Você está na página 1de 198

Manual Depósito a Prazo

JUNHO/2013
Depósito a Prazo

Sumário

Sumário ............................................................................................................................................................... 2
1. Diagrama de Contexto ................................................................................................................................. 3
2. Introdução ................................................................................................................................................... 4
3. Funcionalidade ............................................................................................................................................ 5
4. Navegação no Sistema ................................................................................................................................. 8
5. Configuração ............................................................................................................................................. 14
5.1. Emissor.............................................................................................................................................. 14
5.2. Papel ................................................................................................................................................. 19
5.3. Enquadramento Legal ........................................................................................................................ 24
5.4. Limites Operacionais .......................................................................................................................... 25
5.5. Agências ............................................................................................................................................ 29
5.6. Critério Cálculo .................................................................................................................................. 31
5.7. Critério de Tributação ........................................................................................................................ 36
5.8. Alíquotas ........................................................................................................................................... 37
5.9. Limites Operacionais .......................................................................................................................... 38
5.10. Tipos de Cálculos ............................................................................................................................... 39
5.11. Tipos de Tributos ............................................................................................................................... 40
5.12. Ocorrência ........................................................................................................................................ 41
5.13. Alíquotas Internacionais..................................................................................................................... 43
5.14. Painel ................................................................................................................................................ 44
5.15. Taxas ................................................................................................................................................. 45
6. Contas ....................................................................................................................................................... 46
6.1. Contas ............................................................................................................................................... 47
7. Configuração ............................................................................................................................................. 51
7.1. Emissão ............................................................................................................................................. 52
7.2. Reaplicação ....................................................................................................................................... 61
7.3. Repactuação ...................................................................................................................................... 64
7.4. Recompra .......................................................................................................................................... 69
7.5. Canc. Excl/Emis .................................................................................................................................. 73
7.6. Cancelamento Recompra ................................................................................................................... 75
7.7. Limite Operacional ............................................................................................................................. 80
8. Autorização ............................................................................................................................................... 82
9. Bloqueio .................................................................................................................................................... 86
10. Operações Especiais ................................................................................................................................... 93
11. Bloqueio .................................................................................................................................................. 111
12. Consultas Operacionais ............................................................................................................................ 108
13. Consultas Avançadas................................................................................................................................ 150
14. Relatórios ................................................................................................................................................ 157
15. Como Fazer? ........................................................................................................................................... 187

2
Versão 1.0
Depósito a Prazo

1. Diagrama de Contexto

Figura 1 - Figura Diagrama de Contexto

3
Versão 1.0
Depósito a Prazo

2. Introdução

O Sistema de Depósito a Prazo é um conjunto de rotinas cujo objetivo é o acompanhamento e a administração dos
depósitos a prazo, no que tange aos papéis emitidos pela instituição, de maneira a manter o controle das operações
efetuadas em relação às taxas e prazos negociados, apropriação de despesas e contabilização, mantendo um
acompanhamento da emissão até o resgate do papel.
O Sistema de Depósito a Prazo está dividido em processos operacionais afins, onde cada segmento é responsável por
um tipo de ação. Estas ações estão explícitas na navegação ordinária do sistema, através de cada pasta, e se
apresentam da seguinte maneira:

Operações - São informações que caracterizam as transações determinadas pelo sistema de Depósito a Prazo.

Autorizações - É um processo que possibilita a validação da operação por mais de uma pessoa, que objetiva o
controle físico financeiro das operações efetuadas no sistema de Depósito a Prazo, que garantem a validade e os
critérios a serem observados no processo de negociação.

Bloqueio - Esta operação tem como função impedir a negociação de determinados papéis em função de garantias
operacionais e judiciais ou internos.

Processamento – É o processo de encerramento de um dia ou a abertura da posição do próximo dia, com as


operações já liquidadas e a valorização efetuada para o dia.

Simulação – Este processo permite elaborar operações pre-fixadas simuladas que estão devidamente configuradas
no sistema.

Consultas - A pasta consultas destina-se a permitir a visualização e/ou impressão de dados armazenados no Banco,
correspondentes a:
 Posição de clientes;
 Extrato de clientes;
 Títulos em ser;
 Títulos resgatados;
 Posição financeira diária por custódia;
 Apropriação das despesas de emissão;
 Títulos de emissão em tesouraria;
 Operações efetuadas por data;
 Contas de aplicadores/co-aplicadores;
 Ocorrências de exceções e processos especiais por data.

4
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Operações Especiais - São conjuntos de operações que visam agregar a base de dados em relação aos papéis
emitidos e não incluídos no sistema, na data da respectiva operação ou que devam ser eliminados por erro. Bem
como efetuar alterações de ordem operacional de papéis já emitidos.

Contas - São os dados complementares (legais ou operacionais) do cliente, necessários à operacionalização do


sistema de Depósito a Prazo.

Nota: Esta conta indica também, os co-aplicadores que fazem parte da conta e suas peculiaridades pertinentes ao
processo de emissão de títulos próprios.

Configurações - É um conjunto de telas destinadas a parametrizações relativas a informações da empresa, produtos


de captação de recursos e, limitações operacionais e suas exigências legais e tributárias.

Esta facilidade do Sistema de Depósito a Prazo, permite ao usuário a elaboração de uma política e um escopo de
trabalho no qual irá atuar e que é feito de uma única vez.
Na definição dada aos elementos da configuração, significa dizer que o comportamento do sistema será fixado e
seus resultados finais serão dependentes das variáveis informadas na operação.

Relatórios - A pasta de relatórios destina-se a administração do processo de emissão de relatórios em nível de gestor
do sistema na definição de rotinas e personalização de relatórios para usuários ou na execução por parte do usuário
autorizado a emitir relatórios de produção, através de rotinas, contendo os relatórios permitidos ao perfil e
personalizados.

3. Funcionalidade

ESCOPO

Sistema de administração de títulos de emissão própria, escriturais ou físicos, com ou sem registro nas câmaras,
instituições de liquidação e custódia, efetuando a apropriação diária das despesas e agendando todas as operações
futuras, com cálculo dos valores de fechamento e de abertura.
Integração com o sistema do Piloto de Reserva, envio das operações e dos Saldos de abertura das CLEARINGS.

CARACTERISTICAS DO PRODUTO

Abrangência

Multi-empresa, multi-estoque, com processamento centralizado ou distribuído..

5
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Tipos de Estoque:
 Emissão, papéis em poder de clientes;
 Tesouraria, títulos recomprados em tesouraria;
 Carteiras individuais de clientes pessoas Físicas e Jurídicas.

Tipos de Carteiras:
 Emissão – Papéis de captação junto ao público;
 CDI – Interfinanceiro;
 CDI Rural – Rural.

Tipos de rendimentos:
 pre-fixado,
 pos-fixado ,
 flutuante(x)

Pagamento de juros:
 Papéis de renda final;
 Papéis de renda periódica;
 Papéis de amortização periódica;
 Papéis repactuáveis;
 Prazos de apropriação e negociação independentes em dias over e dias corridos.

Operações:
 Emissão;
 Resgate;
 Resgate de juros;
 Resgate antecipado (interfinanceiro);
 Resgate parcial;
 Recompra;
 Repactuação;
 Amortização parcial da aplicação;
 Bloqueio de operações de clientes;
 Aplicações retroativos;

Segurança:
 Permissão por transação e por localização,
 Trilhas de auditoria parametrizáveis,
 Carimbo de origem em cada operação (usuário e data-hora), acessível via help de contexto,
 Parametrização dos critérios de dupla autorização de operações,
 Horários limites para realização de operações,
 Controle de limites operacionais em tempo real (por horário) prazos, taxas e volumes ,
 Parametrização dos critérios de tolerância de cálculo,
 Geração de arquivo de ocorrência das exceções,
 Controle de versões de aplicativos, automática pelo sistema.

Características operacionais:
 Apropriação diária,
 Contabilização automática pelo sistema, diária e retroativa

6
Versão 1.0
Depósito a Prazo

 Geração de dados legais exigidos pelo Bacen , Cetip e Receita


 Cálculos utilizando componente padronizado,
 Lineares, capitalizados, flutuantes (*) ou (+),
 Pré / pós-fixados,
 Dias úteis ou corridos.ou over,
 Negociação e apropriação por critérios diferentes,
 Cadastramento de clientes e grupos na negociação,
 Subsistema de agência,
 Definição de títulos negociados em agência,
 Consultas de controles de retaguarda,
 Extratos de clientes,
 Ocorrências,
 Posição financeira das negociações,
 Emissão de relatórios na Web,
 Consultas para a mesa de negociação,
 Títulos em poder de clientes e grupos,
 Performance de operadores,
 Estatística das carteiras,
 Fluxo dos vencimentos por gerente/data.

Interfaces para:
 Contabilidade;
 Dirf;
 IFT;
 RES. 3490
 SPB (Títulos interfinanceiros);
 CETIP;
 Contas correntes;
 Internet Banking;
 Censo;
 Agenda de operações relevantes;
 CPMF mensal e trimestral;
 CCS e JUD 2.0.

7
Versão 1.0
Depósito a Prazo

4. Navegação no Sistema

Figura 2 – Tela de abertura dos módulos TFS

Para acessar Módulo Depósito à Prazo, selecionar o ícone abaixo.

Figura 3 – Módulo Depósito à Prazo

8
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Na figura abaixo inserir login e senha, acionar botão OK

Figura 4 – Tela Login

Na figura abaixo inserir nome da empresa e unidade desejada. Acionar botão OK.

Figura 5 – Abrangência do Sistema

A tela de acesso permite a seleção de uma unidade de negócios onde serão efetuadas operações para usuários com
permissão para a unidade de negócios selecionada.
Ao selecionar a unidade teremos acesso aos clientes e operações da unidade selecionada. Só podemos operar em
uma unidade de cada vez.

9
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 6 - Tela Padrão

Pastas - Os botões laterais da tela (pasta), identificam um tipo de processo executado pelo sistema e constituído de
diversos procedimentos, relativos ao assunto identificado pela pasta.
Pastas Genéricas:

Figura 7 - Abrangência

Figura 8 - Operações

Figura 9 - Abrangência

Figura 10 - Bloqueio

Figura 11 - Processamento

10
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 12 - Operações Especiais

Figura 13 - Contas

Figura 14 - Sair

Figura 15 - Ajuda

Tabulador, Orelha, Guia ou Tab Page:


 Cada um dos diversos itens ou etapas na execução do processo;
 Cada tabulador compõe-se de diversos procedimentos (transações), definidos nos botões, no rodapé da tela.

Botões no Rodapé – Funções:

Figura 16 – Botões de Rodapé

Buscar - Dá acesso a um filtro de seleção, para restringir o volume de dados a ser visualizado, a um conjunto
desejado.
Inserir - Abre a transação para inclusão de novos itens ou movimentações.
Alterar - Permite modificar dados anteriormente inseridos.
Excluir - Elimina logicamente, dados anteriormente incluídos, torna os mesmos indisponíveis.
Salvar - Incluir ou gravar um item novo ou alterado no cadastro ou movimento.
Abandonar - Ignora toda a movimentação ou alteração efetuada na tela.
Fechar - Encerra a transação e se for o caso salva, o conteúdo da tela solicitando confirmação.

Funções Especiais em Telas


Campos da Tela:

Figura 17 - - Indica que o dado poderá ser selecionado de uma base externa ou digitado.

Figura 18- Indica que a opção está ativada no sistema.

Figura 19 - O “visto vermelho” indica que o dado do campo poderá ser alterado na inclusão da operação,
sobrepondo-se ao dado parametrizado na configuração relativa ao item.

11
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 20 - Indica que os parâmetros associados à sigla utilizada no campo serão mostrados ao acionarmos o botão,
representa uma configuração ou outro registro, cujos dados são necessários à transação.
Letras Azuis - Indica que o conteúdo do campo poderá ser selecionado, ao clicarmos duas vezes no espaço do dado,
a partir de uma tabela a ser apresentada pelo sistema.
Letras Vinho - Indica dados referenciados no processo, apresentados para informação e verificação visual, associados
ao tipo de transação efetuada, por configuração ou parametrização associada ao produto em outra transação.

PICK LIST (AZUL)


SELEÇÃO DE DADOS- ORDENAÇÃO DOS ITENS DE SELEÇÃO
O objeto de seleção do PICK LIST, campo em azul, permite que se ordenem os dados apresentados para seleção, em
ordem crescente ou decrescente de qualquer campo de dados apresentados na relação de itens da janela SELEÇÃO.
Ao clicar uma vez no campo do nome do dado o sistema ordena a relação dos dados em ordem crescente do campo
clicado e, ao clicar duas vezes no nome do campo de seleção dos dados, a relação será ordenada em ordem
decrescente do dado cujo nome do campo foi clicado.
Barra de Tarefas

Identificação de Sistemas:
1.
Relação de Sistemas TotalBanco, disponíveis, para ativar, basta focar e acionar o sistema desejado.
Ferramentas - Contém um conjunto de pastas de funções genéricas a todos os sistemas.
Ferramentas - Contém um conjunto de pastas de funções genéricas a todos os sistemas.

Figura 21 – Ferramentas

Configuração - Definição da política operacional da instituição, nos negócios/serviços administrados em cada


sistema.
Consultar - Acesso a visualização de informações, de forma seletiva, da Base de Dados.
Relatórios - Acesso aos processos de administração de relatórios e definição de rotinas, bem como, a visualização de
arquivos e relatórios em tela, a partir de arquivos em disco.
Processamento - Rotina de encerramento diário, para recebimento de novos lançamentos e para o processamento
“Batch” na retaguarda.
Outros - Funções especiais de acesso a informações externas.
Exportação de Dados em Arquivos - Exportar um arquivo de dados do banco, contendo os dados apresentados na
tela.

Figura 22 – Exportação de Dados em Arquivos

12
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Salvar Como - Gera o arquivo para o aplicativo “OFFICE” selecionado.


Importar - Não disponível.

Opções para geração de relatórios definidos pelo usuário:

Figura 23 - Ordenar - Reclassifica os registros do assunto da tela, pela ordem de dados desejada, para listar o
conteúdo, em tela ou impressão em papel.

Figura 24 – Localizar - Filtro de seleção dos registros, para limitação do assunto a um conjunto de registros que
queremos utilizar.

Figura 25 - Criar Relatório - Definir/gerar um relatório, em tela ou impresso, com a ordenação, seleção de registros e
conteúdo, conforme parametrizado.

Figura 26 – Botão Ajuda

Segue o padrão do HELP do WINDOWS.


Conteúdo - Acessa o índice pela visualização alfabética dos assuntos.
Contexto – Explicação sobre a tela.
Índice - Acesso pelo índice alfabético remissivo por assunto.
Sobre a aplicação - Direitos autorais.
Última Movimentação “Carimbo” - Objeto do TotalBanco que apresenta o último usuário, data, hora e situação, na
última movimentação efetuada nos dados apresentados na tela, grava em cada lançamento no banco de dados.

Figura 27 – Situação da Informação

13
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5. Configuração

Figura 28 – Botão de Configuração

5.1 Emissor

São informações que identificam e personalizam a empresa emissora dos papéis de renda fixa, denominados
depósitos a prazo.

14
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 29 – Sistema de Deposito Bancário

5.1.1 Empresa - Identificação da empresa emissora dos papéis de renda fixa.

5.1.2 Código - Código de identificação da empresa emissora como do titular de uma conta de aplicação em renda
fixa, na instituição.

5.1.3 Apelido - Cognome utilizado na mesa, para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa, sigla da
empresa emissora no cetip.

Informações Legais
5.1.4 Código Cetip - Código que identifica a conta do participante no sistema CETIP, como emissor de títulos.

5.1.5 Número doc. Cetip - Informar o número inicial diário, para numeração dos documentos de movimentação
junto ao CETIP.

5.1.6 Sigla - Sigla que identifica o participante no sistema CETIP e nos títulos de emissão própria.

5.1.7 Código Selic - Código que identifica a conta normal de movimentação do participante no sistema SELIC, como
emissor.

5.1.8 Número Selic - Informar o número inicial, para numeração diária, dos documentos de movimentação junto ao
SELIC.

15
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5.1.9 Transferência Tributada - Marcar este campo se no caso de transferência de titularidade de aplicações entre
clientes em relação aos papéis de emissão própria, a tributação será também transferida ao novo titular. Caso
contrário o sistema simulará um resgate, recolhendo os tributos e repassando, com data igual à de transferência o
valor líquido ao novo titular.

5.1.10 Código SNA - Código de registro do emissor no sistema nacional de ativos, administrado pela Câmara do
CETIP para registro de títulos de renda periódica.

Informação para operações de Emissão Agência


5.1.11 Enquadramento PF - Sigla de identificação, na tabela de enquadramento, para pessoas físicas (conjunto de
códigos) para cadastramento automático de contas de depositantes pessoas físicas nas agências.

5.1.12 Enquadramento PJ - Sigla de identificação de pessoas jurídicas não financeiras e não institucionais, definidora
de um conjunto de códigos legais para cadastramento automático de contas de depositantes pessoas jurídicas nas
agências.

Outras Informações
5.1.13 Dias para Geração Dirf - N.º de dias após o fechamento do mês para que o sistema dispare automaticamente,
a geração de informações para a Dirf, do mês decorrido.

5.1.14 Unidade da Mesa - Identificação da unidade onde se situa o estoque de papéis de livre negociação e a
diretoria do Open.

5.1.15 Apropriação Pró-rata Mês - Indica que no fechamento mensal, em dia não útil, os títulos de renda em dias
úteis terão seu valor de fechamento mensal calculados pró-rata dias corridos em cada mês, correspondente a um dia
útil (over).

5.1.16 Filial de Fechamento – Unidade gestora para fins de fechamento do sistema, quando houver mais de uma
unidade na mesma base de dados. É quem pode comandar o processamento.

5.1.17 Botão Controles Internos:

Acessa a tela das configurações operacionais do sistema, na aba emissor, botão controles internos, quanto a
horários, e aspectos gerenciais.

16
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 30 – Configurações – Controles Internos

Horários Limites:
D 0 – Horário liberado para início das operações no dia corrente.
a – Horário final para operações no dia corrente
D – 1 – Horário liberado para início das operações do dia anterior, no dia corrente.
a - Horário final para operações do dia anterior, no dia corrente.

Informações Padrão:
Código Conta PF - Conta genérica para liquidação via conta corrente para pessoas físicas aplicadores e não
correntista da instituição.

Código Conta PJ - Conta genérica para liquidação de operações de renda fixa para aplicadores pessoas jurídicas e
não correntistas do Banco.

Forma Liquidação - Sigla identificadora do documento, do processo e do prazo da liquidação financeira da operação,
(-) via conta corrente para aplicações e resgates de não correntistas.

Reaplicação:
Forma Liquidação - Sigla identificadora para liquidação de operações de reaplicação com retenção de CPMF na
aplicação.

Padrão: Papel de emissão preferencial da instituição trazido de forma automática pelo sistema.

Papel – Sigla que identifica o papel preferencial emitido pela instituição.

17
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Rendimento – Forma de remuneração do título de emissão preferencial da instituição.

Limites Operacionais:
Utiliza “Limites Operacionais” - Marcar este campo para que o sistema passe a considerar as taxas limites definidas
na configuração deste módulo, para delimitar os valores de taxas e prazos e valor nos negócios.

Rejeitar Operações Fora dos Limites - Marcar este campo para que o sistema passe a rejeitar as operações fora dos
limites operacionais.

Limites Diários – Ao sinalizar este campo indica que o sistema deverá gerar os limites para cada um dos dias no
prazo da emissão para validação pelo sistema, sempre que a taxa negociada for em dias over e a de emissão é
sempre em dias corridos, os limites diários serão gerados em prazo over (taxa over).

Gerar Pendência Dados Não Tabelados – Ao sinalizar este campo e o prazo de emissão do título não estiver
contido, expressamente, na tabela de limites operacionais, gerará a operação como pendente de autorização.

Indicativos de Permissões:
Alterar Gerente na Operação - Marcar este campo se o sistema deverá aceitar a mudança de gerente de uma
determinada operação em andamento.

Operações em D – 1 - Marcar este campo se o sistema aceitará operações retroativa em D-1 (dia anterior).

Liquidação em c/c Diferente da Original - Marcar este campo para que o sistema aceite liquidações financeiras
oriundas de aplicações e resgates, em contas correntes diferentes das indicadas, quando da execução da operação
original (emissão).

Arredondamento Estatístico - Marcar este campo para que os cálculos efetuados pelo sistema utilizem o critério de
arredondamento estatístico para as casas decimais.

Recompra para Estoque da Matriz - Marcar este campo para que as recompras de títulos de emissão própria se
incorporem ao estoque da matriz. Caso contrário, a incorporação se dará no estoque da filial emissora.

Recalcular FLU - Ao sinalizar este campo indica que o sistema deverá recalcular o valor do título com base na taxa
flutuante desde a data de emissão até a data atual, sendo um processo demorado que deverá ser usado apenas
eventualmente, se a taxa flutuante tiver sido informada errada, pois normalmente o cálculo será feito de forma
diferencial, de um dia para o outro.

Gerar Slip Contábil – Este campo é utilizado para indicar a geração do slip contábil.

Número de Decimais do Coeficiente - Indica a quantidade de casas decimais dos coeficientes diários utilizados para
os cálculos dos títulos de emissão própria.

Sigla da Interface Contábil - Identificação da interface contábil, na tabela de interfaces e na geração dos eventos
contábeis.

Segunda Moeda – Campo reservado para implementação futura.

Percentual de Tolerância - Indicar o percentual de tolerância, para as diferenças nos cálculos financeiros, entre
valores informados e calculados nas operações.

18
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Autorizar Operações Acima de - Informa o valor máximo para ser necessário um 2º autorizador para acatar a
operação.

Dupla Autorização - Indicar neste campo o critério a ser adotado para a aceitação das operações, com autorizador
ou sem 2º autorizador.

Sem Dupla Autorização - Não exige dupla autorização.

Confirmação - Exige apenas autorização.

Redigita - Necessita a digitação dos valores base da emissão para autorizar.

Gerar SNA/DOC Para Clientes que Possuem Soma das Operações Acima de 50 mil - Esta opção quando selecionada
mostra a soma de operações acima de 50 mil.

5.2 Papel

Figura 31 – Depósito a Prazo - Configurações

19
Versão 1.0
Depósito a Prazo

São informações que caracterizam a forma de remuneração e as condições de liquidação e resgate dos recursos
captados.
Esta caracterização se faz a partir da sigla de identificação do papel, geralmente a usual no mercado: CDB, RDB, LC,
etc... que é complementada pela parametrização dos procedimentos de cálculo e os critérios de tributação que
incidem no mesmo, assim como, todos os aspectos legais e gerenciais pertinentes ao papel a ser emitido.

5.2.1 Papel - Sigla de Identificação do tipo de papel de emissão no mercado.

5.2.2 Rendimento - Sigla identificadora da forma de remuneração do papel (visual), utilizada na separação gerencial
de lotes de papéis.

5.2.3 Emissor - Sigla da Instituição no mercado, na identificação de papéis de emissão, definido pela sigla no CETIP.

5.2.4 Descrição - Nome do papel por extenso. Ex.: Certificado de depósito bancário.

5.2.5 Custodiante - Informar a sigla da entidade responsável pelo registro e custódia do papel.

Cetip – Central de liquidação e custódia de títulos privados.

Selic – Sistema de liquidação e custódia de títulos públicos ou DI privados da reserva bancária.

Própria – A custódia é exercida pela instituição emissora.

5.2.6 Produto Gerencial - Indicar o código do produto, definido no processo gerencial, para fins de processamento
nos módulos de gestão.

5.2.7 PU Ref. – Valor multiplicador da quantidade para cálculo do valor em moeda corrente, valor de cada unidade
nominal do papel em moeda corrente.

5.2.8 Categoria _ Possui uma configuração default no papel que pode ser alterado na emissão de uma nova
operação.

5.2.9 Código do papel - Identificação do código do papel no custodiante.

5.2.10 Taxa para Ganho - Critério para cálculo do “PRICING” na avaliação e remuneração do gerente.

Máxima – Utilização da taxa máxima definida nos limites gerenciais.

Própria – Fórmula interna ao programa definida pela Instituição.

Gerencial – Definida nos critérios de cálculo do gerencial.

5.2.11 Tipo de Aplicação - Classificação do tipo de papel conforme definido nos controles do BACEN, para emissão
dos relatórios legais.

 Depósito a Prazo com Certificado (sem recibo) – CDB


 Depósito a Prazo sem Certificado (com recibo) – RDB,DPGE
 Letra de Câmbio – LC
 Letra Imobiliária – LI
 Letra Hipotecária – LH

20
Versão 1.0
Depósito a Prazo

A 10 DISPONIBILIDADES E APLICAÇÕES INTERFINANCEIRAS DE LIQUIDEZ

• caixa, depósitos bancários, reservas livres, aplicações em ouro e disponibilidades em moedas estrangeiras;
• compra de títulos com compromisso de revenda,lastreada com títulos próprios ou de terceiros, com ousem acordo
de livre movimentação;
• outras aplicações.

A40 OPERAÇÕES DE CRÉDITO

• empréstimos
• títulos descontados
• financiamentos
• leasing financeiro
• outros créditos

5.2.12 Critérios de Cálculo do Papel –

Define qual critério de cálculo a ser utilizado na configuração do Papel.

Figura 32 – Critério de Calculo

5.2.13 Título Interfinanceiro - Informar ao sistema se o papel que esta sendo configurado é Interfinanceiro (CDI).

5.2.14 Quantidade Fracionada - Marcar o campo se as quantidades que compõe o papel são representadas de
forma decimal. As quantidades correspondem ao valor atual do papel dividido pelo seu PU.

