Você está na página 1de 25

Aula Extra 02

Simulado I Oficiais SMV

Sum·rio

Aula Extra 02 Simulado I Oficiais SMV Sum·rio LÌngua Portuguesa 2 Conhecimentos Navais 12 Cart„o de

LÌngua Portuguesa

2

Conhecimentos Navais

12

Cart„o de Resposta

25

Ol·, meus amigos!

Este È o primeiro simulado, o qual est· disponÌvel a partir das 8 horas da manh„ de 27/01/2019, com correÁ„o prevista ‡s 14 horas. O vÌdeo de correÁ„o ser· postado aqui na plataforma neste hor·rio.

com correÁ„o prevista ‡s 14 horas. O vÌdeo de correÁ„o ser· postado aqui na plataforma neste

Aula Extra 02

LÕNGUA PORTUGUESA

O que È Bitcoin?

O Bitcoin È uma tecnologia digital que permite reproduzir em pagamentos eletrÙnicos a

eficiÍncia do pagamento com cÈdulas. Pagamentos com bitcoins s„o r·pidos, baratos e sem

intermedi·rios. AlÈm disso, eles podem ser feitos para qualquer pessoa que esteja em qualquer

lugar do planeta, sem limite mÌnimo ou m·ximo de valor.

Quando fazemos um pagamento com uma nota de 50 Reais, estamos fazendo um pagamento que

È r·pido, barato, e n„o requer intermedi·rios. R·pido, porque o tempo para a transaÁ„o ser

finalizada È o tempo de entregar a cÈdula ao vendedor. Barato, porque n„o h· taxas nesta

transaÁ„o. Sem intermedi·rios, porque n„o È necess·rio que nenhuma outra empresa participe

deste processo, nem do lado do comprador, nem do lado do vendedor.

Com o surgimento do comÈrcio eletrÙnico, h· uma grande mudanÁa no relacionamento entre

compradores e vendedores. Se pegarmos como exemplo um pagamento com boleto, este deixa de

ser r·pido, pois, alÈm do comprador ter que se dirigir ao banco para fazer o pagamento, o

vendedor sÛ receber· o dinheiro alguns dias depois. Este pagamento tambÈm tem um custo maior,

dado que, alÈm do custo do boleto, o vendedor precisa ter uma conta banc·ria e o comprador, ‡s

vezes, tem que se deslocar para pag·-lo. Finalmente, sempre h· o banco intermediando a

transaÁ„o e, ‡s vezes, outras empresas como o Paypal, por exemplo.

https://www.bitcoinbrasil.com.br

1. A fim de manter o paralelismo, a coes„o, o sentido original e a correÁ„o gramatical, o segundo par·grafo pode ser reescrito da seguinte forma:

a) Se fizermos um pagamento com uma nota de 50 Reais estaremos fazendo um pagamento que È

r·pido, barato, e n„o requer intermedi·rios. R·pido, porque o tempo para a transaÁ„o ser

finalizada È o tempo de entregar a cÈdula ao vendedor. Barato, porque n„o h· taxas nesta

transaÁ„o. Sem intermedi·rios, posto que n„o È necess·rio que nenhuma outra empresa

participe deste processo, nem do lado do comprador, nem do lado do vendedor.

È necess·rio que nenhuma outra empresa participe deste processo, nem do lado do comprador, nem do

Aula Extra 02

3. Assinale a opÁ„o que indica corretamente o sentido da palavra destacada no trecho:

Pagamentos com bitcoins s„o r·pidos, baratos e sem intermedi·rios."

a) provedores.

b) atravessadores.

c) articuladores.

d) compradores.

e) gestores.

ヴく Aゲゲキミ;ノW ; ラヮN?ラ ケ┌W キSWミデキaキI; IラヴヴWデ;マWミデW ラ マラデキ┗ラ S; aヴ;ゲW キミデWヴヴラェ;デキ┗; さO ケ┌W Y Bitcoinいざ no tÌtulo do texto.

a) chamar atenÁ„o quanto ‡ ideia central do texto.

b) interrogativa retÛrica, pois n„o h· intenÁ„o de responder ao questionamento.

c) afirmaÁ„o baseada na oposiÁ„o ao longo do texto.

d) mostrar ao leitor que ele deve investir nessa moeda.

e) realizar a citaÁ„o de autoridade.

5. Acentuam-se devido ‡ mesma regra os seguintes voc·bulos:

a) tambÈm, mantÍm, experiÍncias.

b) indÌgenas, sÈculos, especÌfico.

c) ac˙mulo, import‚ncia, interc‚mbio.

d) polÌticas, histÛria, Par·.

e) atÈ, trÍs, Ìndios.

especÌfico. c) ac˙mulo, import‚ncia, interc‚mbio. d) polÌticas, histÛria, Par·. e) atÈ, trÍs, Ìndios.

Aula Extra 02

6.

Em qual opÁ„o todas as palavras est„o corretamente grafadas?

a)

an·lise - enxergar - clareza - gesto - discÌpulos

b)

an·lise - enchergar - claresa - gesto - dicipulos

c)

an·lise - enchegar - clareza - jesto - disÌpulos

d)

an·lize - enxergar - clareza - jesto - discÌpulos

e)

an·lize - enxergar - claresa - gesto - dissÌpulos

7.

Observe a frase a seguir.

Sua nota do ENEM pode valer uma bolsa de atÈ 100%.

Assinale a opÁ„o em que o substantivo destacado È utilizado com o mesmo sentido empregado na frase anterior.

a)

A bolsa era clara, mas Madalena queria uma escura.

b)

Madalena disse ‡ enfermeira que achava que a bolsa havia estourado.

c)

O acesso ‡s faculdades tambÈm ocorre com bolsa de estudo.

d)

Madalena investe em bolsa de valores.

e)

A equipe encontrou minÈrio na bolsa que se formou entre duas rochas no mar.

8.

