentativa de econo- c) o barro é poroso, permitindo que a água passe
mizar energia elétrica, foi através dele. Parte dessa água evapora, tomando
a) adequado, pois a potência diminui, diminuindo calor da moringa e do restante da água, que são
o consumo. assim resfriadas.
b) inadequado, pois a potência diminui, mantendo d) o barro é poroso, permitindo que a água se de-
o consumo. posite na parte de fora da moringa. A água de
c) inadequado, pois a potência aumenta, aumenta- fora sempre está a uma temperatura maior que
do o consumo. a de dentro.
d) adequado, pois a potência aumenta, diminuindo e) a moringa é uma espécie de geladeira natural, li-
o consumo. berando substâncias higroscópicas que diminuem
e) inadequado, pois a potência permanece a mesma, naturalmente a temperatura da água.
sem reduzir o consumo.

Qualidade de vida das populações humanas Avaliar propostas de intervenção no ambiente,


considerando a qualidade da vida humana ou me-
21. Encceja — Os seres humanos têm enfrentado o pro- H4
didas de conservação, recuperação ou utilização
blema da preservação de alimentos por séculos. Confira
sustentável da biodiversidade.
algumas soluções encontradas:
I. os egípcios e os romanos envolviam pedaços de
carne em uma quantidade de sal extraído da água Qualidade de vida das populações humanas
do mar; 23. Enem
II. os índios americanos amarravam fatias de bisão Na região semiárida do Nordeste brasileiro, mes-
e de veado no alto de uma tenda fechada, sobre mo nos anos mais secos, chove pelo menos 200 mi-
uma fogueira colocada no centro da tenda; límetros por ano. Durante a seca, muitas pessoas,
III. os colonos americanos armazenavam alimentos em geral as mães de família, têm de caminhar várias
perecíveis em cavernas e fontes. horas em busca de água, utilizando açudes compar-
Comparando essas soluções com os métodos moder- tilhados com animais e frequentemente contamina-
nos de preservação dos alimentos, pode-se considerar que dos. Sem tratamento, essa água é fonte de diarreias,
a) os métodos modernos não incorporaram nenhu- parasitas intestinais, e uma das responsáveis pela ele-
ma das soluções apontadas em I, II ou III. vada mortalidade infantil da região. Os açudes secam
b) embora com mais tecnologia e apesar de usarmos com frequência, tornando necessário o abastecimen-
outros métodos, ainda hoje recorremos à refrige- to das populações por carros-pipa, uma alternativa
ração, conforme já faziam os colonos americanos. cara e que não traz solução definitiva ao abasteci-
c) até hoje, nenhum método é totalmente eficaz mento de água.
para a conservação de alimentos apesar de toda OSAVA, M. Chuva de beber: cisternas para 50 mil

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


a tecnologia aplicada. famílias. In: Eco21. n. 96, nov. 2004. (Adaptado)
d) apesar de usarmos outros métodos, ainda hoje Considerando o texto, a proposta mais eficaz para re-
fazemos o mesmo que os índios americanos, mas duzir os impactos da falta de água na região seria
abandonamos o princípio de conservação usado a) subsidiar a venda de água mineral nos estabele-
pelos egípcios. cimentos comerciais.
e) a despeito do nosso avanço tecnológico, não fo- b) distribuir gratuitamente remédios contra parasitas
ram introduzidos métodos de conservação base- e outras moléstias intestinais.
ados em princípios diferentes dos utilizados nos c) desenvolver carros-pipa maiores e mais econômi-
exemplos apresentados. cos, de forma a baratear o custo da água trans-
portada.
Calor e fenômenos térmicos d) captar água da chuva em cisternas, permitindo
22. Encceja — Ainda hoje, é muito comum as pessoas seu adequado tratamento e armazenamento para
utilizarem vasilhames de barro (moringas ou potes de ce- consumo.
râmica não esmaltada) para conservar água a uma tempe- e) promover a migração das famílias mais necessita- 13
ratura menor do que a do ambiente. Isso ocorre porque das para as regiões Sudeste e Sul, onde as chuvas
ENEM-10

são abundantes.
MENU PRINCIPAL
24. Encceja —Uma comunidade urbana de baixa renda recursos ambientais renováveis e dos processos ecológicos,
ocupa as encostas de determinado morro. mantendo-se a biodiversidade e os demais atributos ecoló-
Os moradores sofrem frequentemente com desliza- gicos, de forma socialmente justa e economicamente viável.
mentos de terra, causados pela falta de cobertura vege- Considerando essas informações, analise a seguinte
tal nas encostas. situação hipotética.
Enquanto o governo e a sociedade se mobilizam para Ao discutir a aplicação de recursos disponíveis para
resolver o problema de qualidade de moradia dessa co- o desenvolvimento de determinada região, organizações
munidade, pode-se promover, para minimizar os perigos civis, universidade e governo resolveram investir na uti-
de deslizamentos, a ação de lização de uma unidade de proteção integral, o Parque
a) construir muros de contenção. Nacional do Morro do Pindaré, e de uma unidade de uso
b) fazer a terraplanagem do morro. sustentável, a Floresta Nacional do Sabiá. Depois das dis-
c) realizar obras de urbanização nas áreas desmatadas. cussões, a equipe resolveu levar adiante três projetos:
d) deslocar a população para habitações populares ¬ ¬ o projeto I consiste de pesquisas científicas emba-
em áreas de periferia urbana de uso industrial. sadas exclusivamente na observação de animais;
e) reflorestar o morro com espécies comercialmente ¬ ¬ o projeto II inclui a construção de uma escola e
viáveis, com o envolvimento comunitário. de um centro de vivência;
¬ ¬ o projeto III promove a organização de uma co-
Ecologia e ciências ambientais munidade extrativista que poderá coletar e explo-
25. Encceja — Existem várias ameaças à biodiversida- rar comercialmente frutas e sementes nativas.
de da Floresta Amazônica, como a expansão das grandes Nessa situação hipotética, atendendo-se à lei mencio-
plantações de soja do sul do Pará, a extração indiscrimina- nada, é possível desenvolver tanto na unidade de proteção
da de madeira e o crescimento da população. integral quanto na de uso sustentável
Dentre as opções seguintes, a que apresenta a me- a) apenas o projeto I.
lhor proposta diante de uma utilização autossustentável b) apenas o projeto III.
da biodiversidade é c) apenas os projetos I e II.
a) transferir a comunidade local para uma área d) apenas os projetos II e III.
maior, para que a floresta se desenvolva natural- e) todos os três projetos.
mente, sem confronto.
b) delimitar e conservar a floresta em uma determi- 27. Encceja — Os dados da tabela a seguir, publica-
nada área, para que não acabe. dos no Inventário das Emissões de Gases do Efeito Estufa
c) utilizar alternativas para que a população use os na Cidade do Rio de Janeiro em 2000, mostram fatores
recursos da floresta de forma equilibrada. de emissão em toneladas de CO2 por GWh de energia na
d) delimitar o espaço para plantações e moradia da queima de diversos combustíveis na Usina Termelétrica de
população. Santa Cruz.
e) direcionar o extrativismo a áreas predeterminadas Combustível tCO2 /GWh
com monocultura.
Gás natural 448,8
26. Enem — A Lei Federal nº. 9.985/2000, que instituiu Óleo diesel 888,8
o Sistema Nacional De Unidades de Conservação, define Óleo combustível 773,7
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

dois tipos de áreas protegidas. O primeiro, as unidades de Internet: <www.centrolima.prg.br/inventários .pdf> (com adaptações)
proteção integral, tem por objetivo preservar a natureza, Com base nesses dados, é correto afirmar que a subs-
admitindo-se apenas o uso indireto dos seus recursos natu- tituição do óleo combustível por gás natural para fazer
rais, isto é, aquele que não envolve consumo, coleta, dano funcionar as turbinas da Usina de Santa Cruz
ou destruição dos recursos naturais. O segundo, as unida- a) reduz a quantidade de energia gerada.
des de uso sustentável, tem por função compatibilizar a b) aumenta a necessidade de consumo de combustível.
conservação da natureza com o uso sustentável de parcela c) reduz a emissão de CO2 para a atmosfera.
dos recursos naturais. Nesse caso, permite-se a explora- d) independe da quantidade de CO2 produzida.
ção do ambiente de maneira a garantir a perenidade dos e) reduz pela metade o consumo de combustível.

14
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Competência 2
Competência
É necessário análise e relação entre a teoria estudada em
sala de aula com situações do cotidiano que exigem co-
Identificar a presença e aplicar as tecnologias asso- nhecimento prévio para realizá-las. Assuntos ligados à ele-
ciadas às ciências naturais em diferentes contextos. tricidade são trabalhados com a interpretação de infor-
mações contidas em manuais relacionando temas como
potência, voltagem, corrente elétrica etc.

Habilidades
Estudar fenômenos físicos que envolvem a eletricidade em
situações reais, descrevendo tipos de circuitos elétricos e
H5 — Dimensionar circuitos ou dispositivos elétricos de
dispositivos utilizados nos aparelhos, bem como o conhe-
uso cotidiano.
cimento da eletrostática. Estes ganham sentido quando
exemplificados com situações concretas.

Aparelhos que fazem parte do dia a dia do aluno reque-


rem energia elétrica para seu funcionamento, envolvendo
H6 — Relacionar informações para compreender manuais
processos e fenômenos no interior destes. O uso adequa-
de instalação ou utilização de aparelhos, ou sistemas tec-
do descrito nos manuais de instalação e utilização exige
nológicos de uso comum.
domínio de conteúdos sobre os conceitos e modelos da
eletrodinâmica e do eletromagnetismo.

H7 — Selecionar testes de controle, parâmetros ou cri- Análise e controle de variáveis são essenciais para interpre-
térios para a comparação de materiais e produtos, tendo tação de dados com base em conceitos pré-adquiridos. O
em vista a defesa do consumidor, a saúde do trabalhador importante é a visão social e de qualidade de vida do uso
ou a qualidade de vida. dos materiais e produtos.

Anotações

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

15
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Texto 2

Quase metade da eletricidade


nos lares britânicos vai ser
gasta por aparelhos eletrônicos
em 2020
Televisores de tela plana, segundo episódio da trilogia da Guerra das Estrelas, revela que a
computadores e outros dis- proliferação de equipamentos eletrônicos de entretenimento, infor-
positivos "hi-tech" vão gas- mação e comunicação, como telas planas de televisão, laptops e rá-
tar quase metade do total da dios digitais põem em causa os esforços no sentido de controlar a
eletricidade consumida nas procura de energia doméstica para reduzir os efeitos das alterações
casas britânicas em 2020, se- climáticas.
gundo um relatório divulgado Os novos aparelhos consomem mais energia do que os anterio-
ontem por um organismo de res modelos e muitos ficam em stand-by em vez de serem desliga-
conservação de energia. dos, até porque muitos deles não dispõem sequer de um botão para
S eg u ndo o est udo do desligar. Em 1982, apenas existiam computadores em três por cen-
Energy Saving Trust, cita- to dos lares britânicos, comparativamente aos 60 por cento da atu-
do pela Reuters, esse tipo de alidade. No caso das impressoras, verificou-se um aumento de 0,7
equipamentos vai ultrapas- para 58 por cento.
sar os eletrodomésticos e a
iluminação como principal Telas cada dez maiores
"sorvedouro" de eletricidade, As habitações dispõem, muitas vezes, de mais do que uma televi-
em nível doméstico. são e as pessoas compram telas cada vez maiores, que gastam mais
O relatório "O ampère energia. Em 2020, as televisões em stand-by vão consumir 1,4 por
contra-ataca", que alude ao cento do total de eletricidade doméstica, indica o documento. Ape-
sar dos fabricantes tentarem ofe-
Andresr / Dreamstime.com

recer equipamentos mais eficien-


tes em termos de energia, alguns
rádios digitais (DAB) gastam qua-
tro vezes mais energia do que os
seus congêneres analógicos.
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

O crescimento dos agregados


familiares com uma só pessoa —
muitos dos quais equipados com
grandes televisões, set-top-boxes,
computadores, consoles de jogos,
gravadores de música e vídeo e
rádios digitais — representa tam-
bém um aumento do consumo de
energia.

16
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
O relatório fala de uma nova de eletricidade nos lares britâ- ser poupados até 54,8 euros (37
Idade do Gelo (ICE, em inglês, nicos. libras) por ano, na fatura de ele-
reportando-se às iniciais de In- Seria o equivalente a 14 cen- tricidade, desligando os apare-
formação, Comunicação e En- trais elétricas só para pôr em lhos da tomada. Esse organis-
tretenimento) em que esses no- funcionamento as televisões, mo foi criado pelo governo em
vos produtos, combinados com computadores, DVD e VCR, te- 1993 para promover a poupança
o acumular dos equipamentos lefones sem fios, aparelhagens e de energia e ajudar a reduzir as
antigos e desperdícios involun- outros equipamentos eletrôni- emissões de gases com efeito de
tários, poderão representar em cos em 2020. O Energy Saving estufa para travar as alterações
2020, 45 por cento do consumo Trust argumenta que poderiam climáticas.

Mas de onde vem a energia


utilizada no mundo? Petróleo
Segundo o Balanço Energéti- Eletricidade
co Anual 2009, o petróleo con- Gás natural
tinua sendo a fonte de energia Fontes renováveis
mais utilizada no mundo, segui- Carvão mineral

da pela crescente utilização da Outras formas

energia elética.

Disponível em <https://ben.epe.gov.br/downloads/Relatorio_Final_BEN_2009.pdf>.

Disponível em: <http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=22601&op=all#cont>. Acesso em: 17 maio 2010. (Adaptado)

Áreas de conhecimento exigidas para compreensão do texto:


Ficha de leitura

1 2 3 4 5

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


Conhecimentos prévios (das diversas áreas do conhecimento) que você precisou acessar da memória, necessários du-
rante a leitura:
1
2
3
4

Informações que você precisou pesquisar para compreender melhor o texto e interagir com ele durante e/ou após
a leitura:
1
2
17
3
ENEM-10

4
MENU PRINCIPAL

Itens
H5 Dimensionar circuitos ou dispositivos elétricos de uso cotidiano.

Fenômenos elétricos e magnéticos


28. Enem — Uma estudante que ingressou na universidade e, pela primeira vez, está morando longe da família, rece-
be a primeira conta de luz:

Medidor Consumo Leitura Cód Emissão Id. bancária


Consu-
Número Leitura kWh Dia Mês Banco Agência Município
midor 21 01/04/2009
7131312 7295 280 31 03 222 999-7 S. José das Moças
951672
Consumo dos últimos 12 meses em kWh Descrição
253 Mar/08 278 Jun/08 272 Set/08 265 Dez/08
Fornecimento
247 Abr/08 280 Jul/08 270 Out/08 266 Jan/09
ICMS
255 Mai/08 275 Ago/08 280 Nov/08 268 Fev/09

Base de cálculo ICMS Alíquota Valor Total


R$ 130,00 25% R$ 32,50 R$ 162,50
Se essa estudante comprar um secador de cabelos que consome 1 000 W de potência e considerando que ela e 3 ami-
gas utilizem esse aparelho por 15 minutos cada uma, durante 20 dias no mês, o acréscimo em reais na conta mensal será de
a) R$ 10,00
b) R$ 12,50
c) R$ 13,00
d) R$ 13,50
e) R$ 14,00

29. Enem — Considere a seguinte situação hipotética: 30. Encceja — Durante uma tempestade, quando ocor-
ao preparar o palco para apresentação de uma peça de rem descargas elétricas atmosféricas (raios), é aconselhá-
teatro, o iluminador deveria colocar três atores sob luzes vel, como uma das medidas de segurança, que se entre
que tinham igual brilho e os demais, sob luzes de menor em um automóvel.
brilho. O iluminador determinou, então, aos técnicos, que Essa recomendação deve ser levada em consideração
instalassem no palco oito lâmpadas incandescentes com a porque
mesma especificação (L1 a L8), interligadas em um circuito a) o automóvel é uma “gaiola” metálica e impede
com uma bateria, conforme mostra a figura. a circulação de corrente elétrica em seu interior.
L1 L4 L7 b) uma descarga elétrica não pode atingir o auto-
móvel, que está completamente isolado do solo
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

L2 L5 pelos pneus.
L8 c) a antena do rádio do automóvel funciona como
E
L3 L6 um para-raios.
d) o metal do automóvel atrai as cargas elétricas do
Nessa situação, quais são as três lâmpadas que acen- raio, que são anuladas pelos elétrons livres pre-
dem com o mesmo brilho por apresentarem igual valor de sentes no ferro.
corrente fluindo nelas, sob as quais devem se posicionar e) todos automóveis apresentam fio terra para des-
os três atores? carga elétrica.
a) L1, L2 e L3.
b) L2, L3 e L4. 31. Encceja — A instalação elétrica de uma residência
c) L2, L5 e L7. utiliza um circuito elétrico em paralelo, em que todos os
d) L4, L5 e L6. equipamentos têm a mesma tensão. Quando o equipa-
e) L4, L7 e L8. mento é ligado ocorre uma variação na corrente elétrica
18
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
do circuito, que é diretamente proporcional à potência (P) dispositivos eletrônicos portáteis, parte da energia
do aparelho. Observe a figura: desperdiçada no ato de caminhar. As transformações de
energia envolvidas na produção de eletricidade enquanto
uma pessoa caminha com essa mochila podem ser assim
esquematizadas:

Indique, em ordem crescente, as variações nas corren-


tes elétricas causadas por esses eletrodomésticos.
a) A, B, C, D
b) B, A, C, D As energias I e II, representadas nesse esquema, po-
c) D, C, A, B dem ser identificadas, respectivamente, como
d) D, C, B, A a) cinética e elétrica.
e) A, C, D, B b) térmica e cinética.
c) térmica e elétrica.
32. Encceja — O dono de uma padaria resolveu am- d) sonora e térmica.
pliar os seus negócios e instalar três novos fornos elétricos e) radiante e elétrica.
iguais a um que já está instalado, cuja potência nominal é
de 3 kW. Um eletricista, chamado para dimensionar a fia- 34. Enem — O uso mais popular de energia solar está
ção para suportar a carga adicional, sugeriu trocar a bitola associado ao fornecimento de água quente para fins do-
(diâmetro) dos fios que ligam o quadro de força específico mésticos. Na figura a seguir, é ilustrado um aquecedor de
dos fornos até o local onde fica o “relógio” marcador do água constituído de dois tanques pretos dentro de uma
consumo de energia. caixa termicamente isolada e com cobertura de vidro, os
Para uma instalação correta, a nova bitola de fio deve quais absorvem energia solar.
Vidraças duplas Água
ser capaz de suportar uma corrente elétrica, no mínimo, quente
igual
Y
a) à da instalação atual.
b) a duas vezes à da instalação atual. Tanques
c) a três vezes à da instalação atual. pintados
de preto
d) a quatro vezes à da instalação atual.
e) a cinco vezes à da instalação atual.

Energia, trabalho e potência


33. Enem Água
fria
O sobe e desce dos quadris faz
a mochila gerar eletricidade X Camada refletiva

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


A mochila tem uma estrutura rígida
semelhante à usada por alpinistas
Nesse sistema de aquecimento,
a) os tanques, por serem de cor preta, são maus
O compartimento de carga é suspenso absorvedores de calor e reduzem as perdas de
por molas colocadas na vertical.
energia.
Durante a caminhada, os quadris b) a cobertura de vidro deixa passar a energia lumi-
sobem e descem em média cinco nosa e reduz a perda de energia térmica utilizada
centímetros. A energia produzida
pelo vaivém do compartimento e para o aquecimento.
peso faz girar um motor conectado c) a água circula devido à variação de energia lumi-
ao gerador de eletricidade.
nosa existente entre os pontos X e Y.
d) a camada refletiva tem como função armazenar
energia luminosa.
ISTOÉ. n. 1864, set. 2005, p. 69. (Adaptado)
e) o vidro, por ser bom condutor de calor, permite
Com o projeto de mochila ilustrado, pretende-se que se mantenha constante a temperatura no in- 19
aproveitar, na geração de energia elétrica para acionar terior da caixa.
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
Relacionar informações para compreender manuais de instalação ou utilização de aparelhos, ou sistemas tecno-
H6
lógicos de uso comum.

Fenômenos elétricos e magnéticos


35. Enem — O manual de instruções de um aparelho de ar-condicionado apresenta a seguinte tabela, com dados téc-
nicos para diversos modelos:
Capacidade de Corrente elé- Eficiência
Vazão de
refrigeração Potência (W) trica — ci- energética Frequência (Hz)
ar (m³/h)
kW/(BTU/h) clo frio (A) COP (W/W)
3,52/(12 000) 1 193 5,8 2,95 550 60
5,42/(18 000) 1 790 8,7 2,95 800 60
5,42/(18 000) 1 790 8,7 2,95 800 60
6,45/(22 000) 2 188 10,2 2,95 960 60
6,45/(22 000) 2 188 10,2 2,95 960 60
Disponível em: <http://www.institucional.brastemp.com.br>. Acesso em: 13 jul. 2009. (Adaptado)
Considere um auditório que possua capacidade para 40 pessoas, cada uma produzindo uma quantidade média de
calor, e que praticamente todo o calor que flui para fora do auditório o faz por meio dos aparelhos de ar-condicionado.
Nessa situação, entre as informações listadas, aquelas essenciais para se determinar quantos e/ou quais aparelhos de
ar-condicionado são precisos para manter, com lotação máxima, a temperatura interna do auditório agradável e constan-
te, bem como determinar a espessura da fiação do circuito elétrico para a ligação desses aparelhos, são
a) vazão de ar e potência.
b) vazão de ar e corrente elétrica — ciclo frio.
c) eficiência energética e potência.
d) capacidade de refrigeração e frequência.
e) capacidade de refrigeração e corrente elétrica — ciclo frio.

36. Encceja — Diferentes características das geladeiras Contribuem para a economia de energia elétrica as
contribuem para que sejam mais ou menos eficientes em recomendações
sua função. Dentre as características apresentadas a seguir, a) I e II.
as que mais contribuem para aumentar sua eficiência são b) I e IV.
a) paredes pouco espessas (finas) e congelador na c) II e III.
parte superior. d) III e IV.
b) paredes de fibra de vidro (isolante térmico) e pra- e) I e III.
teleiras vazadas.
c) paredes espessas (grossas) metálicas e pratelei- 38. Enem — A figura mostra o tubo de imagens dos
ras compactas. aparelhos de televisão usado para produzir as imagens so-
d) paredes de material metálico (bom condutor) e bre a tela. Os elétrons do feixe emitido pelo canhão eletrô-
congelador na parte superior. nico são acelerados por uma tensão de milhares de volts
e) paredes espessas (grossas) de material metálico e passam por um espaço entre bobinas onde são defleti-
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

(bom condutor). dos por campos magnéticos variáveis, de forma a fazer a


varredura da tela.
37. Encceja — O manual de utilização de um refrigera- Bobinas para a
deflexão vertical
dor recomenda: Canhão
eletrônico
I. armazene os alimentos em embalagens apropria-
das, tais como sacos plásticos ou recipientes com
tampas;
II. não coloque alimentos quentes no refrigerador;
aguarde até que estejam à temperatura ambiente;
III. evite quantidades excessivas e períodos longos de
abertura das portas; Bobinas para
a deflexão Elétrons
IV. mantenha seu refrigerador vazio e operando por pelo Tela
horizontal
menos duas horas antes de abastecê-lo com alimentos.
20
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
Nos manuais que acompanham os televisores, é co- Aparelhos Potência (W)
mum encontrar, entre outras, as seguintes recomendações: Aparelho de som 120
I. Nunca abra o gabinete ou toque as peças no in- Chuveiro elétrico 3 000
terior do televisor. Ferro elétrico 500
II. Não coloque seu televisor próximo de aparelhos Televisor 200
domésticos com motores elétricos ou ímãs. Geladeira 200
Essas recomendações estão associadas, respectiva- Rádio 50
mente, aos aspectos de *Eletrodutos são condutos por onde passa a fiação de uma
a) riscos pessoais por alta tensão / perturbação ou instalação elétrica, com a finalidade de protegê-la.
deformação de imagem por campos externos. A escolha das lâmpadas é essencial para obtenção de
b) proteção dos circuitos contra manipulação indevi- uma boa iluminação. A potência da lâmpada deverá es-
da / perturbação ou deformação de imagem por tar de acordo com o tamanho do cômodo a ser ilumina-
campos externos. do. O quadro a seguir mostra a relação entre as áreas dos
c) riscos pessoais por alta tensão / sobrecarga dos cômodos (em m2) e as potências das lâmpadas (em W), e
circuitos internos por ações externas. foi utilizado como referência para o primeiro pavimento
d) proteção dos circuitos contra a manipulação in- de uma residência.
devida / sobrecarga da rede por fuga de corrente.
Potência da lâmpada (W)
e) proteção dos circuitos contra manipulação inde-
Área do Quarto,
vida / sobrecarga dos circuitos internos por ação Sala/copa/
cômodo (m²) varanda e Banheiro
externa. cozinha
corredor
Até 6,0 60 60 60
Selecionar testes de controle, parâmetros ou cri- 6,0 a 7,5 100 100 60
térios para a comparação de materiais e produtos, 7,5 e 10,5 100 100 100
H7
tendo em vista a defesa do consumidor, a saúde 2,8 m
3m
do trabalhador ou a qualidade de vida.
Geladeira
Chuveiro
Transformações químicas e energia elétrico Televisor

39. Enem — Já são comercializados no Brasil veículos Lâmpada


2,1 m

com motores que podem funcionar com o chamado com- 3m


bustível flexível, ou seja, com gasolina ou álcool em qual- Lâmpada Lâmpada
quer proporção. Uma orientação prática para o abasteci-
1,5 m
mento mais econômico é que o motorista multiplique o Ferro elétrico Aparelho de som
Rádio
preço do litro da gasolina por 0,7 e compare o resultado Lâmpada
com o preço do litro de álcool. Se for maior, deve optar
pelo álcool. A razão dessa orientação deve-se ao fato de Obs.: para efeitos dos cálculos das áreas, as paredes
que, em média, se com um certo volume de álcool o ve- são desconsideradas.
ículo roda 10 quilômetros, com igual volume de gasolina Considerando a planta baixa fornecida, com todos os apa-
rodaria cerca de relhos em funcionamento, a potência total, em watts, será de

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


a) 7 km a) 4 070 d) 4 390
b) 10 km b) 4 270 e) 4 470
c) 14 km c) 4 320
d) 17 km
e) 20 km 41. Encceja
Potência Uso Consumo
Fenômenos elétricos e magnéticos total (W) diário (h) mensal (w)
40. Enem — A instalação elétrica de uma casa envolve 1. Televisão 80 6 14 400
várias etapas, desde a alocação dos dispositivos, instrumen- 2. Iluminação
400 8 96 000
tos e aparelhos elétricos, até a escolha dos materiais que (10 lâmpadas)
a compõem, passando pelo dimensionamento da potên- 3. Ferro de passar 1 200 2 72 000
cia requerida, da fiação necessária, dos eletrodutos*, den- 4. Micro-ondas 1 100 0,2 6 600
tre outras. 5. Chuveiro elétrico 4 400 0,5 66 000
Para cada aparelho elétrico existe um valor de po- 6. Liquidificador 270 0,1 810 21
tência associado. Valores típicos de potências para al-
ENEM-10

7. Geladeira 70 12 25 200
guns aparelhos elétricos são apresentados no quadro.
Com base nos dados da tabela, analise os itens a seguir.
MENU PRINCIPAL
I. Se o liquidificador e o micro-ondas não forem uti- Procel (Programa de Combate ao Desperdício de Energia
lizados por um mês, a economia energética equi- Elétrica).
valerá à de deixar a televisão ligada por 6 horas. Observe os modelos apresentados na tabela.
II. Se o ferro elétrico for utilizado apenas 40 horas Modelo Modelo novo Redução
por mês, a economia de energia será de 24 kW. 1993 2001 mensal
III. Se o número de lâmpadas for reduzido pela me- Consumo mensal: Consumo mensal:
tade, o consumo de energia das lâmpadas equi- 20 kWh
47 kWh 27 kWh
valerá ao de deixar o chuveiro elétrico ligado por
5 horas. Um consumidor está diante da seguinte situação: uma
Dessas afirmações, geladeira nova custa aproximadamente R$ 600,00 e uma
a) apenas I está correta. antiga, cerca da metade do preço (R$ 300,00).
b) apenas II está correta. Considerando que se mantenha constante o valor do
c) I e II estão corretas. kWh igual a R$ 0,25, o custo adicional de compra de uma
d) II e III estão corretas. geladeira do modelo novo será recuperado pela economia
e) I e III estão corretas. nas contas de luz ao longo de
a) 2 anos.
42. Encceja — Nas tabelas seguintes, estão informações b) 3 anos.
nutricionais de dois tipos de amendoim. c) 4 anos.
Tipo A d) 5 anos.
Informação nutricional — porção de 20g e) 6 anos.
Quantidade por porção VD* (%)
44. Enem — Nos últimos anos, o gás natural (GNV: gás
Valor calórico 110 kcal 4
natural veicular) vem sendo utilizado pela frota de veículos
Proteínas 5g 10 nacional, por ser viável economicamente e menos agressi-
Gorduras totais 9g 11 vo do ponto de vista ambiental.
Gorduras saturadas 0g 0 O quadro compara algumas características do gás na-
Colesterol 0 mg 0 tural e da gasolina em condições ambiente.
Ferro 0,70 mg 5 Densidade Poder calorífico
Sódio 410 mg 17 (kg/m3) (kJ/kg)
* Valores diários de referência com base em uma dieta de 2 500 kcal. GNV 0,8 50 200
Tipo B Gasolina 738 46 900
Informação nutricional — porção de 10 g Apesar das vantagens no uso de GNV, sua utilização
Quantidade por porção VD* (%) implica algumas adaptações técnicas, pois, em condições
Valor calórico 60 kcal 2 ambiente, o volume de combustível necessário, em rela-
Proteínas 3g 6 ção ao de gasolina, para produzir a mesma energia, seria
Gorduras totais 5g 6 a) muito maior, o que requer um motor muito mais
Gorduras saturadas 1g 4 potente.
Colesterol 0 mg 0 b) muito maior, o que requer que ele seja armaze-
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

Ferro 0,2 mg 1 nado a alta pressão.


Sódio 0 mg 0 c) igual, mas sua potência será muito menor.
* Valores diários de referência com base em uma dieta de 2 500 kcal. d) muito menor, o que o torna o veículo menos eficiente.
Analisando as informações, pode-se concluir que e) muito menor, o que facilita sua dispersão para a
a) o amendoim do tipo A tem maior valor calórico atmosfera.
que o amendoim do tipo B.
b) tanto o amendoim do tipo A quanto o do tipo B 45. Enem — O controle de qualidade é uma exigência
estão isentos de colesterol. da sociedade moderna na qual os bens de consumo são
c) tanto o amendoim do tipo A quanto o do tipo produzidos em escala industrial. Por meio dele determi-
B apresentam as mesmas concentrações de sal. nam-se parâmetros que permitem checar a qualidade dos
d) a diferença dos valores diários está proporcional produtos.
à caloria do amendoim. Álcool combustível é um produto de amplo consumo
e) tanto o amendoim do tipo A quanto o do tipo B muito adulterado, pois recebe adição de outros materiais
22 estão isentos de gordura. para aumentar a margem de lucro de quem o comercializa.
De acordo com a Agência Nacional de Petróleo (ANP), o
ENEM-10

43. Encceja — Atualmente é possível encontrar no álcool combustível deve ter densidade entre 0,805 g/cm3
mercado geladeiras com selo de Economia de Energia do e 0,811 g/cm3. Em algumas bombas de combustível a den-
MENU PRINCIPAL
sidade do álcool pode ser verificada por meio de um den- A respeito das amostras ou do densímetro, pode-se
símetro similar ao desenhado a seguir, que consiste em afirmar que
duas bolas com valores de densidade diferentes e verifica a) a densidade da bola escura deve ser igual a
quando o álcool está fora da faixa permitida. Na imagem 0,811 g/cm3.
são apresentadas situações distintas para três amostras de b) a amostra 1 possui densidade menor do que a
álcool combustível. permitida.
c) a bola clara tem densidade igual à densidade da
bola escura.
d) a amostra que está dentro do padrão estabeleci-
do é a de número 2.
e) o sistema poderia ser feito com uma única bola
de densidade entre 0,805 g/cm3 e 0,811 g/cm3.

Amostra 1 Amostra 2 Amostra 3

Anotações

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

23
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Competência 3
Competência
A interpretação das questões é facilitada pela interdiscipli-
naridade, visto que o conteúdo de ecologia — conserva-
Associar intervenções que resultam em degradação ção ambiental — está vinculado à obtenção de recursos
ou conservação ambiental a processos produtivos que interferem no processo de produção. Rever conceitos
e sociais e a instrumentos ou ações científico-tec- básicos como: ciclo biogeoquímico; biotecnologia, recicla-
nológicos. gem, reutilização e reaproveitamento; interferências an-
tropológicas negativas no meio ambiente, como poluição,
contaminação, vazamentos etc.

Habilidades
H8 — Identificar etapas em processos de obtenção, trans- Embora a reciclagem apresente inúmeras vantagens, o
formação, utilização ou reciclagem de recursos naturais, processo de reciclar um determinado resíduo deve ser pre-
energéticos ou matérias-primas, considerando processos cedido de um estudo de viabilidade econômica, ponto de
biológicos, químicos ou físicos neles envolvidos. vista ambiental, social.

Nos ciclos biogeoquímicos se reconhece a participação dos


H9 — Compreender a importância dos ciclos biogeoquí-
principais elementos e substâncias encontradas na natureza
micos ou do fluxo de energia para a vida, ou da ação de
como nitrogênio, oxigênio, gás carbônico e água, por meio
agentes ou fenômenos que podem causar alterações nes-
da análise das principais transformações físicas e químicas
ses processos.
que ocorrem naturalmente e pela interferência antrópica.

Com base em informações sobre as ações do homem no


H10 — Analisar perturbações ambientais, identificando ambiente, interpretar os impactos ambientais que ocor-
fontes, transporte e/ou destino dos poluentes ou preven- rem na cadeia produtiva e o destino final dos resíduos
do efeitos em sistemas naturais, produtivos ou sociais. formados. São importantes as avaliações das dimensões
dessas perturbações.

Biotecnologia consiste num conjunto de técnicas de ma-


nipulação genética de organismos vivos, com o objetivo
H11 — Reconhecer benefícios, limitações e aspectos éti- de criar novas espécies por meio de processos tecnológi-
cos da biotecnologia, considerando estruturas e proces- cos, usando espécies originais. Considera-se então como
sos biológicos envolvidos em produtos biotecnológicos. um avanço científico e tecnológico em pesquisas sendo
necessário levar em conta o caráter ético e de segurança
envolvidos no processo.

A busca do homem por novas tecnologias provocou uma


H12 — Avaliar impactos em ambientes naturais decorren-
ação desenfreada sobre o meio ambiente ocasionando im-
tes de atividades sociais ou econômicas, considerando in-
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

pactos que devem ser avaliados imediatamente em razão


teresses contraditórios.
da interferência social, ambiental e econômica.

Anotações

24
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Texto 3

Vazamentos
contidos
Acidentes com embarcações que resultam no vazamento de grandes Foram realizados diversos
quantidades de óleo são mais comuns do que deveriam. O mais recente testes em laboratório, além de
ocorreu esta semana na costa uruguaia, depois da colisão de dois navios. dois testes preliminares de espa-
A mancha de óleo de 20 km de comprimento, se não for contida, po- lhamento e impacto ambiental
derá chegar a Buenos Aires pelo Rio da Prata. Em casos como esse, até na represa do Broa, no interior
que a complexa operação de contenção da mancha seja efetivada, utili- paulista. "Em um dos testes de
zando diversas técnicas e mobilizando centenas de pessoas, o desastre laboratório, utilizando petróleo,
ambiental pode estar consumado. a mancha de óleo foi reduzida em
Uma nova tecnologia desenvolvida no Brasil promete funcionar cinco vezes, em questão de pou-
como os primeiros socorros para uma emergência desse tipo, minimi- cos segundos", afirmou Gugliotti.
zando os estragos. Em outro teste, feito em uma
Trata-se de um pó composto por surfactantes (que reduzem a tensão marina em Santos (SP), Gugliotti
superficial de uma solução) e um agente inerte. Ao ser jogado na água, o utilizou um pulverizador agríco-
produto forma um filme ultrafino, com a espessura de uma única molé- la para espalhar o produto. "O
cula, que confina a mancha de óleo em uma área limitada e a comprime, óleo era visível na superfície da
aumentando sua espessura e facilitando a limpeza. água e obtivemos uma redução
De acordo com o diretor científico da Lótus Química Ambiental, rápida e ampla da mancha. Os
Marcos Gugliotti, que desenvolveu o coletor de óleo em projeto apoiado dados foram registrados e o tes-
pelo programa Pesquisa Inovativa na Pequena e Micro Empresa (Pipe), te foi fotografado", disse.
da Fapesp, o produto oferece uma opção de pré-remediação eficiente. Gugliotti procura agora uma
"Quando há um acidente, até que se faça o deslocamento de barreiras empresa para fazer o licencia-
de contenção e skimmers (separam o óleo da água) para o local, a man- mento da patente do produto.
cha se espalha, resultando em grandes estragos ambientais. O produto "Queremos ceder os direitos para
que desenvolvemos permite que uma única lancha aplique o pó na água, que alguma companhia produza
nos limites da mancha, reduzindo sua extensão", disse o pesquisador. e venda o produto", disse.
Segundo ele, para cada quilômetro de perímetro da mancha de óleo, O produto também foi apre-
é preciso aplicar 2,5 quilos do pó. "O produto age de diversas formas. sentado para uma comissão do
Primeiro ele reduz o espalhamento da mancha de óleo, confinando-a. setor de emergência da Cetesb.
Depois, por ter alta pressão superficial, ele se espalha rapidamente e co- "Estamos negociando com a ins-
meça a reduzir a superfície da camada de óleo, aumentando sua espes- tituição um teste em uma piscina
sura e facilitando a remoção", explicou. olímpica em Guarulhos", disse.

