Você está na página 1de 40

1

CATÁLOGO TÉCNICO ÍNDICE

1. Grupo Mondragon 3
2. Orona- Elevadores Internacionais 4
2.1 Detalhamento Técnico 6
3. Design e Acessibilidade 7
3.1 Estéticas personalizadas para Cabina 7
3.2 Pack de Acessibilidade 7
3.3 Tetos e Iluminação 7
3.4 Painéis e Revestimentos de Cabina 8
3.5 Corrimãos 8
3.6 Painéis de Comando e Sinalização 9
3.7 Acabamentos de piso de Cabina e rodapés 10
4. Grupo AMG Elevadores 11
4.1 Importantes Diferenciais 11
4.2 Serviços Técnicos Especializados 12
4.3 Design e Modernização 14
4.4 Centro de Treinamento da América Latina 14
4.5 Uso Correto do Elevador 15
5. Dimensionamento 17
5.1 Elevadores Elétricos Orona COM Casa de Máquinas 17
5.2 Elevadores Elétricos Orona SEM Casa de Máq. (MRL 22
5.3 Elevadores Elétricos Orona SEM Casa de Máq. (MRL 26
5.4 Elevadores Hidráulicos 29
6. Alimentação Elétrica 33
6.1 Orientações Gerais 34
7. Consultoria Construtiva 35
7.1 Itens obrigatórios para a CAIXA DE CORRIDA do(s) 35
7.2 Itens obrigatórios para o FUNDO DO POÇO do(s) 35
7.3 Itens obrigatórios para o SEGURANÇA e RESGUARDO do 35
7.4 Itens obrigatórios para a CASA DE MÁQUINAS do(s) 36
7.5 Figuras Ilustrativas 37
8. Rede Comercial AMG 39
9. Grupo Orona Mundial 39

2
1. Grupo Mondragon:

Estabilidade Internacional:
 Maior Grupo Cooperativo do Mundo;
 Sétimo Grupo Empresarial da Espanha;
 04 Pilares principais: Financeiro, Industrial, Distribuição e Pesquisa/ Formação;
 Mais de 103.000 funcionários em todo o mundo;
 20 Bilhões de Euros em faturamento em 2008;
 160 Empresas Associadas;
 65 Fábricas fora da Espanha;
 04 Fábricas no Brasil: Autopeças, Fundição, Peças para Eletrodomésticos,
ônibus (Orkli, Copreci, Fagor e Irizar).

3
2. Grupo Orona:

(Instalações da ORONA no Polígono Industrial de Lastaola, em Hernani-Guipúzcoa)

Tradição e Competência:
 Marca consolidada com mais de 50 anos de experiência é Líder no segundo
maior mercado Mundial;
 Com 03 fábricas produtivas (02 na Europa e 01 no México), entre elas a
maior fábrica da Europa, com a maior capacidade de fabricação do mundo
(produção de 19.500 Equipamentos/ ano);
 Em seu Parque Tecnológico de Mobilidade, integra: a Empresa, a Inovação
permanente através da Investigação de Tecnologias renováveis e a
Universidade, como base para sustentabilidade do Futuro;
 Primeira Empresa do Setor certificada em Eco-design, comprovando que
trabalha na dimensão ecológica em todas as fases do processo do elevador
desde o design até o fim do seu ciclo de vida útil;
 1 de cada 20 elevadores Novos no Mundo são Orona;
 95 países com distribuidores homologados;
 180.000 elevadores no Mundo com Tecnologia Orona;
 45% da Produção destinada a Exportação.

4
2. Grupo Orona:

5
2.1 Detalhamento Técnico:
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS:

2.1.1 QUADRO DE COMANDO ELETRÔNICO:


Utilização de quadro de comando computadorizados de última geração, reunindo em um único sistema: conforto, segurança, economia e
eficiência.

A) CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS:
Alimentação: Trifásica (380 V/ 220 V) e Monofásica (220 V/ 110 V) - 0 a 60 Hz
Controle: Microprocessado
Gabinete: Em aço, com pintura eletrostática
Interfaces foto acopladas: Sim
Auto-teste: Sim
Diagnóstico de ocorrências: Sim
Interface homem-máquina: Sim
Operação de emergência em caso de incêndio: Sim
Pesador de carga: Sim
IFL Digital Voice: Sim
Sistema de Chamadas por código: Sim
Painel de tráfego: Sim
Certificação: ISO 9001 (ABS- Quality Evalaution/ INMETRO)
UL (Underwrite Laboratories)

B) FUNÇÕES BÁSICAS:
- SEGURANÇA:
O comando monitora através de um circuito eletrônico e um eletromecânico as condições de segurança das portas de pavimento, porta de cabina, trincos
eletromecânicos, relê térmico de proteção, limites de curso, etc., impedindo o funcionamento do elevador caso alguma condição de segurança seja
violada.
O comando utiliza interfaces foto - acopladas, garantindo o isolamento do sistema contra eventuais interferências eletromagnéticas e retornos de corrente.

O sistema utiliza, ainda, proteção do motor da máquina de tração (contra falta ou inversão de fases de alimentação elétrica) e do motor de porta (no caso
de falha dos limites).

- DIAGNÓSTICOS DE OCORRÊNCIA:
Todos os sinais de entrada e saída da UCP são monitorados através de leds, o que facilita enormemente a detecção de falhas. O display do inversor
armazena as últimas falhas ocorridas.

- OPERAÇÃO DE EMERGÊNCIA EM CASO DE INCÊNDIO:


Importante sistema de segurança, previsto na NBR NM 207/99, que acionado, envia a cabina para o andar principal, não aceitando mais qualquer outro
comando. Ao chegar no andar principal, o elevador abre a porta e permanece inoperante até que a função seja desabilitada.

2.1.2 BOTOEIRAS DE CABINA (PAINÉIS DE CONTROLE):


Instalação de novos e modernos painéis de controle de cabina, com design atual, produzidas em chapa de aço inoxidável escovado, com
as seguintes características:
Eletrônicos, de micromovimento, iluminados perifericamente através de led´s, formato
Botões:
circular ou retangular;
Gravação em Braille: Disponível
Indicador de posição digital: Disponível
Intercomunicador: Disponível
Chave para desligamento do elevador: Disponível

2.1.3 BOTOEIRA DE PAVIMENTO + IPD (PAINÉIS DE CONTROLE DE PAVIMENTO):


Instalação de novos e modernos painéis de controle de pavimento, em chapa de aço inoxidável:
Eletrônicos, de micromovimento, iluminados perifericamente através de led´s, formato
* Botões:
circular ou retangular;
* Indicador de posição digital/ matricial: Disponível

* A botoeira e o indicador de pavimento são fixados no próprio marco de porta.

2.1.4 CABINA: Modelos disponíveis conforme Tabela.

6
3. Design e Acessibilidade:
3.1 Estéticas personalizadas para Cabina:

3.2 Pack de Acessibilidade:


* Botões de cabina disponíveis:
- Números entre -9 e 39;
- Números entre -6 e 26 (placas com braille
compatíveis com norma de acessibilidade);
- Números de 0 à 9 com "-" ou "+" por trás. Ex.: 0-
, 0+, 5-, 5+, 6-, 6+, 7-, 7+, 9-, 9+ (placas com braille
somente com numeração sem o símbolo);
- Letras COM placa Braille: A, B, E, G, K, L, M, P, S,

U (compatíveis com a Norma de Acessibilidade);


- Letras SEM placa Braille: C, D, F, H, I, J, N, O, Q,
R, T, V, X, Y, Z, AU, E1, E2, EE, EP, PR, FS, LG, PB,
P1, P2, P3, P4, P5, SS, S1, S2, S3, S4, S5,UG, U1,
U2, U3, U4 e U5 (Não compatíveis com a Norma de
Acessibilidade).
Opcionais Disponíveis : Acento retrátil para cabina e Acoplador acústico para deficientes auditivos.

3.3 Tetos e Iluminação:


C1 C2 C3 C4 C5
Iluminação Modelo
Modular     
Completa   
Abóbada Côncava   
Abóbada Convexa   
Assimétrica  
Abóbada Côncava + Focos  
Modular + Focos    
Focos   
Iluminação Material
Policarbonato     
Policarbonato compacto     
Vidro     
Opções Ecoeficiência (*)
Desligamento automático    
Fluorescente baixo consumo    
LED´s*    
Outras Opções
Alçapão para Bombeiros**    
Ventilador (Exceto ilum. Assimétrica)     
Standard  Opcional 
* Iluminação LED disponível somente em tetos com focos;
** Requer modelo de teto Modular.

7
3. Design e Acessibilidade:
3.4 Painéis e Revestimentos de Cabina:
C1 C2 C3 C4 C5
Painel Estratificado
Melamina EPB 02 Verde   
Melamina EPB 03 Azul   
Melamina EPB 04 Cinzento   
Melamina EPB 05 Faia   
Melamina EPB 06 Cerejeira  
Melamina EPB 07 Alumínio Escovado  
Melamina EPB 08 Creme  
Melamina EPB 09 Calvados  
Melamina E 23 Verde Pistácio  
Melamina E 29 Laranja  
Painel Laminado
Laminado Liso L4L01 Cinzento  
Laminado Liso L4L02 Amarelo  
Laminado Liso L4L03 Verde  
Laminado Liso L4L04 Bege  
Lam. Pontilhado Amarelo L4L01  
Lam. Pontilhado Verde L4L03  
Lam. Pontilhado Azul L4L04  
Lam. Madeira Cerejeira L4M01  
Lam. Madeira Vison L4M02  
Lam. Raiz Brilho L4M03  
Lam. Irisado Verde L4I01  
Lam. Irisado Cinzento L4I02  
Lam. Fantasia Cinzento L4F01  
Lam. Fantasia Verde L4F02  
Lam. Fusionado Cinzento L4U01  
Lam. Raiado Cinzento L4A02  
Painel Inox
Inox Escovado  
Inox Plus  
Inox Pele de Elefante  
Inox Linho Brilho  
Inox Especiais 
Outros
Vidro Emoldurado 
Sem revestimento * 
Standard  Opcional 

* Personalização por conta do cliente.

