Você está na página 1de 21

www.cers.com.

br 1
ALTERAÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO

www.cers.com.br 2
www.cers.com.br 3
www.cers.com.br 4
01. (Advogado – EMBASA – CESPE ) Com relação às disposições para a proteção do empregado e altera-
ção do contrato de trabalho, julgue os itens que se seguem.

Ao empregador é vedado transferir o empregado, sem a sua anuência, para localidade diversa da que resultar do
contrato, considerando-se transferência a que acarrete, necessariamente, a mudança de domicílio.

( ) CERTO ( ) ERRADO

SUCESSÃO TRABALHISTA

02. (Analista – Processual – MPU – CESPE) Acerca das relações de trabalho, julgue o item a seguir.
Considere que, em determinada empresa, ocorra sucessão de empregadores causada por falecimento dos donos.
Nessa situação, o contrato de trabalho dos empregados dessa empresa pode ser mantido, rescindido ou alterado,
devendo os trabalhadores, no caso de rescisão, receber notificação prévia acerca do final de seus contratos.

( ) CERTO ( ) ERRADO

RESPONSABILIDADE DOS SÓCIOS E EX-SÓCIOS

03. Banca: FCC Órgão: TRT - 15ª Região (SP) Prova: FCC - TRT - 15ª Região (SP) - Analista Judiciário -
Área Administrativa. Sobre grupo econômico e implicações no contrato de trabalho, considere:

I. As empresas que integram um grupo econômico respondem solidariamente pelas obrigações decorrentes da
relação de emprego, quando, mesmo guardando cada uma delas personalidade jurídica própria, estiverem sob a
direção, controle ou administração de outra, exceto se possuírem cada uma sua autonomia.

www.cers.com.br 5
II. Para a configuração do grupo econômico, é necessário que haja identidade de sócios, independentemente da
demonstração de interesse integrado, comunhão de interesses e a atuação conjunta das empresas dele integran-
tes.
III. O sócio retirante responde subsidiariamente pelas obrigações trabalhistas da sociedade relativas ao período
em que figurou como sócio, somente em ações ajuizadas até dois anos depois de averbada a modificação do
contrato, observada a ordem de preferência.
IV. O sócio retirante responderá subsidiariamente com os demais quando ficar comprovada fraude na alteração
societária decorrente da modificação do contrato.

Está correto o que consta de

A) II, apenas.
B) I e III, apenas.
C) I e IV, apenas.
D) III, apenas.
E) I, II, III e IV.

7. SUSPENSÃO E INTERRUPÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO. 7.1 CARACTERIZAÇÃO E DISTINÇÃO

A interrupção e a suspensão são dois institutos que inviabilizam a extinção do contrato de trabalho.

No caso da interrupção, a empresa continua pagando salários ao empregado e o período será computado como
tempo de serviço. Interrompem o contrato de trabalho, por exemplo, as férias, o DSR e o afastamento do empre-
gado por doença até o 15º dia, licença maternidade, etc.

Já na suspensão, o empregado não recebe pelo tempo inativo e tal período não conta como tempo de serviço.
Acarretam a suspensão do contrato de trabalho a falta injustificada, o período de greve, etc.

www.cers.com.br 6
www.cers.com.br 7
www.cers.com.br 8
04. (Advogado da União – AGU – CESPE) No que se refere a alteração, suspensão, interrupção e extinção
do contrato de trabalho, julgue os próximos itens.

A suspensão do contrato de trabalho importará na rescisão indireta do contrato de trabalho apenas se for decreta-
da por período superior a sessenta dias.

( ) CERTO ( ) ERRADO

05. Banca: CESPE Órgão: TRT - 7ª Região (CE) Prova: CESPE- TRT - 7ª Região (CE) - Analista Judiciário - Área
Administrativa. Configura situação de suspensão do contrato de trabalho

A) ausência para alistamento eleitoral.


B) usufruto de repousos semanais remunerados e feriados.
C) falta injustificada ao serviço.
D) gozo de licença paternidade.

RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO. 8.1 JUSTA CAUSA. 8.2 RESCISÃO INDIRETA. 8.3 DISPENSA
ARBITRÁRIA. 8.4 CULPA RECÍPROCA. 8.5 INDENIZAÇÃO. 9 AVISO PRÉVIO.

