Você está na página 1de 46

INTRODUÇÃO

À
PETROGRAFIA

Petrografia
Petrografia
P
Petrologia
l i : Ciência que estuda as rochas sob todos os
apectos: descrição, classificação, gênese e evolução das
rochas.

P t
Petrografia
fi : ramo da
d Petrologia
P t l i que se ocupa da
d
descrição das rochas.

Rocha: é uma paragênese mineral, constituída por uma


ou maisi espécie
é i mineral,
i l que é considerada
id d como
unidade da crosta terrestre, que ocorre com relativa
frequência, possuindo um relativo ggrau de permanência
na crosta e uma certa resistência mecânica.

Petrografia
CLASSE GENÉTICA
- Rochas Magmáticas (Ígneas): são as rochas que se originam
a partir do resfriamento e consolidação do magma.

- Rochas Sedimentares: originam-se da consolidação dos sedi-


mentos (depósitos de materiais não consolidados que foram trans-
portados pela água, vento ou gelo e sedimentados em uma ba-
cia de deposição).

- Rochas Metamórficas: originam-se a partir do metamorfismo


de rochas pré-existentes (magmáticas, sedimentares ou mesmo
metamórficas),
t ó fi ) ou seja,
j a partir
ti de
d processo de
d transformação
t f ã da
d
rocha que ocorre sob temperaturas e pressões diferentes das
quais foram formadas.
q

Petrografia
ROCHAS ÍGNEAS
Originam-se a partir do resfriamento e consolidação do magma

Magma:
g fusão silicatada q que se consolida a altas
temperaturas na superfície como lençóis de lava ou como
extrusões e/ou intrusões variadas.

Composição:
- Alto teor de sílica: Graníticos – alta viscosidade
- Baixo teor de sílica: basálticos – baixa viscosidade

Temperatura do magma: 650 a 700oC – graníticos


1350 a 1400oC – basálticos

Petrografia
CRISTALIZAÇÃO DO MAGMA

SÉRIE DESCONTÍNUA SÉRIE CONTÍNUA


Olivina Anortita (Ca)
Piroxênio ...
Anfibólio Albita (Na)
Biotita K-Feldspato
Muscovita
Quartzo
Zeólitas
Minerais Hidrotermais

Petrografia
COMPOSIÇÃO
MINERALÓGICA
ÓG C MÉDIA

Feldspatos
p 59,5%
,
Quartzo 12,0%
Piroxênio e Anfibólio 16 8%
16,8%
Biotita 3,8%
Mi
Minerais
i Tit
Titaníferos
íf 1 5%
1,5%
Apatita 0,6%
Outors Minerais 5,8%

Petrografia
MINERAIS FORMADORES

Minerais Primários: formados durante a cristalização do magma.


Minerais essenciais: caracterizam a rocha (80 a 90%).
Ex: Granito: quartzo e K-feldspato
Gabro: plagioclásio e piroxênio
Minerais Varietais: definem uma variedade de rocha (10%).
Ex: Gabro com olivina
Minerais Acessórios: não influem na classificação (1%).
(1%)

Minerais Secundários: formados após o resfria/o do magma.


magma

Petrografia
MORFOLOGIA EXTERNA

Plutônicas: consolidadas a
grandes profundidades
Intrusivas: consolidadas no
interior da crosta

Vulcânicas: consolidadas na
superfície
f ou próximo à superf.
f
Extrusivas consolidadas na
superfície em contato com ar ou
água

Petrografia
MORFOLOGIA EXTERNA

Rochas Extrusivas: Cones


Vulcânicos; derrames; trapes.

Rochas Intrusivas: diques; sills ou


soleiras; stocks; bossas; batólitos;
l óli
lacólitos; f óli
facólitos; l óli
lopólitos; apófises;
ófi
neck

Petrografia
MORFOLOGIA EXTERNA

Petrografia
MORFOLOGIA INTERNA

Textura: Propriedades
geométricas decorrentes da
g
morfologia e do arranjo dos
constituintes fundamentais da
rocha.
rocha

Estrutura: conjunto de
caracteres que exprimem as
descontinuidades e variações
texturais da rocha.

