Você está na página 1de 3

Avaliação de Estilos de Aprendizagem Específicos

Assinala na escala, o grau em que te situas perante cada uma das afirmações, considerando
que: “a afirmação adequa-se a “mim” (3 e 4) ou “a afirmação não se adequa a “mim” (1 e 2)

Nº Itens 1 2 3 4
1 Quando ao estudar construo modelos, esquemas, etc., relembro melhor o que aprendi
2 Os trabalhos escritos são, para mim, fáceis de fazer
3 Aprendo melhor se for alguém a ler-me um livro, do que for eu a lê-lo em silêncio
4 Consigo produzir mais quando trabalho sozinho
5 Lembro melhor o que li do que o que ouvi
6 Ao responder a perguntas faço-o melhor oralmente do que por escrito
7 Se precisar de ajuda peço-a a um colega
8 Não me importo de fazer trabalhos escritos
9 Recordo melhor as coisas que oiço do que as que leio
10 Gosto de trabalhar sozinho
11 Prefiro ler do que ouvir
12 Prefiro mostrar e explicar oralmente como algo funciona do que fazê-lo por escrito
13 Gosto de trabalhar em grupo porque aprendo com os outros
14 Escrever várias vezes uma palavra nova e difícil ajuda-me a fixá-la melhor
15 Para mim é mais fácil lembrar o que ouvi do que o que li
16 Aprendo melhor quando estudo sozinho
17 Quando posso escolher entre ouvir ou ler, geralmente opto por ler
18 Julgo que falo melhor do que escrevo
19 Consigo produzir mais quando trabalho com alguém
20 Gosto de trabalhos manuais
21 Parecem-me melhores as coisas que escrevo do que as que digo
22 Estudo melhor quando não tenho ninguém à volta com quem falar ou a quem ouvir
23 Tenho boas classificações nas disciplinas em que a informação tem por base a leitura
24 Se o trabalho de casa fosse oral fá-lo-ia sempre
25 Consigo aprender mais sobre um tema quando me junto com alguns colegas
26 Gosto de fazer coisas que impliquem as mãos
27 Gosto de testes de completar frases ou elaborar respostas escritas
28 Compreendo melhor um assunto a partir de discussões orais do que por leituras
29 Aprendo melhor lendo do que ouvindo
30 Prefiro contar uma história do que escrevê-la
31 Gosto de estudar com outras pessoas
32 Compreendo melhor um assunto quando construo qualquer coisa com ele relacionada
33 As coisas que escrevo parecem-me melhores do que as que digo
34 Tenho bons resultados em testes que tratem de assuntos revistos oralmente na aula
35 Compreendo melhor as coisas quando trabalho sozinho do que com outra pessoa
Correcção:

Correspondência entre as perguntas constantes no questionário e os vários estilos de


aprendizagem:

1. Linguagem Visual: 5, 11, 17, 23, 29


2. Linguagem Auditiva: 3, 9, 15, 28, 34
3. Linguagem Cinestésica Auditiva Visual: 1, 14, 20, 26, 32
4. Aprendizagem Individual: 4, 10, 16, 22, 35
5. Aprendizagem em Grupo: 7, 13, 19, 25, 31
6. Expressão Oral: 6, 12, 18, 24, 30
7. Expressão Escrita: 2, 8, 21, 27, 33

Nota 1: Devem contar pela positiva as respostas com 3 e 4, as outras (1 e 2) devem contar
igualmente, mas pela negativa.

Nota 2: Os estilos de aprendizagem não são deterministas, pode dar-se o caso de um aluno se
situar claramente em determinado estilo e querer trabalhar competências para desenvolver
outro.

______________________________________________________________________

ESTILOS DE APRENDIZAGEM
Estilo Técnicas de Ensino
Beneficia com um uso de grande variedade de livros,
Linguagem Visual folhetos, ou outro material escrito em diversos níveis de
dificuldade.
Aprende facilmente quando vê palavras escritas,
Poderá aprender mais se o deixarmos sozinho com um
mapas ou fichas/dossiers de trabalho.
livro por algum tempo, do que se estiver a participar na
Provavelmente escreve palavras que lhe foram
aula.
transmitidas oralmente, a fim de aprender melhor.
Certifique-se que o aluno teve acesso à informação
Relembra e usa informação mais facilmente quando a
considerada importante, por via escrita, ou se tirou notas
leu.
sobre essa informação.
Linguagem Auditiva Beneficia com a audição de gravações, com a prática oral,
com exposição do professor, ou discussão em classe.
Aprende melhor ouvindo palavras. O aluno vocaliza
Poderá ser-lhe útil fazer gravações e ouvi-las, ensinar um
ou mexe os lábios à medida que lê, especialmente se
colega, ou conversas com o professor.
estiver a tentar compreender matéria nova.
Trabalho em grupo e jogos ou actividades de interacção,
Compreenderá ou relembrará melhor palavras ou
poderão igualmente fornecer o input auditivo que o aluno
factos que aprendeu ouvindo.
necessita.

