Você está na página 1de 6

Unidade

de Estudos Económicos, Financeiros e


Orçamentais
ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE








GABINETE TÉCNICO - UEEFO ½INFORMAÇÃO TÉCNICA n.°
8/2017


Análise da Proposta de Lei que altera o código do Imposto Sobre o
Rendimento das Pessoas Singulares Aprovada pela Lei n.°33/2007,
de 31 de dezembro e Alterado pela Lei n.°20/2013 de 23 de
setembro (versão preliminar)


13.11.2017






1
Com Apoio:















Ficha Técnica
Este trabalho foi elaborado com base na Proposta de lei que altera o código do Imposto Sobre o
Rendimento das Pessoas Singulares Aprovada pela Lei n.°33/2007, de 31 de dezembro e Alterado
pela Lei n.°20/2013 de 23 de Setembro, enviada pela CPO à UEFFO a 13 de Novembro de 2017 para
efeitos de análise.
A análise é da exclusiva responsabilidade do Gabinete Técnico - Unidade de Estudos Económicos,
Financeiros e Orçamentais (UEEFO). A UEEFO é uma unidade que funciona dentro da estrutura do
Secretariado Geral, no Gabinete Técnico com a competência em matéria orçamental, económica e
financeira, prestando-lhe apoio pela elaboração de analises, estudos e documentos de trabalho
técnico sobre a gestão orçamental e financeira pública.
















UEEFO½INFORMAÇÃO TÉCNICA n.°8/2017 ii


Índice
I. NOTA INTRODUTÓRIA ..................................................................................................... - 1 -

II. PROPOSTAS DE ALTERAÇÕES DE LEIS ............................................................................... - 1 -

III. IMPACTO ORÇAMENTAL ................................................................................................. - 3 -






Índice de Tabelas
Tabela 1: Alterações aos artigos 52,57,59,65 e 65-A da Lei n.° 20/2013 de 23 de setembro .... - 1 -
Tabela 2: Revogações (Lei n.° 20/2013 de 23 de setembro) ...................................................... - 2 -
Tabela 3: Nova Introdução à Lei n.° 20/2013 de 23 de setembro .............................................. - 2 -











UEEFO½INFORMAÇÃO TÉCNICA n.°8/2017 iii


I. Nota Introdutória

Foi submetida à Assembleia da Republica Proposta de Lei que altera o código do Imposto Sobre o Rendimento
das Pessoas Singulares Aprovada pela Lei n.°33/2007, de 31 de dezembro e Alterado pela Lei n.°20/2013 de
23 de setembro e a mesma remetidas à UEEFO para proceder a sua análise. Esta baseia-se somente na
informação disponibilizada tendo sempre como referência os documentos das propostas do OE 2018. Neste
documento, a UEEFO limita-se apenas a olhar para a informação disponibilizada, assinalando as principais
mudanças propostas nas leis supracitadas e o seu impacto orçamental.

II. Propostas de Alterações de Leis


Neste capitulo serão apresentados os detalhes das alterações propostas na lei sob forma de tabelas.

Tabela 1: Alterações aos artigos 52,57,59,65 e 65-A da Lei n.° 20/2013 de 23 de setembro