5.2.15 Spread Configurado - Indica que o “SPREAD” para cálculo do “pricing” é fixado pela Instituição e não pode ser
alterado na operação.

5.2.16 Emissão Agência – Ao sinalizar indica que o papel configurado poderá ser emitido, nas agências, por seleção,
no processo específico para tal, na pasta de operações.

5.2.17 Critérios de Cálculo do Papel - Identificação da finalidade do cálculo, o qual está associado a um critério na
valorização, para o fim definido de um determinado papel. Identificação da fórmula e das condições do cálculo. Esta
fórmula é definida na tabela critérios de cálculos, desta configuração.

5.2.18 Critérios de Tributação do Papel - Informar o tipo de tributo para caracterizá-lo na definição dos critérios de
tributação. Descrever o tipo do tributo.

5.2.19 CPMF

21
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 33 – Devolução CPMF

5.2.20 Botão Emissão - Acessa a configuração dos prazos limites e da negociação antes do vencimento

Figura 34

Recompra - Marcar o campo se o papel emitido é passível de recompra antecipada.

Resgate Antecipado - Marcar o campo se o papel emitido é passível de resgate antecipado.

Emissão para Estoque - Marcar o campo se o papel emitido é passível de emissão direta para o estoque (tesouraria),
visando futura venda.

Emissão Física - O papel será impresso em documento de segurança apropriada com entrega ao aplicador.

Mínimo Emissão - Informar o prazo mínimo de resgate para o papel a emitir.

Máximo Emissão - Informar o prazo máximo de resgate para o papel a emitir.

Carteira Contábil - Informar a sigla da carteira contábil, para fins de identificação da operação junto ao evento de
contabilização.

Conta Contábil - A conta é utilizada no evento contábil deverá ser informada a conta de registro da responsabilidade
do valor total ou de resgate na emissão.

Forma de Resgate - Tipo de liquidação do rendimento e da aplicação:

22
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Final – Na data de resgate.

Periódico – Nos intervalos de tempo definido, os rendimentos serão devidos.

Amortizável – Os intervalos definidos de tempo os rendimentos e uma parcela do principal.

Juros - Periodicidade de amortização dos juros pagos pelo título.

Mensal – Uma vez por mês.

Bimensal – A cada dois meses.

Trimestral – A cada três meses.

Semestral – A casa seis meses.

Anual – Uma vez por ano.

Obs.: O 1º período terá tantos dias quantos necessários para que os demais ocorram sempre em períodos
completos.

Repactuação - Periodicidade de amortização dos juros pagos pelo título.

Mensal – Uma vez por mês.

Bimensal – A cada dois meses.

Trimestral – A cada três meses.

Semestral – A cada seis meses.

Anual – Uma vez por ano.

Obs.: O 1º período terá tantos dias quantos necessários para que os demais ocorram sempre em períodos
completos.

Tipo - Identificação do papel de renda periódica.

Série - Informar a série de emissão do papel de renda periódica cetipados.

Número - Informar o número inicial que o sistema levará em consideração, a estrutura de codificação do CETIP.

23
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5.3. Enquadramento Legal

Figura 35 - Configuração

Representa um conjunto de informações que irão servir de base para as informações diárias, bem como a sua
classificação para geração de controles das operações, as quais são destinadas ao Banco Central e emissão de
documentos padronizados do SELIC/CETIP.
Visa também o enquadramento do tipo de cliente para definição do pagamento para o seguro (PROER).
Estas informações serão utilizadas quando do cadastramento da conta do cliente.

5.3.1 Sigla do Enquadramento Legal - Identificação do enquadramento legal dos clientes para fins de emissão de
demonstrativos legais.

5.3.2 Classificação para o CADOC 30 - Identifica o código do cliente para emissão do “CADOC30”.

5.3.3 Tipo de Pessoa - Classificação do cliente para fins legais (relatórios BACEN).

5.3.4 Classificação Documento 1088 - Identifica o código do cliente para fins do 1088.

24
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5.4. Limites Operacionais

Figura 36 – Configurações

São conjuntos de informações que definirão as condições de negociação, onde estão parametrizados os limites de
variações de prazos e taxas sugeridas, a serem utilizadas no processo operacional, em função da unidade, papel,
prazo e valor da operação, utilizado pelo sistema na validação e aceitação das operações efetuadas enquadrando-as
nas condições definidas nos limites operacionais, definidos para cada tipo de operação e papel, de acordo com a
política de operações definidas centralizadamente pelo gestor dos negócios. OBS.: necessita ser configurado na aba
Emissor na tela de Configurações.

5.4.1 Operação - Identificar a operação a ser restrita pelo limite de taxas e prazos.

5.4.2 Papel - Identificação do tipo de papel que obedecerá ao critério de limite de taxas e prazos cadastrados.

5.4.3 Rendimento - Identificação do tipo de rendimento a ser criticado pelo limite de taxa.

5.4.4 Tabela Válida a partir de - Indica a data e a hora de início da vigência dos dados, válidos até a entrada de nova
data e hora.

5.4.5 Base das Taxas - Período de validade das taxas tabeladas.

25
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5.4.6 Ajuste Taxa – Indica um critério de cálculo da taxa over diária para o cálculo da taxa over no prazo da
operação, e em função da taxa over no prazo da operação, calcula-se a taxa ano over que será equivalente a taxa
ano em dias corridos para a taxa ser utilizada na emissão.

5.4.7 Valor Mínimo - Indicar o valor mínimo para o tipo de operação.

5.4.8 Valor Máximo - Indicar o valor máximo para o tipo de operação.

5.4.9 Prazo Determinado – Indica que a emissão na agência, far-se-á apenas nos prazos cadastrados.

5.4.10 Prazo - Prazo máximo da operação para caracterizar o limite da taxa e valor máximo da operação.

5.4.11 Valor da Operação - Valor máximo da operação para caracterizar o limite da taxa.

5.4.12 Taxa Máxima – Taxa limite superior aceitável para o papel, operação, prazo e valor nos limites indicados.

5.4.13 Taxa Mínima – Taxa máxima aceitável para o tipo de operação, com o papel, na faixa de prazo e valor
indicado.

Nota: Intervalo da faixa – A faixa tem como base, a faixa anterior e como limite a faixa atual para fins de
enquadramento das operações nos limites operacionais.

5.4.14 Botão Consultas - Dá acesso ao desdobramento de taxas do período, em função do prazo de negociação.

Figura 37

Prazo - Prazo máximo da operação para caracterizar o limite da taxa e valor máximo da operação.

Valor da Operação - Valor máximo da operação para caracterizar o limite da taxa.

Taxas Máximas ao Ano - Taxa máxima de negociação em base anual.

Taxas Máximas ao Período - Taxa máxima de negociação no prazo informado.

Taxas Máximas ao Mês - Taxa máxima de negociação em base mensal.

Taxas Máximas um Dia Over - Taxa máxima de negociação para um dia over.

Taxas Mínimas ao Ano - Taxa mínima de negociação em base anual.

26
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Taxas Mínimas ao Período - Taxa mínima de negociação no prazo informado.

Taxas Mínimas ao Mês - Taxa mínima de negociação em base mensal.

Taxas Mínimas 1 Dia Over - Taxa mínima de negociação para um dia over.

Nota: As taxas são ajustadas em função dos feriados de cada unidade, com base na taxa definida pela mesa e
informada ao sistema.

5.4.15 Botão Mensagem - Dá acesso a informações sobre a tabela de limites operacionais.

Figura 38

Mensagem – Aviso aos operadores sobre condições especiais na negociação com o papel em foco.

5.4.16 Botão Critério de Cálculo - Apresenta o critério de cálculo configurado para recompra e emissão do papel.

Figura 39 – Consulta do Critério de Cálculo Contábil

Tipo - Código que identifica a finalidade dos cálculos a serem dotados em determinada operação.

Sigla - Identificação da fórmula e das condições de aplicação através de uma sigla do critério de cálculo.

27
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Tipo de Renda - Identificar o tipo de variação dos valores para especificação do cálculo.

Periodicidade - Marcar a frequência da mudança da taxa aplicada no cálculo.

Tipo de Taxa - Identificação da forma de aplicação da taxa que definirá o critério do cálculo, exemplo:

Taxa Linear - Taxa em que o valor dos juros é constante e idêntico a cada intervalo de tempo.

Taxa Capitalizada - Taxa em que o valor dos juros é crescente, pois são calculados sobre o valor aplicado mais
juros do período anterior.

Taxa de Desconto - Taxa em que é definido o valor futuro e os demais valores são obtidos por cálculo
descontado.

Taxa Over - Taxa ano, definida para 252 dias over.

Taxa Anbid - Taxa flutuante em dias over, pré fixada ano, e spread em dias corridos.

Forma do Prazo - Marcar o campo Over/Úteis, para apropriação de despesas proporcional em dias úteis.
Marcar o campo corrido, para apropriação de despesas em dias corridos.

Base do Prazo - Indicar o prazo de validade da taxa, em dias corridos.

Ano Comercial – 360 dias

Ano Civil – 365/366 dias

Mensal – 30 dias
1.1.1.1
Diário – 1 dia

Spread Gerencial - Indica a taxa de juros fixas ou o "spread" utilizado nos cálculos gerenciais.

Indicador - Informar neste campo o indexador monetário quando o critério de cálculo tratar-se de rendimento pós-
fixado ou a taxa básica nos cálculos flutuantes, ou emissão em outra moeda como valor face ou nominal.

% - Informar o percentual do indicador a ser utilizado no critério (Indexador ou Taxa no período indicado).

Pro-rata Temporis - Indica que nos intervalos das datas de publicação do indicador o mesmo será obtido por cálculo
proporcional ao tempo decorrido.

Aniversário - Marcar "Vencimento" se o Pró-rata Temporis tiver como base o vencimento da operação, ou marcar
"Emissão" se a operação tiver como base a emissão da operação.

Critério Vigente a partir de - Data a partir da qual passou a vigorar o critério de cálculo.

Utilizar Indicador Estimado - Indica que na falta do indicador oficial o sistema efetuará os cálculos com base em
cotação estimada.

28
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5.5 Agências

Figura 40 - Depósito a Prazo - Configurações

Consiste em um cadastro de agências ativas do emissor, que definirá a emissão de títulos de depósito a prazo e as
características de controle de numeração e emissão de recibos, em cada agência parametrizada.

5.5.1 Emissor - Identificação da empresa emissora do papel.

5.5.2 Unidade Operacional - Identificação da unidade/agência da empresa que emitirá o papel.

Recibos
5.5.3 Emite Recibo de Aplicação - Identificação da numeração inicial dos recibos de aplicação para as emissões
pertinentes à agência em questão.

Numeração - Último número usado na unidade para emissão de recibo de aplicação.

On-Line/Batch:

On-Line - Marcar este campo para emissão do recibo de forma automática, simultâneo a operação.

Batch - Marcar este campo para emissão do recibo, por comando de emissão (posterior).

29
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5.5.4 Emite Recibo de Resgate - Identificação da numeração inicial dos recibos de resgates para as emissões
pertinentes a agência em questão.

Numeração - Último número usado na unidade para emissão de recibo de resgate.

On-line/Batch:

On-Line - Marcar este campo para emissão do recibo de forma automática, simultâneo a operação.

Batch - Marcar este campo para emissão do recibo, por comando de emissão.

5.5.5 Unidade Contábil – Código da agência ou unidade contábil, onde serão lançados os valores das operações da
unidade operacional quando da geração da contabilização pelo sistema.

Numeração
5.5.6 Lote - Número atual de lotes diferentes, dos dados caracterizadores do papel (tipo de papel, rendimento,
emissor, data emissão, data vencimento e custódia, usados como código alternativo para os dados caracterizadores
do papel).

5.5.7 Boleto - Nº sequencial atual atribuído pelo sistema para código único de identificação de operações.

5.5.8 Fatura - Nº sequencial de faturas emitidas, atualizado pelo sistema, para sua identificação.

5.5.9 Botão Datas de Controle - O botão dá acesso ao acompanhamento das datas de processamento e emissão dos
arquivos de interfaces.

Figura 41

Antepenúltimo Fechamento - Data do antepenúltimo dia encerrado.

Penúltimo Fechamento - Data do penúltimo dia encerrado.

Último Fechamento - Data do último dia encerrado.

Fechamento - Data do atual processamento a ser encerrado (em uso no dia corrente).

Abertura - Data do próximo dia para abertura do sistema para entrada de operações.

Última Contabilização - Data do último dia contabilizado.

30
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Último Resultado - Data do último interface gerado para o módulo de gestão de resultados (avaliação).

Último Operacional - Data do último interface gerado para o sistema de gestão operacional.

Exportação - Data do último interface de recompras para o OPEN.

Sigla da Exportação - Sigla identificadora do interface de exportação a ser gerado.

Última DIRF - Data da geração do interface mensal para a DIRF.

5.6. Critérios de Cálculo

Figura 42 - Configurações

São conjuntos de informações interligadas que permitem ao usuário definir a maneira pela qual o papel irá se
comportar no tocante a sua valorização e liquidação.
Nesta tela, o usuário poderá determinar o critério de cálculo, tipo de renda (pós/pré ou flutuante), bem como os
critérios de contagem dos prazos (over ou corridos), e outras informações pertinentes ao processo de valorização
vinculados aos cálculos.
2.
DP – Calculos na Emissão de Papéis Próprios.

31
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Nos títulos de emissão própria deveremos considerar três processos de cálculo:

Cálculo pela Taxa Negociada com o Cliente – Indica como os juros serão calculados no prazo de emissão do papel,
com base no tipo de taxa e tipo de prazo da taxa configurados no critério de cálculo do papel.

Cálculo pelas Condições de Emissão – Indica a regra normal da apropriação das receitas, com base na taxa
equivalente a taxa de emissão configurada no papel, sempre expressa em taxa ano e para prazo em dias corridos,
equivalente à taxa negociada.

Cálculo da Apropriação – Será assumida a taxa e prazo taxa configurados para emissão a não ser que se queira que a
apropriação de renda do papel siga um critério de contagem de prazo diferente do definido no critério de emissão, o
cálculo da apropriação é feito com base na taxa equivalente à taxa de emissão expressa em dias corridos e base ano
civil ou comercial, nominal para o papel.

Em todos os cálculos o tipo de taxa e o prazo da taxa definidos no papel como características de emissão, devem ser
obedecidos nos demais cálculos, tanto para definir o valor pela taxa negociada com o cliente quanto para a
apropriação a ser efetuada.
Para poder compatibilizar os diversos cálculos, utilizaremos o conceito de equivalência de taxas, a qual se dá no
prazo de emissão do papel quando as taxas por qualquer critério devem produzir a mesma renda no prazo de
emissão, sendo então cada uma delas extrapolada para o prazo da taxa.
Para poder compatibilizar, o sistema manterá armazenadas as taxas de negociação na forma em que foi
negociada, para demonstração no extrato do cliente, em dias corridos ou dias over (252) e a taxa de emissão sempre
armazenada em dias corridos, conforme o tipo de taxa de emissão.
Para apropriar, se a contagem de prazo for em prazos over (diferente do armazenado na emissão do papel),
deveremos calcular a taxa equivalente over para o prazo de emissão a ser considerada como a taxa de apropriação.
Embora o cálculo se faça em dias over, o controle dos dias de apropriação e dos dias a apropriar far-se-á em dias
corridos.

Cálculo das taxas equivalentes:

As taxas permitidas na configuração da emissão serão apenas nos seguintes prazos:

Ano – 360 dias.

Ano Civil – Para títulos periódicos – 365 dias.

Over 252 – Para taxas over (capitalizada) ou linear (para indicar taxa 252 ano).

Se o critério de negociação parametrizado for dias over (a taxa informada na negociação será over ano), se a taxa de
negociação for civil, será 360 para ano comercial e 365 para ano civil (títulos periódicos apenas).

Cálculo de taxa no período e conversão em taxa ano corrido:

Tipo de prazo na negociação (over) – prazo taxa informada (252 ano)

Características do papel:

Capitalizada 360 corrido:

32
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Taxa período (renda) = ( 1 +taxa/100) ^ ( p.d.u/252) - 1 x 100

Taxa ano equivalente = ( coef-período ^ 360/ pdc - 1 ) * 100

Capitalizada 365 corrido:

Taxa ano equivalente = ( 1 + taxa-over) ^ (365/360)

Capitalizada 252 over:

Taxa período (renda) = ( 1 +taxa/100) ^ ( p.d.u / 252) - 1) x 100

Taxa ano equivalente = ( coef-período ^ 360/ pdc - 1 ) * 100

Over 252 over:

Taxa período (renda) = ( 1 +taxa/100) ^ ( p.d.u/252) - 1) x 100

Taxa ano equivalente = taxa informada

Tipo de Prazo na Negociação (corrido) – Prazo da Taxa Informada (360/365 ano) - A taxa informada é a taxa de
cálculo e será a taxa armazenada como taxa de emissão equivalente, independentemente da taxa de emissão
definida para apropriação.

Papeis de Taxa Linear - Cálculo de taxa no período(renda) e conversão em taxa equivalente, ano em prazo corrido.

Tipo de Prazo na Negociação (over) – prazo taxa informada (252 ano).

Características do papel:

Linear 360 corridos:

Taxa período (renda) = taxa* p.d.u / 252

Taxa ano equivalente = (taxa período * 360/ pdc)

Linear 365 corrido:

Taxa ano equivalente = taxa-over * 365/360

Linear 360 over:

Taxa período (renda) = taxa * p.d.u / 252

Taxa ano (equivalente) = taxa período * 360/ pdc

Linear 252 over:

Taxa período(renda) = taxa * p.d.u/252)

33
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Taxa ano equivalente = taxa informada (over 252 = linear 360 equivalentes)

Tipo de Prazo na Negociação (corrido) - Taxa e cálculos normais informados e armazenados como taxas de emissão

Apropriação - Todos os papéis têm como taxa de emissão a taxa em prazo corrido e o número de dias em dias
corridos, respeitada a taxa (capitalizada, linear ou over e o prazo taxa que indica o critério de contagem de dias
úteis, base dias da operação ou base 252 ano over.

A apropriação em prazo corrido segue a regra normal, a apropriação em dias over deverá ter seu coeficiente
diário calculado com base na taxa e prazo taxa em dias over.
Se apropriação for em dias over.

Características do papel (a taxa e o prazo de emissão é em prazo corrido)

Capitalizado:

Coef dia = (1 + taxa emis/100) ^ p e/ (360 * p.d u)

Over:

Coef-dia = ( 1 + taxa emis/100) ^ (1/252)

Linear(360):

Coef dia = 1 + (taxa-emis * pe) / ( pd u * 360)

Linear (252):

Coef-dia = 1 + taxa-emis / 252

5.6.1 Tipo - Código que identifica a finalidade dos cálculos a serem dotados em determinada operação.

5.6.2 Sigla - Identificação da fórmula e das condições de aplicação através de uma sigla do critério de cálculo.

Forma de Calculo
5.6.3 Tipo de Renda - Identificar o tipo de variação dos valores para especificação do cálculo.

5.6.4 Periodicidade - Marcar a frequência da mudança da taxa aplicada no cálculo.

Taxa de Juros
5.6.5 Tipo de Taxa - Identificação da forma de aplicação da taxa que definirá o critério do cálculo, exemplo:

Taxa Linear - Taxa em que o valor dos juros é constante e idêntico à cada intervalo de tempo.

Taxa Capitalizada - Taxa em que o valor dos juros é crescente, pois são calculados sobre o valor aplicado mais
juros do período anterior.

Taxa de Desconto - Taxa em que é definido o valor futuro bem como, os demais valores são obtidos por cálculo
descontado.

34
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Taxa Over - Taxa ano, definida para 252 dias over

Taxa Anbid - Taxa flutuante em dias over, pré fixada ano, e spread em dias corridos.

5.6.6 Forma do Prazo - Marcar o campo Over/Úteis, para apropriação de despesas proporcionais em dias úteis.
Marcar o campo corrido, para apropriação de despesas em dias corridos.

5.6.7 Forma Emissão – Marcar o campo que indica o prazo de contagem da taxa de emissão do papel para fins de
cálculo dos rendimentos do mesmo.

5.6.8 Base do Prazo - Indicar o prazo de validade da taxa, em dias corridos.

Ano Comercial – 360 dias.

Ano Civil – 365/366 dias.

Mensal – 30 DIAS.
1.1.1.2
Diário – 1 dia.

5.6.9 Spread Gerencial - Indica a taxa de juros fixas ou o "spread" utilizado nos cálculos gerenciais.

5.6.10 Indicador - Informar neste campo o indexador monetário quando o critério de cálculo tratar-se de
rendimento pós-fixado ou a taxa básica nos cálculos flutuantes, ou emissão em outra moeda como valor face ou
nominal.

5.6.11 % - Informar o percentual do indicador a ser utilizado no critério (Indexador ou Taxa no período indicado).

5.6.12 Aplicação – Indica se o percentual será aplicado sobre a taxa integral ou sobre o valor da taxa diária calculada
para fins de cálculo dos rendimentos.

5.6.13 Defasagem – Número do período de validade da taxa, para indicar que a taxa utilizada será a correspondente
a data calculada retroativamente em relação a data atual e o número de períodos de publicação da mesma indicados
na defasagem.

5.6.14 Pro-rata Temporis - Indica que nos intervalos das datas de publicação do indicador o mesmo será obtido por
cálculo proporcional ao tempo decorrido.

5.6.15 Aniversário - Marcar "Vencimento" se o Pró-rata Temporis tiver como base o vencimento da operação, ou
marcar "Emissão" se a operação tiver como base a emissão da operação.

5.6.16 Periodicidade – Frequência da publicação da taxa básica conforme cadastrado no sistema de parâmetros.

5.6.17 Base Taxa – Indica o critério de prazo utilizado na taxa conforme definido no sistema de parâmetros.

5.6.18 Critério Vigente a partir de - Data a partir da qual passou a vigorar o critério de cálculo.

5.6.19 Utilizar Indicador Estimado - Indica que na falta do indicador oficial o sistema efetuará os cálculos com base
em cotação estimada.

35
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5.7. Critério de Tributação

Figura 43 – Configurações

É o conjunto de informações que identificam os tributos ou isenção, que incidem nas operações de Depósito a Prazo,
e as condições de retenção e recolhimento dos mesmos.

5.7.1 Tributo - Identificação do tributo para sua classificação e definição dos critérios de enquadramento.

5.7.2 Sigla do Critério - Nome pelo qual uma fórmula e condições de cálculo do tributo será conhecido no sistema.

5.7.3 Início da Vigência - Data a partir da qual passou a vigorar o critério de cálculo.

5.7.4 Fator Gerador - Identificar a operação que gera a cobrança do tributo.

5.7.5 Tributação por Faixa de Prazo - Indica que existem critérios de incidência diferenciados em função de prazo.

5.7.6 Base Tributada - Identificar o valor, tomado como base financeira, ao qual será aplicada a alíquota do tributo.

5.7.7 Indicador de Ganho de Capital - Define o indexador, para cálculo do ganho de capital, quando houver correção
e esta for a definição tributária.

36
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5.7.8 Código de Tributo PF - Informar o código de recolhimento de tributo Pessoa Física para o referido tributo,
conforme legislação.

5.7.9 Código de Tributo PJ - Informar o código de recolhimento de tributo Pessoa Jurídica para o referido tributo,
conforme legislação.

5.7.10 Período de Aplicação da Alíquota - Frequência no decorrer da operação em que se aplica a alíquota para
cálculo do valor do tributo devido (diária, mensal, anual, única e etc.).

5.7.11 Fim da Vigência - Data em que deixou de vigorar o critério de tributação configurado.

5.8. Alíquotas

Figura 44 – Configurações

São informações que definem o percentual, a base de cálculo e o critério de incidência relativo a um determinado
tributo (imposto), a ser retido e recolhido em decorrência de operações de Depósito a Prazo.

O sistema possibilita critérios de incidência diferenciados para pessoas físicas e pessoas jurídicas, como é de
costume nas legislações que pautam o assunto.

5.8.1 Tributo - Identificação do tributo do qual estamos configurando as suas alíquotas.

37
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5.8.2 Data - Data de início do período de validade da alíquota de tributação.

5.8.3 Vigência - Informar a data a partir da qual vigerá as alíquotas configuradas.

5.8.4 Prazo - Indicar o prazo da operação para aplicação da alíquota. No caso de não haver prazo limite, informar
neste campo 9999 (sem prazo limite).

5.8.5 Alíquota - Informar a alíquota para o prazo e o tributo configurado, para pessoas físicas.

5.8.6 Alíquota Máxima - Valor máximo total, da alíquota pela aplicação da alíquota periódica.

5.8.7 Valor Mínimo - Valor mínimo do tributo para recolhimento.

5.8.8 Alíquota - Informar a alíquota para o prazo e o tributo configurado, para pessoas jurídicas.

5.8.9 Alíquota Máxima - Valor máximo total, pela aplicação da alíquota periódica.

5.8.10 Valor Mínimo - Valor mínimo do tributo para recolhimento.

5.9. Interfaces

Figura 45 – Configurações

38
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Definição dos arquivos textos importados ou exportados pelo sistema de ou para outros sistemas internos ou
externos.

5.9.1 Emissor - Instituição financeira responsável pela colocação primária do título de renda fixa.

5.9.2 Interface - Identificação do interface contendo informações a serem geradas.

5.9.3 Descrição - Identificação do conteúdo do interface.

5.9.4 Diretório - Diretório de localização do interface.

5.9.5 Diária/Eventual - Frequência de geração do interface.

5.9.6 Sigla do Layout de Saída - Identificação interna no sistema do conteúdo do interface.

5.10. Tipos de Cálculos

Figura 46 – Configurações

Esta tela determina e caracteriza a identificação de uma determinada finalidade do cálculo a ser cadastrado e
configurado no sistema de forma que os valores calculados têm diversas destinações contábeis e gerenciais.