O término do contrato de trabalho é a acabamento do vínculo de emprego, com a extinção das obrigações para os
contratantes, significa o fim da relação entre as partes, que, como será estudado, poderá ocorrer de várias formas,
por exemplo: pedido de demissão, extinção sem justo motivo, por justa causa, culpa recíproca, força maior, culpa
recíproca e por mutuo consentimento.

As verbas rescisórias representam um conjunto de verbas devidas ao empregado no momento da ruptura do


contrato de trabalho.

www.cers.com.br 9
Basicamente fazem parte do conglomerado das verbas rescisórias: o saldo de salário (correspondente aos dias
trabalhados pelo empregado no mês do comunicado da rescisão), o aviso-prévio (trabalhado ou indenizado e pro-
porcional ao tempo de serviço, de acordo com as regras estudadas abaixo), férias simples, vencidas e proporcio-
nais acrescidas de 1/3, 13º salário (serão estudadas em aula especifica), liberação dos valores depositados no
FGTS, acrescidos de multa de 40% e entrega das guias para solicitação do seguro-desemprego.

-Formalização da extinção

Art. 477. Na extinção do contrato de trabalho, o empregador deverá proceder à anotação na Carteira de Trabalho
e Previdência Social, comunicar a dispensa aos órgãos competentes e realizar o pagamento das verbas rescisó-
rias no prazo e na forma estabelecidos neste artigo.

§ 4o O pagamento a que fizer jus o empregado será efetuado: I - em dinheiro, depósito bancário ou cheque
visado, conforme acordem as partes; ou (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017. II - em dinheiro ou
depósito bancário quando o empregado for analfabeto.
§ 6o A entrega ao empregado de documentos que comprovem a comunicação da extinção contratual aos ór-
gãos competentes bem como o pagamento dos valores constantes do instrumento de rescisão ou recibo de
quitação deverão ser efetuados até dez dias contados a partir do término do contrato. (Redação
dada pela Lei nº 13.467, de 2017)
§ 10. A anotação da extinção do contrato na Carteira de Trabalho e Previdência Social é documento hábil
para requerer o benefício do seguro-desemprego e a movimentação da conta vinculada no Fundo de Garantia
do Tempo de Serviço, nas hipóteses legais, desde que a comunicação prevista no caput deste artigo tenha sido
realizada. (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)

Estudaremos agora duas das verbas mais exigidas nas provas, aviso prévio e FGTS.
Aviso prévio - Arts. 487 a 491 CLT, no art. 7º, XXI, CF e na Lei 12.506/2011

Justa causa

Na extinção
Na extinção
Não se por culpa
por acordo
recíproca
Factum aplica Força
principis Maior
aviso O aviso
prévio será
prévio reduzido
pela metade

Morte do
empregado

A lei do aviso prévio proporcional (nº 12.506/2011) não é esclarecedora quanto a contagem do prazo, tanto é que
a o Ministério do Trabalho e emprego emitiu uma nota técnica de nº 184 da SRT/MTE, esclarecendo que o aviso
prévio proporcional – pago pelo empregador, se dá da seguinte forma: Com um ano incompleto de serviço o em-
prego terá direito há 30 dias de aviso prévio, completado 1 (um) ano o empregado terá direito a 33 dias de aviso
prévio, com acréscimo de 03 (três) dias por cada ano completo, no limite de 90 (noventa) dias. Excluindo-se o dia
do começo e incluindo o dia final (art. 132 do CC/2002 e Súmula 380 do TST), vejamos:

www.cers.com.br 10
Na dispensa sem justa causa do contrato por prazo indeterminado, se o aviso prévio concedido pelo emprega-
dor ao empregado for trabalhado, o empregado tem direito a redução da jornada de trabalho, devendo laborar
duas horas a menos em sua jornada de trabalho ou a folgar 07 (sete) dias corridos (para cada trinta dias de aviso
prévio), nos termos do art. 488, da CLT.

FGTS e indenização de 40%

O FGTS é um direito assegurado pelo Art. 7º da constituição Federal, que determina: “Art. 7º São direitos dos
trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social: III - fundo de garan-
tia do tempo de serviço;”

Além de previsão Constitucional O FGTS encontra-se regulamentado pela Lei 8036/90, o art. 3º desta lei determi-
na que o FGTS será regido por normas e diretrizes estabelecidas por um Conselho Curador, composto por
representação de trabalhadores, empregadores e órgãos e entidades governamentais, na forma estabele-
cida pelo Poder Executivo.