Lei n.º20/2013 Alteração Proposta Fundamentação


Sem prejuízo disposto no número anterior, ficam dispensados de
Sem prejuízo disposto no número anterior, ficam Dispensar os sujeitos passivos que aufiram
apresentar a declaração de rendimento os sujeitos passivos que, no ano
dispensados de apresentar a declaração de rendimento exclusivamente, durante o ano, rendimentos do
Declaração de a que o imposto respeita, apenas tenham auferido:
Artigo 52 os sujeitos passivos que, no ano a que o imposto respeita trabalho dependente sujeitos à retenção na fonte a
Rendimentos i) rendimentos tributados pelas taxas previstas no artigo 57.
apenas tenham auferido rendimentos tributados pelas título definitivo, da entrega da declaração periódica
ii) rendimento do trabalho dependente sujeitos à retenção na fonte, nos
taxas previstas no artigo 57. de rendimentos.
termos do artigo 65-A
1. Estão sujeitos à retenção na fonte, a título definitivo,
1. Estão sujeitos à retenção na fonte, a título definitivo, os rendimentos
os rendimentos obtidos em território moçambicano
Taxas obtidos em território moçambicano constantes dos números seguintes Alterações introduzidas para correção de redacção.
Artigo 57 constantes dos números seguintes e, bem assim, os
Liberatórias e, bem assim, os rendimentos mencionados na alínea b) do n. º 3 do
rendimentos mencionados na alínea b) do n. º 4 do artigo
artigo 65, às taxas liberatórias nelas previstas.
65, às taxas liberatórias neles previstas.
3. As deduções referidas neste artigo serão efectuadas pela ordem nele
3. Revogado pelo artigo 1 da lei 20/2013 de 23 de Inclusão de artigos anteriormente revogados. Volta-
indicada e apenas as previstas no número anterior, quando superiores
Setembro se a prever o reembolso quando as deduções
Artigo 59 Deduções à colecta ao imposto devido, conferem direito de reembolso da diferença.
4. Revogado pelo artigo 1 da lei 20/2013 de 23 de previstas forem superiores ao imposto devido.
4. As deduções previstas no n. 1 do presente artigo aplicam-se apenas
Setembro
aos sujeitos passivos residentes em territorio moçambicano.

4. Para aplicaç ã o da taxa de 20% prevista no n. º 3, aos
4. Para a aplicaç ã o da taxa de 20% prevista no n. º 2, aos rendimentos da
rendimentos da quarta categoria é tomada em
quarta categoria, é tomada em consideraç ã o a deduç ã o de 30% ao
consideraç ã o a deduç ã o a 30% a tí tulo de despesas de
rendimento a título de despesa de manutenç ã o e conservaç ã o, a que se
manutenç ã o e conservaç ã o a deduç ã o a que se refere o n.
refere o n. º 1 do artigo 48 do presente código.
º 1 do artigo 48 do presente código.
Retenção
5. Consideram-se rendimentos de trabalho independente, para efeitos Alterações introduzidas para correção de redacção.
Artigo 65 na 5. Consideram-se rendimentos de trabalho independente,
do n. º 2, os correspondentes a pagamentos que tenham lugar em
fonte para efeitos do n. º 3, os correspondentes a pagamentos
remuneração de trabalho técnico ou científico, exercido em regime livre,
que tenham lugar em remuneraç ã o de trabalho té cnico
incluindo serviços de consultoria, estudos, pareceres e outros trabalhos
ou cientí fico, exercido em regime livre, incluindo serviç o
ou actividades da mesma natureza, sempre que no seu desempenho
de consultorias, estudos, pareceres e outros trabalhos ou
predomine o caracter científico, técnico ou artístico da respectiva
actividades da mesma natureza, sempre que no seu
profissão.
desempenho predomine cará cter cientí fico, té cnico ou
artí stico da respectiva profissã o.
Pretende-se determinar a retenção na fonte
Retenç ã o na fonte 5. Os subsídios de férias e outros equiparáveis, bem como as prestações
autónoma do subsídio de férias, do 13.º. e 14.º
do imposto relativo 5. A retenç ã o na fonte do imposto relativo aos adicionais correspondentes aos 13.º. e 14.º meses são sempre objecto
salários, de modo a atenuar o impacto da
Artigo 65-A aos rendimentos rendimentos de trabalho dependente é efectuada a tí tulo de retenção na fonte autónoma, não podendo para o cálculo do imposto
tributação nos meses em que estas remunerações
de trabalho definitivo. a reter, ser adicionados as remunerações dos meses em que são pagos
sao auferidas simultaneamente com a remuneração
dependente ou postos à disposição.
principal.