Em que opÁ„o a regÍncia verbal est· correta, de acordo com a norma padr„o?

a)

O espÌrito de competiÁ„o pelo qual se deixa empolgar acabar· levando-o ‡ loucura.

b)

Trata-se de um artista de cujas qualidades ninguÈm deixa de acreditar.

c)

Prefere perder a competiÁ„o com dignidade do que ganh·-la com desonra.

d)

Manuel Bandeira, de cuja poesia logo me encantou, foi um lÌrico originalÌssimo.

e)

Durante a competiÁ„o, a vitÛria em cujo ele estava confiante escapou-lhe inteiramente das m„os.

e) Durante a competiÁ„o, a vitÛria em cujo ele estava confiante escapou-lhe inteiramente das m„os.

Aula Extra 02

9. Marque a alternativa em que o voc·bulo destacado apresenta valor diferente dos demais:

a) Se o mundo lhe entregar coisas amargas, devolva com boas pr·ticas.

b) Uma vez que sua intenÁ„o seja crescer, cada aÁ„o deve ser planejada em bem executada.

c) Desde que estude, suas chances de aprovaÁ„o ser„o melhores.

d) Se ele estudou n„o sei.

e) Caso sua preparaÁ„o esteja lenta, lembre-se de que o importante È n„o ficar parado.

10. Em que opÁ„o se encontra um exemplo de uso exclusivamente denotativo da linguagem?

a) Ele È t„o amargo que parece ter um coraÁ„o de pedra.

b) A menina nasceu linda e È um sol naquela famÌlia.

c) O que separa os bons dos maus È o car·ter.

d) A palavra convence, o exemplo arrasta.

e) Juvenal È fera em administraÁ„o e tirou a empresa da possÌvel falÍncia.

11. Que palavra foi formada pelo mesmo processo que o voc·bulo "infelizmente"?

a) satisfatoriamente.

b) comprometimento.

c) destrato.

d) deslealdade.

e) esverdeado.

o voc·bulo "infelizmente"? a) satisfatoriamente. b) comprometimento. c) destrato. d) deslealdade. e) esverdeado.

Aula Extra 02

12. Em que opÁ„o a preposiÁ„o a completa a lacuna correta e obrigatoriamente, de acordo com a

norma padr„o?

a) O soldado visava

o alvo.

b) A empresa visa

o lucro. Esse È seu objetivo principal.

c) O mÈdico assistiu

d) Ele trata

crianÁas

e) O deputado presidiu

o paciente e salvou sua vida.

com muito afeto.

cerimÙnia.

13. Os profissionais pediram para a empresa demiti-los se ela continuar n„o pagando seus direitos.

A forma pronominal acima, em destaque, ser· tambÈm encontrada em uma das frases abaixo, quando o termo nela sublinhado for substituÌdo pelo pronome que lhe corresponde. Essa frase È:

a) Convocou todos os funcion·rios para agradecer a eles a especial colaboraÁ„o.

b) O sagaz lutador tem enfrentado seu advers·rio com coragem.

c) Viu o filho da vizinha e n„o cumprimentou o menino pelo seu anivers·rio.

d) Sabia que os nadadores estariam l· e realmente chegou a encontrar os rapazes.

e) Reconheceram o valor do auxiliar e indicaram o jovem para promoÁ„o.

14. Empregam-se todas as formas verbais de acordo com a norma culta, exceto:

a) Quem se propor a alterar um documento criptografado deve saber que comprometer· sua integridade.

b) Os documentos com assinatura digital dispuseram de algoritmos de criptografia que os protegeram.

c) Arquivados

eletronicamente,

assinatura digital.

os

documentos

puderam

contar

com

a

proteÁ„o

de

uma

d) Para que se mantivesse sua autenticidade, o documento n„o poderia receber qualquer tipo de retificaÁ„o.

e) N„o È possÌvel fazer as alteraÁıes que convierem sem comprometer a integridade dos documentos.

de retificaÁ„o. e) N„o È possÌvel fazer as alteraÁıes que convierem sem comprometer a integridade dos

Aula Extra 02

15. Assinale a opÁ„o em que a palavra destacada foi corretamente empregada.

a) Gostaria de falar consigo ainda hoje.

b) Entre eu e Juvenal, n„o h· mais amizade.

c) Compre o teu carro, mas n„o conte comigo para ajudar no pagamento.

d) Tu e teus amigos responderam mau aos questionamentos.

e) Preserve os animais em seu h·bitat.

"Quem vocÍ pensa que È, Rodolfo, para falar assim com sua m„e?

16. Com relaÁ„o ao emprego da vÌrgula no perÌodo destacado, assinale a opÁ„o em que o coment·rio est· correto.

a) As vÌrgulas separam o vocativo.

b) As vÌrgulas podem ser retiradas sem prejuÌzo gramatical.

c) Seria possÌvel substituir as vÌrgulas por pontos e vÌrgulas.

d) O uso das vÌrgulas se deve ‡ ocorrÍncia de aposto.

e) As vÌrgulas est„o isolando termos de natureza adverbial.

17. Assinale a alternativa em que a vÌrgula foi empregada para separar oraÁ„o adjetiva.

(A)

Ela estava pensando aonde iria, com quem sairia, que pessoas eram aquelas ao seu redor.

(B)

Pedro estava muito feliz com a compra, que foi cara, mas de muita serventia na casa.

(C)

Beatriz sabia, com certeza, que ali j· estivera em outra ocasi„o, mas quando?

(D)

Enfim, era possÌvel, ‡quela altura da vida, que todos os seus maiores desejos se realizassem.

(E)

Entre logo, que aqui estaremos bem mais protegidos da tempestade.

todos os seus maiores desejos se realizassem. (E) Entre logo, que aqui estaremos bem mais protegidos

Aula Extra 02

18. Assinale a opÁ„o em que a flex„o de substantivos compostos È feita apenas com o segundo

elemento.

a) guarda-civil.

b) guarda-marinha.

c) guarda-chuva

d) pÈ de moleque.

e) couve-flor.