Combinação Cinestésico, Auditivo e Visual


Aprende melhor experimentando e fazendo, A este aluno deve ser dado mais do que somente um
envolvendo-se activamente na aprendizagem. trabalho de leitura ou de resolução numérica.
Necessita de uma combinação de estímulos, O professor deve envolvê-lo com outros colegas e dar-lhe
manipulando material, em combinação com a uma actividade que se relacione com o problema a
visualização e audição da informação. resolver.
Parece não ser capaz de compreender ou de se Pode também ser fornecido ao aluno um conjunto de
concentrar no trabalho a não ser que esteja materiais como cassetes áudio, desenhos, esquemas,
completamente envolvido. objectos vários e ser-lhe pedida uma actividade que
Procura manipular, tocar e trabalhar com o que está a envolva desenho, escrita, envolvimento físico de
aprender. manipulação, exploração, etc.
Algumas vezes se identifica quando sente necessidade
de ir escrevendo, ou de manear os dedos.
Aprende Individualmente Precisa de ter oportunidades para realizar as suas
Produz mais quando trabalha sozinho. Raciocina aprendizagens sozinho. Se necessita que ele tenha
melhor e recorda mais quando aprendeu por ele socialização, deve utilizar uma actividade fora da aula.
próprio. Deixe-o ir para um canto ou para a biblioteca trabalhar
Dá mais importância às suas próprias ideias do que às sozinho. Não o force a fazer um trabalho de grupo se isso o
dos outros. torna desconfortável, porque isso o distrai ou atrasa o seu
É um aluno que não interage em excesso com os rendimento.
colegas durante a aula.
Aprende em Grupo
Este aluno prefere trabalhar em grupo ou com outro Necessita de realizar a sua aprendizagem com ias alguém.
aluno e não produzirá tanto se trabalhar sozinho. A estimulação do grupo é importante em certos momentos
Dá valor às opiniões e preferências dos outros. do processo de aprendizagem do que noutros, devendo o
A interacção aumenta a sua aprendizagem e posterior professor identificar quando esses momentos devem ser
reconhecimento de factos. criados para o aluno.
Observando a turma o professore detectará quanto a
socialização é importante para ele.
Expressivo Oral
Comunica o que sabe com facilidade. Fala
fluentemente, confortavelmente e parece ser capaz de Dar ao aluno oportunidades para fazer relatos orais em vez
dizer o que aprendeu. de escritos.
Por vezes o professor descobre ao falar com ele que Deve ser avaliado mais pelo que diz do que pelo que
sabe muito mais do que os testes demonstram. escreve, quer seja em diálogo, em pequeno ou grande
Provavelmente não se sente embaraçado em grupo.
comunicar relatos de trabalhos ou a falar para a turma Os relatos podem ser gravados para poupar tempo da aula.
e para o professor. Isto não invalida a exigência de um mínimo de trabalho
A coordenação motora envolvida na escrita poderá ser escrito, de boa qualidade, legível e bem estruturado.
difícil para ele.
A organização e expressão dos pensamentos no papel
poderão ser lentos e tidos como enfadonhos por este
aluno.
Expressivo Escrito
Precisa de ter oportunidade de escrever relatos, manter
O aluno escreve composições fluentes, respostas
cadernos de notas e outros escritos para efeitos de
completas e textos bem elaborados.
avaliação e responder a testes que lhe sejam apresentados
Demonstra melhor os seus conhecimentos pela
por escrito. A comunicação oral dos conhecimentos do
escrita.
aluno deverá ser feita em condições em que o aluno não se
Sente-se melhor na escrita, do que quando tem de dar
sinta sob pressão e talvez em diálogos um-a-um com o
respostas orais.
professor.
Os seus pensamentos são melhor organizados no
papel do que quando apresentados oralmente.

Inventário de Estilos de Aprendizagem


Randol, P. (1976). Project CITE. Wichita Public Schools.
Adapt. Jesuíta Fonseca