3.5 Corrimãos:

(Cabinas tipo C1, C2 e C5) (Cabinas tipo C2, C4 e C5) (Cabinas tipo C2, C3, C4 e C5)

8
3. Design e Acessibilidade:
3.6 Painéis de Comando e Sinalizações:
C1 C2 C3 C4 C5
Painel de Comando
Coluna     
3/4 Coluna  
Botoeira dupla de cabina     
Sinalização da Cabina
LED 7 segmentos     
LED matriz multipontos     
LCD matriz multipontos    
LCD Gráfico    
VDAP (Painel multimídia)* 
Setas de direção na cabina     
Ind. de Sobrecarga (acúst. e luminoso)     
Setas direcionais na entrada     
Gongo na cabina     
Sintetizador de Voz     
Diretório * 
Botões de Cabina
Orona 3G     
Botão Fecha Portas     
Botão Braille     
Botão com Chave     
Anulação de chamadas externas     
Chamada código     
Controle de Acessos *   
Sinalização de Pavimento
LED 7 segmentos     
LED matriz multipontos     
LCD matriz multipontos    
LCD Gráfico    
Setas de direção de pavimento     
Gongo de pavimento     
Botões de pavimento
Botoeira Universal (1 botão)     
Botoeira Seletiva (2 botões)     
Botão com chave     
Botoeira na parede e/ou compartilhada     
Acabamento da botoeira **
Lacado escuro     
Anodizado inox    
Standard  Opcional 
* Desenvolvido no catálogo Orona 3G de Opcionais;
** Materiais e acabamentos iguais aos utilizados no rodapés.

9
3. Design e Acessibilidade:
3.7 Acabamentos do piso da cabina e rodapés:
C1 C2 C3 C4 C5
Piso da Cabina
PVC 01 Preto     
PVC 02 Cinzento     
PVH 01 Preto     
PVH 02 Cinzento     
CAU 01 Cinzento     
CAU 02 Vermelho Bordeaux    
CAU 03 Azul    
CAU 04 Verde    
PVG 14 Preto Círculos  
Alumínio Texturizado  
Inóx tipo Gota  
Espelhos
Parede de Fundo     
Espelho completo, 1/2, 3/4     
Outras Paredes     
Acabamento do Espelho
Branco*     
Fumado   
Rodapés
Lacado Escuro     
Anodizado Inox    
Standard  Opcional 

10
4. Grupo AMG Elevadores:
Nossa História:
 Com sede nacional em Brasília/ DF, o GRUPO AMG ELEVADORES, teve origem
com a fusão das empresas: AVANT + MÓDULO ENGENHARIA + GN1, objetivando
a expansão nacional do Grupo e a formação de parcerias Internacionais;
 Em 2008 o Grupo AMG Elevadores é homologado como Distribuidor
EXCLUSIVO Orona para todo o Brasil, com o desafio de sedimentar a marca
Orona entre os principais fabricantes de Elevadores a atuar no Mercado Brasileiro;
 Com mais de 350 elevadores Orona vendidos até 2009, o Grupo AMG
Elevadores se consolida como o maior Distribuidor Orona da América Latina;
 Em 2009, é homologado como Distribuidor EXCLUSIVO FUJITEC para o Brasil
(Elevadores de Alta velocidade, Esteiras Rolantes e Escadas Rolantes);
 Ainda em 2009, se concretiza a expansão nacional do Grupo AMG, com filiais
nos principais estados brasileiros: Goiânia, Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro,
Manaus, Belém, Fortaleza, Recife, Paraíba, Natal e Porto Alegre;
 Em 2010 é inaugurado na sede de Brasília/ DF o Primeiro Centro de Treinamento
Orona da América Latina.

4.1 Importantes Diferenciais:

 Consultoria Técnica Gratuita sobre: Fornecimento, Modernização e


Manutenção de equipamentos de Transporte Vertical (Elevadores, Escadas,
Esteiras Rolantes e Plataformas para Acessibilidade);
 Centro de Treinamento da América Latina, com capacitações periódicas de
nossa equipe técnica;
 Equipe Técnica Multimarcas, formada por profissionais com mais de 15 anos
experiência;
 Indústria própria com capacidade para Modernização de Elevadores;
 SATE– Sistema AMG de Assistência Técnica, com atendimento 24 horas;
 Monitoramento On-line da equipe técnica, visando redução do tempo de
atendimento;
 Relatório de atendimentos para condomínios disponibilizados via Internet;
 Completo Estoque de Peças;
 Auditorias Técnicas Nacionais, realizadas por engenheiros qualificados;
 Seguro de Responsabilidade Civil;
 Moderna frota de veículos;
 Programas de desenvolvimento de Novas Tecnologias;
 Palestras regulares para a Equipe do Edifício: Síndicos, porteiros e zeladores.

11
4. Grupo AMG Elevadores:
4.2 Serviços Técnicos Especializados:
Os Serviços Especializados de Manutenção e Assistência Técnica
do Grupo AMG Elevadores, são executados por profissionais
altamente capacitados em equipamentos de transporte vertical
multimarcas (elevadores, escadas, esteiras rolantes e plataformas
para acessibilidade), além de uma diversidade de modelos de
Contratos, atendendo às demandas e expectativas de todos os
tipos de clientes.
4.2.1 Assistência Técnica e Manutenção Preventiva:
O Grupo AMG Orona Elevadores trabalha para você que
acredita que os serviços de assistência técnica envolvem mais
que qualidade de peças e manutenção periódica. É baseado no
relacionamento construído com você, serviços exclusivos são
desenvolvidos e profissionais treinados para atender suas
necessidades.Tudo planejado para garantir sua segurança e
conforto ao utilizar equipamentos de transporte vertical em todo o
Brasil.
Com o objetivo de melhorar a qualidade relativa percebida pelo cliente, diminuir o
índice de falhas no equipamento e ao mesmo tempo trazer ganhos de produtividade,
a Assistência Técnica de equipamentos de transporte vertical pode ser dividida em
03 (três) tipos:
A) Manutenção Preventiva Programada: Mantém o equipamento funcionando de
acordo com as normas técnicas e condições originais do projeto. Com uma
periodicidade mensal, neste tipo de intervenção técnica são realizadas inspeções,
ajustes, lubrificações e limpeza dos itens recomendados pelo Departamento de
Engenharia de Campo;
B) Manutenção Preditiva Dirigida: Garante uma maior disponibilidade funcional do
equipamento através da correção antecipada de itens eletromecânicos com a
substituição de programada destes componentes;
C) Manutenção Corretiva: Objetiva a correção de eventuais falhas e prevenção de
reincidências. Neste tipo de manutenção o técnico deverá analisar os 06 últimos
defeitos registrados, atendendo as reclamações do Cliente para resolver os
problemas crônicos.

12
4. Grupo AMG Elevadores:
4.2.2 Seqüência Padrão para Manutenção Preventiva Programada:
A seqüência ideal para realização das tarefas mensais preventivas objetiva acima de
tudo a manutenção de um relacionamento contínuo e diferenciado, conquistado
diariamente através da preservação de Nosso Maior Patrimônio: A Segurança e o
Valor à Vida de nossos Clientes e de sua família.
Esta padronização de etapas com um treinamento constante de nossos funcionários
aumentam a disponibilidade funcional de nossos equipamentos, conforme:
A) Chegada ao prédio= Procurar o responsável do prédio, devidamente
uniformizado e apresentar o crachá. Obter informações quanto ao funcionamento do
elevador, solicitando a chave da casa de máquinas;
B) Entrando na cabina= Instalar as placas de aviso de Manutenção Preventiva nos
pavimentos principais, inspecionando os itens de visualização aparente da cabina,
como acrílicos, fixação do subteto, lâmpadas, piso, botões, portas, alarme e
interfone;
C) No interior da cabina= Deslocar-se entre os andares, inspecionando itens
críticos de segurança como fechos (hidráulicos e eletromecânicos), botoeiras dos
pavimentos, lâmpadas de sinalização, botoeiras dos pavimentos, soleiras, contatos
elétricos, etc., deixando o elevador em condições de funcionamento;
D) Sobre o Elevador= Com o uso de vassoura, pá, saco plástico, estopa e
lubrificante, a limpeza e a lubrificação do passadiço deve ser iniciada a partir da laje
da casa de máquinas, começando pelas guias, suportes, vigas e todas as saliências
da caixa até o fundo do poço. Limpar e lubrificar a estrutura da cabina e aparelho de
segurança. No fundo do poço devem ser limpos os aparachoques e pés de guia,
finalizando-se com a retirada dos detritos. Com o elevador em movimento vertical,
observar o perfeito acoplamento do operador com os dispositivos de porta
(acionamentos de trinco e dispositivos de arraste);
E) No último pavimento= Dirigir-se à casa de máquinas, observando as condições
de segurança como trancas e fechaduras na porta da casa de máquinas, extintor
(carga), janelas e alçapão. Medir distância do escape de segurança da cabina e
contrapeso;
F) Com cabina na meia altura= Realizar a manutenção no operador de portas da
cabina, ajustando rampas, folgas de cabos e correias de tracionamento e contatos.
Posicionado na parte superior da cabina, inspecionar limites mecânicos instalados
nos extremos;

13
4. Grupo AMG Elevadores:
G) Fundo do Poço= Depois de terminado os serviços de limpeza e lubrificação,
estando no primeiro pavimento, colocar o elevador em automático e deslocá-lo até o
último andar superior. Com a porta do subsolo aberta, verificar a distância da
estrutura do contra-peso até a mola. Cuidado com os solados dos sapatos ao sair
do fundo do poço, visando preservar as condições de limpeza no hall do
condomínio;
H) Finalização= Após a conclusão dos serviços, acondicionar os detritos recolhidos
(estopas usadas, poeira, etc) em recipientes adequados e retirar as placas de
manutenção preventiva das portas dos pavimentos principais. Dirigir-se ao
responsável do prédio, devolvendo a chave da casa de máquinas e solicitando
assinatura na ficha de manutenção do mês correspondente.

4.3 Design e Modernização:


O Grupo AMG disponibiliza uma grande variedade de produtos desenvolvidos
exclusivamente para Modernização e Atualização Tecnológica de elevadores,
representando um investimento capaz de gerar inúmeros benefícios, tais como:
 Up-grade tecnológico (Analógico para Digital);
 Segurança, durabilidade, confiabilidade e conforto;
 Reduzido número de intervenções técnicas;
 Economia de energia (pay-back);
 Vida útil do equipamento prolongada;
 Adequação às normas ABNT (NM-207/99 e NBR-5410);
 Renovação estética (painéis de cabinas e botoeiras);
 Valorização do patrimônio coletivo.