19. De acordo com a norma padr„o, marque a opÁ„o em que o acento indicativo de crase È

opcional.

a) Joana se referiu amiga de forma carinhosa.

b) Roberto tornou casa dos pais.

c) Fui Bahia e adorei.

d) Dedico ‡s minhas amigas todo o meu amor.

e) A polÌcia rodovi·ria foi atÈ ·rea do acidente e registrou o boletim de ocorrÍncia.

20. Assinale a opÁ„o em que a preposiÁ„o sublinhada transmite valor de causa.

a) Com muito apreÁo, ele visitou o amigo.

b) N„o h· amizade sem sinceridade.

c) O estudante morreu de medo quando foi interpelado pelos policiais.

d) O estudante ficou com medo quando foi interpelado pelos policiais.

e) O estudante ficou em casa, pois precisava dormir cedo.

ficou com medo quando foi interpelado pelos policiais. e) O estudante ficou em casa, pois precisava

Aula Extra 02

21. Marque a opÁ„o em que a frase est· correta, de acordo com as regras de concord‚ncia.

a) Eu e meus amigos fazem estudos rotineiros.

b) Fazem estudos rotineiros meus amigos e eu.

c) A maioria das pessoas s„o vistos como consumistas em potencial.

d) 10% das empresas faz pesquisas em sua ·rea comercial.

e) … necess·ria prudÍncia no consumo.

22. Marque a opÁ„o em que o emprego da vÌrgula È facultativo.

a)

J˙lia, venha c·!

b)

Quando o mercado imobili·rio voltar a crescer, estima-se

um crescimento de

20% em

contrataÁıes.

c) Isso est· previsto na ConstituiÁ„o, a qual prevÍ os direitos do cidad„o brasileiro.

d) Converse com seus pais, que eles saber„o orient·-lo.

e) O Brasil cresceu 3% neste mÍs, devido ‡ demanda do comÈrcio exterior.

23. Marque a alternativa em que o termo sublinhado seja obrigatoriamente um advÈrbio.

a) Ele mesmo fez as questıes.

b) Mesmo ele fez as questıes.

c) JosÈ est· meio chateado.

d) Ele tomou meio copo de refrigerante.

e) Ele fez bastante falta.

fez as questıes. c) JosÈ est· meio chateado. d) Ele tomou meio copo de refrigerante. e)

Aula Extra 02

24. Assinale a alternativa em que o conectivo destacado n„o apresente valor de contraste:

a) Os profissionais se dedicaram muito naquele mÍs, e n„o receberam os sal·rios.

b) Embora seja um dia festivo, Ana n„o quis sair de casa.

c) Animado que estava, saiu para correr.

d) Doente que estivesse, sairia para correr.

e) VocÍ deu a resposta correta, mas n„o se vanglorie disso.

25. Marque a alternativa em que o voc·bulo destacado apresenta um valor anafÛrico

a) Eu quis dizer que vocÍ ganhou a competiÁ„o.

b) Esta È a caneta que comprei.

c) Ele estudou tanto que passou em primeiro lugar.

d) A minha d˙vida È esta: quando comeÁo a ganhar dinheiro?

e) O esforÁo nos conduz ‡ vitÛria, ent„o, nos momentos de des‚nimo, tambÈm devemos nos lembrar disso.

dinheiro? e) O esforÁo nos conduz ‡ vitÛria, ent„o, nos momentos de des‚nimo, tambÈm devemos nos

Aula Extra 02

CONHECIMENTOS NAVAIS

26. Pode-se afirmar que durante a Guerra da Cisplatina (1825-1826) a Marinha Imperial Brasileira:

(A) Buscou atuar exclusivamente na Bacia do Prata onde teve como principal objetivo, juntamente

com o auxÌlio das forÁas militares provenientes de AssunÁ„o, conter o avanÁo argentino na regi„o e consequentemente garantir a independÍncia das provÌncias platinas.

(B) Lutou unicamente contra a ForÁa Naval Argentina Tinha como objetivo de consolidar o domÌnio

brasileiro na Bacia do Prata e consequentemente a tentativa de restauraÁ„o do Vice-reinado de CÛrdoba, outrora formado pelas ProvÌncias Platinas, Paraguai e Argentina.

(C) AlÈm de lutar contra a ForÁa Naval Argentina tambÈm atuou contra os cors·rios que, com

Patentes de corso emitidas pelas ProvÌncias Unidas do Rio da Prata e pelo prÛprio ExÈrcito de Lavalleja, atacavam os navios mercantes brasileiros por toda nossa costa.

(D) Conjuntamente com a ForÁa Naval Argentina procurou conter o avanÁo da Marinha Paraguaia

que juntamente com o exÈrcito sob o comando de Solano Lopes buscava instaurar na regi„o o

Grande Paraguai que englobaria o Rio Grande do Sul e o atual Uruguai.

(E)

Lutou contra a ForÁa Naval organizada pelos ricos comerciantes de AssunÁ„o que buscavam diminuir a influÍncia brasileira na Bacia do Prata e consequentemente ampliar as suas atividades comerciais na regi„o.

27.

Durante o perÌodo colonial brasileiro, cors·rios franceses empreenderam v·rias tentativas de

invas„o. Entre elas, pode-se destacar a comandada por:

(A)

RenÈ Duguay-Trouin no Rio de Janeiro, resultando em uma completa pilhagem da cidade.

(B)

Duclerc no Maranh„o, que resultou na fundaÁ„o da cidade de S„o LuÌs.

(C)

Nicolau Durand de Villegaignon, que resultou na fundaÁ„o da FranÁa Equinocial no Rio de

Janeiro.

(D) Jean Batiste Aristides, resultando na fundaÁ„o da FranÁa Ant·rtica no Rio de Janeiro.

(E) Gaspard de Coligny no Rio de Janeiro, resultando em completa pilhagem da cidade.