Para melhor elucidar os pontos relevantes do FGTS, podemos utilizar os organogramas abaixo:

www.cers.com.br 11
• Até dia 7 de •Urbado, inclusive
intermitente
cada mês
•Rural
•Avulso
•Doméstico
Categorias •Aprendiz
Prazo para de
recolhimen trabalhador
to es

•8% FGTS mensal


Base de •2% FGTS mensal do
Cálculo Alíquotas Aprendiz
•40% na rescisão
• Remuneração sem justa causa
•20% na rescisão por
culpa recíproca
•20% na rescisão por
acordo
•20% na rescisão por
força maior

Modalidades de término do contrato de trabalho

Extinção do contrato de trabalho sem justa causa/desmotivada/ arbitrária

Na extinção do contrato de trabalho sem justa causa também denominado desmotivada, sem justo motivo, desmo-
tivada ou arbitrária ocorre quando há vontade da empresa, mas não há motivo legalmente tipificado que justifique
a dispensa, tornando-se irrelevante para o direito essa motivação, ocorre por exemplo quando a empresa não
necessita mais dos serviços do empregado.

Demissão por culpa recíproca

Trata-se de extinção que será decretada por intermédio de decisão judicial que reconheça a culpa recíproca.

Na dispensa por culpa recíproca só será devido ao empregado tem direito a 50% (cinquenta por cento) do valor
do aviso prévio, do 13º - décimo terceiro salário, das férias proporcionais e da indenização do FGTS, correspon-
dente a 20% (Lei 8.036/90, art. 18, § 2º c/c Súmula 14 do TST). Neste caso, autoriza-se o saque do FGTS, mas
não há direito ao seguro desemprego.

-Rescisão por acordo (mútuo consentimento) - Art. 484-A da CLT

o chamado “distrato”. Nesta modalidade, tanto empregado quanto empregador desejam pôr fim ao contrato.

A rescisão por mútuo consentimento pode ocorrer sem a assistência sindical ou ministerial, gerando o
direito de o empregado receber o aviso prévio integral, caso trabalhado, ou por metade, se indenizado,
além da multa de 20% sobre o FGTS (indenização pela metade). Poderá sacar apenas 80% do FGTS (os
20% não são devolvidos ao empregador, permanecendo depositados na conta vinculada do trabalhador).
As demais verbas rescisórias serão pagas integralmente, mas o empregado não terá direito a seguro-
desemprego.

-Demissão com justa causa – Art. 482, da CLT, Súmula 32 TST, art. 433, III, CLT, art. 158, parágrafo único,
da CLT, § 3º do art. 7º do Decreto 95.247/87, que regulamentou a Lei 7.418/85 e art. 482, h, da CLT.

www.cers.com.br 12
Rescisão indireta do contrato de trabalho – Art. 483, da CLT

www.cers.com.br 13
www.cers.com.br 14
-Dispensa coletiva: equiparação com a dispensa individual –art. 477-A, da CLT
As dispensas imotivadas individuais, plúrimas ou coletivas equiparam-se para todos os fins, não havendo neces-
sidade de autorização prévia de entidade sindical ou de celebração de convenção coletiva ou acordo coletivo de
trabalho para sua efetivação.

06. (Especialista – Área Jurídica – FUNPRESP/EXE – CESPE) A respeito de aviso prévio, de relações de
trabalho e de estabilidade e garantias provisórias de emprego, julgue o item seguinte.

Se um empregado contratado a título de experiência por sessenta dias mediante contrato com cláusula assecura-
tória do direito recíproco de rescisão for demitido no vigésimo dia sem justa causa, será cabível o aviso prévio,
visto que haverá rescisão antecipada do contrato de experiência.

( ) CERTO ( ) ERRADO

07. (Analista – Direito – MPU – CESPE) Julgue os seguintes itens, referentes ao aviso prévio.

De acordo com entendimento assente do TST, o aviso prévio tem de ser computado a partir do dia seguinte àque-
le em que o empregado dele tomar ciência.