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


Pshaw-photo/Dreamstime.com
Novos testes
O pesquisador explica que o produ-
to é autofóbico, isto é, não se espalha so-
bre si mesmo. "Se o pó for jogado na água,
ele se espalha até atingir a mancha, confi-
nando-a. Se for jogado sobre o óleo, passa
por cima dele e atinge a água rapidamen-
te, produzindo o mesmo efeito", apontou.
O produto é biodegradável em 48 ho-
ras. "O coletor é insolúvel, não se mistu-
rando com a água e mantendo-se apenas
na superfície. Ele também não é tóxico e 25
não altera a qualidade da água", disse.
ENEM-10

CASTRO, Fábio. 6 jun. 2008. Disponível em: <http://www.agencia.fapesp.br/materia/8937/especiais/vazamentos-contidos.htm>. Acesso em: 14 maio 2010.
MENU PRINCIPAL
Sete maiores acidentes ambientais da história
Ano Local Causa Consequências
Vila Socó, Vazamento de combustível no 93 pessoas mortas (número oficial); mais de 500 mortes
1984
Cubatão-Brasil duto da Petrobras (número extraoficial).
Union Carbide, uma das maiores Morte de 3 400 pessoas.
indústrias químicas do mundo, Mais de 500 mil pessoas, a maioria trabalhadores, foram ex-
1984 Bhopal-Índia descarregou no ar 25 mil tone- postas aos gases, 27 mil morreram por conta disso.
ladas de isocianato de metila — Cerca de 150 mil ainda sofrem com os efeitos do acidente.
gás letal Aproximadamente 50 mil estão incapacitadas para o trabalho.
Relatório da Organização das Nações Unidas de 2005 atri-
Explosão de um dos quatro rea- buiu 56 mortes até aquela data, 47 trabalhadores aciden-
tores da usina nuclear soviética tados e nove crianças com câncer da tireoide.
1986 Chernobyl-Rússia
de Chernobyl, lançando na at- Um estudo, aproximadamente 20 anos depois, aponta que
mosfera uma nuvem radioativa morreram de câncer entre 30 e 60 mil pessoas vítimas da
nuvem radioativa.
Navio superpetroleiro, Valdez, a
serviço da Exxon, bateu na cos-
Exxon ta do Alasca, deixando esca- Morte de: 250 mil pássaros marinhos, 2 800 lontras ma-
1989
Valdez-Alaska par 260 mil barris de petróleo, rinhas, 250 águias, 22 orcas e bilhões de ovos de salmão.
imergindo em óleo praticamen-
te toda a fauna da região
18 janeiro, derramamento de Mancha de óleo espalhou-se por mais de 50 quilômetros
mais de 1 milhão de litros de quadrados. Atingiu o manguezal da área de proteção am-
Brasil-Petrobras-
óleo na Baía de Guanabara; biental (APA) de Guapimirim.
2000 Rio de Janeiro
Em julho, cerca de 4 milhões de Inúmeras espécies da fauna e flora.
e Paraná
litros de óleo cru vazam da refi- Graves prejuízos de ordem social e econômica à popula-
naria em Araucária (PR). ção local.
Espanha-navio
Afundou a 250 quilômetros da
2002 Prestige (das Cerca de 15 mil pássaros afetados.
região da Galícia.
Bahamas)
Desaparecimento de 11 funcionários.
E xplos ão da Plataforma de
Mancha de óleo que se espalha rapidamente pela costa
2010 Golfo do México petróleo da empresa British
dos Estados Unidos.
Petroleum.
Prejuízos de toda ordem ainda não foram calculados.

Disponível em: <http://papocicuta.com.br/diversos/nove-maiores-acidentes-ambientais-historia>. Acesso em: 16 maio 2010.

Áreas de conhecimento exigidas para compreensão do texto:


Ficha de leitura

1 2 3 4 5
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

Conhecimentos prévios (das diversas áreas do conhecimento) que você precisou acessar da memória, necessários du-
rante a leitura:
1
2
3
4

Informações que você precisou pesquisar para compreender melhor o texto e interagir com ele durante e/ou após
a leitura:
1
2
26
3
ENEM-10

4
MENU PRINCIPAL

Itens
I. na usina: água flui da represa até a turbina, que
Identificar etapas em processos de obtenção,
transformação, utilização ou reciclagem de recur- aciona o gerador para produzir energia elétrica.
H8 sos naturais, energéticos ou matérias-primas, con- II. na transmissão: no caminho entre a usina e a re-
siderando processos biológicos, químicos ou físicos sidência do usuário a energia elétrica flui por con-
neles envolvidos. dutores elétricos.
III. na residência: a energia elétrica aciona um motor
Energia, trabalho e potência cujo eixo está acoplado ao de uma da bomba hi-
46. Enem — O esquema mostra um diagrama de bloco dráulica e, ao girar, cumpre a tarefa de transferir
de uma estação geradora de eletricidade abastecida por água do poço para a caixa.
combustível fóssil. As etapas I, II e III anteriores mostram de forma resu-
Gases da mida e simplificada, a cadeia de transformações de ener-
combustão gia processada desde a fonte primária ao seu uso final. A
opção que detalha o que ocorre em cada etapa é:
a) Na etapa I, energia potencial gravitacional da
Vapor água armazenada na represa transforma-se em
Eletricidade
Gerador energia potencial da água em movimento na tu-
bulação, a qual, lançada na turbina, causa a ro-
Caldeira tação do eixo do gerador elétrico e a correspon-
Saída H2O quente dente energia cinética, dá lugar ao surgimento de
H 2O
Condensador
corrente elétrica.
Líquido
b) Na etapa I, parte do calor gerado na usina se
Entrada transforma em energia potencial na tubulação, no
Combustível
Bomba H2O fria
+ eixo da turbina e dentro do gerador; e também
ar
Lago
por efeito Joule no circuito interno do gerador.
c) Na etapa II, elétrons movem-se nos condutores
que formam o circuito entre o gerador e a re-
HINRICHS, R. A.; KLEINBACH, M. Energia e meio ambiente. sidência; nessa etapa, parte da energia elétrica
São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003. (Adaptado) transforma-se em energia térmica por efeito Joule
Se fosse necessário melhorar o rendimento dessa usi- nos condutores e parte se transforma em energia
na, que forneceria eletricidade para abastecer uma cida- potencial gravitacional.
de, qual das seguintes ações poderia resultar em alguma d) Na etapa III, a corrente elétrica é convertida em
economia de energia, sem afetar a capacidade de gera- energia térmica, necessária ao acionamento do
ção da usina? eixo da bomba hidráulica, que faz a conversão
a) Reduzir a quantidade de combustível fornecido à em energia cinética ao fazer a água fluir do poço
usina para ser queimado. até a caixa, com ganho de energia potencial gra-
b) Reduzir o volume de água do lago que circula no vitacional pela água.

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


condensador de vapor. e) Na etapa III, parte da energia se transforma em
c) Reduzir o tamanho da bomba usada para devol- calor em razão das forças dissipativas (atrito) na
ver a água líquida à caldeira. tubulação; e também por efeito Joule no circuito
d) Melhorar a capacidade dos dutos com vapor para interno do motor; outra parte é transformada em
conduzir calor ao ambiente. energia cinética da água na tubulação e potencial
e) Usar o calor liberado com os gases pela chaminé gravitacional da água na caixa d'água.
para mover outro gerador.
48. Enem
Energia química no cotidiano O pó de café jogado no lixo caseiro e, principal-
47. Enem — Considere a ação de ligar uma bomba hi- mente, as grandes quantidades descartadas em bares
dráulica elétrica para captar água de um poço e armaze- e restaurantes poderão se transformar em uma nova
ná-Ia numa caixa d'água localizada alguns metros acima opção de matéria-prima para a produção de biodiesel,
do solo. As etapas seguidas pela energia entre a usina hi- segundo estudo da Universidade de Nevada (EUA).
droelétrica e a residência do usuário podem ser divididas No mundo, são cerca de 8 bilhões de quilogramas de 27
da seguinte forma:
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
pó de café jogados no lixo por ano. O estudo mostra 50. Encceja — A madeira, quando está num ambiente
que o café descartado tem 1,5% de óleo, o qual pode pobre em oxigênio, sofre uma transformação natural muito
ser convertido em biodiesel pelo processo tradicional. lenta. Esse processo ocorre em várias etapas, havendo um
Além de reduzir significativamente emissões preju- aumento gradual na proporção de carbono e um empobre-
diciais, após a extração do óleo, o pó de café é ideal cimento na quantidade de oxigênio do material.
como produto fertilizante para jardim. A figura mostra a composição da madeira e de alguns
produtos dessas transformações.
Considere o processo descrito e a densidade do bio- 100 %
diesel igual a 900 kg/m3. A partir da quantidade de pó de Antracito
café jogada no lixo por ano, a produção de biodiesel se- 90 Carvão
ria equivalente a Carbono betuminoso
Oxigênio
a) 1,08 bilhões de litros. 80
b) 1,20 bilhões de litros.
c) 1,33 bilhões de litros. 70

d) 8,00 bilhões de litros. Turfa


60
e) 8,80 bilhões de litros.
Madeira
50
Relações da química com as tecnologias,
a sociedade e o meio ambiente 40
49. Enem
30
A produção industrial de celulose e de papel está
associada a alguns problemas ambientais. Um exem- 20
plo são os odores característicos dos compostos volá-
teis de enxofre (mercaptanas) que se formam duran- 10
te a remoção da lignina da principal matéria-prima
para a obtenção industrial das fibras celulósicas que 0
formam o papel: a madeira. É nos estágios de bran-
A ordem correta em que ocorrem as transformações,
queamento que se encontra um dos principais pro-
com enriquecimento progressivo de carbono, é
blemas ambientais causados pelas indústrias de ce-
a) madeira — carvão betuminoso — turfa — antracito.
lulose. Reagentes como cloro e hipoclorito de sódio
b) turfa — antracito — carvão betuminoso — madeira.
reagem com a lignina residual, levando à formação de
c) madeira — antracito — turfa — carvão betuminoso.
compostos organoclorados. Esses compostos, presen-
d) madeira — turfa — carvão betuminoso — antracito.
tes na água industrial, despejada em grande quanti-
e) antracito — carvão betuminoso — turfa — madeira.
dade nos rios pelas indústrias de papel, não são bio-
degradáveis e acumulam-se nos tecidos vegetais e
51. Enem
animais, podendo levar a alterações genéticas.
Santos, Celênia P. et al. Papel: como se fabrica? In: Química O lixo orgânico de casa — constituído de restos
nova na escola, n. 14, nov. 2001, p. 3-7. (Adaptado) de verduras, frutas, legumes, cascas de ovo, aparas de
Para diminuir os problemas ambientais decorrentes da grama, dentre outros —, se for depositado nos lixões,
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

fabricação do papel, é recomendável pode contribuir para o aparecimento de animais e de


a) a criação de legislação mais branda, a fim de favo- odores indesejáveis. Entretanto a reciclagem gera um
recer a fabricação de papel biodegradável. excelente adubo orgânico, que pode ser usado no cul-
b) a diminuição das áreas de reflorestamento, com o tivo de hortaliças, frutíferas e plantas ornamentais.
intuito de reduzir o volume de madeira utilizado A produção do adubo ou composto orgânico se dá
na obtenção de fibras celulósicas. por meio da compostagem, um processo simples que
c) a distribuição de equipamentos de desodorização requer alguns cuidados especiais. O material que é
à população que vive nas adjacências de indús- acumulado diariamente em recipientes próprios deve
trias de produção de papel. ser revirado com auxílio de ferramentas adequadas,
d) o tratamento da água industrial, antes de retorná-la semanalmente, de forma a homogeneizá-lo. É preci-
aos cursos d’água, com o objetivo de promover a so também umedecê-lo periodicamente. O material
degradação dos compostos orgânicos solúveis. de restos de capina pode ser intercalado entre uma
e) o recolhimento, por parte das famílias que habi- camada e outra de lixo da cozinha. Por meio desse
28 tam as regiões circunvizinhas, dos resíduos sólidos método, o adubo orgânico está pronto em aproxima-
gerados pela indústria de papel, em um processo damente dois a três meses.
ENEM-10

de coleta seletiva de lixo. Como usar o lixo orgânico em casa? In: Ciência
hoje. v. 42, jun. 2008. (Adaptado)
MENU PRINCIPAL
Suponha que uma pessoa, desejosa de fazer seu pró- 53. Encceja — O esquema mostra, de maneira simpli-
prio adubo orgânico, tenha seguido o procedimento des- ficada, o que acontecia há alguns anos no processo que
crito no texto, exceto no que se refere ao umedecimento vai desde a extração do minério de alumínio até o destino
periódico do composto. Nessa situação, final das latinhas de refrigerante.
a) o processo de compostagem iria produzir inten-
Mineração Produção Fábrica Fábrica de
Consumidor Lixo
so mau cheiro. de bauxita de alumínio de latinhas refrigerante

b) o adubo formado seria pobre em matéria orgâni-


ca que não foi transformada em composto. A atualização desse esquema deve considerar a re-
c) a falta de água no composto vai impedir que mi- ciclagem do alumínio. Para tanto, deve-se colocar na
crorganismos decomponham a matéria orgânica. sequência do processo representado as fases
d) a falta de água no composto iria elevar a tempe-
ratura da mistura, o que resultaria na perda de a) Fábrica de
Consumidor Coletor
latinhas
nutrientes essenciais.
e) apenas microrganismos que independem de oxi-
gênio poderiam agir sobre a matéria orgânica e b) Produção de
Consumidor Coletor
alumínio
transformá-la em adubo.

52. Enem — Ao utilizarmos um copo descartável não c) Lixo Coletor


Mineração
de bauxita
nos damos conta do longo caminho pelo qual passam os
átomos ali existentes, antes e após esse uso. O processo
se inicia com a extração do petróleo, que é levado às re- d) Fábrica de
Consumidor Coletor
refrigerante
finarias para separação de seus componentes. A partir da
matéria-prima fornecida pela indústria petroquímica, a in-
dústria química produz o polímero à base de estireno, que e) Produção de
Lixo Consumidor
alumínio
é moldado na forma de copo descartável ou de outros ob-
jetos, tais como utensílios domésticos. Depois de utiliza-
dos, os copos são descartados e jogados no lixo para se- 54. Enem — O álcool hidratado utilizado como combus-
rem reciclados ou depositados em aterros. tível veicular é obtido por meio da destilação fracionada de
Materiais descartáveis, quando não reciclados, são soluções aquosas geradas a partir da fermentação de bio-
muitas vezes rejeitados e depositados indiscriminadamen- massa. Durante a destilação, o teor de etanol da mistura
te em ambientes naturais. Em consequência, esses materiais é aumentado, até o limite de 96% em massa.
são mantidos na natureza por longo período de tempo. No Considere que, numa usina de produção de etanol,
caso de copos plásticos constituídos de polímeros à base 800 kg de uma mistura etanol/água com concentração 20%
de produtos petrolíferos, o ciclo de existência deste mate- em massa de etanol foram destilados, sendo obtidos 100 kg
rial passa por vários processos que envolvem de álcool hidratado, 96% em massa de etanol. Com base nes-
a) decomposição biológica, que ocorre em aterros ses dados, é correto concluir que a destilação em questão ge-
sanitários, por micro-organismos que consomem rou um resíduo com uma concentração de etanol em massa
plásticos com estas características apolares. a) de 0%.
b) a polimerização, que é um processo artificial in- b) de 8,0%.

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


ventado pelo homem, com a geração de novos c) entre 8,4% e 8,6%.
compostos resistentes e com maiores massas mo- d) entre 9,0% e 9,2%.
leculares. e) entre 13% e 14%.
c) a decomposição química, devido à quebra de li-
gações das cadeias poliméricas, o que leva à ge-
Compreender a importância dos ciclos biogeoquí-
ração de compostos tóxicos ocasionando proble-
micos ou do fluxo energia para a vida, ou da ação
mas ambientais. H9
de agentes ou fenômenos que podem causar al-
d) a polimerização, que produz compostos de pro- terações nesses processos.
priedades e características bem definidas, com
geração de materiais com ampla distribuição de
massa molecular. Ecologia e ciências ambientais
e) a decomposição, que é considerada uma reação 55. Enem — O ciclo biogeoquímico do carbono com-
química porque corresponde à união de peque- preende diversos compartimentos, dentre os quais a
nas moléculas, denominados monômeros, para a Terra, a atmosfera e os oceanos, e diversos processos 29
formação de oligômeros. que permitem a transferência de compostos entre esses
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
reservatórios. Os estoques de carbono armazenados na 57. A chuva é o fenômeno natural responsável pela ma-
forma de recursos não renováveis, por exemplo, o petró- nutenção dos níveis adequados de água dos reservatórios
leo, são limitados, sendo de grande relevância que se per- das usinas hidrelétricas. Esse fenômeno, assim como todo
ceba a importância da substituição de combustíveis fósseis o ciclo hidrológico, depende muito da energia solar. Dos
por combustíveis de fontes renováveis. processos numerados no diagrama, aquele que se relacio-
A utilização de combustíveis fósseis interfere no ciclo na mais diretamente com o nível dos reservatórios de usi-
do carbono, pois provoca nas hidrelétricas é o de número
a) aumento da porcentagem de carbono contido na a) I.
Terra. b) II.
b) redução na taxa de fotossíntese dos vegetais su- c) III.
periores. d) IV.
c) aumento da produção de carboidratos de origem e) V.
vegetal.
d) aumento na quantidade de carbono presente na 58. Enem
atmosfera. O ciclo da água é fundamental para a preservação
e) redução da quantidade global de carbono arma- da vida no planeta. As condições climáticas da Ter-
zenado nos oceanos. ra permitem que o líquido sofra mudanças de fase e
a compreensão dessas transformações é fundamen-
Enem — Diagrama para as questões 56 e 57. tal para se entender o ciclo hidrológico. Numa des-
O diagrama representa, de forma esquemática e sim- sas mudanças, a água ou a umidade da terra absorve
plificada, a distribuição da energia proveniente do Sol so- o calor do sol e dos arredores. Quando já foi consu-
bre a atmosfera e a superfície terrestre. Na área delimita- mido calor suficiente, algumas das moléculas do lí-
da pela linha tracejada, são destacados alguns processos quido podem ter energia necessária para começar a
envolvidos no fluxo de energia na atmosfera. subir para a atmosfera.
Disponível em: <http://www. keroagua.blogspot.
Energia irradiada com>. Acesso em: 30 mar. 2009. (Adaptado)
para o espaço
100% A transformação mencionada no texto é a
30% 64% pela superfície
6%
I a) fusão.
b) liquefação.
c) evaporação.
20%
d) solidificação.
Atmosfera II 14% 6% 24% e) condensação.

III IV V
59. Encceja
50%
Superfície
Formação de nuvens

I. energia refletida pela superfície, pelas nuvens e pelo ar


II. radiação solar absorvida diretamente pela atmosfera Precipitação
III. radiação absorvida pela água e pelo CO2 na atmosfera Evaporação
IV. energia carregada para cima pela convecção
V. energia carregada para cima na formação de vapor d´água
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

SERWAY, Raymond A; JEWETT, John W. Princípios


Infiltração
de física. v. 2, fig 189.12. (Adaptado)
Oceano

56. Com base no diagrama, conclui-se que


Água subterrânea ce
Do da
a) a maior parte da radiação incidente sobre o pla- ua lga
Ág a S a
Água
u
Ág
neta fica retida na atmosfera. Salgada

b) a quantidade de energia refletida pelo ar, pelas HEAT, R. Hidrologia básica de águas subterrâneas. In: United
States geological survey water supply. p. 20
nuvens e pelo solo é superior à absorvida pela
superfície. Observando o ciclo da água na natureza ilustrado na
c) a atmosfera absorve 70% da radiação solar inci- figura, avalie as seguintes afirmações.
dente sobre a Terra. I. As chuvas caem no continente e não retornam
d) mais da metade da radiação solar que é absorvida mais ao mar.
diretamente pelo solo é devolvida para a atmosfera. II. Nuvens se formam no mar pela evaporação da
30 e) a quantidade de radiação emitida para o espaço água do oceano e do continente.
pela atmosfera é menor que a irradiada para o
ENEM-10

espaço pela superfície.


MENU PRINCIPAL
III. Quando a água das chuvas atinge a terra, escoa pela b) I e III.
superfície, alimentando diretamente os rios, e infil- c) II e IV.
tra-se no solo, alimentando os lençóis subterrâneos. d) I, II e III.
Estão corretas as afirmações e) II, III e IV.
a) I e II, apenas.
b) I e III, apenas. 62. Enem — Algumas atividades humanas interferiram
c) II e III, apenas. significativamente no ciclo natural do enxofre, alterando as
d) I, II e III. quantidades das substâncias indicadas no esquema. Ainda
e) Nenhuma das afirmações está correta. hoje isso ocorre, apesar do grande controle por legislação.
Pode-se afirmar que duas dessas interferências são
60. Encceja — A figura esquematiza as trocas anuais de resultantes da
CO2 (em gigatoneladas) entre oceanos, vegetação, ativida- a) queima de combustíveis em veículos pesados e da
des humanas e atmosfera. produção de metais a partir de sulfetos metálicos.
Trocas anuais de CO2 b) produção de metais a partir de óxidos metálicos
(Gigatoneladas) e da vulcanização da borracha.
Atmosfera
60 Gt
c) queima de combustíveis em veículos leves e da
5 Gt 90 Gt
produção de metais a partir de óxidos metálicos.
Combustão,
energia fóssil
1,5 Gt
d) queima de combustíveis em indústria e da obten-
Desmatamento 61,5 Gt ção de matérias-primas a partir da água do mar.
Indústrias e) vulcanização da borracha e da obtenção de ma-
Vegetação
térias-primas a partir da água do mar.
92 Gt

Oceanos
Absorção Liberação Analisar perturbações ambientais, identificando
fontes, transporte e/ou destino dos poluentes ou
H10
prevendo efeitos em sistemas naturais, produti-
Há um excedente anual de CO2 na atmosfera de cerca vos ou sociais.
de 3 gigatoneladas procedente de
a) oceanos.
b) queimadas. Ecologia e ciências ambientais
c) atividade industrial. 63. Enem
d) fotossíntese das plantas.
O cultivo de camarões de água salgada vem se de-
e) desmatamento.
senvolvendo muito nos últimos anos na região Nor-
deste do Brasil e, em algumas localidades, passou a
61. Enem — O esquema representa o ciclo do enxofre
ser a principal atividade econômica. Uma das grandes
na natureza, sem considerar a intervenção humana.
preocupações dos impactos negativos dessa ativida-
Transferência de sulfatos para a terra
de está relacionada à descarga, sem nenhum tipo de
SO2 tratamento, dos efluentes dos viveiros diretamente
SO3
SO2
SO 42- no ambiente marinho, em estuários ou em mangue-
H 2S
SO2
zais. Esses efluentes possuem matéria orgânica parti-

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


Compostos
culada e dissolvida, amônia, nitrito, nitrato, fosfatos,
orgânicos
de enxofre
chuva Compostos partículas de sólidos em suspensão e outras subs-
ácida orgânicos de
H 2S
enxofre H2S SO 42-
tâncias que podem ser consideradas contaminantes
Vulcões Seres vivos potenciais.
TERRA Sulfatos na Seres vivos Sulfatos na CASTRO, C. B.; ARAGÃO, J. S.; COSTA-LOTUFO, L. V. Monitoramento da
litosfera MAR água do mar
toxicidade de efluentes de uma fazenda de cultivo de camarão marinho.
BLIMBECOMBE, P. Air composition and chemistry. Anais do IX Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2006. (Adaptado)
Cambridger Cambridge University Press, 1996.
Suponha que tenha sido construída uma fazenda de
O ciclo representado mostra que a atmosfera, a litos- carcinicultura próximo a um manguezal. Dentre as pertur-
fera, a hidrosfera e a biosfera, naturalmente, bações ambientais causadas pela fazenda, espera-se que
I. são poluídas por compostos de enxofre. a) a atividade microbiana se torne responsável pela
II. são destinos de compostos de enxofre. reciclagem do fósforo orgânico excedente no am-
III. transportam compostos de enxofre. biente marinho.
IV. são fontes de compostos de enxofre. b) a relativa instabilidade das condições marinhas 31
Dessas afirmações, estão corretas, apenas, torne as alterações de fatores físico-químicos pou-
ENEM-10

a) I e II. co críticas à vida no mar.


MENU PRINCIPAL

c) a amônia excedente seja convertida em nitrito, e) exigir que fabricantes invistam em pesquisa para
por meio do processo de nitrificação, e em nitra- a substituição desses metais tóxicos por substân-
to, formado como produto intermediário desse cias menos nocivas ao homem e ao ambiente, e
processo. que não sejam bioacumulativas.
d) os efluentes promovam o crescimento excessivo
de plantas aquáticas devido à alta diversidade de 65. Enem
espécies vegetais permanentes no manguezal.
A atmosfera terrestre é composta pelos gases nitro-
e) o impedimento da penetração da luz pelas partí-
gênio (N2) e oxigênio (O2), que somam cerca de 99%, e
culas em suspensão venha a comprometer a pro-
por gases traços, dentre eles: gás carbônico (CO2); vapor
dutividade primária do ambiente marinho, que
de água (H2O); metano (CH4); ozônio (O3); óxido nitroso
resulta da atividade metabólica do fitoplâncton.
(N2O), que compõem o restante 1% do ar que respiramos.
Os gases traços, por serem constituídos por pelo
64. Enem
menos três átomos, conseguem absorver o calor irradia-
Cerca de 1% do lixo urbano é constituído por re- do pela Terra, aquecendo o planeta. Esse fenômeno, que
síduos sólidos contendo elementos tóxicos. Entre es- acontece há bilhões de anos, é chamado de efeito estufa.
ses elementos estão metais pesados como o cádmio, A partir da Revolução Industrial (século XIX), a
o chumbo e o mercúrio, componentes de pilhas e ba- concentração de gases traços na atmosfera, em par-
terias, que são perigosos à saúde humana e ao meio ticular o CO2 , tem aumentado significativamente, o
ambiente. que resultou no aumento da temperatura em escala
Quando descartadas em lixos comuns, pilhas e global. Mais recentemente, outro fator tornou-se di-
baterias vão para aterros sanitários ou lixões a céu retamente envolvido no aumento da concentração de
aberto, e o vazamento de seus componentes conta- CO2 na atmosfera: o desmatamento.
mina o solo, os rios e o lençol freático, atingindo a BROWN, I. F.; ALECHANDRE, A. S. Conceitos básicos sobre clima,
flora e a fauna. Por serem bioacumulativos e não bio- carbono, florestas e comunidades. In: MOREIRA, A. G.; SCHWARTZMAN,
S. As mudanças climáticas globais e os ecossistemas brasileiros.
degradáveis, esses metais chegam de forma acumula- Brasília: Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia, 2000. (Adaptado)
da aos seres humanos, por meio da cadeia alimentar.
Considerando o texto, uma alternativa viável para
A leg i slaç ão v igente (Resoluç ão C ona ma
combater o efeito estufa é:
n. 257/1999) regulamenta o destino de pilhas e ba-
a) reduzir o calor irradiado pela Terra mediante a
terias após seu esgotamento energético e determina
substituição da produção primária pela industria-
aos fabricantes e/ou importadores a quantidade má-
lização refrigerada.
xima permitida desses metais em cada tipo de pilha/
b) promover a queima da biomassa vegetal, respon-
bateria, porém o problema ainda persiste.
sável pelo aumento do efeito estufa devido à pro-
Disponível em: <http://www.mma.gov.br>.
Acesso em: 11 jul. 2009. (Adaptado) dução de CH4.
Uma medida que poderia contribuir para acabar de- c) reduzir o desmatamento, mantendo-se, assim, o
finitivamente com o problema da poluição ambiental por potencial da vegetação em absorver o CO2 da
metais pesados relatado no texto seria atmosfera.
a) deixar de consumir aparelhos elétricos que utili- d) aumentar a concentração atmosférica de H2O, molé-
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

zem pilha ou bateria como fonte de energia. cula capaz de absorver grande quantidade de calor.
b) usar apenas pilhas ou baterias recarregáveis e de e) remover moléculas orgânicas polares da atmosfe-
vida útil longa e evitar ingerir alimentos contami- ra, diminuindo a capacidade delas de reter calor.
nados, especialmente peixes.
c) devolver pilhas e baterias, após o esgotamento da 66. Enem
energia armazenada, à rede de assistência técni- Estações
ca especializada para repasse a fabricantes e/ou Qualidade Índice Poluente
da RMSP
importadores. Parque D. Pedro II Boa 6 MP10
d) criar nas cidades, especialmente naquelas com São Caetano
mais de 100 mil habitantes, pontos estratégicos Regular 60 NO2
do Sul
de coleta de baterias e pilhas, para posterior re- Congonhas Boa 15 MP10
passe a fabricantes e/ou importadores. Osasco Inadequada 175 CO
Pinheiros Má 283 SO2
32
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
MP10 — partículas inaláveis: aquelas cujo diâmetro ae- De acordo com o texto, o destino inadequado do óleo
rodinâmico é menor que 10 µm. de cozinha traz diversos problemas. Com o objetivo de
contribuir para resolver esses problemas, deve-se
CO — monóxido de carbono: gás incolor e inodoro a) utilizar o óleo para a produção de biocombustí-
que resulta da queima incompleta de combus-
veis, como etanol.
tíveis de origem orgânica (combustíveis fós-
b) coletar o óleo devidamente e transportá-lo às em-
sies, biomassa etc.). Emitido principalmente por
veículos automotores. presas de produção de biodiesel.
c) limpar periodicamente os esgotos das cidades
NO2 — dióxido de nitrogênio: formado principalmen- para evitar entupimentos e enchentes.
te nos processos de combustão de veículos au- d) utilizar o óleo como alimento para os peixes, uma
tomotores. Dependendo das concentrações, o vez que preserva seu valor nutritivo após o descarte.
NO2 pode causar prejuízos à saúde.
e) descartar o óleo diretamente em ralos, pias e bueiros,
SO2 — dióxido de enxofre: resulta principalmente da sem tratamento prévio com agentes dispersantes.
queima de combustíveis que contêm enxofre,
como óleo diesel. Pode reagir com outras subs- 68. Encceja — As chuvas ácidas que causam danos às
tâncias presentes no ar, formando partículas à plantações, lagos e monumentos históricos são causadas
base de sulfato responsáveis pela redução da pelos gases SOx e NOx.
visibilidade na atmosfera. Os gráficos seguintes mostram as emissões de óxidos de
0-50 51-100 101-199 200-299 >299 enxofre (SOx) e nitrogênio (NOx), produzidos na geração de
Boa Regular Inadequada Má Péssima 1 000 megawatts de energia pelas usinas. Elas utilizam: carvão,
SÃO PAULO. Companhia de Tecnologia de Saneamento gás natural, petróleo residual, madeira e material radioativo.
Ambiental-Cetesb. Padrões, índices. Disponível em: <http:// Emissão de SO x Emissão de NO x
www. cetesb.sp. gov.br>. Acesso em: 22 jun. 2008. (mil toneladas/ano) (mil toneladas/ano)
70 25
60
A Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental 20
50
do Estado de São Paulo (Cetesb) divulga continuamente 40 15

dados referentes à qualidade do ar na região metropolitana 30 10

de São Paulo. A tabela apresentada corresponde a dados 20


5
10
hipotéticos que poderiam ter sido obtidos pela instituição 0 0
em determinado dia. Se esses dados fossem verídicos, en- v ão ás
G al le
o
ró al d e
ira
cle
ar
rv
ão ás
G al le
o
ró al d e
ira
cle
ar
ar r Ca r
C tu P et sidu M a Nu tu P et sidu M a Nu
tão, seria mais provável encontrar problemas de visibilidade na r e na r e

a) no Parque Dom Pedro II. GOLDEBERG, José. Meio ambiente e desenvolvimento.


b) em São Caetano do Sul. Dentre as usinas, a que mais contribui para o agra-
c) em Congonhas. vamento do fenômeno das chuvas ácidas é a que utiliza
d) em Osasco. a) carvão mineral.
e) em Pinheiros. b) petróleo residual.
c) madeira.
67. Enem d) material radioativo.
Metade do volume de óleo de cozinha consumido e) gás natural.
anualmente no Brasil, cerca de dois bilhões de litros,
Ecologia e ciências ambientais

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


é jogada incorretamente em ralos, pias e bueiros. Es-
tima-se que cada litro de óleo descartado polua mi- 69. Encceja — A utilização do óleo diesel, como fonte
lhares de litros de água. O óleo no esgoto tende a criar de energia, requer extração de recurso natural, requer a
uma barreira que impede a passagem da água, causa realização da transformação química e pode acarretar pro-
entupimentos e, consequentemente, enchentes. Além blemas ambientais.
disso, ao contaminar mananciais, resulta na mortan- Óleo diesel Envolve
dade de peixes. A reciclagem do óleo de cozinha, além Pode
obtido a transformação
causar
de necessária, tem mercado na produção de biodie- partir de química de
sel. Há uma demanda atual de 1,2 bilhões de litros de poluição
a) petróleo combustão
biodiesel no Brasil. Se houver planejamento na coleta, do ar
transporte e produção, estima-se que se possa pagar poluição
b) petróleo fotólise
até R$ 1,00 por litro de óleo a ser reciclado. térmica
PROGRAMA mostra caminho para uso de óleo de fritura pirólise
poluição
na produção de biodiesel. Disponível em: <http:/www. c) petróleo (decomposição 33
nutrinews.com.br>. Acesso em: 14 fev. 2009. do solo
térmica)
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
pirólise b) pode ocorrer apenas a II.
poluição
d) carvão mineral (decomposição c) podem ocorrer tanto a I quanto a II.
do ar
térmica) d) podem ocorrer tanto a I quanto a III.
poluição e) podem ocorrer tanto a II quanto a III.
e) carvão mineral combustão
do solo

Reconhecer benefícios, limitações e aspectos éticos


70. Enem — A possível escassez de água é uma das
H11 da biotecnologia, considerando estruturas e processos
maiores preocupações da atualidade, considerada por al-
biológicos envolvidos em produtos biotecnológicos.
guns especialistas como o desafio maior do novo século.
No entanto, tão importante quanto aumentar a oferta é
investir na preservação da qualidade e no reaproveitamen- Biotecnologia
to da água de que dispomos hoje. 72. Enem
A ação humana tem provocado algumas alterações
Um novo método para produzir insulina artificial
quantitativas e qualitativas da água:
que utiliza tecnologia de DNA recombinante foi de-
I. Contaminação de lençóis freáticos.
senvolvido por pesquisadores do Departamento de
II. Diminuição da umidade do solo.
Biologia Celular da Universidade de Brasília (UnB)
III. Enchentes e inundações.
em parceria com a iniciativa privada. Pesquisadores
Pode-se afirmar que as principais ações humanas as-
modificaram geneticamente a bactéria Escherichia
sociadas às alterações I, II e III são, respectivamente,
coli para torná-la capaz de sintetizar o hormônio. O
a) uso de fertilizantes e aterros sanitários / lançamento
processo permitiu fabricar insulina em maior quanti-
de gases poluentes / canalização de córregos e rios.
dade e em apenas 30 dias, um terço do tempo neces-
b) lançamento de gases poluentes / lançamento de
sário para obtê-la pelo método tradicional, que con-
lixo nas ruas / construção de aterros sanitários.
siste na extração do hormônio a partir do pâncreas
c) uso de fertilizantes e aterros sanitários / desmata-
de animais abatidos.
mento / impermeabilização do solo urbano. CIÊNCIA HOJE, 24 abr. 2001. Disponível em: <http://
d) lançamento de lixo nas ruas / uso de fertilizantes / cienciahoje.uol.com.br>. (Adaptado)
construção de aterros sanitários. A produção de insulina pela técnica do DNA recombi-
e) construção de barragens / uso de fertilizantes / nante tem, como consequência,
construção de aterros sanitários. a) o aperfeiçoamento do processo de extração de
insulina a partir do pâncreas suíno.
Ecologia e ciências ambientais b) a seleção de microrganismos resistentes a anti-
71. Enem — Uma região industrial lança ao ar gases bióticos.
como o dióxido de enxofre e óxidos de nitrogênio, causa- c) o progresso na técnica da síntese química de hor-
dores da chuva ácida. A figura mostra a dispersão desses mônios.
gases poluentes. d) impacto favorável na saúde de indivíduos diabé-
ticos.
e) a criação de animais transgênicos.