FranÁa Ant·rtica no Rio de Janeiro. (E) Gaspard de Coligny no Rio de Janeiro, resultando em

Aula Extra 02

28. Na segunda metade do sÈculo XIX, o Brasil vivenciou diversos conflitos na regi„o do Prata, com a finalidade de manter sempre a livre navegaÁ„o da regi„o, garantindo com isso o acesso a algumas provÌncias, principalmente a do Mato Grosso, na tentativa de impedir o surgimento de algum poderoso Estado Rival nas fronteiras brasileiras do sul.

Entre estes conflitos, pode-se citar a Quest„o contra Oribe e Rosas, de 1851 a 1852, quando se destaca, no comando naval das forÁas brasileiras, o

(A)

Chefe-de-Esquadra Joaquim JosÈ Ign·cio, Visconde de Inha˙ma, que se destacou na vitÛria de Passos de Los Libres.

(B)

Chefe-de-Divis„o Frederico Mariath, que liderou a vitÛria do Brasil em Camaqu„.

(C)

Chefe-de-Esquadra Antonio Luiz Von Hoonholtz, Bar„o de GeffÈ, que garantiu a vitÛria do Brasil em Passo Tonelero.

(D)

Chefe-de-Divis„o Jhohn Taylor, que conseguiu derrotar as forÁas uruguaias e argentinas no Rio Uruguai.

(E) Chefe-de-Esquadra Jonh Pascoe Grenfell, que se destacou na vitÛria de Passo Tonelero.

29. Em qual Guerra o impÈrio brasileiro, que se opunha frontalmente ‡ anexaÁ„o do Uruguai ao territÛrio da Argentina, apoiou o governo constituÌdo do Uruguai, exercido pelo Partido Colorado?

a) Guerra contra Oribe e Rosas.

b) Guerra da Cisplatina.

c) Guerra do Uruguai.

d) Guerra dos Farrapos.

e) Guerra Sabinada.

a) Guerra contra Oribe e Rosas. b) Guerra da Cisplatina. c) Guerra do Uruguai. d) Guerra

Aula Extra 02

30. A import‚ncia de Nicolas Durand de Villegagnon no processo de ocupaÁ„o francesa do Brasil radica-se no fato:

(A)

de ter dado apoio financeiro ‡ expediÁ„o, sem, contudo, participar da conquista.

(B)

de ter liderado uma revolta huguenote em Guanabara contra os catÛlicos espanhÛis.

(C)

de ter monopolizado o comÈrcio do pau-brasil em toda a costa marÌtima brasileira.

(D)

de ter desmontado o Governo Geral de Mem de S·.

(E)

de ter comandado o desembarque de trÍs navios franceses no Rio de Janeiro, em 1555, e liderado a construÁ„o da FranÁa Ant·rtica.

31. Os franceses traficantes de especiarias e negociantes de pau-brasil percorreram desde os

primeiros tempos o litoral da AmÈrica portuguesa. ExpediÁıes anteriores haviam deixado alguns homens, conhecidos por truchements, ou seja, intÈrpretes, entre os indÌgenas, com os quais faziam

alianÁas, servindo de intermedi·rios para o negÛcio das especiarias. A expediÁ„o de Villegagnon tinha projetos mais duradouros, embora possa ser inserida no mesmo movimento de disputa pelo comÈrcio ultramarino. Eram cerca de 600 colonos, entre mercen·rios e aventureiros. Entre eles, encontrava-se um ministro catÛlico, AndrÈ Thevet, que mais tarde escreveria um dos relatos sobre aquela experiÍncia. (BICALHO, Maria Fernanda B. A FranÁa Ant·rtica, o corso, a conquista e a さヮWNラミエ; ノ┌デWヴ;ミ;ざく Iミぎ RW┗キゲデ; HI“TÓRIAが “?ラ P;┌ノラが ヲΑ ぷヱへが ヲヰヰΒく ヮく

O デヴWIエラ ;Iキマ; a;┣ ヴWaWヴZミIキ; ;ラ ヮヴラテWデラ SWミラマキミ;Sラ SW さFヴ;ミN; Aミデ=ヴデキI;ざが ケ┌W Iラミゲキゲデキ┌ ミ; ocupaÁ„o da BaÌa de Guanabara, no Rio de Janeiro, iniciado em 1550. Sobre esse processo, È correto afirmar que:

(A)

foi apoiado pelo governador-geral Mem de S·.

(B)

a reaÁ„o portuguesa ocorreu quando o Governador Mem de S·, em 1560, atacou o Forte de Coligny com uma forÁa naval (soldados e Ìndios) que trouxera da Bahia, arrasando-o.

(C)

resultou em um conflito sangrento entre os huguenotes franceses e os luteranos portugueses.

(D)

durou atÈ o ano de 1808, quando a corte portuguesa desembarcou no Rio de Janeiro.

(E)

durou atÈ 1822, quando o Brasil se tornou independente.

a corte portuguesa desembarcou no Rio de Janeiro. (E) durou atÈ 1822, quando o Brasil se

Aula Extra 02

32. Este documento explicita os conceitos de SeguranÁa e de Defesa Nacional, analisa os ambientes

internacional e nacional e estabelece os Objetivos Nacionais de Defesa. AlÈm disso, orienta a consecuÁ„o desses objetivos. Trata-se do(a):

(A)EstratÈgia Nacional de Defesa

(B)PolÌtica Nacional de Defesa

(C)EMA-137

(D)DPGM-315

(E)LC 97/99

33.

Segundo as definiÁıes do EMA-137, CapÌtulo 1, assinale a alternativa incorreta:

(A)

Chefia È a autoridade advinda da responsabilidade atribuÌda ‡ funÁ„o, associada com aquela decorrente de seu posto ou graduaÁ„o.

(B)

LideranÁa È a capacidade individual dos mais antigos em influenciarem e inspirarem os seus subordinados.

(C)

No desempenho de suas funÁıes, os mais antigos desempenham dois papÈis funcionais: de さIエWaWざ W SW さIラミS┌デラヴ SW エラマWミゲざ

(D)

Comandar È exercer a chefia e a lideranÁa, a fim de conduzir eficazmente a organizaÁ„o no cumprimento da miss„o.