4.4 Centro de Treinamento da América Latina:


Desde o início de 2010 a Sede Nacional do Grupo AMG
Elevadores em Brasília é responsável pela centralização do
Treinamento Técnico na América Latina, dos países
autorizados a comercializar os Equipamentos da marca
Orona. Nas instalações do campo fabril da AMG, temos
instalado um Elevador Elétrico Orona sem Casa de Máquinas
(MRL sem redutor), como uma importante ferramenta de
estudos e capacitação dos profissionais que compõe nossa
equipe técnica.

14
4. Grupo AMG Elevadores:
4.5 Uso Correto do Elevador:
Devemos evitar:

- Puxar a porta do pavimento sem a presença da cabine no


andar;
- Apressar o fechamento das portas;
- Apertar várias vezes o botão de chamada de cabina ou
pavimento;
- Chamar vários elevadores ao mesmo tempo;
- Fazer movimentos bruscos dentro do elevador;
- Lotar o elevador com o peso acima do permitido;
- Bloquear o fechamento das portas.

Se o Elevador parar entre andares, os ocupantes devem:

- Manter a calma, pois o perigo não é iminente;


- Acionar o botão de alarme e/ou utilizar o interfone para pedir ajuda;
- Solicitar que chamem o zelador e, se necessário, a empresa conservadora ou o
Corpo de Bombeiros (disque 193);
- Aguardar com calma;
- Permanecer no interior da cabina mesmo se a porta abrir (não tentar sair pela
abertura, pois o elevador pode voltar a funcionar no momento em que você estiver
saindo);
- Aguardar instruções do socorrista (técnico ou pessoa habilitada no condomínio),
não forçando as portas nem tentando sair por conta própria.

15
4. Grupo AMG Elevadores
4.5 Uso Correto do Elevador:
Quando a porta do elevador abrir, preste atenção:

- Antes de entrar, verifique que a cabine do elevador está no andar (falhas


mecânicas permitem, às vezes, que a porta abra sem a presença do elevador, o que
já provocou muitos acidentes fatais);
- Entre no elevador e saia dele devagar, para evitar colisão com outros usuários.
Não tente entrar no elevador enquanto os ocupantes estiverem saindo;
- Ao entrar no elevador e ao sair dele, cuidado para não tropeçar em degraus que
podem se formar quando o mesmo pára fora do nível de pavimento.

Crianças:

- Não acionar os botões desnecessariamente;


- Não dar pulos ou fazer movimentos bruscos dentro da
cabine;
- Nunca colocar as mãos nas portas de cabina ou pavimento;
- Até 10 anos de idade, deverão estar sempre
acompanhadas de um adulto responsável.

16
5. Dimensionamento:

Elevadores Elétricos Orona:


5.1
Com Casa de Máquinas Superior

17
Elevadores Elétricos Orona
com Casa de Máquinas Superior

Características Gerais
Carga Nominal Kg 320 450 630 800 1.000 1.250 1.600
Velocidade Nominal m/s 1 m/s e 1,6 m/s
Dimensões da Cabina Ver tabelas
Tipo de portas 2 e 3 folhas (Telescópicas- AL); 2 e 4 folhas Abertura Central (AC); Portas Articuladas
Largura Útil de portas (LUZ- mm) 700 - 800 - 900 - 1.000 - 1.100 - ...
1 m/s 1 embarque - 2 embarques a 180º, 2 embarques a 90º para cargas de até 800 kg
Número de Embarques
1,6 m/s 1 embarque - 2 embarques a 180º (sem opção de 2 embarques para 90º)
Número Máximo de paradas 32
1 m/s 60
Percurso Máximo (m)
1,6 m/s 90
2 V / V3F
1 m/s Grupo trator para tração por aderência, formado por um redutor com sem-fim horizontal, de aço especial
e coroa de bronze, motor assíncrono trifásico e freio eletromagnético
Tipo de Acionamento
V3F
1,6 m/s Grupo trator para tração por aderência, formado por um redutor com sem-fim vertical, de aço especial e
coroa de bronze, motor assíncrono trifásico e freio eletromagnético.
1 m/s O-130 O-170 MF-82 MF-94
Tipo de Máquina
1,6 m/s O-170 MF-82 MF-94
8,8 (2V) 11,7 (2V)
1 m/s 4 5,5 7,3 15,4 18,4
Potência (KW) 11 (V3F) 11 (V3F)
1,6 m/s 7,3 11 11 13,2 16,2 20,6 25
1 m/s 4Ø9 4 Ø 11 4 Ø 11 3 Ø 11 4 Ø 11 4 Ø 13 5 Ø 13
Número de Cabos
1,6 m/s 4 Ø 11 5 Ø 11 5 Ø 11 5 Ø 13 5 Ø 13 6 Ø 13 8 Ø 13
1 m/s T-70A T-70A T-82A T-90A T-90A T-90A T-125B
Guia da Cabina
1,6 m/s T-90B T-90B T-90B T-90B T-125B T-125B T-127B
1 m/s T-50A T-50A T-50A T-65A T-70A T-70A T-90A
Guias do Contrapeso
1,6 m/s T-50A T-50A T-65A T-70A T-90B T-90B T-90B
Guias cabina com paraquedas
1 m/s T-70A T-70A T-70A T-90A T-90A T-90A T-125B
1,6 m/s T-70A T-90B T-90B T-90B T-90B T-125B T-125B
1 m/s 1:1 1:1 1:1 2:1 2:1 2:1 2:1
Suspensão
1,6 m/s 1:1 1:1 1:1 1:1 1:1 1:1 1:1

18
Elevadores Elétricos Orona
com Casa de Máquinas Superior

Tabela de dimensões para Portas Telescópicas (AL), Centrais (AC) e


Contrapeso ao Fundo (1 Embarque)
Caixa de Corrida recomendada Última Altura Prof. Poço
Cabina
Portas Largura AH Profundidade FH (mm) (mm)
Pes Carga Larg. Prof. Altura 1 Embarq. 1 Embarq. HUP HFOSSO
(kg) (mm) (mm) (mm) (mm) (mm) Velocidade (m/s) Velocid. (m/s) Velocid. (m/s)
Tipo
Q LUZ HPL AC FC HC 1 1,6 1 1,6 1 1,6 1 1,6
1.000 875 1.375 1.400 1.400 1.425
AL
825 1.100 1.325 1.350 1.625 1.650
4 320 700 2.000 2.100 3.600 3.700 1.100 1.250
1.000 875 1.525 1.550 1.325 1.350
AC
825 1.100 1.525 1.550 1.550 1.575
900 1.350 1.500 1.525 1.875 1.900
800 1.000 1.200 1.500 1.525 1.725 1.750
AL 1.000 1.250 1.500 1.525 1.775 1.800
1.000 1.200 1.625 1.650 1.725 1.750
900
1.000 1.250 1.625 1.650 1.775 1.800
6 450 2.000 2.100 3.600 3.700 1.100 1.250
900 1.350 1.725 1.750 1.800 1.825
800 1.000 1.200 1.725 1.750 1.650 1.675
AC 1.000 1.250 1.725 1.750 1.700 1.725
1.000 1.200 1.925 1.950 1.650 1.675
900
1.000 1.250 1.925 1.950 1.700 1.725
1.000 1.550 1.500 1.525 2.075 2.100
800
1.100 1.400 1.525 1.550 1.925 1.950
AL
1.000 1.550 1.625 1.650 2.075 2.100
900
1.100 1.400 1.650 1.675 1.925 1.950
8 630 2.000 2.100 3.600 3.700 1.100 1.250
1.000 1.550 1.725 1.750 2.000 2.025
800
1.100 1.400 1.725 1.750 1.850 1.875
AC
1.000 1.550 1.925 1.950 2.000 2.025
900
1.100 1.400 1.925 1.950 1.850 1.875
1.350 1.400 1.800 1.825 2.000 2.025
800
1.100 1.600 1.600 1.625 2.200 2.225
AL
1.350 1.400 1.800 1.825 2.000 2.025
900
1.100 1.600 1.700 1.725 2.200 2.225
10 800 2.000 2.100 3.600 3.700 1.150 1.250
1.350 1.400 1.825 1.850 1.925 1.925
800
1.100 1.600 1.825 1.850 2.125 2.150
AC
1.350 1.400 1.950 1.975 1.925 1.950
900
1.100 1.600 1.950 1.975 2.125 2.150
1.400 1.600 1.850 1.875 2.200 2.225
900 1.300 1.700 1.750 1.775 2.300 2.325
1.100 2.100 1.700 1.725 2.700 2.725
AL
1.400 1.600 1.850 1.875 2.200 2.225
1.000 1.300 1.700 1.850 1.875 2.300 2.325
1.100 2.100 1.850 1.875 2.700 2.725
13 1.100 2.000 2.100 3.600 3.700 1.150 1.250
1.400 1.600 1.950 1.975 2.150 2.175
900 1.300 1.700 1.950 1.975 2.250 2.275
1.100 2.100 1.950 1.975 2.650 2.675
AC
1.400 1.600 2.150 2.175 2.150 2.175
1.000 1.300 1.700 2.150 2.175 2.250 2.275
1.100 2.100 2.150 2.175 2.650 2.675
AL 2.000 2.050 2.775 2.800
16 1.250 1.100 2.100 1.350 2.100 2.200 3.800 3.900 1.300 1.400
AC 2.350 2.400 2.700 2.750
NOTA
 Portas de pavimento fixadas em suportes metálicos, projetados no interior da caixa de corrida.