73. Enem
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

Desde os anos 1990, novas tecnologias para a produ-


ção de plásticos biodegradáveis foram pesquisadas em
Considerando o ciclo da água e a dispersão dos gases, diversos países do mundo. No Brasil, foi desenvolvido
analise as seguintes possibilidades: um plástico empregando-se derivados da cana-de-açú-
I. As águas de escoamento superficial e de precipi- car e uma bactéria recém-identificada, capaz de trans-
tação que atingem o manancial poderiam causar formar açúcar em plástico. "A bactéria se alimenta de
aumento de acidez da água do manancial e pro- açúcar, transformando o excedente do seu metabolismo
vocar a morte de peixes. num plástico biodegradável chamado polihidroxibutira-
II. A precipitação na região rural poderia causar au- to (PHB). Sua vantagem é que, ao ser descartado, o bio-
mento de acidez do solo e exigir procedimentos plástico é degradado por micro-organismos existentes
corretivos, como a calagem. no solo em, no máximo um ano, ao contrário daqueles
III. A precipitação na região rural, embora ácida, não de origem petroquímica, que geram resíduos e demoram
afetaria o ecossistema, pois a transpiração dos ve- mais de 200 anos para se degradarem.
34 getais neutralizaria o excesso de ácido. GOMES, A. C. Biotecnologia ajuda na conservação do ambiente.
Dessas possibilidades, In: Eletrônica vox sciencia. ano V. n. 28. São Paulo: Núcleo
ENEM-10

de Divulgação Científica José Gomes.(Adaptado)


a) pode ocorrer apenas a I.
MENU PRINCIPAL
A nova tecnologia, apresentada no texto , tem como pela utilização de clones (mudas geneticamente idênticas).
consequência, Sendo obtidos de uma única árvore-mãe, os clones são
a) a diminuição da matéria orgânica nos aterros e do vantajosos, pois
mau cheiro nos lixões. a) garantem a variabilidade e aumentam as chances
b) a ampliação do uso de recursos não renováveis, de sobrevivência da espécie.
especialmente, os plásticos. b) são mais resistentes às pragas que atacam as ár-
c) a diminuição do metabolismo de bactérias de- vores adultas da espécie.
compositoras presentes nos solos. c) possuem características previamente definidas.
d) a substituição de recursos não renováveis por re- d) garantem a biodiversidade.
nováveis para fabricar plásticos. e) criam novas espécies mais adaptadas ao ambiente.
e) o lançamento no meio ambiente de produtos
plásticos inertes em relação ao ciclo da matéria. 76. Encceja — A principal praga da lavoura de milho no
Brasil é a lagarta-do-cartucho, que causa os maiores es-
74. Enem tragos logo nos trinta dias após a plantação e segue cau-
sando mais prejuízos durante todo o desenvolvimento do
A nanotecnologia está ligada à manipulação da
milho. Em geral, a lagarta-do-cartucho é combatida com
matéria em escala nanométrica, ou seja, uma escala
grandes quantidades de inseticidas. Nos últimos anos, os
tão pequena quanto a de um bilionésimo do metro.
inseticidas vêm sendo substituídos, com muito sucesso,
Quando aplicada às ciências da vida, recebe o nome
por lotes de joaninhas, marimbondos ou microvespas, cria-
de nanobiotecnologia. No fantástico mundo da na-
dos em laboratórios. Soltos nos milharais, esses animais
nobiotecnologia, será possível a invenção de disposi-
atacam as lagartas nos primeiros dias após a eclosão dos
tivos ultrapequenos que, usando conhecimentos da
ovos, matando-as.
biologia e da engenharia, permitirão examinar, ma-
Sobre esse método alternativo de combate às pragas
nipular ou imitar os sistemas biológicos.
da lavoura, foram feitos os seguintes comentários:
LACAVA, Z.; MORAIS, P. Nanobiotecnologia e saúde. Com I. além de garantir a produção do milho, o método
Ciência. Reportagens. Nanociência & Nanotecnologia.
Disponível em: <http://www.comciencia.br/reportagens/ não produz poluição ambiental;
nanotecnologia/nano15.htm>. Acesso em: 4 maio 2009. II. os animais introduzidos podem fugir ao controle
Como exemplo da utilização dessa tecnologia na dos agricultores e causar futuramente prejuízos
Medicina, pode-se citar a utilização de nanopartícu- até então desconhecidos;
las magnéticas (nanoimãs) em terapias contra o câncer. III. o método reduz em muito a produção do milho,
Considerando-se que o campo magnético não age direta- pois os inseticidas, além de matar as lagartas, fun-
mente sobre os tecidos, o uso dessa tecnologia em relação cionam como fertilizantes.
às terapias convencionais é Com base no que se sabe hoje sobre o assunto, é cor-
a) de eficácia duvidosa, já que não é possível mani- reto o que se afirma apenas em
pular nanopartículas para serem usadas na medi- a) I.
cina com a tecnologia atual. b) II.
b) vantajoso, uma vez que o campo magnético gerado c) I e II.
por essas partículas apresenta propriedades tera- d) II e III.
pêuticas associadas ao desaparecimento do câncer. e) Nenhum dos comentários está correto.

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


c) desvantajoso, devido à radioatividade gerada pela
movimentação de partículas magnéticas, o que, Avaliar impactos em ambientes naturais decorren-
em organismos vivos, poderia causar o apareci- H12 tes de atividades sociais ou econômicas, conside-
mento de tumores. rando interesses contraditórios.
d) desvantajoso, porque o magnetismo está associa-
do ao aparecimento de alguns tipos de câncer no
organismo feminino como, por exemplo, o câncer Ecologia e ciências ambientais
de mama e o de colo de útero. 77. Enem — Durante uma ação de fiscalização em postos
e) vantajoso, pois se os nanoimãs forem ligados a de combustíveis, foi encontrado um mecanismo inusitado
drogas quimioterápicas, permitem que estas se- para enganar o consumidor. Durante o inverno, o responsável
jam fixadas diretamente em um tumor por meio por um posto de combustível compra álcool por R$ 0,50/litro,
de um campo magnético externo, diminuindo-se a uma temperatura de 5°C. Para revender o líquido aos mo-
a chance de que áreas saudáveis sejam afetadas. toristas, instalou um mecanismo na bomba de combustível
para aquecê-lo, para que atinja a temperatura de 35°C, sen- 35
75. Encceja — O reflorestamento de interesse econômi- do o litro de álcool revendido a R$ 1,60. Diariamente o posto
ENEM-10

co com uma única espécie vegetal está sendo aperfeiçoado compra 20 mil litros de álcool a 5ºC e os revende.
MENU PRINCIPAL
Com relação à situação hipotética descrita no texto e atmosfera — sendo os principais o dióxido de carbo-
dado que o coeficiente de dilatação volumétrica do álcool no (CO2) e o metano (CH4) — emitidos em quantida-
é de 1 ∙ 10 –3 ºC–1, desprezando-se o custo da energia gasta de excessiva através da queima de combustíveis (pe-
no aquecimento do combustível, o ganho financeiro que tróleo e carvão) e do uso inadequado do solo.
o dono do posto teria obtido devido ao aquecimento do SANTILLI, M. Mudança climática global. In: Almanaque Brasil
álcool após uma semana de vendas estaria entre Socioambiental 2008. São Paulo, 2007. (Adaptado)
a) R$ 500,00 e R$ 1 000,00. Suponha que, ao invés de superaquecimento, o pla-
b) R$ 1 050,00 e R$ 1 250,00. neta sofresse uma queda de temperatura, resfriando-se
c) R$ 4 000,00 e R$ 5 000,00. como numa era glacial, nesse caso
d) R$ 6 000,00 e R$ 6 900,00. a) a camada de geleiras, bem como o nível do mar,
e) R$ 7 000,00 e R$ 7 950,00. diminuiriam.
b) as geleiras aumentariam, acarretando alterações
78. Enem no relevo do continente e no nível do mar.
O mar de Aral, um lago de água salgada localiza- c) o equilíbrio do clima do planeta seria reestabelecido,
do em área da antiga União Soviética, tem sido explo- uma vez que ele está em processo de aquecimento.
rado por um projeto de transferência de água em lar- d) a fauna e a flora das regiões próximas ao Círculo
ga escala desde 1960. Por meio de um canal com mais Polar Ártico e Antártico nada sofreriam com a
de 1 300 km, enormes quantidades de água foram glaciação.
desviadas do lago para a irrigação de plantações de e) os centros urbanos permaneceriam os mesmos,
arroz e algodão. Aliado às altas taxas de evaporação sem prejuízo à população humana e ao seu de-
e às fortes secas da região, o projeto causou um gran- senvolvimento.
de desastre ecológico e econômico, e trouxe muitos
problemas de saúde para a população. A salinidade 80. Encceja — A Lei de Gestão de Florestas Públicas,
do lago triplicou, sua área superficial diminuiu 58% e de 2 de março de 2006, estabelece as regras para o uso
seu volume, 83%. Cerca de 85% das áreas úmidas da sustentável de florestas públicas nacionais. Entre os prin-
região foram eliminadas e quase metade das espécies cípios que ela adota, estão a proteção dos ecossistemas e
locais de aves e mamíferos desapareceu. Além disso, o estabelecimento de atividades que promovam o uso ra-
uma grande área, que antes era o fundo do lago, foi cional das florestas. Para atender a esses princípios, uma
transformada em um deserto coberto de sal branco madeireira instalada na Amazônia deve
e brilhante, visível em imagens de satélite. a) explorar primeiro as terras em volta das nascen-
MILLER JÚNIOR, G. T. Ciência ambiental. São tes dos rios.
Paulo: Editora Thomson, 2007. (Adaptado) b) abrir caminhos largos na floresta e remover gran-
Suponha que tenha sido observada, numa vila rural de número de árvores cortadas.
localizada a 100 km de distância do mar de Aral, alguns c) cortar todas as árvores existentes em uma área
anos depois da implantação do projeto descrito, significa- antes de iniciar a exploração de outra.
tiva diminuição na produtividade das lavouras, aumento d) manter pelo menos 20% das árvores adultas como
da salinidade das águas e problemas de saúde em sua po- matrizes de sementes para novas plantações.
pulação. Esses sintomas podem ser efeito e) realizar reflorestamento com espécies de interes-
a) da perda da biodiversidade da região. se econômico.
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

b) da seca dos rios da região sob a influência do


projeto. 81. Encceja — Na escolha de vegetais para cultivo, é
c) da perda de áreas úmidas nos arredores do mar preciso pensar não apenas nas vantagens econômicas.
de Aral. Culturas adequadas ao tipo de solo e outros fatores do
d) do sal trazido pelo vento, do mar de Aral para a ambiente são propícios à sua conservação e, portanto, re-
vila rural. presentam a manutenção do patrimônio dos agricultores.
e) dos herbicidas utilizados nas lavouras de arroz e Considere o cultivo de:
algodão do projeto. I. eucalipto, árvore que exige água abundante;
II. leguminosas, que ajudam a fertilidade do solo;
79. Enem III. palma e milheto, resistentes à seca, a primeira,
Confirmada pelos cientistas e já sentida pela po- para alimentação do gado, e a segunda, para ex-
pulação mundial, a mudança climática global é hoje tração de óleo.
o principal desafio socioambiental a ser enfrentado Um pequeno agricultor, em área de caatinga, deveria
36 pela humanidade. Mudança climática é o nome que plantar, de preferência,
se dá ao conjunto de alterações nas condições do cli- a) palma e milheto, apenas.
ENEM-10

ma da Terra pelo acúmulo de seis tipos de gases na b) leguminosas, palma e milheto.


c) eucalipto e leguminosas.
MENU PRINCIPAL
d) eucalipto, apenas. mais respeitados cientistas brasileiros, Eneas Salati,
e) todos os tipos de vegetais citados. analisava proporções de isótopos de oxigênio na pre-
cipitação pluviométrica amazônica do Atlântico ao
82. Enem Peru. Sua conclusão foi irrefutável: a Amazônia pro-
O potencial brasileiro para gerar energia a partir da duz a parte maior de sua própria chuva; implicação
biomassa não se limita a uma ampliação do Pró-Álcool. óbvia desse fenômeno: o excesso de desmatamento
O país pode substituir o óleo diesel de petróleo pode degradar o ciclo hidrológico.
por grande variedade de óleos vegetais e explorar a Hoje, imagens obtidas por sensoriamento remoto
alta produtividade das florestas tropicais plantadas. mostram que o ciclo hidrológico não apenas é essen-
Além da produção de celulose, a utilização da bio- cial para a manutenção da grande floresta, mas tam-
massa permite a geração de energia elétrica por meio bém garante parcela significativa da chuva que cai ao
de termelétricas a lenha, carvão vegetal ou gás de ma- sul da Amazônia, em Mato Grosso, São Paulo e até
deira, com elevado rendimento e baixo custo. mesmo ao norte da Argentina. Quando a umidade
Cerca de 30% do território brasileiro é constituído do ciclo, que se desloca em direção ocidental, atin-
por terras impróprias para a agricultura, mas aptas ge o paredão dos Andes, parte dela é desviada para o
à exploração florestal. A utilização de metade des- sul. Boa parte da cana-de-açúcar, da soja, de outras
sa área, ou seja, de 120 milhões de hectares, para a safras agroindustriais dessas regiões e parte signifi-
formação de florestas energéticas, permitiria produ- cativa da geração de energia hidrelétrica dependem
ção sustentada do equivalente a cerca de 5 bilhões de da máquina de chuva da Amazônia.
barris de petróleo por ano, mais que o dobro do que LOVEJOY, T.; RODRIGUES, G. A máquina de chuva da
Amazônia. Folha de S. Paulo. 25 jul. 2007. (Adaptado)
produz a Arábia Saudita atualmente.
O texto que focaliza a relevância da região amazônica
VIDAL, José Walter B. Desafios internacionais para o século XXI.
In: Seminário da comissão de relações exteriores e de defesa para o meio ambiente e para a economia brasileira men-
nacional da câmara dos deputados. ago. 2002. (Adaptado) ciona a “máquina de chuva da Amazônia”. Suponha que,
Para o Brasil, as vantagens da produção de energia a para manter essa “máquina de chuva” funcionando, te-
partir da biomassa incluem nham sido sugeridas as ações a seguir:
a) implantação de florestas energéticas em todas as 1. suspender completa e imediatamente o desmata-
regiões brasileiras com igual custo ambiental e mento na Amazônia, que permaneceria proibido
econômico. até que fossem identificadas áreas onde se pode-
b) substituição integral, por biodiesel, de todos os ria explorar, de maneira sustentável, madeira de
combustíveis fósseis derivados do petróleo. florestas nativas;
c) formação de florestas energéticas em terras im- 2. efetuar pagamentos a proprietários de terras para
próprias para a agricultura. que deixem de desmatar a floresta, utilizando-se
d) importação de biodiesel de países tropicais, em de recursos financeiros internacionais;
que a produtividade das florestas seja mais alta. 3. aumentar a fiscalização e aplicar pesadas multas
e) regeneração das florestas nativas em biomas mo- àqueles que promoverem desmatamentos não au-
dificados pelo homem, como o Cerrado e a Mata torizados.
Atlântica. Escolha uma dessas ações e, a seguir, redija um texto
dissertativo, ressaltando as possibilidades e as limitações
83. Enem

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


da ação escolhida.
Ao desenvolver seu texto, procure utilizar os conhe-
cimentos adquiridos e as reflexões feitas ao longo de sua
formação.
Selecione, organize e relacione argumentos, fatos e
opiniões para defender seu ponto de vista, sem ferir os
direitos humanos.
Cordilheira Observações:
dos Andes Floresta Oceano
¬ ¬ Seu texto deve ser escrito na modalidade padrão
Pode parecer que os isótopos de oxigênio e a luta da língua portuguesa.
dos seringueiros no Acre tenham pouco em comum. ¬ O
¬ texto não deve ser escrito em forma de poema
No entanto, ambos estão relacionados ao futuro da (versos) ou narração.
Amazônia e a parte significativa da agroindústria e ¬ O
¬ texto com até 7 (sete) linhas escritas será con-
da geração de energia elétrica no Brasil. siderado texto em branco. 37
À época em que Chico Mendes lutava para asse-
ENEM-10

gurar o futuro dos seringueiros e da floresta, um dos


MENU PRINCIPAL

Competência 4
Competência
Compreender interações entre organismos e am- Identificação das principais características gerais dos seres
biente, em particular aquelas relacionadas à saúde vivos como: fenômenos biológicos em geral, taxonomia
humana, relacionando conhecimentos científicos, as- e evolução, inter-relacionando-as com a diversidade das
pectos culturais e características individuais. espécies, o meio ambiente e o homem.

Habilidades
Esta habilidade requer conhecimento básico na transmissão
H13 — Reconhecer mecanismos de transmissão da vida,
das características genéticas de cada indivíduo analisadas do
prevendo ou explicando a manifestação de característi-
ponto de vista bioquímico integrando o conhecimento teó-
cas dos seres vivos.
rico com a constituição da identidade genética de cada ser.

H14 — Identificar padrões em fenômenos e processos


A vida analisada pelos processos metabólicos responsá-
vitais dos organismos, como manutenção do equilíbrio
veis pelo equilíbrio vital das funções fisiológicas e suas
interno, defesa, relações com o ambiente, sexualidade,
inter-relações.
dentre outros.

H15 — Interpretar modelos e experimentos para explicar As imagens representativas dos modelos teóricos auxiliam
fenômenos ou processos biológicos em qualquer nível de na compreensão e interpretação das teorias sobre os fe-
organização dos sistemas biológicos. nômenos biológicos

A biodiversidade do planeta é consequência dos proces-


H16 — Compreender o papel da evolução na produção
sos evolutivos ou das interferências ambientais que atu-
de padrões, processos biológicos ou na organização ta-
am sobre os seres classificados em diferentes níveis ta-
xonômica dos seres vivos.
xonômicos.
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

38
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Texto 4

Biopirataria
no Brasil:
ataque à nossa
biodiversidade
Possuidoras da maior bio- insetos faz com que nosso país seja alvo da biopirataria, termo usado
diversidade do planeta, as flo- para caracterizar o desvio ilegal das riquezas naturais (flora e fauna) e
restas tropicais despertam in- do conhecimento das populações tradicionais sobre a utilização des-
teresses internacionais, não ses recursos. É, na verdade, a apropriação e monopolização de conhe-
somente pela preocupação cimentos mais tarde patenteados em âmbito internacional, sem que
com o meio ambiente como as comunidades locais tenham direito à participação financeira nessa
também pelas potencialida- exploração.
des econômicas de seus recur-
sos naturais. Nesse quadro, o Brasil, fonte de riqueza para a biopirataria
Brasil ganha destaque espe- O Brasil, país de dimensões continentais, com 3,57 milhões de qui-
cial, principalmente por abri- lômetros quadrados de florestas tropicais, é a nação mais rica do mundo
gar a maior parte da floresta em biodiversidade: são encontrados aqui de 10% a 20% do 1,7 milhão
amazônica. de espécies catalogadas e estudadas pela ciência. Da floresta tropical
O número inigualável de úmida à Mata Atlântica, do cerrado à caatinga, do Pantanal à Mata
espécies de plantas, peixes, de Araucária, das regiões de mangue e praias às zonas costeiras, ba-
anfíbios, pássaros, primatas e cias e aos estuários, o Brasil tem uma espetacular variedade de orga-
nismos que representam
fotos: ART EXPLOSION

um imenso e formidável
laboratório a céu aberto.
É evidente que esse patri-
mônio, pelo seu valor eco-
nômico e científico e por
suas características úni-
cas de biodiversidade, tem
provocado interesses — al-
guns genuinamente cien-

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


tíficos, outros puramente
comerciais.
Em razão dessa rique-
za, nosso país e outras na-
ções privilegiadas em bio-
diversidade tornaram-se
alvo da ação da biopira-
taria, praticada principal-
mente por conglomerados
transnacionais e institui-
ções científicas dos países
desenvolvidos, sendo os
39
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
Estados Unidos considerados conhecimentos seculares sobre da Amazônia que se baseava
o maior consumidor de vida os segredos da floresta. principalmente na exploração
silvestre do mundo. Instituições públicas tam- da borracha.
bém investem em pesquisas.
Floresta amazônica, Com essa imensa biodiversida- Prejuízos causados pela
ecossistema ameaçado de, a Amazônia é um chamariz biopirataria
A Amazônia abriga o maior à biopirataria. No entanto, não Na era da biotecnologia e
complexo hídrico-f luvial da se trata de fenômeno recente. da engenharia genética, mul-
Terra, com cerca de 7 milhões A história da biopirataria na tiplicam-se as oportunidades
de km², sendo uma região de di- Amazônia é secular. Começou de registrar marcas e patentes
mensões continentais. A hileia com os portugueses, em 1500, em âmbito internacional. Casos
brasileira, com cerca de 3,3 mi- quando roubaram dos povos como o do nosso cupuaçu, açaí,
lhões de km², sobrepõe-se, em indígenas da região o segredo copaíba e tantos outros, paten-
grande parte, à área da bacia de como extrair um pigmento teados e comercializados no
hidrográfica do Rio Amazonas, vermelho do pau-brasil. Hoje, mercado mundial, causam im-
caracterizando-se por abrigar a flora e a fauna do Brasil con- pactos negativos tanto para as
grande riqueza biológica, com tinuam desaparecendo e a ma- comunidades tradicionais que
enorme diversidade de flora e deira que deu seu nome ao país querem comercializar seus pro-
fauna. A região compreende está sendo preservada apenas dutos, quanto para as propostas
cerca de 1/3 das florestas tro- em alguns jardins botânicos. de políticas públicas pautadas
picais do globo. Somada à nos- Provavelmente o caso mais no desenvolvimento sustentá-
sa reserva hídrica, é um verda- infame seja o do inglês Henry vel da região Amazônica.
deiro tesouro, em grande parte Wickham, que, em 1876, le-
ainda inexplorada. Somente 5% vou sementes da árvore da se- Márcio Balbino Cavalcante é geógra-
da flora mundial foi estudada ringueira (Hevea brasiliensis) fo pela UEPB; pós-graduado em Ciên-
cias Ambientais — FIP/PB; professor
até agora. Dispostas a explorar para as colônias britânicas na do Instituto Superior de Educação de
esse filão, algumas empresas Malásia. Após algumas dé- Cajazeiras — ISEC/PB; e pesquisador
chegaram a estabelecer parce- cadas, a Malásia tornou-se o do Terra — Grupo de Pesquisa Urba-
rias e convênios com grupos in- principal exportador de lá- na, Rural e Ambiental da Universidade
Estadual da Paraíba — UEPB/CNPq.
dígenas para ter acesso a seus tex, arruinando a economia
CAVALCANTE, Mácio Balbino. Geógrafos sem fronteiras. Disponível em: <http://gsf.org.br/?q=node/37>. Acesso em: 27 maio 2010.

Áreas de conhecimento exigidas para compreensão do texto:


Ficha de leitura

1 2 3 4 5
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

Conhecimentos prévios (das diversas áreas do conhecimento) que você precisou acessar da memória, necessários du-
rante a leitura:
1
2
3
4

Informações que você precisou pesquisar para compreender melhor o texto e interagir com ele durante e/ou após
a leitura:
1
2
40 3
4
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Itens
Reconhecer mecanismos de transmissão da vida, Como a planta triploide oriunda desse cruzamento
H13 prevendo ou explicando a manifestação de carac- apresentará uma grande dificuldade de gerar gametas
terísticas dos seres vivos. viáveis, pois a segregação dos cromossomos homólogos
na meiose I é aleatória e independente, espera-se que
Hereditariedade e diversidade da vida a) os gametas gerados sejam diploides.
84. Enem b) as cromátides irmãs sejam separadas ao final des-
Anemia falciforme é uma das doenças heredi- se evento.
tárias mais prevalentes no Brasil, sobretudo nas c) o número de cromossomos encontrados no ga-
regiões que receberam maciços contingentes de es- meta seja 23.
cravos africanos. É uma alteração genética, carac- d) um cromossomo de cada par seja direcionado
terizada por um tipo de hemoglobina mutante de- para uma célula-filha.
signada por hemoglobina S. Indivíduos com essa e) um gameta raramente terá o número correto de
doença apresentam eritrócitos com formato de foi- cromossomos da espécie.
ce, daí o seu nome. Se uma pessoa recebe um gene
do pai e outro da mãe para produzir a hemoglobina 86. Enem — Uma vítima de acidente de carro foi encon-
S ela nasce com um par de genes SS e assim terá a trada carbonizada em razão da explosão. Indícios, como
Anemia falciforme. Se receber de um dos pais o gene certos adereços de metal usados por ela, sugerem que seja
para hemoglobina S e do outro o gene para hemoglo- filha de determinado casal. Uma equipe policial de perícia
bina A ela não terá doença, apenas o traço falciforme teve acesso ao material biológico carbonizado da vítima, re-
(AS), e não precisará de tratamento especializado. duzido, praticamente, a fragmentos de ossos. Sabe-se que
Entretanto, deverá saber que se vier a ter filhos com é possível obter DNA em condições para análise genética de
uma pessoa que também herdou o traço, eles pode- parte do tecido interno de ossos. Os peritos necessitam esco-
rão desenvolver a doença. lher, entre cromossomos autossômicos, cromossomos sexuais
Disponível em: <http://www.opas.org.br>. (X e Y) ou DNAmt (DNA mitocondrial), a melhor opção para
Acesso em: 2 maio 2009. (Adaptado) identificação do parentesco da vítima com o referido casal.
Dois casais, ambos membros heterozigotos do tipo AS Sabe-se que, entre outros aspectos, o número de có-
para o gene da hemoglobina, querem ter um filho cada. pias de um mesmo cromossomo por célula maximiza a
Dado que um casal é composto por pessoas negras e o chance de se obter moléculas não degradadas pelo calor
outro por pessoas brancas, a probabilidade de ambos os da explosão.
casais terem filhos (um para cada casal) com Anemia fal- Com base nessas informações e tendo em vista os di-
ciforme é igual a ferentes padrões de herança de cada fonte de DNA citada,
a) 5,05% a melhor opção para a perícia seria a utilização
b) 6,25% a) do DNAmt, transmitido ao longo da linhagem ma-
c) 10,25% terna, pois, em cada célula humana, há várias có-
d) 18,05% pias dessa molécula.

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


e) 25,00% b) do cromossomo X, pois a vítima herdou duas có-
pias desse cromossomo, estando assim em núme-
85. Enem — Quando adquirimos frutas no comércio, ro superior aos demais.
observamos com mais frequência frutas sem ou com pou- c) do cromossomo autossômico, pois esse cromos-
cas sementes. Elas têm grande apelo comercial e são pre- somo apresenta maior quantidade de material ge-
feridas por uma parcela cada vez maior da população. Em nético quando comparado aos nucleares, como,
plantas que normalmente são diploides, isto é, apresentam por exemplo, o DNAmt.
dois cromossomos de cada par, uma das maneiras de pro- d) do cromossomo Y, pois, em condições normais,
duzir frutas sem sementes é gerar plantas com uma ploidia este é transmitido integralmente do pai para toda
diferente de dois, geralmente triploide. a prole e está presente em duas cópias em células
Uma das técnicas de produção dessas plantas triploi- de indivíduos do sexo feminino.
des é a geração de uma planta tetraploide (com 4 con- e) de marcadores genéticos em cromossomos autos-
juntos de cromossomos), que produz gametas diploides sômicos, pois estes, além de serem transmitidos
e promove a reprodução dessa planta com uma planta pelo pai e pela mãe, estão presentes em 44 cópias 41
diploide normal. por célula, e os demais, em apenas uma.
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
87. Enem exceção das condições de iluminação, sendo um exposto
a ciclos de iluminação solar natural e outro mantido no
Os ratos Peromyscus polionotus encontram-se
escuro. Após alguns dias, observou-se que o que fora ex-
distribuídos em ampla região na América do Norte.
posto à luz apresentava folhas verdes como a planta ori-
A pelagem dessa espécie varia do marrom claro até o
ginal e o grupo cultivado no escuro apresentava folhas
escuro, sendo que os animais de uma mesma popu-
amareladas.
lação têm coloração muito semelhante. Em geral, a
Ao final do experimento, os dois grupos de plantas
cor do pelo também é muito parecida à do solo da re-
apresentaram
gião em que são encontrados, que também apresenta
a) os genótipos e os fenótipos idênticos.
a mesma variação de cor, distribuída ao longo de um
b) os genótipos idênticos e os fenótipos diferentes.
gradiente sul-norte. Na figura, encontram-se repre-
c) diferenças nos genótipos e fenótipos.
sentadas sete diferentes populações de P. polionotus.
d) o mesmo fenótipo e apenas dois genótipos di-
Cada uma representada pela pelagem do roedor, por
ferentes.
uma amostra de solo e por sua posição geográfica
e) o mesmo fenótipo e grande variedade de genótipos.
no mapa.
89. Enem — Mendel cruzou plantas puras de ervilha
com flores vermelhas e plantas puras com flores brancas,
e observou que todos os descendentes tinham flores ver-
melhas. Nesse caso, Mendel chamou a cor vermelha de
dominante e a cor branca de recessiva. A explicação ofe-
recida por ele para esses resultados era a de que as plan-
tas de flores vermelhas da geração inicial (P) possuíam dois
fatores dominantes iguais para essa característica (VV), e
as plantas de flores brancas possuíam dois fatores reces-
sivos iguais (vv). Todos os descendentes desse cruzamen-
to, a primeira geração de filhos (F1), tinham um fator de
cada progenitor e eram Vv, combinação que assegura a
cor vermelha nas flores.
Tomando-se um grupo de plantas cujas flores são ver-
melhas, como distinguir aquelas que são VV das que são Vv?
MULLEN, L. M.; HOEKSTRA, H. E. Natural selection
along an environmental gradient: a classic cline in a) Cruzando-as entre si, é possível identificar as
mouse pigmentation. In: Evolution, 2008. plantas que têm o fator v na sua composição pela
O mecanismo evolutivo envolvido na associação entre análise de características exteriores dos gametas
cores de pelagem e de substrato é masculinos, os grãos de pólen.
a) a alimentação, pois pigmentos de terra são absor- b) Cruzando-as com plantas recessivas, de flores bran-
vidos e alteram a cor da pelagem dos roedores. cas. As plantas VV produzem apenas descendentes
b) o fluxo gênico entre as diferentes populações, que de flores vermelhas, enquanto as plantas Vv podem
mantém constante a grande diversidade interpo- produzir descendentes de flores brancas.
pulacional. c) Cruzando-as com plantas de flores vermelhas da
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

c) a seleção natural, que, nesse caso, poderia ser geração P. Os cruzamentos com plantas Vv pro-
entendida como a sobrevivência diferenciada de duzem descendentes de flores brancas.
indivíduos com características distintas. d) Cruzando-as entre si, é possível que surjam plan-
d) a mutação genética, que, em certos ambientes, tas de flores brancas. As plantas Vv cruzadas com
como os de solo mais escuro, têm maior ocorrên- outras Vv produzem apenas descendentes verme-
cia e capacidade de alterar significativamente a lhas, portanto as demais serão vv.
cor da pelagem dos animais. e) Cruzando-as com plantas recessivas e analisan-
e) a herança de caracteres adquiridos, capacidade do as características do ambiente onde se dão os
de organismos se adaptarem a diferentes ambien- cruzamentos, é possível identificar aquelas que
tes e transmitirem suas características genéticas possuem apenas fatores V.
aos descendentes.
90. Encceja — A reprodução sexuada ocorre sempre
88. Enem — Num experimento, preparou-se um con- na presença de células especializadas chamadas gametas,
42 junto de plantas por técnica de clonagem a partir de uma que se unem para formar a célula-ovo ou zigoto. A união
planta original que apresentava folhas verdes. Ele foi divi- dos gametas provoca novas combinações de cromosso-
ENEM-10

dido em dois grupos, tratados de maneira idêntica, com mos no descendente.


MENU PRINCIPAL
Do ponto de vista evolutivo, a reprodução sexuada Exemplos de materiais Bases nintrogenadas
a) gera organismos geneticamente iguais, diminuin- analisados Adenina Guanina Citosina Timina
do a capacidade de sobrevivência às modificações Espermatozoide humano 30,7% 19,3% 18,8% 31,2%
ambientais. Fígado humano 30,4% 19,5% 19,9% 30,2%
Medula óssea de rato 28,6% 21,4% 21,5% 28,5%
b) gera organismos geneticamente diferentes, dimi-
Espermatozoide de
nuindo a capacidade de sobrevivência das espé- 32,8% 17,7% 18,4% 32,1%
ouriço-do-mar
cies no meio ambiente.
Plântulas de trigo 27,9% 21,8% 22,7% 27,6%
c) gera indivíduos geneticamente iguais à geração Bactéria E. coli 26,1% 24,8% 23,9% 25,1%
paterna que conseguiu sobreviver às mudanças
ambientais. A comparação das proporções permitiu concluir que
d) gera organismos geneticamente diferentes, au- ocorre emparelhamento entre as bases nitrogenadas e que
mentando a probabilidade de uma espécie sobre- elas formam
viver às modificações do meio ambiente. a) pares de mesmo tipo em todas as espécies, evi-
e) é um processo evolutivo consequência das alte- denciando a universalidade da estrutura do DNA.
rações do meio. b) pares diferentes de acordo com a espécie conside-
rada, o que garante a diversidade da vida.
91. Enem — Fenômenos biológicos podem ocorrer em c) pares diferentes em diferentes células de uma es-
diferentes escalas de tempo. Assinale a opção que orde- pécie, como resultado da diferenciação celular.
na exemplos de fenômenos biológicos, do mais lento para d) pares específicos apenas nos gametas, pois es-
o mais rápido. sas células são responsáveis pela perpetuação das
a) germinação de uma semente, crescimento de uma espécies.
árvore, fossilização de uma samambaia. e) pares específicos somente nas bactérias, pois
b) fossilização de uma samambaia, crescimento de esses organismos são formados por uma úni-
uma árvore, germinação de uma semente. ca célula.
c) crescimento de uma árvore, germinação de uma
semente, fossilização de uma samambaia. 94. Encceja — Em certa comunidade, para cada quatro
d) fossilização de uma samambaia, germinação de crianças nascidas, uma era albina (ausência de pigmenta-
uma semente, crescimento de uma árvore. ção da pele). Na maioria dos casos, essas crianças tinham
e) germinação de uma semente, fossilização de uma pais com pigmentação de pele normal.
samambaia, crescimento de uma árvore. Considere as informações seguintes, que procuram
explicar o que ocorre com essas crianças.
92. Enem — As mudanças evolutivas dos organismos I. Trata-se de uma característica congênita adquiri-
resultam de alguns processos comuns à maioria dos seres da durante a gestação.
vivos. É um processo evolutivo comum a plantas e animais II. Trata-se de uma característica recessiva, já que os
vertebrados: pais são normais.
a) movimento de indivíduos ou de material genético III. Trata-se de uma característica herdada somente
entre populações, o que reduz a diversidade de do pai.
genes e cromossomos. IV. Trata-se de uma característica genética e os pais
b) sobrevivência de indivíduos portadores de deter- devem ser portadores do alelo albino.