(E)

Chefia e lideranÁa n„o s„o processos simult‚neos ou complementares.

34.

De acordo com o EMA-137, assinale a opÁ„o que representa o aspecto da lideranÁa que tem

como caracterÌstica o desenvolvimento que fornece ao indivÌduo bases metodolÛgicas para efetuar o exame corrente da situaÁ„o, favorecendo o processo de tomada de decisıes:

(A)

Aspecto sociolÛgico.

(B)

Aspecto psicolÛgico.

(C)

Aspecto filosÛfico.

(D)

Aspecto competitivo.

(E)

Aspecto autocr·tico.

Aspecto psicolÛgico. (C) Aspecto filosÛfico. (D) Aspecto competitivo. (E) Aspecto autocr·tico.

Aula Extra 02

35. Segundo o EMA-137, o uso desse estilo de lideranÁa pode gerar resistÍncia passiva dentro da equipe, resultando na inibiÁ„o da iniciativa do subordinado:

(A)

LideranÁa transformacional.

(B)

LideranÁa transacional.

(C)

LideranÁa democr·tica.

(D)

LideranÁa orientada para tarefa.

(E)

LideranÁa autocr·tica.

36. Em S„o LuÌs, em 1 de novembro de 1615, antes do tÈrmino da trÈgua de um ano, uma armada

cercou os franceses, se dirigiram, no dia seguinte, para o Forte

de S„o LuÌs, onde La RavardiËre acabou se rendendo sem resistÍncia. Assinale a alternativa que completa a lacuna:

de nove navios comandados pelo capit„o portuguÍs enquanto as forÁas comandadas por

(A)

Alexandre de Moura e JerÙnimo de Albuquerque, respectivamente

(B)

D. Fadrique de Toledo OsÛrio e JerÙnimo de Albuquerque, respectivamente

(C)

JerÙnimo de Albuquerque e Alexandre de Moura, respectivamente

(D)

Matias de Albuquerque e Gaspar de Lemos, respectivamente

(E)

Almirante TamandarÈ e JerÙnimo de Albuquerque, respectivamente

37. Acerca dos conceitos e definiÁıes presentes na PolÌtica Nacional de Defesa, assinale o incorreto:

ふAぶ さDWaWゲ; N;Iキラミ;ノざ デWマ Zミa;ゲW ミ;ゲ W┝ヮヴWゲゲロWゲ ヮラノケデキI;が WIラミレマキI; W マキノキデ;ヴ Sラ ヮラSWヴ ミ;Iキラミ;ノ W se foca na prevenÁ„o de conflitos externos e internos, potenciais ou manifestos.

(B)

SeguranÁa È a condiÁ„o que permite ao PaÌs a realizaÁ„o dos seus interesses nacionais, livre de pressıes e ameaÁas de qualquer natureza.

(C)

Dentre os processos de integraÁ„o regional que vem se fortalecendo e que contribuem para reduzir possibilidade de conflito em nosso entorno estratÈgico destacam-se, dentre outros, o desenvolvimento de organismos regionais e a integraÁ„o das bases industriais de defesa.

destacam-se, dentre outros, o desenvolvimento de organismos regionais e a integraÁ„o das bases industriais de defesa.

Aula Extra 02

(D) A ampliaÁ„o, a modernizaÁ„o e a interligaÁ„o da infraestrutura da AmÈrica do Sul, com a devida atenÁ„o ao meio ambiente e ‡s comunidades locais, podem concretizar a ligaÁ„o entre seus centros produtivos e os dois oceanos, facilitando o desenvolvimento e a integraÁ„o.

(E) A seguranÁa de um paÌs È afetada pelo grau de estabilidade da regi„o onde ele est· inserido. Assim, È desej·vel que ocorram o consenso, a harmonia polÌtica e a convergÍncia de aÁıes entre os paÌses vizinhos para reduzir os delitos transnacionais e alcanÁar melhores condiÁıes de desenvolvimento econÙmico e social, tornando a regi„o mais coesa e mais forte.

38. Acerca das disposiÁıes constitucionais relativas aos militares das ForÁas Armadas, assinale alternativa incorreta:

(A) o militar em atividade que tomar posse em cargo ou emprego p˙blico civil permanente, ressalvada a hipÛtese prevista no art. 37, inciso XVI, alÌnea "c" da ConstituiÁ„o Federal, ser· transferido para a reserva, nos termos da lei.

(B)

a lei dispor· sobre o ingresso nas ForÁas Armadas, os limites de idade, a estabilidade e outras condiÁıes de transferÍncia do militar para a inatividade, os direitos, os deveres, a remuneraÁ„o, as prerrogativas e outras situaÁıes especiais dos militares, consideradas as peculiaridades de suas atividades, inclusive aquelas cumpridas por forÁa de compromissos internacionais e de guerra.

(C)

O CMG RM-1 (IM) Velha Guarda passou para a inatividade em 15/01/2019. Este militar, a partir desta data, poder· vir a filiar-se a partidos polÌticos, mas continua proibido de fazer greve e de sindicalizar.

(D)

Dentre os direitos trabalhistas previstos na ConstituiÁ„o Federal, os militares possuem, dentre outros, o 13 Sal·rio pela remuneraÁ„o integral; Sal·rio-famÌlia; Adicional de pelo menos 1/3 nas fÈrias; LicenÁa Gestante e Paternidade; AssistÍncia prÈ-escolar gratuita para os filhos atÈ os 5 anos de idade; Teto remuneratÛrio igual ao subsÌdio dos Ministros do STF; Fundo de Garantia por tempo de serviÁo; remuneraÁ„o do trabalho noturno superior ‡ do diurno e remuneraÁ„o do serviÁo extraordin·rio superior, no mÌnimo, em 50% por cento ‡ do normal.