19
Elevadores Elétricos Orona
com Casa de Máquinas Superior

Tabela de dimensões para Portas Telescópicas (AL), Centrais (AC) e


Contrapeso Lateral (1 e 2 Embarques à 180º)
Caixa de Corrida recomendada (mm) Última Altura Prof. Poço
Cabina
Portas Largura AH Profundidade FH (mm) (mm)
Pes Carga Larg. Prof. Altura 1 Embarq. 1 Embarq. 2 Emb. HUP HFOSSO
(kg) (mm) (mm) (mm) (mm) (mm) Velocidade (m/s) Velocid. (m/s) Velocid. (m/s)
Tipo
Q LUZ HPL AC FC HC 1 1,6 1 1,6 1-1,6 1 1,6 1 1,6
1.000 875 1.550 - 1.250 - 1.435
AL
825 1.100 1.375 1.400 1.475 1.500 1.660
4 320 700 2.000 2.100 3.600 3.700 1.100 1.250
1.000 875 1.600 1.625 1.175 1.200 1.290
AC
825 1.100 1.550 1.575 1.400 1.425 1.515
900 1.350 1.525 1.550 1.725 1.800 1.910
800 1.000 1.200 1.550 1.575 1.575 1.600 1.760
AL 1.000 1.250 1.550 1.575 1.625 1.650 1.810
1.000 1.200 1.650 1.675 1.575 1.600 1.760
900
1.000 1.250 1.650 1.675 1.625 1.650 1.810
6 450 2.000 2.100 3.600 3.700 1.100 1.250
900 1.350 1.750 1.775 1.650 1.675 1.765
800 1.000 1.200 1.750 1.775 1.500 1.525 1.615
AC 1.000 1.250 1.750 1.775 1.550 1.575 1.665
1.000 1.200 1.950 1.975 1.500 1.525 1.615
900
1.000 1.250 1.950 1.975 1.550 1.575 1.665
1.000 1.550 1.575 1.600 1.925 1.950 2.110
800
1.100 1.400 1.675 1.700 1.775 1.800 1.960
AL
1.000 1.550 1.675 1.700 1.925 1.950 2.110
900
1.100 1.400 1.675 1.700 1.775 1.800 1.960
8 630 2.000 2.100 3.600 3.700 1.100 1.250
1.000 1.550 1.750 1.775 1.850 1.875 1.965
800
1.100 1.400 1.750 1.775 1.700 1.725 1.815
AC
1.000 1.550 1.950 1.975 1.850 1.875 1.965
900
1.100 1.400 1.950 1.975 1.700 1.725 1.815
1.350 1.400 2.075 2.150 1.775 1.800 1.960
800
1.100 1.600 1.825 1.900 1.975 2.000 2.160
AL
1.350 1.400 2.075 2.150 1.775 1.800 1.960
900
1.100 1.600 1.825 1.900 1.975 2.000 2.160
10 800 2.000 2.100 3.600 3.700 1.150 1.250
1.350 1.400 2.075 2.150 1.700 1.725 1.815
800
1.100 1.600 1.825 1.900 1.900 1.925 2.015
AC
1.350 1.400 2.075 2.150 1.700 1.725 1.815
900
1.100 1.600 1.950 2.050 1.900 1.925 2.015
1.400 1.600 2.125 2.200 1.975 2.000 2.160
900 1.300 1.700 2.025 2.100 2.075 2.100 2.260
1.100 2.100 1.800 1.875 2.475 2.500 2.660
AL 2.100
1.400 1.600 2.125 2.200 1.975 2.000 2.160
1.000 1.300 1.700 2.025 2.100 2.075 2.100 2.260
1.100 2.100 1.850 1.925 2.475 2.500 2.660
13 1.000 2.000 3.600 3.700 1.150 1.250
1.400 1.600 2.150 2.225 1.900 1.925 2.015
900 1.300 1.700 2.050 2.100 2.000 2.025 2.115
1.100 2.100 2.000 2.050 2.400 2.425 2.515
AC 2.100
1.400 1.600 2.175 2.200 1.900 1.925 2.015
1.000 1.300 1.700 2.175 2.200 2.000 2.025 2.115
1.100 2.100 2.175 2.200 2.400 2.425 2.515
AL 2.150 2.200 2.500 2.525 2.660
16 1.250 1.100 2.100 1.350 2.100 2.200 3.800 3.900 1.300 1.400
AC 2.350 2.400 2.400 2.450 2.515
1.100 2.200 2.250
AL 2.800 2.825 2.960
1.300 2.350 2.350
21 1.600 2.100 1.400 2.400 2.200 3.800 3.900 1.300 1.400
1.100 2.500 2.525
AC 2.700 2.725 2.815
1.300 2.750 2.775
NOTA
 Portas de pavimento fixadas em suportes metálicos, projetados no interior da caixa de corrida.

20
Elevadores Elétricos Orona
com Casa de Máquinas Superior

CORTE VERTICAL VISTA EM CORTE DA CAIXA DE CORRIDA

21
5. Dimensionamento:

Elevadores Elétricos Orona:


5.2
Sem Casa de Máquinas (MRL com Redutor)

22
Elevadores Elétricos Orona
sem Casa de Máquinas (MRL com redutor)

Características Gerais
Carga Nominal Kg 320 450 630 800 1.000
Velocidade Nominal m/s 1 m/s
Dimensões da Cabina Ver tabelas
Tipo de portas 2 e 3 folhas (Telescópicas- AL); 2 e 4 folhas Abertura Central (AC)
Largura Útil de portas (LUZ- mm) 700 - 800 - 900 - 1.000 - 1.100
* Número de Embarques 1 m/s 1 embarque - 2 embarques a 180º, 2 embarques a 90º para cargas de até 630 kg
Número Máximo de paradas 16 - 25
** Percurso Máximo m 50 - 75
2 V / V3F V3F
Tipo de Acionamento Grupo trator para tração por aderência, formado por um redutor com sem-fim vertical, de aço especial e
coroa de bronze, motor assíncrono trifásico e freio eletromagnético.
Tipo de Máquina O-140
2V 3
Potência (KW) 4 5,5 10,6
V3F 4
Número de Cabos 4Ø8 5Ø8 6Ø8 6Ø8 6Ø8
Guia da Cabina T-120A T-125A T-125A
Guias do Contrapeso T-70A
Guias contrapeso com paraquedas T-90A
Suspensão 1:1 1:1 1:1 2:1 2:1

ATENÇÃO
 OPCIONAL (Consultar a Orona):
* Quantidade máxima de Embarques duplos limitados a 32 entradas;
** Para percursos superiores a 50 m, limitados até 75 m, a velocidade deverá ser de 1,6 m/s.

23
Elevadores Elétricos Orona
sem Casa de Máquinas (MRL com redutor)
Tabela de dimensões para Portas Telescópicas (AL), Centrais (AC) e
Contrapeso Lateral (1 e 2 Embarques à 180º)
Cabina Caixa de Corrida recomendada (mm) Última Profund.
Carga Portas
Pes Larg. Prof. Altura Largura (mm) Profundidade (mm) Altura Poço
(kg) (mm) (mm) (mm) (mm) (mm) 1 Embarq. 1 Emb. 2 Emb. A 180º. (mm) (mm)
Tipo
Q LUZ HPL AC FC HC AH FH HUP HFOSSO
800 1.425 1.500 -
AL 825 1.425 1.500 -
830 1.430 1.500 -
4 320 700 2.000 1.100 2.100 3.600 1.200
800 1.685 1.430 -
AC 825 1.685 1.430 -
830 1.685 1.430 -
900 1.350 1.525 1.750 1.910
925 1.300 1.525 1.700 1.860
950 1.250 1.550 1.650 1.810
800
975 1.250 1.575 1.650 1.810
AL
1.000 1.250 1.600 1.650 1.810
1.000 1.200 1.600 1.600 1.760
1.000 1.250 1.625 1.650 1.810
900
1.000 1.200 1.625 1.600 1.760
6 450 2.000 2.100 3.600 1.200
900 1.350 1.840 1.680 1.765
925 1.300 1.840 1.630 1.715
950 1.250 1.840 1.580 1.665
800
975 1.250 1.840 1.580 1.665
AC
1.000 1.250 1.840 1.580 1.665
1.000 1.200 1.840 1.530 1.615
1.000 1.250 1.990 1.580 1.665
900
1.000 1.200 1.990 1.530 1.615
925 1.700 1.525 2.100 2.260
950 1.650 1.550 2.050 2.210
975 1.600 1.575 2.000 2.160
800
1.000 1.550 1.600 1.950 2.110
AL 1.050 1.450 1.650 1.850 2.010
1.100 1.400 1.700 1.800 1.960
1.000 1.550 1.625 1.950 2.110
900 1.050 1.450 1.650 1.850 2.010
1.100 1.400 1.700 1.800 1.960
8 630 2.000 2.100 3.600 1.200
925 1.700 1.840 2.030 2.115
950 1.650 1.840 1.980 2.065
975 1.600 1.840 1.930 2.015
800
1.000 1.550 1.840 1.880 1.965
AC 1.050 1.450 1.840 1.780 1.865
1.100 1.400 1.840 1.730 1.815
1.000 1.550 1.990 1.830 1.965
900 1.050 1.450 1.990 1.780 1.865
1.100 1.400 1.990 1.730 1.815
1.000 1.900 1.620 2.300 2.460
800 1.050 1.800 1.670 2.200 2.360
1.100 1.700 1.720 2.100 2.260
AL
1.000 1.900 1.620 2.300 2.460
900 1.050 1.800 1.670 2.200 2.360
1.100 1.700 1.720 2.100 2.260
10 800 2.000 2.100 3.650 1.250
1.000 1.900 1.840 2.230 2.315
800 1.050 1.800 1.840 2.130 2.215
1.100 1.700 1.840 2.030 2.115
AC
1.000 1.900 1.990 2.230 2.315
900 1.050 1.800 1.990 2.130 2.215
1.100 1.700 1.990 2.030 2.115
1.100 2.100 1.715 2.500 2.660
1.150 2.000 1.765 2.400 2.560
1.200 1.900 1.815 2.300 2.460
AL
1.250 1.800 1.865 2.200 2.360
1.300 1.750 1.915 2.150 2.310
1.350 1.700 1.965 2.100 2.260
13 1.000 900 2.000 2.100 3.650 1.250
1.100 2.100 1.990 2.430 2.515
1.150 2.000 1.990 2.330 2.415
1.200 1.900 1.990 2.230 2.315
AC
1.250 1.800 1.990 2.130 2.215
1.300 1.750 1.990 2.080 2.165
1.350 1.700 1.990 2.030 2.115
NOTA
 Portas de pavimento fixadas em suportes metálicos, projetados no interior da caixa de corrida.