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


minadas características genéticas em ambientes Estão corretas
específicos. a) I e II.
c) aparecimento, por geração espontânea, de novos b) I e III.
indivíduos adaptados ao ambiente. c) II e IV.
d) aquisição de características genéticas transmiti- d) III e IV.
das aos descendentes em resposta a mudanças e) II e III.
ambientais.
e) recombinação de genes presentes em cromosso- 95. Encceja — Para evitar problemas de choque anafilá-
mos do mesmo tipo durante a fase da esporulação. tico em transfusões sanguíneas, entre outros fatores, de-
ve-se verificar o fator Rh das pessoas envolvidas: pessoas
93. Enem — A identificação da estrutura do DNA foi com fator Rh– não podem receber sangue Rh+; por sua
fundamental para compreender seu papel na continuida- vez, pessoas com Rh+ podem receber sangue Rh– e Rh+.
de da vida. Na década de 1950, um estudo pioneiro deter- O quadro seguinte indica fenótipos e genótipos em
minou a proporção das bases nitrogenadas que compõem relação ao fator Rh. 43
moléculas de DNA de várias espécies.
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
Tipo sanguíneo 97. Enem
Fenótipo Genótipo Uma colônia de formigas inicia-se com uma rai-
Grupo Rh+ (Rh positivo) RR ou Rr
nha jovem que, após ser fecundada pelo macho, voa
e escolhe um lugar para cavar um buraco no chão.
Grupo Rh– (Rh negativo) rr
Ali dará origem a milhares de formigas, constituin-
Um casal tem três filhos e duas filhas, a mulher com do uma nova colônia. As fêmeas geradas poderão ser
Rh+ e o marido com Rh–. Desconhecendo-se o grupo san- operárias, vivendo cerca de um ano, ou novas rai-
guíneo dos filhos, numa situação de urgência que exija nhas. Os machos provêm de óvulos não fertilizados
transfusão de sangue, pode-se considerar que, por medi- e vivem aproximadamente uma semana.
da de segurança, no que se refere ao fator Rh, As operárias se dividem nos trabalhos do formi-
a) todos os três filhos podem doar sangue tanto gueiro. Há formigas forrageadoras que se encarregam
para o pai quanto para a mãe. da busca por alimentos, formigas operárias que re-
b) os filhos podem doar sangue para o pai e apenas tiram dejetos da colônia e são responsáveis pela ma-
as duas filhas podem doar sangue para a mãe. nutenção ou que lidam com o alimento e alimentam
c) todos os filhos e filhas podem doar sangue para as larvas, e as formigas patrulheiras.
a mãe, mas não para o pai. Uma colônia de formigas pode durar anos e dificil-
d) apenas os filhos podem doar sangue ao pai, mas mente uma formiga social consegue sobreviver sozinha.
não para a mãe.
MELO, A. Como funciona uma sociedade de
e) apenas o pai poderá receber sangue de todos da formigas? Disponível em: <http://www. cienciahoje.uol.
família. com.br>. Acesso em: 21 fev. 2009. (Adaptado)
Uma característica que contribui diretamente para o
sucesso da organização social dos formigueiros é
Identificar padrões em fenômenos e processos vi-
a) a divisão de tarefas entre as formigas e a organi-
tais dos organismos, como manutenção do equi-
H14 zação funcional da colônia.
líbrio interno, defesa, relações com o ambiente,
sexualidade, dentre outros. b) o fato de as formigas machos serem provenientes
de óvulos não fertilizados.
c) a alta taxa de mortalidade das formigas solitárias
Identidade dos seres vivos ou das que se afastam da colônia.
96. Enem d) a existência de patrulheiras, que protegem o for-
migueiro do ataque de herbívoros.
Recentemente, foi descoberta uma nova espécie de
e) o fato de as rainhas serem fecundadas antes do
inseto flebotomídeo, batizado de Lutzomya maruaga.
estabelecimento de um novo formigueiro.
O novo inseto possui apenas fêmeas que se reprodu-
zem a partir da produção de ovos sem a intervenção de
98. Enem — Para que todos os órgãos do corpo huma-
machos, em um processo conhecido como partenogê-
no funcionem em boas condições, é necessário que a tem-
nese. A espécie está restrita a uma caverna na região
peratura do corpo fique sempre entre 36ºC e 37ºC. Para
amazônica, não sendo encontrada em outros lugares.
manter-se dentro dessa faixa, em dias de muito calor ou
O inseto não se alimenta de sangue nem transmite do-
durante intensos exercícios físicos, uma série de mecanis-
enças, como o fazem outros mosquitos de seu mesmo
mos fisiológicos é acionada.
gênero. Os adultos não se alimentam e as larvas pare-
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

Pode-se citar como o principal responsável pela manu-


cem se alimentar apenas de fezes de morcego (guano)
tenção da temperatura corporal humana o sistema
existente no fundo da caverna. Essa dieta larval acu-
a) digestório, pois produz enzimas que atuam na
mularia reservas a serem usadas na fase adulta.
quebra de alimentos calóricos.
CIÊNCIA HOJE. Rio de Janeiro, v. 42, n. 252, set. 2008. (Adaptado) b) imunológico, pois suas células agem no sangue,
Em relação a essa descoberta, vê-se que a nova espé- diminuindo a condução do calor.
cie de flebotomídeo c) nervoso, pois promove a sudorese, que permite
a) deve apresentar maior variabilidade genética que perda de calor por meio da evaporação da água.
seus congêneres. d) reprodutor, pois secreta hormônios que alteram a
b) deve ter uma fase adulta longa se comparado temperatura, principalmente durante a menopausa.
com seus congêneres. e) endócrino, pois fabrica anticorpos que, por sua
c) é mais vulnerável a desequilíbrios em seu ambien- vez, atuam na variação do diâmetro dos vasos
te que seus congêneres. periféricos.
44 d) está livre de hábitos hematófagos e de transmis-
são de doenças devido à ausência de machos. 99. Encceja — Nos estados do Tocantins e do Maranhão,
ENEM-10

e) tem grandes chances de se dispersar para outros a taxa do desmatamento chegou a 68,3% em 2000
ambientes, tornando-se potencialmente invasora.
MENU PRINCIPAL
(WWF-Brasil). A supressão da floresta pode causar dese- 101. Enem — A tabela seguinte representa, nas diversas
quilíbrios entre populações de presas e predadores. regiões do Brasil, a porcentagem de mães que, em 2005,
O gráfico relaciona o crescimento populacional de amamentavam seus filhos nos primeiros meses de vida.
uma espécie de presa e de predador em determinado sis- Período de aleitamento
tema. Região até o 4°. mês de 9 meses a
200 Desmatamento (em %) 1 ano (em %)
Predador
Presa Norte 85,7 54,8
Nordeste 77,7 38,8
Número de
indivíduos

100 Sudeste 75,1 38,6


Sul 73,2 37,2
Centro-Oeste 83,9 47,8
Ministério da Saúde, 2005
0 Ao ingerir leite materno, a criança adquire anticorpos
Antes do desmatamento Após o desmatamento
importantes que a defendem de doenças típicas da primei-
Analisando o gráfico, elaboram-se as seguintes afir- ra infância. Nesse sentido, a tabela mostra que, em 2005,
mações: percentualmente, as crianças brasileiras que estavam mais
I. Presa e predador viviam em equilíbrio antes do protegidas dessas doenças eram as da região
desmatamento. a) Norte.
II. Após o desmatamento, a presa aumentou a ca- b) Nordeste.
pacidade de fugir do predador. c) Sudeste.
III. O predador se tornou mais eficiente após o des- d) Sul.
matamento. e) Centro-Oeste.
IV. A população de predadores foi extinta após o des-
matamento. 102. Enem — Programas de reintrodução de animais
Assinale a opção que contenha as proposições corretas. consistem em soltar indivíduos, criados em cativeiro, em
a) II e IV ambientes onde sua espécie se encontra ameaçada ou
b) I e IV extinta.
c) II e III O mico-leão-dourado da Mata Atlântica faz parte de
d) I e III um desses programas. Como faltam aos micos criados em
e) I e II cativeiro habilidades para sobreviver em seu hábitat, são
formados grupos sociais desses micos com outros cap-
100. Encceja turados na natureza, antes de soltá-los coletivamente. O
Durante quase 4 bilhões de anos, desde que a vida gráfico mostra o número total de animais, em uma certa
surgiu na Terra, a evolução produziu várias metamor- região, a cada ano, ao longo de um programa de reintro-
foses. Uma das mais espetaculares foi, com certeza, dução desse tipo.
aquela que, a partir de peixes com nadadeiras, ori-
200 Nascidos na natureza
ginou as criaturas portadoras de membros e dedos.
180 Nascidos em cativeiro
Esse grupo, o dos tetrápodes, reúne desde pássaros e
Número total de animais

160
seus ancestrais dinossauros, até lagartos, anfíbios e 140

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


mamíferos, incluindo a espécie humana. 120
CLARK, Jennifer A. Com os pés na terra firme. In: 100
Scientific American Brasil. ano 4, n. 44, jan. 2006. 80
Além de aprender a andar em terra firme, viver em 60
ambiente terrestre exigiu principalmente 40
a) a reprodução por meio de ovos. 20
b) o espessamento da pele para impedir a transpiração. 1985 1987 1989 1991 1993 1995 Ano
c) a pecilotermia.
d) o desenvolvimento de pulmões para captar oxi- PRIMACK; RODRIGUES. Biologia da conservação.
gênio. A análise do gráfico permite concluir que o sucesso
e) a capacidade de farejar e rastrear parceiros re- do programa deveu-se
produtivos. a) à adaptação dos animais nascidos em cativeiro ao
ambiente natural, mostrada pelo aumento do nú-
mero de nascidos na natureza. 45
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
b) ao aumento da população total, resultante da Qual das fases, presentes na figura, indica o processo
reintrodução de um número cada vez maior de de despolarização e repolarização celular, respectivamente?
animais. a) Fases 0 e 2
c) à eliminação dos animais nascidos em cativeiro b) Fases 0 e 3
pelos nascidos na natureza, que são mais fortes c) Fases 1 e 2
e selvagens. d) Fases 2 e 0
d) ao pequeno número de animais reintroduzidos, e) Fases 3 e 1
que se mantiveram isolados da população de nas-
cidos na natureza. Identidade dos seres vivos
e) à grande sobrevivência dos animais reintroduzi- 104. Enem — Os seres vivos apresentam diferentes ciclos
dos, que compensou a mortalidade dos nascidos de vida, caracterizados pelas fases nas quais gametas são
na natureza. produzidos e pelos processos reprodutivos que resultam na
geração de novos indivíduos.
Considerando-se um modelo simplificado padrão para
Interpretar modelos e experimentos para explicar
geração de indivíduos viáveis, a alternativa que correspon-
H15 fenômenos ou processos biológicos em qualquer
de ao observado em seres humanos é:
nível de organização dos sistemas biológicos. meiose
a) Esporófito Esporos
(2n) (n)

Moléculas, células e tecidos Zigoto


103. Enem — Células possuem potencial de membra- (2n)
na, que pode ser classificado em repouso ou ação. É uma
estratégia eletrofisiológica interessante e simples do pon-
Gametas Gametófito
to de vista físico. Essa característica eletrofisiológica está fecundação (n) (n)
presente na figura a seguir, que mostra um potencial de mitose
Organismo adulto
ação disparado por uma célula que compõe as fibras de b) (2n)
Purkinje, responsáveis por conduzir impulsos elétricos para
o tecido cardíaco, possibilitando assim a contração cardía- meiose
Gametas
(n)
ca. Observa-se que existem quatro fases envolvidas nesse
potencial de ação, sendo denominadas fases 0, 1, 2 e 3.
Fase 1 Zigoto
(n) fecundação
0
Fase 2 meiose
Organismo adulto
Potencial de membrana (mV)

c) (2n)

Gametas
Fase 3 mitose (n)
–50 Fase 0
Zigoto
(2n) fecundação
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

mitose
Organismo adulto
–100 d) (2n)

Gametas
200 400 500 meiose (n)
Tempo (ms)

O potencial de repouso dessa célula é –100 mV, e quan- Zigoto


(2n) fecundação
do ocorre influxo de íons Na+ e Ca2+, a polaridade celular
pode atingir valores de até +10 mV, o que se denomina des- meiose
Organismo adulto
polarização celular. A modificação no potencial de repouso e) (2n)
pode disparar um potencial de ação quando a voltagem da
membrana atinge o limiar de disparo que está representado Gametas
mitose (n)
na figura pela linha pontilhada. Contudo, a célula não pode
46 se manter despolarizada, pois isso acarretaria a morte celular.
Assim, ocorre a repolarização celular, mecanismo que Zigoto
ENEM-10

(n) fecundação
reverte a despolarização e retorna a célula ao potencial de
repouso. Para tanto, há o efluxo celular de íons K+. Disponível em: <www.infoescola.com>. (Adaptado)
MENU PRINCIPAL
Qualidade de vida das populações humanas Pela interpretação do experimento descrito, pode-se
105. Enem — A fotossíntese é importante para a vida observar que o metabolismo das células estudadas está
na Terra. Nos cloroplastos dos organismos fotossintetizan- relacionado às condições empregadas no experimento,
tes, a energia solar é convertida em energia química que, visto que as
juntamente com água e gás carbônico (CO2), é utilizada a) células 1 realizam metabolismo aeróbio.
para a síntese de compostos orgânicos (carboidratos). A b) células 1 são incapazes de consumir glicose.
fotossíntese é o único processo de importância biológica c) células 2 consomem mais oxigênio que as célu-
capaz de realizar essa conversão. Todos os organismos, in- las 1.
cluindo os produtores, aproveitam a energia armazenada d) células 2 têm maior demanda de energia que as
nos carboidratos para impulsionar os processos celulares, células 1.
liberando CO2 para a atmosfera e água para a célula por e) células 1 e 2 obtiveram energia a partir de subs-
meio da respiração celular. Além disso, grande fração dos tratos diferentes.
recursos energéticos do planeta, produzidos tanto no pre-
sente (biomassa) como em tempos remotos (combustível 107. Enem
fóssil), é resultante da atividade fotossintética.
Estima-se que haja atualmente no mundo 40 mi-
As informações sobre obtenção e transformação dos
lhões de pessoas infectadas pelo HIV (o vírus que
recursos naturais por meio dos processos vitais de fotos-
causa a AIDS), sendo que as taxas de novas infec-
síntese e respiração, descritas no texto, permitem con-
ções continuam crescendo, principalmente na Áfri-
cluir que
ca, Ásia e Rússia. Nesse cenário de pandemia, uma
a) o CO2 e a água são moléculas de alto teor ener-
vacina contra o HIV teria imenso impacto, pois sal-
gético.
varia milhões de vidas.
b) os carboidratos convertem energia solar em ener-
Certamente seria um marco na história plane-
gia química.
tária e também uma esperança para as populações
c) a vida na Terra depende, em última análise, da
carentes de tratamento antiviral e de acompanha-
energia proveniente do Sol.
mento médico.
d) o processo respiratório é responsável pela retirada TANURI, A.; FERREIRA JUNIOR, O. C. Vacina contra Aids: desafios
de carbono da atmosfera. e esperanças. In: Ciência hoje (44) 26, 2009. (Adaptado).
e) a produção de biomassa e de combustível fós- Uma vacina eficiente contra o HIV deveria
sil, por si, é responsável pelo aumento de CO a) induzir a imunidade, para proteger o organismo
atmosférico. da contaminação viral.
b) ser capaz de alterar o genoma do organismo por-
106. Enem — Considere a situação em que foram reali- tador, induzindo a síntese de enzimas protetoras.
zados dois experimentos, designados de experimentos A c) produzir antígenos capazes de se ligarem ao ví-
e B, com dois tipos celulares, denominados células 1 e 2. rus, impedindo que este entre nas células do or-
No experimento A, as células 1 e 2 foram colocadas em ganismo humano.
uma solução aquosa contendo cloreto de sódio (NaCℓ) e d) ser amplamente aplicada em animais, visto que
glicose (C6 H12O 6), com baixa concentração de oxigênio. esses são os principais transmissores do vírus para
No experimento B foi fornecida às células 1 e 2 a mesma os seres humanos.
solução, porém com alta concentração de oxigênio, seme- e) estimular a imunidade, minimizando a transmis-

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


lhante à atmosférica. Ao final do experimento, mediu-se a são do vírus por gotículas de saliva.
concentração de glicose na solução extracelular em cada
uma das quatro situações. Este experimento está represen- 108. Enem — A figura seguinte representa um mode-
tado no quadro abaixo. Foi observado no experimento A lo de transmissão da informação genética nos sistemas
que a concentração de glicose na solução que banhava as biológicos. No fim do processo, que inclui a replicação, a
células 1 era maior que a da solução contendo as células transcrição e a tradução, há três formas proteicas diferen-
2 e esta era menor que a concentração inicial. No experi- tes denominadas a, b e c.
mento B, foi observado que a concentração de glicose na
solução das células 1 era igual à das células 2 e esta era
idêntica à observada no experimento A, para as células 2,
ao final do experimento.
Depreende-se do modelo que
Experimento A Experimento B
a) a única molécula que participa da produção de
Células 1 Células 2 Células 1 Células 2 47
proteínas é o DNA.
NaCℓ e glicose NaCℓ e glicose b) o fluxo de informação genética, nos sistemas bio-
ENEM-10

baixa concentração de alta concentração de lógicos, é unidirecional.


oxigênio oxigênio
MENU PRINCIPAL
c) as fontes de informação ativas durante o processo Energia química no cotidiano
de transcrição são as proteínas. 111. Enem — A biodigestão anaeróbica, que se processa
d) é possível obter diferentes variantes proteicas a na ausência de ar, permite a obtenção de energia e mate-
partir de um mesmo produto de transcrição. riais que podem ser utilizados não só como fertilizante e
e) a molécula de DNA possui forma circular e as de- combustível de veículos, mas também para acionar moto-
mais moléculas possuem forma de fita simples res elétricos e aquecer recintos.
linearizadas.
Gerador
Energia elétrica
Ecologia e ciências ambientais
109. Encceja Aquecedor
Substratos
Os microrganismos responsáveis pela decompo-
Dejetos animais
sição orgânica são extremamente importantes para Veículo
a natureza e para o equilíbrio ecológico. Matéria
Decompondo a matéria orgânica, esses organis- orgânica
descartada
mos devolvem ao ambiente componentes químicos Biodigestor
essenciais, completando, assim, o ciclo da vida. Po- Lixo orgânico anaeróbico Fertilizante
rém, quando ocorre grande decomposição em espa-
O material produzido pelo processo esquematizado e
ços limitados, principalmente na água, há um aumen-
utilizado para geração de energia é o
to excessivo de nutrientes (eutrofização), ocasionando
a) biodiesel, obtido a partir da decomposição de ma-
a diminuição da taxa de oxigênio e, consequentemen-
téria orgânica e/ou por fermentação na presença
te, a morte de muitos organismos aeróbios.
BRANCO, Samuel Murgel. Água, origem uso e
de oxigênio.
preservação. 2ª. ed. São Paulo: Moderna. p. 70 b) metano (CH4), biocombustível utilizado em dife-
O processo de eutrofização em rios e lagos pode ser rentes máquinas.
provocado por atividades humanas. Um exemplo disso seria c) etanol, que, além de ser empregado na geração
a) o desmatamento das matas ciliares. de energia elétrica, é utilizado como fertilizante.
b) o lançamento de esgoto doméstico não tratado. d) hidrogênio, combustível economicamente mais
c) o tratamento de água potável para a população. viável, produzido sem necessidade de oxigênio.
d) o lançamento de pneus de borracha. e) metanol, que, além das aplicações mostradas no
e) a canalização de águas pluviais. esquema, é matéria-prima na indústria de bebidas.

110. Enem — A biodiversidade é garantida por interações


Compreender o papel da evolução na produção de
das várias formas de vida e pela estrutura heterogênea dos
H16 padrões, processos biológicos ou na organização
hábitats. Diante da perda acelerada de biodiversidade, tem
taxonômica dos seres vivos.
sido discutida a possibilidade de se preservarem espécies
por meio da construção de “bancos genéticos” de semen-
tes, óvulos e espermatozoides. Origem e evolução
Apesar de os “bancos” preservarem espécimes (in- 112. Enem — Anfíbios são animais que apresentam de-
divíduos), sua construção é considerada questionável do pendência de um ambiente úmido ou aquático. Neles a pele
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

ponto de vista ecológico-evolutivo, pois se argumenta que é de fundamental importância para a maioria das atividades
esse tipo de estratégia vitais, apresenta glândulas de muco para se conservar úmida,
I. não preservaria a variabilidade genética das po- favorecendo as trocas gasosas e, também, pode apresentar
pulações; glândulas de veneno contra microrganismos e predadores.
II. dependeria de técnicas de preservação de em- Segundo a Teoria Evolutiva de Darwin, essas caracte-
briões, ainda desconhecidas; rísticas dos anfíbios representam a
III. não reproduziria a heterogeneidade dos ecossis- a) lei do uso e desuso.
temas. b) atrofia do pulmão devido ao uso contínuo da pele.
Está correto o que se afirma em c) transmissão de caracteres adquiridos aos descen-
a) I, apenas. dentes.
b) II, apenas. d) futura extinção desses organismos, pois estão mal
c) I e III, apenas. adaptados.
d) II e III, apenas. e) seleção de adaptações em função do meio am-
48 e) I, II e III. biente em que vivem.
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
113. Encceja — O assunto na aula de Biologia era a evo- extinguiram, resultando na atual diversidade bioló-
lução do homem. Foi apresentada aos alunos uma árvore gica do nosso planeta.
filogenética, igual à mostrada na ilustração, que relacio- A figura ilustra a deriva dos continentes e as suas
nava primatas atuais e seus ancestrais. posições durante um período de 250 milhões de anos.

Período Perminano Período Cretáceo Início do período


(250 m.a.a.) (100 m.a.a.) Terciário (60 m.a.a.)

RICKLEFS, R. E. A economia da natureza. Rio de


Janeiro: Guanabara Koogan, 2003. (Adaptado)

De acordo com o texto, a atual diversidade biológica


do planeta é resultado
Árvore genealógica provável dos antropoides a) da similaridade biológica dos biomas de diferen-
Após observar o material fornecido pelo professor, os tes continentes.
alunos emitiram várias opiniões, a saber: b) do cruzamento entre espécies de continentes que
I os macacos antropoides (orangotango, gorila, foram separados.
chimpanzé, gibão) surgiram na Terra mais ou me- c) do isolamento reprodutivo das espécies resultante
nos contemporaneamente ao homem. da separação dos continentes.
II alguns homens primitivos, hoje extintos, descen- d) da interação entre indivíduos de uma mesma es-
dem dos macacos antropoides. pécie antes da separação dos continentes.
III na história evolutiva, os homens e os macacos an- e) da taxa de extinções ter sido maior que a de espe-
tropoides tiveram um ancestral comum. ciações nos últimos 250 milhões de anos.
IV não existe relação de parentesco genético entre
macacos antropoides e homens. Origem e evolução
Analisando a árvore filogenética, você pode concluir 115. Encceja — Uma população de coelhos selvagens era
que: formada, no passado, por coelhos com orelhas curtas e coe-
a) todas as afirmativas estão corretas. lhos com orelhas longas. Atualmente, a grande maioria dos
b) apenas as afirmativas I e III estão corretas. coelhos selvagens apresenta orelhas longas. Alguns pesqui-
c) apenas as afirmativas II e IV estão corretas. sadores desenvolveram hipóteses para explicar esse fato.
d) apenas a afirmativa II está correta. Assinale a hipótese mais correta.
e) apenas a afirmativa IV está correta. a) Cada coelho desenvolve suas orelhas ao longo

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


da vida; elas crescem porque são muito utilizadas
114. Enem para fugir de predadores. Essas características ad-
No Período Permiano, cerca de 250 milhões de quiridas são herdadas pelos filhotes.
anos atrás (250 m.a.a.), os continentes formavam uma b) Ocorreram mutações e a característica orelha cur-
única massa de terra conhecida como Pangeia. O len- ta desapareceu.
to e contínuo movimento das placas tectônicas re- c) Ocorreu, no passado, um grande evento de extin-
sultou na separação das placas, de maneira que já ção na população e somente os coelhos de orelha
no início do Período Terciário (cerca de 60 m.a.a), longa sobreviveram.
diversos continentes se encontravam separados uns d) Os coelhos de orelha longa do passado eram mais
dos outros. Uma das consequências dessa separação eficientes para fugir de predadores do que os de
foi a formação de diferentes regiões biogeográficas , orelha curta; por isso deixaram mais descenden-
chamadas biomas. tes, que hoje são maioria na população.
Devido ao isolamento reprodutivo, as espécies em e) Os coelhos sempre foram assim como os conhe-
cada bioma se diferenciaram por processos evolu- cemos; os coelhos de orelhas curtas eram de ou- 49
tivos distintos, novas espécies surgiram, outras se tra espécie que foi extinta.
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
Enem — Para responder às questões 116 e 117, analise o quadro a seguir, que esquematiza a história da Terra.
Milhões
Era Período Evolução biológica Paleogeografia
de anos
Faunas e floras atuais
Primeiras manifestações de arte
QUATERNÁRIO 0,01 Sepulturas mais antigas
Extinção dos mastodontes e dinotérios

1,8 Aparecimento dos bois, cavalos e veados


Primeiros utensílios de pedra Elevação dos Himalaias
Cenozoica

5,3 Ligação das duas Américas


NEOGÊNICO
Fecho e dessecação do
Aparecimento dos hominídeos Mediterrâneo
23,8

34,6 Primeiros roedores Elevação dos Pirineus


PALEOGÊNICO
56 Conclusão da abertura do
Primeiros primatas Atlântico Norte
65 Últimos dinossauros Constituição do continente
CRETÁCEO Primeiros angiospermas Norte-Atlântico
Mesozoica

145 Abertura do Atlântico Sul


JURÁSSICO
Início da fragmentação da
208 Primeiras aves Pangeia
TRIÁSSICO Primeiros dinossauros Constituição da Pangeia
245
PERMIANO
290
CARBONÍFERO Aparecimento dos répteis
363
Aparecimento dos anfíbios
Paleozoica

DEVONIANO Primeiras gimnospermas


409
Primeiras plantas e primeiros animais terrestres
Primeiros peixes
SILURIANO Fecho do oceano Lapetus
439
ORDOVICIANO
510
Abertura dos oceanos
CAMBRIANO Lapetus e Rheio
544
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

1 000 Reprodução sexuada Constituição da Avelônia

1 400 Primeiros depósitos de carvão (algas) Constituição do continente


1 800 Oxigênio livre na atmosfera Rodínia
Pré-Cambriano 2 000 Aparecimento de organismos eucariontes
3 100 Primeiros microrganismos procariontes
3 500 Primeiros vestígios de vida

4 600 Formação da Terra

116. Considerando o esquema acima, assinale a opção correta.


a) Quando os primeiros hominídeos apareceram na Terra, os répteis já existiam há mais de 500 milhões de anos.
b) Quando a espécie Homo sapiens surgiu no planeta, América do Sul e África estavam fisicamente unidas.
50 c) No Pré-Cambriano surgiram, em meio líquido, os primeiros vestígios de vida no planeta.
d) A fragmentação da Pangeia ocasionou o desaparecimento dos dinossauros.
ENEM-10

e) A Era Mesozoica durou menos que a Cenozoica.


MENU PRINCIPAL
117. Entre as opções a seguir, assinale a que melhor re- 118. Enem — Segundo a explicação mais difundida sobre
presenta a história da Terra em uma escala de 0 a 100, com o povoamento da América, grupos asiáticos teriam che-
comprimentos iguais para intervalos de tempo de mesma gado a esse continente pelo Estreito de Bering, há 18 mil
duração. anos.
a) 100 Faunas e
d) 100 Faunas e
floras atuais
A partir dessa região, localizada no extremo noroes-
floras atuais
Primeiros vestígios
Primeiros peixes te do continente americano, esses grupos e seus descen-
de vida
dentes teriam migrado, pouco a pouco, para outras áreas,
Eucariontes Eucariontes
50 50 chegando até a porção sul do continente. Entretanto,
por meio de estudos arqueológicos realizados no Parque
Primeiros vestígios
0
Primeiros peixes
Formação da Terra
de vida Nacional da Serra da Capivara (Piauí), foram descobertos
0 Formação da Terra
vestígios da presença humana que teriam até 50 mil anos
de idade.
b)
Faunas e
e) 100 Faunas e Validadas, as provas materiais encontradas pelos ar-
100 floras atuais floras atuais
Primeiros peixes
queólogos no Piauí
Primeiros peixes a) comprovam que grupos de origem africana cruza-
50
Eucariontes 50 ram o oceano Atlântico até o Piauí há 18 mil anos.
Eucariontes
Primeiros vestígios b) confirmam que o homem surgiu primeiramente
Primeiros vestígios
de vida
de vida na América do Norte e, depois, povoou os ou-
0 Formação da Terra
0 Formação da Terra tros continentes.
c) contestam a teoria de que o homem americano
Faunas e
surgiu primeiro na América do Sul e, depois, cru-
c) 100
floras atuais zou o Estreito de Bering.
Primeiros peixes d) confirmam que grupos de origem asiática cruza-
50 ram o Estreito de Bering há 18 mil anos.
Eucariontes
e) contestam a teoria de que o povoamento da
Primeiros
vestígios de vida
América teria iniciado há 18 mil anos.
0 Formação da Terra

Anotações

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

51
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Competência 5
Competência
O aluno deve reconhecer o método científico como pro-
cesso de interpretação de dados e caminho para a re-
Entender métodos e procedimentos próprios das solução de situações-problema. Para que o conteúdo se
ciências naturais e aplicá-los em diferentes contex- torne significativo no processo educacional, deve ser tra-
tos. balhado em diferentes contextos e linguagens, atenden-
do a níveis crescentes de complexidade e articulado ao
tema proposto.

Habilidades
H17 — Relacionar informações apresentadas em dife-
A leitura de diferentes apresentações de dados científicos
rentes formas de linguagem e representação usadas nas
faz parte da interpretação das questões por meio de aná-
ciências físicas, químicas ou biológicas, como texto dis-
lise de gráficos, tabelas, textos etc. O que é necessário?
cursivo, gráficos, tabelas, relações matemáticas ou lingua-
Concentração e interpretação.
gem simbólica.

H18 — Relacionar propriedades físicas, químicas ou bio- Substâncias constituintes da matéria reagem conforme
lógicas de produtos, sistemas ou procedimentos tecnoló- suas propriedades físicas, químicas ou biológicas carac-
gicos às finalidades a que se destinam. terizando diferentes materiais e potencializando o seu uso.

H19 — Avaliar métodos, processos ou procedimentos das


Processos metodológicos da ciência como a perícia e a
ciências naturais que contribuam para diagnosticar ou so-
pesquisa auxiliam na busca de respostas aos problemas
lucionar problemas de ordem social, econômica ou am-
detectados.
biental.

Anotações
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

52
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Texto 5

Ciência
que desvenda
crimes
Na última reunião da So- Depois disso, não parou mais de ser requisitado, inclusive para cursos e
ciedade Brasileira de Química palestras por todo o país.
(SBQ), realizada em maio em Stefani procura ajudar no desenvolvimento da área no Brasil, o que,
Águas de Lindoia (SP), chamou segundo conta, não é tarefa fácil, especialmente pela falta de recursos
a atenção a frequência ao curso financeiros. Por ser uma área em que publicações em revistas de im-
de química forense. Quase 200 pacto são muito raras — e por isso ele continua em seu dia a dia com
pessoas acompanharam as au- pesquisas na área da química de síntese —, os órgãos de financiamento
las ministradas por Valter Ste- acabam não olhando para os projetos como deveriam, afirma.
fani, professor e pesquisador Apesar disso, as ciências forenses surgem como uma área muito
da Universidade Federal do Rio atrativa, ainda mais no Brasil, onde pode ajudar a polícia no combate
Grande do Sul. ao crime, seja ele organizado ou não, aponta Stefani. Outros exemplos
Sua ligação profissional com de situações encontradas por especialistas forenses são análises da au-
a ciência forense começou por tenticidade de obras de arte e de documentos ou exame de combustí-
acaso, ao ser solicitado pelo go- veis adulterados.
verno estadual gaúcho, há cinco Em entrevista à Agência Fapesp, Stefani falou sobre a ciência fo-
anos, para resolver um proble- rense no país e até sobre seriados de televisão, como Detetives médicos
ma relacionado com bafômetros. e C.S.I., que têm estimulado estudantes a se interessar pelo assunto.
Andrew Mason

Agência Fapesp — As ciências forenses


estão sendo muito procuradas nos últi-
mos tempos, principalmente por profis-
sionais de nível superior, como os quími-
cos. Do ponto de vista científico, existe
muito a ser feito nesse campo?

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


Valter Stefani — Sim, os laboratórios
da polícia, por exemplo, são muito po-
bres. Há instalações de primeiro mun-
do, como em Porto Alegre, São Paulo
ou Brasília. Mas a maioria está na "ida-
de da pedra". São locais onde existem
peritos que fizeram cursos e são bem
preparados, mas que não contam com
suporte financeiro adequado. O ideal se-
ria ajudar esse pessoal com um kit sim-
ples, mas confiável, que pelo menos tire
os falsos positivos. A partir daí, seriam
Química forense — a ciência a serviço da justiça. enviados aos grandes centros apenas os 53
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

casos concretos, o que consti- Stefani - Seria muito bom ter possível analisar superfícies
tuiria uma grande mudança. testes confiáveis, sensíveis e estranhas. Por exemplo, num
mais visuais. Há um exemplo caso de estrangulamento, que
AF — A formação dos peri- recente no exterior que é muito tornasse possível conseguir a
tos é adequada? Eles estão bem interessante. Ele foi desenvolvi- impressão digital do assassino
atualizados? do por um policial de Israel e na pele da vítima. Ou fazer o
patenteado por uma empresa mesmo para um corpo que foi
Stefani — É fundamental que francesa, que faz a comerciali- amarrado, enrolado em um te-
tenhamos também peritos quí- zação. Os métodos já eram co- cido e atirado na água.
micos. Dei uma vez um curso nhecidos, mas o policial desen-
para policiais especializados volveu um kit em que o usuário AF — Mas tirar impressões da
em impressões digitais. Eram pinga uma substância em uma pele é realidade em algum lu-
120, nenhum químico entre fitinha para ver se ela muda de gar?
eles, mas todos usavam subs- cor ou não. Isso para saber, por
tâncias químicas. Fui obriga- exemplo, se num lugar há de- Stefani — A polícia do Canadá
do até mesmo a explicar que o terminado tipo de explosivo. tem um método para isso, que
iodo era tóxico. Isso tem muda- poderia ser usado por aqui, mas
do bastante. Em Porto Alegre, AF — Então, de forma geral, é caro, ele usa uma chapa reves-
por exemplo, há concursos es- os químicos e peritos de outras tida com prata. Não se trata de
pecíficos para químicos. Temos áreas, com suas formações aca- valores absurdos, mas a ques-
dois ou três doutores em quími- dêmicas, têm muito a contri- tão é que no Brasil falta dinhei-
ca fazendo perícia. buir com a inteligência policial. ro até para os reagentes mais
baratos. Mas, de modo geral, o
AF — O doutorado na áreas das Stefani — Esse é um ponto mundo está para ser descoberto
ciências forenses também é im- fundamental. Se a polícia tem nesse campo. Podemos pensar
portante? um kit, como nós desenvol- em, por exemplo, um superlu-
vemos no Rio Grande do Sul, minol [substância que, por qui-
Stefani — Não quero dizer que para identificar cocaína com mioluminescência, consegue
os doutores sejam melhores que tiocianato de cobalto, que cus- identificar vestígios de sangue,
os demais. Não se trata disso. ta R$ 0,20 o frasco, ela vai se velho ou muito diluído] mais
Mas, teoricamente, são profis- sentir mais segura. No momen- sensível do que os que existem
sionais que trabalharam com to em que o pó é apreendido e o hoje ou que tivesse um tempo
todo um instrumental e têm agente tem algo em mãos para de vida maior.
um conhecimento que permi- usar na amostra, que vai mu-
tirá introduzir métodos novos dar ou não de cor, dependen- AF — Então, a química forense
de forma mais confiável. Pior do da sua constituição, o caso oferece muito espaço para o jo-
do que liberar um bandido é muda totalmente de figura. O vem pesquisador?
não conseguir inocentar uma policial não perderá tempo ou
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

pessoa que não tem culpa. Veja então passará a tratar a ocor- Stefani — Melhor falar em ci-
quantos casos o DNA tem aju- rência de outro modo. ências forenses, uma vez que
dado a resolver. São pessoas que englobam também biologia,
passaram, ou que passariam, AF — Poderia dar exemplos de farmácia, bioquímica e enge-
anos na cadeia sem ter nada a que avanços seriam bem-vindos nharia e outras áreas. Mas os
ver com determinada história para ajudar na resolução de ca- jovens pesquisadores já estão
criminosa. sos mais complicados? antenados nesse campo de tra-
balho e isso tem a ver muito
AF — Além dos avanços tecno- Stefani — No caso dos regis- com a televisão.
lógicos, ainda há muito da quí- tros de impressões digitais, se-
mica clássica a ser usada em ria bom termos um método AF — O senhor se refere a se-
certos casos? mais sensível ou que tornasse riados como Detetives médicos
54
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
ou C.S.I.? Até que ponto o con- que existir um banco de DNA, já tiram foto, impressão digital
teúdo dessas produções é pre- o cenário será outro. O pro- e DNA.
ciso? blema é quando isso ocorrerá,
pois no Brasil ainda estamos AF — Então a polícia brasileira
Stefani — Sim, estou falan- digitalizando impressões digi- está muito longe de fazer o que
do de Detetives médicos, Tes- tais. Depois, teremos que ter o vemos hoje nos filmes e seria-
temunha silenciosa e simila- sistema para ler esses bancos. dos norte-americanos?
res, que trazem algumas coisas E ainda há uma questão adicio-
realmente autênticas e outras nal: hoje, não podemos fazer Stefani — Nos laboratórios fo-
holly woodianas. Encontrar bancos de DNA, pois a lei não renses sim, está longe. Mas dá
apenas um fio de cabelo e dizer permite. Tentamos fazer isso para fazer com auxílio das uni-
que pertenceu a uma menina em Porto Alegre com a popu- versidades. Por exemplo, a po-
loira de 9 anos, que foi agarrada lação prisional e não foi possí- lícia não conta com microscó-
pela perna esquerda, sacudida vel, pois, juridicamente, a pes- pios eletrônicos de varredura,
três vezes, e assim por diante, é soa estaria dando prova contra mas esses equipamentos estão
bobagem. Mas isso não quer di- ela própria. Nos Estados Uni- presentes em universidades. Só
zer que não estejamos próximos dos, hoje tem banco para tudo. que muito raramente eles são
disso. A partir do momento em Você chega ao aeroporto e eles usados pela polícia.
GERAQUE, Eduardo. 5 jun. 2006. Disponível em: <http://www.agencia.fapesp.br/materia/5588/
entrevistas/ciencia-que-desvenda-crimes.htm>. Acesso em: 26 maio 2010.

Áreas de conhecimento exigidas para compreensão do texto:


Ficha de leitura

1 2 3 4 5

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


Conhecimentos prévios (das diversas áreas do conhecimento) que você precisou acessar da memória, necessários du-
rante a leitura:
1
2
3
4

Informações que você precisou pesquisar para compreender melhor o texto e interagir com ele durante e/ou após
a leitura:
1
2
55
3
ENEM-10

4
MENU PRINCIPAL

Itens
Relacionar informações apresentadas em diferen- 120. Enem — Umidade relativa do ar é o termo usado para
tes formas de linguagem e representação usadas descrever a quantidade de vapor de água contido na at-
H17 nas ciências físicas, químicas ou biológicas, como mosfera. Ela é definida pela razão entre o conteúdo real de
texto discursivo, gráficos, tabelas, relações mate- umidade de uma parcela de ar e a quantidade de umidade
máticas ou linguagem simbólica. que a mesma parcela de ar pode armazenar na mesma tem-
peratura e pressão quando está saturada de vapor, isto é,
O calor e os fenômenos térmicos com 100% de umidade relativa. O gráfico representa a re-
119. Enem — De maneira geral, se a temperatura de um lação entre a umidade relativa do ar e sua temperatura ao
líquido comum aumenta, ele sofre dilatação. O mesmo longo de um período de 24 horas num determinado local.
não ocorre com a água, se ela estiver a uma temperatura
16
próxima de seu ponto de congelamento. O gráfico mostra 80%
como o volume específico (inverso da densidade) da água 14
varia em função da temperatura, com uma aproximação 12
na região entre 0°C e 10°C, ou seja, nas proximidades do 10
70%
ponto de congelamento da água.