(E)

As mulheres e os eclesi·sticos ficam isentos do serviÁo militar obrigatÛrio em tempo de paz, sujeitos, porÈm, a outros encargos que a lei lhes atribuir, de acordo com as suas aptidıes

obrigatÛrio em tempo de paz, sujeitos, porÈm, a outros encargos que a lei lhes atribuir, de

Aula Extra 02

39. Observe a figura abaixo e responda:

Aula Extra 02 39. Observe a figura abaixo e responda: A figura mostra um perÌodo em

A figura mostra um perÌodo em que se inicia a europeizaÁ„o do mundo, a partir da chamada Expans„o MarÌtima EuropÈia, sendo pioneiro neste processo o reino

(A)

portuguÍs, a partir da Dinastia de Borgonha, que executa a centralizaÁ„o polÌtica, baseada na alianÁa com a nobreza, a qual se interessava pela busca de novos mercados fora da Europa.

(B)

Espanhol,

apÛs

a tomada

de

Granada,

quando

se

verifica a

sua

centralizaÁ„o polÌtica,

possibilitando o expansionismo em direÁ„o ‡ £frica Ocidental.

 

(C)

FrancÍs, que consegue a sua centralizaÁ„o polÌtica, apÛs a Guerra dos Cem anos, possibilitando o seu expansionismo em direÁ„o ‡ AmÈrica e, em especial ao Brasil.

(D)

PortuguÍs, devido ‡ precoce centralizaÁ„o mon·rquica, apÛs a RevoluÁ„o de Avis, associando os poderes polÌticos, concentrados nas m„os do rei, aos interesses do setor mercantil.

(E)

Espanhol, quando se destaca a viagem de CristÛv„o Colombo, que foi o marco inicial de sua expans„o marÌtima, a qual consolida a centralizaÁ„o polÌtica espanhola.

Colombo, que foi o marco inicial de sua expans„o marÌtima, a qual consolida a centralizaÁ„o polÌtica

Aula Extra 02

40. Leia a afirmaÁ„o abaixo e responda a quest„o a seguir.

O ano de 1963 marcou um episÛdio de confronto entre Brasil e FranÁa em torno do direito de

explorar os recursos da plataforma continental nordestina do Brasil, onde pesqueiros franceses

capturavam a lagosta, apoiados por seu governo, sendo este incidente denominado de Guerra da Lagosta.

… correto afirmar que em tal acontecimento a persuas„o naval exercida pelo emprego do Poder Naval brasileiro foi o de

(A)

CoerÁ„o Deterrente, porque inibiu o apoio que intencionalmente os franceses pretendiam dar a seus barcos pesqueiros.

(B)

Dissuas„o caracterizada na demonstraÁ„o de apoio a decis„o brasileira levando os franceses a desistirem de sua aÁ„o.

(C)

ContenÁ„o atravÈs do emprego da forÁa plena intimidando os franceses que desistiram da sua aÁ„o.

(D)

Dissuas„o deterrente porque forÁou a mudanÁa da aÁ„o para as negociaÁıes diplom·ticas.

(E)

CoerÁ„o convergente que forÁou os franceses a recuarem em sua aÁ„o de apoiar os barcos pesqueiros em ·guas brasileiras.

41. Observe a figura abaixo e responda ‡ quest„o a seguir

Observe a figura abaixo e responda ‡ quest„o a seguir A figura acima representa, de forma

A figura acima representa, de forma humorada, um acontecimento ocorrido no ano de 1492, o

qual abalou as pretensıes do rei portuguÍs D. Jo„o II na sua polÌtica expansionista.

ocorrido no ano de 1492, o qual abalou as pretensıes do rei portuguÍs D. Jo„o II

Aula Extra 02

… correto afirmar que tal acontecimento gerou como consequÍncia a

(A)

EdiÁ„o da Bula Intercoetera, em 1493, garantindo ‡ coroa portuguesa as terras que viessem a ser descobertas atÈ 150 lÈguas a oeste da Ilha da Madeira e do ArquipÈlago de Cabo Verde.

(B)

Assinatura do Tratado de Tordesilhas, em 1493, garantindo ‡ coroa espanhola as terras descobertas a partir de 100 lÈguas a leste do ArquipÈlago de Cabo Verde.

(C)

Assinatura do Tratado de Tordesilhas, em 1494, garantindo ‡ coroa portuguesa as terras que viessem a ser descobertas atÈ 370 lÈguas a oeste do ArquipÈlago de Cabo Verde.

(D)

EdiÁ„o da Bula Intercoetera, em 1494, garantindo ‡ coroa espanhola as terras descobertas atÈ 100 lÈguas a oeste da ilha dos AÁores.

(E)

Assinatura do Tratado de Tordesilhas, em 1494, garantindo ‡ coroa portuguesa as terras que viessem a ser descobertas atÈ 370 lÈguas a leste das Ilhas dos AÁores e da Madeira

42) De acordo com o Estatuto dos Militares, Lei 6.880/80, podemos afirmar que:

(A)

As ForÁas Armadas, essenciais ‡ execuÁ„o da polÌtica de seguranÁa nacional, s„o constituÌdas pela Marinha, pelo ExÈrcito e pela Aeron·utica, e destinam-se a defender a P·tria e a garantir os poderes constituÌdos, a lei e a ordem. S„o instituiÁıes nacionais, permanentes e regulares, organizadas com base na respeito e na disciplina, sob a autoridade suprema do Ministro da Defesa e dentro dos limites da lei.

(B)

Dentre os militares que se encontram na inatividade destacamos os da reserva remunerada, quando pertenÁam ‡ reserva das ForÁas Armadas, mas n„o percebam remuneraÁ„o da Uni„o, porÈm sujeitos, ainda, ‡ prestaÁ„o de serviÁo na ativa, mediante convocaÁ„o ou mobilizaÁ„o.

(C)

S„o considerados reserva das FFAA individualmente os militares da reserva n„o remunerada e os demais cidad„os em condiÁıes de convocaÁ„o ou de mobilizaÁ„o para a ativa.