( ) CERTO ( ) ERRADO

08. (Procurador do Estado – PGE/AM – CESPE) No que concerne a rescisão do contrato de trabalho, inde-
nizações e aviso prévio, julgue o item que se segue.

O empregado tem direito a aderir ao plano de demissão voluntária instituído por seu empregador no curso do seu
aviso prévio.

www.cers.com.br 15
( ) CERTO ( ) ERRADO

09. (Analista – Gestão de Pessoas – SERPRO – CESPE) No que diz respeito às legislações trabalhista, jul-
gue o item a seguir.

A simples condenação criminal do empregado constitui motivo justificante para a demissão por justa causa.

( ) CERTO ( ) ERRADO

10. (Analista Judiciário – Execução de Mandados – TRT/21ª – CESPE) A cessação do contrato de trabalho
é a terminação do vínculo de emprego, com a extinção das obrigações para os contratantes. No que se
refere à cessação do contrato de trabalho, julgue os itens a seguir.

No caso de as partes pactuarem, mediante acordo, a cessação do contrato de trabalho, o levantamento do fundo
de garantia de tempo de serviço (FGTS) não será autorizado, mas os salários e as férias vencidas podem ser
transacionados, assim como as demais verbas.

( ) CERTO ( ) ERRADO

11. (Analista – Direito – FUNPRESP/JUD – CESPE) Considerando a jurisprudência do Tribunal Superior do


Trabalho (TST), julgue o item seguinte, a respeito da rescisão do contrato de trabalho.

O fato de um empregado apresentar-se para trabalhar todos os dias alcoolizado consiste em motivo para que a
empresa o demita por justa causa.

( ) CERTO ( ) ERRADO

12. (Analista Judiciário – Área Administrativa – TRT/10ª – CESPE) Julgue os itens seguintes, referentes ao
contrato de emprego.

É possível a movimentação da conta vinculada do trabalhador no FGTS no caso de despedida sem justa causa,
inclusive a indireta, de culpa recíproca e de força maior.

( ) CERTO ( ) ERRADO

www.cers.com.br 16
• Até dia 7 de •Urbado, inclusive
intermitente
cada mês
•Rural
•Avulso
•Doméstico
Categorias •Aprendiz
Prazo para de
recolhimen trabalhador
to es

•8% FGTS mensal


Base de •2% FGTS mensal do
Cálculo Alíquotas Aprendiz
•40% na rescisão
• Remuneração sem justa causa
•20% na rescisão por
culpa recíproca
•20% na rescisão por
acordo
•20% na rescisão por
força maior

13. (Procurador – BACEN – CESPE) Considere que um empregado tenha faltado, sem apresentar justifica-
tiva, 12 dias consecutivos ao seu trabalho e que, após a ausência, tenha se reapresentado normalmente
para dar continuidade ao trabalho. Nessa situação, justifica-se a rescisão por justa causa, em decorrência
de

A) abandono de emprego.
B) incontinência de conduta.
C) insubordinação.
D) ato de improbidade.
E) desídia no desempenho de suas funções.

14. (Analista Judiciário – Área Judiciária – TRT/17ª – CESPE) A respeito do direito do trabalho, julgue os
itens a seguir.

A improbidade é motivo para a demissão do empregado por justa causa. Constitui improbidade o ato lesivo contra
o patrimônio da empresa, ou de terceiro, relacionado ou não com o trabalho.

( ) CERTO ( ) ERRADO

www.cers.com.br 17
GABARITO:

01- *

02-
GABARITO: Certo

Resposta:
Sucessão é alteração contratual subjetiva que ocorre em razão da mudança da propriedade ou alteração na estru-
tura jurídica da empresa. Segundo as regras de sucessão estabelecidas na CLT (Art. 10, 10-A e 448), a mudança
na propriedade ou na estrutura jurídica da empresa não afetará os contratos de trabalho dos respectivos empre-
gados, mas não é isso que a questão trata. A banca aqui exigiu que o aluno observasse o verbo poderá e que
este tivesse pressuposto que essa alteração fosse benéfica para o empregado (princípio da boa fé – Art.5º, §2º da
CF), seguindo essas premissas a banca entendeu que a opção estaria correta porque o contrato alterado é gêne-
ro que comporta a alteração em favor e em prejuízo do trabalhador. Já que a questão se refere apenas ao gênero
"alteração", o raciocino que se deve ter é que sim, o sucessor também pode alterar o contrato em favor do empre-
gado. Sendo assim, apesar da sucessão não afetar o contrato de trabalho, o sucessor, fazendo uso do seu poder
diretivo, poderá manter, rescindir ou alterar o contrato de trabalho.