Temperatura (°C)
Umidade relativa
8
1,05 6
60%
Volume específico (cm3 /g)

4
1,04
2
1,03 0
A 50%
–2
1,02

0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24
1,01 Hora do dia
Umidade relativa
1,00 Temperatura (°C)
0 20 40 60 80 100
Temperatura (°C)
Considerando-se as informações do texto e do gráfi-
Volume específico (cm3 /g)

co, conclui-se que


1,00020 a) a insolação é um fator que provoca variação da
1,00010 umidade relativa do ar.
B
b) o ar vai adquirindo maior quantidade de vapor de
1,00000
0 2 4 6 8 10 água à medida que se aquece.
Temperatura (°C) c) a presença de umidade relativa do ar é diretamen-
te proporcional à temperatura do ar.
HALLlDAY; RESNICK. Fundamentos de física: gravitação, ondas e d) a umidade relativa do ar indica, em termos abso-
termodinâmica. v. 2. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1991.
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

lutos, a quantidade de vapor de água existente na


Com base no gráfico, é correto concluir que o volume atmosfera.
ocupado por certa massa de água e) a variação da umidade do ar se verifica no verão,
a) diminui em menos de 3% ao se resfriar de 100°C e não no inverno, quando as temperaturas per-
a 0°C. manecem baixas.
b) aumenta em mais de 0,4% ao se resfriar de 4°C
a 0°C. Transformações químicas e energia
c) diminui em menos de 0,04% ao se aquecer de 121. Enem — Arroz e feijão formam um "par perfeito", pois
0°C a 4°C. fornecem energia, aminoácidos e diversos nutrientes. O que
d) aumenta em mais de 4% ao se aquecer de 4°C falta num deles pode ser encontrado no outro. Por exemplo,
a 9°C. o arroz é pobre no aminoácido lisina, que é encontrado em
e) diminui em menos de 3% ao se aquecer de 0°C abundância no feijão, e o aminoácido metionina é abundan-
a 100°C. te no arroz e pouco encontrado no feijão. A tabela seguin-
56 te apresenta informações nutricionais desses dois alimentos.
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
Arroz (1 colher Feijão (1 colher Energia, trabalho e potência
de sopa) de sopa) 123. Enem — O uso da água do subsolo requer o
Calorias 41 kcal 58 kcal bombeamento para um reservatório elevado. A capacida-
Carboidratos 8,07 g 10,6 g de de bombeamento (Iitros/hora) de uma bomba hidráulica
Proteínas 0,58 g 3,53 g depende da pressão máxima de bombeio, conhecida como
Lipídios 0,73 g 0,18 g altura manométrica H (em metros), do comprimento L da
Colesterol 0g 0g tubulação que se estende da bomba até o reservatório (em
SILVA, R. S. Arroz e feijão, um par perfeito. metros), da altura de bombeio (em metros) e do desempe-
Disponível em: <http:/www.correpar.com.br>. nho da bomba (exemplificado no gráfico). De acordo com os
Com base nas informações contidas no texto e na ta- dados a seguir, obtidos de um fabricante de bombas, para
bela, conclui-se que se determinar a quantidade de litros bombeados por hora
a) os carboidratos contidos no arroz são mais nutri- para o reservatório com uma determinada bomba, deve-se:
tivos que os do feijão. 1. Escolher a linha apropriada na tabela correspon-
b) o arroz é mais calórico que o feijão por conter dente à altura (h), em metros, da entrada de água
maior quantidade de lipídios. na bomba até o reservatório.
c) as proteínas do arroz têm a mesma composição 2. Escolher a coluna apropriada, correspondente ao
de aminoácidos que as do feijão. comprimento total da tubulação (L), em metros,
d) a combinação de arroz com feijão contém energia da bomba até o reservatório.
e nutrientes e é pobre em colesterol. 3. Ler a altura manométrica (H) correspondente ao cru-
e) duas colheres de arroz e três de feijão são menos zamento das respectivas linha e coluna na tabela.
calóricas que três colheres de arroz e duas de feijão. 4. Usar a altura manométrica no gráfico de desem-
penho para ler a vazão correspondente.
Relações da química com as tecnologias, L = comprimento total da tubulação (em
metro), da bomba até o reservatório
a sociedade e o meio ambiente 10 20 40 60 80 100 125 150 175 200 225 250 300
122. Enem — Analise a figura. H = altura manométrica total, metro
5 6 7 8 10 11 13 14 16 18 20 22 24 28
100
entrada da água na bom-
h = altura (em metro) da

10 11 12 13 15 16 18 19 21 23 25 27 29 33
ba até o reservatório

90 15 17 18 20 21 23 24 26 28 30 32 34 38

80 20 22 23 25 26 28 29 31 33 35 37 39 43
25 28 30 31 33 34 36 38 40 42 44 48
Concentração de álcool

70
30 33 35 36 38 39 41 43 45 47 50 50
no sangue (mg/%)

60 35 38 40 41 43 44 46 48 50 50
40 43 45 46 50 50 50 50
50
50 50 50
40
Gráfico de desempenho
30
H = altura manométrica (m)

Reservatório
50
20
40 L
10 30
0 20
h
0 1 2 3 4 5 6 7 8 10

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


Tempo (horas) 0
800 1 200 1 600 2 000
Disponível em: <http//www.alcoologia.net>. Q = vazão (litro/hora) Bomba
Acesso em: 15 jul. 2009. (Adaptado)
Disponível em: <http://www.anauger.com.br>
Supondo que seja necessário dar um título para essa Acesso em: 19 maio 2009. (Adaptado)
figura, a alternativa que melhor traduziria o processo re- Considere que se deseja usar uma bomba, cujo de-
presentado seria: sempenho é descrito pelos dados anteriores, para encher
a) Concentração média de álcool no sangue ao lon- um reservatório de 1 200 L que se encontra 30 m acima
go do dia. da entrada da bomba.
b) Variação da frequência da ingestão de álcool ao Para fazer a tubulação entre bomba e reservatório se-
longo das horas. riam usados 200 m de cano. Nessa situação, é de se espe-
c) Concentração mínima de álcool no sangue a par- rar que a bomba consiga encher o reservatório
tir de diferentes dosagens. a) entre 30 e 40 minutos.
d) Estimativa de tempo necessário para metabolizar b) em menos de 30 minutos.
diferentes quantidades de álcool. c) em mais de 1h e 40 minutos. 57
e) Representação gráfica da distribuição de frequên- d) entre 40 minutos e 1h e 10 minutos.
ENEM-10

cia de álcool em determinada hora do dia. e) entre 1h e 10 minutos e 1h e 40 minutos.


MENU PRINCIPAL
124. Enem — No século XXI, racionalizar o uso da ener- 2,50
gia é uma necessidade imposta ao homem devido ao cres-
cimento populacional e aos problemas climáticos que o 2,30
uso da energia, nos moldes em que vem sendo feito, tem
criado para o planeta. Assim, melhorar a eficiência no con- 2,10

sumo global de energia torna-se imperativo. O gráfico, a


1,90
seguir, mostra a participação de vários setores da ativida-
de econômica na composição do PIB e sua participação no 1,70
consumo final de energia no Brasil.
Participação % no pib e no 1,50

1991

1992

1993

1994

2004
1995

1996

1997

1998

1999

2000

2001

2002

2003
consumo de energia — 2000
60,0

50,0 Disponível em: <www.scp.rs.gov.br

O gráfico permite afirmar que o consumo de energia


40,0
per capita no Rio Grande do Sul
30,0 a) cresceu continuamente entre 1991 e 1993.
b) diminuiu 50% entre 2000 e 2004.
20,0
c) dobrou no período analisado.
10,0 d) esteve acima da média mundial entre 1992 e
2004.
00,0
TEX e) se igualou ao dos países europeus industrializa-
SERV

Q. IND.

AGRO

ENER

MET

P&C

N. MET

MIN
QUIM

A&B

TRAN

dos em 2000.
% do PIB % do consumo de energia
SERV = Serviços TRAN = Transporte
126. Encceja — Segundo dados do IBGE, 80% do lixo ge-
Q. IND. = Outras indústrias MET = Metalúrgica rado no Brasil é depositado em lixões a céu aberto, sendo
AGRO = Agropecuária P&C = Papel e Celulose apenas uma pequena parte dele entregue para as usinas
ENER = Energia N. MET = Não metais
(cerâmica e cimento) de reciclagem.
QUIM = Química TEX = Têxtil
A&B = Alimentos e Bebidas MIN = Mineração 100

PATUSCO, J. A. M. Energia e economia no Brasil 1970-2000.


In: Economia&Energia. n 35, nov/dez 2002. Disponível 80
em:<http://www.ecen.com/eee35/energ-econom1970-2000.
htm>. Acesso em: 20 mar. 2009. (Adaptado) 60
Considerando os dados apresentados, a fonte de ener-
40
gia primária para a qual uma melhoria de 10% na eficiên-
cia de seu uso resultaria em maior redução no consumo 20
global de energia seria
a) o carvão. 0
Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste
b) o petróleo.
c) a biomassa. Vazadouro a céu aberto Reciclagem Outras formas
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

d) o gás natural. GRIPPI, S. Lixo, reciclagem e sua história: guia para as


e) a hidroeletricidade. prefeituras brasileiras. Rio de Janeiro: Interciência, 2001.
Analisando-se o gráfico, conclui-se que a região bra-
125. Encceja — Estudos indicam que se pode utilizar o sileira que mais investe em reciclagem é a
consumo de energia per capita como um indicador do nível a) Nordeste.
de desenvolvimento de dada região. Na maioria dos países b) Sudeste.
nos quais o consumo de energia potencial per capita está c) Sul.
abaixo de uma tonelada equivalente de petróleo (tEP) por d) Centro-Oeste.
ano, as taxas de analfabetismo, mortalidade infantil e fer- e) Norte.
tilidade são altas, enquanto a expectativa de vida é baixa.
Nos países industrializados da União Europeia, o consumo 127. Enem — O Aedes aegypti é vetor transmissor da
médio é de 3,22 tEP per capita, enquanto a média mundial dengue. Uma pesquisa feita em São Luís — MA, de 2000
é de 1,66 tEP per capita. a 2002, mapeou os tipos de reservatório onde esse mos-
58 O gráfico a seguir descreve o consumo de energia per quito era encontrado. A tabela seguinte mostra parte dos
capita, em tEP, para o estado do Rio Grande do Sul (RS), dados coletados nessa pesquisa.
ENEM-10

no período 1991-2004.
MENU PRINCIPAL
População de A. aegypti É correto apenas o que se afirma em
Tipos de reservatórios a) I.
2000 2001 2002
b) II.
Pneu 895 1 658 974
c) III.
Tambor/tanque/depósito d) I e II.
6 855 46 444 32 787
de barro
e) II e III.
Vaso de planta 456 3 191 1 399
Material de construção/
271 436 276 Relacionar propriedades físicas, químicas ou bioló-
peça de carro
Garrafa/lata/plástico 675 2 100 1 059 H18 gicas de produtos, sistemas ou procedimentos tec-
nológicos às finalidades a que se destinam.
Poço/cisterna 44 428 275
Caixa d’água 248 1 689 1 014
Recipiente natural, arma- Materiais, suas propriedades e usos
615 2 658 1 178 129. Enem
dilha, piscina e outros
Total 10 059 58 604 38 962 Em grandes metrópoles, devido a mudanças na
Caderno Saúde Pública, vol. 20, nº. 5, Rio superfície terrestre — asfalto e concreto em excesso,
de Janeiro, out. 2004. (Adaptado)
por exemplo — formam-se ilhas de calor. A resposta
De acordo com essa pesquisa, o alvo inicial para a re-
da atmosfera a esse fenômeno é a precipitação con-
dução mais rápida dos focos do mosquito vetor da dengue
vectiva. Isso explica a violência das chuvas em São
nesse município deveria ser constituído por
Paulo, onde as ilhas de calor chegam a ter 2 a 3 graus
a) pneus e caixas d’água.
centígrados de diferença em relação ao seu entorno.
b) tambores, tanques e depósitos de barro.
c) vasos de plantas, poços e cisternas. TERRA DA GENTE. ano 5, n. 60, abr. 2009. (Adaptado).

d) materiais de construção e peças de carro. Características físicas, tanto do material como da es-
e) garrafas, latas e plásticos. trutura projetada de uma edificação, são a base para com-
preensão de resposta daquela tecnologia construtiva em
128. E ne m — N o primeiro semes tre de 20 0 6, o termos de conforto ambiental. Nas mesmas condições am-
Movimento Global pela Criança, em parceria com o Unicef, bientais (temperatura, umidade e pressão), uma quadra
divulgou o relatório "Salvando vidas: o direito das crianças terá melhor conforto térmico se
ao tratamento de HIV e Aids". Nesse relatório, concluiu-se a) pavimentada com material de baixo calor espe-
que o aumento da prevenção primária ao vírus deverá re- cífico, pois quanto menor o calor específico de
duzir o número de novos casos de infecção entre jovens determinado material, menor será a variação tér-
de 15 a 24 anos de idade, como mostra o gráfico a seguir. mica sofrida pelo mesmo ao receber determinada
quantidade de calor.
3 000
número de novas infecções

b) pavimentada com material de baixa capacidade


2 500
térmica, pois quanto menor a capacidade térmica
(em milhares)

2 000
de determinada estrutura, menor será a variação
1 500
térmica sofrida por ela ao receber determinada
1 000
quantidade de calor.
500

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


c) pavimentada com material de alta capacidade
0 térmica, pois quanto maior a capacidade térmica
2005 2006 2007 2008 2009 2010
de determinada estrutura, menor será a variação
com maior prevenção
com a prevenção atual térmica sofrida por ela ao receber determinada
quantidade de calor.
Com base nesses dados, analise as seguintes afirmações. d) possuir um sistema de vaporização, pois ambien-
I. Ações educativas de prevenção da transmissão do tes mais úmidos permitem uma mudança de tem-
vírus HIV poderão contribuir para a redução, em peratura lenta, já que o vapor d'água possui a
2008, de mais de 20% dos novos casos de infec- capacidade de armazenar calor sem grandes al-
ção entre os jovens, em relação ao ano de 2005. terações térmicas, devido ao baixo calor específi-
II. Ações educativas relativas à utilização de preser- co da água (em relação à madeira, por exemplo) .
vativos nas relações sexuais reduzirão em 25% ao e) possuir um sistema de sucção do vapor d'água,
ano os novos casos de Aids entre os jovens. pois ambientes mais secos permitem uma mudan-
III. Sem o aumento de medidas de prevenção primá- ça de temperatura lenta, já que o vapor d'água 59
ria, estima-se que, em 2010, o aumento de novos possui a capacidade de armazenar calor sem gran-
ENEM-10

casos de infecção por HIV entre os jovens será, em des alterações térmicas, devido ao baixo calor es-
relação ao ano de 2005, 50% maior. pecífico da água.
MENU PRINCIPAL
130. Enem áreas, desde o desenvolvimento de cosméticos, tin-
Duas matérias-primas encontradas em grande tas e tecidos, até o de terapias contra o câncer.
quantidade no Rio Grande do Sul , a quitosana, um LACAVA, Z. G. M; MORAIS, P. C. Nanobiotecnologia e saúde.
biopolímero preparado a partir da carapaça do cama- Disponível em: <http://www.comciencia.br>. Acesso em: (Adaptado)

rão, e o poliol, obtido do óleo do grão da soja, são os A utilização de nanopartículas na indústria e na me-
principais componentes de um novo material para in- dicina requer estudos mais detalhados, pois
corporação de partículas ou princípios ativos utilizados a) as partículas, quanto menores, mais potentes e
no preparo de vários produtos. Ele apresenta viscosida- radioativas se tornam.
de semelhante às substâncias utilizadas atualmente em b) as partículas podem ser manipuladas, mas não
vários produtos farmacêuticos e cosméticos, e fabrica- caracterizadas com a atual tecnologia.
das a partir de polímeros petroquímicos, com a vanta- c) as propriedades biológicas das partículas somente
gem de ser biocompatível e biodegradável. A fórmula podem ser testadas em microrganismos.
estrutural da quitosana está apresentada em seguida. d) as partículas podem atravessar poros e canais
celulares, o que poderia causar impactos des-
conhecidos aos seres vivos e, até mesmo, aos
ecossistemas.
e) o organismo humano apresenta imunidade con-
tra partículas tão pequenas, já que apresentam
a mesma dimensão das bactérias (um bilionési-
Quitosana mo de metro).
Carapaça versátil. In: Pesquisa Fapesp. Disponível em: <http://www.
revistapesquisa.fapesp.br>. Acesso em: 20 maio 2009. (Adaptado) 132. Enem — O Sol representa uma fonte limpa e inesgo-
Com relação às características do material descrito, tável de energia para o nosso planeta. Essa energia pode ser
pode se afirmar que captada por aquecedores solares, armazenada e convertida
a) o uso da quitosana é vantajoso devido a suas pro- posteriormente em trabalho útil. Considere determinada re-
priedades, pois não existem mudanças em sua pu- gião cuja insolação — potência solar incidente na superfície
reza e peso molecular, características dos políme- da Terra — seja de 800 watts/m2. Uma usina termossolar
ros, além de todos os seus benefícios ambientais. utiliza concentradores solares parabólicos que chegam a
b) a quitosana tem em sua constituição grupos ami- dezenas de quilômetros de extensão. Nesses coletores so-
na, pouco reativos e não disponíveis para reações lares parabólicos, a luz refletida pela superfície parabólica
químicas, com as vantagens ambientais compara- espelhada é focalizada em um receptor em forma de cano
das com os produtos petroquímicos. e aquece o óleo contido em seu interior a 400°C. O calor
c) o polímero natural quitosana é de uso vantajoso, desse óleo é transferido para a água, vaporizando-a numa
pois o produto constituído por grupos álcool e caldeira. O vapor em alta pressão movimenta uma turbina
amina tem vantagem ambiental comparado com acoplada a um gerador de energia elétrica.
os polímeros provenientes de materiais petroquí-
micos.
d) a quitosana é constituída por grupos hidroxila em
carbonos terciários e derivados com poliol, difi-
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

cilmente produzidos, e traz vantagens ambien-


tais comparadas com os polímeros de produtos
petroquímicos.
e) a quitosana é um polímero de baixa massa mole-
cular, e o produto constituído por grupos álcool
e amida é vantajoso para aplicações ambientais
em comparação com os polímeros petroquímicos.
Considerando que a distância entre a borda inferior e
131. Enem a borda superior da superfície refletora tenha 6 m de lar-
Na manipulação em escala nanométrica, os áto- gura e que focaliza no receptor os 800 watts/m2 de radia-
mos revelam características peculiares, podendo ção provenientes do Sol, e que o calor específico da água
apresentar tolerância à temperatura, reatividade quí- é 1 cal g –1 ºC –1 = 4 200 J kg –1 ºC –1, então o comprimen-
mica, condutividade elétrica, ou mesmo exibir força to linear do refletor parabólico necessário para elevar a
60 de intensidade extraordinária. Essas características temperatura de 1 m3 (equivalente a 1 t) de água de 20°C
explicam o interesse industrial pelos nanomateriais para 100°C, em uma hora, estará entre
ENEM-10

que estão sendo muito pesquisados em diversas a) 15 m e 21 m


MENU PRINCIPAL
b) 22 m e 30 m produção, os PHA poderão substituir, de forma vantajosa,
c) 105 m e 125 m os polímeros atualmente utilizados na fabricação de diver-
d) 680 m e 710 m sos produtos, como, por exemplo,
e) 6 700 m e 7 150 m a) sacos de lixo e embalagens descartáveis.
b) para-choques e estofamentos de veículos.
133. Encceja — O chamado sal light é aquele que contém c) lentes e armações de óculos corretivos.
parte do NaCℓ substituído por KCℓ, sendo indicado para d) tintas e vernizes para fachadas de residências.
as pessoas que devem reduzir o teor de sódio em sua ali- e) pneus de carro e brinquedos de plástico.
mentação diária. A tabela seguinte compara algumas ca-
racterísticas desses dois sais. 135. Encceja
Receita de pão caseiro salgado
Cor adquiri-
Ingredientes
Solubi- da pela cha-
¬ 2 tabletes de fermento biológico
lidade Densidade ma do fogão
Sal Aspecto ¬ 1/2 copo de água morna
em água a 20°C quando o sal
¬ 1 colher de sopa de açúcar
a 20°C é pulveriza-
¬ 1 pitada de sal
do sobre ela
¬ 2 colheres de sopa de óleo
¬ 1 ovo
1,0 g / pó
amarelo ¬ farinha de trigo para dar consistência à massa
NaCℓ 2,8 mL 2,17 g/cm3 cristalino
intenso
de água branco Observe que a receita é de pão salgado e, ainda assim,
ela leva açúcar. Isso se justifica porque o açúcar
1,0 / 2,8 pó a) diminui o sabor mais forte que o fermento dá ao pão.
KCℓ mL de 1,98 g/cm3 cristalino lilás e violeta b) reduz a ação do sal.
água branco c) é a fonte energética para os microrganismos.
d) contribui para dar sabor ao pão.
Para verificar se, em certo sal light, parte do cloreto de e) aumenta a acidez do pão.
sódio foi realmente substituído por cloreto de potássio, basta
a) determinar a densidade, que deve estar entre Enem — Texto para as questões 136 e 137.
1,98 g/cm3 e 2,17 g/cm3. Na investigação forense, utiliza-se luminol, uma
b) determinar a solubilidade em água, que deve ser substância que reage com o ferro presente na hemo-
de 1,0 g / 2,8 mL de água. globina do sangue, produzindo luz que permite visu-
c) observar o aspecto, que deve ser de um pó cris- alizar locais contaminados com pequenas quantida-
talino branco. des de sangue, mesmo em superfícies lavadas.
d) fazer a relação solubilidade e densidade. É proposto que, na reação do luminol (I) em meio
e) observar a cor adquirida pela chama do fogão, alcalino, na presença de peróxido de hidrogênio (II)
que deve ser amarela intensa. e de um metal de transição (Mn+), forma-se o com-
posto 3-amino ftalato (III) que sofre uma relaxação
134. Encceja — Tem sido desenvolvida no Brasil tecnolo- dando origem ao produto final da reação (IV), com
gia para a produção de plásticos biodegradáveis, ainda que liberação de energia (hv) e de gás nitrogênio (N2).

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


em pequena escala. Entre esses plásticos, estão os poli-hi-
droxialcanoatos (PHA), que são polímeros produzidos por
certas bactérias do solo a partir de carboidratos como o
açúcar de cana. Algumas características desses polímeros
estão descritas a seguir.
¬ ¬ Sua durabilidade no ambiente é de alguns meses,
que é pouco tempo, quando comparado aos po- Dados: pesos moleculares: Luminol = 177
límeros derivados do petróleo, que chega a uma 3-amino ftalato = 164
centena de anos. QUÍMICA Nova. 25, n. 6, 2002, p 1003-1011. (Adaptado)

¬ O
¬ custo é maior do que o dos polímeros obtidos 136. Na reação do luminol, está ocorrendo o fenômeno de
do petróleo, pois a escala de produção ainda é a) fluorescência, quando espécies excitadas por ab-
pequena. Entretanto, quando surgiram, os polímeros sorção de uma radiação eletromagnética relaxam
derivados do petróleo também tinham custo maior liberando luz.
do que os dos materiais que substituíram. b) incandescência, um processo físico de emissão de 61
Considerando essas características, pode-se prever luz que transforma energia elétrica em energia
ENEM-10

que, em um futuro próximo, se houver aumento da escala de luminosa.


MENU PRINCIPAL
c) quimiluminescência, uma reação química que b) teor de nitrogênio amoniacal e de temperatura e
ocorre com liberação de energia eletromagnéti- turbidez da água.
ca na forma de luz. c) densidade populacional de cianobactérias e de
d) fosforescência, em que átomos excitados pela ra- invertebrados bentônicos.
diação visível sofrem decaimento, emitindo fótons. d) densidade populacional de cianobactérias e do
e) fusão nuclear a frio, através de reação química de teor de alumínio dissolvido.
hidrólise com liberação de energia. e) teor de nitrogênio amoniacal e de densidade po-
pulacional de invertebrados bentônicos.
137. Na análise de uma amostra biológica para análise
forense, utilizou-se 54 g de luminol e peróxido de hidrogê- Transformações químicas
nio em excesso, obtendo-se um rendimento final de 70%. 139. Enem — O processo de industrialização tem gerado
Sendo assim, a quantidade do produto final (IV) formada sérios problemas de ordem ambiental, econômica e social,
na reação foi de dentre os quais se pode citar a chuva ácida. Os ácidos usu-
a) 123,9 almente presentes em maiores proporções na água da chu-
b) 114,8 va são o H2CO3, formado pela reação do CO2 atmosférico
c) 86,0 com a água, o HNO3, o HNO2, o H2SO 4 e o H2SO3. Esses
d) 35,0 quatro últimos são formados principalmente a partir da
e) 16,2 reação da água com os óxidos de nitrogênio e de enxofre
gerados pela queima de combustíveis fósseis.
A formação de chuva mais ou menos ácida depende não
Avaliar métodos, processos ou procedimentos das
só da concentração do ácido formado, como também do tipo
ciências naturais que contribuam para diagnosticar
H19 de ácido. Essa pode ser uma informação útil na elaboração
ou solucionar problemas de ordem social, econô-
mica ou ambiental. de estratégias para minimizar esse problema ambiental. Se
consideradas concentrações idênticas, quais dos ácidos cita-
dos no texto conferem maior acidez às águas das chuvas?
Ecologia e ciências ambientais a) HNO3 e HNO2
138. b) H2SO 4 e H2SO3
c) H2SO3 e HNO2
Nas últimas décadas os ecossistemas aquáticos
d) H2SO 4 e HNO3
têm sido alterados de maneira significativa em fun-
e) H2CO3 e H2SO3
ção de atividades antrópicas, tais como mineração,
construção de barragens, desvio do curso natural de
Qualidade de vida das populações humanas
rios, lançamento de efluentes domésticos e indus-
140. Enem — Um estudo caracterizou 5 ambientes aquá-
triais não tratados, desmatamento e uso inadequado
ticos, nomeados de A a E, em uma região, medindo parâ-
do solo próximo aos leitos, superexploração dos re-
metros físico-químicos de cada um deles, incluindo o pH
cursos pesqueiros, introdução de espécies exóticas,
nos ambientes. O gráfico I representa os valores de pH dos
dentre outros. Como consequência, tem-se observado
5 ambientes. Utilizando o gráfico II, que representa a dis-
expressiva queda da qualidade da água e perda da bio-
tribuição estatística de espécies em diferentes faixas de pH,
diversidade aquática, em função da desestruturação
pode-se esperar um maior número de espécies no ambiente:
dos ambientes físico, químico e biológico. A avalia-
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

Gráfico I
ção de impactos ambientais nesses ecossistemas tem
sido realizada através da medição de alterações nas
concentrações de variáveis físicas e químicas da água.
Esse sistema de monitoramento, juntamente com
a avaliação de variáveis biológicas, é fundamental
para a classificação de rios e córregos em classes de
qualidade de água e padrões de potabilidade e bal-
neabilidade humanas. Ambientes

DAVE, M.; GOULART, C.; CALLlSTO, M. Bioindicadores


de qualidade de água como ferramenta em estudo Gráfico II
de impacto ambiental. Disponível em: <http://www.
icb.ufmg.br>. Acesso em: 9 jan. 2009. (Adaptado)

Se um pesquisador pretende avaliar variáveis biológi-


62 cas de determinado manancial, deve escolher os testes de
a) teor de oxigênio dissolvido e de temperatura e
ENEM-10

turbidez da água.
pH ótimo de sobrevida
MENU PRINCIPAL
a) A e) essas vitaminas se dissolvem nos lipídios e só são
b) B absorvidas junto com eles.
c) C
d) D Identidade dos seres vivos
e) E 143. Enem — Várias estratégias estão sendo consideradas
para a recuperação da diversidade biológica de um am-
141. Encceja — Quando um tipo de vírus penetra o nos- biente degradado, dentre elas, a criação de vertebrados
so organismo, o nosso sistema imunológico reage, pro- em cativeiro. Com esse objetivo, a iniciativa mais adequa-
duzindo anticorpos, os quais têm a tarefa de destruir os da, dentre as alternativas seguintes, seria criar
vírus invasores. a) machos de umas espécies e fêmeas de outras,
As vacinas são, na verdade, soluções que contêm de- para possibilitar o acasalamento entre elas e o
terminados vírus atenuados (enfraquecidos) ou mesmo surgimento de novas espécies.
mortos que levarão o nosso sistema imunológico a pro- b) muitos indivíduos da espécie mais representativa,
duzir anticorpos contra o vírus infectante. de forma a manter a identidade e a diversidade
Quando uma pessoa que já foi vacinada contra de- do ecossistema.
terminado tipo de vírus for contaminada pelo mesmo ví- c) muitos indivíduos de uma única espécie, para ga-
rus, a doença rantir uma população geneticamente heterogênea
a) se desenvolverá de qualquer forma, pois as vaci- e mais resistente.
nas feitas com vírus mortos não funcionam. d) um número suficiente de indivíduos, do maior nú-
b) deverá receber um reforço da vacina para não de- mero de espécies, que garanta a diversidade ge-
senvolver a doença novamente. nética de cada uma delas.
c) não se desenvolverá na primeira infecção; somen- e) vários indivíduos de poucas espécies, de modo a
te nas próximas contaminações. garantir, para cada espécie, uma população ge-
d) se desenvolverá de forma mais rápida, pois já ha- neticamente homogênea.
via uma quantidade de vírus no organismo.
e) não se desenvolverá, porque os anticorpos já existen- 144. Enem — A atividade pesqueira é antes de tudo ex-
tes combaterão o vírus logo que entrar no organismo. trativista, o que causa impactos ambientais. Muitas espé-
cies já apresentam sério comprometimento em seus esto-
142. Enem — A obesidade, que nos países desenvolvidos ques e, para diminuir esse impacto, várias espécies vêm
já é tratada como epidemia, começa a preocupar especialis- sendo cultivadas. No Brasil, o cultivo de algas, mexilhões,
tas no Brasil. Os últimos dados da Pesquisa de Orçamentos ostras, peixes e camarões, vem sendo realizado há alguns
Familiares, realizada entre 2002 e 2003 pelo IBGE, mostram anos, com grande sucesso, graças ao estudo minucioso da
que 40,6% da população brasileira estão acima do peso, biologia dessas espécies.
ou seja, 38,8 milhões de adultos. Desse total, 10,5 milhões Os crustáceos decápodes, por exemplo, apresentam
são considerados obesos. Várias são as dietas e os remé- durante seu desenvolvimento larvário, várias etapas com
dios que prometem um emagrecimento rápido e sem ris- mudança radical de sua forma.
cos. Há alguns anos foi lançado no mercado brasileiro um
remédio de ação diferente dos demais, pois inibe a ação
das lipases, enzimas que aceleram a reação de quebra de

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


gorduras. Sem serem quebradas elas não são absorvidas Algumas das fases larvárias de crustáceos
pelo intestino, e parte das gorduras ingeridas é eliminada Não só a sua forma que muda, mas também a sua ali-
com as fezes. Como os lipídios são altamente energéticos, a mentação e hábitat. Isso faz com que os criadores estejam
pessoa tende a emagrecer. No entanto, esse remédio apre- atentos a essas mudanças, porque a alimentação ministra-
senta algumas contraindicações, pois a gordura não absor- da tem de mudar a cada fase.
vida lubrifica o intestino, causando desagradáveis diarreias. Se para o criador, essas mudanças são um problema
Além do mais, podem ocorrer casos de baixa absorção de para a espécie em questão, essa metamorfose apresenta
vitaminas lipossolúveis, como as A, D, E e K, pois uma vantagem importante para sua sobrevivência, pois
a) essas vitaminas, por serem mais energéticas que a) aumenta a predação entre os indivíduos.
as demais, precisam de lipídios para sua absorção. b) aumenta o ritmo de crescimento.
b) a ausência dos lipídios torna a absorção dessas c) diminui a competição entre os indivíduos da mes-
vitaminas desnecessária. ma espécie.
c) essas vitaminas reagem com o remédio, transfor- d) diminui a quantidade de nichos ecológicos
mando-se em outras vitaminas. ocupados pela espécie. 63
d) as lipases também desdobram as vitaminas para e) mantém a uniformidade da espécie.
ENEM-10

que essas sejam absorvidas.


MENU PRINCIPAL

Competência 6
Competência
Essa competência abrange os principais conteúdos da físi-
ca, como movimento, termodinâmica, eletromagnetismo,
Apropriar-se de conhecimentos da física para, em
radiação e energia, nos aspectos de obtenção, transforma-
situações-problema, interpretar, avaliar ou planejar
ção e uso. Novamente deve-se considerar a importância
intervenções científico-tecnológicas.
da interpretação da atividade para sua resolução quanto
ao conhecimento específico.

Habilidades
A compreensão se dá pela relação entre mecânica e fenô-
H20 — Caracterizar causas ou efeitos dos movimentos de menos observados no cotidiano. Das partículas subatômi-
partículas, substâncias, objetos ou corpos celestes. cas à interação de movimentos dos corpos celestes com as
forças como a gravidade.

O conhecimento da termodinâmica e do eletromagnetis-


H21 — Utilizar leis físicas e/ou químicas para interpretar mo é a base de interpretação de vários fenômenos cons-
processos naturais ou tecnológicos inseridos no contexto tatados na natureza. A manipulação de dados e a inter-
da termodinâmica e/ou do eletromagnetismo. pretação destes explicam os fenômenos mais comuns do
cotidiano.

O estudo da radioatividade permitiu o conhecimento das


H22 — Compreender fenômenos decorrentes da intera-
possibilidades de manipulação das manifestações energé-
ção entre a radiação e a matéria em suas manifestações
ticas de certos elementos e o direcionamento dessa capa-
em processos naturais ou tecnológicos, ou em suas im-
cidade energética em diferentes situações como produção
plicações biológicas, sociais, econômicas ou ambientais.
de energia, tratamento ou exames médicos etc.

Conhecer as diferentes tecnologias que permitem proces-


H23 — Avaliar possibilidades de geração, uso ou transfor-
sos de geração e transformação de energia, reconhecendo
mação de energia em ambientes específicos, considerando
sua ação no meio ambiente e sua importância do ponto
implicações éticas, ambientais, sociais e/ou econômicas.
de vista socioeconômico.

Anotações
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

64
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Texto 6

Tintim:
um apaixonado
pela ciência
A fórmula mágica do suces- perfeição dos seus desenhos, com a reprodução realista de vestimen-
so de Tintim foi resumida pelo tas, locais, barcos e aviões e com os paralelismos que estabeleceu com
seu criador em poucas palavras: situações reais.
os álbuns destinavam-se a "to- Um dos aspectos mais interessantes dos álbuns de Tintim é o rigor
dos os jovens dos sete aos se- com que são desenhados. Hergé coligiu arquivos fotográficos imensos.
tenta e sete". E Hergé conseguiu Colecionou catálogos de aviões e máquinas. Fez maquetas de foguetões
entusiasmar os jovens com um e edifícios, para melhor desenhar os seus quadradinhos. Em muitos ca-
conjunto de caracteres curio- sos, acompanhou ou antecipou os progressos científicos do século. Ler
sos em viagens aventurosas. a ciência nas aventuras de Tintim é um passatempo apaixonante. O lei-
Conseguiu também despertar tor mais interessado pode reportar-se ao suplemento ‘Tintim chez les
o interesse dos adultos, com a savants’, da revista Science et Vie, ou a ´Tintim: The Complete Com-
panion’, de Michael Farr. Mas o melhor mesmo é
reler as aventuras do jovem repórter.