24
Elevadores Elétricos Orona
sem Casa de Máquinas (MRL com redutor)

CORTE VERTICAL VISTA EM CORTE DA CAIXA DE CORRIDA

25
5. Dimensionamento:

Elevadores Elétricos Orona:


5.3
Sem Casa de Máquinas (MRL sem Redutor)

26
Elevadores Elétricos Orona
sem Casa de Máquinas (MRL sem redutor)

Características Gerais
Carga Nominal Kg 320 450 630 800 1.000 1.250 1.350 1.600
Velocidade Nominal m/s 1 m/s e 1,6 m/s
Dimensões da Cabina Ver tabelas
Tipo de portas Telescópicas (AL) e Abertura Central (AC)
Largura Útil de portas (LUZ- mm) 700 - 800 - 900 - 1.000 - 1.100 900-1.000-1.100-1.300-1.400-1.500-1.600
Número de Embarques 1 embarque - 2 embarques a 180º (não existe opção para 2 embarques a 90º)
Gearless de acionamento direto, motor síncrono de imãs permanentes. Suspensão 2:1, incorporando
Características da Máquina
sistema de resgate.
1 m/s
Máquina tipo G-450 G-630 G-1.000 G-1.250 G.1.600
1,6 m/s
1 m/s 3,3 4,6 7,3 9,2 11,7
Potência (KW)
1,6 m/s 5,3 7,4 11,7 14,7 18,8
Número de Cabos 4 Ø 6,5 5 Ø 6,5 6 Ø 6,5 8 Ø 6,5 10 Ø 6,5
Tipo de Cabos 6,5 / 4,8 SDR
1 m/s 500 600 750 825 1.000 1.250
Taras da cabina (kg)
1,6 m/s 1.000 1.300 1.650 1.900
1 m/s T-82/A T-90/A T-125/B
Guias da cabina
1,6 m/s T-90/B T-125/B T-127/B

Tabela de dimensões para Portas Telescópicas (AL), Centrais (AC) e


Contrapeso Lateral (1 e 2 Embarques à 180º)
Cabina Caixa de Corrida recomendada Última Altura Profund. Poço
Carga Portas
Larg. Prof. Altura Largura (mm) Profundidade (mm) (mm)
Pes (kg) (mm) (mm) (mm) (mm) (mm) 1 Embarq. 1 Emb. 2 Emb. HUP HFOSSO
Tipo
Q LUZ HPL AC FC HC AH FH 1 m/s 1,6 m/s 1 m/s 1,6 m/s
AL 1.400* 1.475 -
4 320 700 2.000 825 1.100 2.100 3.400 3.600 1.000 1.150
AC 1.600 1.400 -
AL 1.580* 1.575 1.760
6 450 800 2.000 1.000 1.200 2.100 3.400** 3.600 1.000 1.150
AC 1.750 1.525 1.615
800 1.680*
AL 1.775 1.960
900 1.680
8 630 2.000 1.100 1.400 2.100 3.400** 3.600 1.000 1.150
800 1.750
AC 1.700 1.815
900 1.950
1.350 1.400 1.950* 1.800 1.960
AL
1.200 1.600 1.800 2.000 2.160
10 800 900 2.000 2.100 3.400** 3.600 1.000 1.150
1.350 1.400 1.950 1.725 1.815
AC
1.200 1.600 1.950 1.900 2.015
1.100 2.100 1.800 2.500 2.660
AL
1.400 1.600 2.000* 2.000 2.160
13 1.000 1.000 2.000 2.100 3.400** 3.600 1.000 1.150
1.100 2.100 2.150 2.425 2.515
AC
1.400 1.600 2.150 1.900 2.015
AL 2.150 2.660
16 1.250 1.100 2.100 1.350 2.100 2.200 2.500 3.700 3.850 1.150 1.250
AC 2.375 2.515
AL 2.200 2.660
18 1.350 1.100 2.100 1.400 2.100 2.200 2.500 3.700 3.850 1.150 1.250
AC 2.375 2.515
AL 2.200 2.960
21 1.600 1.100 2.100 1.400 2.400 2.200 2.800 3.700 3.850 1.150 1.250
AC 2.375 2.815
NOTA
 Portas de pavimento fixadas em suportes metálicos, projetados no interior da caixa de corrida.

ATENÇÃO
 OPCIONAL (Consultar a Orona):
* Largura da Caixa de Corrida (AH) reduzida em 120 mm sobre as medidas especificadas;
** Última altura (HUP) para 1 m/s reduzida para 3.000 mm, havendo necessidade de medidas compensatórias.

27
Elevadores Elétricos Orona
sem Casa de Máquinas (MRL sem redutor)

CORTE VERTICAL VISTA EM CORTE DA CAIXA DE CORRIDA

28
5. Dimensionamento:

5.4 Elevadores Hidráulicos:

29
Elevadores Hidráulicos Orona

Características Gerais
Carga Nominal Kg 320 450 630 800 1.000 1.250 > 1.250
Velocidade Nominal m/s 0,6 m/s (Opcional 1 m/s)
Dimensões da Cabina Ver tabelas
Tipo de portas 2 e 3 folhas (Telescópicas- AL); 2 e 4 e 6 folhas Abertura Central (AC);Portas Articuladas
Largura Útil de portas (LUZ- mm) 700 - 800 - 900 - 1.000
1 embarque, 2 embarques a 180º, 2 embarques a 90º 1 e 2 emb.
Número de Embarques
Dimensões para 2 embarques a 90º consultar a Orona a 180º
Número Máximo de paradas Em função do percurso
Percurso Máximo (m) 19 m (para percursos superiores consultar a Orona)
Acionamento Óleo-Dinâmico de 380V/ 220V
Acionamento e Partidas
Partida Direta/ Estrela-Triângulo/ Soft-Starter em função da potência ou disponibilidade
Suspensão 1:1 ou 2:1 em função do percurso
Guia da Cabina T-90A/ Calibrada T-125B/ Mecanizada
Com suspensão 1:1 (não utilizável) Instantâneo
Acunhamento Com suspensão 2:1- Instantâneo por Afrouxamento dos cabos acionado por
regulador

Em função da relação Largura (AC) e Profundidade (FC) da cabina 2 pistões


Situação do Pistão
Se AC > FC => Pistão ao fundo; Se AC < FC => Pistão Lateral laterais
Se Pistão ao Fundo: FC máx = 1.250 mm Se Pistão ao Fundo: FC máx = 1.500 mm
Dimensões Máximas da Cabina --
Se Pistão Lateral: AC máx = 1.250 mm Se Pistão Lateral: AC máx = 1.500 mm

Tabela de dimensões para Portas Telescópicas (AL) e Centrais (AC)- 01 Pistão


Cabina Caixa de Corrida recomendada (mm) Última Profund.
Carga Portas
Larg. Prof. Altura Largura (mm) Profundidade (mm) Altura Poço
Pes (kg) (mm) (mm) (mm) (mm) (mm) 1 Embarq. 1 Emb. 2 Emb. A 180º. (mm) (mm)
Tipo
Q LUZ HPL AC FC HC AH FH HUP HFOSSO
1.000 875 1.275 1.510 -
AL 875 1.000 1.325 1.375 1.560
825 1.100 1.275 1.475 1.660
4 320 700 2.000 2.100 3.400 1.100
1.000 875 1.250 -
AC 875 1.000 1.525 1.300 -
825 1.050 1.350 1.465
900 1.350 1.425 1.725 1.910
925 1.300 1.425 1.675 1.860
950 1.250 1.425 1.625 1.810
800
975 1.250 1.425 1.625 1.810
AL
1.000 1.200 1.450 1.575 1.760
1.000 1.250 1.450 1.625 1.810
1.000 1.200 1.575 1.575 1.760
900
1.000 1.250 1.575 1.625 1.810
6 450 2.000 2.100 3.400 1.150
900 1.350 1.650 1.765
925 1.300 1.600 1.715
950 1.250 1.550 1.665
800 1.725
975 1.250 1.550 1.665
AC
1.000 1.200 1.500 1.615
1.000 1.250 1.550 1.665
1.000 1.200 1.500 1.615
900 1.925
1.000 1.250 1.550 1.665
NOTA
 Portas de pavimento fixadas em suportes metálicos, projetados no interior da caixa de corrida.

30
Elevadores Hidráulicos Orona

Tabela de dimensões para Portas Telescópicas (AL) e Centrais (AC)- 01 Pistão

Cabina Caixa de Corrida recomendada (mm) Última Profund.


Carga Portas
Larg. Prof. Altura Largura (mm) Profundidade (mm) Altura Poço
Pes (kg) (mm) (mm) (mm) (mm) (mm) 1 Embarq. 1 Emb. 2 Emb. A 180º. (mm) (mm)
Tipo
Q LUZ HPL AC FC HC AH FH HUP HFOSSO
925 1.700 1.425 2.075 2.260
950 1.650 1.425 2.025 2.210
975 1.600 1.425 1.975 2.160
800
1.000 1.550 1.450 1.925 2.110
AL 1.050 1.450 1.500 1.825 2.010
1.100 1.400 1.550 1.775 1.960
1.000 1.550 1.575 1.925 2.110
900 1.050 1.450 1.575 1.825 2.010
1.100 1.400 1.575 1.775 1.960
8 630 2.000 2.100 3.400 1.150
925 1.700 2.000 2.115
950 1.650 1.950 2.065
975 1.600 1.900 2.015
800 1.725
1.000 1.550 1.850 1.965
AC 1.050 1.450 1.750 1.865
1.100 1.400 1.700 1.815
1.000 1.550 1.850 1.965
900 1.050 1.450 1.925 1.750 1.865
1.100 1.400 1.700 1.815
1.000 1.900 1.500 2.275 2.460
1.050 1.800 1.550 2.175 2.360
800
1.100 1.700 1.600 2.075 2.260
1.200 1.575 1.700 1.950 2.135
AL
1.000 1.900 1.600 2.275 2.460
1.050 1.800 1.600 2.075 2.360
900
1.100 1.700 1.600 2.075 2.260
1.200 1.575 1.700 1.950 --
10 800 2.000 2.100 3.400 1.200
1.000 1.900 2.200 2.315
1.050 1.800 2.100 2.215
800 1.725
1.100 1.700 2.000 2.115
1.200 1.575 1.900 --
AC
1.000 1.900 2.200 2.315
1.050 1.800 2.100 2.215
900 1.925
1.100 1.700 2.000 2.115
1.200 1.575 1.900 --
1.100 2.100 1.600 2.500 2.660
1.250 1.800 1.750 2.175 2.360
900
1.350 1.700 1.850 2.075 2.260
1.400 1.600 1.900 1.975 2.160
AL
1.100 2.100 1.750 2.500 2.660
1.250 1.800 1.750 2.175 2.360
1.000
1.350 1.700 1.850 2.075 2.260
1.400 1.600 1.950 1.975 2.160
13 1.000 2.000 2.100 3.400 1.200
1.100 2.100 2.400 2.515
1.250 1.800 2.100 2.215
900 1.925
1.350 1.700 2.000 2.115
1.400 1.600 1.900 --
AC
1.100 2.100 2.400 2.515
1.250 1.800 2.100 2.215
1.000 2.125
1.350 1.700 2.000 2.115
1.400 1.600 1.900 --
1.350 2.100 1.900 2.500 2.660
1.200 2.300 1.750 2.675 2.860
AL 1.000
1.400 1.900 1.900 2.275 2.460
1.900 1.400 2.100 2.100 --
16 1.250 2.000 2.100 3.400 1.200
1.350 2.100 2.400 2.515
1.200 2.300 2.125 2.600 2.715
AC 1.000
1.400 1.900 2.200 2.315
1.900 1.400 2.150 2.050 --
NOTA
 Portas de pavimento fixadas em suportes metálicos, projetados no interior da caixa de corrida.