39
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5.10.1 Tipo de Cálculo - Identificação da finalidade do cálculo, o qual está associado a um critério na valorização,
para o fim definido de um determinado papel.

5.10.2 Descrição - Descrição sucinta do tipo de cálculo, de maneira que possa facilmente identificar o seu objetivo.

5.11. Tipos de Tributo

Figura 47 – Configurações

São siglas identificadoras de tributos incidentes sobre operações de depósitos a prazo.

5.11.1 Tipo de Tributo - Informar o tipo de tributo para caracterizá-lo na definição dos critérios de tributação.

5.11.2 Descrição - Descrever o tipo do tributo.

40
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5.12. Ocorrência

Figura 48 – Configurações

A tela destina-se a definir a geração de ocorrências para eventos pré-selecionados, no processamento de operações
do sistema de depósito a prazo.
A definição da geração da ocorrência é feita pela seleção de uma ocorrência na tabela específica com o evento
identificado na tela.
Se não for associado o código com o evento, a ocorrência não será gerada.
Ao final do processamento o sistema gerará e atualizará uma tabela permanente das ocorrências diárias,
parametrizadas para o sistema.
Além disso, o sistema permite a definição para agendamento ao gerente de operações com valor relevante,
para tomada prévia de ação junto ao cliente aplicador.

5.12.1 Emissão - Sigla da ocorrência a ser gerada sempre que for efetuada uma transação/operação de emissão.

5.12.2 Resgate - Sigla da ocorrência a ser gerada sempre que for efetuada uma transação/operação de resgate.

5.12.3 Recompra - Sigla da ocorrência a ser gerada sempre que for efetuada uma transação/operação de recompra.

5.12.4 Transferência - Sigla da ocorrência a ser gerada sempre que for efetuada uma transação/operação de
transferência.

41
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5.12.5 Cancelam. de Emissão - Sigla da ocorrência a ser gerada sempre que for efetuada uma transação/operação
de cancelamento de emissão.

5.12.5 Cancelam. de Recompra - Sigla da ocorrência a ser gerada sempre que for efetuada uma transação/operação
de cancelamento de recompra.

5.12.6 Bloqueio - Sigla da ocorrência a ser gerada sempre que for efetuada uma transação/operação de bloqueio.

5.12.7 Desbloqueio - Sigla da ocorrência a ser gerada sempre que for efetuada uma transação/operação de
desbloqueio.

5.12.8 Repactuação - Sigla da ocorrência a ser gerada sempre que for efetuada uma transação/operação de
repactuação.

5.12.9 Exclusão de Emissão - Sigla da ocorrência a ser gerada sempre que for efetuada uma transação/operação de
exclusão de emissão.

5.12.10 Exclusão de Recompra - Sigla da ocorrência a ser gerada sempre que for efetuada uma transação/operação
de exclusão de recompra.

5.12.11 Resgate Antecipado – DI - Sigla da ocorrência a ser gerada sempre que for efetuada uma
transação/operação de resgate antecipado – DI.

5.12.12 Dias de Antecedência Resgate - Nº de dias anteriores ao vencimento de um título de emissão para gerar
evento na agenda de gerente.

5.12.13 Dias de Antecedência Repactuação - Nº de dias de antecedência a data da repactuação para geração de
evento de agenda ao gerente.

5.12.14 Dias de Antecedência Desbloqueio – Número de dias anteriores a data de vencimento de bloqueio para
aviso ao gerente.

5.12.15 Valor Mínimo Resgate - Valor mínimo do título/operação para que seja agendado.

5.12.16 Evento de Agenda – Evento de agenda para avisar do vencimento do título.

5.12.17 Valor Mínimo Repactuação - Valor mínimo do título/operação para que seja agendado.

5.12.18 Evento de Agenda - Evento de agenda para avisar o gerente da repactuação de um título de emissão e valor
superior ao mínimo indicado.

5.12.19 Valor Mínimo Desbloqueio – Valor mínimo do bloqueio para geração de aviso (agenda) ao gerente.

5.12.20 Evento de Agenda – Evento de agenda para avisar do vencimento do título.

42
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5.13. Alíquotas Internacionais

Figura 49 – Configurações

5.13.1 Tributo – Identificação do tributo do qual estamos configurando as suas alíquotas.

5.13.2 Vigência – Informar a data a partir da qual vigerá a alíquota configurada.

5.13.3 País – Pais de Origem do cliente.

5.13.4 Prazo – Indicar o prazo da operação para aplicação da alíquota. No caso de não haver prazo limite, informar
neste campo 9999 (sem prazo limite).

Pessoa Física:
5.13.5 Alíquota – Informar a alíquota para o prazo e o tributo configurado, para pessoas físicas.

5.13.6 Alíquota Máxima – Valor máximo total, da alíquota pela aplicação da alíquota periódica.

5.13.7 Valor Mínimo – Valor mínimo do tributo para recolhimento.

Pessoa Jurídica:
5.13.8 Alíquota – Informar a alíquota para o prazo e o tributo configurado, para pessoas jurídicas.

43
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5.13.9 Alíquota Máxima – Valor máximo total, pela aplicação da alíquota periódica.

5.13.10 Valor Mínimo - Valor mínimo do tributo para recolhimento.

5.14. Painel

Figura 50 – Configurações

44
Versão 1.0
Depósito a Prazo

5.15. Taxas

Figura 51 – Configurações

5.15.1 Empresa – Identificação da empresa emissora dos papéis de renda fica

5.15.2 Produto - Descrição do Papel / Rendimento.

5.15.3 Papel - Sigla que identifica o papel preferencial emitido pela instituição.

5.15.4 Vigência – Período de vigência das taxas configuradas.

5.15.5 Rendimento - Forma de remuneração do título de emissão preferencial da instituição.

5.15.6 Prazo - Prazo mínimo para aplicação da taxa/%indicador.

5.15.7 Valor - Valor mínimo para aplicação da taxa/%indicador.

5.15.8 Taxa - Taxa para valorização do produto.

5.15.9 % Indicador - % do indicador para valorização do produto.

45
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Botão Buscar:

Figura 52 – Contas

6. Contas

Figura 53 – Botão Contas

46
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 54 – Tela Principal

A conta representa a identificação de aplicadores, de forma individual ou conjunta, a qual são associadas as suas
operações. Serve ainda para configurar o tratamento e as características do aplicador para fins contábeis, legais e
operacionais.

6.1 Contas

6.1.1 Conta - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

6.1.2 Apelido - Cognome utilizado na mesa, para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Dados Referentes aos Controles Internos:


6.1.3 Unidade C/C – Código da agência da conta corrente do aplicador para liquidação financeira da operação, se a
liquidação for via conta corrente.

6.1.4 Gerente - Indica o código do gerente responsável pela conta do cliente.

6.1.5 C/C Preferencial - Indicar a conta corrente para as liquidações financeiras.

6.1.6 Endereço - Indicar o tipo de endereço que o cliente optou para as correspondências relacionadas ao Depósito à
Prazo.

47
Versão 1.0
Depósito a Prazo

6.1.7 Titularidade - Indicativo se a conta de aplicação tem um ou mais aplicadores.

individual – Uma pessoa física ou jurídica.

Solidária – Diversas pessoas físicas.

Não Solidário – Um grupo de pessoas físicas agindo em conjunto.

6.1.8 Período Extrato - Indicar a periodicidade de emissão de extrato para o cliente.

6.1.9 Carteira Administrada - Indicativo de que o cliente é titular de uma carteira administrada.

6.1.10 Emite Fatura - Marcar este campo no caso de emissão de fatura para as emissões do cliente.

6.1.11 Postagem - Código para emissão seletiva de correspondência.

Dados Referentes ao Enquadramento Legal:


6.1.12 Enquadramento - Sigla classificação para associação a parâmetros de enquadramento na emissão de
documentos e informações legais e de controle.

6.1.13 Tipo Contábil – Abertura de analítico contábil na contabilização automática.

6.1.14 Conta Selic - Código que identifica a instituição financeira na câmara SELIC.

ISENÇÃO
6.1.15 IOF - Marcar este campo se o cliente é isento de IOF (o sistema não utiliza a informação no cliente).

6.1.16 IRF - Marcar este campo se o cliente é isento de IRF (o sistema não utiliza a informação no cliente).

6.1.17 Ligado – Indica que o aplicador tem vínculo legal com administradores ou de capital com o emissor.

6.1.18 Não Ligado – Indica que o aplicador não tem vínculo legal e de capital com o emissor.

6.1.19 IFM – Indica que o aplicador é uma instituição financeira de mercado.

6.1.20 Código CETIP - Informar o código do CETIP do cliente, quando instituição financeira.

6.1.21 Código SELIC - Informar o código do cliente no sistema SELIC, quando instituição financeira.

6.1.22 Sigla CETIP - Informar a sigla pela qual o cliente ou emissor é conhecido no sistema CETIP, quando instituição
financeira.

6.1.23 Código SNA - Informar o código do cliente no sistema Nacional de Ativos, quando instituição financeira.

6.1.24 Abertura em - Data da inclusão da conta no sistema, 1ª aplicação.

6.1.25 Botão Co-aplicadores - Este botão dá acesso a tela para indicação do código do cliente co-aplicador. Para que
haja co-aplicadores, é necessário que o campo titularidade, desta mesma tela, esteja identificando um dos tipos
solidários.

48
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 55 – Co - Titulares

Co-aplicador - Código do cliente que solidariamente está participando da conta.

Nota: Para efeito de Imposto de Renda, a retenção no resgate será aplicada na sua íntegra no CPF do titular.

Nome - Denominação do cliente co-aplicador. Esta descrição que é apresentada pelo sistema, tem origem no
cadastrado de clientes.

6.1.26 Botão Processos – Permite inserir dados de acompanhamento de um processo Judicial.

Figura 56 - Processos

Processo Número – Numero de registro do processo judicial.

Data Inicial – Data de registro de abertura do processo.

Data Final – Data registro de encerramento do processo.

Situação IRF Conta – Informa a situação do Imposto de Renda na Fonte.

Valor IRF à Compensar – Valor do Imposto de Renda na Fonte a ser compensado.

Situação – Situação do processo, ativo ou inativo.

6.1.27 Botão Câmaras - Informações sobre a Câmara Financeira onde a operação foi efetuada.

49
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 57 - Câmaras

Conta Bancária – Assinala se o cliente tem conta bancária no banco que efetivou a operação.

Titular – Assinala se o cliente é titular da conta bancária no banco onde a operação é efetivada.

Câmara – Informa qual a Câmara escolhida para efetuar a operação financeira.

Tipo – Informa o tipo de cliente: Liquidante, Liquidante Padrão, Não Liquidante, Cliente 2, Cliente 1, Intermediador.

ISPB – Informa o numero de registro da operação no ISPB.

Cód. Câmara – Código de registro da Câmara onde a operação foi efetuada.

Botão Câmaras - Informações sobre a Câmara Financeira onde a operação foi efetuada.
(continuação)

Figura 58 - Câmaras

Sigla Câmara - SELIC, CETIP, CBLC OU V.

Banco – Código do Banco da operação financeira efetuada.

Agência - Código da agência do Banco da operação financeira efetuada.

Conta - Código da conta corrente do cliente no Banco da operação financeira efetuada.

50
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Mesma Titularidade – Informar se a operação é para cliente de mesma titularidade.

Nome Agência - Nome da agência do Banco da operação financeira efetuada.

Cód. SNA - Informar o código do cliente no sistema Nacional de Ativos, quando instituição financeira.

7. Operações

Figura 59 – Botão Operações

51
Versão 1.0
Depósito a Prazo

7.1 Emissão

Figura 60 – Tela Principal

Esta operação efetiva a colocação primária numa negociação de um determinado papel de renda fixa, emitido pela
Instituição que pagará no prazo definido e a uma taxa definida a um determinado cliente, sobre o valor aplicado os
rendimentos pactuados.

As emissões poderão ser efetuadas nos mais variados critérios de cálculo de remuneração, bastando para isso
configurar o critério dentre os estabelecidos pela Instituição.
3.
DP - CALCULOS NA EMISSÃO DE PAPÉIS PRÓPRIOS
Nos títulos de emissão própria deveremos considerar três processos de cálculo:

Cálculo pela Taxa Negociada com o Cliente – Indica como os juros serão calculados no prazo de emissão do papel,
com base no tipo de taxa e tipo de prazo da taxa configurados no critério de cálculo do papel.

Cálculo pelas Condições de Emissão – Indica a regra normal da apropriação das receitas, com base na taxa
equivalente a taxa de emissão configurada no papel, sempre expressa em taxa ano e para prazo em dias corridos,
equivalente a taxa negociada.

52
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Cálculo da Apropriação – Será assumida a taxa e prazo taxa configurados para emissão a não ser que se queira que a
apropriação de renda do papel siga um critério de contagem de prazo diferente do definido no critério de emissão, o
cálculo da apropriação é feito com base na taxa equivalente à taxa de emissão expressa em dias corridos e base ano
civil ou comercial, nominal para o papel.

Em todos os cálculos o tipo de taxa e o prazo da taxa definidos no papel como características de emissão, devem ser
obedecidos nos demais cálculos, tanto para definir o valor pela taxa negociada com o cliente quanto para a
apropriação a ser efetuada.
Para poder compatibilizar os diversos cálculos, utilizaremos o conceito de equivalência de taxas, ao qual se dá no
prazo de emissão do papel quando as taxas por qualquer critério devem produzir a mesma renda no prazo de
emissão, sendo então cada uma delas extrapolada para o prazo da taxa.

Para poder compatibilizar, o sistema manterá armazenadas as taxas de negociação na forma em que foi negociada,
para demonstração no extrato do cliente, em dias corridos ou dias over (252) e a taxa de emissão sempre
armazenada em dias corridos, conforme o tipo de taxa de emissão.
Para apropriar, se a contagem de prazo for em prazos over (diferente do armazenado na emissão do papel),
deveremos calcular a taxa equivalente over para o prazo de emissão a ser considerado como a taxa de apropriação.
Embora o cálculo se faça em dias over, o controle dos dias de apropriação e dos dias a apropriar far-se-á em dias
corridos.

Cálculo das taxas equivalentes:

As taxas permitidas na configuração da emissão serão apenas nos seguintes prazos:

ANO – 360 dias.

ANO CIVIL – para títulos periódicos – 365 dias.

OVER 252 – para taxas over (capitalizada) ou linear (para indicar taxa 252 ano).

Se o critério de negociação parametrizado for dias over (a taxa informada na negociação será over ano), se a taxa de
negociação for civil, será 360 para ano comercial e 365 para ano civil (títulos periódicos apenas).

Cálculo de taxa no período e conversão em taxa ano corrido:

Tipo de prazo na negociação (over) / prazo taxa informada (252 ano)

Características do Papel

Capitalizada 360 corrido:

Taxa período (renda) = ( 1 +taxa/100) ^ ( p.d.u/252) - 1 x 100

Taxa ano equivalente = ( coef-período ^ 360/ pdc - 1 ) * 100

Capitalizada 365 corrido:

Taxa ano equivalente = ( 1 + taxa-over) ^ (365/360)

53
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Capitalizada 252 over:

Taxa período(renda) = ( 1 +taxa/100) ^ ( p.d.u / 252) - 1) x 100

Taxa ano equivalente = ( coef-período ^ 360/ pdc - 1 ) * 100

Over 252 over:

Taxa período (renda) = ( 1 +taxa/100) ^ ( p.d.u/252) - 1) x 100

Taxa ano equivalente = taxa informada

Tipo de Prazo na Negociação (corrido) / Prazo da Taxa Informada (360/365 ano) - A taxa informada é a taxa de
cálculo e será a taxa armazenada como taxa de emissão equivalente, independentemente da taxa de emissão
definida para apropriação.

Papeis de Taxa Linear - Cálculo de taxa no período (renda) e conversão em taxa equivalente, ano em prazo corrido.

Tipo de prazo na negociação (over) / prazo taxa informada (252 ano)

Características do Papel

Linear 360 corridos:

Taxa período (renda) = taxa* p.d.u / 252

Taxa ano equivalente = ( taxa período * 360/ pdc )

Linear 365 corrido:

Taxa ano equivalente = taxa-over * 365/360

Linear 360 over:

Taxa período(renda) = taxa * p.d.u / 252

Taxa ano(equivalente) = taxa período * 360/ pdc

Linear 252 over:

Taxa período (renda) = taxa * p.d.u/252)

Taxa ano equivalente = taxa informada (over 252 = linear 360 equivalentes)

Tipo de Prazo na Negociação (corrido) - Taxa e cálculos normais informados e armazenados como taxas de emissão

Apropriação - Todos os papéis têm como taxa de emissão a taxa em prazo corrido e o número de dias em dias
corridos, respeitada a taxa (capitalizada, linear ou over e o prazo taxa que indica o critério de contagem de dias

54
Versão 1.0
Depósito a Prazo

úteis, base dias da operação ou base 252 ano over. A apropriação em prazo corrido segue a regra normal, a
apropriação em dias over deverá ter seu coeficiente diário calculado com base na taxa e prazo taxa em dias over. Se
apropriação for em dias over. Características do papel (a taxa e o prazo de emissão é em prazo corrido)

Capitalizado:

Coef dia = (1 + taxa emis/100) ^ p e/ (360 * p.d u)

Over:

Coef-dia = ( 1 + taxa emis/100) ^ (1/252)

Linear(360)

Coef dia = 1 + (taxa-emis * pe) / ( pd u * 360)

Linear (252):

Coef-dia = 1 + taxa-emis / 252

7.1.1 Código – Número que identifica um ou mais clientes, com seus dados de controle, habilitada a operar no
sistema DP.

7.1.2 Código – Cliente Tomador Final - Número que identifica um ou mais clientes, com seus dados de controle,
habilitada a operar no sistema DP, tomador final da operação.

7.1.3 Apelido - Cognome utilizado na mesa para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Dados Referentes ao Título:


7.1.4 Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

7.1.5 Rendimento - Características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária.

7.1.6 Indicador - Sigla de uma moeda, indexador ou taxa básica, cujo valor e variação são utilizados no cálculo dos
rendimentos do papel.

7.1.7 Prazo - Indica um período de tempo compreendido entre a data de emissão e a data de resgate do papel.

7.1.8 Data da Operação - Data de emissão, data inicial ou de partida de um período de aplicação, para o cálculo dos
rendimentos do título emitido.

7.1.9 Data do Vencimento - Data final do período de cálculo dos rendimentos e data prevista para o resgate do
título.

7.1.10 Taxa Ano(C) - Taxa fixa ao ano, em dias corridos, nos títulos prefixados, ou taxa diferencial a ser acrescida na
taxa básica, nos cálculos com taxa flutuante ou taxa de juros corrigida pela variação do indexador monetário, nos
cálculos pós fixados, para o cálculo dos rendimentos.

7.1.11 Taxa Ano(U) – Taxa ao ano calculada em dias úteis.

55
Versão 1.0
Depósito a Prazo

7.1.12 Valor Aplicado - Valor dos recursos depositados na data de emissão e a serem remunerados até o
vencimento do título (valor líquido recebido pelo tomador dos recursos e entregues pelo aplicador).

7.1.13 Quantidade de Papéis - Nº de títulos de mesmas características e identificadas por números emissão.

7.1.14 Documento - Código de identificação do registro físico ou escritural, de uma negociação ou operação.

7.1.15 Valor Resgate – Valor calculado pelo sistema para a data de vencimento de acordo com o tipo de renda:

Pré - Valor do título na data do vencimento, soma do valor aplicado acrescido dos rendimentos.

Pós – Valor nominal da aplicação(o valor efetivo será calculado no resgate com base no valor nominal ou de
aplicação).

7.1.16 N°. Oper. Câmara – Código que identifica o número da operação na câmara para informação para a mesma.

7.1.17 Spread Gerencial - Taxa fixa para o título emitido acrescida a uma taxa ou indexador definido no critério de
cálculo de valores gerenciais.

7.1.18 Forma de Liquidação - Sigla identificadora do documento, do processo e do prazo da liquidação financeira da
operação.

7.1.19 Categoria

Negociação – Papel pode ser negociado (resgatado) antes do vencimento.

Vencimento – Papel só poderá ser resgatado na data final de vencimento.

7.1.20 % Sobre Indicador - No caso de operações pós-fixadas o % se aplica sobre a variação da correção no período
da operação.

No caso de taxas flutuantes o % se aplica sobre a taxa em cada período de repactuação da mesma.

7.1.21 Gerente - Funcionário da Instituição que efetuou a venda.

7.1.22 Devolver CPMF – Assinala que será devolvido o CPMF recolhido.

7.1.23 Cliente 2 – Informa o código do banco, agência, conta e praça do cliente 2.

7.1.24 Banco – Banco onde o cliente tem conta para liquidação financeira de operações cetipadas ( DOC 5).

7.1.25 Agência/Conta/Praça – Agência e Praça da conta do cliente no Banco indicado, para liquidação financeira de
operações.

7.1.26 Operação Complementar – Assinala a existência de operação complementar.

7.1.27 Taxa mês (C) - Taxa fixa ao mês, em dias corridos.

7.1.28 Taxa Período (C) - Taxa fixa ao período, em dias corridos.

56
Versão 1.0
Depósito a Prazo

7.1.29 Botão Complemento - O botão complemento dá acesso aos dados financeiros calculados na emissão de um
título.

Figura 61 – Informações Completares

Dados Referentes às Informações Complementares:

Boleto - Número sequencial atribuído pelo sistema para identificar uma negociação.

Lote - Número atual de lotes diferentes, dos dados caracterizadores do papel (tipo de papel, rendimento, emissor,
data emissão, data vencimento e custódia) usado como código alternativo para os dados identificadores do papel.

Movimento – Data de competência da operação de emissão.

Filial – Unidade de negócios onde está sendo executada a operação.

Gerente – Código do funcionário (operador) do Banco responsável pela conta ou pela operação.

Conta – Número de identificação do cliente aplicador, no sistema de Depósito a Prazo.

CPF/CNPJ – Número do CPF/CNPJ do cliente aplicador, no sistema de Depósito a Prazo.

Dados Referentes ao Título:

Papel – Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

57
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Rendimento - Características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária.

Tipo de cálculo dos rendimentos:

Pré-Fixadas – Os rendimentos são calculados e conhecidos na emissão

Pós-Fixadas – Juros são calculados na emissão e o valor do título é corrigido periodicamente pela variação do
indexador utilizado na emissão.

Flutuante – O cálculo do rendimento altera-se periodicamente, em função de uma taxa básica que muda
periodicamente acrescida dos juros (spread).

Taxa - Taxa fixa ao ano, em dias corridos, nos títulos prefixados, ou taxa diferencial a ser acrescida na taxa básica,
nos cálculos com taxa flutuante ou taxa de juros corrigida pela variação do indexador monetário, nos cálculos pós
fixados, para o cálculo dos rendimentos.

Indicador - Sigla de uma moeda, indexador ou taxa básica, cujo valor e variação são utilizados no cálculo dos
rendimentos do papel.

% - No caso de taxas flutuantes o % se aplica sobre a taxa em cada período de repactuação da mesma.

Tipo – Papel e rendimento da aplicação.

Série – Série para títulos periódicos ou amortizáveis.

Número – Número do título periódico ou amortizável.

Período – Intervalo de tempo do cálculo dos rendimentos periódicos do título, em meses.

Dados Referentes aos Valores Financeiros:

Aplicado - Valor dos recursos líquidos depositados pelo cliente e a serem remunerados da data de emissão até o
vencimento do título (valor líquido recebido pelo tomador dos recursos e entregues pelo aplicador).

Renda – Valor dos juros a pagar nas operações prefixadas.

Resgate - Valor nominal aplicado (título pós) ou valor na data de vencimento (título prefixado).

IOF – Valor do iof retido na operação.

IRRF - Valor do Imposto de Renda Retido na Fonte, incidente sobre os rendimentos de uma aplicação financeira e
retidos por ocasião do resgate do título.

Líquido - Valor da aplicação acrescido dos rendimentos e subtraído dos tributos, a ser pago ao aplicador na data
de resgate.

CPMF - Valor da Contribuição de Movimentação Financeira descontada na aplicação.

Reaplicado – Valor do título reaplicado no vencimento.

58
Versão 1.0
Depósito a Prazo

PU da Operação - Coeficiente que expressa o valor de uma unidade (valor ou quantidade), numa data qualquer, do
valor nominal do papel, para cálculo do valor atualizado do título na data, valor do preço unitário na data da
realização da operação.

Ganho – Valor calculado pelo sistema para fins de avaliação do desempenho do gerente.

Fatura - Número do documento, representativo da negociação para fins fiscais e de controle do aplicador, emitido
pela instituição segundo um padrão normalizado.

Prazo – Indica o período de tempo, da data de emissão até a data de vencimento de um título, período de cálculo
ou apuração dos rendimentos da aplicação.

Emissão - Data inicial ou de partida de um período de remuneração, data da negociação.

Vencimento - Data final do período de remuneração ou data para o resgate do título.

Fim Juro - Data final do período atual de pagamento de rendimentos ou data da próxima repactuação de juros ou
ainda data de vencimento da operação.

Operação OK - Situação da operação efetuada.

7.30 Botão Liquidação:

Figura 62 – Formas de Liquidação

Valor a ser lançado – Valor a ser lançado na Liquidação.

Forma Liquidação – Informa a forma de Liquidação.

Valor Emissão – Valor na data de emissão do papel.

Descrição – Descrição da operação efetuada.

59
Versão 1.0
Depósito a Prazo

7.31 Botão Liquidez por prazo

Figura 63

7.32 Botão Despesas Vinculadas

Figura 64

60
Versão 1.0
Depósito a Prazo

7.2 Reaplicação

Figura 65 - Operações

Operação de emissão efetuada com recursos advindos do resgate de aplicação, indica que a nova operação não
representa a entrada de novos recursos na empresa.