Petrografia
TEXTURA
Quanto ao grau de cristalinidade
Holocristalina: essencialmente cristais (Fanerítica e Afanítica)
Hipocristalina: cristais e vidro vulcânico
Vítrea: vidro vulcânico.

Holocristalina
Fanerítica:cristais suficientemente grande para se destacarem.
Pegmatóide  Grosseira  Média  Fina (<1mm)
Equigranular/Inegranular (seriada ou Porfirítica)
Afanítica: granulação excessivamente fina, não sendo possível a
identificação macroscópica dos minerais.
Petrografia
Estrutura
Descontinuidades e variações texturais da rocha.

Descontinuidades:
-Diáclases: Disjunção tabular e Disjunção colunar.
- Estruturas em almofadas
- Estruturas Perlítica
V i õ T
Variações Texturais:
t i
-Estrutura maciça: homogeneidade.
- Estrutura Homófona: heterogeneidade sem orientação
- Estrutura Fluidal: orientação mineralógica (lamelar ou linear).

Petrografia
Estrutura

Variações Texturais:
-Estrutura Nodular: massas arredondadas.
- Estrutura Orbicular: arranjo concêntico dos minerais.
- Estrutura Esferulítica: minerais dispostos radialmente em forma
de esfera.
- Estrutura Vesicular: pequenas cavidades esféricas
- Estrutura Amigdalóide: lavas onde as vesículas foram
preenchidas
hid por matéria
é i sólida.
ólid

Petrografia
CARACTERES DIAGNÓSTICOS
ROCHAS ÍGNEAS
1- Morfologia de campo
2- Presença de material vítreo
3- Riqueza de feldspatos
3

Observações:
-Ausência de caráter clástico (estratificação)
-Ausência de fósseis
- Ausência de porosidade
-Ausência de planos de xistosidade.
Petrografia
CLASSIFICAÇÃO DAS
ROCHAS ÍGNEAS
QUANTO AO AMBIENTE DE FORMAÇÃO:
-Rochas Intrusivas (plutônicas ou hipoabissais)
- Rochas Extrusivas

QUANTO À COMPOSIÇÃO
Q Ç Q
QUÍMICA:
-Rochas Ácidas SiO2 > 65%
- Rochas Intermediárias 52 < SiO2 < 65%
- Rochas Básicas 45 < SiO2 < 52%
- Rochas
R h Ul Ultrabásicas
bá i SiO2 < 45%

Petrografia
CLASSIFICAÇÃO DAS
ROCHAS ÍGNEAS

QUANTO AO ÍNDICE DE COR:


-Rochas Félsicas Minerais Escuros < 30%
- Rochas Mesótipas 30 < Minerais Escuros < 60%
- Rochas Máficas 60 < Minerais Escuros < 90%
- Rochas Ultramáficas Minerais Escuros > 90%

Petrografia
CLASSIFICAÇÃO DAS
ROCHAS ÍGNEAS

Roteiro
-Textura ((Coluna à esquerda)
q )
-Estrutura
- Composição Mineralógica (Linha superior)
-Nome da Rocha (Cruzamento da linha da composição com a
coluna da textura)

Petrografia
TABELA CLASSIFICATÓRIA

Petrografia
PRINCIPAIS ROCHAS ÍGNEAS
R h F
Rochas Faneríticas
íi
Pegmatito, Granito, Aplito
s Fe/Mg
g

Quatzo-sienito, sienito
Nefelina Sienito
Minerais

M
Monzonito
it com quartzo
t
Granodiorito
Monzonito
% de M

Tonalito, Qz-diorito
Diorito
Gabro, diabásio
Olivina Gabro

Petrografia
PRINCIPAIS ROCHAS ÍGNEAS
Rochas Afaníticas
Riolito (F)
Traq ito (F)
Traquito
s Fe/Mg
g