Invenções do século
"Tintim em África" (1931) é o primeiro álbum
de Hergé a obter um sucesso alargado. Aí apare-
cem várias invenções na altura ainda pouco di-
fundidas, como a câmara de filmar portátil e uma
espécie de cinema falado apoiado num fonógra-
fo — o primeiro filme sonoro tinha aparecido qua-
tro anos antes. Pouco depois, na ‘Ilha Negra’, de
1938, Tintim descobre um aparelho de televisão
numa ilha da Escócia — Londres tinha iniciado as
primeiras emissões apenas dois anos antes e, para

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


a maioria dos leitores da época, tratava-se de um
aparelho desconhecido. Mais tarde, no ‘Tesouro de
Rackam, o Terrível’ de 1944, aparece um submari-
no portátil, veículo desconhecido na época, apesar
de se terem inventado submarinos há muitos anos
e de eles estarem muito difundidos por altura da
Grande Guerra. Auguste Picard, o inventor que
inspirou a personagem de Tournesol, construiria o
primeiro Batiscafo apenas em 1948. Mas a grande
exploração da ciência e tecnologia seria feita nos
álbuns da viagem de Tintim à Lua, de 1953 e 1954.
O Radar que segue a viagem está magnificamente
desenhado — a invenção data de 1935. E o reator
nuclear é de um grande realismo. É muito maior 65
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
que o primeiro a ser constru- o desenho é bastante realista. conhecido físico da Universida-
ído, que entrou em funciona- Menos verdadeira é a ausência de de Coimbra. É a personagem
mento nos Estados Unidos em de movimento relativo entre o no centro da cena de ‘Vitória!!’,
1942, e é parecido com o cons- foguete e o asteroide. Enquan- careca e de bigode escuro.
truído na Bélgica, em Mol, por to este se mantém numa órbita
altura da concepção das aven- que cruza a da Terra, a inércia Fenômenos naturais
turas de Tintim, mas que só en- do movimento da nave deveria Hergé explorou várias vezes
traria em funcionamento uns afastá-la do asteroide. fenômenos naturais relativa-
anos mais tarde, em 1956. Pou- mente raros e certamente nun-
cos anos depois, no álbum ‘Tin- Sábios ca observados pela maioria dos
tim no Tibete’ de 1960, o capi- Os sábios de Tintim corres- seus leitores, daí o maior poder
tão Haddock defronta-se com pondem a uma visão romântica sedutor das cenas. Dentre eles
um transistor, uma invenção dos homens de ciência. Tourne- surgem as miragens, provoca-
de 1948, mas que só nos fins sol não trabalha em nenhuma das pela reflexão da luz junto
dos anos 50 e princípios dos 60 universidade nem centro de in- do solo quente dos desertos,
começaria a ser comercializada vestigação. Tem um laboratório onde o ar está mais aquecido.
em pequenos receptores. em casa e é autossuficiente, o Essa reflexão é apenas o resul-
que já não fazia sentido em ple- tado da refração da luz, que
Lua no século XX. É um cientista de muda progressivamente de di-
A viagem de Tintim à Lua múltiplas habilidades. Inventa reção ao atravessar camadas su-
é um dos grandes feitos de submarinos individuais, máqui- cessivamente mais quentes de
Hergé. O autor aconselhou-se nas de escovar roupa, aparelhos ar. Como consequência, o solo
com vários cientistas, dentre de produzir água gaseificada, parece um espelho que reflete
os quais o professor Alexandre armas de ultrassons, foguetes o céu, daí a ilusão de um lençol
Ananoff, autor de uma conhe- espaciais e patins a motor. De- de água, a que a mente ansio-
cida obra de astronáutica edita- dica-se à Botânica, à Física Nu- sa do viajante acrescenta umas
da em francês pela Fayard. Ao clear e a múltiplas outras disci- palmeiras e uma visão de oásis.
contrário das verdadeiras via- plinas. Os cientistas do século
gens tripuladas à Lua, que se XX não podiam já dispersar-se Fogo-de-Santelmo em
realizariam 15 anos depois, o em tantas atividades. ‘Tintim no Tibete’
foguetão de Tournesol é movi- Os cientistas de Tintim são O fogo-de-santelmo — no
do à energia nuclear, pelo que pessoas distraídas que ignoram dizer de Camões ‘o lume vivo
tinha uma reserva energética a realidade prosaica da vida. O que a marítima gente tem por
imensa, que lhe dava a possibi- astrônomo principal da ‘Estre- santo’ (Lusíadas, V, 18) — apa-
lidade de pousar sobre o nos- la Misteriosa’ está contente por rece no ‘Tintim no Tibete’. Tin-
so satélite e de vencer depois ser o primeiro a prever o fim do tim explica ao capitão Haddock
a atração lunar. Como se sabe, mundo. Diz que depois do ca- tratar-se de um fenômeno me-
apenas o módulo lunar ame- taclismo será famoso... Tintim teorológico, que consiste numa
ricano pousou sobre a Lua, é submergido pelos cálculos de descarga elétrica observada em
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

enquanto a nave principal se que ousa duvidar. torno de mastros de navios ou


mantinha em órbita para apro- No mesmo álbum, a expedi- de outros objetos pontiagudos
veitar o combustível. O fogue- ção ao meteorito que caiu sobre quando a atmosfera está car-
tão de Tintim é inspirado no o Ártico é financiada por um regada de eletricidade estática,
V-2 alemão de von Braun. En- Fundo Europeu de Investiga- como acontece nas tempesta-
tre outros pormenores realistas ção Científica. Só décadas mais des. Nessas condições, cria-se
relatados na viagem, destaca-se tarde foram criadas estruturas um campo elétrico muito for-
a ausência de peso sentida pe- europeias com objetivos seme- te em torno do objeto salien-
los astronautas quando o mo- lhantes. Na ‘Estrela Misteriosa’, te e produz-se uma descarga.
tor para, bem como o desenho descreve-se uma expedição de Os elétrons dos átomos da at-
do asteroide Adonis. De no- cientistas de várias universida- mosfera circundante são ar-
tar que, na altura, nunca se ti- des europeias que vão procu- rancados das suas órbitas e re-
nha visualizado um. Pelas ima- rar o meteorito. Entre eles vê- gressam ao seu estado normal
66
gens hoje conhecidas vê-se que se Pedro João dos Santos, um emitindo luz.
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
Nas aventuras de Tintim, comprimento de onda (verme- cenas mais curiosas das aven-
Hergé também se engana. É o lho) é menos. Porque se terá turas de Tintim. Sabendo da
caso do arco-íris que aparece Hergé enganado? Pode ser que previsão de um eclipse total, o
nas ‘Sete Bolas de Cristal’. Aí, o ilustrador se tenha inspira- nosso herói finge ter poderes de
curiosamente, o autor desenha do em desenhos ou fotografias comandar o céu e apagar o as-
erradamente a sequência de co- de um arco-íris duplo — nes- tro rei. Os desenhos mostram
res. De fora aparecem o violeta se caso, raro, aparece um se- com grande realismo as diver-
e o azul e, no interior, o laranja gundo arco colorido, exterior sas fases da ocultação da nos-
e o vermelho. Na realidade, eles e concêntrico com o principal, sa estrela pela Lua e o efeito de
apresentam as cores em ordem com as cores invertidas. Mas no pavor provocado nos Incas. A
inversa. Com efeito, o fenôme- desenho aparece apenas um ar- cena terá sido inspirada num
no deriva da desigual refração co-íris simples, pelo que o erro episódio verídico passado com
das diversas componentes da é claro. Cristóvão Colombo ou em epi-
luz do Sol nas gotículas de água Fenômenos naturais des- sódios semelhantes, reais ou in-
das nuvens. critos por Hergé não ficariam ventados, que abundam na lite-
A lu z com menor com- completos sem um espetacu- ratura de viagens aventurosas.
primento de onda (a zu l) é lar eclipse solar, que aparece É uma das cenas inesquecíveis
mais refratada; a de maior em ‘Templo do Sol’. É uma das das aventuras de Tintim.
CIÊNCIA HOJE. Disponível em: <http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=28939&op=all>. Acesso em: 21 maio 2010. (Adaptado)

Áreas de conhecimento exigidas para compreensão do texto:


Ficha de leitura

1 2 3 4 5

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


Conhecimentos prévios (das diversas áreas do conhecimento) que você precisou acessar da memória, necessários du-
rante a leitura:
1
2
3
4

Informações que você precisou pesquisar para compreender melhor o texto e interagir com ele durante e/ou após
a leitura:
1
2
67
3
ENEM-10

4
MENU PRINCIPAL

Itens
Caracterizar causas ou efeitos dos movimentos de Segundo o texto, o experimento no LHC fornecerá da-
H20 dos que possibilitarão decifrar os mistérios do universo.
partículas, substâncias, objetos ou corpos celestes.
Para analisar esses dados provenientes das colisões no LHC,
os pesquisadores utilizarão os princípios de transformação
Energia, trabalho e potência da energia. Sabendo desses princípios, pode‑se afirmar que
145. Enem — Os motores elétricos são dispositivos com di- a) as colisões podem ser elásticas ou inelásticas e,
versas aplicações, dentre elas, destacam-se aquelas que pro- em ambos os casos, a energia cinética total se
porcionam conforto e praticidade para as pessoas. É inegá- dissipa na colisão.
vel a preferência pelo uso de elevadores quando o objetivo é b) a energia dos aceleradores é proveniente da ener-
o transporte de pessoas pelos andares de prédios elevados. gia liberada nas reações químicas no feixe injeta-
Nesse caso, um dimensionamento preciso da potência dos do no interior do Grande Colisor.
motores utilizados nos equipamentos é muito importante e c) o feixe de partículas adquire energia cinética pro-
deve levar em consideração fatores como economia de ener- veniente das transformações de energia ocorridas
gia e segurança. Considere que um elevador de 800 kg, quan- na interação do feixe com os aceleradores.
do lotado com oito pessoas ou 600 kg, precisa ser projetado. d) os aceleradores produzem campos magnéticos que
Para tanto, alguns parâmetros devem ser dimensionados. O não interagem com o feixe, já que a energia prepon-
motor será ligado à rede elétrica que fornece 220 volts de ten- derante das partículas no feixe é a energia potencial.
são. O elevador deve subir 10 andares, em torno de 30 me- e) a velocidade das partículas do feixe é irrelevante
tros, a uma velocidade constante de 4 metros por segundo. nos processos de transferência de energia nas co-
Para fazer uma estimativa simples da potência necessária e da lisões, sendo a massa das partículas o fator pre-
corrente que deve ser fornecida ao motor do elevador, para ponderante.
ele operar com lotação máxima, considere que: a tensão seja
contínua, a aceleração da gravidade vale 10 m/s2 e o atrito O movimento, o equilíbrio e a descoberta de leis físicas
pode ser desprezado. Nesse caso, para um elevador lotado, 147. Encceja — João quer viajar de trem desde a estação
a potência média de saída do motor do elevador e a corrente Brás em São Paulo até a estação de Jundiaí, no mesmo esta-
elétrica máxima que passa no motor serão respectivamente de do. Ele procurou na internet e encontrou no sítio da compa-
a) 24 kW e 109 A. nhia de trem a informação que consta no quadro seguinte.
b) 32 kW e 145 A.
Viagem Ponto-a-Ponto —
c) 56 kW e 255 A.
Sugestão de Roteiro
d) 180 kW e 818 A.
e) 240 kW e 1 090 A. Estação Inicial — Brás
Estação Final — Jundiaí
146. Enem Tempo estimado de viagem: 1 hora e 50 min
“Quatro, três, dois, um... Vá!” O relógio marcava
9h32min (4h32min em Brasília) na sala de comando da CPTM Embarque na estação Brás.
Organização Europeia de Pesquisa Nuclear (CERN), Linha D Siga até Luz.
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

na fronteira da Suíça com a França, quando o narra-


Na estação Luz, transfira para a
dor anunciou o surgimento de um flash branco nos  Linha A — CPTM (Transferência
dois telões. Era sinal de que o experimento científico CPTM gratuita)
mais caro e mais complexo da humanidade tinha dado
seus primeiros passos rumo à simulação do Big Bang, CPTM
Siga até Francisco Morato
a grande explosão que originou o universo. A plateia, Linha A
formada por jornalistas e cientistas, comemorou com
aplausos assim que o primeiro feixe de prótons foi Na estação Francisco Morato,
injetado no interior do Grande Colisor de Hadrons  transfira para a linha A Extensão —
(LHC — Large Hadrons Collider), um túnel de 27 km CPTM (Transferência gratuita).
de circunferência construído a 100 m de profundida- CPTM
de. Duas horas depois, o segundo feixe foi lançado, em Linha A Siga até Jundiaí.
sentido contrário. Os feixes vão atingir velocidade pró- Extensão
68 xima à da luz e, então, colidirão um com o outro. Essa Nota: Este roteiro de viagem é gerado de forma automática,
colisão poderá ajudar a decifrar mistérios do universo. de acordo com as estações informadas. O tempo estimado
ENEM-10

de viagem é baseado no regime normal de operação e não


CRAVEIRO, R. Máquina do Big Bang é ligada. In: Correio leva em conta fatos eventuais que possam gerar atrasos.
Braziliense, Brasília, 11 set. 2008, p. 34. (Adaptado).
MENU PRINCIPAL
Em um período de regime normal de operação, sendo
a distância entre as duas estações igual a 120 km, o valor
aproximado do módulo da velocidade média desenvolvi-
da no percurso é de
a) 75 km/h
b) 65 km/h
c) 55 km/h
d) 50 km/h
e) 82 km/h

148. E ncceja — Um conjunto constituído por um ven-


tilador e um recipiente com bolinhas de isopor pode ser
utilizado como modelo para representar os estados da
matéria. KAKALlOS, J. The physics of superheroes. USA: Gothan, 2005.
Dentre as situações seguintes, a que melhor pode ser- A altura que o Super-homem alcança em seu salto
vir de modelo para representar as partículas de uma subs- depende do quadrado de sua velocidade inicial porque
tância no estado gasoso é a) a altura do seu pulo é proporcional à sua veloci-
dade média multiplicada pelo tempo que ele per-
manece no ar ao quadrado.
a) Ventilador desligado b) o tempo que ele permanece no ar é diretamente
proporcional à aceleração da gravidade e essa é
diretamente proporcional à velocidade.
c) o tempo que ele permanece no ar é inversamen-
te proporcional à aceleração da gravidade e essa
b) Ventilador em velocidade máxima é inversamente proporcional à velocidade média.
d) a aceleração do movimento deve ser elevada ao
quadrado, pois existem duas acelerações envolvidas:
a aceleração da gravidade e a aceleração do salto.
e) a altura do seu pulo é proporcional à sua velocidade
c) Ventilador em velocidade média média multiplicada pelo tempo que ele permanece
no ar, e esse tempo também depende da sua velo-
cidade inicial.

150. Enem — O ônibus espacial Atlantis foi lançado ao


d) Ventilador em velocidade baixa espaço com cinco astronautas a bordo e uma câmera nova,
que iria substituir outra danificada por um curto-circuito no
telescópio Hubble. Depois de entrarem em órbita a 560 km
de altura, os astronautas se aproximaram do Hubble. Dois
149. Enem astronautas saíram da Atlantis e se dirigiram ao telescó-

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


Super-homem e as leis do movimento pio. Ao abrir a porta de acesso, um deles exclamou: “Esse
Uma das razões para pensar sobre a física dos telescópio tem a massa grande, mas o peso é pequeno.”
super-heróis é, acima de tudo, uma forma divertida
de explorar muitos fenômenos físicos interessantes,
desde fenômenos corriqueiros até eventos conside-
rados fantásticos. A figura seguinte mostra o Super-
Homem lançando-se no espaço para chegar ao topo
de um prédio de altura H. Seria possível admitir que
com seus superpoderes ele estaria voando com pro-
pulsão própria, mas considere que ele tenha dado
um forte salto . Nesse caso, sua velocidade final no
ponto mais alto do salto deve ser zero, caso contrá-
rio, ele continuaria subindo. Sendo g a aceleração da
gravidade, a relação entre a velocidade inicial do Su- Considerando o texto e as leis de Kepler, pode-se afir- 69
per-Homem e a altura atingida é dada por: V2 = 2gH mar que a frase dita pelo astronauta
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
a) justifica-se porque o tamanho do telescópio de- a) 0,32 minuto.
termina a sua massa, enquanto seu pequeno peso b) 0,67 minuto.
decorre da falta de ação da aceleração da gravi- c) 1,60 minuto.
dade. d) 2,68 minutos.
b) justifica-se ao verificar que a inércia do telescó- e) 3,35 minutos.
pio é grande comparada à dele próprio, e que o
peso do telescópio é pequeno porque a atração Conhecimentos básicos e fundamentais da física
gravitacional criada por sua massa era pequena. 152. Enem
c) não se justifica, porque a avaliação da massa e do
Seu olhar
peso de objetos em órbita tem por base as leis de
Na eternidade
Kepler, que não se aplicam a satélites artificiais.
Eu quisera ter
d) não se justifica, porque a força-peso é a força
Tantos anos-luz
exercida pela gravidade terrestre, nesse caso, so-
Quantos fosse precisar
bre o telescópio e é a responsável por manter o
Pra cruzar o túnel
próprio telescópio em órbita.
Do tempo do seu olhar
e) não se justifica, pois a ação da força-peso impli-
Gilberto Gil, 1984.
ca a ação de uma força de reação contrária, que
não existe naquele ambiente. A massa do teles- Gilberto Gil usa na letra da música a palavra compos-
cópio poderia ser avaliada simplesmente pelo seu ta anos-luz. O sentido prático, em geral, não é obrigato-
volume. riamente o mesmo que na ciência. Na Física, um ano-luz é
uma medida que relaciona a velocidade da luz e o tempo
151. Enem — O excesso de peso pode prejudicar o de- de um ano e que, portanto, se refere a
sempenho de um atleta profissional em corridas de longa a) tempo.
distância como a maratona (42,2 km), a meia-maratona b) aceleração.
(21,1 km) ou uma prova de 10 km. Para saber uma apro- c) distância.
ximação do intervalo de tempo a mais perdido para com- d) velocidade.
pletar uma corrida devido ao excesso de peso, muitos atle- e) luminosidade.
tas utilizam os dados apresentados na tabela e no gráfico:

Peso (kg) ideal para atleta masculino Utilizar leis físicas e/ou químicas para interpretar
Altura
de ossatura grande, corredor de longa processos naturais ou tecnológicos inseridos no
(m) H21
distância contexto da termodinâmica e/ou do eletromag-
1,57 56,9 netismo.
1,58 57,4 Calor e os fenômenos térmicos
1,59 58,0 153. Enem — A Constelação Vulpécula (Raposa) encontra-
1,60 58,5 se a 63 anos-luz da Terra, fora do sistema solar. Ali, o planeta
: : gigante HD189733b, 15% maior que Júpiter, concentra va-
por de água na atmosfera. A temperatura do vapor atinge
Tempo x Peso
(Modelo Wilmore e Benke) 900 graus Celsius. "A água sempre está lá, de alguma forma,
Tempo perdido
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

(minutos)
mas às vezes é possível que seja escondida por outros tipos
Maratona de nuvens", afirmaram os astrônomos do Spitzer Science
Center (SSC), com sede em Pasadena, Califórnia, responsável
pela descoberta. A água foi detectada pelo espectrógrafo
1,33
infravermelho, um aparelho do telescópio espacial Spitzer.
Meia-maratona De acordo com o texto, o planeta concentra vapor de
água em sua atmosfera a 900 graus Celsius. Sobre a va-
0,67 Prova de 10 km porização infere-se que
0,32 Peso acima do a) se há vapor de água no planeta, é certo que exis-
1
ideal (kg) te água no estado líquido também.
b) a temperatura de ebulição da água independe da
Usando essas informações, um atleta de ossatura pressão, em um local elevado ou ao nível do mar,
grande, pesando 63 kg e com altura igual a 1,59 m, que ela ferve sempre a 100 graus Celsius.
70 tenha corrido uma meia-maratona, pode estimar que, em c) o calor de vaporização da água é o calor necessá-
condições de peso ideal, teria melhorado seu tempo na rio para fazer 1 kg de água líquida se transformar
ENEM-10

prova em em 1 kg de vapor de água a 100 graus Celsius.


MENU PRINCIPAL
d) um líquido pode ser superaquecido acima de sua intervalo de tempo. Todo o calor liberado pelo resistor é
temperatura de ebulição normal, mas de forma ne- transferido à água.
nhuma nesse líquido haverá formação de bolhas. Considerando que o calor específico da água é igual a
e) a água em uma panela pode atingir a temperatu- 4,19 J g–1°C–1, aproximadamente qual a quantidade de gaso-
ra de ebulição em alguns minutos, e é necessário lina consumida para o aquecimento de água obtido pelo ge-
muito menos tempo para fazer a água vaporizar rador, quando comparado ao obtido a partir da combustão?
completamente. a) A quantidade de gasolina consumida é igual para
os dois casos.
154. Enem b) A quantidade de gasolina consumida pelo gera-
dor é duas vezes maior que a consumida na com-
A invenção da gela-
bustão.
deira proporcionou uma
c) A quantidade de gasolina consumida pelo gera-
revolução no aproveita-
dor é duas vezes menor que a consumida na com-
mento dos alimentos, ao
bustão.
permitir que fossem ar-
d) A quantidade de gasolina consumida pelo gera-
mazenados e transporta-
dor é sete vezes maior que a consumida na com-
dos por longos períodos.
Compartimento bustão.
A figura apresentada ilus- do congelador
e) A quantidade de gasolina consumida pelo gerador
tra o processo cíclico de
é sete vezes menor que a consumida na combustão.
funcionamento de uma
geladeira, em que um gás
156. Encceja — Leia o anúncio.
no interior de uma tubu-
lação é forçado a circu- A nossa empresa usa alta tecnologia para produzir
lar entre o congelador e a Compressor panelas de aço inox com fundo triplo. São duas cama-
parte externa da geladei- Válvula de
das de aço inox envolvendo uma camada de alumínio.
ra. É por meio dos proces- expansão Dessa forma o calor da chama se distribui por igual,
sos de compressão, que deixando os alimentos muito mais macios e saboro-
ocorre na parte externa, sos. Além disso, a comida cozinha muito mais rápido,
e de expansão, que ocor- o que acaba gerando economia para você.
re na parte interna, que o gás proporciona a troca de
Podemos afirmar que o fundo triplo tem o efeito de
calor entre o interior e o exterior da geladeira.
a) levar o calor para as bordas, pois o alumínio tem
Disponível em: <http://www.home.howstuffworks. uma condutividade melhor que o aço.
com>. Acesso em: 19 out. 2008. (Adaptado)
b) aumentar a temperatura do alimento acima do
Nos processos de transformação de energia envolvi- ponto de ebulição, gerando economia de gás.
dos no funcionamento da geladeira, c) tornar os alimentos mais saborosos porque o co-
a) a expansão do gás é um processo que cede a zimento ocorre mais rápido no centro.
energia necessária ao resfriamento da parte in- d) aumentar a espessura do fundo para distribuir
terna da geladeira. melhor o calor. O alumínio é usado por econo-
b) o calor flui de forma não espontânea da parte mia de material.

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


mais fria, no interior, para a mais quente, no ex- e) aumentar o gasto de gás, mas diminuir o tempo
terior da geladeira. de cozimento.
c) a quantidade de calor cedida ao meio externo é
igual ao calor retirado da geladeira. 157. Encceja — Colocar uma panela com água para fer-
d) a eficiência é tanto maior quanto menos isola- ver em um fogão é uma tarefa diária para quem cozinha.
do termicamente do ambiente externo for o seu Entretanto, poucos se dão conta de que se pode econo-
compartimento interno. mizar uma fração apreciável de gás, energia elétrica ou
e) a energia retirada do interior pode ser devolvida lenha — dependendo do tipo de fogão —, se a panela
à geladeira abrindo-se a sua porta, o que reduz permanecer tampada até a fervura. Essa economia provém
seu consumo de energia. a) da melhor distribuição do calor ao redor da panela.
b) da redução do movimento de convecção da água
155. Enem — É possível, com 1 litro de gasolina, usando no interior da panela.
todo o calor produzido por sua combustão direta, aque- c) da energia que deixa de ser perdida para o ar com
cer 200 litros de água de 20°C a 55°C. Pode-se efetuar a evaporação da água. 71
esse mesmo aquecimento por um gerador de eletricida- d) do aumento da capacidade de condução do calor
ENEM-10

de, que consome 1 litro de gasolina por hora e fornece quando se tampa a panela.
110 V a um resistor de 11 Ω, imerso na água, durante um e) do equilíbrio térmico entre a panela e o fogão.
MENU PRINCIPAL
158. Encceja — Suponha que uma indústria de panelas a) a intensidade do som produzido pelo aparelho e
disponha de três materiais, X, Y e Z, para utilizar na fa- a frequência desses sons.
bricação de panelas. Os valores de condutividade térmi- b) a quantidade de luz usada para gerar as imagens
ca desses materiais estão apresentados na tabela. Valores no aparelho e a velocidade do som nos tecidos.
baixos de condutividade técnica indicam bons isolantes. c) a quantidade de pulsos emitidos pelo aparelho a
Material Condutividade térmica cada segundo e a frequência dos sons emitidos
industrializado (kcal°C.m.s.) pelo aparelho.
X 7 x 10 –2 d) a velocidade do som no interior dos tecidos e o
Y 1 x 10 –3 tempo entre os ecos produzidos pelas superfícies
dos órgãos.
Z 9 x 10 –6
e) o tempo entre os ecos produzidos pelos órgãos e
Para produzir uma panela com cabo, a indústria deve a quantidade de pulsos emitidos a cada segundo
utilizar pelo aparelho.
a) Z para a panela e Y para o cabo.
b) X para a panela e Z para o cabo. 161. Enem — Considere um equipamento capaz de emitir
c) Y para a panela e X para o cabo. radiação eletromagnética com comprimento de onda bem
d) X para a panela e Y para o cabo. menor que a da radiação ultravioleta. Suponha que a radia-
e) Z para a panela e X para o cabo. ção emitida por esse equipamento foi apontada para um
tipo específico de filme fotográfico e entre o equipamento e
159. Encceja — No dia a dia, observam-se duas panelas o filme foi posicionado o pescoço de um indivíduo. Quanto
em funcionamento, de mesmo tamanho, uma feita de fer- mais exposto à radiação, mais escuro se torna o filme após
ro, outra de pedra. A panela de pedra demora mais que a revelação. Após acionar o equipamento e revelar o filme,
a panela de ferro para esquentar. Em compensação, ela evidenciou-se a imagem mostrada na figura a seguir.
permanece quente por mais tempo que a similar de ferro.
Isso ocorre porque
a) a panela de pedra retém mais calor e tem menor
condutividade.
b) a panela de ferro retém mais calor e tem menor
condutividade.
c) a panela de pedra é mais leve que a de ferro.
d) a panela de ferro absorve mais calor e a de pedra
perde mais calor.
e) a panela de ferro é mais leve que a de pedra.

Compreender fenômenos decorrentes da intera-


ção entre a radiação e a matéria em suas manifes-
H22 tações em processos naturais ou tecnológicos, ou
em suas implicações biológicas, sociais, econômi-
cas ou ambientais.
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

Transformações químicas e energia


160. E nem — Ultrassonografia, também chamada de
ecografia, é uma técnica de geração de imagens muito
utilizada em medicina. Ela se baseia na reflexão que ocorre Dentre os fenômenos decorrentes da interação entre
quando um pulso de ultrassom, emitido pelo aparelho co- a radiação e os átomos do indivíduo que permitem a ob-
locado em contato com a pele, atravessa a superfície que tenção dessa imagem inclui-se a
separa um órgão do outro, produzindo ecos que podem a) absorção da radiação eletromagnética e a con-
ser captados de volta pelo aparelho. Para a observação de sequente ionização dos átomos de cálcio, que se
detalhes no interior do corpo, os pulsos sonoros emitidos transformam em átomos de fósforo.
têm frequências altíssimas, de até 30 MHz, ou seja, 30 mi- b) maior absorção da radiação eletromagnética pelos
lhões de oscilações a cada segundo. átomos de cálcio que por outros tipos de átomos.
72 A determinação de distâncias entre órgãos do corpo c) maior absorção da radiação eletromagnética pe-
humano feita com esse aparelho fundamenta-se em duas los átomos de carbono que por átomos de cálcio.
ENEM-10

variáveis imprescindíveis: d) maior refração ao atravessar os átomos de carbo-


no que os átomos de cálcio.
MENU PRINCIPAL
e) maior ionização de moléculas de água que de áto- 164. E nem — Um poeta habitante da cidade de Poços
mos de carbono. de Caldas-MG assim externou o que estava acontecendo
em sua cidade:
162. Enem — Lixo radioativo ou nuclear é resultado da
Hoje, o planalto de Poços de Caldas não serve
manipulação de materiais radioativos, utilizados na agricul-
mais. Minério acabou. Só mancha, “nunclemais”. Mas
tura, na indústria, na medicina, nas pesquisas científicas,
estão “tapando os buracos”, trazendo para cá “Torta
na produção de energia etc. Embora a radioatividade se
II”1, aquele lixo do vizinho que você não gostaria de
reduza com o tempo, o processo de decaimento de alguns
ver jogado no quintal da sua casa. Sentimentos mil:
materiais pode levar milhões de anos. Por isso, existe a ne-
do povo, do poeta e do Brasil.
cessidade de se fazer um descarte adequado e controlado
Hugo Pontes. In: M.E.M. Helene. A radioatividade e
de resíduos dessa natureza. o lixo nuclear. São Paulo: Scipione, 2002, p. 4.
1Torta II — lixo radioativo de aspecto pastoso.
A taxa de decaimento radioativo é medida por meio de
um tempo característico, chamado meia-vida, necessário para A indignação que o poeta expressa no verso “Senti-
que uma amostra perca metade de sua radioatividade original. mentos mil: do povo, do poeta e do Brasil” está relacio-
O gráfico seguinte representa a taxa de decaimento nada com
radioativo do rádio-226, elemento químico pertencente à a) a extinção do minério decorrente das medidas ado-
família dos metais alcalinoterrosos e que foi utilizado du- tadas pela metrópole portuguesa para explorar as
rante muito tempo na medicina. riquezas minerais, especialmente em Minas Gerais.
b) a decisão tomada pelo governo brasileiro de re-
1 kg
ceber o lixo tóxico oriundo de países do Cone Sul,
o que caracteriza o chamado comércio interna-
cional do lixo.
c) a atitude de moradores que residem em casas
próximas umas das outras, quando um deles joga
1/2 kg
lixo no quintal do vizinho.
d) as chamadas operações tapa-buracos, desencadea-
1/4 kg
das com o objetivo de resolver problemas de manu-
1/8 kg tenção das estradas que ligam as cidades mineiras.
e) os problemas ambientais que podem ser causa-
1 620 3 240 4 860 Anos
dos quando se escolhe um local para enterrar ou
As informações fornecidas mostram que depositar lixo tóxico.
a) quanto maior é a meia-vida de uma substância,
mais rápido ela se desintegra. 165. Enem — O debate em torno do uso da energia nu-
b) apenas 1/8 de uma amostra de rádio-226 terá de- clear para produção de eletricidade permanece atual. Em
caído ao final de 4 860 anos. um encontro internacional para a discussão desse tema,
c) metade da quantidade original de rádio-226, ao foram colocados os seguintes argumentos:
final de 3 240 anos, ainda estará por decair. I Uma grande vantagem das usinas nucleares é o
d) restará menos de 1% de rádio-226 em qualquer fato de não contribuírem para o aumento do efei-
amostra dessa substância decorridas três meias-vidas. to estufa, uma vez que o urânio, utilizado como

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


e) a amostra de rádio-226 diminui sua quantidade “combustível”, não é queimado, mas sofre fissão.
pela metade a cada intervalo de 1 620 anos de- II Ainda que sejam raros os acidentes com usinas
vido à desintegração radioativa. nucleares, seus efeitos podem ser tão graves que
essa alternativa de geração de eletricidade não
163. Encceja — Até 30 anos atrás, eram os dentistas que nos permite ficar tranquilos.
seguravam o filme de raios X para tirar as radiografias A respeito desses argumentos, pode-se afirmar que
dos dentes de seus pacientes. Hoje em dia, a Organização a) o primeiro é válido e o segundo não é, já que
Mundial de Saúde recomenda que o próprio paciente se- nunca ocorreram acidentes com usinas nucleares.
gure o filme para o exame. b) o segundo é válido e o primeiro não é, pois de
A razão para esta mudança é que a exposição repeti- fato há queima de combustível na geração nucle-
da aos raios X aumentava o risco ar de eletricidade.
a) de o dentista ser contagiado pelo paciente. c) o segundo é válido e o primeiro é irrelevante, pois
b) de o paciente ser contagiado pelo dentista. nenhuma forma de gerar eletricidade produz ga-
c) de surgimento de câncer nos dentistas. ses do efeito estufa. 73
d) de surgimento de câncer nos pacientes. d) ambos são válidos para se compararem vantagens
ENEM-10

e) de contaminação ambiental. e riscos na opção por essa forma de geração de


energia.
MENU PRINCIPAL
e) ambos são irrelevantes, pois a opção pela ener- Cobertura de plástico Pedra
gia nuclear está se tornando uma necessidade in-
questionável.
Tira de borracha

Avaliar possibilidades de geração, uso ou transfor-


mação de energia em ambientes específicos, con-
H23
siderando implicações éticas, ambientais, sociais
Água salgada
e/ou econômicas.

Copo
Energia, trabalho e potência
166. Enem — A eficiência de um processo de conversão
de energia, definida como sendo a razão entre a quanti-
dade de energia ou trabalho útil e a quantidade de ener- HINRICHS, R. A.; KLEINBACH, M. Energia e meio ambiente.
gia que entra no processo, é sempre menor que 100% em São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003. (Adaptado)

razão das limitações impostas por leis físicas. Nesse processo, a energia solar cedida à água salgada
A tabela a seguir, mostra a eficiência global de vários a) fica retida na água doce que cai no copo, tornan-
processos de conversão. do-a, assim, altamente energizada.
Eficiência de alguns sistemas de b) fica armazenada na forma de energia potencial
conversão de energia gravitacional contida na água doce.
Sistema Eficiência c) é usada para provocar a reação química que
Geradores elétricos 70-99% transforma a água salgada em água doce.
Motor elétrico 50-95% d) é cedida ao ambiente externo através do plástico,
Fornalha a gás 70-95% onde ocorre a condensação do vapor.
Termelétrica a carvão 30-40% e) é reemitida como calor para fora do tanque, no
processo de evaporação da água salgada.
Usina nuclear 30-35%
Lâmpada fluorescente 20%
168. Enem — A energia geotérmica tem sua origem no
Lâmpada incandescente 5%
núcleo derretido da Terra, onde as temperaturas atingem
Célula solar 5-28%
4 000°C. Essa energia é primeiramente produzida pela de-
Hinrichs, R. A.; Kleinbach, M. Energia e meio ambiente.
São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003. (Adaptado) composição de materiais radiativos dentro do planeta. Em
Se essas limitações não existissem, os sistemas mos- fontes geotérmicas, a água, aprisionada num reservatório
trados na tabela, que mais se beneficiariam de investi- subterrâneo, é aquecida pelas rochas ao redor e fica sub-
mentos em pesquisa para terem suas eficiências aumen- metida a altas pressões, podendo atingir temperaturas de
tadas, seriam aqueles que envolvem as transformações até 370°C sem entrar em ebulição. Ao ser liberada na su-
de energia perfície, à pressão ambiente, ela se vaporiza e se resfria, for-
a) mecânica energia elétrica mando fontes ou gêiseres. O vapor de poços geotérmicos é
b) nuclear energia elétrica separado da água e é usado no funcionamento de turbinas
c) química energia elétrica para gerar eletricidade. A água quente pode ser empregada
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

d) química energia térmica para aquecimento direto ou em usinas de dessalinização.


e) radiante energia elétrica Sob o aspecto da conversão de energia, as usinas
geotérmicas
167. Enem — Além de ser capaz de gerar eletricidade, a) funcionam com base na conversão de energia po-
a energia solar é usada para muitas outras finalidades. A tencial gravitacional em energia térmica.
figura a seguir mostra o uso da energia solar para des- b) transformam inicialmente a energia solar em ener-
salinizar a água. Um tanque contendo água salgada é gia cinética e, depois, em energia térmica.
coberto por um plástico transparente e tem a parte cen- c) podem aproveitar a energia química transformada
tral abaixada pelo peso de uma pedra, sob a qual se co- em térmica no processo de dessalinização.
loca um recipiente (copo). A água evaporada condensa- d) assemelham-se às usinas nucleares no que diz res-
se no plástico e escorre até o ponto mais baixo, caindo peito à conversão de energia térmica em cinética
dentro do copo. e, depois, em elétrica.
e) utilizam a mesma fonte primária de energia que
74 as usinas nucleares, sendo, portanto, semelhantes
os riscos decorrentes de ambas.
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
169. Enem — A eficiência de um processo de conversão Considerando as fontes de hidrogênio citadas, a de
de energia é definida como a razão entre a produção de menor impacto ambiental seria
energia ou trabalho útil e o total de entrada de energia a) aquela obtida de hidrocarbonetos, pois possuem
no processo. A figura mostra um processo com diversas maior proporção de hidrogênio por molécula.
etapas. Nesse caso, a eficiência geral será igual ao pro- b) aquela de carboidratos, por serem estes termo-
duto das eficiências das etapas individuais. A entrada de dinamicamente mais estáveis que os hidrocarbo-
energia que não se transforma em trabalho útil é perdi- netos.
da sob formas não utilizáveis (como resíduos de calor). c) aquela de hidrocarbonetos, pois o carvão resul-
tante pode ser utilizado também como fonte de
energia.
d) aquela de carboidratos, uma vez que o carbono
resultante pode ser fixado pelos vegetais na pró-
xima safra.
e) aquela de hidrocarbonetos, por estarem ligados
a carbonos tetraédricos, ou seja, que apresentam
apenas ligações simples.

171. Enem — O esquema seguinte mostra, em termos


de potência(energia/tempo), aproximadamente, o fluxo de
HINRICHS, R. A. Energia e meio ambiente. São Paulo:
energia, a partir de uma certa quantidade de combustível
Pioneira Thomson Learning, 2003. (Adaptado) vinda do tanque de gasolina, em um carro viajando com
Aumentar a eficiência dos processos de conversão de velocidade constante.
energia implica economizar recursos e combustíveis. Das Energia dos
hidrocarbonetos
propostas seguintes, qual resultará em maior aumento da não queimados,
Luzes,
ventilador,
eficiência geral do processo? energia térmica gerador,
dos gases
a) Aumentar a quantidade de combustível para quei- de escape e
direção,
bomba
ma na usina de força. transferência ao ar hidráulica, Energia
Evaporação ambiente
b) Utilizar lâmpadas incandescentes, que geram pou- 1kW 56,8 kW
etc. térmica
2,2 kW. 3 kW
co calor e muita luminosidade.
c) Manter o menor número possível de aparelhos
elétricos em funcionamento nas moradias.
d) Utilizar cabos com menor diâmetro nas linhas de No tanque de gasolina
72 kW
transmissão a fim de economizar o material con-
71 kW 14,2 kW 12kW 9kW
dutor. Motor de Transmissão e Rodas
combustão engrenagens
e) Utilizar materiais com melhores propriedades
condutoras nas linhas de transmissão e lâmpadas O esquema mostra que, na queima da gasolina, no
fluorescentes nas moradias. motor de combustão, uma parte considerável de sua ener-
gia é dissipada. Essa perda é da ordem de:
Transformações químicas e energia a) 80%
170. Enem

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


b) 70%
c) 50%
Potencializado pela necessidade de reduzir as
d) 30%
emissões de gases causadores do efeito estufa, o de-
e) 20%
senvolvimento de fontes de energia renováveis e lim-
pas dificilmente resultará em um modelo hegemôni-
172. Encceja — Há diversas situações em que é necessá-
co. A tendência é que cada país crie uma combinação
rio o uso residencial de dispositivos geradores de energia
própria de matrizes, escolhida entre várias catego-
elétrica como alternativa à rede de distribuição pública.
rias de biocombustíveis, a energia solar ou a eólica
Alguns desses dispositivos são:
e, mais tarde, provavelmente o hidrogênio, capaz de
I. Geradores a óleo diesel ou gasolina: convertem
lhe garantir eficiência energética e ajudar o mundo a
a energia térmica da queima de combustíveis em
atenuar os efeitos das mudanças climáticas. O hidro-
energia elétrica.
gênio, em um primeiro momento, poderia ser obti-
II. Geradores eólicos: a energia do vento é converti-
do a partir de hidrocarbonetos ou de carboidratos.
Disponível em: <http://www.revistapesquisa.fapesp.
da em energia elétrica. 75
br>.Acesso em: mar. 2007. (Adaptado ) III. Geradores hidráulicos: uma roda d’água é acopla-
ENEM-10

da a um dínamo, que gera energia elétrica.