7.2.1 Código – Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

7.2.2 Apelido - Cognome utilizado na mesa, para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

7.2.3 Gerente – Selecionar o nome gerente.

7.2.4 Conta - Número de identificação do cliente no sistema de Depósito a Prazo.

7.2.5 Nome -

7.2.6 Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro e parametrizado
na configuração do papel, como papel possível de ser emitido na agência.

7.2.7 Rendimento - Características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária.

61
Versão 1.0
Depósito a Prazo

7.2.8 Data da Emissão - Data inicial ou de partida de um período de aplicação, para o cálculo dos rendimentos do
título emitido.

7.2.9 Taxa Emissão - Taxa fixa anual em dias corridos, nos títulos prefixados, ou taxa diferencial a ser acrescida na
taxa básica (variável), nos cálculos com taxa flutuante ou taxa de juros corrigida pela variação do indexador
monetário no cálculo dos rendimentos pós-fixados.

7.2.10 Valor Aplicado - Valor dos recursos depositados na data de emissão e a serem remunerados até o
vencimento do título (valor líquido recebido pelo tomador dos recursos e entregues pelo aplicador).

7.2.11 Resgate Bruto - Valor do título na data de resgate (aplicado + rendimentos).

7.2.12 Valor Reaplicação - Valor líquido de resgate do título a ser reaplicado.

7.2.13 Reaplicar - Comando para que o sistema efetue a emissão por reaplicação de resgate.

CPMF - Valor do CPMF retido na reaplicação.

IRRF - Valor do imposto de renda retido no resgate do título.

IOF - Valor do imposto sobre operações financeiras.

7.2.14 Botão Detalhe:

Dá acesso aos dados analíticos da operação de reaplicação a ser efetuada, assinalada na relação seleção.

Figura 66 – Dados do Título

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro e parametrizado na
configuração do papel, como papel possível de ser emitido na agência.

Rendimento - Características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária.

Tipo de cálculo dos rendimentos:

Pré-Fixadas – Os rendimentos são calculados e conhecidos na emissão.

Pós-Fixadas – Juros são calculados na emissão e o valor do título é corrigido periodicamente pela variação do
indexador utilizado na emissão.

62
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Flutuante – O cálculo do rendimento altera-se periodicamente, em função de uma taxa básica que muda
periodicamente acrescida dos juros (spread).

Indicador - Sigla de uma moeda, indexador ou taxa básica, cujo valor e variação são utilizados no cálculo dos
rendimentos do papel.

Prazo - Indica um período de tempo compreendido entre a data de emissão e a data de resgate do papel.

Data da Emissão - Data inicial ou de partida de um período de aplicação, para o cálculo dos rendimentos do título
emitido.

Data do Vencimento - Data final do período de cálculo do rendimentos e data prevista para o resgate do título.

Taxa Ano - Taxa fixa ao ano em dias corridos, nos títulos prefixados, ou taxa diferencial a ser acrescida na taxa
básica (variável), nos cálculos com taxa flutuante ou taxa de juros corrigida pela variação do indexador monetário
no cálculo dos rendimentos pós-fixados.

Taxa Período - Taxa calculada para o prazo da operação.

Valor Aplicado - Valor dos recursos depositados na data de emissão e a serem remunerados até o vencimento do
título (valor líquido recebido pelo tomador dos recursos e entregues pelo aplicador).

Quantidade de Papéis -Nº de títulos de mesmas características e identificadas por números emissão.

Documento - Código de identificação do registro físico ou escritural, de uma negociação ou operação.

Valor resgate:

Pré - Valor do título na data do vencimento, soma do valor aplicado acrescido dos rendimentos.

Pós – Valor nominal da aplicação (o valor efetivo será calculado no resgate com base no valor nominal ou de
aplicação).

Comando - Número de identificação, atribuído pelas duas partes, para controle de liquidação da operação para
entidade competente (CLEARING HOUSE, CETIP, SELIC).

Spread Gerencial - Taxa fixa para o título emitido acrescida a uma taxa ou indexador definida no critério de cálculo
de valores gerenciais.

Forma de Liquidação - Sigla identificadora do documento, do processo e do prazo da liquidação financeira da


operação.

Agenda Reaplicação - Indica que na data do vencimento o sistema deverá gerar uma operação pendente para
auxiliar o processo de negociação e para indicar que a nova operação não representa a entrada de novos recursos na
empresa.

% Sobre Indicador - No caso de operações pós-fixadas o % se aplica sobre a variação da correção no período da
operação.

63
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Gerente - Código do funcionário que realizou a operação, responsável pela conta ou pela operação

Botão Limites Operacionais:

OBS: (Conforme figura 47).

7.3 Repactuação

Figura 67 - Operações

Esta operação permite aos contratantes, Instituição e cliente, definir que em determinado tempo decorrido da
emissão do título de renda fixa, este poderá sofrer alterações no tocante ao tipo de rendimento, taxa e valor.

7.3.1 Código - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

7.3.2 Apelido - Cognome utilizado na mesa, para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

7.3.3 Conta

7.3.4 Apelido

64
Versão 1.0
Depósito a Prazo

7.3.5 Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

7.3.6 Tipo de cálculo dos rendimentos:

Pré-Fixadas – Os rendimentos são calculados e conhecidos na emissão

Pós-Fixadas – Juros são calculados na emissão e o valor do título é corrigido periodicamente pela variação do
indexador utilizado na emissão.

Flutuante – O cálculo do rendimento altera-se periodicamente, em função de uma taxa básica que muda
periodicamente acrescida dos juros (spread).

7.3.7 Série - Sigla identificadora de um tipo ou modalidade de um título de renda de amortização periódica.

7.3.8 Número do Papel - Código numérico identificador de um título, numa série de títulos.

7.3.9 Período de Renda - Número de dias de rendimento de um título.

7.3.10 Valor da Operação - Valor dos recursos depositados e a serem remunerados da data de emissão até a data de
vencimento do um título (valor líquido recebido pelo tomador dos recursos e entregues pelo aplicador).

7.4.11 Data de Emissão – Data inicial do período de rendimento da aplicação.

7.3.12 Repactuar – Para papéis com repactuação periódica, comanda a repactuação de taxa, na data da repactuação
(vencimento do período atual de juros), comanda o acesso e a execução da repactuação.

7.3.13 Botão Detalhe do Título:

Este botão apresenta os dados analíticos do título focado para repactuação.

65
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 68 - Operações

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária.

Tipo de cálculo dos rendimentos:

Pré-Fixadas – Os rendimentos são calculados e conhecidos na emissão.

Pós-Fixadas – Juros são calculados na emissão e o valor do título é corrigido periodicamente pela variação do
indexador utilizado na emissão.

Flutuante – O cálculo do rendimento altera-se periodicamente, em função de uma taxa básica que muda
periodicamente acrescida dos juros (spread).

Indicador - Sigla de uma moeda, indexador ou taxa básica, cujo valor e variação são utilizados no cálculo dos
rendimentos do papel.

Prazo - Indica um período de tempo compreendido entre a data de emissão e a data de resgate do papel.

Data da Operação - Data de emissão data inicial ou de partida de um período de aplicação, para o cálculo dos
rendimentos do título emitido.

Data do Vencimento - Data final do período de cálculo dos rendimentos e data prevista para o resgate do título.

66
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Taxa Ano - Taxa de repactuação para o novo período de renda, taxa anual em dias corridos, fixa nos títulos
prefixados, ou taxa diferencial a ser acrescida na taxa básica (variável), nos cálculos com taxa flutuante ou taxa de
juros corrigida pela variação do indexador monetário no cálculo dos rendimentos pós-fixados.

Taxa Período - Taxa calculada para o prazo da operação.

Valor Aplicado - Valor dos recursos depositados na data de emissão e a serem remunerados até o vencimento do
título (valor líquido recebido pelo tomador dos recursos e entregues pelo aplicador).

Quantidade de Papéis -Nº de títulos de mesmas características e identificadas por números emissão.

Documento - Código de identificação do registro físico ou escritural, de uma negociação ou operação.

Valor Resgate:

Pré - Valor do título na data do vencimento, soma do valor aplicado acrescido dos rendimentos.

Pós – Valor nominal da aplicação (o valor efetivo será calculado no resgate com base no valor nominal ou de
aplicação).

Comando - Número de identificação, atribuído pelas duas partes, para controle de liquidação da operação para
entidade competente (CLEARING HOUSE, CETIP, SELIC).

Spread Gerencial - Taxa fixa para o título emitido acrescida a uma taxa ou indexador definida no critério de cálculo
de valores gerenciais.

Forma de Liquidação - Sigla identificadora do documento, do processo e do prazo da liquidação financeira da


operação.

Agenda reaplicação - Indica que na data do vencimento o sistema deverá gerar uma operação pendente para
auxiliar o processo de negociação e para indicar que a nova operação não representa a entrada de novos recursos na
empresa.

% sobre indicador:

 No caso de operações pós-fixadas o % se aplica sobre a variação da correção no período da operação.


 No caso de taxas flutuantes o % se aplica sobre a taxa em cada período de repactuação da mesma.

Gerente - Funcionário da Instituição que efetuou a venda.

7.3.14.Botão Dados do Período - Apresenta a tela contendo os valores da repactuação comandada para o título
selecionado.

67
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 69 – Informações do Período

Número – Número do período atual de juros para títulos periódicos (cupão).

Data Início Juros – Data inicial do atual período de juros.

Data Final Juros – Data final do atual período de juros.

Prazo – Número de dias, de cálculo de juros, no período.

Taxas – Taxa anual de juros no período.

Valor Resgate – Valor do título ao final do período de juros.

68
Versão 1.0
Depósito a Prazo

7.4 Recompra

Figura 70 – Operações

Consiste na operação de aquisição pela instituição de títulos de renda fixa de emissão própria, antes do vencimento
e dentro do prazo legal.
Esta operação permite que o papel seja adquirido com nova taxa dando com isso maior flexibilidade nas
operações.

7.4.1 Código - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

7.4.2 Apelido - Cognome utilizado na mesa, para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

7.4.3 Data da operação - Data inicial ou de partida de um período de aplicação, data da negociação.

7.4.4.Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro e parametrizado
na configuração do papel, como papel possível de ser emitido na agência.

7.4.5 Rendimento - Características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária.

7.4.6 Tipo de cálculo dos rendimentos:

69
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Pré-Fixadas – Os rendimentos são calculados e conhecidos na emissão.

Pós-Fixadas – Juros são calculados na emissão e o valor do título é corrigido periodicamente pela variação do
indexador utilizado na emissão.

Flutuante – O cálculo do rendimento altera-se periodicamente, em função de uma taxa básica que muda
periodicamente acrescida dos juros (spread).

7.4.7 Data da Emissão - Data inicial ou de partida de um período de aplicação, para o cálculo dos rendimentos do
título emitido.

7.4.8 Taxa Emissão - Taxa fixa anual em dias corridos, nos títulos prefixados, ou taxa diferencial a ser acrescida na
taxa básica (variável), nos cálculos com taxa flutuante ou taxa de juros corrigida pela variação do indexador
monetário no cálculo dos rendimentos pós-fixados.

7.4.9 Valor Aplicado - Valor dos recursos depositados na data de emissão e a serem remunerados até o vencimento
do título (valor líquido recebido pelo tomador dos recursos e entregues pelo aplicador).

7.4.10 Valor Atual – Valor do título, aplicado mais rendimentos calculados até o dia corrente.

7.4.11 Prazo Decorrido - Número de dias decorridos desde a emissão até a data atual.

7.4.12 Recompra – Indica que o papel assinalado, será recomprado para tesouraria, de forma total ou parcial, nos
critérios definidos no processo de recompra.

7.4.13 Botão Detalhe - Apresenta a tela com os dados do título e para especificação dos valores e taxas para a
recompra.

Figura 71

Dados Identificados pela Coluna Valor Atual - Correspondem aos valores calculados pela curva original do papel.

Valor Aplicado - Valor dos recursos depositados na data de emissão de um título (valor líquido recebido pelo
tomador dos recursos e entregues pelo aplicador).

70
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Juros – Valor dos juros, sobre o valor aplicado, até a data.

Correção Monetária – Valor do ajuste monetário, do valor aplicado, até a data.

Valor Bruto – Valor do título antes da tributação.

IRRF - Valor do imposto de renda devido sobre os rendimentos de uma aplicação financeira.

IOF - Valor do imposto sobre operações financeiras devido na data de resgate de uma aplicação financeira.

Valor Líquido - Valor da aplicação acrescido dos rendimentos e subtraído dos tributos.

PU Operação - Coeficiente que expressa o valor de uma unidade (valor ou quantidade), numa data qualquer, do
valor nominal do papel.

Quantidade - Número de papéis ou de uma unidade com valor próprio, negociado em múltiplos da unidade.

Dados Identificados pela Coluna Valor Recompra:

São os valores proporcionais calculados para a recompra a efetuar.

Valor Aplicado - Valor dos recursos depositados na data de emissão do título (valor líquido recebido pelo tomador
dos recursos e entregues pelo aplicador).

Juros – Valor dos juros calculados até a data da recompra, pela taxa/PU de recompra.

Correção Monetária – Correção monetária calculada sobre a parcela do valor aplicado recomprada.

Valor Bruto – Valor de resgate do título, antes da tributação na recompra.

IRRF - Valor do imposto de renda na fonte devido sobre os rendimentos de uma aplicação financeira na data da
recompra.

IOF - Valor do imposto sobre operações financeiras devido na data da recompra da aplicação financeira.

Valor Líquido - Valor da parcela de aplicação recomprada, acrescida dos rendimentos até a data da recompra e
subtraída dos tributos calculados sobre a parcela recomprada.

PU Operação - Coeficiente que expressa o valor de uma unidade (valor ou quantidade), numa data qualquer, do
valor nominal ou de face do papel.

Quantidade - Número de papéis ou de uma unidade com valor próprio, negociado em múltiplos da unidade.

Opção de Recompra - Qual o critério para informar as condições da recompra.

Pela Curva - O cálculo da recompra é feito pela taxa de emissão neste caso será informado o valor líquido da
recompra.

Pela Taxa - A recompra será calculada pela taxa informada para a recompra neste caso deverá ser informado o valor
líquido a recomprar.

71
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Pelo PU - O valor da recompra será feito pelo PU informado, neste caso deverá ser informado o valor bruto a
recomprar.

Utilizar Valor Futuro – Indica que o valor da recompra será obtido por deságio ou taxa indicada, caso contrário será
calculado com base no valor de aplicação.

Comando - Número de identificação, atribuído pelas duas partes, para controle de liquidação da operação pela
entidade competente (CLEARING HOUSE, CETIP, SELIC).

Valor Bruto – Valor de resgate da parcela da recompra do título antes da tributação e pelo PU indicado.

PU Operação - Coeficiente que expressa o valor de uma unidade (valor ou quantidade), na data da recompra, do
valor nominal do papel.

Valor Líquido - Valor a ser pago ou credita ao cliente depois de deduzidos os tributos na data da recompra.

Taxa Operação – Valor da taxa da recompra, para calcular o valor líquido informado.

Forma Liquidação - Sigla identificadora do documento, do processo e do prazo da liquidação financeira da operação
de recompra.

Gerente - Funcionário da Instituição que efetuou a negociação de recompra com o cliente.

Resultado – Valor da diferença entre o valor da quantidade recomprada pela taxa de emissão, curva contábil e pela
taxa ou PU da recompra, no dia (lucro ou prejuízo do Banco).

72
Versão 1.0
Depósito a Prazo

7.5 Canc. Excl/Emis

Figura 72 - Operações

Esta operação limita-se ao cancelamento de um determinado papel emitido em data anterior, e gerando estornos
operacionais, gerenciais e contábeis.

Boleto - Número sequencial atribuído pelo sistema para identificar uma negociação.

Dados Referentes ao Cliente:

Conta - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Nome - Identificação do titular da conta de aplicação de renda fixa na instituição.

Apelido - Cognome utilizado na mesa para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Dados Referentes à Operação:

Papel e Rendimento - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro e suas
características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária.

73
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Indicador - Sigla de uma moeda, indexador ou taxa básica, cujo valor e variação são utilizados no cálculo dos
rendimentos do papel.

Prazo - Número de dias decorridos da data de aplicação até a data do vencimento.

Data Operação - Data inicial do período de rendimentos da aplicação.

Data Vencimento – Data final do período de rendimentos e data para resgate do título.

Taxa Ano - Taxa anual em dias corridos, convencionada na data da operação (inicial do negócio), para cálculo do
valor dos rendimentos do título no resgate.

Taxa Período - Taxa calculada para o prazo da operação.

Valor Aplicado - Valor dos recursos depositados na data da emissão e a serem remunerados na data de emissão até
a data de vencimento do título (valor líquido recebido pelo tomador dos recursos e entregues pelo aplicador).

Comando - Número de identificação, atribuído pelas duas partes, para controle de liquidação da operação para
entidade competente (CLEARING HOUSE, CETIP, SELIC).

Documento - Código de identificação do registro físico ou escritural, de uma negociação ou operação.

Resgate Bruto - Valor da aplicação mais rendimentos apropriados até a data.

Gerente - Funcionário da instituição que efetuou a negociação.

Forma de Liquidação - Sigla identificadora do documento, do processo e do prazo da liquidação financeira da


operação na emissão do título.

74
Versão 1.0
Depósito a Prazo

7.6 Cancelamento Recompra

Figura 73 - Operações

Esta operação limita-se ao cancelamento de um determinado papel emitido em data anterior, e gerando estornos
operacionais, gerenciais e contábeis.

Código - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição cuja recompra,
deverá ser cancelada.

Apelido - Cognome utilizado na mesa, para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Data da Operação - Data inicial ou de partida de um período de aplicação, data da negociação.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária da curva de
emissão.

Taxa Operação - Taxa anual em dias corridos, convencionada na data de emissão (inicial do negócio), para cálculo do
valor do título no resgate.

75
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Utilizou Valor Futuro (S/N) - Indica que a recompra foi efetuada pela taxa informada, por deságio do valor futuro.
Caso contrário, o valor de recompra foi calculado pela nova taxa, recalculando-se os rendimentos a partir do valor
de aplicação.

Valor Resultado da Recompra – Valor do lucro ou prejuízo do emissor na recompra, em função da taxa ou PU da
recompra em relação a da emissão.

Cancelar Recompra – Indica que queremos reverter uma operação de recompra comandada, anteriormente, na
mesma data, reativando a operação original.

Botão Detalhe - Apresenta o título recomprado para comandar o cancelamento.

Figura 74 – Operações

Código - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição cuja recompra,
deverá ser cancelada.

Apelido - Cognome utilizado na mesa, para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Dados Referentes ao Título:

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, cuja recompra queremos cancelar, definido e padronizado no
mercado financeiro.

76
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Rendimento - Características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária do título da
recompra a cancelar.

Indicador - Sigla do indicador monetário utilizado no cálculo dos rendimentos do título cuja recompra queremos
cancelar.

Prazo - Prazo de emissão do título cuja recompra queremos cancelar.

Data da Operação - Data inicial ou de partida do período de rendimento da aplicação, data da emissão.

Data do Vencimento - Data final de cálculo dos rendimentos e data para resgate do
título cuja recompra queremos cancelar.

Taxa Ano - Taxa anual em dias corridos, fixa para papéis pré e taxa diferencial a ser acrescida a taxa básica (variável)
para taxas flutuantes ou spread a ser corrigido pelo indicador monetário no cálculo dos rendimentos de títulos pós.

Taxa Período - Taxa calculada para o prazo da operação.

Valor Aplicado - Valor líquido dos recursos depositados na emissão, a serem remunerados da data de emissão até a
data de vencimento do título (valor líquido recebido pelo tomador dos recursos e entregues pelo aplicador).

Quantidade de Papéis - Nº de títulos de mesmas características e identificadas por números e séries, a serem
gerados na emissão.

Documento - Código de identificação do registro físico ou escritural, de uma negociação ou operação.

Valor Resgate - Valor bruto do título na data da recompra, soma do valor aplicado acrescido dos rendimentos
calculados até a recompra da recompra a cancelar.

Comando - Número de identificação, atribuído pelas duas partes, para controle de liquidação da operação para
entidade competente (CLEARING HOUSE, CETIP, SELIC).

Spread Gerencial - Indica a taxa de juros utilizada no critério de cálculo gerencial específica para o título.

Forma de Liquidação - Sigla identificadora do documento na data de emissão, do processo e do prazo da liquidação
financeira da operação.

Agenda Reaplicação - Indica que na data do vencimento o sistema deveria gerar uma operação pendente para
auxiliar o processo de negociação e para indicar que a nova operação não apresenta a entrada de novos recursos na
empresa.

% Sobre Indicador - No caso de operações pós-fixadas o % se aplica sobre a variação da correção no período da
operação.

No caso de taxas flutuantes o % se aplica sobre a taxa em cada período da mesma no período de repactuação.

Gerente - Funcionário da Instituição que efetuou a negociação.

Botão Negociação - Apresenta os valores da recompra efetuada.

77
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 75 - Operações

Dados Complementares da Coluna Valor Atual:

Valor Aplicado - Valor dos recursos depositados na data de emissão a serem remunerados (valor líquido recebido
pelo tomador dos recursos e entregues pelo aplicador).

Juros – Valor dos juros corrigidos, sobre o valor aplicado, até a data.

Correção Monetária – Valor do ajuste monetário, do valor a plicado, até a data.

Valor Bruto – Valor de resgate do título, na data antes da tributação.

IRRF - Valor do imposto de renda na fonte, devido e retido sobre os rendimentos de uma aplicação financeira
recomprada.

IOF - Valor do iof devido e retido na recompra.

Valor Líquido - Valor da aplicação acrescida dos rendimentos e subtraída dos tributos na recompra.

PU Operação - Coeficiente que expressa o valor de uma unidade (valor ou quantidade), numa data qualquer, do
valor face ou nominal do papel.

Quantidade - Número de papéis ou de uma unidade com valor próprio, negociado em múltiplos da unidade.

78
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Dados Complementares a Coluna valor Recompra:

Valor Aplicado - Valor dos recursos aplicados na emissão e recomprados na data.

Juros – Valor dos juros, sobre o valor aplicado recomprado, calculado até a data da recompra.

Correção Monetária – Valor do ajuste monetário, do valor aplicado recomprado, calculado até a data.

Valor Bruto – Valor de resgate da parcela do título recomprado, antes da tributação, na data da recompra.

IRRF - Valor do imposto de renda na fonte retido na data da recompra.

IOF - Valor do iof descontado na data da recompra sobre a parcela recomprada.

Valor Líquido - Valor da aplicação da parcela recomprada do título, acrescida dos rendimentos e subtraída dos
tributos devidos na recompra.

PU Operação - Coeficiente que expressa o valor de uma unidade (valor ou quantidade), numa data qualquer, do
valor de face nominal do papel na data da recompra.

Quantidade - Número de papéis ou de uma unidade com valor próprio, negociado em múltiplos da unidade.

Dados Referentes a Opção de Recompra:

Pela Curva - Utiliza a curva de emissão.

Pela Taxa – Utiliza a taxa informada.

Pelo PU - Utiliza o PU informado.

Dados Referentes a Negociação:

Utilizar Valor Futuro – Indica que a taxa foi utilizada para deságio do valor futuro (resgate) do título no cálculo de
recompra, no caso de taxa informada.

Comando - Número de identificação, atribuído pelas duas partes quando da emissão, para controle de liquidação da
operação para entidade competente (CLEARING HOUSE, CETIP, SELIC).

Valor Bruto – Valor no dia da recompra do aplicado mais rendimentos, sem descontar a tributação devida.

PU Operação - Coeficiente que expressa o valor de uma unidade (valor ou quantidade), numa data qualquer, do
valor de face ou nominal do papel na data da recompra.

Valor Líquido - Valor da aplicação acrescido dos rendimentos da parcela recomprada e é subtraída dos tributos
devidos na data da recompra.

Taxa Operação – Taxa da recompra utilizada.

79
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Forma de Liquidação - Sigla identificadora do documento na data de emissão, do processo e do prazo da liquidação
financeira da operação.

Gerente - Funcionário da Instituição que efetuou a negociação.

Resultado – Lucro ou prejuízo da instituição na operação de recompra.

7.7 Limite Operacional

Figura 76 - Operações

São conjuntos de informações que definirão as condições de negociação, onde estão parametrizados os limites de
variações de prazos e taxas sugeridas, a serem utilizadas no processo operacional, em função da unidade, papel,
prazo e valor da operação, utilizado pelo sistema na validação e aceitação das operações efetuadas enquadrando-as
nas condições definidas nos limites operacionais, definidos para cada tipo de operação e papel, de acordo com a
política de operações definidas centralizadamente pelo gestor dos negócios.

Operação - Identificar a operação a ser verificada contra os limites de taxas e prazos.

Papel - Identificação do tipo de papel que deverá se enquadrar nas condições limites de taxas e prazos
configurados.

80
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Rendimento - Identificação do tipo de rendimento a ser utilizado na utilização dos limites de taxa e prazos de
mesma identificação.

Tabela Válida a partir de - Indica a data e a hora de início da vigência dos limites, válidos até a entrada de novos
limites em outra data e hora.

Base da Taxa - Período de validade da taxa definida no limite.

Valor Mínimo - Indicar o valor mínimo para o tipo de operação.

Valor Máximo - Indicar o valor máximo para o tipo de operação.


.
Indicador - indicador monetário do cálculo do rendimento do papel, para as condições limites de prazos, valores e
taxas parametrizados.

Prazo Determinado para Emissão Agência – Indica que par a emissão nas agências o sistema aceitará somente os
prazos determinados nas tabelas de limites, considerando pendentes ou passível de autorização para a sua emissão.