Fonolito (F)
Qz-Latito (F)
Minerais

Dacito (F)
Traquiandesito (F)
% de M

Qz-Andesito (F)
Andesito (F)
Basalto (M)
Olivina Basalto (M)
Sendo (F) Felsito e (M) Mafito

Petrografia
PRINCIPAIS ROCHAS ÍGNEAS

Rochas Vítreas
Obdisiana: vidro isento de cristais
Retinito: brilho resinoso
Perlito: apresenta estrutura perlítica
Pomes: intensamente vesicular – félsica ou intermediária

Rochas Hipocristalinas: Vitrófiros

Petrografia
PRINCIPAIS ROCHAS ÍGNEAS

Rochas Fragmentárias (Piroclásticas)


B h (blocos
Brechas (bl - >32mm
32 arestas vivas)
i )
Aglomerados (bombas - >32mm arrendondadas)
Tufos ( Lapilli – entre 4 e 32mm; e cinzas vulcânicas
<4mm)
4mm)
Cineritos (cinzas vulcânicas)
Ignimbritos (transição entre piroclásticas e as lavas)

Petrografia
BIBLIOGRAFIA

VARAJÃO, C.A. C. – Petrografia Macroscópica


– Conceitos Básicos e Regras Práticas. Apostila
disponível na Biblioteca do Departamento de
Geologia

Petrografia
ROCHAS SEDIMENTARES
Originam-se da consolidação dos sedimentos (depósitos de
materiais não consolidados que foram transportados pela água,
vento ou gelo e sedimentados em uma bacia de deposição).

Petrografia
CLASSIFICAÇÃO GENÉTICA
DOS SEDIMENTOS

Sedimentos: material inconsolidado encontrado na superfície da


crosta

Classe Genética dos sedimentos:


- Terrígenos
- Químicos
- Biogênicos

Petrografia
CLASSIFICAÇÃO GENÉTICA
DOS SEDIMENTOS
T – Terrígeno
g T
A – Aloquímico
O – Ortoquímico
I – Impuro
P - Puro

50%

OI
AI

10%
AP OP
A 10% O
Petrografia
CLASSIFICAÇÃO GENÉTICA
DAS ROCHAS SEDIMENTARES
Rochas Sedimentares Químicas: sedimentos orto ou
aloquímicos
l í i

Rochas Sedimentares Clásticas: sedimentos terrígenos.


-Partículas: fragmentos maiores
- Matriz: fragmentos menores
- Cimento: substância que dá consistência e coesão à rocha

Petrografia
TEXTURA
-Clástica: fragmentos > 5%
- Cristalina: >95% de cristais (Fanerítica: Grosseira, média,
fina; Afanítica)
- Criptocristalina

TEXTURA CLÁSTICA
-Quanto ao tamanho
- Quanto ao Grau de arredondamento
- Quanto à forma
- Grau de Selecionamento (bem / mal selecionada)

Petrografia
Granulometria

Petrografia
Grau de Arredondamento
-Angulosas
A l
-Sub-angulosas
- Sub-arredondadas
- Arredondadas

Quanto à forma
-Equidimensional: c > 2/3b e b > 2/3a
-Alongada:
g c > 2/3b e b < 2/3a
- Discóide: c < 2/3b e b > 2/3a
- Estilhada: c < 2/3b e b < 2/3a

Petrografia
ESTRUTURAS
SEDIMENTARES
Estruturas Internas

Petrografia
ESTRUTURAS
SEDIMENTARES
Estruturas Externas

Petrografia
CLASSIFICAÇÃO DAS
ROCHAS CLÁSTICAS

Conglomerado

Arenito

Siltito
Argilito/Folhelho

Petrografia
Composição mineralógica

Petrografia
ROTEIRO DE CLASSIFICAÇÃO

a) Estrutura
b) Textura: Cristalina / Clástica
- Granulometria (%)
- Partícula (%), Matriz (%), cimento (%)

c) Composição mineralógica
d)) Nome da rocha

Petrografia
ROCHAS SEDIMENTARES
QUÍMICAS

-Carbonatos:
Carbonatos: calcirrudito
calcirrudito, calcarenito
calcarenito, calcilutito
- Marga