MENU PRINCIPAL
IV. Geradores eletroquímicos (pilhas e baterias): rea- e) o aprofundamento no leito do rio, com a menor
ções químicas geram energia elétrica. Alguns po- deposição de resíduos no trecho de rio anterior
dem ser recarregáveis; outros não. à represa.
O uso de cada um desses dispositivos tem vanta-
gens e desvantagens. Identifique a linha da tabela se- 174. Enem — A figura a seguir ilustra as principais fontes
guinte que associa corretamente os dispositivos às suas de emissões mundiais de gás carbônico, relacionando-as a
características. nossas compras domésticas (familiares).
Funcionam da 14% 23% 24%
Geram Não geram mesma forma, Desmatamento Indústria Quase toda Produção de energia
Abre áreas para a produção é para Cerca de dois
resíduos resíduos independente- plantar o que nosso consumo (1) terços abastecem as
Opção poluidores poluidores mente do local, ingerimos indústrias e os serviços
os disposi- os disposi- tempo, clima e que nos atendem
tivos tivos época do ano, os
dispositivos
a) II e III I e IV II e III
b) II e III I e IV I e IV
c) I e IV II e III I e IV
d) I e IV II e III II e III
e) I e II III e IV I e II

Relações da química com as tecnologias,


8%
a sociedade e o meio ambiente Construção
173. Enem Faz parte de
17% 14% nossas escolhas
Transporte
A economia moderna depende da disponibilidade Agricultura
Metade dos trasla-
mas não é um
Cultiva os alimentos consumo diário
de muita energia em diferentes formas, para funcio- que comemos dos é para cargas
que compramos
nar e crescer. No Brasil, o consumo total de energia
pelas indústrias cresceu mais de quatro vezes no pe- Nossas compras domésticas são responsáveis por
ríodo entre 1970 e 2005. Enquanto os investimentos 77% das emissões de gás carbônico do mundo
em energias limpas e renováveis, como solar e eóli- (1) Cerca de 98% da produção industrial atende ao consumo
ca, ainda são incipientes, ao se avaliar a possibilidade doméstico. AGÊNCIA Internacional de Energia.
de instalação de usinas geradoras de energia elétrica, Compre verde: como nossas compras podem ajudar a
salvar o planeta. In: Época. n. 515, 31 mar. 2008.
diversos fatores devem ser levados em consideração,
Com base nas informações da figura, é observado que
tais como os impactos causados ao ambiente e às po-
as emissões de gás carbônico estão diretamente ligadas às
pulações locais.
compras domésticas. Desse modo, deduz-se das relações
RICARDO, B.; CAMPANILI, M. Almanaque Brasil Socioambiental.
São Paulo: Instituto Socioambiental, 2007. (Adaptado) de produção e consumo apresentadas que
Numa situação hipotética, optou-se por construir uma a) crescimento econômico e proteção ambiental são
usina hidrelétrica em região que abrange diversas quedas políticas públicas incompatíveis.
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

d’água em rios cercados por mata, alegando-se que causa- b) a redução da atividade industrial teria pouco im-
ria impacto ambiental muito menor que uma usina terme- pacto nas emissões globais de gás carbônico.
létrica. Entre os possíveis impactos da instalação de uma c) os fluxos de carbono na biosfera não são afetados
usina hidrelétrica nessa região, inclui-se pela atividade humana, pois são processos cíclicos.
a) a poluição da água por metais da usina. d) a produção de alimentos, em seu conjunto, é di-
b) a destruição do hábitat de animais terrestres. retamente responsável por 17% das emissões de
c) o aumento expressivo na liberação de CO2 para gás carbônico.
a atmosfera. e) haveria decréscimo das emissões de gás carbôni-
d) o consumo não renovável de toda água que pas- co se o consumo ocorresse em áreas mais próxi-
sa pelas turbinas. mas da produção.

76
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Competência 7
Competência
Faz-se necessário o conhecimento básico de tópicos da
Química, como simbologia, nomenclatura, fórmulas, ti-
Apropriar-se de conhecimentos da química para, em
pos de reação, transformações dos materiais aplicados
situações problema, interpretar, avaliar ou planejar
em processos produtivos envolvendo energia, além das
intervenções científico-tecnológicas.
possíveis implicações ambientais, sociais e econômicas da
utilização de novas tecnologias.

Habilidades
A codificação e conceitos da química criados desde sua
H24 — Utilizar códigos e nomenclatura da química para
origem são requisitos para o reconhecimento da substân-
caracterizar materiais, substâncias ou transformações quí-
cia em questão e exige conhecimento dos elementos quí-
micas.
micos representados na tabela periódica.

Classificar a matéria, a composição e as etapas de pro-


H25 — Caracterizar materiais ou substâncias, identifican-
dução de diferentes substâncias importantes no cotidia-
do etapas, rendimentos ou implicações biológicas, sociais,
no. A partir desses dados reconhecer a interferência des-
econômicas ou ambientais de sua obtenção ou produção.
se processo.

H26 — Avaliar implicações sociais, ambientais e/ou eco-


Na busca por novas tecnologias energéticas ocorre o con-
nômicas na produção ou no consumo de recursos energé-
sumo de recursos naturais que devem ser analisados pelas
ticos ou minerais, identificando transformações químicas
implicações possíveis.
ou de energia envolvidas nesses processos.

H27 — Avaliar propostas de intervenção no meio am- Reconhecer a aplicação de ações corretivas para recupe-
biente aplicando conhecimentos químicos, observando ração de áreas contaminadas ou degradadas em razão da
riscos ou benefícios. interferência humana.

Anotações

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

77
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Texto 7

Remediação
de solos:
técnicas alternativas
melhoram desempenho
Manoel Maia Nobre e Rosane Cunha Maia Nobre

A prática de remediação de solos e águas subterrâneas é normalmente e metais pesados. Os caminhos de


uma tarefa complexa e exige o envolvimento de profissionais qualificados migração, mobilidade e persistência
e experientes na elaboração de diagnósticos precisos e definição da al- desses compostos no subsolo variam
ternativa mais adequada para cumprimento dos padrões preestabelecidos substancialmente em cada caso, de-
em projeto. Assim, o conhecimento das atuais tecnologias de remediação, vido à natureza química específica
suas limitações, relações custo-benefício e aplicabilidade quanto às ques- de cada espécie bem como à diver-
tões hidrogeológicas e de natureza dos contaminantes são determinantes sidade geológica de cada sítio.
no sucesso do programa de remediação. Uma vez penetrado no subsolo,
As alternativas que utilizam soluções mais naturais e com menores im- o contaminante torna-se suscetí-
pactos no subsolo vêm ganhando maior destaque nos últimos anos. Porém, vel a uma variedade de processos
vale lembrar que essas soluções, devido ao maior tempo requerido na re- geoquímicos e biológicos, os quais
mediação, nem sempre são suficientes para atingir os objetivos do projeto e determinam a sua mobilização ou
devem, na maioria dos casos, ser aplicadas em complemento às tecnologias mesmo transformação no meio po-
convencionais já existentes. Cabe aqui ressaltar que, independente da solu- roso. Esses processos estão intrin-
ção adotada, ela deve ser apli- secamente relacionados a inúmeras
Tecnologias de remediação de
compostos organoclorados
cada conforme as condições variáveis, tornando a prática de re-
intrínsecas e singulares a cada mediação de aquíferos uma tarefa
Processos sítio contaminado. Dessa for- complexa, muitas vezes custosa e
térmicos ma, as técnicas de remediação dispendiosa.
17% Oxidação
in-situ devem atender não somente às A seleção de uma estratégia de
34% características físico-químicas remediação apropriada para um
Barreiras
relativas dos contaminantes envolvidos determinado caso deve ser base-
permeáveis como também à aplicabilida- ada na caracterização preliminar
27%
Lavagem de
de dos mesmos nas condições do sítio e nos tipos de contami-
solo/reinjeção hidrogeológicas específicas do nantes de interesse. Essas investi-
22% sítio impactado. E isso dentro gações deverão incluir a avaliação
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

de objetivos que atendam a le- da heterogeneidade física do sítio,


Total do número de casos: 208
gislação ambiental e que sejam a extensão da contaminação, lo-
Fonte: Projetos financiados pela USEPA
(Tecnology Innovation Office-TIO)
compatíveis com o risco que a calização das fontes primárias de
contaminação representa. contaminação, existência de zonas
de descarga — isto é, corpos hídri-
Identificação cos de superfície, bem como a pre-
A questão da contaminação de solos e águas subterrâneas por compos- sença do contaminante em suas fa-
tos orgânicos — NAPLs, non-aqueous phase liquids — e metais pesados é de ses imiscível, residual ou adsorvida
extrema importância devido ao seu elevado grau de toxidade e potencial de no meio geológico.
migração na fase gasosa, dissolvida e como fase imiscível. Uma grande varie-
dade de contaminantes pode ser encontrada em águas subterrâneas, em am- Processos de contaminação
bientes industriais, incluindo compostos orgânicos voláteis (VOCs), hidrocar- Na zona insaturada (cama-
78 bonetos aromáticos policíclicos (PAHs), herbicidas, nitroaromáticos, ftalatos da mais profunda do solo onde se
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
concentram as águas subterrâne- também realizada através do incre- o uso de processos de extração de
as), os compostos aquosos podem mento das taxas de volatilização de gás de solo (SVE) para remoção de
estar presentes como fase contínua suas fases imiscíveis, incluindo-se os componentes voláteis (p. e., Nyer
(frente de infiltração) ou como fase processos térmicos. A porção que et al., 1996). O sucesso dessa tec-
descontínua, aderindo-se direta- volatiliza é livre para deslocar-se la- nologia depende, sobretudo, da
mente na superfície do solo. A taxa teralmente como um vapor tóxi- pressão de vapor do contaminan-
de deslocamento do contaminante co aumentando, por conseguinte, a te que controla a taxa de partição
dependerá da gravidade, da recarga área impactada. Os parâmetros cha- da fase livre para a fase gasosa. A
por infiltração, viscosidade do flui- ves nesse processo incluem a pressão tecnologia de aeração in-situ ou
do e da permeabilidade relativa do de vapor, a constante de Henry e a air sparging (AIS), por outro lado,
solo. Imediatamente após um der- permeabilidade intrínseca do solo. permite tanto a extração de conta-
ramamento, os vazios do solo serão O contaminante, em sua fase gasosa, minantes da zona saturada como
preenchidos pelo fluido orgânico. irá se deslocar por processos de difu- da não saturada do subsolo. Como
Com o passar do tempo, no entan- são e advecção, o qual induz o movi- variação daquela tecnologia, o
to, haverá drenagem do fluido, por mento do gás em resposta a um gra- biosparging incentiva a biodegrada-
gravidade, deixando uma massa re- diente de pressão (por exemplo, por ção dos compostos orgânicos atra-
sidual adsorvida ao meio poroso. meio de sistemas de extração de gás). vés de processos físicos de aeração
A mobilização dos contami- Para os contaminantes presen- de solo na zona insaturada, confor-
nantes na zona insaturada pode ser tes na zona insaturada, é comum me descrito na tabela a seguir.

Tecnologias de remediação de solos e águas subterrâneas


Aplicação/
Tecnologia Descrição
contaminantes
Extração de gás Remove, fisicamente, compostos orgânicos voláteis da zona insaturada atra-
CHCs, BTEX
de solo (SVE) vés da aplicação de um sistema de vácuo.
Bioaeração ou Acelera a remoção de compostos orgânicos voláteis através da aeração na
CHCs, BTEX
Bioventing zona vadosa. Estimula a biorremediação in-situ.
Remove, fisicamente, contaminantes voláteis e semivoláteis através de proces- CHCs, BTEX, PAHs,
Air Sparging (AIS)
sos de aeração do solo na zona saturada. Estimula a biorremediação in-situ. MTBE
Acelera a biodegradação de compostos orgânicos por estimular a microflo- CHCs, BTEX, PAHs,
Bio Sparging
ra nativa, através de processos físicos de aeração de solo na zona saturada. MTBE
Barreiras que promovem a passagem das águas subterrâneas através de por-
Barreiras reativas CHCs, Metais
ções reativas que possibilitam remediação in-situ por processos físicos, quí-
permeáveis (BRPs) pesados
micos e/ou biológicos.
Contenção hidráu-
Processo físico de extração de águas contaminadas da zona saturada e tra-
lica e tratamento CHCs, BTEX
tamento ex-situ.
(Pump-and-Treat)
Atenuação natural Monitoramento "inteligente" de parâmetros indicadores de atenuação na-
CHCs, BTEX, PAHs

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


monitorada (ANM) tural para validar a estabilização ou redução de plumas dissolvidas.
Processos térmicos in-situ que destroem contaminantes ou possibilitam a
Tecnologias térmicas CHCs, BTEX
aceleração de transferência de fase do contaminante no subsolo
Biorremediação Altera, artificialmente, as condições bioquímicas naturais do solo ou águas
CHCs, BTEX
acelerada subterrâneas para acelerar a degradação por micro-organismos.
Sistemas de
Promove a remoção da fase pura do LNAPL através da aplicação de vácuo. BTEX, Fase livre
recuperação de fase
Estimula a biorremediação. Não há extração de águas subterrâneas. de petróleo,
livre por skimming
Materias escavados são incinerados para a extração de compostos orgâni- PAHs, PCBs,
Incineração
cos voláteis e semivoláteis Pesticidas

79
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
Aplicação/
Tecnologia Descrição
contaminantes
BTEX, CHCs,
Plantas apropriadas são utilizadas para promover a remoção/biodegradação
Fitorremediação PAHs, Pesticidas,
de compostos orgânicos e metais do solo.
Metais pesados
Lavagem do A lavagem do solo através de fluidos apropriados promove a estripagem e a
solo/Reinjeção/ biodegradação. Compostos químicos (p.e. surfactantes) podem ser adicio- CHCs, BTEX
Processos químicos nados para acelerar a transferência de fase dos contaminantes.
Solidificação/ CHCs, metais
São processos que promovem a imobilização do resíduo através de proces-
Encapsulamento/ pesados,
sos químicos e/ou térmicos.
Vitrificação Radionuclídeos
Obs.:
CHCs — Compostos de Hidrocarbonetos Clorados; PAHs — Hidrocarboneto Aromáticos Policíclicos
BTEX — Hidrocarbonetos do Petróleo (benzeno, tolueno, MTBE — Metil Terc-Butil Éter
etilbenzeno e xilenos
Disponível em: <http://www.quimicaederivados.com.br/revista/qd417/solo1.htm>. Acesso em: 21 maio 2010.

Áreas de conhecimento exigidas para compreensão do texto:


Ficha de leitura

1 2 3 4 5
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

Conhecimentos prévios (das diversas áreas do conhecimento) que você precisou acessar da memória, necessários du-
rante a leitura:
1
2
3
4

Informações que você precisou pesquisar para compreender melhor o texto e interagir com ele durante e/ou após
a leitura:
1
2
3
80
4
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Itens
Utilizar códigos e nomenclatura da química para 177. Enem
H24 caracterizar materiais, substâncias ou transforma-
ções químicas. Núcleos dos átomos são constituídos de prótons
e nêutrons, sendo ambos os principais responsáveis
pela sua massa. Nota-se que, na maioria dos núcleos,
Transformações químicas e energia
essas partículas não estão presentes na mesma pro-
175. Enem — Para que apresente condutividade elétrica
porção. O gráfico mostra a quantidade de nêutrons
adequada a muitas aplicações, o cobre bruto obtido por
(N) em função da quantidade de prótons (Z) para os
métodos térmicos é purificado eletroliticamente. Nesse
núcleos estáveis conhecidos.
processo, o cobre bruto impuro constitui o ânodo da célu-
la, que está imerso em uma solução de CuSO 4. Conforme 160 240 250 260

o cobre impuro é oxidado no ânodo, íons Cu2+ da solu- 150 220 230
Núcleos estáveis
ção são depositados na forma pura no cátodo. Quanto
140 200 210
às impurezas metálicas, algumas são oxidadas, passan-
130
do à solução, enquanto outras simplesmente se despren- 180 190

dem do ânodo e se sedimentam abaixo dele. As impure- 120 170

zas sedimentadas são posteriormente processadas, e sua 110 150 160


comercialização gera receita que ajuda a cobrir os custos
100

Número de nêutrons (N)


130 140
do processo. A série eletroquímica a seguir lista o cobre e
90
alguns metais presentes como impurezas no cobre bruto 120

de acordo com suas forças redutoras relativas. 80 100 110

Ouro 70
90
Platina
Prata 60
Força 70 80
Cobre
redutora 50
Chumbo 60
Níquel Z = N para os núcleos sobre esta linha
Zinco 40
50

30 30 40
Dentre as impurezas metálicas que constam na série 20 20
apresentada, as que se sedimentam abaixo do ânodo de
10
cobre são 10

a) Au, Pt, Ag, Zn, Ni e Pb 0


0 10 20
30 40 50 60 70 80 90 100 110
b) Au, Pt e Ag Número de prótons (Z)
c) Zn, Ni e Pb KAPLAN, I. Física nuclear. Rio de Janeiro: Guanabara Dois, 1978. (Adaptado)

d) Au e Zn O antimônio é um elemento químico que possui


e) Ag e Pb 50 prótons e possui vários isótopos — átomos que só se
diferem pelo número de nêutrons. De acordo com o grá-
Transformações químicas

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


fico, os isótopos estáveis do antimônio possuem
176. Encceja — Para retirar a camada de ferrugem (óxi- a) entre 12 e 24 nêutrons a menos que o número
do hidratado) que se forma sobre objetos de ferro, eles de prótons.
podem ser mergulhados em uma solução diluída de ácido b) exatamente o mesmo número de prótons e nêu-
sulfúrico (incolor), por alguns minutos, e, em seguida, la- trons.
vados em água corrente para retirar a solução salina ama- c) entre 0 e 12 nêutrons a mais que o número de
relada e o ácido que ainda resta. prótons.
A representação que melhor resume a reação que d) entre 12 e 24 nêutrons a mais que o número de
ocorre na limpeza desses objetos, segundo o enunciado, é: prótons.
a) óxido + ácido → sal e) entre 0 e 12 nêutrons a menos que o número de
b) base + ácido → óxido prótons.
c) sal + óxido → ácido
d) sal + ácido → base
e) hidróxido + ácido → sal + base 81
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
e) essa substância se mantém na troposfera deslo-
Representações de transformações químicas cando os átomos de oxigênio encontrados na ca-
178. Encceja — O ácido tartárico (DI-HIDROXIBUTA- mada de ozônio.
NODIOICO), com a fórmula estrutural,
Materiais, suas propriedades e usos
181. Enem
Quando definem moléculas, os livros geralmente
apresentam conceitos como: a menor parte da subs-
é encontrado nas uvas e é de grande utilização na fa- tância capaz de guardar suas propriedades. A partir
bricação de vinhos, por ser um acidulante orgânico natural. de definições desse tipo, a ideia transmitida ao estu-
Baseando-se nas informações, indique a fórmula mo- dante é a de que o constituinte isolado (moléculas)
lecular do ácido tartárico. contém os atributos do todo. E como dizer que uma
a) C4H2O molécula de água possui densidade, pressão de vapor,
b) C4H 6O 6 tensão superficial, ponto de fusão, ponto de ebulição
c) C4H5O etc. Tais propriedades pertencem ao conjunto, isto é,
d) C4HO manifestam-se nas relações que as moléculas man-
e) C4H2O 6 tém entre si.
OLIVEIRA, R. J. O mito da substância. In:
179. Enem — Para testar o uso do algicida sulfato de co- Química nova na escola. n. 1, 1995.

bre em tanques para criação de camarões, estudou-se, em O texto evidencia a chamada visão substancialista que
aquário, a resistência desses organismos a diferentes con- ainda se encontra presente no ensino da Química. Abaixo
centrações de íons cobre (representados por Cu2+). Os grá- estão relacionadas algumas afirmativas pertinentes ao as-
ficos relacionam a mortandade de camarões com a concen- sunto.
tração de Cu2+ e com o tempo de exposição a esses íons. I. O ouro é dourado, pois seus átomos são dourados.
Se os camarões utilizados na experiência fossem introduzi- II. Uma substância macia não pode ser feita de mo-
dos num tanque de criação contendo 20 000 L de água trata- léculas rígidas.
da com sulfato de cobre, em quantidade suficiente para forne- III. Uma substância pura possui pontos de ebulição e
cer 50 g de íons cobre, estariam vivos, após 24 horas, cerca de fusão constantes, em virtude das interações entre
a) 1/5 suas moléculas.
b) 1/4 IV. A expansão dos objetos com a temperatura ocor-
c) 1/2 re porque os átomos se expandem.
d) 2/3 Dessas afirmativas, estão apoiadas na visão substan-
e) 3/4 cialista criticada pelo autor apenas
a) I e II.
Relações da química com as tecnologias, b) III e IV.
a sociedade e o meio ambiente c) I, II e III.
180. Encceja — O brometo de metila, H3CℓBr, é um gás que d) I, II e IV.
age como inseticida e fumigante, utilizado para tratamento e) II, III e IV.
de solo, controle de formigas e fumigação de produtos de
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

origem vegetal. O Brasil está implantando um programa que


Caracterizar materiais ou substâncias, identifican-
pretende eliminar até o final de 2006 o uso desse produto
do etapas, rendimentos ou implicações biológicas,
na agricultura, pois, de acordo com pesquisas, o brometo de H25
sociais, econômicas ou ambientais de sua obten-
metila contribui para a diminuição da camada de ozônio. O ção ou produção.
efeito do brometo de metila é devido ao fato de que
a) essa substância acelera a capacidade de fotossín-
tese dos vegetais, o que aumenta o consumo de Relações da química com as tecnologias,
ozônio na atmosfera. a sociedade e o meio ambiente
b) essa substância, em contato com o vapor de água, 182. E nem — Sabe-se que a ingestão frequente de li-
produz metanol, que reage com o ozônio para pídios contendo ácidos graxos (ácidos monocarboxílicos
formar água e dióxido de carbono. alifáticos) de cadeia carbônica insaturada com isomeria
c) suas moléculas são decompostas pela radiação trans apresenta maior risco para o desenvolvimento de
solar em átomos de bromo livres (Br•), que trans- doenças cardiovasculares, sendo que isso não se observa
82 formam o ozônio em oxigênio gasoso. com os isômeros cis.
d) essa substância, ao atingir a estratosfera, provo- Dentre os critérios seguintes, o mais adequado à esco-
ENEM-10

ca o deslocamento do ozônio para camadas mais lha de um produto alimentar saudável contendo lipídios é:
baixas, por ser um gás muito estável.
MENU PRINCIPAL
a) Se contiver bases nitrogenadas, estas devem estar
ligadas a uma ribose e a um aminoácido. e)
b) Se contiver sais, estes devem ser de bromo ou de
flúor, pois são essas as formas mais frequentes
nos lipídios cis.
c) Se estiverem presentes compostos com ligações
peptídicas entre os aminoácidos, os grupos ami-
no devem ser esterificados. 184. Enem — Na atual estrutura social, o abastecimento
d) Se contiver lipídios com duplas ligações entre os de água tratada desempenha um papel fundamental para a
carbonos, os ligantes de maior massa devem es- prevenção de doenças. Entretanto, a população mais carente
tar do mesmo lado da cadeia. é a que mais sofre com a falta dela, em geral, pela falta de es-
e) Se contiver poli-hidroxialdeídos ligados covalen- tações de tratamento capazes de fornecer o volume de água
temente entre si, por ligações simples, esses com- necessário para o abastecimento ou pela falta de distribuição
postos devem apresentar estrutura linear. dessa água.

183. Enem — O uso de protetores solares em situações


de grande exposição aos raios solares como, por exemplo, Bombeamento Distribuição
nas praias, é de grande importância para a saúde. As molé-
culas ativas de um protetor apresentam, usualmente, anéis Carvão ativado
Coagulante Carvão
aromáticos conjugados com grupos carbonila, pois esses Cal hidratada Areia Reservatório dos bairros
sistemas são capazes de absorver a radiação ultravioleta Cascalho

mais nociva aos seres humanos. A conjugação é definida


Reservatório
como a ocorrência de alternância entre ligações simples e Cal água tratada
duplas em uma molécula. Outra propriedade das molécu- Cloro
Floculação Decantação Filtração Amônia
Fluor
las em questão é apresentar, numa de suas extremidades,
uma parte apolar responsável por reduzir a solubilidade
do composto em água, o que impede sua rápida remoção Disponível em: <http://www.sanasa.com.br>.
Acesso em: 27 jun. 2008. (Adaptado)
quando do contato com a água.
De acordo com as considerações do texto, qual das No sistema de tratamento de água apresentado na fi-
moléculas apresentadas a seguir é a mais adequada para gura, a remoção do odor e a desinfecção da água coleta-
funcionar como molécula ativa de protetores solares? da ocorrem, respectivamente, nas etapas
a) 1 e 3
a) b) 1 e 5
c) 2 e 4
d) 2 e 5
e) 3 e 4

Representações das transformações químicas


b) 185. Enem — Sabões são sais de ácidos carboxílicos de

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


cadeia longa utilizados com a finalidade de facilitar, du-
rante processos de lavagem, a remoção de substâncias de
baixa solubilidade em água, por exemplo, óleos e gordu-
ras. A figura a seguir representa a estrutura de uma mo-
lécula de sabão.
c) Em solução, os ânions do sabão podem hidrolisar a
água e, desse modo, formar o ácido carboxílico correspon-
dente. Por exemplo, para o estearato de sódio, é estabe-
lecido o seguinte equilíbrio:
CH3(CH2)16COO – + H2O CH3(CH2)16COOH + OH –
Uma vez que o ácido carboxílico formado é pouco so-
d) lúvel em água e menos eficiente na remoção de gorduras,
o pH do meio deve ser controlado de maneira a evitar que
o equilíbrio anterior seja deslocado para a direita. 83
Com base nas informações do texto, é correto concluir
ENEM-10

que os sabões atuam de maneira


MENU PRINCIPAL
a) mais eficiente em pH básico. H2SO 4 + CaCO3 → CaSO 4 + H 2O + CO2
1 tonelada reage com 1 tonelada sólido gás
b) mais eficiente em pH ácido. sedimentado
c) mais eficiente em pH neutro.
d) deficiente em qualquer faixa de pH. Pode-se avaliar o esforço de mobilização que deveria
e) mais eficiente em pH ácido ou neutro. ser empreendido para enfrentar tal situação, estimando a
quantidade de caminhões necessária para carregar o ma-
186. Encceja — O polietileno, plástico muito utilizado, é terial neutralizante. Para transportar certo calcário que tem
obtido pela polimerização do etileno. Essa polimerização 80% de CaCO3, esse número de caminhões, cada um com
pode ser representada por carga de 30 toneladas, seria próximo de
n CH2 = CH2 → — ( CH2 — CH2 — ) n a) 100
etileno polietileno b) 200
(n = número muito grande) c) 300
O poliestireno, outro plástico muito utilizado, é obtido d) 400
pela polimerização do estireno, cuja fórmula é a seguinte: e) 500
CH = CH2
188. Enem — Ferramentas de aço podem sofrer corro-
são e enferrujar. As etapas químicas que correspondem a
esses processos podem ser representadas pelas equações:
estireno Fe + H2O + 1/2 O2 → Fe(OH)2
Sabendo-se que a polimerização do estireno é seme- Fe(OH)2 + 1/2 H2O + 1/4 O2 → Fe(OH)3
lhante à do etileno, conclui-se que o poliestireno pode ser Fe(OH)3 + n H2O → Fe(OH)3 ∙ n H2O (ferrugem)
representado por Uma forma de tornar mais lento esse processo de cor-
rosão e formação de ferrugem é engraxar as ferramentas.

( CH — CH2 —
) n
Isso se justifica porque a graxa proporciona
a) a) lubrificação, evitando o contato entre as ferramentas.
b) impermeabilização, diminuindo seu contato com
o ar úmido.

( CH — CH —
) n c) isolamento térmico, protegendo-as do calor am-
b) biente.
d) galvanização, criando superfícies metálicas imunes.
e) polimento, evitando ranhuras nas superfícies.
( )
c) n Materiais, suas propriedades e usos
189. Enem — A água apresenta propriedades físico-quími-
cas que a coloca em posição de destaque como substância

( CH — CH —
) n essencial à vida.
d) Dentre essas, destacam-se as propriedades térmicas
biologicamente muito importantes, por exemplo, o eleva-
do valor de calor latente de vaporização. Esse calor latente

( CH — CH — CH2 —
) n
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

refere-se à quantidade de calor que deve ser adicionada


e) a um líquido em seu ponto de ebulição, por unidade de
massa, para convertê-lo em vapor na mesma temperatu-
ra, que no caso da água é igual a 540 calorias por grama.
187. Enem — Em setembro de 1998, cerca de 10 000 A propriedade físico-química mencionada no texto
toneladas de ácido sulfúrico (H2SO 4) foram derramadas confere à água a capacidade de
pelo navio Bahamas no litoral do Rio Grande do Sul. Para a) servir como doador de elétrons no processo de
minimizar o impacto ambiental de um desastre desse tipo, fotossíntese.
é preciso neutralizar a acidez resultante. b) funcionar como regulador térmico para os orga-
Para isso pode-se, por exemplo, lançar calcário, miné- nismos vivos.
rio rico em carbonato de cálcio (CaCO3), na região atingi- c) agir como solvente universal nos tecidos animais
da. A equação química que representa a neutralização do e vegetais.
H2SO 4 por CaCO3, com a proporção aproximada entre as d) transportar os íons de ferro e magnésio nos te-
84 massas dessas substâncias é: cidos vegetais.
e) funcionar como mantenedora do metabolismo
ENEM-10

nos organismos vivos.


MENU PRINCIPAL
190. Encceja — Muitas pessoas associam a palavra áci- Massa 0
∆H 25
do a substâncias químicas que corroem materiais e que são Composto Fórmula molar
prejudiciais à saúde. Para mostrar que tal associação é equi- (g/mol) (kJ/mol)
vocada, basta lembrar que são classificados como ácidos metano CH4 16 –890
a) vinagre e suco de laranja. butano C4H10 58 –2 878
b) leite e sabão em pó. octano C8 H18 114 –5 471
c) bicarbonato de sódio e vaselina.
d) sal de cozinha e açúcar. À medida que aumenta a consciência sobre os impactos
e) sabão e detergente. ambientais relacionados ao uso da energia, cresce a impor-
tância de se criar políticas de incentivo ao uso de combustíveis
mais eficientes. Nesse sentido, considerando-se que o metano,
Avaliar implicações sociais, ambientais e/ou econô-
o butano e o octano sejam representativos do gás natural, do
micas na produção ou no consumo de recursos ener-
H26 gás liquefeito de petróleo (GLP) e da gasolina, respectivamen-
géticos ou minerais, identificando transformações
químicas ou de energia envolvidas nesses processos. te, então, a partir dos dados fornecidos, é possível concluir
que, do ponto de vista da quantidade de calor obtido por mol
de CO2 gerado, a ordem crescente desses três combustíveis é
Transformações químicas e energia a) gasolina, GLP e gás natural.
191. Enem — Vários combustíveis alternativos estão sendo b) gás natural, gasolina e GLP.
procurados para reduzir a demanda por combustíveis fósseis, c) gasolina, gás natural e GLP.
cuja queima prejudica o meio ambiente em razão da produ- d) gás natural, GLP e gasolina.
ção de dióxido de carbono (massa molar igual a 44 g mol–1). e) GLP, gás natural e gasolina.
Três dos mais promissores combustíveis alternativos são o hi-
drogênio, o etanol e o metano. A queima de 1 mol de cada 193. Encceja — Em determinadas regiões do Brasil é co-
um desses combustíveis libera uma determinada quantidade mum, no inverno, queimar certa quantidade de álcool no
de calor, que estão apresentadas na tabela a seguir. banheiro para mantê-lo aquecido durante o banho.
Este procedimento é perigoso, pois
Calor liberado na
Massa molar a) a combustão do álcool produz o monóxido de
Combustível queima
(g mol -1) carbono, que é um gás venenoso.
(kJ mol –1)
H2 2 270 b) o álcool, em contato com o vapor d’água, produz
CH4 16 900 um gás inflamável.
c) o álcool é um combustível inorgânico e, por este
C2H5OH 46 1 350
motivo, libera substâncias tóxicas.
Considere que foram queimadas massas, independen- d) a combustão do álcool é lenta e, por isso, produz
temente, desses três combustíveis, de forma tal que em muita fuligem.
cada queima foram liberados 5 400 kJ. O combustível mais e) o álcool sofre ação do gás carbônico produzido,
econômico, ou seja, o que teve a menor massa consumida, aumentando o risco.
e o combustível mais poluente, que é aquele que produziu
a maior massa de dióxido de carbono (massa molar igual Energia química no cotidiano
a 44 g mol –1), foram, respectivamente, 194. Encceja — As informações seguintes referem-se aos