31
Elevadores Hidráulicos Orona

Tabela de dimensões para Portas Telescópicas (AL) e Centrais (AC)- 02 Pistões


Cabina Caixa de Corrida recomendada (mm) Última Profund.
Carga Portas
Larg. Prof. Altura Largura (mm) Profundidade (mm) Altura Poço
Pes (kg) (mm) (mm) (mm) (mm) (mm) 1 Embarq. 1 Emb. 2 Emb. A 180º. (mm) (mm)
Tipo
Q LUZ HPL AC FC HC AH FH HUP HFOSSO
AL 1.100
21 1.600 2.100 1.400 2.400 2.200 2.300 2.800 2.960 3.700 1.200
HH 1.300
AL
24 1.800 1.300 2.100 1.600 2.400 2.200 2.500 2.800 2.960 3.700 1.200
HH
AL 2.500
26 2.000 1.300 2.100 1.500 2.700 2.200 3.100 3.260 3.700 1.200
HH 2.400
AL
33 2.500 1.300 2.100 1.800 2.700 2.200 2.700 3.100 3.260 3.700 1.200
HH
NOTA
 Portas de pavimento fixadas em suportes metálicos, projetados no interior da caixa de corrida.

CORTE VERTICAL VISTA EM CORTE DA CAIXA DE CORRIDA

32
6. Alimentação Elétrica:
Proteção para Subestação Potência
Motor Tensão Alimentação elétrica/ Aterramento e distância entre Subestação e Casa
ou Casa de Máquinas disponível por
(kW) (Volts) de Máquinas
Fusível ou Disjuntor* elevador
Até 30 m Até 50 m Até 75 m
2 2 2
220 Fase (3) 2,5 mm Fase (3) 4 mm Fase (3) 6 mm 16 A
2 2 2
Terra (1) 2,5 mm Terra (1) 4 mm Terra (1) 6 mm
3,7 Até 95 m Até 150 m Até 230 m
8,0 kVA
2 2 2
380 Fase (3) 2,5 mm Fase (3) 4 mm Fase (3) 6 mm 16 A
Terra (1) 2,5 mm2 Terra (1) 4 mm2 Terra (1) 6 mm2
Até 50 m Até 95 m Até 150 m
2 2 2
220 Fase (3) 6 mm Fase (3) 10 mm Fase (3) 16 mm 25 A
2 2 2
Terra (1) 6 mm Terra (1) 10 mm Terra (1) 16 mm
5,5 Até 70 m Até 110 m Até 170 m
5,5 kVA
2 2 2
380 Fase (3) 2,5 mm Fase (3) 4 mm Fase (3) 6 mm 16 A
2 2 2
Terra (1) 2,5 mm Terra (1) 4 mm Terra (1) 6 mm
Até 70 m Até 110 m Até 170 m
220 Fase (3) 10 mm2 Fase (3) 16 mm2 Fase (3) 25 mm2 32 A
2 2 2
Terra (1) 10 mm Terra (1) 16 mm Terra (1) 16 mm
7,5 Até 50 m Até 80 m Até 120 m
7,5 kVA
380 Fase (3) 2,5 mm2 Fase (3) 4 mm
2
Fase (3) 6 mm
2
16 A
2 2 2
Terra (1) 2,5 mm Terra (1) 4 mm Terra (1) 6 mm
Até 50 m Até 80 m Até 120 m
220 Fase (3) 10 mm2 Fase (3) 16 mm2 Fase (3) 25 mm2 40 A
2 2 2
Terra (1) 10 mm Terra (1) 16 mm Terra (1) 16 mm
11 Até 90 m Até 150 m Até 240 m
11 kVA
2 2 2
380 Fase (3) 6 mm Fase (3) 10 mm Fase (3) 16 mm 25 A
Terra (1) 6 mm2 Terra (1) 10 mm2 Terra (1) 16 mm2
Até 95 m Até 130 m Até 170 m
220 Fase (3) 25 mm2 Fase (3) 35 mm2 Fase (3) 50 mm2 63 A
Terra (1) 16 mm2 Terra (1) 16 mm2 Terra (1) 25 mm2
15 Até 115 m Até 180 m Até 290 m
15 kVA
380 Fase (3) 10 mm2 Fase (3) 16 mm2 Fase (3) 25 mm2 32 A
2 2 2
Terra (1) 10 mm Terra (1) 16 mm Terra (1) 16 mm
Até 95 m Até 130 m Até 180 m
220 Fase (3) 35 mm2 Fase (3) 70 mm2 Fase (3) 70 mm2 80 A
2 2 2
Terra (1) 16 mm Terra (1) 35 mm Terra (1) 35 mm
19 Até 130 m Até 210 m Até 290 m
19 kVA
2 2 2
380 Fase (3) 16 mm Fase (3) 35 mm Fase (3) 35 mm 50 A
2 2
Terra (1) 16 mm Terra (1) 16 mm Terra (1) 16 mm2
Até 95 m Até 130 m Até 180 m
2 2 2
220 Fase (3) 50 mm Fase (3) 50 mm Fase (3) 95 mm 100 A
Terra (1) 25 mm2 Terra (1) 25 mm2 Terra (1) 50 mm2
26 Até 150 m Até 210 m Até 290 m
26 kVA
380 Fase (3) 25 mm2 Fase (3) 25 mm2 Fase (3) 50 mm2 63 A
Terra (1) 16 mm2 Terra (1) 16 mm2 Terra (1) 25 mm2
Até 120 m Até 160 m Até 200 m
220 Fase (3) 70 mm2 Fase (3) 95 mm2 Fase (3) 120 mm2 125 A
Terra (1) 35 mm2 Terra (1) 50 mm2 Terra (1) 70 mm2
30 Até 140 m Até 190 m Até 260 m
30 kVA
380 Fase (3) 25 mm2 Fase (3) 35 mm2 Fase (3) 50 mm2 63 A
Terra (1) 16 mm2 Terra (1) 16 mm2 Terra (1) 25 mm2
Até 120 m Até 150 m Até 180 m
220 Fase (3) 95 mm2 Fase (3) 120 mm2 Fase (3) 150 mm2 160 A
2 2
Terra (1) 50 mm Terra (1) 70 mm Terra (1) 95 mm2
40 Até 190 m Até 270 m Até 370 m
40 kVA
380 Fase (3) 50 mm2 Fase (3) 70 mm2 Fase (3) 95 mm2 100 A
2 2
Terra (1) 25 mm Terra (1) 35 mm Terra (1) 50 mm2
Até 115 m Até 140 m Até 170 m
220 Fase (3) 95 mm2 Fase (3) 120 mm2 Fase (3) 150 mm2 160 A
2 2
Terra (1) 50 mm Terra (1) 70 mm Terra (1) 95 mm2
45 Até 180 m Até 250 m Até 340 m
45 kVA
380 Fase (3) 50 mm2 Fase (3) 70 mm2 Fase (3) 95 mm2 100 A
Terra (1) 25 mm2 Terra (1) 35 mm2 Terra (1) 50 mm2
NOTA
 - * Na Casa de Máq. utilizar chave de proteção tipo faca, com fusíveis NH, tamanho 00, de ação retardada;

- A resistência da malha de aterramento deverá ser no máximo 10 ohms.

33
6. Alimentação Elétrica:
6.1 Orientações Gerais:

A casa de máquinas deve possuir no mínimo uma tomada elétrica que deve ser do tipo: Dois pólos mais terra (2P+T), tensão de 250 V. A
( ) instalação elétrica da tomada da casa de máquinas deve ser derivada de circuito de iluminação independente do(s) elevador(es);

Os condutores devem ser em cobre com isolação em PVC- 70ºC- 750 V, contidas em tubulações independentes por elevador. Os condutores
( )
não devem possuir derivações, sendo sugerida a instalação exclusiva por elevador(es);
A rede monofásica da Casa de Máquinas deverá estar protegida por um disjuntor termomagnético monofásico, ligado em série com um
( )
interruptor Diferencial Residual de dois pólos (DR), com corrente máxima residual de 30 mA;
O valor da resistência de aterramento não poderá exceder a 10 ohms, devendo ser previamente aferido pelo Contratante/ Construtora através de
( )
laudo elétrico que deverá ser entregue à Contratada;
O sistema de aterramento recomendado é do tipo TN-S (NBR 5410/ 97, item 4.2.2.2.1), no qual o condutor Neutro na cor azul claro e o
( ) condutor de Proteção Elétrica (PE) na cor verde-e-amarelo ou verde, são interligados somente na subestação, devendo seguir separados até a
Casa de Máquinas;
Cada elevador deve possuir na Casa de Máquinas um quadro de força concebido em material incombustível, com carcaça aterrada, e instalado
( )
do lado oposto as dobradiças da porta de entrada e distante dela no máximo 1,0 m;
Quando o elevador possuir dispositivo de acoplamento ao Gerador, deverá ser previsto a instalação de um fio de 1,5 mm2, saindo antes da
( ) chave reversora do Gerador, até o Quadro de Comando "mestre" localizado na Casa de Máquinas, e deste último, até os demais quadros de
comando existentes no edifício;
Deverá ser previsto eletroduto de interligação entre o(s) poço(s) do(s) elevador(es) e a portaria/ sala de controle do edifício, necessário para
( ) interligação do sistema de interfonia. Dentro deste eletroduto deverá estar a fiação necessária para interligação do interfone da portaria com
central telefônica do(s) elevador(es);
( ) Recomenda-se que a edificação esteja protegida contra descargas atmosféricas antes da ligação do quadro de comando.