Dados Referentes a Tabela de Limite:

Prazo - Prazo máximo da operação para enquadrar-se no limite da taxa até valor máximo da operação.

Valor da Operação - Valor máximo da operação para caracterizar o limite da taxa.

Taxas Máximas ao Ano - Taxa máxima de negociação em base anual.

Taxas Máximas ao Período - Taxa equivalente máxima de negociação no prazo informado.

Taxas Máximas ao Mês - Taxa equivalente máxima de negociação em base mensal.

Taxas Máximas 1 Dia Over - Taxa equivalente máxima de negociação para um dia over.

Taxas Mínimas ao Ano - Taxa mínima de negociação em base anual.

Taxas Mínimas ao Período - Taxa equivalente mínima de negociação no prazo informado.

Taxas Mínimas ao Mês - Taxa equivalente mínima de negociação em base mensal.

Taxas Mínimas 1 Dia Over - Taxa equivalente mínima de negociação para um dia over.

Nota: As taxas equivalentes são ajustadas pelo sistema, em função dos feriados locais das unidades, conforme
fórmula interna.

81
Versão 1.0
Depósito a Prazo

8. Autorizações

Figura 77 – Tela Inicial Autorização

82
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 78 - Sistema de Depósito a Prazo - Autorizações

É o processo de liberação de uma determinada operação que não se enquadrou aos limites operacionais,
parametrizados pela instituição emissora do papel.
O processo de liberação poderá ser executado no sistema, por uma pessoa autorizada através de uma tela de acesso
restrito, efetuando a análise e complementação dos dados, poderá autorizar ou cancelar a operação.

Código – Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Apelido – Cognome utilizado na mesa para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Operação – Tipo de transação efetuada com o título.


 Emissão;
 Recompra não Programada.

Pendência – Qual o motivo da operação estar aguardando autorizações.

Conta - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária.

83
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Tipo de variação dos rendimentos:

Pré-Fixada – juros calculados na emissão, renda conhecida antecipadamente

Pós-Fixadas – Juros calculados na emissão e corrigidos pela variação do indexador.


Flutuante – O cálculo dos rendimento altera-se periodicamente, em função de uma taxa básica periódica,
acrescida dos juros ou "spread" predefinido.

Data de Emissão – Data inicial do período de juros.

Data da Operação – Data da movimentação da emissão efetuada.

Taxa da Operação - Taxa ano, em dias corridos, convencionada na data da operação, para cálculo dos juros (inicial
do negócio) no cálculo do valor dos rendimentos do título.

Valor da Operação - Valor líquido dos recursos depositados na data de emissão, a serem remunerados da data de
emissão até a data de vencimento do título (Valor líquido recebido pelo tomador dos recursos e entregues pelo
aplicador).

Liberar – Ao sinalizar este campo esta indicando a autorização ou aprovação para a operação.

Marcar/Desmarcar todas para liberar – Indica ao sistema para acatar todas as operações selecionadas e
apresentadas num único processo de autorização.

84
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Botão Detalhe: Informações da aplicação.

Figura 79 - Sistema de Depósito a Prazo - Operações

Dupla autorização é o processo de liberação de uma determinada operação que não está dentro dos limites
operacionais configurados e, portanto se faz necessário uma autorização de um nível hierárquico maior do que o
operacional.

Código - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Apelido - Cognome utilizado na mesa para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Operação – Tipo de transação efetuada com o título.


 Emissão;
 Recompra não Programada.

Conta - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária.

85
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Tipo de variação dos rendimentos:

Pré-Fixada – Juros calculados na emissão, renda conhecida antecipadamente.

Pós-Fixadas – Juros calculados na emissão e corrigidos pela variação do indexador.

Flutuante – O cálculo do rendimento altera-se periodicamente, em função de uma taxa básica periódica,
acrescida dos juros ou "spread" predefinido de vencimento (liquidação financeira).

Data de Emissão - Data inicial ou de partida do período de rendimentos da aplicação, data da negociação.

Data do Vencimento - Data final do período de rendimentos e data para resgate do título.

Taxa da Operação - Taxa fixa ano, em dias corridos(pré) ou taxa diferencial a ser acrescida a taxa básica (flutuante)
ou taxa de juros associada ao indicador monetário (pós), no cálculo dos rendimentos.

Valor da Operação - Valor líquido dos recursos depositados, a serem remunerados no prazo de emissão do título.

Liberar - Ao sinalizar o campo estaremos autorizando a operação.

Marcar/Desmarcar Todas para Liberar- Ao sinalizarmos ou desmarcarmos o campo estaremos efetuando uma
operação única sobre todos os títulos pendentes apresentados.

Botão Detalhe: Informações da aplicação

9. Bloqueio

Figura 80 – Botão Bloqueios

86
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 81 – Bloqueio

Esta operação tem como função impedir a negociação de determinados papéis em função de garantias operacionais
e judiciais ou internos.

Código - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Apelido - Cognome utilizado na mesa para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Boleto - Número sequencial atribuído pelo sistema para identificar uma negociação.

Título - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro. Característica do
título e responsável pelo título.

Vencimento - Data final para resgate de um título.

Quantidade Total – Valor de face total do título, independentemente de bloqueio já efetuado.

Valor Atual - Valor do título com os rendimentos calculados até a data.

Quantidade Bloqueada - Valor face parcial com movimentação restrita.

Valor Bloqueado – Valor em moeda corrente, bloqueado anteriormente pela quantidade informada e atualizado
até a data.

87
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Tipo de Bloqueio - Qual a origem do impedimento para gerar bloqueio com o título.

Data da Liberação - Data prevista para fim do bloqueio que está sendo informado.

Quantidade - Valor total ou parcial a bloquear comandado na operação, se informada a quantidade o sistema
calcula o valor do bloqueio.

Valor – Valor a ser bloqueado, o sistema calcula a quantidade, pelo PU do dia.

Motivo - Razão do impedimento para operar com o título.

Módulo – Sistema de controle da operação garantida pelo bloqueio.

Unidade – Agência/PAB da operação a ser garantida.

Conta – Número da conta a ser garantida.

Contrato – Número do contrato da operação a ser garantida.

Modalidade – Tipo de negócio, da operação, cujo valor do título está sendo bloqueado em garantia, conforme
definição de cada sistema.

Botão Operação:

Apresenta a relação das operações disponíveis do cliente para selecionar a que queremos bloquear.

Figura 82 – Títulos disponíveis para bloqueio

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Sigla que identifica as condições de cálculo dos rendimentos do título, conforme utilizado no mercado.

Emissor - Responsável pela colocação do papel na emissão (primária) e pelo resgate na data de vencimento
(liquidação financeira).

Data Emissão – Data inicial do período remuneração da aplicação.

Data do Vencimento - Data final do período de remuneração e data para resgate do título.

88
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Valor Atual - Valor da aplicação acrescida com os rendimentos calculados até a data.

Botão Detalhe:

Figura 83 – Dados do título

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária.

Tipo de variação dos rendimentos:

Pré-Fixada – juros calculados na data de emissão

Pós-Fixadas – Juros calculados na data de emissão e corrigidos pela variação de um indexador.

Flutuante – O rendimento altera-se periodicamente, em função de uma taxa base acrescida dos juros.

Indicador - Moeda, indexador ou taxa básica, utilizada como referencial no cálculo do valor da remuneração e do
valor de resgate de um título.

Prazo - Prazo de emissão - número de dias decorridos entre a data de emissão e a data de vencimento ou resgate do
título.

Data Operação - Data de emissão, data inicial ou de partida do período de remuneração da aplicação, data da
negociação.

Data Vencimento - Data final do período de remuneração ou data para resgate do título.

Taxa Ano - Taxa fixa ao ano, em dias corridos ou taxa diferencial a ser acrescida a taxa básica (flutuante) ou taxa de
juros associada a um indexador monetário (pós), base do cálculo dos rendimentos.

Taxa Período - Taxa calculada para o prazo da operação.

Valor Aplicado - Valor líquido dos recursos depositados na data de emissão, a serem remunerados no prazo de
emissão.

Quantidade de Papéis - Nº de títulos de mesma características e identificadas por números e séries, a serem
gerados na emissão.

89
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Documento - Código de identificação do registro físico ou escritural, de uma negociação ou operação.

Valor Resgate - Valor nominal ou de face, base do cálculo do valor de resgate do título de acordo com o tipo de
renda negociada.

Pré - Valor do título na data do vencimento, soma do valor aplicado acrescido dos rendimentos.

Pós – Valor nominal da aplicação.

Cód. Oper. Câmara – Número de identificação, atribuído pelas duas partes, para controle de liquidação da
operação para entidade competente (CLEARING HOUSE, CETIP, SELIC).

Spread Gerencial - Taxa definida para o título para utilização no critério de cálculo dos valores gerenciais.

Forma de Liquidação - Sigla identificadora do documento, na emissão do título e do processo e prazo da liquidação
financeira da operação.

% Sobre Indicador - No caso de operações pós-fixadas o % se aplica sobre a variação da correção no período da
operação.
No caso de taxas flutuantes o % se aplica sobre a taxa em cada período da mesma no período de repactuação.

Gerente - Funcionário da Instituição que efetuou a negociação.

Figura 84 - Bloqueio

90
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Procedimento de comandar a liberação para livre negociação e disponibilização para o aplicador de um título de
renda fixa, anteriormente tomado indisponível por bloqueio.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Características dos critérios de cálculo dos rendimentos e/ou variação monetária do papel, conforme
padronizado no mercado.

Data do Vencimento – Data final para resgate de um título.

Quantidade Total – Quantidade do valor face ou nominal do título.

Quantidade Bloqueada - Valor total ou parcial do valor em face de desbloquear.

Previsão de Desbloqueio - Data prevista do fim do bloqueio.

Tipo Bloqueio - Qual a origem do impedimento para operar com o título a ser desbloqueado.

Desbloquear – Indica a liberação parcial ou total dos valores bloqueados do título.

Botão Detalhe:

Botão Dados do Bloqueio:

Apresenta a informação dos bloqueios existentes sobre o título selecionado.

Figura 85 – Títulos

Código - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Apelido - Cognome utilizado na mesa para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Boleto - Número sequencial atribuído pelo sistema para identificar uma negociação.

91
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Dados Referentes ao Título:

Título - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro. Característica do
título e responsável pelo título.

Quantidade Total – Valor nominal do título.

Vencimento - Data final para resgate de um título.

Valor Atual - Valor bruto do título calculado até a data.

Quantidade Bloqueada - Valor face proporcional com movimentação restrita.

Valor Bloqueado – Valor atualizado do título em moeda corrente, bloqueado anteriormente, pela quantidade
informada e atualizado até a data.

Dados Referentes ao Bloqueio:

Tipo de Bloqueio - Qual a origem do impedimento para operar com o título.

Data da Liberação - Data prevista para o fim do bloqueio.

Quantidade – Valor face ou nominal parcial a desbloquear.

Valor - Valor bruto, em moeda corrente, total ou parcial a desbloquear.

Motivo - Razão do impedimento de operar com o título.

Dados Referentes a Garantia:

Módulo – Sistema de origem da operação garantida pelo bloqueio a ser liberado.

Unidade – Agência/Pab da operação de origem do operação garantida.

Conta – Número da conta garantida pelo bloqueio.

Contrato – Número do contrato da operação coberta pela garantia do bloqueio.

Modalidade – Tipo de negócio, da operação, cujo valor do título está sendo bloqueado em garantia, conforme
definição de cada sistema.

Botão Desbloquear - Abre a tela para definirmos a quantidade a desbloquear e a data do desbloqueio de um
bloqueio anteriormente, efetuado.

92
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 86

Data do Desbloqueio - Data do fim do bloqueio a ser baixado.

Quantidade - Valor total ou parcial do valor em face de desbloquear.

Motivo do Desbloqueio - Razão do desbloqueio da operação.

10. Operações Especiais

Figura 87– Botão Operações Especiais

93
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 88 – Operações Especiais

Permite ao operador do sistema efetuar alteração nos dados dos papéis emitidos não financeiros. As alterações
restringem-se as informações que não afetam a valorização, prazo e valores de papéis já emitidos.

Código - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Apelido - Cognome utilizado na mesa, para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Data Operação - Data de emissão ou data inicial ou de partida do período de remuneração da aplicação, data da
negociação.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária.

Valor Aplicado - Valor líquido dos recursos depositados na data de emissão e a serem remunerados no prazo do
título.

Resgate Bruto – Valor do principal acrescido dos rendimentos do título na data, antes da tributação.

Valor Líquido - Valor da aplicação mais rendimentos e subtraída dos tributos, valor a ser pago na data de resgate da
operação.

Taxa Emissão - Taxa fixa ao ano, em dias corridos (pré) ou taxa diferencial a ser acrescida a taxa base (flutuante) ou
taxa associada a um indicador monetário (pós) no cálculo dos rendimentos.

94
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Alterar – As sinalizarmos o campo indicamos que queremos alterar valor de cálculo dos rendimentos, do título
selecionado.

Figura 89 - Operações Especiais

Processo de inclusão de títulos a partir de outro sistema que esteja sendo substituído, com os títulos calculados e
valorizados até a data da inclusão.
Destina-se a converter os dados de cadastros de Depósito a Prazo de sistemas em Cobol ou de terceiros e a
montagem de Bancos de Dados para o uso da versão Power Builder.

Contas – Carga dos dados de identificação e qualificação do cliente para operações de renda fixa e open.

Movimento – Transações realizadas num período de tempo parametrizado.

Drive, Diretório e Nome do Arquivo – Localização do arquivo no meio magnético.

95
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 90 – Operações Especiais

Processo de informação das condições de repactuação após haver decorrido a data prevista, para que o sistema
efetue o recalculo, com lançamento na data de informação, em função da manutenção das condições anteriores de
cálculo até esta data e nas condições informadas.

Data Operação - Data de emissão, data inicial ou de partida do período de renda do título, data da negociação.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária.

Valor Aplicado - Valor líquido dos recursos depositados na data de emissão, a serem remunerados no prazo do
título.

Resgate Bruto – Valor do depósito acrescido dos rendimentos até a data, antes da tributação.

Valor Líquido – Valor a pagar ao aplicador, após deduções legais.

Taxa Emissão – Taxa de juros ou "spread" definida na data de aplicação, para cálculo dos rendimentos a pagar ao
aplicador.

Alterar – Ao sinalizar o campo, indicamos que queremos alterar as condições de remuneração do papel,
anteriormente emitido, em foco.

96
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Botão Detalhe:

Figura 91 - Operações Especiais

O tabulador permite o cadastramento retroativo de operações de emissão, definido pela data da operação. O
sistema efetua os cálculos e a contabilização no dia. Os valores financeiros não são atualizados.
Com esta operação podemos ajustar no dia, valores de títulos ou mesmo transferi-los de titular, baixando a
operação original (cancelamento) e incluindo com os dados desejados (D-N). Os ajustes contábeis são automáticos
na contabilização.

Código - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Apelido - Cognome utilizado na mesa para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Dados Referentes ao Título:

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Indicador - Sigla de um indexador, moeda ou taxa flutuante utilizado como referencial do cálculo dos rendimentos
do título.

Prazo - Número de dias da data de aplicação a do vencimento.

Data da Operação - Data de emissão do título, data inicial ou de partida do período de cálculo dos rendimentos da
aplicação, data da negociação.

Data do Vencimento - Data final para apropriação de rendimentos e data para resgate do título.

97
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Taxa Ano - Taxa fixa ao ano, em dias corridos, (pré) ou taxa diferencial a ser acrescida a taxa base (flutuante) ou taxa
associada a um indicador monetário (pós), no cálculo dos rendimentos.

Taxa Período - Taxa calculada para o prazo da operação.

Valor Aplicado - Valor líquido dos recursos depositados, a serem remunerados no prazo do título.

Quantidade de Papéis - Nº de títulos de mesmas características e identificadas por números e séries, a serem
gerados na emissão.

Documento - Código de identificação do registro físico ou escritural, de uma negociação ou operação.

Valor Resgate - Valor face ou nominal do título utilizado no cálculo do valor no resgate de acordo com o tipo de
renda negociada.

Pré - Valor do título na data do vencimento, soma do valor aplicado acrescido dos rendimentos.

Pós – Valor nominal da aplicação.

Cód. Oper. Câmara - Número de identificação, atribuído pelas duas partes, para controle de liquidação da operação
para entidade competente (CLEARING HOUSE, CETIP, SELIC).

Spread Gerencial - Taxa fixa ou spread acrescido a uma taxa ou indexador no cálculo de valores gerenciais, específica
para este título.

Forma de Liquidação - Sigla identificadora do documento, na data de emissão e do processo e prazo da liquidação
financeira da operação.

% Sobre Indicador:
 No caso de operações pós-fixadas o % se aplica sobre a variação da correção no período da operação.
 No caso de taxas flutuantes o % se aplica sobre a taxa em cada período da mesma no período de repactuação.

Gerente - Funcionário da Instituição que efetuou a negociação.

Data Valorização – Data de partida inicial da valorização do papel.

Cliente 2:

Banco – Banco onde o cliente tem conta para liquidação financeira de operações cetipadas
(DOC 5).

Agência/Conta/Praça – Agência e Praça da conta do cliente no Banco indicado, para liquidação financeira de
operações.

Botão Complemento:

OBS: (Conforme - Figura 44).

98
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 92 - Operações Especiais

A tela destina-se a visualização e seleção dos DOC 11 das operações para a emissão do arquivo e documento de
forma seletiva para remessa ao CETIP, o sistema em cada emissão grava os documentos já enviados de forma a
efetuar tantas quantas emissões complementares forem solicitadas pelo gestor.

Data Operação – Data da realização da operação do CETIP.

Boleto – Número do boleto de negociação da operação com DOC 11.

Cliente – Código do cliente contraparte da operação.

Operação – Sigla que identifica a operação.

Papel – Sigla que identifica o papel negociado.

Rendimento – Tipo de rendimento do papel emitido.

Emissor – Sigla do emissor do papel negociado.

Valor – Valor da operação negociada.

Situação – Situação do papel quanto a emissão do DOC 11.

Emitir DOC – Ao sinalizar este campo indica-se que o Doc. 11 da operação deverá ser incluído no arquivo de remessa
ao CETIP.

99
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Botão Detalhe:

Figura 93 - Operações Especiais

Cliente - Identificação do cliente do deposito a prazo com que se realizou a operação.

Gerente – Código do funcionário (operador) do Banco responsável pela conta ou pela operação.

Boleto - Número sequencial atribuído pelo sistema para identificar o boleto de negociação que deu origem a
operação.

Emissão – Data inicial de contagem de rendimentos do título.

Papel – Dados de identificação do titulo de lastro da operação.

(1) Papel - Sigla de um tipo de título de OPEN, definido e padronizado no mercado financeiro.

(2) Rendimento - Características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária.

(3) Emissor - Sigla do responsável pela colocação e resgate do papel.

Vencimento - Data de resgate do papel.

Rendimento – Tipo de rendimento atribuído ao papel, pré, pós, flutuante.

Taxa de Emissão – Valor da taxa de juros paga pelo título.

Indicador - Sigla de uma moeda, indexador ou taxa básica, cujo valor e variação são utilizados no cálculo dos
rendimentos do papel.

Prazo - Prazo de emissão do papel de lastro da operação.

100
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Situação - Situação da operação em relação ao vencimento da mesma.

Data carga - Data da inclusão no sistema de operações existente antes da implantação.

Taxa Spread – Valor da taxa de juros do título.

Forma Liquidação – Documento e prazo da liquidação financeira da emissão.

Valorizado Até – Data de cálculo de juros/correção incorporados ao valor aplicado, resultando no valor atual, na
data.

Custódia - Câmara ou instituição responsável pelo controle da custódia e onde será liquidação financeira da
operação .

Documento – Número do documento de controle interno na emissão.

Comando – Número do documento de registro da emissão na câmara.

Posição financeira:

Valor Aplicado - Valor bruto da operação original na data de emissão.

P.U. - Preço unitário na data de operação. Coeficiente que expressa o valor de uma unidade (valor ou quantidade),
numa data qualquer, do valor nominal do papel, para cálculo do valor atualizado do título na data, valor do preço
unitário na data da realização da operação.

Quantidade - Valor nominal ou face negociada na operação.

Valor Atual - Valor bruto da operação na data (quantidade x PU).

Valor IOF - Valor do Imposto sobre operações financeiras sobre a operação.

Valor IRF - Valor do Imposto de Renda Retido na Fonte, incidente sobre os rendimentos de uma aplicação financeira
retido por ocasião da realização da operação.

Valor Líquido - Valor da aplicação acrescido dos rendimentos e subtraído dos tributos, a ser pago ao aplicador na
data de resgate.

Ganho - Resultado na operação de recompra com taxa diferente da operação.

CPMF/IOF Aplic - Valor da Contribuição de Movimentação Financeira ou do IOF descontada na data da operação,
dependendo da legislação e controles internos vigentes.

Bloqueio - Identificação de eventuais bloqueios existentes na operação.

Quantidade - Valor face da operação com bloqueio.

Valor - Valor atual da quantidade bloqueada.

101
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 94 – Operações Especiais

A tela destina-se a visualização dos DOC 12 das operações e a emissão do arquivo e documento de forma seletiva
para remessa ao CETIP, o sistema em cada emissão grava os documentos já enviados de forma a efetuar tantas
quantas emissões complementares forem solicitadas pelo gestor.

Data Operação – Data da realização da operação do CETIP.

Boleto – Número do boleto de negociação da operação com DOC 12.

Cliente – Código do cliente contraparte da operação.

Operação – Sigla que identifica a operação.

Papel – Sigla que identifica o papel negociado.

Rendimento – Tipo de rendimento do papel emitido.

Emissor – Sigla do emissor do papel negociado.

Valor – Valor da operação negociada.

Situação – Situação do papel quanto a emissão do DOC 12.

Emitir DOC – Ao sinalizar este campo indica-se que o doc. 12 da operação deverá ser incluído no arquivo de remessa
ao CETIP.

102
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Botão Detalhe:

Figura 95 – Operações Especiais

A tela destina-se a visualização das operações e a emissão do arquivo e documento de forma seletiva para remessa
ao SNA, o sistema em cada emissão grava os documentos já enviados de forma a efetuar tantas quantas emissões
complementares forem solicitadas pelo gestor.

Data da Operação – Data da realização da operação do SNA.

Estoque – Assinala opção de movimentação de estoque.

Boleto – Número do boleto de negociação da operação com SNA.

Cliente – Código do cliente contraparte da operação.

Papel – Sigla que identifica o papel negociado.

Rendimento – Tipo de rendimento do papel emitido.

Emissor – Sigla do emissor do papel negociado.


Valor – Valor da operação negociada.

Situação – Situação do papel quanto a emissão do SNA.

Emitir – Ao sinalizar este campo indica-se que o SNA da operação deverá ser incluído no arquivo de remessa ao
CETIP.

103
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Botão Detalhe:

OBS: (Conforme - Figura 78).

Figura 96 – Operações Especiais

Permite a troca do aplicador do papel na agência.

Esta operação prevê duas situações:

 A primeira prevê uma recompra na conta do vendedor e uma compra na conta do comprador, simultâneas e
automática com tributação gerando efeitos contábeis e financeiros.
 A Segunda simplesmente transfere os titulares, transferindo a responsabilidade pela tributação, sem efeitos
contábeis.

Nota: Para determinar qual a operação a ser adotada, bastará ser configurada na parametrização do emissor, no
campo “ transferência tributada ”.

Boleto - Número sequencial atribuído pelo sistema para identificar uma negociação.

Transferência Tributada – Indica que a transferência far-se-á pela recompra e venda na data, com tributação até a
data para o cliente que transfere a operação.

Dados Referentes ao Títulos:

Conta – Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

104
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Nome - Identificação do titular da conta de aplicação de renda fixa na instituição.

Apelido – Cognome utilizado na mesa para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Características do processo de cálculo dos rendimentos e/ou variação monetária padronizada pelo
mercado.

Emissor - Responsável pela colocação do papel na emissão (primária) e pelo resgate na data de vencimento
(liquidação financeira).

Prazo - Número de dias da data de aplicação até a data do vencimento.

Data da Operação –Data de emissão do título, data inicial do período de remuneração da aplicação.

Data do Vencimento – Data final do período de remuneração de data para o resgate do título.

Taxa Ano - Taxa anual em dias corridos, convencionada na data da operação (inicial do negócio), para cálculo do
valor do título no resgate.

Taxa Período - Taxa calculada para o prazo da operação.

Valor Aplicado - Valor líquido dos recursos depositados na data de emissão, a serem remunerados no prazo do
título.

Comando - Número de identificação, atribuído pelas duas partes, para controle de liquidação da operação para
entidade competente (CLEARING HOUSE, CETIP, SELIC).

Documento - Código de identificação do registro físico ou escritural, de uma negociação ou operação.

Resgate Bruto - Valor do título na data de resgate, soma do valor aplicado acrescido dos rendimentos.

Gerente - Funcionário da instituição que efetuou a negociação.

Forma Liquidação - Sigla identificadora do documento, na data de emissão e do processo e do prazo da liquidação
financeira da operação.

Dados Referentes a Conta destino:

Código - Código de identificação da conta do aplicador em renda fixa, que está adquirindo o título a ser transferido,
na instituição ou seja, cliente para quem será transferido o título de renda fixa.

Apelido - Cognome utilizado na mesa para identificar o adquirente do título a ser transferido, na instituição.

105
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 97 – Operações Especiais

Informações financeiras trimestrais para o BACEN.

Competência – Data de competência.

Incluir Títulos em Tesouraria - Ao sinalizar este campo indica que os títulos recomprados deverão ser incluídos no
arquivo gerado para a IFT.