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


a) o etanol, que teve apenas 46 g de massa consu- combustíveis álcool e gasolina usados em automóveis no
mida, e o metano, que produziu 900 g de CO2 . Brasil.
b) o hidrogênio, que teve apenas 40 g de massa con- Combustível
Aspecto
sumida, e o etanol , que produziu 352 g de CO2 .
considerado Álcool Gasolina
c) o hidrogênio, que teve apenas 20 g de massa con-
sumida, e o metano, que produziu 264 g de CO2. Principais
Gás carbônico
d) o etanol, que teve apenas 96 g de massa consu- poluentes
Monóxido de
mida, e o metano, que produziu 176 g de CO2. emitidos Gás carbônico
Carbono
e) o hidrogênio, que teve apenas 2 g de massa quando Acetaldeído
Óxido de Ni-
consumida,e o etanol, que produziu 1 350 g de CO2. queimados
trogênio
no motor.
Riscos de vazamento
192. Enem — Nas últimas décadas, o efeito estufa tem- Impactos am- Grandes áreas para
durante a extração,
se intensificado de maneira preocupante, sendo esse efeito bientais cau- o plantio de cana-
refino e transporte
muitas vezes atribuído à intensa liberação de CO2 durante sados pela de-açúcar e redu- 85
do petróleo e de seus
a queima de combustíveis fósseis para geração de energia. produção do ção da biodiversida-
ENEM-10

derivados, provocan-
O quadro traz as entalpias-padrão de combustão a 25ºC combustível. de (monocultura).
do sérios acidentes.
(ΔH 025) do metano, do butano e do octano.
MENU PRINCIPAL
De acordo com a tabela, a substituição da gasolina Condição de luminosidade
pelo álcool apresenta vantagens porque Espécie Sombreamento
a) elimina os poluentes lançados no ar. Sol pleno
30% 50% 90%
b) diminui riscos de contaminação do solo. 1 Razoável Bom Razoável Ruim
c) aumenta a vegetação natural devido à monocultura. 2 Bom Razoável Ruim Ruim
d) oferece menores riscos no transporte de seus de- 3 Bom Bom Razoável Ruim
rivados. 4 Bom Bom Bom Bom
e) aumenta a biodiversidade com o plantio da ca-
5 Bom Razoável Ruim Ruim
na-de-açúcar.
6 Ruim Razoável Bom Bom
7 Ruim Ruim Ruim Razoável
Representações das transformações químicas
8 Ruim Ruim Razoável Ruim
195. Encceja
9 Ruim Razoável Bom Bom
A produção de cimento Portland gera um volume 10 Razoável Razoável Razoável Bom
imenso de dióxido de carbono. Para cada tonelada de
Para o reflorestamento da região desmatada,
cimento Portland que emerge dos fornos, cerca de 900
a) a espécie 8 é mais indicada que a 1, uma vez que
kg de CO2 escapam para a atmosfera. A produção de
aquela possui melhor adaptação a regiões com
cimento é responsável por cerca de 7% das emissões
maior incidência de luz.
artificiais totais de dióxido de carbono no mundo, um
b) recomenda-se a utilização de espécies pioneiras,
número que sobe para além dos 10% em países que
isto é, aquelas que suportam alta incidência de
vêm se desenvolvendo rapidamente, como a China.
luz, como as espécies 2, 3 e 5.
NEWS SCIENTIST. (Adaptado)
c) sugere-se o uso de espécies exóticas, pois somen-
O Brasil produz 25 milhões de toneladas por ano de te essas podem suportar a alta incidência lumino-
cimento Portland. O volume de CO2 que resulta dessa ati- sa característica de regiões desmatadas.
vidade, em milhões de toneladas, é igual a d) espécies de comunidade clímax, como as 4 e 7,
a) 7,5 são as mais indicadas, uma vez que possuem boa
b) 11,5 capacidade de aclimatação a diferentes ambientes.
c) 22,5 e) é recomendado o uso de espécies com melhor
d) 33,5 desenvolvimento à sombra, como as plantas das
e) 44,5 espécies 4, 6, 7, 9 e 10, pois essa floresta, mesmo
no estágio de degradação referido, possui dossel
fechado, o que impede a entrada de luz.
Avaliar propostas de intervenção no meio ambien-
H27 te aplicando conhecimentos químicos, observando
Energia química no cotidiano
riscos ou benefícios.
197. Enem
Dê-me um navio cheio de ferro e eu lhe da-
Ecologia e ciências ambientais rei uma era glacial, disse o cientista John Martin
196. Enem — Uma pesquisadora deseja reflorestar uma (1935-1993), dos Estados Unidos, a respeito de uma
área de mata ciliar quase que totalmente desmatada. Essa proposta de intervenção ambiental para resolver a
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

formação vegetal é um tipo de floresta muito comum nas elevação da temperatura global; o americano foi re-
margens de rios dos cerrados no Brasil central e, em seu clí- cebido com muito ceticismo. O pesquisador notou
max, possui vegetação arbórea perene e apresenta dossel que mares com grande concentração de ferro apre-
fechado, com pouca incidência luminosa no solo e nas plân- sentavam mais fitoplâncton e que essas algas eram
tulas. Sabe-se que a incidência de luz, a disponibilidade de capazes de absorver elevadas concentrações de di-
nutrientes e a umidade do solo são os principais fatores do óxido de carbono da atmosfera. Esta incorporação
meio ambiente físico que influenciam no desenvolvimento de gás carbônico e de água (H 2O) pelas algas ocorre
da planta. Para testar unicamente os efeitos da variação de por meio do processo de fotossíntese, que resulta na
luz, a pesquisadora analisou, em casas de vegetação com produção de matéria orgânica empregada na cons-
condições controladas, o desenvolvimento de plantas de tituição da biomassa e na liberação de gás oxigênio
10 espécies nativas da região desmatada sob quatro con- (O2). Para essa proposta funcionar, o carbono ab-
dições de luminosidade: uma sob sol pleno e as demais em sorvido deveria ser mantido no fundo do mar, mas
diferentes níveis de sombreamento. Para cada tratamento como a maioria do fitoplâncton faz parte da cadeia
86 experimental, a pesquisadora relatou se o desenvolvimento alimentar de organismos marinhos, ao ser decom-
da planta foi bom, razoável ou ruim, de acordo com crité- posto devolve CO2 à atmosfera.
ENEM-10

rios específicos. Os resultados obtidos foram os seguintes: Os Sete Planos para Salvar o Mundo. In: Galileu,
n. 214, maio 2009. (Adaptado)
MENU PRINCIPAL
Considerando que a ideia do cientista John Martin é CO2 gerado na queima de alguns combustíveis para pro-
viável e eficiente e que todo o gás carbônico absorvido duzir uma mesma quantidade de energia.
(CO2, de massa molar igual a 44 g/mol) transforma-se em Combustível CO2 gerado*
biomassa fitoplanctônica (cuja densidade populacional de
Carvão mineral 2
100 g/m2 é representada por C6 H12O 6 , de massa molar
Lenha 10
igual a 180 g/mol), um aumento de 10 km2 na área de
distribuição das algas resultaria na Gás natural 1
*quantidades relativas, considerando-se o valor unitário para o gás natural
a) emissão de 4,09 x 10 6 kg de gás carbônico para a
atmosfera, bem como no consumo de toneladas A substituição do carvão mineral pelo gás natural nas
de gás oxigênio da atmosfera. usinas termelétricas reduziria a taxa de emissão de CO2 em
b) retirada de 1,47 x 10 6 kg de gás carbônico da at- a) 1%
mosfera, além da emissão direta de toneladas de b) 5%
gás oxigênio para a atmosfera. c) 10%
c) retirada de 1,00 x 10 6 kg de gás carbônico da at- d) 50%
mosfera, bem como na emissão direta de tonela- e) 100%
das de gás oxigênio das algas para a atmosfera.
d) retirada de 6,82 x 105 kg de gás carbônico da at- 200. Enem — A chuva em locais não poluídos e leve-
mosfera, além do consumo de toneladas de gás mente ácida. Em locais onde os níveis de poluição são
oxigênio da atmosfera para a biomassa fitoplanc- altos, os valores do pH da chuva podem ficar abaixo de
tônica. 5,5, recebendo, então, a denominação de chuva ácida.
e) emissão de 2,44 x 105 kg de gás carbônico para a Este tipo de chuva causa prejuízos nas mais diversas áreas:
atmosfera, bem como na emissão direta de milha- construção civil, agricultura, monumentos históricos, entre
res de toneladas de gás oxigênio para a atmosfera outras. A acidez da chuva está relacionada ao pH da se-
a partir das algas. guinte forma: concentração de íons hidrogênio = 10 pH,
sendo que o pH pode assumir valores entre 0 e 14.
198. Encceja — A combustão da gasolina nos motores de Ao realizar o monitoramento do pH da chuva em
automóveis produz uma série de gases como dióxido de car- Campinas (SP) nos meses de março, abril e maio de 1998,
bono, monóxido de carbono, óxidos de nitrogênio e hidro- um centro de pesquisa coletou 21 amostras, das quais qua-
carbonetos. Na camada mais baixa da atmosfera, ou seja, na tro tem seus valores mostrados na tabela:
troposfera, tais gases participam de inversas reações químicas
Mês Amostra pH
que geram outras substâncias poluentes, como o ozônio, que é
Março 6ª. 4
gerado a partir de hidrocarbonetos e de óxidos de nitrogênio.
Com o uso de conversores catalíticos (catalisadores) Abril 8ª. 5
nos escapamentos, todos esses gases são convertidos em Abril 14ª. 6
dióxido de carbono, vapor de água e nitrogênio. Sendo Maio 18ª. 7
assim, o emprego desses conversores
a) diminui a formação de ozônio na troposfera. A análise da fórmula e da tabela permite afirmar que:
b) elimina a emissão de gases estufa para a atmosfera. I. da 6ª. para a 14ª. amostra ocorreu um aumento de
c) diminui os buracos da camada de ozônio da es- 50% na acidez.

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


tratosfera. II. a 18ª. amostra é a menos ácida dentre as expostas.
d) elimina a poluição do ar causada por veículos au- III. a 8ª. amostra é dez vezes mais ácida que a 14ª..
tomotores. IV. as únicas amostras de chuvas denominadas ácidas
e) aumenta a interferência ambiental dos gases po- são a 6ª. e a 8ª..
luentes. São corretas apenas as afirmativas
a) I e II
199. Encceja — A queima de combustíveis em usinas b) II e IV
termelétricas produz gás carbônico (CO2), um dos agentes c) I, II e IV
do efeito estufa. A tabela mostra a relação de emissão de d) I, III e IV
e) II,III e IV

87
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Competência 8
Competência
Faz-se necessário o conhecimento básico da biologia como
Apropriar-se de conhecimentos da biologia para, em genética, ecologia, biotecnologia, fisiologia, zoologia, bo-
situações-problema, interpretar, avaliar ou planejar tânica e outras áreas, além das implicações ambientais e
intervenções científico-tecnológicas. sociais de patologias, requisitando conhecimento prévio
em saúde pública.

Habilidades
H28 – Associar características adaptativas dos organismos
Analisar a diversidade dos seres vivos, bem como as carac-
com seu modo de vida ou com seus limites de distribui-
terísticas abióticas dos diferentes ecossistemas brasileiros
ção em diferentes ambientes, em especial em ambientes
para perceber a capacidade adaptativa de cada espécie.
brasileiros.

H29 – Interpretar experimentos ou técnicas que utilizam


A manipulação genética analisada em proveito dos avan-
seres vivos, analisando implicações para o ambiente, a
ços tecnológicos, interferindo na área ambiental, produ-
saúde, a produção de alimentos, matérias-primas ou pro-
tiva e de saúde.
dutos industriais.

H30 – Avaliar propostas de alcance individual ou coletivo, As campanhas de vacinação e de esclarecimento quanto
identificando aquelas que visam à preservação e à imple- às características de diversas doenças exigem analise bio-
mentação da saúde individual, coletiva ou do ambiente. lógica e principalmente social.

Anotações
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

88
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Texto 8

Infecções emergentes
e reemergentes
Desde o século XV, em consequência
das viagens transoceânicas e
das trocas comerciais.

Essas epidemias influenciaram o pensamento científico, teológico, po- deveria ser a busca de meios para
lítico e social, que prevaleceu nas sociedades medievais com interferên- redução das doenças crônico-dege-
cia, inclusive, na modernidade. Muitos dos avanços científicos associados nerativas e da violência. Essa im-
ao intenso progresso no entendimento, na cura e na prevenção das doen- pressão foi, entretanto, inteiramen-
ças frequentemente serviram para moldar a visão limitada e reducionista te equivocada (Tabela 1).
do mundo.
As doenças infecciosas durante o século XX pro-

Dan Queiroz
vocaram profundas transformações nos indicadores
demográficos, sociais, econômicos e de saúde, com re-
percussão expressiva nas condições da vida humana.
São de especial destaque as diarreias, cujo declí-
nio determinou queda significativa da mortalidade
geral e, principalmente, infantil, com reflexos posi-
tivos na expectativa de vida. Formou-se a crença de
que doenças infecciosas, fome, miséria, falta de sa-
neamento e baixo nível de instrução poderiam ser fa-
cilmente erradicados. Essa crença baseou-se no fato
de que a varíola havia sido erradicada e outras seis
doenças estavam em via de extinção, dentre elas a
poliomielite e a hanseníase. A principal preocupação

Tabela 1 — Fatores que contribuíram para a emergência das doenças infecciosas


Fatores principais Fatores específicos Doenças

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


Agricultura, represas, desmatamento e Esquistossomose, febres hemorrágicas,
Mudanças ecológicas, desenvolvimen- reflorestamentos, mudanças nos ecos- leishmaniose, disseminação das arbovi-
to econômico e manipulação da terra sistemas hídricos, enchentes e secas, roses (vírus sabiá/vírus rocio/encefalite,
fome, mudanças climáticas vírus mayaro oropuche/síndromes febris)
Crescimento populacional e migrações,
guerras e conflitos civis, deterioração Síndrome de imunodeficiência adqui-
Demografia e comportamentos
humana, adensamento populacional, rida, hepatites (B e C), dengue, tuber-
humanos
comportamento sexual, uso de drogas culose
venosas
Movimento internacional de pessoas e Malária, disseminação de mosquitos
Comércio e viagens internacionais
produtos, viagens aéreas vetores, cólera e dengue, influenza

89
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
Fatores principais Fatores específicos Doenças
Internacionalização do suprimento de
Encefalopatia espongiforme bovina,
alimentos, mudanças no processamen-
síndrome hemolítico-urêmica (E. coli
to e empacotamento de alimentos,
Indústria e tecnologia 0157:H7), hepatites B eC, doença de
transplante de órgãos e tecidos, dro-
Chagas, infecções oportunistas em pa-
gas determinantes de imunossupres-
cientes imunodeprimidos
são, uso inadequado de antibióticos
Variações naturais/mutações em vírus
Evolução dos microrganismos, pres- (HIV), bactérias (febre purpúrica brasi-
Adaptação e mudança dos agentes são seletiva e desenvolvimento de re- leira causada pelo H. influenzae), resis-
sistência tência aos antimicrobianos, antivirais,
antimaláricos e pesticidas, influenza
Saneamento e controle de vetores ina-
Estrangulamento nas medidas de saú-
dequados, cortes nos programas de Cólera, dengue, difteria
de pública
prevenção
Fonte: Morse

REVISTA MÉDICA. Minas Gerais, 2009; 19(2): 140-150 141.

Áreas de conhecimento exigidas para compreensão do texto:


Ficha de leitura

1 2 3 4 5
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

Conhecimentos prévios (das diversas áreas do conhecimento) que você precisou acessar da memória, necessários du-
rante a leitura:
1
2
3
4

Informações que você precisou pesquisar para compreender melhor o texto e interagir com ele durante e/ou após
a leitura:
1
2
90 3
4
ENEM-10
MENU PRINCIPAL

Itens
Associar características adaptativas dos organis- b) Apenas locais onde é possível o contato direto
mos com seu modo de vida ou com seus limites de com a natureza.
H28
distribuição em diferentes ambientes, em especial c) Locais que servem como áreas de proteção onde
em ambientes brasileiros. fatores bióticos são preservados.
d) Apenas os grandes biomas, por exemplo, Mata
Ecologia e ciências ambientais Atlântica, Mata Amazônica, Cerrado e Caatinga.
201. Enem e) Qualquer local em que haja relação entre fatores
bióticos e abióticos, seja ele natural ou urbano.
As mudanças climáticas e da vegetação ocorri-
das nos trópicos da América do Sul têm sido bem
203. Enem
documentadas por diversos autores, existindo um
grande acúmulo de evidências geológicas ou paleo- A maior parte dos mamíferos — especialmente
climatológicas que evidenciam as ocorridas durante o os grandes — não pode viver sem água doce. Para os
Quaternário nessa região. Elas resultaram em restri- mamíferos marinhos, água doce é ainda mais difícil
ção da distribuição das florestas pluviais, com expan- de ser obtida.
sões concomitantes de hábitats não florestais durante Focas e leões-marinhos captam água dos peixes
períodos áridos (glaciais), seguido da expansão das que consomem e alguns comem neve para obtê-Ia. Os
florestas pluviais e restrição das áreas não florestais peixes-boi procuram regularmente água doce nos rios.
durante períodos úmidos (interglaciais). As baleias e outros cetáceos obtêm água de seu ali-
Disponível em: <http://www.zoo.bio.ufpr.br>. Acesso em: 1º. maio 2009.
mento e de goladas de água do mar. Para tanto, os ce-
táceos desenvolveram um sistema capaz de lidar com
Durante os períodos glaciais, o excesso de sal associado à ingestão de água marinha.
a) as áreas não florestais ficam restritas a refúgios WONG, K. Os mamíferos que conquistaram os oceanos. In: Scientific
ecológicos devido à baixa adaptabilidade de es- American-Brasil. n. 5: dinossauros e outros monstros. Especial. (Adaptado)
pécies não florestais a ambientes áridos. A grande quantidade de sal na água do mar
b) grande parte da diversidade de espécies vegetais a) torna impossível a vida de animais vertebrados
é reduzida, uma vez que necessitam de condições nos oceanos.
semelhantes a dos períodos interglaciais. b) faz com que a diversidade biológica no ambiente
c) a vegetação comum ao cerrado deve ter se limita- marinho seja muito reduzida.
do a uma pequena região do centro do Brasil, da c) faz com que apenas os mamíferos adaptados à in-
qual se expandiu até atingir a atual distribuição. gestão direta de água salgada possam viver nos
d) plantas com adaptações ao clima árido, como o oceanos.
desenvolvimento de estruturas que reduzem a d) faz com que seja inapropriado seu consumo dire-
perda de água, devem apresentar maior área de to como fonte de água doce por mamíferos ma-
distribuição. rinhos, por exemplo, as baleias.
e) florestas tropicais como a amazônica apresentam e) exige de mamíferos que habitam o ambiente ma-
distribuição geográfica mais ampla, uma vez que rinho adaptações fisiológicas, morfológicas ou

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


são densas e diminuem a ação da radiação solar comportamentais que lhes permitam obter água
sobre o solo e reduzem os efeitos da aridez. doce.

202. E nem — Suponha que o chefe do departamento 204. Enem


de administração de uma empresa tenha feito um discur- Na Região Amazônica, diversas espécies de aves
so defendendo a ideia de que os funcionários deveriam se alimentam da ucuúba (Virola sebifera), uma árvo-
cuidar do meio ambiente no espaço da empresa. Um dos re que produz frutos com polpa carnosa, vermelha e
funcionários levantou-se e comentou que o conceito de nutritiva. Em locais onde essas árvores são abundan-
meio ambiente não era claro o suficiente para se falar so- tes, as aves se alternam no consumo dos frutos madu-
bre esse assunto naquele lugar. ros, ao passo que em locais onde elas são escassas, tu-
Considerando que o chefe do departamento de admi- canos-de-papo-branco (Ramphastus tucanos cuvieri)
nistração entende que a empresa é parte do meio ambien- permanecem forrageando nas árvores por mais tempo.
te, a definição que mais se aproxima dessa concepção é: Por serem de grande porte, os tucanos-de-papo-branco
a) Região que inclui somente cachoeiras, mananciais 91
e florestas.
ENEM-10
MENU PRINCIPAL
não permitem a aproximação de aves menores, nem c) utualismo.
m
mesmo de outras espécies de tucanos. d) comensalismo.
E nt re t a nt o, u m t uc a no de p or t e menor e) antibiose.
(Ramphastus vitellinus Ariel), ao longo de milhares
de anos, apresentou modificação da cor do seu papo, 206. E ncceja — O esquema seguinte representa as re-
do amarelo para o branco, de maneira que se tornou lações alimentares observadas numa área do Pantanal
semelhante ao seu parente maior. Isso permite que o Mato-Grossense.
tucano menor compartilhe as ucuúbas com a espécie lambaris
maior sem ser expulso por ela ou sofrer as agressões piranhas
normalmente observadas nas áreas onde a espécie Plantas aquáticas pacus
apresenta o papo amarelo.
capivaras ariranhas
PAULINO NETO, H. F. Um tucano ‘disfarçado’. In: Ciência
hoje. v. 252, p. 67-69, set. 2008. (Adaptado)
O fenômeno que envolve as duas espécies de tucano Selecione a melhor descrição das relações alimenta-
constitui um caso de res esquematizadas.
a) mutualismo, pois as duas espécies compartilham a) Plantas aquáticas servem de alimento para lamba-
os mesmos recursos. ris, pacus e capivaras. Piranhas alimentam-se de
b) parasitismo, pois a espécie menor consegue se lambaris e pacus. Já as ariranhas alimentam-se de
alimentar das ucuúbas. pacus e piranhas.
c) relação intraespecífica, pois ambas as espécies b) Plantas aquáticas servem de alimento para lam-
apresentam semelhanças físicas. baris, ariranhas e pacus. As capivaras sobrevivem
d) sucessão ecológica, pois a espécie menor está alimentando-se de ariranhas, lambaris, pacus e
ocupando o espaço da espécie maior. plantas aquáticas.
e) mimetismo, pois uma espécie está fazendo uso c) Os lambaris, os pacus e as capivaras são herbívoros.
de uma semelhança física em benefício próprio. As ariranhas se alimentam de vegetais e piranhas
que, por sua vez, se alimentam de lambaris e pacus.
205. Encceja — Os quadrinhos seguintes representam um d) Plantas aquáticas servem de alimento para lamba-
fenômeno comum na natureza. ris e ariranhas. Já os lambaris, pacus e capivaras
se alimentam de piranhas e ariranhas.
Esse pássaro come parasitas na pele e) A ariranha serve de alimento às piranhas.
dos rinocerontes

Interpretar experimentos ou técnicas que utilizam


seres vivos, analisando implicações para o am-
H29
biente, a saúde, a produção de alimentos, maté-
rias-primas ou produtos industriais.

Qualidade de vida das populações humanas


207. Enem
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

Mas eu só posso Droga de Do veneno de serpentes como a jararaca e a casca-


comer dois regime! vel, pesquisadores brasileiros obtiveram um adesivo
carrapatos por cirúrgico testado com sucesso em aplicações como
refeição!
e olha lá!! colagem de pele, nervos, gengivas e na cicatrização
de úlceras venosas, dentre outras. A cola é baseada
no mesmo princípio natural da coagulação do san-
gue. Os produtos já disponíveis no mercado utilizam
fibrinogênio humano e trombina bovina.
Nessa nova formulação são utilizados fibrinogê-
nio de búfalos e trombina de serpentes. A substitui-
GENANDSZNAJDER. Ciências — O Planeta Terra. 2ª. ed.
ção da trombina bovina pela de cascavel mostrou,
Analisando o quadrinho e as relações existentes entre
em testes, ser uma escolha altamente eficaz na cica-
os animais, podemos afirmar que entre a ave e o mamífe-
trização de tecidos.
92 ro há uma relação de
ERENO, D. Veneno que cola. Pesquisa Fapesp.
a) parasitismo.
ENEM-10

n. 158, abr. 2009. (Adaptado)


b) predatismo.
MENU PRINCIPAL
A principal vantagem desse novo produto biotecno- o problema, podem atuar em locais diferentes do local
lógico é “alvo” e desencadear efeitos além daqueles desejados.
a) estar isento de contaminações por vírus huma- Não seria perfeito se as moléculas dos medicamentos sou-
nos e permitir uma coagulação segura, ou seja, a bessem exatamente onde está o problema e fossem ape-
transformação do fibrinogênio em fibrina. nas até aquele local exercer sua ação? A técnica conheci-
b) estimular o sistema imunológico a produzir anticor- da como iontoforese, indolor e não invasiva, promete isso.
pos que irão transformar as moléculas de protrom- Como mostram as figuras, essa nova técnica baseia-se
bina em trombina com a participação de íons cálcio. na aplicação de uma corrente elétrica de baixa intensida-
c) evitar rejeições pelos pacientes que utilizam essa de sobre a pele do paciente, permitindo que fármacos
técnica e dessa forma transformar eficientemen- permeiem membranas biológicas e alcancem a corrente
te a trombina em protrombina, responsáveis pela sanguínea, sem passar pelo estômago. Muitos pacientes
coagulação. relatam apenas um formigamento no local de aplicação.
d) aumentar a formação do tampão plaquetário uma O objetivo da corrente elétrica é formar poros que permi-
vez que a trombina é uma enzima que transforma tam a passagem do fármaco de interesse. A corrente elé-
a fibrina em fibrinogênio que estimula a produ- trica é distribuída por eletrodos, positivo e negativo, por
ção de plaquetas. meio de uma solução aplicada sobre a pele. Se a molécula
e) esterilizar os locais em que é aplicado graças à do medicamento tiver carga elétrica positiva ou negativa,
ação antibiótica da trombina e o aumento da sín- ao entrar em contato com o eletrodo de carga de mesmo
tese dos fatores de coagulação no fígado com a sinal, ela será repelida e forçada a entrar na pele (eletror-
participação dos íons potássio. repulsão — A). Se for neutra, a molécula será forçada a
entrar na pele juntamente com o fluxo de solvente fisio-
208. Enem — Planos de controle e erradicação de doen- lógico que se forma entre os eletrodos (eletrosmose — B).
ças em animais envolvem ações de profilaxia e dependem
em grande medida da correta utilização e interpretação
de testes diagnósticos. O quadro mostra um exemplo hi-
potético de aplicação de um teste diagnóstico.

Condição real
dos animais
Total
Resultado Não
Infectado
do teste infectado
Positivo 45 38 83
Negativo 5 912 917
Total 50 950 1 000
BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Manual
Técnico do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose
e da Tuberculose Animal — PNCEBT. Brasília: Mapa, 2006. (Adaptado)

Considerando que, no teste diagnóstico, a sensibili-


dade é a probabilidade de um animal infectado ser classi-
ficado como positivo e a especificidade é a probabilidade

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


de um animal não infectado ter resultado negativo, a in-
terpretação do quadro permite inferir que
a) a especificidade aponta um número de 5 falsos
positivos.
b) o teste, a cada 100 indivíduos infectados, classi-
ficaria 90 como positivos. GRATIERI, T; GELFUSO, G. M.; LOPES, R. F. V. Medicação do
futuro — iontoforese facilita entrada de fármacos no organismo.
c) o teste classificaria 96 como positivos em cada Ciência Hoje. v. 44, n. 259, maio 2009. (Adaptado)
100 indivíduos não infectados. De acordo com as informações contidas no texto e nas
d) ações de profilaxia são medidas adotadas para o figuras, o uso da iontoforese
tratamento de falsos positivos. a) provoca ferimento na pele do paciente ao serem
e) testes de alta sensibilidade resultam em maior nú- introduzidos os eletrodos, rompendo o epitélio.
mero de animais falsos negativos comparado a b) aumenta o risco de estresse nos pacientes, causa-
um teste de baixa sensibilidade. do pela aplicação da corrente elétrica.
c) inibe o mecanismo de ação dos medicamentos 93
209. Enem — Um medicamento, após ser ingerido, atin- no tecido-alvo, pois estes passam a entrar por
ENEM-10

ge a corrente sanguínea e espalha-se pelo organismo, meio da pele.


mas, como suas moléculas “não sabem” onde é que está
MENU PRINCIPAL
d) diminui o efeito colateral dos medicamentos, se a) adicionar vitamina A na ração não resolve o pro-
comparados com aqueles em que a ingestão se blema do criador, pois há ganho de peso com ou
faz por via oral. sem vitamina.
e) deve ser eficaz para medicamentos constituídos de b) a vitamina A provocou redução no peso dos fran-
moléculas polares e ineficaz, se essas forem apolares. gos, cujo peso médio foi sempre menor que o dos
frangos que não receberam vitamina A; logo, não
210. Encceja deve ser usada.
c) os frangos que não receberam a vitamina A cres-
Pesquisas realizadas na França mostraram que
ceram mais que os que a receberam, especialmen-
um aumento de 10% do número de médicos por ha-
te depois do 10º. dia, um motivo para abandonar
bitante provoca uma redução de 0,3% na mortalida-
a vitamina A.
de da população.
d) enriquecer a ração com vitamina A parece ser
Em compensação, uma diminuição de 10% no
uma boa estratégia, uma vez que a diferença de
consumo de lipídios (gorduras) reduz a mortalida-
peso entre os dois grupos foi sempre crescente e
de em 2,5%.
WALDMANN, Maurício; SCHNEIDER, Dan. Guia
progressiva.
ecológico doméstico. São Paulo: Contexto, 2000. e) A quantidade de vitamina A usada é inversamente
De acordo com o texto, pode-se afirmar que proporcional ao crescimento das aves.
a) investir no atendimento médico da população é mais
eficaz do que mudar os hábitos de alimentação. Hereditariedade e diversidade de vida
b) embora os hábitos saudáveis de alimentação de- 212. Enem — A Embrapa possui uma linhagem de soja
vam ser praticados, pouco resolvem quando o de- transgênica resistente ao herbicida IMAZAPIR. A planta
safio é reduzir a mortalidade. está passando por testes de segurança nutricional e am-
c) a carência de lipídios na alimentação aumenta a biental, processo que exige cerca de três anos. Uma li-
mortalidade. nhagem de soja transgênica requer a produção inicial de
d) para melhorar a saúde da população, é mais van- 200  plantas resistentes ao herbicida e destas são selecio-
tajoso prevenir que remediar. nadas as dez mais “estáveis”, com maior capacidade de ge-
e) se o objetivo é reduzir a mortalidade, a melhor re- rar descendentes também resistentes. Esses descendentes
ceita é aumentar o número de médicos. são submetidos a doses de herbicida três vezes superiores
às aplicadas nas lavouras convencionais. Em seguida, as
211. Encceja — Para verificar o efeito da vitamina A sobre cinco melhores são separadas e apenas uma delas é levada
o crescimento de frangos, realizou-se o seguinte experimento: a testes de segurança. Os riscos ambientais da soja trans-
¬ ¬ 30 pintos de um dia, de mesma raça e no mesmo gênica são pequenos, já que ela não tem possibilidade de
estágio de desenvolvimento, foram separados em cruzamento com outras plantas e o perigo de polinização
dois grupos, I e II, e mantidos sob as mesmas con- cruzada com outro tipo de soja é de apenas 1%.
dições ambientais; A soja transgênica, segundo o texto, apresenta baixo
¬ ¬ foram preparadas rações com os mesmos compo- risco ambiental porque
nentes e a uma delas acrescentou-se vitamina A; a) a resistência ao herbicida não é estável e assim
¬ ¬ o grupo I foi alimentado durante 20 dias com ra- não passa para as plantas-filhas.
ção que recebeu vitamina A; o grupo II, ao contrá- b) as doses de herbicida aplicadas nas plantas são
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

rio, durante os 20 dias recebeu ração sem vitami- 3  vezes superiores às usuais.
na A. A cada dois dias, os frangos foram pesados. c) a capacidade da linhagem de cruzar com espécies
Decorridos 20 dias, os resultados da pesagem foram selvagens é inexistente.
registrados no gráfico a seguir. d) a linhagem passou por testes nutricionais e após
três anos foi aprovada.
Gráfico comparativo da variação
de peso médio dos frangos e) a linhagem obtida foi testada rigorosamente em
relação a sua segurança.
150
Peso (em gramas)

Grupo A (com vitamina A)


Grupo B (com vitamina B)
100
Avaliar propostas de alcance individual ou coletivo,
50 identificando aquelas que visam à preservação e
H30
a implementação da saúde individual, coletiva ou
0
2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 do ambiente.
Dias de pesagem
94
Considerando que os frangos devem ganhar peso ra- Transformação química e equilíbrio
ENEM-10

pidamente, os resultados indicam que 213. Enem — Exageros do final de semana podem levar
o indivíduo a um quadro de azia. A azia pode ser descrita
MENU PRINCIPAL
como uma sensação de queimação no esôfago, provocada desse mal. O diabetes surge de uma alteração no meta-
pelo desbalanceamento do pH estomacal (excesso de ácido bolismo da glicose, açúcar obtido dos alimentos, especial-
clorídrico). Um dos antiácidos comumente empregados no mente os ricos em carboidratos.
combate à azia é o leite de magnésia. Marcos trabalha no comércio e tem pouco tempo dis-
O leite de magnésia possui 64,8 g de hidróxido de ponível para o almoço. Por esse motivo e por questões
magnésio (Mg(OH)2) por litro da solução. Qual a quanti- econômicas, ele prefere fazer diariamente uma refeição
dade de ácido neutralizado ao se ingerir 9 mL de leite de rápida e de baixo custo na lanchonete mais próxima e dis-
magnésia? põe das seguintes opções:
Dados: Massas molares (em g .mol –1): Mg = 24,3; I. Salada de legumes, arroz integral e peixe.
Cℓ = 35,4; 0 = 16; H = 1 II. Hambúrguer, batata frita e suco de frutas.
a) 20 mol III. Sopa de legumes sem massa com torradas.
b) 0 ,58 mol IV. Macarrão, bife e refrigerante.
c) 0,2 mol Considerando que Marcos tem histórico da doença na
d) 0 ,02 mol família, poderá ter maior probabilidade de adquirir o dia-
e) 0,01 mol betes a longo prazo ao se alimentar com mais frequência
das opções:
Qualidade de vida das populações humanas a) I e III.
214. Enem b) II e IV.
c) I e II.
Nos últimos 60 anos, a população mundial du-
d) III e II.
plicou, enquanto o consumo de água foi multiplica-
e) IV e I.
do por sete.
Da água existente no planeta, 97% são de água sal-
216. Encceja — Lavar as mãos com sabonete reduz sig-
gada (mares e oceanos), 2% formam geleiras inacessí-
nificativamente a proliferação da pneumonia e da diarreia,
veis e apenas 1% corresponde à água doce, armazena-
as duas principais causas de morte no mundo em crianças
da em lençóis subterrâneos, rios e lagos. A poluição
menores de 5 anos. Esses resultados foram obtidos de estu-
pela descarga de resíduos municipais e industriais,
dos financiados por uma empresa de produtos de beleza e
combinada com a exploração excessiva dos recursos
limpeza, no Paquistão, onde os pesquisadores examinaram
hídricos disponíveis, ameaça o meio ambiente, com-
900 domicílios. Analise os dados da pesquisa na tabela.
prometendo a disponibilidade de água doce para o
abastecimento das populações humanas. Se esse rit- Quantidade de casos em 100 pessoas/semana
mo se mantiver, em alguns anos a água potável tor- número de casos
nar-se-á um bem extremamente raro e caro. quando as mãos número de casos
MORAES, D. S. L.; JORDAO, B. O. Degradação de recursos doença
são lavadas com sem lavar as mãos
hídricos e seus efeitos sobre a saúde humana. In: Saúde
pública, São Paulo, v. 36, n. 3, Jun. 2002 (Adaptado). sabão comum
Considerando o texto, uma proposta viável para con- pneumonia 2.20 4.40
servar o meio ambiente e a água doce seria diarreia 1.91 4.06
a) fazer uso exclusivo da água subterrânea, pois ela LANCER. Scientific American. ano 4, n. 42. (Adaptado)
pouco interfere na quantidade de água dos rios. A tabela mostra que

Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias


b) desviar a água dos mares para os rios e lagos, de a) o hábito de lavar as mãos é dificultado pela ca-
maneira a aumentar o volume de água doce nos rência econômica da região.
pontos de captação. b) o hábito de lavar as mãos foi suficiente para redu-
c) promover a adaptação das populações humanas zir em mais de 50% os casos de diarreias infantis.
ao consumo da água do mar, diminuindo assim a c) o sabonete foi mais eficiente para evitar a pneu-
demanda sobre a água doce. monia e a diarreia.
d) reduzir a poluição e a exploração dos recursos na- d) os dados da pesquisa servem exclusivamente para
turais, otimizar o uso da água potável e aumentar influenciar a compra do produto produzido pela
captação da água da chuva. empresa.
e) realizar a descarga dos resíduos municipais e in- e) o uso de sabonete foi insuficiente para diminuir os
dustriais diretamente nos mares, de maneira a casos das doenças na população estudada.
não afetar a água doce disponível.
217. Encceja — Para prevenir doenças como ascaridíase
215. Encceja — O número de pessoas diabéticas vem e giardíase, uma das medidas mais recomendadas é: 95
crescendo muito nos últimos anos. Estima-se que atual- a) a vacinação das crianças em idade escolar.
ENEM-10

mente haja no Brasil 10 milhões de pessoas acometidas b) a higienização dos alimentos, em geral.
MENU PRINCIPAL
c) a cloração da água distribuída às residências. Para se evitar o aparecimento de corrimentos vagi-
d) o controle sistemático dos insetos que as trans- nais, deve-se
mitem. I. fazer higiene externa, diariamente, com sabonete
e) o estímulo à medicação eficiente no início dos neutro.
sintomas. II. comer iogurtes com lactobacilos.
III. usar o preservativo — camisinha — nas relações
218. Encceja sexuais.
A vaginose bacteriana é uma patogenia causa- Estão corretos os procedimentos
da por um desequilíbrio ecológico da f lora vagi- a) I e II, apenas.
nal, na qual as bactérias protetoras (Lactobacilus b) I e III, apenas.
acidophilus) são substituídas por outras bactérias, c) II e III, apenas.
provocando um corrimento de odor fétido. d) I, II e III.
COSTA, Carlos Antônio da. Ginecologia. e) apenas o II.
n. 4, ano I, jul. 2003. (Adaptado)

Respostas
1. E 39. C 77. D 106. A 144. C 182. D
2. D 40. D 78. D 107. A 145. C 183. E
3. D 41. B 79. B 108. D 146. C 184. D
4. C 42. B 80. D 109. B 147. B 185. A
5. B 43. D 81. B 110. C 148. B 186. A
6. C 44. B 82. C 111. B 149. E 187. D
7. A 45. D 83. Apresentar co- 112. E 150. D 188. B
8. D 46. E nhecimento em le- 113. B 151. E 189. B
gislação ambiental,
9. D 47. E 114. C 152. C 190. A
usando argumentos
10. E 48. C como política am- 115. D 153. C 191. B
11. E 49. D biental, ética, susten- 116. C 154. B 192. A
tabilidade, interesses
12. E 50. D 117. E 155. D 193. A
político-comerciais,
13. C 51. C direcionando o texto 118. E 156. A 194. A
14. E 52. C as possibilidades e as 119. C 157. C 195. C
limitações da ação es-
15. C 53. A 120. A 158. B 196. B
colhida.
16. C 54. D 121. D 159. A 197. B
84. B
17. E 55. D 122. D 160. D 198. A
85. E
18. E 56. C 123. E 161. B 199. D
86. A
19. E 57. C 124. B 162. E 200. E
87. C
20. E 58. C 125. A 163. C 201. D
88. B
21. B 59. D 126. D 164. E 202. E
89. B
22. C 60. E 127. A 165. D 203. E
90. D
23. D 61. E 128. B 166. E 204. E
91. B
24. E 62. A 129. C 167. D 205. C
Enem ∙ Ciências da natureza e suas tecnologias

92. B
25. C 63. E 130. C 168. E 206. A
93. A
26. A 64. E 131. D 169. E 207. A
94. C
27. C 65. C 132. A 170. D 208. B
95. C
28. A 66. E 133. A 171. A 209. D
96. C
29. B 67. B 134. C 172. C 210. D
97. A
30. A 68. A 135. C 173. B 211. D
98. C
31. B 69. A 136. C 174. E 212. C
99. D
32. D 70. C 137. D 175. B 213. D
100. D
33. A 71. C 138. C 176. A 214. D
101. A
34. B 72. D 139. D 177. D 215. B
102. A
35. E 73. D 140. D 178. B 216. C
103. B
36. B 74. E 141. E 179. C 217. B
104. C
37. C 75. C 142. E 180. C 218. B
105. C
96 38. A 76. C 143. D 181. D
ENEM-10

MATESC MATERIAL ESCOLAR LTDA. | Av. Mal. Humberto de Alencar Castelo Branco, 800 – Cristo Rei | 82 530-020 | Curitiba – PR | Tel.: (41) 3218-5500

Você também pode gostar