- 1 -

Apesar de se pretender alargar a base tributária e consequentemente contribuir para o alcance das receitas
previstas para 2018, grande parte das alterações acima propostas mostram:
• Uma protecção ao contribuinte com trabalho dependente, evitando a dupla tributação e
garantindo o reembolso do imposto sempre que as deduções ao IRPS forem superiores ao imposto
devido;
• Correcção de redacção de alguns artigos permitindo deste modo uma melhor interpretação da lei;
e isto terá impacto imediato no aumento da receita.

Tabela 2: Revogações (Lei n.° 20/2013 de 23 de setembro)
Revogações
Lei n.º20/2013 Alteração Proposta
5. O disposto nas alí neas a), b), c) e e) do número anterior
não prejudica a tributaç ão autónoma das pessoas nele
referidas excepto se, tratando-se de filhos, adoptados ou
N. º 5 do
Sujeito passivo enteados, menores não emancipados, a administraç ão Revogado
Artigo 18
dos rendimentos por eles auferidos não lhes pertencer na
totalidade.

5. Quando o sujeito passivo exerç a a opç ão referida na


N. º 5 do alí nea a) do n.º 3, fica, por esse facto, obrigado a declarar
Englobamento Revogado
Artigo 26 a totalidade dos rendimentos compreendidos em cada
uma das alí neas do artigo 57, relativamente às quais
N. º7 do 7. Para os rendimentos de trabalho dependente, a
Retenção na fonte Revogado
Artigo 65 retenç ão na fonte é efectuada a tí tulo definitivo.

A revogação dos artigos que constam na tabela acima tem como o propósito principal o alinhamento com as
principais alterações propostas à lei.


Tabela 3: Nova Introdução à Lei n.° 20/2013 de 23 de setembro1
Novas Introduções
Lei n.º20/2013 Alteração Proposta Fundamentação
1. As Autarquias Locais colaboram com a Autoridade Tributária na
Pretende-se estabelecer a colaboração das
cobrança do IRPS incidente sobre os rendimentos derivados de
Autarquias Locais relativamente à cobrança de IRPS
imóveis nelas situados, nos termos a regulamentar.
incidente sobre os rendimentos da quarta categoria
Colaboração das
(rendimentos prediais), que têm como fonte os
Artigo Autarquias Locais 2. Como contrapartida da colaboração referida no número
NA imóveis nelas situados. Adicionalmente, pretende-
66-A na Cobrança do anterior, 10% da receita arrecadada, nos termos no n. º 1 do
se fixar uma percentagem do IRPS cobrado sobre os
Imposto presente artigo, destina-se às Autarquias locais.
rendimentos supracitados, como remuneração pela
colaboração das Autarquias na cobrança desta
3. A percentagem referida no número anterior constitui receita
receita, a reverter para o orçamento das mesmas.
própria da Autarquia Local, nos termos legislação aplicável.


A nova introdução proposta à Lei em análise poderá contribuir para o aumento do nível cobrança de IRPS
incidente sobre os rendimentos prediais. Sendo o sector imobiliário um sector em ascensão, onde existe um
grande potencial para a cobrança de imposto, é importante definir claramente os mecanismos de cobrança

1
Com esta proposta, o Governo parece pretender garantir que todos os arrendatários de imóveis paguem os
devidos impostos ao Estado, com a colaboração das Autarquias Locais. Para o efeito, poderá considerar-se
até 70% dos valores cobrados como matéria colectável.

- 2 -

através das Autarquias. Adicionalmente, é fundamental a indicação clara do mecanismo pelo qual os 10% da
receita cobrada pelas autarquias através deste imposto, serão revertidos ao seu orçamento e em que
período.

III. Impacto Orçamental



De acordo com a proposta submetida pelo Governo, a aprovação da Proposta de Lei que altera o Código de
Imposto Sobre o Rendimento de Pessoas Singulares (IRPS) vai resultar no incremento da receita do IRPS da
4ª Categoria (rendimentos prediais) na ordem de 256.234.260,64 MT para o período compreendido entre o
exercício económico de 2018 a 2020. Podendo arrecadar desta forma um montante de receita própria para
as autarquias de cerca de 25.6 milhões de MT durante este período.

- 3 -