106
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 98 – Operações Especiais

Limpar tabelas de maior volume no banco de dados Depósito a Prazo. Esta limpeza será permitida apenas para
anos inferiores ao ano da data de processamento atual.

Ano – Ano referente ao qual a base será limpa. Deve ser menor que o ano atual.

107
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 99 – Operações Especiais

Tela para informar dados de alteração de gerente.

Código - Código do Cliente.

Apelido – Codnome utilizado para identificar cliente no sistema.

Novo Apelido – Registro de alteração de Codnome utilizado para identificar cliente no sistema.

108
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 100 – Operações Especiais

Competência – Mês e ano de competência.

109
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 101 – Operações Especiais

Diretório – Descrição do nome e local do diretório que serão guardadas as informação de Grupos.

110
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 102 – Operações Especiais

Geração CCS – Data da geração do CCS, se marcada opção gerar.

Geração JUD – Data da Geração do JUD, se marcada opção gerar.

11. Processamento

Figura 103 – Botão Processamento

111
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 104 - Processamento

Esta operação determina o encerramento das atividades do dia, onde então são gerados a numeração dos lotes, os
documentos CETIP e SELIC e o INTERFACE contábil do dia.

Nota: A partir desta operação não será mais admitido lançamentos no sistema, somente após efetuar a abertura e
em D – 1.

Emissor - Identificação da empresa emissora do papel.

Unidade - Identificação da unidade/agência da empresa que emite e vende papel renda fixa.

Último Fechamento - Data do último dia encerrado.

Fechamento de - Data do atual processamento a ser encerrado (em uso no dia corrente).

Mensagens de Retorno – Situações especiais e avisos para acompanhamento do andamento do processo de


fechamento ou abertura de um dia.

112
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 105 - Processamento

Esta operação determina o início da rotina das operações de cálculo de atualização dos papéis emitidos de forma a
efetuar as suas apropriações diárias propiciando as consultas e relatórios as atualizações compatíveis com a data da
sua abertura.

Nota: A partir desta operação o sistema estará aberto, para receber lançamentos na data da abertura.

Fechamento de - Data do atual processamento já encerrado (dia corrente).

Abertura para - Data do próximo dia para abertura do sistema para entrada de operações.

Mensagens de Retorno – Situações especiais e avisos para acompanhamento do andamento do processo de


fechamento ou abertura de um dia.

113
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 106 – Depósito a Prazo

Processo de carga de títulos na inicialização do sistema.

Contabilização - Data do último dia contabilizado, para reexecução.

Operacional - Data do último interface gerado para o sistema de gestão operacional.

Dirf - Se assinalado o campo DirF, informa a data da geração do interface mensal para a DIRF.

Dirf Anual – Se assinalado o campo Dirf Anual, informa a data da geração da interface da DIRF anual.

Arquivo CC – Ao sinalizar o campo indica que queremos reemitir o interface com os valores a serem lançados em
conta corrente na data selecionada.

Resultado - Data do último interface gerado para o módulo de gestão de resultados (avaliação).

Circular 2972 - Ao sinalizar este campo indica que queremos reemitir o arquivo de interface para a 2972 para a data
informada.

Importação - Data do interface de importação da emissão efetuada em outro processo (OPEN).

Gestão – Ao sinalizar este campo indica que queremos reemitir o arquivo de interface para a Base de Dados
Corporativa para a data informada.

Aplicação Automática – Se assinalado o o campo, informa a data da aplicação automática.

114
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Mensagens de Retorno – Situações especiais e avisos para acompanhamento do andamento do processo de


fechamento ou abertura de um dia.

12. Consultas Operacionais

Figura 107 – Botão de Consultar

Facilidades Disponíveis em Todas as Consultas - Para visualizar as facilidades de reformatação, reordenação ou


impressão de dados da consulta, bem como para exportar os dados para um formato compatível com aplicativos do
MS Office, clicar sobre o corpo da consulta e o sistema disponibiliza as facilidades para estes fins.

Figura 108 – Consultas

115
Versão 1.0
Depósito a Prazo

A tela cliente permite a visualização dos negócios envolvendo títulos de renda fixa de emissão da empresa com o
cliente.

Além disso apresenta o extrato das movimentações demonstrativas ao cliente, num período de data selecionada.

Posição – Relação dos títulos em carteira e abertos e nome do cliente.

Extrato – Demonstrativo dos movimentos de títulos na conta.

Títulos Valorizados até - Data até onde foi acrescidos juros e correção sobre o valor aplicado.

Data do Vencimento - Data final para resgate de um título.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Características do processo de apuração dos rendimentos e/ou variação monetária.

Tipo de variação dos rendimentos:

Pré-Fixada – Juros calculados na emissão e incorporados ao valor nominal.

Pós-Fixadas – Valor nominal é o valor de aplicação, os rendimentos são calculados na data em função da taxa de
juros e do indexador utilizado.

Flutuante – O cálculo dos rendimento altera-se periodicamente, em função de uma taxa básica, que varia
periodicamente, acrescida dos juros.

Valor Aplicado - Valor líquido dos recursos depositados na data de emissão, a serem remunerados no período de
emissão do título.

Quantidade - Valor face ou nominal do título. Base de cálculo do valor atual e de resgate do mesmo.

Valor Líquido - Valor da aplicação acrescido dos rendimentos até a data e subtraído dos tributos devidos, valor
financeiro pago na data de operação.

116
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Botão Buscar:

Figura 109 – Consulta Psição de Cliente

Conta - Identificação do titular da conta de aplicação e renda fixa na instituição.

Nome – Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Botão Detalhe:

Figura 110 – Detalhe Clientes

Cliente - Identificação do titular da conta de aplicação de renda fixa na instituição.

Gerente - Funcionário da instituição que efetuou a negociação.

Unidade – Agência onde o cliente tem conta corrente para movimentação financeira no sistema DP.

117
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Conta – Número da conta corrente de movimentação financeira utilizada na operação.

C/C Preferencial – Conta corrente preferencial do cliente para a movimentação.

Número Boleto - Número sequencial atribuído pelo sistema para identificar uma negociação.

Data da Emissão - Data inicial do período de remuneração da aplicação.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Data do Vencimento – Data final da remuneração e data para resgate do título.

Rendimento - Sigla identificadora dos critérios de remuneração e resgate de um título de renda fixa, conforme
conhecido no mercado.

Taxa da Emissão - Taxa fixa ao ano, em dias corridos(pré) ou taxa diferencial a ser acrescida a taxa básica (flutuante)
ou taxa de juros associada a um indexador monetário, base do cálculo dos rendimentos.

Indicador Monetário – Número índice, moeda ou taxa básica utilizada no cálculo dos rendimentos e do valor de
resgate do valor aplicado.

% - No caso de operações pós-fixadas o % se aplica sobre a variação da correção no período da operação.


No caso de taxas flutuantes o % se aplica sobre a taxa em cada período da mesma no período de repactuação.

Prazo da Emissão - Número de dias decorridos da data de aplicação até a data do vencimento do título.

Data Carga – Identifica a data em que o título foi incluído no sistema, seja por operação em (D-N) ou por migração
de sistema.

Situação do Título - Posição do título quanto a sua disponibilidade.

Aberto – Pode ser negociado

Cancelado – Negociação desfeita

Pendente – Falta autorização

Resgatado – Título liquidado

Tipo - Identificação do papel de renda periódica.

Série Número –Sigla identificadora de um conjunto de títulos de uma modalidade de títulos de renda.

Período – Prazo em meses de cada pagamento de juros ou amortização do título.

Data Início do Juro – Data inicial do período atual de juros.

Data Fim do Juro – Data final do período atual de juros periódicos.

118
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Taxa Spread – Taxa de juros a ser utilizada no critério de cálculo gerencial do título.

Forma de Liquidação - Sigla identificadora do documento, na data de emissão e do processo e prazo da liquidação
financeira da operação.

Valorizado Até – Data de cálculo de juros/correção incorporados ao valor aplicado, resultando no valor atual, na
data.

Custodia - Informar a sigla da entidade responsável pelo registro e custódia e controle da liquidação financeira das
operações com o papel.

Cetip – Central de liquidação e custódia de títulos privados.

Selic – Sistema de liquidação e custódia de títulos públicos ou DI privados da


reserva bancária.

Própria – A custódia é exercida pela instituição emissora.

Documento - Código de identificação do documento de suporte, do registro físico ou escritural, de uma negociação
ou operação.

Comando - Número de identificação, atribuído pelas duas partes, para controle de liquidação da operação para
entidade competente (CLEARING HOUSE, CETIP, SELIC).

Valor Aplicado - Valor líquido dos recursos depositados na data de emissão, a serem remunerados até a data de
vencimento.

PU - Valor do preço unitário, de uma unidade de nominal ou de face, na data da realização da operação.

Quantidade – Valor de face ou nominal do papel, valor base do cálculo de resgate.

Valor Atual - Valor bruto dos recursos aplicados acrescido dos rendimentos decorridos até a data.

Valor IOF - Valor do imposto sobre operações financeiras, calculado para a data.

Valor IRF - Valor do Imposto de Renda Retido na Fonte, calculado sobre os rendimentos da aplicação financeira até a
data.

Valor Líquido - Valor bruto do título subtraído dos tributos devidos até a data, valor financeiro a ser pago na data da
operação.

Ganho – Valor calculado pelo sistema para fins de avaliação do desempenho do gerente.

CPMF/IOF/Aplic – Valores abatidos do valor de aplicação na data de emissão.

Quantidade – Quantidade proporcional com movimentação restrita.

Valor - Valor proporcional com movimentação restrita.

119
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 111 - Consultas

A tela cliente permite a visualização dos negócios envolvendo títulos de renda fixa de emissão da empresa com o
cliente.
Além disso, apresenta o extrato das movimentações demonstrativas ao cliente, num período de data selecionada.

Posição - Relação de operações em aberto em nome do cliente (conta).

Extrato – Demonstrativo das operações da conta no período selecionado.

Títulos Valorizados Até - Data até onde foram acrescidos juros e correção sobre o valor aplicado.

Conta - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Nome - Identificação do titular da conta de aplicação de renda fixa na instituição.

Operação – Tipo de negociação realizada.

Data do Vencimento – Data final do período de remuneração e data para resgate do título.

Data de Emissão – Data inicial do período de remuneração da aplicação.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Sigla identificadora das condições de remuneração e resgate de títulos padronizados, pelo mercado
ou definidos para controles internos.

Boleto - Número sequencial atribuído pelo sistema para identificar uma negociação.

120
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Situação - Posição do título quanto a sua disponibilidade.

Aberto – Pode ser negociado

Cancelado – Negociação desfeita

Pendente – Falta autorização

Resgatado – Título liquidado

Taxa de Operação – Taxa de juros paga pelo titulo de emissão.

Valor Aplicado – Valor depositado a ser remunerado.

Valor atual - Valor bruto na data.

Impostos – Valor dos impostos a serem retidos na fonte no resgate ou recompra.

Valor líquido - Valor bruto subtraído dos tributos, valor financeiro a ser pago na data da operação.

Botão Buscar:

Figura 112 - Extrato

Conta – Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Nome – Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

121
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Botão Detalhe:

Figura 113 - Consultas

A tela títulos nos permite a visualização de forma seletiva de negócios envolvendo aplicadores de renda fixa.
O sistema permite a visualização dos documentos de negociação (boletos), os títulos de renda fixa em ser (com
vencimento em aberto), as operações de resgate efetuadas, apresentando todos os dados e valores financeiros
envolvidos.

Cliente - Identificação do titular da conta de aplicação de renda fixa na instituição.

Gerente - Funcionário da instituição que efetuou a negociação.

Unidade – Agência onde o cliente tem conta corrente para movimentação financeira no sistema DP.

Conta – Número da conta corrente de movimentação financeira utilizada na operação.

C/C Preferencial – Conta corrente preferencial do cliente para a movimentação.

Número Boleto - Número sequencial atribuído pelo sistema para identificar uma negociação.

Data da Emissão - Data inicial do período de remuneração da aplicação.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

122
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Data do Vencimento – Data final da remuneração e data para resgate do título.

Rendimento - Sigla identificadora dos critérios de remuneração e resgate de um título de renda fixa, conforme
conhecido no mercado.

Taxa da Emissão - Taxa fixa ao ano, em dias corridos(pré) ou taxa diferencial a ser acrescida a taxa básica (flutuante)
ou taxa de juros associada a um indexador monetário, base do cálculo dos rendimentos.

Indicador Monetário – Número índice, moeda ou taxa básica utilizada no cálculo dos rendimentos e do valor de
resgate do valor aplicado.

% - No caso de operações pós-fixadas o % se aplica sobre a variação da correção no período da operação.


No caso de taxas flutuantes o % se aplica sobre a taxa em cada período da mesma no período de repactuação.

Prazo da Emissão - Número de dias decorridos da data de aplicação até a data do vencimento do título.

Data Carga – Identifica a data em que o título foi incluído no sistema, seja por operação em (D-N) ou por migração
de sistema.

Situação do Título - Posição do título quanto a sua disponibilidade.

Aberto – Pode ser negociado

Cancelado – Negociação desfeita

Pendente – Falta autorização

Resgatado – Título liquidado

Tipo - Identificação do papel de renda periódica.

Série Número –Sigla identificadora de um conjunto de títulos de uma modalidade de títulos de renda.

Período – Prazo em meses de cada pagamento de juros ou amortização do título.

Data Início do Juro – Data inicial do período atual de juros.

Data Fim do Juro – Data final do período atual de juros periódicos.

Taxa Spread – Taxa de juros a ser utilizada no critério de cálculo gerencial do título.

Forma de Liquidação - Sigla identificadora do documento, na data de emissão e do processo e prazo da liquidação
financeira da operação.

Valorizado Até – Data de cálculo de juros/correção incorporados ao valor aplicado, resultando no valor atual, na
data.

Custodia - Informar a sigla da entidade responsável pelo registro e custódia e controle da liquidação financeira das
operações com o papel.

123
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Cetip – Central de liquidação e custódia de títulos privados.

Selic – Sistema de liquidação e custódia de títulos públicos ou DI privados da


reserva bancária.

Própria – A custódia é exercida pela instituição emissora.

Documento - Código de identificação do documento de suporte, do registro físico ou escritural, de uma negociação
ou operação.

Comando - Número de identificação, atribuído pelas duas partes, para controle de liquidação da operação para
entidade competente (CLEARING HOUSE, CETIP, SELIC).

Valor Aplicado - Valor líquido dos recursos depositados na data de emissão, a serem remunerados até a data de
vencimento.

PU - Valor do preço unitário, de uma unidade de nominal ou de face, na data da realização da operação.

Quantidade – Valor de face ou nominal do papel, valor base do cálculo de resgate.

Valor Atual - Valor bruto dos recursos aplicados acrescido dos rendimentos decorridos até a data.

Valor IOF - Valor do imposto sobre operações financeiras, calculado para a data.

Valor IRF - Valor do Imposto de Renda Retido na Fonte, calculado sobre os rendimentos da aplicação financeira até a
data.

Valor Líquido - Valor bruto do título subtraído dos tributos devidos até a data, valor financeiro a ser pago na data da
operação.

Ganho – Valor calculado pelo sistema para fins de avaliação do desempenho do gerente.

CPMF/IOF/aplic – Valores abatidos do valor de aplicação na data de emissão.

Quantidade - Valor proporcional com movimentação restrita.

Valor - Valor proporcional com movimentação restrita.

124
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Botão Buscar:

Figura 114 - Consultar

Seleção – Qual o acesso desejado, na visualização de títulos.

Número do Boleto - Número sequencial atribuído pelo sistema para identificar uma negociação.

Tipo do Papel - Identificação do papel de renda periódica.

Série - Sigla identificadora de um tipo ou modalidade de um título de renda.

Número - Código numérico identificador de um título, numa série de títulos.

Período de Renda - Número de dias de rendimento de um título.

Código da Unidade - Identificação da unidade agência da empresa emissora do papel.

Número Boleto - Número sequencial atribuído pelo sistema para identificar uma negociação.

Data Operação - Data de emissão, data inicial ou de partida do período de remuneração da aplicação, data da
negociação.

Transação - Tipo de operação efetuada.

Valor Aplicado – Valor líquido dos recursos depositados na data de emissão, a serem remunerados no prazo de
emissão.

PU - Valor do preço unitário de uma unidade do valor nominal ou face, na data da realização da operação.

Quantidade - Parcela do Valor nominal ou valor face com movimentação restrita.

Valor Atual – Parcela do Valor bruto, valor aplicado com remuneração até a data atual.

Valor IRF - Valor do Imposto de Renda Retido na Fonte, incidente sobre os rendimentos da aplicação financeira.

125
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Valor Líquido - Valor bruto subtraído dos tributos devidos, valor financeiro a ser pago na data da operação.

Botão Detalhe:

Figura 115 – Operações ocorridas

Código da Unidade - Identificação da unidade agência da empresa emissora do papel.

Número Boleto - Número sequencial atribuído pelo sistema para identificar uma negociação.

Data da Operação – Data de emissão, data inicial ou de partida do período de remuneração da aplicação, data da
negociação.

Transação – Tipo de negociação efetuada com o título.

Valor Aplicado - Valor líquido dos recursos depositados na data de emissão e a serem remunerados no prazo de
emissão.

PU - Valor do preço unitário de uma unidade do valor face ou nominal, na data da realização da operação.

Quantidade – Valor nominal ou de face do título, base do cálculo do valor de resgate.

Valor Atual - Valor bruto, valor aplicado acrescido dos rendimentos até a data atual.

Valor IRF - Valor do Imposto de Renda Retido na Fonte, incidente sobre os rendimentos da aplicação financeira.

Valor Líquido - Valor bruto subtraído dos tributos devidos, valor financeiro a ser pago na data da operação.

126
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 116 – Consultas

A tela títulos nos permite a visualização de forma seletiva de negócios envolvendo aplicadores de renda fixa.

O sistema permite a visualização dos documentos de negociação (boletos), os títulos de renda fixa em ser (com
vencimento em aberto), as operações de resgate efetuadas, apresentando todos os dados e valores financeiros
envolvidos.

Conta - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Sigla utilizada no mercado para definir as condições de remuneração e resgate de um tipo de papel.

Boleto - Número sequencial atribuído pelo sistema para identificar uma negociação.

Data Emissão – Data inicial do período de remuneração da aplicação.

Data Vencimento - Data final do período de remuneração e data para resgate do título.

Valor Atual – Valor bruto, valor de aplicação acrescido dos rendimentos calculados até a data.

Quantidade – Valor nominal ou de face do título, base do cálculo de rendimentos e do valor de resgate.

127
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Total da Unidade - Total dos valores de aplicação atualizados até a data e total em quantidades(face) na unidade ou
agência da empresa emissora do papel.

Total da Consulta - Total dos valores de aplicação atualizados até a data e total em quantidades(face) na empresa
emissora do papel.

Botão Consulta:

Figura 117 – Titulos em ser

Unidade - Identificação da unidade agência da empresa emissora do papel.

Gerente - Funcionário da instituição que efetuou a negociação.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Sigla utilizada no mercado para identificar uma sistemática de remuneração e de resgate de papéis de
renda fixa.

Forma de resgate - Indica a forma de liquidação dos juros e do principal do papel, levando em conta os fatores
contratuais estabelecidos.

Final – Juros e principal liquidados no vencimento.

Amortização do Principal – Periodicamente, proporcional ao n.º de período, amortiza o principal e todo o juro
até a data.

Amortização Atual – Amortiza proporcional ao n.º de períodos principal e juros proporcionais ao principal
amortizado.

Renda Periódica – Paga o juro do período no final o principal.

Repactuável – A cada período permite mudança das taxas de remuneração.

Debenture – Calcula o prêmio, como valor, no pagamento dos rendimentos periódicos.

Código - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

128
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Apelido - Cognome utilizado na mesa, para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Data de Emissão - Data inicial do período de remuneração do valor aplicado.

Data de Vencimento - Data final do período de pagamento de renda e data do resgate do título.

Botão Detalhe:

Figura 118 - Consultas

A tela títulos nos permite a visualização de forma seletiva de negócios envolvendo aplicadores de renda fixa. O
sistema permite a visualização dos documentos de negociação (boletos), os títulos de renda fixa em ser (com
vencimento em aberto), as operações de resgate efetuadas, apresentando todos os dados e valores financeiros
envolvidos.

Conta - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Papel – Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Sigla padronizada no mercado para identificar uma forma de remuneração e resgate de papel de
renda fixa.

Data do Vencimento – Data final do período de remuneração e data para resgate do título.

129
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Valor Aplicado - Valor líquido dos recursos depositados na data de emissão, a serem remunerados no prazo de
operação.

Resgate Bruto – Valor de aplicação acrescido dos rendimentos do título, antes do desconto dos encargos fiscais.

Resgate Líquido - Valor do resgate bruto subtraído dos tributos, valor financeiro a ser pago na data da operação.

Botão Buscar:

Figura 119 – Titulos resgatados

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Sigla de identificação dos critérios de remuneração e resgate de um tipo de papel, adotada pelo
mercado.

Código - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Apelido - Cognome utilizado na mesa para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Data do Vencimento - Intervalo de tempo em que foram resgatados títulos a serem consultados.

130
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Botão Detalhe:

Figura 120 - Consultas

A tela permite a consulta dos totais líquidos (financeiros) das movimentações envolvendo operações de renda
fixa, de emissão própria separadas por segmentos de negociação, representativas do registro na instituição de
liquidação e custódia (SELIC e CETIP) ou por registros internos administrados, em uma data selecionada, atual ou
retroativa.

Em - Data de processamento a ser consultada.

Operação – Tipo de operação efetuada.

Cetip – Valores movimentados no CETIP (reserva).

Selic – Valores movimentados no SELIC (reserva).

Administrada – Valores movimentados por caixa ou extra-caixa.

Total da Operação – Valor acumulado nas diversas contas de recursos da instituição.

Total na Unidade 1 – Total na Unidade 1.

131
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Botão buscar:

Figura 121 – Consultar

Unidade – Unidade responsável pela movimentação financeira.

Data Operação - Data de processamento a ser consultada, dos lançamentos financeiros efetuados.

Figura 122 – Consultas

O sistema apresenta a posição atual da apropriação da despesa de lotes de papéis de emissão própria, identificando
os valores acumulados e diários, abertos em juros e correção monetária e total. Através do botão detalhe temos
acesso aos dados específicos dos valores da apropriação do lote em foco.

Lote - Número atual de lotes diferentes, dos dados caracterizadores do papel (tipo de papel, rendimento, emissor,
data emissão, data vencimento e custódia) usado como código alternativo para os dados identificadores do papel.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Sigla identificadora dos critérios de remuneração e resgate de um título de renda fixa, conforme
conhecido no mercado.

Data Vencimento – Data final do período de remuneração e data para resgate de um título.

132
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Taxa da Emissão - Taxa fixa ao ano, em dias corridos(pré) ou taxa diferencial a ser acrescida a taxa básica (flutuante)
ou taxa de juros associada a um indexador monetário, base do cálculo dos rendimentos.

Juros Dia - Valor dos juros corrigidos, calculados para o dia acrescido ao valor atual na data de consulta.

C.M. Dia - Valor da correção monetária, da competência do dia, acrescido ao valor atual na data de consulta.

Valor Estoque - Consiste no valor aplicado acrescido de juros (pré-fixados) e correção (pós-fixadas) calculadas até a
data atual.

Juros Apropriados – Juros já reconhecidos como despesa apropriada até a data.

C.M. Apropriada – Valor das despesas decorrentes de variação do indexador da remuneração pós fixada.

Valor Emissão – Valor depositado na data de emissão para aplicação em Titulo de renda fixa.

Total da Data Estoque – Total da carteira de emissões em aberto e atualizado até o dia.

Total da Unidade - Total dos juros e correção monetária do dia, dos títulos da unidade/agência da empresa
emissora do papel.

Total da Consulta – Total dos juros e correção monetária apropriados no dia conjunto de papéis selecionados para a
carteira de emissões no dia.

Botão Buscar:

Figura 123 – Apropriações

Seleção – O filtro para seleção dos títulos para consulta da posição atual de apropriação, permite a consulta por lote
ou pelas características do título.

Número do Lote - Número atual de lotes diferentes, dos dados caracterizadores do papel (tipo de papel,
rendimento, emissor, data emissão, data vencimento e custódia) usado como código alternativo para os dados
identificadores do papel.

133
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Código da Unidade - Identificação da unidade/agência da empresa emissora do papel.

Data de Estoque Inicial – Data inicial do estoque do lote de papéis para visualizar.

Data de Estoque Final – Data final das posições de estoque de papéis para visualização em tela.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Sigla utilizada no mercado para identificar um critério de remuneração de resgate de rendimentos e
do título.

Emissão– Data inicial de um período de remuneração dos papéis do lote.

Vencimento – Data final de remuneração e data para resgate dos títulos do lote.

Títulos Vencidos no Dia – Soma dos valores de resgate na data selecionada.

Botão Detalhe:

Figura 124 - Apropriação

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Sigla identificadora dos critérios de remuneração e resgate de um título de renda fixa, conforme
conhecido no mercado.

Número do Lote - Número atual de lotes diferentes, dos dados caracterizadores do papel (tipo de papel,
rendimento, emissor, data emissão, data vencimento e custódia) usado como código alternativo para os dados
identificadores do papel.

134
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Indicador – Número índice, moeda ou taxa básica utilizada no cálculo dos rendimentos e do valor de resgate do
valor aplicado.

Emissão – Data inicial do período de remuneração da aplicação.

Vencimento – Data final do período de remuneração e data para resgate do lote

Taxa da Emissão - Taxa fixa ao ano, em dias corridos(pré) ou taxa diferencial a ser acrescida a taxa básica (flutuante)
ou taxa de juros associada a um indexador monetário, base do cálculo dos rendimentos.