- Carvão: Turfa, linhito, hulha, Antracito


- Sílex
- Evaporitos

Petrografia
ROCHAS METAMÓRFICAS

Originam-se a partir do metamorfismo


de rochas pré-existentes (magmáticas, sedimentares ou mesmo
metamórficas),
) ou seja,
j appartir de p
processo de transformação
ç da
rocha que ocorre sob temperaturas e pressões diferentes das
quais foram formadas
formadas.

Petrografia
ROCHAS METAMÓRFICAS

Petrografia
METAMORFISMO

Processo de modificações mineralógicas e estruturais das


rochas,, em seu estado sólido,, em resposta
p a condições
ç
físicas e químicas, que diferem das condições prevalecentes
durante a sua formação.

Tipos de metamorfismo:
- Metamorfismo de contato,
- Metamorfismo Cataclástico,,
- Metamorfismo Regional

Petrografia
ROCHAS METAMÓRFICAS

Composição Mineralógica
Minerais
e a s muito
u to frequente:
eque te qua
quartzo,
t o, feldspatos,
e dspatos, micas,
cas, se
sericita,
c ta,
anfibólios, calcita, dolomita, clorita, serpentina;

- Minerais pouco frequentes: grupo das granadas, piroxênios,


magnetita, hematita, andaluzita, cianita, silimanita,
estaurolita, epidoto, zoizita, talco;

- Minerais raros: turmalina, vesuvianita, grafita, cordierita,


cloritóides.

Petrografia
TRAMA
Engloba os termos textura e estrutura utilizados nas outras
classes genéticas de rochas.

- Granoblástica: cristais equidimensionais;


- Lepidoblástica: orientação dos minerais tabulares;
- Nematoblástica: orientação dos minerais prismáticos;
- Decussada: minerais sem orientação;
- Porfiroblástica: cristais maiores disseminados numa matriz de cristais
menores;
- Xistosidade: propriedade da rocha se partir segundo planos paralelos;
- Clivagem ardosiana: propriedade de se partirem em planos bem finos;
- Foliação gnaíssica: segregação dos minerais em leitos claros e escuros.

Petrografia
ROCHAS METAMÓRFICAS

Sequência do metamorfismo:
g to  a
Argilito dós a  filito
ardósia to  xisto
sto  g a sse 
gnaísse
 anatexito (fusão parcial)  granito (fusão total)
Prefixos:
- Meta: rochas sedimentares ou ígneas metamorfisadas, nas
quais a textura original ainda pode ser reconhecida;
- Orto: rocha metamórfica que se originou de uma rocha
magmática;
g ;
- Para: rocha metamórfica que se originou de uma rocha
sedimentar.

Petrografia
ROCHAS METAMÓRFICAS
Caracteres diagnósticos:
- Observação de campo;
- Trama;
- Composição mineralógica;
- Ausência de fósseis;
- Ausência de características cristalinas.

Roteiro para classificação:


- Estudo
E t d da
d trama;
t
- Composição Mineralógica;
- Nome da rocha.

Petrografia
ROCHAS METAMÓRFICAS
Principais rochas metamórficas:
- Ardósias;
- Filitos;
Fili
- Xistos;
- Fels (trama decussada);
- Anfibolitos;
- Mármores;
-Quartzitos;
Quartzitos;
- Itabiritos;
-Serpentinito;
Serpentinito;
- Esteatito
Petrografia
BIBLIOGRAFIA

VARAJÃO, C.A. C. – Petrografia Macroscópica


– Conceitos Básicos e Regras Práticas. Apostila
disponível na Biblioteca do Departamento de
Geologia

Petrografia