Comentários teóricos:

Sucessão trabalhista é figura regulada pelos arts. 10, 448 e 448-A da CLT que consiste no instituto que se
opera no contexto da transferência de titularidade de empresa ou estabelecimento, com uma completa transmis-
são de crédito e assunção de dívidas trabalhistas entre alienante e adquirente envolvidos.

Segundo a melhor doutrina a sucessão trabalhista tem fundamento nos princípios da continuidade do con-
trato de trabalho, despersonalização do empregador, e na inalterabilidade do contrato de trabalho.

A sucessão de empresas pode ser reconhecida pelo Juiz do Trabalho em qualquer fase do processo, inclusi-
ve na execução, uma vez que o sucessor tem a chamada responsabilidade patrimonial, independentemente de ter
figurado na fase de conhecimento, seus bens podem ser atingidos.

Art. 10 - Qualquer alteração na estrutura jurídica da empresa não afetará os direitos adquiridos por seus empre-
gados.

Art. 448 - A mudança na propriedade ou na estrutura jurídica da empresa não afetará os contratos de trabalho dos
respectivos empregados.

Art. 448-A. Caracterizada a sucessão empresarial ou de empregadores prevista nos arts. 10 e 448 desta Consoli-
dação, as obrigações trabalhistas, inclusive as contraídas à época em que os empregados trabalhavam para a
empresa sucedida, são de responsabilidade do sucessor. (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)
Parágrafo único. A empresa sucedida responderá solidariamente com a sucessora quando ficar comprovada
fraude na transferência.

03-
GABARITO: D

Resposta:

I. Errado. Sempre que uma ou mais empresas, tendo, embora, cada uma delas, personalidade jurídica própria,
estiverem sob a direção, controle ou administração de outra, ou ainda quando, mesmo guardando cada uma sua
autonomia, integrem grupo econômico, serão responsáveis solidariamente pelas obrigações decorrentes da rela-
ção de emprego.
II. Errado. Não caracteriza grupo econômico a mera identidade de sócios, sendo necessárias, para a configura-
ção do grupo, a demonstração do interesse integrado, a efetiva comunhão de interesses e a atuação conjunta das
empresas dele integrantes.

www.cers.com.br 18
III. Correta. Art. 10-A. O sócio retirante responde subsidiariamente pelas obrigações trabalhistas da sociedade
relativas ao período em que figurou como sócio, somente em ações ajuizadas até dois anos depois de averbada a
modificação do contrato, observada a seguinte ordem de preferência: I - a empresa devedora; II - os
sócios atuais; e III - os sócios retirantes.
IV. Errada. O sócio retirante responderá solidariamente com os demais quando ficar comprovada fraude na altera-
ção societária decorrente da modificação do contrato.

04-

GABARITO: Errada

Resposta:

A suspensão do empregado por mais de 30 (trinta) dias consecutivos importa na rescisão injusta do contrato de
trabalho (art. 474 da CLT).

05-
GABARITO: D

Resposta:

Art. 473 - O empregado poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo do salário:
I - até 2 (dois) dias consecutivos, em caso de falecimento do cônjuge, ascendente, descendente, irmão ou pessoa
que, declarada em sua carteira de trabalho e previdência social, viva sob sua dependência econômica;
II - até 3 (três) dias consecutivos, em virtude de casamento;
III - por um dia, em caso de nascimento de filho no decorrer da primeira semana; (art. 7º, XIX e art. 10, § 1º, do
Ato das Disposições Constitucionais Transitórias – ADCT + Lei nº 13.257/16)
IV - por um dia, em cada 12 (doze) meses de trabalho, em caso de doação voluntária de sangue devidamente
comprovada;
V - até 2 (dois) dias consecutivos ou não, para o fim de se alistar eleitor, nos têrmos da lei respectiva.
VI - no período de tempo em que tiver de cumprir as exigências do Serviço Militar referidas na letra "c" do art. 65
da Lei nº 4.375, de 17 de agosto de 1964 (Lei do Serviço Militar). (Incluído pelo Decreto-lei nº 757, de
12.8.1969)
VII - nos dias em que estiver comprovadamente realizando provas de exame vestibular para ingresso em estabe-
lecimento de ensino superior.
VIII - pelo tempo que se fizer necessário, quando tiver que comparecer a juízo.
IX - pelo tempo que se fizer necessário, quando, na qualidade de representante de entidade sindical, estiver parti-
cipando de reunião oficial de organismo internacional do qual o Brasil seja membro.
X - até 2 (dois) dias para acompanhar consultas médicas e exames complementares durante o período de gravi-
dez de sua esposa ou companheira; (Incluído dada pela Lei nº 13.257, de 2016)
XI - por 1 (um) dia por ano para acompanhar filho de até 6 (seis) anos em consulta médica. (Incluí-
do dada pela Lei nº 13.257, de 2016)
XII - até 3 (três) dias, em cada 12 (doze) meses de trabalho, em caso de realização de exames preventivos de
câncer devidamente comprovada.

06-
Gabarito: CERTO

Resposta:

Existindo cláusula assecuratória do direito recíproco de rescisão antecipada do contrato (art. 481 da CLT c/c Sú-
mula 163 TST), a extinção antecipada seguirá os princípios da rescisão de um contrato por tempo indeterminado,
inclusive com pagamento de aviso prévio. Vale lembrar também que, ocorrendo, entretanto, a rescisão antecipada
e imotivada do pacto que tinha prazo determinado, será devida uma indenização no valor de metade dos salários
do período que ainda restava a ser cumprido (art. 479 da CLT), além da multa de 40% sobre o FGTS (conforme
preceitua o art. 14 do Decreto 99.684/90.

www.cers.com.br 19
07-
Gabarito: CERTO

Resposta:

Segundo a súmula 380 do TST, aplica-se a regra prevista no "caput" do art. 132 do Código Civil de 2002 à conta-
gem do prazo do aviso prévio, excluindo-se o dia do começo e incluindo o do vencimento. Ou seja, contam-se em
dias corridos, independentemente de o primeiro e o último serem úteis ou não. Sendo assim, se o mês em que se
der a comunicação for de 31 dias (ou de 28, ou ainda de 29, o dia do término não coincidirá com o dia (do mês) da
comunicação, mês subsequente.

08-
GABARITO: Certo

Resposta:

O TST através de jurisprudência majoritária entende que o aviso-prévio, ainda que indenizado, integra o contrato
de trabalho para todos os efeitos (art. 487, § 1º, da CLT e Art. 477-B da CLT). Assim, vigente o contrato de traba-
lho até o final da projeção do aviso-prévio, tem o empregado direito a aderir a plano de demissão voluntária institu-
ído pela empresa no curso desse período. Importante registrar que O Plenário do STF, na sessão do dia
30/04/2015, já tinha decidido que, nos planos de dispensa incentivada (PDI) ou voluntária (PDV), era válida a
cláusula que dava quitação ampla e irrestrita de todas as parcelas decorrentes do contrato de emprego, desde
que este item constasse dos termos assinados pelo empregado, e estivesse previsto em acordo coletivo ou con-
venção coletiva de trabalho. A histórica decisão pode ser encontrada no julgamento do REXT 590415, com reper-
cussão geral, a qual fragilizou a OJ 270 da SDI-1. A Lei 13.467/2017 (Reforma Trabalhista) então consagrou
o posicionamento de que Plano de Demissão Voluntária ou Incentivada, para dispensa individual, plúrima ou cole-
tiva, previsto em convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho, enseja quitação plena e irrevogável dos direi-
tos decorrentes da relação empregatícia, salvo disposição em contrário estipulada entre as partes (art. 477-B da
CLT).

09-
GABARITO: Errada

Resposta:

Apenas a condenação criminal do empregado, passada em julgado, caso não tenha havido suspensão da execu-
ção da pena, constitui motivo justificante para a demissão por justa causa (art. 482, “d”, da CLT). Importante des-
tacar que não será considerada falta ao serviço, mas sim como suspensão do contrato de trabalho e dos salários,
a suspensão preventiva para responder a inquérito administrativo ou de prisão preventiva, quando for impronunci-
ado ou absolvido. A Lei 13.467/2017 (Reforma Trabalhista) trouxe mais uma falta grave que implica na rescisão
contratual por justo motivo, disposta na alínea “m” que estabelece como falta grave a “perda da habilitação ou dos
requisitos estabelecidos em lei para o exercício da profissão, em decorrência de conduta dolosa do emprega-
do”.