Custodiante - Sigla da entidade responsável pelo registro e custódia e controle da liquidação financeira das
operações com o papel.

Cetip – Central de liquidação e custódia de títulos privados.

Selic – Sistema de liquidação e custódia de títulos públicos ou DI privados da reserva bancária.

Própria – A custódia é exercida pela instituição emissora.

Prazo da Emissão - Número de dias decorridos da data de aplicação até a data do vencimento do lote.

Prazo a Decorrer - Número de dias até o vencimento do lote de títulos em estoque.

Prazo Decorrido - numero de dias desde a data de emissão dos títulos do lote até a data atual.

Carteira Contábil - Sigla que identifica o lote para fins de contabilização automática.

Forma de Resgate - Sigla que identifica a periodicidade do pagamento dos rendimentos e do resgate do valor do
título atualizado.

Situação - Condições de livre movimentação dos estoques.

Valor Aplicado - Valor líquido dos recursos depositados na data de emissão, a serem remunerados até a data de
vencimento.

Valor dos Juros Total - Valor total das despesas de juros apropriados até a data.

Valor Correção Total - Valor das despesas decorrentes do efeito inflacionário ou cambial.

Valor Atual - Valor bruto dos recursos aplicados acrescido dos rendimentos decorridos até a data.

Quantidade – Valor de face ou nominal do lote de papel, valor base do cálculo de resgate.

PU Dia- Valor do preço unitário, de uma unidade de nominal ou de face, na data atual do estoque.

Valor Juro Dia - Valor do juro apropriado no dia e que foi acrescido ao montante aplicado.

Valor Correção Dia - Valor da correção apropriada no dia e que foi acrescido ao montante aplicado.

Juro Dia - Coeficiente de cálculo do juro apropriado no dia.

135
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Correção Período - Coeficiente de variação do indexador desde a data de emissão até a data atual e utilizado no
cálculo da correção apropriada no dia.

Valorizado até – Data de cálculo de juros/correção incorporados ao valor aplicado, resultando no valor atual, na
data.

Botão Apropriações Mensais:

Figura 125 – Apropriações mensais

Mês – Mês e ano de competência contábil dos encargos.

Valor Juro - Valor do juro apropriado no mês e ano.

Valor Correção - Valor da correção apropriada no mês e ano sobre o lote de títulos.

Valor Atual - Valor bruto do lote na data, consiste no valor aplicado acrescido de juros (pré-fixados) e correção (pós-
fixadas) calculados até a data atual.

Figura 126- Consultas

136
Versão 1.0
Depósito a Prazo

A tela apresenta os lotes de papéis de emissão recomprados (antes do vencimento) e mantidos em tesouraria até
seu vencimento ou para negociação.
Estes títulos, foram transferidos para o open para ser negociados em operações finais ou compromissadas. Através
do botão detalhe temos acesso aos dados analíticos do lote de papéis em tesouraria que se encontra em foco.

Lote - Número atual de lotes diferentes, dos dados caracterizadores do papel (tipo de papel, rendimento, emissor,
data emissão, data vencimento e custódia) usado como código alternativo para os dados identificadores do papel.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Sigla identificadora dos critérios de remuneração e resgate de um título de renda fixa, conforme
conhecido no mercado.

Data Vencimento – Data final do período de remuneração e data para resgate do lote.

Taxa Emissão - Taxa fixa ao ano, em dias corridos(pré) ou taxa diferencial a ser acrescida a taxa básica (flutuante) ou
taxa de juros associada a um indexador monetário, base do cálculo dos rendimentos.

Juros Dia - Valor dos juros corrigidos apropriados no dia e acrescidos ao valor atual na data.

C.M. Dia - Valor da correção monetária apropriada no lote no dia e acrescida ao valor atual na data de consulta.

Valor Estoque - Consiste no valor aplicado acrescido de juros (pré-fixados) e correção (pós-fixadas) calculadas até a
data atual.

Total da Data Estoque – Valor dos juros e correção monetária do lote de papéis de emissão em aberto, no dia.

Total da Unidade - Valor dos juros e correção monetária dos lotes de papéis de emissão da unidade em aberto, no
dia.

Total da Consulta – Valor dos juros e correção monetária dos lotes de papéis de emissão da empresa e em aberto,
no dia.

Botão Buscar:

Figura 127 – Titulos em tesouraria

137
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Seleção – O filtro para seleção e consulta dos lotes de títulos em tesouraria, permite a consulta por lote ou pelas
características do título.

Número do Lote - Número atual de lotes diferentes, dos dados caracterizadores do papel (tipo de papel,
rendimento, emissor, data emissão, data vencimento e custódia) usado como código alternativo para os dados
identificadores do lote de papel.

Código da Unidade - Identificação da unidade/agência da empresa emissora que recomprou o papel.

Data de Estoque – Data da posição contábil dos papéis em tesouraria no dia.

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

Rendimento - Sigla de mercado que identifica um critério de remuneração e amortização e resgate de títulos de
renda fixa.

Custódia - Informar a sigla da entidade responsável pelo registro e custódia do papel.

Cetip – Central de liquidação e custódia de títulos privados.

Selic – Sistema de liquidação e custódia de títulos públicos ou DI privados da reserva bancária.

Própria – A custódia é exercida pela instituição emissora.

Emissão– Data inicial do período de remuneração dos papéis em tesouraria.

vencimento – Data final da remuneração e data para resgate de um título.

Botão Detalhe:

Figura 128– Titulos em tesouraria

Papel - Sigla de um tipo de título de renda fixa, definido e padronizado no mercado financeiro.

138
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Rendimento - Sigla que identifica no mercado um critério de remuneração, amortização e resgate de títulos de
renda fixa.

Número Lote - Número atual de lotes diferentes, dos dados caracterizadores do papel (tipo de papel, rendimento,
emissor, data emissão, data vencimento e custódia) usado como código alternativo para os dados identificadores do
papel.

Emissão – Data inicial do período de remuneração da aplicação.

Vencimento – Data final do período de remuneração e data para resgate de um título.

Taxa operação- Taxa fixa ao ano, em dias corridos(pre) ou taxa diferencial a ser acrescida a taxa básica (flutuante)
ou taxa de juros associada a um indexador monetário, base do cálculo dos rendimentos.

Prazo da Emissão - Número de dias decorridos da data de aplicação até a data do vencimento do título.

Prazo a Decorrer - Número de dias restantes até a data final para resgate de um título.

Prazo Decorrido - Número de dias decorridos da emissão de um título.

Custódia - Informar a sigla da entidade responsável pelo registro e custódia do papel.

Cetip – Central de liquidação e custódia de títulos privados.

Selic – Sistema de liquidação e custódia de títulos públicos ou DI privados da reserva bancária.

Própria – A custódia é exercida pela instituição emissora.

Segmento – O segmento identifica se a operação foi efetuada na custódia ou sem registro na custódia de papel.

Valorizado até – Data de cálculo de juros/correção incorporados ao valor aplicado, no cálculo do valor atual, na
data.

Quantidade – Valor de face ou nominal do título.

PU Curva Emissão – Valor de uma unidade da quantidade, no dia, valorizado pela taxa de emissão.

Valor Curva - Consiste no valor aplicado acrescido de juros (pré-fixados) e correção (pós-fixadas) calculadas até a
data atual.

PU Contábil – Valor de uma unidade da quantidade, pelo valor contábil, no dia.

Valor Contábil – Valor do estoque lançado contabilmente para o dia.

Valor Custo – Valor original do estoque pelo valor de aquisição ou recompra.

139
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 129 – Consultas

A tela permite a consulta a operações efetuadas, numa data selecionada, envolvendo papéis de emissão própria.
Apresenta a posição dos papéis pendentes de repactuação.

Através do botão detalhe temos acesso aos dados analíticos da operação em foco.

Data da Operação - Data do dia em que foi efetuada a transação.

Oper. – Tipo de operação:

REG – Resgate;

REP – Repactuação;

EMI – Emissão;

CAE – Cancelamento de Emissão;

CAR – Cancelamento de recompra;

RCP – Recompra de papel para tesouraria;

EXE – Exclusão de emissão no dia.

Papel – Informa o Tipo do Papel.

Rend. – Informa o Tipo do rendimento.

Nome – Identificação do titular da conta de aplicação de renda fixa na instituição.

140
Versão 1.0
Depósito a Prazo

doc. - Código de identificação do registro de suporte de uma negociação ou operação.

C – Assinala Sim (S) ou não (N) para movimento complementar de conta corrente.

Valor Líquido - Valor financeiro da operação, valor bruto - impostos retidos.

Boleto - Número sequencial atribuído pelo sistema para identificar uma negociação.

Taxa - Taxa da operação.

Situação - Posição do título quanto a sua disponibilidade.

Aberto – Pode ser negociado.

Cancelado – Negociação desfeita.

Pendente – Falta autorização.

Resgato – Título liquidado.

Botão Buscar:

O botão buscar dá acesso a relação de operações do cliente do tipo assinalado na tela, no período de consulta
digitada poderemos selecionar uma, algumas ou todas as movimentações assinalando as desejadas.

Figura 130 - Operações

Emissões - Ao sinalizar este campo estaremos selecionando as movimentações de emissão.

141
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Resgates - Ao sinalizar este campo estaremos selecionando as movimentações de resgates.

Recompras - Ao sinalizar este campo estaremos selecionando as movimentações de recompras.

Resgates Antecipados - Ao sinalizar este campo estaremos selecionando as movimentações de resgates


antecipados de CDI.

Transferências - Ao sinalizar este campo estaremos selecionando as movimentações de transferências de títulos


entre clientes da agência ou do próprio para outra agência.

Cancelamento de emissões - Ao sinalizar este campo estaremos selecionando as movimentações de cancelamento


de títulos emitidos.

Cancelamento de Recompras - Ao sinalizar este campo estaremos selecionando as movimentações de


cancelamento de recompras efetuadas anteriormente.

Bloqueios - Ao sinalizar este campo estaremos selecionando as movimentações de títulos com bloqueios.

Desbloqueios - Ao sinalizar este campo estaremos selecionando as movimentações de desbloqueios de títulos.

Repactuações - Ao sinalizar este campo estaremos selecionando as movimentações de repactuações de


rendimentos.

Exclusões de Emissões - Ao sinalizar este campo estaremos selecionando as movimentações de títulos excluídos no
dia da emissão.

Exclusões de Recompras - Ao sinalizar este campo estaremos selecionando as movimentações de estorno de


recompras no mesmo dia da recompra.

Resgate Antecipados - DI - Ao sinalizar este campo estaremos selecionando as movimentações e resgates


antecipados de DI.

Pagamento de Juros – Ao selecionar este campo indica que deverão ser relacionados os valores de juros periódicos a
serem pagos ou creditados no dia.

Todas - Ao acionar este botão estaremos selecionando todos os movimentos ou limpando as opções de seleção
anteriormente marcadas.

Código - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Apelido - Cognome utilizado na mesa para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Gerente - Funcionário da instituição que efetuou a negociação.

Unidade – Unidade responsável pela movimentação financeira.

Período para Consulta – Data inicial e final do período das transações selecionadas a serem visualizadas na consulta.

142
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Botão Detalhe:

Figura 131 – Consultas

O sistema permite a visualização da relação de contas de aplicadores e através do botão detalhe das informações
específicas da conta em foco (marcada).

Código da Conta - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Código do Cliente – Código de identificação do cliente na instituição.

Apelido - Cognome utilizado na mesa, para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Número do CIC – Código do titular da conta no cadastro de contribuintes da Fazenda Nacional.

Nome do Cliente - Identificação do titular da conta de aplicação de renda fixa na instituição.

143
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Botão Buscar:

Figura 132 - Contas

Código - Código de identificação do titular de uma conta de aplicação em renda fixa, na instituição.

Apelido - Cognome utilizado na mesa para identificar aplicadores frequentes e conhecidos da mesa.

Código do Cliente – Código de identificação do cliente na instituição.

Nome do Cliente – Identificação do titular da conta de aplicação de renda fixa na instituição.

Tipo Pessoa – Física ou Jurídica (empresas e entidades ou isentas).

Enquadramento – Sigla classificação para associação a parâmetros de enquadramento na emissão de documentos e


informações legais e de controle.

Gerente – Indica o gerente responsável pela conta do cliente.

144
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 133 – Detalhe da conta

Unidade C/C – Conta corrente preferencial para liquidação de operações via conta corrente de cliente.

Gerente - Indica o gerente responsável pela conta do cliente.

C/C Preferencial - Indicar a conta corrente para as liquidações financeiras.

Endereço - Indicar o tipo de endereço que o cliente optou para as correspondências relacionadas ao Depósito à
Prazo.

Titularidade - Indicativo se a conta de aplicação tem um ou mais aplicadores.

Individual – 1 pessoa física.

Solidária – Diversas pessoas agindo independentemente.

Não Solidário – Diversas pessoas agindo em conjunto.

Período Extrato - Indicar a periodicidade de emissão de extrato para o cliente.

Carteira Administrada - Indicativo de que o cliente é titular de uma carteira administrada.

Emite Fatura - Marcar este campo no caso de emissão de fatura para as emissões do cliente.

Postagem - Código para emissão seletora de correspondência.

Cliente – Informa nome do cliente.

145
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Enquadramento - Sigla classificação para associação a parâmetros de enquadramento na emissão de documentos e


informações legais e de controle.

Tipo Contábil - Sigla classificação para associação a parâmetros de enquadramento na emissão de documentos e
informações legais e de controle.

Conta Selic – Número de registro da instituição na câmara SELIC para fins de movimentação de CDI intradia.

IOF - Marcar este campo se o cliente é isento de IOF (o sistema não utiliza a informação no cliente).

IRF - Marcar este campo se o cliente é isento de IRF (o sistema não utiliza a informação no cliente).

CPMF – Assinale a incidência de CPMF de acordo com o enquadramento legal.

Ligado – Indica que o aplicador tem vínculo legal e de capital com o emissor.

Não Ligado – Indica que o aplicador não tem vínculo legal e de capital com o emissor.

IFM – Indica que o aplicador é uma instituição financeira de mercado.

Código Cetip - Informar o código do CETIP do cliente, quando instituição financeira.

Sigla Cetip - Informar o nome que o cliente é conhecido no sistema CETIP, quando instituição financeira.

Código Selic - Informar o código do cliente no sistema SELIC, quando instituição financeira.

Código SNA – Informar o código do cliente no sistema Nacional de Ativos, quando instituição financeira.

Estrangeiro – Assinale o enquadramento legal do cliente, caso seja estrangeiro.

Abertura em - Data da inclusão da conta no sistema, 1ª aplicação.

146
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Botão Endereço:

Figura 134 - Endereço

Figura 135 – Consultas

A tela apresenta de forma seletiva, botão buscar, dos dados das exceções e operações especiais, sinalizadas por
ocorrências numa data específica.

Empresa – Empresa do processamento.

Unidade – Unidade de negócios.

147
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Ocorrência - Código indicativo da exceção ou processo especial.

Nome da Ocorrência - Descrição do código indicativo da exceção ou processo especial.

Cliente - Cliente da operação com ocorrência.

Nome do cliente - Identificação do cliente da operação.

Módulo – Sistema da origem da ocorrência.

Modalidade – Tipo de rendimento do papel que gerou a ocorrência.

Operação – Número do boleto da operação que gerou a ocorrência.

Data Movimento – Data da operação que gerou a ocorrência.

Gerente – Responsável na instituição pela realização da operação.

Interface – Origem da operação (sistema onde foi efetuada a operação).

Lote – Nº do lote de entrada na digitação.

Nosso Número - Número de um título ou documento gerado pelo sistema para identificar uma operação ou parcela.

Valor Digitado - Valor constante do lançamento.

Valor Cadastrado - Valor existente no sistema.

Data Digitada - Data da entrada do lançamento.

Data Cadastrada - Data existente no cadastro para o registro lançado.

Documento Digitado - Nº do documento digitado.

Documento Cadastrado - Nº do documento cadastrado no sistema.

148
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Botão Buscar:

Figura 136 - Consultar

Empresa - Empresa do processamento.

Unidade - Unidade de negócios.

Data – Data da consulta.

Gerente - Funcionário da instituição que efetuou a negociação.

Código da Ocorrência - Código indicativo da exceção ou processo especial.

Código Cliente – Código de identificação do cliente na instituição.

Ocorrência - Código indicativo da exceção ou processo especial.


Nome da Ocorrência - Descrição do código indicativo da exceção ou processo especial.

Cliente - Cliente da operação com ocorrência.

Nome do cliente - Identificação do cliente da operação.

Operação – Tipo de operação:

REG – Resgate;

REP – Repactuação;

EMI – Emissão;

149
Versão 1.0
Depósito a Prazo

CAE – Cancelamento de Emissão;

CAR – Cancelamento de recompra;

RCP – Recompra de papel para tesouraria;

EXE – Exclusão de emissão no dia.

Módulo – Sistema de origem da ocorrência gerada.

Modalidade – Tipo de negócio, da operação, cujo valor está sendo bloqueado em garantia, conforme definição de
cada sistema.

13. Consultas Avançadas

Figura 137 - Consultas Avançadas

Cliente – Informa o nome do cliente ou grupo a qual pertence.

Conta – Código da conta do cliente.

150
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Apelido – Codinome do cliente no sistema de Depósito a Prazo.

Unidade – Filial, agência ou singular.

Código – Código da conta do cliente.

Nome do Investidor – Nome do cliente, 1º titular da conta.

Nome do Co-Investidor – Nome do cliente, 2º titular da conta.

Grupo – Nome do grupo a qual o cliente pertence.

Dt. Emissão – Data de emissão da operação.

Dt. Vcto. – Data de vencimento da operação.

Taxa % - Valor da taxa da operação.

Valor Aplicado – Valor na data de abertura da operação.

Valor Resgate – Valor na data de vencimento da operação.

Valor Atual – Valor atual da operação.

IRF – Valor do IRF da operação.

IOF – Valor do IOF da operação.

Prazo – Dias de prazo da operação.

% Cat. – Representa o valor percentual da operação em relação a carteira.

151
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 138 – Consultas Avançadas

Cliente – Assinale para selecionar a opção de consulta por cliente.

Grupo – Assinale para selecionar a opção de consulta por cliente.

Gerente – Nome do gerente responsável.

Unidade – Filial, agência, singular.

Código – Código da conta do cliente.

Nome – Nome do cliente.

Valor Aplicado – Valor da abertura da operação.

Valor Resgate – Valor de fechamento, na data de vencimento.

152
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 139 – Consultas Avançadas

Data – Data de consulta da performance de operadores.

Unidade – Filial, agência, singular.

Gerente – Gerente responsável.

Qtd. – Quantidade de operações.

Valor Aplicado – Valor aplicado na abertura da operação.

Valor Médio – Valor médio aplicado, calculado.

Valor Atual – Valor atual da operação.

Valor Resgate – Valor da operação na data do vencimento.

Tx. M. Mês – Taxa média ao mês.

Tx. M. Ano – Taxa média ao ano.

Prazo – Dias de prazo.

153
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 140 – Consultas Avançadas

Data – Data de consulta de fluxo de vencimentos.

Unidade – Filial, agência, singular.

Acumuladores por mês:

Mês/Ano – Data, formato de mês e ano.

Aplicações – Quantidade de aplicações.

Valor Futuro – Valor futuro na data de vencimento da operação.

154
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 141 – Consultas Avançadas

Data – Data da consulta do perfil da carteira.

Unidade – Filial, agência, singular.

Perfil – Perfil de valores entre 1 até acima de 500.000.

N° Apl. – Numero de aplicadores.

Qtd. Apl. – Quantidade da aplicações.

Tot. Aplicado – Valor base total aplicado na carteira .

Tot. Atual – Valor total atualizado na data de consulta.

Tot. Resgate – Valor total na data de vencimento.

Tot. IOF – Valor total do IOF.

Tot. IRF – Valor total do IRF.

Pz. M – Prazo médio, dias.

Taxa M – Taxa média.

155
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Repres. – Valor percentual representativo da carteira.

Data – Data da aplicação.

Aplicadores – Quantidade de aplicadores.

Aplicações – Quantidade aplicações.

Total Aplicado – Valor total aplicado na data de abertura da operação.

Total Resgate – Valor total aplicado na data de vencimento da operação.

Prazo Médio – Prazo médio, dias.

Taxa Média – Taxa média.

Figura 142 – Consultas Avançadas

Data – Data de consulta de maiores aplicadores.

Unidade - Filial, agência, singular.

Nome – Nome do cliente.

Valor Aplicado – Valor aplicado na data de abertura da operação.

156
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Taxa M. Mês – Taxa média ao mês.

Taxa M. Ano – Taxa média ao ano.

Prazo M. – Prazo médio, dias.

% Cart. –Valor percentual representativo da carteira.

Gerente – Gerente responsável.

14. Relatórios

Figura 143 – Botão Relatórios

O sistema permite as seguintes facilidades, a tempo de execução

1. Alterar o nome do relatório;


2. Definir uma extensão para o arquivo de forma a não eliminar outras execuções;
3. Fixar critérios de emissão e seleção próprios para determinar usuário e rotina;
4. Definir o destinatário do relatório;
5. Configurar o relatório para gravação em disco;
6. Reformatar o relatório (determinado);
7. Alterar a ordem de classificação;
8. Visualizar em tela sem imprimir;
9. Gerar como arquivo;
10. Recuperar o arquivo para visualizar ou imprimir;
11. Definir rotinas, selecionando os relatórios permitidos para o perfil de usuário;
12. Incluir e excluir relatórios de rotinas.

O sistema permite as seguintes facilidades, a tempo de configuração no Senha e Segurança:

1. Catalogar novos relatórios;


2. Definir os relatórios disponíveis para os perfis;
3. Definir a inclusão de mensagens;
4. Definir se o usuário poderá reformatar ou reordenar o relatório;
5. Definir onde o relatório poderá ser executado;
6. Definir a existência de objeto de seleção.

157
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Funcionamento dos Filtros de Relatórios:

 Ao acionar o botão da Guia “Execução de Rotinas”, associado ao nome do relatório o sistema abre diversas
janelas, sendo a janela de “Seleção”, a janela onde são definidos os critérios de seleção (filtros) do conteúdo do
relatório a ser emitido.
 O sistema normalmente, apresenta seleção default, que podem ser alteradas e armazenadas de forma
permanente, através do botão “salvar” da guia “Execução de Rotinas”, além disso, podem ser alterados os
parâmetros para a condição desejada, campos não informados, indicam que todas as opções do campo serão
listadas na impressão, isto é, não existe seleção ou filtragem com base no campo.
 Quando houver mais de um campo, a seleção é feita de forma cruzada a satisfazer a condição de cada campo de
seleção.

Siglas e nomes dos relatórios:

Sigla Nome
APROPRIAÇÃO Apropriação de Despesas
AVISO_RSG Aviso de Resgates
BLOQUEIO Relação de Bloqueio
CADOC30 Cadoc30
CADOC32 Cadoc32
CART_CLIENTE Carteira de Clientes
CENSO CENSO
CENSO_ANALITICO Censo Analítico
CIRC2994 Circular 2994 – Taxas médias mês
CLIENTE_ISENTO Relação de Clientes Isento
COMP_SLD_CTB Saldo Contábil por Competência
CPMF Relação de CPMF
DEMO_SALDO Dem. Saldo Contábil de Depósito a Prazo
DESP_REC_MES Receitas e despesas por mês
DOC11 Doc11
EM_SER Títulos em Ser
EM_SER_CLIENTE Títulos em Ser por Cliente
EM_SER_OPERADOR Títulos em Ser por Operador
EM_TESOURARIA Títulos em tesouraria
ETIQUETA Emissão de etiquetas
EXTRATO Extrato de Cliente
EXTRATO_IND Extrato Indusval
FECHA_FINANC Fechamento Financeiro
LANC_CC Lançamentos em Conta Corrente
MAIORES_APL Maiores Aplicadores
MOVIMENTO_DIA Movimentação do dia
NOTA_NEG_PORTO Nota de Negociação Portocred
NOTA_NEGOCIAÇÃ O Notas de Negociação
OPCAPGZ Captação por Prazo e Ganho
POS_CUSTODIA Posição Custódia
PREV_RESGATE Previsão de Resgates
PRV_RSG_FMA_LIQ Previsão Resgates por Forma de Liquidação

158
Versão 1.0
Depósito a Prazo

RECIBO_EMISSÃO Recibo de Emissão


RECIBO_RESGATE Recibo de Resgate
RESAPL Resumo de Aplicações
RESG_EFETUADO Resgates Efetuados
RESUMO_CONTA Resumo Conta
RESUMO_CONTABIL Resumo Contábil
RESUMO_EM_SER Resumo Títulos em ser
RESUMO_SALDOS Resumo Contas
RET_CPMF Retenção de CPMF
RET_IMPOSTO Retenção de Impostos
SLD_TX_SUP_AG Saldo e Taxa Média por Superintendência
TAXAS_MINIMAS Taxas Mínimas de Operação
TAXAS_MEDIAS Taxas Médias Praticadas
TAXAS_MÍNIMAS Taxa Mínimas
TAXAS_PRATICADA Taxas Praticadas
VENC_DIA Vencimentos no Dia
CENSO - TRDA Censo Novo
FECHA_IFT Fechamento IFT

Figura 144 - Relatorios

Processo de comandar a emissão de alguns ou todos os relatórios associados a uma rotina, definida pelo gestor, por
um usuário pertencente a um perfil autorizado a emitir os relatórios associados a rotina.

159
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Rotina - Conjunto de relatórios definidos e identificados por uma sigla comum, cujo acesso é definido, associando a
sigla da rotina a perfis de usuários. Só poderão compor a rotina relatórios definidos no sistema de acesso e
segurança como disponíveis para o perfil.

Relatórios – Relação dos relatórios disponíveis ao perfil do usuário.