(D)

O pessoal componente da Marinha Mercante, da AviaÁ„o Civil e das empresas declaradas diretamente relacionadas com a seguranÁa nacional, bem como os demais cidad„os em condiÁıes de convocaÁ„o ou mobilizaÁ„o para a ativa, s„o considerados militares independente de convocaÁ„o ou mobilizaÁ„o para o serviÁo nas ForÁas Armadas.

(E)

S„o

privativas

de

brasileiro

nato

as

carreiras

de

oficial

da

Marinha,

do

ExÈrcito

e

da

Aeron·utica.

de brasileiro nato as carreiras de oficial da Marinha, do ExÈrcito e da Aeron·utica.

Aula Extra 02

43. Em relaÁ„o ‡ Lei que dispıe sobre o preparo, o emprego e organizaÁ„o das FFAA, È correto

afirmar que:

(A)

Compete aos Comandantes das ForÁas apresentar ao Ministro de Estado da Defesa a Lista de Escolha, elaborada na forma da lei, para a promoÁ„o aos postos de Oficiais Superiores e propor-lhe os oficiais-generais para a nomeaÁ„o aos cargos que lhes s„o privativos.

(B)

Compete aos Chefes do Estado-Maior Conjunto das FFAA apresentar ao Ministro de Estado da Defesa a Lista de Escolha, elaborada na forma da lei, para a promoÁ„o aos postos de oficiais- generais e propor-lhe os oficiais-generais para a nomeaÁ„o aos cargos que lhes s„o privativos.

(C)

Compete aos Comandantes das ForÁas apresentar ao Ministro de Estado da Defesa a Lista de Escolha, elaborada na forma da lei, para a promoÁ„o aos postos de Oficiais Generais e propor- lhe os oficiais-generais para a nomeaÁ„o aos cargos que lhes s„o privativos.

(D)

O Presidente da Rep˙blica exerce a direÁ„o superior das ForÁas Armadas, assessorado pelo Conselho Militar de Defesa, Ûrg„o permanente de assessoramento, pelo Estado-Maior Conjunto das ForÁas Armadas e pelos demais Ûrg„os, conforme definido em lei.

(E) O Livro Branco de Defesa Nacional dever· conter dados estratÈgicos, orÁament·rios, institucionais detalhados sobre as ForÁas Armadas, abordando suporte financeiro ‡s forÁas auxiliares.

44. De acordo com a OrganizaÁ„o de Bordo, a presidÍncia das refeiÁıes a bordo dos navios no

cÌrculo de Suboficiais e Sargentos e no cÌrculo de Cabos e Marinheiros compete respectivamente ao

(A)

Sargenteante Geral e ao Contramestre do Navio.

(B)

Mestre do Navio e ao Mestre D`armas.

(C)

Supervisor de M·quinas e ao Cabo Auxiliar.

(D)

Supervisor de Grupo e ao Cozinheiro de ServiÁo.

(E)

Mestre e ao Contramestre do Navio.

Cabo Auxiliar. (D) Supervisor de Grupo e ao Cozinheiro de ServiÁo. (E) Mestre e ao Contramestre

Aula Extra 02

45. O CT (IM) Voga Picada estava em seu camarote no navio, logo apÛs o almoÁo. Neste dia, resolveu almoÁar ‡s 13hr. Certo tempo depois de terminar o almoÁo, ouviu 3 badaladas duplas e uma singela do sino de bordo. Como sabia que ainda n„o eram 16hr, por ter estudado com afinco as TradiÁıes Navais, concluiu que eram:

(A)

(B)

(C)

(D)

(E)

14:30

14:00

15:00

15:30

13:30

46) Observe a imagem abaixo e responda a quest„o:

13:30 46) Observe a imagem abaixo e responda a quest„o: Durante a guerra do Paraguai, no

Durante a guerra do Paraguai, no ano de 1866, o comando das forÁas navais brasileiras foi assumido por Joaquim JosÈ Ign·cio, futuro Visconde de Inha˙ma, que apoiou a ofensiva de Caxias, atuando, atÈ a ocupaÁ„o da cidade de AssunÁ„o, ao longo do Rio Paraguai.

Dentre as atuaÁıes da Marinha Brasileira, neste perÌodo, pode-se citar basicamente:

(A)

a colocaÁ„o de minas submarinas e o transporte de tropas.

(B)

a destruiÁ„o de arsenais e a colocaÁ„o de minas submarinas.

(C)

transporte de tropas e a evacuaÁ„o de civis.

(D)

o bombardeamento de fortificaÁıes e reconhecimentos pelo rio.

(E)

instalaÁ„o de hospitais e a evacuaÁ„o de civis.

de fortificaÁıes e reconhecimentos pelo rio. (E) instalaÁ„o de hospitais e a evacuaÁ„o de civis.

Aula Extra 02

47.

Sobre o Estado-Maior Conjunto das FFAA, podemos afirmar que:

(A)

tem como chefe um oficial-general do ˙ltimo posto, da ativa ou da reserva, indicado pelo Presidente da Rep˙blica.

(B)

Se o oficial-general indicado para o cargo de Chefe do Estado-Maior Conjunto das ForÁas Armadas estiver na ativa, ser· transferido para a reserva remunerada quando empossado no cargo.

(C)

… assegurado ao Chefe do Estado-Maior Conjunto das ForÁas Armadas o mesmo grau de precedÍncia hier·rquica dos Comandantes das ForÁas, mas n„o a precedÍncia hier·rquica sobre os demais oficiais-generais das 3 (trÍs) ForÁas Armadas.

(D)

… assegurado ao Chefe do Estado-Maior Conjunto das ForÁas Armadas todas as prerrogativas, direitos e deveres do ServiÁo Ativo, exceto com a contagem de tempo de serviÁo, enquanto estiver em exercÌcio.

(E)

O Estado-Maior Conjunto das ForÁas Armadas È Ûrg„o de assessoramento permanente dos Comandantes das ForÁas.