LEGENDA:

1- Chave seccionadora com fusível “NH”, tipo faca, tamanho "00", de ação retardada com dispositivo de travamento;
2- Barra de cobre do terra (01 para cada elevador) com resistência máxima de 10 ohms;
3- Barra de cobre do neutro (01 para cada elevador);
4- Disjuntor termomagnético 15A;
5- Interruptor DR (diferencial residual) bipolar;
6- Eletroduto de entrada;
7- Eletroduto de saída (01 para cada elevador).

34
7. Consultoria Construtiva:
A construtora deverá realizar as obras civis necessárias para a instalação dos elevadores, conforme especificações à seguir (orientações
com base na Norma NM 207/99):

7.1 Itens obrigatórios para a CAIXA DE CORRIDA do(s) elevador(es):


As paredes da caixa de corrida devem estar regularizadas (lisas e sem saliências) e posteriormente pintadas na cor branca ou caiadas. Este
( )
reboco não deverá ser aplicado em vigas e pilares, e não devem possuir espessura que ultrapasse a face das vigas;
As “golas” da caixa de corrida, paredes ao lado das portas de pavimento dos elevadores, devem formar uma superfície vertical plana e lisa com
( )
uma largura mínima necessária para fixação das portas, conforme dimensões especificadas em projeto mecânico;
Caso haja saliências em vigas na direção da movimentação do elevador, estas devem ser chanfradas à 60º ou mais com a horizontal, para que
( ) se possa minimizar um possível impacto ou colisão de algum equipamento que por acaso venha a se soltar do elevador;

Instalação de avanço de soleira para apoio das portas de pavimento automáticas (abertura central- AC; ou de abertura lateral- AL) em concreto
( ) ou alvenaria, com uma aba de face lisa vertical de altura igual à mínima de 10 cm. Abaixo da aba continuará uma inclinação mínima de 60º
com a horizontal, até encontrar a próxima superfície lisa do andar inferior;
( )
A altura do vão livre de pavimento onde serão instaladas as portas de pavimento do elevador deverá ter altura mínima livre variando de 2,25 m
à 2,40 m;
Em pavimentos cujo pé direito for maior que 3,10 m, deverão ser construídas vigas intermediárias com altura mínima de 20 cm, posicionadas a
( )
uma distância de 2,30 m do piso;
Em elevadores conjugados (caixa de corrida adjacente) deverá existir viga central separando as caixas de corridas de ambos em todos os
( )
andares;
Não deverá existir tubulações ou outros equipamentos que não façam parte do elevador no interior da caixa de corrida, devido à possibilidade de
( )
colisão e acidente eminente;
Para distâncias superiores a 1100 cm entre paradas consecutivas, devem existir portas de emergência, com espaçamento vertical, não superior
( )
a 1100 cm;
A caixa deve ser provida com iluminação elétrica de instalação permanente, proporcionando iluminação mínima de 20 lx durante reparos e
manutenção, mesmo quando todas as portas estão fechadas. Esta iluminação deve compreender uma lâmpada a 0,5 m em cada um dos
( )
pontos mais alto e mais baixo da caixa e lâmpadas intermediárias com distância entre elas não superior a 7 m, exceto quando a iluminação
elétrica existente entre as vizinhanças na caixa de corrida for suficiente (abertura com grades de proteção e/ou vidros). Os interruptores devem
ser do tipo “paralelo”, instalados na casa de máquinas e fundo do poço, possibilitando o comando de ambos os lugares (baseado item 5.9 e
5.2.1);
A iluminação natural ou artificial no pavimento, adjacente às portas de pavimento, deve ser pelo menos de 50 lx ao nível do piso de modo que o
( ) usuário possa ver o que está à frente dele quando estiver abrindo a porta de pavimento para entrar no elevador, mesmo na hipótese de falha da
iluminação da cabina (baseado item 7.6).

7.2 Itens obrigatórios para o FUNDO DO POÇO do(s) elevador(es):


O poço deverá apresentar-se com piso liso, sem saliências e impermeabilizado de maneira a impedir qualquer infiltração d’água (baseado item
( )
5.7.2.1);
( ) É proibida a instalação de qualquer outro equipamento/ dispositivo Nenhum outro equipamento deve existir no poço que não seja do elevador;

Para acesso ao fundo do poço, perto da porta de pavimento deverá ser construído uma escada fixa de material incombustível, localizada próximo
( )
à porta de pavimento. Esta escada ou seu corrimão deve estender-se até 80 cm acima da soleira da porta de acesso (baseado item 5.7.2.2);

Em elevadores conjugados (poços adjacentes), deve ser construído uma parede divisória com 2,50 m acima do nível acabado de fundo do poço.
( )
Caso haja diferença de níveis entre poços, deve ser construída considerando o nível de piso superior;
Deverá ser pintado no fundo do poço na cor amarelo brilhante um retângulo de segurança com dimensões de 50 x 80 cm, posicionado entre a
( )
base da mola da cabina e a base da mola do contrapeso (projeção da plataforma de cabina).

7.3 Itens obrigatórios para o SEGURANÇA e RESGUARDO do material:


( ) Depósito na obra (área de 40 m2), ao nível da rua, com acesso desimpedido, de forma a garantir o armazenamento dos materiais;
( ) Descarga e armazenamento em obra, conforme conferência de materiais realizada por representante da AMG Elevadores;
( ) Local na obra com porta e fechadura para guarda dos materiais leves e ferramentas da equipe de montagem;
( ) Fornecimento de materiais e mão-de-obra necessários para execução dos serviços referenciados no contrato;
( ) Construção de andaimes quando solicitado;
( ) Construção de tapumes de proteção em frente às portas de pavimento (Conforme NR-18).

35
7. Consultoria Construtiva:
7.4 Itens obrigatórios para a CASA DE MÁQUINAS do(s) elevador(es):
As máquinas, outros dispositivos do elevador e as polias (exceto as de compensação, do carro e contrapeso e tensora do limitador de
velocidade) devem ser instalados em um recinto exclusivo contendo paredes sólidas (material incombustível, com reboco desempenado, pintada
( ) na cor branca (paredes e teto), piso acabado tipo antiderrapante pintado na cor cinza, teto e porta de acesso com fechadura de segurança.
Quando fechadas, a abertura da porta por dentro do recinto deve ser possível sem o uso da chave (baseado item 6.1.2 e 6.3.1.2);

Casas de máquinas ou casas de polias não devem ser usadas para outros fins que não elevadores. Elas não devem conter dutos, cabos ou
( ) dispositivos que não estejam relacionados com elevadores ou ainda, servir de passagem para outro ambiente (baseado item 6.1.2.2);

O acesso desde a via pública até o interior da casa de máquinas e casa de polias deve (baseado item 6.2.1):
( )
a) poder ser iluminado adequadamente por dispositivos elétricos instalados permanentemente;
b) ser facilmente utilizável com segurança e em qualquer circunstância sem a necessidade de passar em local privado;
c) deve ser fácil e seguro, mesmo em condições de intempéries.
Os caminhos de acesso à casa de máquinas e as próprias entradas devem ter altura mínima de 2,0 m e largura mínima de 0,70 m. Soleiras e
( )
bordas de portas com altura que não exceda 0,40 m não são levadas em consideração.
Quando o acesso de pessoas à casa de máquinas ou casa de polias é realizado por escadas, estas devem ser construídas com materiais
incombustíveis e antiderrapantes, devendo cumprir com os projetos normais (máximo 45°) de piso e espelho, com uma largura de pelo menos
0,70 m e devem ser de trechos retos possuindo no final um patamar coincidente com a porta de entrada, de dimensões suficientes para que se
permita que uma pessoa parada nele possa abrir comodamente a porta. Tanto a escada quanto o patamar devem possuir proteções bilaterais de
altura não inferior a 0,90 m, medida na vertical desde o degrau ou patamar, conforme corresponda, devendo possuir ainda corrimãos e rodapés
( )
(baseado item 6.2.2):
a) quando o desnível for inferior a 1,20 m, as escadas podem ter uma inclinação não maior que 60°° e seus degraus terão uma elevação
aberta máxima de 0,25 m e profundidade mínima de 0,19 m. Devem atender os outros requisitos anteriores;
b) no caso em que o acesso se realize através de um terraço sem parapeitos, devem ser colocados ao longo de todo o trajeto proteções
bilaterais, conforme detalhes já enunciados.
A porta de acesso à casa de máquinas deve ser de material incombustível e sua folha deve abrir para fora, estar provida de fechadura com
chave, com fechamento e travamento autônomo. Se a porta tiver que participar da proteção contra incêndio, deve-se aplicar um critério para
( ) cumprir esta função;
O vão livre da porta deve ter largura e altura mínimas, respectivamente, de 0,70 m e 2,0 m. Deverá conter o aviso “PERIGO- MÁQUINA DO
ELEVADOR. ACESSO PROIBIDO A PESSOAS ESTRANHAS AO SERVIÇO” (baseado no item 6.3.3.1);
No piso da casa de máquinas pode ser colocado um alçapão utilizável para trabalhos de montagem e manutenção, devendo permanecer
permanentemente fechado e quando aberto devem tomar-se precauções para evitar a queda de pessoas (exemplos: balaustrada, guarda-corpo)
e de objetos. Os alçapões devem ter fechamento de material incombustível, abrir para dentro da casa de máquinas, ter dobradiça de pino fixo,
( )
travado somente por dentro e conter o aviso permanente “PERIGO DE QUEDA, FECHE O ALÇAPÃO”. O vão livre dos alçapões (no mínimo
1,20 x 1,20 m) deve ser adequado com as dimensões dos equipamentos da casa de máquinas (baseado no item 6.3.3.2);