Executar – Indica que o sistema deverá gerar o relatório selecionado.

Botão selecionar todos – Ao clicar este todos os relatórios estarão selecionados para visualização, impressão ou
geração em arquivo.

Finalidade - Apresentar o demonstrativo das apropriações diária e mensal e a posição contábil anterior e atual dos
títulos de emissão própria, para uma unidade operacional ou consolidado com os dados da data selecionada.

Figura 145 – Configuração de Relatórios

160
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 146 - Sistema de Depósito a Prazo – Apropriação de despesas

Finalidade - Emitir documento legal definido para remessa ao BACEN para a data informada.

Figura 147– Configuração de Relatório

161
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 148 – CADOC30

Finalidade - Emitir mapa demonstrativo por faixa de prazo e gerente, dos valores captados e dos ganhos obtidos em
função da taxa referencial de custo definida como parâmetro limite, o diferencial entre a taxa limite e a praticada
indica o ganho, na data informada.

162
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 149 – Configuração de Relatórios

Figura 150 - Captação por prazo e ganho

163
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Finalidade - Emitir documento legal do censo das operações com título de emissão própria, de acordo com a seleção
indicada, gerando o arquivo a ser remetido ao BASEN para atendimento de norma legal. Na data informada e de
acordo com os critérios de seleção informado.

Figura 151 - Configuração de Relatórios

164
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 152 - Censo Novo

Finalidade - Atender dispositivo legal.

Figura 153 - Configuração de Relatórios

165
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 154 – Circular 2994

Finalidade - Apresentar um demonstrativo das aplicações e resgates, apresentado os rendimentos pagos e a


situação dos títulos em aberto, conforme critério de seleção, em determinado período de tempo e de forma aberta
(analítica) ou consolidada (sintética).

166
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 155 - Configuração de Relatórios

Figura 156 – Extrato Cliente

Finalidade - Relacionar uma quantidade de maiores aplicadores para atender dispositivo legal e para controles
gerenciais, conforme critério de seleção informado em uma data informada.

167
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 157 - Configuração de Relatórios

Figura 158 – Maiores aplicadores

Finalidade - Imprimir a nota de negociação de acordo com o critério de seleção indicado, se informado para a conta
informada, se não para todas as contas na data indicada.

168
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 159 - Configuração de Relatórios

Figura 160 – Notas de Negociação

Finalidade - Emitir um demonstrativo dos títulos a resgatar num período informado, indicando os valores líquidos e
os tributos para os papéis prefixados e para os pós com vencimento no dia.

169
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 161 - Configuração de Relatórios

Figura 162 – Previsão de resgate

Finalidade - Gerar um aviso de vencimento de aplicações para uma determinada data de resgate dos títulos de
emissão própria.

170
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 163 - Configuração de Relatórios

Figura 164- Aviso de Resgates

Finalidade - Atender dispositivo legal.

171
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 165 - Configuração de Relatórios

Figura 166 – CADOC32

Finalidade - Apresentar um demonstrativo da posição dos aplicadores na data atual, de forma seletiva conforme
parâmetros de seleção informados.

172
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 167 – Configuração de Relatório

Figura 168 – Carteira de Clientes

173
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Finalidade - Emitir documento legal do censo das operações com título de emissão própria, de acordo com a seleção
indicada, gerando o arquivo a ser remetido ao BASEN para atendimento de norma legal. Na data informada e de
acordo com os critérios de seleção informado, apresentando cada uma da aplicações individualizadamente.

Figura 169 – Configuração de Relatórios

174
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 170 – Censo Analítico

Finalidade - Impressão do documento utilizado para informação das aplicações registradas no SELIC na data
indicada.

175
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 171 – Configuração de Relatórios

Figura 172 - DOC11

Finalidade - Impressão do conteúdo do interface gerado para fins de lançamento no sistema de conta corrente na
data indicada.

176
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 173– Configuração de Relatórios

Figura 174 - Lançamentos em Conta Corrente

177
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Finalidade - Relacionar todas as movimentações efetuadas na data selecionada, por forma de liquidação e por tipo
de movimentação, indicando os valores brutos, líquidos e a tributação envolvida.

Figura 175 – Configurações de Relatório

178
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 176 – Movimentação do dia

Finalidade - Relacionar os títulos em ser por custodiante ou câmara, na data informada.

Figura 177 – Configuração de Relatórios

179
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 178 – Posição Custódia

Finalidade - Apresentar um demonstrativo dos resgates a serem efetuados numa data de acordo com a forma de
liquidação da aplicação efetuada e que corresponde a forma de liquidação do resgate a ser efetuado.

Figura 179 – Configuração de Relatórios

180
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 180 - Previsão resgates por Forma de Liquidação

Finalidade - Apresentar um demonstrativo dos resgates a serem efetuados, agrupados por faixas ( 1 a 3 meses, 3 a
12 meses, 1 a 3 anos, 3 a 5 anos, 5 a 15 anos e acima de 15 anos ), a partir de um ano e trimestre informado.

Figura 181 – Configuração de Relatórios

181
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 182 – Fechamento IFT

Finalidade - Mostrar movimentação por gerente de aplicação.

Figura 183 – Configuração de Relatórios

182
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 184 – Títulos em Ser por Operador

Finalidade – Resumos de títulos em ser por Unidade, quantidade tipo de papel, valor aplicado, liquidam atuais.
.

Figura 185– Configuração de Relatórios

183
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 186 – Depósito a Prazo

184
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 187 – Relatórios

A tela permite que se agrupem relatórios possíveis e autorizados para acesso pelos usuários que compõe o perfil,
selecionando os relatórios a comporem a rotina que serão apresentados na janela “associados”.

Perfil de Acesso - Conjunto de usuários com as mesmas permissões de acessos aos relatórios do sistema e outras
transações.

Rotina - Conjunto de relatórios definidos por seleção e constantes da janela “associados” como fazendo parte da
rotina.

Disponíveis - Relatórios autorizados para o perfil e que podem ser selecionados e associados para definição de uma
rotina de relatórios.

Associados – Conjunto de relatórios que irão compor a rotina em definição.

Botão ... – Traz a tela com os dados da configuração dos relatórios para seleção.

185
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 188 – Relatórios

Esta tela destina-se a visualização de relatórios que foram gerados em arquivo, em disco, a qualquer tempo e de
qualquer sistema tanto gráficos (.GRF), quanto caracter (.TXT).

186
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Figura 189 – Relatórios

Esta tela permite a visualização de arquivos de interface de troca de informação entre sistemas.

15. Como fazer?

Figura 188 – Botão Como Fazer

Como f

187
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Fazer para Configurar Emissor


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta ‘configurações’;
2. Clique o separador de tabelas ‘emissor’, preencha os campos requeridos;
3. Clique sobre o botão ‘controles internos’ preencha os campos requeridos e confirme a inclusão;
4. Confirme a operação, clique no botão ‘salvar’.
_______________________________________________________________________________________________
NOTA: Para cadastrar o emissor é condição necessária estar com a conta do emissor previamente cadastrada ( deve
possuir cadastro de cliente no módulo de clientes ) , assim como o “enquadramento legal ’ configurado ( módulo de
depósito a prazo ).
Como Fazer para Configurar Papel
1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “configurações”
2. Clique o separador de tabelas “papel”;
3. Clique sobre o botão “inserir”, preencha os campos requeridos;
4. Clique sobre o botão ‘emissão’, preencha os campos requeridos, confirme a inclusão;
5. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Configurar Enquadramento Legal


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “configurações”;
2. Clique o separador de tabelas “enquadramento legal”;
3. Clique sobre o botão “inserir”, preencha os campos requeridos;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Configurar Limites Operacionais


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “configurações”;
2. Clique sobre o tabulador “limites operacionais”;
3. Clique sobre o botão “inserir”, preencha os campos requeridos;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Configurar Agências


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “configurações”;
2. Clique no tabulador “agências”;
3. Clique sobre o botão “inserir”, preencha os campos requeridos;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Configurar Critérios de Cálculo


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “configurações”;
2. Clique sobre o tabulador “critérios de cálculo”,
3. Clique sobre o botão “inserir”, preencha os campos requeridos;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Configurar Critérios de Tributação


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “configurações”;
2. Clique no tabulador “critérios de tributação”;
3. Clique sobre o botão “inserir”, preencha os campos requeridos;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

188
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Como Fazer para Configurar Alíquotas


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “configurações”;
2. Clique no tabulador “alíquotas”;
3. Clique sobre o botão “inserir”, preencha os campos requeridos;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Configurar Interfaces


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “configurações”;
2. Clique no tabulador “interfaces”;
3. Clique sobre o botão “inserir”, preencha os campos requeridos;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Configurar Tipos de Cálculo


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “configurações”;
2. Clique no tabulador “tipos de cálculo”;
3. Clique sobre o botão “inserir”, preencha os campos requeridos;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Configurar Tipos de Tributo


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “configurações”;
2. Clique no tabulador “tipos de tributo”;
3. Clique sobre o botão “inserir”, preencha os campos requeridos;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Emitir Títulos


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “operações”;
2. Clique no tabulador “emissão”;
3. Clique sobre o botão “inserir”, preencha os campos requeridos;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.
_______________________________________________________________________________________
NOTA: Caso o papel emitido esteja fora dos padrões configurados, será gerada pendência a ser regularizada (ver:
confirmar um registro – autorizar/assinatura).
Como Fazer para Cancelar Emissão
1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “operações”;
2. Clique no tabulador “cancelamento emissão”;
3. Clique no botão “buscar” selecione o registro;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Emitir Título Padrão


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “operações”;
2. Clique no tabulador “emissão padrão” preencha os campos requeridos;
3. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Reaplicar Títulos


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “operações”;
2. Clique no tabulador “reaplicação”;
3. Clique no botão “buscar”, selecione o registro;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.
Com

189
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Como Fazer para Repactuar Títulos


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “operações”;
2. Clique no tabulador “repactuação”;
3. Clique sobre o botão “buscar”, selecione o registro;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Recomprar Títulos


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “operações”;
2. Clique no tabulador “recompra”;
3. Clique sobre o botão “buscar”, selecione o registro;
4. Clique sobre o campo “recompra” identifique a operação de recompra;
5. Clique sobre o botão “calcular” confirme a recompra;
6. Salve o registro clicando no botão “salvar” (aparecerá no campo “recompra” cédulas verdes confirmando a
operação).

Como Fazer para Emitir DI


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “operações”;
2. Clique no tabulador “emissão de di”;
3. Clique sobre o botão “inserir” preencha os campos requeridos;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Resgate de DI


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “operações”;
2. Clique no tabulador “resgate de DI”;
3. Clique sobre o botão “buscar”, selecione o registro;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer Para Cancelar Recompra


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “operações”;
2. Clique no tabulador “cancelamento recompra”;
3. Clique no botão “buscar”, selecione o registro a ser cancelado;
4. Confirme a operação clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Transferir Títulos


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “operações”;
2. Clique no tabulador “transferência”;
3. Clique no botão “buscar”, selecione o registro;
4. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Confirmar Registro


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “autorizações”;
2. Clique no tabulador “confirmação de registro”;
3. Clique no botão “buscar”;
4. Confirme os registros pendentes de confirmação preenchendo o campo “liberar”;
5. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Autorizar/Assinatura


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “autorizações”;
2. Clique no tabulador “dupla autorização”;
3. Clique no botão “buscar”;

190
Versão 1.0
Depósito a Prazo

4. Confirme os registros pendentes de autorização preenchendo o campo “liberar”;


5. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Bloquear Valores aplicados


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “bloqueios”;
2. Clique no tabulador “bloqueio”;
3. Clique sobre o botão “inserir” preencha os campos requeridos;
4. Clique o botão “operação”, selecione a operação a ser bloqueada;
5. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Alterar Título Emitido


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “operações especiais”;
2. Clique no tabulador “alteração”, informe os dados necessários para alteração;
3. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Como Fazer para Cadastrar Conta de Depósito a Prazo


1. No módulo depósito a prazo, na barra de pastas, clique a pasta “contas”;
2. Clique no tabulador “contas” selecione (ícone cliente) o cliente ao qual vai ser atribuída a conta de depósito a
prazo, preencha os campos requeridos;
3. Confirme a operação, clique no botão “salvar”.

Fórmulas de Cálculo do Depósito a Prazo - Os cálculos são baseados no cálculo de coeficientes de juros e correção
aplicados sobre os valores de partida em cada tipo de cálculo.
Os coeficientes tem o n° de casas decimais definidas por parametrização no emissor.

Definições:
Os símbolos representam:
^ - Exponenciação
* - multiplicação

Dias Úteis (DU) - N° de dias úteis, dentro do período, compreendido entre duas datas, não contando o dia inicial e
contando o dia final, se útil.

Número Dias úteis no Mês (NDUM) - Dias úteis, considerando como data inicial, o último dia do mês anterior e
como data final o último dia do mês atual, como período para contagem dos dias úteis no mês.

Dias Corridos (DC) - N° de dias sequenciais entre duas datas, não contando o dia da data inicial e contando o dia da
data final do período.

Dias Over (DO) - N° de dias úteis, considerando apenas os feriados nacionais, entre duas datas, postecipando-se a
data inicial e/ou data final para o próximo dia útil (feriados nacionais ou fins de semana), se ocorrerem em dia não
útil.

Prazo de Emissão (PE) - N° de dias entre a data inicial (Emissão ou aplicação) e a data de vencimento (resgate) de um
título de emissão, o prazo de emissão pode ser:

PEDC - Prazo da emissão em dias corridos.

PEDU - Prazo da emissão em dias úteis.

191
Versão 1.0
Depósito a Prazo

PEDO - Prazo da emissão em dias over.

Prazo de Cálculo (PC) - N° de dias compreendido entre uma data inicial e uma data final de cálculo de juros e/ou
correção monetária num período de tempo.
Pode ser assumido em:

PCDC - Prazo de cálculo em dias corridos.

PCDU - Prazo de cálculo em dias úteis.

PCDO - Prazo de cálculo em dias over.

Dia Aniversário - Por definição legal é o dia correspondente, ao dia do vencimento da operação (Resgate).

Pro-Rata-Dia - Procedimento pelo qual indicadores de periodicidade não diária, são calculados para cada dia por
regras de porcionalidade, lineares ou capitalizadas, em dias úteis, corridos ou Over.

Cálculo do Coeficiente Pró-Rata:

COEF_PRO_RATA_DIA_UTIL_CAPITALIZADO = COEF_PR_DUL

COEF_PRO_RATA_DIA CORRIDO CAPITALIZADO = COEF_PR_DCL

COEF_PRO_RATA DIA UTIL LINEAR = COEF_PR_DOL

COEF_PRO_RATA DIA CORRIDO LINEAR = COEF_PR_DCL

COEF_PRO_RATA DIA OVER LINEAR = COEF_PR_DOL

Coeficiente ou Indicador do Aniversário (IND_ANIV) - N° índice acumulado no período final da validade da taxa
cheia, imediatamente posterior a data de cálculo.

Indicador ou Coeficiente do Aniversário Anterior (IND_ANIV_ANT) - N° de índice acumulado no período inicial da


validade da taxa (usada no cálculo do indicador), imediatamente anterior a data de cálculo.

Proporção de Ajuste de Coeficientes (PR_AJ..) - Proporção para converter coeficientes calculados em dias corridos
para obter coeficientes em dias úteis ou over, no mesmo período de cálculo, ou vice-versa.

Proporção de Ajuste de Coeficientes - Calculados em dias corridos para obter coeficientes em dias úteis ou over, no
mesmo período de cálculo.

Proporção de Ajuste para = PR_AJ_DU = PEDC


Dias Úteis PEDU

Proporção de Ajuste para Dias Over = PR_AJ_DO = PEDC


PEDU

No cálculo dos indicadores pró-rata, as datas de operação são as datas finais do período de validade da data anterior

e a data, do período de validade da taxa atual, ou do número índice derivado da taxa.

192
Versão 1.0
Depósito a Prazo

Os dias corridos, over e úteis para os indicadores e taxa correspondentes são calculados entre datas de validade dos
mesmos, como data inicial e final da operação.

Chamamos PI, o prazo de validade da taxa ou n° índice, (indicador).

Obs.: No caso de outras operações, em vez do prazo de emissão, considerando-se o prazo da operação (PO), entre a
data de início e a data de vencimento final da operação.

Cálculo dos Indicadores Pró-Rata Capitalizados (Exceto Tr):

 PC _ DC 
 IND _ ANIV   
IND _ PR _ DCC    ^  PI _ DC 
* IND _ ANIV _ ANT
 IND _ ANIV _ ANT 

1. Para prazos contados em dias corridos (IND_PR_DCC)

Obs.: * IND-ANIV-ANT - Prazo de cálculo é o prazo em dias corridos do aniversário do indicador anterior até a data

do cálculo.

 PC _ DU 
 IND _ ANIV   PU _ DU 
IND _ PR _ DUC    ^  
* IND _ ANIV _ ANT
 IND _ ANIV _ ANT 

2. Em dias úteis (IND_PR_DUC)

* Número índice acumulado do período

 PC _ DO 
 IND _ ANIV   PI _ DO 
IND _ PR _ DOC    ^  
* IND _ ANIV _ ANT
 IND _ ANIV _ ANT 

3. Em dias Over (IND_PR_DOC)

Cálculo Indicador Pro-Rata TR:

Até o 1° Aniversário - Utiliza-se a taxa do período de emissão, ou seja a taxa cujo aniversário é igual ao dia da
emissão e o período de validade inicia-se neste dia até o próximo aniversário (período de validade da taxa).

193
Versão 1.0
Depósito a Prazo

1. Indicador Pró-Rata no Dia da Emissão:

IND-PR-EMIS = Indicador pró-rata acumulado para o dia da emissão.

IND _ ANIV ( DO1 ANIVERSÁRIO DOTÍTULO)


IND _ PR _ EMIS  DIAS ATE 1 ANIV  DO
 TAXA_ EMISSÃO PI _ EMISSÃO_ DO
1 
 100 

PI_EMISSÃO_DO = Prazo de validade da taxa na data de emissão, em dias over. (O denominador usa os prazos para

a taxa do indicador válida para o período iniciado no dia da emissão).

2. Indicador Pró-Rata Válido da Emissão do Título até o 1° Aniversário do mesmo, no padrão TR:

 TAXA_ INDICADORES 
IND _ PR _ DO  IND _ PR _ EMIS * 1  ^ PC _ DO / PI _ DO
 100 
^ PC_DO

Onde PC_DO é o n° de dias over do dia da emissão até qualquer dia de cálculo anterior ao 1° aniversário de títulos

indicador do tipo TR, e PI_DO é o prazo em dias over da validade da taxa tipo TR.

3. Cálculo do indicador Pró-Rata em títulos com indicador tipo TR, após o 1° aniversário do Título:

 IND _ ANIV  PC _ DO
  ^
 IND _ ANIV _ ANT  PI _ DO
IND_PR_DO = IND_ANIV_ANT *

Onde os prazos são calculados para o período de validade do indicador, para o aniversário onde está compreendido
a data de cálculo.
CÁLCULO PRÓ-RATA MÊS
O cálculo pró-rata mês indica que quando o final do mês, ocorrer em dia não útil, (feriados nacionais ou fins de
semana) deveremos apropriar as receitas ou despesas, até o final do mês considerando o critério de
proporcionalidade em dias corridos, de forma capitalizada ou linear.
Utiliza-se o valor calculado até o último dia útil do mês atual e o valor calculado no 1° dia útil do mês seguinte, se a
operação for até lá.

VL_ULT_DIA – Valor no último dia útil do mês;

194
Versão 1.0
Depósito a Prazo

VL_1U_DIA - Valor n° 1° dia útil do mês seguinte;

 VL _ 1U _ DIA 
  ^ NDF / NDC * VL _ ULT _ DIA
 VL _ ULT _ DIA

NDC – N° de dias corridos entre o último dia útil do mês e o próximo dia útil (1° dia útil do próximo mês);

NDF – N° de dias corridos da data de fechamento (último dia útil do mês) até o último dia do mês.

Cálculo do valor no último dia do mês, por cálculo capitalizado pró_data_mês:

Cálculo do valor no último dia do mês por cálculo linear pró-rata-mês:

VL _1U _ DIA_VL _ULT _ DIA * NDF / NDC VL _ULT _ DIA

O mesmo cálculo vale para o início do mês considerando-se o último dia do mês anterior e o 1° dia do mês corrente

(útil).

Cálculo Da Correção Com Base Em Percentagens Da Variação Do Indicador Da Mesma:

1. % do ???? - O sistema obriga a criar um indicador derivado com base no percentual da taxa de variação para
cálculo do indicador derivado, que será utilizado nos cálculos.

2. % da Correção no Período da Operação - O sistema calcula os indicadores (n° de índices acumulados) para cada
data envolvida e ajusta a correção com base no percentual indicado, com base no indicador acumulado da data
inicial até a data da operação.

Cálculo do indicador considerando o % de variação no período da operação:

Indicador numa data qualquer no período da operação = indicador-na-data-demissão *

    INDICADOR_ NA _ DATA_ QUALQUER  PERCENTUAL  


  1 *    1
    INDICADOR NA  DATADE EMISSÃO  100 
 
 

Taxa Flutuante (TAXA_F)

195
Versão 1.0
Depósito a Prazo

 A Taxa Flutuante (Pré-Pós) compõe-se de duas taxas, uma variável (Básica) e uma Fixa (Spread);

 A Taxa Básica tem um período de validade mensal, Bimensal, Semestral, etc., que corresponde ao período de
tempo que a mesma se aplica;

 “Spread” é uma taxa acrescida, a taxa básica calculada com o mesmo período de validade da taxa básica, para
definir a taxa flutuante;

 Cálculo do coeficiente para uma data qualquer no período de uma operação.

TAXA_F = TAXA_BÁSICA + “SPREAD”

PZ _ PERI( I ) PZ _ PER( I )
 TAXA_ F ( I )  PZ _ TAXA_ BASIL  TAXA_ F ( I )  PZ TAXA_ BÁSICACI
COEF _ JUROS_ CALC 1  * 1  
 100   100 

VOC – Saldo do valor original da operação na data de cálculo.

Onde, I – indicado cada um dos períodos de cálculo.

COEF_JUROS_CALC – É o valor do coeficiente a aplicar no saldo do valor original da operação (aplicado) para cálculo

do valor no dia.

TAXA_F(I) – Taxa Flutuante no período (i) de validade da taxa básica, contados a partir da data de emissão, onde (i)

varia da emissão até o cálculo.

PZ_PER(I) - N° de dias da operação no período(I) de validade da taxa considerada.

PZ TAXA BÁSICA(I) - N° de dias do período (I) da expressão da validade da taxa (Dias, Mês, Ano, Ano-Calendário).

O coeficiente é o produto dos coeficientes dos (I) períodos, totais ou parciais, calculados para cada um dos valores

da taxa_F(i) (Taxa Básica (I) + spread), nos períodos de validade de cada uma, abrangidos no período de cálculo.

Valor no dia = VOC * COEF-JUROS-CAL

196
Versão 1.0
Depósito a Prazo

CÁLCULOS

Emissão de Títulos Pré:

PE_DC – Prazo de emissão do título até o vencimento em dias corridos.

PL _ OP _ DC
 TAXA_ EMIS  PL _ TAXA
VALOR_ VENCIMENTOVALOR_ APLICADO X 1 
 100 

PZ_TAXA - Prazo em dias de validade da taxa (dia, mês, ano, etc.).

Juros a Apropriar - VALOR_VENCIMENTO_VALOR_APLICADO

PE _ DC
 TAXA_ EMIS  PZ _ TAXA
COEF _ JUROS _ PRE  1 
 100 

IR - JUROS_A_APROPRIAR X ALIQ_IR/1000

EMISSÃO DE TÍTULOS PÓS, FLUTUANTE, ETC...

Valor Nominal:

Valor vencimento - VALOR_APLICADO

Juros - 0

IR - 0

APROPRIAÇÃO PRÉ/FLUTUANTE

PE_DEC - Prazo decorrido (DA EMISSÃO ATÉ O DIA DE CÁLCULO)

N° primeiro dia:

Apropriação - valor aplicado * (COEF_JUROS_PRÉ ^ PE_DEC – 1) no dia.

197
Versão 1.0
Depósito a Prazo

No vencimento:

Apropriação Dia - (VALOR_VENCIMENTO – VALOR_PENÚLTIMO_DIA)

Valor Dia - VALOR_RESGATE

Nos demais dias:

Apropriação - (VALOR_APLICADO * COEF_JUROS_PRÉ ^ ( PE_DEC (ATÉ O DIA)– VALOR_DIA_ ANTERIOR)

APROPRIAÇÃO PÓS

VALOR_APLICADO_CORRIGIDO=VALOR_APLICADO*(INDICADOR_DIA_CÁLCULO/IND_EMISSÃO)

JUROS TOTAL = VALOR_APLICADO_CORRIGIDO * (COEF_JUROS ^ PE_DEC – 1)

VALOR DO TÍTULO NO DIA = VALOR-APLICADO CORRIGIDO + JUROS TOTAL

JUROS_DIA = JUROS_TOTAL_(ATÉ O DIA) – JUROS_TOTAL (CÁLCULO ANTERIOR)

CORREÇÃO_TOTAL = VALOR_APLICADO_CORRIGIDO - VALOR_APLICADO

CORREÇÃO DIA = CORREÇÃO_TOTAL (ATÉ O DIA) – CORREÇÃO_TOTAL (ANTERIOR)

RESGATE

Valor Vencimento - É calculado na emissão (Pré) ou no dia vencimento para o Pós e flutuante.

Despesa Total - Valor vencimento – valor aplicado (Valor Apropriado).

IR - Despesa x alíquota_IR/100, (se couber).

198
Versão 1.0

Você também pode gostar