Você está na página 1de 3

Guia ensina sexo, aborto, prostituição e homossexualidade para crianças

A Organização Mundial de Saúde (OMS) criou um “guia” para ensinar e incentivar


masturbação, sexo, aborto e homossexualidade para crianças de 0 a 9 anos, e
aborto e prostituição para crianças de 12 a 15 anos.

Além disso, estão havendo discussões sobre a pedofilia em 12 de seus países e


agora a Europa acaba de lançar um guia de “educação” com 83 páginas para
escolas e governos, desenvolvido pela Organização Mundial de Saúde (OMS), em
conjunto com a agência do governo alemão para a Educação em Saúde.

Seguem as recomendações do guia para ensinar sexo, promiscuidade,


prostituição e aborto as nossas crianças:

0 a 4 anos,prescrevem aprendizagem do “gozo”, orgasmo e prazer quando tocamos


o próprio corpo: “a masturbação da primeira infância”.

0 a 4 anos: a idade é ideal para “a descoberta do corpo e os órgãos genitais”.

Aos 4 anos, a OMS diz que nossos filhos são capazes de “necessidades expressas,
desejos e limites, por exemplo, no contexto de brincar de médico”.

De 4 a 6 anos, as crianças precisam saber que a história da cegonha é um mito.

De 4-6 anos é uma ótima idade, segundo a Organização Mundial de Saúde, para
“falar sobre assuntos sexuais”, explorar “relações do mesmo sexo” e “consolidar a
identidade de gênero”.

De 6 a 9 anos, os especialistas da OMS dizem que os nossos filhos estão preparados


para aprender e defender os “direitos sexuais das crianças”.

De 9 a 12, e até os 15 anos, devem saber o incômodo da maternidade inesperada.


Parafraseando:“o impacto da maternidade e gravidez entre adolescentes; ou seja,
planejamento familiar, planejamento de vida/estudos, a contracepção, a tomada de
decisão e os cuidados no caso de gravidezes indesejadas”.
O que eles afirmam, sem rodeios, é que antes de 15 anos nossos filhos estão
prontos para estarem clientes sobre a indústria do aborto.

De 9 a 15 anos, é bom para receber informações sobre métodos contraceptivos


onde encontrar e onde obter um aborto.

De 9 e 15 é uma idade-chave, de acordo com a OMS, para ensinar que a


religião cristã é um obstáculo ao prazer e ao gozo de seus próprios corpos.
“A influência da idade, sexo, religião e cultura” na educação afetivo-sexual.

Aos 15 anos é hora de “abrir-se para outros (admitir a homossexualidade,


bissexualidade e outras opções)”.

15 anos é também a idade do saber, além disso, sobre “sexo comercial (prostituição
e o sexo em troca de pequenos presentes, refeições, ou pequenas quantidades de
dinheiro), pornografia e vício em sexo”.

Além dos conteúdos específicos, o guia de sexo para os padrões de educação na


Europa, desenvolvido pela OMS, ainda tem seus princípios:

O princípio de que os pais são uma “fonte informal” da educação, em relação ao


estado como “fonte formal”.

O princípio de que a educação emocional e sexual das crianças deve ser planejada
com “sensibilidade de gênero”. Ou seja: a natureza, os fatos, os dados, a
responsabilidade dos pais… Enfim, tudo deve se submeter aos dogmas da
“sensibilidade de gênero”.

O princípio de que a educação afetivo-sexual “começa no nascimento”.

O princípio de que a educação afetivo-sexual “deve ter uma abordagem holística”.

O princípio de que a educação afetivo-sexual serve ao “indivíduo e ao fortalecimento


da comunidade”.

O guia tem 83 páginas e as palavras “amor” e “responsabilidade” não são citadas


ou, quando o fazem, seu peso e significado é completamente irrelevante. Em vez
disso, o guia fala constantemente de “prazer”,“sexo”, “gozo”, “bem-estar pessoal”,
“instintos” e aborto.

A Organização Mundial de Saúde é uma agência das Nações Unidas.

Com a orientação presente nas Normas de Educação Sexual na Europa, a agência


tenta definir princípios e conteúdos básicos que os Estados devem desenvolver para
educar sobre o carinho e sexo as crianças europeias, de acordo com os preconceitos
e preceitos da ideologia de gênero. É um documento de enorme influência, dirigido
aos ministros da Saúde e da Educação na Europa.

Os Europeus estão fazendo um abaixo assinado requerendo à diretora do Organismo


Europeu da Organização Mundial da Saúde, a senhora Zsuzsanna Jakab, a imediata
retirada do guia. Vamos ajudar entrando no abaixo assinado, ou essa aberração virá
para o Brasil.

Link do abaixo assinado http://hazteoir.org/alerta/51869-firma-c-mo-corromper-un-


menor-y-que-parezca-saludable

Leia o manual completo:


http://www.madridsalud.es/publicaciones/OtrasPublicaciones/standars_de_calidad_
de_la_educacion_sexual_en_europa_traducido_12nov.pdf