Você está na página 1de 24

CONSTRUÇÃO DE SABERES LITERÁRIOS NA

CIBERCULTURA: O ALUNO COMO PROTAGONISTA

Me. Elaine Cristina Amorin


(Centro Educacional Criarte e Colégio Braga Mello)
elaine_amorin@yahoo.com.br
MULTILETRAMENTOS
• A experiência de leitura com o advento da Tecnologia da
Informação (TICs) permitiu mudanças nas relações
estabelecidas entre livro e leitor e, podem ocorrer em
caráter de colaboração no ambiente digital, possibilitado
inúmeras trocas de sentidos e experiências entre leitores.
• O objetivo da educação literária na modernidade deve ser
repensada e ponderada a partir dos conceitos apresentados
pelo Multiletramentos- New London Group (1996):
1) a proliferação de formas multimodais de fazer sentido,
onde a palavra escrita é cada vez mais parte integrante do
visual, do áudio, e de padrões espaciais;
2) a importância crescente da diversidade cultural e
linguística caracterizada pela diversidade local e pela
conectividade global.
• Ambientes hipermidiáticos = diferentes usos da linguagem: e-mail,
messenger, fóruns virtuais, chats, blogs, vídeos, entre outros.

• Ação intercultural maneira como se enxerga o “outro”


maneira de ser e estar no mundo
maneira de compartilhar experiências
maneira que se dialoga, interage e relaciona com o “outro”

• Produção cultural híbrida: cultura popular/ erudita ; central/marginal (ROJO,


2012)

• Possibilitar a experimentação com outros gêneros do discurso considerados


impuros ;

• A Multimodalidade apresenta textos compostos de muitas linguagens que


exigem diferentes capacidades de compreensão.
Era um mapa que mostrava cada detalhe
dos terrenos do castelo de Hogwarts. O mais
notável, contudo, eram os pontinhos
mínimos de tinta que se moviam em torno
do mapa, cada um com um rótulo em letra
minúscula [...] E quando os olhos de Harry
percorreram os corredores que tão bem
conhecia, ele notou uma coisa. O mapa
mostrava um conjunto de passagens em que
ele nunca entrara (O Prisioneiro, p.160).
OS 13 PORQUÊS –
JAY ASHER
THE THIRTEEN
REASONS WHY
VIDA DE DROGAS – WALCYR
CARRASCO
UM GAROTO CONSUMISTA
NA ROÇA – JÚLIO
MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE
BRÁS CUBAS – MACHADO DE
ASSIS
OS JOGOS VORAZES –
SUZANNE COLLINS
HARRY POTTER E
A PEDRA
FILOSOFAL – J.K.
ROWLING
CONSIDERAÇÕES...
 O professor precisa ser o mediador,
estabelecendo um caráter dialógico da
obra literária com o seu aluno;

 Processo de aprendizagem a partir da


constituição de um conhecimento
colaborativo;

 O aluno precisa se sentir como parte


do processo de leitura e não um mero
expectador;

 A cibercultura não admite um método


único ou homogêneo, ou seja, são
métodos múltiplos para sujeitos
múltiplos.

 Necessidade de ressignificar o espaço


da sala de aula - multimodalidades
 Há quem leve a vida inteira a ler sem nunca ter
conseguido ir mais além da leitura, ficam
pregados à página, não percebem que as
palavras são apenas pedras postas a atravessar a
corrente de um rio, se estão ali é pra que
possamos chegar à outra margem é o que
importa. A não ser, A não ser, quê, A não ser que
esses tais rios não tenham duas margens, mas
muitas, que cada pessoa que lê seja, ela, a sua
própria margem, e que seja sua, e apenas sua, a
margem que terá de chegar (SARAMAGO).