Sobre o alçapão e sobre cada máquina deve existir no teto um gancho ou “trilho” (Viga Metálica) para fixação de talha ou tirfor, em futuras
( )
substituições. Deverá estar pintado na cor amarela e ter aviso indicando a capacidade de içamento do mesmo;
As dimensões do recinto devem ser suficientes para permitir um fácil e seguro acesso a equipe técnica para fins de instalação, manutenção e
( ) inspeção, com facilidade e segurança a todos os componentes, especialmente o equipamento elétrico, bem como remoção de partes ou
conjuntos para reparos (com base 6.3.2.1);
A altura mínima da casa de máquinas (medida do acabamento do piso ao teto), deve ter no mínimo 2,0 m de altura, se houver viga ou elemento
( )
estrutural no teto, deverá ser garantida a altura livre de 1,80 m pelo menos (com base item 6.3.2.2);
As casas de máquinas devem ser ventiladas adequadamente, com ventilação natural cruzada ou forçada, dependendo do caso. Se a caixa for
ventilada através da casa de máquinas, isto deve ser levado em consideração. A exaustão do ar viciado de outras partes do edifício não deve ser
( ) feita através da casa de máquinas. As casas de máquinas devem se construídas de modo que os motores e os equipamentos, assim como
cabos elétricos, etc, estejam protegidos tanto quanto possível do pó, fumaças nocivas e umidade. A temperatura ambiente na casa de máquinas
deve ser mantida entre +5°C e +40°C (com base item 6.3.5.1 e 6.3.5.2);
Deverá existir uma unidade extintora (CO2- 4 kg, adequado para instalações elétricas), colocada dentro da casa de máquinas, junto à porta de
( )
acesso, no máximo a 1,0 m da mesma;
( ) A chave de força deverá ser instalada no máximo a 1,0 m da porta de acesso;
A casa de máquinas deve ser provida com circuito elétrico para iluminação e tomadas independente da alimentação elétrica dos elevadores. A
( ) iluminação deverá possuir instalação fixa que assegure no mínimo 200 lx ao nível do piso, interruptor colocado dentro e próximo do(s) ponto(s)
de acesso e a uma altura apropriada, proporcionando na entrada a iluminação do local;
Deve ser provida no mínimo uma tomada elétrica do tipo 2 P + T, 250 V e dispor de luz de emergência independente e automática, com uma
( ) autonomia mínima de 1 h, que assegure uma iluminação mínima de 10 lx sobre a(s) máquina(s), de modo a garantir a realização das operações
de resgate (baseado item 6.3.6, 13.6.1 e 13.6.2);

Deverão ser fornecidas as conexões (eletrodutos rígidos) e fiações elétricas necessárias para interligação do quadro de força, quadro de
( )
comando, motor, regulador de velocidade e de passagem do cabo de manobra e fiações de poço para caixa de corrida por conta do cliente;
Existindo sobrelaje, deverá ser prevista instalação de escada de acesso para o nível das máquinas e, após esta, instalação de um guarda-corpo
( )
removível para garantir a segurança dos técnicos contra quedas;
A sobrelaje das máquinas deverá suportar as cargas atuantes indicadas no projeto mecânico específico, já considerando as respectivas furações
( )
necessárias.

36
7. Consultoria Construtiva:
7.5 Figuras Ilustrativas:

Observação: Figuras meramente ilustrativas, com instalação variando conforme condições civis disponíveis em obra.

37
7. Consultoria Construtiva:
7.5 Figuras Ilustrativas:
Instalação do Sistema de Intercomunicador (Elevador - Portaria):
São exigidas luminárias tipo “tartaruga” instaladas no interior da caixa de corrida, interligadas através de
eletrodutos de PVC rígido presos através de braçadeiras. A distância entre luminárias não poderá
ultrapassar 7,0 m (na prática é feito a instalação em pavimentos alternados). O acionamento das
mesmas é feito por interruptores "paralelos" (tri-way) instalados no interior da caixa de corrida, sendo
um ao lado do alçapão vertical e outro ao lado da porta de acesso do 1º pavimento.

Escada de Acesso ao tipo marinheiro:

Nota:
Prever na extremidade superior do
alçapão de acesso, polia giratória com
corda, que serão utilizados para
içamento da mala de ferramental.

(Detalhe da Escada do Fundo do Poço) (Detalhe da Escada de Acesso com proteção para as costas)

Tapumes de Proteção dos Vãos livres das portas de pavimento:


- Os vãos das portas de pavimento deverão estar protegidos contra quedas de objetos no interior da caixa de corrida. A construtora deverá garantir o
vedamento provisório na largura dos vãos de acesso às caixas de elevadores, com anteparo de altura mínima de 1200 mm e rodapé com 200 mm de
altura, visando à proteção contra quedas de objetos e restringindo a área de movimentação de materiais;
- Este anteparo de proteção deverá ser constituído por guarda-corpo principal, intermediário e rodapé revestidos com tela, ou dispositivo que cumpra as

mesmas funções de proteção (grade ou painel, por exemplo). No caso de substituição integral das folhas de porta, e quando o passadiço (caixa de corrida)

possuir poços adjacentes, deverão ser instaladas redes de proteção entre passadiços, visando o resguardo do usuário, do técnico e do equipamento.
Orientações construtivas:

a) Altura de 1500 mm para o travessão superior e 700 mm para o


travessão intermediário;
b) Rodapé com altura de 200 mm;
c) Vãos entre travessas preenchidos com tela ou outro dispositivo
que garanta o fechamento seguro da abertura.

Andaime para instalação:


Utilizado para deslocamento vertical pela equipe de montagem. Quando
necessário deverá ser confeccionado em obra com madeira de boa
qualidade, conforme dimensões da caixa de corrida e respeitando os
perímetros de segurança conforme figura ao lado. A fixação da estrutura
deverá ser feita com parafusos de aço, tipo passantes, travados por
porcas e arruelas.

Observação: Figuras meramente ilustrativas, com instalação variando conforme condições civis disponíveis em obra.

38
8. Rede Comercial AMG:
1) Brasília/ DF: AMG ELEVADORES (MATRIZ BR) 2) Goiânia/ GO: Módulo Elevadores
SAAN, Qd 02, Lote 980 Rua C-153, Qd 290, Lote 15- Jardim América
Telefax: + 55 (61) 3363-4200 Telefax: + 55 (62) 3285-7688
Celular: + 55 (62) 9968-1563
amg@amgelevadores.com.br divino@amgelevadores.com.br
Contato: Fernando Moura Contato: Divino
3) São Paulo/ SP: AMG Elevadores Ltda 4) Rio de Janeiro/ RJ: Universo Elevadores
Rua Ermelinda Americano, nº 79- Perdizes Rua Prefeito Olímpio de Melo, nº 1850
Telefax: + 55 (11) 2615-9176 Telefax: + 55 (21) 3860-2140/ 3860-2927
Celular: + 55 (11) 9793-7715 Celular: + 55 (21) 7862-3345
edmilson.vieira@amgelevadores.com.br emilson@universoelevadores.com.br
Contato: Edmilson Vieira Contato: Emilson
5) Porto Alegre/ RS: AMG ORONA Elevadores Ltda 6) Salvador/ BA: Módulo Elevadores
Rua Portugal, nº 417- Higianópolis Av. Dom João VI, nº 342- Sala 18- Brotas Boulevard
Telefax: + 55 (51) 3086-4956 Telefax: + 55 (71) 3244-2139
Celular: + 55 (51) 9715-9391 Celular: + 55 (71) 9957-2279
rafael@amgelevadores.com.br jluiz@moduloelevadores.com.br
Contato: Rafael Oliveira Contato: José Luiz
7) Recife/ PE: Beta Elevadores Ltda 8) João Pessoa/ PB: Paraíba Elevadores
Rua Padre Gabriel Mousinho, nº 119- Ilha do Retiro Rua Celso da Costa Gomes, nº 14- Água Fria
Telefax: + 55 (81) 3228-9033 Telefax: + 55 (83) 3231-9945
Celular: + 55 (81) 9681-0266 Celular: + 55 (83) 8773-2649
gilson@betaelevadores.com.br paraiba.elevadores@hotmail.com
Contato: Gilson Félix Contato: Klistenes Pena de Souza
9) Natal/ RN: AMG Orona Elevadores 10) Fortaleza/ CE: Ícone Elevadores
Rua Francisco Dantas, nº 09- Barro Vermelho Rua Monsenhor Bruno, nº 2500- Joaquim Távora
Telefax: + 55 (84) 3201-4713 Telefax: + 55 (85) 3246-3545
Celular: + 55 (84) 9198-5650 Celular: + 55 (85) 9909-9721
fbrito@amgelevadores.com.br elpidio@iconeelevadores.com.br
Contato: Flávio Brito Contato: Elpídio
11) Belém/ PA: Conserp Elevadores 12) Manaus/ AM: Conserp Elevadores
Trav. Mariz e Barros, nº 108- Marco/ Alam. Tapajós Rua Francisco Nobre Pontes, 02, QD 28- CJ Belvedere- Planalto
Telefax: + 55 (91) 3246-0254 Telefax: + 55 (92) 3584-4155
Celular: + 55 (91) 9623-9722 Celular: + 55 (92) 8106-1211
wagnerresende@concerpelevadores.com.br comercial.am@hotmail.com
Contato: Wagner Resende Contato: Ricardo Martins

9. Grupo Orona Mundial:


1) EQUADOR: 2) CHILE: 3) BOLÍVIA:
Ecuasure Elevadores Transve Ascensores JYC SRL - Ascensores.
Fone: 083004088 Fone: 0056-2-2698080 Fone: 59172101510
administrativo@ecuasure.com www.transve.cl mdominguez@jycbolivia.com
Contato: Marcelo Herrera Contato: René Campusano Contato: Mario Dominguez

4) MÉXICO: 5) PERU: 6) ESPANHA: Orona S. Coop.


Interlift Elevadores Ascensores Andinos Pólo Industrial Lastaola, s/n
Fone: 00-52012-222301260 Fone: 00-15511-994099961 Telefax: 34 (18) 9433--35995
www.interlift.com.mx instalacion@ascensoresandinosingenieros.com.pe www.orona.es
Contato: Luis Jiménez Vásquez operaciones@ascensoresandinosingenieros.com.pe
Contato: Eduardo Díaz

39
40