48.

Sobre o Conselho de JustificaÁ„o e o Conselho de Disciplina, ambos previstos no Estatuto dos

Militares, podemos afirmar que

(A)

A praÁa presumivelmente incapaz de permanecer como militar da ativa ser·, na forma da legislaÁ„o especÌfica, submetido a Conselho de JustificaÁ„o.

(B)

O oficial presumivelmente incapaz de permanecer como militar da ativa ser·, na forma da legislaÁ„o especÌfica, submetido a Conselho de JustificaÁ„o.

(C)

O oficial presumivelmente incapaz de permanecer como militar da ativa ser·, na forma da legislaÁ„o especÌfica, submetido a Conselho de Disciplina.

(D)

N„o poder· ser submetido a Conselho de JustificaÁ„o o oficial da reserva remunerada ou reformado, presumivelmente incapaz de permanecer na situaÁ„o de inatividade em que se encontra.

(E) Compete aos Ministros das ForÁas Singulares julgar, em ˙ltima inst‚ncia, os processos oriundos dos Conselhos de Disciplina convocados no ‚mbito das respectivas ForÁas Armadas e os processos oriundos dos Conselhos de JustificaÁ„o, nos casos previstos em lei especÌfica.

ForÁas Armadas e os processos oriundos dos Conselhos de JustificaÁ„o, nos casos previstos em lei especÌfica.

Aula Extra 02

49. Dentre as prioridades definidas pela EstratÈgia Nacional de Defesa para o Setor Nuclear, n„o podemos citar:

(A)

Nacionalizar o ciclo do combustÌvel e a construÁ„o de reatores, em relaÁ„o aos submarimos nucleares.

(B)

Acelerar o mapeamento, a prospecÁ„o e o aproveitamento das jazidas de ur‚nio.

(C)

Aprimorar o potencial de projetar e construir termelÈtricas nucleares, com tecnologias e capacitaÁıes que acabem sob domÌnio nacional.

(D)

Incrementar medidas de apoio tecnolÛgico por meio de laboratÛrios especÌficos voltados para as aÁıes nucleares.

(E)

Aumentar a capacidade de usar a energia nuclear em amplo espectro de atividades.

50. さUマ ミ;┗キラ Y ┌マ; ミ;┗Wく CラミS┌┣キヴ ┌マ; ミ;┗W Y ミ;┗Wェ;ヴが ラ┌ ゲWテ;が ; ヮ;ノ;┗ヴ; ┗Wマ Sラ ノ;デキマ

"navigare", "navis" (nave) + "agere" (dirigir ou conduzir). O significado de Barco È navio pequeno

(ou um navio È um barco grande

).

Barco vem do latim barca

Sobre a vida do navio, È falso afirmar que:

ふAぶ O ミ;┗キラ デWマ ゲ┌; ┗キS; マ;ヴI;S; ヮラヴ a;ゲWゲく O ヮヴキマWキヴラ W┗Wミデラ SWゲゲ; ┗キS; Y ラ さH;デキマWミデラ S; ケ┌キノエ;ざが ┌マ; IWヴキマレミキ; ミラ Wゲデ;ノWキヴラが ミ; ケ┌;ノ ; ヮヴキマWキヴ; ヮWN; Wゲデヴ┌デ┌ヴ;ノ ケ┌W キミデWェヴ;ヴ= ラ ミ;┗キラ Y posicionada no local da construÁ„o.

ふBぶ さEゲデ;ノWキヴラざ Y ラ Wゲデ;HWノWIキマWミデラ キミS┌ゲデヴキ;ノ ラミSW ゲ?ラ Iラミゲデヴ┌ケSラゲ ラゲ ミ;┗キラゲく

(C)

Quando o navio est· com o casco pronto, n; I;ヴヴWキヴ; Sラ Wゲデ;ノWキヴラが WノW Y さノ;ミN;Sラ ;ラ マ;ヴざ Wマ cerimÙnia chamada lanÁamento.

(D)

Os navios de guerra, geralmente, s„o construÌdos em Arsenais.

(E)

A mostra de armamento È uma cerimÙnia relacionada ao teste das armas que o navio possui.

em Arsenais. (E) A mostra de armamento È uma cerimÙnia relacionada ao teste das armas que

Aula Extra 02

CART O DE RESPOSTA

41- 42- 43- 44- 45- 46- 47- 48- 48- 50- 1- 11- 21- 31- 2-
41- 42- 43- 44- 45- 46- 47- 48- 48- 50- 1- 11- 21- 31- 2-

41-

42-

43-

44-

45-

46-

47-

48-

48-

50-

41- 42- 43- 44- 45- 46- 47- 48- 48- 50-
41- 42- 43- 44- 45- 46- 47- 48- 48- 50-
41- 42- 43- 44- 45- 46- 47- 48- 48- 50- 1- 11- 21- 31- 2- 12-
1- 11- 21- 31- 2- 12- 22- 32- 3- 13- 23- 33-

1-

11-

21-

31-

2-

12-

22-

32-

3-

13-

23-

33-

31- 2- 12- 22- 32- 3- 13- 23- 33- 4- 14- 24- 34- 5- 15- 25-
4- 14- 24- 34- 5- 15- 25- 35- 6- 16- 26- 36- 7- 17- 27-
4- 14- 24- 34- 5- 15- 25- 35- 6- 16- 26- 36- 7- 17- 27-
4- 14- 24- 34- 5- 15- 25- 35- 6- 16- 26- 36- 7- 17- 27-

4-

14-

24-

34-

5-

15-

25-

35-

6-

16-

26-

36-

7-

17-

27-

37-

8-

18-

28-

38-

9-

19-

29-

39-

10-

20-

30-

40-

36- 7- 17- 27- 37- 8- 18- 28- 38- 9- 19- 29- 39- 10- 20- 30-
36- 7- 17- 27- 37- 8- 18- 28- 38- 9- 19- 29- 39- 10- 20- 30-