10-
GABARITO: Errada

Resposta:

Quando o contrato de trabalho for extinto por acordo entre empregado e empregador, será devido o pagamen-
to, pela metade, da indenização sobre o saldo do FGTS (art. 484-A, I da CLT), permitindo a movimentação da
conta vinculado do trabalhador, limitando em 80% o valor dos depósitos (art. 484-A, II, §1ª da CLT) e na integrali-
dade as demais verbas trabalhistas (art. 484-A, II da CLT).

11-
GABARITO: Errada

www.cers.com.br 20
RECURSO DE REVISTA. FALTA GRANDE. ALCOOLISMO. JUSTA CAUSA.

1. O alcoolismo crônico, nos dias atuais, é formalmente reconhecido como doença pela Organização Mundial de
Saúde - OMS, que o classifica sob o título de - síndrome de dependência do álcool-, cuja patologia gera compul-
são, impele o alcoolista a consumir descontroladamente a substância psicoativa e retira-lhe a capacidade de dis-
cernimento sobre seus atos. 2. Assim é que se faz necessário, antes de qualquer ato de punição por parte do
empregador, que o empregado seja encaminhado ao INSS para tratamento, sendo imperativa, naqueles casos em
que o órgão previdenciário detectar a irreversibilidade da situação, a adoção das providências necessárias à sua
aposentadoria. 3. No caso dos autos, resta incontroversa a condição da dependência da bebida alcoólica pelo
reclamante. Nesse contexto, considerado o alcoolismo, pela Organização Mundial de Saúde, uma doença, e ado-
tando a Constituição da República como princípios fundamentais a dignidade da pessoa humana e os valores
sociais do trabalho, além de objetivar o bem de todos, primando pela proteção à saúde (artigos 1º, III e IV, 170, 3º,
IV, 6º), não há imputar ao empregado a justa causa como motivo ensejador da ruptura do liame empregatício. 4.
Recurso de revista não conhecido. (TST - RR: 1529002120045150022 152900-21.2004.5.15.0022, Relator: Lelio
Bentes Corrêa, Data de Julgamento: 11/05/2011, 1ª Turma, Data de Publicação: DEJT 20/05/2011)

12-
Gabarito: Certa

Resposta:

A conta vinculada do trabalhador no FGTS poderá ser movimentada nas seguintes situações: despedida sem
justa causa, inclusive a indireta, de culpa recíproca e de força maior (art. 20, I da Lei 8.036/90).

Para melhor elucidar os pontos relevantes do FGTS, podemos utilizar os organogramas abaixo:

13-
Gabarito: letra E

a) INCORRETA. Presume-se o abandono de emprego se o trabalhador não retornar ao serviço no prazo de 30


dias após a cessação do benefício previdenciário nem justificar o motivo de não o fazer (Súmula 32 do TST).

b) INCORRETA. A incontinência de conduta (art. 482, “b” da CLT) é um ato imoral praticado pelo empregado,
mas ligado à moralidade sexual.

c) INCORRETA. O ato de insubordinação (art. 482, “h”, da CLT) ocorre quando o empregado desrespeita uma
ordem dada pessoalmente a ele pelo empregador ou gerente.

d) INCORRETA. O ato de improbidade (art. 482, “a” da CLT) regra geral, é toda ação ou omissão desonesta do
empregado, que revelam desonestidade, abuso de confiança, fraude ou má-fé, visando a uma vantagem para si
ou para outrem.

e) CORRETA. Desídia é preguiça, desleixo, falta de zelo para com o serviço. O empregado que assim age des-
cumpre seu dever contratual, dando ensejo à justa causa.

14-
Gabarito: Certa

Resposta:

O ato de improbidade (art. 482, “a” da CLT) regra geral, é toda ação ou omissão desonesta do empregado, que
revelam desonestidade, abuso de confiança, fraude ou má-fé, visando a uma vantagem para si ou para outrem.

www.cers.com.br 21

Você também pode gostar